Universidade Candido Mendes – Centro Aluna: Mariana Almeida Matrícula: 09130099 Influência dos Direitos da Personalidade nas ucess

!es

Da Personalidade O direito da personalidade tem como característica ser Inalienáveis, Imprescritíveis e Indisponíveis, uma vez que vincula o princípio da dignidade humana. Trata-se de uma autonomia da vontade, na qual todo ser humano pode gozar do seu corpo e imagem até certo limite constitucional, pois entende-se que o ser humano é uma entidade única e diferenciada de seus pares, que s ganha forma com a e!ist"ncia do outro. Do "ascituro O direito ao nascituro s#o de mera e!pectativa, como se verifica no artigo $% &&. O início da personalidade civil se dá com o nascimento com vida, eles s#o assegurados a partir de sua concep'#o. O nascituro é um indivíduo, fruto da concep'#o humana, que vive no ventre materno, sendo ligado pelo cord#o um(ilical ) sua genitora. * o indivíduo +á conce(ido, porém n#o nascido, ele possui uma e!pectativa de vida, seus direitos ficam so( condi'#o suspensiva, pois n#o se sa(e se nascerá vivo ou morto, pois o nascimento com vida é um dos pressupostos de admissi(ilidade de personalidade civil. O indivíduo ao ser conce(ido, +á adquire direitos que o prote+am. ,o nascer com vida, torna-se pessoa. Tornando-se pessoa, este indivíduo adquire a sua personalidade. A teoria conce#cionista$ o(serva o nascituro como pessoa, prev" o inicio da personalidade a partir da concep'#o. -izer que o nascituro tem direitos, é o mesmo que afirmar que ele é su+eito de direito, e portanto, pessoa. A teoria natalista entende que o nascituro n#o é uma vida a parte de sua genitora, mas sim parte do ventre materno. .or isso deve-se ter o nascimento com vida para o inicio da personalidade. * fato de que alguns direitos s poder#o ser e!ercidos por aqueles que +á e!istam. &onclui-se que nesta teoria o nascimento com

pois n#o possui personalidade civil. nacionalidade do indivíduo a rece(er a doa'#o. 7 4%. mas tam(ém aos nascituros O nascituro. . &ontudo. O nascituro +á é um ser conce(ido. tam(ém pode ser considerado de mera e!pectativa. o sucessor. adquiriu personalidade. . pois +á é ele uma vida em desenvolvimento. . . &omprova-se que n#o haverá a aquisi'#o do direito se o nascituro nascer morto. . sendo este um natimorto. será privado do efetivo rece(imento pessoal da heran'a. &omo o nascituro é mera e!pectativa de vida. ou n#o encontrar-se na ordem de voca'#o hereditária ou disposi'#o testamentária.ois para ser concretizada a doa'#o de (em im vel a 2ei de 3egistros .ara a comprova'#o do nascimento com vida faz-se um e!ame. /sta garantia n#o ca(e apenas aqueles que nasceram vivos. :os casos de indignidade e deserda'#o. domicilio. n#o importa ter este falecido em seguida. portanto entende o direito que +á e!iste. O direito ) vida é um dos principais direitos garantidos pela &onstitui'#o.ortanto ao nascituro estas qualidades n#o s#o auferidas. irá se perfazer. o direito de rece(er doa'#o.orém este direito de sucess#o é resguardado ao nascituro. em(ora possua esta qualidade. 1e respirou. mesmo que tenha o individuo perecido em seguida. alguém pode faz"-lo em seu lugar. ou se+a. incapacidade sucess ria ocorre com a 9alta de personalidade. ou se+a. o indivíduo adquiriu a personalidade. a medicina tem e!ames modernos para a comprova'#o de nascimento com vida ou n#o.orém se ao nascer e por um momento respirar. tam(ém tem direito a dignidade da pessoa humana. Inca#acidade sucess%ria .vida é fato +urídico essencial para o surgimento da pessoa no -ireito &ivil.ú(licos em seu artigo 456. . inciso 8. /sta é a teoria adotada pelo 0rasil 1e a crian'a nascer morta n#o adquire a personalidade +urídica. o seu nascimento é requisito para a aquisi'#o de todos os outros direitos pertinentes aos á nascidos. O(serva-se que o direito sucess rio do nascituro é condicional. um ser humano em fase de gesta'#o. e!ige nome. n#o se sa(e se esta vida que está sendo gerada. s se efetiva se nascer com vida. O nascituro tem capacidade sucess ria.

. posterior doa'#o ao indigno ou deserdado é perfeitamente possível. deserda'#o. somente aplicável ap s a a(ertura da sucess#o. Bá de se o(servar que o novo & digo apenas se refere )s causas de deserda'#o entre ascendentes e descendentes.ossuem. 4@6$ e 4@6A.s causas s#o as mesmas da indignidade =art. o cCn+uge ou o companheiro n#o pode ser deserdado. de seu turno. s atinge os herdeiros necessários. no inventário. . portanto. . Bá. . .. mas produzem os mesmos efeitos. . ) época da a(ertura da sucess#o.1egundo o art. deserda'#o é irretratável. os descendentes do e!cluído =deserdado ou indigno> s#o chamados a suceder. aplicável tam(ém ) indignidade. 4<46 &&. . . causa da deserda'#o deve ser confirmada em +uízo. * praticada antes da a(ertura da sucess#o. :#o menciona as causas de deserda'#o do cCn+uge ou companheiro.ortanto. .ressup?e a propositura de a'#o de indignidade. . chamadas de rea(ilita'#o =art.á o incapaz de suceder sequer possui a qualidade de sucessor.. como se este morto fosse. pelos demais interessados.or se tratar de san'#o.rivam o herdeiro de rece(er a heran'a. indignidade tem como (ase a aplica'#o da san'#o dirigida a qualquer herdeiro ou legatário. a interpreta'#o deve ser restritiva. -eserda'#o e indignidade s#o institutos distintos. Os efeitos do reconhecimento da indignidade s#o os mesmos da deserda'#o. . 4<4<>. contudo. em disposi'#o de última vontade. finalidade punitiva. e seus descendentes herdam como se este fosse morto. 4<48> mais as dos arts. .m(as s#o san'?es civis impostas ao sucessor que se comportou de forma ign (il ao autor da heran'a. hip teses de perd#o.

N ed. -ireito &ivil. $HH<. 1#o .2J/1.auloG . 8 ed. 1érgio .auloG . &arlos 3o(erto. 1#o . $HH5. Introdu'#o ao direito civil.aneiroG 9orense. criminais e do (iodireito. . $HH$. 1#o . . < ed. D J/:O1.auloG 1araiva. 4< ed. Orlando.tlas.(dalla. 3io de . 4v. $HHH. 1ilvio de 1alvo. Os direitos do nascituroG aspectos cíveis.tlas. $HHN.. D EO:I. -ireito civil (rasileiroK parte geral. 0elo BorizonteG -el 3eM.&eferências 'i(lio)r*ficas D EOF/1. $ ed. -ireito civilK parte geral. D 1/FILO.