FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE, Lda. Todos os Direitos Reservados.

´ CAPITULO 1

Introdução

FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE, Lda. Todos os Direitos Reservados.

notas

CAPÍTULO 1
Este manual serve como introdução ao programa de Cálculo de Lajes Aligeiradas e pré-esforçadas FLAVIARTE SOFTWARE. O programa FLAVIARTE SOFTWARE apenas contempla produtos homologados pelo L.N.E.C.. O manual aborda de forma geral o funcionamento do programa e o processo de cálculo de lajes aligeiradas. A informação disponível neste manual, bem como a utilização do FLAVIARTE SOFTWARE, destinam-se a utilizadores de nível inicial e intermédio com conhecimentos de Engenharia Civil. Nota: este manual não serve como referência exclusiva para utilizar o p ro g r a m a F L AV I A R T E S O F T WA R E n o c á l c u l o e dimensionamento de lajes aligeiradas pré-esforçadas, aliás, recomenda-se a consulta da legislação específica em vigor.

I

Como usar este Manual
Este manual divide-se em 4 partes distintas: Capítulo 1, descrição do processo de instalação do programa. Capítulo 2, descrição geral do programa com apresentação de diálogos e menus. Capítulo 3, documentos de homologação. Capítulo 4, considerações técnicas acerca do cálculo de lajes aligeiradas.

FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE, Lda. Todos os Direitos Reservados.

Outros recursos
Os utilizadores do programa FLAVIARTE SOFTWARE têm ao seu dispor um conjunto ferramentas e recursos que facilitam o uso do mesmo: * Cursos de formação; * Workshops promovidas pelo fabricante homologado de Lajes Aligeiradas; * Versões PDF de documentação, manuais de apoio entre outros; * Serviço de apoio ao cliente.

Introdução

1

Instalação Esta secção descreve os requisitos mínimos e procedimentos de instalação para o funcionamento do FLAVIARTE SOFTWARE Requisitos do sistema Requisitos mínimos recomendáveis para correr o FLAVIARTE SOFTWARE Processador Intel Pentium III a 600 MHz Windows 2000 ou Windows XP 128 MB RAM (256 recomendado) 1GB de espaço disponível em disco Instalação 1. Capitulo 1 2 . Todos os Direitos Reservados.exe. o ficheiro Flaviartesoft. e faça duplo clique sobre ele. Insira o CD do Flaviarte Software na drive de CD-ROM do seu computador. use o Explorador do Windows para localizar no CD. Nota: se o menu de instalação não aparecer. Lda. para visualizar o menu de instalação do FLAVIARTE. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.

FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Activação e Registo do Produto Dependendo da versão deverá proceder em conformidade. Lda.Clique na opção Fim para terminar a instalação. 3.Clique na opção Install.2. O programa de instalação cria uma directoria Flaviarte_2005. na qual instalará o programa. Introdução 3 . Todos os Direitos Reservados.

FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Lda. ´ . Todos os Direitos Reservados.

. Lda. Todos os Direitos Reservados.FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.

1 . 2. executa uma apresentação multimédia da equipa de I&D da ZAnet.CAPÍTULO 2 About Após clicar no icon do programa. Ambiente de Trabalho FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. O botão Sistema disponibiliza informações sobre o Sistema Operativo e Memória disponível. Fig. O botão Créditos. surge o diálogo About que contém informações e referências à versão do programa. Todos os Direitos Reservados. Ambiente de Trabalho 4 . assistência técnica e comercial. Lda. recorrendo a tecnologias OpenGl.Diálogo About Clique no botão Continuar para iniciar o programa. que se encontra no desktop.

com consulta de elementos. Capitulo 2 5 . para visualizar todos os pavimentos disponíveis. Menu Preçários. com opções de disposição e arranjo da área de trabalho. Editar . Os Menus Pull-Down fixos são: Ficheiro . Todos os Direitos Reservados.2 . FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Help. com opções inerentes à criação de ficheiros. com opções inerentes à ajuda e assistência técnica.pdf e . Menu Homologação . acesso a tabelas com os vários tipos de produtos ( com os respectivos preços ) comercializados pela empresa. para criar uma nova laje. Tabelas . para abrir uma laje criada anteriormente. Menu Web. Fig. com opções de edição de ficheiros. Janelas . com opções referentes ao quadro de lajes.doc. Menu Abrir. link para o website da FLAVIARTE. Lda. Menu Pavimentos.Diálogo Inicial No diálogo principal do programa existem menus Pull-Down e menus Laterais. 2. Utilitários .Diálogo Inicial Os menus Laterais constituem as opções principais do programa: Menu Nova. acesso ao Documento de Homologação do fabricante nos formatos .

Definir dados genéricos relativos à laje. O utilizador deverá proceder da seguinte forma: Fig. Definir a geometria da laje.Nova Laje Clique no botão Nova. Escolher o pavimento pretendido em função dos filtros de cálculo estipulados.Diálogo Nova Laje FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. 4. Escolha do Fabricante 6 . 2. 2. para iniciar o cálculo de nova Laje. 3. no menu Lateral. 1.3 . Lda. Especificar as cargas e sobrecargas de utilização da laje. Todos os Direitos Reservados.

Dados Gerais Duplo clique no Painel Dados Gerais e preencha os campos relativos aos Dados Informativos da Laje e aos Materiais a empregar na execução do painel de laje: 1. Fig. Lda. Capitulo 2 7 . Localização do Painel na Obra. 2. designação e observações ). Nome da Laje. 2. 3. Observações relativas ao Projecto. Configuração de Materiais.4 .Diálogo de Inserção de Dados e Configuração de Materiais Nota: Os dados inseridos na identificação do projecto( localização. Nome do Projecto. 1 2 3 4 5 FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. 5. referenciam o Painel da Laje em todos os Relatórios de Cálculo e Impressão. Todos os Direitos Reservados. 4.

Dados Geométricos da Laje Neste diálogo são visíveis os dados geométricos necessários ao cálculo da laje. a entrega em cada apoio. entre outros. 1 2 FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. para preencher os dados geométricos respectivos. O utilizador define a forma geométrica da laje.5 . Lda. Fig. Dados Geométricos da Laje 8 . Duplo clique no painel de laje. 2.Diálogo Dados Geométricos A ordem que o utilizador deve seguir na introdução dos dados geométricos relativos à laje a calcular é a seguinte: 1. o vão de cálculo. 2. Duplo clique no quadro. para escolher a forma da laje na lista de painéis. as dimensões da laje. Todos os Direitos Reservados.

Fig. Faça duplo clique sobre o painel com a forma da laje que pretende escolher. 1 Fig.Lista de Painéis de laje Capitulo 2 9 .Lista de Painéis de laje 1. Lda. 2. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. organizados em função da sua geometria.6 .Forma da Laje Estão disponíveis na Lista de Painéis (biblioteca de formas de lajes) cerca de 102 painéis distintos. Todos os Direitos Reservados. 2.7 .

8 . Campos a preencher ou calcular.Dados Geométricos do Painel de Laje Observações: 1. 1 2 FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. devem ser introduzidos os valores relativos à geometria do painel. Todos os Direitos Reservados. 2. Campos a preencher. 3.Geometria do Painel de Laje Após a escolha da forma do painel de laje. Existe a possibilidade de imprimir os dados geométricos relativos à laje. Lda. Fig. 4. 2. é necessário especificar pelo menos um dos ângulos alfa ou beta. 2. 1. Geometria do Painel de Laje 10 . Caso a disposição das vigotas seja obliqua aos apoios. Os valores por defeito da entrega em cada apoio são 15 cm. Os valores por defeito da rigidez em cada apoio são 10%.

Carregamentos Escolhendo a opção Carregamentos no diálogo Nova e fazendo duplo clique na área do painel Carregamentos . Duplo clique para Paredes Transversais. Duplo clique para Sobrecargas. e atribui sobrecargas regulamentares em função da utilização prevista. com as respectivas cargas permanentes associadas. o utilizador específica carregamentos. Todos os Direitos Reservados. 1 2 3 FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. 4. activa o diálogo dos Pesos Permanentes e Sobrecargas. tipos de pavimentos e tipos de paredes. Duplo clique para Pavimentos e Revestimentos. 3. 4 Fig. Neste diálogo. Pesos Permanentes e Sobrecargas. Qualquer dos valores predefinidos pode ser editado pelo utilizador.Pesos Permanentes e Sobrecargas Legenda da figura: 1. Capitulo 2 11 . 2.9 . Duplo clique para Paredes Divisórias. Lda. 2.

Todos os Direitos Reservados. Lda. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.10 .Projecção do Plano Gravítico O botão Projecção do Plano Gravítico permite escolher. 2.Diálogos dos Planos de Rotação Pavimentos e Revestimentos O botão correspondente a Pavimentos e Revestimentos.Diálogo de Pavimentos e Revestimentos Projecção do Plano Gravitico 12 .11 . no caso de se tratar de um painel de laje inclinada. permite ao utilizador escolher o tipo de pavimento que pretende de entre os tipos existentes em biblioteca. com os respectivos valores de carga associados. Fig. 2. Fig. podendo no entanto o utilizador modificar estes valores. se o Plano de Rotação é Paralelo ao Vão ou se o Plano de Rotação é Perpendicular ao Vão e a respectiva inclinação (ângulo Alfa).

Revestimentos de Tectos e Pavimentos com o respectivo valor da carga associado.10 KN/m2 Capitulo 2 13 . o utilizador pode introduzir directamente o valor da carga.30 KN/m2 FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. entre os tipos existentes na biblioteca de Betonilhas.Q= 1.14 .15 .58 KN/m2 Fig. 2. o utilizador pode sempre introduzir o valor correspondente à carga do mesmo. 2.12 . ou escolher um determinado tipo de Pavimento e Revestimento.Q= 3. Todos os Direitos Reservados. Lda. 2. Fig.Tipos de Pavimentos existentes em biblioteca Na definição de cargas relativas a Pavimentos e Revestimentos.Q= 2. Caso o tipo de pavimento e revestimento pretendido não se encontre predefinido na biblioteca da versão que utiliza.13 .Q= 2.74 KN/m22 Fig. Fig. 2.

Fig. 2.16 - Q= 2,70 KN/m2

Fig. 2.17 - Q= 3,14 KN/m2

Fig. 2.18 - Q= 3,50 KN/m2

Fig. 2.19 - Q= 4,10 KN/m2

FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE, Lda. Todos os Direitos Reservados.

Fig. 2.20 - Q= 3,98 KN/m2

Fig. 2.21 - Q= 4,70 KN/m2

Tipos de Pavimentos

14

Paredes Divisórias
Neste diálogo, o utilizador define o tipo de parede a usar e a altura da mesma. Ao seleccionar um tipo de parede, esta já possui um valor de carga predefinido que pode ser alterado pelo utilizador, caso seja necessário, Carga a Considerar.
1. Duplo clique para alterar o tipo de parede; 2. Duplo clique para alterar a altura da parede.

2 1

FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE, Lda. Todos os Direitos Reservados.

Fig. 2.22 - Diálogo de Paredes Divisórias

Q = Altura x P x CR Carga = Altura da Parede x Peso do Tipo de Parede escolhida x Coeficiente de Redução

Capitulo 2

15

Tipos de Paredes existentes em biblioteca
Na definição de cargas relativas a Paredes Divisórias ou Paredes Transversais o utilizador pode introduzir directamente o valor da carga, ou escolher um determinado tipo de Parede, entre os tipos existentes na biblioteca de Tipos de Parede, com o respectivo valor da carga associado. Caso o tipo de parede pretendido não se encontre predefinido na biblioteca da versão que utiliza, o utilizador pode sempre introduzir o valor correspondente à carga do mesmo.

Fig. 2.23 - Q= 1,70 KN/m2

Fig. 2.24 - Q= 1,97 KN/m2

FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE, Lda. Todos os Direitos Reservados.

Fig. 2.25 - Q= 2,23 KN/m2

Fig. 2.26 - Q= 2,59 KN/m2

Tipos de Paredes

16

Q= 3.Q= 2.Q= 2.Q= 2.28 .32 . 2. Fig.Q= 3.31 . Todos os Direitos Reservados.30 . 2. 2. 2.46 KN/m2 Fig.20 KN/m2 FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.29 .71 KN/m2 Fig.46 KN/m2 Fig.Fig.94 KN/m2 Fig. 2.43 KN/m2 Capitulo 2 17 . Lda.27 .Q= 3. 2.

O utilizador além de escolher o tipo de parede define a altura desta. Todos os Direitos Reservados. 3. a distância do apoio ao eixo (x) e o valor em graus (ângulo alfa). definir o valor em graus do ângulo alfa.33 .Diálogo de Paredes Transversais Legenda da figura: 1. 3 Fig. 4. o utilizador define o tipo de parede a usar e a altura da mesma. Ao seleccionar um tipo de parede. alterar a altura da parede. esta já possui um valor de carga predefinido. 2. Carga a Considerar.Paredes Transversais Neste diálogo. alterar a distância do apoio ao eixo (x). Lda. 1 2 4 FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Duplo Duplo Duplo Duplo clique clique clique clique para para para para alterar o tipo de parede. que pode ser alterado pelo utilizador caso seja necessário. Q = Altura x P x Sec alfa Carga = Altura da Parede x Peso do Tipo de Parede escolhida x Secante do ângulo alfa Paredes Transversais 18 . 2.

se seleccionar a opção Indiferente os campos “E. de determinados critérios de escolha.Dimensionamento O programa FLAVIARTE SOFTWARE realiza o cálculo imediato de todos os pavimentos disponíveis relativamente ao fabricante. Lda. Todos os Direitos Reservados. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. “Fendilhação“ e “Deformação“ mudam automáticamente para a opção Indiferente. apresentando os respectivos valores e verificações de cálculo. 2. Fig.34 -Diálogo Gestor de Cálculo Nota: A opção de escolha na caixa do parâmetro “Verificação Geral”. Capitulo 2 19 . Limites Últimos“. Por exemplo. O utilizador condiciona a escolha do pavimento mediante a imposição ou não. condiciona a opção dos parâmetros seguintes.

2. 2.40 .36 .42 .37 .38 .Dados Geométricos Fig. 2.Para cada pavimento.Fendilhação Fig.Abobadilha da Laje escolhida Fig.Dados Mecânicos da Laje Fig.43 . 2.Deformação Dimensionamento 20 . 2. Todos os Direitos Reservados.Vigota da Laje escolhida Fig.Resistência Fig.41 . como sejam Abobadilhas/Blocos.39 .35 . 2.Laje escolhida Fig. 2.Quantidade de Materiais FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Fig. são apresentados os seus elementos constituintes. Vigotas. Lda. 2. Armadura Complementar bem como os valores resultantes do cálculo e uma indicação (comentário) inerente ao filtro de cálculo escolhido. Fig. 2.

Capitulo 2 21 .46 . Condicionar a escolha a pavimentos com determinado tipo de vigotas na sua constituição. Todos os Direitos Reservados. Tipo de Vigotas Fig. 2.45 .Escolha do Tipo de Vigotas FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Abobadilha Fig. mediante os tipos de vigota disponíveis pelo fabricante. 2. ou todos os tipos existentes.Escolha do Tipo de Abobadilha Condicionar a escolha a pavimentos com determinado tipo de Abobadilha na sua constituição. 3 vigotas lado a lado (triplo). mediante os tipos de Abobadilha disponíveis pelo fabricante. Lda. 2 vigotas lado a lado (duplo).44 . Assim o utilizador pode condicionar a escolha da laje a: Número de Vigotas Fig.Os filtros de cálculo permitem condicionar a escolha do pavimento mediante as opções disponíveis pelo fabricante.Escolha do número de Vigotas Condicionar a escolha a pavimentos com determinado número de vigotas: 1 vigota simples. 2.

Menor / Igual (espessura) Fig. Todos os Direitos Reservados.Filtro do limite inferior da espessura da Laje Este Filtro de Cálculo condiciona a espessura mínima do pavimento. 2.48 . Maior / Igual (espessura) Fig.47 . 2. mediante as espessuras disponíveis pelo fabricante. mediante as espessuras disponíveis pelo fabricante. Este Filtro de Cálculo condiciona a espessura máxima do pavimento. Lda.Filtro do limite superior da espessura da Laje FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Espessura 22 .

49 . Capitulo 2 23 . Os diagramas apresentados. Clique para escolher os Diagramas que pretende imprimir. Nota: Caso o utilizador pretenda. representam a laje escolhida e os valores por si atribuídos anteriormente. Lda. pode imprimir os diagramas escolhendo o que quer e clicar no botão Imprimir Gráfico. com os vários tipos de diagramas. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. 2. clique no botão Diagramas do diálogo Gestor de Cálculo. 1 Fig. Deformadas e Diagramas de Esforço.Diagramas Para poder visualizar o diálogo. Todos os Direitos Reservados.Diagrama de Esforços Transversos [Vsd] 1.

Fig. 2.51 . 2.Fig. Lda.Diagrama de Deformada a Curto Prazo Diagramas 24 . Todos os Direitos Reservados.Diagrama de Momentos Flectores [Msd] FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.50 .

Diagrama de Deformada a Longo Prazo Capitulo 2 25 . Fig.Diagrama de Momentos Flectores [Msdk] FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Todos os Direitos Reservados.Fig. 2. Lda.52 . 2.53 .

com as respectivas características(Tipo de Armadura. Todos os Direitos Reservados. para aceder aos reportes de tabelas ou listas.55 . clique no menu Utilitários. disponíveis para impressão. Lda.Menu Tabelas Tabela de Ferros Na tabela de ferros. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. 2.54 . 2. Diâmetro dos Varões. Distância entre Eixos. Secções dos Varões e Peso por m2) .Impressões Clique no menu Tabelas do diálogo inicial. tem disponíveis dois quadros. Número de Varões e Áreas) e a tabela de Rede Electrosoldada.Reporte da Tabela de Ferros Impressões 26 . Fig. A tabela de Áreas de Aço com as características (Diâmetro. Fig. Para aceder à tabela de ferros e ao quadro de lajes.

Todos os Direitos Reservados.Reporte da Tabela de Vigotas Legenda da figura: 1. 2. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Lda. 1 2 Fig.56 .Tabela de Vigotas A tabela de vigotas contém os reportes com as vigotas comercializadas pelo fabricante FLAVIARTE . Para ver imagens com alta qualidade. Duplo clique para seleccionar o reporte que pretende observar em tamanho grande. com uma imagem e um desenho de perfil. Capitulo 2 27 . 2. bem como as suas características.

Lda.Reporte da Tabela de Abobadilhas Lista de Vigotas 28 .57 . mas com reportes individuais das vigotas existentes e respectivas características. Fig.Lista de Vigotas Esta lista é semelhante à tabela de vigotas.58 .Reporte da Lista de Vigotas Tabela de Abobadilhas Nesta tabela são mostradas todas as abobadilhas existentes. 2. Fig. 2. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Todos os Direitos Reservados. referentes ao fabricante FLAVIARTE (Betão).

Fig. 2. Todos os Direitos Reservados. Capitulo 2 29 .Lista de Abobadilhas de Betão Nesta lista são apresentadas todas as abobadilhas disponíveis ( de Betão ) em reportes individuais especificando as suas características. Lda.59 .Reporte da Lista de Abobadilhas de Betão FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.

o utilizador deve proceder da seguinte forma: 1. Duplo clique no painel Forma da Laje. 2. Para aceder ou imprimir a lista de lajes. 2. 3. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.Reporte da Lista de Lajes com Cotas Listas de Lajes 30 .Lista de Laje Existe uma lista de lajes disponíveis (com cotas) onde podemos constatar as formas geométricas das lajes existentes. Fig.60 . Clique no botão Impressões. Todos os Direitos Reservados. Lda. Clique no botão Nova do diálogo inicial.

61 . Todos os Direitos Reservados. bem como.Dados Geométricos da Laje Este reporte mostra as várias características ( Dimensões da Laje. Fig. Dados Calculados. Duplo clique na caixa. Dados Geométricos do diálogo Nova. o utilizador deve proceder da seguinte forma: 1. Condições de Apoio. Dados Geométricos do Painel da Laje. 2. 2. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.Clique no botão Impressões. os valores inseridos pelo utilizador.Reporte Dados Geométricos da Laje Capitulo 2 31 . 3. Para aceder ou imprimir os Dados Geométricos da Laje. Inserir os dados para cálculo da laje no diálogo. Lda. Materiais Usados e Fórmulas de Cálculo utilizadas ) da laje escolhida.

2. Clique na barra correspondente aos Pavimentos e Revestimentos. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Todos os Direitos Reservados. Duplo clique na caixa Carregamentos do diálogo Nova. 2.Reporte Lista de Pavimentos Lista de Pavimentos 32 . Fig.Lista de Pavimentos Neste reporte são apresentados todos os tipos de pavimentos existentes. a sua designação e os valores da carga respectivos a cada pavimento. Para aceder ou imprimir a Lista de Pavimentos. o utilizador deve proceder da seguinte forma: 1. 3. Lda.62 .Clique no botão Impressões do diálogo Betonilhas e Revestimentos.

Duplo clique na caixa Carregamentos do diálogo Nova. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. relativamente à definição das cargas das Paredes Divisórias. Fig. Clique no botão Impressões do diálogo Paredes Divisórias. Todos os Direitos Reservados.63 . 2. Clique na barra correspondente ás Paredes Divisórias. 2. Lda. Para aceder ou imprimir os dados relativos ás Paredes Divisórias. o utilizador deve proceder da seguinte forma: 1. 3.Paredes Divisórias Neste reporte são apresentadas as opções do utilizador.Reporte Paredes Divisórias Capitulo 2 33 .

Lda. relativamente à definição das cargas das Paredes Transversais. Clique no botão Impressões do diálogo Paredes Transversais. Duplo clique na caixa Carregamentos do diálogo Nova. Fig. 2. 3.Paredes Tranversais Neste reporte são apresentadas as opções do utilizador.64 . Todos os Direitos Reservados. Clique na barra correspondente ás Paredes Transversais. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.Reporte Paredes Transversais Paredes Transversais 34 . o utilizador deve proceder da seguinte forma: 1. 2. Para aceder ou imprimir as Paredes Transversais.

Fig.Reporte Tipos de Parede FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. aceda ao diálogo Tipos de Parede.Nota: Se clicar na imagem da parede.65 . em ambos os diálogos (Paredes Divisórias e Paredes Transversais). Lda. clique no botão impressões para aceder no reporte dos tipos de parede onde pode imprimir os diferentes tipos de parede e os pesos respectivos. Capitulo 2 35 . 2. Todos os Direitos Reservados.

Pesos Permanentes e Sobrecargas Este reporte apresenta as opções do utilizador. Todos os Direitos Reservados.66 . FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Lda. com os dados introduzidos anteriormente pelo utilizador. relativas à definição de Pesos Permanentes e Sobrecargas. bem como. Nota: Além deste reporte vai encontrar os reportes anteriores.Reporte Pesos Permanentes e Sobrecargas Pesos Permanentes e Sobrecargas 36 . os cálculos e os valores introduzidos nos diálogos anteriores nas diferentes categorias: Betonilhas e Revestimentos. Para aceder clique no botão impressões do diálogo Pesos Permanentes e Sobrecargas. relativos aos carregamentos. Fig. 2. Paredes Divisórias e Paredes Transversais.

Todos os Direitos Reservados.Reporte de Deformadas e Diagramas de Esforços Capitulo 2 37 . 2. Fig. o utilizador deve proceder da seguinte forma: 1. clique no botão Imprimir Gráfico. Lda. 2. Clique no botão Impressões do diálogo Deformadas e Diagramas de Esforços se pretende imprimir o reporte com todos os gráficos.67 . Clique no botão Diagramas. Para aceder ou imprimir os Diagramas. 3.Diagramas Neste reporte são apresentados os Diagramas referentes aos resultados do cálculo da laje escolhida. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Duplo clique na caixa Dimensionamento do diálogo Nova. Se pretende imprimir os gráficos individualmente.

2.68 .Momentos Este Reporte apresenta uma síntese de resultados do cálculo relativos à laje escolhida. Fig. o utilizador deve proceder da seguinte forma: Clique no botão Funções do diálogo Gestor de Cálculo. Todos os Direitos Reservados. Para aceder ou imprimir este reporte. Lda. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.Documento dos Momentos Momentos 38 .

num qualquer editor de texto.Memória Descritiva Este reporte contém todas as especificações de cálculo do programa FLAVIARTE SOFTWARE. 2. Para aceder ou imprimir o reporte Memória Descritiva. podem ser gravados em formato DOC ou RTF.Documento da Memória Descritiva Nota: Ambos os documentos (Momentos e Memória Descritiva). Capitulo 2 39 . Todos os Direitos Reservados. e posteriormente abertos. Descritiva do diálogo Gestor de Cálculo. Lda. o utilizador deve proceder da seguinte forma: Clique no botão M. Fig.69 . FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.

com figuras da laje. 2. De seguida clique no botão escolher. 5. Clique no botão Impressões. Seleccione o reporte que pretende. 4.70 . Condições de Apoio. vigota e abobadilha usadas no cálculo. Dados Calculados e valores de Resistência.Reportes de Lajes Para aceder ou imprimir Reportes de Lajes seleccionadas através dos filtros no diálogo Gestor de Cálculo. Fig. Todos os Direitos Reservados. Fendilhação e Deformação ). Lda.Reporte de Cálculos Finais da Laje Reportes de Lajes 40 . FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. mostra as propriedades da laje escolhida ( Dimensões. 2. o utilizador deve proceder da seguinte forma: 1. 3. Clique no botão Imprimir. Este reporte Cálculos Finais da Laje . Clique numa laje. Materiais.

Fig. No diálogo seguinte faça duplo clique sobre a imagem da laje escolhida.71 .Para aceder ou imprimir o reporte Dados do Pavimento. Elementos e Compostos da mesma.72 . o utilizador deve seguir os passos. Lda. 2. para aceder ao reporte com a nomenclatura e características da mesma ou clique sobre o botão Imprimir para aceder ao reporte da laje escolhida com Dados. Fig.Reporte da laje escolhida com a nomenclatura e características Capitulo 2 41 . Todos os Direitos Reservados. 2. de 1 a 5 descritos no reporte anterior.Diálogo de características da Laje escolhida FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.

Reportes de Lajes 42 . Elementos e Compostos FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Lda.73 .Reporte da laje escolhida com Dados. Todos os Direitos Reservados.Fig. 2.

Estes são reportes (iguais. diferindo apenas no formato do papel).75 . 2.74 . Lda. Fig. mas que apresentam os diferentes tipos de lajes existentes. 2. a sua nomenclatura e os valores de Resistência. Fendilhação e Deformação. Para aceder ou imprimir estes reportes deve seguir os mesmos passos do reporte “ Cálculos Finais da Laje “. escolhendo os tipos de impressão (Listagem em A4 ou Listagem em A3). Fig. Todos os Direitos Reservados.Reporte de Pavimentos (A3 Vertical) Capitulo 2 43 .Reporte de Pavimentos (A4 Horizontal) FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.

acede ao diálogo Dados do Pavimento: Clicando no botão Impressões. 2. acede ao reporte onde são exibidos todos os pavimentos relativos ao fabricante.76 . Clique numa laje. 5. com as características e imagens respectivas a cada pavimento. Fig. Nota: Como a primeira forma já é conhecida dos reportes anteriores. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Clicando no botão Pavimentos do menu inicial. Todos os Direitos Reservados. 4. Clique no botão Impressões. Clique no botão Imprimir. Seleccione o reporte Dados do Pavimento. o utilizador deve proceder da seguinte forma: 1. 2. Ou Clique no botão Pavimentos do menu inicial.Reporte de todos os pavimentos do fabricante Reportes de Pavimentos 44 . Lda. vamos explicar a segunda forma de aceder a estes reportes. para tal. Clique no botão escolher. 3.Existem duas formas para aceder ou imprimir os reportes relativos aos Dados dos Pavimentos.

Lda. ´ . Todos os Direitos Reservados.FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.

Lda. Todos os Direitos Reservados. .FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.

Fig.CAPITULO 3 Documento de Homologação Para aceder ao Documento de Homologação. em formato PDF ou DOC. clique no botão HOMOLOGAÇÃO do menu principal. Lda.Diálogo de Documentos de Homologação formatos PDF / DOC PDF/DOC 45 . Todos os Direitos Reservados. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE.1 . 3.

Todos os Direitos Reservados. Lda.FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. ´ CAPITULO 4 Considerações Técnicas .

Lda.FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Todos os Direitos Reservados. notas .

CAPITULO 4 Considerações Técnicas O programa Flaviarte Software... Lda. de choque e vibração.. tal como a utilização dos pavimentos com vão superiores a oito metros .” Considerações Técnicas 46 . Tal como para outros pavimentos com a mesma constituição e sistema estrutural.N. . Por este motivo.. calcula e verifica esse pavimento ou laje de acordo com os valores especificados no respectivo documento de homologação. O funcionamento estrutural dos pavimentos cálculados no programa Flaviarte Software é comparável ao de uma laje com armadura resistente unidirecional. calcula lajes aligeiradas pré – esforçadas única e exclusivamente homologados pelo L. “. Todos os Direitos Reservados. o campo de aplicação para os diversos tipos considerados dos pavimentos cálculados no programa Flaviarte Software abrange apenas o seu emprego em edifícios de habitação ou com ocupação e utilização semelhantes.C.E. recebendo em obra uma camada de betão armado (betão complementar) com função resistente e de solidarização do conjunto. DESCRIÇÃO GERAL Os pavimentos calculados no programa Flaviarte Software são constituídos por vigotas de betão pré-esforçado e blocos de cofragem. Assim. para que tal semelhança tenha validade. o utilizador do programa. por mais elevada que seja a capacidade resistente dos pavimentos. sendo indispensável. que se assegure e mantenha a necessária aderência entre o betão complementar e as vigotas. são portanto. excertos considerados relevantes dos documentos de homologação. Não se consideram abrangidas as situações em que seja previsível a actuação predominante de acções resultantes de cargas concentradas ou de cargas dinâmicas. Campo de aplicação FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. tem a garantia de que o programa. As considerações técnicas a seguir descritas. a utilização dos pavimentos nestes últimos casos cai fora do âmbito deste programa.

Vigotas As vigotas são fabricadas por sistema mecanizado. Produção dos elementos pré-fabricados FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. com armadura constituída por fios de aço aderentes. inferior a 30 mm. e incorpora uma armadura de distribuição.. Lda. são representados os diferentes tipos de vigotas com indicação dos valores relativos às suas dimensões e à posição dos fios de aço. do menu ( Tabelas ).“. No sub-menu ( Lista de Vigotas ) do menu ( Utilitários ). sobre uma plataforma de betão. esta é previamente humedecida com um produto líquido apropriado.” Capitulo 4 47 .. A fim de evitar a aderência da base das vigotas à superfície da plataforma. ao longo da qual se desloca um dispositivo mecânico de distribuição. de betão pré-esforçado.. Blocos de cofragem Os blocos de cofragem utilizados nos pavimentos calculados pelo programa Flaviarte Software são de betão de inertes correntes e furados. moldagem feita sem moldes fixos.. moldagem lateral e compactação do betão por vibração. Características dos elementos constituintes Vigotas As vigotas são pré-fabricadas. . Todos os Direitos Reservados. Betão complementar O betão complementar é aplicado em camada contínua de espessura variável. A geometria e as massas nominais dos blocos são apresentadas no sub-menu ( Lista de Abobadilhas ). mas nunca.

Após esta operação. Quando tais resistências são atingidas.” Produção dos Elementos Pré-Fabricados 48 . por meio de sistema roscado. o que normalmente se pode verificar entre 3 a 8 dias após a moldagem das vigotas.. A execução dos pavimentos calculados no programa Flaviarte Software é a especificada no documento de homologação do fabricante. Todos os Direitos Reservados. Lda. . Técnica de execução FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. O pré-esforço é aplicado simultaneamente em pares de fios simétricos de uma mesma vigota ou correspondente de duas vigotas contíguas. as vigotas são conservadas no local de fabrico em condições ambientes naturais e rega frequente até à data em que o respectivo betão atinja o valor da resistência à compressão. ou seja: Nos casos correntes. utilizando macaco hidráulico accionado electricamente e no qual se pode medir o alongamento dos fios Terminada a betonagem.“. com os cuidados de transporte necessários.. é feita a transmissão gradual e simultânea do pré-esforço dos fios às vigotas de cada plataforma. a execução dos pavimentos consta das operações seguidamente referidas: Nivelamento dos apoios para o assentamento das vigotas... as vigotas são cortadas nos comprimentos desejados e retiradas do local de fabrico para depósito. Blocos de cofragem Os blocos de cofragem de inertes correntes são fabricados pela própria firma produtora dos pavimentos.

são preconizadas. Montagem de escoramento provisório. da armadura de distribuição.. com vista a evitar e dessecação e melhorar a aderência do betão complementar. nas condições recomendadas. Lda. quando previstas. como também na face superior. apoiados nos banzos destas.. . e acerto do seu afastamento por meio de cércea. Todos os Direitos Reservados. nas zonas entre os apoios.” FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Montagem das cofragens junto dos apoios dos pavimentos. a fim de evitar a circulação sobre os blocos de cofragem.“. para apoio intermédio das vigotas. sobre os apoios. das armaduras das nervuras transversais e das armaduras nos apoios. Lançamento. quando em execução.. por motivo da relativa e natural fragilidade da estrutura. na camada de betão complementar. Deve notar-se que este escoramento tem de ser criteriosamente disposto de modo a evitar esforços de flexão capazes de provocar fendilhação das vigotas não só na sua face inferior. para moldagem de zonas maciças nas condições recomendadas.com eliminação das filas de blocos correspondentes às faixas maciças do pavimento. precedendo a betonagem. . o que exige especial cuidado na condução da betonagem. espalhamento. dispostas paralelamente entre si. tendo o cuidado de assegurar a sua perfeita aderência às faces expostas das vigotas e a manutenção da espessura prevista da camada de betão acima dos blocos. Capitulo 4 49 . Rega abundante das vigotas e dos blocos de cofragem. regularização e compactação do betão complementar. Colocação dos blocos entre vigotas. estará restringido o uso de meios potentes de compactação. Colocação das vigotas. no referido parágrafo. Deve notar-se que. Instalação de passadiços para trânsito de pessoal e de transporte do betão. Disposição. e ao longo das nervuras transversais que.

foi efectuada através de cálculo automático em computador. A determinação dos esforços resistentes de cálculo dos pavimentos teve em conta as disposições definidas na regulamentação em vigor aplicável RSA [2] e REBAP [3] com as adaptações necessárias a este tipo de pavimentos.. Foram ainda determinados para os diferentes pavimentos os valores do factor de rigidez. Manutenção da humidade do betão em obra. . necessários para a verificação da segurança em relação aos diferentes estados limites. Lda. para as diferentes vigotas produzidas. por meio de rega ou de recobrimento conservado humedecido da superfície betonada. A extensão e duração destes cuidados dependerão das condições de temperatura e humidade ambientes. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. por exemplo. são fornecidos os valores.” Apreciação dos Pavimentos 50 .. EI. Nos quadros de Elementos de Cálculo. respeitantes às características mecânicas... durante os primeiros dias do endurecimento. APRECIAÇÃO DOS PAVIMENTOS Cálculo A determinação dos valores que representam as características mecânicas dos pavimentos no programa Flaviarte Software. a utilizar na verificação do estado limite de deformação. Ao valor do pré-esforço na origem referido correspondem os valores de pré-esforço. Todos os Direitos Reservados. ao fim de determinados intervalos de tempo.“. O cálculo teve por base os valores das características mecânicas dos materiais constituintes dos pavimentos registados e o valor de pré-esforço na origem fixado de acordo com as prescrições do artigo 36-º do REBAP [3].

Lda. Todos os Direitos Reservados. massa e capacidade resistente. sob as condições correntes de utilização em edifícios para habitação ou com utilização análoga. Os ensaios incidiram apenas sobre os elementos pré-fabricados constituintes dos pavimentos – vigotas e blocos de cofragem – e sobre os materiais constituintes das vigotas. relativamente às características dos materiais e dos elementos préfabricados. com determinação do momento de rotura e medição de flechas máximas e residuais.. No que se refere ao pré-esforço verificado nas armaduras das vigotas há que mencionar a concordância satisfatória dos valores medidos com os calculados e registados. . permitiu dispensar a realização de ensaios sobre protótipos do pavimento completo.” Capitulo 4 51 . Verificação experimental A verificação experimental das características mecânicas dos pavimentos foi feita tendo em conta as disposições aplicáveis das Directivas Comuns UEAtc [8] e do REBAP [3]..“. Determinação do valor da tensão de pré-esforço nas armaduras das vigotas. Ensaios de flexão. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Os resultados dos ensaios realizados enquadram-se nas prescrições anteriormente referidas e satisfazem as exigências de fabrico fixadas. Verificação das características mecânicas do aço das armaduras. Sobre os materiais constituintes das vigotas foram realizados os seguintes ensaios: Verificação da resistência à compressão do betão. Os ensaios dos blocos de cofragem consistiram na verificação das suas dimensões. O conhecimento existente do comportamento de pavimentos com este tipo estrutural.. Os ensaios de vigotas constaram de: Verificação das dimensões da secção das vigotas e do posicionamento da armadura..

. isto é. vigotas. No caso destes pavimentos. Isolamento sonoro O índice de isolamento sonoro a sons aéreos. Todos os Direitos Reservados.. dos pavimentos acabados. . Deve no entanto ter-se em conta que esta “Lei” se aplica a elementos homogéneos. Rt. a existência dos blocos de aligeiramento conduz a que se possam verificar ligeiras reduções dos valores do Ia. Isolamento Térmico Os parâmetros que caracterizam o isolamento térmico – resistência térmica. por si sós. Estudos desenvolvidos no LNEC [12] permitem concluir que estes pavimentos.. blocos de cofragem e betão complementar. dependem da sua massa. As exigências a satisfazer são as que constam no Regulamento Geral sobre o Ruído [7]. não garantem a satisfação das exigências aplicáveis [10] pelo que se torna necessário.” Comportamento em caso de Incêndio 52 . Se não se considerarem as reduções anteriormente referidas. Lda. são da classe de reacção ao fogo M0 (não-combustíveis). K – podem ser determinados recorrendo a métodos convencionais [10]. prever soluções de isolamento térmico complementar. Os valores do Ia podem ser estimados através da “Lei da Massa” [11]. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. para um pavimento com uma massa de 260 kg/m2 estima-se um Ia de 48 dB.. incluindo os revestimentos de tecto e de piso ligados rigidamente ao pavimento. Ia. Comportamento em caso de incêndio Os elementos que constituem estes pavimentos. No caso de edifícios de habitação as exigências a satisfazer são as que constam no Regulamento de Segurança contra Incêndio em Edifícios de Habitação [9]. ou coeficiente de transmissão térmica.“. naquelas situações.

Lda. as dimensões da secção transversal não devem desviar-se dos valores nominais.. por diferenças superiores a 5 mm. Após o fabrico. devem ainda ser satisfeitas as seguintes condições específicas: A transmissão do pré-esforço às vigotas só deve ser realizada depois de o betão ter adquirido resistência à compressão... devem apresentar contra-flecha de valor não superior a 1/300 do vão. as vigotas.“. a curvatura lateral das vigotas não deve exceder 1/500 do comprimento. Capitulo 4 53 . os fios da armadura de pré-esforço não devem apresentar. o comprimento não deve diferir do valor previsto por diferenças superiores a 2 cm.. nem 10 mm. em condições normais de apoio e sob a acção apenas do seu peso próprio. .” FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. as vigotas devem ser verificadas em relação aos seguintes aspectos: as superfícies exteriores não devem apresentar fendilhação. falhas de betão ou ocos de betonagem. desvios verticais superiores a 3 mm e horizontais que excedam 5 mm. relativamente à localização prevista. Todos os Direitos Reservados. CONDIÇÕES DE EMPREGO DOS PAVIMENTOS Vigotas Para além das condições já referidas relativamente às características dos materiais a empregar e ao processo de produção.

Lda. com os correspondentes esforços actuantes.. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. correspondente à formação de fendas. conforme os critérios definidos nos regulamentos RSA e REBAP..“. com o mínimo de 5 mm e o máximo de 10 mm. a largura do ressalto para apoio nas vigotas não deve diferir mais de 2 mm do respectivo valor nominal. deverão ser de 3%. A verificação da segurança em relação ao estado limite de fendilhação é efectuada comparando o valor do momento resistente designado por Mfctk. os blocos devem ser isentos de fendas ou fracturas. Condições de projecto e de execução dos pavimentos A verificação da segurança dos pavimentos. Todos os Direitos Reservados. relativos às combinações de acções especificadas no artigo 9-º do RSA. . deverá ser efectuada em relação aos estados limites últimos de resistência e em relação aos estados limites de utilização – fendilhação e deformação -. designados por MRd e VRd.. Blocos de cofragem Os blocos de cofragem devem satisfazer as seguintes condições: os desvios máximos entre as dimensões dos blocos.” Condições de Emprego dos Pavimentos 54 .. A verificação da segurança em relação aos estados limites últimos de resistência será efectuada por comparação dos valores de cálculo do momento flector resistente e do esforço transverso resistente. com o momento actuante devido às combinações de acções definidas de acordo com o artigo 12-º do RSA.

nos casos abrangidos pelo campo de aplicação que lhes fica atribuído. os valores dos momentos flectores actuantes devidos às acções permanentes e à combinação frequente de acções e é o coeficiente de fluência.Armadura de distribuição Os pavimentos devem comportar sempre uma armadura de distribuição constituída por varões dispostos nas duas direcções e integrada na camada contínua do betão complementar. definida de acordo com o artigo 72º do REBAP. A verificação da segurança em relação ao estado limite de deformação é efectuada comparando o valor da flecha admissível. A flecha a longo prazo. Lda. em que são tidos em conta os efeitos da fluência dos betões. Capitulo 4 55 . mas não excedendo 35 cm. Na direcção das vigotas. As secções mínimas desta armadura de distribuição. com o valor da flecha devida à combinação frequente de acções. na direcção perpendicular à das vigotas e para o caso de emprego de varões de aço A 235.. . poderá ser determinada multiplicando o valor da flecha instantânea por um factor dado pela expressão em que MSg e MSg + MSq são. No cálculo da flecha instantânea deverão ser utilizados os valores do factor de rigidez. Todos os Direitos Reservados. a que se pode em geral atribuir o valor 2 .” FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE...“. deverão ser satisfeitas por varões com espaçamento máximo de 25 cm. A 400 ou A 500.. Disposições construtivas e condições especiais de execução Definem-se seguidamente as principais disposições construtivas a adoptar na execução dos vários tipos de pavimentos. respectivamente. o espaçamento dos varões da armadura de distribuição poderá ser maior. .

“. A área da sua secção deverá ser obtida multiplicando metade da área da armadura de distribuição do pavimento. nos apoios. Lda. . no mínimo. de 10 cm. pela distância entre esta e o apoio. o que implica. no caso de as paredes divisórias se encontrarem na direcção das vigotas dos pavimentos. por dois varões colocados imediatamente acima das vigotas. deverá ser convenientemente comprovada. Porém. . nervuras transversais contínuas de betão armado espaçadas cerca de 2 m. um reforço da armadura de distribuição. além da armadura de distribuição.Apoio das vigotas e solidarização FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. As vigotas deverão ter.. a menos que razões especiais imponham menor entrega e sem prejuízo da segurança que. Nos pavimentos com vão igual ou superior a 4 m deverão ser dispostas. A armadura deverá ser constituída. no caso de existir apenas uma nervura. em geral.. . neste caso. no mínimo. deverá o reforço da armadura de distribuição ser complementado com a colocação de vigotas suplementares dispostas a par das previstas para o pavimento.. na zona das divisórias. a entrega mínima de 10 cm. referida anteriormente.Acções provenientes de paredes divisórias Estes pavimentos poderão ser considerados com condições estruturais que permitam ter em conta as acções resultantes de paredes divisórias desde que essas acções sejam consideradas actuando nas suas condições reais. pela distância entre nervuras transversais ou. devem ser solidarizados através de cintas ou de vigas betonadas em conjunto com a camada de betão complementar dos pavimentos. Os extremos das vigotas. nos apoios dos pavimentos. A largura destas nervuras deverá ser.” Disposições Construtivas 56 .. Todos os Direitos Reservados.

devem prever-se faixas maciças de betão armado para resistência aos momentos negativos.“. não inferior à da armadura de distribuição recomendada e cujos varões integrados na camada de betão complementar deverão ser convenientemente amarrados nas cintas ou nas vigas em que as vigotas se apoiam. por cintas ou por vigas também betonadas em conjunto com a camada de betão complementar dos pavimentos. a partir da face do apoio. nos sucessivos intervalos. segundo a direcção longitudinal das vigotas. que sempre se verificam em condições normais de serviço. por metro de largura. Quando se trate de pavimentos dimensionados considerando a existência de apoios simples é recomendável que nos apoios exista uma armadura capaz de absorver os esforços de tracção na face superior dos pavimentos resultantes da restrição da rotação dos apoios. As cintas devem satisfazer o disposto no Regulamento de Segurança das Construções contra Sismos [5]. . A largura das faixas maciças assim como a armadura a utilizar para resistência aos momentos negativos actuantes deverão ser convenientemente dimensionadas. Quando se trate de pavimentos com apoios de encastramento ou continuidade.. Os painéis dos pavimentos devem ser limitados lateralmente.” FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. Capitulo 4 57 . convindo que. com comprimento mínimo.. mais propício de aparecimento de fissuras ao longo dessa ligação. A referida armadura deverá ser constituída por varões dispostos na direcção das vigotas. Todos os Direitos Reservados. Lda. o número de blocos seja alternado para evitar que a ligação da faixa maciça à zona aligeirada do pavimento se faça em alinhamento recto. de secção.. igual a 1/10 de vão livre do pavimento. A betonagem destas faixas faz-se nos intervalos entre vigotas deixados livres pela não colocação de fiadas de blocos de cofragem..

.Aberturas A execução de aberturas com a interrupção de vigotas é possível desde que se adoptem disposições construtivas especiais como. dos elementos préfabricados Cabe à fiscalização da obra decidir quando devem ser realizados ensaios de recepção sobre os elementos pré-fabricados constituintes dos pavimentos. sobre vigotas constarão de: . Os ensaios a efectuar.“. A adopção destas disposições deve ser convenientemente justificada.. Lda. por amostragem. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. . esta suspensão tem de ser assegurada por peças apropriadas. nervuras transversais devidamente dimensionadas onde as vigotas interrompidas possam ser devidamente apoiadas.. incluídas no pavimento durante a sua execução. a menos que essas aberturas possam condicionar a capacidade resistente do pavimento. por exemplo. . poderão ser usadas pequenas lajetas de betão armado apoiadas em duas vigotas contíguas e substituindo blocos de cofragem. Para tal..Acções provenientes de cargas suspensas Não possuindo os blocos de cofragem resistência suficiente para suportar eventuais acções resultantes de equipamentos ou de instalações a suspender dos tectos. em geral. às quais se encontram ligados ganchos de suspensão dos equipamentos a fixar na parte inferior dos pavimentos. Recepção. em obra. A execução de aberturas conseguidas pela eliminação de um ou mais blocos de cofragem entre duas vigotas contíguas não necessita.” Disposições Construtivas 58 . Todos os Direitos Reservados. de verificação de segurança complementar.

Lda.. a qual deve satisfazer a condição indicada (este ensaio pode. verificação da tensão de pré-esforço instalada nos fios (num mínimo de duas vigotas). sobre blocos de cofragem constarão de: verificação das dimensões e da massa dos blocos. dentro das tolerâncias indicadas. Os ensaios a efectuar. com registo do nome da marca do pavimento e do tipo de vigota. .. verificação das dimensões das vigotas e do posicionamento dos fios. para cada fornecimento de vigotas. verificação da capacidade resistente dos blocos. a diferença entre as larguras efectivas dos blocos de um mesmo tipo. a clara identificação da marca destas. verificação das características mecânicas do aço empregado. Capitulo 4 59 . num mesmo fornecimento. de forma clara e indelével. não deve ultrapassar 10 mm. Quando tal não aconteça.. ser dispensado desde que o bloco satisfaça as condições de geometria e de massa exigidas). da data do seu fabrico e dos tipos de vigotas fornecidos.. dentro das tolerâncias indicadas. as quais devem satisfazer os valores. Todos os Direitos Reservados.“.” FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. por amostragem. as quais devem satisfazer os valores característicos mínimos (esta verificação pode ser substituída por certificado de fabrico do aço empregado). os quais devem satisfazer os valores. em geral. Identificação das vigotas Recomenda-se que as vigotas sejam marcadas. deve garantir-se de qualquer forma.

Momentos flectores actuantes devido às acções frequentes. Lda. Para outras disposições deveram ser ainda e sempre respeitados os limites indicados nos Documentos de Homologação do LNEC que certificam a utilização dos pavimentos para cada fabricante. Os esforços a considerar na utilização dos pavimentos compreendem fundamentalmente o momento flector e o esforço transverso resistente em relação aos estados limites últimos ( Mrd e Vrd ) e o momento flector resistente em relação aos estados limites de utilização condicionados pela formação de fendas ( Mfctk ). Todos os Direitos Reservados.5 Q Msd < MRD Vsd < VRD B ) Verificação AO ESTADO LIMITE DE FENDILHÇÃO. Viu . 1.5 x G + 1.Coef. Os valores de EI fornecidos pelos documentos de homologação do LNEC. o Flaviarte Software calcula a deformada completa para cada tipo de carregamento. esforços resistentes e factor de rigidez em flexão dado pelo fabricante pelo documento de homologação do LNEC.Momentos flectores actuantes devido às acções permanentes. RSA. nomeadamente dimensões. Verificação de Flechas. G + Psi1 x Q Msd < Mfctk Memória Descritiva de Cálculo 60 .Coef. Psi 1.Memória Descritiva de Cálculo No Cálculo e Dimensionamento o Flaviarte Software utiliza as características dos pavimentos. A ) Verificação AOS ESTADOS LIMITES ÚLTIMOS DE RESISTÊNCIA. Combinações usadas pelo programa Flaviarte Software® no dimensionamento. Fluência a que atribuímos o valor igual a 2. Msq. são aferidos ( encontrar flecha a longo prazo) por um coeficiente de redução obtido pela expressão: 1 + Msg / [ Msg + Somatório ( Psi 1*Msq ) ] x Viu Msg. FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. pesos próprios. Para mais informações consultar REBAP e RSA.

Em todos os casos deverão ser respeitados os limites e combinações impostos pelos regulamentos portugueses e comunitários aplicáveis.Eurocódigo N: 2 [ Documento produzido pelo programa .Regulamento de Estruturas de Betão Armado e Pré-esforçado.C ) Verificação AO ESTADO LIMITE DE DEFORMAÇÃO G + Psi 1 x Q A deformação máxima não deverá ultrapassar : L / 400 ( L . Lda. Observações Finais.Flaviarte Software .] FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE. mesmo que respeitem a condição anterior deverão ser tomadas medidas que evitem a fendilhação de paredes ( se houver paredes a apoiar neste vão de laje ). Capitulo 4 61 . EC2 . Todos os Direitos Reservados. RSA. REBAP .Regulamento de Segurança e Acções.vão de Cálculo ) para valores superiores a 15 Milímetros.

..............Funções de uma Determinada Laje Exemplo de cálculo de uma Laje do tipo RECTANGULAR Y: DADOS Vão Total ...59 X -3. 51..0 Até 0.0 Classe do Aço ........ Funções 62 ......70 ( De 0......00 ) --> -3.. 2.......83 Resistente MRd ..................35 X+ 39.....90 Fórmula :( 0.20 Fórmula :( 0.00 ) --> -3.49 X -2.....05 ( De 0. 39..00 Sobrecargas .....00 até 6... 13....41 X^3 -1..... Lda..........17 X^2+ 37.32 X ) FLAVIARTE SOFTWARE Copyright (R) 2005 FLAVIARTE......... A400 Flecha Máxima .70 Coeficiente de redução ......17 X^2+ 39....32 X ) ( De 0...... 1.....70 X^3 -1. Todos os Direitos Reservados...00 até 6.....0 Até 0..59 ( De 0..41 X^2+ 20.00 ) --> -6.....04 X -3.. Coeficiente de Fluência ...70 ESFORÇO TRANSVERSO : Actuante VSD ..00 ) --> -12....... CÁLCULOS MOMENTOS : Actuante MSd .....00 ) --> 1 / EI * ( -0.....67 Resistente Mfctk....00 até 6........05 DEFORMAÇÃO : Flecha f ..35 X+ 37............ 6.02 X^2-55.....02 X^2-55....28 X^4+ 3.......59 Resistente VRd .......0 Até 0......... 0 Divisórias . 2.. 11.00 ) --> -6.... 6.52 Fórmula :( 0......... 111....0 Até 0...00 ) --> 1 / EI * ( -0.......00 ) --> -12.28 X^4+ 3.04 FENDILHAÇÃO : Actuante Mfctk .70 Fórmula :( 0.00 até 6.19 X -2.....0 KN Revestimento . 28...41 X^2+ 22.....