ETHOS BÍBLICO E SUA FONTE A ética cristã está sistematizada no ethos bíblico que se inseriu no contexto da cultura judaica

. É um ethos baseado na moral, norteada pela obediência à ala!ra de "eus, e sujeita a #é. É no ethos do Anti$o %estamento que está o alicerce da ética cristã. &o qual o #undamento mais importante é a Alian'a e a %eolo$ia da (ria'ão )cria'ão do mundo e de todos os po!os*. +e no Anti$o %estamento o "ecálo$o, no contexto da Alian'a, ocupa!a o lu$ar de credo ético, a$ora o (risto $lorioso presente e operante na comunidade atra!és do +eu ,spírito é que ocupa esse lu$ar. (risto é a norma suprema e !i!a da moral cristã e isso cria normas de comportamento diretamente alicer'ando esta moral. As principais moti!a'-es para isso são. a* a re#erência escatol/$ica0 b* a imita'ão de (risto0 c* a correla'ão do batismo enquanto sacramento da con!ersão e do renascimento cristãos0 d* a solidariedade e a corresponsabilidade dos crentes0 e* a polariza'ão e a exi$ência do 1nico e #undamental mandamento do amor e a existência 2no +enhor2 e 2no ,spírito2. 3 ,thos cristão está na pessoa de 4esus (risto. 3s atos e as pala!ras de 4esus constituíam o ponto de partida, a orienta'ão e o horizonte das exorta'-es e diretrizes passadas a comunidade de #é. A práxis da caridade, enquanto práxis moral, é a marca do éthos cristão. 3 éthos se re#ere, portanto, à sal!a'ão do homem. A possibilidade de o homem sal!ar5se )em (risto* demonstra e cumpre inte$ralmente a possibilidade da existência e da !ida. A sede da existência humana é para a sal!a'ão e não apenas para redimensionar comportamentos humanos. É o amor de "eus que dá sentido ao ser e re!ela a !erdade do éthos. ,sta é, pois, equi!alente à !erdade do ser. "eus é um em três pessoas, é comunhão. ,sse é o modo pelo qual "eus é e re!ela o éthos da !ida di!ina. 6uando 4oão )74o 8, 79* diz que 2"eus é Amor2, não se re#ere a uma propriedade parcial do comportamento di!ino, mas ao que "eus é como plenitude de comunhão trinitária pessoal.

ÉTICA REVELADA A ética cristã é re!elada e tem por #undamento a ala!ra de "eus. "eus se deu a conhecer. A re!ela'ão !erbal de "eus é o #undamento epistemol/$ico para a ética cristã. A $rande síntese da moralidade bíblica está expressa nos "ez :andamentos ),x ;<, 757=0 "t >, 95;7*. As chamadas ?duas tábuas da lei@ mostram os de!eres das pessoas para com "eus e para com o seu pr/ximo. &ão si$ni#ica que a ,scritura +a$rada seja um li!ro com um completo c/di$o ético com todas as decis-es di!inas prescritas para cada questão, mas, ela contém su#icientemente todas as premissas e princípios necessários para a #ormula'ão de uma cosmo!isão que orientará na estrutura da ética cristã. É precisamente por basear5se na re!ela'ão que o (riador concedeu um padrão ético que se estende a todas as dimens-es da realidade. A ética cristã pronuncia5se sobre quest-es indi!iduais, sociais, políticas, ecol/$icas, econAmicas, culturais e espirituais, porque "eus exerce a sua autoridade sobre todas as áreas e es#eras da existência humana.

Bem5a!enturados sois !/s. porque deles é o Feino dos (éus. . porque é $rande !osso $alardão nos céus. quando !os injuriarem. os ensina!a. sempre !isando o bem5estar do indi!íduo. Bem5a!enturados os puros de cora'ão. H=Fespondeu5lhe 4esus. +ermão da :ontanha. quando baseada na Bíblia. porque serão #artos. :t . inten'-es*.ste é o $rande e primeiro mandamento. . e de todo o teu entendimento. > a =*. Bem5a!enturados os paci#icadores. o altruísmo. o se$undo. Bem5a!enturados os que tem #ome e sede de 4usti'a. A moralidade de!e ser tanto externa como interna )sentimentos. H=58<.. perse$uirem e mentirem. Bem5a!enturados os misericordiosos.2 :ateus >. Dma das melhores sínteses da ética de 4esus está contida no +ermão da :ontanha ):ateus (aps. 2. HJ . aproximaram5se dele os discípulos. semelhante a este..75. porque encontrarão a :iseric/rdia. A ética de 4esus está contida nos seus ensinos e é ilustrada pela sua !ida. . abrindo a sua boca. mas os exempli#icou com a !ida e o seu exemplo. porque !erão a #ace e "eus. 3 tema central da mensa$em de 4esus é o conceito do ?reino de "eus@. :c =. Bem5a!enturados os que choram. porque serão consolados. :t >. o e$ocentrismo )Ic 7. A ética cristã !isa disciplinar o relacionamento das pessoas com "eus e com o seu pr/ximo. 7H5. porque herdarão a terra. busca da justi'a e da paz. inte$ridade. pela !eracidade. mansidão. . A lei inculca !alores como a solidariedade.A ética cristã tem sua pr/pria l/$ica e consistência. pelo perdão. 8< "estes dois mandamentos dependem toda a lei e os pro#etas. e sentando5se. . é. dizendo. dizendo todo mal contra !/s por minha causa. a !eracidade. 4esus !endo a multidão subiu num monte. 3s seus discípulos )os Eilhos do Feino* de!em caracterizar5se pela humildade. HG . porque assim perse$uiram os pro#etas que #oram antes de !/s. imutá!el e inerrante.G. 757. "aí a ên#ase nos dois $randes mandamentos que sintetizam toda a lei. Amarás ao teu pr/ximo como a ti mesmo. Amarás ao +enhor teu "eus de todo o teu cora'ão. dando também al$umas ên#ases no!as. pela $enerosidade e acima de tudo pelo amor. a humildade. mas nele se #undamenta. 4esus não apenas ensinou os !alores do reino. miseric/rdia. A ética do &o!o %estamento não contrasta com a do Anti$o. . 3 maior pecado do ser humano é o amor pr/prio. porque serão chamados #ilhos de "eus.70 7= HH*. Bem5a!enturados os pobres de espírito. Bem5a!enturados os mansos. pois esta é in#alí!el. Bem5a!enturados os que so#rem perse$ui'ão por causa da 4usti'a.H.scrituras Cebraicas. da #amília e da coleti!idade.xultai e ale$rai5!os.sse reino expressa uma no!a realidade em que a !ontade de "eus é reconhecida e aceita em todas as áreas. A #onte do mal está no cora'ão. 4esus e os Ap/stolos desen!ol!em e apro#undam princípios e temas que já esta!am presentes nas . porque deles é o Feino dos (éus.. de toda a tua alma.

2lei2* si$ni#ica a aceita'ão da norma que não é nossa.&+3 ÉTICA ABSOLUTA. do pr/ximo e de si mesmo. 7. A ética en!ol!e a ado'ão de um padrão absoluto de autoridade.scritura. 3bser!a'ão. e nomos. de impor obri$a'-es e quando necessário inter!ir na consciência dos homens.%. e assim assumir uma postura crítica e ati!a diante do +. que são a !ontade de "eus para todos os homens. 2di#erente2. lei*. a AD%3&3:LA ainda que admita a in#luência da cultura e dos costumes.F3&3:LA )hetero. que é expressa no Anti$o e &o!o %estamento. que !em de #ora. pelo qual o homem de!e re$ular sua conduta neste mundo.. PRINCIPAL: TEONOMIA A ética cristã é o conjunto de !alores morais. #azei5lho também !/s a eles0 porque esta é a lei e os pro#etas@ CONCEITOS INERENTES A ÉTICA CRISTÃ. ? ortanto.scritura +a$rada para re$ular e estimular o nosso comportamento.3utro princípio importante é a #amosa ?re$ra de ouro@. Ética cristã é absoluta. nomos 2lei2. OBJETIVA E PRESCRITIVA Dm dos usos da lei é o normati!o para a !ida cristã. recoloca no homem a capacidade de re#letir )repensar o que já #oi pensado*. or ser baseada na re!ela'ão di!ina. "eus0 nomos. . É preciso dizer que toda obediência consciente e !oluntária não é escra!idão. tudo o que !/s quereis que os homens !os #a'am. e não elimina o uso de discernimento para interpretar corretamente e aplicar a !ontade moral re!elada para a !ida cristã e ci!il. &a #undamenta'ão teol/$ica a Ética (ristã ultrapassa a heteronomia e a autonomia. acredita em !alores morais absolutos. quando nos submetemos aos !alores da tradi'ão e obedecemos passi!amente aos costumes por con#ormismo ou por temor à sociedade.scrituras +a$radas. 3nde o cristão tem o direito de exercer li!remente a sua consciência. é a norma para a !ida moral do cristão. Autonomia. :t =. Ki!er no ní!el cristão é #azer dos princípios cristãos orienta'ão para qualquer comportamento. aceitando como autoridade os princípios espirituais e morais contidos e baseados em "eus. A lei de "eus. é uma ética da %.3&3:LA )teos. . Autonomia 5 auto. or causa da sua soberania "eus tem o direito de emitir ordenan'as. total e unicamente baseados nas . é um ato autAnomo e li!re. 7. Ceteronomia A pala!ra C. que na maioria das !ezes é antropocêntrica. 2pr/prio2 de si mesmo2. "eus nos deu além da consciência. Ao contrário da heteronomia. diante de "eus. A !ontade moral de "eus está re!elada na .. A ética cristã é objeti!a. A ética cristã é teocêntrica e oposta à ética secular. de todas as culturas e em todas as épocas. a .

liberdade. 3 dinamismo proposto por (risto chama o homem à con!ersão )metan/ia*. já que nin$uém tem maior amor do que aquele que dá a !ida por seus ami$os +endo (risto o centro e o ponto de re#erência da moral cristã. com os outros.la não se con#unde com o ethos. num processo de con!ersão de !ida. da experiência de "eus e respondendo adequadamente aos atuais desa#ios da L$reja e do mundo. o $uia. mas anuncia uma mensa$em reli$iosa da qual brotam exi$ências morais.ssas implica'-es e repercuss-es têm seu #undamento primeiro no preceito do amor. A ética exerce um ser!i'o de discernimento. e com todas as criaturas. que se distin$ue do ethos. é o encontro com o Eilho de "eus. para se res$atar o !ital humano. das comunidades e seu testemunho.!an$elho.!an$elho é a #onte da moral cristã. a !erdade e a !ida. é o 1nico mestre e doutor. re$ras de comportamento. pois cada $rupo humano tende a construir sua moral a partir do seu ethos. não é s/ crer em !erdades. da centralidade de 4esus (risto. consi$o mesmo. %oda!ia. que dá a toda a existência um no!o dinamismo. respeito.le é o centro. mas também prescre!er o que é certo ou errado. como obser!ou Bento NKL aos jo!ens em :adrid. JESUS E A MORAL CRISTÃ A moral.le é o :estre. o Fessuscitado que possui em si a !ida e que sempre está presente na sua L$reja e no mundo. al$o que !ai além do que simplesmente perdoar. que se desdobra no amor a "eus e ao pr/ximo que implica também o amor aos pr/prios inimi$os e perse$uidores.le. na sua amizade. . 3 cristão busca idealmente che$ará plena maturidade de (risto na comunhão com "eus. mas é antes de tudo uma rela'ão pessoal com 4esus (risto. princípios e !alores. então. assumir o Feino. or isso a #é cristã. a colher a Boa5 &o!a. a !ida cresce e realiza5se em plenitude. num saber ou!ir e num saber ser!ir. 3 cristianismo a ponta para um itinerário ético. (risto nos re!ela a nossa identidade e. isto en!ol!e necessariamente o compromisso de coerente submissão e obediência a ala!ra de "eus. que orientam o a$ir. . mas está li$ada umbilicalmente a ele. 6uando entramos em rela'ão pessoal com . A ética não se prop-e apenas a descre!er. seu . ser seu discípulo. A alteridade desdobra5se.A ética cristã é prescriti!a. depurando tudo o que !enha compor nossa !ida. .le que ensina a !erdade sobre o a$ir moral. da #idelidade à nossa hist/ria. a tra!és de suas normas. ara todos os cristãos. tem a #un'ão de ser indicadora de um caminho possí!el ou necessário. 3 centro de tudo passa a ser o se$uimento de 4esus. .!an$elho. É . se a ética cristã pressup-e a #é cristã. . 4esus (risto é o centro da existência da !ida cristã. Adesão a 4esus (risto é adesão a uma pessoa que não #ornece aos seus ou!intes um catálo$o de comportamentos éticos. o caminho. equidade. com implica'-es éticas e as repercuss-es morais que brotam dessa experiência com (risto. A ética precisa da dinMmica da alteridade porque esta cria justi'a. !i!endo a proposta do . uma trans#orma'ão do ser que repercute no a$ir. %ambém anuncia e o#erece às pessoas uma proposta de !ida concreta e atraente. nutrido da #idelidade a o .

cujos !alores e atitudes encontram seu embasamento no modo de ser de 4esus e cujo pensamento seja capaz de analisar. o éthos da !ida trinitária #oi impresso na existência humana )ima$em e semelhan'a*. é a Bíblia +a$rada. .ste ambiente tem a (risto no centro. A conquista da autonomia num mundo de pecado s/ pode ser ética se hou!er recurso a uma dimensão di!ina transcendental da $ra'a e do amor á$ape. aponta princípios #irmes e permanentes. A alteridade pessoal constitui a ima$em de "eus no homem. porque sem humildade não há missão. e em todos os lu$ares.HH*.. em todas as culturas. para ser de #ato uma comunidade. 3 c/di$o de ética dos cristãos. isto é. como experiência de uma eclesialidade de pessoas !ocacionadas a dar respostas concretas diante do pr/ximo. não há incultura'ão 5 identi#icar5se com o outro. e ele come'ou a ensinar A Ética (ristã e a consciência moral que a acompanha estão intrinsecamente li$adas ao an1ncio e à busca do Feino de "eus ou do modo de "eus reinar sobre a terra com o qual as bem5a!enturan'as estão intrinsecamente li$adas. Kendo as multid-es. em todos os tempos. a ética cristã exi$e uma #orma'ão de autonomia e responsabilidade. A Cumildade como Eundamento da Kida (ristã. tais como #oram expressos no discurso inau$ural de 4esus. or isso mesmo. os quais podem e de!em ser considerados e obedecidos.7*. letrado ou iletrado. hábitos. isto é. em sua melhor expressão. 3s discípulos aproximaram5se. 4o 7=. branco ou ne$ro. pobre ou rico. +em humildade não há !ida cristã. "iante dos contra sensos encontrados nas aborda$ens éticas contemporMneas o cristão procurar $uiar5se pelos princípios bíblicos de ética cristã. 3utro aspecto #undamental da !ida cristã é a humildade na unidade )c#. de comer. e todas essas coisas !os serão dadas por acréscimo ):t 9. de !estir. a experiência cristã de!e ser assumida como experiência com o outro e. Buscai em primeiro lu$ar o Feino de "eus e a sua justi'a. tomar a #orma do outro. . de #alar. (3&(ID+O3 Ética (ristã é a constitui'ão dinMmica de uma consciência coleti!a. o seu modo de !i!er.SUJEITO ÉTICO CRISTÃO – INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO DO CONCEITO DE ALTERIDADE DO VITAL HUMANO – A ética cristã não pode i$norar que no centro da estrutura'ão da !ida cotidiana opera uma estrutura de pecado. brasileiro ou japonês. 4esus subiu à montanha e sentou5se. !alores e comportamentos em estruturas político5sociais e cuja #inalidade é de le!ar toda e qualquer sociedade ao cumprimento da justi'a e à consolida'ão da #elicidade a da paz. ara ha!er unidade na comunidade cristã. criticar e consequentemente jul$ar idéias. 3 modo da existência de "eus e o modo da existência do homem são comuns. A ética e o sujeito cristãos s/ se #ormam no ambiente da $ratuidade di!ina.é preciso que seus componentes tenham humildade para aceitar o outro como ele é.