DISCIPLINA: DIREITO CONSTITUCIONAL II DOCENTE: PROFESSORA ELIANE COSTA DOS SANTOS

AÇÕES CONSTITUCIONAIS 1.HABEAS CORPUS 1.1. Segundo Marcelo Novelino, o habeas corpus foi previsto, pela primeira vez, no ordenamento jurídico brasileiro na Constituição Federal de 1891, com a finalidade precípua de proteger o indivíduo contra constrições ilegais ou abusivas em seu direito de ir, vir ou permanecer. 1.2. Previsão na Constituição de 1988 (art. 5°, LXVII) 1.3. Modalidades a) Habeas corpus suspensivo (ou repressivo), segundo Marcelo Novelino, tem a finalidade de “liberar o paciente quando já consumada a violência ou a coação ilegal ou abusiva”. b) Habeas corpus preventivo é utilizado, de acordo com Marcelo Novelino, “com a finalidade de impedir a perpetração da violência ou coação ilegal, hipótese na qual é concedido o “salvoconduto”. 1.4. Legitimidade a) Legitimidade ativa, segundo Marcelo Novelino, a impetração do habeas corpus é “atribuída a qualquer pessoa física, nacional ou estrangeira, em favor ou de outrem e ao Ministério Público (CPP, art. 654). Pessoas jurídicas podem impetrá-lo em benefício de uma pessoa física, mas não podem ser paciente [...]”. b) Sujeito passivo, de acordo com Marcelo Novelino, “pode ser uma autoridade ou mesmo um particular desde que o constrangimento seja decorrente da função por ele exercida [...]”. 1.5. Objeto e objetivo a)Objeto b) Objetivo 1.6. Cabimento do habeas corpus a) Direito líquido e certo lesionado ou ameaçado de lesão (diretamente ou indiretamente) 1.7. Considerações finais a) Punições disciplinares militares (art. 142, §2°).

2. MANDADO DE SEGURANÇA 2.1. Legislação (Lei n. 12.016/09) 2.2. Modalidades: a)repressivo “é quando impetrado para reparar uma lesão já ocorrida”. b) preventivo “a finalidade é evitar uma lesão a direito líquido e certo, hipótese na qual a ameaça deve ser grave, séria e objetiva”. 3. LEGITIMIDADE

. dilação probatória”.016/09. art. não “[. d) no caso de lei inconstitucional. Equiparação a atos de autoridade. NÃO CABIMENTO DE MANDADO DE SEGURANÇA (Lei n. 1°). 6.016/09) a) Ato do qual caiba recurso administrativo com efeito suspensivo. Mandado de segurança individual: pessoa física ou jurídica.5°. legalmente constituída e em funcionamento há. Mandado de segurança coletivo: partido político com representação no Congresso Nacional. ou que é reconhecido pela autoridade coatora dispensando. 4.1.2. b) Decisão judicial da qual caiba recurso com efeito suspensivo.1. pois não haverá mais lesão. 1 (um) ano. do STF: “A existência de recurso administrativo com efeito suspensivo não impede o uso do mandado de segurança contra omissão da autoridade”. c) tratando-se de omissão lesiva ou abusiva não há como ter início a contagem de prazo. 6. organização sindical. “não havendo restrição quanto ao seu tipo (pessoal ou real)”.1. 7.2. De acordo com a Lei n. o prazo decadencial não poderá ser aplicado. pelo menos. c) Decisão judicial transitada em julgado (Lei 12.1. Objeto: direito líquido e certo. 12. no ato de impetração. não flui o prazo.016/09. 4. OBJETO E OBJETIVO 4.3. Lei 12. 23.5°).016/09.. Segundo Marcelo Novelino.) cabe mandado de segurança quando o direito líquido e certo não for amparado por habeas data ou habeas corpus (CF. 6. dirigentes de pessoas jurídicas. PRAZO PARA IMPETRAÇÃO 7. contados da ciência. a contagem do prazo devem ser observados os seguintes requisitos: a) se for impossível fixar o termo inicial (dies a quo). independentemente de caução. o ato de autoridade ilegal ou praticado com abuso de poder pode ser “comissivo” ou “omissivo”.. ATO DE AUTORIDADE De acordo com Marcelo Novelino. . art. do ato impugnado. pelo interessado. Objetivo: proteção ou reparação in natura. e) o pedido de reconsideração na via administrativa não o interrompe (STF – Súmula 430). O que se entende por direito líquido e certo? “[. por meio de documentos. por conseguinte. segundo Marcelo Novelino: representantes ou órgãos de partidos políticos e os administradores de entidades autárquicas. 12.. 5. LXIX. art.] o direito passível de ser provado de plano. b) havendo suspensão administrativa do ato lesivo. CABIMENTO RESIDUAL De acordo com Marcelo Novelino. Exceção: Súmula 429.2.3. art. 7. 4. entidade de classe ou associação. não há como prevalecer qualquer prazo restritivo. 3. pessoas naturais no exercício de atribuições do poder público. o prazo decadencial é de 120 dias.

h). b) o impedimento de exercê-lo em virtude da ausência de norma regulamentadora.3.8.5. q). art. V).]”.]”. 9. 9.4. art. mas nem todo juiz ou tribunal tem competência para processá-lo ou julgá-lo (controle difuso limitado)[. assim: a) Supremo Tribunal Federal (CF. b) Legitimidade passiva: é atribuída com exclusividade ao órgão ou autoridade estatal que tenha o dever de elaborar a norma regulamentadora..016/09. 9.3. 7°.. à soberania e à cidadania. persistirão até a prolação da sentença (Lei 12. MANDADO DE INJUNÇÃO 9. 121. 8. 8. cujo exercício esteja inviabilizado pela ausência da norma infraconstitucional regulamentadora”.4. . I. o mandado de injunção “[.1.1. 8. 9. Competência: De acordo com Marcelo Novelino. A Constituição estabelece os tribunais competentes levando em consideração o órgão responsável pela elaboração da norma regulamentadora. segundo Marcelo Novelino.1.. §3°). Objetivo: “garantir ao impetrante direitos que. Pressupostos para o cabimento do mandado de injunção: a) existência de um direito constitucional de quem o invoca. Vedação para a concessão da medida liminar: compensação de créditos tributários. d) A lei federal e as Constituições estaduais poderão estabelecer outras hipóteses de competência. 102. que deverá se pronunciar no prazo de 72 horas. Os efeitos da medida liminar: “salvo se revogada ou cassada..2.. art. Requisitos para a concessão de liminar no mandado de segurança coletivo: a) prévia audiência do representante judicial da pessoa jurídica de direito público..] é um instrumento concreto de constitucionalidade (processo constitucional subjetivo). Objeto: tutela dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade. contemplados na Constituição.. LIMINAR E DECISÃO DE MÉRITO 8. a reclassificação ou equiparação de servidores públicos e a concessão de aumento ou a extensão de vantagens ou pagamento de qualquer natureza (Lei 12. 9. TIPOS DE PROVIMENTO a) Corrente não-concretista que. c) Tribunal Superior Eleitoral e Tribunal Regional Eleitoral (CF. 7°. I.5. Requisitos: fumus boni iuris e periculum in mora. não sendo admitido litisconsórcio passivo”. a entrega de mercadorias e bens provenientes do exterior. não podem ser exercidos devido à ausência de norma regulamentadora[.6. §2°). 9.2.]”. 105.. art. Legitimidade: a) Ativa: “titular de um direito constitucional assegurado.016/09. b) Superior Tribunal de Justiça (CF. 9. §4°. art. o Poder Judiciário “deve apenas reconhecer formalmente a inércia e comunicar a omissão ao órgão competente para elaboração de norma regulamentadora [.

LXXII) 10.5. ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural. art. não apenas para aqueles que impetram o mandado de injunção. 1°. Objeto: liberdade de informação pessoal.1. art.2. c) complementação de informações constantes destes registros.. 10. Objeto: ato de caráter administrativo ou a ele equiparado. por meio da invalidação de atos dessa natureza lesivos ao patrimônio público ou de entidade de que o Estado participe. AÇÃO POPULAR 11. Corrente concretista geral é a que “admite o suprimento da omissão pelo Poder Judiciário. 10.2.]”. Legitimidade: a) Pessoa física ou jurídica (ação personalíssima) b) Definição da lei 9. Ação popular poder ser impetrada com a finalidade preventiva ou repressiva. b) retificação de informações errôneas que constem dos registros de dados. 6°). 11. e) universidades particulares. com a finalidade de viabilizar o seu exercício”.]”.1. Corrente concretista individual é a que “sustenta que cabe ao órgão jurisdicional competente criar a norma para o caso específico..717/65.6.. pertencentes à sociedade. Atos de conteúdo jurisdicional cabe ação popular?? . Legitimidade passiva: contra pessoas jurídicas públicas ou privadas (Lei 4717/65. §1°). b. 11. Objetivo: defesa de interesses difusos. c) O habeas data pode ser impetrado: a) entidades governamentais da administração pública direta ou indireta. d) partidos políticos.. b. art.b) Corrente “[.4. c) Corrente concretista intermediária é a que “sustenta que cabe ao Poder Judiciário comunicar a omissão ao órgão competente para a elaboração da norma regulamentadora e fixar um prazo para supri-la [. §3°). Legitimidade ativa: a) Cidadão em sentido estrito (atua como substituto processual).]”.] é a admite a possibilidade de concretização judicial do direito assegurado constitucionalmente. 11.2. 10.507/97 sobre o significado “caráter público”. HABEAS DATA (CF. c) que tenham banco de dados aberto ao público.3. Comprovação da condição de cidadão: juntada do título de eleitor ou documento que a ele corresponda (Lei 4.. b) pessoas jurídicas de direito privado. tendo a decisão efeito inter partes[. b) A questão dos portugueses (CF. 10. mas para todos que se encontrem em situação idêntica (efeito erga omnes)[.. art. 5°. Objetivo: a) conhecimento de informações pessoais.. Condição da ação (interesse de agir) no habeas data 11. a. 11. à moralidade administrativa.3. 11.1..1. c) O papel do Ministério Público. 12.4.

8. §4°).717/65. 102. n.11. Competência a) Sobre a competência. b) Efeitos da ação manifestamente infundada. f). b) Há possibilidade de foro privilegiado??? c) Há previsão de competência originária (CF. 5°. via de regra. d) Há ônus de sucumbência??? . Decisão a) Suspensão liminar do ato lesivo impugnado (Lei 4. é determinada pela origem do ato lesivo a ser anulado. 11. I. art.7. c) Efeitos da ação julgada improcedente por insuficiência probatória. art.