Física do Som Geral – 12º Ano

Ano letivo: 2012/2013

Objetivos

1) Definir e aplicar os seguintes conceitos: ciclo, período, frequência (altura) e amplitude (intensidade). 2) Distinguir os instrumentos que executam oscilações livres amortecidas dos instrumentos que executam oscilações forçadas. 3) Análise de um som musical: transitório de ataque, período de estabilidade e transitório de extinção – relação com os dois tipos de oscilação. 4) Distinguir os sons complexos periódicos (altura definida) dos sons complexos aperiódicos (sons de altura indefinida). 5) Construir a série dos harmónicos até ao 20º parcial, sendo dado o som fundamental. 6) Classificar os instrumentos musicais, segundo a orquestra sinfónica e segundo o sistema de classificação de Hornbostel e Sachs. 7) Instrumentos transpositores:     Identificar os instrumentos transpositores Distinguir som real de som escrito Identificar o som real de um instrumento transpositor Identificar a tonalidade de um instrumento transpositor

1

2 . Pelo contrário. mais grave é o som. e vice-versa. A nível musical. quando a frequência de vibração aumenta. o que significa que os seus ramos oscilam 440 vezes por segundo. a altura do som sobe. mais intenso (mais forte) é o som.  Transiente ou transitório de extinção: período em que o som se extingue – decaimento. utilizado pelos músicos para afinação. usa-se preferencialmente a frequência e não o período para definir um movimento vibratório. devido à correspondência direta que existe entre altura e frequência. Uma é o inverso da outra. pois quanto maior a amplitude. Já o diapasão. Frequência: número de ciclos efetuados na unidade de tempo (normalmente. uma corda de guitarra com a frequência de 200Hz efetua 200 ciclos num segundo ou 200 vibrações num segundo. Na acústica musical. O período representa-se pela letra T e exprime-se normalmente em segundos (s). quanto menor a frequência. quanto maior a frequência. o número de ciclos por segundo. Das definições de período e de frequência conclui-se que quando a frequência aumenta (som mais agudo) o período diminui e quando a frequência diminui (som mais grave) o período aumenta. emite a nota lá3. Amplitude: deslocamento máximo a partir da posição de equilíbrio. ou seja. Deste modo. que apresenta uma frequência de 440Hz. 2) PERÍODOS DE DURAÇÃO DE UM SOM Num som consideram-se três períodos de duração:  Transiente ou transitório inicial: passagem do silêncio ao som – ataque. a amplitude apresenta uma correspondência direta com a intensidade. Por exemplo. Esta grandeza representa-se pela letra f e a unidade é o Hz (Hertz – ciclos/s). o segundo). Período: intervalo de tempo que leva a efetuar um ciclo.Física do Som Geral – 12º Ano Materiais de Apoio 1) CONCEITOS Ano letivo: 2012/2013 Ciclo: percurso efetuado por um determinado corpo ao fim do qual o movimento repete sempre as mesmas características. portanto. mais agudo é o som.

3 . Oscilação forçada: Suponhamos que um sistema é posto a oscilar. a amplitude declina imediata e constantemente até à extinção do som. devido ao fenómeno do amortecimento (decaimento da amplitude/intensidade ao longo do tempo). Nos instrumentos que executam estes tipo de oscilação. a vibração é imposta ao sistema por uma ação externa independente. apresenta uma oscilação livre amortecida. deixando-a a vibrar livremente. após a aplicação de uma força que coloca o sistema a oscilar. Portanto. 3) DIFERENTES TIPOS DE OSCILAÇÃO Oscilação livre amortecida: não podendo desprezar a existência de forças dissipativas (como o atrito ou a viscosidade do ar. há uma diminuição da amplitude de oscilação ao longo do tempo e o sistema acaba por parar ao fim de um certo tempo.Física do Som Geral – 12º Ano Ano letivo: 2012/2013  Período de estabilidade: período entre os dois períodos anteriores – regime estacionário ou permanente de um som. ele entra em movimento sem haver qualquer ação ulterior sobre ele. não é de esperar que possuam um período de estabilidade – por exemplo. que corresponde ao movimento forçado no instrumento – por exemplo. ele entra em vibração forçada. o martelo percute a corda de um piano e depois abandona-a. Nos instrumentos musicais que excutam este tipo de oscilação. O sistema é então “obrigado” a oscilar. quando colocado em vibração livre. Já num sistema livre. como é o caso dos instrumentos de percussão e do piano. qualquer sistema físico real. após o transitório inicial. portanto. consequentemente. a extinção do som começa logo após o ataque. o movimento forçado do arco num violino ou o movimento forçado de um jacto de ar no bocal do trompete. por exemplo). O transitório de extinção surge quando o sistema forçado é removido. estando submetido a uma excitação contínua no tempo. ou seja. mas que lhe é fornecida energia de forma contínua e através da aplicação de uma força. surge um período mais ou menos estacionário.

por exemplo) e os que produzem sons em oscilação forçada (o violino e a trompa. por isso. 4) SONS COMPLEXOS SONS COMPELXOS: sons constituídos por mais do que uma frequência. podem ser considerados como um somatório de sons simples ou sinusoidais. 5) Série dos Harmónicos 4 .Física do Som Geral – 12º Ano Ano letivo: 2012/2013 Os instrumentos musicais podem assim ser divididos em dois grandes grupos: os instrumentos que produzem sons em oscilação livre amortecida (o piano e o xilofone. Cada uma das frequências que constitui um som complexo denomina-se componente ou parcial. por exemplo).  Som complexo periódico – som constituído unicamente por parciais harmónicos (parciais que são múltiplos inteiros do som fundamental) – som de altura definida. O primeiro dos parciais é designado como som fundamental.  Som complexo aperiódico – som em que pelo menos um dos seus parciais é nãoharmónico – som de altura indefinida.

devendo o compositor escrever a sua parte uma 2ªM acima do que deseja ouvir: para que ele toque a nota Sol como som real. Assim. Schoenberg. embora dificulte a escrita e a leitura das partituras de orquestra. 5 . Mib num clarinete em Mib. e do contrafagote. terá que se escrever Sol3. que soa uma oitava a baixo. teremos de o escrever transposto em sentido oposto. Todos os membros de uma família são concebidos mecanicamente de maneira idêntica.Física do Som Geral – 12º Ano  Os instrumentos transpositores Ano letivo: 2012/2013 Muitos dos instrumentos de sopro são transpositores. terá que escrever Lá. Sib num clarinete em Sib e Lá num clarinete em Lá. para que uma nota produzida da mesma maneira (com a mesma dedilhação nas madeiras. Mas como os vários modelos de uma família tem dimensões diferentes. a nota Dó em cada um dos clarinetes referidos teríamos de escrever respetivamente Dó. trompa em Fá. ou seja. É o caso do flautim. Assim. em que a nota que se ouve é igual á nota que se lê. A transposição é sempre feita em relação ao Dó4. uma 5ªP acima. Ré e Mib. ao ler Dó ouve-se Fá. por exemplo. Quase todos os instrumentos de sopro estão organizados em famílias. Se se quiser que todos eles produzam o mesmo som. as notas escritas na partitura não correspondem aos sons reais produzidos pelo instrumento. a trompa transpõe á 5ªP inferior. os sons produzidos vão ser diversos. este sistema de transposição facilita a execução dos instrumentistas. por exemplo) publicaram partituras escritas sempre em notas reais. a dedilhação correspondente ao Dó fará ouvir Dó num clarinete em Dó. A sua designação consiste em juntar ao nome do instrumento a tonalidade de base em que estão afinados – clarinete em Sib. para que este instrumento emita o som real Dó3. Do mesmo modo. etc. Neste dois casos como os sons produzidos são muito agudos ou muito graves evita-se o uso constante das linhas suplementares. que soa uma oitava acima das notas escritas. Alguns compositores (como Prokofiev. Assim. mas a uma oitava inferior ou superior desta. Em suma. um clarinete em Sib transpõe ao intervalo de 2ªM inferior. Dentro dos instrumentos transpositores. Lá. há um caso particular: aqueles instrumentos que transpõem á oitava. com o mesmo harmónico e posição dos pistões ou da vara nos metais) tenha em todos eles o mesmo nome. isto é. Para obtermos. Webern e Berg. ou seja.

Física do Som Geral – 12º Ano Ano letivo: 2012/2013 As notas que se ouvem ao ler Dó4. para as principais madeiras e metais (nos metais. indicam-se apenas as transposições mais comuns). bem como os intervalos a que transpõem. estão apresentados na tabela seguinte (também são incluídos os instrumentos não transpositores). Instrumento Madeiras Flautim Flauta Flauta Alto Oboé Oboé de Amor Corne Inglês Requinta Clarinete soprano Clarinete soprano em Lá Clarinete Alto Clarinete Baixo Saxofone soprano Saxofone Alto Saxofone Tenor Saxofone Barítono Fagote Contrafagote Trompete Metais Trompa Trombone Tuba Som escrito Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Dó4 Som real Dó5 Dó4 Sol3 Dó4 Lá3 Fá3 Mib4 Sib3 Lá3 Mib3 Sib2 Sib3 Mib3 Sib2 Mib2 Dó4 Dó3 Sib3 Dó4 Fá3 Dó4 Dó4 Transposição Transpositor à 8ª superior Instrumento não transpositor Transposição em Sol (4ªP inferior) Instrumento não transpositor Transposição em Lá (3ªm inferior) Transposição em Fá (5ªP inferior) Transposição em Mib (3ªm superior) Transposição em Sib (2ªM inferior) Transposição em Lá (3ªm inferior) Transposição em Mib (6ªM inferior) Transposição em Sib (9ªM inferior) Transposição em Sib (2ªM inferior) Transposição em Mib (6ªM inferior) Transposição em Sib (9ªM inferior) Transposição em Mib (13ªM inferior) Instrumento não transpositor Transpositor à 8ª inferior Transposição em Sib (2ªM inferior) Instrumento não transpositor Transposição em Fá (5ªP inferior) Instrumento não transpositor Instrumento não transpositor 6 .

Física do Som Geral – 12º Ano EXERCÍCIOS Ano letivo: 2012/2013 1) Indica que som real emitem os seguintes instrumentos transpositores ao terem escrito na partitura: Instrumentos Trompete em Sib Flautim Contrafagote Trompa em Fá Clarinete em Lá Som escrito Lá 4 Ré 2 Mi 3 Fá 3 Som real Dó4 2) Indica que som tem de estar indicado na partitura para que os instrumentos transpositores emitam os seguintes sons reais: Instrumentos Corne inglês Requinta Trompa em Fá Clarinete Baixo Som real Ré 3 Si 3 Mi 2 Lá 2 Som escrito 3) Indica que armação de clave tem de estar escrita na partitura para que os seguintes instrumentos transpositores toquem na tonalidade de Lá Maior: Instrumentos Flautim Clarinete em Sib Contrafagote Trompa em Fá Trompete em Sib Saxofone Tenor Tonalidade escrita 7 .