Cantos para as festividades de São Raimundo Nonato- 1º/09/2012 Responsabilidade- Paró uia de Nossa Sen!

ora do P" So#orro- $iberdade
%ni#ial- &ino da C/'-2012 1- Ah! Quanta espera, desde as frias madrugadas/pelo remédio para aliviar a dor/ este é teu povo em longas filas nas calçadas/ a mendigar pela saúde, meu Senhor. Ref Tu que vieste prá que todos tenham vida/ cura teu povo dessa dor em que se encerra/ que a fé nos salve e nos dê força nessa lida/ e que a saúde se difunda sobre a terra. !- Ah! Quanta gente "ue ao chegar aos hospitais/fica a sofrer sem leito, sem medicamento/ olha Senhor, a gente n#o suporta mais/ filho de $eus com esse indigno tratamento. %- &rotege a todos "ue tra'alham na saúde/ com a compai(#o da"uele 'om samaritano/ "ue se converta esse tra'alho em virtude/ de um tratamento para o povo mais humano. )- *om S#o +aimundo e este mundo de irm#os/ fica conosco nesta noite meu Senhor/ ,u "ue en(ergaste do teu povo a afliç#o/ $--nos coragem pr- lutarmos em miss#o. $ouvor- (lória a )eus nos altos #*us. 1- .l/ria a $eus nos altos céus, pa0 na terra aos seus amados/ 1 v/s louvam, +ei *elestes, os "ue foram li'ertados. Ref: Glória a Deus/ lá nos céus/ e pa aos seus! amém" !- $eus e &ai, n/s vos louvamos/, adoramos, 'endi0emos/ $amos gl/ria ao vosso nome, vossos dons agradecemos. %- Senhor, nosso 2esus *risto, unig3nito do &ai/ 4/s de $eus, *ordeiro santo, nossas culpas perdoai. )- 4/s "ue estais 5unto do &ai, como nosso intercessor/ acolhei nossos pedidos, atendei nosso clamor. 6- 4/s somente sois o santo, o alt7ssimo Senhor/ com o 8sp7rito divino de $eus &ai o esplendor. +#lama,ão- do dia Canto das -fertas- +s sementes 1- As sementes "ue me deste. Que n#o eram prguardar/ pus no ch#o da minha vida, "uis fa0er frutificar. Ref" Dos meus dons que recebi! pelo #sp$rito de amor/ tra%o os frutos que colhi! e em tua mesa quero por &'() !- &elos campos deste mundo, "uero sempre semear/ os talentos "ue me deste, para eu mesmo cultivar Santo- Santo. Santo. Santo * o Sen!or/ 1- Santo, Santo, Santo é o Senhor!9'is: ;osso $eus e nosso criador 9'is: *éus e terra cantam seu louvor 9'is:/ <osana ao nosso deus li'ertador 9 'is: !- =endito o "ue vem em nome do Senhor9 'is: <osana,<osana, ao nosso Salvador 9 'is:

1- > &ai rece'e o ,+?.@, mo7do/ v3 como é 'om o &A@/ se5a o teu corpo! !- > &ai rece'e a B4A ,pisada/ v3 como é 'om o 4?;<@/ se5a o teu sangue! %- C&ai rece'e a 4?$A, gerada/ v3 como 'om o AD@+/ se5a teu Eilho! )- C &ai rece'e o &8*A$@+, contrito/ v3 como é 'om o perd#o/ se5a tua gl/ria!
0ist*rio da '*" ,oda ve0 "ue se come deste &#oF toda ve0 "ue se 'e'e deste vinho, se recorda a &ai(#o de 2esus *risto, e se fica esperando a sua volta +m*m/1 Amém, aleluia 9 %G: Comun!ão % 2 3is ue sou o Pão da vida ,odo a"uele "ue comer do meu corpo "ue é doado, todo a"uele "ue 'e'er do meu sangue derramado. 8 crer nas minhas palavras "ue s#o plenas de vida, nunca mais sentir- fome e nem sede em sua lida. Ref. #is que sou o *+o da vida! eis que sou o *+o do céu! faço,me vossa comida- #u sou mais que leite e mel1-8u sou o caminho, a vida, -gua viva e 4erdadeF sou a pa0 e a lu0 do mundo.Sou a pr/pria li'erdade. Sou a palavra do &ai, "ue entre v/s ha'itou, para "ue v/s ha'iteis na ,rindade onde estou. !-8u sou a &alavra viva "ue sai da 'oca de $eus, sou a lHmpada a guiar, vossos passos irm#os meus.Sou o rio, eu sou a ponte,sou a 'risa "ue afaga, sou a -gua, sou a fonte, fogo "ue n#o se apaga. Comun!ão- -ra,ão pela 0esse Ref- *oucos os operários! poucos trabalhadores/ e a fome do povo aumenta mais e mais/ .s o /enhor da messe! ouve esta minha prece/ p0e san%ue novo nas veias da tua i%re1a1- Ealta p#o por"ue falta trigo/ falta trigo por"ue n#o semeiam/ e faltam semeadores por"ue ninguém foi l- fora chamar/ falta fé por"ue n#o se ouve/ n#o se ouve por"ue n#o se fala/ e falta esse 5eito novo de levar lu0 e de profeti0ar.

!- Ealta gente pr- ir ao povo/ desco'rir por"ue o povo se cala/ pastores e animadores pr- incentivar o teu povo a falar/ Ealta lu0 por"ue n#o se acende/ n#o se acende por"ue faltam sonhos/ e falta esse 5eito novo de levar lu0 e de profeti0ar. &ino 4 São Raimundo" Refrão- /endo irm+os! nós sentimos o san%ue de 2risto na veia- 3iva! viva! /+o 4aimundo! padroeiro da nossa aldeia" 1- *omo gente n/s vivemos tua credi'ilidade/ *omo romeiros, seguimos o caminho da verdade. !- &ara a sua grande festa cada um d- o "ue tem/ Somos po'res, mas "ueremos a5udar sempre alguém. %- ,e pedimos pelos velhos, pelas crianças do mundo/ pela nossa 5uventude, "ue nos d3 amor profundo. )- Que $eus &ai este5a ouvindo, o clamor do nosso povo/ para aca'ar guerra e fome suplicamos teu socorro

Pere5rina,ão de N" Sra da Con#ei,ão na 67 8R3-2012 Coordenador- Queridos irm#os e irm#s, estamos

Canto- A escolhida 1- Bma entre todas foi a escolhida, foste tu Daria a serva

rece'endo nesta Bnidade de ,ra'alho, a imagem de ;ossa Senhora da *onceiç#o, "ue representa para n/s a nossa m#e "uerida, Daria Sant7ssima. Sa'emos "ue ela est- 5unto de $eus, no lugar "ue ele preparou para ela, mas aprecia ser honrada a"ui na terra., assim como disse 1 sua prima ?sa'el:” Doravante toda as gerações hão de chamar-me de bendita!” $eitor 1- Acolhamos a sua imagem peregrina, com rever3ncia e amor, e com o gesto de carinho, uma calorosa salva de palmas! *anto Pelas estradas da vida 1- &elas estradas da vida, nunca so0inho est-s. *ontigo, pelo caminho Santa Daria vai. Ref: Ó vem conosco vem caminhar! "anta #aria vem!$ %&' !- Se pelo mundo, os homem os homens, sem conhecerse, v#o. ;#o negues nunca a sua m#o a "uem te encontrar. %- Desmo "ue digam os homens, tu nada podes mudar. Iuta por um mundo novo de unidade e pa0. )- Se parecer tua vida, inútil caminhar. Iem'ra "ue a'res caminho. @utros te seguir#o. $eitor 2- ?rm#os e irm#s, ao rece'er a imagem da &adroeira de Santarém, nossa Senhora da *onceiç#o, di0emos como sua prima ?sa'el 9odos- 5ue %rande honra que a 6+e do meu /enhor venha nos visitar" $eitor 1- Sede 'em vinda, / D#e de miseric/rdia, e tra0ei para n/s a &alavra de 4osso Eilho, o &#o vivo, a alimentar-nos pelas estradas da vida! *anto- Palavra de "alvação( 1- &alavra de Salvaç#o somente o céu tem pr- dar, por isso o meu coraç#o se a're para escutar 9!G: !- &or mais dif7cil "ue se5a seguir tua palavra "ueremos ouvir, por mais dif7cil de se praticar, tua palavra "ueremos guardar. $eitor 2- Ic.1,!J-)6 $eitor :- Duitas ve0es tam'ém n#o entendemos as mensagens "ue o 8sp7rito Santo tenta nos transmitir, ficamos confusos e isso nos impede de e(perimentarmos plenamente o amor de $eus. Quando o An5o .a'riel saudou Daria ela ficou pertur'ada, mas aos poucos foi revelando sua fé e o'edi3ncia 1 palavra de $eus. $eitor ;- *omo fe0 Daria, devemos meditar so're o "ue $eus "uer nos falar e a'rir nossos coraçKes para "ue o 8sp7rito Santo nos ilumine e nos d3 o entendimento. $eitor 6- Ap/s ouvir o anúncio do an5o, Daria perguntou L *omo se far- issoMN. Os ve0es n#o compreendemos como a vontade de $eus poder- ser reali0ada diante do nosso limitado entendimento das coisas. $eitor <- Surge ent#o a oportunidade de fa0er uma e(peri3ncia com $eus . Acreditar "ue para $eus, nada é imposs7vel. 8 colocar-se inteiramente 1 sua disposiç#o, como fe0 Daria ao di0er 9odos= L)aça-se em mim seg*ndo a t*a +alavra! $eitor 6- Senhor, a e(emplo de Daria, ensina-nos a s di0er Sim ao teu chamado, re0emos.. ,odos- #aria Cheia de ,raça intercedei +or n-s!

preferida. D#e do meu Senhor/ D#e do meu Salvador. Ref: #aria cheia de graça e consolo venha caminhar com te* +ovo nossa mãe sem+re ser.s( !- +oga pelos pecadores desta terra, roga pelo povo "ue em seu $eus espera. D#e do meu Senhor/ D#e do meu Salvador. Coordenador" A &alavra de $eus nos mostrou "ual foi a atitude da 4irgem de ;a0aré, diante do chamado do 8sp7rito Santo em sua vida. $e "ue forma $eus se manifesta em nossas vidas, no dia a diaM *omo fa0emos para entender melhor esse chamadoM $iante dos desafios do mundo atual, nas nossas fam7lias, no nosso tra'alho, nas escolas, no mundo todo, "ual é a nossa resposta ao plano de $eus para enfrentarmos e superarmos a todos esses desafiosM 9 Sil3ncio!: Coordenador- 4amos recitar agora, especialmente, o LDagnificat! L, "ue é o cHntico de Daria, por e(cel3ncia, em louvor e e(altaç#o a $eus. 9 em dois grupos <omens e mulheres: &- Dinha alma glorifica ao Senhor, meu esp7rito e(ulta de alegria em $eus, meu Salvador! 0- &ois olhou para sua po're serva. &or isso, desde agora, todas as geraçKes me proclamar#o 'em aventurada. &- &or"ue reali0ou em mim maravilhas, a"uele "ue é poderoso e cu5o nome é Santo. 0- Sua miseric/rdia se estende de geraç#o em geraç#o, so're os "ue o temem. &- Danifestou o poder de seu 'raço, desconcertando os coraçKes so'er'os. 0- $erru'ou do trono os poderosos e e(altou os humildes. &- Saciou de 'ens os famintos e despediu os ricos de m#os va0ias. 0- Acolheu a ?srael, seu servo, lem'rando da sua miseric/rdia. &- *onforme prometera a nossos pais em favor de A'ra#o e sua posteridade, para sempre. 9odos- .l/ria ao &ai, ao Eilho e ao santo 8sp7rito. Assim como era no princ7pio, agora e sempre. Amém! Coordenador- *risto é o Destre por e(cel3ncia. Das dentre os seres humanos, ninguém melhor do "ue Daria conhece t#o profundamente a 2esus e seus mistérios. Ere"uentar a escola de Daria e penetrar nos segredos de seu Eilho nos fa0 compreender plenamente a sua mensagem. A &alavra de $eus nos mostra "ue Daria esteve presente , mesmo de forma discreta, nos momentos centrais da hist/ria da salvaç#o a encarnaç#o, o in7cio do ministério de *risto, a crucificaç#o e o nascimento da igre5a com a vinda do 8sp7rito Santo. *onsiderada a primeira crist#, Daria se torna e(emplo para n/s. . $iri5amos ao Senhor, a nossa prece, por intercess#o de Daria $eitor1- Que o 8sp7rito Santo, assim como em Daria, nos a5ude tam'ém a encontrar as maravilhas da plenitude da graça revelada no Distério da 8ncarnaç#o, re0emos.. ,odos- #aria Cheia de ,raça intercedei +or n-s! $eitor2- Senhor, "ue grande poder e amor nos revelais, fa0endovos pe"uenino, tendo necessidade de tudo, como as outras crianças. A5udai-nos a mar a todas as crianças. +e0emos. ,odos- #aria Cheia de ,raça intercedei +or n-s! Ieitor %- Senhor, "ue nos deste Daria como e(emplo de D#e, concedei-nos a sa'edoria para sermos 'ons educadores ,odos- #aria Cheia de ,raça intercedei +or n-s! $eitor ;- Senhor, a e(emplo de Daria, "ue educou seu Eilho 2esus, com sa'edoria, a5udai-nos a transmitir aos nossos alunos uma formaç#o crist#, re0emos.. ,odos- #aria Cheia de ,raça intercedei +or n-s!

Se5a vossa presença, certe0a de caridade e de

$eitor <- Senhor, da7-nos a lu0 para "ue possamos manifestar 1 vossa graça, coragem para denunciar as in5ustiças e discernimento para desviarmo-nos do mal, re0emos.. ,odos- #aria Cheia de ,raça intercedei +or n-s!

'3nç#os para cada um de n/s, vossos filhos, todos os dia da nossa vida. Sant7ssima 4irgem da *onceiç#o, n/s vos escolhemos como protetora desta casa e prometemos cumprir com a"uilo "ue nos ensinastes. A'ençoai "uem a"ui visita, Canto- +ve 0aria" 8u era pe"ueno, nem me lem'ro/ s/ lem'ro "ue especialmente, a"ueles "ue a condu0em até n/s, e a"ueles "ue vem 'uscar recursos para o seu tra'alho, 1 noite ao pé da cama/ 5untava as m#o0inhas e 5unto aos alunos das nossas escolas. *oncedei-nos re0ava apressado/mas re0ava como alguém tam'ém a graça mais importante a de vivermos no amor "ue ama. ;as Ave Darias "ue eu re0ava/ eu sempre engolia umas palavras/ e muito cansado de $eus. Assim se5a. Amém! aca'ava dormindo/mas dormia como "uem amava. Ave #aria #ãe de /es*s! o tem+o +assa não volta mais! tenho sa*dade da0*ele tem+o 0*e e* te chamava de minha mãe( Ave #aria #ãe de /es*s! Ave #aria #ãe de /es*s! @ teu amor cresce com a gente/ a m#e nunca es"uece o filho ausente/ eu chego l- em casa, chateado e cansado/ mas eu re0o como antigamente. ;as Ave Darias "ue ho5e eu re0o/ es"ueço as palavras e adormeço/ em'ora cansado, sem re0ar como eu devo/ eu de ti, Daria, n#o es"ueço. Ave #aria #ãe de /es*s! o tem+o +assa não volta mais! tenho sa*dade da0*ele tem+o 0*e e* te chamava de minha mãe( Ave #aria #ãe de /es*s! Ave #aria #ãe de /es*s! +5rade#imento" - Queremos agradecer 1 comiss#o da =erlinda pelo segundo ano de visita da imagem peregrina, nesta instituiç#o. 8ssa visita nos favoreceu momentos de meditaç#o e oraç#o, encontro e fraternidade, e muito nos a5udar- na reali0aç#o dos nossos atos nesta vida, e certamente, nos motivar- o crescimento da nossa fé e o amor aos irm#os.&or isso. ,odos 5untos vamos re0ar a oraç#o final. 9odos- @raç#o final. &ai de miseric/rdia! ;/s vos damos graças por nos enviar vosso Eilho, nascido da 4irgem Daria. 8le, "ue no altar da cru0, deu-nos por m#e a sua pr/pria m#e, e permitiu "ue ela permanecesse esse tempo agora conosco. ;/s vos pedimos, permanecei / 4irgem m#e de $eus,nesta casa de tra'alho, como Senhora e rainha, para proteger "uem nela tra'alha, acompanhar os "ue nela entram e saem.