• • • •

Liberalismo – Adam Smith A riqueza das nações resultava da atuação de indivíduos que, movidos inclusive (e não apenas exclusivamente)2 pelo seu próprio interesse (self-interest), promoviam o crescimento econ mico e a inovação tecnoló!ica" #não $ da %enevol&ncia do padeiro, do açou!ueiro ou do cerve'eiro que eu espero que saia o meu 'antar, mas sim do empen(o deles em promover seu #auto-interesse#" iniciativa privada deveria a!ir livremente, com pouca ou nen(uma intervenção !overnamental"A competição livre entre os diversos fornecedores levaria não só ) queda do preço das mercadorias, mas tam%$m a constantes inovações tecnoló!icas, no afã de %aratear o custo de produção e vencer os competidores" divisão do tra%al(o como um fator evolucion*rio poderoso a propulsionar a economia" #Assim, o mercador ou comerciante, movido apenas pelo seu próprio interesse e!oísta (self-interest), $ levado por uma mão invisível a promover al!o que nunca fez parte do interesse dele+ o %em-estar da sociedade"# ,omo resultado da atuação dessa #mão invisível#, o preço das mercadorias deveria descer e os sal*rios deveriam su%ir" A -iqueza das nações, e tam%$m a .eoria dos sentimentos morais, este de menor impacto, tornaram-se ponto de partida para qualquer defesa ou crítica de formas do comunismo, nomeadamente influenciando a escrita de /arl 0arx e de economistas (umanistas A o%ra -iqueza das 1ações popularizou-se pelo uso da expressão da mão invisível do mercado - como numa economia de mercado, apesar da inexist&ncia de uma entidade coordenadora do interesse comunal, a interação dos indivíduos parece resultar numa determinada ordem, como se (ouvesse uma #mão invisível# que os orientasse" 2e!undo Adam 2mit( os a!entes econ micos atuando livremente c(e!ariam a uma situação de efici&ncia, dispensando assim a ação do 3stado para esse efeito" " Assim, atuando de forma livre, os mercados seriam re!idos como se por uma mão invisível que o re!ula automaticamente sempre c(e!ando a situação ótima ou de m*xima efici&ncia" Neoliberalismo 4 1eoli%eralismo $ uma releitura do 5i%eralismo ,l*ssico" ne!a a crise estrutural e (istórica do capitalismo e se volta )s ori!ens desse, do tempo do li%eralismo -- daí o nome de neo-li%eralismo 6arte do princípio de que o mercado deveria servir como %ase para or!anização da sociedade" 7o'e, $ a tend&ncia econ mica vi!ente no mundo !lo%alizado" .in(a como finalidade o com%ate ao poder dos sindicatos e a redução do papel do 3stado na economia (Estado mínimo)" 1este sentido, o 3stado restrin!e a sua responsa%ilidade social e rele!a ao mercado e )s empresas privadas parte dos seus encar!os" o livre funcionamento do mercado, sem controles ini%idores do 3stado, $ o camin(o para a elevação da produção e, conseq8entemente, !eração de empre!o e de renda, acarretando efeitos sociais positivos" ao enxu!ar os !astos com políticas sociais e o%ras p9%licas, o !overno tende a diminuir os impostos e estimular as atividades produtivas" Marxismo

• •

• • • • • • • •


A economia de 0arx tomou como ponto de partida a o%ra dos mais famosos economistas de seu tempo, os economistas cl*ssicos %rit:nicos+ Adam 2mit(, .(omas 0alt(us e ;avid -icardo"

ar!umentou que a característica mais importante de uma economia de mercado $ que ela permitia um r*pido crescimento nas (a%ilidades de produção" 2mit( dizia que um mercado em crescimento estimulava uma maior divisão do trabalho. não seu valortra%al(o" 1o ponto de vista marxista. (avia somente um tipo definido de tra%al(o . seria considerado somente seu valor de troca. 0arx notou+ #1ós vemos um !rande avanço feito por Adam 2mit( em relação aos fisiocratas na an*lise da mais-valia e portanto.a mera quantidade tra%al(o necess*rio. um fen meno que ele c(amou de fetic(ismo da mercadoria" 4s consumidores enxer!am a mercadoria somente em termos de mercado" Ao %uscar o%ter al!o somente para ser uma propriedade privada. ele notou que uma maior divisão do trabalho poderia.eorias da Mais-valia. quer quando ela assume a forma de lucro. do capital" 1o ponto de vista dos fisiocratas. $ que cria valor" A mais-valia. '* que $ nesta esfera que a riqueza $ produzida" A escassez de qualquer recurso físico em particular $ su%sidi*rio ) questão central das relações de poder atrelada ao monopólio dos meios de produção" • • • • • • • • • . con(ecido por mais-valia" mercados tendem a o%scurecer as relações sociais e os processos de produção.que cria mais-valia""" 0as para Adam 2mit(. $ o tra%al(o que define o valor das mercadorias" As relações de troca dependem de que (a'a tra%al(o pr$vio para a determinação de preços" 4s meios de produção são portanto a %ase para compreender a alocação de recursos entre as classes.• 2mit(. $ o tra%al(o social !eral > não importando com quevalores-de-uso ele se manifesta . não $ nada a não ser uma parte desse tra%al(o. em um determinado momento<carece de fontes=. os capitalistas não pa!am seus tra%al(adores o valor total das mercadorias que produzem" A diferença entre o valor que um tra%al(ador produz e o seu sal*rio são uma forma de tra%al(o não-remunerado. que $ apropriada pelos donos das condições materiais de produção em troca do tra%al(o vivo"# 3nquanto 0alt(us apresentou uma teoria a-(istórica do crescimento populacional.o tra%al(o na agricultura . 0arx ofereceu uma teoria de como um excedente relativo de população no capitalismo tendia a forçar os sal*rios para o nível de su%sist&ncia" 0arx viu esse excedente populacional como o resultado de causas econ micas e não %ioló!icas (como na interpretação de 0alt(us)" 3ssa teoria econ mica do crescimento populacional $ frequentemente c(amada de teoria do exército industrial de reserva" 1o entanto. aluguel ou a forma secund*ria de juros. na Riqueza das Nações. o que aumentaria a produtividade total da economia" Apesar de que 2mit( !eralmente disse pouco a respeito dos trabalhadores. causar dano )queles cu'as ocupações eram cada vez mais mecanizadas e repetitivas" 0arx se!uiu 2mit( quando afirmou que o mais importante (e talvez 9nico) %enefício econ mico do capitalismo era um r*pido crescimento na produtividade" 0arx tam%$m desenvolveu %astante a noção de que os tra%al(adores poderiam ser pre'udicados a medida que o capitalismo se tornava mais produtivo" .