You are on page 1of 3

DIREITO CIVIL

FATO JURÍDICO (sentido amplo) - é todo acontecimento natural ou humano que tem consequências jurídicas, em virtude do qual nascem, subsistem ou se extinguem direitos. Ex.: nascimento de uma pessoa, a maioridade, a morte, enchente, etc. O ato jurídico se divide em! " - Fato Jurídico em sentido estrito # s$o os que ocorrem independentemente da vontade do ser humano. Ocorrem pela a%$o da nature&a. Ex.: a morte, uma inundação, o nascimento, etc. ' - Ato jurídico - é todo acontecimento que deriva da vontade do homem e tenha conseq(ências jurídicas. • • Lícitos: quando produ&em e eitos de acordo com a norma jurídica Ex.: casamento, contrato de compra e venda; Ilícitos: s$o os que produ&em e eitos contr)rios ao ordenamento jurídico Ex.: o homicídio, o roubo, a agressão, etc.

Ato Jurídico em sentido amplo se divide em! • • UNILAT RAL !ocorre com a mani esta%$o de vontade de apenas uma das partes Ex.: declaração de nascimento de filho, etc. "ILAT RAL ! é necess)ria a mani esta%$o da vontade de dois ou mais agentes, criando entre eles uma rela%$o jurídica. Ex.: contrato de compra e venda. chamar-se Ne#$cio Jurídico. *este caso, o ato jurídico passa a

N %&CIO JURÍDICO ! 'é o resultado da manifestação das partes com a intenção de auto- regulamentação de interesses, nos limites legais, criando norma concreta para o caso, visando um resultado urídico predeterminado!. ( +aio ,ario) L ( NTO) DO N %&CIO JURÍDICO: * ! ss+nciais # s$o imprescindíveis - existência do ato negocial ,- Acidentais ! *$o s$o exigidos por lei, mas introdu&idos pela vontade das partes.

R -UI)ITO) D .ALIDAD DO N %&CIO JURÍDICO (art. "./ ++) a) A#ente Ca/a0 - o agente deve estar a/to a praticar os atos da vida civil. Os absolutamente incapa&es devem ser representados e os relativamente incapa&es devem ser assistidos0

PROFª SILVIA NAZARÉ DIAS CHAGAS

1

4ícios da 4ontade ou do +onsentimento '. é o arti ício empregado pelo agente para indu&ir alguém a pratica de um ato que o prejudica.a orma dos atos jurídicos tem que ser a prevista em 1ei.:*9O # o de eito ocorre diretamente sobre a vontade de quem a declara. *$o acarreta nulidade de um ato o erro acidental ou secund)rio. )9O . • =ode ser praticado pelo silêncio.@298*+681 ou :22:*+681. 7O +O*2:*96. PROFª SILVIA NAZARÉ DIAS CHAGAS 2 . Ex. se houver esta previs$o. 8 pessoa se engana so&inha ninguém a indu& a erro.pessoa do coagido. 4ícios 2ociais " . Ocorre quando o agente pratica o ato baseando-se em also juí&o ou engano.: compra de um "uadro de um autor como se fosse de outro. D F ITO) DO N %&CIO JURÍDICO 2$o vícios que contaminam o neg3cio jurídico8 Os de eitos dos neg3cios jurídicos se dividem em! ". . ou n$o proibida. Ex.o objeto do ato jurídico deve ser permitido pelo direito e possível de ser e etivado0 Forma 2rescrita 4esta1elecida5 ou n6o De7esa em Lei .ÍCIO) D CON) NTI( NTO: ") :rro ') 7olo <) +oa%$o /) :stado de =erigo >) 1es$o ' # 45+6O 2O+681 # ataca a ordem social ") ?raude contra credores ') 2imula%$o RRO! é a ?8128 no%$o que se tem de um objeto ou de uma pessoa.45+6O2 78 4O*987: O. • • 23 anula o ato jurídico o erro 2. pensando "ue tinha sete. sendo por ele bene iciado ou mesmo bene iciando um terceiro.sua amília ou a seus bens e que o dano objeto da amea%a seja providência ísica ou moral.DIREITO CIVIL b) c) O1jeto Lícito e 2ossí3el . =ara que a coa%$o vicie o ato é necess)rio que se incuta medo de dano .: comprar uma casa com seis anelas. DOLO: COA:9O: é toda press$o psicol3gica ou amea%a exercida sobre alguém para obrig)-lo a praticar determinado ato.

ou seja. $% um desacordo entre a vontade declarada e a vontade interna e não manifestada. com ou sem a cumplicidade de outrem. assume obriga%$o excessivamente onerosa. Ex. que por vício grave. *$o permitem rati ica%$o. estado de perigo. "BC ++) *estes casos. PROFª SILVIA NAZARÉ DIAS CHAGAS 3 . . impossível.  Os neg3cios anul)veis permitem rati ica%$o dos mesmos. )I(ULA:9O! é a declara%$o enganosa da vontade.NULIDAD : s$o considerados nulos os neg3cios. L )9O: +on igura-se quando alguém. FRAUD CONTRA CR DOR ): é um ato praticado pelo devedor insolvente. n$o tenham e ic)cia jurídica. prejudicando.aproveitando-se da inexperiência ou da situa%$o de necessidade do outro contratante. nem tampouco direitos entre as partes. desproporcional. visando obter resultado diverso do que aparece. indeterminado ou indetermin)vel0 a orma or de esa(proibida) ou n$o or prescrita em lei0 tiverem como objetivo raudar a lei0 a lei declar)-los nulos expressamente0 houver simula%$o (8rt. n$o gera nem obriga%Des. com o objetivo de des a&er o seu patrimAnio para impossibilitar o pagamento de suas dívidas. les$o) ou raude contra credores. I) * . fa#er uma doação.ALIDAD DO) N %&CIO) JURÍDICO): NULO) OU ANUL.  os que possuam vícios do consentimento! (erro.ANULA"ILIDAD : s$o considerados neg3cios anul)veis os praticados por!  relativamente incapa&es. para iludir terceiros ou violar a lei.: faço contrato de compra e venda ob etivando. dolo. os credores. de grave dano conhecido pela outra parte.Ocorre quando alguém premido de da necessidade de salvarse ou a pessoa de sua amília. portanto.. . coa%$o. o neg3cio jurídico n$o gera e eitos no mundo jurídico.DIREITO CIVIL )TADO D 2 RI%O . IN. obtém um lucro exagerado. na verdade. )9O NULO) O) N %&CIO) JURÍDICO) ) :       a mani esta%$o de vontade or mani estada por agente absolutamente incapa&< o objeto or ilícito.