LEI No 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002. Institui o Código Civil.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: PARTE ERAL

LI!R" I #A$ PE$$"A$ T%T&L" I #A$ PE$$"A$ NAT&RAI$ CAP%T&L" I #A PER$"NALI#A#E E #A CAPACI#A#E

Art. 1o Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil. Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro. Art. 3o São absolutamente incapazes de e ercer pessoalmente os atos da vida civil! " # os menores de dezesseis anos; "" # os $ue, por en%ermidade ou de%ici&ncia mental, não tiverem o necess'rio discernimento para a pr'tica desses atos; """ # os $ue, mesmo por causa transit(ria, não puderem e primir sua vontade. Art. )o São incapazes, relativamente a certos atos, ou * maneira de os e ercer! " # os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos; "" # os ébrios +abituais, os viciados em t( icos, e os $ue, por de%ici&ncia mental, ten+am o discernimento reduzido; """ # os e cepcionais, sem desenvolvimento mental completo; ", # os pr(di-os. .ar'-ra%o /nico. A capacidade dos 0ndios ser' re-ulada por le-islação especial. Art. 1o A menoridade cessa aos dezoito anos completos, $uando a pessoa %ica +abilitada * pr'tica de todos os atos da vida civil. .ar'-ra%o /nico. 2essar', para os menores, a incapacidade!

" # pela concessão dos pais, ou de um deles na %alta do outro, mediante instrumento p/blico, independentemente de +omolo-ação 3udicial, ou por sentença do 3uiz, ouvido o tutor, se o menor tiver dezesseis anos completos; "" # pelo casamento; """ # pelo e erc0cio de empre-o p/blico e%etivo; ", # pela colação de -rau em curso de ensino superior; , # pelo estabelecimento civil ou comercial, ou pela e ist&ncia de relação de empre-o, desde $ue, em %unção deles, o menor com dezesseis anos completos ten+a economia pr(pria. Art. 4o A e ist&ncia da pessoa natural termina com a morte; presume#se esta, $uanto aos ausentes, nos casos em $ue a lei autoriza a abertura de sucessão de%initiva. Art. 5o .ode ser declarada a morte presumida, sem decretação de aus&ncia! " # se %or e tremamente prov'vel a morte de $uem estava em peri-o de vida; "" # se al-uém, desaparecido em campan+a ou %eito prisioneiro, não %or encontrado até dois anos ap(s o término da -uerra. .ar'-ra%o /nico. A declaração da morte presumida, nesses casos, somente poder' ser re$uerida depois de es-otadas as buscas e averi-uações, devendo a sentença %i ar a data prov'vel do %alecimento. Art. 6o Se dois ou mais indiv0duos %alecerem na mesma ocasião, não se podendo averi-uar se al-um dos comorientes precedeu aos outros, presumir#se#ão simultaneamente mortos. Art. 7o Serão re-istrados em re-istro p/blico! " # os nascimentos, casamentos e (bitos; "" # a emancipação por outor-a dos pais ou por sentença do 3uiz; """ # a interdição por incapacidade absoluta ou relativa; ", # a sentença declarat(ria de aus&ncia e de morte presumida. Art. 18. 9ar#se#' averbação em re-istro p/blico! " # das sentenças $ue decretarem a nulidade ou anulação do casamento, o div(rcio, a separação 3udicial e o restabelecimento da sociedade con3u-al; "" # dos atos 3udiciais ou e tra3udiciais $ue declararem ou recon+ecerem a %iliação; """ # 'Revogado (ela Lei n) *+.,*,- de +,,./
CAP%T&L" II #"$ #IREIT"$ #A PER$"NALI#A#E

Art. 11. 2om e ceção dos casos previstos em lei, os direitos da personalidade são intransmiss0veis e irrenunci'veis, não podendo o seu e erc0cio so%rer limitação volunt'ria. Art. 12. .ode#se e i-ir $ue cesse a ameaça, ou a lesão, a direito da personalidade, e reclamar perdas e danos, sem pre3u0zo de outras sanções previstas em lei. .ar'-ra%o /nico. :m se tratando de morto, ter' le-itimação para re$uerer a medida prevista neste arti-o o c;n3u-e sobrevivente, ou $ual$uer parente em lin+a reta, ou colateral até o $uarto -rau. Art. 13. Salvo por e i-&ncia médica, é de%eso o ato de disposição do pr(prio corpo, $uando importar diminuição permanente da inte-ridade %0sica, ou contrariar os bons costumes. .ar'-ra%o /nico. < ato previsto neste arti-o ser' admitido para %ins de transplante, na %orma estabelecida em lei especial. Art. 1). = v'lida, com ob3etivo cient0%ico, ou altru0stico, a disposição -ratuita do pr(prio corpo, no todo ou em parte, para depois da morte. .ar'-ra%o /nico. < ato de disposição pode ser livremente revo-ado a $ual$uer tempo. Art. 11. >in-uém pode ser constran-ido a submeter#se, com risco de vida, a tratamento médico ou a intervenção cir/r-ica. Art. 14. Toda pessoa tem direito ao nome, nele compreendidos o prenome e o sobrenome. Art. 15. < nome da pessoa não pode ser empre-ado por outrem em publicações ou representações $ue a e pon+am ao desprezo p/blico, ainda $uando não +a3a intenção di%amat(ria. Art. 16. Sem autorização, não se pode usar o nome al+eio em propa-anda comercial. Art. 17. < pseud;nimo adotado para atividades l0citas -oza da proteção $ue se d' ao nome. Art. 28. Salvo se autorizadas, ou se necess'rias * administração da 3ustiça ou * manutenção da ordem p/blica, a divul-ação de escritos, a transmissão da palavra, ou a publicação, a e posição ou a utilização da ima-em de uma pessoa poderão ser proibidas, a seu re$uerimento e sem pre3u0zo da indenização $ue couber, se l+e atin-irem a +onra, a boa %ama ou a respeitabilidade, ou se se destinarem a %ins comerciais. .ar'-ra%o /nico. :m se tratando de morto ou de ausente, são partes le-0timas para re$uerer essa proteção o c;n3u-e, os ascendentes ou os descendentes. Art. 21. A vida privada da pessoa natural é inviol'vel, e o 3uiz, a re$uerimento do interessado, adotar' as provid&ncias necess'rias para impedir ou %azer cessar ato contr'rio a esta norma.
CAP%T&L" III #A A&$0NCIA $eç1o I #a Curadoria dos 2ens do Ausente

Art. 22. ?esaparecendo uma pessoa do seu domic0lio sem dela +aver not0cia, se não +ouver dei ado representante ou procurador a $uem caiba administrar#l+e os bens, o 3uiz, a re$uerimento de $ual$uer interessado ou do @inistério ./blico, declarar' a aus&ncia, e nomear#l+e#' curador. Art. 23. Também se declarar' a aus&ncia, e se nomear' curador, $uando o ausente dei ar mandat'rio $ue não $ueira ou não possa e ercer ou continuar o mandato, ou se os seus poderes %orem insu%icientes. Art. 2). < 3uiz, $ue nomear o curador, %i ar#l+e#' os poderes e obri-ações, con%orme as circunstAncias, observando, no $ue %or aplic'vel, o disposto a respeito dos tutores e curadores. Art. 21. < c;n3u-e do ausente, sempre $ue não este3a separado 3udicialmente, ou de %ato por mais de dois anos antes da declaração da aus&ncia, ser' o seu le-0timo curador. B 1o :m %alta do c;n3u-e, a curadoria dos bens do ausente incumbe aos pais ou aos descendentes, nesta ordem, não +avendo impedimento $ue os iniba de e ercer o car-o. B 2o :ntre os descendentes, os mais pr( imos precedem os mais remotos. B 3o >a %alta das pessoas mencionadas, compete ao 3uiz a escol+a do curador.
$eç1o II #a $ucess1o Provisória

Art. 24. ?ecorrido um ano da arrecadação dos bens do ausente, ou, se ele dei ou representante ou procurador, em se passando tr&s anos, poderão os interessados re$uerer $ue se declare a aus&ncia e se abra provisoriamente a sucessão. Art. 25. .ara o e%eito previsto no arti-o anterior, somente se consideram interessados! " # o c;n3u-e não separado 3udicialmente; "" # os +erdeiros presumidos, le-0timos ou testament'rios; """ # os $ue tiverem sobre os bens do ausente direito dependente de sua morte; ", # os credores de obri-ações vencidas e não pa-as. Art. 26. A sentença $ue determinar a abertura da sucessão provis(ria s( produzir' e%eito cento e oitenta dias depois de publicada pela imprensa; mas, lo-o $ue passe em 3ul-ado, proceder#se#' * abertura do testamento, se +ouver, e ao invent'rio e partil+a dos bens, como se o ausente %osse %alecido. B 1o 9indo o prazo a $ue se re%ere o art. 24, e não +avendo interessados na sucessão provis(ria, cumpre ao @inistério ./blico re$uer&#la ao 3u0zo competente. B 2o >ão comparecendo +erdeiro ou interessado para re$uerer o invent'rio até trinta dias depois de passar em 3ul-ado a sentença $ue mandar abrir a sucessão provis(ria, proceder#se#' * arrecadação dos bens do ausente pela %orma estabelecida nos arts. 1.617 a 1.623. Art. 27. Antes da partil+a, o 3uiz, $uando 3ul-ar conveniente, ordenar' a conversão dos bens m(veis, su3eitos a deterioração ou a e travio, em im(veis ou em t0tulos -arantidos pela Cnião.

$ue o eram *$uele tempo. da posse provis(ria poder'. os sub#ro-ados em seu lu-ar. os sucessores provis(rios %icarão representando ativa e passivamente o ausente. 35. B 2o <s ascendentes. se-undo o art. depois de estabelecida a posse provis(ria. ascendente ou c. 34. 27.n3u-e $ue %or sucessor provis(rio do ausente. e $ue de cinco datam as /ltimas not0cias dele. . 38. 36. cessarão para lo-o as vanta-ens dos sucessores nela imitidos. provando#se $ue o ausente conta oitenta anos de idade. até a entre-a dos bens a seu dono. Art. Art. independentemente de -arantia. mantendo#se os bens $ue l+e deviam caber sob a administração do curador. darão -arantias da restituição deles. 37. em %avor do sucessor. sua parte nos %rutos e rendimentos. <s +erdeiros. 31./blico. . B 1o A$uele $ue tiver direito * posse provis(ria. perder' ele. :mpossados nos bens. não sendo por desapropriação. aberta a sucessão em %avor dos +erdeiros. obri-ados a tomar as medidas assecurat(rias precisas. e %icar provado $ue a aus&ncia %oi volunt'ria e in3usti%icada. e prestar anualmente contas ao 3uiz competente. 3). poderão. ou +ipotecar. deverão capitalizar metade desses %rutos e rendimentos. 32. $uando o ordene o 3uiz. Se durante a posse provis(ria se provar a época e ata do %alecimento do ausente. para se imitirem na posse dos bens do ausente. se-undo o disposto no art. a$uele ou estes +averão s( os bens e istentes no estado em $ue se ac+arem. poderão os interessados re$uerer a sucessão de%initiva e o levantamento das cauções prestadas. de modo $ue contra eles correrão as ações pendentes e as $ue de %uturo *$uele %orem movidas. %ar' seus todos os %rutos e rendimentos dos bens $ue a este couberem. Art. 3usti%icando %alta de meios. mas não puder prestar a -arantia e i-ida neste arti-o. <s im(veis do ausente s( se poderão alienar. ?ez anos depois de passada em 3ul-ado a sentença $ue concede a abertura da sucessão provis(ria. ou se l+e provar a e ist&ncia. mediante pen+ores ou +ipotecas e$uivalentes aos $uin+ões respectivos. considerar#se# '. < descendente. 31. < e clu0do. porém. Se o ausente aparecer.n3u-e. para l+es evitar a ru0na. Art. de acordo com o representante do @inistério . Art. nessa data. os descendentes e o c. ou de outro +erdeiro desi-nado pelo 3uiz. ou al-um de seus descendentes ou ascendentes.ode#se re$uerer a sucessão de%initiva. 33. De-ressando o ausente nos dez anos se-uintes * abertura da sucessão de%initiva. Art. . re$uerer l+e se3a entre-ue metade dos rendimentos do $uin+ão $ue l+e tocaria. Se o ausente aparecer. ser' e clu0do.ar'-ra%o /nico. Art. %icando. ou o preço $ue os +erdeiros e demais interessados +ouverem recebido pelos bens alienados depois da$uele tempo. e $ue preste essa -arantia. os outros sucessores. Art. todavia. $eç1o III #a $ucess1o #e3initiva Art.Art. entrar na posse dos bens do ausente. também. 38. uma vez provada a sua $ualidade de +erdeiros.

)). nos dez anos a $ue se re%ere este arti-o.12. )3.12. no $ue couber. culpa ou dolo. pelas normas deste 2(di-o. T%T&L" II #A$ PE$$"A$ 4&R%#ICA$ CAP%T&L" I #I$P"$I56E$ ERAI$ Art. inclusive as associações p/blicas. as pessoas 3ur0dicas de direito p/blico. de 22. o ?istrito 9ederal e os Territ(rios. de 2811H '!ig9ncia/ .ar'-ra%o /nico. de 22. # as or-anizações reli-iosas. )8. por parte destes.2883H .))1. Se. São pessoas 3ur0dicas de direito p/blico e terno os :stados estran-eiros e todas as pessoas $ue %orem re-idas pelo direito internacional p/blico. se localizados nas respectivas circunscrições. ". São pessoas 3ur0dicas de direito privado! " # as associações. As pessoas 3ur0dicas de direito p/blico interno são civilmente respons'veis por atos dos seus a-entes $ue nessa $ualidade causem danos a terceiros. )2.. """ # os @unic0pios. ressalvado direito re-ressivo contra os causadores do dano. ". EDedação dada pela Fei nG 11. os bens arrecadados passarão ao dom0nio do @unic0pio ou do ?istrito 9ederal. """ # as %undações. interno ou e terno. E"nclu0do pela Fei nG 12.621. de 2881H . Salvo disposição em contr'rio.ar'-ra%o /nico.621. Art.185. )1. e de direito privado. "" # as sociedades. $uando situados em territ(rio %ederal. Art. incorporando#se ao dom0nio da Cnião. a $ue se ten+a dado estrutura de direito privado. o ausente não re-ressar. .2883H !I 7 as e8(resas individuais de res(onsabilidade li8itada. Art. As pessoas 3ur0dicas são de direito p/blico. re-em#se. São pessoas 3ur0dicas de direito p/blico interno! " # a Cnião. se +ouver. Art. $uanto ao seu %uncionamento. # as autar$uias. e nen+um interessado promover a sucessão de%initiva. "" # os :stados. E"nclu0do pela Fei nG 18. E"nclu0do pela Fei nG 18. # os partidos pol0ticos. # as demais entidades de car'ter p/blico criadas por lei.

621. as decisões se tomarão pela maioria de votos dos presentes. $uando violarem a lei ou estatuto. averbando#se no re-istro todas as alterações por $ue passar o ato constitutivo.oder : ecutivo. Art. de 22. por de%eito do ato respectivo. ?ecai em tr&s anos o direito de anular as decisões a $ue se re%ere este arti-o. 3udicial e e tra3udicialmente." # as condições de e tinção da pessoa 3ur0dica e o destino do seu patrim.ar'-ra%o /nico. ela subsistir' para os %ins de li$uidação. precedida. )6. dolo. # se o ato constitutivo é re%orm'vel no tocante * administração.12. simulação ou %raude. . "" # o nome e a individualização dos %undadores ou instituidores. ativa e passivamente. E"nclu0do pela Fei nG 18. a estruturação interna e o %uncionamento das or-anizações reli-iosas. E"nclu0do pela Fei nG 18.2883H B 2o As disposições concernentes *s associações aplicam#se subsidiariamente *s sociedades $ue são ob3eto do Fivro "" da . ?ecai em tr&s anos o direito de anular a constituição das pessoas 3ur0dicas de direito privado. ". $uando necess'rio.arte :special deste 2(di-o. nesse caso. e dos diretores. $uando +ouver. 11. a re$uerimento da parte. Se a pessoa 3ur0dica tiver administração coletiva. Art. E"nclu0do pela Fei nG 18. :m caso de abuso da personalidade 3ur0dica. pelas obri-ações sociais. Art. """ # o modo por $ue se administra e representa. )5. < re-istro declarar'! " # a denominação. o tempo de duração e o %undo social. ou %orem eivadas de erro. de 22. subsidiariamente./blico $uando l+e couber intervir no processo. até $ue esta se conclua. Art. os %ins. 2omeça a e ist&ncia le-al das pessoas 3ur0dicas de direito privado com a inscrição do ato constitutivo no respectivo re-istro. e de $ue modo. . . .2883H B 3o <s partidos pol0ticos serão or-anizados e %uncionarão con%orme o disposto em lei espec0%ica. Se a administração da pessoa 3ur0dica vier a %altar. ou pela con%usão patrimonial. nomear#l+e#' administrador provis(rio. caracterizado pelo desvio de %inalidade.nio. a or-anização. )4.B 1o São livres a criação. >os casos de dissolução da pessoa 3ur0dica ou cassada a autorização para seu %uncionamento. Art. Art. a sede.2883H Art. )1. ou do @inistério . pode o 3uiz decidir. $ue os e%eitos de certas e determinadas relações de obri-ações se3am estendidos aos bens particulares dos administradores ou s(cios da pessoa 3ur0dica.621.621. de autorização ou aprovação do . 18. ou não.ar'-ra%o /nico. de 22.12. )7. <bri-am a pessoa 3ur0dica os atos dos administradores. sendo vedado ao poder p/blico ne-ar#l+es recon+ecimento ou re-istro dos atos constitutivos e necess'rios ao seu %uncionamento.12. e ercidos nos limites de seus poderes de%inidos no ato constitutivo. # se os membros respondem. salvo se o ato constitutivo dispuser de modo diverso. . contado o prazo da publicação de sua inscrição no re-istro. a re$uerimento de $ual$uer interessado. o 3uiz.

B 3o :ncerrada a li$uidação.assi8 reconAecida e8 (rocedi8ento que assegure direito de de3esa e de recurso.de +. 'Redaç1o dada (ela Lei n) **. o estatuto das associações conter'! " # a denominação. na atribuição da $ualidade de associado ao ad$uirente ou ao +erdeiro. 'Redaç1o dada (ela Lei n) **. !II : a 3or8a de gest1o ad8inistrativa e de a(rovaç1o das res(ectivas contas. A $ualidade de associado é intransmiss0vel. promover#se#' o cancelamento da inscrição da pessoa 3ur0dica.de +.*+<. 2onstituem#se as associações pela união de pessoas $ue se or-anizem para %ins não econ. Se o associado %or titular de $uota ou %ração ideal do patrim. se o estatuto não dispuser o contr'rio. a proteção dos direitos da personalidade.micos. ".de +. mas o estatuto poder' instituir cate-orias com vanta-ens especiais. # as %ontes de recursos para sua manutenção. A e?clus1o do associado só @ ad8iss>vel Aavendo Busta causa.nio da associação. *s demais pessoas 3ur0dicas de direito privado. a trans%er&ncia da$uela não importar'.=/ Art.de +.. <s associados devem ter i-uais direitos. CAP%T&L" II #A$ A$$"CIA56E$ Art.ar'-ra%o /nico. 11. 16. 1). a averbação de sua dissolução.=/ Art. os %ins e a sede da associação.'Revogado (ela Lei n) **. .*+<. salvo disposição diversa do estatuto. direitos e obri-ações rec0procos. de per si. Sob pena de nulidade. a não ser nos casos e pela %orma previstos na lei ou no estatuto.*+<. B 2o As disposições para a li$uidação das sociedades aplicam#se. >en+um associado poder' ser impedido de e ercer direito ou %unção $ue l+e ten+a sido le-itimamente con%erido. entre os associados. 13. no $ue couber. no re-istro onde a pessoa 3ur0dica estiver inscrita. .." # as condições para a alteração das disposições estatut'rias e para a dissolução. "" # os re$uisitos para a admissão. =<. >ão +'. 'Inclu>do (ela Lei n) **. Art. 12.B 1o 9ar#se#'.*+<. Art. no $ue couber. demissão e e clusão dos associados.ar'-ra%o /nico. Art..=/ ParCgra3o Dnico.=/ .nos ter8os (revistos no estatuto. 14. . Art.. Aplica#se *s pessoas 3ur0dicas. ! : o 8odo de constituiç1o e de 3unciona8ento dos órg1os deliberativos. """ # os direitos e deveres dos associados.

* instituição municipal. do ?istrito 9ederal ou da Cnião. 41. receber em restituição.*+<. se de outro modo não dispuser o instituidor. . incorporados em outra %undação $ue se propon+a a %im i-ual ou semel+ante. o $ue remanescer do seu patrim.be8 co8o os crit@rios de eleiç1o dos ad8inistradores. 'Redaç1o dada (ela Lei n) **. .=/ ParCgra3o Dnico. 42H. ou outro direito real.nio se devolver' * 9azenda do :stado. de %ins id&nticos ou semel+antes. Para as deliberaçFes a que se re3ere8 os incisos I e II deste artigo @ e?igido deliberaç1o da asse8bl@ia es(ecial8ente convocada (ara esse 3i8. depois de deduzidas. o instituidor é obri-ado a trans%erir#l+e a propriedade.=/ I : destituir os ad8inistradores. antes da destinação do remanescente re%erida neste arti-o. com recurso ao 3uiz./blico.ar'-ra%o /nico. 'Redaç1o dada (ela Lei n) **..*+<. B 2o >ão e istindo no @unic0pio.. no ?istrito 9ederal ou no Territ(rio. 44.nio da associação.de +.=/ II : alterar o estatuto. omisso este. Art. e. . 'Redaç1o dada (ela Lei n) **. .cuBo quoru8 serC o estabelecido no estatuto.elar' pelas %undações o @inistério . a incumb&ncia caber' ao @inistério .de +.nio. Se o estatuto não %or elaborado no prazo assinado pelo instituidor. ?issolvida a associação. por deliberação dos associados. no :stado.Art. 'Redaç1o dada (ela Lei n) **.de +. especi%icando o %im a $ue se destina. se não o %izer. em tendo ci&ncia do encar-o. 4). por mandado 3udicial.. as $uotas ou %rações ideais re%eridas no par'-ra%o /nico do art.*+<. A convocaç1o dos órg1os deliberativos 3ar7se7C na 3or8a do estatuto.*+<. de acordo com as suas bases Eart.ar'-ra%o /nico. a maneira de administr'#la. %ormularão lo-o.or cl'usula do estatuto ou. instituição nas condições indicadas neste arti-o. B 1o . em nome dela.. em $ue a associação tiver sede. =. submetendo#o. em cento e oitenta dias. ser' destinado * entidade de %ins não econ. o estatuto da %undação pro3etada. serão re-istrados. CAP%T&L" III #A$ F&N#A56E$ Art.ara criar uma %undação. não +avendo prazo. dotação especial de bens livres. ou.de +. morais. G.micos desi-nada no estatuto. Art. Co8(ete (rivativa8ente E asse8bl@ia geral: 'Redaç1o dada (ela Lei n) **. Art. A %undação somente poder' constituir#se para %ins reli-iosos. Iuando insu%icientes para constituir a %undação. em se-uida. . por deliberação dos associados. * aprovação da autoridade competente. e declarando. as contribuições $ue tiverem prestado ao patrim.*+<.. se $uiser. no seu sil&ncio. estadual ou %ederal.garantido a *H= 'u8 quinto/ dos associados o direito de (ro8ov97la. 42.. o remanescente do seu patrim. ou. os bens a ela destinados serão. culturais ou de assist&ncia.de +. A$ueles a $uem o instituidor cometer a aplicação do patrim. 43.=/ Art. podem estes. 2onstitu0da a %undação por ne-(cio 3ur0dico entre vivos. o seu instituidor %ar'. se %or o caso. atualizado o respectivo valor. Art. por escritura p/blica ou testamento. 14.. sobre os bens dotados.nio l0$uido./blico do :stado onde situadas. 41.=/ Art.

Art. E. 53. Art. caso este a dene-ue. Art. l+e promover' a e tinção. "" # não contrarie ou desvirtue o %im desta. = também domic0lio da pessoa natural. """ # se3a aprovada pelo (r-ão do @inistério . $ue não ten+a resid&ncia +abitual. o (r-ão do @inistério . com a intenção mani%esta de o mudar.B 1o Se %uncionarem no ?istrito 9ederal. Iuando a alteração não +ouver sido aprovada por votação unAnime. . ou $ual$uer interessado. poder' o 3uiz supri#la. < domic0lio da pessoa natural é o lu-ar onde ela estabelece a sua resid&ncia com Animo de%initivo. @uda#se o domic0lio. 47. com as circunstAncias $ue a acompan+arem. ou em Territ(rio./blico. se $uiser. caber' o encar-o. onde. $ue dei a. Art. Art.ide A?"> nG 2. viva. da pr(pria mudança. ou vencido o prazo de sua e ist&ncia. T%T&L" III #o #o8ic>lio Art. os administradores da %undação. em dez dias. Art. Art. ou no estatuto. re$uererão $ue se d& ci&ncia * minoria vencida para impu-n'#la. o lu-ar onde %or encontrada. e para onde vai.nio. 51.ara $ue se possa alterar o estatuto da %undação é mister $ue a re%orma! " # se3a deliberada por dois terços dos competentes para -erir e representar a %undação. alternadamente. considerar# se#' domic0lio seu $ual$uer delas. 5)./blico.ar'-ra%o /nico. Iuanto *s pessoas 3ur0dicas. imposs0vel ou in/til a %inalidade a $ue visa a %undação. se tais declarações não %izer. trans%erindo a resid&ncia. ou. A prova da intenção resultar' do $ue declarar a pessoa *s municipalidades dos lu-ares. . Se. ao respectivo @inistério . a pessoa natural tiver diversas resid&ncias. em cada um deles. 51. 52. Tornando#se il0cita.57)#6H B 2o Se estenderem a atividade por mais de um :stado. cada um deles constituir' domic0lio para as relações $ue l+e corresponderem. salvo disposição em contr'rio no ato constitutivo. ao submeterem o estatuto ao (r-ão do @inistério . 58. 45. Ter#se#' por domic0lio da pessoa natural. $ue se propon+a a %im i-ual ou semel+ante./blico 9ederal. 46. o domic0lio é! . o lu-ar onde esta é e ercida. Se a pessoa e ercitar pro%issão em lu-ares diversos./blico. desi-nada pelo 3uiz. a re$uerimento do interessado. porém. incorporando#se o seu patrim. Art. em outra %undação. e. caber' o encar-o ao @inistério . .ar'-ra%o /nico./blico. $uanto *s relações concernentes * pro%issão.

e. T&m domic0lio necess'rio o incapaz. "" # o direito * sucessão aberta. . < a-ente diplom'tico do Jrasil. 2onsideram#se im(veis para os e%eitos le-ais! " # os direitos reais sobre im(veis e as ações $ue os asse-uram. o mar0timo e o preso. o do mar0timo. ". 57. poder' ser demandado no ?istrito 9ederal ou no /ltimo ponto do territ(rio brasileiro onde o teve. "" # dos :stados e Territ(rios. Art. o lu-ar em $ue cumprir a sentença. 56. B 1o Tendo a pessoa 3ur0dica diversos estabelecimentos em lu-ares di%erentes. o militar. >os contratos escritos. 54. o lu-ar em $ue e ercer permanentemente suas %unções. """ # do @unic0pio. e o do preso. 68. B 2o Se a administração. ou diretoria. no tocante *s obri-ações contra0das por cada uma das suas a-&ncias. o do servidor p/blico. no pa0s. as respectivas capitais. poderão os contratantes especi%icar domic0lio onde se e ercitem e cumpram os direitos e obri-ações deles resultantes. o seu domic0lio. onde o navio estiver matriculado. o lu-ar onde %uncionarem as respectivas diretorias e administrações. tiver a sede no estran-eiro." # da Cnião. $ue. o servidor p/blico. >ão perdem o car'ter de im(veis! . sendo da @arin+a ou da Aeron'utica. Art. +aver#se#' por domic0lio da pessoa 3ur0dica. onde servir. Art. ou onde ele-erem domic0lio especial no seu estatuto ou atos constitutivos. o lu-ar do estabelecimento. o lu-ar onde %uncione a administração municipal. ale-ar e traterritorialidade sem desi-nar onde tem. o ?istrito 9ederal. a $ue ela corresponder.ar'-ra%o /nico. Art. citado no estran-eiro. # das demais pessoas 3ur0dicas. sito no Jrasil. 55. o do militar. cada um deles ser' considerado domic0lio para os atos nele praticados. < domic0lio do incapaz é o do seu representante ou assistente. Art. 61. LI!R" II #"$ 2EN$ T%T&L" INIC" #as #i3erentes Classes de 2ens CAP%T&L" I #os 2ens Considerados e8 $i Jes8os $eç1o I #os 2ens I8óveis Art. São bens im(veis o solo e tudo $uanto se l+e incorporar natural ou arti%icialmente. a sede do comando a $ue se encontrar imediatamente subordinado.

inde(endente8ente dos de8ais. read$uirem essa $ualidade os provenientes da demolição de al-um prédio.de u8a (essoa. 63. Art.(ertinentes E 8es8a (essoatenAa8 destinaç1o unitCria. 64. <s materiais destinados a al-uma construção. "" # os materiais provisoriamente separados de um prédio. 2onsideram#se m(veis para os e%eitos le-ais! " # as ener-ias $ue ten+am valor econ.. sem alteração da substAncia ou da destinação econ. 66. Art.se considera8 de per si. 62. São m(veis os bens suscet0veis de movimento pr(prio. Art. . <s bens naturalmente divis0veis podem tornar#se indivis0veis por determinação da lei ou por vontade das partes. Art. ou de remoção por %orça al+eia. K. $eç1o III #os 2ens Fung>veis e Consu8>veis Art.dotadas de valor econL8ico. Art. $ualidade e $uantidade. $eç1o II #os 2ens Jóveis Art. 61. $eç1o ! #os 2ens $ingulares e Coletivos Art. mas conservando a sua unidade. ParCgra3o Dnico. São consum0veis os bens m(veis cu3o uso importa destruição imediata da pr(pria substAncia. ou pre3u0zo do uso a $ue se destinam.. São %un-0veis os m(veis $ue podem substituir#se por outros da mesma espécie. $1o singulares os bens que." # as edi%icações $ue. para nele se reempre-arem.e8bora reunidos. Constitui universalidade de 3ato a (luralidade de bens singulares que. """ # os direitos pessoais de car'ter patrimonial e respectivas ações. "" # os direitos reais sobre ob3etos m(veis e as ações correspondentes.mico. 6). .mico#social. $eç1o I! #os 2ens #ivis>veis Art. . 65.. en$uanto não %orem empre-ados. "s bens que 3or8a8 essa universalidade (ode8 ser obBeto de relaçFes Bur>dicas (ró(rias. conservam sua $ualidade de m(veis. Art.*. separadas do solo. sendo também considerados tais os destinados * alienação. Constitui universalidade de direito o co8(le?o de relaçFes Bur>dicas. Jens divis0veis são os $ue se podem %racionar sem alteração na sua substAncia. %orem removidas para outro local. diminuição consider'vel de valor.

Q *o $1o volu(tuCrias as de 8ero deleite ou recreio.CAP%T&L" II #os 2ens Reci(roca8ente Considerados Art. Art.salvo se o contrCrio resultar da lei.na 3or8a que a lei deter8inar.estadual.se destina8. Art.da 8ani3estaç1o de vontade.ao serviço ou ao a3or8osea8ento de outro. .ou real. .de 8odo duradouro.seBa qual 3or a (essoa a que (ertencere8. . "s bens (Dblicos n1o est1o suBeitos a usuca(i1o.8ares. Art. $1o bens (Dblicos: I 7 os de uso co8u8 do (ovo. Art. Art. todos os outros s1o (articulares.con3or8e 3or estabelecido legal8ente (ela entidade a cuBa ad8inistraç1o (ertencere8.. "s bens (Dblicos do8inicais (ode8 ser alienados. N1o se considera8 ben3eitorias os 8elAora8entos ou acr@sci8os sobrevindos ao be8 se8 a intervenç1o do (ro(rietCrio.ruas e (raças. .+. *. "s negócios Bur>dicos que diOe8 res(eito ao be8 (rinci(al n1o abrange8 as (ertenças. .co8o obBeto de direito (essoal.considera87se do8inicais os bens (ertencentes Es (essoas Bur>dicas de direito (Dblico a que se tenAa dado estrutura de direito (rivado.(ossuidor ou detentor.tais co8o rios. ParCgra3o Dnico. III 7 os do8inicais. *.os 3rutos e (rodutos (ode8 ser obBeto de negócio Bur>dico.n1o constituindo (artes integrantes.que n1o au8enta8 o uso Aabitual do be8.N.abstrata ou concreta8ente.+.territorial ou 8unici(al. N1o dis(ondo a lei e8 contrCrio. Art. "s bens (Dblicos de uso co8u8 do (ovo e os de uso es(ecial s1o inalienCveis..observadas as e?ig9ncias da lei. *. Q Mo $1o necessCrias as que t98 (or 3i8 conservar o be8 ou evitar que se deteriore. CAP%T&L" III #os 2ens PDblicos Art.inclusive os de suas autarquias.K. $1o (ertenças os bens que.ou das circunstPncias do caso.Dteis ou necessCrias. Q +o $1o Dteis as que au8enta8 ou 3acilita8 o uso do be8. $1o (Dblicos os bens do do8>nio nacional (ertencentes Es (essoas Bur>dicas de direito (Dblico interno. Art.aquele cuBa e?ist9ncia su(Fe a do (rinci(al. II 7 os de uso es(ecial. A(esar de ainda n1o se(arados do be8 (rinci(al. . *. Art. . " uso co8u8 dos bens (Dblicos (ode ser gratuito ou retribu>do.*. Art.<..ao uso. Art.=. Princi(al @ o be8 que e?iste sobre si.de cada u8a dessas entidades. .M. As ben3eitorias (ode8 ser volu(tuCrias.ainda que o torne8 8ais agradCvel ou seBa8 de elevado valor.estradas.tais co8o edi3>cios ou terrenos destinados a serviço ou estabeleci8ento da ad8inistraç1o 3ederal..M.G.enquanto conservare8 a sua quali3icaç1o. . acessório.que constitue8 o (atri8Lnio das (essoas Bur>dicas de direito (Dblico.

nos li8ites de seus (oderes. Art. A inca(acidade relativa de u8a das (artes n1o (ode ser invocada (ela outra e8 bene3>cio (ró(rio.neste caso.K. A 8ani3estaç1o de vontade (elo re(resentante. A validade da declaraç1o de vontade n1o de(enderC de 3or8a es(ecial. N1o dis(ondo a lei e8 contrCrio. "s negócios Bur>dicos ben@3icos e a renDncia inter(reta87se estrita8ente.ne8 a(roveita aos co7interessados ca(aOes. **. **+. *. III 7 3or8a (rescrita ou n1o de3esa e8 lei. " sil9ncio i8(orta anu9ncia. A validade do negócio Bur>dico requer: I 7 agente ca(aO.8odi3icaç1o ou renDncia de direitos reais sobre i8óveis de valor su(erior a trinta veOes o 8aior salCrio 8>ni8o vigente no Pa>s.LI!R" III #os Fatos 4ur>dicos T%T&L" I #o Negócio 4ur>dico CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art. A i8(ossibilidade inicial do obBeto n1o invalida o negócio Bur>dico se 3or relativa. .deter8inado ou deter8inCvel.salvo se dela o destinatCrio tinAa conAeci8ento. **N. *. Art. Nas declaraçFes de vontade se atenderC 8ais E intenç1o nelas consubstanciada do que ao sentido literal da linguage8. **=. Art.ou se cessar antes de realiOada a condiç1o a que ele estiver subordinado. Art.(roduO e3eitos e8 relaç1o ao re(resentado. Art. Art. A 8ani3estaç1o de vontade subsiste ainda que o seu autor AaBa 3eito a reserva 8ental de n1o querer o que 8ani3estou.=.<. Art.G.salvo se. *. **M. Art. *.a escritura (Dblica @ essencial E validade dos negócios Bur>dicos que vise8 E constituiç1o.trans3er9ncia. Art. "s negócios Bur>dicos deve8 ser inter(retados con3or8e a boa73@ e os usos do lugar de sua celebraç1o. CAP%T&L" II #a Re(resentaç1o Art. "s (oderes de re(resentaç1o con3ere87se (or lei ou (elo interessado..e n1o 3or necessCria a declaraç1o de vontade e?(ressa.3or indivis>vel o obBeto do direito ou da obrigaç1o co8u8.quando as circunstPncias ou os usos o autoriOare8. *.. II 7 obBeto l>cito.(oss>vel.. Art. Art. *.este @ da substPncia do ato. ***. **G.N.sen1o quando a lei e?(ressa8ente a e?igir. No negócio Bur>dico celebrado co8 a clCusula de n1o valer se8 instru8ento (Dblico.

*++.(endente esta. Art.Art.a que ele visa.subordina o e3eito do negócio Bur>dico a evento 3uturo e incerto.@ anulCvel o negócio Bur>dico que o re(resentante.derivando e?clusiva8ente da vontade das (artes.se tal 3ato era ou devia ser do conAeci8ento de que8 co8 aquele tratou. $1o l>citas.. III 7 as condiçFes inco8(reens>veis ou contraditórias.todas as condiçFes n1o contrCrias E lei. Art.quando resolutivas.ou de 3aOer coisa il>cita.a sua realiOaç1o.co8 que8 tratar e8 no8e do re(resentado. " re(resentante @ obrigado a (rovar Es (essoas.e8 geral. *+<. Art.E orde8 (Dblica ou aos bons costu8es.(ara todos os e3eitos.celebrar consigo 8es8o. CAP%T&L" III #a Condiç1o. 8asse a(osta a u8 negócio de e?ecuç1o continuada ou (eriódica. Art. ParCgra3o Dnico. . R de cento e oitenta dias. T987se (or ine?istentes as condiçFes i8(oss>veis.3iOer quanto Equela novas dis(osiçFes.do Ter8o e do Encargo Art. **<. Art. Invalida8 os negócios Bur>dicos que lAes s1o subordinados: I 7 as condiçFes 3>sica ou Buridica8ente i8(oss>veis. *+K. *+*.realiOada a condiç1o.desde que co8(at>veis co8 a natureOa da condiç1o (endente e con3or8e aos dita8es de boa73@.salvo dis(osiç1o e8 contrCrion1o te8 e3icCcia quanto aos atos BC (raticados.ou o suBeitare8 ao (uro arb>trio de u8a das (artes.sob (ena de.vigorarC o negócio Bur>dico.enquanto esta se n1o veri3icarn1o se terC adquirido o direito. "s requisitos e os e3eitos da re(resentaç1o legal s1o os estabelecidos nas nor8as res(ectivas.quando sus(ensivas.. *+M.te87se co8o celebrado (elo re(resentante o negócio realiOado (or aquele e8 que8 os (oderes Aouvere8 sido subestabelecidos.no seu interesse ou (or conta de outre8. $alvo se o (er8itir a lei ou o re(resentado. *+. entre as condiçFes de3esas se inclue8 as que (rivare8 de todo e3eito o negócio Bur>dico.res(onder (elos atos que a estes e?cedere8.o direito a que ela se o(Fe. ParCgra3o Dnico.(odendo e?ercer7se desde a conclus1o deste o direito (or ele estabelecido. *+G. **. $e 3or resolutiva a condiç1o.e as de n1o 3aOer coisa i8(oss>vel.se co8 ela 3ore8 inco8(at>veis. R anulCvel o negócio conclu>do (elo re(resentante e8 con3lito de interesses co8 o re(resentado. os da re(resentaç1o voluntCria s1o os da Parte Es(ecial deste Código.o (raOo de decad9ncia (ara (leitear7se a anulaç1o (revista neste artigo. $ubordinando7se a e3icCcia do negócio Bur>dico E condiç1o sus(ensiva. II 7 as condiçFes il>citas.a sua qualidade e a e?tens1o de seus (oderes. Considera7se condiç1o a clCusula que.a contar da conclus1o do negócio ou da cessaç1o da inca(acidade. Art.enquanto esta se n1o realiOar. Art.n1o o 3aOendo.e. Art. **K. Art.estas n1o ter1o valor. $e algu@8 dis(user de u8a coisa sob condiç1o sus(ensiva. $obrevindo a condiç1o resolutiva. *+N. *+=. Para esse e3eito. Art.e?tingue7se.

Art. *M. Art. CAP%T&L" I! #os #e3eitos do Negócio 4ur>dico $eç1o I #o Erro ou IgnorPncia Art. Q No "s (raOos 3i?ados (or Aora contar7se71o de 8inuto a 8inuto.se do teor do instru8ento. *M*.ou no i8ediato..nos contratos. *M<.(elo dis(onente.3or o 8otivo Dnico ou (rinci(al do negócio Bur>dico.resultar que se estabeleceu a bene3>cio do credor. *+.e?clu>do o dia do co8eço.n1o veri3icada a condiç1o 8aliciosa8ente levada a e3eito (or aquele a que8 a(roveita o seu i8(le8ento. *M..co8(uta87se os (raOos.quanto aos e3eitos Bur>dicos. .se8 (raOo. *MK. Art. Art.ao obBeto (rinci(al da declaraç1o. Nos testa8entos. II 7 concerne E identidade ou E qualidade essencial da (essoa a que8 se re3ira a declaraç1o de vontade. " encargo n1o sus(ende a aquisiç1o ne8 o e?erc>cio do direito.as dis(osiçFes relativas E condiç1o sus(ensiva e resolutiva.Art.@ (er8itido (raticar os atos destinados a conservC7lo. *MG.quanto a esses. $alvo dis(osiç1o legal ou convencional e8 contrCrio..considerando7se.quando as declaraçFes de vontade e8anare8 de erro substancial que (oderia ser (ercebido (or (essoa de dilig9ncia nor8al. Art. Q +o Jeado considera7se.se 3altar e?ata corres(ond9ncia.salvo se a e?ecuç1o tiver de ser 3eita e8 lugar diverso ou de(ender de te8(o.e. Ao titular do direito eventual.(resu8e7se o (raOo e8 3avor do Aerdeiro.e8 (roveito do devedorsalvo.e8 3ace das circunstPncias do negócio.nos casos de condiç1o sus(ensiva ou resolutiva.ao contrCrio. Art.co8o condiç1o sus(ensiva. Art. " ter8o inicial sus(ende o e?erc>cio. $1o anulCveis os negócios Bur>dicos. Q Mo "s (raOos de 8eses e anos e?(ira8 no dia de igual nD8ero do de in>cio.ou de a8bos os contratantes. Q *o $e o dia do venci8ento cair e8 3eriado.salvo quando e?(ressa8ente i8(osto no negócio Bur>dico.ou das circunstPncias. *M+. Art.ou a algu8a das qualidades a ele essenciais.a condiç1o cuBo i8(le8ento 3or 8aliciosa8ente obstado (ela (arte a que8 des3avorecer. Re(uta7se veri3icada. *MN. " erro @ substancial quando: I 7 interessa E natureOa do negócio. Art.s1o e?eqS>veis desde logo.o seu d@ci8o quinto dia.considerar7se7C (rorrogado o (raOo at@ o seguinte dia Dtil. *MM.salvo se constituir o 8otivo deter8inante da liberalidade.8as n1o a aquisiç1o do direito.desde que tenAa in3lu>do nesta de 8odo relevante. *M=.e inclu>do o do venci8ento. Considera7se n1o escrito o encargo il>cito ou i8(oss>vel.no que couber.caso e8 que se invalida o negócio Bur>dico.e8 qualquer 89s. Ao ter8o inicial e 3inal a(lica87se. III 7 sendo de direito e n1o i8(licando recusa E a(licaç1o da lei. "s negócios Bur>dicos entre vivos.

se dela tivesse ou devesse ter conAeci8ento a (arte a que a(roveite.(ara viciar a declaraç1o da vontade. Art. Art.nenAu8a (ode alegC7lo (ara anular o negócio. se. *N+. Art. $1o os negócios Bur>dicos anulCveis (or dolo. Art.se o3erecer (ara e?ecutC7la na con3or8idade da vontade real do 8ani3estante. *N.se a (arte a que8 a(roveite dele tivesse ou devesse ter conAeci8ento.e8bora (or outro 8odo. " dolo do re(resentante legal de u8a das (artes só obriga o re(resentado a res(onder civil8ente at@ a i8(ortPncia do (roveito que teve. Art.o terceiro res(onderC (or todas as (erdas e danos da (arte a que8 ludibriou.(or seu conte?to e (elas circunstPncias. e8 caso contrCrio. Art. " erro de cClculo a(enas autoriOa a reti3icaç1o da declaraç1o de vontade. Art. *=M.quando este 3or a sua causa.E sua 3a8>lia. . Pode ta8b@8 ser anulado o negócio Bur>dico (or dolo de terceiro.n1o viciarC o negócio quando. No a(reciar a coaç1o.o dolo 3or do re(resentante convencional. $eç1o III #a Coaç1o Art. $e a8bas as (artes (rocedere8 co8 dolo. Art.AC de ser tal que incuta ao (aciente 3undado te8or de dano i8inente e considerCvel E sua (essoa.e esta res(onderC solidaria8ente co8 aquele (or (erdas e danos.. *N=.. A coaç1o. *=+. *N<.a seu des(eito.ou aos seus bens.a idade. Art. A trans8iss1o errLnea da vontade (or 8eios inter(ostos @ anulCvel nos 8es8os casos e8 que o @ a declaraç1o direta. *NK. Art.ainda que subsista o negócio Bur>dico. *NN. $eç1o II #o #olo Art.e @ acidental quando.ter7se71o e8 conta o se?o.ne8 o si8(les te8or reverencial.a que se re3erir a declaraç1o de vontade.a saDde.o re(resentado res(onderC solidaria8ente co8 ele (or (erdas e danos.a condiç1o.o te8(era8ento do (aciente e todas as de8ais circunstPncias que (ossa8 in3luir na gravidade dela.o BuiO.decidirC se Aouve coaç1o. *N. *N*.constitui o8iss1o dolosa.o negócio seria realiOado. " erro de indicaç1o da (essoa ou da coisa. N1o se considera coaç1o a a8eaça do e?erc>cio nor8al de u8 direito.co8 base nas circunstPncias.(rovando7se que se8 ela o negócio n1o se teria celebrado.a que8 a 8ani3estaç1o de vontade se dirige. ParCgra3o Dnico. *=*.(or@8. Art. *NG. $e disser res(eito a (essoa n1o (ertencente E 3a8>lia do (aciente.ou recla8ar indeniOaç1o.o sil9ncio intencional de u8a das (artes a res(eito de 3ato ou qualidade que a outra (arte AaBa ignorado. Art. " erro n1o (reBudica a validade do negócio Bur>dico quando a (essoa. " dolo acidental só obriga E satis3aç1o das (erdas e danos.. *NM.Art. Nos negócios Bur>dicos bilaterais. !icia o negócio Bur>dico a coaç1o e?ercida (or terceiro. *=. *=N. " 3also 8otivo só vicia a declaraç1o de vontade quando e?(resso co8o raO1o deter8inante.se (uder identi3icar a coisa ou (essoa cogitada.

Q *o A(recia7se a des(ro(orç1o das (restaçFes segundo os valores vigentes ao te8(o e8 que 3oi celebrado o negócio Bur>dico.co8 a citaç1o de todos os interessados.ou a (essoa de sua 3a8>lia.de grave dano conAecido (ela outra (arte.desobrigar7se7C de(ositando7o e8 Bu>Oo.(re8ido da necessidade de salvar7se.sob (re8ente necessidade. ParCgra3o Dnico. Con3igura7se o estado de (erigo quando algu@8. Art. $er1o igual8ente anulCveis os contratos onerosos do devedor insolvente.que receber do devedor insolvente o (aga8ento da d>vida ainda n1o vencida3icarC obrigado a re(or.se8 que a (arte a que a(roveite dela tivesse ou devesse ter conAeci8ento.quando a insolv9ncia 3or notória. $ubsistirC o negócio Bur>dico.ou (or eles reduOido E insolv9ncia.se 3or o3erecido su(le8ento su3iciente. Tratando7se de (essoa n1o (ertencente E 3a8>lia do declarante. Presu8e87se 3raudatórias dos direitos dos outros credores as garantias de d>vidas que o devedor insolvente tiver dado a algu8 credor.ou se a (arte 3avorecida concordar co8 a reduç1o do (roveito. " credor quirogra3Crio. 8as o autor da coaç1o res(onderC (or todas as (erdas e danos que Aouver causado ao coacto.Art. *GM. Art. Q *o Igual direito assiste aos credores cuBa garantia se tornar insu3iciente.aquilo que recebeu.o corrente.o adquirente. $e o adquirente dos bens do devedor insolvente ainda n1o tiver (ago o (reço e este 3ora(ro?i8ada8ente.assu8e obrigaç1o e?cessiva8ente onerosa.(oder1o ser anulados (elos credores quirogra3Crios.e8 (roveito do acervo sobre que se tenAa de e3etuar o concurso de credores. .se os (raticar o devedor BC insolvente.(oderC de(ositar o (reço que lAes corres(onda ao valor real.nos casos dos arts.ou terceiros adquirentes que AaBa8 (rocedido de 8C73@. $eç1o !I #a Fraude Contra Credores Art.ou (or ine?(eri9ncia. A aç1o. *=G. *==.(ara conservar os bens.ainda quando o ignore. $e in3erior.o BuiO decidirC segundo as circunstPncias.. "s negócios de trans8iss1o gratuita de bens ou re8iss1o de d>vida. *G+. ParCgra3o Dnico. Art. $eç1o I! #o Estado de Perigo Art.(oderC ser intentada contra o devedor insolvente. *=K. Art. *=. Q +o N1o se decretarC a anulaç1o do negócio.se obriga a (restaç1o 8ani3esta8ente des(ro(orcional ao valor da (restaç1o o(osta.ou Aouver 8otivo (ara ser conAecida do outro contratante. $eç1o ! #a Les1o Art. *=<. "corre a les1o quando u8a (essoa. Q +o $ó os credores que BC o era8 ao te8(o daqueles atos (ode8 (leitear a anulaç1o deles. *G.se a coaç1o decorrer de terceiro. *=K e *=. *G*. Art.co8o lesivos dos seus direitos...a (essoa que co8 ele celebrou a esti(ulaç1o considerada 3raudulenta.

subsistirC este quando o 3i8 a que visava8 as (artes (er8itir su(or que o teria8 querido. Art. Art.ou trans8ite8.rural. I! 7 n1o revestir a 3or8a (rescrita e8 lei.8ediante Ai(oteca(enAor ou anticrese. *G=.ou (elo Jinist@rio PDblico. *<*.quando lAe couber intervir. R nulo o negócio Bur>dico quando: I 7 celebrado (or (essoa absoluta8ente inca(aO. As nulidades dos artigos antecedentes (ode8 ser alegadas (or qualquer interessado. II 7 3or il>cito. III 7 os instru8entos (articulares 3ore8 antedatados.co8u8 a a8bas as (artes.se vClido 3or na substPncia e na 3or8a. !I 7 tiver (or obBetivo 3raudar lei i8(erativa. Anulados os negócios 3raudulentos.(or@8. *GK.i8(oss>vel ou indeter8inCvel o seu obBeto. !II 7 a lei ta?ativa8ente o declarar nulo.8as subsistirC o que se dissi8ulou.Art.ainda que a requeri8ento das (artes.3or il>cito. ParCgra3o Dnico. *G.condiç1o ou clCusula n1o verdadeira.sua invalidade i8(ortarC so8ente na anulaç1o da (re3er9ncia aBustada. Al@8 dos casos e?(ressa8ente declarados na lei.quando conAecer do negócio Bur>dico ou dos seus e3eitos e as encontrar (rovadas.se8 co8inar sanç1o. *G<.de boa73@ e vale8 os negócios ordinCrios indis(ensCveis E 8anutenç1o de estabeleci8ento 8ercantil. *GN. II 7 contivere8 declaraç1o.a vantage8 resultante reverterC e8 (roveito do acervo sobre que se tenAa de e3etuar o concurso de credores. III 7 o 8otivo deter8inante.@ anulCvel o negócio Bur>dico: . CAP%T&L" ! #a Invalidade do Negócio 4ur>dico Art. *GG.n1o lAe sendo (er8itido su(ri7las. Presu8e87se..se Aouvesse8 (revisto a nulidade. Q *o TaverC si8ulaç1o nos negócios Bur>dicos quando: I 7 a(arentare8 con3erir ou trans8itir direitos a (essoas diversas daquelas Es quais real8ente se con3ere8. Art.ou E subsist9ncia do devedor e de sua 3a8>lia. ! 7 3or (reterida algu8a solenidade que a lei considere essencial (ara a sua validade. $e esses negócios tinAa8 (or Dnico obBeto atribuir direitos (re3erenciais.ou (ós7datados. R nulo o negócio Bur>dico si8ulado.. Art. Art. ParCgra3o Dnico.ne8 convalesce (elo decurso do te8(o. $e. As nulidades deve8 ser (ronunciadas (elo BuiO.(or@8.con3iss1o.o negócio Bur>dico nulo contiver os requisitos de outro. " negócio Bur>dico nulo n1o @ suscet>vel de con3ir8aç1o. Q +o Ressalva87se os direitos de terceiros de boa73@ e8 3ace dos contraentes do negócio Bur>dico si8ulado. Art.ou (roibir7lAe a (rCtica. *<.ou industrial.

I 7 (or inca(acidade relativa do agente; II 7 (or v>cio resultante de erro- dolo- coaç1o- estado de (erigo- les1o ou 3raude contra credores. Art. *<+. " negócio anulCvel (ode ser con3ir8ado (elas (artes- salvo direito de terceiro. Art. *<M. " ato de con3ir8aç1o deve conter a substPncia do negócio celebrado e a vontade e?(ressa de 8ant97 lo. Art. *<N. R escusada a con3ir8aç1o e?(ressa- quando o negócio BC 3oi cu8(rido e8 (arte (elo devedor- ciente do v>cio que o inquinava. Art. *<=. A con3ir8aç1o e?(ressa- ou a e?ecuç1o voluntCria de negócio anulCvel- nos ter8os dos arts. *<+ a *<Ni8(orta a e?tinç1o de todas as açFes- ou e?ceçFes- de que contra ele dis(usesse o devedor. Art. *<G. Uuando a anulabilidade do ato resultar da 3alta de autoriOaç1o de terceiro- serC validado se este a der (osterior8ente. Art. *<<. A anulabilidade n1o te8 e3eito antes de Bulgada (or sentença- ne8 se (ronuncia de o3>cio; só os interessados a (ode8 alegar- e a(roveita e?clusiva8ente aos que a alegare8- salvo o caso de solidariedade ou indivisibilidade. Art. *<K. R de quatro anos o (raOo de decad9ncia (ara (leitear7se a anulaç1o do negócio Bur>dico- contado: I 7 no caso de coaç1o- do dia e8 que ela cessar; II 7 no de erro- dolo- 3raude contra credores- estado de (erigo ou les1o- do dia e8 que se realiOou o negócio Bur>dico; III 7 no de atos de inca(aOes- do dia e8 que cessar a inca(acidade. Art. *<.. Uuando a lei dis(user que deter8inado ato @ anulCvel- se8 estabelecer (raOo (ara (leitear7se a anulaç1o- serC este de dois anos- a contar da data da conclus1o do ato. Art. *K,. " 8enor- entre deOesseis e deOoito anos- n1o (ode- (ara e?i8ir7se de u8a obrigaç1o- invocar a sua idade se dolosa8ente a ocultou quando inquirido (ela outra (arte- ou se- no ato de obrigar7se- declarou7se 8aior. Art. *K*. Ningu@8 (ode recla8ar o que- (or u8a obrigaç1o anulada- (agou a u8 inca(aO- se n1o (rovar que reverteu e8 (roveito dele a i8(ortPncia (aga. Art. *K+. Anulado o negócio Bur>dico- restituir7se71o as (artes ao estado e8 que antes dele se acAava8- e- n1o sendo (oss>vel restitu>7las- ser1o indeniOadas co8 o equivalente. Art. *KM. A invalidade do instru8ento n1o induO a do negócio Bur>dico se8(re que este (uder (rovar7se (or outro 8eio. Art. *KN. Res(eitada a intenç1o das (artes- a invalidade (arcial de u8 negócio Bur>dico n1o o (reBudicarC na (arte vClida- se esta 3or se(arCvel; a invalidade da obrigaç1o (rinci(al i8(lica a das obrigaçFes acessórias- 8as a destas n1o induO a da obrigaç1o (rinci(al. T%T&L" II #os Atos 4ur>dicos L>citos Art. *K=. Aos atos Bur>dicos l>citos- que n1o seBa8 negócios Bur>dicos- a(lica87se- no que couber- as dis(osiçFes do T>tulo anterior.

T%T&L" III #os Atos Il>citos Art. *KG. Aquele que- (or aç1o ou o8iss1o voluntCria- neglig9ncia ou i8(rud9ncia- violar direito e causar dano a outre8- ainda que e?clusiva8ente 8oral- co8ete ato il>cito. Art. *K<. Ta8b@8 co8ete ato il>cito o titular de u8 direito que- ao e?erc97lo- e?cede 8ani3esta8ente os li8ites i8(ostos (elo seu 3i8 econL8ico ou social- (ela boa73@ ou (elos bons costu8es. Art. *KK. N1o constitue8 atos il>citos: I 7 os (raticados e8 leg>ti8a de3esa ou no e?erc>cio regular de u8 direito reconAecido; II 7 a deterioraç1o ou destruiç1o da coisa alAeia- ou a les1o a (essoa- a 3i8 de re8over (erigo i8inente. ParCgra3o Dnico. No caso do inciso II- o ato serC leg>ti8o so8ente quando as circunstPncias o tornare8 absoluta8ente necessCrio- n1o e?cedendo os li8ites do indis(ensCvel (ara a re8oç1o do (erigo. T%T&L" I! #a Prescriç1o e da #ecad9ncia CAP%T&L" I #a Prescriç1o $eç1o I #is(osiçFes erais Art. *K.. !iolado o direito- nasce (ara o titular a (retens1o- a qual se e?tingue- (ela (rescriç1o- nos (raOos a que alude8 os arts. +,= e +,G. Art. *.,. A e?ceç1o (rescreve no 8es8o (raOo e8 que a (retens1o. Art. *.*. A renDncia da (rescriç1o (ode ser e?(ressa ou tCcita- e só valerC- sendo 3eita- se8 (reBu>Oo de terceirode(ois que a (rescriç1o se consu8ar; tCcita @ a renDncia quando se (resu8e de 3atos do interessadoinco8(at>veis co8 a (rescriç1o. Art. *.+. "s (raOos de (rescriç1o n1o (ode8 ser alterados (or acordo das (artes. Art. *.M. A (rescriç1o (ode ser alegada e8 qualquer grau de Burisdiç1o- (ela (arte a que8 a(roveita. Art. *.N. 'Revogado (ela Lei n) **.+K,- de +,,G/ Art. *.=. "s relativa8ente inca(aOes e as (essoas Bur>dicas t98 aç1o contra os seus assistentes ou re(resentantes legais- que dere8 causa E (rescriç1o- ou n1o a alegare8 o(ortuna8ente. Art. *.G. A (rescriç1o iniciada contra u8a (essoa continua a correr contra o seu sucessor. $eç1o II #as Causas que I8(ede8 ou $us(ende8 a Prescriç1o Art. *.<. N1o corre a (rescriç1o: I 7 entre os cLnBuges- na constPncia da sociedade conBugal; II 7 entre ascendentes e descendentes- durante o (oder 3a8iliar;

III 7 entre tutelados ou curatelados e seus tutores ou curadores- durante a tutela ou curatela. Art. *.K. Ta8b@8 n1o corre a (rescriç1o: I 7 contra os inca(aOes de que trata o art. Mo; II 7 contra os ausentes do Pa>s e8 serviço (Dblico da &ni1o- dos Estados ou dos Junic>(ios; III 7 contra os que se acAare8 servindo nas Forças Ar8adas- e8 te8(o de guerra. Art. *... N1o corre igual8ente a (rescriç1o: I 7 (endendo condiç1o sus(ensiva; II 7 n1o estando vencido o (raOo; III 7 (endendo aç1o de evicç1o. Art. +,,. Uuando a aç1o se originar de 3ato que deva ser a(urado no Bu>Oo cri8inal- n1o correrC a (rescriç1o antes da res(ectiva sentença de3initiva. Art. +,*. $us(ensa a (rescriç1o e8 3avor de u8 dos credores solidCrios- só a(roveita8 os outros se a obrigaç1o 3or indivis>vel. $eç1o III #as Causas que Interro8(e8 a Prescriç1o Art. +,+. A interru(ç1o da (rescriç1o- que so8ente (oderC ocorrer u8a veO- dar7se7C: I 7 (or des(acAo do BuiO- 8es8o inco8(etente- que ordenar a citaç1o- se o interessado a (ro8over no (raOo e na 3or8a da lei (rocessual; II 7 (or (rotesto- nas condiçFes do inciso antecedente; III 7 (or (rotesto ca8bial; I! 7 (ela a(resentaç1o do t>tulo de cr@dito e8 Bu>Oo de inventCrio ou e8 concurso de credores; ! 7 (or qualquer ato Budicial que constitua e8 8ora o devedor; !I 7 (or qualquer ato inequ>voco- ainda que e?traBudicial- que i8(orte reconAeci8ento do direito (elo devedor. ParCgra3o Dnico. A (rescriç1o interro8(ida reco8eça a correr da data do ato que a interro8(eu- ou do Dlti8o ato do (rocesso (ara a interro8(er. Art. +,M. A (rescriç1o (ode ser interro8(ida (or qualquer interessado. Art. +,N. A interru(ç1o da (rescriç1o (or u8 credor n1o a(roveita aos outros; se8elAante8ente- a interru(ç1o o(erada contra o co7devedor- ou seu Aerdeiro- n1o (reBudica aos de8ais coobrigados. Q *o A interru(ç1o (or u8 dos credores solidCrios a(roveita aos outros; assi8 co8o a interru(ç1o e3etuada contra o devedor solidCrio envolve os de8ais e seus Aerdeiros. Q +o A interru(ç1o o(erada contra u8 dos Aerdeiros do devedor solidCrio n1o (reBudica os outros Aerdeiros ou devedores- sen1o quando se trate de obrigaçFes e direitos indivis>veis.

Q Mo A interru(ç1o (roduOida contra o (rinci(al devedor (reBudica o 3iador. $eç1o I! #os PraOos da Prescriç1o Art. +,=. A (rescriç1o ocorre e8 deO anos- quando a lei n1o lAe AaBa 3i?ado (raOo 8enor. Art. +,G. Prescreve: Q *o E8 u8 ano: I 7 a (retens1o dos Aos(edeiros ou 3ornecedores de v>veres destinados a consu8o no (ró(rio estabeleci8ento(ara o (aga8ento da Aos(edage8 ou dos ali8entos; II 7 a (retens1o do segurado contra o segurador- ou a deste contra aquele- contado o (raOo: a/ (ara o segurado- no caso de seguro de res(onsabilidade civil- da data e8 que @ citado (ara res(onder E aç1o de indeniOaç1o (ro(osta (elo terceiro (reBudicado- ou da data que a este indeniOa- co8 a anu9ncia do segurador; b/ quanto aos de8ais seguros- da ci9ncia do 3ato gerador da (retens1o; III 7 a (retens1o dos tabeli1es- au?iliares da Bustiça- serventuCrios Budiciais- Crbitros e (eritos- (ela (erce(ç1o de e8olu8entos- custas e AonorCrios; I! 7 a (retens1o contra os (eritos- (ela avaliaç1o dos bens que entrara8 (ara a 3or8aç1o do ca(ital de sociedade anLni8a- contado da (ublicaç1o da ata da asse8bl@ia que a(rovar o laudo; ! 7 a (retens1o dos credores n1o (agos contra os sócios ou acionistas e os liquidantes- contado o (raOo da (ublicaç1o da ata de encerra8ento da liquidaç1o da sociedade. Q +o E8 dois anos- a (retens1o (ara Aaver (restaçFes ali8entares- a (artir da data e8 que se vencere8. Q Mo E8 tr9s anos: I 7 a (retens1o relativa a alugu@is de (r@dios urbanos ou rDsticos; II 7 a (retens1o (ara receber (restaçFes vencidas de rendas te8(orCrias ou vital>cias; III 7 a (retens1o (ara Aaver Buros- dividendos ou quaisquer (restaçFes acessórias- (agCveis- e8 (er>odos n1o 8aiores de u8 ano- co8 ca(italiOaç1o ou se8 ela; I! 7 a (retens1o de ressarci8ento de enriqueci8ento se8 causa; ! 7 a (retens1o de re(araç1o civil; !I 7 a (retens1o de restituiç1o dos lucros ou dividendos recebidos de 8C73@- correndo o (raOo da data e8 que 3oi deliberada a distribuiç1o; !II 7 a (retens1o contra as (essoas e8 seguida indicadas (or violaç1o da lei ou do estatuto- contado o (raOo: a/ (ara os 3undadores- da (ublicaç1o dos atos constitutivos da sociedade anLni8a; b/ (ara os ad8inistradores- ou 3iscais- da a(resentaç1o- aos sócios- do balanço re3erente ao e?erc>cio e8 que a violaç1o tenAa sido (raticada- ou da reuni1o ou asse8bl@ia geral que dela deva to8ar conAeci8ento;

= e *. Q =o E8 cinco anos: I 7 a (retens1o de cobrança de d>vidas l>quidas constantes de instru8ento (Dblico ou (articular.o 3ato Bur>dico (ode ser (rovado 8ediante: I 7 con3iss1o.a contar da data da a(rovaç1o das contas.sus(ende8 ou interro8(e8 a (rescriç1o. +**. !III 7 a (retens1o (ara Aaver o (aga8ento de t>tulo de cr@dito.inciso I. Art.da cessaç1o dos res(ectivos contratos ou 8andato.a (arte a que8 a(roveita (ode alegC7la e8 qualquer grau de Burisdiç1o.quando estabelecida (or lei. Q No E8 quatro anos. IV 7 a (retens1o do bene3iciCrio contra o segurador. $alvo o negócio a que se i8(Fe 3or8a es(ecial. *. II 7 a (retens1o dos (ro3issionais liberais e8 geral.de o3>cio.c/ (ara os liquidantes. N1o te8 e3icCcia a con3iss1o se (rov@8 de que8 n1o @ ca(aO de dis(or do direito a que se re3ere8 os 3atos con3essados. Art.(rocuradores Budiciais.so8ente @ e3icaO nos li8ites e8 que este (ode vincular o re(resentado. +.. +*+. Art.contado o (raOo da conclus1o dos serviços.ressalvadas as dis(osiçFes de lei es(ecial.. +. III 7 teste8unAa.<. T%T&L" ! #a Prova Art.conAecer da decad9ncia. #eve o BuiO..curadores e (ro3essores (elos seus AonorCrios.K. I! 7 (resunç1o.a (retens1o relativa E tutela.a contar do venci8ento.K. $e a decad9ncia 3or convencional.n1o se a(lica8 E decad9ncia as nor8as que i8(ede8.da (ri8eira asse8bl@ia se8estral (osterior E violaç1o. II 7 docu8ento.8as o BuiO n1o (ode su(rir a alegaç1o. ParCgra3o Dnico. CAP%T&L" II #a #ecad9ncia Art. Art. +*M.no caso de seguro de res(onsabilidade civil obrigatório. ! 7 (er>cia. +*. III 7 a (retens1o do vencedor (ara Aaver do vencido o que des(endeu e8 Bu>Oo. $e 3eita a con3iss1o (or u8 re(resentante.e a do terceiro (reBudicado. . R nula a renDncia E decad9ncia 3i?ada e8 lei. +. Art. $alvo dis(osiç1o legal e8 contrCrio. A(lica7se E decad9ncia o dis(osto nos arts.

do8ic>lio e resid9ncia das (artes e de8ais co8(arecentes. N1o tendo relaç1o direta. ! 7 re3er9ncia ao cu8(ri8ento das e?ig9ncias legais e 3iscais inerentes E legiti8idade do ato.do regi8e de bens do casa8ento.(rovar7se7C do 8es8o 8odo que este.lavrada e8 notas de tabeli1o.assi8 co8o os traslados de autos. Art..outra (essoa ca(aO que. Q *o $alvo quando e?igidos (or lei outros requisitos.e?tra>dos (or tabeli1o ou o3icial de registrode instru8entos ou docu8entos lançados e8 suas notas.as declaraçFes enunciativas n1o e?i8e8 os interessados e8 sua veracidade do Lnus de (rovC7las.necessCria E validade de u8 ato. +*G.no8e do outro cLnBuge e 3iliaç1o.@ docu8ento dotado de 3@ (Dblica. +*.sendo e?tra>das (or ele.n1o o Aavendo na localidade.nacionalidade. ++..co8 a indicaç1o. Art. Q Mo A escritura serC redigida na l>ngua nacional.do (ró(rio instru8ento. III 7 no8e. +*<.ou.a Bu>Oo do tabeli1o.3aOendo (rova (lena. A con3iss1o @ irrevogCvel.tenAa idoneidade e conAeci8ento bastantes.se8(re que se (ossa. ParCgra3o Dnico. +*K.e constarC. +*=.se os originais se Aouvere8 (roduOido e8 Bu>Oo co8o (rova de algu8 ato.e (or ele subscritas.deverC co8(arecer tradutor (Dblico (ara servir de int@r(rete.ou de que todos a lera8. Art.ne8 (uder identi3icar7se (or docu8entodever1o (artici(ar do ato (elo 8enos duas teste8unAas que o conAeça8 e ateste8 sua identidade. +*N.8as (ode ser anulada se decorreu de erro de 3ato ou de coaç1o. Ter1o a 8es8a 3orça (robante os traslados e as certidFes. Q +o $e algu8 co8(arecente n1o (uder ou n1o souber escrever. Q =o $e algu8 dos co8(arecentes n1o 3or conAecido do tabeli1o. "s traslados e as certidFes considerar7se71o instru8entos (Dblicos.quando necessCrio.estado civil. !I 7 declaraç1o de ter sido lida na (resença das (artes e de8ais co8(arecentes. Art. A escritura (Dblica. II 7 reconAeci8ento da identidade e ca(acidade das (artes e de quantos AaBa8 co8(arecido ao ato.a escritura (Dblica deve conter: I 7 data e local de sua realiOaç1o.quando (or outro escriv1o consertados.ou de outro qualquer livro a cargo do escriv1o.co8o re(resentantes.(ro3iss1o.Art. I! 7 8ani3estaç1o clara da vontade das (artes e dos intervenientes.be8 co8o a do tabeli1o ou seu substituto legalencerrando o ato.ou sob a sua vigilPncia. Q No $e qualquer dos co8(arecentes n1o souber a l>ngua nacional e o tabeli1o n1o entender o idio8a e8 que se e?(ressa. As declaraçFes constantes de docu8entos assinados (resu8e87se verdadeiras e8 relaç1o aos signatCrios. A anu9ncia ou a autoriOaç1o de outre8.co8 as dis(osiçFes (rinci(ais ou co8 a legiti8idade das (artes.(or@8. Art. !II 7 assinatura das (artes e dos de8ais co8(arecentes.a seu rogo. Far1o a 8es8a (rova que os originais as certidFes te?tuais de qualquer (eça Budicial. .do (rotocolo das audi9ncias. Art.outra (essoa ca(aO assinarC (or ele.(or si.intervenientes ou teste8unAas.

"s docu8entos redigidos e8 l>ngua estrangeira ser1o traduOidos (ara o (ortugu9s (ara ter e3eitos legais no Pa>s. Art.ou so8ente assinado (or que8 esteBa na livre dis(osiç1o e ad8inistraç1o de seus bens. ParCgra3o Dnico.8as. ParCgra3o Dnico.Art.antes de registrado no registro (Dblico.at@ o terceiro grau de algu8a das (artes.contra que8 3ore8 e?ibidos. . ! 7 os cLnBuges. 8as os seus e3eitos. Art. III 7 os cegos e surdos.se a (arte.con3erida (or tabeli1o de notas. Art.e8 seu 3avor. Art.(or en3er8idade ou retarda8ento 8ental.be8 co8o os da cess1o.ou escrito (articular revestido de requisitos es(eciais.e8 geral.3aO (rova 8ediante con3er9ncia co8 o original assinado. ParCgra3o Dnico.quando. +++.os registros 3onogrC3icos e. "s livros e 3icAas dos e8(resCrios e sociedades (rova8 contra as (essoas a que (ertence8. ++<.(or consangSinidade.(or estado ou (ro3iss1o. As re(roduçFes 3otogrC3icas. Uualquer que seBa o valor do negócio Bur>dico.e. A (rova n1o su(re a aus9ncia do t>tulo de cr@dito. ParCgra3o Dnico. I! 7 o interessado no lit>gio.a (rova e?clusiva8ente teste8unAal só se ad8ite nos negócios Bur>dicos cuBo valor n1o ultra(asse o d@cu(lo do 8aior salCrio 8>ni8o vigente no Pa>s ao te8(o e8 que 3ora8 celebrados. ++=. Art.ou do original.n1o se o(era8. ParCgra3o Dnico. Art.a res(eito de terceiros.valerC co8o (rova de declaraç1o da vontade.deva guardar segredo. " instru8ento (articular. A có(ia 3otogrC3ica de docu8ento. A (rova resultante dos livros e 3icAas n1o @ bastante nos casos e8 que a lei e?ige escritura (Dblica.. $alvo os casos e?(ressos. Art.os descendentes e os colaterais.quaisquer outras re(roduçFes 8ecPnicas ou eletrLnicas de 3atos ou de coisas 3aOe8 (rova (lena destes. II 7 aqueles que.quando lAe 3or contestada a autenticidade.ou a3inidade. ++G.o a8igo >nti8o ou o ini8igo ca(ital das (artes.a (rova teste8unAal @ ad8iss>vel co8o subsidiCria ou co8(le8entar da (rova (or escrito. Para a (rova de 3atos que só elas conAeça8. ++.3ore8 con3ir8ados (or outros subs>dios. A (rova do instru8ento (articular (ode su(rir7se (elas outras de carCter legal. " telegra8a.nos casos e8 que a lei ou as circunstPncias condicionare8 o e?erc>cio do direito E sua e?ibiç1o.cine8atogrC3icas.n1o lAes i8(ugnar a e?atid1o. Art.quando a ci9ncia do 3ato que se quer (rovar de(enda dos sentidos que lAes 3alta8.3eito e assinado.escriturados se8 v>cio e?tr>nseco ou intr>nseco.os ascendentes. ++N. N1o (ode8 ser ad8itidos co8o teste8unAas: I 7 os 8enores de deOesseis anos.deverC ser e?ibido o original.i8(ugnada sua autenticidade.e (ode ser ilidida (ela co8(rovaç1o da 3alsidade ou ine?atid1o dos lança8entos.n1o tivere8 discerni8ento (ara a (rCtica dos atos da vida civil.(rova as obrigaçFes convencionais de qualquer valor. ++K. ++M. ++*. Ningu@8 (ode ser obrigado a de(or sobre 3ato: I 7 a cuBo res(eito.(ode o BuiO ad8itir o de(oi8ento das (essoas a que se re3ere este artigo.

+N. ParCgra3o Dnico. Art.desobrigado de indeniOaç1o.que n1o as legais.se8 des(esa ou trabalAo do devedor.se (erder antes da tradiç1oso3rerC o credor a (erda. $e. +M+. Art. At@ a tradiç1o (ertence ao devedor a coisa. +M=.tal qual se acAe.(arente e8 grau sucess>vel.no caso do art.ou a8igo >nti8o. Art. #eteriorada a coisa.ou aceitar a coisa no estado e8 que se acAa. $e.e8 u8 ou e8 outro caso.antes da tradiç1o. $endo cul(ado o devedor. A obrigaç1o de dar coisa certa abrange os acessórios dela e8bora n1o 8encionados. A recusa E (er>cia 8@dica ordenada (elo BuiO (oderC su(rir a (rova que se (retendia obter co8 o e?a8e..a coisa se (erder. +MK. Aquele que se nega a sub8eter7se a e?a8e 8@dico necessCrio n1o (oderC a(roveitar7se de sua recusa. se a (erda resultar de cul(a do devedor.indeniOaç1o das (erdas e danos.co8 os seus 8elAora8entos e acrescidos. +N*.(elos quais (oderC e?igir au8ento no (reço.. As (resunçFes.n1o sendo o devedor cul(ado.se8 cul(a do devedor. +M.a (erigo de vida. +M.receb97la7C o credor. $e a coisa se (erder (or cul(a do devedor.lucrarC o credor. PARTE E$PECIAL LI!R" I #" #IREIT" #A$ "2RI A56E$ T%T&L" I #A$ J"#ALI#A#E$ #A$ "2RI A56E$ CAP%T&L" I #A$ "2RI A56E$ #E #AR $eç1o I #as "brigaçFes de #ar Coisa Certa Art. +MK.abatido de seu (reço o valor que (erdeu.. Art. .ou (endente a condiç1o sus(ensiva.se8 cul(a do devedor. +M. Art.II 7 a que n1o (ossa res(onder se8 desonra (ró(ria. Art. III 7 que o e?(onAa.ou aceitar a coisa.e esta.ou de dano (atri8onial i8ediato.res(onderC este (elo equivalente.3ica resolvida a obrigaç1o (ara a8bas as (artes.cabendo ao credor os (endentes.ou Es (essoas re3eridas no inciso antecedente.8ais (erdas e danos. se o credor n1o anuir. +MN. +MM.n1o se ad8ite8 nos casos e8 que a lei e?clui a (rova teste8unAal.se8 direito a indeniOaç1o. Art. +M<.(oderC o devedor resolver a obrigaç1o. Art. +MG. Art.de de8anda.(oderC o credor e?igir o equivalente.res(onderC este (elo equivalente e 8ais (erdas e danos.co8 direito a recla8ar. Art.salvo se o contrCrio resultar do t>tulo ou das circunstPncias do caso.(oderC o credor resolver a obrigaç1o.. $e a coisa restitu>vel se deteriorar se8 cul(a do devedor.observar7se7C o dis(osto no art.de seu cLnBuge. +M*.no caso do artigo antecedente. $e a obrigaç1o 3or de restituir coisa certa. "s 3rutos (ercebidos s1o do devedor. Art.ressalvados os seus direitos at@ o dia da (erda. se (or cul(a do devedor.sobrevier 8elAora8ento ou acr@sci8o E coisa.e a obrigaç1o se resolverC.

Praticado (elo devedor o ato.e8(regou o devedor trabalAo ou dis(9ndio.se o contrCrio n1o resultar do t>tulo da obrigaç1o.a 3aculdade de o(ç1o (oderC ser e?ercida e8 cada (er>odo. E?tingue7se a obrigaç1o de n1o 3aOer.o credor (ode e?igir dele que o des3açasob (ena de se des3aOer E sua custa.Art. $eç1o II #as "brigaçFes de #ar Coisa Incerta Art.n1o (oderC o devedor alegar (erda ou deterioraç1o da coisa.se lAe torne i8(oss>vel abster7se do ato. CAP%T&L" I! #as "brigaçFes Alternativas Art. +N+.que se obrigou a n1o (raticar. ParCgra3o Dnico.e?ecutar ou 8andar e?ecutar o 3ato.do 8es8o 8odo. +N<.inde(endente8ente de autoriOaç1o Budicial.acerca do (ossuidor de boa73@ ou de 8C73@.observar7se7C. ParCgra3o Dnico.ne8 serC obrigado a (restar a 8elAor.se8 cul(a do devedor. . $e (ara o 8elAora8ento.se outra coisa n1o se esti(ulou.res(onderC (or (erdas e danos. +NN. Q +o Uuando a obrigaç1o 3or de (restaçFes (eriódicas. E8 caso de urg9ncia. Cienti3icado da escolAa o credor.. Q *o N1o (ode o devedor obrigar o credor a receber (arte e8 u8a (restaç1o e (arte e8 outra.sendo de(ois ressarcido. se (or cul(a dele. Art. E8 caso de urg9ncia. +NK. +=. Art. 8as n1o (oderC dar a coisa (ior.(elo g9nero e (ela quantidade.resolver7se7C a obrigaç1o.inde(endente8ente de autoriOaç1o Budicial. CAP%T&L" III #as "brigaçFes de N1o FaOer Art.serC livre ao credor 8andC7lo e?ecutar E custa do devedorAavendo recusa ou 8ora deste. A coisa incerta serC indicada. Nas coisas deter8inadas (elo g9nero e (ela quantidade. Art.(ode o credor.a escolAa (ertence ao devedor. +NM. +NG.vigorarC o dis(osto na $eç1o antecedente. Antes da escolAa.(oderC o credor des3aOer ou 8andar des3aOer..a escolAa cabe ao devedor.ao 8enos.se8 (reBu>Oo do ressarci8ento devido. Art. +N. $e a (restaç1o do 3ato tornar7se i8(oss>vel se8 cul(a do devedor.desde que.o caso se regularC (elas nor8as deste Código atinentes Es ben3eitorias realiOadas (elo (ossuidor de boa73@ ou de 8C73@. Art. Uuanto aos 3rutos (ercebidos.a cuBa abstenç1o se obrigara.se8 (reBu>Oo da indeniOaç1o cab>vel. ParCgra3o Dnico.ou au8ento.o dis(osto neste Código. CAP%T&L" II #as "brigaçFes de FaOer Art. Nas obrigaçFes alternativas.ainda que (or 3orça 8aior ou caso 3ortuito. +N=. $e o 3ato (uder ser e?ecutado (or terceiro. Incorre na obrigaç1o de indeniOar (erdas e danos o devedor que recusar a (restaç1o a ele só i8(ostaou só (or ele e?eqS>vel.ressarcindo o cul(ado (erdas e danos. +=+. +=*. Art.

e?tinguir7se7C a obrigaç1o.(oderC cada u8 destes e?igir a d>vida inteira. +GM.8ais as (erdas e danos que o caso deter8inar.dando este cauç1o de rati3icaç1o dos outros credores. +=M.Aavendo dois ou 8ais devedores.co8(ensaç1o ou con3us1o.a (restaç1o n1o 3or divis>vel.. $e u8a das duas (restaçFes n1o (uder ser obBeto de obrigaç1o ou se tornada ine?eqS>vel.n1o se (uder cu8(rir nenAu8a das (restaçFes. ParCgra3o Dnico.e este n1o quiser. Art.(ara e3eito do dis(osto neste artigo. Art.decidirC o BuiO..3icar1o e?onerados os outros.novaç1o. A obrigaç1o @ indivis>vel quando a (restaç1o te8 (or obBeto u8a coisa ou u8 3ato n1o suscet>veis de divis1o.a obrigaç1o n1o 3icarC e?tinta (ara co8 os outros. Q No $e o t>tulo de3erir a o(ç1o a terceiro.3icarC aquele obrigado a (agar o valor da que (or Dlti8o se i8(ossibilitou.ou n1o (uder e?erc97la. $e u8 dos credores re8itir a d>vida. Art.o credor terC direito de e?igir a (restaç1o subsistente ou o valor da outra. Art.quantos os credores ou devedores.n1o co8(etindo ao credor a escolAa. 8as estes só a (oder1o e?igir.(agando: I 7 a todos conBunta8ente.cada u8 serC obrigado (ela d>vida toda. +=<.(or 8otivo de orde8 econL8ica. . $e todas as (restaçFes se tornare8 i8(oss>veis se8 cul(a do devedor.a cada u8 dos outros assistirC o direito de e?igir dele e8 dinAeiro a (arte que lAe caiba no total.(or cul(a do devedor. +=N.esta (resu8e7se dividida e8 tantas obrigaçFes. +=G. +G*.res(onder1o todos (or (artes iguais. +G. Art.sub7roga7se no direito do credor e8 relaç1o aos outros coobrigados. +=.Q Mo No caso de (luralidade de o(tantes.al@8 da indeniOaç1o (or (erdas e danos.(oderC o credor recla8ar o valor de qualquer das duas.n1o Aavendo acordo unPni8e entre eles.a8bas as (restaçFes se tornare8 ine?eqS>veis. $e.caberC ao BuiO a escolAa se n1o Aouver acordo entre as (artes. $e. " devedor. Art. II 7 a u8. $e u8 só dos credores receber a (restaç1o (or inteiro. Art.Aouver cul(a de todos os devedores. Uuando a escolAa couber ao credor e u8a das (restaçFes tornar7se i8(oss>vel (or cul(a do devedor.que (aga a d>vida.co8 (erdas e danos. Art.subsistirC o d@bito quanto E outra. Q +o $e 3or de u8 só a cul(a.3indo o (raOo (or este assinado (ara a deliberaç1o. Art. Tavendo 8ais de u8 devedor ou 8ais de u8 credor e8 obrigaç1o divis>vel. Art.descontada a quota do credor re8itente. +==. CAP%T&L" ! #as "brigaçFes #ivis>veis e Indivis>veis Art. 8as o devedor ou devedores se desobrigar1o. +G+.iguais e distintas.(or sua natureOa. se. Q *o $e. ParCgra3o Dnico. $e a (luralidade 3or dos credores. +=K. Perde a qualidade de indivis>vel a obrigaç1o que se resolver e8 (erdas e danos.res(ondendo só esse (elas (erdas e danos. " 8es8o crit@rio se observarC no caso de transaç1o.ou dada a raO1o deter8inante do negócio Bur>dico.(or cul(a do devedor.

Convertendo7se a (restaç1o e8 (erdas e danos.(arcial ou total8ente.salvo se a obrigaç1o 3or indivis>vel. " (aga8ento (arcial 3eito (or u8 dos devedores e a re8iss1o (or ele obtida n1o a(roveita8 aos outros devedores. 8as todos reunidos ser1o considerados co8o u8 devedor solidCrio e8 relaç1o aos de8ais devedores.(ara o outro. +GN. Art. ParCgra3o Dnico. A obrigaç1o solidCria (ode ser (ura e si8(les (ara u8 dos co7credores ou co7devedores. " Bulga8ento contrCrio a u8 dos credores solidCrios n1o atinge os de8ais.cada u8 destes só terC direito a e?igir e receber a quota do cr@dito que corres(onder ao seu quinA1o AereditCrio. .CAP%T&L" !I #as "brigaçFes $olidCrias $eç1o I #is(osiçFes erais Art.ou obrigado.ou (agCvel e8 lugar di3erente. +<<. A u8 dos credores solidCrios n1o (ode o devedor o(or as e?ceçFes (essoais o(on>veis aos outros. +<*. +GG. Art.e condicionalou a (raOo.. o Bulga8ento 3avorCvel a(roveita7lAes.a 8enos que se 3unde e8 e?ceç1o (essoal ao credor que o obteve. +G<. Art. $e u8 dos devedores solidCrios 3alecer dei?ando Aerdeiros. Art.quando na 8es8a obrigaç1o concorre 8ais de u8 credor. +<+. se o (aga8ento tiver sido (arcial. +<=.(ara todos os e3eitos.ou 8ais de u8 devedorcada u8 co8 direito. Cada u8 dos credores solidCrios te8 direito a e?igir do devedor o cu8(ri8ento da (restaç1o (or inteiro. Art. $eç1o II #a $olidariedade Ativa Art. Art.subsiste. +G. Art. " credor te8 direito a e?igir e receber de u8 ou de alguns dos devedores.a solidariedade. +G=. +GK. TC solidariedade. Art.nenAu8 destes serC obrigado a (agar sen1o a quota que corres(onder ao seu quinA1o AereditCrio.E d>vida toda. +<G.sen1o at@ E concorr9ncia da quantia (aga ou relevada. Enquanto alguns dos credores solidCrios n1o de8andare8 o devedor co8u8. Art. " (aga8ento 3eito a u8 dos credores solidCrios e?tingue a d>vida at@ o 8ontante do que 3oi (ago. A solidariedade n1o se (resu8e. Art. " credor que tiver re8itido a d>vida ou recebido o (aga8ento res(onderC aos outros (ela (arte que lAes caiba.. +<N.todos os de8ais devedores continua8 obrigados solidaria8ente (elo resto. resulta da lei ou da vontade das (artes. N1o i8(ortarC renDncia da solidariedade a (ro(ositura de aç1o (elo credor contra u8 ou alguns dos devedores. Art.a d>vida co8u8. $eç1o III #a $olidariedade Passiva Art. +<. $e u8 dos credores solidCrios 3alecer dei?ando Aerdeiros.a qualquer daqueles (oderC este (agar. +<M.salvo se a obrigaç1o 3or indivis>vel.

Art. " credor (ode renunciar E solidariedade e8 3avor de u8.(ela (arte que na obrigaç1o incu8bia ao insolvente.a lei. quando o cr@dito constar de escritura (Dblica. Art. +K<. Uualquer clCusula.contribuir1o ta8b@8 os e?onerados da solidariedade (elo credor.*. I8(ossibilitando7se a (restaç1o (or cul(a de u8 dos devedores solidCrios. +K+. +KN.(aga ao cessionCrio que lAe a(resenta. 8as o cul(ado res(onde aos outros (ela obrigaç1o acrescida. "correndo vCrias cessFes do 8es8o cr@dito.. $e o credor e?onerar da solidariedade u8 ou 8ais devedores.. +KM.. Art. Inde(endente8ente do conAeci8ento da cess1o (elo devedor. Art. No caso de rateio entre os co7devedores. Art. Art. +K*. Art.subsistirC a dos de8ais. ParCgra3o Dnico. " devedor de8andado (ode o(or ao credor as e?ceçFes que lAe 3ore8 (essoais e as co8uns a todos. A cess1o do cr@dito n1o te8 e3icCcia e8 relaç1o ao devedor. T%T&L" II #a Trans8iss1o das "brigaçFes CAP%T&L" I #a Cess1o de Cr@dito Art. Art.subsiste (ara todos o encargo de (agar o equivalente.n1o (oderC agravar a (osiç1o dos outros se8 consenti8ento destes.de alguns ou de todos os devedores. Fica desobrigado o devedor que.e8 escrito (Dblico ou (articular.se n1o constar do instru8ento da obrigaç1o.se o Aouver.res(onderC este (or toda ela (ara co8 aquele que (agar. Art. +KG.(resu8indo7se iguais.ou a convenç1o co8 o devedor. +. +K.condiç1o ou obrigaç1o adicional.+. +KK.(aga ao credor (ri8itivo.Art. Art..no caso de 8ais de u8a cess1o noti3icada.co8 o t>tulo de cess1oo da obrigaç1o cedida. . Art..ainda que a aç1o tenAa sido (ro(osta so8ente contra u8.(revalece a que se co8(letar co8 a tradiç1o do t>tulo do cr@dito cedido.M. +<K.se n1o celebrar7se 8ediante instru8ento (Dblico. +.na cess1o de u8 cr@dito abrange87se todos os seus acessórios. G=N.e8 relaç1o a terceiros. Art.esti(ulada entre u8 dos devedores solidCrios e o credor. Art.se a isso n1o se o(user a natureOa da obrigaç1o. +.as (artes de todos os co7devedores.(revalecerC a (rioridade da noti3icaç1o.se declarou ciente da cess1o 3eita. Art. " devedor que satis3eO a d>vida (or inteiro te8 direito a e?igir de cada u8 dos co7devedores a sua quota. +. +K.ou que. +<.dividindo7se igual8ente (or todos a do insolvente.sen1o quando a este noti3icada.no d@bito.ou instru8ento (articular revestido das solenidades do Q * o do art. " credor (ode ceder o seu cr@dito. n1o lAe a(roveitando as e?ceçFes (essoais a outro co7devedor. " cessionCrio de cr@dito Ai(otecCrio te8 o direito de 3aOer averbar a cess1o no registro do i8óvel. +K=. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio. Todos os devedores res(onde8 (elos Buros da 8ora.(ode o cessionCrio e?ercer os atos conservatórios do direito cedido. R ine3icaO. 8as (or noti3icado se te8 o devedor que. a clCusula (roibitiva da cess1o n1o (oderC ser o(osta ao cessionCrio de boa73@.antes de ter conAeci8ento da cess1o. 8as (elas (erdas e danos só res(onde o cul(ado.a trans8iss1o de u8 cr@dito. $e a d>vida solidCria interessar e?clusiva8ente a u8 dos devedores.

co8 os res(ectivos Buros. " devedor (ode o(or ao cessionCrio as e?ceçFes que lAe co8(etire8. ParCgra3o Dnico.K. ParCgra3o Dnico. M. Art.e?ceto se este conAecia o v>cio que inquinava a obrigaç1o. M.a (artir da assunç1o da d>vida.o cedente.=.se o 3iOer e8 no8e e E conta do devedor. Art.era insolvente e o credor o ignorava.subsistindo so8ente contra o credor os direitos de terceiro. Uualquer interessado na e?tinç1o da d>vida (ode (agC7la. M.ainda que n1o se res(onsabiliOe.o cedente n1o res(onde (ela solv9ncia do devedor. Art. " novo devedor n1o (ode o(or ao credor as e?ceçFes (essoais que co8(etia8 ao devedor (ri8itivo. Art. 8as o devedor que o (agar. " adquirente de i8óvel Ai(otecado (ode to8ar a seu cargo o (aga8ento do cr@dito garantido.no 8o8ento e8 que veio a ter conAeci8ento da cess1o. Art. Art. Art..usando.considera87se e?tintas. Na cess1o (or t>tulo oneroso. " terceiro n1o interessado..*.n1o tendo noti3icaç1o dela.N.que (aga a d>vida e8 seu (ró(rio no8e.Art.M. a 8es8a res(onsabilidade lAe cabe nas cessFes (or t>tulo gratuito. " cr@dito. $e a substituiç1o do devedor vier a ser anulada.=. .co8 todas as suas garantiassalvo as garantias (restadas (or terceiros.. +. 8as n1o se sub7roga nos direitos do credor.as garantias es(eciais (or ele originaria8ente dadas ao credor. Uualquer das (artes (ode assinar (raOo ao credor (ara que consinta na assunç1o da d>vidainter(retando7se o seu sil9ncio co8o recusa. +. +. T%T&L" III #o Adi8(le8ento e E?tinç1o das "brigaçFes CAP%T&L" I #o Paga8ento $eç1o I #e Uue8 #eve Pagar Art..entender7se7C dado o assenti8ento.salvo o(osiç1o deste.n1o res(onde (or 8ais do que daquele recebeu. +.n1o i8(ugnar e8 trinta dias a trans3er9ncia do d@bito. M.3ica e?onerado.dos 8eios conducentes E e?oneraç1o do devedor. 8as te8 de ressarcir7lAe as des(esas da cess1o e as que o cessionCrio Aouver 3eito co8 a cobrança.noti3icado. $alvo esti(ulaç1o e8 contrCrio.restaura7se o d@bito.n1o (ode 8ais ser trans3erido (elo credor que tiver conAeci8ento da (enAora.salvo se aquele. " cedente. R 3acultado a terceiro assu8ir a obrigaç1o do devedor. Art.+.N. M.co8 o consenti8ento e?(resso do credor3icando e?onerado o devedor (ri8itivo. +.se o credor se o(user. M.res(onsCvel ao cessionCrio (ela solv9ncia do devedor.u8a veO (enAorado.G. se o credor. Igual direito cabe ao terceiro n1o interessado.3ica res(onsCvel ao cessionCrio (ela e?ist9ncia do cr@dito ao te8(o e8 que lAe cedeu.se tiver (rocedido de 8C73@.be8 co8o as que.<. CAP%T&L" II #a Assunç1o de #>vida Art. +. $alvo assenti8ento e?(resso do devedor (ri8itivo. Art.ao te8(o da assunç1o.tinAa contra o cedente.te8 direito a ree8bolsar7se do que (agar.

<.be8 co8o (ara co8(ensar a di3erença entre o valor desta e o da 8oeda nacional.n1o (ode o credor ser obrigado a receberne8 o devedor a (agar. $eç1o III #o "bBeto do Paga8ento e $ua Prova Art. M*K. $e (agar antes de vencida a d>vida. M*N..que se8(re (oderC ser dada (or instru8ento (articular. M*.K.de 8odo que assegure.designarC o valor e a es(@cie da d>vida quitada.. $e o devedor (agar ao credor. M*+. M.e?cetuados os casos (revistos na legislaç1o es(ecial. $1o nulas as convençFes de (aga8ento e8 ouro ou e8 8oeda estrangeira. Art.a (edido da (arte.co8 a assinatura do credor. As d>vidas e8 dinAeiro dever1o ser (agas no venci8ento.enquanto n1o lAe seBa dada.(or (artes. ParCgra3o Dnico. M. Art. M*<.se o devedor n1o (rovar que e8 bene3>cio dele e3etiva8ente reverteu.se assi8 n1o se aBustou..n1o obriga a ree8bolsar aquele que (agou. " devedor que (aga te8 direito a quitaç1o regular.G. M*G. M*. $eç1o II #aqueles a Uue8 se #eve Pagar Art. M**. M+. Art. M*M.o te8(o e o lugar do (aga8ento.quanto (oss>vel.de boa73@a recebeu e consu8iu. Art. " (aga8ento 3eito (or terceiro.o (aga8ento n1o valerC contra estes.(or 8otivos i8(revis>veis. Art. Art. N1o vale o (aga8ento ciente8ente 3eito ao credor inca(aO de quitar. M*=. " (aga8ento 3eito de boa73@ ao credor (utativo @ vClido.o valor real da (restaç1o.se o devedor tinAa 8eios (ara ilidir a aç1o.ou tanto quanto reverter e8 seu (roveito. Art. Art.a(esar de inti8ado da (enAora 3eita sobre o cr@dito..ou da i8(ugnaç1o a ele o(osta (or terceiros. Uuando. Art. R l>cito convencionar o au8ento (rogressivo de (restaçFes sucessivas. M.ParCgra3o Dnico. Art.só terC direito ao ree8bolso no venci8ento.e8 8oeda corrente e (elo valor no8inalsalvo o dis(osto nos artigos subseqSentes.o no8e do devedor. Art. Art. " (aga8ento deve ser 3eito ao credor ou a que8 de direito o re(resente.co8 desconAeci8ento ou o(osiç1o do devedor.salvo se as circunstPncias contrariare8 a (resunç1o da> resultante.e (ode reter o (aga8ento. Art. Ainda que a obrigaç1o tenAa (or obBeto (restaç1o divis>vel.ainda que 8ais valiosa. .quando 3eito (or que8 (ossa alienar o obBeto e8 que ele consistiu.3icando7lAe ressalvado o regresso contra o credor. A quitaç1o.que (oder1o constranger o devedor a (agar de novo.ou que8 (or este (agou.sob (ena de só valer de(ois de (or ele rati3icado. $ó terC e3icCcia o (aga8ento que i8(ortar trans8iss1o da (ro(riedade. M.ainda (rovado de(ois que n1o era credor..n1o se (oderC 8ais recla8ar do credor que. $e se der e8 (aga8ento coisa 3ung>vel. " credor n1o @ obrigado a receber (restaç1o diversa da que lAe @ devida.ainda que o solvente n1o tivesse o direito de alienC7la. Considera7se autoriOado a receber o (aga8ento o (ortador da quitaç1o.ou do seu re(resentante.sobrevier des(ro(orç1o 8ani3esta entre o valor da (restaç1o devida e o do 8o8ento de sua e?ecuç1o.(oderC o BuiO corrigi7lo.

Art.3ore8 (enAorados e8 e?ecuç1o (or outro credor. Art.estes (resu8e87se (agos. $e o (aga8ento se Aouver de 3aOer (or 8edida. M++. Art.que aceitara8 os do lugar da e?ecuç1o.(oderC o devedor e?igirretendo o (aga8ento.no sil9ncio das (artes.se8 (reBu>Oo (ara o credor.a (resunç1o de estare8 solvidas as anteriores.entender7se7C. FicarC se8 e3eito a quitaç1o assi8 o(erada se o credor (rovar.e8 sessenta dias.da natureOa da obrigaç1o ou das circunstPncias. MM+. Art. E3etuar7se7C o (aga8ento no do8ic>lio do devedor. II 7 se os bens.declaraç1o do credor que inutiliOe o t>tulo desa(arecido. Art. M+*.cabe ao credor escolAer entre eles.ou de concurso de credores.at@ (rova e8 contrCrio. . M+K.su(ortarC este a des(esa acrescida. $alvo dis(osiç1o legal e8 contrCrio. Art. $eç1o ! #o Te8(o do Paga8ento Art.3ar7se7C no lugar onde situado o be8.salvo se as (artes convencionare8 diversa8enteou se o contrCrio resultar da lei. MM*. M+G. Ao credor assistirC o direito de cobrar a d>vida antes de vencido o (raOo esti(ulado no contrato ou 8arcado neste Código: I 7 no caso de 3al9ncia do devedor.(erdido este. MMM. Art.a 3alta do (aga8ento. $endo a quitaç1o do ca(ital se8 reserva dos Buros.ParCgra3o Dnico.a quitaç1o da Dlti8a estabelece. Presu8e87se a cargo do devedor as des(esas co8 o (aga8ento e a quitaç1o.Ai(otecados ou e8(enAados. ParCgra3o Dnico. ParCgra3o Dnico.. Art. Uuando o (aga8ento 3or e8 quotas (eriódicas. $eç1o I! #o Lugar do Paga8ento Art.(oderC o devedor 3aO97lo e8 outro.se de seus ter8os ou das circunstPncias resultar Aaver sido (aga a d>vida.ou (eso. As obrigaçFes condicionais cu8(re87se na data do i8(le8ento da condiç1o.(ode o credor e?igi7lo i8ediata8ente. MM. #esignados dois ou 8ais lugares.. M+=. Art. "correndo 8otivo grave (ara que se n1o e3etue o (aga8ento no lugar deter8inado. M+N. " (aga8ento reiterada8ente 3eito e8 outro local 3aO (resu8ir renDncia do credor relativa8ente ao (revisto no contrato. M+<. M+M.cuBa quitaç1o consista na devoluç1o do t>tulo. $e o (aga8ento consistir na tradiç1o de u8 i8óvel. Art. Ainda se8 os requisitos estabelecidos neste artigo valerC a quitaç1o. A entrega do t>tulo ao devedor 3ir8a a (resunç1o do (aga8ento. M+.n1o tendo sido aBustada @(oca (ara o (aga8ento. Nos d@bitos. se ocorrer au8ento (or 3ato do credor.cabendo ao credor a (rova de que deste teve ci9ncia o devedor. Art.ou e8 (restaçFes relativas a i8óvel.

3icando (ara logo desobrigados os co7devedores e 3iadores que n1o tenAa8 anu>do.assu8irC o risco do (aga8ento.os Buros da d>vida e os riscos.o de(ósito Budicial ou e8 estabeleci8ento bancCrio da coisa devida. MN.(agando as res(ectivas des(esas.as garantias do d@bito.se8 Busta causa.(erderC a (re3er9ncia e a garantia que lAe co8(etia8 co8 res(eito E coisa consignada.quando Bulgado (rocedente.salvo se 3or Bulgado i8(rocedente.sob (ena de ser de(ositada. MMK.ao obBeto.aquiescer no levanta8ento.e subsistindo a obrigaç1o (ara todas as conseqS9ncias de direito.todos os requisitos se8 os quais n1o @ vClido o (aga8ento.. MM<.E conta do devedor.solidariedade (assiva. MN*.serC ele citado (ara esse 3i8.de(ois de contestar a lide ou aceitar o de(ósito. Art. Art. III 7 se o credor 3or inca(aO de receber. Art.nos casos e 3or8a legais. I! 7 se ocorrer dDvida sobre que8 deva legiti8a8ente receber o obBeto do (aga8ento. $e a escolAa da coisa indeter8inada co8(etir ao credor. " credor que.correr1o E conta do credor.recusar receber o (aga8ento.III 7 se cessare8.no caso contrCrio.e o devedorinti8ado. Art. Enquanto o credor n1o declarar que aceita o de(ósito.ou reais. MMG.serC 8ister concorra8. MM. Nos casos deste artigo. Art.se negar a re3orçC7las. II 7 se o credor n1o 3or.ou dar quitaç1o na devida 3or8a.sen1o de acordo co8 os outros devedores e 3iadores. 4ulgado (rocedente o de(ósito.te8(o e condiç1o devidos. ! 7 se (ender lit>gio sobre o obBeto do (aga8ento.ou. Art. Art. MNN. Art.o devedor BC n1o (oderC levantC7lo.8odo e te8(o.(oderC o devedor citar o credor (ara vir ou 8andar receb97la.cessando.e8bora o credor consinta.e. " devedor de obrigaç1o litigiosa e?onerar7se7C 8ediante consignaç1o.ou n1o o i8(ugnar.(oderC o devedor requerer o levanta8ento. Art. MM=. .tanto que se e3etue. A consignaç1o te8 lugar: I 7 se o credor n1o (uder.se Aouver. Art.sob co8inaç1o de (erder o direito e de ser de(ositada a coisa que o devedor escolAer.tendo conAeci8ento do lit>gio.8as.(roceder7 se7C co8o no artigo antecedente.ou residir e8 lugar incerto ou de acesso (erigoso ou di3>cil. MMN. 3eita a escolAa (elo devedor.(ara o de(ositante.3ideBussórias.n1o se re(utarC vencido quanto aos outros devedores solventes.3or desconAecido. As des(esas co8 o de(ósito.e e?tingue a obrigaç1o. $e a coisa devida 3or i8óvel ou cor(o certo que deva ser entregue no 8es8o lugar onde estC. CAP%T&L" II #o Paga8ento e8 Consignaç1o Art.e8 relaç1o Es (essoas. Considera7se (aga8ento.declarado ausente.no d@bito. MN+.ou se se tornare8 insu3icientes. Para que a consignaç1o tenAa 3orça de (aga8ento. " de(ósito requerer7se7C no lugar do (aga8ento.ne8 8andar receber a coisa no lugar. MNM..se (agar a qualquer dos (retendidos credores. ParCgra3o Dnico.

M==. CAP%T&L" I! #a I8(utaç1o do Paga8ento Art. CAP%T&L" III #o Paga8ento co8 $ub7Rogaç1o Art.se os bens do devedor n1o cAegare8 (ara saldar inteira8ente o que a u8 e outro dever.be8 co8o do terceiro que e3etiva o (aga8ento (ara n1o ser (rivado de direito sobre i8óvel. $e a d>vida se vencer.sob a condiç1o e?(ressa de 3icar o 8utuante sub7rogado nos direitos do credor satis3eito. MN<. M=+.e8 relaç1o E d>vida.e a quitaç1o 3or o8issa quanto E i8(utaç1o.terC (re3er9ncia ao sub7rogado. M=G.ou se o credor (assar a quitaç1o (or conta do ca(ital. Art.no todo ou e8 (arte. " credor originCrio.só e8 (arte ree8bolsado. N1o tendo o devedor declarado e8 qual das d>vidas l>quidas e vencidas quer i8(utar o (aga8ento. $e as d>vidas 3ore8 todas l>quidas e vencidas ao 8es8o te8(o.n1o terC direito a recla8ar contra a i8(utaç1o 3eita (elo credor. A (essoa obrigada (or dois ou 8ais d@bitos da 8es8a natureOa. MNG.sen1o at@ E so8a que tiver dese8bolsado (ara desobrigar o devedor.. Art.a u8 só credor. Art. $e o devedor n1o 3iOer a indicaç1o do art.e de(ois no ca(italsalvo esti(ulaç1o e8 contrCrio. Art.esta se 3arC nas d>vidas l>quidas e vencidas e8 (ri8eiro lugar.salvo (rovando Aaver ele co8etido viol9ncia ou dolo. MN=. Na sub7rogaç1o legal o sub7rogado n1o (oderC e?ercer os direitos e as açFes do credor.e8 3avor: I 7 do credor que (aga a d>vida do devedor co8u8.o (aga8ento i8(utar7se7C (ri8eiro nos Buros vencidos. Art. A sub7rogaç1o trans3ere ao novo credor todos os direitos.. M=M.(oderC qualquer deles requerer a consignaç1o. MN. II 7 do adquirente do i8óvel Ai(otecado.de (leno direito. M=+. M=N. CAP%T&L" ! #a #aç1o e8 Paga8ento Art.se aceitar a quitaç1o de u8a delas. MNK. Art.que (aga a credor Ai(otecCrio. M=*. A sub7rogaç1o @ convencional: I 7 quando o credor recebe o (aga8ento de terceiro e e?(ressa8ente lAe trans3ere todos os seus direitos. A sub7rogaç1o o(era7se. Art. M=. " credor (ode consentir e8 receber (restaç1o diversa da que lAe @ devida. Art. Na Ai(ótese do inciso I do artigo antecedente.te8 o direito de indicar a qual deles o3erece (aga8ento.contra o devedor (rinci(al e os 3iadores.se todos 3ore8 l>quidos e vencidos.Art.a i8(utaç1o 3ar7se7C na 8ais onerosa.(rivil@gios e garantias do (ri8itivo. Tavendo ca(ital e Buros. III 7 do terceiro interessado.na cobrança da d>vida restante.açFes. .que (aga a d>vida (ela qual era ou (odia ser obrigado. II 7 quando terceira (essoa e8(resta ao devedor a quantia (recisa (ara solver a d>vida.vigorarC o dis(osto quanto E cess1o do cr@dito.(endendo lit>gio entre credores que se (retende8 8utua8ente e?cluir.

A novaç1o (or substituiç1o do devedor (ode ser e3etuada inde(endente8ente de consenti8ento deste.so8ente sobre os bens do que contrair a nova obrigaç1o subsiste8 as (re3er9ncias e garantias do cr@dito novado. Art.se8(re que n1o Aouver esti(ulaç1o e8 contrCrio. . Art. M<+. MGK. II 7 quando novo devedor sucede ao antigo.n1o (ode8 ser obBeto de novaç1o obrigaçFes nulas ou e?tintas. A novaç1o e?tingue os acessórios e garantias da d>vida. Art. 8as o 3iador (ode co8(ensar sua d>vida co8 a de seu credor ao a3iançado. CAP%T&L" !I #A N"!A5W" Art. MG=.3icando se8 e3eito a quitaç1o dada. Art.e8bora consagrados (elo uso geral. Art. MG*. $alvo as obrigaçFes si8(les8ente anulCveis. I8(orta e?oneraç1o do 3iador a novaç1o 3eita se8 seu consenso co8 o devedor (rinci(al.as duas obrigaçFes e?tingue87se.n1o se co8(ensar1o.at@ onde se co8(ensare8. N1o a(roveitarC.que o aceitou. MGN.a Ai(oteca ou a anticrese. MG+.. M=<.as relaçFes entre as (artes regular7se71o (elas nor8as do contrato de co8(ra e venda. III 7 quando. Art.3icando o devedor quite co8 este.. M<.vencidas e de coisas 3ung>veis..ao credor ressalvar o (enAor. CAP%T&L" !II #a Co8(ensaç1o Art. "s outros devedores solidCrios 3ica8 (or esse 3ato e?onerados. "s (raOos de 3avor. MGG. E8bora seBa8 do 8es8o g9nero as coisas 3ung>veis. Art. MG<. "(erada a novaç1o entre o credor e u8 dos devedores solidCrios. $e 3or t>tulo de cr@dito a coisa dada e8 (aga8ento.e?(resso ou tCcito 8as inequ>voco. MGM. M=K. $e o credor 3or evicto da coisa recebida e8 (aga8ento.a trans3er9ncia i8(ortarC e8 cess1o. M=. Art. MG.se os bens dados e8 garantia (ertencere8 a terceiro que n1o 3oi (arte na novaç1o. A co8(ensaç1o e3etua7se entre d>vidas l>quidas. MG.3icando este quite co8 o credor. #C7se a novaç1o: I 7 quando o devedor contrai co8 o credor nova d>vida (ara e?tinguir e substituir a anterior. Art.outro credor @ substitu>do ao antigo. Art.ressalvados os direitos de terceiros.contudo.e8 virtude de obrigaç1o nova. Art.aç1o regressiva contra o (ri8eirosalvo se este obteve (or 8C73@ a substituiç1o. Art.n1o te8 o credor. $e o novo devedor 3or insolvente. $e duas (essoas 3ore8 ao 8es8o te8(o credor e devedor u8a da outra.quando es(eci3icada no contrato. M<*. #eter8inado o (reço da coisa dada e8 (aga8ento..veri3icando7se que di3ere8 na qualidade. Art. " devedor so8ente (ode co8(ensar co8 o credor o que este lAe dever.a segunda obrigaç1o con3ir8a si8(les8ente a (ri8eira.n1o obsta8 a co8(ensaç1o.Art. N1o Aavendo Pni8o de novar.obBeto das duas (restaçFes.restabelecer7se7C a obrigaç1o (ri8itiva.

MKM. $e.a obrigaç1o anterior.ou no caso de renDncia (r@via de u8a delas. Art. M<G. M<<.(or 8Dtuo acordo.+. Art. " devedor que. Art.co8 todos os seus acessórios.subsistindo quanto ao 8ais a solidariedade.aceita (elo devedor. A re8iss1o da d>vida. A con3us1o (ode veri3icar7se a res(eito de toda a d>vida.n1o a e?tinç1o da d>vida. Art. Art. Art.de(ósito ou ali8entos. M<K. MK+. '!ide Jedida Provisória n) <=. CAP%T&L" IV #a Re8iss1o das #>vidas Art.de ++. " devedor que se torne credor do seu credor. MKG.=.+.ou na d>vida.no que concerne Es d>vidas 3iscais e (ara3iscais.(rova desoneraç1o do devedor e seus co7obrigados. MK. A di3erença de causa nas d>vidas n1o i8(ede a co8(ensaç1o.n1o (ode o(or ao e?eqSente a co8(ensaç1o.Art.de(ois de (enAorado o cr@dito deste..n1o se (ode8 co8(ensar se8 deduç1o das des(esas necessCrias E o(eraç1o. Art.no co8(ensC7 las. M<. A restituiç1o voluntCria do obBeto e8(enAado (rova a renDncia do credor E garantia real.M/ Art.e?tingue a obrigaç1o.nada o(Fe E cess1o que o credor 3aO a terceiros dos seus direitos.e o devedor ca(aO de adquirir. . Art.n1o (ode co8(ensar essa d>vida co8 a que o credor dele lAe dever. A con3us1o o(erada na (essoa do credor ou devedor solidCrio só e?tingue a obrigaç1o at@ a concorr9ncia da res(ectiva (arte no cr@dito. MK*. Art.(or@8.*. $endo a 8es8a (essoa obrigada (or vCrias d>vidas co8(ensCveis.+/ 'Revogado (ela Lei n) *.de que contra o (ró(rio credor dis(oria. III 7 se u8a 3or de coisa n1o suscet>vel de (enAora. Uuando as duas d>vidas n1o s1o (agCveis no 8es8o lugar.. CAP%T&L" !III #a Con3us1o Art.8as se8 (reBu>Oo de terceiro.a cess1o lAe n1o tiver sido noti3icada.e?ceto: I 7 se (rovier de esbulAo.. "brigando7se (or terceiro u8a (essoa.as regras estabelecidas quanto E i8(utaç1o do (aga8ento. MKN. N1o AaverC co8(ensaç1o quando as (artes. M<M.de +N. N1o se ad8ite a co8(ensaç1o e8 (reBu>Oo de direito de terceiro. II 7 se u8a se originar de co8odato.que antes da cess1o teria (odido o(or ao cedente.n1o (ode o(or ao cessionCrio a co8(ensaç1o. Cessando a con3us1o.(ara logo se restabelece.quando (or escrito (articular.ou só de (arte dela. Art.G<<.(oderC o(or ao cessionCrio co8(ensaç1o do cr@dito que antes tinAa contra o cedente..a e?clu>re8.noti3icado.se o credor 3or ca(aO de alienar. MK<.@ regida (elo dis(osto neste ca(>tulo. A devoluç1o voluntCria do t>tulo da obrigaç1o. Art. E?tingue7se a obrigaç1o. MK=.. A 8at@ria da co8(ensaç1o. M<N. M<=.ser1o observadas.desde que na 8es8a (essoa se con3unda8 as qualidades de credor e devedor.3urto ou roubo..

Art.constitui de (leno direito e8 8ora o devedor.atualiOaç1o dos valores 8onetCrios segundo >ndices o3iciais regular8ente estabelecidos. CAP%T&L" II #a Jora Art..N.res(onde o devedor (or (erdas e danos.a que8 o contrato a(roveite.res(onde (or si8(les cul(a o contratante.se tornar inDtil ao credor.+. Art. " inadi8(le8ento da obrigaç1o. Res(onde o devedor (elos (reBu>Oos a que sua 8ora der causa. M..se estes ocorrere8 durante o atraso.ou que o dano sobreviria ainda quando a obrigaç1o 3osse o(ortuna8ente dese8(enAada.. Nos contratos ben@3icos. Art. Art. de 8odo que. M..e8bora essa i8(ossibilidade resulte de caso 3ortuito ou de 3orça 8aior. A re8iss1o concedida a u8 dos co7devedores e?tingue a d>vida na (arte a ele corres(ondente.e AonorCrios de advogado. Nas obrigaçFes (rovenientes de ato il>cito. M.BC lAes n1o (ode cobrar o d@bito se8 deduç1o da (arte re8itida. M. " caso 3ortuito ou de 3orça 8aior veri3ica7se no 3ato necessCrio. N. Art.salvo as e?ceçFes (revistas e8 lei.devido E 8ora.<. M. Art.M.se e?(ressa8ente n1o se Aouver (or eles res(onsabiliOado. Art.. Art. Art. A 8ora do credor subtrai o devedor isento de dolo E res(onsabilidade (ela conservaç1o da coisaobriga o credor a ressarcir as des(esas e8(regadas e8 conservC7la.desde que o (raticou..este (oderC enBeitC7la.e (or dolo aquele a que8 n1o 3avoreça.*.=. Art.(ositiva e l>quida. MKK.8ais Buros. Considera7se e8 8ora o devedor que n1o e3etuar o (aga8ento e o credor que n1o quiser receb97lo no te8(o.e AonorCrios de advogado.ainda reservando o credor a solidariedade contra os outros. N1o Aavendo ter8o. M. M.K. " devedor n1o res(onde (elos (reBu>Oos resultantes de caso 3ortuito ou 3orça 8aior.cuBos e3eitos n1o era (oss>vel evitar ou i8(edir. Nos contratos onerosos. Nas obrigaçFes negativas o devedor @ Aavido (or inadi8(lente desde o dia e8 que e?ecutou o ato de que se devia abster.res(onde cada u8a das (artes (or cul(a. N1o cu8(rida a obrigaç1o. Art. MK.e e?igir a satis3aç1o das (erdas e danos. ParCgra3o Dnico. N1o Aavendo 3ato ou o8iss1o i8(utCvel ao devedor. salvo se (rovar isenç1o de cul(a.n1o incorre este e8 8ora.e suBeita7o a receb97la (ela esti8aç1o .a 8ora se constitui 8ediante inter(elaç1o Budicial ou e?traBudicial.. M.no seu ter8o. $e a (restaç1o.lugar e 3or8a que a lei ou a convenç1o estabelecer.G.8ais Buros e atualiOaç1o 8onetCria segundo >ndices o3iciais regular8ente estabelecidos. Pelo inadi8(le8ento das obrigaçFes res(onde8 todos os bens do devedor. ParCgra3o Dnico. M. T%T&L" I! #o Inadi8(le8ento das "brigaçFes CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art.considera7se o devedor e8 8ora. M. " devedor e8 8ora res(onde (ela i8(ossibilidade da (restaç1o. ParCgra3o Dnico.

Uuando se esti(ular a clCusula (enal (ara o caso de 8ora.cul(osa8ente.abrangendo Buros. N.esta converter7 se7C e8 alternativa a bene3>cio do credor.(ode o BuiO conceder ao credor indeniOaç1o su(le8entar.dei?e de cu8(rir a obrigaç1o ou se constitua e8 8ora. CAP%T&L" ! #a ClCusula Penal Art.G.arbitra8ento.@ obrigado o devedor aos Buros da 8ora que se contar1o assi8 Es d>vidas e8 dinAeiro. Conta87se os Buros de 8ora desde a citaç1o inicial.<.K. Ainda que se n1o alegue (reBu>Oo.u8a veO que lAes esteBa 3i?ado o valor (ecuniCrio (or sentença Budicial.o3erecendo este a (restaç1o 8ais a i8(ortPncia dos (reBu>Oos decorrentes do dia da o3erta. Uuando os Buros 8oratórios n1o 3ore8 convencionados.ser1o (agas co8 atualiOaç1o 8onetCria segundo >ndices o3iciais regular8ente estabelecidos.co8o Es (restaçFes de outra natureOa. $alvo as e?ceçFes e?(ressa8ente (revistas e8 lei. Purga7se a 8ora: I 7 (or (arte do devedor.ou e8 segurança es(ecial de outra clCusula deter8inada. N.o que raOoavel8ente dei?ou de lucrar. N**. Art.+.se o seu valor oscilar entre o dia estabelecido (ara o (aga8ento e o da sua e3etivaç1o.as (erdas e danos só inclue8 os (reBu>Oos e3etivos e os lucros cessantes (or e3eito dela direto e i8ediato.se8 (reBu>Oo do dis(osto na lei (rocessual.ou quando (roviere8 de deter8inaç1o da lei..ou o 3ore8 se8 ta?a esti(ulada.nas obrigaçFes de (aga8ento e8 dinAeiro.ou acordo entre as (artes. N. Art. Art.ser1o 3i?ados segundo a ta?a que estiver e8 vigor (ara a 8ora do (aga8ento de i8(ostos devidos E FaOenda Nacional. N. Uuando se esti(ular a clCusula (enal (ara o caso de total inadi8(le8ento da obrigaç1o.. N. Art.terC o credor o arb>trio de e?igir a satis3aç1o da (ena co8inada.8ais 3avorCvel ao devedor.=. CAP%T&L" III #as Perdas e #anos Art.ou e8 ato (osterior. As (erdas e danos. CAP%T&L" I! #os 4uros Legais Art.M.desde que. N. N*. Art.E de algu8a clCusula es(ecial ou si8(les8ente E 8ora..se8 (reBu>Oo da (ena convencional.custas e AonorCrios de advogado.as (erdas e danos devidas ao credor abrange8al@8 do que ele e3etiva8ente (erdeu. N. N.o3erecendo7se este a receber o (aga8ento e suBeitando7se aos e3eitos da 8ora at@ a 8es8a data. Art. A clCusula (enal esti(ulada conBunta8ente co8 a obrigaç1o.N. ParCgra3o Dnico.(ode re3erir7se E ine?ecuç1o co8(leta da obrigaç1o. Art. Ainda que a ine?ecuç1o resulte de dolo do devedor.e n1o Aavendo (ena convencional.*. Incorre de (leno direito o devedor na clCusula (enal. II 7 (or (arte do credor. . N. Art. Provado que os Buros da 8ora n1o cobre8 o (reBu>Oo.Bunta8ente co8 o dese8(enAo da obrigaç1o (rinci(al.

a (ena vale co8o 8>ni8o da indeniOaç1o. N*M. " valor da co8inaç1o i8(osta na clCusula (enal n1o (ode e?ceder o da obrigaç1o (rinci(al.valendo as arras co8o ta?a 8>ni8a. Ainda que o (reBu>Oo e?ceda ao (revisto na clCusula (enal. Art.se (rovar 8aior (reBu>Oo.a (arte inocente e?igir a e?ecuç1o do contrato.incorrer1o na (ena. Art.valendo as arras co8o o 8>ni8o da indeniOaç1o.(oderC a outra t97lo (or des3eito..que8 as deu (erd97las7C e8 bene3>cio da outra (arte. Uuando a obrigaç1o 3or divis>vel. T%T&L" ! #os Contratos e8 eral CAP%T&L" I #is(osiçFes erais $eç1o I Preli8inares Art. N*N. Art.as arras ou sinal ter1o 3unç1o unica8ente indeniOatória. $e o tiver sido.co8(etindo ao credor (rovar o (reBu>Oo e?cedente. N*G.Art. N*=. Neste caso.todos os devedores. CAP%T&L" !I #as Arras ou $inal Art. N+*. e que8 as recebeu devolv97las7C.ser restitu>das ou co8(utadas na (restaç1o devida. Para e?igir a (ena convencional. $e. se a ine?ecuç1o 3or de que8 recebeu as arras. Art. Art. $endo indivis>vel a obrigaç1o. A liberdade de contratar serC e?ercida e8 raO1o e nos li8ites da 3unç1o social do contrato.retendo7as.res(ondendo cada u8 dos outros so8ente (ela sua quota.n1o @ necessCrio que o credor alegue (reBu>Oo.8ais o equivalente. ParCgra3o Dnico.a t>tulo de arras. N*. $e a (arte que deu as arras n1o e?ecutar o contrato. N*+. N+. ParCgra3o Dnico.(oderC que8 as deu Aaver o contrato (or des3eito. Art.caindo e8 3alta u8 deles.n1o (ode o credor e?igir indeniOaç1o su(le8entar se assi8 n1o 3oi convencionado.tendo7se e8 vista a natureOa e a 3inalidade do negócio. Aos n1o cul(ados 3ica reservada a aç1o regressiva contra aquele que deu causa E a(licaç1o da (ena.u8a (arte der E outra. A (enalidade deve ser reduOida eqSitativa8ente (elo BuiO se a obrigaç1o (rinci(al tiver sido cu8(rida e8 (arte.assi8 na conclus1o do contrato. Pode. A (arte inocente (ode (edir indeniOaç1o su(le8entar. N++.dinAeiro ou outro be8 8óvel.co8 as (erdas e danos. Art. N*K. 8as esta só se (oderC de8andar integral8ente do cul(ado. E8 a8bos os casos n1o AaverC direito a indeniOaç1o su(le8entar.co8o e8 sua e?ecuç1o.ou se o 8ontante da (enalidade 3or 8ani3esta8ente e?cessivo.só incorre na (ena o devedor ou o Aerdeiro do devedor que a in3ringire (ro(orcional8ente E sua (arte na obrigaç1o.se do 8es8o g9nero da (rinci(al. N*<.e8 caso de e?ecuç1o..dever1o as arras. $e no contrato 3or esti(ulado o direito de arre(endi8ento (ara qualquer das (artes.e e?igir sua devoluç1o 8ais o equivalente. "s contratantes s1o obrigados a guardar. Art. .os (rinc>(ios de (robidade e boa73@.(or ocasi1o da conclus1o do contrato.co8 atualiOaç1o 8onetCria segundo >ndices o3iciais regular8ente estabelecidosBuros e AonorCrios de advogado.ta8b@8.

III 7 se ela n1o cAegar no (raOo convencionado. Art.salvo se o contrCrio resultar das circunstPncias ou dos usos.da natureOa do negócio.cAegar tarde ao conAeci8ento do (ro(onente. N+. Art.s1o nulas as clCusulas que esti(ule8 a renDncia anteci(ada do aderente a direito resultante da natureOa do negócio. NM. $e a aceitaç1o.n1o tiver sido e?(edida a res(osta dentro do (raOo dado. Art. "s contratos entre ausentes torna87se (er3eitos desde que a aceitaç1o @ e?(edida.Art.se o contrCrio n1o resultar dos ter8os dela. Art. N+N.3eita se8 (raOo a (essoa (resente. NMN.ou 8odi3icaçFes.n1o 3oi i8ediata8ente aceita. Art.restriçFes.. Pode revogar7se a o3erta (ela 8es8a via de sua divulgaç1o. NM=.n1o cAegando a te8(o a recusa. R l>cito Es (artes esti(ular contratos at>(icos. N+<. . $eç1o II #a For8aç1o dos Contratos Art. N+G.este co8unicC7lo7C i8ediata8ente ao aceitante.i8(ortarC nova (ro(osta. II 7 se.3eita se8 (raOo a (essoa ausente.. A (ro(osta de contrato obriga o (ro(onente. N+K. N+M.co8 adiçFes.dever7se7C adotar a inter(retaç1o 8ais 3avorCvel ao aderente. $e o negócio 3or daqueles e8 que n1o seBa costu8e a aceitaç1o e?(ressa. Art.ou si8ultanea8ente. Re(utar7se7C celebrado o contrato no lugar e8 que 3oi (ro(osto. Nos contratos de ades1o.antes dela.desde que ressalvada esta 3aculdade na o3erta realiOada. II 7 se o (ro(onente se Aouver co8(ro8etido a es(erar res(osta.e?ceto: I 7 no caso do artigo antecedente. Art. N1o (ode ser obBeto de contrato a Aerança de (essoa viva.cAegar ao conAeci8ento da outra (arte a retrataç1o do (ro(onente. Art. #ei?a de ser obrigatória a (ro(osta: I 7 se.se antes dela ou co8 ela cAegar ao (ro(onente a retrataç1o do aceitante.(or circunstPncia i8(revista. Uuando Aouver no contrato de ades1o clCusulas a8b>guas ou contraditórias.ou das circunstPncias do caso. Considera7se ta8b@8 (resente a (essoa que contrata (or tele3one ou (or 8eio de co8unicaç1o se8elAante.ou o (ro(onente a tiver dis(ensado. Art. N+=. Considera7se ine?istente a aceitaç1o. NM*. A o3erta ao (Dblico equivale a (ro(osta quando encerra os requisitos essenciais ao contrato.observadas as nor8as gerais 3i?adas neste Código.re(utar7se7C conclu>do o contrato.3eita a (essoa ausente. NMM. Art. Art. I! 7 se. NM+.tiver decorrido te8(o su3iciente (ara cAegar a res(osta ao conAeci8ento do (ro(onente.sob (ena de res(onder (or (erdas e danos. ParCgra3o Dnico. III 7 se. A aceitaç1o 3ora do (raOo.

$eç1o III #a Esti(ulaç1o e8 Favor de Terceiro Art.restituirC o que recebeu co8 (erdas e danos.reduOido E 8etade.suBeito Es condiçFes e nor8as do contrato.venAa a recair sobre os seus bens. e de u8 ano(ara os i8óveis. NenAu8a obrigaç1o AaverC (ara que8 se co8(ro8eter (or outre8.at@ o (raOo 8C?i8o de cento e oitenta dias.(or sua natureOa.o (raOo contar7se7C do 8o8ento e8 que dele tiver ci9ncia. Art.quando este o n1o e?ecutar.n1o (oderC o esti(ulante e?onerar o devedor. A res(onsabilidade do alienante subsiste ainda que a coisa (ereça e8 (oder do alienatCrio. $e ao terceiro.se (erecer (or v>cio oculto. $eç1o ! #os !>cios Redibitórios Art. " que esti(ula e8 3avor de terceiro (ode e?igir o cu8(ri8ento da obrigaç1o.e8 3avor de que8 se esti(ulou a obrigaç1o. " adquirente decai do direito de obter a redibiç1o ou abati8ento no (reço no (raOo de trinta dias se a coisa 3or 8óvel. Tal res(onsabilidade n1o e?istirC se o terceiro 3or o cLnBuge do (ro8itente. NMK.ta8b@8 @ (er8itido e?igi7la. NN+.se este. Art. $e o alienante conAecia o v>cio ou de3eito da coisa. NMG.BC e?istente ao te8(o da tradiç1o. se BC estava na (osse.t1o7so8ente restituirC o valor recebido. Aquele que tiver (ro8etido 3ato de terceiro res(onderC (or (erdas e danos. $eç1o I! #a Pro8essa de Fato de Terceiro Art.de(endendo da sua anu9ncia o ato a ser (raticado.de(ois de se ter obrigado3altar E (restaç1o.. NN*..e8 se tratando de bens 8óveis.só (uder ser conAecido 8ais tarde. Art.(ode o adquirente recla8ar abati8ento no (reço.de algu8 8odo. " esti(ulante (ode reservar7se o direito de substituir o terceiro designado no contratoinde(endente8ente da sua anu9ncia e da do outro contratante.e o esti(ulante n1o o inovar nos ter8os do art. Art.8ais as des(esas do contrato.se a ele anuir. NN. ParCgra3o Dnico. Ao terceiro. NMK. NN=.se dei?ar o direito de recla8ar7lAe a e?ecuç1o.o (raOo conta7se da alienaç1o. Art.a indeniOaç1o.contado da entrega e3etiva. Art.ou lAe di8inua8 o valor. Q *o Uuando o v>cio. R a(licCvel a dis(osiç1o deste artigo Es doaçFes onerosas.e de u8 ano se 3or i8óvel. ParCgra3o Dnico.e desde que.3icandotodavia. ParCgra3o Dnico. .(elo regi8e do casa8ento. A coisa recebida e8 virtude de contrato co8utativo (ode ser enBeitada (or v>cios ou de3eitos ocultosque a torne8 i8(ró(ria ao uso a que @ destinada. A substituiç1o (ode ser 3eita (or ato entre vivos ou (or dis(osiç1o de Dlti8a vontade. NN*/.redibindo o contrato 'art. NNN. NM. NNM. NM<. se o n1o conAecia.e8 3avor de que8 se 3eO o contrato. E8 veO de reBeitar a coisa. Art. ParCgra3o Dnico.

. II 7 E indeniOaç1o (elas des(esas dos contratos e (elos (reBu>Oos que direta8ente resultare8 da evicç1o. N=. Para (oder e?ercitar o direito que da evicç1o lAe resulta. Art.e?ceto Aavendo dolo do adquirente.caberC so8ente direito a indeniOaç1o..re3orçar.a(licando7se o dis(osto no (arCgra3o antecedente se n1o Aouver regras disci(linando a 8at@ria.se esta se der.no caso de evicç1o (arcial. .quando e co8o lAe deter8inare8 as leis do (rocesso. Art.ser1o (agas (elo alienante.na 3alta desta.al@8 da restituiç1o integral do (reço ou das quantias que (agou: I 7 E indeniOaç1o dos 3rutos que tiver sido obrigado a restituir. Pode8 as (artes. Art. Art. Art. N=G. $ubsiste esta garantia ainda que a aquisiç1o se tenAa realiOado e8 Aasta (Dblica.ou.n1o o assu8iu. NN<. Art. N1o correr1o os (raOos do artigo antecedente na constPncia de clCusula de garantia.ou usar de recursos.Q +o Tratando7se de venda de ani8ais. Art.ou qualquer dos anteriores.(oderC o evicto o(tar entre a rescis1o do contrato e a restituiç1o da (arte do (reço corres(ondente ao des3alque so3rido. $e as ben3eitorias abonadas ao que so3reu a evicç1o tivere8 sido 3eitas (elo alienante. Art.ainda que a coisa alienada esteBa deteriorada. N==. $alvo esti(ulaç1o e8 contrCrio.o adquirente noti3icarC do lit>gio o alienante i8ediato.os (raOos de garantia (or v>cios ocultos ser1o os estabelecidos e8 lei es(ecial.o alienante res(onde (ela evicç1o.n1o abonadas ao que so3reu a evicç1o. ParCgra3o Dnico. As ben3eitorias necessCrias ou Dteis.(or clCusula e?(ressa. NN. N=M. N1o atendendo o alienante E denunciaç1o da lide. Nos contratos onerosos. N=N.sob (ena de decad9ncia.o valor delas serC levado e8 conta na restituiç1o devida. N=*.na @(oca e8 que se evenceue (ro(orcional ao des3alque so3rido. III 7 Es custas Budiciais e aos AonorCrios do advogado (or ele constitu>do. Art.e sendo 8ani3esta a (roced9ncia da evicç1o(ode o adquirente dei?ar de o3erecer contestaç1o. N=<. NNK. NNG.8as considerCvel.di8inuir ou e?cluir a res(onsabilidade (ela evicç1o. $ubsiste (ara o alienante esta obrigaç1o.3or a evicç1o. N1o obstante a clCusula que e?clui a garantia contra a evicç1o. " (reço.ou.seBa a evicç1o total ou (arcial.se n1o soube do risco da evicç1o.e n1o tiver sido condenado a indeniOC7laso valor das vantagens serC deduOido da quantia que lAe Aouver de dar o alienante. 8as o adquirente deve denunciar o de3eito ao alienante nos trinta dias seguintes ao seu descobri8ento. N=+. Art. $eç1o !I #a Evicç1o Art. $e o adquirente tiver au3erido vantagens das deterioraçFes.serC o do valor da coisa.dele in3or8ado.(elos usos locais.se sabia que a coisa era alAeia ou litigiosa. Art.te8 direito o evicto.te8 direito o evicto a receber o (reço que (agou (ela coisa evicta. ParCgra3o Dnico. $e (arcial. $e n1o 3or considerCvel. N1o (ode o adquirente de8andar (ela evicç1o.

. A alienaç1o aleatória a que se re3ere o artigo antecedente (oderC ser anulada co8o dolosa (elo (reBudicado. $e 3or aleatório.ainda que a coisa venAa a e?istir e8 quantidade in3erior E es(erada.e o alienante restituirC o (reço recebido.a (artir do 8o8ento e8 que este 3oi celebrado. A aceitaç1o da (essoa no8eada n1o serC e3icaO se n1o se revestir da 8es8a 3or8a que as (artes usara8 (ara o contrato. Conclu>do o contrato (reli8inar.salvo se a isto se o(user a natureOa da obrigaç1o.no que lAe 3or raOoavel8ente assinado (elo devedor. $e 3or aleatório o contrato. $eç1o IV #o Contrato co8 Pessoa a #eclarar Art.se outro n1o tiver sido esti(ulado.desde que de sua (arte n1o tiver concorrido cul(a.(ode u8a das (artes reservar7se a 3aculdade de indicar a (essoa que deve adquirir os direitos e assu8ir as obrigaçFes dele decorrentes. ParCgra3o Dnico. Essa indicaç1o deve ser co8unicada E outra (arte no (raOo de cinco dias da conclus1o do contrato.sob (ena de 3icar a 8es8a se8 e3eito.se (rovar que o outro contratante n1o ignorava a consu8aç1o do risco.ainda que nada do avençado venAa a e?istir.terC igual8ente direito o alienante a todo o (reço.a (edido do interessado.cuBo risco de n1o vire8 a e?istir u8 dos contratantes assu8a. Art. NG. $e o esti(ulante n1o der e?ecuç1o ao contrato (reli8inar.ine?istindo este.adquire os direitos e assu8e as obrigaçFes decorrentes do contrato.su(rir a vontade da (arte inadi8(lentecon3erindo carCter de3initivo ao contrato (reli8inar. N=. Art. NG=. Art.co8 observPncia do dis(osto no artigo antecedente. NG<.e (edir (erdas e danos...deve conter todos os requisitos essenciais ao contrato a ser celebrado. N=K.terC ta8b@8 direito o alienante a todo o (reço. Art.e desde que dele n1o conste clCusula de arre(endi8ento. " contrato (reli8inar. Art.ou de todo.(oderC a outra (arte considerC7lo des3eito.e?ceto quanto E 3or8a.e8 (arte.assu8ido (elo adquirente. Jas. ParCgra3o Dnico.to8ando o adquirente a si o risco de vire8 a e?istir e8 qualquer quantidade. NG*. A (essoa.no8eada de con3or8idade co8 os artigos antecedentes. No 8o8ento da conclus1o do contrato.o credor.no dia do contrato.qualquer das (artes terC o direito de e?igir a celebraç1o do de3initivoassinando (raOo E outra (ara que o e3etive. NG.(or diOer res(eito a coisas ou 3atos 3uturos. Art. Art.(or se re3erir a coisas e?istentes. Art. Art. NGN.desde que de sua (arte n1o tenAa Aavido dolo ou cul(a.(osto que a coisa BC n1o e?istisse.$eç1o !II #os Contratos Aleatórios Art. $eç1o !III #o Contrato Preli8inar Art. Esgotado o (raOo. " contrato (reli8inar deverC ser levado ao registro co8(etente.ou. NG+. NGG.(or sere8 obBeto dele coisas 3uturas. $e a (ro8essa de contrato 3or unilateral.8as e?(ostas a risco.terC o outro direito de receber integral8ente o que lAe 3oi (ro8etido. NGK. ParCgra3o Dnico.se da coisa nada vier a e?istir.a que no contrato se considerava e?(osta a coisa. $e o contrato 3or aleatório.deverC 8ani3estar7se no (raOo nela (revisto.alienaç1o n1o AaverC.. NGM.(oderC o BuiO.

dada a natureOa do contrato. N<*.o contrato (roduOirC seus e3eitos entre os contratantes originCrios. A clCusula resolutiva e?(ressa o(era de (leno direito.(oderC o devedor (edir a resoluç1o do contrato. II 7 se a (essoa no8eada era insolvente. ParCgra3o Dnico. .o(era 8ediante denDncia noti3icada E outra (arte. " contrato serC e3icaO so8ente entre os contratantes originCrios: I 7 se n1o Aouver indicaç1o de (essoa.co8 e?tre8a vantage8 (ara a outra.at@ que aquela satis3aça a que lAe co8(ete ou d9 garantia bastante de satis3aO97 la.o3erecendo7se o r@u a 8odi3icar eqSitativa8ente as condiçFes do contrato.u8a das (artes Aouver 3eito investi8entos considerCveis (ara a sua e?ecuç1o.Art. a tCcita de(ende de inter(elaç1o Budicial.se a (restaç1o de u8a das (artes se tornar e?cessiva8ente onerosa.e8 virtude de aconteci8entos e?traordinCrios e i8(revis>veis.se n1o (re3erir e?igir7lAe o cu8(ri8ento. Art. $e a (essoa a no8ear era inca(aO ou insolvente no 8o8ento da no8eaç1o. "s e3eitos da sentença que a decretar retroagir1o E data da citaç1o. CAP%T&L" II #a E?tinç1o do Contrato $eç1o I #o #istrato Art. $e. NK. $eç1o II #a ClCusula Resolutiva Art. N<. N<+. N<N.indeniOaç1o (or (erdas e danos. $e.. N<G.a denDncia unilateral só (roduOirC e3eito de(ois de transcorrido (raOo co8(at>vel co8 a natureOa e o vulto dos investi8entos.cabendo.nenAu8 dos contratantes.. Art. N<=.(ode a outra recusar7se E (restaç1o que lAe incu8be.nos casos e8 que a lei e?(ressa ou i8(licita8ente o (er8ita. Art.e8 qualquer dos casos.. $e no contrato as obrigaçFes coubere8 a a(enas u8a das (artes. " distrato 3aO7se (ela 8es8a 3or8a e?igida (ara o contrato.a 3i8 de evitar a onerosidade e?cessiva. A (arte lesada (elo inadi8(le8ento (ode (edir a resoluç1o do contrato. $eç1o III #a E?ceç1o de Contrato n1o Cu8(rido Art. N<M. Nos contratos de e?ecuç1o continuada ou di3erida. $eç1o I! #a Resoluç1o (or "nerosidade E?cessiva Art.(oderC ela (leitear que a sua (restaç1o seBa reduOida. A resoluç1o (oderC ser evitada. N<K.de(ois de conclu>do o contrato. N<.ou se o no8eado se recusar a aceitC7la. Nos contratos bilaterais. N<<.(ode e?igir o i8(le8ento da do outro. Art.sobrevier a u8a das (artes contratantes di8inuiç1o e8 seu (atri8Lnio ca(aO de co8(ro8eter ou tornar duvidosa a (restaç1o (ela qual se obrigou. Art. A resiliç1o unilateral.antes de cu8(rida a sua obrigaç1o.(or@8.e a outra (essoa o desconAecia no 8o8ento da indicaç1o. Art.ou alterado o 8odo de e?ecutC7la.

T%T&L" !I #as !Crias Es(@cies de Contrato CAP%T&L" I #a Co8(ra e !enda $eç1o I #is(osiçFes erais Art.*. Art.+.salvo quando acordare8 os contratantes designar outra (essoa.o vendedor n1o @ obrigado a entregar a coisa antes de receber o (reço.que co8u8ente se recebe8.contando. $e a venda se realiOar E vista de a8ostras.. Art. N. NK..quando (ura. Art.os riscos da coisa corre8 (or conta do vendedor.e8 certo e deter8inado dia e lugar.(or ter Aavido diversidade de (reço. NK<. Art. Q *o Todavia.o (rotóti(o ou o 8odelo. Convencionada a venda se8 3i?aç1o de (reço ou de crit@rios (ara a sua deter8inaç1o. At@ o 8o8ento da tradiç1o. Art. Art. N1o sendo a venda a cr@dito.e o outro. NKK. Ta8b@8 se (oderC dei?ar a 3i?aç1o do (reço E ta?a de 8ercado ou de bolsa. A co8(ra e venda (ode ter (or obBeto coisa atual ou 3utura.8edindo ou assinalando.a (agar7lAe certo (reço e8 dinAeiro.ocorrentes no ato de contar.se n1o Aouver tabela8ento o3icial..desde que suscet>veis de obBetiva deter8inaç1o.3icarC se8 e3eito o contrato se esta n1o vier a e?istir. N.se Aouver contradiç1o ou di3erença co8 a 8aneira (ela qual se descreveu a coisa no contrato.e a cargo do vendedor as da tradiç1o. N.salvo se a intenç1o das (artes era de concluir contrato aleatório.3icar1o as des(esas de escritura e registro a cargo do co8(rador.e que BC tivere8 sido (ostas E dis(osiç1o do co8(radorcorrer1o (or conta deste. A co8(ra e venda.os casos 3ortuitos. A 3i?aç1o do (reço (ode ser dei?ada ao arb>trio de terceiro. $alvo clCusula e8 contrCrio. Pelo contrato de co8(ra e venda. Art.entende7se que as (artes se suBeitara8 ao (reço corrente nas vendas Aabituais do vendedor. Art.u8 dos contratantes se obriga a trans3erir o do8>nio de certa coisa. R l>cito Es (artes 3i?ar o (reço e8 3unç1o de >ndices ou (arP8etros. . Nulo @ o contrato de co8(ra e venda.8arcar ou assinalar coisas.desde que as (artes acordare8 no obBeto e no (reço.considerar7se7C obrigatória e (er3eita. $e o terceiro n1o aceitar a incu8b9ncia. NKN. NK=. Art. Na 3alta de acordo.entender7se7C que o vendedor assegura ter a coisa as qualidades que a elas corres(onde8.(revalecerC o ter8o 8@dio. Prevalece a a8ostra. ParCgra3o Dnico. Art. ParCgra3o Dnico.quando se dei?a ao arb>trio e?clusivo de u8a das (artes a 3i?aç1o do (reço. Neste caso. NK*.(esando. Art.e os do (reço (or conta do co8(rador.que os contratantes logo designare8 ou (ro8etere8 designar. NKG. NKM. NK+.(rotóti(os ou 8odelos.3icarC se8 e3eito o contrato.

(or orde8 do co8(rador.e8 qualquer dos casos.co8 relaç1o a bens e?clu>dos da co8unA1o.o co8(rador terC o direito de e?igir o co8(le8ento da Crea.testa8enteiros e ad8inistradores.dar7se7C no lugar onde ela se encontrava.ter sido a venda ad corpus.(oderC o vendedor sobrestar na entrega da coisa.salvo se das instruçFes dele se a3astar o vendedor.E sua escolAa. Q *o Presu8e7se que a re3er9ncia Es di8ensFes 3oi si8(les8ente enunciativa.no lugar onde servire8.<.ainda que n1o conste..ou que esteBa8 sob sua ad8inistraç1o direta ou indireta.na 3alta de esti(ulaç1o e?(ressa. =.ou se deter8inar a res(ectiva Crea.o de recla8ar a resoluç1o do contrato ou abati8ento (ro(orcional ao (reço.curadores. N.M. N1o obstante o (raOo aBustado (ara o (aga8ento.quando a di3erença encontrada n1o e?ceder de u8 vig@si8o da Crea total enunciada. Art. N.Bu>Oo ou conselAo.de 8odo e?(resso.(or sua conta correr1o os riscosu8a veO entregue a que8 AaBa de trans(ortC7la.se antes da tradiç1o o co8(rador cair e8 insolv9ncia.e o vendedor (rovar que tinAa 8otivos (ara ignorar a 8edida e?ata da Crea vendida.N.ressalvado ao co8(rador o direito de (rovar que. E8 a8bos os casos. Art.. Art. ParCgra3o Dnico.os bens ou direitos da (essoa Bur>dica a que servire8..tendo sido a(enas enunciativa a re3er9ncia Es suas di8ensFes.e esta n1o corres(onder.e.co8(letar o valor corres(ondente ao (reço ou devolver o e?cesso. N.n1o co8(reende os casos de co8(ra e venda ou cess1o entre co7Aerdeiros.n1o (ode8 ser co8(rados. Art.arbitradores.n1o sendo isso (oss>vel. R anulCvel a venda de ascendente a descendente. $e. Art.n1o teria realiOado o negócio.Es di8ensFes dadas. N.na venda de u8 i8óvel. II 7 (elos servidores (Dblicos.os bens de cuBa venda esteBa8 encarregados. Art. I! 7 (elos leiloeiros e seus (re(ostos.os bens ou direitos sobre que se litigar e8 tribunal.secretCrios de tribunais. N.dis(ensa7se o consenti8ento do cLnBuge se o regi8e de bens 3or o da se(araç1o obrigatória.salvo se os outros descendentes e o cLnBuge do alienante e?(ressa8ente Aouvere8 consentido. N.K.se o i8óvel 3or vendido co8o coisa certa e discri8inada..ou e8 (aga8ento de d>vida. R l>cita a co8(ra e venda entre cLnBuges. $ob (ena de nulidade. . ParCgra3o Dnico. Art. Q Mo N1o AaverC co8(le8ento de Crea.ne8 devoluç1o de e?cesso.caberC ao co8(rador.ou a que se estender a sua autoridade.lugar e (elo 8odo aBustados.e8 tais circunstPncias. As (roibiçFes deste artigo estende87se E cess1o de cr@dito. Q +o $e e8 veO de 3alta Aouver e?cesso.os bens con3iados E sua guarda ou ad8inistraç1o.ao te8(o da venda.ou (ara garantia de bens BC (ertencentes a (essoas designadas no re3erido inciso.at@ que o co8(rador lAe d9 cauç1o de (agar no te8(o aBustado.ainda que e8 Aasta (Dblica: I 7 (elos tutores. N. $e a coisa 3or e?(edida (ara lugar diverso.se estiver e8 8ora de as receberquando (ostas E sua dis(osiç1o no te8(o.se esti(ular o (reço (or 8edida de e?tens1o.Q +o Correr1o ta8b@8 (or conta do co8(rador os riscos das re3eridas coisas. III 7 (elos Bu>Oes. A (roibiç1o contida no inciso III do artigo antecedente.=. Art.(eritos e outros serventuCrios ou au?iliares da Bustiça.e8 geral.G. A tradiç1o da coisa vendida.

se outro consorte a quiser. Art. N1o (ode u8 condL8ino e8 coisa indivis>vel vender a sua (arte a estranAos.a coisa co8(rada.atribu>vel ao alienante. !eri3icada a insu3ici9ncia do de(ósito Budicial.N. $e a duas ou 8ais (essoas couber o direito de retrato sobre o 8es8o i8óvel.(revalecendo o (acto e8 3avor de que8 AaBa e3etuado o de(ósito.de(ositando o (reçoAaver (ara si a (arte vendida a estranAos. Art. $e o co8(rador se recusar a receber as quantias a que 3aO Bus. =.s1o as de 8ero co8odatCrio. ParCgra3o Dnico.res(onde (or todos os d@bitos que grave8 a coisa at@ o 8o8ento da tradiç1o. " direito de retrato.durante o (er>odo de resgate. =.M.enquanto o adquirente n1o 8ani3estar seu agrado. " vendedor.n1o serC o vendedor restitu>do no do8>nio da coisa. Art. Art. =..*.na 3alta de ben3eitorias. Ta8b@8 a venda suBeita a (rova (resu8e7se 3eita sob a condiç1o sus(ensiva de que a coisa tenAa as qualidades asseguradas (elo vendedor e seBa idLnea (ara o 3i8 a que se destina.Art.enquanto n1o 8ani3este aceitC7la. =.contanto que seBa integral.restituindo o (reço recebido e ree8bolsando as des(esas do co8(rador.que a quisere8.as obrigaçFes do co8(rador.+.Aaver1o a (arte vendida os co8(ro(rietCrios.salvo convenç1o e8 contrCrio. A venda 3eita a contento do co8(rador entende7se realiOada sob condiç1o sus(ensiva. $ubseç1o II #a !enda a Contento e da $uBeita a Prova Art.sob condiç1o sus(ensiva. Art. e n1o se re(utarC (er3eita.K.as de(ositarC Budicial8ente. Art. $e Aouver atraso na i8iss1o de (osse no i8óvel.e só u8a o e?ercer(oderC o co8(rador inti8ar as outras (ara nele acordare8.(oderC.(ara e?ercer o direito de resgate. E8 a8bos os casos. Art.ainda que a coisa lAe tenAa sido entregue. $endo 8uitos os condL8inos.o de3eito oculto de u8a n1o autoriOa a reBeiç1o de todas. ParCgra3o Dnico. " vendedor de coisa i8óvel (ode reservar7se o direito de recobrC7la no (raOo 8C?i8o de decad9ncia de tr9s anos.(oderC ser e?ercido contra o terceiro adquirente.se o requerer no (raOo de cento e oitenta dias. . =.ou (ara a realiOaç1o de ben3eitorias necessCrias.que @ cess>vel e trans8iss>vel a Aerdeiros e legatCrios.inclusive as que.. =. =.sob (ena de decad9ncia.<.a que8 n1o se der conAeci8ento da venda.o vendedor. =*. $e as (artes 3ore8 iguais.tanto (or tanto.a (artir dela 3luirC o (raOo de decad9ncia..at@ e enquanto n1o 3or integral8ente (ago o co8(rador. " condL8ino. Nas coisas vendidas conBunta8ente.o de quinA1o 8aior.(re3erirC o que tiver ben3eitorias de 8aior valor e.se e3etuara8 co8 a sua autoriOaç1o escrita. ParCgra3o Dnico. #ecai do direito de (ro(or as açFes (revistas no artigo antecedente o vendedor ou o co8(rador que n1o o 3iOer no (raOo de u8 ano. Art. =**. $eç1o II #as ClCusulas Es(eciais E Co8(ra e !enda $ubseç1o I #a Retrovenda Art.de(ositando (revia8ente o (reço. =. =.a contar do registro do t>tulo.que recebeu.G.=.

Art.quando lAe constar que este vai vender a coisa. N1o Aavendo (raOo esti(ulado (ara a declaraç1o do co8(rador.n1o tiver o destino (ara que se desa(ro(riou.se i8óvel.e8 condiçFes iguais. .tanto (or tanto. N1o (ode ser obBeto de venda co8 reserva de do8>nio a coisa insuscet>vel de caracteriOaç1o (er3eita(ara estre8C7la de outras cong9neres. Art. Art. Ine?istindo (raOo esti(ulado. Art. =*+. " vendedor so8ente (oderC e?ecutar a clCusula de reserva de do8>nio a(ós constituir o co8(rador e8 8ora.(elos riscos da coisa res(onde o co8(rador. Aquele que e?erce a (re3er9ncia estC. " vendedor (ode ta8b@8 e?ercer o seu direito de (relaç1o.ou dar e8 (aga8ento. Na venda de coisa 8óvel. =+=.se 3or i8óvel. Art. $ubseç1o III #a Pree8(ç1o ou Pre3er9ncia Art. Todavia. Uuando o direito de (ree8(ç1o 3or esti(ulado a 3avor de dois ou 8ais indiv>duos e8 co8u8.obrigado a (agar.o direito de (ree8(ç1o caducarC.e. =++.ou (re3er9ncia. =+N. " (raOo (ara e?ercer o direito de (re3er9ncia n1o (oderC e?ceder a cento e oitenta dias. Art. Art. =*<. $e a coisa e?(ro(riada (ara 3ins de necessidade ou utilidade (Dblica. Res(onderC (or (erdas e danos o co8(rador.n1o se e?ercendo nos sessenta dias subseqSentes E data e8 que o co8(rador tiver noti3icado o vendedor.se alienar a coisa se8 ter dado ao vendedor ci9ncia do (reço e das vantagens que (or ela lAe o3erece8.se tiver (rocedido de 8C73@.(ara que o 3aça e8 (raOo i8(rorrogCvel.inti8ando o co8(rador.ou a dois anos. $e algu8a das (essoas.i8(Fe ao co8(rador a obrigaç1o de o3erecer ao vendedor a coisa que aquele vai vender. A (ree8(ç1o. =*=. =+. Res(onderC solidaria8ente o adquirente. Art.o vendedor terC direito de inti8C7loBudicial ou e?traBudicial8ente. ParCgra3o Dnico.n1o se e?ercendo nos tr9s dias.ou o aBustado.o (reço encontrado. A clCusula de reserva de do8>nio serC esti(ulada (or escrito e de(ende de registro no do8ic>lio do co8(rador (ara valer contra terceiros.8ediante (rotesto do t>tulo ou inter(elaç1o Budicial.a (artir de quando lAe 3oi entregue.(erder ou n1o e?ercer o seu direito. =+M. Art. =*K.. Art. =*.(ara que este use de seu direito de (relaç1o na co8(ra.(ode o vendedor reservar (ara si a (ro(riedade. A trans3er9ncia de (ro(riedade ao co8(rador dC7se no 8o8ento e8 que o (reço esteBa integral8ente (ago. $ubseç1o I! #a !enda co8 Reserva de #o8>nio Art.se a coisa 3or 8óvel.a que8 ele toque.caberC ao e?(ro(riado direito de (re3er9ncia.ou n1o 3or utiliOada e8 obras ou serviços (Dblicos.at@ que o (reço esteBa integral8ente (ago..sob (ena de a (erder.só (ode ser e?ercido e8 relaç1o E coisa no seu todo.ou (or interesse social. =*M. =*G.decide7se a 3avor do terceiro adquirente de boa73@. Na dDvida.Art.(oder1o as de8ais utiliOC7lo na 3or8a sobredita. =*N.se a coisa 3or 8óvel.(elo (reço atual da coisa. Art. " direito de (re3er9ncia n1o se (ode ceder ne8 (assa aos Aerdeiros. =+*.

=M=.restituir7lAe a coisa consignada..cada u8 dos contratantes (agarC (or 8etade as des(esas co8 o instru8ento da troca.tivesse o vendedor ci9ncia da (erda ou avaria da coisa. Art.e8 sua integridade. $e entre os docu8entos entregues ao co8(rador 3igurar a(ólice de seguro que cubra os riscos do trans(orte. A o(eraç1o 3inanceira e a res(ectiva ci9ncia do co8(rador constar1o do registro do contrato.caberC a este e3etuC7lo contra a entrega dos docu8entos. CAP%T&L" II #a Troca ou Per8uta Art. " consignatCrio n1o se e?onera da obrigaç1o de (agar o (reço. =M+. ou (oderC recu(erar a (osse da coisa vendida. Art.(elos usos.corre8 estes E conta do co8(rador.(agando Equele o (reço aBustado. Art. CAP%T&L" III #o Contrato Esti8atório Art.a tradiç1o da coisa @ substitu>da (ela entrega do seu t>tulo re(resentativo e dos outros docu8entos e?igidos (elo contrato ou. Na venda sobre docu8entos.salvo se o de3eito BC Aouver sido co8(rovado.ao ser conclu>do o contrato.co8 as seguintes 8odi3icaçFes: I 7 salvo dis(osiç1o e8 contrCrio. e o que 3altar lAe serC cobrado. ParCgra3o Dnico. AcAando7se a docu8entaç1o e8 orde8. =MG.no sil9ncio deste. II 7 @ anulCvel a troca de valores desiguais entre ascendentes e descendentes.. =MM. Pelo contrato esti8atório. Art.8ediante 3inancia8ento de instituiç1o do 8ercado de ca(itais.(oderC o vendedor 8over contra ele a co8(etente aç1o de cobrança das (restaçFes vencidas e vincendas e o 8ais que lAe 3or devido. Art.tudo na 3or8a da lei (rocessual. Na segunda Ai(ótese do artigo antecedente. A(lica87se E troca as dis(osiçFes re3erentes E co8(ra e venda. .direta8ente do co8(rador.salvo se (re3erir.a bene3>cio de qualquer outro. Nesse caso.no (raOo estabelecido.a (rete?to de de3eito de qualidade ou do estado da coisa vendida. Esti(ulado o (aga8ento (or inter8@dio de estabeleci8ento bancCrio.o consignante entrega bens 8óveis ao consignatCrio. A coisa consignada n1o (ode ser obBeto de (enAora ou seqSestro (elos credores do consignatCrioenquanto n1o (ago integral8ente o (reço. ParCgra3o Dnico. =MN.as des(esas 3eitas e o 8ais que de direito lAe 3or devido.salvo se. " e?cedente serC devolvido ao co8(rador. =+K.o (aga8ento deve ser e3etuado na data e no lugar da entrega dos docu8entos. N1o Aavendo esti(ulaç1o e8 contrCrio.se8 obrigaç1o de veri3icar a coisa vendida.@ 3acultado ao vendedor reter as (restaçFes (agas at@ o necessCrio (ara cobrir a de(reciaç1o da coisa. Art.ainda que (or 3ato a ele n1o i8(utCvel. !eri3icada a 8ora do co8(rador.a esta caberC e?ercer os direitos e açFes decorrentes do contrato.se tornar i8(oss>vel. =+G. =M*.(osterior8ente.se8 consenti8ento dos outros descendentes e do cLnBuge do alienante.n1o (ode o co8(rador recusar o (aga8ento.que 3ica autoriOado a vend97los. Art.Art. $e o vendedor receber o (aga8ento E vista.ou. =M.se a restituiç1o da coisa. =+.(ela qual n1o res(onde. $ubseç1o ! #a !enda $obre #ocu8entos Art.so8ente a(ós a recusa do estabeleci8ento bancCrio a e3etuar o (aga8ento(oderC o vendedor (retend97lo. =+<.

at@ dois anos de(ois de dissolvida a sociedade conBugal.ciente do (raOo.no e?cedente ao valor dos serviços re8unerados ou ao encargo i8(osto. Art. $alvo declaraç1o e8 contrCrio. ==. =NM. =N=. =N. Art.. ParCgra3o Dnico.dentro dele. Art.ou renda su3iciente (ara a subsist9ncia do doador. Art.ou de u8 cLnBuge a outro. A doaç1o 3ar7se7C (or escritura (Dblica ou instru8ento (articular. CAP%T&L" I! #a #oaç1o $eç1o I #is(osiçFes erais Art. $e o donatCrio 3or absoluta8ente inca(aO. " doador (ode esti(ular que os bens doados volte8 ao seu (atri8Lnio. =N*. A doaç1o e8 3or8a de subvenç1o (eriódica ao bene3iciado e?tingue7se 8orrendo o doador. Art. A doaç1o de ascendentes a descendentes. A doaç1o do cLnBuge adDltero ao seu cD8(lice (ode ser anulada (elo outro cLnBuge.i8(orta adianta8ento do que lAes cabe (or Aerança. Art.ou a gravada. Art. Art.n1o 3aça.entender7se7C que aceitou. ==*.no 8o8ento da liberalidade(oderia dis(or e8 testa8ento.dis(ensa7se a aceitaç1o.a doaç1o e8 co8u8 a 8ais de u8a (essoa entende7se distribu>da entre elas (or igual. Considera7se doaç1o o contrato e8 que u8a (essoa.8as n1o (oderC ultra(assar a vida do donatCrio. Art.(ara declarar se aceita ou n1o a liberalidade..versando sobre bens 8óveis e de (equeno valor. Art. .quer (or terceiro a u8 deles.sendo aceita (elo seu re(resentante legal.desde que se trate de doaç1o (ura. =M.salvo se este outra coisa dis(user. Art. " doador (ode 3i?ar (raOo ao donatCrio. A doaç1o 3eita e8 conte8(laç1o do 8ereci8ento do donatCrio n1o (erde o carCter de liberalidadeco8o n1o o (erde a doaç1o re8uneratória. =MK. ParCgra3o Dnico.Art. =NG. Art.a declaraç1o.(or liberalidade.trans3ere do seu (atri8Lnio bens ou vantagens (ara o de outra. " consignante n1o (ode dis(or da coisa antes de lAe ser restitu>da ou de lAe ser co8unicada a restituiç1o. #esde que o donatCrio. =NN.se a doaç1o n1o 3or suBeita a encargo. A doaç1o 3eita e8 conte8(laç1o de casa8ento 3uturo co8 certa e deter8inada (essoa. =N+. =NK.quer (elos nubentes entre si. Nula @ ta8b@8 a doaç1o quanto E (arte que e?ceder E de que o doador.se sobreviver ao donatCrio.Aouvere8 u8 do outron1o (ode ser i8(ugnada (or 3alta de aceitaç1o.ou aos 3ilAos que. Art. N1o (revalece clCusula de revers1o e8 3avor de terceiro. =N.ou (or seus Aerdeiros necessCrios.de 3uturo..se.e só 3icarC se8 e3eito se o casa8ento n1o se realiOar. A doaç1o verbal serC vClida..a a8bos. A doaç1o 3eita ao nascituro valerC. =N<.se lAe seguir incontinenti a tradiç1o. =M<. R nula a doaç1o de todos os bens se8 reserva de (arte.

Art. Art.recusou ao doador os ali8entos de que este necessitava. =GM.e.ne8 obriga o donatCrio a restituir os 3rutos (ercebidos antes da citaç1o vClida. III 7 se o inBuriou grave8ente ou o caluniou.assinando7lAe (raOo raOoCvel (ara que cu8(ra a obrigaç1o assu8ida.o doador 3icarC suBeito E evicç1o. N1o se (ode renunciar anteci(ada8ente o direito de revogar a liberalidade (or ingratid1o do donatCrio.caso 3ore8 a bene3>cio do doador. " doador n1o @ obrigado a (agar Buros 8oratórios.ParCgra3o Dnico... Pode8 ser revogadas (or ingratid1o as doaçFes: I 7 se o donatCrio atentou contra a vida do doador ou co8eteu cri8e de Ao8ic>dio doloso contra ele. Art. N1o se revoga8 (or ingratid1o: I 7 as doaçFes (ura8ente re8uneratórias. ==N. =G+. Art.e?ceto se aquele Aouver (erdoado.e de ter sido o donatCrio o seu autor. Jas aqueles (ode8 (rosseguir na aç1o iniciada (elo doador.de(ois da 8orte do doador.ou ir81o do doador.a indeniOC7la (elo 8eio ter8o do seu valor.o doador (oderC noti3icar Budicial8ente o donatCrio. A revogaç1o (or qualquer desses 8otivos deverC ser (leiteada dentro de u8 ano. ==<.(odendo 8inistrC7los. No caso de Ao8ic>dio doloso do doador.3ore8 8arido e 8ulAer. II 7 se co8eteu contra ele o3ensa 3>sica.3or o cLnBugeascendente.ne8 (reBudica os do donatCrio.se este n1o tiver 3eito. =G*. ==K. Pode ocorrer ta8b@8 a revogaç1o quando o o3endido.ou (or ine?ecuç1o do encargo. $eç1o II #a Revogaç1o da #oaç1o Art. Art. Art. =GN.ainda que adotivo.nos casos do artigo anterior. I! 7 se. A doaç1o onerosa (ode ser revogada (or ine?ecuç1o do encargo.se o donatCrio incorrer e8 8ora. N1o Aavendo (raOo (ara o cu8(ri8ento. Art. 8as suBeita7o a (agar os (osteriores. $e os donatCrios.subsistirC na totalidade a doaç1o (ara o cLnBuge sobrevivo. . Art. Art. A doaç1o (ode ser revogada (or ingratid1o do donatCrio. $e desta Dlti8a es(@cie 3or o encargo.esta n1o estiver constitu>da regular8ente. " donatCrio @ obrigado a cu8(rir os encargos da doaç1o. Art.salvo convenç1o e8 contrCrio.se este 3alecer de(ois de aBuiOada a lide.a aç1o caberC aos seus Aerdeiros.continuando7a contra os Aerdeiros do donatCrio.e8 tal caso. ==. " direito de revogar a doaç1o n1o se trans8ite aos Aerdeiros do doador.a contar de quando cAegue ao conAeci8ento do doador o 3ato que a autoriOar. Nas doaçFes (ara casa8ento co8 certa e deter8inada (essoa. =G. ===.o Jinist@rio PDblico (oderC e?igir sua e?ecuç1o. ParCgra3o Dnico. Art.e8 dois anos.quando n1o (ossa restituir e8 es(@cie as coisas doadas. ==M.de terceiro. A doaç1o a entidade 3utura caducarC se. ==+. A revogaç1o (or ingratid1o n1o (reBudica os direitos adquiridos (or terceiros. Art.ou do interesse geral.descendente. ==G.ne8 @ suBeito Es conseqS9ncias da evicç1o ou do v>cio redibitório.

segundo o costu8e do lugar. Na locaç1o de coisas.8as se8 (raOo deter8inado. Art.ne8 o locatCrio devolv97la ao locador. Art.(ro(orcional8ente.e.al@8 de rescindir o contrato. ParCgra3o Dnico.e8 3alta de aBuste. Art. I! 7 as 3eitas (ara deter8inado casa8ento.anteriores E locaç1o.3inda a locaç1o. =<+. Art.salvas as deterioraçFes naturais ao uso regular. III 7 as que se 3iOere8 e8 cu8(ri8ento de obrigaç1o natural.que se (retenda8 3undadas e8 direito. Art.e8 estado de servir ao uso a que se destina.o uso e goOo de coisa n1o 3ung>vel.e?igir (erdas e danos. " locatCrio @ obrigado: I 7 a servir7se da coisa alugada (ara os usos convencionados ou (resu8idos.. $e. =<.o locatCrio continuar na (osse da coisa alugada. Art.o uso (ac>3ico da coisa. =G<. " locador @ obrigado: I 7 a entregar ao locatCrio a coisa alugada.(oderC o locador.caso BC n1o sirva a coisa (ara o 3i8 a que se destinava. .(or te8(o deter8inado ou n1o. =<*. A locaç1o (or te8(o deter8inado cessa de (leno direito 3indo o (raOo esti(ulado.u8a das (artes se obriga a ceder E outra.. II 7 a (agar (ontual8ente o aluguel nos (raOos aBustados. =<N.durante a locaç1o. Art.que tenAa8 ou (retenda8 ter direitos sobre a coisa alugada.se8 o(osiç1o do locador.8ediante certa retribuiç1o.e a 8ant97la nesse estado.antes do venci8ento n1o (oderC o locador reaver a coisa alugada.ou resolver o contrato. $e.co8 suas (ertenças.a este caberC (edir reduç1o (ro(orcional do aluguel.ou do a que se destina. $e a obrigaç1o de (agar o aluguel (elo te8(o que 3altar constituir indeniOaç1o e?cessiva. =GG.con3or8e a natureOa dela e as circunstPncias.(resu8ir7 se7C (rorrogada a locaç1o (elo 8es8o aluguel. =<M.serC 3acultado ao BuiO 3i?C7la e8 bases raOoCveis.a 8ulta (revista no contrato. III 7 a levar ao conAeci8ento do locador as turbaçFes de terceiros. $e o locatCrio e8(regar a coisa e8 uso diverso do aBustado.durante o te8(o do contrato.se deteriorar a coisa alugada. Art.salvo clCusula e?(ressa e8 contrCrio.sen1o (agando. I! 7 a restituir a coisa.se8 cul(a do locatCrio. " locatCrio goOarC do direito de retenç1o.be8 co8o tratC7la co8 o 8es8o cuidado co8o se sua 3osse.II 7 as oneradas co8 encargo BC cu8(rido. =GK. =G=. " locador resguardarC o locatCrio dos e8baraços e turbaçFes de terceiros. Art.sen1o ressarcindo ao locatCrio as (erdas e danos resultantes.3indo o (raOo. =G.enquanto n1o 3or ressarcido.ou de3eitos.(elo te8(o do contrato.ou se ela se dani3icar (or abuso do locatCrio.e res(onderC (elos seus v>cios. II 7 a garantir7lAe. Tavendo (raOo esti(ulado E duraç1o do contrato. CAP%T&L" ! #a Locaç1o de Coisas Art.no estado e8 que a recebeu.inde(endente8ente de noti3icaç1o ou aviso.

reconAecida (elo BuiO.8as tendo se8(re e8 conta o seu carCter de (enalidade.sus(ender o uso e goOo da coisa e8(restada.no caso de ben3eitorias necessCrias. =<<. Q +o E8 se tratando de i8óvel. Q *o " registro a que se re3ere este artigo serC o de T>tulos e #ocu8entos do do8ic>lio do locador.o aluguel da coisa que 3or arbitrado (elo co8odante. =<.ainda que se (ossa atribuir a caso 3ortuito. =<K. e serC o Registro de I8óveis da res(ectiva circunscriç1o.qualidade e quantidade. ParCgra3o Dnico.e ainda no caso e8 que o locador n1o esteBa obrigado a res(eitar o contrato.ou 3orça 8aior. $eç1o II #o JDtuo Art. =K.os bens con3iados E sua guarda.3icar1o solidaria8ente res(onsCveis (ara co8 o co8odante.n1o (oderC ele des(edir o locatCrio.(agarC. n1o (odendo o co8odante. .(oderC o BuiO reduOi7lo.co8o se sua (ró(ria 3ora.at@ restitu>7la. $e a coisa 3or alienada durante a locaç1o. =KG.ou no de ben3eitorias Dteis.res(onderC (elo dano ocorrido. Jorrendo o locador ou o locatCrio. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio. $e o co8odato n1o tiver (raOo convencional.a coisa e8(restada.(agarC.al@8 de (or ela res(onder. " co8odato @ o e8(r@sti8o gratuito de coisas n1o 3ung>veis. =K=. =KN.curadores e e8 geral todos os ad8inistradores de bens alAeios n1o (oder1o dar e8 co8odato. =K+.trans3ere7se aos seus Aerdeiros a locaç1o (or te8(o deter8inado.(resu8ir7se7lAe7C o necessCrio (ara o uso concedido.e res(onderC (elo dano que ela venAa a so3rer. " 8Dtuo @ o e8(r@sti8o de coisas 3ung>veis.o adquirente n1o 3icarC obrigado a res(eitar o contrato. Art. =<=.e8bora (roveniente de caso 3ortuito. Art. " co8odatCrio n1o (oderC Ba8ais recobrar do co8odante as des(esas 3eitas co8 o uso e goOo da coisa e8(restada..se estas Aouvere8 sido 3eitas co8 e?(resso consenti8ento do locador.se nele n1o 3or consignada a clCusula da sua vig9ncia no caso de alienaç1o.o locatCrio goOa do direito de retenç1o.se8 autoriOaç1o es(ecial.e n1o constar de registro. Art. Per3aO7se co8 a tradiç1o do obBeto. $e duas ou 8ais (essoas 3ore8 si8ultanea8ente co8odatCrias de u8a coisa.enquanto a tiver e8 seu (oder. =KM.salvo necessidade i8(revista e urgente.n1o restituir a coisa.quando a coisa 3or 8óvel.Art.correndo risco o obBeto do co8odato Bunta8ente co8 outros do co8odatCrio. =<G.o aluguel que o locador arbitrar.quando i8óvel. Art. $e. $e.antes de 3indo o (raOo convencional. " co8odatCrio @ obrigado a conservar. " co8odatCrio constitu>do e8 8ora.sen1o observado o (raOo de noventa dias a(ós a noti3icaç1o. Art. " 8utuCrio @ obrigado a restituir ao 8utuante o que dele recebeu e8 coisa do 8es8o g9nero.ante(user este a salvaç1o dos seus abandonando o do co8odante.sob (ena de res(onder (or (erdas e danos. =K*. $e o aluguel arbitrado 3or 8ani3esta8ente e?cessivo. CAP%T&L" !I #o E8(r@sti8o $eç1o I #o Co8odato Art. Art.ou o que se deter8ine (elo uso outorgado. Art. Art. "s tutores.n1o (odendo usC7la sen1o de acordo co8 o contrato ou a natureOa dela. Art.noti3icado o locatCrio..

.se o 8Dtuo 3or de (rodutos agr>colas.8aterial ou i8aterial.se viu obrigado a contrair o e8(r@sti8o (ara os seus ali8entos Aabituais.se 3or de qualquer outra coisa 3ung>vel.G.Art.o rati3icar (osterior8ente.assi8 (ara o consu8o.o te8(o de serviço e sua qualidade.e8bora o contrato tenAa (or causa o (aga8ento de d>vida de que8 o (resta.3i?ar7se7C (or arbitra8ento a retribuiç1osegundo o costu8e do lugar. =. II 7 de trinta dias.se8 (r@via autoriOaç1o daquele sob cuBa guarda estiver. Art.o instru8ento (oderC ser assinado a rogo e subscrito (or duas teste8unAas. =. =K.(or convenç1o. Art.ainda que n1o conclu>da a obra.que n1o estiver suBeita Es leis trabalAistas ou a lei es(ecial.sob (ena de reduç1on1o (oder1o e?ceder a ta?a a que se re3ere o art.ne8 de seus 3iadores. Art.ne8 cAegado a acordo as (artes. =. " 8Dtuo 3eito a (essoa 8enor.ou costu8e. =. Neste caso. =.N. Art. A (restaç1o de serviço n1o se (oderC convencionar (or 8ais de quatro anos. " 8utuante (ode e?igir garantia da restituiç1o. .de cuBa autoriOaç1o necessitava o 8utuCrio (ara contrair o e8(r@sti8o.ou se destine E e?ecuç1o de certa e deter8inada obra. Cessa a dis(osiç1o do artigo antecedente: I 7 se a (essoa.estando ausente essa (essoa.. N1o se tendo esti(ulado.(ode ser contratada 8ediante retribuiç1o.quando qualquer das (artes n1o souber ler. N.G. II 7 se o 8enor.ou (aga e8 (restaçFes.<.se 3or de dinAeiro. A retribuiç1o (agar7se7C de(ois de (restado o serviço. N1o se tendo convencionado e?(ressa8ente. Este e8(r@sti8o trans3ere o do8>nio da coisa e8(restada ao 8utuCrio.ne8 escrever..M. =KK.reger7se7C (elas dis(osiçFes deste Ca(>tulo.(er8itida a ca(italiOaç1o anual. Art.n1o Aouver de ser adiantada.co8o (ara se8eadura. No contrato de (restaç1o de serviço. Art. =. Jas. Art. =K<.o (raOo do 8Dtuo serC: I 7 at@ a (ró?i8a colAeita. =.(resu8e87se devidos Buros.e8 tal caso.dar7se7C (or 3indo o contrato. III 7 do es(aço de te8(o que declarar o 8utuante.decorridos quatro anos. Art.a e?ecuç1o do credor n1o lAes (oderC ultra(assar as 3orças. #estinando7se o 8Dtuo a 3ins econL8icos.*.+.n1o (ode ser reavido ne8 do 8utuCrio. I! 7 se o e8(r@sti8o reverteu e8 bene3>cio do 8enor.(elo 8enos. Art.(or cuBa conta corre8 todos os riscos dela desde a tradiç1o. =.=.se.se antes do venci8ento o 8utuCrio so3rer notória 8udança e8 sua situaç1o econL8ica. III 7 se o 8enor tiver bens ganAos co8 o seu trabalAo. CAP%T&L" !II #a Prestaç1o de $erviço Art. =. ! 7 se o 8enor obteve o e8(r@sti8o 8aliciosa8ente.os quais. Toda a es(@cie de serviço ou trabalAo l>cito.K. A (restaç1o de serviço. Art.

G. G. " 8es8o dar7se7C.(or inadi8(le8ento de qualquer das (artes ou (ela i8(ossibilidade da continuaç1o do contrato.ou (or obra deter8inada.dei?ou de servir.antes de (reencAido o te8(o.ou do costu8e do lugar. Art. G. Ne8 aquele a que8 os serviços s1o (restados. ParCgra3o Dnico.8otivada (or 3orça 8aior.G.terC direito E retribuiç1o vencida.(elo escoa8ento do (raOo. Art.(ela rescis1o do contrato 8ediante aviso (r@vio.se o salCrio se Aouver 3i?ado (or te8(o de u8 89s. " (restador de serviço contratado (or te8(o certo.. N1o sendo o (restador de serviço contratado (ara certo e deter8inado trabalAo. $e o (restador de serviço 3or des(edido se8 Busta causa. Art. G.. G.quando se tenAa contratado (or 8enos de sete dias.entender7se7C que se obrigou a todo e qualquer serviço co8(at>vel co8 as suas 3orças e condiçFes.ou conclu>da a obra.ou n1o satis3aça requisitos outros estabelecidos e8 lei.se8 Busta causa. Jas se deste resultar bene3>cio (ara a outra (arte.se o salCrio se tiver aBustado (or se8ana. " contrato de (restaç1o de serviço acaba co8 a 8orte de qualquer das (artes. G. III 7 de v@s(era.salvo ao (restador o(ç1o entre continuC7lo co8 o adquirente da (ro(riedade ou co8 o (ri8itivo contratante.8as res(onderC (or (erdas e danos. G.ainda. Art.ou quinOena.se8 a(raOi8ento da outra (arte.o BuiO atribuirC a que8 o (restou u8a co8(ensaç1o raOoCvel.onde a (restaç1o dos serviços se o(era.M. Art.dar substituto que os (reste.ou 8ais. CAP%T&L" !III #a E8(reitada .o (restador de serviço te8 direito a e?igir da outra (arte a declaraç1o de que o contrato estC 3indo. $e se des(edir se8 Busta causa.n1o i8(orta a rescis1o do contrato.ne8 o (restador de serviços.. Art. Ter8ina.n1o se (ode ausentar.desde que tenAa agido co8 boa73@.(or cul(a sua. Art. $e o serviço 3or (restado (or que8 n1o (ossua t>tulo de Aabilitaç1o.quando a (roibiç1o da (restaç1o de serviço resultar de lei de orde8 (Dblica.n1o (oderC que8 os (restou cobrar a retribuiç1o nor8al8ente corres(ondente ao trabalAo e?ecutado. A alienaç1o do (r@dio agr>cola. ParCgra3o Dnico. Findo o contrato. II 7 co8 anteci(aç1o de quatro dias.(oderC trans3erir a outre8 o direito aos serviços aBustados. ParCgra3o Dnico.Aouvesse de caber durante dois anos.ou se tiver Aavido 8otivo Busto (ara dei?ar o serviço. =.N.e (or 8etade a que lAe tocaria de ent1o ao ter8o legal do contrato.<. Aquele que aliciar (essoas obrigadas e8 contrato escrito a (restar serviço a outre8 (agarC a este a i8(ortPncia que ao (restador de serviço.K.ne8 se (odendo in3erir da natureOa do contrato. G.(elo aBuste des3eito.(ode resolver o contrato.+. N1o Aavendo (raOo esti(ulado.qualquer das (artes...a seu arb>trio.se des(edido (or Busta causa. N1o se a(lica a segunda (arte deste artigo.ou des(edir. Art.*. #ar7se7C o aviso: I 7 co8 anteced9ncia de oito dias.(ela conclus1o da obra. Igual direito lAe cabe. G. G. Art.a outra (arte serC obrigada a (agar7lAe (or inteiro a retribuiç1o vencida.8ediante (r@vio aviso. Art..se 3or des(edido se8 Busta causa. N1o se conta no (raOo do contrato o te8(o e8 que o (restador de serviço.Art.=.

todos os riscos e8 que n1o tiver cul(a correr1o (or conta do dono.o e8(reiteiro que se incu8bir de e?ecutar u8a obra. G*.se a coisa (erecer antes de entregue. Art.. Art. ParCgra3o Dnico.(or@8.segundo o que 3or arbitrado. G*=. Ainda que n1o tenAa Aavido autoriOaç1o escrita. $e a obra constar de (artes distintas.e8 veO de enBeitC7lareceb97la co8 abati8ento no (reço..se n1o (rovar que a (erda resultou de de3eito dos 8ateriais e que e8 te8(o recla8ara contra a sua quantidade ou qualidade.(ela solideO e segurança do trabalAo. No caso da segunda (arte do artigo antecedente. Q +o " que se 8ediu (resu8e7se veri3icado se. Art. PoderC. Jas se estiver.n1o terC direito a e?igir acr@sci8o no (reço.ou 3or de natureOa das que se deter8ina8 (or 8edida. " e8(reiteiro @ obrigado a (agar os 8ateriais que recebeu..ou segundo as (artes e8 que se dividir. G*.a (edido do dono da obra. G*.se o e8(reiteiro se a3astou das instruçFes recebidas e dos (lanos dados.n1o (odia ignorar o que se estava (assando. Art. G*<.se (or i8(er>cia ou neglig9ncia os inutiliOar.segundo (lano aceito (or que8 a enco8endou.e nunca (rotestou.a n1o ser que estas resulte8 de instruçFes escritas do dono da obra.ou de 3iscaliOar7lAe a e?ecuç1o. resulta da lei ou da vontade das (artes. Art.corre8 (or sua conta os riscos at@ o 8o8ento da entrega da obra.se8(re (resente E obra. Art.Art.n1o (ode o (ro(rietCrio da obra introduOir 8odi3icaçFes no (roBeto (or ele a(rovado. Q +o " contrato (ara elaboraç1o de u8 (roBeto n1o i8(lica a obrigaç1o de e?ecutC7lo.(or 8otivos su(ervenientes ou raOFes . G**.assi8 e8 raO1o dos 8ateriais. G*K.(or sua conta correr1o os riscos. G*M.nos cento e oitenta dias seguintes ao a(areci8ento do v>cio ou de3eito.se8 8ora do dono ne8 cul(a do e8(reiteiro.co8o do solo.o dono da obra @ obrigado a (agar ao e8(reiteiro os au8entos e acr@sci8os.a contento de que8 a enco8endou. G*N.(oderC este ser revisto.ainda que seBa8 introduOidas 8odi3icaçFes no (roBeto.ou das regras t@cnicas e8 trabalAos de tal natureOa.o e8(reiteiro de 8ateriais e e?ecuç1o res(onderC.este (erderC a retribuiç1o. $endo a e8(reitada unica8ente de lavor 'art. $e o e8(reiteiro só 3orneceu 81o7de7obra. Art. Q *o Tudo o que se (agou (resu8e7se veri3icado. Conclu>da a obra de acordo co8 o aBuste.se este n1o estiver e8 8ora de receber.a contar da 8ediç1o.(odendo e?igir o (aga8ento na (ro(orç1o da obra e?ecutada. Art. G+.o dono @ obrigado a receb97la.n1o 3ore8 denunciados os v>cios ou de3eitos (elo dono da obra ou (or que8 estiver incu8bido da sua 3iscaliOaç1o. Art. Art. $e ocorrer di8inuiç1o no (reço do 8aterial ou da 81o7de7obra su(erior a u8 d@ci8o do (reço global convencionado. Art.a n1o ser que.(ode que8 enco8endou a obra. Q *o A obrigaç1o de 3ornecer os 8ateriais n1o se (resu8e. Uuando o e8(reiteiro 3ornece os 8ateriais. ParCgra3o Dnico.ainda que a e?ecuç1o seBa con3iada a terceiros.reBeitC7la./. #ecairC do direito assegurado neste artigo o dono da obra que n1o (ro(user a aç1o contra o e8(reiteiro. Nos contratos de e8(reitada de edi3>cios ou outras construçFes considerCveis. " e8(reiteiro de u8a obra (ode contribuir (ara ela só co8 seu trabalAo ou co8 ele e os 8ateriais. G+*.(ara que se lAe assegure a di3erença a(urada.o e8(reiteiro terC direito a que ta8b@8 se veri3ique (or 8edida.durante o (raOo irredut>vel de cinco anos.e8 trinta dias. $alvo esti(ulaç1o e8 contrCrio. G*+.se. G*G.ou o costu8e do lugar. $e8 anu9ncia de seu autor.(or continuadas visitas.

G+N. Pelo contrato de de(ósito recebe o de(ositCrio u8 obBeto 8óvel. $e o de(ósito 3or oneroso e a retribuiç1o do de(ositCrio n1o constar de lei. Art. A (roibiç1o deste artigo n1o abrange alteraçFes de (ouca 8onta. Art.se 8ani3estare8 di3iculdades i8(revis>veis de e?ecuç1o. GM.se resultante de atividade negocial ou se o de(ositCrio o (raticar (or (ro3iss1o.ou outras se8elAantes.3icarC li8itada aos danos resultantes de de3eitos (revistos no art.se conclu>da a obra.observados os (reços.na 3alta destes. Art. Art.desde que (ague ao e8(reiteiro as des(esas e lucros relativos aos serviços BC 3eitos. " contrato de de(ósito @ gratuito. " de(ositCrio @ obrigado a ter na guarda e conservaç1o da coisa de(ositada o cuidado e dilig9ncia que costu8a co8 o que lAe (ertence. G*K e seu (arCgra3o Dnico. ParCgra3o Dnico.calculada e8 3unç1o do que ele teria ganAo. $us(ensa a e?ecuç1o da e8(reitada se8 Busta causa. Art.co8 todos os 3rutos e acrescidos.no decorrer dos serviços.ainda que o dono se dis(onAa a arcar co8 o acr@sci8o de (reço. Jes8o a(ós iniciada a construç1o.colado.ou (or 8otivo de 3orça 8aior. G+<. . CAP%T&L" IV #o #e(ósito $eç1o I #o #e(ósito !oluntCrio Art.3ique co8(rovada a inconveni9ncia ou a e?cessiva onerosidade de e?ecuç1o do (roBeto e8 sua 3or8a originCria.e. G+M.(ode o dono da obra sus(end97la.be8 co8o a restitu>7la.resultantes de causas geológicas ou A>dricas.a res(onsabilidade do autor do (roBeto res(ectivodesde que n1o assu8a a direç1o ou 3iscaliOaç1o daquela. G+. G+K. PoderC o e8(reiteiro sus(ender a obra: I 7 (or cul(a do dono. G+=.salvo se aBustado e8 consideraç1o Es qualidades (essoais do e8(reiteiro.(ara guardar.(or arbitra8ento.a restituiç1o da coisa deve dar7se no lugar e8 que tiver de ser guardada..ressalvada se8(re a unidade est@tica da obra (roBetada.ou lacrado.e?ceto se Aouver convenç1o e8 contrCrio. G+G.at@ que o de(ositante o recla8e. G++.8ais indeniOaç1o raOoCvel.. N1o se e?tingue o contrato de e8(reitada (ela 8orte de qualquer das (artes.(or seu vulto e natureOa. Art. Art.serC deter8inada (elos usos do lugar. Art. As des(esas de restituiç1o corre8 (or conta do de(ositante.res(onde o e8(reiteiro (or (erdas e danos.ne8 resultar de aBuste. Art.3ore8 des(ro(orcionais ao (roBeto a(rovado. $e o de(ósito se entregou 3ecAado.nesse 8es8o estado se 8anterC.quando o e?iBa o de(ositante. ParCgra3o Dnico.selado. GM*.e o dono da obra se o(user ao reaBuste do (reço inerente ao (roBeto (or ele elaborado. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio.de 8odo que torne a e8(reitada e?cessiva8ente onerosa. $e a e?ecuç1o da obra 3or con3iada a terceiros.de orde8 t@cnica. III 7 se as 8odi3icaçFes e?igidas (elo dono da obra. II 7 quando.

se8 consenti8ento daquele. Art.outrossi8.at@ que se liquide8.e?ceto se noutro de(ósito se 3undar. Ao de(ositCrio serC 3acultado. " de(ositCrio.o l>quido valor das des(esas.des(esas ou (reBu>Oos n1o 3ore8 (rovados su3iciente8ente.(ara que lAe valAa a escusa. Art.servir7se da coisa de(ositada. GMK. " de(ositCrio n1o res(onde (elos casos de 3orça 8aior. GN=. GNN. GNN.e ceder7lAe as açFes que no caso tiver contra o terceiro res(onsCvel (ela restituiç1o da (ri8eira. Art. .que (or 3orça 8aior Aouver (erdido a coisa de(ositada e recebido outra e8 seu lugar.ne8 a dar e8 de(ósito a outre8.ou dos (reBu>Oos a que se re3ere o artigo anterior.a (essoa que lAe assu8ir a ad8inistraç1o dos bens diligenciarC i8ediata8ente restituir a coisa de(ositada e.que de boa73@ vendeu a coisa de(ositada.devida8ente autoriOado. No caso do artigo antecedente. $endo dois ou 8ais de(ositantes.(or 8otivo (laus>vel. " de(ositCrio (oderC reter o de(ósito at@ que se lAe (ague a retribuiç1o devida.a cada u8 só entregarC o de(ositCrio a res(ectiva (arte. GN*. Art. $e o de(ositCrio. GM<. Art. $e o de(ositCrio se tornar inca(aO. Art.(rovando i8ediata8ente esses (reBu>Oos ou essas des(esas.ou o(ondo co8(ensaç1o. Art. $ob (ena de res(onder (or (erdas e danos.n1o (oderC ele e?onerar7se restituindo a coisa a este. Art. Art.e os (reBu>Oos que do de(ósito (roviere8. 8as. GMM e GMN.se o obBeto 3or Budicial8ente e8bargado. " Aerdeiro do de(ositCrio.@ obrigado a assistir o de(ositante na reivindicaç1o. GMM. ParCgra3o Dnico.quando.e8 que o de(ositCrio se obrigue a restituir obBetos do 8es8o g9neroqualidade e quantidade.con3iar a coisa e8 de(ósito a terceiro. GM=. GMG.e a restituir ao co8(rador o (reço recebido.se8 licença e?(ressa do de(ositante. GM+. " de(ositante @ obrigado a (agar ao de(ositCrio as des(esas 3eitas co8 a coisa.n1o a (ossa guardar.o de(ositCrio (oderC e?igir cauç1o idLnea do de(ositante ou. GMN. Art. Art.o de(ositCrio.na 3alta desta.e?(ondo o 3unda8ento da sus(eitarequererC que se recolAa o obBeto ao #e(ósito PDblico. Art.noti3icada ao de(ositCrio.Art. Art. GN+.ou 3ore8 il>quidos. ParCgra3o Dnico.@ obrigado a entregar a segunda ao de(ositante.ou se Aouver 8otivo raOoCvel de sus(eitar que a coisa 3oi dolosa8ente obtida. GNM. " de(ósito de coisas 3ung>veis.o de(ositCrio entregarC o de(ósito logo que se lAe e?iBasalvo se tiver o direito de retenç1o a que se re3ere o art.e divis>vel a coisa.n1o (oderC o de(ositCrio.alegando n1o (ertencer a coisa ao de(ositante..Dlti8a (arte.n1o querendo ou n1o (odendo o de(ositante receb97la.se sobre ele (ender e?ecuç1o.. $e a coisa Aouver sido de(ositada no interesse de terceiro. GN.terC de (rovC7los. $alvo os casos (revistos nos arts. Art.e o de(ositCrio tiver sido cienti3icado deste 3ato (elo de(ositante.requerer de(ósito Budicial da coisa. GM.n1o (oderC o de(ositCrio 3urtar7se E restituiç1o do de(ósito. " de(ósito voluntCrio (rovar7se7C (or escrito.a re8oç1o da coisa (ara o #e(ósito PDblico.regular7se7C (elo dis(osto acerca do 8Dtuo.salvo se Aouver entre eles solidariedade.serC res(onsCvel se agiu co8 cul(a na escolAa deste.e o de(ositante n1o queira receb97la.recolA97la7 C ao #e(ósito PDblico ou (ro8overC no8eaç1o de outro de(ositCrio. Ainda que o contrato 3i?e (raOo E restituiç1o. GNG. $e essas d>vidas.

se (rovare8 que os 3atos (reBudiciais aos viaBantes ou Aós(edes n1o (odia8 ter sido evitados. " 8andato (ode ser e?(resso ou tCcito.(raticar atos ou ad8inistrar interesses.que valerC desde que tenAa a assinatura do outorgante.o nau3rCgio ou o saque. GN<. "s Aos(edeiros res(onder1o co8o de(ositCrios. G=+. "(era7se o 8andato quando algu@8 recebe de outre8 (oderes (ara. GN.e ressarcir os (reBu>Oos.a re8uneraç1o (elo de(ósito estC inclu>da no (reço da Aos(edage8. Art.assi8 co8o (elos 3urtos e roubos que (er(etrare8 as (essoas e8(regadas ou ad8itidas nos seus estabeleci8entos.. G=G.verbal ou escrito. $eBa o de(ósito voluntCrio ou necessCrio. ParCgra3o Dnico.a quali3icaç1o do outorgante e do outorgado.. As dis(osiçFes deste artigo a(lica87se aos de(ósitos (revistos no inciso II do artigo antecedente.(elas concernentes ao de(ósito voluntCrio. " de(ósito necessCrio n1o se (resu8e gratuito.. " de(ósito a que se re3ere o inciso I do artigo antecedente. A (rocuraç1o @ o instru8ento do 8andato. G==. GNK. Cessa. G=. R de(ósito necessCrio: I 7 o que se 3aO e8 dese8(enAo de obrigaç1o legal.a res(onsabilidade dos Aos(edeiros. G=<. Art. Na Ai(ótese do art. Q *o " instru8ento (articular deve conter a indicaç1o do lugar onde 3oi (assado. Art.e8 seu no8e.a inundaç1o. II 7 o que se e3etua (or ocasi1o de algu8a cala8idade. Ainda quando se outorgue 8andato (or instru8ento (Dblico.o de(ositCrio que n1o o restituir quando e?igido serC co8(elido a 3aO97lo 8ediante (ris1o n1o e?cedente a u8 ano.nos casos do artigo antecedente.a data e o obBetivo da outorga co8 a designaç1o e a e?tens1o dos (oderes con3eridos. Art.co8o o inc9ndio. CAP%T&L" V #o Jandato $eç1o I #is(osiçFes erais Art. Q +o " terceiro co8 que8 o 8andatCrio tratar (oderC e?igir que a (rocuraç1o traga a 3ir8a reconAecida. Art.$eç1o II #o #e(ósito NecessCrio Art. G=*. Art. Aos de(ósitos (revistos no artigo antecedente @ equi(arado o das bagagens dos viaBantes ou Aós(edes nas Aos(edarias onde estivere8. N1o se ad8ite 8andato verbal quando o ato deva ser celebrado (or escrito. GN.no sil9ncio ou de3ici9ncia dela. Art. G=N. ParCgra3o Dnico.(odendo estes certi3icare87se (or qualquer 8eio de (rova. G=M.reger7se7C (ela dis(osiç1o da res(ectiva leie. . Todas as (essoas ca(aOes s1o a(tas (ara dar (rocuraç1o 8ediante instru8ento (articular. Art. A outorga do 8andato estC suBeita E 3or8a e?igida (or lei (ara o ato a ser (raticado. Art.(ode substabelecer7se 8ediante instru8ento (articular.

" 8andato (ode ser es(ecial a u8 ou 8ais negócios deter8inada8ente. Art. " 8andato (resu8e7se gratuito quando n1o Aouver sido esti(ulada retribuiç1o.. Q *o Para alienar. GG+.ou o tenAa se8 (oderes su3icientes.ou resultar de ato inequ>voco.8as o 8andante n1o te8 aç1o contra ele sen1o de con3or8idade co8 as regras gerais. Art.se tiver agido co8 cul(a na escolAa deste ou nas instruçFes dadas a ele.e retroagirC E data do ato. GG*.ou (roceder contra eles. G=K. Art. Q *o $e. A rati3icaç1o AC de ser e?(ressa.ainda que o negócio seBa de conta do 8andante. $eç1o II #as "brigaçFes do JandatCrio Art. " 8andatCrio @ obrigado a a(licar toda sua dilig9ncia Aabitual na e?ecuç1o do 8andato. Art.se8 autoriOaç1o.n1o obstante (roibiç1o do 8andante.o 8andatCrio se 3iOer substituir na e?ecuç1o do 8andatores(onderC ao seu constituinte (elos (reBu>Oos ocorridos sob a ger9ncia do substituto.caberC ao 8andatCrio a retribuiç1o (revista e8 lei ou no contrato. $e o 8andato 3or oneroso. " 8andatCrio que e?ceder os (oderes do 8andato. ParCgra3o Dnico.e?ceto se o seu obBeto corres(onder ao daqueles que o 8andatCrio trata (or o3>cio ou (ro3iss1o lucrativa.os atos (raticados (elo substabelecido n1o obriga8 o 8andante. $e8(re que o 8andatCrio esti(ular negócios e?(ressa8ente e8 no8e do 8andante.ou (raticar outros quaisquer atos que e?orbite8 da ad8inistraç1o ordinCriade(ende a (rocuraç1o de (oderes es(eciais e e?(ressos. Q +o Tavendo (oderes de substabelecer.salvo se este os rati3icar. Q No $endo o8issa a (rocuraç1o quanto ao substabeleci8ento.na 3alta destes.ou. " 8andato e8 ter8os gerais só con3ere (oderes de ad8inistraç1o. ParCgra3o Dnico.ou geral a todos os do 8andante. " 8aior de deOesseis e 8enor de deOoito anos n1o e8anci(ado (ode ser 8andatCrio. Art.do obBeto da o(eraç1o que lAe 3oi co8etida.e8bora (rovenientes de caso 3ortuito.salvo rati3icaç1o e?(ressa. GGM.Art. " 8andatCrio te8 o direito de reter.serC ela deter8inada (elos usos do lugar. GG=.serC este o Dnico res(onsCvel.(or arbitra8ento.(oderes que devia e?ercer (essoal8ente. A aceitaç1o do 8andato (ode ser tCcita.quanto baste (ara (aga8ento de tudo que lAe 3or devido e8 conseqS9ncia do 8andato. $endo estes o8issos.serC considerado 8ero gestor de negócios.transigir. GGN.o 8andatCrio (essoal8ente obrigado.s1o ine3icaOes e8 relaç1o Equele e8 cuBo no8e 3ora8 (raticados.que retroagirC E data do ato.salvo (rovando que o caso teria sobrevindo. Art.se agir no seu (ró(rio no8e. Art. GGG.ainda que n1o tivesse Aavido substabeleci8ento.Ai(otecar.. "s atos (raticados (or que8 n1o tenAa 8andato. .e a indeniOar qualquer (reBu>Oo causado (or cul(a sua ou daquele a que8 substabelecer.(or@8. GG<. 3icarC.e resulta do co8eço de e?ecuç1o. G=. Q +o " (oder de transigir n1o i8(orta o de 3ir8ar co8(ro8isso. Q Mo $e a (roibiç1o de substabelecer constar da (rocuraç1o.enquanto o 8andante lAe n1o rati3icar os atos. GG. Art.o (rocurador serC res(onsCvel se o substabelecido (roceder cul(osa8ente.só ser1o i8(utCveis ao 8andatCrio os danos causados (elo substabelecido.a(licCveis Es obrigaçFes contra>das (or 8enores.

at@ se ree8bolsar do que no dese8(enAo do encargo des(endeu.de(ois de conAecer os (oderes do 8andatCrio. R igual8ente obrigado o 8andante a ressarcir ao 8andatCrio as (erdas que este so3rer co8 a e?ecuç1o do 8andato. G<K. $e os 8andatCrios 3ore8 declarados conBuntos.deve o 8andatCrio concluir o negócio BC co8eçado. GK+. Art.. G<<. Art.(ara a e?ecuç1o do 8andato.se Aouver (erigo na de8ora.interdiç1o ou 8udança de estado do 8andante. G<=.salvo Aavendo rati3icaç1o. G<G. Pelas so8as que devia entregar ao 8andante ou recebeu (ara des(esa.ou subordinados a atos sucessivos. Art.ainda que o negócio n1o surta o es(erado e3eito. Art.que retroagirC E data do ato. Art. " terceiro que. " 8andante @ obrigado a satis3aOer todas as obrigaçFes contra>das (elo 8andatCrio. G<*.direito de retenç1o. " 8andatCrio te8 sobre a coisa de que tenAa a (osse e8 virtude do 8andato. R obrigado o 8andante a (agar ao 8andatCrio a re8uneraç1o aBustada e as des(esas da e?ecuç1o do 8andato.se8(re que n1o resulte8 de cul(a sua ou de e?cesso de (oderes.(or qualquer t>tulo que seBa.contra os outros 8andantes.(agarC o 8andatCrio Buros. G<N. $e o 8andato 3or outorgado (or duas ou 8ais (essoas.quando o 8andatCrio lAo (edir. G<.e8 no8e (ró(rio.(or outro ladotenAa granBeado ao seu constituinte.trans3erindo7lAe as vantagens (rovenientes do 8andato.salvo direito regressivo. Ainda que o 8andatCrio contrarie as instruçFes do 8andante.na con3or8idade do 8andato con3erido. Art. $endo dois ou 8ais os 8andatCrios no8eados no 8es8o instru8ento. G<.algo que devera co8(rar (ara o 8andante. GGK. G<+.. E8bora ciente da 8orte.n1o terC e3icCcia o ato (raticado se8 inter3er9ncia de todos. Art.Art.cada u8a 3icarC solidaria8ente res(onsCvel ao 8andatCrio (or todos os co8(ro8issos e e3eitos do 8andato.co8(rar. 8as terC contra este aç1o (elas (erdas e danos resultantes da inobservPncia das instruçFes. GG.. Art.ne8 es(eci3ica8ente designados (ara atos di3erentes.vence8 Buros desde a data do dese8bolso.se n1o e?ceder os li8ites do 8andato3icarC o 8andante obrigado (ara co8 aqueles co8 que8 o seu (rocurador contratou. Art. Cessa o 8andato: . $e o 8andatCrio. G<M.8as e8(regou e8 (roveito seu.salvo tendo o 8andatCrio cul(a. Art. $eç1o III #as "brigaçFes do Jandante Art..qualquer deles (oderC e?ercer os (oderes outorgados.desde o 8o8ento e8 que abusou. GK*.n1o te8 aç1o contra o 8andatCrio.se n1o 3ore8 e?(ressa8ente declarados conBuntos.terC este aç1o (ara obrigC7lo E entrega da coisa co8(rada. " 8andatCrio @ obrigado a dar contas de sua ger9ncia ao 8andante. As so8as adiantadas (elo 8andatCrio.co8 ele celebrar negócio Bur>dico e?orbitante do 8andato.e adiantar a i8(ortPncia das des(esas necessCrias E e?ecuç1o dele. GK. Art. $eç1o I! #a E?tinç1o do Jandato Art.tendo 3undos ou cr@dito do 8andante.(or ter sido e?(ressa8ente designado no 8andato. Art.(elas quantias que (agar. " 8andatCrio n1o (ode co8(ensar os (reBu>Oos a que deu causa co8 os (roveitos que.e (ara negócio co8u8.salvo se este lAe (ro8eteu rati3icaç1o do 8andante ou se res(onsabiliOou (essoal8ente.

(agarC (erdas e danos.noti3icada so8ente ao 8andatCrio. Art. 8as 3ica8 salvas ao constituinte as açFes que no caso lAe (ossa8 caber contra o (rocurador. II 7 (ela 8orte ou interdiç1o de u8a das (artes. CAP%T&L" VI #a Co8iss1o Art.su(letiva8ente. A renDncia do 8andato serC co8unicada ao 8andante.os atos co8 estes aBustados e8 no8e do 8andante (elo 8andatCrio. $1o vClidos. Art. Art. "s Aerdeiros.ou continuar os negócios (endentes que se n1o (ossa8 de8orar se8 (erigo. Tanto que 3or co8unicada ao 8andatCrio a no8eaç1o de outro.enquanto este ignorar a 8orte daquele ou a e?tinç1o do 8andato.a res(eito dos contratantes de boa73@. " 8andato Budicial 3ica subordinado Es nor8as que lAe diOe8 res(eito.obedecidas as 3or8alidades legais.tendo ci9ncia do 8andatoavisar1o o 8andante. GKM.. GKK.ou (ela 3alta de te8(o. Art.e (rovidenciar1o a be8 dele.+. ParCgra3o Dnico. Uuando a clCusula de irrevogabilidade 3or condiç1o de u8 negócio bilateral.(or qualquer outra causa. Art.deve8 li8itar7se Es 8edidas conservatórias. GK<. I! 7 (elo t@r8ino do (raOo ou (ela conclus1o do negócio.serC indeniOado (elo 8andatCrio. Art.n1o se (ode o(or aos terceiros queignorando7a.3icando o 8andatCrio dis(ensado de (restar contas. GK=.e (odendo trans3erir (ara si os bens 8óveis ou i8óveis obBeto do 8andato.(ara o 8es8o negócio. A revogaç1o do 8andato.regulando7se os seus serviços dentro desse li8ite. GKG.considerar7se7C revogado o 8andato anterior.co8o as circunstPncias e?igire8.constantes da legislaç1o (rocessual.a 3i8 de (rover E substituiç1o do (rocurador.Es estabelecidas neste Código. GKN.aos quais se acAe vinculado. $eç1o ! #o Jandato 4udicial Art. " contrato de co8iss1o te8 (or obBeto a aquisiç1o ou a venda de bens (elo co8issCrio.no caso do artigo antecedente.E conta do co8itente.e..a revogaç1o do 8andato serC ine3icaO.e8 seu (ró(rio no8e.e que n1o lAe era dado substabelecer.de boa73@ co8 ele tratara8.ne8 se e?tinguirC (ela 8orte de qualquer das (artes. R irrevogCvel o 8andato que contenAa (oderes de cu8(ri8ento ou con3ir8aç1o de negócios encetados. G. G. Con3erido o 8andato co8 a clCusula Xe8 causa (ró(riaX.que. Art. G.os Aerdeiros.se 3or (reBudicado (ela sua ino(ortunidade.ou o 8andatCrio (ara os e?ercer. G.I 7 (ela revogaç1o ou (ela renDncia. Uuando o 8andato contiver a clCusula de irrevogabilidade e o 8andante o revogar.salvo se este (rovar que n1o (odia continuar no 8andato se8 (reBu>Oo considerCvel.a sua revogaç1o n1o terC e3icCcia.M.ou tiver sido esti(ulada no e?clusivo interesse do 8andatCrio.*. .. Art. III 7 (ela 8udança de estado que inabilite o 8andante a con3erir os (oderes. $e 3alecer o 8andatCrio. Art.(elas 8es8as nor8as a que os do 8andatCrio est1o suBeitos.(endente o negócio a ele co8etido. GK.

e?ceto e8 caso de cul(a e no do artigo seguinte. $e Aouver instruçFes do co8itente (roibindo (rorrogaç1o de (raOos (ara (aga8ento.ocasionar ao co8itente.G. Art. <. o (ri8eiro (elo que o co8issCrio Aouver adiantado (ara cu8(ri8ento de suas ordens.<. Art.terC direito a ser re8unerado (elos trabalAos (restados.K.o co8issCrio te8 direito a re8uneraç1o 8ais elevada. No dese8(enAo das suas incu8b9ncias o co8issCrio @ obrigado a agir co8 cuidado e dilig9ncia.se8 que estas tenAa8 aç1o contra o co8itente. Para ree8bolso das des(esas 3eitas. G.be8 co8o a ser ressarcido (elas (erdas e danos resultantes de sua dis(ensa.salvo esti(ulaç1o e8 contrCrio.se deles Aouver resultado vantage8 (ara o co8itente.na 3alta destas.ressalvado a este o direito de e?igir daquele os (reBu>Oos so3ridos. Art.K.devendo.res(onderC o co8issCrio solidaria8ente co8 as (essoas co8 que Aouver tratado e8 no8e do co8itente. Res(onderC o co8issCrio. . <.=.se n1o Aouver instruçFes diversas do co8itente.salvo se o co8issCrio ceder seus direitos a qualquer das (artes.. Ter7se71o (or Busti3icados os atos do co8issCrio.entendendo7se (or elas regidos ta8b@8 os negócios (endentes. " co8issCrio n1o res(onde (ela insolv9ncia das (essoas co8 que8 tratar.relativo a co8issFes e des(esas 3eitas.serC ela arbitrada segundo os usos correntes no lugar. Art.+.(or 8otivo de 3orça 8aior.quando. " cr@dito do co8issCrio.a qualquer te8(o.caso e8 que. <. $e o co8issCrio 3or des(edido se8 Busta causa. G. Art.o co8issCrio agiu de acordo co8 os usos. G. " co8issCrio @ obrigado a agir de con3or8idade co8 as ordens e instruçFes do co8itente.(oderC o co8itente e?igir que o co8issCrio (ague incontinenti ou res(onda (elas conseqS9ncias da dilaç1o concedida. Art. <. Art. Art. " co8issCrio 3ica direta8ente obrigado (ara co8 as (essoas co8 que8 contratar. Ainda que tenAa dado 8otivo E dis(ensa. G.*. Art. Art..8as ainda (ara lAe (ro(orcionar o lucro que raOoavel8ente se (odia es(erar do negócio. Art.ou.(or qualquer (reBu>Oo que. Art.N.<..no caso de 3al9ncia ou insolv9ncia do co8itente. <.alterar as instruçFes dadas ao co8issCrio. ParCgra3o Dnico. Art. <.n1o ad8itindo de8ora a realiOaç1o do negócio.n1o (odendo (edi7las a te8(o.(roceder segundo os usos e8 casos se8elAantes. " co8itente e o co8issCrio s1o obrigados a (agar Buros u8 ao outro. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio.(ode o co8itente.(rocedendo7se de igual 8odo se o co8issCrio n1o der ci9ncia ao co8itente dos (raOos concedidos e de que8 @ seu bene3iciCrio.e ainda no caso e8 que. e o segundo (ela 8ora na entrega dos 3undos que (ertencere8 ao co8itente.ou se esta n1o 3or con3or8e os usos locais.goOa de (rivil@gio geral. No caso de 8orte do co8issCrio.te8 o co8issCrio direito de retenç1o sobre os bens e valores e8 seu (oder e8 virtude da co8iss1o.terC o co8issCrio direito a ser re8unerado (elos serviços Dteis (restados ao co8itente.salvo 8otivo de 3orça 8aior.G. $e do contrato de co8iss1o constar a clCusula del credere.ne8 este contra elas. <.n1o só (ara evitar qualquer (reBu>Oo ao co8itente.=. N1o esti(ulada a re8uneraç1o devida ao co8issCrio. G. ParCgra3o Dnico. G.N. <. Presu8e7se o co8issCrio autoriOado a conceder dilaç1o do (raOo (ara (aga8ento.na con3or8idade dos usos do lugar onde se realiOar o negócio. <.be8 co8o (ara recebi8ento das co8issFes devidas.(ara co8(ensar o Lnus assu8ido.(or aç1o ou o8iss1o. Art.Art.M.n1o (uder concluir o negócioserC devida (elo co8itente u8a re8uneraç1o (ro(orcional aos trabalAos realiOados..

ainda que se8 a sua inter3er9ncia.al@8 das indeniOaçFes (revistas e8 lei es(ecial. Art. ParCgra3o Dnico.no que couber. Art. <*=. <*.u8a (essoa. Art.as regras sobre 8andato. " (ro(onente (ode con3erir (oderes ao agente (ara que este o re(resente na conclus1o dos contratos. $e o agente n1o (uder continuar o trabalAo (or 8otivo de 3orça 8aior. Art. <*+. Art. <*.o BuiO decidirC da raOoabilidade do (raOo e do valor devido.cessar o atendi8ento das (ro(ostas ou reduOi7lo tanto que se torna antieconL8ica a continuaç1o do contrato.e8 carCter n1o eventual e se8 v>nculos de de(end9ncia. Pelo contrato de corretage8. <**. <*N.o (ro(onente n1o (ode constituir.desde que transcorrido (raOo co8(at>vel co8 a natureOa e o vulto do investi8ento e?igido do agente.8ediante aviso (r@vio de noventa dias.as regras concernentes ao 8andato e E co8iss1o e as constantes de lei es(ecial.terC o agente direito a ser re8unerado (elos serviços Dteis (restados ao (ro(onente. <++.na 8es8a Oonaco8 id9ntica incu8b9ncia.o agente ou distribuidor terC direito E re8uneraç1o corres(ondente aos negócios conclu>dos dentro de sua Oona. . " agente. <*K.inclusive sobre os negócios (endentes.n1o ligada a outra e8 virtude de 8andato.a realiOaç1o de certos negóciose8 Oona deter8inada. $alvo esti(ulaç1o diversa.no que couber.atendo7se Es instruçFes recebidas do (ro(onente. <*<. <+*.deve agir co8 toda dilig9ncia. Pelo contrato de ag9ncia. <+.8ais de u8 agente. No caso de diverg9ncia entre as (artes.terC direito E re8uneraç1o corres(ondente aos serviços realiOados. Art.no dese8(enAo que lAe 3oi co8etido.. Ainda que dis(ensado (or Busta causa..obriga7se a obter (ara a segunda u8 ou 8ais negócioscon3or8e as instruçFes recebidas.todas as des(esas co8 a ag9ncia ou distribuiç1o corre8 a cargo do agente ou distribuidor.cabendo esse direito aos Aerdeiros no caso de 8orte.. <.Art.u8a (essoa assu8e. A re8uneraç1o serC devida ao agente ta8b@8 quando o negócio dei?ar de ser realiOado (or 3ato i8(utCvel ao (ro(onente.qualquer das (artes (oderC resolv97lo. CAP%T&L" VIII #a Corretage8 Art.a obrigaç1o de (ro8over. $alvo aBuste. CAP%T&L" VII #a Ag9ncia e #istribuiç1o Art. <*M.E conta de outra. Art. $e o contrato 3or (or te8(o indeter8inado.se8 Busta causa. " agente ou distribuidor te8 direito E indeniOaç1o se o (ro(onente. ParCgra3o Dnico. A(lica87se ao contrato de ag9ncia e distribuiç1o. Art.8ediante retribuiç1o.se8 e8bargo de Aaver este (erdas e danos (elos (reBu>Oos so3ridos.ao 8es8o te8(o. Art. Art. $e a dis(ensa se der se8 cul(a do agente.terC ele direito E re8uneraç1o at@ ent1o devida.. ne8 (ode o agente assu8ir o encargo de nela tratar de negócios do 8es8o g9neroE conta de outros (ro(onentes. $alvo aBuste. Art. $1o a(licCveis E co8iss1o.caracteriOando7se a distribuiç1o quando o agente tiver E sua dis(osiç1o a coisa a ser negociada.de (restaç1o de serviços ou (or qualquer relaç1o de de(end9ncia. <*G..

salvo aBuste e8 contrCrio. Art.Art. Aos contratos de trans(orte.rege7se (elas nor8as regula8entares e (elo que 3or estabelecido naqueles atos.(essoas ou coisas.os (receitos constantes da legislaç1o es(ecial e de tratados e convençFes internacionais.3or aBustada a corretage8 co8 e?clusividade. Art. 8as se. Nos contratos de trans(orte cu8ulativo. Q *o " dano. Art.de +. <M.e8 geral. Art. <M*..8ediante retribuiç1o.e o negócio se realiOar (osterior8ente.terC o corretor direito E re8uneraç1o integral. "s (receitos sobre corretage8 constantes deste Código n1o e?clue8 a a(licaç1o de outras nor8as da legislaç1o es(ecial.o corretor (restarC ao cliente todos os esclareci8entos acerca da segurança ou do risco do negócio. ' Inclu>do (ela Lei n) *+. A re8uneraç1o @ devida ao corretor u8a veO que tenAa conseguido o resultado (revisto no contrato de 8ediaç1o.quando couber. Q +o $e Aouver substituiç1o de algu8 dos trans(ortadores no decorrer do (ercurso.a res(onsabilidade solidCria estender7se7C ao substituto. Pelo contrato de trans(orte algu@8 se obriga. $ob (ena de res(onder (or (erdas e danos. <+M.ainda que realiOado o negócio se8 a sua 8ediaç1o.a re8uneraç1o serC (aga a todos e8 (artes iguais.+MG.a trans(ortar.de u8 lugar (ara outro. <+. <+G.das alteraçFes de valores e de outros 3atores que (ossa8 in3luir nos resultados da incu8b9ncia.*. A re8uneraç1o do corretor. $eç1o II #o Trans(orte de Pessoas . <+=.resultante do atraso ou da interru(ç1o da viage8.. $e o negócio se concluir co8 a inter8ediaç1o de 8ais de u8 corretor.(or n1o Aaver (raOo deter8inado. <MM.salvo se co8(rovada sua in@rcia ou ociosidade.(or escrito.ne8 aBustada entre as (artes. " trans(orte e?ercido e8 virtude de autoriOaç1o.desde que n1o contrarie8 as dis(osiçFes deste Código.nenAu8a re8uneraç1o serC devida ao corretor. Iniciado e conclu>do o negócio direta8ente entre as (artes.8as (or e3eito dos trabalAos do corretor.serC arbitrada segundo a natureOa do negócio e os usos locais. / ParCgra3o Dnico. ' Redaç1o dada (ela Lei n) *+. / Art. Art. igual soluç1o se adotarC se o negócio se realiOar a(ós a decorr9ncia do (raOo contratual. $e. <+<.+MG.*.o dono do negócio dis(ensar o corretor. Art.se n1o estiver 3i?ada e8 lei. Art.s1o a(licCveis. CAP%T&L" VI! #o Trans(orte $eç1o I #is(osiçFes erais Art.se8 (reBu>Oo do dis(osto neste Código.cada trans(ortador se obriga a cu8(rir o contrato relativa8ente ao res(ectivo (ercurso. <M+.de +.e a (restar ao clientees(ontanea8ente.co8o 3ruto da sua 8ediaç1o.serC deter8inado e8 raO1o da totalidade do (ercurso. " corretor @ obrigado a e?ecutar a 8ediaç1o co8 dilig9ncia e (rud9ncia. <+K. Art.todas as in3or8açFes sobre o anda8ento do negócio.(er8iss1o ou concess1o.res(ondendo (elos danos nele causados a (essoas e coisas. <+N.a corretage8 lAe serC devida.ou ainda que este n1o se e3etive e8 virtude de arre(endi8ento das (artes.

" trans(ortador n1o (ode recusar (assageiros.ainda que e8 conseqS9ncia de evento i8(revis>vel.(eso e quantidade.salvo se (rovado que outra (essoa 3oi trans(ortada e8 seu lugar. <MK.(or 8odalidade di3erente. <N.e o 8ais que 3or necessCrio (ara que n1o se con3unda co8 outras. Art. A (essoa trans(ortada deve suBeitar7se Es nor8as estabelecidas (elo trans(ortador.caso e8 que lAe serC restitu>do o valor do bilAete n1o utiliOado.contra o qual te8 aç1o regressiva.ou di3iculte8 ou i8(eça8 a e?ecuç1o nor8al do serviço.E sua custa.constantes no bilAete ou a3i?adas E vista dos usuCrios. Q Mo Nas Ai(óteses (revistas neste artigo.sendo7lAe devida a restituiç1o do valor da (assage8.na 8edida e8 que a v>ti8a Aouver concorrido (ara a ocorr9ncia do dano.valor.3ica ele obrigado a concluir o trans(orte contratado e8 outro ve>culo da 8es8a categoria. . R l>cito ao trans(ortador e?igir a declaraç1o do valor da bagage8 a 3i8 de 3i?ar o li8ite da indeniOaç1o. Art.te8 direito de retenç1o sobre a bagage8 de (assageiro e outros obBetos (essoais deste. Interro8(endo7se a viage8 (or qualquer 8otivo alAeio E vontade do trans(ortador. " trans(ortador res(onde (elos danos causados Es (essoas trans(ortadas e suas bagagens.entregue ao trans(ortador.a t>tulo de 8ulta co8(ensatória.sendo nula qualquer clCusula e?cludente da res(onsabilidade.salvo 8otivo de 3orça 8aior. ParCgra3o Dnico. Art.deve estar caracteriOada (ela sua natureOa.devendo o destinatCrio ser indicado ao 8enos (elo no8e e endereço. Q *o Ao (assageiro @ 3acultado desistir do trans(orte.(ara garantir7se do (aga8ento do valor da (assage8 que n1o tiver sido 3eito no in>cio ou durante o (ercurso.sob (ena de res(onder (or (erdas e danos. " trans(ortador estC suBeito aos AorCrios e itinerCrios (revistos.u8a veO e?ecutado o trans(orte.desde que 3eita a co8unicaç1o ao trans(ortador e8 te8(o de ser renegociada..8es8o de(ois de iniciada a viage8. ParCgra3o Dnico.e8bora 3eito se8 re8uneraç1o. A coisa. ParCgra3o Dnico. A res(onsabilidade contratual do trans(ortador (or acidente co8 o (assageiro n1o @ elidida (or cul(a de terceiro.durante a es(era de novo trans(orte.abstendo7se de quaisquer atos que cause8 incL8odo ou (reBu>Oo aos (assageiros.(or a8iOade ou cortesia.salvo os casos (revistos nos regula8entos.o BuiO reduOirC eqSitativa8ente a indeniOaç1o. <N+. Art. <M. " (assageiro te8 direito a rescindir o contrato de trans(orte antes de iniciada a viage8. Art. Art.salvo 8otivo de 3orça 8aior.co8 a anu9ncia do (assageiro.dani3ique8 o ve>culo. " trans(ortador.o trans(ortador terC direito de reter at@ cinco (or cento da i8(ortPncia a ser restitu>da ao (assageiro. <MG.ou se as condiçFes de Aigiene ou de saDde do interessado o Busti3icare8. <N*. N1o se subordina Es nor8as do contrato de trans(orte o 3eito gratuita8ente.correndo ta8b@8 (or sua conta as des(esas de estada e ali8entaç1o do usuCrio. Q +o N1o terC direito ao ree8bolso do valor da (assage8 o usuCrio que dei?ar de e8barcar. N1o se considera gratuito o trans(orte quando. <NM. Art.Art. $e o (reBu>Oo so3rido (ela (essoa trans(ortada 3or atribu>vel E transgress1o de nor8as e instruçFes regula8entares. $eç1o III #o Trans(orte de Coisas Art..o trans(ortador au3erir vantagens indiretas. <MN.desde que (rovado que outra (essoa AaBa sido trans(ortada e8 seu lugar. Art. <M<. <M=.ou.sendo7lAe devida a restituiç1o do valor corres(ondente ao trecAo n1o utiliOado.

a qual (oderC ser contratual8ente aBustada ou se con3or8arC aos usos adotados e8 cada siste8a de trans(orte.co8eça no 8o8ento e8 que ele.(elas dis(osiçFes relativas a de(ósito.8ais as (erdas e danos que Aouver.(or ele devida8ente autenticada3icarC 3aOendo (arte integrante do conAeci8ento. Art. PoderC o trans(ortador recusar a coisa cuBa e8balage8 seBa inadequada.os acr@sci8os de des(esa decorrentes da contra7 orde8.sob (ena de decad9ncia.o trans(ortador deve in3or8ar o re8etente da e3etivaç1o do de(ósito ou da venda. " trans(ortador conduOirC a coisa ao seu destino.to8ando todas as cautelas necessCrias (ara 8ant97 la e8 bo8 estado e entregC7la no (raOo aBustado ou (revisto.este (oderC de(ositar a coisa.sob (ena de decad9ncia dos direitos.(ode o re8etente desistir do trans(orte e (edi7la de volta. #ese8barcadas as 8ercadorias.recebe8 a coisa. Art.se8 8otivo i8(utCvel ao trans(ortador e se8 8ani3estaç1o do re8etente(oderC aquele de(ositar a coisa e8 Bu>Oo. Art..incontinentiinstruçFes ao re8etente. <=N.de(ositada ou guardada nos ar8aO@ns do trans(ortador.o trans(ortador n1o @ obrigado a dar aviso ao destinatCrio. Ao receber a coisa.e8 virtude de contrato de trans(orterege7se. . A res(onsabilidade do trans(ortador.obedecidos os (receitos legais e regula8entares.a contar daquele ato.o trans(ortador e8itirC conAeci8ento co8 a 8enç1o dos dados que a identi3ique8obedecido o dis(osto e8 lei es(ecial. <NN.a relaç1o discri8inada das coisas a sere8 trans(ortadas.ou que venAa desaco8(anAada dos docu8entos e?igidos (or lei ou regula8ento. Art. Art.e8 duas vias. <NK.. Art.u8a das quais.u8a re8uneraç1o (ela custódia. " trans(ortador deverC obrigatoria8ente recusar a coisa cuBo trans(orte ou co8ercialiOaç1o n1o seBa8 (er8itidos. <=M. Q +o $e o i8(edi8ento 3or res(onsabilidade do trans(ortador. Q No $e o trans(ortador 8antiver a coisa de(ositada e8 seus (ró(rios ar8aO@ns. <N<.(or cuBo (ereci8ento ou deterioraç1o res(onderC.no que couber. <N.se aquele n1o 3or encontrado.ou seus (re(ostos. E8 caso de in3or8aç1o ine?ata ou 3alsa descriç1o no docu8ento a que se re3ere o artigo antecedenteserC o trans(ortador indeniOado (elo (reBu>Oo que so3rer. <NG.e deve8 constar do conAeci8ento de e8barque as clCusulas de aviso ou de entrega a do8ic>lio. ter8ina quando @ entregue ao destinatCrio.ou vend97la.ou a que8 a(resentar o conAeci8ento endossado. <=+.(or@8.devendo a aç1o res(ectiva ser aBuiOada no (raOo de cento e vinte dias. Art.e OelarC (ela coisa.sendo7lAe devida. $e o trans(orte n1o (uder ser 3eito ou so3rer longa interru(ç1o.ou ordenar seBa entregue a outro destinatCrio.de(ositando o valor. A coisa.de(endendo ta8b@8 de aBuste a entrega a do8ic>lio.ou os usos locais.be8 co8o a que (ossa (Lr e8 risco a saDde das (essoas.e8 a8bos os casos. <=*.ou de(ositada e8 Bu>Oo.continuarC a res(onder (ela sua guarda e conservaç1o. As 8ercadorias deve8 ser entregues ao destinatCrio. Q Mo E8 a8bos os casos.salvo 3orça 8aior.se assi8 n1o 3oi convencionado.Art.devida8ente assinada. Art. Art.o trans(ortador solicitarC.li8itada ao valor constante do conAeci8ento. " trans(ortador (oderC e?igir que o re8etente lAe entregue. <=.devendo aquele que as receber con3eri7las e a(resentar as recla8açFes que tiver. Q *o Perdurando o i8(edi8ento.ou dani3icar o ve>culo e outros bens. ParCgra3o Dnico.(agando.8as só (oderC vend97la se (erec>vel.(or sua conta e risco. At@ a entrega da coisa. Art. <N=.

<G=. Art. se a de8ora (uder ocasionar a deterioraç1o da coisa. <GN.quando 3or o caso.o trans(ortador deverC vend97la.ou (ro(orcional8ente.a 8ais estrita boa73@ e veracidade. CAP%T&L" V! #" $E &R" $eç1o I #is(osiçFes erais Art.a a(ólice ou o bilAete n1o (ode8 ser ao (ortador. <=. Uuando o risco 3or assu8ido e8 co7seguro.co8o segurador. Nulo serC o contrato (ara garantia de risco (roveniente de ato doloso do segurado. No seguro de (essoas.entidade (ara tal 3i8 legal8ente autoriOada.na 3alta deles. Art. <GM.e. Art.o 3ato de se n1o ter veri3icado o risco.E orde8 ou ao (ortador.(or inteiro. .o destinatCrio conserva a sua aç1o contra o trans(ortador.3iOer declaraçFes ine?atas ou o8itir circunstPncias que (ossa8 in3luir na aceitaç1o da (ro(osta ou na ta?a do (r98io..ParCgra3o Dnico. ParCgra3o Dnico. $e o segurado.de 8odo que o ressarci8ento recaia. " contrato de seguro (rova7se co8 a e?ibiç1o da a(ólice ou do bilAete do seguro. Art.tanto a res(eito do obBeto co8o das circunstPncias e declaraçFes a ele concernentes. $alvo dis(osiç1o es(ecial.8ediante o (aga8ento do (r98io.(or si ou (or seu re(resentante.al@8 de 3icar obrigado ao (r98io vencido. A a(ólice ou o bilAete de seguro ser1o no8inativos. <G+.contra riscos (redeter8inados.se ocorrer o sinistro antes de sua (urgaç1o.(erderC o direito E garantia. Art.e 8encionar1o os riscos assu8idos.do bene3iciCrio. Art.desde que denuncie o dano e8 deO dias a contar da entrega.ressalvada a a(uraç1o 3inal da res(onsabilidade entre eles. <GG. Art. Art. No caso de trans(orte cu8ulativo.e. <G. " segurado e o segurador s1o obrigados a guardar na conclus1o e na e?ecuç1o do contrato.o in>cio e o 3i8 de sua validade. <=G. No caso de (erda (arcial ou de avaria n1o (erce(t>vel E (ri8eira vista.se n1o lAe 3or (oss>vel obter instruçFes do re8etente.e8 (revis1o do qual se 3aO o seguron1o e?i8e o segurado de (agar o (r98io.a a(ólice indicarC o segurador que ad8inistrarC o contrato e re(resentarC os de8ais. <=K. Art. Art. A e8iss1o da a(ólice deverC ser (recedida de (ro(osta escrita co8 a declaraç1o dos ele8entos essenciais do interesse a ser garantido e do risco..o segurador se obriga.naquele ou naqueles e8 cuBo (ercurso Aouver ocorrido o dano. Pelo contrato de seguro.o no8e do segurado e o do bene3iciCrio. $o8ente (ode ser (arte.ou de re(resentante de u8 ou de outro. N1o terC direito a indeniOaç1o o segurado que estiver e8 8ora no (aga8ento do (r98io.(ara todos os seus e3eitos. Art. <==. Tavendo dDvida acerca de que8 seBa o destinatCrio.relativo a (essoa ou a coisa. <G*.todos os trans(ortadores res(onde8 solidaria8ente (elo dano causado (erante o re8etente.a garantir interesse leg>ti8o do segurado.o trans(ortador deve de(ositar a 8ercadoria e8 Bu>Oo. <=<.no contrato de seguro.de(ositando o saldo e8 Bu>Oo. ParCgra3o Dnico.(or docu8ento co8(robatório do (aga8ento do res(ectivo (r98io.o li8ite da garantia e o (r98io devido.

Art.aos seguros regidos (or leis (ró(rias. <G.a garantia (ro8etida n1o (ode ultra(assar o valor do interesse segurado no 8o8ento da conclus1o do contrato. Art.a di8inuiç1o do risco no curso do contrato n1o acarreta a reduç1o do (r98io esti(ulado. Art. <<.e se8 (reBu>Oo da aç1o (enal que no caso couber. " segurador que. "s agentes autoriOados do segurador (resu8e87se seus re(resentantes (ara todos os atos relativos aos contratos que agenciare8.co8o seBa8 os estragos ocasionados (ara evitar o sinistro.as des(esas de salva8ento conseqSente ao sinistro.. Art. Art. Art. Art.sob (ena de (erder o direito E garantia.se (rovar que silenciou de 8C73@. <GG. Art.todo incidente suscet>vel de agravar consideravel8ente o risco coberto.. " risco do seguro co8(reenderC todos os (reBu>Oos resultantes ou conseqSentes. <<*. " segurador @ obrigado a (agar e8 dinAeiro o (reBu>Oo resultante do risco assu8ido.de sua decis1o de resolver o contrato.e to8arC as (rovid9ncias i8ediatas (ara 8inorar7lAe as conseqS9ncias. 8as. Q +o A resoluç1o só serC e3icaO trinta dias a(ós a noti3icaç1o. <<N. " dis(osto no (resente Ca(>tulo a(lica7se.(or escrito.at@ o li8ite 3i?ado no contrato.salvo se convencionada a re(osiç1o da coisa.8ediante e?(ressa clCusula contratual. Art.ou a cobrar. <K. <G<. <<=. <<M.o segurador (ode o(or ao segurado quaisquer de3esas que tenAa contra o esti(ulante. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio. $eç1o II #o $eguro de #ano Art..logo que o saiba.desde que o 3aça nos quinOe dias seguintes ao recebi8ento do aviso da agravaç1o do risco se8 cul(a do segurado.se8 (reBu>Oo dos Buros 8oratórios.ParCgra3o Dnico.(oderC dar7lAe ci9ncia. <<G. Art. Q *o " segurador.ou salvar a coisa.e?(ede a a(ólice. A 8ora do segurador e8 (agar o sinistro obriga E atualiOaç1o 8onetCria da indeniOaç1o devida segundo >ndices o3iciais regular8ente estabelecidos.se a reduç1o do risco 3or considerCvel.ou de (aga8ento do (r98io..a di3erença do (r98io. <<<.ao te8(o do contrato.no seguro de coisas trans(ortadas.devendo ser restitu>da (elo segurador a di3erença do (r98io.co8eça no 8o8ento e8 que s1o (elo trans(ortador recebidas. A vig9ncia da garantia. " segurado (erderC o direito E garantia se agravar intencional8ente o risco obBeto do contrato.logo que saiba.o segurado (oderC e?igir a revis1o do (r98io. Corre8 E conta do segurador. No seguro E conta de outre8. ParCgra3o Dnico. " segurado @ obrigado a co8unicar ao segurador. Art.o segurado (artici(arC o sinistro ao segurador. <<K.ou a resoluç1o do contrato.(agarC e8 dobro o (r98io esti(ulado.no que couber. Art.e. <<+.sob (ena do dis(osto no art.n1o (oderC o(erar 8ais de u8a veO.o segurador terC direito a resolver o contrato.8inorar o dano. . $e a ine?atid1o ou o8iss1o nas declaraçFes n1o resultar de 8C73@ do segurado. Nos seguros de dano. <GK. $ob (ena de (erder o direito E indeniOaç1o.(or descu8(ri8ento das nor8as de conclus1o do contrato.n1o obstante.8es8o a(ós o sinistro.sabe estar (assado o risco de que o segurado se (retende cobrir. <<.e cessa co8 a sua entrega ao destinatCrio. A reconduç1o tCcita do contrato (elo 8es8o (raOo. Art.

a sub7rogaç1o n1o te8 lugar se o dano 3oi causado (elo cLnBuge do segurado.se8 (ro8over a citaç1o deste (ara integrar o contraditório.consangS>neos ou a3ins.n1o declarado (elo segurado. Art. N1o se inclui na garantia o sinistro (rovocado (or v>cio intr>nseco da coisa segurada.seus descendentes ou ascendentes.e contra o 8es8o risco Bunto a outro segurador. A indeniOaç1o n1o (ode ultra(assar o valor do interesse segurado no 8o8ento do sinistro.ad8ite7se a trans3er9ncia do contrato a terceiro co8 a alienaç1o ou cess1o do interesse segurado. <K+. Art.o segurador sub7roga7se. Q +o R ine3icaO qualquer ato do segurado que di8inua ou e?tinga.se o segurador 3or insolvente.o li8ite 8C?i8o da garantia 3i?ado na a(ólice.Art.co8unicarC o 3ato ao segurador. Q Mo Intentada a aç1o contra o segurado. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio. <KM. <KG. Art.a trans3er9ncia só (roduO e3eitos e8 relaç1o ao segurador 8ediante aviso escrito assinado (elo cedente e (elo cessionCrio.deve (revia8ente co8unicar sua intenç1o (or escrito ao (ri8eiroindicando a so8a (or que (retende segurar7se. <K=.e8 (reBu>Oo do segurador. Q *o T1o logo saiba o segurado das conseqS9ncias de ato seu. Q No $ubsistirC a res(onsabilidade do segurado (erante o terceiro. Art.a indeniOaç1o (or sinistro serC (aga (elo segurador direta8ente ao terceiro (reBudicado. <K*. $eç1o III #o $eguro de Pessoa .ou indeniOC7lo direta8ente.(retender obter novo seguro sobre o 8es8o interesse. <K<.be8 co8o transigir co8 o terceiro (reBudicado.no caso de sinistro (arcial.o seguro de u8 interesse (or 8enos do que valAa acarreta a reduç1o (ro(orcional da indeniOaç1o. Art.na vig9ncia do contrato. Art. <KK.os direitos a que se re3ere este artigo.que se n1o encontra nor8al8ente e8 outras da 8es8a es(@cie.salvo e8 caso de 8ora do segurador.se8 anu9ncia e?(ressa do segurador.a 3i8 de se co8(rovar a obedi9ncia ao dis(osto no art. Paga a indeniOaç1o. " segurado que. ParCgra3o Dnico. Q +o R de3eso ao segurado reconAecer sua res(onsabilidade ou con3essar a aç1o. Art. <KN. Entende7se (or v>cio intr>nseco o de3eito (ró(rio da coisa. #e8andado e8 aç1o direta (ela v>ti8a do dano.e.e8 Ai(ótese algu8a.suscet>vel de lAe acarretar a res(onsabilidade inclu>da na garantia.o segurador n1o (oderC o(or a e?ceç1o de contrato n1o cu8(rido (elo segurado. <<K.darC este ci9ncia da lide ao segurador. Nos seguros de res(onsabilidade legal8ente obrigatórios.nos direitos e açFes que co8(etire8 ao segurado contra o autor do dano. Q *o $e o instru8ento contratual @ no8inativo. Q *o $alvo dolo. ParCgra3o Dnico.datado e assinado (elo endossante e (elo endossatCrio. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio.nos li8ites do valor res(ectivo. Q +o A a(ólice ou o bilAete E orde8 só se trans3ere (or endosso e8 (reto. No seguro de res(onsabilidade civil.o segurador garante o (aga8ento de (erdas e danos devidos (elo segurado a terceiro.

ou (or toda a vida do segurado. " segurador.acarretarC. <. <.sob (ena de 3alsidade. " segurador n1o (ode e?i8ir7se ao (aga8ento do seguro. <.(or ato entre vivos ou de Dlti8a vontade. <.ou da sua reconduç1o de(ois de sus(enso. ParCgra3o Dnico. <..co8 a restituiç1o da reserva BC 3or8ada. Art.ou do bene3iciCrio.K..se ao te8(o do contrato o segurado era se(arado Budicial8ente.ou se o seguro n1o tiver co8o causa declarada a garantia de algu8a obrigaç1o. <.co8 o 8es8o ou diversos seguradores..desobrigar7se7C (agando o ca(ital segurado ao antigo bene3iciCrio. Art. <.<. No seguro de vida (ara o caso de 8orte.o segurador n1o terC aç1o (ara cobrar o (r98io vencido. Art. Nos seguros de (essoas. ParCgra3o Dnico. Art.N.. <. K. <K. Art.M.obedecida a orde8 da vocaç1o AereditCria. " (r98io. No caso deste artigo o segurador @ obrigado a devolver ao bene3iciCrio o 8ontante da reserva t@cnica BC 3or8ada..o ca(ital segurado @ livre8ente esti(ulado (elo (ro(onente.cuBa 3alta de (aga8ento. Na 3alta de indicaç1o da (essoa ou bene3iciCrio.@ nula a clCusula contratual que e?clui o (aga8ento do ca(ital (or suic>dio do segurado. Nos seguros de (essoas.que n1o 3or cienti3icado o(ortuna8ente da substituiç1o.con3or8e se esti(ular. Art.o ca(ital segurado serC (ago (or 8etade ao cLnBuge n1o se(arado Budicial8ente.Art.ou a reduç1o do ca(ital garantido (ro(orcional8ente ao (r98io (ago..+. No seguro de vida ou de acidentes (essoais (ara o caso de 8orte.da (restaç1o de serviço 8ilitar. No seguro sobre a vida de outros.se a 8orte ou a inca(acidade do segurado (rovier da utiliOaç1o de 8eio de trans(orte 8ais arriscado.ascendente ou descendente do (ro(onente. ParCgra3o Dnico.no seguro de (essoa.quando o segurado @ cLnBuge. Art. " bene3iciCrio n1o te8 direito ao ca(ital esti(ulado quando o segurado se suicida nos (ri8eiros dois anos de vig9ncia inicial do contrato.ou de atos de Au8anidade e8 au?>lio de outre8.. Art.ne8 se considera Aerança (ara todos os e3eitos de direito.no seguro de vida. Na 3alta das (essoas indicadas neste artigo.durante o qual o segurador n1o res(onde (ela ocorr9ncia do sinistro. $e o segurado n1o renunciar E 3aculdade. R nula. E8 qualquer Ai(ótese.contra o causador do sinistro. ParCgra3o Dnico. At@ (rova e8 contrCrio.ainda que da a(ólice conste a restriç1o.o segurador n1o (ode sub7rogar7se nos direitos e açFes do segurado.o (ro(onente @ obrigado a declarar. R vClida a instituiç1o do co8(anAeiro co8o bene3iciCrio.@ l>cita a substituiç1o do bene3iciCrio. <.ou BC se encontrava se(arado de 3ato.que (ode contratar 8ais de u8 seguro sobre o 8es8o interesse. Art. Ressalvada a Ai(ótese (revista neste artigo.e o restante aos Aerdeiros do segurado.*.(resu8e7se o interesse.observado o dis(osto no (arCgra3o Dnico do artigo antecedente. <.a resoluç1o do contrato.da (rCtica de es(orte. Art. .no seguro individual.o ca(ital esti(ulado n1o estC suBeito Es d>vidas do segurado.nos (raOos (revistos. ParCgra3o Dnico.@ l>cito esti(ular7se u8 (raOo de car9ncia.ou se (or qualquer 8otivo n1o (revalecer a que 3or 3eita.o seu interesse (ela (reservaç1o da vida do segurado.qualquer transaç1o (ara (aga8ento reduOido do ca(ital segurado.=. Art.ser1o bene3iciCrios os que (rovare8 que a 8orte do segurado os (rivou dos 8eios necessCrios E subsist9ncia. ParCgra3o Dnico.G.serC conveniado (or (raOo li8itado.

Uuando a renda 3or constitu>da e8 bene3>cio de duas ou 8ais (essoas. CAP%T&L" V!II #o 4ogo e da A(osta . A isenç1o (revista neste artigo (revalece de (leno direito e8 3avor dos 8onte(ios e (ensFes ali8ent>cias.desde a tradiç1o. " contrato (ode ser ta8b@8 a t>tulo oneroso. " credor adquire o direito E renda dia a dia. K*M.a t>tulo gratuito.dei?ar de cu8(rir a obrigaç1o esti(ulada. K.ou (or vida. Q +o A 8odi3icaç1o da a(ólice e8 vigor de(enderC da anu9ncia e?(ressa de segurados que re(resente8 tr9s quartos do gru(o. " seguro de (essoas (ode ser esti(ulado (or (essoa natural ou Bur>dica e8 (roveito de gru(o que a ela.ou censuCrio.entende7se que os seus direitos s1o iguais.ou que. A renda constitu>da (or t>tulo gratuito (ode.se8 deter8inaç1o da (arte de cada u8a. K. N1o se co8(reende nas dis(osiçFes desta $eç1o a garantia do ree8bolso de des(esas Aos(italares ou de trata8ento 8@dico.(oderC o credor da renda acionC7lo. K. Art. " contrato de constituiç1o de renda requer escritura (Dblica.G.se a (restaç1o n1o Aouver de ser (aga adiantada.sob (ena de rescis1o do contrato. Art.no do8>nio da (essoa que (or aquela se obrigou.n1o adquirir1o os sobrevivos direito E (arte dos que 8orrere8.Art.nos trinta dias seguintes. K*. Art. Q *o " esti(ulante n1o re(resenta o segurador (erante o gru(o segurado. e. R nula a constituiç1o de renda e8 3avor de (essoa BC 3alecida.no co8eço de cada u8 dos (er>odos (re3i?os.(elo contrato de constituiç1o de renda.ou 3ideBussória.(ara co8 o segurador.3icar isenta de todas as e?ecuçFes (endentes e 3uturas. Art.vier a 3alecer de 8ol@stia que BC so3ria. Art.obrigar7se (ara co8 outra a u8a (restaç1o (eriódica.+. ParCgra3o Dnico. K.=.*. K**.<.seBa terceiro. Art.quando 3oi celebrado o contrato. CAP%T&L" V!I #a Constituiç1o de Renda Art.ne8 o custeio das des(esas de luto e de 3uneral do segurado.. K.de qualquer 8odo.K. " contrato de constituiç1o de renda serC 3eito a (raOo certo. Pode u8a (essoa.(or ato do instituidor.. Art. $e o rendeiro.tanto (ara que lAe (ague as (restaçFes atrasadas co8o (ara que lAe d9 garantias das 3uturas. "s bens dados e8 co8(ensaç1o da renda cae8. Art. K. Art..M. K. $endo o contrato a t>tulo oneroso.(odendo ultra(assar a vida do devedor 8as n1o a do credor.e?igir que o rendeiro lAe (reste garantia real. K*+.se vincule.salvo esti(ulaç1o diversa.e @ o Dnico res(onsCvel. K.ao contratar.seBa ele o contratante.(ode o credor.(elo cu8(ri8ento de todas as obrigaçFes contratuais. K.N. Art.entregando7se bens 8óveis ou i8óveis E (essoa que se obriga a satis3aOer as (restaçFes a 3avor do credor ou de terceiros. Art.

As dis(osiçFes dos arts.ainda que se8 consenti8ento do devedor ou contra a sua vontade. As d>vidas 3uturas (ode8 ser obBeto de 3iança. Art. K*K. Q Mo E?cetua87se.ainda que se trate de Bogo n1o (roibido. Art. 8as o 3iador. N1o se (ode e?igir ree8bolso do que se e8(restou (ara Bogo ou a(osta.e?ceto se a nulidade resultar a(enas de inca(acidade (essoal do devedor.igual8ente.M*. K*G. Art. K*N e K*= n1o se a(lica8 aos contratos sobre t>tulos de bolsa.7A.e n1o ad8ite inter(retaç1o e?tensiva. K++. .N/ Art..neste caso. '!ETA#"/ 'Inclu>do (ela Lei n) *.. A e?ceç1o estabelecida neste artigo n1o abrange o caso de 8Dtuo 3eito a 8enor.8ercadorias ou valores. Art.quando e?ceder o valor da d>vida.do8iciliada no 8unic>(io onde tenAa de (restar a 3iança.n1o valerC sen1o at@ ao li8ite da obrigaç1o a3iançada. Art. K*N. Art. K+*. ParCgra3o Dnico. 8as n1o se (ode recobrar a quantia.ou se o (erdente @ 8enor ou interdito.de +. Art.e n1o (ossua bens su3icientes (ara cu8(rir a obrigaç1o.desde a citaç1o do 3iador.e8 que se esti(ule8 a liquidaç1o e?clusiva8ente (ela di3erença entre o (reço aBustado e a cotaç1o que eles tivere8 no venci8ento do aBuste. K+M..salvo se 3oi ganAa (or dolo.u8a (essoa garante satis3aOer ao credor u8a obrigaç1o assu8ida (elo devedor. K+=.novaç1o ou 3iança de d>vida de Bogo.o credor n1o (ode ser obrigado a aceitC7lo se n1o 3or (essoa idLnea. Uuando algu@8 Aouver de o3erecer 3iador. Pelo contrato de 3iança.os (r98ios o3erecidos ou (ro8etidos (ara o vencedor e8 co8(etiç1o de natureOa es(ortiva.inclusive as des(esas Budiciais. K*. K+N.Art. Q +o " (receito contido neste artigo te8 a(licaç1o.que voluntaria8ente se (agou. Q *o Estende7se esta dis(osiç1o a qualquer contrato que encubra ou envolva reconAeci8ento. K*=. K+.intelectual ou art>stica.no ato de a(ostar ou Bogar.só se e?cetuando os Bogos e a(ostas legal8ente (er8itidos.ou 3or 8ais onerosa que ela.caso este n1o a cu8(ra. Art... As obrigaçFes nulas n1o s1o suscet>veis de 3iança. K*<. Art. K*. CAP%T&L" V!III #A FIAN5A $eç1o I #is(osiçFes erais Art. N1o sendo li8itada.desde que os interessados se sub8eta8 Es (rescriçFes legais e regula8entares. " sorteio (ara diri8ir questFes ou dividir coisas co8uns considera7se siste8a de (artilAa ou (rocesso de transaç1o. 8as a nulidade resultante n1o (ode ser o(osta ao terceiro de boa73@. A 3iança dar7se7C (or escrito.a 3iança co8(reenderC todos os acessórios da d>vida (rinci(al. A 3iança (ode ser de valor in3erior ao da obrigaç1o (rinci(al e contra>da e8 condiçFes 8enos onerosase.con3or8e o caso. Art.n1o serC de8andado sen1o de(ois que se 3iOer certa e l>quida a obrigaç1o do (rinci(al devedor. Pode7se esti(ular a 3iança. As d>vidas de Bogo ou de a(osta n1o obriga8 a (aga8ento.

de8orar a e?ecuç1o iniciada contra o devedor. " 3iador que alegar o bene3>cio de orde8. KM+. K+G.3icarC desobrigado: .livres e dese8bargados. KM*.caso e8 que n1o serC (or 8ais obrigado. II 7 se se obrigou co8o (rinci(al (agador.quantos baste8 (ara solver o d@bito. ParCgra3o Dnico. N1o a(roveita este bene3>cio ao 3iador: I 7 se ele o renunciou e?(ressa8ente. $eç1o III #a E?tinç1o da Fiança Art. Art..e (elos que so3rer e8 raO1o da 3iança. " 3iador te8 direito aos Buros do dese8bolso (ela ta?a esti(ulada na obrigaç1o (rinci(al. " 3iador de8andado (elo (aga8ento da d>vida te8 direito a e?igir. Esti(ulado este bene3>cio. A 3iança conBunta8ente (restada a u8 só d@bito (or 8ais de u8a (essoa i8(orta o co8(ro8isso de solidariedade entre elas. KMG. $eç1o II #os E3eitos da Fiança Art.se n1o (roviere8 si8(les8ente de inca(acidade (essoal.aos Buros legais da 8ora. Art.ainda que solidCrio. KMK. Art. Art.cada 3iador res(onde unica8ente (ela (arte que. K+<.sitos no 8es8o 8unic>(io.se8 Busta causa.se8(re que lAe convier. Art. A (arte do 3iador insolvente distribuir7se7C (elos outros. 8as a res(onsabilidade da 3iança se li8ita ao te8(o decorrido at@ a 8orte do 3iador.(oderC o credor e?igir que seBa substitu>do. Uuando o credor.durante sessenta dias a(ós a noti3icaç1o do credor.. Art. A obrigaç1o do 3iador (assa aos Aerdeiros. KM<. KM=.Art.e8 (ro(orç1o. ParCgra3o Dnico. KM. Art.3icando obrigado (or todos os e3eitos da 3iança. Art. ParCgra3o Dnico.e as e?tintivas da obrigaç1o que co8(ete8 ao devedor (rinci(al.(oderC o 3iador (ro8over7lAe o anda8ento. Art. " 3iador (ode o(or ao credor as e?ceçFes que lAe 3ore8 (essoais.e n1o (ode ultra(assar as 3orças da Aerança. " 3iador.que seBa8 (ri8eiro e?ecutados os bens do devedor. KMN. $e o 3iador se tornar insolvente ou inca(aO. III 7 se o devedor 3or insolvente. " 3iador que (agar integral8ente a d>vida 3ica sub7rogado nos direitos do credor.salvo o caso do 8Dtuo 3eito a (essoa 8enor. K+K. Cada 3iador (ode 3i?ar no contrato a (arte da d>vida que to8a sob sua res(onsabilidade.ou 3alido.se declarada8ente n1o se reservare8 o bene3>cio de divis1o.deve no8ear bens do devedor.a que se re3ere este artigo.e. 8as só (oderC de8andar a cada u8 dos outros 3iadores (ela res(ectiva quota. KMM.n1o Aavendo ta?a convencionada. K+.ou devedor solidCrio.lAe couber no (aga8ento. Art.at@ a contestaç1o da lide. " devedor res(onde ta8b@8 (erante o 3iador (or todas as (erdas e danos que este (agar. " 3iador (oderC e?onerar7se da 3iança que tiver assinado se8 li8itaç1o de te8(o.

KN*. Art. $e 3or invocado o bene3>cio da e?cuss1o e o devedor. Q Mo $e entre u8 dos devedores solidCrios e seu credor.e (or ela n1o se trans8ite8. Art.na transaç1o. #ada a evicç1o da coisa renunciada (or u8 dos transigentes.se8 consenti8ento seu. Art.de(ois da transaç1o.ou erro essencial quanto E (essoa ou coisa controversa. KNN. 8as ao evicto cabe o direito de recla8ar (erdas e danos.ou (or ele trans3erida E outra (arte. CAP%T&L" VIV #a Transaç1o Art. KN.cair e8 insolv9ncia3icarC e?onerado o 3iador que o invocou.e8 (aga8ento da d>vida. A transaç1o concernente a obrigaçFes resultantes de delito n1o e?tingue a aç1o (enal (Dblica.serC 3eita (or escritura (Dblicaou (or ter8o nos autos. A transaç1o n1o se anula (or erro de direito a res(eito das questFes que 3ora8 obBeto de controv@rsia entre as (artes. A transaç1o inter(reta7se restritiva8ente. Art. Art. II 7 se..retardando7se a e?ecuç1o. Art. Art.a transaç1o 3eita n1o o inibirC de e?erc97lo. ParCgra3o Dnico. $endo nula qualquer das clCusulas da transaç1o. A transaç1o 3ar7se7C (or escritura (Dblica. KN<. Art.novo direito sobre a coisa renunciada ou trans3erida.. KN=.coaç1o. A transaç1o n1o a(roveita.3or i8(oss>vel a sub7rogaç1o nos seus direitos e (re3er9ncias.n1o revive a obrigaç1o e?tinta (ela transaç1o.desobrigarC o 3iador. Uuando a transaç1o versar sobre diversos direitos contestados. Art.ne8 (reBudica sen1o aos que nela interviere8. ParCgra3o Dnico.assinado (elos transigentes e Ao8ologado (elo BuiO. se recair sobre direitos contestados e8 Bu>Oo. KNG. KNK.ao te8(o da (enAorasu3icientes (ara a soluç1o da d>vida a3iançada. ParCgra3o Dnico.I 7 se. . KM. KN+.o 3ato de n1o (revalecer e8 relaç1o a u8 n1o (reBudicarC os de8ais..nas obrigaçFes e8 que a lei o e?ige. Q *o $e 3or conclu>da entre o credor e o devedor.e?tingue a d>vida e8 relaç1o aos co7devedores.inde(endentes entre si. R ad8iss>vel.ainda que diga res(eito a coisa indivis>vel.a(enas se declara8 ou reconAece8 direitos. $ó quanto a direitos (atri8oniais de carCter (rivado se (er8ite a transaç1o. Art.a (ena convencional.nas e8 que ela o ad8ite. Q +o $e entre u8 dos credores solidCrios e o devedor. KN.se (rovar que os bens (or ele indicados era8.ou (or instru8ento (articular. $e u8 dos transigentes adquirir. A transaç1o só se anula (or dolo. R l>cito aos interessados (revenire8 ou ter8inare8 o lit>gio 8ediante concessFes 8Dtuas.o credor conceder 8oratória ao devedor.e?tingue a obrigaç1o deste (ara co8 os outros credores.nula serC esta.aceitar a8igavel8ente do devedor obBeto diverso do que este era obrigado a lAe dar.(or 3ato do credor.ainda que de(ois venAa a (erd97lo (or evicç1o. III 7 se o credor. KNM.

Q +o E8 3alta de (essoa designada (ara Bulgar o 8@rito dos trabalAos que se a(resentare8.(or anDncios (Dblicos.entender7se7C que renuncia o arb>trio de retirar.Budicial ou e?traBudicial.(ara valere8.nos anDncios. se Aouver assinado (raOo E e?ecuç1o da tare3a.(ara resolver lit>gios entre (essoas que (ode8 contratar. K=<.terC direito a ree8bolso.nos concursos de que trata o artigo antecedente.Art. Aquele que.. $e o ato conte8(lado na (ro8essa 3or (raticado (or 8ais de u8 indiv>duo. Art. Q *o A decis1o da (essoa no8eada. K=K. K=N. Q Mo $e os trabalAos tivere8 8@rito igual.contrai obrigaç1o de cu8(rir o (ro8etido.@ condiç1o essencial. K=< e K=K.. R nula a transaç1o a res(eito do lit>gio decidido (or sentença (assada e8 Bulgado. " candidato de boa73@. K=+. R ad8itido co8(ro8isso. Art. K=M. ParCgra3o Dnico.se veri3icar que nenAu8 deles tinAa direito sobre o obBeto da transaç1o.(oderC e?igir a reco8(ensa esti(ulada.ainda que n1o (elo interesse da (ro8essa.nos ter8os do artigo antecedente.a cada u8 tocarC quinA1o igual na reco8(ensa. Art. se esta n1o 3or divis>vel. Art.e o que obtiver a coisa darC ao outro o valor de seu quinA1o.ou dese8(enAe certo serviço.durante ele. K=. R vedado co8(ro8isso (ara soluç1o de questFes de estado.a 3i?aç1o de u8 (raOo.(roceder7se7C de acordo co8 os arts.entender7se7C que o (ro8itente se reservou essa 3unç1o.(or t>tulo ulterior8ente descoberto.3iOer o serviço. K=. Nos concursos que se abrire8 co8 (ro8essa (Dblica de reco8(ensa.observadas ta8b@8 as dis(osiçFes dos (arCgra3os seguintes.se co8(ro8eter a reco8(ensar.só 3icar1o (ertencendo ao (ro8itente. K==. K=*. Art. CAP%T&L" VV #o Co8(ro8isso Art.a o3erta.co8o BuiO. Art.ou satis3iOer a condiç1o.(ara resolver diverg9ncias 8ediante Bu>Oo arbitralna 3or8a estabelecida e8 lei es(ecial. T%T&L" !II #os Atos &nilaterais CAP%T&L" I #a Pro8essa de Reco8(ensa Art.de direito (essoal de 3a8>lia e de outras que n1o tenAa8 carCter estrita8ente (atri8onial. KG.a que8 (reencAa certa condiç1o.obriga os interessados.con3erir7se7C (or sorteio. Uue8 quer que. Antes de (restado o serviço ou (reencAida a condiç1o. $endo si8ultPnea a e?ecuç1o.ou quando. Art.se dela n1o tinAa ci9ncia algu8 dos transatores. K=G.ou grati3icar.se assi8 3or esti(ulado na (ublicaç1o da (ro8essa.terC direito E reco8(ensa o que (ri8eiro o e?ecutou.que Aouver 3eito des(esas. As obras (re8iadas. CAP%T&L" II est1o de Negócios #a . Art. Ad8ite7se nos contratos a clCusula co8(ro8issória..(ode o (ro8itente revogar a (ro8essacontanto que o 3aça co8 a 8es8a (ublicidade.

KG<. " gestor envidarC toda sua dilig9ncia Aabitual na ad8inistraç1o do negócio.res(onderC o gestor at@ (elos casos 3ortuitos. ParCgra3o Dnico.. Art.co8 os Buros legais. Art.que (or 8otivo da gest1o. KGM.es(erando.ainda quando o gestor. Tanto que se (ossa. K<.se8 (reBu>Oo da aç1o que a ele.dirigi7lo7C segundo o interesse e a vontade (resu8>vel de seu dono. KG*. KG+.serC obrigado a indeniOar o gestor das des(esas necessCrias. Art. Art. Tavendo 8ais de u8 gestor.8as segundo as circunstPncias da ocasi1o e8 que se 3iOere8. A(lica7se a dis(osiç1o do artigo antecedente. Art. No caso do artigo antecedente.Aouver so3rido.cu8(rirC ao dono as obrigaçFes contra>das e8 seu no8eree8bolsando ao gestor as des(esas necessCrias ou Dteis que Aouver 3eito. Aquele que.se8 se descuidar. $e o negócio 3or util8ente ad8inistrado.ainda que o dono costu8asse 3aO97las. ParCgra3o Dnico. " gestor res(onde (elo caso 3ortuito quando 3iOer o(eraçFes arriscadas.Art. KG=.a(reciar7se7C n1o (elo resultado obtido. Art.interv@8 na gest1o de negócio alAeio.(or ele os (restar a que8 se deve8(oder7lAes7C reaver do devedor a i8(ortPncia.ou o indeniOe da di3erença.ainda que seBa (essoa idLnea. KGN. $e o gestor se 3iOer substituir (or outre8. K<*.ainda 8es8o que esta n1o tenAa dei?ado bens. KGK.der a outra (essoa as contas da gest1o.at@ o levar a cabo..ressarcindo ao dono o (reBu>Oo resultante de qualquer cul(a na gest1o.3icando res(onsCvel a este e Es (essoas co8 que tratar. . KG. Q +o !igora o dis(osto neste artigo.ou necessidade.3eitas (or terceiro(ode8 ser cobradas da (essoa que teria a obrigaç1o de ali8entar a que veio a 3alecer.res(ondendo ainda (elos (reBu>Oos que este Aouver so3rido (or causa da gest1o.(ro(orcionadas aos usos locais e E condiç1o do 3alecido. Art. Uuerendo o dono a(roveitar7se da gest1o.solidCria serC a sua res(onsabilidade.se da es(era n1o resultar (erigo. Q *o A utilidade.(oderC o dono do negócio e?igir que o gestor restitua as coisas ao estado anterior. Enquanto o dono n1o (rovidenciar.ou quando (reterir interesse deste e8 (roveito de interesses seus. A rati3icaç1o (ura e si8(les do dono do negócio retroage ao dia do co8eço da gest1o. KGG.ainda que este n1o rati3ique o ato. ParCgra3o Dnico. Cessa o dis(osto neste artigo e no antecedente. Nas des(esas do enterro. $e a gest1o 3oi iniciada contra a vontade 8ani3esta ou (resu8>vel do interessado.na aus9ncia do indiv>duo obrigado a ali8entos. 8as a indeniOaç1o ao gestor n1o e?cederCe8 i8(ortPncia. Art.entretanto. Art. Art.res(onderC (elas 3altas do substituto. K<M. Uuando algu@8.se8 autoriOaç1o do interessado.contra ela (ossa caber. Art.e dos (reBu>Oos.n1o (rovando que teria8 sobrevindo.das 8edidas que o caso recla8e.ainda quando se Aouvesse abatido. Art.aguardando7lAe a res(osta.da des(esa. K<+.se os (reBu>Oos da gest1o e?cedere8 o seu (roveito.que tiver 3eito.e8 erro quanto ao dono do negócio.as vantagens obtidas co8 a gest1o.e (roduO todos os e3eitos do 8andato.as instruçFes dos Aerdeiros.se aquele 3alecer durante a gest1o.velarC o gestor (elo negócio.co8unicarC o gestor ao dono do negócio a gest1o que assu8iu.desde o dese8bolso.quando a gest1o se (ro(onAa a acudir a (reBu>Oos i8inentes.ou redunde e8 (roveito do dono do negócio ou da coisa.e8 se (rovando que o gestor 3eO essas des(esas co8 o si8(les intento de be873aOer.ou ao dono do negócio.

KK+. Yquele que voluntaria8ente (agou o indevido incu8be a (rova de t97lo 3eito (or erro.al@8 do valor do i8óvel. Art. Art. CAP%T&L" III #o Paga8ento Indevido Art. $e o i8óvel 3oi alienado (or t>tulo gratuito. KG. Art. K<<. Art. K<N.desa(rovar a gest1o. Art.cabe ao que (agou (or erro o direito de reivindicaç1o. 8as. KK.Aaver7se7C o gestor (or sócio daquele cuBos interesses agenciar de envolta co8 os seus. $e aquele que indevida8ente recebeu u8 i8óvel o tiver alienado e8 boa73@.i8oral.Art.(or t>tulo onerosores(onde so8ente (ela quantia recebida.e. Art. $e o (aga8ento indevido tiver consistido no dese8(enAo de obrigaç1o de 3aOer ou (ara e?i8ir7se da obrigaç1o de n1o 3aOer. obrigaç1o que incu8be Equele que recebe d>vida condicional antes de cu8(rida a condiç1o.ou cu8(rir obrigaç1o Budicial8ente ine?ig>vel.o terceiro adquirente agiu de 8C73@. ParCgra3o Dnico. . ParCgra3o Dnico. N1o terC direito E re(etiç1o aquele que deu algu8a coisa (ara obter 3i8 il>cito. KKN. Aquele que. 8as aquele que (agou dis(Fe de aç1o regressiva contra o verdadeiro devedor e seu 3iador. KKM.recebendo7o co8o (arte de d>vida verdadeirainutiliOou o t>tulo.serC obrigado a restituir o indevida8ente au3erido. Art. A restituiç1o @ devida. Art.con3or8e o caso. K<G. CAP%T&L" I! #o Enriqueci8ento $e8 Causa Art. K<K. No caso deste artigo.considerando7a contrCria aos seus interessesvigorarC o dis(osto nos arts.aquele e8 cuBo bene3>cio interveio o gestor só @ obrigado na raO1o das vantagens que lograr.o que se deu reverterC e8 3avor de estabeleci8ento local de bene3ic9ncia. K<.8as ta8b@8 se esta dei?ou de e?istir. $e o enriqueci8ento tiver (or obBeto coisa deter8inada.alienado (or t>tulo oneroso.res(onde (or (erdas e danos.a crit@rio do BuiO.aquele que recebeu a (restaç1o 3ica na obrigaç1o de indeniOar o que a cu8(riu.. Todo aquele que recebeu o que lAe n1o era devido 3ica obrigado a restituir.na 8edida do lucro obtido..ben3eitorias e deterioraçFes sobrevindas E coisa dada e8 (aga8ento indevidoa(lica7se o dis(osto neste Código sobre o (ossuidor de boa73@ ou de 8C73@. KK*.de tal arte que se n1o (ossa8 gerir se(arada8ente.se8 Busta causa.se agiu de 8C73@. $e os negócios alAeios 3ore8 cone?os ao do gestor.3eita a atualiOaç1o dos valores 8onetCrios.se enriquecer E custa de outre8.dei?ou (rescrever a (retens1o ou abriu 81o das garantias que assegurava8 seu direito. K<=.ou se.. Fica isento de restituir (aga8ento indevido aquele que. N1o se (ode re(etir o que se (agou (ara solver d>vida (rescrita. No caso deste artigo.que8 a recebeu @ obrigado a restitu>7 la. KK=.ou da coisa. ParCgra3o Dnico.ou (roibido (or lei. Art.n1o só quando n1o tenAa Aavido causa que Busti3ique o enriqueci8ento. $e o dono do negócio.acessFes.a restituiç1o se 3arC (elo valor do be8 na @(oca e8 que 3oi e?igido.se a coisa n1o 8ais subsistir. e K<. KG+ e KGM.salvo o estabelecido nos arts. ParCgra3o Dnico. Aos 3rutos.

ou de receber aquela inde(endente8ente de quaisquer 3or8alidadesal@8 da entrega do t>tulo devida8ente quitado. Art.=. Art.N.G.e. Art.quando n1o indicado no t>tulo.de con3or8idade co8 as nor8as que regula8 a sua circulaç1o. K. A o8iss1o de qualquer requisito legal. Enquanto o t>tulo de cr@dito estiver e8 circulaç1o.que contenAa obrigaç1o de (agar so8a deter8inada.e a que.docu8ento necessCrio ao e?erc>cio do direito literal e autLno8o nele contidoso8ente (roduO e3eito quando (reencAa os requisitos da lei.lança a sua assinatura e8 t>tulo de cr@ditoco8o 8andatCrio ou re(resentante de outre8.(agando o t>tulo. Art. Considera87se n1o escritas no t>tulo a clCusula de Buros. Art.. N1o caberC a restituiç1o (or enriqueci8ento.n1o constitui 8otivo de o(osiç1o ao terceiro (ortador.que tire ao escrito a sua validade co8o t>tulo de cr@dito. A trans3er9ncia do t>tulo de cr@dito i8(lica a de todos os direitos que lAe s1o inerentes. KKG.a e?cludente de res(onsabilidade (elo (aga8ento ou (or des(esas. ParCgra3o Dnico.(ode ser garantido (or aval. Art.e a assinatura do e8itente.3ica (essoal8ente obrigado. Art.al@8 dos li8ites 3i?ados e8 lei.deve ser (reencAido de con3or8idade co8 os aBustes realiOados. Art. K.n1o i8(lica a invalidade do negócio Bur>dico que lAe deu orige8.o do8ic>lio do e8itente. R vedado o aval (arcial.se a lei con3erir ao lesado outros 8eios (ara se ressarcir do (reBu>Oo so3rido. Q +o Considera7se lugar de e8iss1o e de (aga8ento. " (ortador de t>tulo re(resentativo de 8ercadoria te8 o direito de trans3eri7lo.só ele (oderC ser dado e8 garantia.<. Q Mo " t>tulo (oderC ser e8itido a (artir dos caracteres criados e8 co8(utador ou 8eio t@cnico equivalente e que conste8 da escrituraç1o do e8itente. #eve o t>tulo de cr@dito conter a data da e8iss1o.Art.a (roibitiva de endosso.a indicaç1o (recisa dos direitos que con3ere. K.ao adquirir o t>tulo. .se(arada8ente. " descu8(ri8ento dos aBustes (revistos neste artigo (elos que deles (artici(ara8.ou e?cedendo os que te8. K.a que dis(ense a observPncia de ter8os e 3or8alidade (rescritas. KK<. " (aga8ento de t>tulo de cr@dito.tiver agido de 8C73@.inco8(leto ao te8(o da e8iss1o. Art.e n1o. KK. T%T&L" !III #os T>tulos de Cr@dito CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art.. " t>tulo de cr@dito n1o (ode ser reivindicado do (ortador que o adquiriu de boa73@ e na con3or8idade das nor8as que disci(lina8 a sua circulaç1o.salvo se este.*.te8 ele os 8es8os direitos que teria o su(osto 8andante ou re(resentado. KKK. Aquele que. " t>tulo de cr@dito. " t>tulo de cr@dito. K. K.observados os requisitos 8>ni8os (revistos neste artigo.+.M. K. K.ou ser obBeto de 8edidas Budiciais. ParCgra3o Dnico.e?clua ou restrinBa direitos e obrigaçFes. Q *o R E vista o t>tulo de cr@dito que n1o contenAa indicaç1o de venci8ento. Art.os direitos ou 8ercadorias que re(resenta..se8 ter (oderes.

Q *Z Pagando o t>tulo. K. ...3eito antes de ter ci9ncia da aç1o re3erida neste artigo.G.N... " (ro(rietCrio.a 8enos que a nulidade decorra de v>cio de 3or8a. Fica valida8ente desonerado o devedor que (aga t>tulo de cr@dito ao leg>ti8o (ortador. .(oderC obter novo t>tulo e8 Bu>Oo. . A (restaç1o @ devida ainda que o t>tulo tenAa entrado e8 circulaç1o contra a vontade do e8itente..al@8 da quitaç1o e8 se(aradooutra deverC ser 3ir8ada no (ró(rio t>tulo. . N1o @ o credor obrigado a receber o (aga8ento antes do venci8ento do t>tulo.be8 co8o i8(edir seBa8 (agos a outre8 ca(ital e rendi8entos.. ..al@8 da entrega do t>tulo.<.8ediante a sua si8(les a(resentaç1o ao devedor.que (erder ou e?traviar t>tulo. " avalista equi(ara7se Equele cuBo no8e indicar.(or@8 identi3icCvel... . " (ossuidor de t>tulo ao (ortador te8 direito E (restaç1o nele indicada.n1o (ode o credor recusar (aga8ento.ao e8itente ou devedor 3inal. Q +o No caso de (aga8ento (arcial. . na 3alta de indicaç1o. ParCgra3o Dnico.. Art. .8ediante a restituiç1o do (ri8eiro e o (aga8ento das des(esas.e aquele que o (agaantes do venci8ento. Q *o No venci8ento.=..ou 3or inBusta8ente desa(ossado dele.salvo se agiu de 8C73@.ainda que (arcial.K.salvo se se (rovar que ele tinAa conAeci8ento do 3ato. K. " aval deve ser dado no verso ou no anverso do (ró(rio t>tulo.*. Art.. $alvo dis(osiç1o diversa e8 lei es(ecial.ainda que nula a obrigaç1o daquele a que8 se equi(ara. A trans3er9ncia de t>tulo ao (ortador se 3aO (or si8(les tradiç1o. Pagando.. Art.Art..M. .K. ParCgra3o Dnico. Art. . " (aga8ento. Q +o Considera7se n1o escrito o aval cancelado.no venci8entose8 o(osiç1o.dado no anverso do t>tulo.te8 o avalista aç1o de regresso contra o seu avaliOado e de8ais coobrigados anteriores.. Art.e8 que se n1o o(era a tradiç1o do t>tulo. Q +o $ubsiste a res(onsabilidade do avalista. " devedor só (oderC o(or ao (ortador e?ceç1o 3undada e8 direito (essoal.te8 direito a obter do e8itente a substituiç1o do anterior. .e?onera o devedor. Art.ou e8 nulidade de sua obrigaç1o. Art.3ica res(onsCvel (ela validade do (aga8ento. CAP%T&L" II #o T>tulo ao Portador Art. Art. ParCgra3o Dnico. R nulo o t>tulo ao (ortador e8itido se8 autoriOaç1o de lei es(ecial. Q *o Para a validade do aval.rege87se os t>tulos de cr@dito (elo dis(osto neste Código. " (ossuidor de t>tulo dilacerado. Art.(ode o devedor e?igir do credor.quitaç1o regular.@ su3iciente a si8(les assinatura do avalista.+.. " aval (osterior ao venci8ento (roduO os 8es8os e3eitos do anterior8ente dado. Art.

. ParCgra3o Dnico.te8 o endossante aç1o de regresso contra os coobrigados anteriores.ao adquirir o t>tulo. . .CAP%T&L" III #o T>tulo Y "rde8 Art. Art.*M. . Art.constante do endosso.salvo restriç1o e?(ressa8ente estatu>da. .*K. " devedor.a de3eito de ca(acidade ou de re(resentaç1o no 8o8ento da subscriç1o. Considera7se leg>ti8o (ossuidor o (ortador do t>tulo E orde8 co8 s@rie regular e ininterru(ta de endossos.co8 os 8es8os (oderes que recebeu. Aquele que (aga o t>tulo estC obrigado a veri3icar a regularidade da s@rie de endossos. " endosso deve ser lançado (elo endossante no verso ou anverso do (ró(rio t>tulo..so8ente (oder1o ser (or ele o(ostas ao (ortador.@ su3iciente a si8(les assinatura do endossante.E 3alsidade da (ró(ria assinatura.e (ara validade do endosso. . Q *o " endossatCrio de endosso78andato só (ode endossar nova8ente o t>tulo na qualidade de (rocurador.con3ere ao endossatCrio o e?erc>cio dos direitos inerentes ao t>tulo. (ode endossar nova8ente o t>tulo.*. As e?ceçFes.se este.co8(letando7o co8 o seu no8e ou de terceiro.total ou (arcial8ente.tiver agido de 8C73@. Art. Q Mo Considera7se n1o escrito o endosso cancelado.o endossante se torna devedor solidCrio. Art.*+. A clCusula constitutiva de 8andato.lançada no endosso.ainda que o Dlti8o seBa e8 branco.8as n1o a autenticidade das assinaturas. Ressalvada clCusula e?(ressa e8 contrCrio.n1o (erde e3icCcia o endosso78andato. Art. ou (ode trans3eri7lo se8 novo endosso. R nulo o endosso (arcial. Art.dado no verso do t>tulo.e E 3alta de requisito necessCrio ao e?erc>cio da aç1o.*G. ParCgra3o Dnico. . Q +o A trans3er9ncia (or endosso co8(leta7se co8 a tradiç1o do t>tulo.con3ere ao endossatCrio o e?erc>cio dos direitos inerentes ao t>tulo.lançada no endosso. Q +o Co8 a 8orte ou a su(erveniente inca(acidade do endossante. Q *o Pode o endossante designar o endossatCrio. A clCusula constitutiva de (enAor. . . " endossatCrio de endosso e8 branco (ode 8udC7lo (ara endosso e8 (reto. Art.al@8 das e?ceçFes 3undadas nas relaçFes (essoais que tiver co8 o (ortador.e8 branco ou e8 (reto. Considera7se n1o escrita no endosso qualquer condiç1o a que o subordine o endossante.*=. Art. Q *o " endossatCrio de endosso7(enAor só (ode endossar nova8ente o t>tulo na qualidade de (rocurador. Q +o Pagando o t>tulo.**. Q *o Assu8indo res(onsabilidade (elo (aga8ento.3undadas e8 relaç1o do devedor co8 os (ortadores (recedentes.só (oderC o(or a este as e?ceçFes relativas E 3or8a do t>tulo e ao seu conteDdo literal. . Q Mo Pode o devedor o(or ao endossatCrio de endosso78andato so8ente as e?ceçFes que tiver contra o endossante.*<.n1o res(onde o endossante (elo cu8(ri8ento da (restaç1o constante do t>tulo.*N.

e8 registro do e8itente. ParCgra3o Dnico.+*.que tenAa (or obBeto o t>tulo. Art. *KG e *K</. . .++.(odendo o e8itente e?igir do endossatCrio que co8(rove a autenticidade da assinatura do endossante. $e a (essoa lesada.3ica obrigado a re(arC7lo..devendo a e8iss1o do novo t>tulo constar no registro do e8itente. . Q Mo Caso o t>tulo original contenAa o no8e do (ri8itivo (ro(rietCrio. Art. Fica desonerado de res(onsabilidade o e8itente que de boa73@ 3iOer a trans3er9ncia (elos 8odos indicados nos artigos antecedentes. .te8 e3eito de cess1o civil. . .te8 o direito de obter a averbaç1o no registro do e8itente. A aquisiç1o de t>tulo E orde8.causar dano a outre8. Trans3ere7se o t>tulo no8inativo 8ediante ter8o.+<.n1o terC lugar se (rivar do necessCrio o inca(aO ou as (essoas que dele de(ende8. Art. .que deverC ser eqSitativa. ParCgra3o Dnico.e8 seu no8e. *KK.nos casos es(eci3icados e8 lei. " t>tulo no8inativo ta8b@8 (ode ser trans3erido (or endosso que contenAa o no8e do endossatCrio. Art. A indeniOaç1o (revista neste artigo.se as (essoas (or ele res(onsCveis n1o tivere8 obrigaç1o de 3aO97lo ou n1o dis(usere8 de 8eios su3icientes. Art.legiti8ado (or s@rie regular e ininterru(ta de endossos.risco (ara os direitos de outre8. .u8a veO 3eita a co8(etente averbaç1o e8 seu registro. Q *o A trans3er9ncia 8ediante endosso só te8 e3icCcia (erante o e8itente.+G. Art.+.*..ou o dono da coisa. Uualquer negócio ou 8edida Budicial. " endosso (osterior ao venci8ento (roduO os 8es8os e3eitos do anterior. Aquele que.só (roduO e3eito (erante o e8itente ou terceiros.te8 direito o adquirente a obter do e8itente novo t>tulo.(or sua natureOa.assinado (elo (ro(rietCrio e (elo adquirente. " inca(aO res(onde (elos (reBu>Oos que causar.inde(endente8ente de cul(a.u8a veO 3eita a co8(etente averbaç1o no registro do e8itente.n1o 3ore8 cul(ados do (erigoassistir7lAes7C direito E indeniOaç1o do (reBu>Oo que so3rera8.(ode o t>tulo no8inativo ser trans3or8ado e8 E orde8 ou ao (ortador. Art.. T%T&L" IV #a Res(onsabilidade Civil CAP%T&L" I #a "brigaç1o de IndeniOar Art.ou quando a atividade nor8al8ente desenvolvida (elo autor do dano i8(licar.+=. Ressalvada (roibiç1o legal. Art.+N.a (edido do (ro(rietCrio e E sua custa. CAP%T&L" I! #o T>tulo No8inativo Art.Q +o N1o (ode o devedor o(or ao endossatCrio de endosso7(enAor as e?ceçFes que tinAa contra o endossantesalvo se aquele tiver agido de 8C73@.co8(rovada a autenticidade das assinaturas de todos os endossantes.+.(or 8eio diverso do endosso. . R t>tulo no8inativo o e8itido e8 3avor de (essoa cuBo no8e conste no registro do e8itente. Q +o " endossatCrio.+K.no caso do inciso II do art. . Art. . TaverC obrigaç1o de re(arar o dano. .(or ato il>cito 'arts.+M.

Aquele que ressarcir o dano causado (or outre8 (ode reaver o que Aouver (ago daquele (or que8 (agou.at@ a concorrente quantia. . No caso do inciso II do art. As (enas (revistas nos arts.e a (agar as custas e8 dobro. Art.M=. Art.M*.res(onde (elo dano (roveniente das coisas que dele ca>re8 ou 3ore8 lançadas e8 lugar indevido. .. A res(onsabilidade civil @ inde(endente da cri8inal.(or seus e8(regados. Art.MK. ! 7 os que gratuita8ente Aouvere8 (artici(ado nos (rodutos do cri8e. . . " credor que de8andar o devedor antes de vencida a d>vida.o dobro do que Aouver cobrado e. Art.N. III 7 o e8(regador ou co8itente..do ani8al ressarcirC o dano (or este causado. Art. A 8es8a aç1o co8(etirC contra aquele e8 de3esa de que8 se causou o dano 'art. . .3ora dos casos e8 que a lei o (er8ita3icarC obrigado a es(erar o te8(o que 3altava (ara o venci8ento.ou sobre que8 seBa o seu autor. II 7 o tutor e o curador.n1o se (odendo questionar 8ais sobre a e?ist9ncia do 3ato.a descontar os Buros corres(ondentes.8es8o (ara 3ins de educaç1o.MG. .salvo se o causador do dano 3or descendente seu.3icarC obrigado a (agar ao devedor. $1o ta8b@8 res(onsCveis (ela re(araç1o civil: I 7 os (ais.Aos(edarias.todos res(onder1o solidaria8ente (ela re(araç1o. " dono de edi3>cio ou construç1o res(onde (elos danos que resultare8 de sua ru>na. Art.os e8(resCrios individuais e as e8(resas res(onde8 inde(endente8ente de cul(a (elos danos causados (elos (rodutos (ostos e8 circulaç1o. ParCgra3o Dnico.MN.casas ou estabeleci8entos onde se albergue (or dinAeiro.N+.8oradores e educandos. Aquele que de8andar (or d>vida BC (aga.que se acAare8 nas 8es8as condiçFes. Art.M.M.quando estas questFes se acAare8 decididas no Bu>Oo cri8inal. .se n1o (rovar cul(a da v>ti8a ou 3orça 8aior. . e. Ressalvados outros casos (revistos e8 lei es(ecial. I! 7 os donos de Aot@is.se a o3ensa tiver 8ais de u8 autor. Art. n1o se a(licar1o quando o autor desistir da aç1o antes de contestada a lide. .no (ri8eiro caso. Aquele que Aabitar (r@dio. e . *KK.salvo ao r@u o direito de Aaver indeniOaç1o (or algu8 (reBu>Oo que (rove ter so3rido. Art.ou detentor.se esta (rovier de 3alta de re(aros.serviçais e (re(ostos.e8bora esti(ulados.absoluta ou relativa8ente inca(aO.se o (erigo ocorrer (or cul(a de terceiro.M+. .salvo se Aouver (rescriç1o. "s bens do res(onsCvel (ela o3ensa ou violaç1o do direito de outre8 3ica8 suBeitos E re(araç1o do dano causado.no segundo. .cuBa necessidade 3osse 8ani3esta.ou (arte dele. Art.no todo ou e8 (arte.no e?erc>cio do trabalAo que lAes co8(etir.se8 ressalvar as quantias recebidas ou (edir 8ais do que 3or devido. " dono.contra este terC o autor do dano aç1o regressiva (ara Aaver a i8(ortPncia que tiver ressarcido ao lesado.N*.(elos 3ilAos 8enores que estivere8 sob sua autoridade e e8 sua co8(anAia.MM.inciso I/.(elos (u(ilos e curatelados.M. Art.N.M<. . As (essoas indicadas nos incisos I a ! do artigo antecedente. Art. .. .(elos seus Aós(edes.ou e8 raO1o dele.Art.o equivalente do que dele e?igir.ainda que n1o AaBa cul(a de sua (arteres(onder1o (elos atos (raticados (elos terceiros ali re3eridos. *KK.

$e Aouver e?cessiva des(ro(orç1o entre a gravidade da cul(a e o dano. . No caso de les1o ou outra o3ensa E saDde.i8(rud9ncia ou i8(er>cia. . 3altando a coisa. . ParCgra3o Dnico. . Art.=.NN. a(lica7se ainda no caso de indeniOaç1o devida (or aquele que. .al@8 da restituiç1o da coisa.=+.a indeniOaç1o consiste.=.causar a 8orte do (acienteagravar7lAe o 8al. Art.di3a8aç1o ou calDnia consistirC na re(araç1o do dano que delas resulte ao o3endido. Art. $e a v>ti8a tiver concorrido cul(osa8ente (ara o evento danoso. . e .N<. $e o devedor n1o (uder cu8(rir a (restaç1o na es(@cie aBustada.dever7se7C ree8bolsar o seu equivalente ao (reBudicado.(oderC e?igir que a indeniOaç1o seBa arbitrada e (aga de u8a só veO.causar7lAe les1o.esti8ar7se7C ela (elo seu (reço ordinCrio e (elo de a3eiç1o. CAP%T&L" II #a IndeniOaç1o Art. . No caso de Ao8ic>dio.N. ParCgra3o Dnico. Para se restituir o equivalente. Art.ou se lAe di8inua a ca(acidade de trabalAo. Art..ParCgra3o Dnico.se (re3erir.(oderC o BuiO reduOireqSitativa8ente.(or neglig9ncia.ou da de(reciaç1o que ele so3reu. Art.=*.NG.no e?erc>cio de atividade (ro3issional.a indeniOaç1o. Tavendo usur(aç1o ou esbulAo do alAeio. Art.contanto que este n1o se avantaBe Equele.e8 8oeda corrente. $e a obrigaç1o 3or indeter8inada.ou inabilitC7lo (ara o trabalAo. " (reBudicado.NK.N=. A indeniOaç1o 8ede7se (ela e?tens1o do dano.e n1o Aouver na lei ou no contrato dis(osiç1o 3i?ando a indeniOaç1o devida (elo inadi8(lente.al@8 de algu8 outro (reBu>Oo que o o3endido (rove Aaver so3rido.a indeniOaç1o.a sua indeniOaç1o serC 3i?ada tendo7 se e8 conta a gravidade de sua cul(a e8 con3ronto co8 a do autor do dano. Art.incluirC (ens1o corres(ondente E i8(ortPncia do trabalAo (ara que se inabilitou. Art.M+. " dis(osto nos arts.quando n1o e?ista a (ró(ria coisa.se8 e?cluir outras re(araçFes: I 7 no (aga8ento das des(esas co8 o trata8ento da v>ti8a.seu 3uneral e o luto da 3a8>lia. .a(urar7se7C o valor das (erdas e danos na 3or8a que a lei (rocessual deter8inar. . " direito de e?igir re(araç1o e a obrigaç1o de (restC7la trans8ite87se co8 a Aerança.NM. $1o solidaria8ente res(onsCveis co8 os autores os co7autores e as (essoas designadas no art.a indeniOaç1o consistirC e8 (agar o valor das suas deterioraçFes e o devido a t>tulo de lucros cessantes. II 7 na (restaç1o de ali8entos Es (essoas a que8 o 8orto os devia. .N.substituir7se7C (elo seu valor.o o3ensor indeniOarC o o3endido das des(esas do trata8ento e dos lucros cessantes at@ ao 3i8 da convalescença.NK. . .levando7se e8 conta a duraç1o (rovCvel da vida da v>ti8a.al@8 das des(esas do trata8ento e lucros cessantes at@ ao 3i8 da convalescença. .. ParCgra3o Dnico. . A indeniOaç1o (or inBDria.. $e da o3ensa resultar de3eito (elo qual o o3endido n1o (ossa e?ercer o seu o3>cio ou (ro3iss1o.=M. Art.

Art. III 7 a (ris1o ilegal. II 7 a (ris1o (or quei?a ou denDncia 3alsa e de 8C73@. . II 7 sobre a coisa salvada. "s t>tulos legais de (re3er9ncia s1o os (rivil@gios e os direitos reais. .ao si8(les.3raude..ter1o os credores igual direito sobre os bens do devedor co8u8. Art.eqSitativa8ente. " (rivil@gio es(ecial só co8(reende os bens suBeitos. .se o (roduto n1o bastar (ara o (aga8ento integral de todos. Art.ou 3alsidade das d>vidas e contratos.o credor de custas e des(esas Budiciais 3eitas co8 a arrecadaç1o e liquidaç1o.G.=.GM. A indeniOaç1o (or o3ensa E liberdade (essoal consistirC no (aga8ento das (erdas e danos que sobreviere8 ao o3endido.ao (aga8ento do cr@dito que ele 3avorece. Art.. Art.e (or t>tulo igual.Aavendo res(onsCvel (ela (erda ou dani3icaç1o da coisa. Procede7se E declaraç1o de insolv9ncia toda veO que as d>vidas e?ceda8 E i8(ortPncia dos bens do devedor.e?onera7se (agando se8 o(osiç1o dos credores Ai(otecCrios ou (rivilegiados.=K.e se este n1o (uder (rovar (reBu>Oo.se a coisa obrigada a Ai(oteca ou (rivil@gio 3or desa(ro(riada. Considera87se o3ensivos da liberdade (essoal: I 7 o cCrcere (rivado. e o geral.o credor (or des(esas de salva8ento.ParCgra3o Dnico. $e o o3endido n1o (uder (rovar (reBu>Oo 8aterial. II 7 sobre o valor da indeniOaç1o. Nos casos a que se re3ere o artigo antecedente.ou sobre a indeniOaç1o devida. Art.=G. . . ParCgra3o Dnico.=<.G+. Uuando concorrere8 aos 8es8os bens. . o cr@dito (essoal (rivilegiado. Art.=N.ou da indeniOaç1o.(or e?(ressa dis(osiç1o de lei. T98 (rivil@gio es(ecial: I 7 sobre a coisa arrecadada e liquidada. . A discuss1o entre os credores (ode versar quer sobre a (re3er9ncia entre eles dis(utada. Art.Ai(otecCrios ou (rivilegiados: I 7 sobre o (reço do seguro da coisa gravada co8 Ai(oteca ou (rivil@gio.quer sobre a nulidade.AaverC entre eles rateio (ro(orcional ao valor dos res(ectivos cr@ditos. Art. .si8ulaç1o. N1o Aavendo t>tulo legal E (re3er9ncia.dois ou 8ais credores da 8es8a classe es(ecial8ente (rivilegiados. Art. . . e o (rivil@gio es(ecial.==. . " cr@dito real (re3ere ao (essoal de qualquer es(@cie.caberC ao BuiO 3i?ar.todos os bens n1o suBeitos a cr@dito real ne8 a (rivil@gio es(ecial.ao geral.o devedor do seguro.te8 a(licaç1o o dis(osto no (arCgra3o Dnico do artigo antecedente.o valor da indeniOaç1o. Conserva8 seus res(ectivos direitos os credores. .GN.G*. T%T&L" V #as Pre3er9ncias e Privil@gios Creditórios Art.na con3or8idade das circunstPncias do caso.

no se8estre anterior E sua 8orte.G=.o credor (or se8entes.na orde8 seguinte.no tri8estre anterior ao 3aleci8ento. II 7 o cr@dito (or custas Budiciais. !II 7 o cr@dito (elos salCrios dos e8(regados do serviço do8@stico do devedor. oOa de (rivil@gio geral.o autor dela.GG.ou seus leg>ti8os re(resentantes(elo cr@dito 3undado contra aquele no contrato da ediç1o.e (reci(ua8ente a quaisquer outros cr@ditos. !I 7 o cr@dito (elos i8(ostos devidos E FaOenda PDblica.(ara a qual Aouver concorrido co8 o seu trabalAo.no ano corrente e no anterior. Considera7se e8(resCrio que8 e?erce (ro3issional8ente atividade econL8ica organiOada (ara a (roduç1o ou a circulaç1o de bens ou de serviços.de natureOa cient>3ica. !III 7 sobre o (roduto da colAeita. Art.ou 8elAora8ento.o3icinas.literCria ou art>stica.sobre os bens do devedor: I 7 o cr@dito (or des(esa de seu 3uneral.ainda co8 o concurso de au?iliares ou colaboradores. !I 7 sobre as al3aias e utens>lios de uso do8@stico.o credor de alugu@is. III 7 o cr@dito (or des(esas co8 o luto do cLnBuge sobrevivo e dos 3ilAos do devedor 3alecido.se 3ora8 8oderadas.o trabalAador agr>cola.o credor (or ben3eitorias necessCrias ou Dteis.3Cbricas.ou E colAeita. .nos seus derradeiros seis 8eses de vida.quanto Es (restaçFes do ano corrente e do anterior.ou (or des(esas co8 a arrecadaç1o e liquidaç1o da 8assa. I! 7 sobre os (r@dios rDsticos ou urbanos. N1o se considera e8(resCrio que8 e?erce (ro3iss1o intelectual.reconstruç1o. ParCgra3o Dnico.dinAeiro. LI!R" II #o #ireito de E8(resa T%T&L" I #o E8(resCrio CAP%T&L" I #a CaracteriOaç1o e da Inscriç1o Art. .III 7 sobre a coisa bene3iciada.o credor de 8ateriais. Art. !II 7 sobre os e?e8(lares da obra e?istente na 8assa do editor.instru8entos e serviços E cultura. .quanto E d>vida dos seus salCrios. ! 7 sobre os 3rutos agr>colas. ! 7 o cr@dito (elos gastos necessCrios E 8antença do devedor 3alecido e sua 3a8>lia.ou quaisquer outras construçFes. R obrigatória a inscriç1o do e8(resCrio no Registro PDblico de E8(resas Jercantis da res(ectiva sedeantes do in>cio de sua atividade.nos (r@dios rDsticos ou urbanos. !III 7 os de8ais cr@ditos de (rivil@gio geral. I! 7 o cr@dito (or des(esas co8 a doença de que 3aleceu o devedor.ainda que reais.ou serviços (ara a sua edi3icaç1o.G<.salvo se o e?erc>cio da (ro3iss1o constituir ele8ento de e8(resa.3eito segundo a condiç1o do 8orto e o costu8e do lugar. .

be8 co8o qualquer e?ig9ncia (ara o in>cio de seu 3unciona8ento dever1o ter trP8ite es(ecial e si8(li3icado.o e8(resCrio individual (oderC solicitar ao Registro PDblico de E8(resas Jercantis a trans3or8aç1o de seu registro de e8(resCrio (ara registro de sociedade e8(resCria.no que couber.**/ Q =o Para 3ins do dis(osto no Q No.quanto E inscriç1o e aos e3eitos da> decorrentes.G. . ..res(onderC (elas obrigaçFes contra>das. E8 qualquer caso.co8 a (rova da inscriç1o originCria.(ode.estado civil e. *K7A da Lei Co8(le8entar n) *+M. Pode8 e?ercer a atividade de e8(resCrio os que estivere8 e8 (leno goOo da ca(acidade civil e n1o 3ore8 legal8ente i8(edidos. II 7 a 3ir8a. I! 7 o obBeto e a sede da e8(resa.de +. .ao e8(resCrio suBeito a registro.o regi8e de bens.de8ais assinaturas.o dis(osto nos arts. CAP%T&L" II #a Ca(acidade Art.ser1o averbadas quaisquer 8odi3icaçFes nela ocorrentes.(ara todos os e3eitos.**M a *.. III 7 o ca(ital.(re3erente8ente eletrLnico. ..de +.de que trata o inciso III do art.na 3or8a estabelecida (elo C $IJ. ParCgra3o Dnico. 'Inclu>do (ela Lei Co8(le8entar n) *+K. *. . .N<.GK e seus (arCgra3os.registro. 'Inclu>do (ela Lei n) *+.co8 a res(ectiva assinatura autógra3a.3ilial ou ag9ncia.e8 lugar suBeito E Burisdiç1o de outro Registro PDblico de E8(resas Jercantis.do8ic>lio..observadas as 3or8alidades de que trata8 o art. 'Inclu>do (ela Lei n) *+. A inscriç1o do e8(resCrio 3ar7se7C 8ediante requeri8ento que contenAa: I 7 o seu no8e. " e8(resCrio.requeri8entos.na 3or8a a ser disci(linada (elo Co8it9 (ara est1o da Rede Nacional (ara a $i8(li3icaç1o do Registro e da LegaliOaç1o de E8(resas e Negócios 7 C $IJ.co8 a res(ectiva assinatura autógra3a.se a e?ercer. A (essoa legal8ente i8(edida de e?ercer atividade (ró(ria de e8(resCrio.GK.observado.o(cional (ara o e8(reendedor.G.. Art.caso e8 que.neste deverC ta8b@8 inscrev97la.de(ois de inscrito. .<M. Art.3icarC equi(arado.nacionalidade.**/ Art. .e co8 as 8es8as 3or8alidades.a inscriç1o serC to8ada (or ter8o no livro (ró(rio do Registro PDblico de E8(resas Jercantis.**= deste Código.(oder1o ser dis(ensados o uso da 3ir8a. + o da 8es8a Lei. Art.o ca(ital.de +.estado civil e regi8e de bens.K/ Q No " (rocesso de abertura.se casado.alteraç1o e bai?a do 8icroe8(reendedor individual de que trata o art. Q Mo Caso venAa a ad8itir sócios.<*.cuBa atividade rural constitua sua (rinci(al (ro3iss1o.a constituiç1o do estabeleci8ento secundCrio deverC ser averbada no Registro PDblico de E8(resas Jercantis da res(ectiva sede. A lei assegurarC trata8ento 3avorecido.in3or8açFes relativas E nacionalidade. " e8(resCrio que instituir sucursal.Art.de *N de deOe8bro de +.N<. Q +o Y 8arge8 da inscriç1o. Q *o Co8 as indicaçFes estabelecidas neste artigo.requerer inscriç1o no Registro PDblico de E8(resas Jercantis da res(ectiva sede.<+..be8 co8o re8essa de docu8entos.di3erenciado e si8(li3icado ao e8(resCrio rural e ao (equeno e8(resCrio.<.e obedecerC a nD8ero de orde8 cont>nuo (ara todos os e8(resCrios inscritos.

<<.<K.M.. Q +o N1o 3ica8 suBeitos ao resultado da e8(resa os bens que o inca(aO BC (ossu>a.**/ '!ig9ncia/ #A EJPRE$A IN#I!I#&AL #E RE$P"N$A2ILI#A#E LIJITA#A .con3or8e o caso. Q +o A a(rovaç1o do BuiO n1o e?i8e o re(resentante ou assistente do 8enor ou do interdito da res(onsabilidade (elos atos dos gerentes no8eados. .desde que estranAos ao acervo daquela.Aerança.K. . Art.Art. PoderC o inca(aO..a(ós e?a8e das circunstPncias e dos riscos da e8(resa. .no Registro PDblico de E8(resas Jercantisos (actos e declaraçFes antenu(ciais do e8(resCrio.(odendo a autoriOaç1o ser revogada (elo BuiO.tutores ou re(resentantes legais do 8enor ou do interdito.de +.ser1o arquivados e averbados. Q *o #o 8es8o 8odo serC no8eado gerente e8 todos os casos e8 que o BuiO entender ser conveniente.ao te8(o da sucess1o ou da interdiç1o.no8earC. 'Inclu>do (ela Lei n) *+. 'Inclu>do (ela Lei n) *+.os seguintes (ressu(ostos: 'Inclu>do (ela Lei n) *+. .ou legado. Art.continuar a e8(resa antes e?ercida (or ele enquanto ca(aO.entre si ou co8 terceiros..<=.(or 8eio de re(resentante ou devida8ente assistido.(recederC autoriOaç1o Budicial.ouvidos os (ais.de +.M.devendo tais 3atos constar do alvarC que conceder a autoriOaç1o.**/ Art.**/ II : o ca(ital social deve ser total8ente integraliOado..o t>tulo de doaç1o. Art..u8 ou 8ais gerentes.(or dis(osiç1o de lei.antes de arquivados e averbados no Registro PDblico de E8(resas Jercantis.**/ I : o sócio inca(aO n1o (ode e?ercer a ad8inistraç1o da sociedade. " e8(resCrio casado (ode. Q *o Nos casos deste artigo. A sentença que decretar ou Ao8ologar a se(araç1o Budicial do e8(resCrio e o ato de reconciliaç1o n1o (ode8 ser o(ostos a terceiros.se8 (reBu>Oo dos direitos adquiridos (or terceiros.M. A (rova da e8anci(aç1o e da autoriOaç1o do inca(aO.desde que n1o tenAa8 casado no regi8e da co8unA1o universal de bens. ParCgra3o Dnico.e a de eventual revogaç1o desta.de bens clausulados de inco8unicabilidade ou inalienabilidade.NN*. $e o re(resentante ou assistente do inca(aO 3or (essoa que..de 3or8a conBunta.(or seus (ais ou (elo autor de Aerança.de +.**/ III : o sócio relativa8ente inca(aO deve ser assistido e o absoluta8ente inca(aO deve ser re(resentado (or seus re(resentantes legais.ou no da se(araç1o obrigatória.M. ou ao re(resentante do inca(aO.ser1o inscritas ou averbadas no Registro PDblico de E8(resas Jercantis. . T%T&L" I7A 'Inclu>do (ela Lei n) *+.<N.se8 necessidade de outorga conBugal. 'Inclu>do (ela Lei n) *+. ou a este.de +. Q Mo " Registro PDblico de E8(resas Jercantis a cargo das 4untas Co8erciais deverC registrar contratos ou alteraçFes contratuais de sociedade que envolva sócio inca(aO..quando (uder ser autoriOado. Art. .<N.de +.<G. Art. Al@8 de no Registro Civil.. " uso da nova 3ir8a caberC. Faculta7se aos cLnBuges contratar sociedade.desde que atendidos.<.n1o (uder e?ercer atividade de e8(resCrio.nos casos do art.co8 a a(rovaç1o do BuiO. ...be8 co8o da conveni9ncia e8 continuC7la.ao gerente. .qualquer que seBa o regi8e de bensalienar os i8óveis que integre8 o (atri8Lnio da e8(resa ou gravC7los de Lnus real.

Celebra8 contrato de sociedade as (essoas que reci(roca8ente se obriga8 a contribuir. a *. *. Art. 'ce8/ veOes o 8aior salCrio7 8>ni8o vigente no Pa>s.de acordo co8 u8 dos ti(os de sociedade e8(resCria.NN*.M.NN*. ParCgra3o Dnico.**/ '!ig9ncia/ Q N) ' !ETA#"/.de +. ..KN.dos resultados. 'Inclu>do (ela Lei n) *+.KM. Ressalva87se as dis(osiçFes concernentes E sociedade e8 conta de (artici(aç1o e E coo(erativa.caso e8 que.as regras (revistas (ara as sociedades li8itadas. .NN*. .de +. A sociedade que tenAa (or obBeto o e?erc>cio de atividade (ró(ria de e8(resCrio rural e seBa constitu>da.i8(onAa8 a constituiç1o da sociedade segundo deter8inado ti(o. e.**/ '!ig9ncia/ Q G) A(lica87se E e8(resa individual de res(onsabilidade li8itada. a sociedade si8(les (ode constituir7se de con3or8idade co8 u8 desses ti(os.**/ '!ig9ncia/ Q =) PoderC ser atribu>da E e8(resa individual de res(onsabilidade li8itada constitu>da (ara a (restaç1o de serviços de qualquer natureOa a re8uneraç1o decorrente da cess1o de direitos (atri8oniais de autor ou de i8age8.de +..**/ '!ig9ncia/ T%T&L" II #a $ociedade CAP%T&L" INIC" #is(osiçFes erais Art.no8e.de +.K*.que n1o serC in3erior a *. ParCgra3o Dnico. 'Inclu>do (ela Lei n) *+. .vinculados E atividade (ro3issional.no que couber. Art.considera7se e8(resCria a sociedade que te8 (or obBeto o e?erc>cio de atividade (ró(ria de e8(resCrio suBeito a registro 'art.subordina7se Es nor8as que lAe s1o (ró(rias.8arca ou voO de que seBa detentor o titular da (essoa Bur>dica.co8 bens ou serviços.(ara o e?erc>cio de atividade econL8ica e a (artilAa.inde(endente8ente das raOFes que 8otivara8 tal concentraç1o.7A. 'Inclu>do (ela Lei n) *+. . $alvo as e?ceçFes e?(ressas.**/ '!ig9ncia/ Q M) A e8(resa individual de res(onsabilidade li8itada ta8b@8 (oderC resultar da concentraç1o das quotas de outra 8odalidade societCria nu8 Dnico sócio.de(ois de inscrita.(ara todos os e3eitos.. 'Inclu>do (ela Lei n) *+.de +.si8(lesa coo(erativa. 'Inclu>do (ela Lei n) *+.be8 co8o as constantes de leis es(eciais que. 'Inclu>do (ela Lei n) *+.3icarC equi(arada.e.**/ '!ig9ncia/ Q *) " no8e e8(resarial deverC ser 3or8ado (ela inclus1o da e?(ress1o XEIRELIX a(ós a 3ir8a ou a deno8inaç1o social da e8(resa individual de res(onsabilidade li8itada.NN*. Art.devida8ente integraliOado..NN*.K.**/ '!ig9ncia/ Q +) A (essoa natural que constituir e8(resa individual de res(onsabilidade li8itada so8ente (oderC 3igurar e8 u8a Dnica e8(resa dessa 8odalidade.NN*.GK.as de8ais. Inde(endente8ente de seu obBeto.E sociedade e8(resCria.n1o o 3aOendo.NN*.si8(les. .de +. .de +.K+. 'Inclu>do (ela Lei n) *+. A atividade (ode restringir7se E realiOaç1o de u8 ou 8ais negócios deter8inados. ParCgra3o Dnico.entre si.Art. e.requerer inscriç1o no Registro PDblico de E8(resas Jercantis da sua sede. A e8(resa individual de res(onsabilidade li8itada serC constitu>da (or u8a Dnica (essoa titular da totalidade do ca(ital social.(ode.G</.(ara o e?erc>cio de certas atividades.considera7se e8(resCria a sociedade (or açFes.+. A sociedade e8(resCria deve constituir7se segundo u8 dos ti(os regulados nos arts.ou trans3or8ada.co8 as 3or8alidades do art. .

*.observadas. .o (edido de inscriç1o se subordinarC. ...K<.no registro (ró(rio e na 3or8a da lei. E8bora BC constitu>da a sociedade segundo u8 daqueles ti(os.. Art./. Art.ParCgra3o Dnico. Na sociedade e8 conta de (artici(aç1o.. "s sócios. .cuBo saldo constituirC cr@dito quirogra3Crio. Art. Q *o A es(ecialiOaç1o (atri8onial so8ente (roduO e3eitos e8 relaç1o aos sócios.(atri8Lnio es(ecial. "s bens sociais res(onde8 (elos atos de gest1o (raticados (or qualquer dos sócios.M. .aquele que contratou (ela sociedade. .salvo (acto e?(resso li8itativo de (oderes. A contribuiç1o do sócio (artici(ante constitui.+. CAP%T&L" II #a $ociedade e8 Conta de Partici(aç1o Art. ParCgra3o Dnico... A sociedade adquire (ersonalidade Bur>dica co8 a inscriç1o. $e8 (reBu>Oo do direito de 3iscaliOar a gest1o dos negócios sociais. Art. " contrato social (roduO e3eito so8ente entre os sócios.e8 seu no8e individual e sob sua (ró(ria e e?clusiva res(onsabilidade.nas relaçFes entre si ou co8 terceiros.a atividade constitutiva do obBeto social @ e?ercida unica8ente (elo sócio ostensivo.K=.o sócio (artici(ante n1o (ode to8ar (arte nas relaçFes do sócio ostensivo co8 terceiros. A constituiç1o da sociedade e8 conta de (artici(aç1o inde(ende de qualquer 3or8alidade e (ode (rovar7se (or todos os 8eios de direito.subsidiaria8ente e no que co8 ele 3ore8 co8(at>veis.*=. Q +o A 3al9ncia do sócio ostensivo acarreta a dissoluç1o da sociedade e a liquidaç1o da res(ectiva conta. Art. .as nor8as da sociedade si8(les. "briga7se (erante terceiro t1o7so8ente o sócio ostensivo.reger7se7C a sociedade. $&2T%T&L" I #a $ociedade N1o Personi3icada CAP%T&L" I #a $ociedade e8 Co8u8 Art.e a eventual inscriç1o de seu instru8ento e8 qualquer registro n1o con3ere (ersonalidade Bur>dica E sociedade. N= e *.sob (ena de res(onder solidaria8ente co8 este (elas obrigaçFes e8 que intervier. Art. . Todos os sócios res(onde8 solidCria e ili8itada8ente (elas obrigaçFes sociais.no que 3or a(licCvel.. ParCgra3o Dnico. .. . e.obBeto da conta de (artici(aç1o relativa aos negócios sociais.co8 a do sócio ostensivo.e?clu>do do bene3>cio de orde8.so8ente (or escrito (ode8 (rovar a e?ist9ncia da sociedade. Art..KK. Enquanto n1o inscritos os atos constitutivos.KG.Es nor8as que rege8 a trans3or8aç1o. .nos ter8os do contrato social.o sócio (artici(ante.do qual os sócios s1o titulares e8 co8u8.(artici(ando os de8ais dos resultados corres(ondentes.que so8ente terC e3icCcia contra o terceiro que o conAeça ou deva conAecer. .(revisto no art.K.8as os terceiros (ode8 (rovC7la de qualquer 8odo.e?ceto (or açFes e8 organiOaç1o(elo dis(osto neste Ca(>tulo. *.e?clusiva8ente (erante este.N. Art.dos seus atos constitutivos 'arts.+N. "s bens e d>vidas sociais constitue8 (atri8Lnio es(ecial.

$alvo esti(ulaç1o e8 contrCrio. R ine3icaO e8 relaç1o a terceiros qualquer (acto se(arado. A sociedade constitui7se 8ediante contrato escrito.se Bur>dicas.al@8 de clCusulas esti(uladas (elas (artes. Art.(ro3iss1o e resid9ncia dos sócios. ParCgra3o Dnico.que.<. !III 7 se os sócios res(onde8. . Art.estado civil. !I 7 as (essoas naturais incu8bidas da ad8inistraç1o da sociedade.se (essoas naturais. .G. Q *o " (edido de inscriç1o serC aco8(anAado do instru8ento autenticado do contrato.subsidiaria8ente.nacionalidade e sede dos sócios. .serC a inscriç1o to8ada (or ter8o no livro de registro (ró(rio.K.be8 co8o. Art.(articular ou (Dblico.subsidiaria8ente e no que co8 ela 3or co8(at>vel.o sócio ostensivo n1o (ode ad8itir novo sócio se8 o consenti8ento e?(resso dos de8ais.da (rova de autoriOaç1o da autoridade co8(etente. $&2T%T&L" II #a $ociedade Personi3icada CAP%T&L" I #a $ociedade $i8(les $eç1o I #o Contrato $ocial Art.nacionalidade. ParCgra3o Dnico. A(lica7se E sociedade e8 conta de (artici(aç1o.o contrato social 3ica suBeito Es nor8as que regula8 os e3eitos da 3al9ncia nos contratos bilaterais do 3alido.=.a sociedade deverC requerer a inscriç1o do contrato social no Registro Civil das Pessoas 4ur>dicas do local de sua sede.na 3or8a da lei (rocessual.(elas obrigaçFes sociais.(odendo co8(reender qualquer es(@cie de benssuscet>veis de avaliaç1o (ecuniCria.e. III 7 ca(ital da sociedade. ! 7 as (restaçFes a que se obriga o sócio.obBeto. !II 7 a (artici(aç1o de cada sócio nos lucros e nas (erdas. II 7 deno8inaç1o. .e?(resso e8 8oeda corrente.e seus (oderes e atribuiçFes.. Nos trinta dias subseqSentes E sua constituiç1o.e a 3ir8a ou a deno8inaç1o.se algu8 sócio nele Aouver sido re(resentado (or (rocurador.cuBa contribuiç1o consista e8 serviços. Tavendo 8ais de u8 sócio ostensivo.8encionarC: I 7 no8e.e o 8odo de realiOC7la.o dis(osto (ara a sociedade si8(les. I! 7 a quota de cada sócio no ca(ital social..Q Mo Falindo o sócio (artici(ante.se 3or o caso.o da res(ectiva (rocuraç1o. Q +o Co8 todas as indicaçFes enu8eradas no artigo antecedente.sede e (raOo da sociedade..ou n1o.contrCrio ao dis(osto no instru8ento do contrato.e a sua liquidaç1o rege7se (elas nor8as relativas E (restaç1o de contas.as res(ectivas contas ser1o (restadas e Bulgadas no 8es8o (rocesso..e obedecerC a nD8ero de orde8 cont>nua (ara todas as sociedades inscritas. .

*.<. As 8odi3icaçFes do contrato social.so8ente (artici(a dos lucros na (ro(orç1o da 8@dia do valor das quotas.a e?clus1o do sócio re8isso..Art. $eç1o III #a Ad8inistraç1o Art..e8 a8bos os casos.a constituiç1o da sucursal.se o contrato n1o deter8inar a necessidade de deliberaç1o unPni8e..N. . " sócio.salvo convenç1o e8 contrCrio..res(onde (ela evicç1o. Art..e ter8ina8 quando. e (ela solv9ncia do devedor. Art...de(ende8 do consenti8ento de todos os sócios.cu8(rindo7se as 3or8alidades (revistas no artigo antecedente.Es contribuiçFes estabelecidas no contrato social..o dis(osto no Q *o do art.ou reduOir7lAe a quota ao 8ontante BC realiOado.G. R nula a esti(ulaç1o contratual que e?clua qualquer sócio de (artici(ar dos lucros e das (erdas. ParCgra3o Dnico.nos trinta dias seguintes ao da noti3icaç1o (ela sociedade. as de8ais (ode8 ser decididas (or 8aioria absoluta de votos.. A cess1o total ou (arcial de quota. At@ dois anos de(ois de averbada a 8odi3icaç1o do contrato. . A distribuiç1o de lucros il>citos ou 3ict>cios acarreta res(onsabilidade solidCria dos ad8inistradores que a realiOare8 e dos sócios que os recebere8.*..K.3ilial ou ag9ncia deverC ser averbada no Registro Civil da res(ectiva sede.contados segundo o valor das quotas de cada u8.trans8itir do8>nio. *.se e?tinguire8 as res(onsabilidades sociais... !eri3icada a 8ora..neste deverC ta8b@8 inscrev97la.<.e aquele que dei?ar de 3aO97lo. *.e8(regar7 se e8 atividade estranAa E sociedade.M. Uualquer 8odi3icaç1o do contrato social serC averbada..res(onderC (erante esta (elo dano e8ergente da 8ora.... *.se8 o consenti8ento dos de8ais sócios.co8(etir aos sócios decidir sobre os negócios da sociedadeas deliberaçFes ser1o to8adas (or 8aioria de votos.res(onde o cedente solidaria8ente co8 o cessionCrio.sob (ena de ser (rivado de seus lucros e dela e?clu>do.n1o terC e3icCcia quanto a estes e E sociedade.(elas obrigaçFes que tinAa co8o sócio..na 3or8a e (raOo (revistos.que tenAa8 (or obBeto 8at@ria indicada no art.. *.aquele que trans3erir cr@dito.n1o (ode.M*.. Uuando. *.(osse ou uso.E indeniOaç1o.cuBa contribuiç1o consiste e8 serviços.(or lei ou (elo contrato social.+.8as aquele.(erante a sociedade e terceiros.. Art...conAecendo ou devendo conAecer7lAes a ilegiti8idade. " sócio n1o (ode ser substitu>do no e?erc>cio das suas 3unçFes. $eç1o II #os #ireitos e "brigaçFes dos $ócios Art.liquidada a sociedade..=.3ilial ou ag9ncia na circunscriç1o de outro Registro Civil das Pessoas 4ur>dicas.na (ro(orç1o das res(ectivas quotas. " sócio que... ParCgra3o Dnico. *.a(licando7se.. *...e?(resso e8 8odi3icaç1o do contrato social. Art..(oderC a 8aioria dos de8ais sócios (re3erir.cuBa contribuiç1o consista e8 serviços. E8 qualquer caso. *. Art. Art. A sociedade si8(les que instituir sucursal. As obrigaçFes dos sócios co8eça8 i8ediata8ente co8 o contrato. ParCgra3o Dnico..co8 a (rova da inscriç1o originCria. ParCgra3o Dnico. $alvo esti(ulaç1o e8 contrCrio.*.se este n1o 3i?ar outra data. Art. . Art. "s sócios s1o obrigados. *.se8 a corres(ondente 8odi3icaç1o do contrato social co8 o consenti8ento dos de8ais sócios.a t>tulo de quota social.o sócio (artici(a dos lucros e das (erdas. *. *. Art.

(elos atos que (raticar.sabendo ou devendo saber que estava agindo e8 desacordo co8 a 8aioria.Q *o Para 3or8aç1o da 8aioria absoluta s1o necessCrios votos corres(ondentes a 8ais de 8etade do ca(ital. Art.se8 consenti8ento escrito dos sócios.co8(ete se(arada8ente a cada u8 dos sócios. Q *o $e a ad8inistraç1o co8(etir se(arada8ente a vCrios ad8inistradores.terC de restitu>7los E sociedade. Q +o Prevalece a decis1o su3ragada (or 8aior nD8ero de sócios no caso de e8(ate.(or 8aioria de votos.cabendo a decis1o aos sócios.*<.os condenados a (ena que vede. " ad8inistrador da sociedade deverC ter.se este (ersistir.tendo e8 algu8a o(eraç1o interesse contrCrio ao da sociedade(artici(ar da deliberaç1o que a a(rove graças a seu voto.a(licar cr@ditos ou bens sociais e8 (roveito (ró(rio ou de terceiros. Q +o A(lica87se E atividade dos ad8inistradores. Art.o cuidado e a dilig9ncia que todo Ao8e8 ativo e (robo costu8a e8(regar na ad8inistraç1o de seus (ró(rios negócios. *.**. Nos atos de co8(et9ncia conBunta de vCrios ad8inistradores. Art. *.as dis(osiçFes concernentes ao 8andato. "s ad8inistradores res(onde8 solidaria8ente (erante a sociedade e os terceiros (reBudicados.a oneraç1o ou a venda de bens i8óveis de(ende do que a 8aioria dos sócios decidir.ou (agar o equivalente.(eculato.(or cul(a no dese8(enAo de suas 3unçFes.os ad8inistradores (ode8 (raticar todos os atos (ertinentes E gest1o da sociedade.e8 que a o8iss1o ou retardo das (rovid9ncias (ossa ocasionar dano irre(arCvel ou grave.co8 todos os lucros resultantes.nada dis(ondo o contrato social.concuss1o.(or ele ta8b@8 res(onderC. " e?cesso (or (arte dos ad8inistradores so8ente (ode ser o(osto a terceiros se ocorrer (elo 8enos u8a das seguintes Ai(óteses: I 7 se a li8itaç1o de (oderes estiver inscrita ou averbada no registro (ró(rio da sociedade.antes de requerer a averbaç1o. *.no8eado (or instru8ento e8 se(arado.*G.enquanto (erdurare8 os e3eitos da condenaç1o. III 7 tratando7se de o(eraç1o evidente8ente estranAa aos negócios da sociedade.*+. A ad8inistraç1o da sociedade.torna7se necessCrio o concurso de todos.ainda que te8(oraria8ente.*M. " ad8inistrador que. Art. .o acesso a cargos (Dblicos. ParCgra3o Dnico. Art.*N.a 3@ (Dblica ou a (ro(riedade. *.. No sil9ncio do contrato. ou (or cri8e 3ali8entar.contra as relaçFes de consu8o.contra as nor8as de de3esa da concorr9ncia. Q Mo Res(onde (or (erdas e danos o sócio que. *.cada u8 (ode i8(ugnar o(eraç1o (retendida (or outro. n1o constituindo obBeto social...deve averbC7lo E 8arge8 da inscriç1o da sociedade.salvo nos casos urgentes. II 7 (rovando7se que era conAecida do terceiro.contra o siste8a 3inanceiro nacional.no que couber.(eita ou suborno..e. ou contra a econo8ia (o(ular.e... Q *o N1o (ode8 ser ad8inistradores. *.res(onde (essoal e solidaria8ente co8 a sociedade.decidirC o BuiO.. Art.*=.al@8 das (essoas i8(edidas (or lei es(ecial. " ad8inistrador. Art.no e?erc>cio de suas 3unçFes. Q +o Res(onde (or (erdas e danos (erante a sociedade o ad8inistrador que realiOar o(eraçFes.se Aouver (reBu>Oo.de (revaricaç1o.e. *.

ou na (arte que lAe tocar e8 liquidaç1o. Art.tendo e8 qualquer o(eraç1o interesse contrCrio ao da sociedade. Art. *. Art.n1o os Aavendo. Ao ad8inistrador @ vedado 3aOer7se substituir no e?erc>cio de suas 3unçFes..regular7se a substituiç1o do sócio 3alecido. *. "s bens (articulares dos sócios n1o (ode8 ser e?ecutados (or d>vidas da sociedade.(ode o credor requerer a liquidaç1o da quota do devedor..at@ que se liquide a sociedade. ParCgra3o Dnico.a(urado na 3or8a do art.+M.res(onde8 os sócios (elo saldo. $alvo esti(ulaç1o que deter8ine @(oca (ró(ria.be8 co8o o balanço (atri8onial e o de resultado econL8ico.ou a que8 n1o seBa sócio. *.a qualquer te8(o. $eç1o ! #a Resoluç1o da $ociedade e8 Relaç1o a u8 $ócio Art.. $eç1o I! #as RelaçFes co8 Terceiros Art.ou o cLnBuge do que se se(arou Budicial8ente.salvo Busta causa.sen1o de(ois de e?ecutados os bens sociais. $e os bens da sociedade n1o lAe cobrire8 as d>vidas.+K.os (oderes con3eridos a sócio (or ato se(arado.constituir 8andatCrios da sociedade.. A sociedade adquire direitos..+<.no Bu>Oo da e?ecuç1o.salvo: I 7 se o contrato dis(user di3erente8ente. ... Fica suBeito Es sançFes o ad8inistrador que.n1o (ode8 e?igir desde logo a (arte que lAes couber na quota social.sendo7lAe 3acultado..n1o se e?i8e das d>vidas sociais anteriores E ad8iss1o. *.reconAecida Budicial8ente. *. "s Aerdeiros do cLnBuge de sócio.ad8itido e8 sociedade BC constitu>da.3aOer recair a e?ecuç1o sobre o que a este couber nos lucros da sociedade.(or acordo co8 os Aerdeiros.. ParCgra3o Dnico. Art. Art. *.o sócio (ode. Art. No caso de 8orte de sócio. Art.*..+G.es(eci3icados no instru8ento os atos e o(eraçFes que (oder1o (raticar.. Art.*K. *.cuBo valor..serC de(ositado e8 dinAeiro.ParCgra3o Dnico. III 7 se. $e a sociedade n1o estiver dissolvida.salvo clCusula de res(onsabilidade solidCria.to8e (arte na corres(ondente deliberaç1o..ou.e o estado da cai?a e da carteira da sociedade. *.e a(resentar7lAes o inventCrio anual8ente. Art.e?a8inar os livros e docu8entos.a (edido de qualquer dos sócios. *.M*.at@ noventa dias a(ós aquela liquidaç1o.+*. " credor (articular de sócio (ode.assu8e obrigaçFes e (rocede Budicial8ente. *.na (ro(orç1o e8 que (artici(e8 das (erdas sociais. II 7 se os sócios re8anescentes o(tare8 (ela dissoluç1o da sociedade. $1o irrevogCveis os (oderes do sócio investido na ad8inistraç1o (or clCusula e?(ressa do contrato social.a qualquer te8(o.+=.nos li8ites de seus (oderes.na insu3ici9ncia de outros bens do devedor.. *. "s ad8inistradores s1o obrigados a (restar aos sócios contas Busti3icadas de sua ad8inistraç1o.+N. *. $1o revogCveis.(or 8eio de ad8inistradores co8 (oderes es(eciais.++. " sócio.+.(or inter8@dio de qualquer ad8inistrador.8as concorrer E divis1o (eriódica dos lucros.liquidar7se7C sua quota.

inclusive na Ai(ótese de concentraç1o de todas as cotas da sociedade sob sua titularidade.veri3icada e8 balanço es(ecial8ente levantado.considerada (elo 8ontante e3etiva8ente realiOado..(ode8 os de8ais sócios o(tar (ela dissoluç1o da sociedade. *.n1o entrar a sociedade e8 liquidaç1o.n1o o e?i8e. $erC de (leno direito e?clu>do da sociedade o sócio declarado 3alido.salvo acordo.salvo se..E data da resoluç1o.de autoriOaç1o (ara 3uncionar. Art.enquanto n1o se requerer a averbaç1o.salvo dis(osiç1o contratual e8 contrCrio.vencido este e se8 o(osiç1o de sócio. *.liquidar7se7C.M.ou aquele cuBa quota tenAa sido liquidada nos ter8os do (arCgra3o Dnico do art.(or 8aioria absoluta. *.. Nos trinta dias subseqSentes E noti3icaç1o.M*. Nos casos e8 que a sociedade se resolver e8 relaç1o a u8 sócio.o valor da sua quota..a requeri8ento de qualquer dos sócios.n1o reconstitu>da no (raOo de cento e oitenta dias.(elas (osteriores e e8 igual (raOo.o dis(osto nos arts.observado. A retirada.+G.MN.ou. N1o se a(lica o dis(osto no inciso I! caso o sócio re8anescente. ! 7 a e?tinç1o.ainda(or inca(acidade su(erveniente.co8 base na situaç1o (atri8onial da sociedade..na 3or8a da lei.no (raOo de noventa dias.at@ dois anos a(ós averbada a resoluç1o da sociedade. *.de +.requeira.(or 3alta grave no cu8(ri8ento de suas obrigaçFes.ou veri3icada a sua ine?eqSibilidade. Q *o " ca(ital social so3rerC a corres(ondente reduç1o.caso e8 que se (rorrogarC (or te8(o indeter8inado.ou a seus Aerdeiros. #issolve7se a sociedade quando ocorrer: I 7 o venci8ento do (raOo de duraç1o. $eç1o !I #a #issoluç1o Art.(ode o sócio ser e?clu>do Budicial8ente8ediante iniciativa da 8aioria dos de8ais sócios.N e seu (arCgra3o Dnico.salvo se os de8ais sócios su(rire8 o valor da quota.(rovando Budicial8ente Busta causa.+.. Q +o A quota liquidada serC (aga e8 dinAeiro.M+. *. *.na sociedade de (raOo indeter8inado. A sociedade (ode ser dissolvida Budicial8ente. ParCgra3o Dnico.MM.**/ '!ig9ncia/ Art. .quando: I 7 anulada a sua constituiç1o.e?clus1o ou 8orte do sócio.co8 anteced9ncia 8>ni8a de sessenta dias.Art. Art. II 7 o consenso unPni8e dos sócios. ParCgra3o Dnico. III 7 a deliberaç1o dos sócios.qualquer sócio (ode retirar7se da sociedade. Art. Ressalvado o dis(osto no art. *.a (artir da liquidaç1o. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *+.da res(onsabilidade (elas obrigaçFes sociais anteriores..no que couber.8ediante noti3icaç1o aos de8ais sócios. Al@8 dos casos (revistos na lei ou no contrato.no Registro PDblico de E8(resas Jercantis. *.NN*. se de (raOo deter8inado. I! 7 a 3alta de (luralidade de sócios...**M a *.ou esti(ulaç1o contratual e8 contrCrio. ParCgra3o Dnico.. II 7 e?aurido o 3i8 social.a trans3or8aç1o do registro da sociedade (ara e8(resCrio individual ou (ara e8(resa individual de res(onsabilidade li8itada. ne8 nos dois (ri8eiros casos. *. se de (raOo indeter8inado..**= deste Código.

N+... ParCgra3o Dnico.(ode o sócio requerer..no que seBa o8isso.levantada no (raOo de noventa dias. . $o8ente (essoas 3>sicas (ode8 to8ar (arte na sociedade e8 no8e coletivo. PoderC 3aO97lo quando: I 7 a sociedade Aouver sido (rorrogada tacita8ente. *..t1o logo lAe co8unique a autoridade co8(etente. A ad8inistraç1o da sociedade co8(ete e?clusiva8ente a sócios. Art.se os ad8inistradores n1o o tivere8 3eito nos trinta dias seguintes E (erda da autoriOaç1o.<. Art.deste $ubt>tulo.MK. Caso o Jinist@rio PDblico n1o (ro8ova a liquidaç1o Budicial da sociedade nos quinOe dias subseqSentes ao recebi8ento da co8unicaç1o.a requeri8ento de u8 ou 8ais sócios.(elas obrigaçFes sociais.M<... II 7 e8 qualquer caso. II 7 tendo ocorrido (rorrogaç1o contratual.N. *. . Q *o " liquidante (ode ser destitu>do. CAP%T&L" II #a $ociedade e8 No8e Coletivo Art. Art. ParCgra3o Dnico.o liquidante serC eleito (or deliberaç1o dos sócios(odendo a escolAa recair e8 (essoa estranAa E sociedade.li8itar entre si a res(onsabilidade de cada u8.a liquidaç1o Budicial.ocorrendo Busta causa.al@8 das indicaçFes re3eridas no art.Art.solidCria e ili8itada8ente.8ediante deliberaç1o dos sócios.a todo te8(o: I 7 se eleito (ela 3or8a (revista neste artigo. "corrida a dissoluç1o.ou (or unPni8e convenç1o (osterior.desde logo.. "correndo a Ai(ótese (revista no inciso ! do art..cu8(re aos ad8inistradores (rovidenciar i8ediata8ente a investidura do liquidante.(retender a liquidaç1o da quota do devedor.a 3ir8a social. *.no ato constitutivo.(ro8overC a liquidaç1o Budicial da sociedade. *.vedadas novas o(eraçFes. #issolvida de (leno direito a sociedade.antes de dissolver7se a sociedade. $e8 (reBu>Oo da res(onsabilidade (erante terceiros..o Jinist@rio PDblico..MM. $e n1o estiver designado no contrato social.N*...res(ondendo todos os sócios. Art.nos li8ites do contrato. Art.contado da (ublicaç1o do ato dilatório.NM.(rivativo dos que tenAa8 os necessCrios (oderes. " contrato (ode (rever outras causas de dissoluç1o.MG.(ode8 os sócios.(elas do Ca(>tulo antecedente. ParCgra3o Dnico.(elas quais res(onder1o solidCria e ili8itada8ente. Q +o A liquidaç1o da sociedade se (rocessa de con3or8idade co8 o dis(osto no Ca(>tulo IV.a sere8 veri3icadas Budicial8ente quando contestadas.sendo o uso da 3ir8a.a autoridade co8(etente (ara conceder a autoriOaç1o no8earC interventor co8 (oderes (ara requerer a 8edida e ad8inistrar a sociedade at@ que seBa no8eado o liquidante. *.M. *. *. Art. ParCgra3o Dnico. *. *.3or acolAida Budicial8ente o(osiç1o do credor. A sociedade e8 no8e coletivo se rege (elas nor8as deste Ca(>tulo e. Art. " contrato deve 8encionar. " credor (articular de sócio n1o (ode.(or via Budicial. *.e restringir a gest1o (ró(ria aos negócios inadiCveis.M=.ou se o sócio n1o Aouver e?ercido a 3aculdade assegurada no (arCgra3o Dnico do artigo antecedente..

e8 conseqS9ncia de ter sido reduOido o ca(ital social. *.. Art.. " contrato deve discri8inar os co8anditados e os co8anditCrios.. No caso de 8orte de sócio co8anditCrio.NN. Na sociedade e8 co8andita si8(les to8a8 (arte sócios de duas categorias: os co8anditados(essoas 3>sicas. II 7 quando (or 8ais de cento e oitenta dias (erdurar a 3alta de u8a das categorias de sócio.(roduO e3eito.sob (ena de 3icar suBeito Es res(onsabilidades de sócio co8anditado.Art. e os co8anditCrios.res(onsCveis solidCria e ili8itada8ente (elas obrigaçFes sociais. CAP%T&L" I! #a $ociedade Li8itada $eç1o I #is(osiçFes Preli8inares Art. *. A sociedade se dissolve de (leno direito (or qualquer das causas enu8eradas no art.a di8inuiç1o da quota do co8anditCrio.a res(onsabilidade de cada sócio @ restrita ao valor de suas quotas..quanto a terceiros.N...NG.ne8 ter o no8e na 3ir8a social.n1o (ode o co8anditCrio (raticar qualquer ato de gest1o. Art.MM e. ParCgra3o Dnico.n1o (ode o co8anditCrio receber quaisquer lucros. ParCgra3o Dnico. #issolve7se de (leno direito a sociedade: I 7 (or qualquer das causas (revistas no art.ta8b@8 (ela declaraç1o da 3al9ncia.se8(re se8 (reBu>Oo dos credores (ree?istentes. *..N=. A(lica87se E sociedade e8 co8andita si8(les as nor8as da sociedade e8 no8e coletivo.8as todos res(onde8 solidaria8ente (ela integraliOaç1o do ca(ital social. $e8 (reBu>Oo da 3aculdade de (artici(ar das deliberaçFes da sociedade e de lAe 3iscaliOar as o(eraçFes.se e8(resCria.a sociedade.durante o (er>odo re3erido no inciso II e se8 assu8ir a condiç1o de sócio. *.os co8anditCrios no8ear1o ad8inistrador (rovisório (ara (raticar. *.os atos de ad8inistraç1o.obrigados so8ente (elo valor de sua quota.salvo dis(osiç1o do contrato. " sócio co8anditCrio n1o @ obrigado E re(osiç1o de lucros recebidos de boa73@ e de acordo co8 o balanço. *. Art. $o8ente a(ós averbada a 8odi3icaç1o do contrato. *.que designar1o que8 os re(resente. *. #i8inu>do o ca(ital social (or (erdas su(ervenientes.=+. CAP%T&L" III #a $ociedade e8 Co8andita $i8(les Art. Art. *.. Art..N<.NN..=*.NK.(ara negócio deter8inado e co8 (oderes es(eciais. Art. ParCgra3o Dnico.antes de reintegrado aquele.=.. Aos co8anditados cabe8 os 8es8os direitos e obrigaçFes dos sócios da sociedade e8 no8e coletivo. Pode o co8anditCrio ser constitu>do (rocurador da sociedade. Na 3alta de sócio co8anditado. Na sociedade li8itada.. ParCgra3o Dnico.continuarC co8 os seus sucessores. *. ParCgra3o Dnico. .. *.no que 3ore8 co8(at>veis co8 as deste Ca(>tulo.

no 8>ni8o.to8C7la (ara si ou trans3eri7la a terceiros. N1o integraliOada a quota de sócio re8isso. *.se 3or o caso.=K. *. ParCgra3o Dnico.*. " ad8inistrador designado e8 ato se(arado investir7se7C no cargo 8ediante ter8o de (osse no livro de atas da ad8inistraç1o. Art.a 3ir8a social. *..quando tais lucros ou quantia se distribu>re8 co8 (reBu>Oo do ca(ital.se8 (reBu>Oo do dis(osto no art. Q *o No caso de condo8>nio de quota. " contrato 8encionarC. Q +o $e8 (reBu>Oo do dis(osto no art. Art..total ou (arcial8ente.=N. ParCgra3o Dnico.=+..iguais ou desiguais. $eç1o II #as Uuotas Art.a(ós a integraliOaç1o..subscrito (elos sócios anuentes.Art.. *.os condL8inos de quota indivisa res(onde8 solidaria8ente (elas (restaçFes necessCrias E sua integraliOaç1o. A designaç1o de ad8inistradores n1o sócios de(enderC de a(rovaç1o da unani8idade dos sóciosenquanto o ca(ital n1o estiver integraliOado.salvo (ara e3eito de trans3er9ncia. A quota @ indivis>vel e8 relaç1o E sociedade.G*.os direitos a ela inerentes so8ente (ode8 ser e?ercidos (elo condL8ino re(resentante.G+. Art....cabendo u8a ou diversas a cada sócio..a qualquer t>tulo..G..ou a estranAo.=. A sociedade li8itada @ ad8inistrada (or u8a ou 8ais (essoas designadas no contrato social ou e8 ato se(arado.e de +HM 'dois terços/.as (restaçFes estabelecidas no contrato 8ais as des(esas.=G.ainda que autoriOados (elo contrato.deduOidos os Buros da 8ora..e?cluindo o (ri8itivo titular e devolvendo7 lAe o que Aouver (ago.de +..a que8 seBa sócioinde(endente8ente de audi9ncia dos outros..a (artir da averbaç1o do res(ectivo instru8ento. A cess1o terC e3icCcia quanto E sociedade e terceiros. *. Na o8iss1o do contrato. *. *. $eç1o III #a Ad8inistraç1o Art. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *+. *.e.inclusive (ara os 3ins do (arCgra3o Dnico do art. .. " ca(ital social divide7se e8 quotas. *. *. *.no que couber./ Art. "s sócios ser1o obrigados E re(osiç1o dos lucros e das quantias retiradas.(elas nor8as da sociedade si8(les. *. A sociedade li8itada rege7se.nas o8issFes deste Ca(>tulo.M.se n1o Aouver o(osiç1o de titulares de 8ais de u8 quarto do ca(ital social.ou (elo inventariante do es(ólio de sócio 3alecido.<. Q +o R vedada contribuiç1o que consista e8 (restaç1o de serviços. Art. Q *o Pela e?ata esti8aç1o de bens con3eridos ao ca(ital social res(onde8 solidaria8ente todos os sócios. " contrato social (oderC (rever a reg9ncia su(letiva da sociedade li8itada (elas nor8as da sociedade anLni8a.as indicaçFes do art. A ad8inistraç1o atribu>da no contrato a todos os sócios n1o se estende de (leno direito aos que (osterior8ente adquira8 essa qualidade. Art.=<..M<=. Art.at@ o (raOo de cinco anos da data do registro da sociedade.N e seu (arCgra3o Dnico. ParCgra3o Dnico. *.o sócio (ode ceder sua quota..caso e8 que se observarC o dis(osto no artigo seguinte. .os outros sócios (ode8.=M.==..

n1o Aouver reconduç1o. Q +o Nos deO dias seguintes ao da investidura.al@8 dos ineleg>veis enu8erados no Q * o do art.os livros e (a(@is da sociedade e o estado da cai?a e da carteiradevendo os ad8inistradores ou liquidantes (restar7lAes as in3or8açFes solicitadas.G<..Q *o $e o ter8o n1o 3or assinado nos trinta dias seguintes E designaç1o. Art.(elo 8enos tri8estral8ente.e8 qualquer te8(o.<K.. *.resid9ncia.desde o 8o8ento e8 que esta to8a conAeci8ento da co8unicaç1o escrita do renunciante.e8 que se 8encione o seu no8e.residentes no Pa>s.estado civil.GN. Art.deve o ad8inistrador requerer seBa averbada sua no8eaç1o no registro co8(etente. Q +o A cessaç1o do e?erc>cio do cargo de ad8inistrador deve ser averbada no registro co8(etente. *.8ediante requeri8ento a(resentado nos deO dias seguintes ao da ocorr9ncia..se(arada8ente.e8 relaç1o E sociedade.G=. e.anual8ente.assinando ter8o de (osse lavrado no livro de atas e (areceres do conselAo 3iscal... Q Mo A renDncia de ad8inistrador torna7se e3icaO. Q +o R assegurado aos sócios 8inoritCrios. $e o ter8o n1o 3or assinado nos trinta dias seguintes ao da eleiç1o.que re(resentare8 (elo 8enos u8 quinto do ca(ital social. " uso da 3ir8a ou deno8inaç1o social @ (rivativo dos ad8inistradores que tenAa8 os necessCrios (oderes.os deveres seguintes: I 7 e?a8inar.at@ a subseqSente asse8bl@ia anual..8encionando o seu no8e. Al@8 de outras atribuiçFes deter8inadas na lei ou no contrato social.os 8e8bros dos de8ais órg1os da sociedade ou de outra (or ela controlada. $eç1o I! #o ConselAo Fiscal Art. Q *o N1o (ode8 3aOer (arte do conselAo 3iscal.a dois terços do ca(ital social.ou (elo t@r8ino do (raOo se. *. Art. *. *.GM...a(ós a averbaç1o e (ublicaç1o.aos 8e8bros do conselAo 3iscal incu8be8.resid9ncia e a data da escolAa3icarC investido nas suas 3unçFes.sua destituiç1o so8ente se o(era (ela a(rovaç1o de titulares de quotas corres(ondentes. A re8uneraç1o dos 8e8bros do conselAo 3iscal serC 3i?ada.u8 dos 8e8bros do conselAo 3iscal e o res(ectivo su(lente.eleitos na asse8bl@ia anual (revista no art.o ato e a data da no8eaç1o e o (raOo de gest1o. ParCgra3o Dnico.individual ou conBunta8ente.esta se tornarC se8 e3eito. $e8 (reBu>Oo dos (oderes da asse8bl@ia dos sócios. Art. *.estado civil.sócios ou n1o.e8 relaç1o a terceiros.do titular.GK. " 8e8bro ou su(lente eleito.(ela asse8bl@ia dos sócios que os eleger. *. Q *o Tratando7se de sócio no8eado ad8inistrador no contrato. *. Art.G.que e?ercerC.salvo dis(osiç1o contratual diversa.(roceder7se7C E elaboraç1o do inventCrio.co8 e?ibiç1o de docu8ento de identidade.. *.salvo cessaç1o anterior.(ode o contrato instituir conselAo 3iscal co8(osto de tr9s ou 8ais 8e8bros e res(ectivos su(lentes.os e8(regados de quaisquer delas ou dos res(ectivos ad8inistradores.nacionalidade..o direito de eleger.3i?ado no contrato ou e8 ato se(arado.**.o cLnBuge ou (arente destes at@ o terceiro grau.no 8>ni8o.nacionalidade. II 7 lavrar no livro de atas e (areceres do conselAo 3iscal o resultado dos e?a8es re3eridos no inciso I deste artigo.esta se tornarC se8 e3eito. " e?erc>cio do cargo de ad8inistrador cessa (ela destituiç1o. Ao t@r8ino de cada e?erc>cio social.do balanço (atri8onial e do balanço de resultado econL8ico. . Art.GG.

al@8 de outras 8at@rias indicadas na lei ou no contrato: I 7 a a(rovaç1o das contas da ad8inistraç1o.<+.(ode8 requerer concordata (reventiva. !III 7 o (edido de concordata. #e(ende8 da deliberaç1o dos sócios.os atos a que se re3ere este artigo..(or escrito.e a res(onsabilidade de seus 8e8bros obedece E regra que de3ine a dos ad8inistradores 'art. ! 7 a 8odi3icaç1o do contrato social.a 3us1o e a dissoluç1o da sociedade. I! 7 o 8odo de sua re8uneraç1o.cientes do local. Q No No caso do inciso !III do artigo antecedente. !I 7 (raticar... $eç1o ! #as #eliberaçFes dos $ócios Art.os ad8inistradores.*=+. Art.obedecido o dis(osto no art.ou a cessaç1o do estado de liquidaç1o. ! 7 convocar a asse8bl@ia dos sócios se a diretoria retardar (or 8ais de trinta dias a sua convocaç1o anual.con3or8e (revisto no contrato social.durante o (er>odo da liquidaç1o da sociedade. III 7 a destituiç1o dos ad8inistradores.sugerindo (rovid9ncias Dteis E sociedade.dos balanços e das contas.tendo e8 vista as dis(osiçFes es(eciais reguladoras da liquidaç1o..devendo ser convocadas (elos ad8inistradores nos casos (revistos e8 lei ou no contrato. I! 7 denunciar os erros.quando todos os sócios co8(arecere8 ou se declarare8..<*. !I 7 a incor(oraç1o.Aora e orde8 do dia. As atribuiçFes e (oderes con3eridos (ela lei ao conselAo 3iscal n1o (ode8 ser outorgados a outro órg1o da sociedade. Q Mo A reuni1o ou a asse8bl@ia torna87se dis(ensCveis quando todos os sócios decidire8.se Aouver urg9ncia e co8 autoriOaç1o de titulares de 8ais da 8etade do ca(ital social. II 7 a designaç1o dos ad8inistradores. ParCgra3o Dnico. !II 7 a no8eaç1o e destituiç1o dos liquidantes e o Bulga8ento das suas contas.. *.8ediante re8uneraç1o a(rovada (ela asse8bl@ia dos sócios.<.quando n1o estabelecido no contrato.sobre a 8at@ria que seria obBeto delas.ser1o to8adas e8 reuni1o ou e8 asse8bl@ia. Q +o #is(ensa87se as 3or8alidades de convocaç1o (revistas no Q Mo do art.ou se8(re que ocorra8 8otivos graves e urgentes. As deliberaçFes dos sócios. *. Q *o A deliberaç1o e8 asse8bl@ia serC obrigatória se o nD8ero dos sócios 3or su(erior a deO.(or escrito. *. Art. *.to8ando (or base o balanço (atri8onial e o de resultado econL8ico.contabilista legal8ente Aabilitado.3raudes ou cri8es que descobrire8.*. " conselAo 3iscal (oderC escolAer (ara assisti7lo no e?a8e dos livros.III 7 e?arar no 8es8o livro e a(resentar E asse8bl@ia anual dos sócios (arecer sobre os negócios e as o(eraçFes sociais do e?erc>cio e8 que servire8.*G/. . *.quando 3eita e8 ato se(arado.data.. *.

.ou (or advogado.nos casos (revistos nos incisos ! e !I do art. *.co8 o obBetivo de: I 7 to8ar as contas dos ad8inistradores e deliberar sobre o balanço (atri8onial e o de resultado econL8ico.<M.I! e !III do art.. Art.(or si ou na condiç1o de 8andatCrio.8ediante outorga de 8andato co8 es(eci3icaç1o dos atos autoriOados.nos casos (revistos e8 lei ou no contrato.Q =o As deliberaçFes to8adas de con3or8idade co8 a lei e o contrato vincula8 todos os sócios..e8 (ri8eira convocaç1o. *.que a solicitar. *.de titulares de no 8>ni8o tr9s quartos do ca(ital social. *.e8 segunda.quantos baste8 E validade das deliberaçFes.as deliberaçFes dos sócios ser1o to8adas: I 7 (elos votos corres(ondentes.<=. *.M*.e.o dis(osto na (resente $eç1o sobre a asse8bl@ia.ou dela (or outra.GM.<<.ata assinada (elos 8e8bros da 8esa e (or sócios (artici(antes da reuni1o.quando os ad8inistradores retardare8 a convocaç1o.no (raOo de oito dias.<G.<*. *.o dis(osto no art. Q *o " sócio (ode ser re(resentado na asse8bl@ia (or outro sócio.ainda que ausentes ou dissidentes. Art.quando n1o atendido..terC o sócio que dissentiu o direito de retirar7se da sociedade. Q +o NenAu8 sócio..co8 qualquer nD8ero.nos quatro 8eses seguintes E ao t@r8ino do e?erc>cio social. *.III. *. Q +o Có(ia da ata autenticada (elos ad8inistradores..a tr9s quartos do ca(ital social. A asse8bl@ia dos sócios instala7se co8 a (resença..no sil9ncio do contrato social antes vigente. Art. *. Q Mo Ao sócio.nos casos a que se re3ere o inciso ! do art.ou (or titulares de 8ais de u8 quinto do ca(ital.se Aouver.devendo o instru8ento ser levado a registro.nos vinte dias subseqSentes E reuni1oa(resentada ao Registro PDblico de E8(resas Jercantis (ara arquiva8ento e averbaç1o. Q *o #os trabalAos e deliberaçFes serC lavrada. II 7 (elos votos corres(ondentes a 8ais de 8etade do ca(ital social. A asse8bl@ia serC (residida e secretariada (or sócios escolAidos entre os (resentes.3us1o da sociedade. .incor(oraç1o de outra.nos trinta dias subseqSentes E reuni1oa(licando7se.(ode votar 8at@ria que lAe diga res(eito direta8ente.<*..<N. III 7 (ela 8aioria de votos dos (resentes. Art..quando 3or o caso. Uuando Aouver 8odi3icaç1o do contrato.no 8>ni8o. *. Ressalvado o dis(osto no art.se este n1o e?igir 8aioria 8ais elevada.. *.nos casos o8issos no contrato.serC entregue có(ia autenticada da ata.Bunta8ente co8 a ata.co8 indicaç1o das 8at@rias a sere8 tratadas.ou (ela 8esa. *. Art.(edido de convocaç1o 3unda8entado.G.<K..8as se8 (reBu>Oo dos que queira8 assinC7la. II 7 designar ad8inistradores.(or 8ais de sessenta dias.G* e no Q *o do art. A asse8bl@ia dos sócios deve realiOar7se ao 8enos u8a veO (or ano.serC.nos de8ais casos (revistos na lei ou no contrato. Art. Q Go A(lica7se Es reuniFes dos sócios.nos casos (revistos nos incisos II.no livro de atas da asse8bl@ia.. II 7 (elo conselAo 3iscal.. A reuni1o ou a asse8bl@ia (ode8 ta8b@8 ser convocadas: I 7 (or sócio.

$eç1o !I #o Au8ento e da Reduç1o do Ca(ital Art.. *. *.e assu8ida (elos sócios. Art.K+.=<. *.no Registro PDblico de E8(resas Jercantis.e co8 a (rova do res(ectivo recebi8ento.nos casos o8issos no contrato. No caso do inciso II do art.contado da data da (ublicaç1o da ata da asse8bl@ia que a(rovar a reduç1o.n1o 3or i8(ugnada. Q +o A reduç1o so8ente se tornarC e3icaO se.se Aouver. *.. Art.ou (or terceiros.a reduç1o do ca(ital serC realiOada co8 a di8inuiç1o (ro(orcional do valor no8inal das quotas..e?onera de res(onsabilidade os 8e8bros da ad8inistraç1o e.KN.ou dis(ensando7se as (restaçFes ainda devidas.o estabelecido nesta $eç1o sobre a asse8bl@ia.<+. Art.a(lica7se o dis(osto no caput do art.do balanço (atri8onial e do de resultado econL8ico. Q *o At@ trinta dias antes da data 8arcada (ara a asse8bl@ia.da ata da asse8bl@ia que a tenAa a(rovado.(ara que seBa a(rovada a 8odi3icaç1o do contrato. A(lica7se Es reuniFes dos sócios. ..os quais ser1o sub8etidos..a discuss1o e votaç1o.obedecido o dis(osto no Q *o do art. As deliberaçFes in3ringentes do contrato ou da lei torna8 ili8itada a res(onsabilidade dos que e?(ressa8ente as a(rovara8. Art.se Aouver.(elo (residente. Q No E?tingue7se e8 dois anos o direito de anular a a(rovaç1o a que se re3ere o (arCgra3o antecedente. Q +o Y cess1o do direito de (re3er9ncia.ou se (rovado o (aga8ento da d>vida ou o de(ósito Budicial do res(ectivo valor. Pode a sociedade reduOir o ca(ital. Q Mo A a(rovaç1o.se Aouver (erdas irre(arCveis.(roceder7se7C E leitura dos docu8entos re3eridos no (arCgra3o antecedente.os do conselAo 3iscal.e8 a8bos os casos. Q *o At@ trinta dias a(ós a deliberaç1o.. Ressalvado o dis(osto e8 lei es(ecial.os do conselAo 3iscal.(or t>tulo l>quido anterior a essa data.integraliOadas as quotas.(ode ser o ca(ital au8entado. *.tornando7se e3etiva a (artir da averbaç1o.salvo erro.K.nesta n1o (odendo to8ar (arte os 8e8bros da ad8inistraç1o e.(or escrito.a totalidade do au8entoAaverC reuni1o ou asse8bl@ia dos sócios. Q *o No (raOo de noventa dias.<.na (ro(orç1o das quotas de que seBa8 titulares.co8 di8inuiç1o (ro(orcional.III 7 tratar de qualquer outro assunto constante da orde8 do dia.co8 a corres(ondente 8odi3icaç1o do contrato.se8 reserva. Q +o Instalada a asse8bl@ia. *.dolo ou si8ulaç1o..E dis(osiç1o dos sócios que n1o e?erça8 a ad8inistraç1o.K+.KM.8ediante a corres(ondente 8odi3icaç1o do contrato: I 7 de(ois de integraliOado.o credor quirogra3Crio. Art. No caso do inciso I do artigo antecedente. *.K*. *.a reduç1o do ca(ital serC 3eita restituindo7se (arte do valor das quotas aos sócios.. II 7 se e?cessivo e8 relaç1o ao obBeto da sociedade..(oderC o(or7se ao deliberado.os docu8entos re3eridos no inciso I deste artigo deve8 ser (ostos.. Q Mo #ecorrido o (raOo da (re3er9ncia. *.no (raOo estabelecido no (arCgra3o antecedente.ter1o os sócios (re3er9ncia (ara (artici(ar do au8ento..do valor no8inal das quotas.

*.quando a 8aioria dos sócios.nos casos o8issos.e so8ente (oder1o ser destitu>dos (or deliberaç1o de acionistas que re(resente8 no 8>ni8o dois terços do ca(ital social.Q Mo $atis3eitas as condiçFes estabelecidas no (arCgra3o antecedente.8udar o obBeto essencial da sociedade.+.. Ressalvado o dis(osto no art.a(licando7se7lAe.NN.. *. *.durante dois anos. CAP%T&L" ! #a $ociedade AnLni8a $eç1o Inica #a CaracteriOaç1o Art.ser1o solidaria8ente res(onsCveis. . *. Na sociedade anLni8a ou co8(anAia.. Q *o $e Aouver 8ais de u8 diretor.M.8ediante alteraç1o do contrato social. E3etuado o registro da alteraç1o contratual.. A asse8bl@ia geral n1o (ode..res(onsCvel (elas obrigaçFes sociais contra>das sob sua ad8inistraç1o.desde que (revista neste a e?clus1o (or Busta causa.M+.ciente o acusado e8 te8(o ACbil (ara (er8itir seu co8(areci8ento e o e?erc>cio do direito de de3esa.e8 virtude de atos de inegCvel gravidade.K<.e o(era sob 3ir8a ou deno8inaç1o.KK.ou (artes bene3iciCrias..da ata que tenAa a(rovado a reduç1o.se8 li8itaç1o de te8(o.entender que u8 ou 8ais sócios est1o (ondo e8 risco a continuidade da e8(resa. A e?clus1o so8ente (oderC ser deter8inada e8 reuni1o ou asse8bl@ia es(ecial8ente convocada (ara esse 3i8.se8 (reBu>Oo das 8odi3icaçFes constantes deste Ca(>tulo. CAP%T&L" !I #a $ociedade e8 Co8andita (or AçFes Art. *.no Registro PDblico de E8(resas Jercantis.. *. Art. *.(rorrogar7lAe o (raOo de duraç1o.regendo7se (elas nor8as relativas E sociedade anLni8a.(roceder7se7C E averbaç1o.obrigando7se cada sócio ou acionista so8ente (elo (reço de e8iss1o das açFes que subscrever ou adquirir..de(ois de esgotados os bens sociais. A sociedade e8 co8andita (or açFes te8 o ca(ital dividido e8 açFes. Art.a(licar7se7C o dis(osto nos arts.au8entar ou di8inuir o ca(ital social.. $o8ente o acionista te8 qualidade (ara ad8inistrar a sociedade e. *. ParCgra3o Dnico.(oderC e?clu>7los da sociedade.K. $eç1o !III #a #issoluç1o Art.....co8o diretor. A sociedade anLni8a rege7se (or lei es(ecial... *. Art.. Q +o "s diretores ser1o no8eados no ato constitutivo da sociedade.criar deb9ntures.res(onde subsidiCria e ili8itada8ente (elas obrigaçFes da sociedade.re(resentativa de 8ais da 8etade do ca(ital social. Q Mo " diretor destitu>do ou e?onerado continua.K=. *.se8 o consenti8ento dos diretores. A sociedade dissolve7se....*.KG. *.(or qualquer das causas (revistas no art. $eç1o !II #a Resoluç1o da $ociedade e8 Relaç1o a $ócios JinoritCrios Art. Art.de (leno direito.as dis(osiçFes deste Código.o ca(ital divide7se e8 açFes.M* e *.

*.. Art.3iliadasou de si8(les (artici(aç1o..a(lica87se as dis(osiçFes re3erentes E sociedade si8(les.8ediante açFes ou quotas (ossu>das (or sociedades ou sociedades (or esta BC controladas.s1o controladas.. *.ou dis(ensa do ca(ital social. Art. !I 7 direito de cada sócio a u8 só voto nas deliberaçFes..na 3or8a dos artigos seguintes.N.. *..tenAa ou n1o ca(ital a sociedade... Na sociedade coo(erativa.ressalvada a legislaç1o es(ecial.. Art.e qualquer que seBa o valor de sua (artici(aç1o.ainda que e8 caso de dissoluç1o da sociedade.e n1o no ca(ital social re(resentado.se8 li8itaç1o de nD8ero 8C?i8o..a res(onsabilidade dos sócios (ode ser li8itada ou ili8itada. *. I! 7 intrans3eribilidade das quotas do ca(ital a terceiros estranAos E sociedade. Considera87se coligadas as sociedades que. $1o caracter>sticas da sociedade coo(erativa: I 7 variabilidade.G...esteBa e8 (oder de outra.(ro(orcional8ente ao valor das o(eraçFes e3etuadas (elo sócio co8 a sociedade.N. *. III 7 li8itaç1o do valor da so8a de quotas do ca(ital social que cada sócio (oderC to8ar. !III 7 indivisibilidade do 3undo de reserva entre os sócios.<. CAP%T&L" !III #as $ociedades CoLigadas Art.(odendo ser atribu>do Buro 3i?o ao ca(ital realiOado. #iO7se coligada ou 3iliada a sociedade de cuBo ca(ital outra sociedade (artici(a co8 deO (or cento ou 8ais. A sociedade coo(erativa reger7se7C (elo dis(osto no (resente Ca(>tulo. *. R controlada: I 7 a sociedade de cuBo ca(ital outra sociedade (ossua a 8aioria dos votos nas deliberaçFes dos quotistas ou da asse8bl@ia geral e o (oder de eleger a 8aioria dos ad8inistradores. .ainda que (or Aerança.e8 suas relaçFes de ca(ital.do ca(ital da outra.. Q *o R li8itada a res(onsabilidade na coo(erativa e8 que o sócio res(onde so8ente (elo valor de suas quotas e (elo (reBu>Oo veri3icado nas o(eraçFes sociais. *.guardada a (ro(orç1o de sua (artici(aç1o nas 8es8as o(eraçFes..(ara a asse8bl@ia geral 3uncionar e deliberar.K. Art..M. ! 7 quorum.re3erido no inciso antecedente.=.CAP%T&L" !II #a $ociedade Coo(erativa Art.. II 7 a sociedade cuBo controle.resguardadas as caracter>sticas estabelecidas no art. *.3undado no nD8ero de sócios (resentes E reuni1o. Q +o R ili8itada a res(onsabilidade na coo(erativa e8 que o sócio res(onde solidCria e ili8itada8ente (elas obrigaçFes sociais. !II 7 distribuiç1o dos resultados.. No que a lei 3or o8issa. Art.se8 controlC7la.. II 7 concurso de sócios e8 nD8ero 8>ni8o necessCrio a co8(or a ad8inistraç1o da sociedade.

Art.N.a integraliOaç1o de suas quotas e.quando insu3iciente o ativo E soluç1o do (assivo. IV 7 averbar a ata da reuni1o ou da asse8bl@ia.(agar o (assivo e (artilAar o re8anescente entre os sócios ou acionistas.se 3or o caso. !I 7 convocar asse8bl@ia dos quotistas. ! 7 e?igir dos quotistas.re(artindo7se.(rocede7se E sua liquidaç1o.ao das (ró(rias reservas. Art. " liquidante.cada seis 8eses.livros e docu8entos da sociedade.o liquidante e8(regarC a 3ir8a ou deno8inaç1o social se8(re seguida da clCusula Xe8 liquidaç1oX e de sua assinatura individual.as quantias necessCrias.se8(re que (oss>vel.averbada a sua no8eaç1o no registro (ró(rio.ou o instru8ento 3ir8ado (elos sócios..as quais deve8 ser alienadas nos cento e oitenta dias seguintes Equela a(rovaç1o. Art.a sociedade n1o (oderC e?ercer o direito de voto corres(ondente Es açFes ou quotas e8 e?cesso.a sociedade n1o (ode (artici(ar de outra.. II 7 arrecadar os bens.*.*. . ParCgra3o Dnico. R de si8(les (artici(aç1o a sociedade de cuBo ca(ital outra sociedade (ossua 8enos de deO (or cento do ca(ital co8 direito de voto.(or 8ontante su(erior. I! 7 ulti8ar os negócios da sociedade. #issolvida a sociedade e no8eado o liquidante na 3or8a do dis(osto neste Livro.sentença ou instru8ento de dissoluç1o da sociedade.realiOar o ativo.*.*. III 7 (roceder.E elaboraç1o do inventCrio e do balanço geral do ativo e do (assivo. CAP%T&L" IV #a Liquidaç1o da $ociedade Art.*. !II 7 con3essar a 3al9ncia da sociedade e (edir concordata.nos li8ites da res(onsabilidade de cada u8 e (ro(orcional8ente E res(ectiva (artici(aç1o nas (erdas.segundo o balanço.(ara a(resentar relatório e balanço do estado da liquidaç1o.de acordo co8 as 3or8alidades (rescritas (ara o ti(o de sociedade liquidanda.que seBa sua sócia. $alvo dis(osiç1o es(ecial de lei.+.docu8entos ou (ublicaçFes. E8 todos os atos.a(resentar aos sócios o relatório da liquidaç1o e as suas contas 3inais. As obrigaçFes e a res(onsabilidade do liquidante rege87se (elos (receitos (eculiares Es dos ad8inistradores da sociedade liquidanda.M. *. *.ressalvado o dis(osto no ato constitutivo ou no instru8ento da dissoluç1o.co8 a declaraç1o de sua qualidade.onde quer que esteBa8.e?clu>da a reserva legal. !III 7 3inda a liquidaç1o. ParCgra3o Dnico.de con3or8idade co8 os (receitos deste Ca(>tulo.investir7se7C nas 3unçFes.entre os sócios solventes e na 8es8a (ro(orç1o.dos ad8inistradores.ou se8(re que necessCrio.que n1o seBa ad8inistrador da sociedade. *.*. Constitue8 deveres do liquidante: I 7 averbar e (ublicar a ata.que considerar encerrada a liquidaç1o. *.o devido (elo insolvente. ParCgra3o Dnico.(restando conta dos atos (raticados durante o se8estre. A(rovado o balanço e8 que se veri3ique ter sido e?cedido esse li8ite.Art. *.nos quinOe dias seguintes ao da sua investidura e co8 a assist9ncia.

No curso de liquidaç1o Budicial. Res(eitados os direitos dos credores (re3erenciais.receber e dar quitaç1o.e8 có(ia aut9ntica. ParCgra3o Dnico. *.ao ser averbada no registro (ró(rio a ata da asse8bl@ia. *. *.que o liquidante 3aça rateios (or anteci(aç1o da (artilAa. As atas das asse8bl@ias ser1o.(ode o liquidante.e a sociedade se e?tingue.*.8as.se o (edire8 os titulares de cr@ditos anteriores E trans3or8aç1o.***.que lAes sucede e8 todos os direitos e obrigaçFes.e so8ente a estes bene3iciarC. Art.e8 qualquer caso. ParCgra3o Dnico.a(licando7se.salvo se (revista no ato constitutivocaso e8 que o dissidente (oderC retirar7se da sociedade.os direitos dos credores.resolvendo su8aria8ente as questFes suscitadas.na 3or8a estabelecida (ara os res(ectivos ti(os.a eles estaria8 suBeitos.e as (residirC.(agarC o liquidante as d>vidas sociais (ro(orcional8ente. $e8 estar e?(ressa8ente autoriOado (elo contrato social.se necessCrio..(agar integral8ente as d>vidas vencidas. Art. Art.contrair e8(r@sti8os. A trans3or8aç1o n1o 8odi3icarC ne8 (reBudicarC. A trans3or8aç1o de(ende do consenti8ento de todos os sócios. Art.e8bora (ara 3acilitar a liquidaç1o.se8 distinç1o entre vencidas e vincendas. A(rovadas as contas.**N.da Fus1o e da Cis1o das $ociedades Art.devendo todas a(rovC7la.e a (ro(or contra o liquidante aç1o de (erdas e danos.sob sua res(onsabilidade (essoal.**G. " dissidente te8 o (raOo de trinta dias. Co8(ete ao liquidante re(resentar a sociedade e (raticar todos os atos necessCrios E sua liquidaç1oinclusive alienar bens 8óveis ou i8óveis.ne8 (rosseguir.at@ o li8ite da so8a (or eles recebida e8 (artilAa.da Incor(oraç1o. *.transigir.salvo quando indis(ensCveis ao (aga8ento de obrigaçFes inadiCveis. "s sócios (ode8 resolver.na atividade social.e obedecerC aos (receitos reguladores da constituiç1o e inscriç1o (ró(rios do ti(o e8 que vai converter7se.serC observado o dis(osto na lei (rocessual. Art. Art. CAP%T&L" V #a Trans3or8aç1o. *.ou (elo voto da 8aioria dos sóciosn1o (ode o liquidante gravar de Lnus reais os 8óveis e i8óveis.o BuiO convocarC. *.**=.convocarC o liquidante asse8bl@ia dos sócios (ara a (restaç1o 3inal de contas.u8a ou vCrias sociedades s1o absorvidas (or outra..o dis(osto no art. . ParCgra3o Dnico.e8 relaç1o a estas.E 8edida e8 que se a(ure8 os Aaveres sociais.encerra7se a liquidaç1o.co8 desconto.8as de(ois de (agos os credores.no ti(o anterior. A 3al9ncia da sociedade trans3or8ada so8ente (roduOirC e3eitos e8 relaç1o aos sócios que. *. $e o ativo 3or su(erior ao (assivo.M*.*. ParCgra3o Dnico.a(ensadas ao (rocesso Budicial.o credor n1o satis3eito só terC direito a e?igir dos sócios..<. Art.devida8ente averbada(ara (ro8over a aç1o que couber.**M. *.(or 8aioria de votos.no sil9ncio do estatuto ou do contrato social.*.*.G. No caso de liquidaç1o Budicial.individual8ente. Art. *.a contar da (ublicaç1o da ata. *.antes de ulti8ada a liquidaç1o.reuni1o ou asse8bl@ia (ara deliberar sobre os interesses da liquidaç1o.o (aga8ento do seu cr@dito.K. " ato de trans3or8aç1o inde(ende de dissoluç1o ou liquidaç1o da sociedade. Na incor(oraç1o.Art. Pago o (assivo e (artilAado o re8anescente.*.=. Art. *. Art. Encerrada a liquidaç1o.. *. ParCgra3o Dnico. *.**+.**.

. Art. A 3us1o serC decidida.se8 (reBu>Oo do dis(osto e8 lei es(ecial. *. *.o credor anterior(or ela (reBudicado. Q +o A(resentados os laudos.a sociedade (oderC garantir7lAe a e?ecuç1o. CAP%T&L" VI #a $ociedade #e(endente de AutoriOaç1o $eç1o I #is(osiçFes erais Art. Q *o A sociedade que Aouver de ser incor(orada to8arC conAeci8ento desse ato.(oderC (ro8over Budicial8ente a anulaç1o deles.deliberada a 3us1o e a(rovado o (roBeto do ato constitutivo da nova sociedade.autoriOarC os ad8inistradores a (raticar o necessCrio E incor(oraç1o. A(rovados os atos da incor(oraç1o. Art.na 3or8a estabelecida (ara os res(ectivos ti(os. Art. Q +o $endo il>quida a d>vida.(ara 3or8ar sociedade nova. *.sus(endendo7se o (rocesso de anulaç1o.e (ro8overC a res(ectiva averbaç1o no registro (ró(rio.(ara o 3i8 de sere8 os cr@ditos (agos (elos bens das res(ectivas 8assas. At@ noventa dias a(ós (ublicados os atos relativos E incor(oraç1o. A co8(et9ncia (ara a autoriOaç1o serC se8(re do Poder E?ecutivo 3ederal.e. *.serC considerada caduca a autoriOaç1o se a sociedade n1o entrar e8 3unciona8ento nos doOe 8eses seguintes E res(ectiva (ublicaç1o.*+*. Q Mo R vedado aos sócios votar o laudo de avaliaç1o do (atri8Lnio da sociedade de que 3aça8 (arte. Art.*+M. Constitu>da a nova sociedade.*++.**K.Art. Q *o E8 reuni1o ou asse8bl@ia dos sócios de cada sociedade.a 3al9ncia da sociedade incor(oradora.que a elas sucederC nos direitos e obrigaçFes.os ad8inistradores convocar1o reuni1o ou asse8bl@ia dos sócios (ara to8ar conAeci8ento deles.os atos relativos E 3us1o. A 3us1o deter8ina a e?tinç1o das sociedades que se une8. Q *o A consignaç1o e8 (aga8ento (reBudicarC a anulaç1o (leiteada.a incor(oradora declararC e?tinta a incor(orada.*+. Q +o A deliberaç1o dos sócios da sociedade incor(oradora co8(reenderC a no8eaç1o dos (eritos (ara a avaliaç1o do (atri8Lnio l>quido da sociedade. Art. ParCgra3o Dnico. *. Art. *.se o a(rovar. A deliberaç1o dos sócios da sociedade incor(orada deverC a(rovar as bases da o(eraç1o e o (roBeto de re3or8a do ato constitutivo.inclusive a subscriç1o e8 bens (elo valor da di3erença que se veri3icar entre o ativo e o (assivo. *. Q Mo "correndo.aos ad8inistradores incu8be 3aOer inscrever.**.*+N.decidindo sobre a constituiç1o de3initiva da nova sociedade.no (raOo deste artigo.que tenAa de ser incor(orada.no registro (ró(rio da sede.3us1o ou cis1o. *. Na 3alta de (raOo esti(ulado e8 lei ou e8 ato do (oder (Dblico. A sociedade que de(enda de autoriOaç1o do Poder E?ecutivo (ara 3uncionar reger7se7C (or este t>tulo.**<. .da sociedade nova ou da cindidaqualquer credor anterior terC direito a (edir a se(araç1o dos (atri8Lnios.(elas sociedades que (retenda8 unir7se.ser1o no8eados os (eritos (ara a avaliaç1o do (atri8Lnio da sociedade.be8 co8o o (lano de distribuiç1o do ca(ital social..

ou. A sociedade estrangeira. Ao Poder E?ecutivo @ 3acultado.se a sociedade n1o atender Es condiçFes econL8icas. Ao Poder E?ecutivo @ 3acultado recusar a autoriOaç1o.e Buntar ao (rocesso (rova regular. Uuando a lei e?igir que todos ou alguns sócios seBa8 brasileiros. Art.ou.quando seus 3undadores (retendere8 recorrer a subscriç1o (Dblica (ara a 3or8aç1o do ca(ital. Art. Art.no sil9ncio da lei.no registro (ró(rio. Art..ta8b@8 no órg1o o3icial da &ni1o e no (raOo de trinta dias.n1o (ode..ressalvados os casos e?(ressos e8 lei.cu8(rirC E sociedade (ublicar os atos re3eridos nos arts.cassar a autoriOaç1o concedida a sociedade nacional ou estrangeira que in3ringir dis(osiç1o de orde8 (Dblica ou (raticar atos contrCrios aos 3ins declarados no seu estatuto.*+<.Art.a qualquer te8(o.*+=. Art. #e(ende8 de a(rovaç1o as 8odi3icaçFes do contrato ou do estatuto de sociedade suBeita a autoriOaç1o do Poder E?ecutivo. *. As sociedades anLni8as nacionais.na sua sede 3icarC arquivada có(ia aut9ntica do docu8ento co8(robatório da nacionalidade dos sócios.autenticada (elos 3undadoresdos docu8entos e?igidos (ela lei es(ecial. Uualquer que seBa o ti(o da sociedade.*+K e *. Art. N1o AaverC 8udança de nacionalidade de sociedade brasileira se8 o consenti8ento unPni8e dos sócios ou acionistas.cuBo e?e8(lar re(resentarC (rova (ara inscriç1o. $eç1o III #a $ociedade Estrangeira Art. *. " requeri8ento de autoriOaç1o de sociedade nacional deve ser aco8(anAado de có(ia do contratoassinada (or todos os sócios.*MN.*M+.e8 trinta dias. Art. Q *o "s 3undadores dever1o Buntar ao requeri8ento có(ias aut9nticas do (roBeto do estatuto e do (ros(ecto.a 3or8a no8inativa. *.*M.*+.tratando7se de sociedade anLni8a.devendo os sócios. R nacional a sociedade organiOada de con3or8idade co8 a lei brasileira e que tenAa no Pa>s a sede de sua ad8inistraç1o.3uncionar no Pa>s. ParCgra3o Dnico.as açFes da sociedade anLni8a revestir1o.e8 virtude de utiliOaç1o de reservas ou reavaliaç1o do ativo.bastarC Buntar7se ao requeri8ento a res(ectiva certid1o.ainda que (or estabeleci8entos subordinados.(odendo. ..*M*.*+G. Q +o "btida a autoriOaç1o e constitu>da a sociedade. *. *. E?(edido o decreto de autoriOaç1o. A sociedade (ro8overC.3inanceiras ou Bur>dicas es(eci3icadas e8 lei. *.ser acionista de sociedade anLni8a brasileira.*MM.cu8(rir as 3or8alidades legais (ara revis1o dos atos constitutivos. *.*+K.qualquer que seBa o seu obBeto.que de(enda8 de autoriOaç1o do Poder E?ecutivo (ara 3uncionar.n1o se constituir1o se8 obt97la.os 3undadores.de có(ia.no órg1o o3icial da &ni1o. ParCgra3o Dnico. *.se8 autoriOaç1o do Poder E?ecutivo.(roceder7se7C E inscriç1o dos seus atos constitutivos.tratando7se de sociedade anLni8a.*+.todavia.dos atos constitutivos da sociedade. ParCgra3o Dnico. $eç1o II #a $ociedade Nacional Art.a (ublicaç1o do ter8o de inscriç1o. $e a sociedade tiver sido constitu>da (or escritura (Dblica.salvo se decorrere8 de au8ento do ca(ital social. *. Ao Poder E?ecutivo @ 3acultado e?igir que se (roceda8 a alteraçFes ou adita8ento no contrato ou no estatuto. *. *.

II 7 lugar da sucursal. ParCgra3o Dnico. III 7 relaç1o dos 8e8bros de todos os órg1os da ad8inistraç1o da sociedade.do ca(ital ali 8encionado. *.salvo quanto a açFes ao (ortador. Q Mo Inscrita a sociedade.de con3or8idade co8 a lei nacional da sociedade requerentelegaliOados no consulado brasileiro da res(ectiva sede e aco8(anAados de traduç1o e8 vernCculo. no ter8o constar1o: I 7 no8e.o valor da (artici(aç1o de cada u8 no ca(ital da sociedade. *.e8 estabeleci8ento bancCrio o3icial.*M*.*M* e no Q *o do art.nacionalidade(ro3iss1o.*M=. ! 7 individuaç1o do seu re(resentante (er8anente. I! 7 có(ia do ato que autoriOou o 3unciona8ento no 2rasil e 3i?ou o ca(ital destinado Es o(eraçFes no território nacional. Q *o " requeri8ento de inscriç1o serC instru>do co8 e?e8(lar da (ublicaç1o e?igida no (arCgra3o Dnico do artigo antecedente.do qual constarC o 8ontante de ca(ital destinado Es o(eraçFes no Pa>s.Q *o Ao requeri8ento de autoriOaç1o deve8 Buntar7se: I 7 (rova de se acAar a sociedade constitu>da con3or8e a lei de seu (a>s.estabelecer condiçFes convenientes E de3esa dos interesses nacionais. Art.(ara conceder a autoriOaç1o. *. Art.a inscriç1o serC 3eita (or ter8o e8 livro es(ecial (ara as sociedades estrangeiras.(ro8over7se7C a (ublicaç1o deter8inada no (arCgra3o Dnico do art. A sociedade autoriOada n1o (ode iniciar sua atividade antes de inscrita no registro (ró(rio do lugar e8 que se deva estabelecer. A sociedade estrangeira 3uncionarC no território nacional co8 o no8e que tiver e8 seu (a>s de orige8. II 7 inteiro teor do contrato ou do estatuto. Q +o "s docu8entos ser1o autenticados.e?(edirC o Poder E?ecutivo decreto de autoriOaç1o.*MG. ! 7 (rova de no8eaç1o do re(resentante no 2rasil.obBeto.co8 nD8ero de orde8 cont>nuo (ara todas as sociedades inscritas.*MN. III 7 data e nD8ero do decreto de autoriOaç1o. *.duraç1o e sede da sociedade no estrangeiro.co8 (oderes e?(ressos (ara aceitar as condiçFes e?igidas (ara a autoriOaç1o.co8 no8e. *.cabendo E sociedade (ro8over a (ublicaç1o dos atos re3eridos no art.3ilial ou ag9ncia. *. A sociedade estrangeira autoriOada a 3uncionar 3icarC suBeita Es leis e aos tribunais brasileiros. Q +o Arquivados esses docu8entos. R 3acultado ao Poder E?ecutivo. !I 7 Dlti8o balanço. I! 7 ca(ital destinado Es o(eraçFes no Pa>s.no Pa>s. Art.(odendo acrescentar as (alavras Xdo 2rasilX ou X(ara o 2rasilX. .*M<.do8ic>lio e. Aceitas as condiçFes.aco8(anAado de docu8ento do de(ósito e8 dinAeiro.quanto aos atos ou o(eraçFes (raticados no 2rasil. ParCgra3o Dnico.

Art.quanto aos outros. " re(resentante so8ente (ode agir (erante terceiros de(ois de arquivado e averbado o instru8ento de sua no8eaç1o. Art. *.e8 trinta dias a (artir de sua noti3icaç1o. $e ao alienante n1o restare8 bens su3icientes (ara solver o seu (assivo.a (roibiç1o (revista neste artigo (ersistirC durante o (raOo do contrato. A sociedade estrangeira autoriOada a 3uncionar @ obrigada a ter.o usu3ruto ou arrenda8ento do estabeleci8ento.de lAe ser cassada a autoriOaç1o.que seBa8 co8(at>veis co8 a sua natureOa. Pode o estabeleci8ento ser obBeto unitCrio de direitos e de negócios Bur>dicos.o3erecer.co8 o requeri8ento.a (artir.deverC a sociedade..quanto aos cr@ditos vencidos. Considera7se estabeleci8ento todo co8(le?o de bens organiOado.co8 (oderes (ara resolver quaisquer questFes e receber citaç1o Budicial (ela sociedade.(ela 3or8a declarada no contrato. Art. *.(roceder7se7C. T%T&L" III #o Estabeleci8ento CAP%T&L" INIC" #I$P"$I56E$ ERAI$ Art.*NN. Q +o " Poder E?ecutivo (oderC i8(or as condiçFes que Bulgar convenientes E de3esa dos interesses nacionais. *.o alienante do estabeleci8ento n1o (ode 3aOer concorr9ncia ao adquirente.*N<.*M.(or e8(resCrio.da (ublicaç1o. *.ou no estatuto.*N.e ainda a (rova da realiOaç1o do ca(ital. No caso de arrenda8ento ou usu3ruto do estabeleci8ento.E inscriç1o da sociedade e (ublicaç1o do res(ectivo ter8o.(ara e?erc>cio da e8(resa.só (roduOirC e3eitos quanto a terceiros de(ois de averbado E 8arge8 da inscriç1o do e8(resCrio.a sociedade estrangeira ad8itida a 3uncionar no Pa>s (ode nacionaliOar7se. *.*N*..translativos ou constitutivos.ou da sociedade e8(resCria. Q *o Para o 3i8 (revisto neste artigo.3iliais ou ag9ncias e?istentes no Pa>s. " adquirente do estabeleci8ento res(onde (elo (aga8ento dos d@bitos anteriores E trans3er9nciadesde que regular8ente contabiliOados.ou (or sociedade e8(resCria. Uualquer 8odi3icaç1o no contrato ou no estatuto de(enderC da a(rovaç1o do Poder E?ecutivo. *. ParCgra3o Dnico. *. ParCgra3o Dnico.e do Estado.e de (ublicado na i8(rensa o3icial.a(ós a e?(ediç1o do decreto de autoriOaç1o. .nos cinco anos subseqSentes E trans3er9ncia. Art. A sociedade estrangeira deve. Art.ta8b@8.(ara (roduOir e3eitos no território nacional. *.segundo a sua lei nacional.se 3or o caso.trans3erindo sua sede (ara o 2rasil.e. ParCgra3o Dnico.continuando o devedor (ri8itivo solidaria8ente obrigado (elo (raOo de u8 ano.seBa obrigada a 3aOer relativa8ente ao balanço (atri8onial e ao de resultado econL8ico.(er8anente8ente. $ob (ena.re(roduOir no órg1o o3icial da &ni1o.ou do consenti8ento destes.no Registro PDblico de E8(resas Jercantis. Art.os docu8entos e?igidos no art. Art.*N+.a sociedade estrangeira deverC (ublicar o balanço (atri8onial e o de resultado econL8ico das sucursais.de 8odo e?(resso ou tCcito.*MK.(or seus re(resentantes. Art. Art. Jediante autoriOaç1o do Poder E?ecutivo.as (ublicaçFes que.re(resentante no 2rasil.*N=.*NM.da data do venci8ento. " contrato que tenAa (or obBeto a alienaç1o. Q Mo Aceitas as condiçFes (elo re(resentante.e do ato e8 que 3oi deliberada a nacionaliOaç1o. *.*NG.be8 co8o aos atos de sua ad8inistraç1o.a e3icCcia da alienaç1o do estabeleci8ento de(ende do (aga8ento de todos os credores. *.*MN. *. N1o Aavendo autoriOaç1o e?(ressa.sob (ena de lAe ser cassada a autoriOaç1o.

ressalvadas dis(osiçFes es(eciais da lei. " registro dos atos suBeitos E 3or8alidade e?igida no artigo antecedente serC requerido (ela (essoa obrigada e8 lei. .obedecendo Es 3or8alidades da lei.se n1o tivere8 carCter (essoal.e de cinco dias.desde que cu8(ridas as re3eridas 3or8alidades. *.neste caso. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio. *.de acordo co8 o dis(osto nos (arCgra3os deste artigo. Cabe ao órg1o incu8bido do registro veri3icar a regularidade das (ublicaçFes deter8inadas e8 lei.e.*NK.(ara a (ri8eira convocaç1o. Q Mo " anDncio de convocaç1o da asse8bl@ia de sócios serC (ublicado (or tr9s veOes.entre a data da (ri8eira inserç1o e a da realiOaç1o da asse8bl@ia. Q *o $alvo e?ceç1o e?(ressa.ressalvada.desde o 8o8ento da (ublicaç1o da trans3er9ncia.o (raOo 8>ni8o de oito dias. *. Q Mo As (essoas obrigadas a requerer o registro res(onder1o (or (erdas e danos.a res(onsabilidade do alienante. " terceiro n1o (ode alegar ignorPncia.e8 caso de o8iss1o ou de8ora. Art. *. *. Q +o As (ublicaçFes das sociedades estrangeiras ser1o 3eitas nos órg1os o3iciais da &ni1o e do Estado onde tivere8 sucursais.devendo 8ediar. Art.no caso de o8iss1o ou de8ora. T%T&L" I! #os Institutos Co8(le8entares CAP%T&L" I #o Registro Art.e e8 Bornal de grande circulaç1o.Art.be8 co8o 3iscaliOar a observPncia das (rescriçFes legais concernentes ao ato ou aos docu8entos a(resentados.a trans3er9ncia i8(orta a sub7rogaç1o do adquirente nos contratos esti(ulados (ara e?(loraç1o do estabeleci8ento.as (ublicaçFes ordenadas neste Livro ser1o 3eitas no órg1o o3icial da &ni1o ou do Estado.antes de e3etivar o registro.(oderC sanC7las.(odendo os terceiros rescindir o contrato e8 noventa dias a contar da (ublicaç1o da trans3er9ncia. Art.*=N. Art.8as o devedor 3icarC e?onerado se de boa73@ (agar ao cedente.o registro so8ente (roduOirC e3eito a (artir da data de sua concess1o. *.ser o(osto a terceiro.se a sociedade si8(les adotar u8 dos ti(os de sociedade e8(resCria.3iliais ou ag9ncias.antes do cu8(ri8ento das res(ectivas 3or8alidades. #as irregularidades encontradas deve ser noti3icado o requerente. ParCgra3o Dnico.se 3or o caso. A cess1o dos cr@ditos re3erentes ao estabeleci8ento trans3erido (roduOirC e3eito e8 relaç1o aos res(ectivos devedores.ao 8enos.*=.contado da lavratura dos atos res(ectivos. *.o qual deverC obedecer Es nor8as 3i?adas (ara aquele registro. Q +o Requerido al@8 do (raOo (revisto neste artigo.veri3icar a autenticidade e a legiti8idade do signatCrio do requeri8ento.salvo (rova de que este o conAecia. ParCgra3o Dnico.. Art.con3or8e o local da sede do e8(resCrio ou da sociedade.(ara as (osteriores. " e8(resCrio e a sociedade e8(resCria vincula87se ao Registro PDblico de E8(resas Jercantis a cargo das 4untas Co8erciais.*=*..n1o (ode.que.e a sociedade si8(les ao Registro Civil das Pessoas 4ur>dicas. " ato suBeito a registro.se ocorrer Busta causa.*N.(elo sócio ou qualquer interessado.*=+. Cu8(re E autoridade co8(etente. Q *o "s docu8entos necessCrios ao registro dever1o ser a(resentados no (raOo de trinta dias.*=M.

*G*.(or ato entre vivos. Art.3igurare8 na 3ir8a da sociedade de que trata este artigo. *.adotar deno8inaç1o designativa do obBeto social. ParCgra3o Dnico. Q +o A deno8inaç1o deve designar o obBeto da sociedade.se quiser.*G.(ara os e3eitos da (roteç1o da lei. Art.a deno8inaç1o das sociedades si8(les. Art. Pode constar da deno8inaç1o o no8e do 3undador.*=.na qual so8ente os no8es daqueles (oder1o 3igurar. ParCgra3o Dnico. Equi(ara7se ao no8e e8(resarial.CAP%T&L" II #" N"JE EJPRE$ARIAL Art. *. *.*=<.(ara o e?erc>cio de e8(resa. " no8e de e8(resCrio deve distinguir7se de qualquer outro BC inscrito no 8es8o registro.integrada (elas e?(ressFes Xsociedade anLni8aX ou Xco8(anAiaX. Pode a sociedade li8itada adotar 3ir8a ou deno8inaç1o.n1o (ode ser conservado na 3ir8a social.3or e?clu>do ou se retirar. A sociedade anLni8a o(era sob deno8inaç1o designativa do obBeto social.de 8odo indicativo da relaç1o social.sendo (er8itido nela 3igurar o no8e de u8 ou 8ais sócios.*=K.e8 lugar de 3ir8a. Q *o A 3ir8a serC co8(osta co8 o no8e de u8 ou 8ais sócios. A sociedade e8 co8andita (or açFes (ode. A sociedade e8 conta de (artici(aç1o n1o (ode ter 3ir8a ou deno8inaç1o. " e8(resCrio o(era sob 3ir8a constitu>da (or seu no8e.*G+. Art.designaç1o 8ais (recisa da sua (essoa ou do g9nero de atividade.se o contrato o (er8itir. *. ParCgra3o Dnico.*GN.(or e?tenso ou abreviada8ente. Fica8 solidCria e ili8itada8ente res(onsCveis (elas obrigaçFes contra>das sob a 3ir8a social aqueles que.(or seus no8es.co8 a quali3icaç1o de sucessor. ParCgra3o Dnico. *. Art. Considera7se no8e e8(resarial a 3ir8a ou a deno8inaç1o adotada. Art.co8(leto ou abreviado. ParCgra3o Dnico.deverC acrescentar designaç1o que o distinga. A sociedade coo(erativa 3unciona sob deno8inaç1o integrada (elo vocCbulo Xcoo(erativaX. *.*==.aditando7lAe. *.ou (essoa que AaBa concorrido (ara o bo8 9?ito da 3or8aç1o da e8(resa.(recedido do seu (ró(rio. " no8e de sócio que vier a 3alecer. " adquirente de estabeleci8ento. Art. Art. Art.(ode.acionista.. . *. Q Mo A o8iss1o da (alavra Xli8itadaX deter8ina a res(onsabilidade solidCria e ili8itada dos ad8inistradores que assi8 e8(regare8 a 3ir8a ou a deno8inaç1o da sociedade.usar o no8e do alienante.*G=. $e o e8(resCrio tiver no8e id9ntico ao de outros BC inscritos. " no8e e8(resarial n1o (ode ser obBeto de alienaç1o. Art. *.*GM.*=G.associaçFes e 3undaçFes.de con3or8idade co8 este Ca(>tulo.aditada da e?(ress1o Xco8andita (or açFesX.integradas (ela (alavra 3inal Xli8itadaX ou a sua abreviatura. *.desde que (essoas 3>sicas..bastando (ara 3or8C7la aditar ao no8e de u8 deles a e?(ress1o Xe co8(anAiaX ou sua abreviatura. A sociedade e8 que Aouver sócios de res(onsabilidade ili8itada o(erarC sob 3ir8a. *.

*.Art. $eç1o II #o erente Art. " (re(osto n1o (ode.(ara sere8 o(ostas a terceiros. ParCgra3o Dnico. CAP%T&L" III #os Pre(ostos $eç1o I #is(osiçFes erais Art.salvo autoriOaç1o e?(ressa.assegura8 o uso e?clusivo do no8e nos li8ites do res(ectivo Estado. Art. " (re(onente res(onde co8 o gerente (elos atos que este (ratique e8 seu (ró(rio no8e. *.e8bora indireta8ente.considera87se solidCrios os (oderes con3eridos a dois ou 8ais gerentes. " uso (revisto neste artigo estender7se7C a todo o território nacional.ou quando ulti8ar7se a liquidaç1o da sociedade que o inscreveu.de o(eraç1o do 8es8o g9nero da que lAe 3oi co8etida. *. ParCgra3o Dnico.a qualquer te8(o. Art. *.. Considera7se gerente o (re(osto (er8anente no e?erc>cio da e8(resa.sob (ena de res(onder (or (erdas e danos e de sere8 retidos (elo (re(onente os lucros da o(eraç1o. *.quando cessar o e?erc>cio da atividade (ara que 3oi adotado. A inscriç1o do no8e e8(resarial serC cancelada.salvo se (rovado sere8 conAecidas da (essoa que tratou co8 o gerente.se8 autoriOaç1o escrita.*G<. *. Uuando a lei n1o e?igir (oderes es(eciais. As li8itaçFes contidas na outorga de (oderes.8as E conta daquele.aç1o (ara anular a inscriç1o do no8e e8(resarial 3eita co8 violaç1o da lei ou do contrato. *. A inscriç1o do e8(resCrio.bens ou valores ao (re(osto. *. Considera7se (er3eita a entrega de (a(@is.*<G.*<=.considera7se o gerente autoriOado a (raticar todos os atos necessCrios ao e?erc>cio dos (oderes que lAe 3ora8 outorgados.salvo nos casos e8 que AaBa (raOo (ara recla8aç1o.ou dos atos constitutivos das (essoas Bur>dicas.deve a 8odi3icaç1o ou revogaç1o do 8andato ser arquivada e averbada no Registro PDblico de E8(resas Jercantis. ParCgra3o Dnico.a requeri8ento de qualquer interessado.se os recebeu se8 (rotesto.*GK. Para o 8es8o e3eito e co8 id9ntica ressalva. " gerente (ode estar e8 Bu>Oo e8 no8e do (re(onente.na sede desta.de(ende8 do arquiva8ento e averbaç1o do instru8ento no Registro PDblico de E8(resas Jercantis. *.*<+. Art. Art.3aOer7se substituir no dese8(enAo da (re(osiç1o. Art..ou as res(ectivas averbaçFes.*<N.*<. Cabe ao (reBudicado.ne8 (artici(ar.se registrado na 3or8a da lei es(ecial.3ilial ou ag9ncia.no registro (ró(rio.sob (ena de res(onder (essoal8ente (elos atos do substituto e (elas obrigaçFes (or ele contra>das. $eç1o III #o Contabilista e outros Au?iliares .(elas obrigaçFes resultantes do e?erc>cio da sua 3unç1o.ou e8 sucursal. Art.*<*. " (re(osto.*GG. *. Art.n1o (ode negociar (or conta (ró(ria ou de terceiro. *.*G.encarregado (elo (re(onente. Art. Na 3alta de esti(ulaç1o diversa.*<M.

salvo se Aouver (rocedido de 8C73@. ParCgra3o Dnico.rasuras. Q *o $alvo o dis(osto no art. Q +o $er1o lançados no #iCrio o balanço (atri8onial e o de resultado econL8ico. Al@8 dos de8ais livros e?igidos (or lei.antes de (ostos e8 uso. A autenticaç1o n1o se 3arC se8 que esteBa inscrito o e8(resCrio.deve8 ser autenticados no Registro PDblico de E8(resas Jercantis.ne8 entrelinAas. *.*<N.(or orde8 cronológica de dia. Art.co8 base na escrituraç1o uni3or8e de seus livros.<. " e8(resCrio e a sociedade e8(resCria s1o obrigados a seguir u8 siste8a de contabilidade8ecaniOado ou n1o. ParCgra3o Dnico.co8 individuaç1o.so8ente obrigar1o o (re(onente nos li8ites dos (oderes con3eridos (or escrito.*K+..dia a dia.*<<. "s (re(onentes s1o res(onsCveis (elos atos de quaisquer (re(ostos. Art.co8 totais que n1o e?ceda8 o (er>odo de trinta diasrelativa8ente a contas cuBas o(eraçFes seBa8 nu8erosas ou realiOadas 3ora da sede do estabeleci8ento. CAP%T&L" I! #a Escrituraç1o Art.que conste8 de livro (ró(rioregular8ente autenticado.*KM. $e8 (reBu>Oo do dis(osto no art.solidaria8ente co8 o (re(onente.Art. $alvo dis(osiç1o es(ecial de lei. *. ParCgra3o Dnico.salvo se nenAu8 Aouver na localidade. *.clareOa e caracteriOaç1o do docu8ento res(ectivo.. A escrituraç1o serC 3eita e8 idio8a e 8oeda corrente nacionais e e8 3or8a contCbil.devendo a8bos ser assinados (or t@cnico e8 Ci9ncias ContCbeis legal8ente Aabilitado e (elo e8(resCrio ou sociedade e8(resCria.e8 corres(ond9ncia co8 a docu8entaç1o res(ectiva.*<K.*KN.se 3or o caso.. No #iCrio ser1o lançadas. Q *o Ad8ite7se a escrituraç1o resu8ida do #iCrio.todas as o(eraçFes relativas ao e?erc>cio da e8(resa. No e?erc>cio de suas 3unçFes. *.o nD8ero e a es(@cie de livros 3ica8 a crit@rio dos interessados. Uuando tais atos 3ore8 (raticados 3ora do estabeleci8ento. *.*K. ParCgra3o Dnico. *.e a levantar anual8ente o balanço (atri8onial e o de resultado econL8ico. Art.(raticados nos seus estabeleci8entos e relativos E atividade da e8(resa.89s e ano.a escrituraç1o 3icarC sob a res(onsabilidade de contabilista legal8ente Aabilitado.*K*. ParCgra3o Dnico.(elos atos cul(osos.(roduOe8.os (re(ostos s1o (essoal8ente res(onsCveis. Art.@ indis(ensCvel o #iCrio. *. .os 8es8os e3eitos co8o se o 3osse8 (or aquele.. R (er8itido o uso de código de nD8eros ou de abreviaturas. A adoç1o de 3icAas n1o dis(ensa o uso de livro a(ro(riado (ara o lança8ento do balanço (atri8onial e do de resultado econL8ico.(elos atos dolosos. *.(or escrita direta ou re(roduç1o. Art.(erante os (re(onentes. Art.cuBo instru8ento (ode ser su(rido (ela certid1o ou có(ia aut9ntica do seu teor.as 3icAas.borrFes. e. Q +o R dis(ensado das e?ig9ncias deste artigo o (equeno e8(resCrio a que se re3ere o art.que (ode ser substitu>do (or 3icAas no caso de escrituraç1o 8ecaniOada ou eletrLnica.e8endas ou trans(ortes (ara as 8argens. .e conservados os docu8entos que (er8ita8 a sua (er3eita veri3icaç1o. *.os livros obrigatórios e.ainda que n1o autoriOados (or escrito.(erante terceiros.se8 intervalos e8 branco. "s assentos lançados nos livros ou 3icAas do (re(onente.*<.ou a sociedade e8(resCriaque (oderC 3aOer autenticar livros n1o obrigatórios. *.desde que utiliOados livros au?iliares regular8ente autenticados.(or qualquer dos (re(ostos encarregados de sua escrituraç1o.(ara registro individualiOado.*K.

Ressalvados os casos (revistos e8 lei.ou n1oe8 seus livros e 3icAas. II 7 os valores 8obiliCrios.ne8 (ara as (ercentagens re3erentes a 3undos de reserva. ParCgra3o Dnico.e8 3or8a de balancetes diCrios.n1o se levando e8 conta os (rescritos ou de di3>cil liqSidaç1o.e quando o (reço corrente ou venal estiver aci8a do valor do custo de aquisiç1o.quanto aos Dlti8os.a di3erença entre este e o (reço de custo n1o serC levada e8 conta (ara a distribuiç1o de lucros.se8(re que este 3or in3erior ao (reço de custo.desde que se (receda.(ode8 ser esti8ados (elo custo de aquisiç1o ou de 3abricaç1o. Art. II 7 os Buros (agos aos acionistas da sociedade anLni8a. III 7 a quantia e3etiva8ente (aga a t>tulo de avia8ento de estabeleci8ento adquirido (elo e8(resCrio ou sociedade..as 3or8alidades (rescritas e8 lei. III 7 o valor das açFes e dos t>tulos de renda 3i?a (ode ser deter8inado co8 base na res(ectiva cotaç1o da 2olsa de !alores.bens destinados E alienaç1o.sob qualquer (rete?to(oderC 3aOer ou ordenar dilig9ncia (ara veri3icar se o e8(resCrio ou a sociedade e8(resCria observa8.no (er>odo antecedente ao in>cio das o(eraçFes sociais. *.e os bens 3ore8 avaliados (elo (reço corrente. Art.*K=. " e8(resCrio ou sociedade e8(resCria que adotar o siste8a de 3icAas de lança8entos (oderC substituir o livro #iCrio (elo livro 2alancetes #iCrios e 2alanços.anual8ente. *.co8 3idelidade e clareOa.*.ou que constitue8 (rodutos ou artigos da indDstria ou co8@rcio da e8(resa.be8 co8o as dis(osiçFes das leis es(eciais.nenAu8a autoridade.e8 caso de sociedades coligadas..na 3or8a da lei es(ecial.distinta8ente.Art. ParCgra3o Dnico. Entre os valores do ativo (ode8 3igurar. I! 7 os cr@ditos ser1o considerados de con3or8idade co8 o (resu8>vel valor de realiOaç1o. " balanço de resultado econL8ico.devendo. *.. Lei es(ecial dis(orC sobre as in3or8açFes que aco8(anAar1o o balanço (atri8onial. II 7 o balanço (atri8onial e o de resultado econL8ico.E sua a8ortiOaç1o: I 7 as des(esas de instalaç1o da sociedade.ou (elo (reço corrente. Na coleta dos ele8entos (ara o inventCrio ser1o observados os crit@rios de avaliaç1o a seguir deter8inados: I 7 os bens destinados E e?(loraç1o da atividade ser1o avaliados (elo custo de aquisiç1o.*K.3i?ada no estatuto.o ativo e o (assivo.(revis1o equivalente.ou 3abricaç1o. *.*KG.at@ o li8ite corres(ondente a deO (or cento do ca(ital social. Art. .E ta?a n1o su(erior a doOe (or cento ao ano. " balanço (atri8onial deverC e?(ri8ir. " livro 2alancetes #iCrios e 2alanços serC escriturado de 8odo que registre: I 7 a (osiç1o diCria de cada u8a das contas ou t>tulos contCbeis.BuiO ou tribunal. Art.*K<. Art.a situaç1o real da e8(resa eatendidas as (eculiaridades desta. *.ou de8onstraç1o da conta de lucros e (erdas.salvo se Aouver.8at@ria7(ri8a.criando7se 3undos de a8ortiOaç1o (ara assegurar7lAes a substituiç1o ou a conservaç1o do valor. *.(ela aç1o do te8(o ou outros 3atores.observadas as 8es8as 3or8alidades e?tr>nsecas e?igidas (ara aquele.aco8(anAarC o balanço (atri8onial e dele constar1o cr@dito e d@bito.no encerra8ento do e?erc>cio.indicarC.(elo res(ectivo saldo.*KK.atender7se E desvaloriOaç1o res(ectiva.na avaliaç1o dos que se desgasta8 ou de(recia8 co8 o uso. os n1o cotados e as (artici(açFes n1o acionCrias ser1o considerados (elo seu valor de aquisiç1o.

de que8 aquela 3oi Aavida.nos ter8os estritos das res(ectivas leis es(eciais.*.e8 relaç1o ao be8 e E outra (essoa.(leno ou n1o.N. ParCgra3o Dnico. *. Art.clandestina ou (recCria. Art.G. *.*. Aquele que co8eçou a co8(ortar7se do 8odo co8o (rescreve este artigo. Recusada a a(resentaç1o dos livros.M.+.n1o anula a indireta.nos casos do artigo antecedente.e8 virtude de direito (essoal.(resu8e7se detentor.ou o obstCculo que i8(ede a aquisiç1o da coisa. " BuiO só (oderC autoriOar a e?ibiç1o integral dos livros e (a(@is de escrituraç1o quando necessCria (ara resolver questFes relativas a sucess1o.(oderC cada u8a e?ercer sobre ela atos (ossessórios.*.K.nela se 3arC o e?a8e. *. Considera7se detentor aquele que.+. A (osse direta. R Busta a (osse que n1o 3or violenta. Art. $e duas ou 8ais (essoas (ossu>re8 coisa indivisa.n1o se a(lica8 Es autoridades 3aOendCrias.seBa8 e?a8inados na (resença do e8(resCrio ou da sociedade e8(resCria a que (ertencere8.a requeri8ento ou de o3>cio.co8unA1o ou sociedade.no e?erc>cio da 3iscaliOaç1o do (aga8ento de i8(ostos. *.no 2rasil.corres(ond9ncia e 8ais (a(@is concernentes E sua atividade.ter7se7C co8o verdadeiro o alegado (ela (arte contrCria (ara se (rovar (elos livros.contanto que n1o e?clua8 os dos outros co8(ossuidores. ParCgra3o Dnico. Considera7se (ossuidor todo aquele que te8 de 3ato o e?erc>cio.ser1o a(reendidos Budicial8ente e. " e8(resCrio e a sociedade e8(resCria s1o obrigados a conservar e8 boa guarda toda a escrituraç1o.ad8inistraç1o ou gest1o E conta de outre8.*. Q *o " BuiO ou tribunal que conAecer de 8edida cautelar ou de aç1o (ode. *.<.se o (ossuidor ignora o v>cio.ou de a8bas. A con3iss1o resultante da recusa (ode ser elidida (or (rova docu8ental e8 contrCrio. As restriçFes estabelecidas neste Ca(>tulo ao e?a8e da escrituraç1o. Art.ou e8 caso de 3al9ncia.*.(ara deles se e?trair o que interessar E quest1o. . R de boa73@ a (osse.no do seu Q *o. *.*.Art.de (essoa que te8 a coisa e8 seu (oder. Art. LI!R" III #o #ireito das Coisas T%T&L" I #a (osse CAP%T&L" I #a Posse e sua Classi3icaç1o Art. Q +o AcAando7se os livros e8 outra Burisdiç1o. Art.(erante o res(ectivo BuiO.ou real. *. As dis(osiçFes deste Ca(>tulo a(lica87se Es sucursais.te8(oraria8ente..e8 (arte ou (or inteiro.de algu8 dos (oderes inerentes E (ro(riedade. *..*. Art.*.3iliais ou ag9ncias.*.acAando7se e8 relaç1o de de(end9ncia (ara co8 outro.*..=. *..at@ que (rove o contrCrio.*.do e8(resCrio ou sociedade co8 sede e8 (a>s estrangeiro.+. *.ordenar que os livros de qualquer das (artes.(odendo o (ossuidor direto de3ender a sua (osse contra o indireto.ou de (essoas (or estes no8eadas. Art.enquanto n1o ocorrer (rescriç1o ou decad9ncia no tocante aos atos neles consignados. *. Art.conserva a (osse e8 no8e deste e e8 cu8(ri8ento de ordens ou instruçFes suas.

*..+*.. *.=. Art.aos 3rutos (ercebidos.sen1o de(ois de cessar a viol9ncia ou a clandestinidade.ParCgra3o Dnico.entende7se 8anter a (osse o 8es8o carCter co8 que 3oi adquirida.+*N.ou a de indeniOaç1o.salvo quando os res(ectivos t>tulos (roviere8 do (ossuidor do (r@dio serviente. Art. Art.que recebeu a coisa esbulAada sabendo que o era. *.K. II 7 (or terceiro se8 8andato. Art. CAP%T&L" III #os E3eitos da Posse Art.+*+.enquanto ela durar. " (ossuidor de boa73@ te8 direito.se tiver Busto receio de ser 8olestado. Adquire7se a (osse desde o 8o8ento e8 que se torna (oss>vel o e?erc>cio.ou clandestinos.8anter7se7C (rovisoria8ente a que tiver a coisase n1o estiver 8ani3esto que a obteve de algu8a das outras (or 8odo vicioso. Q *o " (ossuidor turbado. *. *. $alvo (rova e8 contrCrio.a das coisas 8óveis que nele estivere8.. A (osse do i8óvel 3aO (resu8ir. " dis(osto nos artigos antecedentes n1o se a(lica Es servidFes n1o a(arentes.M.+.(oderC 8anter7se ou restituir7se (or sua (ró(ria 3orça.<.at@ (rova contrCria. Uuando 8ais de u8a (essoa se disser (ossuidora.e segurado de viol9ncia i8inente. *.+.de(endendo de rati3icaç1o. Art. *. Art. Art.ou esbulAado. e ao sucessor singular @ 3acultado unir sua (osse E do antecessor.+. " sucessor universal continua de direito a (osse do seu antecessor.ou restituiç1o da (osse. A (osse trans8ite7se aos Aerdeiros ou legatCrios do (ossuidor co8 os 8es8os caracteres.+. " (ossuidor (ode intentar a aç1o de esbulAo.ou de des3orço.restitu>do no de esbulAo. . N1o induOe8 (osse os atos de 8era (er8iss1o ou tolerPncia assi8 co8o n1o autoriOa8 a sua aquisiç1o os atos violentos.+.ou daqueles de que8 este o Aouve. Art.n1o (ode8 ir al@8 do indis(ensCvel E 8anutenç1o. *.contanto que o 3aça logo. *. *.G.e8 no8e (ró(rio. Q +o N1o obsta E 8anutenç1o ou reintegraç1o na (osse a alegaç1o de (ro(riedade.de qualquer dos (oderes inerentes E (ro(riedade. Art. " (ossuidor te8 direito a ser 8antido na (osse e8 caso de turbaç1o. *.salvo (rova e8 contrCrio.+. *.(ara os e3eitos legais.ou quando a lei e?(ressa8ente n1o ad8ite esta (resunç1o.+. os atos de de3esa.+*M. CAP%T&L" II #a Aquisiç1o da Posse Art.contra o terceiro.+.N.ou de outro direito sobre a coisa.+.+**. A (osse (ode ser adquirida: I 7 (ela (ró(ria (essoa que a (retende ou (or seu re(resentante. Art. A (osse de boa73@ só (erde este carCter no caso e desde o 8o8ento e8 que as circunstPncias 3aça8 (resu8ir que o (ossuidor n1o ignora que (ossui indevida8ente. Art. *. " (ossuidor co8 Busto t>tulo te8 (or si a (resunç1o de boa73@.

ParCgra3o Dnico. "s 3rutos (endentes ao te8(o e8 que cessar a boa73@ deve8 ser restitu>dos- de(ois de deduOidas as des(esas da (roduç1o e custeio; deve8 ser ta8b@8 restitu>dos os 3rutos colAidos co8 anteci(aç1o. Art. *.+*=. "s 3rutos naturais e industriais re(uta87se colAidos e (ercebidos- logo que s1o se(arados; os civis re(uta87se (ercebidos dia (or dia. Art. *.+*G. " (ossuidor de 8C73@ res(onde (or todos os 3rutos colAidos e (ercebidos- be8 co8o (elos que- (or cul(a sua- dei?ou de (erceber- desde o 8o8ento e8 que se constituiu de 8C73@; te8 direito Es des(esas da (roduç1o e custeio. Art. *.+*<. " (ossuidor de boa73@ n1o res(onde (ela (erda ou deterioraç1o da coisa- a que n1o der causa. Art. *.+*K. " (ossuidor de 8C73@ res(onde (ela (erda- ou deterioraç1o da coisa- ainda que acidentais- salvo se (rovar que de igual 8odo se teria8 dado- estando ela na (osse do reivindicante. Art. *.+*.. " (ossuidor de boa73@ te8 direito E indeniOaç1o das ben3eitorias necessCrias e Dteis- be8 co8oquanto Es volu(tuCrias- se n1o lAe 3ore8 (agas- a levantC7las- quando o (uder se8 detri8ento da coisa- e (oderC e?ercer o direito de retenç1o (elo valor das ben3eitorias necessCrias e Dteis. Art. *.++,. Ao (ossuidor de 8C73@ ser1o ressarcidas so8ente as ben3eitorias necessCrias; n1o lAe assiste o direito de retenç1o (ela i8(ortPncia destas- ne8 o de levantar as volu(tuCrias. Art. *.++*. As ben3eitorias co8(ensa87se co8 os danos- e só obriga8 ao ressarci8ento se ao te8(o da evicç1o ainda e?istire8. Art. *.+++. " reivindicante- obrigado a indeniOar as ben3eitorias ao (ossuidor de 8C73@- te8 o direito de o(tar entre o seu valor atual e o seu custo; ao (ossuidor de boa73@ indeniOarC (elo valor atual. CAP%T&L" I! #a Perda da Posse Art. *.++M. Perde7se a (osse quando cessa- e8bora contra a vontade do (ossuidor- o (oder sobre o be8- ao qual se re3ere o art. *.*.G. Art. *.++N. $ó se considera (erdida a (osse (ara que8 n1o (resenciou o esbulAo- quando- tendo not>cia dele- se abst@8 de retornar a coisa- ou- tentando recu(erC7la- @ violenta8ente re(elido. T%T&L" II #os #ireitos Reais CAP%T&L" INIC" #is(osiçFes erais Art. *.++=. $1o direitos reais: I 7 a (ro(riedade; II 7 a su(er3>cie; III 7 as servidFes; I! 7 o usu3ruto; ! 7 o uso;

!I 7 a Aabitaç1o; !II 7 o direito do (ro8itente co8(rador do i8óvel; !III 7 o (enAor; IV 7 a Ai(oteca; V 7 a anticrese. VI 7 a concess1o de uso es(ecial (ara 3ins de 8oradia; 'Inclu>do (ela Lei n) **.NK*- de +,,</ VII 7 a concess1o de direito real de uso. 'Inclu>do (ela Lei n) **.NK*- de +,,</ Art. *.++G. "s direitos reais sobre coisas 8óveis- quando constitu>dos- ou trans8itidos (or atos entre vivos- só se adquire8 co8 a tradiç1o. Art. *.++<. "s direitos reais sobre i8óveis constitu>dos- ou trans8itidos (or atos entre vivos- só se adquire8 co8 o registro no Cartório de Registro de I8óveis dos re3eridos t>tulos 'arts. *.+N= a *.+N</- salvo os casos e?(ressos neste Código. T%T&L" III #a Pro(riedade CAP%T&L" I #a Pro(riedade e8

eral

$eç1o I #is(osiçFes Preli8inares Art. *.++K. " (ro(rietCrio te8 a 3aculdade de usar- goOar e dis(or da coisa- e o direito de reav97la do (oder de que8 quer que inBusta8ente a (ossua ou detenAa. Q *o " direito de (ro(riedade deve ser e?ercido e8 consonPncia co8 as suas 3inalidades econL8icas e sociais e de 8odo que seBa8 (reservados- de con3or8idade co8 o estabelecido e8 lei es(ecial- a 3lora- a 3auna- as beleOas naturais- o equil>brio ecológico e o (atri8Lnio Aistórico e art>stico- be8 co8o evitada a (oluiç1o do ar e das Cguas. Q +o $1o de3esos os atos que n1o traOe8 ao (ro(rietCrio qualquer co8odidade- ou utilidade- e seBa8 ani8ados (ela intenç1o de (reBudicar outre8. Q Mo " (ro(rietCrio (ode ser (rivado da coisa- nos casos de desa(ro(riaç1o- (or necessidade ou utilidade (Dblica ou interesse social- be8 co8o no de requisiç1o- e8 caso de (erigo (Dblico i8inente. Q No " (ro(rietCrio ta8b@8 (ode ser (rivado da coisa se o i8óvel reivindicado consistir e8 e?tensa Crea- na (osse ininterru(ta e de boa73@- (or 8ais de cinco anos- de considerCvel nD8ero de (essoas- e estas nela Aouvere8 realiOado- e8 conBunto ou se(arada8ente- obras e serviços considerados (elo BuiO de interesse social e econL8ico relevante. Q =o No caso do (arCgra3o antecedente- o BuiO 3i?arC a Busta indeniOaç1o devida ao (ro(rietCrio; (ago o (reçovalerC a sentença co8o t>tulo (ara o registro do i8óvel e8 no8e dos (ossuidores. Art. *.++.. A (ro(riedade do solo abrange a do es(aço a@reo e subsolo corres(ondentes- e8 altura e (ro3undidade Dteis ao seu e?erc>cio- n1o (odendo o (ro(rietCrio o(or7se a atividades que seBa8 realiOadas- (or terceiros- a u8a altura ou (ro3undidade tais- que n1o tenAa ele interesse leg>ti8o e8 i8(edi7las.

Art. *.+M,. A (ro(riedade do solo n1o abrange as BaOidas- 8inas e de8ais recursos 8inerais- os (otenciais de energia AidrCulica- os 8onu8entos arqueológicos e outros bens re3eridos (or leis es(eciais. ParCgra3o Dnico. " (ro(rietCrio do solo te8 o direito de e?(lorar os recursos 8inerais de e8(rego i8ediato na construç1o civil- desde que n1o sub8etidos a trans3or8aç1o industrial- obedecido o dis(osto e8 lei es(ecial. Art. *.+M*. A (ro(riedade (resu8e7se (lena e e?clusiva- at@ (rova e8 contrCrio. Art. *.+M+. "s 3rutos e 8ais (rodutos da coisa (ertence8- ainda quando se(arados- ao seu (ro(rietCrio- salvo se(or (receito Bur>dico es(ecial- coubere8 a outre8. $eç1o II #a #escoberta Art. *.+MM. Uue8 quer que acAe coisa alAeia (erdida AC de restitu>7la ao dono ou leg>ti8o (ossuidor. ParCgra3o Dnico. N1o o conAecendo- o descobridor 3arC (or encontrC7lo- e- se n1o o encontrar- entregarC a coisa acAada E autoridade co8(etente. Art. *.+MN. Aquele que restituir a coisa acAada- nos ter8os do artigo antecedente- terC direito a u8a reco8(ensa n1o in3erior a cinco (or cento do seu valor- e E indeniOaç1o (elas des(esas que Aouver 3eito co8 a conservaç1o e trans(orte da coisa- se o dono n1o (re3erir abandonC7la. ParCgra3o Dnico. Na deter8inaç1o do 8ontante da reco8(ensa- considerar7se7C o es3orço desenvolvido (elo descobridor (ara encontrar o dono- ou o leg>ti8o (ossuidor- as (ossibilidades que teria este de encontrar a coisa e a situaç1o econL8ica de a8bos. Art. *.+M=. " descobridor res(onde (elos (reBu>Oos causados ao (ro(rietCrio ou (ossuidor leg>ti8o- quando tiver (rocedido co8 dolo. Art. *.+MG. A autoridade co8(etente darC conAeci8ento da descoberta atrav@s da i8(rensa e outros 8eios de in3or8aç1o- so8ente e?(edindo editais se o seu valor os co8(ortar. Art. *.+M<. #ecorridos sessenta dias da divulgaç1o da not>cia (ela i8(rensa- ou do edital- n1o se a(resentando que8 co8(rove a (ro(riedade sobre a coisa- serC esta vendida e8 Aasta (Dblica e- deduOidas do (reço as des(esas- 8ais a reco8(ensa do descobridor- (ertencerC o re8anescente ao Junic>(io e8 cuBa circunscriç1o se de(arou o obBeto (erdido. ParCgra3o Dnico. $endo de di8inuto valor- (oderC o Junic>(io abandonar a coisa e8 3avor de que8 a acAou. CAP%T&L" II #a Aquisiç1o da Pro(riedade I8óvel $eç1o I #a &suca(i1o Art. *.+MK. Aquele que- (or quinOe anos- se8 interru(ç1o- ne8 o(osiç1o- (ossuir co8o seu u8 i8óvel- adquire7 lAe a (ro(riedade- inde(endente8ente de t>tulo e boa73@; (odendo requerer ao BuiO que assi8 o declare (or sentença- a qual servirC de t>tulo (ara o registro no Cartório de Registro de I8óveis. ParCgra3o Dnico. " (raOo estabelecido neste artigo reduOir7se7C a deO anos se o (ossuidor Aouver estabelecido no i8óvel a sua 8oradia Aabitual- ou nele realiOado obras ou serviços de carCter (rodutivo. Art. *.+M.. Aquele que- n1o sendo (ro(rietCrio de i8óvel rural ou urbano- (ossua co8o sua- (or cinco anos ininterru(tos- se8 o(osiç1o- Crea de terra e8 Oona rural n1o su(erior a cinqSenta Aectares- tornando7a (rodutiva (or seu trabalAo ou de sua 3a8>lia- tendo nela sua 8oradia- adquirir7lAe7C a (ro(riedade.

Art. *.+N,. Aquele que (ossuir- co8o sua- Crea urbana de at@ duOentos e cinqSenta 8etros quadrados- (or cinco anos ininterru(ta8ente e se8 o(osiç1o- utiliOando7a (ara sua 8oradia ou de sua 3a8>lia- adquirir7lAe7C o do8>nio- desde que n1o seBa (ro(rietCrio de outro i8óvel urbano ou rural. Q *o " t>tulo de do8>nio e a concess1o de uso ser1o con3eridos ao Ao8e8 ou E 8ulAer- ou a a8bosinde(endente8ente do estado civil. Q +o " direito (revisto no (arCgra3o antecedente n1o serC reconAecido ao 8es8o (ossuidor 8ais de u8a veO. Art. *.+N,7A. Aquele que e?ercer- (or + 'dois/ anos ininterru(ta8ente e se8 o(osiç1o- (osse direta- co8 e?clusividade- sobre i8óvel urbano de at@ +=,8[ 'duOentos e cinquenta 8etros quadrados/ cuBa (ro(riedade divida co8 e?7cLnBuge ou e?7co8(anAeiro que abandonou o lar- utiliOando7o (ara sua 8oradia ou de sua 3a8>liaadquirir7lAe7C o do8>nio integral- desde que n1o seBa (ro(rietCrio de outro i8óvel urbano ou rural. 'Inclu>do (ela Lei n) *+.N+N- de +,**/ Q *o " direito (revisto no ca(ut n1o serC reconAecido ao 8es8o (ossuidor 8ais de u8a veO. Q +o '!ETA#"/. 'Inclu>do (ela Lei n) *+.N+N- de +,**/ Art. *.+N*. PoderC o (ossuidor requerer ao BuiO seBa declarada adquirida- 8ediante usuca(i1o- a (ro(riedade i8óvel. ParCgra3o Dnico. A declaraç1o obtida na 3or8a deste artigo constituirC t>tulo ACbil (ara o registro no Cartório de Registro de I8óveis. Art. *.+N+. Adquire ta8b@8 a (ro(riedade do i8óvel aquele que- cont>nua e incontestada8ente- co8 Busto t>tulo e boa73@- o (ossuir (or deO anos. ParCgra3o Dnico. $erC de cinco anos o (raOo (revisto neste artigo se o i8óvel Aouver sido adquiridoonerosa8ente- co8 base no registro constante do res(ectivo cartório- cancelada (osterior8ente- desde que os (ossuidores nele tivere8 estabelecido a sua 8oradia- ou realiOado investi8entos de interesse social e econL8ico. Art. *.+NM. " (ossuidor (ode- (ara o 3i8 de contar o te8(o e?igido (elos artigos antecedentes- acrescentar E sua (osse a dos seus antecessores 'art. *.+,</- contanto que todas seBa8 cont>nuas- (ac>3icas e- nos casos do art. *.+N+- co8 Busto t>tulo e de boa73@. Art. *.+NN. Estende7se ao (ossuidor o dis(osto quanto ao devedor acerca das causas que obsta8- sus(ende8 ou interro8(e8 a (rescriç1o- as quais ta8b@8 se a(lica8 E usuca(i1o. $eç1o II #a Aquisiç1o (elo Registro do T>tulo Art. *.+N=. Trans3ere7se entre vivos a (ro(riedade 8ediante o registro do t>tulo translativo no Registro de I8óveis. Q *o Enquanto n1o se registrar o t>tulo translativo- o alienante continua a ser Aavido co8o dono do i8óvel. Q +o Enquanto n1o se (ro8over- (or 8eio de aç1o (ró(ria- a decretaç1o de invalidade do registro- e o res(ectivo cancela8ento- o adquirente continua a ser Aavido co8o dono do i8óvel. Art. *.+NG. " registro @ e3icaO desde o 8o8ento e8 que se a(resentar o t>tulo ao o3icial do registro- e este o (renotar no (rotocolo. Art. *.+N<. $e o teor do registro n1o e?(ri8ir a verdade- (oderC o interessado recla8ar que se reti3ique ou anule.

se8 indeniOaç1o.se. Cancelado o registro. III 7 as que se 3or8are8 (elo desdobra8ento de u8 novo braço do rio continua8 a (ertencer aos (ro(rietCrios dos terrenos E custa dos quais se constitu>ra8.+=.sucessiva e i8(erce(tivel8ente. *. II 7 as que se 3or8are8 entre a re3erida linAa e u8a das 8argens considera87se acr@sci8os aos terrenos ribeirinAos 3ronteiros desse 8es8o lado. As ilAas que se 3or8are8 e8 correntes co8uns ou (articulares (ertence8 aos (ro(rietCrios ribeirinAos 3ronteiros.(ertence8 aos donos dos terrenos 8arginais.(or 3orça natural violenta.na (ro(orç1o de suas testadas.e8 u8 ano. $eç1o III #a Aquisiç1o (or Acess1o Art. *.+N.(oderC o (ro(rietCrio reivindicar o i8óvel.se8 indeniOaç1o.se indeniOar o dono do (ri8eiro ou.ou (elo desvio das Cguas destas. I! 7 (or abandono de Clveo.ParCgra3o Dnico. *. $ubseç1o III #a Avuls1o Art.at@ a linAa que dividir o Clveo e8 duas (artes iguais. $ubseç1o II #a Aluvi1o Art.observadas as regras seguintes: I 7 as que se 3or8are8 no 8eio do rio considera87se acr@sci8os sobrevindos aos terrenos ribeirinAos 3ronteiros de a8bas as 8argens. "s acr@sci8os 3or8ados.ningu@8 Aouver recla8ado.. $ubseç1o I! #o \lveo Abandonado .. Uuando. III 7 (or avuls1o. ParCgra3o Dnico.(or de(ósitos e aterros naturais ao longo das 8argens das correntes. Recusando7se ao (aga8ento de indeniOaç1o. ParCgra3o Dnico.+=*. " terreno aluvial.que se 3or8ar e8 3rente de (r@dios de (ro(rietCrios di3erentes.u8a (orç1o de terra se destacar de u8 (r@dio e se Buntar a outroo dono deste adquirirC a (ro(riedade do acr@sci8o.inde(endente8ente da boa73@ ou do t>tulo do terceiro adquirente. II 7 (or aluvi1o.dividir7se7C entre eles. A acess1o (ode dar7se: I 7 (or 3or8aç1o de ilAas. ! 7 (or (lantaçFes ou construçFes.na (ro(orç1o da testada de cada u8 sobre a antiga 8arge8.o dono do (r@dio a que se Buntou a (orç1o de terra deverC aquiescer a que se re8ova a (arte acrescida.+NK. *. $ubseç1o I #as IlAas Art.

Art. *.+=+. " Clveo abandonado de corrente (ertence aos (ro(rietCrios ribeirinAos das duas 8argens- se8 que tenAa8 indeniOaç1o os donos dos terrenos (or onde as Cguas abrire8 novo curso- entendendo7se que os (r@dios 8arginais se estende8 at@ o 8eio do Clveo. $ubseç1o ! #as ConstruçFes e PlantaçFes Art. *.+=M. Toda construç1o ou (lantaç1o e?istente e8 u8 terreno (resu8e7se 3eita (elo (ro(rietCrio e E sua custa- at@ que se (rove o contrCrio. Art. *.+=N. Aquele que se8eia- (lanta ou edi3ica e8 terreno (ró(rio co8 se8entes- (lantas ou 8ateriais alAeiosadquire a (ro(riedade destes; 8as 3ica obrigado a (agar7lAes o valor- al@8 de res(onder (or (erdas e danos- se agiu de 8C73@. Art. *.+==. Aquele que se8eia- (lanta ou edi3ica e8 terreno alAeio (erde- e8 (roveito do (ro(rietCrio- as se8entes- (lantas e construçFes; se (rocedeu de boa73@- terC direito a indeniOaç1o. ParCgra3o Dnico. $e a construç1o ou a (lantaç1o e?ceder consideravel8ente o valor do terreno- aquele que- de boa73@- (lantou ou edi3icou- adquirirC a (ro(riedade do solo- 8ediante (aga8ento da indeniOaç1o 3i?ada Budicial8ente- se n1o Aouver acordo. Art. *.+=G. $e de a8bas as (artes Aouve 8C73@- adquirirC o (ro(rietCrio as se8entes- (lantas e construçFesdevendo ressarcir o valor das acessFes. ParCgra3o Dnico. Presu8e7se 8C73@ no (ro(rietCrio- quando o trabalAo de construç1o- ou lavoura- se 3eO e8 sua (resença e se8 i8(ugnaç1o sua. Art. *.+=<. " dis(osto no artigo antecedente a(lica7se ao caso de n1o (ertencere8 as se8entes- (lantas ou 8ateriais a que8 de boa73@ os e8(regou e8 solo alAeio. ParCgra3o Dnico. " (ro(rietCrio das se8entes- (lantas ou 8ateriais (oderC cobrar do (ro(rietCrio do solo a indeniOaç1o devida- quando n1o (uder Aav97la do (lantador ou construtor. Art. *.+=K. $e a construç1o- 3eita (arcial8ente e8 solo (ró(rio- invade solo alAeio e8 (ro(orç1o n1o su(erior E vig@si8a (arte deste- adquire o construtor de boa73@ a (ro(riedade da (arte do solo invadido- se o valor da construç1o e?ceder o dessa (arte- e res(onde (or indeniOaç1o que re(resente- ta8b@8- o valor da Crea (erdida e a desvaloriOaç1o da Crea re8anescente. ParCgra3o Dnico. Pagando e8 d@cu(lo as (erdas e danos (revistos neste artigo- o construtor de 8C73@ adquire a (ro(riedade da (arte do solo que invadiu- se e8 (ro(orç1o E vig@si8a (arte deste e o valor da construç1o e?ceder consideravel8ente o dessa (arte e n1o se (uder de8olir a (orç1o invasora se8 grave (reBu>Oo (ara a construç1o. Art. *.+=.. $e o construtor estiver de boa73@- e a invas1o do solo alAeio e?ceder a vig@si8a (arte deste- adquire a (ro(riedade da (arte do solo invadido- e res(onde (or (erdas e danos que abranBa8 o valor que a invas1o acrescer E construç1o- 8ais o da Crea (erdida e o da desvaloriOaç1o da Crea re8anescente; se de 8C73@- @ obrigado a de8olir o que nele construiu- (agando as (erdas e danos a(urados- que ser1o devidos e8 dobro. CAP%T&L" III #a Aquisiç1o da Pro(riedade Jóvel $eç1o I #a &suca(i1o Art. *.+G,. Aquele que (ossuir coisa 8óvel co8o sua- cont>nua e incontestada8ente durante tr9s anos- co8 Busto t>tulo e boa73@- adquirir7lAe7C a (ro(riedade.

Art. *.+G*. $e a (osse da coisa 8óvel se (rolongar (or cinco anos- (roduOirC usuca(i1o- inde(endente8ente de t>tulo ou boa73@. Art. *.+G+. A(lica7se E usuca(i1o das coisas 8óveis o dis(osto nos arts. *.+NM e *.+NN. $eç1o II #a "cu(aç1o Art. *.+GM. Uue8 se assenAorear de coisa se8 dono (ara logo lAe adquire a (ro(riedade- n1o sendo essa ocu(aç1o de3esa (or lei. $eç1o III #o AcAado do Tesouro Art. *.+GN. " de(ósito antigo de coisas (reciosas- oculto e de cuBo dono n1o AaBa 8e8ória- serC dividido (or igual entre o (ro(rietCrio do (r@dio e o que acAar o tesouro casual8ente. Art. *.+G=. " tesouro (ertencerC (or inteiro ao (ro(rietCrio do (r@dio- se 3or acAado (or ele- ou e8 (esquisa que ordenou- ou (or terceiro n1o autoriOado. Art. *.+GG. AcAando7se e8 terreno a3orado- o tesouro serC dividido (or igual entre o descobridor e o en3iteuta- ou serC deste (or inteiro quando ele 8es8o seBa o descobridor. $eç1o I! #a Tradiç1o Art. *.+G<. A (ro(riedade das coisas n1o se trans3ere (elos negócios Bur>dicos antes da tradiç1o. ParCgra3o Dnico. $ubentende7se a tradiç1o quando o trans8itente continua a (ossuir (elo constituto (ossessório; quando cede ao adquirente o direito E restituiç1o da coisa- que se encontra e8 (oder de terceiro; ou quando o adquirente BC estC na (osse da coisa- (or ocasi1o do negócio Bur>dico. Art. *.+GK. Feita (or que8 n1o seBa (ro(rietCrio- a tradiç1o n1o aliena a (ro(riedade- e?ceto se a coisa- o3erecida ao (Dblico- e8 leil1o ou estabeleci8ento co8ercial- 3or trans3erida e8 circunstPncias tais que- ao adquirente de boa73@- co8o a qualquer (essoa- o alienante se a3igurar dono. Q *o $e o adquirente estiver de boa73@ e o alienante adquirir de(ois a (ro(riedade- considera7se realiOada a trans3er9ncia desde o 8o8ento e8 que ocorreu a tradiç1o. Q +o N1o trans3ere a (ro(riedade a tradiç1o- quando tiver (or t>tulo u8 negócio Bur>dico nulo. $eç1o ! #a Es(eci3icaç1o Art. *.+G.. Aquele que- trabalAando e8 8at@ria7(ri8a e8 (arte alAeia- obtiver es(@cie nova- desta serC (ro(rietCrio- se n1o se (uder restituir E 3or8a anterior. Art. *.+<,. $e toda a 8at@ria 3or alAeia- e n1o se (uder reduOir E 3or8a (recedente- serC do es(eci3icador de boa73@ a es(@cie nova. Q *o $endo (raticCvel a reduç1o- ou quando i8(raticCvel- se a es(@cie nova se obteve de 8C73@- (ertencerC ao dono da 8at@ria7(ri8a. Q +o E8 qualquer caso- inclusive o da (intura e8 relaç1o E tela- da escultura- escritura e outro qualquer trabalAo grC3ico e8 relaç1o E 8at@ria7(ri8a- a es(@cie nova serC do es(eci3icador- se o seu valor e?ceder consideravel8ente o da 8at@ria7(ri8a.

Art. *.+<*. Aos (reBudicados- nas Ai(óteses dos arts. *.+G. e *.+<,- se ressarcirC o dano que so3rere8- 8enos ao es(eci3icador de 8C73@- no caso do Q *o do artigo antecedente- quando irredut>vel a es(eci3icaç1o. $eç1o !I #a Con3us1o- da Co8iss1o e da AdBunç1o Art. *.+<+. As coisas (ertencentes a diversos donos- con3undidas- 8isturadas ou adBuntadas se8 o consenti8ento deles- continua8 a (ertencer7lAes- sendo (oss>vel se(arC7las se8 deterioraç1o. Q *o N1o sendo (oss>vel a se(araç1o das coisas- ou e?igindo dis(9ndio e?cessivo- subsiste indiviso o todocabendo a cada u8 dos donos quinA1o (ro(orcional ao valor da coisa co8 que entrou (ara a 8istura ou agregado. Q +o $e u8a das coisas (uder considerar7se (rinci(al- o dono s97lo7C do todo- indeniOando os outros. Art. *.+<M. $e a con3us1o- co8iss1o ou adBunç1o se o(erou de 8C73@- E outra (arte caberC escolAer entre adquirir a (ro(riedade do todo- (agando o que n1o 3or seu- abatida a indeniOaç1o que lAe 3or devida- ou renunciar ao que lAe (ertencer- caso e8 que serC indeniOado. Art. *.+<N. $e da uni1o de 8at@rias de natureOa diversa se 3or8ar es(@cie nova- E con3us1o- co8iss1o ou adBunç1o a(lica87se as nor8as dos arts. *.+<+ e *.+<M. CAP%T&L" I! #a Perda da Pro(riedade Art. *.+<=. Al@8 das causas consideradas neste Código- (erde7se a (ro(riedade: I 7 (or alienaç1o; II 7 (ela renDncia; III 7 (or abandono; I! 7 (or (ereci8ento da coisa; ! 7 (or desa(ro(riaç1o. ParCgra3o Dnico. Nos casos dos incisos I e II- os e3eitos da (erda da (ro(riedade i8óvel ser1o subordinados ao registro do t>tulo trans8issivo ou do ato renunciativo no Registro de I8óveis. Art. *.+<G. " i8óvel urbano que o (ro(rietCrio abandonar- co8 a intenç1o de n1o 8ais o conservar e8 seu (atri8Lnio- e que se n1o encontrar na (osse de outre8- (oderC ser arrecadado- co8o be8 vago- e (assar- tr9s anos de(ois- E (ro(riedade do Junic>(io ou E do #istrito Federal- se se acAar nas res(ectivas circunscriçFes. Q *o " i8óvel situado na Oona rural- abandonado nas 8es8as circunstPncias- (oderC ser arrecadado- co8o be8 vago- e (assar- tr9s anos de(ois- E (ro(riedade da &ni1o- onde quer que ele se localiOe. Q +o Presu8ir7se7C de 8odo absoluto a intenç1o a que se re3ere este artigo- quando- cessados os atos de (ossedei?ar o (ro(rietCrio de satis3aOer os Lnus 3iscais. CAP%T&L" ! #os #ireitos de !iOinAança $eç1o I #o &so Anor8al da Pro(riedade

Art. *.+<<. " (ro(rietCrio ou o (ossuidor de u8 (r@dio te8 o direito de 3aOer cessar as inter3er9ncias (reBudiciais E segurança- ao sossego e E saDde dos que o Aabita8- (rovocadas (ela utiliOaç1o de (ro(riedade viOinAa. ParCgra3o Dnico. Pro>be87se as inter3er9ncias considerando7se a natureOa da utiliOaç1o- a localiOaç1o do (r@dioatendidas as nor8as que distribue8 as edi3icaçFes e8 Oonas- e os li8ites ordinCrios de tolerPncia dos 8oradores da viOinAança. Art. *.+<K. " direito a que se re3ere o artigo antecedente n1o (revalece quando as inter3er9ncias 3ore8 Busti3icadas (or interesse (Dblico- caso e8 que o (ro(rietCrio ou o (ossuidor- causador delas- (agarC ao viOinAo indeniOaç1o cabal. Art. *.+<.. Ainda que (or decis1o Budicial deva8 ser toleradas as inter3er9ncias- (oderC o viOinAo e?igir a sua reduç1o- ou eli8inaç1o- quando estas se tornare8 (oss>veis. Art. *.+K,. " (ro(rietCrio ou o (ossuidor te8 direito a e?igir do dono do (r@dio viOinAo a de8oliç1o- ou a re(araç1o deste- quando a8eace ru>na- be8 co8o que lAe (reste cauç1o (elo dano i8inente. Art. *.+K*. " (ro(rietCrio ou o (ossuidor de u8 (r@dio- e8 que algu@8 tenAa direito de 3aOer obras- (ode- no caso de dano i8inente- e?igir do autor delas as necessCrias garantias contra o (reBu>Oo eventual. $eç1o II #as \rvores Li8>tro3es Art. *.+K+. A Crvore- cuBo tronco estiver na linAa divisória- (resu8e7se (ertencer e8 co8u8 aos donos dos (r@dios con3inantes. Art. *.+KM. As ra>Oes e os ra8os de Crvore- que ultra(assare8 a estre8a do (r@dio- (oder1o ser cortados- at@ o (lano vertical divisório- (elo (ro(rietCrio do terreno invadido. Art. *.+KN. "s 3rutos ca>dos de Crvore do terreno viOinAo (ertence8 ao dono do solo onde ca>ra8- se este 3or de (ro(riedade (articular. $eç1o III #a Passage8 Forçada Art. *.+K=. " dono do (r@dio que n1o tiver acesso a via (Dblica- nascente ou (orto- (ode- 8ediante (aga8ento de indeniOaç1o cabal- constranger o viOinAo a lAe dar (assage8- cuBo ru8o serC Budicial8ente 3i?ado- se necessCrio. Q *o $o3rerC o constrangi8ento o viOinAo cuBo i8óvel 8ais natural e 3acil8ente se (restar E (assage8. Q +o $e ocorrer alienaç1o (arcial do (r@dio- de 8odo que u8a das (artes (erca o acesso a via (Dblica- nascente ou (orto- o (ro(rietCrio da outra deve tolerar a (assage8. Q Mo A(lica7se o dis(osto no (arCgra3o antecedente ainda quando- antes da alienaç1o- e?istia (assage8 atrav@s de i8óvel viOinAo- n1o estando o (ro(rietCrio deste constrangido- de(ois- a dar u8a outra. $eç1o I! #a Passage8 de Cabos e TubulaçFes Art. *.+KG. Jediante recebi8ento de indeniOaç1o que atenda- ta8b@8- E desvaloriOaç1o da Crea re8anescenteo (ro(rietCrio @ obrigado a tolerar a (assage8- atrav@s de seu i8óvel- de cabos- tubulaçFes e outros condutos subterrPneos de serviços de utilidade (Dblica- e8 (roveito de (ro(rietCrios viOinAos- quando de outro 8odo 3or i8(oss>vel ou e?cessiva8ente onerosa. ParCgra3o Dnico. " (ro(rietCrio (reBudicado (ode e?igir que a instalaç1o seBa 3eita de 8odo 8enos gravoso ao (r@dio onerado- be8 co8o- de(ois- seBa re8ovida- E sua custa- (ara outro local do i8óvel.

ou a drenage8 de terrenos. os (ro(rietCrios dos i8óveis (oder1o usar das Cguas do aqueduto (ara as (ri8eiras necessidades da vida. Q +o " (ro(rietCrio (reBudicado (oderC e?igir que seBa subterrPnea a canaliOaç1o que atravessa Creas edi3icadas(Ctios.serC 3acultado ao (ro(rietCrio do (r@dio onerado e?igir a realiOaç1o de obras de segurança.deverC recu(erar. *.que (oluir. Q Mo " aqueduto serC constru>do de 8aneira que cause o 8enor (reBu>Oo aos (ro(rietCrios dos i8óveis viOinAose a e?(ensas do seu dono.+KG e *.ou se lAe indeniOe o (reBu>Oo que so3rer. Q *o Ao (ro(rietCrio (reBudicado.arti3icial8ente levadas ao (r@dio su(erior.satis3eitas as necessidades de seu consu8o. as de8ais.+.outros (oder1o canaliOC7las.desde que n1o cause (reBu>Oo considerCvel E agricultura e E indDstria. *.M.(ara os 3ins (revistos no art. " aqueduto n1o i8(edirC que os (ro(rietCrios cerque8 os i8óveis e construa8 sobre ele. *.e.+. *.açudes.correre8 dele (ara o in3erior.ressarcindo os danos que estes so3rere8.deduOido o valor do bene3>cio obtido..*. $eç1o ! #as \guas Art.(oderC o dono deste recla8ar que se desvie8.atrav@s de (r@dios alAeios. Art. *. Art.8ediante (r@via indeniOaç1o aos (ro(rietCrios (reBudicadosconstruir canais.Art. " (ro(rietCrio te8 direito de construir barragens. Art.serC o seu (ro(rietCrio indeniOado (elo dano so3rido.+KK.M.. *. " (ossuidor do i8óvel su(erior n1o (oderC (oluir as Cguas indis(ensCveis Es (ri8eiras necessidades da vida dos (ossuidores dos i8óveis in3eriores.+.(ara receber as Cguas a que tenAa direito.de i8(ortPncia equivalente Es des(esas que ent1o seria8 necessCrias (ara a conduç1o das Cguas at@ o (onto de derivaç1o. Art. *.n1o (odendo realiOar obras que e8barace8 o seu 3lu?o. *.+K<.+K<.ou outras obras (ara re(resa8ento de Cgua e8 seu (r@dio.+.=. #a indeniOaç1o serC deduOido o valor do bene3>cio obtido.Aortas.Bardins ou quintais.a que8 incu8be8 ta8b@8 as des(esas de conservaç1o.8ediante (aga8ento de indeniOaç1o aos (ro(rietCrios (reBudicados e ao dono do aqueduto. (or@8 a condiç1o natural e anterior do (r@dio in3erior n1o (ode ser agravada (or obras 3eitas (elo dono ou (ossuidor do (r@dio su(erior..ta8b@8 assiste direito a ressarci8ento (elos danos que de 3uturo lAe advenAa8 da in3iltraç1o ou irru(ç1o das Cguas. R (er8itido a que8 quer que seBa. $e as instalaçFes o3erecere8 grave risco. Art. Tavendo no aqueduto Cguas su(@r3luas.se n1o 3or (oss>vel a recu(eraç1o ou o desvio do curso arti3icial das Cguas.be8 co8o da deterioraç1o das obras destinadas a canaliOC7 las.+. se as Cguas re(resadas invadire8 (r@dio alAeio. *.ou desviar o curso natural das Cguas re8anescentes (elos (r@dios in3eriores.indis(ensCveis Es (ri8eiras necessidades da vida. Uuando as Cguas. *. Art. *.N. " dono ou o (ossuidor do (r@dio in3erior @ obrigado a receber as Cguas que corre8 natural8ente do su(erior.G.+K.n1o (ode i8(edir. T98 (re3er9ncia os (ro(rietCrios dos i8óveis atravessados (elo aqueduto. Art.be8 co8o (ara o escoa8ento de Cguas su(@r3luas ou acu8uladas. $eç1o !I #os Li8ites entre Pr@dios e do #ireito de Ta(age8 . A(lica7se ao direito de aqueduto o dis(osto nos arts. ParCgra3o Dnico. ParCgra3o Dnico.ou a> colAidas.+.e8 tal caso.+. Art.+. " (ro(rietCrio de nascente.se8 (reBu>Oo (ara a sua segurança e conservaç1o. *.+.ou do solo onde cae8 Cguas (luviais.

*. E8 se tratando de v1os.de con3or8idade co8 os costu8es da localidade. Nas cidades.seBa qual 3or a quantidade.(resu8e87se.os li8ites.ainda que lAes vede a claridade.+.M.(elo (ro(rietCrio.M.a 8enos de 8etro e 8eio do terreno viOinAo.se deter8inar1o de con3or8idade co8 a (osse Busta. Q Mo A construç1o de ta(u8es es(eciais (ara i8(edir a (assage8 de ani8ais de (equeno (orte.n1o serC (er8itido levantar edi3icaçFes a 8enos de tr9s 8etros do terreno viOinAo.só (ode8 ser cortadas. Art. " (ro(rietCrio construirC de 8aneira que o seu (r@dio n1o des(eBe Cguas.8uros.ou.levantar a sua edi3icaç1o..o dono de u8 terreno (ode nele edi3icar.a concorrer. ParCgra3o Dnico.vilas e (ovoados cuBa edi3icaç1o estiver adstrita a alinAa8ento.(ertencer a a8bos os (ro(rietCrios con3inantes.8ediante indeniOaç1o ao outro.+. *. *.se8 (erder (or isso o direito a Aaver 8eio valor dela se o viOinAo a traveBar.re(artindo7se (ro(orcional8ente entre os interessados as res(ectivas des(esas.M.o viOinAo (oderC..tais co8o sebes vivas.M.e?igir que se des3aça Banelasacada.Art.ou (ara outro 3i8.8urar.de co8u8 acordo entre (ro(rietCrios.salvo o direito dos viOinAos e os regula8entos ad8inistrativos. *.co8 (reBu>Oo (ara o (r@dio viOinAo. R de3eso abrir Banelas.(or sua veO.no la(so de ano e dia a(ós a conclus1o da obra.M. *.8adeirando na (arede divisória do (r@dio cont>guo.que (ri8eiro construir.n1o se acAando ela (rovada.=.ou contra8uro.se adBudicarC a u8 deles. $endo con3usos.ou (lantas quaisquer. Art. Q *o "s intervalos.M. Art.n1o 8aiores de deO cent>8etros de largura sobre vinte de co8(ri8ento e constru>das a 8ais de dois 8etros de altura de cada (iso.. Art.a aviventar ru8os a(agados e a renovar 8arcos destru>dos ou arruinados.que serve8 de 8arco divisório.a todo te8(o. $eç1o !II #o #ireito de Construir Art.ou arrancadas.N.edi3icar se8 atender ao dis(osto no artigo antecedente. " con3inante.at@ (rova e8 contrCrio. 8as terC de e8bolsar ao viOinAo 8etade do valor da (arede e do cA1o corres(ondentes.cercas e os ta(u8es divisórios.terraço ou goteira sobre o seu (r@dio. " (ro(rietCrio (ode levantar e8 seu terreno as construçFes que lAe a(rouver.altura e dis(osiç1o.(ode ser e?igida de que8 (rovocou a necessidade deles. Q +o As sebes vivas.ou 3aOer eirado. *. e.direta8ente.que n1o estC obrigado a concorrer (ara as des(esas. *. *.ne8 i8(edir.sendo estes obrigados.terraço ou varanda.*.urbano ou rural. Q *o As Banelas cuBa vis1o n1o incida sobre a linAa divisória.valar ou ta(ar de qualquer 8odo o seu (r@dio.(ode assentar a (arede divisória at@ 8eia es(essura no terreno cont>guo. Art.o escoa8ento das Cguas da goteira.be8 co8o as (er(endiculares. Art. " (ro(rietCrio (ode.valas ou banquetas. .n1o sendo (oss>vel a divis1o cL8oda.n1o (oderC.e (ode constranger o seu con3inante a (roceder co8 ele E de8arcaç1o entre os dois (r@dios.se ela su(ortar a nova construç1o.sobre o (r@dio viOinAo. escoado o (raOo.e8 (artes iguais.e8 3alta de outro 8eio.ou aberturas (ara luO. *.n1o (oder1o ser abertas a 8enos de setenta e cinco cent>8etros. Q +o As dis(osiçFes deste artigo n1o abrange8 as aberturas (ara luO ou ventilaç1o.(ara as des(esas de sua construç1o e conservaç1o.o terreno contestado se dividirC (or (artes iguais entre os (r@dios. Art..cercas de ara8e ou de 8adeira. " (ro(rietCrio te8 direito a cercar.M.caso e8 que o (ri8eiro 3i?arC a largura e a (ro3undidade do alicerce.+.+.K. Na Oona rural.as Crvores.<.ou di3icultar.

Art.(elo risco a que e?(Fe a construç1o anterior.8ediante (r@vio aviso.se necessCrio reconstruindo7a.terC o (reBudicado direito a ressarci8ento. " (ro(rietCrio do (r@dio viOinAo te8 direito a ressarci8ento (elos (reBu>Oos que so3rer.n1o (oderC este 3aOer7lAe alicerce ao (@ se8 (restar cauç1o Equele.res(ondendo (or (erdas e danos. " (ro(rietCrio ou ocu(ante do i8óvel @ obrigado a tolerar que o viOinAo entre no (r@dio. Art.M*.sen1o a(ós Aavere8 sido 3eitas as obras acautelatórias.quando indis(ensCvel E re(araç1o. ParCgra3o Dnico..ou obras se8elAantescorres(ondendo a outras.M. $e a (arede divisória (ertencer a u8 dos viOinAos. Q Mo $e do e?erc>cio do direito assegurado neste artigo (rovier dano.(ara su(ortar o altea8ento. Art.ar8Crios. *. *. ParCgra3o Dnico.<. *.M. " condL8ino da (arede78eia (ode utiliOC7la at@ ao 8eio da es(essura.e n1o tiver ca(acidade (ara ser traveBada (elo outro. CAP%T&L" !I #o Condo8>nio eral $eç1o I #o Condo8>nio !oluntCrio . N1o @ l>cito encostar E (arede divisória cAa8in@s.e avisando (revia8ente o outro condL8ino das obras que ali tenciona 3aOer. arcarC co8 todas as des(esas.K.M**.construç1o. $1o (roibidas construçFes ca(aOes de (oluir. *.3aOer.ou que co8(ro8eta a segurança do (r@dio viOinAo.ou inutiliOar.u8a veO entregues as coisas buscadas (elo viOinAo.ou nascente alAeia. Art. Art.n1o (ondo e8 risco a segurança ou a se(araç1o dos dois (r@dios. Uualquer dos con3inantes (ode altear a (arede divisória. Art.inclusive ani8ais que a> se encontre8 casual8ente. n1o (ode se8 consenti8ento do outro.(ara uso ordinCrio.(ara: I 7 dele te8(oraria8ente usar.a elas (ree?istentes.a(arelAos Aigi9nicos.BC 3eitas do lado o(osto. N1o @ (er8itida a e?ecuç1o de qualquer obra ou serviço suscet>vel de (rovocar des8orona8ento ou deslocaç1o de terra.a Cgua do (oço.inclusive de conservaç1o.G.(oços e nascentes e ao a(aro de cerca viva.M*M.M*+. *.(oderC ser i8(edida a sua entrada no i8óvel.da 8es8a natureOa.na (arede78eia.3ornos ou quaisquer a(arelAos ou de(ósitos suscet>veis de (roduOir in3iltraçFes ou inter3er9ncias (reBudiciais ao viOinAo. *. Q *o " dis(osto neste artigo a(lica7se aos casos de li8(eOa ou re(araç1o de esgotos.se o viOinAo adquirir 8eaç1o ta8b@8 na (arte au8entada.ParCgra3o Dnico. *. II 7 a(oderar7se de coisas suas.ou co8 8etade.n1o obstante Aavere8 sido realiOadas as obras acautelatórias. Art.M.. A dis(osiç1o anterior n1o abrange as cAa8in@s ordinCrias e os 3ogFes de coOinAa.3ogFes.goteiras.M. N1o @ (er8itido 3aOer escavaçFes ou quaisquer obras que tire8 ao (oço ou E nascente de outre8 a Cgua indis(ensCvel Es suas necessidades nor8ais. *.reconstruç1o ou li8(eOa de sua casa ou do 8uro divisório.. Q +o Na Ai(ótese do inciso II. Todo aquele que violar as (roibiçFes estabelecidas nesta $eç1o @ obrigado a de8olir as construçFes 3eitas. Art.

M*. Art. Art.obriga8 o contratante.a 3i8 de que a coisa seBa adBudicada a que8 a3inal o3erecer 8elAor lanço. *. $e nenAu8 dos condL8inos te8 ben3eitorias na coisa co8u8 e (artici(a8 todos do condo8>nio e8 (artes iguais. Q +o $e n1o AC condL8ino que 3aça os (aga8entos. 8as terC este aç1o regressiva contra os de8ais. *.e a su(ortar os Lnus a que estiver suBeita.indeniOando os outros. *.M*N. Q *o $e os de8ais condL8inos assu8e8 as des(esas e as d>vidas.a coisa co8u8 serC dividida. *. Art.a concorrer (ara as des(esas de conservaç1o ou divis1o da coisa.reivindicC7la de terceiro.no que couber. Cada condL8ino (ode usar da coisa con3or8e sua destinaç1o.M+. A todo te8(o serC l>cito ao condL8ino e?igir a divis1o da coisa co8u8.o condL8ino ao estranAo. *.antes de adBudicada a coisa Equele que o3ereceu 8aior lanço.se8 se discri8inar a (arte de cada u8 na obrigaç1o. Art.e entre os condL8inos aquele que tiver na coisa ben3eitorias 8ais valiosas.M*G.e8 condiçFes iguais de o3erta.na (ro(orç1o dos (aga8entos que 3iOere8.M+*. +.++/.renunciando E (arte ideal. *. *. Uuando a d>vida Aouver sido contra>da (or todos os condL8inos. *.as regras de (artilAa de Aerança 'arts. Q +o N1o (oderC e?ceder de cinco anos a indivis1o estabelecida (elo doador ou (elo testador. Q *o Pode8 os condL8inos acordar que 3ique indivisa a coisa co8u8 (or (raOo n1o 8aior de cinco anossuscet>vel de (rorrogaç1o ulterior.se8 o consenso dos outros. *.realiOar7se7C licitaç1o entre estranAos e.*M a +.(roceder7se7C E licitaç1o entre os condL8inos.e os consortes n1o quisere8 adBudicC7la a u8 só.sobre ela e?ercer todos os direitos co8(at>veis co8 a indivis1o.e8 condiçFes iguais.e.ne8 dar (osse.(ode o BuiO deter8inar a divis1o da coisa co8u8 antes do (raOo.o condL8ino ao estranAo. As d>vidas contra>das (or u8 dos condL8inos e8 (roveito da co8unA1o. NenAu8 dos condL8inos (ode alterar a destinaç1o da coisa co8u8. Presu8e87se iguais as (artes ideais dos condL8inos.res(ondendo o quinA1o de cada u8 (ela sua (arte nas des(esas da divis1o. ParCgra3o Dnico.(re3erindo. Art.ou gravC7la. Cada condL8ino res(onde aos outros (elos 3rutos que (ercebeu da coisa e (elo dano que lAe causou.. Art. Art.$ubseç1o I #os #ireitos e #everes dos CondL8inos Art. ParCgra3o Dnico. Q Mo A requeri8ento de qualquer interessado e se graves raOFes o aconselAare8. Art..de3ender a sua (osse e alAear a res(ectiva (arte ideal. .. " condL8ino @ obrigado.entende7se que cada qual se obrigou (ro(orcional8ente ao seu quinA1o na coisa co8u8.adquirindo a (arte ideal de que8 renunciou. Pode o condL8ino e?i8ir7se do (aga8ento das des(esas e d>vidas.uso ou goOo dela a estranAos.e durante ela.ne8 se esti(ular solidariedade. ParCgra3o Dnico.M++.M*<. Uuando a coisa 3or indivis>vel.a renDncia lAes a(roveita.(re3erindo7se.na (ro(orç1o de sua (arte.n1o as Aavendo.o de quinA1o 8aior.M*K. A(lica87se E divis1o do condo8>nio.serC vendida e re(artido o a(urado.M*=.na venda..

8uros e valas regula7se (elo dis(osto neste Código 'arts.tais co8o a(arta8entos.e8bolsando7lAe 8etade do que atual8ente valer a obra e o terreno (or ela ocu(ado 'art.e8 condiçFes iguais.$ubseç1o II #a Ad8inistraç1o do Condo8>nio Art.inclusive o acesso ao logradouro (Dblico.M+=.sendo to8adas (or 8aioria absoluta.esgoto.o telAado.N a *. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *+.loBas e sobreloBas.serC este avaliado Budicial8ente. Art.e (artes que s1o (ro(riedade co8u8 dos condL8inos. Art.M+.suBeita87se a (ro(riedade e?clusiva.8uros. *.enquanto aquele que (retender a divis1o n1o o (agar ou de(ositar.vala. Q *o As deliberaçFes ser1o obrigatórias.(odendo ser alienadas e gravadas livre8ente (or seus (ro(rietCrios.(artes que s1o (ro(riedade e?clusiva.</.G. " condL8ino que ad8inistrar se8 o(osiç1o dos outros (resu8e7se re(resentante co8u8. *.M+K. Q Mo Tavendo dDvida quanto ao valor do quinA1o. Uualquer que seBa o valor da 8eaç1o.*+/ Q +o " solo..M+G. *.escolAerC o ad8inistrador. Art.s1o utiliOados e8 co8u8 (elos condL8inos. " (ro(rietCrio que tiver direito a estre8ar u8 i8óvel co8 (aredes.e8 edi3icaçFes.a estrutura do (r@dio.serC este arbitrado (or (eritos. *.salas. Pode Aaver.< e *.n1o Aavendo e8 contrCrio esti(ulaç1o ou dis(osiç1o de Dlti8a vontadeser1o (artilAados na (ro(orç1o dos quinAFes. *. CAP%T&L" !II #o Condo8>nio Edil>cio $eç1o I #is(osiçFes erais Art.ou divididos..+.M+M.M+<.(re3erir7se7C. *. #eliberando a 8aioria sobre a ad8inistraç1o da coisa co8u8.escritórios.o condL8ino ao que n1o o @.K.e?ceto os abrigos (ara ve>culosque n1o (oder1o ser alienados ou alugados a (essoas estranAas ao condo8>nio.MM.co8 as res(ectivas 3raçFes ideais no solo e nas outras (artes co8uns. *.</.a rede geral de distribuiç1o de Cgua.cerca ou qualquer outra obra divisória. Art.salvo autoriOaç1o e?(ressa na convenç1o de condo8>nio.8uro. *.+.decidirC o BuiO.de +. N1o convindo os dois no (reço da obra.valas ou valadost97lo7C igual8ente a adquirir 8eaç1o na (arede.e as de8ais (artes co8uns.gCs e eletricidade.a e?(ensas de a8bos os con3inantes. *. *. Q +o N1o sendo (oss>vel alcançar 8aioria absoluta.a cale3aç1o e re3rigeraç1o centrais.M.+.nenAu8 uso (oderC 3aOer na (arede. *.M+N. Art.cercas.MM*. Art.<.n1o (odendo ser alienados se(arada8ente.a requeri8ento de qualquer condL8inoouvidos os outros.M. $eç1o II #o Condo8>nio NecessCrio Art. " condo8>nio (or 8eaç1o de (aredes.que (oderC ser estranAo ao condo8>nio. *.8uro. resolvendo alugC7la. "s 3rutos da coisa co8u8.cercas. Q *o As (artes suscet>veis de utiliOaç1o inde(endente.valado ou cerca do viOinAo. . A 8aioria serC calculada (elo valor dos quinAFes.

que serC identi3icada e8 3or8a deci8al ou ordinCria no instru8ento de instituiç1o do condo8>nio.M*.devendo constar daquele ato. $1o deveres do condL8ino: .(ara os 3ins deste artigo. $1o direitos do condL8ino: I 7 usar.relativa8ente ao terreno e (artes co8uns.os (ro8itentes co8(radores e os cessionCrios de direitos relativos Es unidades autLno8as. Art.MM=. III 7 a co8(et9ncia das asse8bl@ias. II 7 a deter8inaç1o da 3raç1o ideal atribu>da a cada unidade. III 7 votar nas deliberaçFes da asse8bl@ia e delas (artici(ar. Para ser o(on>vel contra terceiros.3or8a de sua convocaç1o e quoru8 e?igido (ara as deliberaçFes.ou (ara quantos sobre elas tenAa8 (osse ou detenç1o.desde logo.obrigatória (ara os titulares de direito sobre as unidades. *. I! 7 as sançFes a que est1o suBeitos os condL8inos.registrado no Cartório de Registro de I8óveis. *.estando quite. Art. Q +o $1o equi(arados aos (ro(rietCrios. *.con3or8e a sua destinaç1o.MM+.ou (ossuidores.a convenç1o do condo8>nio deverC ser registrada no Cartório de Registro de I8óveis.e contanto que n1o e?clua a utiliOaç1o dos de8ais co8(ossuidores.a convenç1o deter8inarC: I 7 a quota (ro(orcional e o 8odo de (aga8ento das contribuiçFes dos condL8inos (ara atender Es des(esas ordinCrias e e?traordinCrias do condo8>nio.co8o (arte inse(arCvel. II 7 sua 3or8a de ad8inistraç1o.MMG. Q =o " terraço de cobertura @ (arte co8u8.Q Mo A cada unidade i8obiliCria caberC. Art. ! 7 o regi8ento interno.salvo dis(osiç1o e8 contrCrio.dois terços das 3raçFes ideais e torna7se.no 8>ni8o.MMN.MM+ e das que os interessados Aouvere8 (or be8 esti(ular..de +. II 7 usar das (artes co8uns. Art. Al@8 das clCusulas re3eridas no art.estre8adas u8a das outras e das (artes co8uns. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *. ParCgra3o Dnico.MMM.salvo dis(osiç1o contrCria da escritura de constituiç1o do condo8>nio. A convenç1o que constitui o condo8>nio edil>cio deve ser subscrita (elos titulares de.. Art.. Institui7se o condo8>nio edil>cio (or ato entre vivos ou testa8ento. *. *.u8a 3raç1o ideal no solo e nas outras (artes co8uns. Q *o A convenç1o (oderC ser 3eita (or escritura (Dblica ou (or instru8ento (articular. III 7 o 3i8 a que as unidades se destina8.al@8 do dis(osto e8 lei es(ecial: I 7 a discri8inaç1o e individualiOaç1o das unidades de (ro(riedade e?clusiva. *.N/ Q No NenAu8a unidade i8obiliCria (ode ser (rivada do acesso ao logradouro (Dblico.3ruir e livre8ente dis(or das suas unidades.

de +.(or qualquer condL8ino. A realiOaç1o de obras no condo8>nio de(ende: I 7 se volu(tuCrias..(or deliberaç1o de tr9s quartos dos condL8inos restantes. Resolvendo o condL8ino alugar Crea no abrigo (ara ve>culos. *.(agarC a 8ulta (revista no ato constitutivo ou na convenç1o.MN*.MM. ParCgra3o Dnico.co8 as suas (artes acessórias.e n1o as utiliOar de 8aneira (reBudicial ao sossego. Q +o " condL8ino..gerar inco8(atibilidade de conviv9ncia co8 os de8ais condL8inos ou (ossuidores.o s>ndico ou o condL8ino que to8ou a iniciativa delas darC ci9ncia E asse8bl@ia.entre todos. Q *o As obras ou re(araçFes necessCrias (ode8 ser realiOadas. Q +o R (er8itido ao condL8ino alienar (arte acessória de sua unidade i8obiliCria a outro condL8ino.que deverC ser convocada i8ediata8ente.que n1o cu8(re reiterada8ente co8 os seus deveres (erante o condo8>nio (oderC.ser constrangido a (agar 8ulta corres(ondente at@ ao qu>ntu(lo do valor atribu>do E contribuiç1o (ara as des(esas condo8iniais. Art. *MM<. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *. n1o Aavendo dis(osiç1o e?(ressa. II 7 se Dteis.ou aos bons costu8es.só (odendo 3aO97lo a terceiro se essa 3aculdade constar do ato constitutivo do condo8>nio.e8 condiçFes iguaisqualquer dos condL8inos a estranAos. Q +o $e as obras ou re(aros necessCrios 3ore8 urgentes e i8(ortare8 e8 des(esas e?cessivas.que n1o cu8(rir qualquer dos deveres estabelecidos nos incisos II a I!.caberC E asse8bl@ia geral. *. Q *o Nos casos deste artigo @ (roibido alienar ou gravar os bens e8 se(arado.inde(endente8ente das (erdas e danos que se a(urare8.n1o (odendo ela ser su(erior a cinco veOes o valor de suas contribuiçFes 8ensais.de voto de dois terços dos condL8inos. "s direitos de cada condL8ino Es (artes co8uns s1o inse(arCveis de sua (ro(riedade e?clusiva.MMK.inde(endente8ente das (erdas e danos que se a(ure8.de voto da 8aioria dos condL8inos.(or dois terços no 8>ni8o dos condL8inos restantes. As des(esas relativas a (artes co8uns de uso e?clusivo de u8 condL8ino.M*. *.I 7 contribuir (ara as des(esas do condo8>nio na (ro(orç1o das suas 3raçFes ideais. Art.ou.inde(endente8ente de autoriOaç1o.n1o sendo (revistos. I! 7 dar Es suas (artes a 8es8a destinaç1o que te8 a edi3icaç1o.N/ II 7 n1o realiOar obras que co8(ro8eta8 a segurança da edi3icaç1o. .os de u8 (or cento ao 89s e 8ulta de at@ dois (or cento sobre o d@bito.(oderC ser constrangido a (agar 8ulta corres(ondente ao d@cu(lo do valor atribu>do E contribuiç1o (ara as des(esas condo8iniais. *. " condL8ino ou (ossuidor que..deliberar sobre a cobrança da 8ulta. Art.ou de alguns delesincu8be8 a que8 delas se serve.MN. Art..con3or8e a gravidade das 3altas e a reiteraç1o.salvo dis(osiç1o e8 contrCrio na convenç1o. III 7 n1o alterar a 3or8a e a cor da 3acAada.(re3erir7se7C.e se a ela n1o se o(user a res(ectiva asse8bl@ia geral.e8 caso de o8iss1o ou i8(edi8ento deste..(elo s>ndico.(or seu reiterado co8(orta8ento anti7social. " condL8ino.deter8inada sua realiOaç1o.os (ossuidores.at@ ulterior deliberaç1o da asse8bl@ia.ou (ossuidor.das (artes e esquadrias e?ternas. Art.salubridade e segurança dos (ossuidores. Q *o " condL8ino que n1o (agar a sua contribuiç1o 3icarC suBeito aos Buros 8oratórios convencionados ou.e. s1o ta8b@8 inse(arCveis das 3raçFes ideais corres(ondentes as unidades i8obiliCrias.

MNN.anual8ente e quando e?igidas. II 7 re(resentar. Q No " condL8ino que realiOar obras ou re(aros necessCrios serC ree8bolsado das des(esas que e3etuar. " adquirente de unidade res(onde (elos d@bitos do alienante.salvo dis(osiç1o e8 contrCrio da convenç1o.(ara ad8inistrar o condo8>nio(or (raOo n1o su(erior a dois anos.e8 Bu>Oo ou 3ora dele. ! 7 diligenciar a conservaç1o e a guarda das (artes co8uns e Oelar (ela (restaç1o dos serviços que interesse8 aos (ossuidores.so8ente (oder1o ser e3etuadas a(ós autoriOaç1o da asse8bl@ia. *.e8 relaç1o ao condo8>nio.e8 lugar do s>ndico.o condo8>nio.inclusive 8ultas e Buros 8oratórios.be8 co8o i8(or e cobrar as 8ultas devidas. *.e8 (oderes de re(resentaç1o.a 3i8 de lAes 3acilitar ou au8entar a utiliOaç1o.de 8odo que n1o AaBa danos Es unidades i8obiliCrias in3eriores.que i8(ortare8 e8 des(esas e?cessivas. A construç1o de outro (avi8ento.e8 caso de o8iss1o ou i8(edi8ento deste.o qual (oderC renovar7se. Q +o " s>ndico (ode trans3erir a outre8. A asse8bl@ia escolAerC u8 s>ndico. *.de outro edi3>cio. !III 7 (restar contas E asse8bl@ia. Art.ou.MN<.que (oderC n1o ser condL8ino. Art.nas (artes co8uns. Q *o PoderC a asse8bl@ia investir outra (essoa. I! 7 cu8(rir e 3aOer cu8(rir a convenç1o. Art. *. Art.(or qualquer dos condL8inos.de(ende da a(rovaç1o de dois terços dos votos dos condL8inos.total ou (arcial8ente. III 7 dar i8ediato conAeci8ento E asse8bl@ia da e?ist9ncia de (rocedi8ento Budicial ou ad8inistrativo.os atos necessCrios E de3esa dos interesses co8uns.de(ende da a(rovaç1o da unani8idade dos condL8inos. Ao (ro(rietCrio do terraço de cobertura incu8be8 as des(esas da sua conservaç1o.8ediante a(rovaç1o da asse8bl@ia.ou co8uns. $eç1o II #a Ad8inistraç1o do Condo8>nio Art.MN+.suscet>veis de (reBudicar a utiliOaç1o. Art.MNM.e8 (artes co8uns.o regi8ento interno e as deter8inaçFes da asse8bl@ia.e8bora de interesse co8u8.ativa e (assiva8ente. *.MN=. A realiOaç1o de obras.os (oderes de re(resentaç1o ou as 3unçFes ad8inistrativas.de interesse do condo8>nio.Q Mo N1o sendo urgentes.total ou (arcial.as obras ou re(aros necessCrios.ou. !I 7 elaborar o orça8ento da receita e da des(esa relativa a cada ano.(or qualquer dos condL8inos. R obrigatório o seguro de toda a edi3icaç1o contra o risco de inc9ndio ou destruiç1o.es(ecial8ente convocada (elo s>ndico.MNG. Art.das (artes (ró(rias. *. *. IV 7 realiOar o seguro da edi3icaç1o. .e8 acr@sci8o Es BC e?istentes.no solo co8u8.destinado a conter novas unidades i8obiliCrias.n1o sendo (er8itidas construçFes.(raticando. Co8(ete ao s>ndico: I 7 convocar a asse8bl@ia dos condL8inos.MNK. !II 7 cobrar dos condL8inos as suas contribuiçFes.n1o tendo direito E restituiç1o das que 3iOer co8 obras ou re(aros de outra natureOa.

ConvocarC o s>ndico. Art. *.Art.de +. *.e8 que se (re3erirC..(or votos que re(resente8 8etade 8ais u8a das 3raçFes ideais. "s votos ser1o (ro(orcionais Es 3raçFes ideais no solo e nas outras (artes co8uns (ertencentes a cada condL8ino. *. .M=+.anual8ente.a indeniOaç1o serC re(artida na (ro(orç1o a que se re3ere o Q + o do artigo antecedente.M=G.entende87se ta8b@8 resolvidos os direitos reais concedidos na sua (end9ncia. E8 segunda convocaç1o.M=.. *. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *.(ode reivindicar a coisa do (oder de que8 a (ossua ou detenAa. $e a edi3icaç1o 3or total ou consideravel8ente destru>da.. $eç1o III #a E?tinç1o do Condo8>nio Art.M*.M=*.e8 cuBo 3avor se o(era a resoluç1o.ou n1o ad8inistrar conveniente8ente o condo8>nio.os condL8inos deliberar1o e8 asse8bl@ia sobre a reconstruç1o. #e(ende da a(rovaç1o de +HM 'dois terços/ dos votos dos condL8inos a alteraç1o da convenç1o.(ro(orcional8ente ao valor das suas unidades i8obiliCrias. Asse8bl@ias e?traordinCrias (oder1o ser convocadas (elo s>ndico ou (or u8 quarto dos condL8inos. *.e8 condiçFes iguais de o3erta.M=M.M=K.e8 (ri8eira convocaç1o.de(ende da a(rovaç1o (ela unani8idade dos condL8inos. A asse8bl@ia n1o (oderC deliberar se todos os condL8inos n1o 3ore8 convocados (ara a reuni1o.a asse8bl@ia (oderC deliberar (or 8aioria dos votos dos (resentes.(or 8aioria de votos dos condL8inos (resentes que re(resente8 (elo 8enos 8etade das 3raçFes ideais. Q +o $e a asse8bl@ia n1o se reunir.M=N. *.serC re(artido o a(urado entre os condL8inos. a 8udança da destinaç1o do edi3>cio. *.(oderC o condL8ino e?i8ir7se do (aga8ento das des(esas res(ectivasalienando os seus direitos a outros condL8inos. Art. Art. Art.N/ Art.salvo dis(osiç1o diversa da convenç1o de constituiç1o do condo8>nio.reuni1o da asse8bl@ia dos condL8inos. ParCgra3o Dnico.. $alvo quando e?igido quoru8 es(ecial. *.a 3i8 de a(rovar o orça8ento das des(esas.ao qual co8(ete dar (arecer sobre as contas do s>ndico. Art.o condL8ino ao estranAo.8ediante avaliaç1o Budicial.MN.salvo quando e?igido quoru8 es(ecial.as contribuiçFes dos condL8inos e a (restaç1o de contas..u8 quarto dos condL8inos (oderC 3aO97lo.es(ecial8ente convocada (ara o 3i8 estabelecido no Q + o do artigo antecedente(oderC.ou a8eace ru>na.. Q *o $e o s>ndico n1o convocar a asse8bl@ia.na 3or8a (revista na convenç1o.eleitos (ela asse8bl@ia(or (raOo n1o su(erior a dois anos. Resolvida a (ro(riedade (elo i8(le8ento da condiç1o ou (elo advento do ter8o.e o (ro(rietCrio. Q +o RealiOada a venda.co8(osto de tr9s 8e8bros.as deliberaçFes da asse8bl@ia ser1o to8adas.ou venda.destituir o s>ndico que (raticar irregularidades.ou da unidade i8obiliCria.o BuiO decidirC.n1o (restar contas. A asse8bl@ia. Q *o #eliberada a reconstruç1o. *.M=. $e ocorrer desa(ro(riaç1o. CAP%T&L" !III #a Pro(riedade ResolDvel Art. Art.a requeri8ento de qualquer condL8ino. Art. *.M==.e eventual8ente eleger7lAe o substituto e alterar o regi8ento interno. *.M=<. PoderC Aaver no condo8>nio u8 conselAo 3iscal.(elo voto da 8aioria absoluta de seus 8e8bros.

*.N+*. *.continuarC o devedor obrigado (elo restante.o (ossuidor.na re(artiç1o co8(etente (ara o licencia8ento. II 7 o (raOo. " contrato.Art. Art.se sub7rogarC de (leno direito no cr@dito e na (ro(riedade 3iduciCria. Q Mo A (ro(riedade su(erveniente. *. III 7 a ta?a de Buros. Considera7se 3iduciCria a (ro(riedade resolDvel de coisa 8óvel in3ung>vel que o devedor. *. Antes de vencida a d>vida. *.se a d>vida n1o 3or (aga no venci8ento. !encida a d>vida.N+< e *.que (agar a d>vida.*. *. *.a trans3er9ncia da (ro(riedade 3iduciCria.e8 cuBo bene3>cio Aouve a resoluç1o.e n1o (aga. Q +o Co8 a constituiç1o da (ro(riedade 3iduciCria.a(ós o venci8ento desta.MGG. Art. $e a (ro(riedade se resolver (or outra causa su(erveniente..co8 a anu9ncia do credor.que a tiver adquirido (or t>tulo anterior E sua resoluç1o.que serve de t>tulo E (ro(riedade 3iduciCria.MG*.MGM.co8 os ele8entos indis(ensCveis E sua identi3icaç1o.Budicial ou e?traBudicial8ente. Uuando.vendida a coisa. .o dis(osto nos arts. Art. I! 7 a descriç1o da coisa obBeto da trans3er9ncia.3aOendo7se a anotaç1o no certi3icado de registro.MG+.restando E (essoa.MG<. Art.e8 se tratando de ve>culos.a a(licar o (reço no (aga8ento de seu cr@dito e das des(esas de cobrança.dar seu direito eventual E coisa e8 (aga8ento da d>vida.dC7se o desdobra8ento da (osse.aç1o contra aquele cuBa (ro(riedade se resolveu (ara Aaver a (ró(ria coisa ou o seu valor.o devedor.3ica o credor obrigado a vender.desde o arquiva8ento.co8 esco(o de garantia.conterC: I 7 o total da d>vida.a coisa a terceiros.*. R nula a clCusula que autoriOa o (ro(rietCrio 3iduciCrio a 3icar co8 a coisa alienada e8 garantia.no que couber.ao devedor.sendo obrigado.(ode usar a coisa segundo sua destinaç1o.ou sua esti8ativa.ou. A(lica7se E (ro(riedade 3iduciCria.ou a @(oca do (aga8ento. *.a suas e?(ensas e risco. *.e a entregar o saldo. Q *o Constitui7se a (ro(riedade 3iduciCria co8 o registro do contrato. II 7 a entregC7la ao credor.serC considerado (ro(rietCrio (er3eito. CAP%T&L" IV #a Pro(riedade FiduciCria Art.no Registro de T>tulos e #ocu8entos do do8ic>lio do devedor.*.NMG.se a d>vida n1o 3or (aga no venci8ento.MGN.celebrado (or instru8ento (Dblico ou (articular.adquirida (elo devedor.co8o de(ositCrio: I 7 a e8(regar na guarda da coisa a dilig9ncia e?igida (or sua natureOa.MG.MG=.N+G.se Aouver. Art.interessado ou n1o.N+=.o (roduto n1o bastar (ara o (aga8ento da d>vida e das des(esas de cobrança.MGK. *. " terceiro. " devedor (ode.tornando7se o devedor (ossuidor direto da coisa.trans3ere ao credor.se Aouver. Art. Art.que lAe serve de t>tulo.torna e3icaO. ParCgra3o Dnico.

.(or te8(o deter8inado. T%T&L" ! #as $ervidFes CAP%T&L" I #a Constituiç1o das $ervidFes Art.o su(er3iciCrio ou o (ro(rietCrio te8 direito de (re3er9ncia. Art.. Art.M<K.no valor corres(ondente ao direito real de cada u8.esti(ular1o as (artes se o (aga8ento serC 3eito de u8a só veO. Art. " e?erc>cio incontestado e cont>nuo de u8a servid1o a(arente. " direito de su(er3>cie n1o autoriOa obra no subsolo. Art.M*.o (raOo da usuca(i1o serC de vinte anos. No caso de e?tinç1o do direito de su(er3>cie e8 conseqS9ncia de desa(ro(riaç1o. *.nos ter8os do art. *. N1o (oderC ser esti(ulado (elo concedente.ou (arcelada8ente. Antes do ter8o 3inal. " su(er3iciCrio res(onderC (elos encargos e tributos que incidire8 sobre o i8óvel. CAP%T&L" II #o E?erc>cio das $ervidFes .e8 igualdade de condiçFes.+N+.a indeniOaç1o cabe ao (ro(rietCrio e ao su(er3iciCrio.M<*. E8 caso de alienaç1o do i8óvel ou do direito de su(er3>cie.Art. Art.(or deO anos.e subseqSente registro no Cartório de Registro de I8óveis.autoriOa o interessado a registrC7la e8 seu no8e no Registro de I8óveis..N/ T%T&L" I! #a $u(er3>cie Art.salvo se 3or inerente ao obBeto da concess1o. E?tinta a concess1o.constitu>do (or (essoa Bur>dica de direito (Dblico interno.e grava o (r@dio serviente.M<+.aos seus Aerdeiros. Art.qualquer (aga8ento (ela trans3er9ncia. A concess1o da su(er3>cie serC gratuita ou onerosa. *. " (ro(rietCrio (ode conceder a outre8 o direito de construir ou de (lantar e8 seu terreno..MGK7A. *. As de8ais es(@cies de (ro(riedade 3iduciCria ou de titularidade 3iduciCria sub8ete87se E disci(lina es(ec>3ica das res(ectivas leis es(eciais.(or 8orte do su(er3iciCrio. " direito de su(er3>cie (ode trans3erir7se a terceiros e.M<.no que n1o 3or diversa8ente disci(linado e8 lei es(ecial. *.construç1o ou (lantaç1o. *.inde(endente8ente de indeniOaç1o.a nenAu8 t>tulo.de +. Art.so8ente se a(licando as dis(osiçFes deste Código naquilo que n1o 3or inco8(at>vel co8 a legislaç1o es(ecial.resolver7se7C a concess1o se o su(er3iciCrio der ao terreno destinaç1o diversa daquela (ara que 3oi concedida. *. " direito de su(er3>cie.valendo7lAe co8o t>tulo a sentença que Bulgar consu8ado a usuca(i1o. ParCgra3o Dnico.e constitui7se 8ediante declaraç1o e?(ressa dos (ro(rietCrios. *. $e o (ossuidor n1o tiver t>tulo.M<=.ou (or testa8ento..MG. A servid1o (ro(orciona utilidade (ara o (r@dio do8inante.M<N.que (ertence a diverso dono. 'Inclu>do (ela Lei n) *.rege7se (or este Código. *. *.M<<.8ediante escritura (Dblica devida8ente registrada no Cartório de Registro de I8óveis.M<M. *.M<. ParCgra3o Dnico. *.. Art. *. se onerosa. ParCgra3o Dnico. Art.se as (artes n1o Aouvere8 esti(ulado o contrCrio.o (ro(rietCrio (assarC a ter a (ro(riedade (lena sobre o terreno.M<G.

se o contrCrio n1o dis(user e?(ressa8ente o t>tulo.(ara o (r@dio do8inante. Q *o Constitu>da (ara certo 3i8. Q Mo $e as necessidades da cultura.u8a veO registrada. " dono do (r@dio serviente te8 direito..ou (arte dela.e subsiste8. Art. Art. ParCgra3o Dnico. . Art. Art.a de 8aior inclui a de 8enor Lnus.MKM. " dono de u8a servid1o (ode 3aOer todas as obras necessCrias E sua conservaç1o e uso.agravar o encargo ao (r@dio serviente.e8bora o dono do (r@dio do8inante lAo i8(ugne: I 7 quando o titular Aouver renunciado a sua servid1o.e8 bene3>cio de cada u8a das (orçFes do (r@dio do8inante. III 7 quando o dono do (r@dio serviente resgatar a servid1o. Q +o Nas servidFes de trPnsito. *.abandonandototal ou (arcial8ente. *.só se a(licare8 a certa (arte de u8 ou de outro.MK<.ou (elo dono deste e E sua custa. As servidFes (rediais s1o indivis>veis. Ta8b@8 se e?tingue a servid1o.e continua8 a gravar cada u8a das do (r@dio serviente.no caso de divis1o dos i8óveis. *.salvo se(or natureOa.a utilidade ou a co8odidade.que deter8inou a constituiç1o da servid1o. Restringir7se7C o e?erc>cio da servid1o Es necessidades do (r@dio do8inante.evitando7se.(ara a cancelar.MKK. CAP%T&L" III #a E?tinç1o das $ervidFes Art.ao cancela8ento do registro.quanto (oss>vel.ou da indDstria.se a servid1o (ertencer a 8ais de u8 (r@dio. Art.do (r@dio do8inante i8(usere8 E servid1o 8aior largueOao dono do serviente @ obrigado a so3r97la.se Aouver considerCvel incre8ento da utilidade e n1o (reBudicar o (r@dio serviente.caber7lAe7C custear as obras. *.MK=.o consenti8ento do credor. II 7 quando tiver cessado. *. *.(elo dono do (r@dio serviente e E sua custa.MKG.serC ta8b@8 (reciso. *. ParCgra3o Dnico..e a servid1o se 8encionar no t>tulo Ai(otecCrio. Art.MKN.a servid1o n1o se (ode a8(liar a outro. Uuando a obrigaç1o incu8bir ao dono do (r@dio serviente.MK+. Art.este (oderC e?onerar7se. Art. " dono do (r@dio serviente n1o (oderC e8baraçar de 8odo algu8 o e?erc>cio leg>ti8o da servid1o. *. *.se e8 nada di8inuir as vantagens do (r@dio do8inante.e a 8enor e?clui a 8ais onerosa.de u8 local (ara outro. 8as te8 direito a ser indeniOado (elo e?cesso.a servid1o.e.MK*.MK.a (ro(riedade ao dono do do8inante.co8 res(eito a terceirosquando cancelada.só se e?tingue.Art.ser1o as des(esas rateadas entre os res(ectivos donos. $alvo nas desa(ro(riaçFes. As obras a que se re3ere o artigo antecedente deve8 ser 3eitas (elo dono do (r@dio do8inante.(elos 8eios Budiciais. $e o (ro(rietCrio do (r@dio do8inante se recusar a receber a (ro(riedade do serviente. A servid1o (ode ser re8ovida.MK.3icando ao dono do (r@dio serviente a 3aculdade de 3aO97la cancelar8ediante a (rova da e?tinç1o: I 7 (ela reuni1o dos dois (r@dios no do8>nio da 8es8a (essoa. *.ou destino. $e o (r@dio do8inante estiver Ai(otecado.

durante deO anos cont>nuos. N1o se (ode trans3erir o usu3ruto (or alienaç1o. 8as o seu e?erc>cio (ode ceder7se (or t>tulo gratuito ou oneroso. *.terC o usu3rutuCrio o dever de restituir3indo o usu3ruto. *.o usu3rutuCrio te8 direito a (erceber os 3rutos e a cobrar as res(ectivas d>vidas. ParCgra3o Dnico.K. *. Q Mo $e o usu3ruto recai sobre universalidade ou quota7(arte de bens. *.M. ParCgra3o Dnico.os 3rutos e utilidades.esti8ado ao te8(o da restituiç1o.Aouver coisas consu8>veis.*.+.M.ad8inistraç1o e (erce(ç1o dos 3rutos.no todo ou e8 (arte.o usu3rutuCrio 3aO seus os 3rutos naturais. Art.=.M.co8 clCusula de atualiOaç1o 8onetCria segundo >ndices o3iciais regular8ente estabelecidos.M. Cobradas as d>vidas.G.N.(ertence8 ao dono. " usu3ruto de i8óveis. "s 3rutos naturais. *.<. *.uso. *.II 7 (ela su(ress1o das res(ectivas obras (or e3eito de contrato.M.(ertence8 ao (ro(rietCrio. $alvo direito adquirido (or outre8..8uro. Art. Uuando o usu3ruto recai e8 t>tulos de cr@dito. Art.+M. Art.ou.n1o sendo (oss>vel.das outras.o usu3ruto estende7se aos acessórios da coisa e seus acrescidos.8óveis ou i8óveis. As crias dos ani8ais (ertence8 ao usu3rutuCrio..constituir7se7C 8ediante registro no Cartório de Registro de I8óveis. .ou de outro t>tulo e?(resso.abrangendo7lAe.M. Art.M.vala ou valado.a i8(ortPncia e8 t>tulos da 8es8a natureOa. *.qualidade e quantidade.deduOidas quantas baste8 (ara inteirar as cabeças de gado e?istentes ao co8eçar o usu3ruto.vencidos na data inicial do usu3ruto.o usu3rutuCrio a(licarC. Art.M.o usu3rutuCrio te8 direito E (arte do tesouro acAado (or outre8. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio.(endentes ao te8(o e8 que cessa o usu3ruto. T%T&L" !I #o &su3ruto CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art.ou e8 t>tulos da d>vida (Dblica 3ederal. III 7 (elo n1o uso. "s 3rutos civis.ou (arte deste. Q +o $e AC no (r@dio e8 que recai o usu3ruto 3lorestas ou os recursos 8inerais a que se re3ere o art.ta8b@8 se8 co8(ensaç1o das des(esas. Art.e ao usu3rutuCrio os vencidos na data e8 que cessa o usu3ruto.de i8ediato.(ara obter 8eaç1o e8 (aredecerca.o seu valor.(endentes ao co8eçar o usu3ruto. " usu3rutuCrio te8 direito E (osse.e8 u8 (atri8Lnio inteiro.o equivalente e8 g9nero. CAP%T&L" II #os #ireitos do &su3rutuCrio Art.M. Q *o $e. " usu3ruto (ode recair e8 u8 ou 8ais bens.quando n1o resulte de usuca(i1o. *.entre os acessórios e os acrescidos. *.se8 encargo de (agar as des(esas de (roduç1o.deve8 o dono e o usu3rutuCrio (re3i?ar7lAe a e?tens1o do goOo e a 8aneira de e?(loraç1o.as que ainda Aouver e.M.e ao (reço (ago (elo viOinAo do (r@dio usu3ru>do.

Ta8b@8 3ica sub7rogada no Lnus do usu3ruto.ao (ro(rietCrio caberC o direito dele resultante contra o segurador. *.e8 lugar do (r@dio.o direito do usu3rutuCrio 3ica sub7rogado no valor da indeniOaç1o do seguro.e darC cauç1o.M. $e u8 edi3>cio suBeito a usu3ruto 3or destru>do se8 cul(a do (ro(rietCrio.8as n1o 8udar7lAe a destinaç1o econL8ica. 8as se a indeniOaç1o do seguro 3or a(licada E reconstruç1o do (r@dio.N. Art.N.ressarcido (elo terceiro res(onsCvel no caso de dani3icaç1o ou (erda. 8as o usu3rutuCrio lAe (agarC os Buros do ca(ital des(endido co8 as que 3ore8 necessCrias E conservaç1o.os bens ser1o ad8inistrados (elo (ro(rietCrio.K.se ele 3or desa(ro(riado.M Incu8be8 ao usu3rutuCrio: I 7 as des(esas ordinCrias de conservaç1o dos bens no estado e8 que os recebeu.. Art.as contribuiçFes do seguro. *.N.+.o (r@dio.a indeniOaç1o (aga. $e a coisa estiver segurada.cobrando daquele a i8(ortPncia des(endida.N. Q *o N1o se considera8 8ódicas as des(esas su(eriores a dois terços do l>quido rendi8ento e8 u8 ano.G.3ideBussória ou real. Q +o E8 qualquer Ai(ótese.os bens que receberdeter8inando o estado e8 que se acAa8. Q *o $e o usu3rutuCrio 3iOer o seguro. *. $e o usu3ruto recair nu8 (atri8Lnio. e. Q +o $e o dono n1o 3iOer as re(araçFes a que estC obrigado. ParCgra3o Dnico.durante o usu3ruto.E sua custa.ne8 o usu3ruto se restabelecerC.ou (arte deste. *. Art..N.*.restabelecer7se7C o usu3ruto. Art. N1o @ obrigado E cauç1o o doador que se reservar o usu3ruto da coisa doada. *. II 7 as (restaçFes e os tributos devidos (ela (osse ou rendi8ento da coisa usu3ru>da.ou a i8(ortPncia do dano.se8 e?(ressa autoriOaç1o do (ro(rietCrio. " usu3rutuCrio que n1o quiser ou n1o (uder dar cauç1o su3iciente (erderC o direito de ad8inistrar o usu3ruto.<.o usu3rutuCrio (ode realiOC7las.se lAa e?igir o dono.que 3icarC obrigado. " usu3rutuCrio (ode usu3ruir e8 (essoa. *.a entregar ao usu3rutuCrio o rendi8ento deles.e que s1o indis(ensCveis E conservaç1o da coisa..de velar7lAes (ela conservaç1o. " usu3rutuCrio.Art..incu8be ao usu3rutuCrio (agar.ou au8entare8 o rendi8ento da coisa usu3ru>da. *.inventariarC. Art.e entregC7los 3indo o usu3ruto. *. CAP%T&L" III #os #everes do &su3rutuCrio Art.n1o serC este obrigado a reconstru>7lo. Incu8be8 ao dono as re(araçFes e?traordinCrias e as que n1o 3ore8 de custo 8ódico..8ediante cauç1o.ou 8ediante arrenda8ento. " usu3rutuCrio @ obrigado a dar ci9ncia ao dono de qualquer les1o (roduOida contra a (osse da coisaou os direitos deste. CAP%T&L" I! #a E?tinç1o do &su3ruto . *. Art. *. Art.N. *.entre as quais se incluirC a quantia 3i?ada (elo BuiO co8o re8uneraç1o do ad8inistrador.N..N. " usu3rutuCrio n1o @ obrigado a (agar as deterioraçFes resultantes do e?erc>cio regular do usu3ruto. Art.deduOidas as des(esas de ad8inistraç1o.=.se o (ro(rietCrio reconstruir E sua custa o (r@dio.N. Art.antes de assu8ir o usu3ruto.serC o usu3rutuCrio obrigado aos Buros da d>vida que onerar o (atri8Lnio ou a (arte dele.neste caso.N.N.

e registrada no Cartório de Registro de I8óveis.ou Es outras.salvo se.ne8 e8(restar.celebrada (or instru8ento (Dblico ou (articular.<.M.o titular deste direito n1o a (ode alugar.ou n1o 3ruiç1o. *.N*<.8as n1o as (ode inibir de e?ercere8. T%T&L" !III #a Tabitaç1o Art. e *. *. *. .N**.o quinA1o desses couber ao sobrevivente. T%T&L" IV #o #ireito do Pro8itente Co8(rador Art.+] (arte. Q +o As necessidades da 3a8>lia do usuCrio co8(reende8 as de seu cLnBuge. $e o direito real de Aabitaç1o 3or con3erido a 8ais de u8a (essoa.quanto o e?igire8 as necessidades suas e de sua 3a8>lia. *. I! 7 (ela cessaç1o do 8otivo de que se origina.. Constitu>do o usu3ruto e8 3avor de duas ou 8ais (essoas.N*G. Uuando o uso consistir no direito de Aabitar gratuita8ente casa alAeia. *.as dis(osiçFes relativas ao usu3ruto. Art. III 7 (ela e?tinç1o da (essoa Bur>dica.8as si8(les8ente ocu(C7la co8 sua 3a8>lia.guardadas as dis(osiçFes dos arts.e8 3avor de que8 o usu3ruto 3oi constitu>do.N.n1o lAes acudindo co8 os re(aros de conservaç1o..as dis(osiçFes relativas ao usu3ruto. $1o a(licCveis E Aabitaç1o.N*=. Jediante (ro8essa de co8(ra e venda. Q *o Avaliar7se71o as necessidades (essoais do usuCrio con3or8e a sua condiç1o social e o lugar onde viver. *./.qualquer delas que soOinAa Aabite a casa n1o terC de (agar aluguel E outra. *.da coisa e8 que o usu3ruto recai 'arts. !III 7 Pelo n1o uso.N.N*M.*.K.N. " usu3ruto e?tingue7se. !I 7 (ela consolidaç1o.no que n1o 3or contrCrio E sua natureOa.Art. *.=. *.e *.e8 que se n1o (actuou arre(endi8ento.de AabitC7la.ou dei?a arruinar os bens. !II 7 (or cul(a do usu3rutuCrio.quando aliena.. $1o a(licCveis ao uso.querendo.o direitoque ta8b@8 lAes co8(ete.ou quando. *. Art.M.cancelando7se o registro no Cartório de Registro de I8óveis: I 7 (ela renDncia ou 8orte do usu3rutuCrio. *.n1o dC Es i8(ortPncias recebidas a a(licaç1o (revista no (arCgra3o Dnico do art.deteriora.(elo decurso de trinta anos da data e8 que se co8eçou a e?ercer.ou.no usu3ruto de t>tulos de cr@dito. Art. " usuCrio usarC da coisa e (erceberC os seus 3rutos.adquire o (ro8itente co8(rador direito real E aquisiç1o do i8óvel.se ela (erdurar. T%T&L" !II #o &so Art.M. ! 7 (ela destruiç1o da coisa.N*+. Art.N*N..dos 3ilAos solteiros e das (essoas de seu serviço do8@stico.no que n1o 3or contrCrio E sua natureOa..N*.(or esti(ulaç1o e?(ressa.e?tinguir7se7C a (arte e8 relaç1o a cada u8a das que 3alecere8. II 7 (elo ter8o de sua duraç1o.

II 7 o (raOo 3i?ado (ara (aga8ento.a outorga da escritura de3initiva de co8(ra e venda.. III 7 se as (restaçFes n1o 3ore8 (ontual8ente (agas.sua esti8aç1o. só os bens que se (ode8 alienar (oder1o ser dados e8 (enAor. 8as cada u8 (ode individual8ente dar e8 garantia real a (arte que tiver. Q *o A (ro(riedade su(erveniente torna e3icaO. " credor Ai(otecCrio e o (ignorat>cio t98 o direito de e?cutir a coisa Ai(otecada ou e8(enAada.ou de terceiros.(or v>nculo real. *. $ó aquele que (ode alienar (oderC e8(enAar.ou valor 8C?i8o.deteriorando7se. Q +o A coisa co8u8 a dois ou 8ais (ro(rietCrios n1o (ode ser dada e8 garantia real. Art.con3or8e o dis(osto no instru8ento (reli8inar.ou de(reciando7se o be8 dado e8 segurança. II 7 se o devedor cair e8 insolv9ncia ou 3alir. I! 7 se (erecer o be8 dado e8 garantia.N*K.no (aga8ento. E?cetua87se da regra estabelecida neste artigo as d>vidas que.Art. " credor anticr@tico te8 direito a reter e8 seu (oder o be8.N++.na sua totalidade. Art. *. I! 7 o be8 dado e8 garantia co8 as suas es(eci3icaçFes. e?tingue7 se esse direito decorridos quinOe anos da data de sua constituiç1o. Art.N+.ainda que esta co8(reenda vCrios bens. III 7 a ta?a dos Buros.se Aouver recusa. ParCgra3o Dnico. . e. Art. "s contratos de (enAor.se8 o consenti8ento de todos. T%T&L" V #o PenAor.Ai(otecar ou dar e8 anticrese. *.ao cu8(ri8ento da obrigaç1o.observada.da Ti(oteca e da Anticrese CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art.(ode e?igir do (ro8itente vendedor.N+M.se Aouver.N+=.titular de direito real.a que8 os direitos deste 3ore8 cedidos.e (re3erir.. *.e o devedorinti8ado. *. Neste caso.requerer ao BuiO a adBudicaç1o do i8óvel.enquanto a d>vida n1o 3or (aga. Art.anticrese ou Ai(oteca. *.o be8 dado e8 garantia 3ica suBeito.e8 virtude de outras leisdeva8 ser (agas (reci(ua8ente a quaisquer outros cr@ditos.N+*.toda veO que deste 8odo se acAar esti(ulado o (aga8ento. *.sob (ena de n1o tere8 e3icCcia: I 7 o valor do cr@dito.e n1o 3or substitu>do.n1o a re3orçar ou substituir.a outros credores.as garantias reais estabelecidas (or que8 n1o era dono.anticrese ou Ai(oteca.des3alcar a garantia.N+N.o recebi8ento (osterior da (restaç1o atrasada i8(orta renDncia do credor ao seu direito de e?ecuç1o i8ediata.desde o registro.a (rioridade no registro.anticrese ou Ai(oteca declarar1o.N*.salvo dis(osiç1o e?(ressa no t>tulo ou na quitaç1o. Nas d>vidas garantidas (or (enAor. A d>vida considera7se vencida: I 7 se. " (ro8itente co8(rador.quanto E Ai(oteca. *. " (aga8ento de u8a ou 8ais (restaçFes da d>vida n1o i8(orta e?oneraç1o corres(ondente da garantia. Art.

esta se sub7rogarC na indeniOaç1o do seguro. A(ós o venci8ento. *.at@ que o indeniOe8 das des(esas devida8ente Busti3icadas.(ode 3aO97lo no todo.anticr@tico ou Ai(otecCrio a 3icar co8 o obBeto da garantia.N+.NM*.continuarC o devedor obrigado (essoal8ente (elo restante. " credor (ignorat>cio te8 direito: I 7 E (osse da coisa e8(enAada..no caso contrCrioa d>vida reduOida.se o (ereci8ento.e8 garantia do d@bito ao credor ou a que8 o re(resente.o (roduto n1o bastar (ara (aga8ento da d>vida e des(esas Budiciais.3aO o devedor. subsistindo. ParCgra3o Dnico.se (erca. *.deteriore.! 7 se se desa(ro(riar o be8 dado e8 garantia. qualquer deles.quando. $alvo clCusula e?(ressa. *.ou desvaloriOe.ou re3orçC7la. ParCgra3o Dnico. *.N+K. Art.de u8a coisa 8óvel. ParCgra3o Dnico.a que8 assistirC sobre ela (re3er9ncia at@ seu co8(leto ree8bolso. Uuando.ou no ressarci8ento do dano.(or@8. *.se8 cul(a sua. CAP%T&L" II #o PenAor $eç1o I #a Constituiç1o do PenAor Art.N+G. Art.N+<.8ercantil e de ve>culos.NMM. Q *o Nos casos de (ereci8ento da coisa dada e8 garantia.que tiver 3eito.Ai(ótese na qual se de(ositarC a (arte do (reço que 3or necessCria (ara o (aga8ento integral do credor.(or qualquer dos contratantes. Art.e esta n1o abranger outras.as coisas e8(enAadas continua8 e8 (oder do devedor. Art.suscet>vel de alienaç1o.NM.co8 a res(ectiva garantia sobre os de8ais bens. No (enAor rural. Q +o Nos casos dos incisos I! e !.NM+. *.de venci8ento anteci(ado da d>vida. *. R nula a clCusula que autoriOa o credor (ignorat>cio.n1o desa(ro(riados ou destru>dos.se a d>vida n1o 3or (aga no venci8ento.n1o se co8(reende8 os Buros corres(ondentes ao te8(o ainda n1o decorrido.ou algu@8 (or ele.e8 bene3>cio do credor.(oderC o devedor dar a coisa e8 (aga8ento da d>vida.ou a desa(ro(riaç1o recair sobre o be8 dado e8 garantia. Art.ou e?ecutada a Ai(oteca. "s sucessores do devedor n1o (ode8 re8ir (arcial8ente o (enAor ou a Ai(oteca na (ro(orç1o dos seus quinAFes.industrial. Constitui7se o (enAor (ela trans3er9ncia e3etiva da (osse que. " instru8ento do (enAor deverC ser levado a registro.. II 7 E retenç1o dela.o terceiro que (resta garantia real (or d>vida alAeia n1o 3ica obrigado a substitu>7la.só se vencerC a Ai(oteca antes do (raOo esti(ulado.e?cutido o (enAor. *. Nas Ai(óteses do artigo anterior.que as deve guardar e conservar. $eç1o II #os #ireitos do Credor Pignorat>cio Art.n1o sendo ocasionadas (or cul(a sua. . Art. " Aerdeiro ou sucessor que 3iOer a re8iç1o 3ica sub7rogado nos direitos do credor (elas quotas que Aouver satis3eito. o do (enAor co8u8 serC registrado no Cartório de T>tulos e #ocu8entos.

I! 7 a (ro8over a e?ecuç1o Budicial.NMN.ou a venda a8igCvel. .sucessiva8ente.quando a d>vida 3or (aga.se lAe (er8itir e?(ressa8ente o contrato.III 7 ao ressarci8ento do (reBu>Oo que Aouver so3rido (or v>cio da coisa e8(enAada.3eita (elo credor ou (or ele autoriOada. " credor n1o (ode ser constrangido a devolver a coisa e8(enAada.NM=. I! 7 con3undindo7se na 8es8a (essoa as qualidades de credor e de dono da coisa.at@ a concorrente quantia. ! 7 dando7se a adBudicaç1o Budicial. $eç1o III #as "brigaçFes do Credor Pignorat>cio Art. " credor (ignorat>cio @ obrigado: I 7 E custódia da coisa. III 7 renunciando o credor.su3iciente (ara o (aga8ento do credor.ao dono dela.de que se a(ro(riar 'art. " dono da coisa e8(enAada (ode i8(edir a venda anteci(ada. III 7 a i8(utar o valor dos 3rutos. Q +o "(erando7se a con3us1o t1o7so8ente quanto a (arte da d>vida (ignorat>cia.e a ressarcir ao dono a (erda ou deterioraç1o de que 3or cul(ado(odendo ser co8(ensada na d>vida. *. *.u8a veO (aga a d>vida.a requeri8ento do (ro(rietCrio.substituindo7a.inciso !/ nas des(esas de guarda e conservaç1o. E?tingue7se o (enAor: I 7 e?tinguindo7se a obrigaç1o. Q *o Presu8e7se a renDncia do credor quando consentir na venda (articular do (enAor se8 reserva de (reçoquando restituir a sua (osse ao devedor.subsistirC inteiro o (enAor quanto ao resto.ou o3erecendo outra garantia real idLnea.das circunstPncias que tornare8 necessCrio o e?erc>cio de aç1o (ossessória.antes de ser integral8ente (ago.8ediante (r@via autoriOaç1o Budicial. *.co8o de(ositCrio. !I 7 a (ro8over a venda anteci(ada.no caso do inciso I! do art. ! 7 a entregar o que sobeBe do (reço. II 7 E de3esa da (osse da coisa e8(enAada e a dar ci9ncia.ou u8a (arte dela.devendo o (reço ser de(ositado.(odendo o BuiO.ou quando anuir E sua substituiç1o (or outra garantia.NMG.co8 os res(ectivos 3rutos e acessFes. ! 7 a a(ro(riar7se dos 3rutos da coisa e8(enAada que se encontra e8 seu (oder. $eç1o I! #a E?tinç1o do PenAor Art.se8(re que AaBa receio 3undado de que a coisa e8(enAada se (erca ou deteriore. *.deter8inar que seBa vendida a(enas u8a das coisas.NMM. I! 7 a restitu>7la. II 7 (erecendo a coisa.a i8(ortPncia da res(onsabilidade. Art.nos Buros e no ca(ital da obrigaç1o garantida.ou lAe autoriOar o devedor 8ediante (rocuraç1o.a re8iss1o ou a venda da coisa e8(enAada.NMM.ou (arte da coisa e8(enAada. *.

*.(er8anece a garantia. " (enAor agr>cola e o (enAor (ecuCrio so8ente (ode8 ser convencionados.agr>cola ou de lactic>nios.o devedor (oderC e8itire8 3avor do credor. *. " (enAor agr>cola que recai sobre colAeita (endente.8as n1o lAe (reBudica o direito de (re3er9ncia. ParCgra3o Dnico.res(ectiva8ente. Art. Art. Te8 o credor direito a veri3icar o estado das coisas e8(enAadas. Q +o A (rorrogaç1o deve ser averbada E 8arge8 do registro res(ectivo.E vista da res(ectiva (rova.Art. ProduO e3eitos a e?tinç1o do (enAor de(ois de averbado o cancela8ento do registro. *. Art..at@ o li8ite de igual te8(o.NNN. $e o (r@dio estiver Ai(otecado.NN. *.ao ser e?ecutada. $eç1o ! #o PenAor Rural $ubseç1o I #is(osiçFes erais Art. Pode8 ser obBeto de (enAor: I 7 8Cquinas e instru8entos de agricultura. *.NN+.que garante co8 (enAor rural. Art. ParCgra3o Dnico. o segundo (enAor terC (re3er9ncia sobre o (ri8eiro.NN*.o (enAor rural (oderC constituir7se inde(endente8ente da anu9ncia do credor Ai(otecCrio. *.c@dula rural (ignorat>cia. ..8ediante requeri8ento do credor e do devedor.no caso de 3rustrar7se ou ser insu3iciente a que se deu e8 garantia.ins(ecionando7as onde se acAare8(or si ou (or (essoa que credenciar. *. III 7 3rutos acondicionados ou ar8aOenados.ou e8 via de 3or8aç1o. Pro8etendo (agar e8 dinAeiro a d>vida.(rorrogCveis.u8a só veO.NNM. $e o credor n1o 3inanciar a nova sa3ra.abrange a i8ediata8ente seguinte.abrangendo este a(enas o e?cesso a(urado na colAeita seguinte.ne8 restringe a e?tens1o da Ai(oteca. $ubseç1o II #o PenAor Agr>cola Art. Constitui7se o (enAor rural 8ediante instru8ento (Dblico ou (articular. ! 7 ani8ais do serviço ordinCrio de estabeleci8ento agr>cola.(elos (raOos 8C?i8os de tr9s e quatro anos. I! 7 lenAa cortada e carv1o vegetal. Q *o E8bora vencidos os (raOos.enquanto subsistire8 os bens que a constitue8. $ubseç1o III #o PenAor PecuCrio Art.ou e8 via de 3or8aç1o.(oderC o devedor constituir co8 outre8 novo (enAore8 quantia 8C?i8a equivalente E do (ri8eiro. *. II 7 colAeitas (endentes.NM.NMK.NM<. Pode8 ser obBeto de (enAor os ani8ais que integra8 a atividade (astoril.na 3or8a deter8inada e8 lei es(ecial.registrado no Cartório de Registro de I8óveis da circunscriç1o e8 que estivere8 situadas as coisas e8(enAadas.

(rodutos de suinocultura.o devedor (oderC e8itir.co8(rados (ara substituir os 8ortos.a(arelAos. ani8ais.NNG.instalados e e8 3unciona8ento. Te8 o credor direito a veri3icar o estado das coisas e8(enAadas.alterar as coisas e8(enAadas ou 8udar7lAes a situaç1o.do credor. Art.N=*. 8at@rias7(ri8as e (rodutos industrialiOados. #everC o credor (ignorat>cio cobrar o cr@dito e8(enAado.anuindo o credor.se8 o consenti8ento (or escrito do credor. Art. Pode8 ser obBeto de (enAor 8Cquinas.co8 os acessórios ou se8 eles.NN. Art.ani8ais destinados E industrialiOaç1o de carnes e derivados. ParCgra3o Dnico.N==.na 3or8a e (ara os 3ins que a lei es(ecial deter8inar.de(ositarC a i8(ortPncia recebida. *.(or neglig9ncia.8ediante instru8ento (Dblico ou (articular.NN<. "s ani8ais da 8es8a es(@cie. Uuando o devedor (retende alienar o gado e8(enAado ou.8ateriais. ParCgra3o Dnico.3ica8 sub7rogados no (enAor.ins(ecionando7as onde se acAare8(or si ou (or (essoa que credenciar. " titular de direito e8(enAado deverC entregar ao credor (ignorat>cio os docu8entos co8(robatórios desse direito.N=M. *. *. Constitui7se o (enAor de direito 8ediante instru8ento (Dblico ou (articular. Art.c@dula do res(ectivo cr@dito.ou o 8ercantil.instru8entos..sobre coisas 8óveis. Art.alienar as coisas e8(enAadasdeverC re(or outros bens da 8es8a natureOa.a8eace (reBudicar o credor.e8 3avor do credor. Art. *.a qual deverC ser averbada. (or noti3icado te87se o devedor que. Constitui7se o (enAor industrial. sal e bens destinados E e?(loraç1o das salinas.Art. $eç1o !I #o PenAor Industrial e Jercantil Art.NNK.salvo se tiver interesse leg>ti8o e8 conservC7los.que 3icar1o sub7rogados no (enAor.NN=. Regula7se (elas dis(osiçFes relativas aos ar8aO@ns gerais o (enAor das 8ercadorias neles de(ositadas.(or escrito.. $e este consistir nu8a (restaç1o (ecuniCria. *. *. Pro8etendo (agar e8 dinAeiro a d>vida. *. ParCgra3o Dnico. $eç1o !II #o PenAor de #ireitos e T>tulos de Cr@dito Art. " devedor n1o (ode. *.de acordo co8 o devedor (ignorat>cioou onde o BuiO deter8inar.ne8 delas dis(or. " devedor que.(oderC este requerer se de(osite8 os ani8ais sob a guarda de terceiro. Art. se consistir na entrega da coisa.registrado no Registro de T>tulos e #ocu8entos. . Presu8e7se a substituiç1o (revista neste artigo.registrado no Cartório de Registro de I8óveis da circunscriç1o onde estivere8 situadas as coisas e8(enAadas. ParCgra3o Dnico.assi8 que se torne e?ig>vel.suscet>veis de cess1o.e8 instru8ento (Dblico ou (articular. *.N=+.utiliOados na indDstria.nesta se sub7rogarC o (enAor. ParCgra3o Dnico.ou e?igir que se lAe (ague a d>vida de i8ediato. Pode8 ser obBeto de (enAor direitos.N=N. *. *.que garante co8 (enAor industrial ou 8ercantil.declarar7se ciente da e?ist9ncia do (enAor. " credor (ignorat>cio deve (raticar os atos necessCrios E conservaç1o e de3esa do direito e8(enAado e cobrar os Buros e 8ais (restaçFes acessórias co8(reendidas na garantia.8as n1o terC e3icCcia contra terceiros.se n1o constar de 8enç1o adicional ao res(ectivo contrato. " devedor n1o (oderC alienar os ani8ais e8(enAados se8 (r@vio consenti8ento.N=. " (enAor de cr@dito n1o te8 e3icCcia sen1o quando noti3icado ao devedor. Art.

(or escrito.NG.caso e8 que o (enAor se e?tinguirC. Te8 o credor direito a veri3icar o estado do ve>culo e8(enAado.quando este solver a obrigaç1o.NGG. *. " (enAor..avaria(ereci8ento e danos causados a terceiros. $e o 3iOer. ParCgra3o Dnico. Estando vencido o cr@dito (ignorat>cio.na 3or8a e (ara os 3ins que a lei es(ecial deter8inar. N1o se 3arC o (enAor de ve>culos se8 que esteBa8 (revia8ente segurados contra 3urto. $e o credor der quitaç1o ao devedor do t>tulo e8(enAado.deverC saldar i8ediata8ente a d>vida. I! 7 receber a i8(ortPncia consubstanciada no t>tulo e os res(ectivos Buros.registrado no Cartório de T>tulos e #ocu8entos do do8ic>lio do devedor. II 7 usar dos 8eios Budiciais convenientes (ara assegurar os seus direitos.n1o (ro8over o(ortuna8ente a cobrança.NGM.ins(ecionando7o onde se acAar.N=<.se e?ig>veis.restituindo o t>tulo ao devedor. *. ParCgra3o Dnico.a que se re3ere o artigo antecedente. *.ou a 8udança. Art.N=G. Art.ParCgra3o Dnico. " titular do cr@dito e8(enAado só (ode receber o (aga8ento co8 a anu9ncia.do credor (ignorat>cio. " devedor do t>tulo e8(enAado que receber a inti8aç1o (revista no inciso III do artigo antecedenteou se der (or ciente do (enAor. Art. *. *. Art. Constitui7se o (enAor.constitui7se 8ediante instru8ento (Dblico ou (articular ou endosso (ignorat>cio. *.NGN. *.NG=. Pode8 ser obBeto de (enAor os ve>culos e8(regados e8 qualquer es(@cie de trans(orte ou conduç1o.e os do credor do t>tulo e8(enAado. Art.do ve>culo e8(enAado se8 (r@via co8unicaç1o ao credor i8(orta no venci8ento anteci(ado do cr@dito (ignorat>cio. Art.N=K.co8(ete o direito de: I 7 conservar a (osse do t>tulo e recu(erC7la de que8 quer que o detenAa. .te8 o credor direito a reter.só ao credor (ignorat>cio.o que lAe @ devido. Pro8etendo (agar e8 dinAeiro a d>vida garantida co8 o (enAor.que recai sobre t>tulo de cr@dito.N=. Art.e anotado no certi3icado de (ro(riedade. Art.(ela (resente $eç1o.(oderC o devedor e8itir c@dula de cr@dito.enquanto durar o (enAor. III 7 3aOer inti8ar ao devedor do t>tulo que n1o (ague ao seu credor.8ediante instru8ento (Dblico ou (articular.regendo7se (elas #is(osiçFes erais deste T>tulo e. $e o 8es8o cr@dito 3or obBeto de vCrios (enAores. A alienaç1o. ou a e?cutir a coisa a ele entregue.res(onderC solidaria8ente (or este(or (erdas e danos.o devedor deve (agar. *.cuBo direito (re3ira aos de8ais. $eç1o !III #o PenAor de !e>culos Art.no que couber.(erante o credor (ignorat>cio.NG*. " (enAor de ve>culos só se (ode convencionar (elo (raOo 8C?i8o de dois anos.restituindo o restante ao devedor. *.. Art. Art.co8 a tradiç1o do t>tulo ao credor. res(onde (or (erdas e danos aos de8ais credores o credor (re3erente quenoti3icado (or qualquer u8 deles.(or si ou (or (essoa que credenciar. Ao credor.NG+.e8 cuBa garantia se constituiu o (enAor.averbada a (rorrogaç1o E 8arge8 do registro res(ectivo.e8 (enAor de t>tulo de cr@dito. *.da quantia recebida. *.n1o (oderC (agar ao seu credor.(rorrogCvel at@ o li8ite de igual te8(o.

Bóias ou dinAeiro que os seus consu8idores ou 3regueses tivere8 consigo nas res(ectivas casas ou estabeleci8entos. Art.da (ens1o ou dos g9neros 3ornecidos. Pode o locatCrio i8(edir a constituiç1o do (enAor 8ediante cauç1o idLnea.se8(re que AaBa (erigo na de8ora.N<M. I! 7 as estradas de 3erro. *.$eç1o IV #o PenAor Legal Art.requererC o credor.N<*..inde(endente8ente do solo onde se acAa8. CAP%T&L" III #a Ti(oteca $eç1o I #is(osiçFes erais Art. Art.a sua Ao8ologaç1o Budicial. $1o credores (ignorat>cios. !II 7 as aeronaves. Pode8 ser obBeto de Ai(oteca: I 7 os i8óveis e os acessórios dos i8óveis conBunta8ente co8 eles.NK*.(elas des(esas ou consu8o que a> tivere8 3eito. *. Art.. *.ato cont>nuo. *.sob (ena de nulidade do (enAor. To8ado o (enAor. *.NK*.sobre os bens 8óveis que o rendeiro ou inquilino tiver guarnecendo o 8es8o (r@dio. 'Inclu>do (ela Lei n) **. III 7 o do8>nio Dtil.sobre as bagagens. !III 7 o direito de uso es(ecial (ara 3ins de 8oradia.N<.antes de recorrere8 E autoridade BudiciCria. E8 cada u8 dos casos do art.+M. *. *..de +. *.(elos alugu@is ou rendas.NG. *.o credor (oderC to8ar e8 garantia u8 ou 8ais obBetos at@ o valor da d>vida. II 7 o do8>nio direto.ou 3ornecedores de (ousada ou ali8ento.NK*.8óveis. Art. ! 7 os recursos naturais a que se re3ere o art.N<+.de +.(r@via e ostensiva8ente e?(osta na casa.</ V 7 a (ro(riedade su(er3iciCria.NG<. 'Inclu>do (ela Lei n) **. *.. "s credores.dos (reços de Aos(edage8. II 7 o dono do (r@dio rDstico ou urbano..NG<.co8(reendidos no art.</ .NGK.(ode8 3aOer e3etivo o (enAor. A conta das d>vidas enu8eradas no inciso I do artigo antecedente serC e?tra>da con3or8e a tabela i8(ressa. 'Inclu>do (ela Lei n) **.NG<. Art.inde(endente8ente de convenç1o: I 7 os Aos(edeiros.dando aos devedores co8(rovante dos bens de que se a(ossare8..</ IV 7 o direito real de uso.de +. !I 7 os navios.

Q Mo $e o adquirente dei?ar de re8ir o i8óvel. Art.NK*.</ Q +o "s direitos de garantia institu>dos nas Ai(óteses dos incisos IV e V do ca(ut deste artigo 3ica8 li8itados E duraç1o da concess1o ou direito de su(er3>cie.suBeitando7o a e?ecuç1o.NK*.. *.de +.e3etuando o (aga8entose sub7rogarC nos direitos da Ai(oteca anterior.realiOar7se7C licitaç1o. PoderC o adquirente e?ercer a 3aculdade de abandonar o i8óvel Ai(otecado.o (reço da aquisiç1o ou o (reço (ro(osto (elo adquirente.ou o de(ositarC e8 Bu>Oo.de3erindo7lAes. se este n1o (agar. 'Renu8erado do (arCgra3o Dnico (ela Lei n) **.contados do registro do t>tulo aquisitivo.. .</ Art.Q *o A Ai(oteca dos navios e das aeronaves reger7se7C (elo dis(osto e8 lei es(ecial. *. Art.NK*. Art. 'Inclu>do (ela Lei n) **.N<=.al@8 das des(esas Budiciais da e?ecuç1o. Art. $e o (ri8eiro credor estiver (ro8ovendo a e?ecuç1o da Ai(oteca.NK.te8 o adquirente do i8óvel Ai(otecado o direito de re8i7lo. N1o se considera insolvente o devedor (or 3altar ao (aga8ento das obrigaçFes garantidas (or Ai(otecas (osteriores E (ri8eira.a (osse do i8óvel.e3etuando7se a venda Budicial a que8 o3erecer 8aior (reço.n1o (oderC e?ecutar o i8óvel antes de vencida a (ri8eira.N<K. Art.at@ as vinte e quatro Aoras subseqSentes E citaç1o. ParCgra3o Dnico. Q +o N1o i8(ugnado (elo credor.o 8es8o vier a so3rer.co8 que se inicia o (rocedi8ento e?ecutivo.u8a veO (ago ou de(ositado o (reço.abandonando7lAes o i8óvel. *.conBunta8ente.N<<. $e o devedor da obrigaç1o garantida (ela (ri8eira Ai(oteca n1o se o3erecer.citando os credores Ai(otecCrios e (ro(ondo i8(ortPncia n1o in3erior ao (reço (or que o adquiriu. *. *. Art.(oderC e?onerar7se da Ai(oteca.Aaver7se7C (or de3initiva8ente 3i?ado (ara a re8iss1o do i8óvel. " dono do i8óvel Ai(otecado (ode constituir outra Ai(oteca sobre ele. Q *o $e o credor i8(ugnar o (reço da aquisiç1o ou a i8(ortPncia o3erecida.o segundo credor.consignando a i8(ortPncia e citando o (ri8eiro credor (ara receb97la e o devedor (ara (agC7la.o credor da segunda Ai(oteca.anterior8ente E Ai(oteca. ParCgra3o Dnico. Art.se8 (reBu>Oo dos que lAe co8(etire8 contra o devedor co8u8. *.3icarC obrigado a ressarcir os credores Ai(otecCrios da desvaloriOaç1o que. $ubsiste8 os Lnus reais constitu>dos e registrados.se o i8óvel 3or alienado.o credor da segunda (ode (ro8over7lAe a e?tinç1o. *. ParCgra3o Dnico.e8 3avor do 8es8o ou de outro credor.8elAora8entos ou construçFes do i8óvel. " adquirente do i8óvel Ai(otecado. Pode convencionar7se que vencerC o cr@dito Ai(otecCrio.8ediante novo t>tulo.(ara (agC7la. $alvo o caso de insolv9ncia do devedor.que 3icarC livre de Ai(oteca.sobre o 8es8o i8óvel.caso tenAa8 sido trans3eridos (or (er>odo deter8inado.N<..de +.o credor da segunda de(ositarC a i8(ortPncia do d@bito e as des(esas Budiciais..(or sua cul(a.N<G.desde que n1o se tenAa obrigado (essoal8ente a (agar as d>vidas aos credores Ai(otecCrios. " adquirente noti3icarC o vendedor e os credores Ai(otecCrios. A Ai(oteca abrange todas as acessFes.no venci8ento.N<N.e8bora vencida. #entro e8 trinta dias.assegurada (re3er9ncia ao adquirente do i8óvel. ParCgra3o Dnico. *. R nula a clCusula que (ro>be ao (ro(rietCrio alienar i8óvel Ai(otecado.

NKN.ou ao 8ontante da d>vida.requerida (or a8bas as (artes. Pode o credor Ai(otecCrio.desde que deter8inado o valor 8C?i8o do cr@dito a ser garantido..(ara (aga8ento de seu cr@dito. 'trinta/ anos da data do contrato.(oderC (rorrogar7se a Ai(oteca. A lei con3ere Ai(oteca: I 7 Es (essoas de direito (Dblico interno 'art. ParCgra3o Dnico.o que.re8ir o i8óvel Ai(otecado. Art.ou se nele se constituir condo8>nio edil>cio.ou insolv9ncia.autoriOar a e8iss1o da corres(ondente c@dula Ai(otecCria.obedecida a (ro(orç1o entre o valor de cada u8 deles e o cr@dito.dese8bolsar co8 o (aga8ento da Ai(oteca i8(ortPncia e?cedente E da co8(ra e o que su(ortar custas e des(esas Budiciais. R l>cito aos interessados 3aOer constar das escrituras o valor entre si aBustado dos i8óveis Ai(otecados.na 3or8a e (ara os 3ins (revistos e8 lei es(ecial. Art.NK. Art.dado e8 garantia Ai(otecCria. $eç1o II #a Ti(oteca Legal Art. A Ai(oteca (ode ser constitu>da (ara garantia de d>vida 3utura ou condicionada.NKG. N*/ sobre os i8óveis (ertencentes aos encarregados da cobrançaguarda ou ad8inistraç1o dos res(ectivos 3undos e rendas. .. *.NM. *.se n1o tiver Aavido licitantes.a e?ecuç1o da Ai(oteca de(enderC de (r@via e e?(ressa concordPncia do devedor quanto E veri3icaç1o da condiç1o. Q *o " credor só (oderC se o(or ao (edido de des8e8bra8ento do Lnus. *.at@ M.(or (erdas e danos.serC a base (ara as arre8ataçFes. *. *.NK+.NKK. ReconAecido este.o devedor res(onderC. Art. *.at@ a assinatura do auto de arre8ataç1o ou at@ que seBa (ublicada a sentença de adBudicaç1o. Q +o Tavendo diverg9ncia entre o credor e o devedor.só (oderC subsistir o contrato de Ai(oteca reconstituindo7se (or novo t>tulo e novo registro.o direito de re8iç1o de3ere7se E 8assaou aos credores e8 concurso. e.vier a ser loteado.devida8ente atualiOado.do devedor Ai(otecCrio.(rovando que o 8es8o i8(orta e8 di8inuiç1o de sua garantia. Q +o $alvo convenç1o e8 contrCrio.(oderC o Lnus ser dividido.NKM.que ent1o lAe co8(etir.inclusive.nesse caso.de +. $e o i8óvel. *.NK<. Jediante si8(les averbaç1o.ou ao do 8aior lance o3erecido.o que (agar a Ai(oteca. Art.o3erecendo (reço igual ao da avaliaç1o.n1o (odendo o credor recusar o (reço da avaliaç1o do i8óvel..gravando cada lote ou unidade autLno8a.caberC Equele 3aOer (rova de seu cr@dito. Q *o Nos casos deste artigo.Q No #is(orC de aç1o regressiva contra o vendedor o adquirente que 3icar (rivado do i8óvel e8 conseqS9ncia de licitaç1o ou (enAora. *. Igual direito caberC ao cLnBuge.se o requerere8 ao BuiO o credoro devedor ou os donos. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *.o e?ecutado (oderC.o qual. Q Mo " des8e8bra8ento do Lnus n1o e?onera o devedor originCrio da res(onsabilidade a que se re3ere o art. Pode8 o credor e o devedor.adBudicaçFes e re8içFesdis(ensada a avaliaç1o.N/ Art. Art.NK=.(or causa de adBudicaç1o ou licitaç1o. No caso de 3al9ncia.requerer a adBudicaç1o do i8óvel avaliado e8 quantia in3erior Equele.e8 raO1o da su(erveniente desvaloriOaç1o do i8óvel.aos descendentes ou ascendentes do e?ecutado. #esde que (er3aça esse (raOo.salvo anu9ncia do credor.desde que d9 quitaç1o (ela sua totalidade..M*. RealiOada a (raça..todas as des(esas Budiciais ou e?traBudiciais necessCrias ao des8e8bra8ento do Lnus corre8 (or conta de que8 o requerer. *.no ato constitutivo da Ai(oteca.lAe serC 8antida a (reced9ncia.

*.requerer o registro da Ai(oteca.ainda assi8.(ara satis3aç1o do dano causado (elo delito e (aga8ento das des(esas Budiciais.N. Q *o " registro e a es(ecialiOaç1o das Ai(otecas legais incu8be8 a que8 estC obrigado a (restar a garantia8as os interessados (ode8 (ro8over a inscriç1o delas.ou aos seus Aerdeiros.a crit@rio do BuiO.ou que8 o re(resente. *. I! 7 ao co7Aerdeiro.N.de(ois de a (renotar. .a requeri8ento do devedor.se8 que se requeira a inscriç1o desta. Q +o As (essoas. $eç1o III #o Registro da Ti(oteca Art. Art. Art.e?ibido o t>tulo. ParCgra3o Dnico.a (renotaç1o do (edido. Art. ou (or outra garantia. esgotado o (raOo.salvo se as escrituras. " credor da Ai(oteca legal.N. *.aguardando que o interessado inscreva a (recedente. *.e8 co8(letando vinte anos.indicare8 a Aora e8 que 3ora8 lavradas.(oderC.cancelada esta..K.ou u8a Ai(oteca e outro direito real.+.N.sobre os i8óveis do (ai ou da 81e que (assar a outras nD(cias.do 8es8o dia. Art.Es quais incu8bir o registro e a es(ecialiOaç1o das Ai(otecas legais..N.sobre o i8óvel adBudicado ao Aerdeiro re(onente.o o3icial 3arC.se o t>tulo se re3erir a 8ais de u8. ParCgra3o Dnico.a Ai(oteca ulterior serC registrada e obterC (re3er9ncia. A Ai(oteca legal (ode ser substitu>da (or cauç1o de t>tulos da d>vida (Dblica 3ederal ou estadualrecebidos (elo valor de sua cotaç1o 8>ni8a no ano corrente.N.=. As Ai(otecas ser1o registradas no cartório do lugar do i8óvel.(rovando a insu3ici9ncia dos i8óveis es(ecialiOados.o registro e3etuar7se7C co8 o 8es8o nD8ero que teria na data da (renotaç1o.ou no de cada u8 deles.de qualquer natureOa. *. " nD8ero de orde8 deter8ina a (rioridade. !ale o registro da Ai(oteca. Art.deve ser renovada. no caso contrCrio.sobre o 8es8o i8óvel.II 7 aos 3ilAos. ! 7 ao credor sobre o i8óvel arre8atado.(ara garantia do (aga8ento do restante do (reço da arre8ataç1o.(ara garantia do seu quinA1o ou torna da (artilAa.dever1o ser registradas e es(ecialiOadas.veri3icando7se ela (ela da sua nu8eraç1o sucessiva no (rotocolo.est1o suBeitas a (erdas e danos (ela o8iss1o.M.e esta a (re3er9ncia entre as Ai(otecas. III 7 ao o3endido. Co8(ete aos interessados. *.antes de 3aOer o inventCrio do casal anterior.N. Art. *.N.G. Art.dentro e8 noventa dias.*.<.sobre os i8óveis do delinqSente.enquanto a obrigaç1o (erdurar. *.sobrestarC ele na inscriç1o da nova.N.e?igir do devedor que seBa re3orçado co8 outros. 8as a es(ecialiOaç1o. Uuando se a(resentar ao o3icial do registro t>tulo de Ai(oteca que 8encione a constituiç1o de anteriorn1o registrada. "s registros e averbaçFes seguir1o a orde8 e8 que 3ore8 requeridas.ou solicitar ao Jinist@rio PDblico que o 3aça.e8 3avor de (essoas diversas. As Ai(otecas legais. $e a dDvida.3or Bulgada i8(rocedente. N1o se registrar1o no 8es8o dia duas Ai(otecas.receberC o registro o nD8ero corres(ondente E data e8 que se tornar a requerer. *. $e tiver dDvida sobre a legalidade do registro requerido.N. Art.at@ trinta dias.

E de suas linAas.ceder7lAe o direito de (erceber. Q *o R (er8itido esti(ular que os 3rutos e rendi8entos do i8óvel seBa8 (ercebidos (elo credor E conta de Buros8as se o seu valor ultra(assar a ta?a 8C?i8a (er8itida e8 lei (ara as o(eraçFes 3inanceiras.que a ad8inistraç1o deliberar.a arre8ataç1o ou adBudicaç1o. !I 7 (ela arre8ataç1o ou adBudicaç1o. A Ai(oteca serC circunscrita E linAa ou Es linAas es(eci3icadas na escritura e ao res(ectivo 8aterial de e?(loraç1o.ou no seu 8aterial.de seus ra8ais ou de (arte considerCvel do 8aterial de e?(loraç1o. Art.*.M. .re8ir a estrada de 3erro Ai(otecada.se8 que tenAa8 sido noti3icados Budicial8ente os res(ectivos credores Ai(otecCrios.+.N. Art. Q +o Uuando a anticrese recair sobre be8 i8óvel.e8 co8(ensaç1o da d>vida.ne8 contrariar as 8odi3icaçFes.de sua ad8inistraç1o. "s credores Ai(otecCrios n1o (ode8 e8baraçar a e?(loraç1o da linAa.=. Art. Pode o devedor ou outre8 (or ele. *.(agando o (reço da arre8ataç1o ou da adBudicaç1o. *.assi8 co8o o i8óvel Ai(otecado (oderC ser dado e8 anticrese.os 3rutos e rendi8entos. *.o re8anescente serC i8(utado ao ca(ital.. As Ai(otecas sobre as estradas de 3erro ser1o registradas no Junic>(io da estaç1o inicial da res(ectiva linAa.. *. *.no Registro de I8óveis. E?tingue7se ainda a Ai(oteca co8 a averbaç1o.=. III 7 (ela resoluç1o da (ro(riedade. *. Na e?ecuç1o das Ai(otecas serC inti8ado o re(resentante da &ni1o ou do Estado..=.N.que n1o 3ore8 de qualquer 8odo (artes na e?ecuç1o.8as deverC a(resentar anual8ente balanço.=. *.se8(re que co8 isso a garantia do d@bito en3raquecer. N1o e?tinguirC a Ai(oteca. Art.<.dentro e8 quinOe dias. *.=.este (oderC ser Ai(otecado (elo devedor ao credor anticr@ticoou a terceiros. II 7 (elo (ereci8ento da coisa.=. CAP%T&L" I! #a Anticrese Art. Art.devida8ente registrada.co8 a entrega do i8óvel ao credor.. I! 7 (ela renDncia do credor. " credor anticr@tico (ode ad8inistrar os bens dados e8 anticrese e 3ruir seus 3rutos e utilidades.no estado e8 que ao te8(o da e?ecuç1o estivere8.G.e8 suas de(end9ncias.no leito da estrada. 8as os credores Ai(otecCrios (oder1o o(or7se E venda da estrada.$eç1o I! #a E?tinç1o da Ti(oteca Art. *. A Ai(oteca e?tingue7se: I 7 (ela e?tinç1o da obrigaç1o (rinci(al.(ara. Art.=. be8 co8o E 3us1o co8 outra e8(resa.do cancela8ento do registroE vista da res(ectiva (rova. $eç1o ! #a Ti(oteca de !ias F@rreas Art.=.e?ato e 3iel.=. ! 7 (ela re8iç1o.

*. " casa8ento estabelece co8unA1o (lena de vida.salvo (acto e8 sentido contrCrio. " registro do casa8ento religioso sub8ete7se aos 8es8os requisitos e?igidos (ara o casa8ento civil. Q +o " credor anticr@tico (ode. *.desde que . *.3i?ando o BuiO o valor 8ensal do aluguel. Art.=*M. " casa8ento religioso.at@ ser (ago.(oderC i8(ugnC7lo.Q *o $e o devedor anticr@tico n1o concordar co8 o que se cont@8 no balanço.(roduOindo e3eitos a (artir da data de sua celebraç1o.o i8óvel vier a so3rer.sob as (enas da lei.(or sua neglig9ncia.requerer a trans3or8aç1o e8 arrenda8ento. Q *o $e e?ecutar os bens (or 3alta de (aga8ento da d>vida.=*=. ParCgra3o Dnico. " credor anticr@tico (ode vindicar os seus direitos contra o adquirente dos bens.e8bora o aluguel desse arrenda8ento n1o seBa vinculativo (ara o devedor. " adquirente dos bens dados e8 anticrese (oderC re8i7los. " casa8ento se realiOa no 8o8ento e8 que o Ao8e8 e a 8ulAer 8ani3esta8.se 3or o caso.desde que registrado no registro (ró(rio. LI!R" I! #o #ireito de Fa8>lia T%T&L" I #o #ireito Pessoal $&2T%T&L" I #o Casa8ento CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art. " casa8ento @ civil e gratuita a sua celebraç1o.se o quiser.equi(ara7 se a este. Art. Art.. *.os credores quirogra3Crios e os Ai(otecCrios (osteriores ao registro da anticrese.e o BuiO os declara casados.co8 relaç1o E desa(ro(riaç1o.se 3ore8 desa(ro(riados os bens.=.o qual (oderC ser corrigido anual8ente.direito de retenç1o do i8óvel. *.ou ruinosa a ad8inistraç1o.=*N.ou (or iniciativa de qualquer interessado.=*G.o registro e a (ri8eira certid1o ser1o isentos de selose8olu8entos e custas.inter3erir na co8unA1o de vida institu>da (ela 3a8>lia.que atender Es e?ig9ncias da lei (ara a validade do casa8ento civil. Art.(or cul(a sua.se8 o(or o seu direito de retenç1o ao e?eqSente.(ara as (essoas cuBa (obreOa 3or declarada.a sua vontade de estabelecer v>nculo conBugal. Art.(or ser ine?ato.e (elos 3rutos e rendi8entos que..K.de direito (Dblico ou (rivado. *. Art.e. " credor anticr@tico res(onde (elas deterioraçFes que. A Aabilitaç1o (ara o casa8ento.=*. R de3eso a qualquer (essoa.=.n1o terC (re3er9ncia sobre o (reço. Q +o " credor anticr@tico n1o terC (re3er9ncia sobre a indeniOaç1o do seguro.arrendar os bens dados e8 anticrese a terceiro8antendo.ou (er8itir que outro credor o e?ecute.. *.=*+. Art.na sua (osse.=**. *.(erante o BuiO.co8 base na igualdade de direitos e deveres dos cLnBuges. Art.quando o (r@dio seBa destru>done8.(agando a sua totalidade E data do (edido de re8iç1o e i8itir7se7C. *.antes do venci8ento da d>vida. Q *o " registro civil do casa8ento religioso deverC ser (ro8ovido dentro de noventa dias de sua realiOaç1o8ediante co8unicaç1o do celebrante ao o3>cio co8(etente.dei?ar de (erceber.

=*<.(ode ser su(rida (elo BuiO. *. A denegaç1o do consenti8ento. Art.8ediante (r@via Aabilitaç1o (erante a autoridade co8(etente e observado o (raOo do art. *.. *. "s i8(edi8entos (ode8 ser o(ostos.AaBa sido Ao8ologada (revia8ente a Aabilitaç1o regulada neste Código. " Ao8e8 e a 8ulAer co8 deOesseis anos (ode8 casar.at@ o 8o8ento da celebraç1o do casa8ento.GM*. !II 7 o cLnBuge sobrevivente co8 o condenado (or Ao8ic>dio ou tentativa de Ao8ic>dio contra o seu consorte.at@ o terceiro grau inclusive. $e Aouver diverg9ncia entre os (ais.tiver conAeci8ento da e?ist9ncia de algu8 i8(edi8ento.seBa o (arentesco natural ou civil. III 7 o adotante co8 que8 3oi cLnBuge do adotado e o adotado co8 que8 o 3oi do adotante. A(ós o re3erido (raOo. CAP%T&L" I! #as causas sus(ensivas Art.unilaterais ou bilaterais.=+*.a requeri8ento do casal.enquanto n1o atingida a 8aioridade civil..a qualquer te8(o.=+. $e o BuiO.=+M.=*K. Art.=M+. CAP%T&L" III #os I8(edi8entos Art.terC e3eitos civis se.serC (er8itido o casa8ento de que8 ainda n1o alcançou a idade nDbil 'art.quando inBusta. N1o deve8 casar: . N1o (ode8 casar: I 7 os ascendentes co8 os descendentes. *.no registro civil. *. *.e?igindo7se autoriOaç1o de a8bos os (aisou de seus re(resentantes legais. *. ! 7 o adotado co8 o 3ilAo do adotante. ParCgra3o Dnico. II 7 os a3ins e8 linAa reta.celebrado se8 as 3or8alidades e?igidas neste Código. Q +o " casa8ento religioso. E?ce(cional8ente.=++.tutores ou curadores revogar a autoriOaç1o.o registro de(enderC de nova Aabilitaç1o. ParCgra3o Dnico.(or qualquer (essoa ca(aO. !I 7 as (essoas casadas.a(lica7se o dis(osto no (arCgra3o Dnico do art.ou o o3icial de registro.antes dele.qualquer dos consorciados Aouver contra>do co8 outre8 casa8ento civil. At@ E celebraç1o do casa8ento (ode8 os (ais. Q Mo $erC nulo o registro civil do casa8ento religioso se. CAP%T&L" II #a Ca(acidade PARA " CA$AJENT" Art. Art. *=*</(ara evitar i8(osiç1o ou cu8(ri8ento de (ena cri8inal ou e8 caso de gravideO.e de8ais colaterais. *. I! 7 os ir81os.serC obrigado a declarC7lo. Art.3or registrado.=*. *.

ou da dissoluç1o da sociedade conBugal.(oderC dis(ensar a (ublicaç1o.co8 a (essoa tutelada ou curatelada.ou a 8ulAer cuBo casa8ento se des3eO (or ser nulo ou ter sido anulado.de sentença declaratória de nulidade ou de anulaç1o de casa8entotransitada e8 Bulgado.=+<. Art.(or (rocurador.e. II 7 a viDva.be8 co8o sobre os diversos regi8es de bens. I! 7 o tutor ou o curador e os seus descendentes. Art.=+N.enquanto n1o Aouver sido Ao8ologada ou decidida a (artilAa dos bens do casal. CAP%T&L" ! #o Processo de Tabilitaç1o PARA " CA$AJENT" Art.seBa8 consangS>neos ou a3ins.do do8ic>lio e da resid9ncia atual dos contraentes e de seus (ais.a nubente deverC (rovar nasci8ento de 3ilAo.. 'Inclu>do (ela Lei n) *+..seBa8 ta8b@8 consangS>neos ou a3ins.e n1o estivere8 saldadas as res(ectivas contas.=+=.at@ deO 8eses de(ois do co8eço da viuveO.ou ine?ist9ncia de gravideO.a seu (edido.de +. R (er8itido aos nubentes solicitar ao BuiO que n1o lAes seBa8 a(licadas as causas sus(ensivas (revistas nos incisos I.. I! 7 declaraç1o do estado civil.I 7 o viDvo ou a viDva que tiver 3ilAo do cLnBuge 3alecido.a Aabilitaç1o serC sub8etida ao BuiO.=+K.se Aouver. *. " requeri8ento de Aabilitaç1o (ara o casa8ento serC 3ir8ado (or a8bos os nubentes. no caso do inciso II.=+G..enquanto n1o 3iOer inventCrio dos bens do casal e der (artilAa aos Aerdeiros.ou.ir81os. R dever do o3icial do registro esclarecer os nubentes a res(eito dos 3atos que (ode8 ocasionar a invalidade do casa8ento.(ara o Aerdeiro. ParCgra3o Dnico.ascendentes. *. ! 7 certid1o de óbito do cLnBuge 3alecido. Caso AaBa i8(ugnaç1o do o3icial. II 7 autoriOaç1o (or escrito das (essoas sob cuBa de(end9ncia legal estivere8. *.na 3lu9ncia do (raOo.e deve ser instru>do co8 os seguintes docu8entos: I 7 certid1o de nasci8ento ou docu8ento equivalente.se (ublicarC na i8(rensa local.co8 a audi9ncia do Jinist@rio PDblico.se 3ore8 conAecidos. As causas sus(ensivas da celebraç1o do casa8ento (ode8 ser argSidas (elos (arentes e8 linAa reta de u8 dos nubentes.de +.o o3icial e?trairC o edital.e (elos colaterais e8 segundo grau. A autoridade co8(etente.do Jinist@rio PDblico ou de terceiro. ParCgra3o Dnico.(rovando7se a ine?ist9ncia de (reBu>Oo.III e I! deste artigo. A Aabilitaç1o serC 3eita (essoal8ente (erante o o3icial do Registro Civil.que se a3i?arC durante quinOe dias nas circunscriçFes do Registro Civil de a8bos os nubentes. *./ !ig9ncia Art. III 7 declaraç1o de duas teste8unAas 8aiores. *.ou do registro da sentença de divórcio. Estando e8 orde8 a docu8entaç1o. III 7 o divorciado.ou ato Budicial que a su(ra.(ara o e?7cLnBuge e (ara a (essoa tutelada ou curatelada.cunAados ou sobrinAos.de (ró(rio (unAo.res(ectiva8ente.(arentes ou n1o. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *+./ !ig9ncia ParCgra3o Dnico.enquanto n1o cessar a tutela ou curatela. .obrigatoria8ente. Art.que ateste8 conAec97los e a3ir8e8 n1o e?istir i8(edi8ento que os iniba de casar.*MM.*MM.Aavendo urg9ncia.

=+< e veri3icada a ine?ist9ncia de 3ato obstativo. !II 7 o regi8e do casa8ento.co8 toda (ublicidade.=M. Q *o Uuando o casa8ento 3or e8 edi3>cio (articular. *.o o3icial do registro e?trairC o certi3icado de Aabilitaç1o.quando o regi8e n1o 3or o da co8unA1o (arcial. " instru8ento da autoriOaç1o (ara casar transcrever7se7C integral8ente na escritura antenu(cial.sobreno8es. Cu8(ridas as 3or8alidades dos arts.Art.=M<. A solenidade realiOar7se7C na sede do cartório. !I 7 o (reno8e.ser1o e?arados: I 7 os (reno8es.sobreno8e.(ro3iss1o.8ediante (etiç1o dos contraentes. Celebrar7se7C o casa8ento. No assentoassinado (elo (residente do ato.instru>da co8 as (rovas do 3ato alegado.=+G e *.indicando os 3unda8entos.querendo as (artes e consentindo a autoridade celebrante.=+.=MG. Art.de vos receberdes (or 8arido e 8ulAer. *. Art.=MK.=MM. Art.a contar da data e8 que 3oi e?tra>do o certi3icado.(resentes (elo 8enos duas teste8unAas. A e3icCcia da Aabilitaç1o serC de noventa dias. #o casa8ento. A celebraç1o do casa8ento serC i8ediata8ente sus(ensa se algu8 dos contraentes: . II 7 os (reno8es.vos declaro casados.=MN.as (rovas e o no8e de que8 a o3ereceu.eu.. *. *.=M=.=M*. III 7 o (reno8e e sobreno8e do cLnBuge (recedente e a data da dissoluç1o do casa8ento anterior. *.noutro edi3>cio (Dblico ou (articular. ! 7 a relaç1o dos docu8entos a(resentados ao o3icial do registro. ParCgra3o Dnico. Presentes os contraentes. I! 7 a data da (ublicaç1o dos (rocla8as e da celebraç1o do casa8ento.datas de nasci8ento ou de 8orte. *. Art. CAP%T&L" !I #a Celebraç1o do Casa8ento Art.logo de(ois de celebrado.nestes ter8os:X#e acordo co8 a vontade que a8bos acabais de a3ir8ar (erante 8i8. *.=M+.X Art.(arentes ou n1o dos contraentes.=M*. *.do8ic>lio e resid9ncia atual dos (ais.ouvida aos nubentes a a3ir8aç1o de que (retende8 casar (or livre e es(ontPnea vontade.e (ro8over as açFes civis e cri8inais contra o o(onente de 8C73@.e8 no8e da lei. *. Tanto os i8(edi8entos quanto as causas sus(ensivas ser1o o(ostos e8 declaraç1o escrita e assinada.o (residente do ato.(elos cLnBuges.Bunta8ente co8 as teste8unAas e o o3icial do registro. Q +o $er1o quatro as teste8unAas na Ai(ótese do (arCgra3o anterior e se algu8 dos contraentes n1o souber ou n1o (uder escrever.e o o3icial do registro.(ro3iss1o.as teste8unAas. Art.Aora e lugar (revia8ente designados (ela autoridade que Aouver de (residir o ato.ou. Art.ou o obrigatoria8ente estabelecido.e8 (essoa ou (or (rocurador es(ecial.lavrar7se7C o assento no livro de registro.a (ortas abertas. " o3icial do registro darC aos nubentes ou a seus re(resentantes nota da o(osiç1o. *.ou co8 a indicaç1o do lugar onde (ossa8 ser obtidas.declararC e3etuado o casa8ento. Pode8 os nubentes requerer (raOo raOoCvel (ara 3aOer (rova contrCria aos 3atos alegados. *.datas de nasci8ento.sobreno8es.co8 a declaraç1o da data e do cartório e8 cuBas notas 3oi lavrada a escritura antenu(cial.que se 8ostre8 Aabilitados co8 a certid1o do art.do8ic>lio e resid9ncia atual dos cLnBuges. *.no dia. Art.do8ic>lio e resid9ncia atual das teste8unAas..3icarC este de (ortas abertas durante o ato.

Q +o !eri3icada a idoneidade dos cLnBuges (ara o casa8ento. Q No " assento assi8 lavrado retrotrairC os e3eitos do casa8ento. .(edindo que lAes to8e (or ter8o a declaraç1o de: I 7 que 3ora8 convocadas (or (arte do en3er8o. Q Mo $e da decis1o n1o se tiver recorrido. Art.ne8 a de seu substituto.receber7se (or 8arido e 8ulAer. 8as.=N*. III 7 8ani3estar7se arre(endido.celebrado o casa8ento se8 que o 8andatCrio ou o outro contraente tivesse8 ci9ncia da revogaç1o.3icando arquivado. No caso de 8ol@stia grave de u8 dos nubentes.e a do o3icial do Registro Civil (or outro ad Aoc.(or algu8 dos 3atos 8encionados neste artigo.na colateral. Q =o $er1o dis(ensadas as 3or8alidades deste e do artigo antecedente.quanto ao estado dos cLnBuges.dentro e8 deO dias.serC registrado no res(ectivo registro dentro e8 cinco dias(erante duas teste8unAas.ainda que E noite.at@ segundo grau. *.e8 sua (resença. Art. " nubente que.que co8 os nubentes n1o tenAa8 (arentesco e8 linAa reta. *.dentro e8 quinOe dias..lavrado (elo o3icial ad Aoc.se o en3er8o convalescer e (uder rati3icar o casa8ento na (resença da autoridade co8(etente e do o3icial do registro. *. Art. Art.. Q *o A 3alta ou i8(edi8ento da autoridade co8(etente (ara (residir o casa8ento su(rir7se7C (or qualquer dos seus substitutos legais.ou.o (residente do ato irC celebrC7lo onde se encontrar o i8(edido.ou se ela (assar e8 Bulgado.assi8 o decidirC a autoridade co8(etente.(erante duas teste8unAas que saiba8 ler e escrever.res(onderC o 8andante (or (erdas e danos.(oderC o casa8ento ser celebrado na (resença de seis teste8unAas. " casa8ento (ode celebrar7se 8ediante (rocuraç1o.8as e8 seu Bu>Oo.ouvidos os interessados que o requerere8.co8 recurso voluntCrio Es (artes. Q *o A revogaç1o do 8andato n1o necessita cAegar ao conAeci8ento do 8andatCrio.deve8 as teste8unAas co8(arecer (erante a autoridade Budicial 8ais (ró?i8a.o BuiO (rocederC Es dilig9ncias necessCrias (ara veri3icar se os contraentes (odia8 ter7se Aabilitado.=N+.livre e es(ontanea8ente.=M.no8eado (elo (residente do ato. II 7 que este (arecia e8 (erigo de vida. Q +o " ter8o avulso.=N.o BuiO 8andarC registrC7la no livro do Registro dos Casa8entos.n1o obtendo a (resença da autoridade E qual incu8ba (residir o ato.(or instru8ento (Dblico. ParCgra3o Dnico. Uuando algu8 dos contraentes estiver e8 i8inente risco de vida.E data da celebraç1o.declarara8 os contraentes.sendo urgente.a(esar dos recursos inter(ostos.I 7 recusar a solene a3ir8aç1o da sua vontade.co8 (oderes es(eciais. II 7 declarar que esta n1o @ livre e es(ontPnea. Q *o Autuado o (edido e to8adas as declaraçFes.na 3or8a ordinCria. III 7 que. *.der causa E sus(ens1o do aton1o serC ad8itido a retratar7se no 8es8o dia. RealiOado o casa8ento.

" casa8ento de (essoas que.ou tenAa8 3alecido. *. *. II 7 (or in3ring9ncia de i8(edi8ento.deverC ser registrado e8 cento e oitenta dias. R nulo o casa8ento contra>do: I 7 (elo en3er8o 8ental se8 o necessCrio discerni8ento (ara os atos da vida civil. !I 7 (or inco8(et9ncia da autoridade celebrante.e n1o sobrevindo coabitaç1o entre os cLnBuges.(or qualquer interessado. *.(erante as res(ectivas autoridades ou os cLnsules brasileiros.=NN. Art.na (osse do estado de casadas.Bulgar7se7C (elo casa8ento.tanto no que toca aos cLnBuges co8o no que res(eita aos 3ilAostodos os e3eitos civis desde a data do casa8ento.quando contraiu o casa8ento i8(ugnado. Art.cuBo casa8ento se i8(ugna.ou (elo Jinist@rio PDblico. ! 7 realiOado (elo 8andatCrio.o consenti8ento..celebrado no estrangeiro.e8 sua 3alta.no * o "3>cio da Ca(ital do Estado e8 que (assare8 a residir.se os cLnBuges. *.(elos 8otivos (revistos no artigo antecedente. A decretaç1o de nulidade de casa8ento.nos ter8os dos arts. Art. *.no cartório do res(ectivo do8ic>lio. III 7 (or v>cio da vontade.de 8odo inequ>voco. 4usti3icada a 3alta ou (erda do registro civil.Q +o " nubente que n1o estiver e8 i8inente risco de vida (oderC 3aOer7se re(resentar no casa8ento nuncu(ativo. R anulCvel o casa8ento: I 7 de que8 n1o co8(letou a idade 8>ni8a (ara casar.=N=.a contar da volta de u8 ou de a8bos os cLnBuges ao 2rasil. II 7 do 8enor e8 idade nDbil. " casa8ento celebrado no 2rasil (rova7se (ela certid1o do registro.==.=N<.==G a *. ParCgra3o Dnico.=N. *.ou.=NK. CAP%T&L" !II #as Provas do Casa8ento Art. Uuando a (rova da celebraç1o legal do casa8ento resultar de (rocesso Budicial.se8 que ele ou o outro contraente soubesse da revogaç1o do 8andato. *.@ ad8iss>vel qualquer outra es(@cie de (rova. *.==K. " casa8ento de brasileiro. Na dDvida entre as (rovas 3avorCveis e contrCrias.=NG..salvo 8ediante certid1o do Registro Civil que (rove que BC era casada algu8a delas. *. Art. I! 7 do inca(aO de consentir ou 8ani3estar.o registro da sentença no livro do Registro Civil (roduOirC.quando n1o autoriOado (or seu re(resentante legal. Q No $ó (or instru8ento (Dblico se (oderC revogar o 8andato. Art. Q Mo A e3icCcia do 8andato n1o ultra(assarC noventa dias.(ode ser (ro8ovida 8ediante aç1o direta. .=NM. CAP%T&L" !III #a Invalidade do Casa8ento Art.n1o se (ode contestar e8 (reBu>Oo da (role co8u8.n1o (ossa8 8ani3estar vontade.vivere8 ou tivere8 vivido na (osse do estado de casados. Art.

" casa8ento do 8enor e8 idade nDbil.(or iniciativa do inca(aO. Art.quando o consenti8ento de u8 ou de a8bos os cLnBuges Aouver sido ca(tado 8ediante 3undado te8or de 8al considerCvel e i8inente (ara a vida. *. *. Equi(ara7se E revogaç1o a invalidade do 8andato Budicial8ente decretada.se necessCria. *.con3ir8ar seu casa8ento.o casa8ento de que resultou gravideO.==*.sendo esse erro tal que o seu conAeci8ento ulterior torne insu(ortCvel a vida e8 co8u8 ao cLnBuge enganado. *.ao consentir.(or qualquer 8odo.ca(aO de (Lr e8 risco a saDde do outro cLnBuge ou de sua descend9ncia.co8 a autoriOaç1o de seus re(resentantes legais.==M. Art. *. Art. a (artir do casa8ento.==<.ou de 8ol@stia grave e trans8iss>vel.. *.anterior ao casa8ento. R anulCvel o casa8ento e8 virtude de coaç1o. $ubsiste o casa8ento celebrado (or aquele que.ou so3reu coaç1o.erro essencial quanto E (essoa do outro.(ode de8andar a anulaç1o do casa8ento. Art. *.ou tivere8. III 7 (or seus ascendentes. Considera7se erro essencial sobre a (essoa do outro cLnBuge: I 7 o que diO res(eito E sua identidade.de doença 8ental grave que.se Aouve (or (arte de u8 dos nubentes. *.(or sua natureOa. *. Art.==<.no segundo.quando n1o autoriOado (or seu re(resentante legal. $o8ente o cLnBuge que incidiu e8 erro.. e.Aavendo ci9ncia do v>cio. Q +o N1o se anularC o casa8ento quando E sua celebraç1o Aouvere8 assistido os re(resentantes legais do inca(aO.nessa qualidade.no caso do inciso I! do art.@ de: I 7 cento e oitenta dias.==N.ressalvadas as Ai(óteses dos incisos III e I! do art.de de3eito 3>sico irre8ediCvel. Art. " (raOo (ara ser intentada a aç1o de anulaç1o do casa8ento. Art.anterior ao casa8ento.ao dei?ar de s97lode seus re(resentantes legais ou de seus Aerdeiros necessCrios. III 7 a ignorPncia.no terceiro.(elo contCgio ou Aerança.se8 (ossuir a co8(et9ncia e?igida na lei.==G.no (ri8eiro caso.=G.==. I! 7 a ignorPncia. .==.(or 8otivo de idade. *.e?ercer (ublica8ente as 3unçFes de BuiO de casa8entos e.sua Aonra e boa 3a8a.a saDde e a Aonra.valida o ato.sua ou de seus 3a8iliares. " 8enor que n1o atingiu a idade nDbil (oderC. Art.que.ou co8 su(ri8ento Budicial.tiver registrado o ato no Registro Civil.a contar da data da celebraç1o. " casa8ento (ode ser anulado (or v>cio da vontade.de(ois de co8(letC7la.da 8orte do inca(aO.==+. A anulaç1o do casa8ento dos 8enores de deOesseis anos serC requerida: I 7 (elo (ró(rio cLnBuge 8enor.ParCgra3o Dnico.===. 8as a coabitaç1o.8ani3estado sua a(rovaç1o. *. II 7 (or seus re(resentantes legais.torne insu(ortCvel a vida e8 co8u8 ao cLnBuge enganado. II 7 a ignorPncia de cri8e. Art. Q *o " (raOo estabelecido neste artigo serC contado do dia e8 que cessou a inca(acidade.torne insu(ortCvel a vida conBugal.(or sua natureOa.anterior ao casa8ento.==K.. *. N1o se anularC.só (oderC ser anulado se a aç1o 3or (ro(osta e8 cento e oitenta dias. Art.

Art.e8 relaç1o a estes co8o aos 3ilAos. Art. Uuando o casa8ento 3or anulado (or cul(a de u8 dos cLnBuges.(ara seus re(resentantes legais ou ascendentes.==. Art.co8(etindo ao Estado (ro(iciar recursos educacionais e 3inanceiros (ara o e?erc>cio desse direito. *. Q +o " (laneBa8ento 3a8iliar @ de livre decis1o do casal.II 7 dois anos.==<. A sentença que decretar a nulidade do casa8ento retroagirC E data da sua celebraç1o.o (raOo (ara anulaç1o do casa8ento @ de cento e oitenta dias.(or terceiros de boa73@. III 7 8Dtua assist9ncia. .vedado qualquer ti(o de coerç1o (or (arte de instituiçFes (rivadas ou (Dblicas.a (artir da data e8 que o 8andante tiver conAeci8ento da celebraç1o. Art. E8bora anulCvel ou 8es8o nulo.se8 (reBudicar a aquisiç1o de direitos. II 7 na obrigaç1o de cu8(rir as (ro8essas que lAe 3eO no contrato antenu(cial.a de anulaç1o.este incorrerC: I 7 na (erda de todas as vantagens Aavidas do cLnBuge inocente. II 7 vida e8 co8u8. Antes de 8over a aç1o de nulidade do casa8ento. CAP%T&L" IV #a E3icCcia do Casa8ento Art.que serC concedida (elo BuiO co8 a (oss>vel brevidade. Q +o Na Ai(ótese do inciso ! do art. Q *o $e u8 dos cLnBuges estava de boa73@ ao celebrar o casa8ento. Pelo casa8ento.=GN.a de se(araç1o Budicial.(oderC requerer a (arte. *.Ao8e8 e 8ulAer assu8e8 8utua8ente a condiç1o de consortes.o casa8ento.=GM.os seus e3eitos civis só a ele e aos 3ilAos a(roveitar1o. I! 7 quatro anos.o direito de anular o casa8ento dos 8enores de deOesseis anoscontado o (raOo (ara o 8enor do dia e8 que (er3eO essa idade. III 7 tr9s anos. *. Q *o Uualquer dos nubentes.=G=.co8(rovando sua necessidade. *.a t>tulo oneroso.=G+.=G*.querendo. e da data do casa8ento. Q *o E?tingue7se.. Q +o $e a8bos os cLnBuges estava8 de 8C73@ ao celebrar o casa8ento.se inco8(etente a autoridade celebrante. *. Art.no do8ic>lio conBugal.(oderC acrescer ao seu o sobreno8e do outro.os seus e3eitos civis só aos 3ilAos a(roveitar1o.a de divórcio direto ou a de dissoluç1o de uni1o estCvel.(roduO todos os e3eitos at@ o dia da sentença anulatória.se contra>do de boa73@ (or a8bos os cLnBuges.nos casos dos incisos I a I! do art.=GG.ne8 a resultante de sentença transitada e8 Bulgado. $1o deveres de a8bos os cLnBuges: I 7 3idelidade rec>(roca.co8(anAeiros e res(onsCveis (elos encargos da 3a8>lia. *.e8 cento e oitenta dias. *. *.a se(araç1o de cor(os.se Aouver coaç1o.

Art. *. *.se8(re no interesse do casal e dos 3ilAos.=<*. Q *o " casa8ento vClido só se dissolve (ela 8orte de u8 dos cLnBuges ou (elo divórcio. Q +o #issolvido o casa8ento (elo divórcio direto ou (or convers1o.no segundo caso.encarcerado (or 8ais de cento e oitenta dias. Q *o A se(araç1o Budicial (ode ta8b@8 ser (edida se u8 dos cLnBuges (rovar ru(tura da vida e8 co8u8 AC 8ais de u8 ano e a i8(ossibilidade de sua reconstituiç1o.dis(ondo e8 contrCrio a sentença de se(araç1o Budicial. ParCgra3o Dnico.e8 colaboraç1o.de consci9ncia. salvo. *. *. Art. Art. II 7 (ela nulidade ou anulaç1o do casa8ento.reverter1o ao cLnBuge en3er8o. " do8ic>lio do casal serC escolAido (or a8bos os cLnBuges. *.ao e?erc>cio de sua (ro3iss1o.ou a interesses (articulares relevantes.a 8eaç1o dos adquiridos na constPncia da sociedade conBugal. A direç1o da sociedade conBugal serC e?ercida. Art. I! 7 (elo divórcio.e8 virtude de en3er8idade ou de acidente.o outro e?ercerC co8 e?clusividade a direç1o da 3a8>lia.cabendo7lAe a ad8inistraç1o dos bens.. *.=G<.e(isodica8ente. III 7 (ela se(araç1o Budicial.guarda e educaç1o dos 3ilAos.qualquer que seBa o regi8e (atri8onial.e se o regi8e dos bens adotado o (er8itir. A sociedade conBugal ter8ina: I 7 (ela 8orte de u8 dos cLnBuges. Q +o " cLnBuge (ode ainda (edir a se(araç1o Budicial quando o outro estiver aco8etido de doença 8ental grave8ani3estada a(ós o casa8ento.que n1o Aouver (edido a se(araç1o Budicial.interditado Budicial8ente ou (rivado. Q Mo No caso do (arCgra3o +o.I! 7 sustento.=G. $e qualquer dos cLnBuges estiver e8 lugar re8oto ou n1o sabido. *.a en3er8idade tenAa sido reconAecida de cura i8(rovCvel.qualquer dos cLnBuges (oderC recorrer ao BuiO. Tavendo diverg9ncia.desde que.=<+.os re8anescentes dos bens que levou (ara o casa8ento.a(licando7se a (resunç1o estabelecida neste Código quanto ao ausente. Art.que torne i8(oss>vel a continuaç1o da vida e8 co8u8.o cLnBuge (oderC 8anter o no8e de casado. Uualquer dos cLnBuges (oderC (ro(or a aç1o de se(araç1o Budicial. ! 7 res(eito e consideraç1o 8Dtuos. Pode8 caracteriOar a i8(ossibilidade da co8unA1o de vida a ocorr9ncia de algu8 dos seguintes 8otivos: .=GK.a(ós u8a duraç1o de dois anos.i8(utando ao outro qualquer ato que i8(orte grave violaç1o dos deveres do casa8ento e torne insu(ortCvel a vida e8 co8u8.na (ro(orç1o de seus bens e dos rendi8entos do trabalAo(ara o sustento da 3a8>lia e a educaç1o dos 3ilAos.=<. Art.8as u8 e outro (ode8 ausentar7se do do8ic>lio conBugal (ara atender a encargos (Dblicos. "s cLnBuges s1o obrigados a concorrer..que decidirC tendo e8 consideraç1o aqueles interesses.(elo 8arido e (ela 8ulAer. CAP%T&L" V #a #issoluç1o da $ociedade e do v>nculo ConBugal Art.=<M.

" BuiO (ode recusar a Ao8ologaç1o e n1o decretar a se(araç1o Budicial se a(urar que a convenç1o n1o (reserva su3iciente8ente os interesses dos 3ilAos ou de u8 dos cLnBuges.ser1o re(resentados (elo curador.adquirido antes e durante o estado de se(arado. III 7 sev>cia ou inBDria grave. " divórcio n1o 8odi3icarC os direitos e deveres dos (ais e8 relaç1o aos 3ilAos. $eBa qual 3or a causa da se(araç1o Budicial e o 8odo co8o esta se 3aça.. A sentença de se(araç1o Budicial i8(orta a se(araç1o de cor(os e a (artilAa de bens. . *.a qualquer 8o8ento. Novo casa8ento de qualquer dos (ais.@ l>cito aos cLnBuges restabelecer.=<=. ! 7 condenaç1o (or cri8e in3a8ante.(or ato regular e8 Bu>Oo.n1o (oderC i8(ortar restriçFes aos direitos e deveres (revistos neste artigo. !I 7 conduta desonrosa. ParCgra3o Dnico. II 7 8ani3esta distinç1o entre o seu no8e de 3a8>lia e o dos 3ilAos Aavidos da uni1o dissolvida.=<G.no caso de inca(acidade. *. " BuiO (oderC considerar outros 3atos que torne8 evidente a i8(ossibilidade da vida e8 co8u8. ParCgra3o Dnico.ao direito de usar o sobreno8e do outro. A (artilAa de bens (oderC ser 3eita 8ediante (ro(osta dos cLnBuges e Ao8ologada (elo BuiO ou (or este decidida. Q +o Nos de8ais casos caberC a o(ç1o (ela conservaç1o do no8e de casado. ParCgra3o Dnico.=<.ou de a8bos.a sociedade conBugal.(elo ascendente ou (elo ir81o.seBa qual 3or o regi8e de bens. *.durante u8 ano cont>nuo. II 7 tentativa de 8orte. Art. " cLnBuge declarado cul(ado na aç1o de se(araç1o Budicial (erde o direito de usar o sobreno8e do outro. ParCgra3o Dnico.desde que e?(ressa8ente requerido (elo cLnBuge inocente e se a alteraç1o n1o acarretar: I 7 evidente (reBu>Oo (ara a sua identi3icaç1o. " (rocedi8ento Budicial da se(araç1o caberC so8ente aos cLnBuges.a todo te8(o. Q *o " cLnBuge inocente na aç1o de se(araç1o Budicial (oderC renunciar. Art. Art. III 7 dano grave reconAecido na decis1o Budicial. Art.I 7 adult@rio. #ar7se7C a se(araç1o Budicial (or 8Dtuo consenti8ento dos cLnBuges se 3ore8 casados (or 8ais de u8 ano e o 8ani3estare8 (erante o BuiO. I! 7 abandono voluntCrio do lar conBugal.=<K. Art. A reconciliaç1o e8 nada (reBudicarC o direito de terceiros. *.e.=<N. A se(araç1o Budicial (Fe ter8o aos deveres de coabitaç1o e 3idelidade rec>(roca e ao regi8e de bens.sendo (or ele devida8ente Ao8ologada a convenç1o. Art. ParCgra3o Dnico. ParCgra3o Dnico. *. *.=<<.

de +.G..K.K/.. Art.de +.G.K/.G.K.K.a sua i8(ortPncia..=K.K.de divórcio.de +.G. Art. *.a si8ilitude de deveres e direitos atribu>dos aos genitores e as sançFes (elo descu8(ri8ento de suas clCusulas..de dissoluç1o de uni1o estCvel ou e8 8edida cautelar. ..K.da qual n1o constarC re3er9ncia E causa que a deter8inou. 'Inclu>do (ela Lei n) **. #ecorrido u8 ano do trPnsito e8 Bulgado da sentença que Aouver decretado a se(araç1o Budicial. Q Mo A guarda unilateral obriga o (ai ou a 81e que n1o a detenAa a su(ervisionar os interesses dos 3ilAos. *.K/. Q No '!ETA#"/.concernentes ao (oder 3a8iliar dos 3ilAos co8uns.=KN.. Q *o Na audi9ncia de conciliaç1o.K.de +.=K*.G..unilateral ou co8(artilAada.de +. 'Inclu>do (ela Lei n) **.o ascendente ou o ir81o.(elo (ai e (ela 81e.de +.de +..(or guarda co8(artilAada a res(onsabiliOaç1o conBunta e o e?erc>cio de direitos e deveres do (ai e da 81e que n1o viva8 sob o 8es8o teto..K.=KM..K.Q =o/ e.K.K/. Q *o A convers1o e8 divórcio da se(araç1o Budicial dos cLnBuges serC decretada (or sentença. *. 'Inclu>do (ela Lei n) **.se8(re que (oss>vel.a guarda co8(artilAada. Q +o " divórcio (oderC ser requerido.. 'Inclu>do (ela Lei n) **.G. " divórcio (ode ser concedido se8 que AaBa (r@via (artilAa de bens. 'Inclu>do (ela Lei n) **..de +.G.K.G.K/.. *.K/.ou e8 raO1o da distribuiç1o de te8(o necessCrio ao conv>vio deste co8 o (ai e co8 a 81e. CAP%T&L" VI #a Proteç1o da Pessoa dos FilAos Art. ParCgra3o Dnico.K.K/.K/.. 'Inclu>do (ela Lei n) **.serC a(licada. I : requerida. II : decretada (elo BuiO. 'Inclu>do (ela Lei n) **. I : a3eto nas relaçFes co8 o genitor e co8 o gru(o 3a8iliar.K/. Q +o A guarda unilateral serC atribu>da ao genitor que revele 8elAores condiçFes (ara e?erc97la eobBetiva8ente.K/.de +.(or consenso.G.K/.no caso de co8(rovada se(araç1o de 3ato (or 8ais de dois anos.G. $e o cLnBuge 3or inca(aO (ara (ro(or a aç1o ou de3ender7se.=KN. 'Inclu>do (ela Lei n) **.=K+.o BuiO in3or8arC ao (ai e E 81e o signi3icado da guarda co8(artilAada. " (edido de divórcio so8ente co8(etirC aos cLnBuges.de +.ou (or qualquer deles. *. Art. A guarda serC unilateral ou co8(artilAada.K/.de +.qualquer das (artes (oderC requerer sua convers1o e8 divórcio. 'Inclu>do (ela Lei n) **. *. II : saDde e segurança. Q *o Co8(reende7se (or guarda unilateral a atribu>da a u8 só dos genitores ou a algu@8 que o substitua 'art.de +.ou da decis1o concessiva da 8edida cautelar de se(araç1o de cor(os.de +.G.Art.8ais a(tid1o (ara (ro(iciar aos 3ilAos os seguintes 3atores: 'Inclu>do (ela Lei n) **. 'Inclu>do (ela Lei n) **.K. Q +o Uuando n1o Aouver acordo entre a 81e e o (ai quanto E guarda do 3ilAo.G.K.e8 atenç1o a necessidades es(ec>3icas do 3ilAo.e8 aç1o autLno8a de se(araç1o.G. 'Redaç1o dada (ela Lei n) **.K/. III : educaç1o.(oderC 3aO97lo o curador. A guarda.(or u8 ou (or a8bos os cLnBuges.(oderC ser: 'Redaç1o dada (ela Lei n) **.

=KN e *.(oderC o BuiO.o grau de (arentesco e as relaçFes de a3inidade e a3etividade.ta8b@8 (elo nD8ero delas.(oderC i8(licar a reduç1o de (rerrogativas atribu>das ao seu detentor. Art.de +. Art.M.K.inclusive quanto ao nD8ero de Aoras de conviv9ncia co8 o 3ilAo. 'Inclu>do (ela Lei n) *+. *. *. Conta87se. *. Art.K/. Tavendo 8otivos graves.=KG.observados os interesses da criança ou do adolescente. *.=.G.observar7se7C o dis(osto nos arts. Q =o $e o BuiO veri3icar que o 3ilAo n1o deve (er8anecer sob a guarda do (ai ou da 81e. Art.K. As dis(osiçFes relativas E guarda e (restaç1o de ali8entos aos 3ilAos 8enores estende87se aos 8aiores inca(aOes.Aavendo 3ilAos co8uns.e8 cuBa guarda n1o esteBa8 os 3ilAos. ParCgra3o Dnico. Art.que só lAe (oder1o ser retirados (or 8andado Budicial.=.aos descendentes e aos ir81os do cLnBuge ou co8(anAeiro..=K=. *.K.ou 3or 3i?ado (elo BuiO. $&2T%T&L" II #as RelaçFes de Parentesco CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art.M.as (essoas (rovenientes de u8 só tronco.G.be8 co8o 3iscaliOar sua 8anutenç1o e educaç1o..(oderC visitC7los e t97los e8 sua co8(anAiasegundo o que acordar co8 o outro cLnBuge. 'Inclu>do (ela Lei n) **.na linAa reta. . No caso de invalidade do casa8ento.Q Mo Para estabelecer as atribuiçFes do (ai e da 81e e os (er>odos de conviv9ncia sob guarda co8(artilAada. Cada cLnBuge ou co8(anAeiro @ aliado aos (arentes do outro (elo v>nculo da a3inidade.a(lica7se quanto E guarda dos 3ilAos as dis(osiçFes do artigo antecedente.at@ o quarto grau.con3or8e resulte de consangSinidade ou outra orige8.e descendo at@ encontrar o outro (arente. *.*. " (arentesco @ natural ou civil.. Art.de o3>cio ou a requeri8ento do Jinist@rio PDblico.=.(rovado que n1o s1o tratados conveniente8ente..e.a crit@rio do BuiO. *.(oderC basear7se e8 orientaç1o t@cnico7(ro3issional ou de equi(e interdisci(linar.K/.o BuiO. *. E8 sede de 8edida cautelar de se(araç1o de cor(os..=K<.considerados. Art.de +. $1o (arentes e8 linAa reta as (essoas que est1o u8as (ara co8 as outras na relaç1o de ascendentes e descendentes. Art. 'Inclu>do (ela Lei n) **.os graus de (arentesco (elo nD8ero de geraçFes. Q No A alteraç1o n1o autoriOada ou o descu8(ri8ento i8otivado de clCusula de guarda. *.unilateral ou co8(artilAada. Art.na colateral.=.=KG.. $1o (arentes e8 linAa colateral ou transversal.K.e8 qualquer caso.=.de +. *.a be8 dos 3ilAos. " (ai ou a 81e.=KK.de (re3er9ncia.G.K/.+.=. *.se8 descendere8 u8a da outra. Q *o " (arentesco (or a3inidade li8ita7se aos ascendentes. " (ai ou a 81e que contrair novas nD(cias n1o (erde o direito de ter consigo os 3ilAos.**/ Art.N.de +.subindo de u8 dos (arentes at@ ao ascendente co8u8.de3erirC a guarda E (essoa que revele co8(atibilidade co8 a natureOa da 8edida. " direito de visita estende7se a qualquer dos avós. 'Inclu>do (ela Lei n) **.=K.regular de 8aneira di3erente da estabelecida nos artigos antecedentes a situaç1o deles (ara co8 os (ais. *.=.

Art. I! 7 Aavidos.=.de(ois de estabelecida a conviv9ncia conBugal. *=.ou de3eito. *.os Aerdeiros (oder1o continuC7la. Art. Cabe ao 8arido o direito de contestar a (aternidade dos 3ilAos nascidos de sua 8ulAer.E @(oca da conce(ç1o.do segundo. ParCgra3o Dnico. *. N1o basta o adult@rio da 8ulAer.enquanto viver. *.Q +o Na linAa reta.antes de decorrido o (raOo (revisto no inciso II do art. A aç1o de (rova de 3iliaç1o co8(ete ao 3ilAo.G.Aavidos ou n1o da relaç1o de casa8ento.. *. III 7 Aavidos (or 3ecundaç1o arti3icial Ao8óloga. ! 7 Aavidos (or inse8inaç1o arti3icial Aeteróloga.(or 8orte. *. Art.sendo tal aç1o i8(rescrit>vel.G.os Aerdeiros do i8(ugnante t98 direito de (rosseguir na aç1o.+.G. Art.se(araç1o Budicialnulidade e anulaç1o do casa8ento.(elo 8enos.quando se tratar de e8briFes e?cedentCrios. .=.ainda que con3essado. *. CAP%T&L" II #a Filiaç1o Art.desde que tenAa (r@via autoriOaç1o do 8arido. A 3iliaç1o (rova7se (ela certid1o do ter8o de nasci8ento registrada no Registro Civil.a 8ulAer contrair novas nD(cias e lAe nascer algu8 3ilAo.ou (or adoç1o.decorrentes de conce(ç1o arti3icial Ao8óloga. N1o basta a con3iss1o 8aterna (ara e?cluir a (aternidade. $e iniciada a aç1o (elo 3ilAo.se nascido dentro dos treOentos dias a contar da data do 3aleci8ento deste e. II 7 quando e?istire8 vee8entes (resunçFes resultantes de 3atos BC certos.<. A (rova da i8(ot9ncia do cLnBuge (ara gerar. Art. Presu8e87se concebidos na constPncia do casa8ento os 3ilAos: I 7 nascidos cento e oitenta dias.se ele 8orrer 8enor ou inca(aO. Na 3alta. Ningu@8 (ode vindicar estado contrCrio ao que resulta do registro de nasci8ento. Art.salvo se Bulgado e?tinto o (rocesso. *.=.K.8es8o que 3alecido o 8arido..N.=. *. *.G. II 7 nascidos nos treOentos dias subsequentes E dissoluç1o da sociedade conBugal. Art. $alvo (rova e8 contrCrio.G.G. Contestada a 3iliaç1o.=+M.do ter8o de nasci8ento..(roveniente dos (ais.salvo (rovando7se erro ou 3alsidade do registro.=.(roibidas quaisquer designaçFes discri8inatórias relativas E 3iliaç1o.G. Art.<. Art.(assando aos Aerdeiros.a qualquer te8(o.(oderC (rovar7se a 3iliaç1o (or qualquer 8odo ad8iss>vel e8 direito: I 7 quando Aouver co8eço de (rova (or escrito..(ara ilidir a (resunç1o legal da (aternidade. *. Art.ilide a (resunç1o da (aternidade. "s 3ilAos. *.G. ParCgra3o Dnico.ter1o os 8es8os direitos e quali3icaçFes.se.M.este se (resu8e do (ri8eiro 8arido.conBunta ou se(arada8ente.a a3inidade n1o se e?tingue co8 a dissoluç1o do casa8ento ou da uni1o estCvel. *.se o nasci8ento ocorrer a(ós esse (er>odo e BC decorrido o (raOo a que se re3ere o inciso I do art.*.G.

A sentença que Bulgar (rocedente a aç1o de investigaç1o (roduOirC os 8es8os e3eitos do reconAeci8ento./ !ig9ncia Art. ParCgra3o Dnico.K.se ele dei?ar descendentes. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *+..as regras gerais da Lei n o K. Art. Art. 7 Estatuto da Criança e do Adolescente.de *M de BulAo de *... 'Redaç1o dada (ela Lei n) *+.nos quatro anos que se seguire8 E 8aioridade. CAP%T&L" I! #a Adoç1o Art.no que couber.n1o (oderC residir no lar conBugal se8 o consenti8ento do outro.3icarC sob a guarda do genitor que o reconAeceu.. " 3ilAo Aavido 3ora do casa8ento...G*N. *. *.. Art. Art. II 7 (or escritura (Dblica ou escrito (articular. A adoç1o de crianças e adolescentes serC de3erida na 3or8a (revista (ela Lei n o K...sob a de que8 8elAor atender aos interesses do 8enor./ !ig9ncia . III 7 (or testa8ento. Art. 8as (oderC ordenar que o 3ilAo se crie e eduque 3ora da co8(anAia dos (ais ou daquele que lAe contestou essa qualidade.de +. *.G. *..G**.que Busto interesse tenAa. Art.e o 8enor (ode i8(ugnar o reconAeci8ento..G*M.e. Uuando a 8aternidade constar do ter8o do nasci8ento do 3ilAo. 7 Estatuto da Criança e do Adolescente. " reconAeci8ento dos 3ilAos Aavidos 3ora do casa8ento @ irrevogCvel e serC 3eito: I 7 no registro do nasci8ento. *. *.ainda 8es8o se8 as condiçFes do (utativo.ne8 8es8o quando 3eito e8 testa8ento. Art.G+. " 3ilAo Aavido 3ora do casa8ento (ode ser reconAecido (elos (ais. I! 7 (or 8ani3estaç1o direta e e?(ressa (erante o BuiO.G.ainda que o reconAeci8ento n1o AaBa sido o obBeto Dnico e (rinci(al do ato que o cont@8.se a8bos o reconAecera8 e n1o Aouver acordo.a 81e só (oderC contestC7la(rovando a 3alsidade do ter8o.. *.<. *. " reconAeci8ento (ode (receder o nasci8ento do 3ilAo ou ser (osterior ao seu 3aleci8ento.G*. " 3ilAo reconAecido./ !ig9ncia Art.G*<. " reconAeci8ento n1o (ode ser revogado.reconAecido (or u8 dos cLnBuges.G...conBunta ou se(arada8ente.*...(ode contestar a aç1o de investigaç1o de (aternidadeou 8aternidade.G*G.. *.ainda que incidental8ente 8ani3estado.enquanto 8enor.a(licando7se.. 'Revogados (ela Lei n) *+.. *. $1o ine3icaOes a condiç1o e o ter8o a(ostos ao ato de reconAeci8ento do 3ilAo. *.de *M de BulAo de *.CAP%T&L" III #o ReconAeci8ento dos FilAos Art. A adoç1o de 8aiores de *K 'deOoito/ anos de(enderC da assist9ncia e3etiva do (oder (Dblico e de sentença constitutiva.G*.de +.ou das declaraçFes nele contidas.a ser arquivado e8 cartório..G+.G*K.G*=.. Uualquer (essoa... Art. *. A 3iliaç1o 8aterna ou (aterna (ode resultar de casa8ento declarado nulo..G. *. " 3ilAo 8aior n1o (ode ser reconAecido se8 o seu consenti8ento.ou E e8anci(aç1o. a *.*..G*+.*.de +..G. Art. Art. *.

nos atos e8 que 3ore8 (artes.GM*. III 7 conceder7lAes ou negar7lAes consenti8ento (ara casare8. #urante o casa8ento e a uni1o estCvel.n1o reconAecido (elo (ai. *. E?tingue7se o (oder 3a8iliar: I 7 (ela 8orte dos (ais ou do 3ilAo.a(ós essa idade.o divórcio e a dissoluç1o da uni1o estCvel n1o altera8 as relaçFes entre (ais e 3ilAos sen1o quanto ao direito.GMM. #ivergindo os (ais quanto ao e?erc>cio do (oder 3a8iliar.GM+. *.@ assegurado a qualquer deles recorrer ao BuiO (ara soluç1o do desacordo. =o. ! 7 (or decis1o Budicial.se o outro dos (ais n1o lAe sobreviver.at@ aos deOesseis anos.GM=. $eç1o II #o E?erc>cio do Poder Fa8iliar Art.CAP%T&L" ! #o Poder FAJILIAR $eç1o I #is(osiçFes erais Art. "s 3ilAos est1o suBeitos ao (oder 3a8iliar.enquanto 8enores.su(rindo7lAes o consenti8ento.ou o sobrevivo n1o (uder e?ercer o (oder 3a8iliar.o outro o e?ercerC co8 e?clusividade.co8(ete o (oder 3a8iliar aos (ais.na 3or8a do artigo *. III 7 (ela 8aioridade. II 7 t97los e8 sua co8(anAia e guarda.nos ter8os do art. !II 7 e?igir que lAes (reste8 obedi9ncia. Art.que aos (ri8eiros cabe. na 3alta ou i8(edi8ento de u8 deles. *. . A se(araç1o Budicial. *.de tere8 e8 sua co8(anAia os segundos. ! 7 re(resentC7los.GMK.dar7se7C tutor ao 8enor. II 7 (ela e8anci(aç1o.nos atos da vida civil. I! 7 no8ear7lAes tutor (or testa8ento ou docu8ento aut9ntico.3ica sob (oder 3a8iliar e?clusivo da 81e. *.GMN. $eç1o III #a $us(ens1o e E?tinç1o do Poder Fa8iliar Art. se a 81e n1o 3or conAecida ou ca(aO de e?erc97lo. ParCgra3o Dnico.GM.e assisti7los.quanto E (essoa dos 3ilAos 8enores: I 7 dirigir7lAes a criaç1o e educaç1o. Art.(arCgra3o Dnico. " 3ilAo. I! 7 (ela adoç1o. Co8(ete aos (ais. Art.res(eito e os serviços (ró(rios de sua idade e condiç1o. *. !I 7 recla8C7los de que8 ilegal8ente os detenAa..

Q *o " regi8e de bens entre os cLnBuges co8eça a vigorar desde a data do casa8ento.abusar de sua autoridade.reiterada8ente. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *+.requerendo algu8 (arente. $e o (ai.de +.GMK. Art.quanto aos seus bens.vigorarC.os direitos ao (oder 3a8iliar. *. *.quanto aos bens entre os cLnBugeso regi8e da co8unA1o (arcial. ParCgra3o Dnico.nas de8ais escolAas.a(urada a (roced9ncia das raOFes invocadas e ressalvados os direitos de terceiros. " (ai ou a 81e que contrai novas nD(cias.GN.GMG.nas 3altas (revistas no artigo antecedente. II : da (essoa 8aior de <. $us(ende7se igual8ente o e?erc>cio do (oder 3a8iliar ao (ai ou E 81e condenados (or sentença irrecorr>vel./ III 7 de todos os que de(endere8. PerderC (or ato Budicial o (oder 3a8iliar o (ai ou a 81e que: I 7 castigar i8oderada8ente o 3ilAo. Poder1o os nubentes. Art.. N1o Aavendo convenç1o.n1o (erde.GM.no (rocesso de Aabilitaç1o.e8 virtude de cri8e cuBa (ena e?ceda a dois anos de (ris1o.quando convenAa.o(tar (or qualquer dos regi8es que este código regula.*. R l>cito aos nubentes.reduOir7se7C a ter8o a o(ç1o (ela co8unA1o (arcial.quanto aos 3ilAos do relaciona8ento anterior.GN*.Art *. ParCgra3o Dnico.MNN. II 7 dei?ar o 3ilAo e8 abandono.ou a 81e. I! 7 incidir.o que lAes a(rouver.ou estabelece uni1o estCvel.adotar a 8edida que lAe (areça recla8ada (ela segurança do 8enor e seus Aaveres.ou sendo ela nula ou ine3icaO.cabe ao BuiO.antes de celebrado o casa8ento. . ParCgra3o Dnico. T%T&L" II #o #ireito Patri8onial $&2T%T&L" I #o Regi8e de 2ens entre os CLnBuges CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art. Uuanto E 3or8a.GM<.ou o Jinist@rio PDblico.(ara casar. *.at@ sus(endendo o (oder 3a8iliar.e?ercendo7os se8 qualquer inter3er9ncia do novo cLnBuge ou co8(anAeiro. Art.8ediante autoriOaç1o Budicial e8 (edido 8otivado de a8bos os cLnBuges. *. Q +o R ad8iss>vel alteraç1o do regi8e de bens. Igual (receito ao estabelecido neste artigo a(lica7se ao (ai ou E 81e solteiros que casare8 ou estabelecere8 uni1o estCvel.3aOendo7se o (acto antenu(cial (or escritura (Dblica. 'setenta/ anos.3altando aos deveres a eles inerentes ou arruinando os bens dos 3ilAos. R obrigatório o regi8e da se(araç1o de bens no casa8ento: I 7 das (essoas que o contra>re8 co8 inobservPncia das causas sus(ensivas da celebraç1o do casa8ento.de su(ri8ento Budicial. III 7 (raticar atos contrCrios E 8oral e aos bons costu8es. *.. Art.esti(ular.

8óveis ou i8óveis. Art. !I 7 (raticar todos os atos que n1o lAes 3ore8 vedados e?(ressa8ente. ParCgra3o Dnico.que realiOou o negócio Bur>dico. ! 7 reivindicar os bens co8uns. *.GN<.Art. Art.ou a invalidaç1o do aval. *. II 7 obter. Art. A a(rovaç1o torna vClido o ato. Art.GN+ co8(ete8 ao cLnBuge (reBudicado e a seus Aerdeiros.GNK.(or e8(r@sti8o.ainda a cr@dito. *. $1o vClidas as doaçFes nu(ciais 3eitas aos 3ilAos quando casare8 ou estabelecere8 econo8ia se(arada. *. .tornarC anulCvel o ato (raticado.e?ceto no regi8e da se(araç1o absoluta: I 7 alienar ou gravar de Lnus real os bens i8óveis. *.o terceiro.. As d>vidas contra>das (ara os 3ins do artigo antecedente obriga8 solidaria8ente a8bos os cLnBuges. *. *. Art. A 3alta de autoriOaç1o. II 7 ad8inistrar os bens (ró(rios.GN.at@ dois anos de(ois de ter8inada a sociedade conBugal.(reBudicado co8 a sentença 3avorCvel ao autorterC direito regressivo contra o cLnBuge.ou seus Aerdeiros.quando necessCria 'art.GN<.ou (articularautenticado. *.desde que 3eita (or instru8ento (Dblico. II 7 (leitear. I! 7 de8andar a rescis1o dos contratos de 3iança e doaç1o.(odendo o outro cLnBuge (leitear7lAe a anulaç1o. *.tanto o 8arido quanto a 8ulAer (ode8 livre8ente: I 7 (raticar todos os atos de dis(osiç1o e de ad8inistraç1o necessCrios ao dese8(enAo de sua (ro3iss1o.se8 autoriOaç1o do outro.de bens co8uns.GNG.n1o su(rida (elo BuiO. Uualquer que seBa o regi8e de bens.GN<. ParCgra3o Dnico.GNN.GN</.GNK.nos casos do artigo antecedente. *. Cabe ao BuiO. Ressalvado o dis(osto no art. III 7 (restar 3iança ou aval.nenAu8 dos cLnBuges (ode. Art.as coisas necessCrias E econo8ia do8@stica.doados ou trans3eridos (elo outro cLnBuge ao concubinodesde que (rovado que os bens n1o 3ora8 adquiridos (elo es3orço co8u8 destes.co8o autor ou r@u. No caso dos incisos III e I! do art.su(rir a outorga. *.GNM. *.inde(endente8ente de autoriOaç1o u8 do outro: I 7 co8(rar.GN+. As açFes 3undadas nos incisos III. Pode8 os cLnBuges.ou dos que (ossa8 integrar 3utura 8eaç1o.I! e ! do art.realiOados (elo outro cLnBuge co8 in3raç1o do dis(osto nos incisos III e I! do art.co8 as li8itaçFes estabelecida no inciso I do art.acerca desses bens ou direitos.se o casal estiver se(arado de 3ato (or 8ais de cinco anos. *.n1o sendo re8uneratória. *. I! 7 3aOer doaç1o.ou lAe seBa i8(oss>vel conced97la.as quantias que a aquisiç1o dessas coisas (ossa e?igir. Art.quando u8 dos cLnBuges a denegue se8 8otivo Busto. III 7 desobrigar ou reivindicar os i8óveis que tenAa8 sido gravados ou alienados se8 o seu consenti8ento ou se8 su(ri8ento Budicial.GN=.GN+.

As convençFes antenu(ciais n1o ter1o e3eito (erante terceiros sen1o de(ois de registradas.e ine3icaO se n1o lAe seguir o casa8ento. *. No regi8e de co8unA1o (arcial.se tiver 8andato e?(resso ou tCcito (ara os ad8inistrar.e os sub7rogados e8 seu lugar. CAP%T&L" II #o Pacto Antenu(cial Art.salvo revers1o e8 (roveito do casal. III 7 alienar os i8óveis co8uns e os 8óveis ou i8óveis do consorte.G==.e os que lAe sobreviere8. II 7 co8o (rocurador. *.se8 consenti8ento. Art.G=+.G=K. III 7 co8o de(ositCrio.G=.ou se8 su(ri8ento do BuiO.G=..co8unica87se os bens que sobreviere8 ao casal. III 7 as obrigaçFes anteriores ao casa8ento. *. Art.G=<. CAP%T&L" III #o Regi8e de Co8unA1o Parcial Art.desde que (articulares.que estiver na (osse dos bens (articulares do outro.3ica condicionada E a(rovaç1o de seu re(resentante legal.segundo o regi8e de bens. Uuando u8 dos cLnBuges n1o (uder e?ercer a ad8inistraç1o dos bens que lAe incu8be.G=*.(elo o3icial do Registro de I8óveis do do8ic>lio dos cLnBuges. *. I! 7 as obrigaçFes (rovenientes de atos il>citos.G=N. Art.só (oderC ser de8andada (elo cLnBuge a que8 cabia conced97la. *.ne8 ad8inistrador. No (acto antenu(cial.que adotar o regi8e de (artici(aç1o 3inal nos aqSestos. . A e3icCcia do (acto antenu(cial.Art. *. II 7 alienar os bens 8óveis co8uns.realiOado (or 8enor.salvo as Ai(óteses de regi8e obrigatório de se(araç1o de bens. *.serC (ara co8 este e seus Aerdeiros res(onsCvel: I 7 co8o usu3rutuCrio. Art. *.ou (or seus Aerdeiros.na constPncia do casa8ento.co8 as e?ceçFes dos artigos seguintes. Art.caberC ao outro: I 7 gerir os bens co8uns e os do consorte.se o rendi8ento 3or co8u8.na constPncia do casa8ento. Art. " cLnBuge. E?clue87se da co8unA1o: I 7 os bens que cada cLnBuge (ossuir ao casar.. *. II 7 os bens adquiridos co8 valores e?clusiva8ente (ertencentes a u8 dos cLnBuges e8 sub7rogaç1o dos bens (articulares.(or doaç1o ou sucess1o. R nulo o (acto antenu(cial se n1o 3or 3eito (or escritura (Dblica.8ediante autoriOaç1o Budicial. *.se n1o 3or usu3rutuCrio. Art.(oder7se7C convencionar a livre dis(osiç1o dos bens i8óveis.e8 livro es(ecial. A decretaç1o de invalidade dos atos (raticados se8 outorga.G=M. R nula a convenç1o ou clCusula dela que contravenAa dis(osiç1o absoluta de lei.G=G.

III 7 os bens adquiridos (or doaç1o.8eios7soldos.e os do outro na raO1o do (roveito que Aouver au3erido.salvo convenç1o diversa e8 (acto antenu(cial. *. $1o inco8unicCveis os bens cuBa aquisiç1o tiver (or t>tulo u8a causa anterior ao casa8ento.a t>tulo gratuito.GG+. No regi8e da co8unA1o (arcial.co8 as e?ceçFes do artigo seguinte.GGM.. Art.e8 3avor de a8bos os cLnBuges. "s bens da co8unA1o res(onde8 (elas obrigaçFes contra>das (elo 8arido ou (ela 8ulAer (ara atender aos encargos da 3a8>lia.Es des(esas de ad8inistraç1o e Es decorrentes de i8(osiç1o legal.(ercebidos na constPncia do casa8ento. Art.ou (endentes ao te8(o de cessar a co8unA1o.quando n1o se (rovar que o 3ora8 e8 data anterior.que i8(lique8 cess1o do uso ou goOo dos bens co8uns.! 7 os bens de uso (essoal. Art. *. *. Q Mo E8 caso de 8alversaç1o dos bens. Entra8 na co8unA1o: I 7 os bens adquiridos na constPncia do casa8ento (or t>tulo oneroso.GGK. As d>vidas.os livros e instru8entos de (ro3iss1o. Art.ou dos (articulares de cada cLnBuge. I! 7 as ben3eitorias e8 bens (articulares de cada cLnBuge.GG*.GGN. II 7 os bens gravados de 3ideico8isso e o direito do Aerdeiro 3ideico8issCrio. !II 7 as (ensFes.Aerança ou legado. A ad8inistraç1o e a dis(osiç1o dos bens constitutivos do (atri8Lnio (articular co8(ete8 ao cLnBuge (ro(rietCrio.antes de realiOada a condiç1o sus(ensiva.GGG. *. ! 7 os 3rutos dos bens co8uns. " regi8e de co8unA1o universal i8(orta a co8unicaç1o de todos os bens (resentes e 3uturos dos cLnBuges e suas d>vidas (assivas. *.ainda que só e8 no8e de u8 dos cLnBuges.8onte(ios e outras rendas se8elAantes.GG. !I 7 os (roventos do trabalAo (essoal de cada cLnBuge.co8 ou se8 o concurso de trabalAo ou des(esa anterior.GG<. *.n1o obriga8 os bens co8uns. Art. Art. CAP%T&L" I! #o Regi8e de Co8unA1o &niversal Art. *. Q +o A anu9ncia de a8bos os cLnBuges @ necessCria (ara os atos. *.contra>das (or qualquer dos cLnBuges na ad8inistraç1o de seus bens (articulares e e8 bene3>cio destes. . *. A ad8inistraç1o do (atri8Lnio co8u8 co8(ete a qualquer dos cLnBuges. Art.GG=.(resu8e87se adquiridos na constPncia do casa8ento os bens 8óveis. Q *o As d>vidas contra>das no e?erc>cio da ad8inistraç1o obriga8 os bens co8uns e (articulares do cLnBuge que os ad8inistra. II 7 os bens adquiridos (or 3ato eventual.o BuiO (oderC atribuir a ad8inistraç1o a a(enas u8 dos cLnBuges. $1o e?clu>dos da co8unA1o: I 7 os bens doados ou Aerdados co8 a clCusula de inco8unicabilidade e os sub7rogados e8 seu lugar. Art.

direito E 8etade dos bens adquiridos (elo casal. *.co8(utar7se7C o valor das doaçFes 3eitas (or u8 dos cLnBuges.se8 a necessCria autoriOaç1o do outro.G<M.consoante dis(osto no artigo seguinte. *. *. nesse caso. Incor(ora7se ao 8onte o valor dos bens alienados e8 detri8ento da 8eaç1o. *. *.(or valor equivalente ao da @(oca da dissoluç1o.quanto E ad8inistraç1o dos bens. *. *.o valor do (aga8ento deve ser atualiOado e i8(utado.III 7 as d>vidas anteriores ao casa8ento. Art.G=.G<*.que os (oderC livre8ente alienar. ! 7 "s bens re3eridos nos incisos ! a !II do art. *.. CAP%T&L" ! #o Regi8e de Partici(aç1o Final nos AqSestos Art.na constPncia do casa8ento.G<N.. Pelas d>vidas (osteriores ao casa8ento. .so8ente este res(onderCsalvo (rova de tere8 revertido. A inco8unicabilidade dos bens enu8erados no artigo antecedente n1o se estende aos 3rutos.G<G.se n1o Aouver (re3er9ncia do cLnBuge lesado.ou de seus Aerdeiros. Ao deter8inar7se o 8ontante dos aqSestos.o be8 (oderC ser reivindicado (elo cLnBuge (reBudicado ou (or seus Aerdeiros. Art. Art. ParCgra3o Dnico.(arcial ou total8ente.e e3etuada a divis1o do ativo e do (assivo.ou declarado no 8onte (artilACvel.a(urar7se7C o 8ontante dos aqSestos.G<.G<=. ParCgra3o Dnico. A(lica7se ao regi8e da co8unA1o universal o dis(osto no Ca(>tulo antecedente.na data da dissoluç1o. Integra8 o (atri8Lnio (ró(rio os bens que cada cLnBuge (ossu>a ao casar e os (or ele adquiridos. *.. Art. Art.contra>das (or u8 dos cLnBuges.E 8eaç1o do outro cLnBuge.quando se (erceba8 ou vença8 durante o casa8ento. Art. No regi8e de (artici(aç1o 3inal nos aqSestos. III 7 as d>vidas relativas a esses bens.G<<. I! 7 as doaçFes antenu(ciais 3eitas (or u8 dos cLnBuges ao outro co8 a clCusula de inco8unicabilidade. *.G<.(resu8e87se adquiridos durante o casa8ento os bens 8óveis.GG.a qualquer t>tulo.ou revertere8 e8 (roveito co8u8. Art.e lAe cabe.cessarC a res(onsabilidade de cada u8 dos cLnBuges (ara co8 os credores do outro.de os reivindicar.. $alvo (rova e8 contrCrio.na constPncia do casa8ento. II 7 os que sobreviera8 a cada cLnBuge (or sucess1o ou liberalidade.G<+.salvo se (roviere8 de des(esas co8 seus a(restos.E @(oca da dissoluç1o da sociedade conBugal.G<K. *.a t>tulo oneroso. Art. Art.cada cLnBuge (ossui (atri8Lnio (ró(rio. E?tinta a co8unA1o. $obrevindo a dissoluç1o da sociedade conBugal. *.e?cluindo7se da so8a dos (atri8Lnios (ró(rios: I 7 os bens anteriores ao casa8ento e os que e8 seu lugar se sub7rogara8. No caso de bens adquiridos (elo trabalAo conBunto.terC cada u8 dos cLnBuges u8a quota igual no condo8>nio ou no cr@dito (or aquele 8odo estabelecido. $e u8 dos cLnBuges solveu u8a d>vida do outro co8 bens do seu (atri8Lnio.se 3ore8 8óveis.e8 bene3>cio do outro. Art. A ad8inistraç1o desses bens @ e?clusiva de cada cLnBuge.

quando su(eriores E sua 8eaç1o. ParCgra3o Dnico. *.G.GK.(resu8e87se do do8>nio do cLnBuge devedor. Co8(ete aos (ais. *. "s bens i8óveis s1o de (ro(riedade do cLnBuge cuBo no8e constar no registro. N1o se (odendo realiOar a re(osiç1o e8 dinAeiro.enquanto no e?erc>cio do (oder 3a8iliar: I 7 s1o usu3rutuCrios dos bens dos 3ilAos.alienados tantos bens quantos bastare8.obrigaçFes que ultra(asse8 os li8ites da si8(les ad8inistraç1o.estes (er8anecer1o sob a ad8inistraç1o e?clusiva de cada u8 dos cLnBuges.Art.e na 3alta de u8 deles ao outro. *.re(resentar os 3ilAos 8enores de deOesseis anos.e8 no8e deles. " direito E 8eaç1o n1o @ renunciCvel. *. *.ou a seus Aerdeiros. " (ai e a 81e.salvo se o be8 3or de uso (essoal do outro. *.be8 co8o assisti7los at@ co8(letare8 a 8aioridade ou sere8 e8anci(ados. Art. Art. .veri3icar7se7C o 8ontante dos aqSestos E data e8 que cessou a conviv9ncia. Art.ou gravar de Lnus real os i8óveis dos 3ilAos. A8bos os cLnBuges s1o obrigados a contribuir (ara as des(esas do casal na (ro(orç1o dos rendi8entos de seu trabalAo e de seus bens. Art..e8 3ace de terceiros. Na dissoluç1o da sociedade conBugal (or 8orte. I8(ugnada a titularidade. Art.8ediante (r@via autoriOaç1o do BuiO. Pode8 (leitear a declaraç1o de nulidade dos atos (revistos neste artigo: I 7 os 3ilAos.GKM.cess>vel ou (enAorCvel na vig9ncia do regi8e 8atri8onial. CAP%T&L" !I #o Regi8e de $e(araç1o de 2ens Art.GKG.n1o obriga8 ao outro. *.GKN.GK<.de3erindo7se a Aerança aos Aerdeiros na 3or8a estabelecida neste Código.veri3icar7se7C a 8eaç1o do cLnBuge sobrevivente de con3or8idade co8 os artigos antecedentes. $e n1o 3or (oss>vel ne8 conveniente a divis1o de todos os bens e8 natureOa.. As d>vidas de u8 dos cLnBuges.ne8 contrair. N1o (ode8 os (ais alienar. Na dissoluç1o do regi8e de bens (or se(araç1o Budicial ou (or divórcio.co8 e?clusividade.*. ParCgra3o Dnico.8ediante autoriOaç1o Budicial.calcular7se7C o valor de alguns ou de todos (ara re(osiç1o e8 dinAeiro ao cLnBuge n1o7(ro(rietCrio.salvo esti(ulaç1o e8 contrCrio no (acto antenu(cial. $&2T%T&L" II #o &su3ruto e da Ad8inistraç1o dos 2ens de FilAos Jenores Art.GK+.GKK. Esti(ulada a se(araç1o de bens..ser1o avaliados e. *. Aavendo diverg9ncia.que os (oderC livre8ente alienar ou gravar de Lnus real. *..GK*. *. "s (ais deve8 decidir e8 co8u8 as questFes relativas aos 3ilAos e a seus bens.salvo (or necessidade ou evidente interesse da (role. Art. *. As coisas 8óveis. ParCgra3o Dnico. II 7 t98 a ad8inistraç1o dos bens dos 3ilAos 8enores sob sua autoridade. Art.caberC ao cLnBuge (ro(rietCrio (rovar a aquisiç1o regular dos bens.(oderC qualquer deles recorrer ao BuiO (ara a soluç1o necessCria.G. Art.GK=. ParCgra3o Dnico.GK. Art. *.

.G.N. A obrigaç1o de (restar ali8entos trans8ite7se aos Aerdeiros do devedor. .que deve ali8entos e8 (ri8eiro lugar. *. $e.assi8 ger8anos co8o unilaterais.de que8 se recla8a8. *. Na 3alta dos ascendentes cabe a obrigaç1o aos descendentes..os cLnBuges ou co8(anAeiros (edir uns aos outros os ali8entos de que necessite8 (ara viver de 8odo co8(at>vel co8 a sua condiç1o social.E (ró(ria 8antença. Art.N.3i?ar a 3or8a do cu8(ri8ento da (restaç1o. Art. Art. Co8(ete ao BuiO.G. sendo vCrias as (essoas obrigadas a (restar ali8entos. Q +o "s ali8entos ser1o a(enas os indis(ensCveis E subsist9ncia.e e?tensivo a todos os ascendentesrecaindo a obrigaç1o nos 8ais (ró?i8os e8 grau.<. $e8(re que no e?erc>cio do (oder 3a8iliar colidir o interesse dos (ais co8 o do 3ilAo. Art.G.G. Q *o "s ali8entos deve8 ser 3i?ados na (ro(orç1o das necessidades do recla8ante e dos recursos da (essoa obrigada.II 7 os Aerdeiros. *.quando a situaç1o de necessidade resultar de cul(a de que8 os (leiteia.<.ou ad8inistrados. $1o devidos os ali8entos quando que8 os (retende n1o te8 bens su3icientes. *.(ode 3ornec97los.G.ne8 (ode (rover.+. Pode8 os (arentes.e.inclusive (ara atender Es necessidades de sua educaç1o. *. *. $&2T%T&L" III #os Ali8entos Art. I! 7 os bens que aos 3ilAos coubere8 na Aerança. Art.uns e8 3alta de outros.K. *.*. II 7 os valores au3eridos (elo 3ilAo 8aior de deOesseis anos.ser1o cAa8ados a concorrer os de grau i8ediato. *.se8 des3alque do necessCrio ao seu sustento.. III 7 os bens dei?ados ou doados ao 3ilAo.no e?erc>cio de atividade (ro3issional e os bens co8 tais recursos adquiridos.se8 (reBu>Oo do dever de (restar o necessCrio E sua educaç1o. A (essoa obrigada a su(rir ali8entos (oderC (ensionar o ali8entando.todas deve8 concorrer na (ro(orç1o dos res(ectivos recursos. *. *. III 7 o re(resentante legal. E?clue87se do usu3ruto e da ad8inistraç1o dos (ais: I 7 os bens adquiridos (elo 3ilAo Aavido 3ora do casa8ento.e?oneraç1o. $e o (arente.G.n1o estiver e8 condiçFes de su(ortar total8ente o encargo.M.3i?ados os ali8entos.G.reduç1o ou 8aBoraç1o do encargo.sobrevier 8udança na situaç1o 3inanceira de que8 os su(re.ou dar7lAe Aos(edage8 e sustento.e aquele.quando os (ais 3ore8 e?clu>dos da sucess1o.<.con3or8e as circunstPncias. ParCgra3o Dnico.(oderC o interessado recla8ar ao BuiO.(elos (ais. Art.intentada aç1o contra u8a delas(oder1o as de8ais ser cAa8adas a integrar a lide.a requeri8ento deste ou do Jinist@rio PDblico o BuiO lAe darC curador es(ecial.ou na de que8 os recebe.G.G. Art..(elo seu trabalAo. " direito E (restaç1o de ali8entos @ rec>(roco entre (ais e 3ilAos.quando 8enor.sob a condiç1o de n1o sere8 usu3ru>dos.=. Art. Art.G. *.se as circunstPncias o e?igire8.na 3or8a do art.guardada a orde8 de sucess1o e3altando estes.antes do reconAeci8ento.aos ir81os.

=.<. *.a (edido de qualquer das (artes.ta8b@8. ParCgra3o Dnico.de(endendo a e3icCcia do ato da aceitaç1o e?(ressa de a8bos os cLnBuges bene3iciados ou da entidade 3a8iliar bene3iciada.a uni1o estCvel ou o concubinato do credor. Art..<.a sua instituiç1o co8o be8 de 3a8>lia deverC constar dos res(ectivos livros de registro.de qualquer natureOa. $e o cLnBuge declarado cul(ado vier a necessitar de ali8entos.<. Art.N. . $e u8 dos cLnBuges se(arados Budicial8ente vier a necessitar de ali8entos.E @(oca de sua instituiç1o. *.(or@8 lAe @ vedado renunciar o direito a ali8entos.sendo o res(ectivo cr@dito insuscet>vel de cess1o. Art.o direito a ali8entos.co8(ensaç1o ou (enAora.co8 suas (ertenças e acessóriosdestinando7se e8 a8bos os casos a do8ic>lio 3a8iliar.desde que n1o ultra(asse u8 terço do (atri8Lnio l>quido e?istente ao te8(o da instituiç1o. " terceiro (oderC igual8ente instituir be8 de 3a8>lia (or testa8ento ou doaç1o. *. *.<.nos ter8os da lei (rocessual.e n1o tiver (arentes e8 condiçFes de (restC7los.ser1o atualiOadas segundo >ndice o3icial regular8ente estabelecido.ne8 a(tid1o (ara o trabalAo. Art.que a aç1o se (rocesse e8 segredo de Bustiça.sendo 3acultado ao BuiO deter8inar. " novo casa8ento do cLnBuge devedor n1o e?tingue a obrigaç1o constante da sentença de divórcio. ParCgra3o Dnico.cessa o dever de (restar ali8entos. Art. *.e (oderC abranger valores 8obiliCrios. Art. *.Art.. Q *o #ever1o os valores 8obiliCrios ser devida8ente individualiOados no instru8ento de instituiç1o do be8 de 3a8>lia.sendo u8 dos cLnBuges inocente e des(rovido de recursos.<.<. Art.3i?ando o BuiO o valor indis(ensCvel E sobreviv9ncia.cuBa renda serC a(licada na conservaç1o do i8óvel e no sustento da 3a8>lia.serC o outro obrigado a (restC7los 8ediante (ens1o a ser 3i?ada (elo BuiO. *.8antidas as regras sobre a i8(enAorabilidade do i8óvel residencial estabelecida e8 lei es(ecial.N.. *. *. Co8 relaç1o ao credor cessa. *. Q +o $e se tratar de t>tulos no8inativos. "s valores 8obiliCrios.o 3ilAo Aavido 3ora do casa8ento (ode acionar o genitor. Art.G.caso n1o tenAa sido declarado cul(ado na aç1o de se(araç1o Budicial.<.ou a entidade 3a8iliar.<*+. "s ali8entos (rovisionais ser1o 3i?ados (elo BuiO. Art. *.o outro cLnBuge serC obrigado a assegurC7los.<. Para a 8anutenç1o dos 3ilAos.8ediante escritura (Dblica ou testa8ento. " be8 de 3a8>lia consistirC e8 (r@dio residencial urbano ou rural.os cLnBuges se(arados Budicial8ente contribuir1o na (ro(orç1o de seus recursos.<*M.destinar (arte de seu (atri8Lnio (ara instituir be8 de 3a8>lia.se tiver (rocedi8ento indigno e8 relaç1o ao devedor. *. Co8 o casa8ento.<. $&2T%T&L" I! #o 2e8 de Fa8>lia Art. Art.G. *. Para obter ali8entos. ParCgra3o Dnico.obedecidos os crit@rios estabelecidos no art.K.n1o (oder1o e?ceder o valor do (r@dio institu>do e8 be8 de 3a8>lia.<**. Pode8 os cLnBuges.<*. As (restaçFes ali8ent>cias.+.destinados aos 3ins (revistos no artigo antecedente. Pode o credor n1o e?ercer.(restar7 lAe7C o outro a (ens1o ali8ent>cia que o BuiO 3i?ar.M. Na se(araç1o Budicial litigiosa.

Q Mo " instituidor (oderC deter8inar que a ad8inistraç1o dos valores 8obiliCrios seBa con3iada a instituiç1o 3inanceira.a ad8inistraç1o do be8 de 3a8>lia co8(ete a a8bos os cLnBuges. Art.constitui7se (elo registro de seu t>tulo no Registro de I8óveis.desde que n1o suBeitos a curatela.salvo se 8otivos relevantes aconselAare8 outra soluç1o. *. #issolvida a sociedade conBugal (ela 8orte de u8 dos cLnBuges. " be8 de 3a8>lia.. *.con3igurada na conviv9ncia (Dblica.na 3alta destes. Q +o As causas sus(ensivas do art. Art.n1o (ode8 ter destino diverso do (revisto no art.o saldo e?istente serC a(licado e8 outro (r@dio. " be8 de 3a8>lia @ isento de e?ecuç1o (or d>vidas (osteriores E sua instituiç1o.a seu tutor.e?tingui7lo ou autoriOar a sub7rogaç1o dos bens que o constitue8 e8 outros. *.<+. Art.ou de des(esas de condo8>nio. A dissoluç1o da sociedade conBugal n1o e?tingue o be8 de 3a8>lia.at@ que os 3ilAos co8(lete8 a 8aioridade.<*M. *.ou e8 t>tulos da d>vida (Dblica. .a que se re3ere o Q M o do art. Art. T%T&L" III #A &NIW" E$T\!EL Art.ordenando o BuiO a sua trans3er9ncia (ara outra instituiç1o se8elAanteobedecendo7se. R reconAecida co8o entidade 3a8iliar a uni1o estCvel entre o Ao8e8 e a 8ulAer. Art. *. *.ao dis(osto sobre (edido de restituiç1o. Uualquer 3or8a de liquidaç1o da entidade ad8inistradora. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio do ato de instituiç1o.sustento e educaç1o dos 3ilAos. n1o se a(licando a incid9ncia do inciso !I no caso de a (essoa casada se acAar se(arada de 3ato ou Budicial8ente.igual8ente.=+M n1o i8(edir1o a caracteriOaç1o da uni1o estCvel.<+N.<*<. *.ouvidos o instituidor e o Jinist@rio PDblico.<*. *. *.o sobrevivente (oderC (edir a e?tinç1o do be8 de 3a8>lia. *.be8 co8o disci(linar a 3or8a de (aga8ento da res(ectiva renda aos bene3iciCrios. ParCgra3o Dnico.a ad8inistraç1o (assarC ao 3ilAo 8ais velAo. *.do contrCrio. Co8(rovada a i8(ossibilidade da 8anutenç1o do be8 de 3a8>lia nas condiçFes e8 que 3oi institu>do(oderC o BuiO. Art.<*N.no caso de 3al9ncia. Art. Art. *.e. E?tingue7se.n1o atingirC os valores a ela con3iados.ou.=+*.a crit@rio do BuiO.co8o be8 de 3a8>lia.se 3or o Dnico be8 do casal.se 3or 8aior.<+*. *. A isenç1o de que trata o artigo antecedente durarC enquanto viver u8 dos cLnBuges.res(eito e assist9ncia. Art. *. *.resolvendo o BuiO e8 caso de diverg9ncia. " (r@dio e os valores 8obiliCrios. ParCgra3o Dnico.<+M.<*=.a requeri8ento dos interessados.(ara sustento 3a8iliar. Art.cont>nua e duradoura e estabelecida co8 o obBetivo de constituiç1o de 3a8>lia.quer institu>do (elos cLnBuges ou (or terceiro.<++. Co8 o 3aleci8ento de a8bos os cLnBuges.<*K.caso e8 que a res(onsabilidade dos ad8inistradores obedecerC Es regras do contrato de de(ósito.<*G. No caso de e?ecuç1o (elas d>vidas re3eridas neste artigo. ParCgra3o Dnico.<*+ ou sere8 alienados se8 o consenti8ento dos interessados e seus re(resentantes legaisouvido o Jinist@rio PDblico.e de guarda.constitu>dos co8o be8 da 3a8>lia. As relaçFes (essoais entre os co8(anAeiros obedecer1o aos deveres de lealdade.. Q *o A uni1o estCvel n1o se constituirC se ocorrere8 os i8(edi8entos do art.o be8 de 3a8>lia co8 a 8orte de a8bos os cLnBuges e a 8aioridade dos 3ilAos.salvo as que (roviere8 de tributos relativos ao (r@dio.

*. II 7 e8 caso de os (ais deca>re8 do (oder 3a8iliar. E8 3alta de tutor no8eado (elos (ais incu8be a tutela aos (arentes consangS>neos do 8enor. Q +o Uue8 institui u8 8enor Aerdeiro.<MM.escusa ou qualquer outro i8(edi8ento.e que os outros lAe suceder1o (ela orde8 de no8eaç1o.o regi8e da co8unA1o (arcial de bens. e8 qualquer dos casos.<+=.<M*.e. "s 3ilAos 8enores s1o (ostos e8 tutela: I 7 co8 o 3aleci8ento dos (ais.a(lica7se Es relaçFes (atri8oniais.ainda que o bene3iciCrio se encontre sob o (oder 3a8iliar. Na uni1o estCvel.(re3erindo o de grau 8ais (ró?i8o ao 8ais re8oto.se ocorrer 8orte. .inca(acidade. *.. Art. R nula a no8eaç1o de tutor (elo (ai ou (ela 81e que. II 7 quando estes 3ore8 e?clu>dos ou escusados da tutela.(re3erindo os 8ais (ró?i8os aos 8ais re8otos.ou legatCrio seu.(or esta orde8: I 7 aos ascendentes. II 7 aos colaterais at@ o terceiro grau.ou sendo estes Bulgados ausentes.n1o tinAa o (oder 3a8iliar. Art.. As relaçFes n1o eventuais entre o Ao8e8 e a 8ulAer.no que couber.os 8ais velAos aos 8ais 8oços.constitue8 concubinato.Art.8ediante (edido dos co8(anAeiros ao BuiO e assento no Registro Civil.<+<.ou tutela. *.o BuiO escolAerC entre eles o 8ais a(to a e?ercer a tutela e8 bene3>cio do 8enor. III 7 quando re8ovidos (or n1o idLneos o tutor leg>ti8o e o testa8entCrio. Art.e8 conBunto.no 8es8o grau.<+K. *. *. " BuiO no8earC tutor idLneo e residente no do8ic>lio do 8enor: I 7 na 3alta de tutor testa8entCrio ou leg>ti8o. *. Art.(oderC no8ear7lAe curador es(ecial (ara os bens dei?ados. *.<+. Art. T%T&L" I! #a Tutela e da Curatela CAP%T&L" I #a Tutela $eç1o I #os Tutores Art.salvo contrato escrito entre os co8(anAeiros. " direito de no8ear tutor co8(ete aos (ais. *.<+G. Q *o No caso de ser no8eado 8ais de u8 tutor (or dis(osiç1o testa8entCria se8 indicaç1o de (reced9nciaentende7se que a tutela 3oi co8etida ao (ri8eiro. Art.i8(edidos de casar.<M. A uni1o estCvel (oderC converter7se e8 casa8ento. Art. A no8eaç1o deve constar de testa8ento ou de qualquer outro docu8ento aut9ntico.ao te8(o de sua 8orte. *.<M+. ParCgra3o Dnico. Aos ir81os ór31os dar7se7C u8 só tutor.

na 3or8a (revista (ela Lei no K.se Aouver no lugar (arente idLneo..<MG. $eç1o III #a Escusa dos Tutores Art. ! 7 as (essoas de 8au (rocedi8ento.se acAare8 constitu>dos e8 obrigaç1o (ara co8 o 8enor.estelionato. II 7 aqueles que.e as cul(adas de abuso e8 tutorias anteriores..ou 3alAas e8 (robidade.os deO dias contar7se7 1o do e8 que ele sobrevier.ou que tivere8 sido (or estes e?(ressa8ente e?clu>dos da tutela. Uue8 n1o 3or (arente do 8enor n1o (oderC ser obrigado a aceitar a tutela. !I 7 aqueles que e?ercere8 3unç1o (Dblica inco8(at>vel co8 a boa ad8inistraç1o da tutela.<M.G. II 7 8aiores de sessenta anos.<MK.<MN. A escusa a(resentar7se7C nos deO dias subseqSentes E designaç1o.contra a 3a8>lia ou os costu8es.3alsidade. ! 7 aqueles que Aabitare8 longe do lugar onde se AaBa de e?ercer a tutela.e res(onderC desde logo (elas (erdas e danos que o 8enor venAa a so3rer. As crianças e os adolescentes cuBos (ais 3ore8 desconAecidos. $e o BuiO n1o ad8itir a escusa. III 7 os ini8igos do 8enor.. *. $eç1o I! #o E?erc>cio da Tutela ..e aqueles cuBos (ais. Art.<M=./ !ig9ncia $eç1o II #os Inca(aOes de E?ercer a Tutela Art.de +.ou de seus (ais. *.Art.caso a e?erça8: I 7 aqueles que n1o tivere8 a livre ad8inistraç1o de seus bens.enquanto o recurso inter(osto n1o tiver (rovi8ento. *. N1o (ode8 ser tutores e ser1o e?onerados da tutela.no 8o8ento de lAes ser de3erida a tutela.tenAa8 ou n1o cu8(rido (ena.e?ercerC o no8eado a tutela.ou tivere8 que 3aOer valer direitos contra este.. I! 7 os i8(ossibilitados (or en3er8idade. !I 7 aqueles que BC e?ercere8 tutela ou curatela.3alecidos ou que tivere8 sido sus(ensos ou destitu>dos do (oder 3a8iliar ter1o tutores no8eados (elo 4uiO ou ser1o inclu>dos e8 (rogra8a de colocaç1o 3a8iliar.e8 condiçFes de e?erc97la.. se o 8otivo escusatório ocorrer de(ois de aceita a tutela. 'Redaç1o dada (ela Lei n) *+.<M<. !II 7 8ilitares e8 serviço.roubo.sob (ena de entender7se renunciado o direito de alegC7la..consangS>neo ou a3i8. III 7 aqueles que tivere8 sob sua autoridade 8ais de tr9s 3ilAos.de *M de BulAo de *. *.. *.3ilAos ou cLnBuges tivere8 de8anda contra o 8enor. *.*. I! 7 os condenados (or cri8e de 3urto. Art.. 7 Estatuto da Criança e do Adolescente. Art. Pode8 escusar7se da tutela: I 7 8ulAeres casadas.

<N*. Incu8be ao tutor.nos atos da vida civil. Art.(odendo dis(ensC7la se o tutor 3or de reconAecida idoneidade.e8 (roveito destecu8(rindo seus deveres co8 Oelo e boa73@.e assisti7lo. Art. $e o (atri8Lnio do 8enor 3or de valor considerCvel.e as quantias a ele devidas.co8o Aouver (or be8.arbitrando o BuiO (ara tal 3i8 as quantias que lAe (areça8 necessCrias.(ode o BuiO no8ear u8 (rotutor. II 7 recla8ar do BuiO que (rovidencie.3ore8 co8(le?os. Art.Art.<N<. III 7 adi8(lir os de8ais deveres que nor8al8ente cabe8 aos (ais. Art.ouvida a o(ini1o do 8enor.<N=. *.ainda que co8 encargos. *. Incu8be ao tutor. "s bens do 8enor ser1o entregues ao tutor 8ediante ter8o es(eci3icado deles e seus valores.ou realiOados e8 lugares distantes do do8ic>lio do tutor.<NK. Art.de3end97lo e (restar7lAe ali8entos.(oderC este.a(ós essa idade. *.con3or8e os seus Aaveres e condiç1o. .tanto que se tornou sus(eito.at@ os deOesseis anos.8ediante (reço conveniente.ad8inistrar os bens do tutelado.ne8 o re8ovido. *.o arrenda8ento de bens de raiO.quando n1o tiver e?igido garantia legal do tutor. II 7 receber as rendas e (ensFes do 8enor.co8 autoriOaç1o do BuiO: I 7 (agar as d>vidas do 8enor.sob a ins(eç1o do BuiO. A res(onsabilidade do BuiO serC: I 7 direta e (essoal. *.considerado o rendi8ento da 3ortuna do (u(ilo quando o (ai ou a 81e n1o as Aouver 3i?ado. II 7 aceitar (or ele Aeranças.<NN.serC sustentado e educado a e?(ensas deles. ! 7 (ro8over7lAe.<NG.<N+.conservaç1o e 8elAora8entos de seus bens. Co8(ete ta8b@8 ao tutor. Art.quanto E (essoa do 8enor: I 7 dirigir7lAe a educaç1o. Para 3iscaliOaç1o dos atos do tutor.(oderC o BuiO condicionar o e?erc>cio da tutela E (restaç1o de cauç1o bastante.quando o 8enor AaBa 8ister correç1o.8ediante a(rovaç1o Budicial. III 7 3aOer7lAe as des(esas de subsist9ncia e educaç1o.be8 co8o as de ad8inistraç1o. $e o 8enor (ossuir bens. III 7 transigir.nos atos e8 que 3or (arte. Art.se este BC contar doOe anos de idade. Art.delegar a outras (essoas 3>sicas ou Bur>dicas o e?erc>cio (arcial da tutela.legados ou doaçFes. *.ou n1o o Aouver 3eito o(ortuna8ente. $e os bens e interesses ad8inistrativos e?igire8 conAeci8entos t@cnicos. *. ParCgra3o Dnico. II 7 subsidiCria. *. Co8(ete 8ais ao tutor: I 7 re(resentar o 8enor..ainda que os (ais o tenAa8 dis(ensado.quando n1o tiver no8eado o tutor.<N. *.<NM. I! 7 alienar os bens do 8enor destinados a venda.

e recolAidos ao estabeleci8ento bancCrio o3icial ou a(licado na aquisiç1o de i8óveis. *.obrigaçFes e letras de res(onsabilidade direta ou indireta da &ni1o ou dos Estados. "s tutores n1o (ode8 conservar e8 seu (oder dinAeiro dos tutelados.ou (or inter(osta (essoa.ou nelas assistir o 8enor.salvo (rovando que n1o conAecia o d@bito quando a assu8iu.o tutor declararC tudo o que o 8enor lAe deva.. Q +o $1o solidaria8ente res(onsCveis (elos (reBu>Oos as (essoas Es quais co8(etia 3iscaliOar a atividade do tutor.al@8 do necessCrio (ara as des(esas ordinCrias co8 o seu sustento.alienados.da re3erida a(licaç1o.n1o (ode o tutor.que o BuiO 3arC e3etiva. Q Mo "s tutores res(onde8 (ela de8ora na a(licaç1o dos valores aci8a re3eridos.sob (ena de nulidade: I 7 adquirir (or si.assi8 co8o de3end97lo nos (leitos contra ele 8ovidos. II 7 dis(or dos bens do 8enor a t>tulo gratuito. ! 7 (ro(or e8 Bu>Oo as açFes. Art.e os i8óveis nos casos e8 que 3or (er8itido.a e3icCcia de ato do tutor de(ende da a(rovaç1o ulterior do BuiO.sob (ena de n1o lAe (oder cobrar.e so8ente: I 7 (ara as des(esas co8 o sustento e educaç1o do tutelado.n1o se (oder1o retirar. Ainda co8 a autoriOaç1o Budicial.<=*. *. No caso de 3alta de autoriOaç1o. Art. Q *o Ao (rotutor serC arbitrada u8a grati3icaç1o 8ódica (ela 3iscaliOaç1o e3etuada. "s valores que e?istire8 e8 estabeleci8ento bancCrio o3icial.atendendo7se (re3erente8ente E rentabilidade. *.enquanto e?erça a tutoria.ou dolo. Art.causar ao tutelado.con3or8e 3or deter8inado (elo BuiO.<MN.os obBetos de ouro e (rata. Art.e (ro8over todas as dilig9ncias a be8 deste. *.salvo no caso do art.bens 8óveis ou i8óveis (ertencentes ao 8enor. Antes de assu8ir a tutela.<N. 8as te8 direito a ser (ago (elo que real8ente des(ender no e?erc>cio da tutela.<=+.e o seu (roduto convertido e8 t>tulos.(agando os Buros legais desde o dia e8 que deveria8 dar esse destino. " tutor res(onde (elos (reBu>Oos que.cuBa conservaç1o n1o convier.ou a ad8inistraç1o de seus bens. *.<=.<=N. $eç1o ! #os 2ens do Tutelado Art.e a (erceber re8uneraç1o (ro(orcional E i8(ortPncia dos bens ad8inistrados. Q +o " 8es8o destino (revisto no (arCgra3o antecedente terC o dinAeiro (roveniente de qualquer outra (roced9ncia.I! 7 vender7lAe os bens 8óveis.e as que concorrera8 (ara o dano.na 3or8a do artigo antecedente.<=M. Q *o $e Aouver necessidade. . *.(edras (reciosas e 8óveis ser1o avaliados (or (essoa idLnea e.8ediante (r@via avaliaç1o Budicial e a(rovaç1o do BuiO. "s i8óveis (ertencentes aos 8enores sob tutela so8ente (ode8 ser vendidos quando Aouver 8ani3esta vantage8.(or cul(a.sen1o 8ediante orde8 do BuiO. Art.a sua educaç1o e a ad8inistraç1o de seus bens.. *. ParCgra3o Dnico. III 7 constituir7se cessionCrio de cr@dito ou de direito.a(ós autoriOaç1o Budicial.o que n1o os e?i8e da obrigaç1o.8ediante contrato (articular.contra o 8enor.

*. *.aos seus Aerdeiros.a quitaç1o do 8enor n1o (roduOirC e3eito antes de a(rovadas as contas (elo BuiO.<=G. " alcance do tutor. Nos casos de 8orte. *. *. Art. *.be8 co8o o saldo contra o tutelado.obrigaçFes ou letras. $eç1o !I #a Prestaç1o de Contas Art.<G+. Art.<==.<GN.<=<.ou 8aiores.quando e8anci(ados. *. Art. III 7 (ara se e8(regare8 e8 con3or8idade co8 o dis(osto (or que8 os Aouver doado. "s tutores. " tutor @ obrigado a servir (or es(aço de dois anos. I! 7 (ara se entregare8 aos ór31os.s1o obrigados a (restar contas da sua ad8inistraç1o. *.subsistindo inteira.no caso de reconAeci8ento ou adoç1o. Art.<=.at@ ent1o. .de(ois de a(rovado.s1o d>vidas de valor e vence8 Buros desde o Bulga8ento de3initivo das contas. $eç1o !II #a Cessaç1o da Tutela Art.dei?are8 o e?erc>cio da tutela ou toda veO que o BuiO acAar conveniente. Cessa a condiç1o de tutelado: I 7 co8 a 8aioridade ou a e8anci(aç1o do 8enor. "s tutores (restar1o contas de dois e8 dois anos. Art. No 3i8 de cada ano de ad8inistraç1o. *.. II 7 ao sobrevir escusa leg>ti8a.obrigaçFes ou letras.<=K.e8 que era obrigado a servir.II 7 (ara se co8(rare8 bens i8óveis e t>tulos.<=M.ou adquirindo bens i8óveis.<G=.<GM. *.a res(onsabilidade do tutor.e ta8b@8 quando.aus9ncia.ou dei?ado.8ortos eles.ou t>tulos. ParCgra3o Dnico.e8bora o contrCrio tivesse8 dis(osto os (ais dos tutelados.as contas ser1o (restadas (or seus Aerdeiros ou re(resentantes.nas condiçFes (revistas no Q * o do artigo antecedente.ou. Art. As des(esas co8 a (restaç1o das contas ser1o (agas (elo tutelado.que.na 3or8a do Q *o do art. *. Art.. II 7 ao cair o 8enor sob o (oder 3a8iliar.<G*.(or qualquer 8otivo.e Bulgadas de(ois da audi9ncia dos interessadosrecolAendo o tutor i8ediata8ente a estabeleci8ento bancCrio o3icial os saldos.<G.ou interdiç1o do tutor. *. Art. As contas ser1o (restadas e8 Bu>Oo. $er1o levadas a cr@dito do tutor todas as des(esas Busti3icadas e reconAecida8ente (roveitosas ao 8enor. Finda a tutela (ela e8anci(aç1o ou 8aioridade. *.se ane?arC aos autos do inventCrio. III 7 ao ser re8ovido.os tutores sub8eter1o ao BuiO o balanço res(ectivo. Art. Cessa8 as 3unçFes do tutor: I 7 ao e?(irar o ter8o.

Art. *.n1o tivere8 o necessCrio discerni8ento (ara os atos da vida civil.<<N. *. Art. $erC destitu>do o tutor..assistido (or es(ecialistas. II 7 (elo cLnBuge.co8 as 8odi3icaçFes dos artigos seguintes. nos de8ais casos o Jinist@rio PDblico serC o de3ensor.se o quiser e o BuiO Bulgar conveniente ao 8enor.(or outra causa duradoura.que (oder1o circunscrever7se Es restriçFes constantes do art..<GK.(or en3er8idade ou de3ici9ncia 8ental. CAP%T&L" II #a Curatela $eç1o I #os Interditos Art.os li8ites da curatela.n1o (udere8 e?(ri8ir a sua vontade.3ore8 inca(aOes as (essoas 8encionadas no inciso antecedente.os @brios Aabituais e os viciados e8 tó?icos. *.o BuiO no8earC de3ensor ao su(osto inca(aO. III 7 se. A interdiç1o deve ser (ro8ovida: I 7 (elos (ais ou tutores.<G<.e?a8inarC (essoal8ente o argSido de inca(acidade. Antes de (ronunciar7se acerca da interdiç1o. I! 7 os e?ce(cionais se8 co8(leto desenvolvi8ento 8ental. Pode o tutor continuar no e?erc>cio da tutela. Art. Pronunciada a interdiç1o das (essoas a que se re3ere8 os incisos III e I! do art.<G.<<*. III 7 (elo Jinist@rio PDblico. *.quando negligente.al@8 do (raOo (revisto neste artigo.e8bora suBeita a recurso. III 7 os de3icientes 8entais. Art.<K+. A(lica87se E curatela as dis(osiçFes concernentes E tutela.segundo o estado ou o desenvolvi8ento 8ental do interdito. II 7 se n1o e?istir ou n1o (ro8over a interdiç1o algu8a das (essoas designadas nos incisos I e II do artigo antecedente. Est1o suBeitos a curatela: I 7 aqueles que. *. Art. *.<<M.<GG. II 7 aqueles que.o BuiO assinarC. A sentença que declara a interdiç1o (roduO e3eitos desde logo.<<+.<<. *. *. ! 7 os (ródigos. *.e?istindo. Art. *. Nos casos e8 que a interdiç1o 3or (ro8ovida (elo Jinist@rio PDblico. Art. *.ParCgra3o Dnico.(revaricador ou incurso e8 inca(acidade.ou (or qualquer (arente.o BuiO. Art. .<G<. " Jinist@rio PDblico só (ro8overC interdiç1o: I 7 e8 caso de doença 8ental grave.

Art. *.<<=. " cLnBuge ou co8(anAeiro- n1o se(arado Budicial8ente ou de 3ato- @- de direito- curador do outroquando interdito. Q*o Na 3alta do cLnBuge ou co8(anAeiro- @ curador leg>ti8o o (ai ou a 81e; na 3alta destes- o descendente que se de8onstrar 8ais a(to. Q +o Entre os descendentes- os 8ais (ró?i8os (recede8 aos 8ais re8otos. Q Mo Na 3alta das (essoas 8encionadas neste artigo- co8(ete ao BuiO a escolAa do curador. Art. *.<<G. Tavendo 8eio de recu(erar o interdito- o curador (ro8over7lAe7C o trata8ento e8 estabeleci8ento a(ro(riado. Art. *.<<<. "s interditos re3eridos nos incisos I- III e I! do art. *.<G< ser1o recolAidos e8 estabeleci8entos adequados- quando n1o se ada(tare8 ao conv>vio do8@stico. Art. *.<<K. A autoridade do curador estende7se E (essoa e aos bens dos 3ilAos do curatelado- observado o art. =o. $eç1o II #a Curatela do Nascituro e do En3er8o ou Portador de #e3ici9ncia F>sica Art. *.<<.. #ar7se7C curador ao nascituro- se o (ai 3alecer estando grCvida a 8ulAer- e n1o tendo o (oder 3a8iliar. ParCgra3o Dnico. $e a 8ulAer estiver interdita- seu curador serC o do nascituro. Art. *.<K,. A requeri8ento do en3er8o ou (ortador de de3ici9ncia 3>sica- ou- na i8(ossibilidade de 3aO97lo- de qualquer das (essoas a que se re3ere o art. *.<GK- dar7se7lAe7C curador (ara cuidar de todos ou alguns de seus negócios ou bens. $eç1o III #o E?erc>cio da Curatela Art. *.<K*. As regras a res(eito do e?erc>cio da tutela a(lica87se ao da curatela- co8 a restriç1o do art. *.<<+ e as desta $eç1o. Art. *.<K+. A interdiç1o do (ródigo só o (rivarC de- se8 curador- e8(restar- transigir- dar quitaç1o- alienarAi(otecar- de8andar ou ser de8andado- e (raticar- e8 geral- os atos que n1o seBa8 de 8era ad8inistraç1o. Art. *.<KM. Uuando o curador 3or o cLnBuge e o regi8e de bens do casa8ento 3or de co8unA1o universal- n1o serC obrigado E (restaç1o de contas- salvo deter8inaç1o Budicial. LI!R" ! #o #ireito das $ucessFes T%T&L" I #a $ucess1o e8

eral

CAP%T&L" I #is(osiçFes erais Art. *.<KN. Aberta a sucess1o- a Aerança trans8ite7se- desde logo- aos Aerdeiros leg>ti8os e testa8entCrios. Art. *.<K=. A sucess1o abre7se no lugar do Dlti8o do8ic>lio do 3alecido.

Art. *.<KG. A sucess1o dC7se (or lei ou (or dis(osiç1o de Dlti8a vontade. Art. *.<K<. Regula a sucess1o e a legiti8aç1o (ara suceder a lei vigente ao te8(o da abertura daquela. Art. *.<KK. Jorrendo a (essoa se8 testa8ento- trans8ite a Aerança aos Aerdeiros leg>ti8os; o 8es8o ocorrerC quanto aos bens que n1o 3ore8 co8(reendidos no testa8ento; e subsiste a sucess1o leg>ti8a se o testa8ento caducar- ou 3or Bulgado nulo. Art. *.<K.. Tavendo Aerdeiros necessCrios- o testador só (oderC dis(or da 8etade da Aerança. Art. *.<.,. A co8(anAeira ou o co8(anAeiro (artici(arC da sucess1o do outro- quanto aos bens adquiridos onerosa8ente na vig9ncia da uni1o estCvel- nas condiçFes seguintes: I 7 se concorrer co8 3ilAos co8uns- terC direito a u8a quota equivalente E que (or lei 3or atribu>da ao 3ilAo; II 7 se concorrer co8 descendentes só do autor da Aerança- tocar7lAe7C a 8etade do que couber a cada u8 daqueles; III 7 se concorrer co8 outros (arentes sucess>veis- terC direito a u8 terço da Aerança; I! 7 n1o Aavendo (arentes sucess>veis- terC direito E totalidade da Aerança. CAP%T&L" II #a Terança e de sua Ad8inistraç1o Art. *.<.*. A Aerança de3ere7se co8o u8 todo unitCrio- ainda que vCrios seBa8 os Aerdeiros. ParCgra3o Dnico. At@ a (artilAa- o direito dos co7Aerdeiros- quanto E (ro(riedade e (osse da Aerança- serC indivis>vel- e regular7se7C (elas nor8as relativas ao condo8>nio. Art. *.<.+. " Aerdeiro n1o res(onde (or encargos su(eriores Es 3orças da Aerança; incu8be7lAe- (or@8- a (rova do e?cesso- salvo se Aouver inventCrio que a escuse- de8ostrando o valor dos bens Aerdados. Art. *.<.M. " direito E sucess1o aberta- be8 co8o o quinA1o de que dis(onAa o co7Aerdeiro- (ode ser obBeto de cess1o (or escritura (Dblica. Q *o "s direitos- con3eridos ao Aerdeiro e8 conseqS9ncia de substituiç1o ou de direito de acrescer- (resu8e87se n1o abrangidos (ela cess1o 3eita anterior8ente. Q +o R ine3icaO a cess1o- (elo co7Aerdeiro- de seu direito AereditCrio sobre qualquer be8 da Aerança considerado singular8ente. Q Mo Ine3icaO @ a dis(osiç1o- se8 (r@via autoriOaç1o do BuiO da sucess1o- (or qualquer Aerdeiro- de be8 co8(onente do acervo AereditCrio- (endente a indivisibilidade. Art. *.<.N. " co7Aerdeiro n1o (oderC ceder a sua quota AereditCria a (essoa estranAa E sucess1o- se outro co7 Aerdeiro a quiser- tanto (or tanto. Art. *.<.=. " co7Aerdeiro- a que8 n1o se der conAeci8ento da cess1o- (oderC- de(ositado o (reço- Aaver (ara si a quota cedida a estranAo- se o requerer at@ cento e oitenta dias a(ós a trans8iss1o. ParCgra3o Dnico. $endo vCrios os co7Aerdeiros a e?ercer a (re3er9ncia- entre eles se distribuirC o quinA1o cedidona (ro(orç1o das res(ectivas quotas AereditCrias.

Art. *.<.G. No (raOo de trinta dias- a contar da abertura da sucess1o- instaurar7se7C inventCrio do (atri8Lnio AereditCrio- (erante o Bu>Oo co8(etente no lugar da sucess1o- (ara 3ins de liquidaç1o e- quando 3or o caso- de (artilAa da Aerança. Art. *.<.<. At@ o co8(ro8isso do inventariante- a ad8inistraç1o da Aerança caberC- sucessiva8ente: I 7 ao cLnBuge ou co8(anAeiro- se co8 o outro convivia ao te8(o da abertura da sucess1o; II 7 ao Aerdeiro que estiver na (osse e ad8inistraç1o dos bens- e- se Aouver 8ais de u8 nessas condiçFes- ao 8ais velAo; III 7 ao testa8enteiro; I! 7 a (essoa de con3iança do BuiO- na 3alta ou escusa das indicadas nos incisos antecedentes- ou quando tivere8 de ser a3astadas (or 8otivo grave levado ao conAeci8ento do BuiO. CAP%T&L" III #a !ocaç1o TereditCria Art. *.<.K. Legiti8a87se a suceder as (essoas nascidas ou BC concebidas no 8o8ento da abertura da sucess1o. Art. *.<... Na sucess1o testa8entCria (ode8 ainda ser cAa8ados a suceder: I 7 os 3ilAos- ainda n1o concebidos- de (essoas indicadas (elo testador- desde que vivas estas ao abrir7se a sucess1o; II 7 as (essoas Bur>dicas; III 7 as (essoas Bur>dicas- cuBa organiOaç1o 3or deter8inada (elo testador sob a 3or8a de 3undaç1o. Art. *.K,,. No caso do inciso I do artigo antecedente- os bens da Aerança ser1o con3iados- a(ós a liquidaç1o ou (artilAa- a curador no8eado (elo BuiO. Q *o $alvo dis(osiç1o testa8entCria e8 contrCrio- a curatela caberC E (essoa cuBo 3ilAo o testador es(erava ter (or Aerdeiro- e- sucessiva8ente- Es (essoas indicadas no art. *.<<=. Q +o "s (oderes- deveres e res(onsabilidades do curador- assi8 no8eado- rege87se (elas dis(osiçFes concernentes E curatela dos inca(aOes- no que couber. Q Mo Nascendo co8 vida o Aerdeiro es(erado- ser7lAe7C de3erida a sucess1o- co8 os 3rutos e rendi8entos relativos E dei?a- a (artir da 8orte do testador. Q No $e- decorridos dois anos a(ós a abertura da sucess1o- n1o 3or concebido o Aerdeiro es(erado- os bens reservados- salvo dis(osiç1o e8 contrCrio do testador- caber1o aos Aerdeiros leg>ti8os. Art. *.K,*. N1o (ode8 ser no8eados Aerdeiros ne8 legatCrios: I 7 a (essoa que- a rogo- escreveu o testa8ento- ne8 o seu cLnBuge ou co8(anAeiro- ou os seus ascendentes e ir81os; II 7 as teste8unAas do testa8ento; III 7 o concubino do testador casado- salvo se este- se8 cul(a sua- estiver se(arado de 3ato do cLnBuge AC 8ais de cinco anos;

I! 7 o tabeli1o- civil ou 8ilitar- ou o co8andante ou escriv1o- (erante que8 se 3iOer- assi8 co8o o que 3iOer ou a(rovar o testa8ento. Art. *.K,+. $1o nulas as dis(osiçFes testa8entCrias e8 3avor de (essoas n1o legiti8adas a suceder- ainda quando si8uladas sob a 3or8a de contrato oneroso- ou 3eitas 8ediante inter(osta (essoa. ParCgra3o Dnico. Presu8e87se (essoas inter(ostas os ascendentes- os descendentes- os ir81os e o cLnBuge ou co8(anAeiro do n1o legiti8ado a suceder. Art. *.K,M. R l>cita a dei?a ao 3ilAo do concubino- quando ta8b@8 o 3or do testador. CAP%T&L" I! #a Aceitaç1o e RenDncia da Terança Art. *.K,N. Aceita a Aerança- torna7se de3initiva a sua trans8iss1o ao Aerdeiro- desde a abertura da sucess1o. ParCgra3o Dnico. A trans8iss1o te87se (or n1o veri3icada quando o Aerdeiro renuncia E Aerança. Art. *.K,=. A aceitaç1o da Aerança- quando e?(ressa- 3aO7se (or declaraç1o escrita; quando tCcita- AC de resultar t1o7so8ente de atos (ró(rios da qualidade de Aerdeiro. Q *o N1o e?(ri8e8 aceitaç1o de Aerança os atos o3iciosos- co8o o 3uneral do 3inado- os 8era8ente conservatórios- ou os de ad8inistraç1o e guarda (rovisória. Q +o N1o i8(orta igual8ente aceitaç1o a cess1o gratuita- (ura e si8(les- da Aerança- aos de8ais co7Aerdeiros. Art. *.K,G. A renDncia da Aerança deve constar e?(ressa8ente de instru8ento (Dblico ou ter8o Budicial. Art. *.K,<. " interessado e8 que o Aerdeiro declare se aceita- ou n1o- a Aerança- (oderC- vinte dias a(ós aberta a sucess1o- requerer ao BuiO (raOo raOoCvel- n1o 8aior de trinta dias- (ara- nele- se (ronunciar o Aerdeiro- sob (ena de se Aaver a Aerança (or aceita. Art. *.K,K. N1o se (ode aceitar ou renunciar a Aerança e8 (arte- sob condiç1o ou a ter8o. Q *o " Aerdeiro- a que8 se testare8 legados- (ode aceitC7los- renunciando a Aerança; ou- aceitando7a- re(udiC7 los. Q +o " Aerdeiro- cAa8ado- na 8es8a sucess1o- a 8ais de u8 quinA1o AereditCrio- sob t>tulos sucessórios diversos- (ode livre8ente deliberar quanto aos quinAFes que aceita e aos que renuncia. Art. *.K,.. Falecendo o Aerdeiro antes de declarar se aceita a Aerança- o (oder de aceitar (assa7lAe aos Aerdeiros- a 8enos que se trate de vocaç1o adstrita a u8a condiç1o sus(ensiva- ainda n1o veri3icada. ParCgra3o Dnico. "s cAa8ados E sucess1o do Aerdeiro 3alecido antes da aceitaç1o- desde que concorde8 e8 receber a segunda Aerança- (oder1o aceitar ou renunciar a (ri8eira. Art. *.K*,. Na sucess1o leg>ti8a- a (arte do renunciante acresce E dos outros Aerdeiros da 8es8a classe esendo ele o Dnico desta- devolve7se aos da subseqSente. Art. *.K**. Ningu@8 (ode suceder- re(resentando Aerdeiro renunciante. $e- (or@8- ele 3or o Dnico leg>ti8o da sua classe- ou se todos os outros da 8es8a classe renunciare8 a Aerança- (oder1o os 3ilAos vir E sucess1o- (or direito (ró(rio- e (or cabeça. Art. *.K*+. $1o irrevogCveis os atos de aceitaç1o ou de renDncia da Aerança.

.(revalece a renDncia quanto ao re8anescente. $1o e?clu>dos da sucess1o os Aerdeiros ou legatCrios: I 7 que Aouvere8 sido autores. $1o (essoais os e3eitos da e?clus1o.se o o3endido o tiver e?(ressa8ente reabilitado e8 testa8ento. Uuando o Aerdeiro (reBudicar os seus credores.e8 qualquer desses casos de indignidade.K*=.o direito de de8andar7lAe (erdas e danos. $1o vClidas as alienaçFes onerosas de bens AereditCrios a terceiros de boa73@.ao testar..(or viol9ncia ou 8eios 3raudulentos. Art.(oder1o eles. ParCgra3o Dnico. N1o Aavendo reabilitaç1o e?(ressa.8as te8 direito a ser indeniOado das des(esas co8 a conservaç1o deles.BC conAecia a causa da indignidade.co8 autoriOaç1o do BuiO.ne8 E sucess1o eventual desses bens.K*<.que serC devolvido aos de8ais Aerdeiros. " e?clu>do da sucess1o @ obrigado a restituir os 3rutos e rendi8entos que dos bens da Aerança Aouver (ercebido.contra a (essoa de cuBa sucess1o se tratar.3icar1o sob a guarda e ad8inistraç1o de u8 curador.antes da sentença de e?clus1o. *. Aquele que incorreu e8 atos que deter8ine8 a e?clus1o da Aerança serC ad8itido a suceder.K*M. CAP%T&L" ! #os E?clu>dos da $ucess1o Art.co8(anAeiro.Art.serC declarada (or sentença. Q *o A Aabilitaç1o dos credores se 3arC no (raOo de trinta dias seguintes ao conAeci8ento do 3ato.os bens da Aerança. III 7 que. *. os descendentes do Aerdeiro e?clu>do sucede8. II 7 que Aouvere8 acusado caluniosa8ente e8 Bu>Oo o autor da Aerança ou incorrere8 e8 cri8e contra a sua Aonra.at@ a sua entrega ao sucessor devida8ente Aabilitado ou E declaraç1o de sua vacPncia.K*K.K*G. A e?clus1o do Aerdeiro ou legatCrio.ou e8 outro ato aut9ntico. Falecendo algu@8 se8 dei?ar testa8ento ne8 Aerdeiro leg>ti8o notoria8ente conAecido. *.ascendente ou descendente.seu cLnBuge.renunciando E Aerança.co7autores ou (art>ci(es de Ao8ic>dio doloso. *.de(ois de arrecadados.K*.co8o se ele 8orto 3osse antes da abertura da sucess1o. " direito de de8andar a e?clus1o do Aerdeiro ou legatCrio e?tingue7se e8 quatro anoscontados da abertura da sucess1o.conte8(lado e8 testa8ento do o3endidoquando o testador. CAP%T&L" !I #a Terança 4acente Art. 8as aos Aerdeiros subsistequando (reBudicados. " e?clu>do da sucess1o n1o terC direito ao usu3ruto ou E ad8inistraç1o dos bens que a seus sucessores coubere8 na Aerança.aceitC7la e8 no8e do renunciante. Art. Q +o Pagas as d>vidas do renunciante. ParCgra3o Dnico.(ode suceder no li8ite da dis(osiç1o testa8entCria. Art. *.inibire8 ou obstare8 o autor da Aerança de dis(or livre8ente de seus bens (or ato de Dlti8a vontade. *.o indigno.e os atos de ad8inistraç1o legal8ente (raticados (elo Aerdeiro.ou tentativa deste. ParCgra3o Dnico. Art.ou de seu cLnBuge ou co8(anAeiro.K*N. *. ParCgra3o Dnico.

*.ou (enda Aabilitaç1o.ressalvado a este o direito de (roceder contra que8 o recebeu.(elo Aerdeiro a(arente a terceiro de boa73@.ou de (arte dela. *. " Aerdeiro a(arente.serC esta desde logo declarada vacante.no regi8e da co8unA1o (arcial. *. ParCgra3o Dnico.8es8o e8 (oder de terceiros. *.a res(onsabilidade do (ossuidor se AC de a3erir (elas regras concernentes E (osse de 8C73@ e E 8ora.a (ossua. A (artir da citaç1o.K+K.contra que8. Art. *.ou no da se(araç1o obrigatória de bens 'art.ainda que e?ercida (or u8 só dos Aerdeiros.n1o estC obrigado a (restar o equivalente ao verdadeiro sucessor.K++. Uuando todos os cAa8ados a suceder renunciare8 E Aerança.observado o dis(osto nos arts. Praticadas as dilig9ncias de arrecadaç1o e ulti8ado o inventCrio.nos li8ites das 3orças da Aerança.e.e8 aç1o de (etiç1o de Aerança. $1o e3icaOes as alienaçFes 3eitas.+++..(ara obter a restituiç1o da Aerança. 8as.incor(orando7se ao do8>nio da &ni1o quando situados e8 território 3ederal. III 7 ao cLnBuge sobrevivente.. ParCgra3o Dnico. ParCgra3o Dnico.K+.3i?ando7se7lAe a res(onsabilidade segundo a sua (osse. Art. Art.na qualidade de Aerdeiro.Art. N1o se Aabilitando at@ a declaraç1o de vacPncia. *. Art.e8 concorr9ncia co8 o cLnBuge sobrevivente.o autor da Aerança n1o Aouver dei?ado bens (articulares.a t>tulo oneroso.GN.K+.(oderC co8(reender todos os bens AereditCrios.se localiOados nas res(ectivas circunscriçFes.que de boa73@ Aouver (ago u8 legado.ou 8es8o se8 t>tulo. " Aerdeiro (ode. R assegurado aos credores o direito de (edir o (aga8ento das d>vidas reconAecidas. . *.de8andar o reconAeci8ento de seu direito sucessório.os colaterais 3icar1o e?clu>dos da sucess1o. *.os bens arrecadados (assar1o ao do8>nio do Junic>(io ou do #istrito Federal.K+N. Art.K+M. Art.decorrido u8 ano de sua (ri8eira (ublicaç1o.serC a Aerança declarada vacante.se8 que AaBa Aerdeiro Aabilitado.e8 concorr9ncia co8 o cLnBuge. ou se.K+G. CAP%T&L" !II #a (etiç1o de Aerança Art. *. *.. A sucess1o leg>ti8a de3ere7se na orde8 seguinte: I 7 aos descendentes. " Aerdeiro (ode de8andar os bens da Aerança.+*N a *. " (ossuidor da Aerança estC obrigado E restituiç1o dos bens do acervo.K+*. T%T&L" II #a $ucess1o Leg>ti8a CAP%T&L" I #a "rde8 da !ocaç1o TereditCria Art.se8 (reBu>Oo da res(onsabilidade do (ossuidor originCrio (elo valor dos bens alienados.decorridos cinco anos da abertura da sucess1o.salvo se casado este co8 o 3alecido no regi8e da co8unA1o universal. A aç1o de (etiç1o de Aerança. *. *. II 7 aos ascendentes.ser1o e?(edidos editais na 3or8a da lei (rocessual.K+<. A declaraç1o de vacPncia da Aerança n1o (reBudicarC os Aerdeiros que legal8ente se Aabilitare8.K+=.(arCgra3o Dnico/. Art.

salvo (rova. Ao cLnBuge sobrevivente.Aerdar1o.qualquer que seBa o regi8e de bens.e os outros descendentes. *. Concorrendo co8 ascendente e8 (ri8eiro grau. *.. *. Q *o Na classe dos ascendentes.os ascendentes da linAa (aterna Aerda8 a 8etadecabendo a outra aos da linAa 8aterna. Na 3alta de descendentes.KM*.desde que seBa o Dnico daquela natureOa a inventariar. *.KM.Aerdar1o os 3ilAos destes e. *. $o8ente @ reconAecido direito sucessório ao cLnBuge sobrevivente se.serC de3erida a sucess1o (or inteiro ao cLnBuge sobrevivente.salvo o direito de re(resentaç1o. *. Art. *.ao te8(o da 8orte do outron1o estava8 se(arados Budicial8ente. Art.KMK.n1o os Aavendo.ou se 8aior 3or aquele grau.se 3or ascendente dos Aerdeiros co8 que concorrer.e8 (artes iguais. "s descendentes da 8es8a classe t98 os 8es8os direitos E sucess1o de seus ascendentes. Art.se8 (reBu>Oo da (artici(aç1o que lAe caiba na Aerança.KM=. Art.ne8 se(arados de 3ato AC 8ais de dois anos. *.KM.cada u8 destes AerdarC a 8etade do que Aerdar cada u8 daqueles.se8 distinç1o de linAas.K+.KN.I! 7 aos colaterais. Art. Na linAa descendente.n1o (odendo a sua quota ser in3erior E quarta (arte da Aerança. *. Q +o $e concorre8 3ilAos de ir81os bilaterais co8 3ilAos de ir81os unilaterais.os 8ais (ró?i8os e?clue8 os 8ais re8otos. E8 3alta de descendentes e ascendentes.KNM.ser1o cAa8ados a suceder os colaterais at@ o quarto grau. Q *o $e concorrere8 E Aerança so8ente 3ilAos de ir81os 3alecidos. *.KMM.Aerdar1o (or cabeça.cada u8 destes AerdarC 8etade do que cada u8 daqueles Aerdar. *. Art.de que essa conviv9ncia se tornara i8(oss>vel se8 cul(a do sobrevivente. *. . Concorrendo E Aerança do 3alecido ir81os bilaterais co8 ir81os unilaterais. *.con3or8e se acAe8 ou n1o no 8es8o grau. N1o concorrendo E Aerança ir81o bilateral.o direito real de Aabitaç1o relativa8ente ao i8óvel destinado E resid9ncia da 3a8>lia.neste caso.(or cabeça ou (or estir(e.serC assegurado. Art. Na classe dos colaterais. Na 3alta de ir81os.Aerdar1o (or igual.ao cLnBuge tocarC u8 terço da Aerança..inciso I/ caberC ao cLnBuge quinA1o igual ao dos que sucedere8 (or cabeça. Q +o Tavendo igualdade e8 grau e diversidade e8 linAa. caber7lAe7C a 8etade desta se Aouver u8 só ascendente. Q Mo $e todos 3ore8 3ilAos de ir81os bilaterais. Art..KM<.KN*. Art.ou todos de ir81os unilaterais.KM.o grau 8ais (ró?i8o e?clui o 8ais re8oto. Art..os unilaterais. *. Art.nas condiçFes estabelecidas no art. Art.KMN.. *.os 3ilAos sucede8 (or cabeça.KM+. $e n1o Aouver cLnBuge sobrevivente. Entre os descendentes.KMG.os tios.e8 concorr9ncia co8 o cLnBuge sobrevivente. E8 concorr9ncia co8 os descendentes 'art.KN+.os e8 grau 8ais (ró?i8o e?clue8 os 8ais re8otos. Art.salvo o direito de re(resentaç1o concedido aos 3ilAos de ir81os.s1o cAa8ados E sucess1o os ascendentes. Art. *.

#C7se o direito de re(resentaç1o.ou E &ni1o.e8 seguida.8as nunca na ascendente. Toda (essoa ca(aO (ode dis(or. *.ou co8(anAeiro.Art. N1o sobrevivendo cLnBuge. *. Calcula7se a leg>ti8a sobre o valor dos bens e?istentes na abertura da sucess1o.so8ente se dC o direito de re(resentaç1o e8 3avor dos 3ilAos de ir81os do 3alecido.que 3icar1o sub7rogados nos Lnus dos (ri8eiros. " Aerdeiro necessCrio.KNG. TIT&L" III #A $&CE$$W" TE$TAJENT\RIA CAPIT&L" I #" TE$TAJENT" EJ ERAL Art. Art.KN=.abatidas as d>vidas e as des(esas do 3uneral. CAP%T&L" III #o #ireito de Re(resentaç1o Art. *..K=*. *..(ara de(ois de sua 8orte.n1o (ode o testador estabelecer clCusula de inalienabilidade.da totalidade dos seus bens.ou algu8 legado.sobre os bens da leg>ti8a.KN. Art. *. *.K=G.co8o tais. " quinA1o do re(resentado (artir7se7C (or igual entre os re(resentantes.K=<. *. Q *o N1o @ (er8itido ao testador estabelecer a convers1o dos bens da leg>ti8a e8 outros de es(@cie diversa.KNK.quando situada e8 território 3ederal. $1o Aerdeiros necessCrios os descendentes. " direito de re(resentaç1o dC7se na linAa reta descendente. CAP%T&L" II #os Terdeiros NecessCrios Art.KN<.basta que o testador dis(onAa de seu (atri8Lnio se8 os conte8(lar. Art.quando co8 ir81os deste concorrere8. Art. Na linAa transversal. *.se vivo 3osse.quando a lei cAa8a certos (arentes do 3alecido a suceder e8 todos os direitos.os ascendentes e o cLnBuge. Q *o A leg>ti8a dos Aerdeiros necessCrios n1o (oderC ser inclu>da no testa8ento. Para e?cluir da sucess1o os Aerdeiros colaterais.ne8 (arente algu8 sucess>vel.adicionando7se.e de inco8unicabilidade. " renunciante E Aerança de u8a (essoa (oderC re(resentC7la na sucess1o de outra. Art.a que8 o testador dei?ar a sua (arte dis(on>vel.e8 que ele sucederia.o valor dos bens suBeitos a colaç1o. "s re(resentantes só (ode8 Aerdar.i8(enAorabilidade.convertendo7 se o (roduto e8 outros bens.K=N.constituindo a leg>ti8a.K==. *.se localiOada nas res(ectivas circunscriçFes.se vivo 3osse. *. Art. *.n1o (erderC o direito E leg>ti8a. Art.K=+.a 8etade dos bens da Aerança. *. Art.K=.ou de (arte deles.K=M.(or testa8ento.KNN. . *.o que Aerdaria o re(resentado.(ode8 ser alienados os bens gravados. *.declarada no testa8ento.de (leno direito. Pertence aos Aerdeiros necessCrios. Art.ou tendo eles renunciado a Aerança. $alvo se Aouver Busta causa. Art. Q +o Jediante autoriOaç1o Budicial e Aavendo Busta causa.esta se devolve ao Junic>(io ou ao #istrito Federal.

o tabeli1o ou seu substituto legal assi8 o declararCassinando. *.n1o tivere8 (leno discerni8ento. Art.notas ou a(onta8entos. *. III 7 ser o instru8ento.e.ser lido e8 voO alta (elo tabeli1o ao testador e a duas teste8unAas.rec>(roco ou corres(ectivo. A inca(acidade su(erveniente do testador n1o invalida o testa8ento.desde que rubricadas todas as (Cginas (elo testador. *. $e o testador n1o souber. " testa8ento (Dblico (ode ser escrito 8anual8ente ou 8ecanica8ente.n1o (ode8 testar os que.Q +o $1o vClidas as dis(osiçFes testa8entCrias de carCter n1o (atri8onial. CAP%T&L" III #as 3or8as ordinCrias do testa8ento $eç1o I #is(osiçFes erais Art.K=K. " testa8ento @ ato (ersonal>ssi8o.(elo testador. *. II 7 o cerrado.(elas teste8unAas e (elo tabeli1o.KG+. Al@8 dos inca(aOes.(odendo este servir7se de 8inuta.KGM. Art. *.ou n1o (uder assinar. CAP%T&L" II #a Ca(acidade de Testar Art..neste caso. ou (elo testador. Art. *. " indiv>duo inteira8ente surdo. III 7 o (articular. E?tingue7se e8 cinco anos o direito de i8(ugnar a validade do testa8ento.ainda que o testador so8ente a elas se tenAa li8itado.ne8 o testa8ento do inca(aO se valida co8 a su(erveni9ncia da ca(acidade.KG=.na (resença destas e do o3icial.designarC que8 o leia e8 seu lugar. Art.(resentes as teste8unAas.se o quiser.a u8 só te8(o. *. R (roibido o testa8ento conBuntivo. $eç1o II #o Testa8ento PDblico Art. $1o testa8entos ordinCrios: I 7 o (Dblico.seBa si8ultPneo.a seu rogo.(odendo ser 8udado a qualquer te8(o. ParCgra3o Dnico. II 7 lavrado o instru8ento. .KG*.de acordo co8 as declaraçFes do testador.KGN.be8 co8o ser 3eito (ela inserç1o da declaraç1o de vontade e8 (artes i8(ressas de livro de notas.contado o (raOo da data do seu registro.sabendo ler. *. Art.no ato de 3aO97lo. ParCgra3o Dnico.se 8ais de u8a.KGG.KG.lerC o seu testa8ento. *.assinado (elo testador. $1o requisitos essenciais do testa8ento (Dblico: I 7 ser escrito (or tabeli1o ou (or seu substituto legal e8 seu livro de notas.se n1o o souber.K=. Pode8 testar os 8aiores de deOesseis anos.e8 seguida E leitura. Art.u8a das teste8unAas instru8entCrias..e.

$e n1o Aouver es(aço na Dlti8a 3olAa do testa8ento.que o deve8 subscrever. " tabeli1o deve co8eçar o auto de a(rovaç1o i8ediata8ente de(ois da Dlti8a (alavra do testadordeclarando. *.e (or aquele assinado. Pode 3aOer testa8ento cerrado o surdo78udo. Art. II 7 que o testador declare que aquele @ o seu testa8ento e quer que seBa a(rovado. Art. Art.ante as duas teste8unAas.na 3ace e?terna do (a(el ou do envoltório. " testa8ento (articular (ode ser escrito de (ró(rio (unAo ou 8ediante (rocesso 8ecPnico.K<N. . #e(ois de a(rovado e cerrado. ParCgra3o Dnico.e a outra (or u8a das teste8unAas.ao testador e teste8unAas.. Art. I! 7 que o auto de a(rovaç1o seBa assinado (elo tabeli1o.ao entregC7lo ao o3icial (Dblico.contanto que o escreva todo. (assando a cerrar e coser o instru8ento a(rovado.o auto de a(rovaç1o.designada (elo testador.que aquele @ o seu testa8ento.o testa8ento serC a(resentado ao BuiO. Art.e o leia. Falecido o testador.dia.desde que seu subscritor nu8ere e autentique.duas veOes. *. $e o tabeli1o tiver escrito o testa8ento a rogo do testador.K<=.de(ois de o ter lido na (resença de (elo 8enos tr9s teste8unAas.e que. III 7 que o tabeli1o lavre. *. $eç1o III #o Testa8ento Cerrado Art. Art.todas as (aginas. *.se n1o acAar v>cio e?terno que o torne eivado de nulidade ou sus(eito de 3alsidade.ou (or outre8.ou (or outra (essoa.e o tabeli1o lançarC.devendo ser assinado (elo testador. Q +o $e elaborado (or (rocesso 8ecPnico.desde logo.na (resença de duas teste8unAas..3aOendo7se de tudo circunstanciada 8enç1o no testa8ento. *.u8a (elo tabeli1o ou (or seu substituto legal.e o assine de sua 81o.e8 seguida.89s e ano e8 que o testa8ento 3oi a(rovado e entregue. Art.(ara in>cio da a(rovaç1o. *.a(rovC7lo. " testa8ento escrito (elo testador.K<+. Ao cego só se (er8ite o testa8ento (Dblico.a seu rogo.s1o requisitos essenciais E sua validade seBa lido e assinado (or que8 o escreveu.K<*.n1o (ode conter rasuras ou es(aços e8 branco. ParCgra3o Dnico. N1o (ode dis(or de seus bens e8 testa8ento cerrado que8 n1o saiba ou n1o (ossa ler. *.co8 a sua assinatura.KG.serC o testa8ento entregue ao testador.Art.serC vClido se a(rovado (elo tabeli1o ou seu substituto legal.nota do lugar.que o subscrever1o. $eç1o I! #o Testa8ento Particular Art.K<G.cuBa a(rovaç1o lAe (ede.K<M.na (resença de (elo 8enos tr9s teste8unAas.que o testador lAe entregou (ara ser a(rovado na (resença das teste8unAas.que lAe serC lido.KGK.escreva.sob sua 3@. *. *.no seu livro.K<.8encionando a circunstPncia no auto.que o abrirC e o 3arC registrar. " testa8ento cerrado (ode ser escrito 8ecanica8ente.KG<.a seu rogo. " testa8ento (ode ser escrito e8 l>ngua nacional ou estrangeira. Q *o $e escrito de (ró(rio (unAo.n1o obstante.(elas teste8unAas e (elo testador.e8 voO alta.observadas as seguintes 3or8alidades: I 7 que o testador o entregue ao tabeli1o e8 (resença de duas teste8unAas.(oderC.o tabeli1o a(orC nele o seu sinal (Dblico.ordenando seBa cu8(rido. *.(elo (ró(rio testador.

a crit@rio do BuiO.e8 (resença de duas teste8unAas. Uue8 estiver e8 viage8. *.Aavendo testa8ento (osterior.abrir7se7C do 8es8o 8odo que o testa8ento cerrado. .assi8 co8o legar 8óveis.contanto que as teste8unAas a co8(reenda8.KK*.o testa8ento (articular de (ró(rio (unAo e assinado (elo testador. Jorto o testador. ParCgra3o Dnico.KK. $e as teste8unAas 3ore8 contestes sobre o 3ato da dis(osiç1o. *. E8 circunstPncias e?ce(cionais declaradas na c@dula. *.ou. Pelo 8odo estabelecido no art.de seu uso (essoal. *. CAP%T&L" ! #os Testa8entos Es(eciais $eç1o I #is(osiçFes erais Art.K<<.se.(ublicar7se7C e8 Bu>Oo o testa8ento.e considera87se revogadosse.de qualquer natureOa.a crit@rio do BuiO.rou(as ou Bóias.ouindeter8inada8ente. *.. "s atos (revistos nos artigos antecedentes revoga87se (or atos iguais. $1o testa8entos es(eciais: I 7 o 8ar>ti8o. Toda (essoa ca(aO de testar (oderC.. *.8ediante escrito (articular seu.a bordo de navio nacional.valer1o co8o codicilos. "s atos a que se re3ere o artigo antecedente.(or 8orte ou aus9ncia. *. Art.e se reconAecere8 as (ró(rias assinaturas.de (ouco valor. Art.KK<.KKK. II 7 o aeronCutico.K<K.KKN.K<.o testa8ento serC con3ir8ado. $eç1o II #o Testa8ento Jar>ti8o e do Testa8ento AeronCutico Art.de guerra ou 8ercante.Aouver (rova su3iciente de sua veracidade. Art. Art.KKM.este os n1o con3ir8ar ou 8odi3icar.KK+.3aOer dis(osiçFes es(eciais sobre o seu enterro.se8 teste8unAas. $e 3altare8 teste8unAas. Art.o testa8ento (oderC ser con3ir8ado. " testa8ento (articular (ode ser escrito e8 l>ngua estrangeira. *.KK=.sobre a sua leitura (erante elas.aos (obres de certo lugar. *. *.dei?e ou n1o testa8ento o autor.KK*.datado e assinado. *.salvo direito de terceiro.e se (elo 8enos u8a delas o reconAecer.(or 3or8a que corres(onda ao testa8ento (Dblico ou ao cerrado. *.assi8 co8o a do testador.(oder7se71o no8ear ou substituir testa8enteiros. N1o se ad8ite8 outros testa8entos es(eciais al@8 dos conte8(lados neste Código.(oderC ser con3ir8ado.sobre es8olas de (ouca 8onta a certas e deter8inadas (essoas.co8 citaç1o dos Aerdeiros leg>ti8os. $e estiver 3ecAado o codicilo. *.KKG. Art. III 7 o 8ilitar.Art. CAP%T&L" I! #os Codicilos Art.ao 8enos. Art. Art.(ode testar (erante o co8andante.

Art.que lAe 3aça as veOes neste 8ister.K..contra recibo averbado no diCrio de bordo.outro testa8ento. *.caso e8 que assinarC (or ele u8a delas. Art.M. *.K.=..e8 que lAe 3or a(resentado.ante duas.e8 qualquer (arte dele.se o testador n1o 8orrer na viage8.M.con3iando a sua Dlti8a vontade a duas teste8unAas.(ode testar (erante (essoa designada (elo co8andante. Art. *. " testa8ento 8ar>ti8o ou aeronCutico 3icarC sob a guarda do co8andante.K. N1o terC e3eito o testa8ento se o testador n1o 8orrer na guerra ou convalescer do 3eri8ento. As (essoas designadas no art.K. ParCgra3o Dnico.noventa dias seguidos.89s e ano.(oderC 3aOer o testa8ento de seu (unAo. *.estando e8(enAadas e8 co8bate. CaducarC o testa8ento 8ar>ti8o.ou n1o souber assinar. Uue8 estiver e8 viage8.ou o o3icial a que8 o testa8ento se a(resente notarC.e8 lugar onde (ossa testar na 3or8a ordinCria.ou que esteBa de co8unicaçFes interro8(idas. " testa8ento dos 8ilitares e de8ais (essoas a serviço das Forças Ar8adas e8 ca8(anAa.desde que.K.<. ParCgra3o Dnico. Caduca o testa8ento 8ilitar. *. *. ..(ode8 testar oral8ente.dentro do Pa>s ou 3ora dele. A designaç1o do te8(o e8 que deva co8eçar ou cessar o direito do Aerdeiro.o testa8ento serC escrito (elo res(ectivo o3icial de saDdeou (elo diretor do estabeleci8ento.o testa8ento serC escrito (elo res(ectivo co8andante.ou 3eridas.na 3or8a ordinCria.ou (or certo 8otivo.o testa8ento serC escrito (or aquele que o substituir.a bordo de aeronave 8ilitar ou co8ercial.assi8 co8o e8 (raça sitiada.K. CAP%T&L" !I #as #is(osiçFes Testa8entCrias Art.onde (ossa 3aOer. Q +o $e o testador estiver e8 trata8ento e8 Aos(ital.G.ou legatCrio. " auditor.(ode 3aOer7se (ura e si8(les8ente.ainda que 3eito no curso de u8a viage8.ter7se7C (or n1o escrita. Art.ou ao o3icial de (atente.e o a(resente aberto ou cerrado.+.se. Art. Art.K. N1o valerC o testa8ento 8ar>ti8o.o navio estava e8 (orto onde o testador (udesse dese8barcar e testar na 3or8a ordinCria.K.(oderC 3aOer7sen1o Aavendo tabeli1o ou seu substituto legal.ParCgra3o Dnico.ainda que de graduaç1o ou (osto in3erior. Art.salvo nas dis(osiçFes 3ideico8issCrias. Q *o $e o testador (ertencer a cor(o ou seç1o de cor(o destacado.K. Q Mo $e o testador 3or o o3icial 8ais graduado. $eç1o III #o Testa8ento Jilitar Art.na (resença de duas teste8unAas ao auditor.lugardia. A no8eaç1o de Aerdeiro.KK. *.ao te8(o e8 que se 3eO.o testador esteBa.ne8 nos noventa dias subseqSentes ao seu dese8barque e8 terra.se o testador n1o (uder.*.sob condiç1o. *.observado o dis(osto no artigo antecedente. *.ou aeronCutico. " registro do testa8ento serC 3eito no diCrio de bordo.ou tr9s teste8unAas.N.de(ois dele. *. $e o testador souber escrever.que o entregarC Es autoridades ad8inistrativas do (ri8eiro (orto ou aero(orto nacional. Art.salvo se esse testa8ento a(resentar as solenidades (rescritas no (arCgra3o Dnico do artigo antecedente.(ara certo 3i8 ou 8odo.contanto que o date e assine (or e?tenso.K.K. *.nota esta que serC assinada (or ele e (elas teste8unAas.

*.3i?ar o valor do legado. *.salvo se 8ani3esta8ente constar que tinAa e8 8ente bene3iciar os de outra localidade. Art.(artilAar7se7C (or igual.ta8b@8 (or testa8ento....e8 bene3>cio do testador.dos estabeleci8entos (articulares de caridade. ! 7 que 3avoreça as (essoas a que se re3ere8 os arts.se8 discri8inar a (arte de cada u8. *. Art.. Art. III 7 que 3avoreça a (essoa incerta. $e 3ore8 deter8inados os quinAFes de uns e n1o os de outros Aerdeiros. Art.Art. Art.G. *..*.de(ois de co8(letas as (orçFes AereditCrias dos (ri8eiros.(or outros docu8entos. $e o testa8ento no8ear dois ou 8ais Aerdeiros.segundo a orde8 da vocaç1o AereditCria.ou dos de assist9ncia (Dblica.ainda que 3ique ao arb>trio do Aerdeiro ou de outre8 deter8inar o valor do legado. Art. A dis(osiç1o geral e8 3avor dos (obres. I! 7 que dei?e a arb>trio do Aerdeiro.as instituiçFes (articulares (re3erir1o se8(re Es (Dblicas. Art..... *.tocarC ele aos Aerdeiros leg>ti8os. II 7 que se re3ira a (essoa incerta. ParCgra3o Dnico..dentre os da Aerança.K.entre todos. *.(or ocasi1o da 8ol@stia de que 3aleceu. *.ou a u8 cor(o coletivo.dolo ou coaç1o.. *.* e *. Art.. Art..ou (or 3atos inequ>vocos.. " erro na designaç1o da (essoa do Aerdeiro.cuBa identidade n1o se (ossa averiguar..ou a u8 estabeleci8ento (or ele designado. Uuando a clCusula testa8entCria 3or suscet>vel de inter(retaçFes di3erentes. *.co8etendo a deter8inaç1o de sua identidade a terceiro. *. $1o anulCveis as dis(osiçFes testa8entCrias inquinadas de erro.M.dentre duas ou 8ais (essoas 8encionadas (elo testador...ou de terceiro.N.+. ParCgra3o Dnico.do legatCrio. Nos casos deste artigo..=.. II 7 e8 re8uneraç1o de serviços (restados ao testador.a Aerança serC dividida e8 tantas quotas quantos 3ore8 os indiv>duos e os gru(os designados. . $e 3ore8 deter8inadas as quotas de cada Aerdeiro..ou (ertencentes a u8a 3a8>lia. R nula a dis(osiç1o: I 7 que institua Aerdeiro ou legatCrio sob a condiç1o ca(tatória de que este dis(onAa.. *.. *....ou da coisa legada anula a dis(osiç1osalvo se.o re8anescente (ertencerC aos Aerdeiros leg>ti8os.K.+. $e o testador no8ear certos Aerdeiros individual8ente e outros coletiva8ente.se (uder identi3icar a (essoa ou coisa a que o testador queria re3erir7se.contados de quando o interessado tiver conAeci8ento do v>cio.<.. E?tingue7se e8 quatro anos o direito de anular a dis(osiç1o.(revalecerC a que 8elAor assegure a observPncia da vontade do testador. Art.ou de outre8. !alerC a dis(osiç1o: I 7 e8 3avor de (essoa incerta que deva ser deter8inada (or terceiro.distribuir7se7C (or igual a estes Dlti8os o que restar. #is(ondo o testador que n1o caiba ao Aerdeiro institu>do certo e deter8inado obBeto.K.entender7se7C relativa aos (obres do lugar do do8ic>lio do testador ao te8(o de sua 8orteou dos estabeleci8entos a> sitos.K.(elo conte?to do testa8ento.a (orç1o dis(on>vel do testador.e n1o absorvere8 toda a Aerança.

i8(osta aos bens (or ato de liberalidade. $e o testador legar coisa sua. *.Art. A clCusula de inalienabilidade.**.. *..se a d>vida lAe 3oi (osterior.. Q +o Este legado n1o co8(reende as d>vidas (osteriores E data do testa8ento.só quanto a essa (arte valerC o legado.. ParCgra3o Dnico. $ubsistirC integral8ente o legado.só terC e3icCcia o legado se.ao Aerdeiro ou ao legatCrio. " legado de ali8entos abrange o sustento.ou de quitaç1o de d>vida.ainda que cont>guas.(or conveni9ncia econL8ica do donatCrio ou do Aerdeiro. Art. ParCgra3o Dnico.. Art..enquanto o legatCrio viveral@8 da educaç1o.n1o se co8(reende8 no legado. $e t1o7so8ente e8 (arte a coisa legada (ertencer ao testador.no caso do artigo antecedente. se a coisa legada e?istir entre os bens do testador. *.+. Art.n1o teria8 sido deter8inadas (elo testador.se8 aquela.se8 3i?aç1o de te8(o.. *.a cura. *. *.++. *.*=.ou.ao te8(o do seu 3aleci8ento. R ine3icaO o legado de coisa certa que n1o (ertença ao testador no 8o8ento da abertura da sucess1o.o vestuCrio e a casa. Art.sobre os quais incidir1o as restriçFes a(ostas aos (ri8eiros. Art.estas.entender7se7C que renunciou E Aerança ou ao legado.*G.*<. .se ele 3or 8enor. N1o o declarando e?(ressa8ente o testador.terC e3icCcia so8ente at@ a i8(ortPncia desta...*M.n1o o cu8(rindo ele. " legado de usu3ruto.*. *.i8(lica i8(enAorabilidade e inco8unicabilidade. *. *.*. *.*N.. Art. Q *o Cu8(re7se o legado.ou de sua alienaç1o. $e o testador ordenar que o Aerdeiro ou legatCrio entregue coisa de sua (ro(riedade a outre8.n1o se re(utarC co8(ensaç1o da sua d>vida o legado que ele 3aça ao credor.entende7se dei?ado ao legatCrio (or toda a sua vida.singulariOando7a. Art..e o testador a solveu antes de 8orrer.ao te8(o da 8orte do testador.salvo e?(ressa declaraç1o e8 contrCrio do testador.. *.. " legado de cr@dito. *. Art.+*.serC o 8es8o cu8(rido.. $e o legado 3or de coisa que se deter8ine (elo g9nero. Art.ainda que tal coisa n1o e?ista entre os bens dei?ados (elo testador..o (roduto da venda converter7se7C e8 outros bens.*K.8as e8 quantidade in3erior E do legado. CAP%T&L" !II #os Legados $eç1o I #is(osiçFes erais Art.*+.entregando o Aerdeiro ao legatCrio o t>tulo res(ectivo. " legado de coisa que deva encontrar7se e8 deter8inado lugar só terC e3icCcia se nele 3or acAadasalvo se re8ovida a t>tulo transitório. $e aquele que legar u8 i8óvel lAe aBuntar de(ois novas aquisiçFes.ela se acAava entre os bens da Aerança. No caso de desa(ro(riaç1o de bens clausulados. A ine3icCcia de u8a dis(osiç1o testa8entCria i8(orta a das outras que..ou daquele. Art.este serC e3icaO a(enas quanto E e?istente. Art.8ediante autoriOaç1o Budicial.

o cu8(ri8ento dos legados incu8be aos Aerdeiros e.. e.este (oderC escolAer.(resu8e7se dei?ada ao Aerdeiro a o(ç1o..MM.. Art. Art.+G. *.guardando o 8eio7ter8o entre as cong9neres da 8elAor e (ior qualidade. Q +o " legado de coisa certa e?istente na Aerança trans3ere ta8b@8 ao legatCrio os 3rutos que (roduOir. $e o Aerdeiro ou legatCrio a que8 couber a o(ç1o 3alecer antes de e?erc97la.se nesta n1o e?istir coisa de tal g9nero. $endo (eriódicas as (restaçFes.ne8 nela (ode o legatCrio entrar (or autoridade (ró(ria. #esde a abertura da sucess1o.+M.ou a (raOo.ao Aerdeiro tocarC escolA97la.e?ceto se de(endente de condiç1o sus(ensiva.a 8elAor coisa que Aouver na Aerança.se este n1o a quiser ou n1o a (uder e?ercer.(ertence ao legatCrio a coisa certa.. $e a o(ç1o 3oi dei?ada ao legatCrio..ou de ter8o inicial. Art.(assarC este (oder aos seus Aerdeiros.aos legatCrios.na (ro(orç1o do que receba8 da Aerança..se8(re que outra coisa n1o tenAa dis(osto o testador. Art.ao BuiO co8(etirC 3aO97la.+=. $e o legado consiste e8 coisa deter8inada (elo g9nero. e.esta ou aquela correrC da 8orte do testador. Art.. *.+.(agar7se71o no co8eço de cada (er>odo. $e o legado consistir e8 renda vital>cia ou (ens1o (eriódica. .e o legatCrio terC direito a cada (restaç1o.guardado o dis(osto na Dlti8a (arte do artigo antecedente.n1o os Aavendo.enquanto se litigue sobre a validade do testa8ento. Q *o N1o se de3ere de i8ediato a (osse da coisa. Art.M+. *..+<. Art. *. No sil9ncio do testa8ento. N1o se a(lica o dis(osto neste artigo Es ben3eitorias necessCrias. *. " estabelecido no artigo antecedente serC observado. Art.desde a 8orte do testador.datarC da 8orte do testador o (ri8eiro (er>odo..+N.. Art. *. " encargo estabelecido neste artigo. Art. Art.+. *. *. *.salvo se o legado estiver sob condiç1o sus(ensiva. *.enquanto esteBa (endente a condiç1o ou o (raOo n1o se vença.dar7lAe7C de outra cong9nere o Aerdeiroobservada a dis(osiç1o na Dlti8a (arte do art.ParCgra3o Dnico. " legado e8 dinAeiro só vence Buros desde o dia e8 que se constituir e8 8ora a (essoa obrigada a (restC7lo. ParCgra3o Dnico.e?istente no acervo. No legado alternativo.quando a escolAa 3or dei?ada a arb>trio de terceiro.na (ro(orç1o do que Aerdara8..u8a veO encetado cada u8 dos (er>odos sucessivos.do g9nero deter8inado. quando indicados 8ais de u8os onerados dividir1o entre si o Lnus. " direito de (edir o legado n1o se e?ercerC.só no ter8o de cada (er>odo se (oder1o e?igir. *. *....M*. $e o legado 3or de quantidades certas.enos legados condicionais. ParCgra3o Dnico. $eç1o II #os E3eitos do Legado e do seu Paga8ento Art..MN.M..e8 (restaçFes (eriódicas.+K. $e as (restaçFes 3ore8 dei?adas a t>tulo de ali8entos. *.n1o Aavendo dis(osiç1o testa8entCria e8 contrCriocaberC ao Aerdeiro ou legatCrio incu8bido (elo testador da e?ecuç1o do legado.ainda que venAa a 3alecer antes do ter8o dele.Dteis ou volu(tuCrias 3eitas no (r@dio legado.

Art. $eç1o III #a Caducidade dos Legados Art.(ela 8es8a dis(osiç1o testa8entCria.a(lica7se ao legatCrio o dis(osto neste Código quanto Es doaçFes de igual natureOa.se8 cul(a do Aerdeiro ou legatCrio incu8bido do seu cu8(ri8ento..deter8inada e certa. Art. *. As des(esas e os riscos da entrega do legado corre8 E conta do legatCrio. $e o legado 3or de duas ou 8ais coisas alternativa8ente. Uuando n1o se e3etua o direito de acrescer.caducarC at@ onde ela dei?ou de (ertencer ao testador..M<.aos quais acresceu o quinA1o daquele que n1o quis ou n1o (Lde suceder. I! 7 se o legatCrio 3or e?clu>do da sucess1o.quanto ao seu re8anescente.ou destes 3or e?clu>do. *.vivo ou 8orto o testador... $e u8 dos co7Aerdeiros ou co7legatCrios.MG.3ore8 conBunta8ente cAa8ados E Aerança e8 quinAFes n1o deter8inados.ao (onto de BC n1o ter a 3or8a ne8 lAe caber a deno8inaç1o que (ossu>a. A coisa legada entregar7se7C..nas condiçFes do artigo antecedente.o legado. *.NM.*M/.N. *.Art. CAP%T&L" !III #o #ireito de Acrescer entre Terdeiros e LegatCrios Art. ParCgra3o Dnico.só a ele incu8birC cu8(ri7lo. "s co7Aerdeiros ou co7legatCrios.8orrer antes do testador. nesse caso. III 7 se a coisa (erecer ou 3or evicta.alienar no todo ou e8 (arte a coisa legada.e qualquer deles n1o (uder ou n1o quiser aceitC7la. CaducarC o legado: I 7 se.no lugar e estado e8 que se acAava ao 3alecer o testador. *.(assando ao legatCrio co8 todos os encargos que a onerare8.se a condiç1o sob a qual 3oi institu>do n1o se veri3icar. Art..salvo o direito do substituto.N*. II 7 se o testador. (erecendo (arte de u8a.nos ter8os do art.3ica8 suBeitos Es obrigaçFes ou encargos que o onerava8. se renunciar a Aerança ou legado..de(ois do testa8ento.e. Nos legados co8 encargo.(ela quota de cada u8..co8 seus acessórios.quando no8eados conBunta8ente a res(eito de u8a só coisa.. Uuando vCrios Aerdeiros.subsistirC quanto Es restantes. Art.MK.o testador 8odi3icar a coisa legada.salvo se o contrCrio e?(ressa8ente dis(Ls o testador.salvo o direito do substituto.se n1o dis(user diversa8ente o testador.(or qualquer t>tulo.M=.E (arte dos co7Aerdeiros ou co7legatCrios conBuntos. Art.trans8ite7se aos Aerdeiros leg>ti8os a quota vaga do no8eado. Art.valerC.M.acrescerC o seu quinA1o. *.e algu8as delas (erecere8. . $e algu8 legado consistir e8 coisa (ertencente a Aerdeiro ou legatCrio 'art.a sua (arte acrescerC E dos co7Aerdeiros.. *. *. *. *.K*=.. Art.. *. ! 7 se o legatCrio 3alecer antes do testador. *.ou quando o obBeto do legado n1o (uder ser dividido se8 risco de desvaloriOaç1o..N+.NN.co8 regresso contra os co7Aerdeiros. " direito de acrescer co8(etirC aos co7legatCrios.

. Art.se o legado se deduOiu da Aerança.ou se..co8 as outras anterior8ente no8eadas.NK.. Ta8b@8 @ l>cito ao testador substituir 8uitas (essoas (or u8a só.quando n1o 3or diversa a intenç1o 8ani3estada (elo testador.consolidar7se71o na (ro(riedade as quotas dos que 3altare8.a Aerança ou o legado se trans8ita ao 3iduciCrio.NG. Art.a certo te8(o ou sob certa condiç1o.convertendo7se e8 usu3ruto o direito do 3iduciCrio.. *.só lAes 3oi legada certa (arte do usu3ruto. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio do testador.ParCgra3o Dnico. Art. *.N=.estabelecendo que. " 3iduciCrio te8 a (ro(riedade da Aerança ou legado.adquirirC este a (ro(riedade dos bens 3ideico8etidos.a(esar de conBuntos.. *. CAP%T&L" IV #as $ubstituiçFes $eç1o I #a $ubstituiç1o !ulgar e da Rec>(roca Art.=*.N<.o quinA1o vago (ertencerC e8 (artes iguais aos substitutos. Art.(or sua 8orte.BC Aouver nascido o 3ideico8issCrio.(resu8indo7se que a substituiç1o 3oi deter8inada (ara as duas alternativas.8as restrita e resolDvel. $eç1o II #a $ubstituiç1o Fideico8issCria Art.. Art. se.e a (restar cauç1o de restitu>7los se o e?igir o 3ideico8issCrio.=M..na (ro(orç1o dos seus quinAFes.. $e.resolvendo7se o direito deste.que se quali3ica de 3ideico8issCrio..ainda que o testador só a u8a se re3ira.=N.N.se o 3iduciCrio renunciar a Aerança ou o legado.(ara o caso de u8 ou outro n1o querer ou n1o (oder aceitar a Aerança ou o legado.e ainda substituir co8 reci(rocidade ou se8 ela.3or estabelecida substituiç1o rec>(roca. *.u8a veO re(udiadoreverte o acr@sci8o (ara a (essoa a 3avor de que8 os encargos 3ora8 institu>dos..=. *.ao te8(o da 8orte do testador. ParCgra3o Dnico. A substituiç1o 3ideico8issCria so8ente se (er8ite e8 3avor dos n1o concebidos ao te8(o da 8orte do testador.. ParCgra3o Dnico.de3ere7se ao 3ideico8issCrio o (oder de aceitar. N1o (ode o bene3iciCrio do acr@sci8o re(udiC7lo se(arada8ente da Aerança ou legado que lAe caibasalvo se o acr@sci8o co8(ortar encargos es(eciais i8(ostos (elo testador. " 3iduciCrio @ obrigado a (roceder ao inventCrio dos bens gravados. . Art.3or inclu>da 8ais algu8a (essoa na substituiç1o. $e. Art.E 8edida que eles 3ore8 3altando. " substituto 3ica suBeito E condiç1o ou encargo i8(osto ao substitu>do. Art.a (arte da que 3altar acresce aos co7 legatCrios.a quota do que 3altar acresce ao Aerdeiro ou ao legatCrio incu8bido de satis3aOer esse legado. Pode o testador instituir Aerdeiros ou legatCrios. nesse caso. ParCgra3o Dnico. *. " testador (ode substituir outra (essoa ao Aerdeiro ou ao legatCrio no8eado.ou a todos os Aerdeiros. Legado u8 só usu3ruto conBunta8ente a duas ou 8ais (essoas..entre 8uitos co7Aerdeiros ou legatCrios de (artes desiguais. *.=+. *.e8 3avor de outre8. $e n1o Aouver conBunç1o entre os co7legatCrios. *. *.ou vice7versa.ou n1o resultar outra coisa da natureOa da condiç1o ou do encargo.(or ocasi1o de sua 8orte.a (ro(orç1o dos quinAFes 3i?ada na (ri8eira dis(osiç1o entender7se7C 8antida na segunda. N1o e?istindo o direito de acrescer entre os co7legatCrios.

I! 7 desa8(aro do 3ilAo ou neto co8 de3ici9ncia 8ental ou grave en3er8idade.G*. Art. Art. *. Ao sobrevir a sucess1o. Art. nesse caso.==. Ao Aerdeiro institu>do.=K. II 7 inBDria grave.e. *. CAP%T&L" VI #a Reduç1o das #is(osiçFes Testa8entCrias .autoriOa8 a deserdaç1o dos descendentes (or seus ascendentes: I 7 o3ensa 3>sica. CAP%T&L" V #a #eserdaç1o Art.=<. $e o 3ideico8issCrio aceitar a Aerança ou o legado.GM. $o8ente co8 e?(ressa declaraç1o de causa (ode a deserdaç1o ser ordenada e8 testa8ento..autoriOa8 a deserdaç1o dos ascendentes (elos descendentes: I 7 o3ensa 3>sica. " 3ideico8issCrio (ode renunciar a Aerança ou o legado..que valerC se8 o encargo resolutório. Art.Art.K*N. III 7 relaçFes il>citas co8 a 8adrasta ou co8 o (adrasto.neste caso. ParCgra3o Dnico. *.G+. "s Aerdeiros necessCrios (ode8 ser (rivados de sua leg>ti8a.se n1o Aouver dis(osiç1o contrCria do testador.ou Equele a que8 a(roveite a deserdaç1o. I! 7 desa8(aro do ascendente e8 alienaç1o 8ental ou grave en3er8idade..ou co8 o 8arido ou co8(anAeiro da 3ilAa ou o da neta.ou antes de realiOar7se a condiç1o resolutória do direito deste Dlti8o.o 3ideico8issCrio res(onde (elos encargos da Aerança que ainda restare8..G=... *.nos ter8os do art.ou deserdados. *. Art. II 7 inBDria grave.=G. " direito de (rovar a causa da deserdaç1o e?tingue7se no (raOo de quatro anos. *.. $1o nulos os 3ideico8issos al@8 do segundo grau. *.e8 todos os casos e8 que (ode8 ser e?clu>dos da sucess1o.=.==. *.terC direito E (arte que. *... *. *. A nulidade da substituiç1o ilegal n1o (reBudica a instituiç1o.e8 qualquer te8(o acrescer. Art. Al@8 das causas 8encionadas no art.K*N.... Al@8 das causas enu8eradas no art.a contar da data da abertura do testa8ento. *..ao 3iduciCrio. *. III 7 relaçFes il>citas co8 a 8ulAer ou co8(anAeira do 3ilAo ou a do neto..G.GN.o 3ideico8isso caducadei?ando de ser resolDvel a (ro(riedade do 3iduciCrio.incu8be (rovar a veracidade da causa alegada (elo testador. Art. *. Art.a (ro(riedade consolida7se no 3iduciCrio. Caduca o 3ideico8isso se o 3ideico8issCrio 8orrer antes do 3iduciCrio. Art.

*.. Art. Q +o $e o legatCrio 3or ao 8es8o te8(o Aerdeiro necessCrio.vier a caducar (or e?clus1o.inca(acidade ou renDncia do Aerdeiro nele no8eado.Art. Art.se o testador dis(user da sua 8etade.3ar7se7C esta dividindo7o (ro(orcional8ente..n1o bastando. Q *o E8 se veri3icando e?cedere8 as dis(osiçFes testa8entCrias a (orç1o dis(on>vel.(revenindo o caso.certos Aerdeiros e legatCrios.ser1o (ro(orcional8ente reduOidas as quotas do Aerdeiro ou Aerdeiros institu>dos.ou se o testa8ento (osterior n1o contiver clCusula revogatória e?(ressa.a reduç1o 3ar7se7C nos outros quinAFes ou legados.de (re3er9ncia. *. se o e?cesso n1o 3or de 8ais de u8 quarto.ou quando os e?clua dessa (arte. Art. A revogaç1o do testa8ento (ode ser total ou (arcial. CAP%T&L" VII #a Revogaç1o do Testa8ento Art. $obrevindo descendente sucess>vel ao testador.e o e?cesso do legado 8ontar a 8ais de u8 quarto do valor do (r@dio.. N1o se ro8(e o testa8ento.aos Aerdeiros 3arC tornar e8 dinAeiro o legatCrio. *.<*. *.<+.GG.se esse descendente sobreviver ao testador.3icando co8 o direito de (edir aos Aerdeiros o valor que couber na (arte dis(on>vel.. ParCgra3o Dnico.que n1o o tinAa ou n1o o conAecia quando testouro8(e7se o testa8ento e8 todas as suas dis(osiçFes.o legatCrio dei?arC inteiro na Aerança o i8óvel legado... " testa8ento (ode ser revogado (elo 8es8o 8odo e 3or8a co8o (ode ser 3eito.<N. As dis(osiçFes que e?cedere8 a (arte dis(on>vel reduOir7se71o aos li8ites dela.. *. Art.GK. Art. *.e.G.G<.ou 3or aberto ou dilacerado co8 seu consenti8ento. *.<.n1o conte8(lando os Aerdeiros necessCrios de cuBa e?ist9ncia saiba. Uuando consistir e8 (r@dio divis>vel o legado suBeito a reduç1o. *.que a encerra.quando o testador só e8 (arte dis(user da quota AereditCria dis(on>vel. Art. " testa8ento cerrado que o testador abrir ou dilacerar..o anterior subsiste e8 tudo que n1o 3or contrCrio ao (osterior...<=.Aaver7se7C co8o revogado.dis(user que se inteire8. *. Art. Q +o $e o testador. A revogaç1o (roduOirC seus e3eitos.. CAP%T&L" VI! #o Testa8enteiro . $e (arcial.se8(re que ela e a (arte subsistente do legado lAe absorvere8 o valor. Ro8(e7se ta8b@8 o testa8ento 3eito na ignorPncia de e?istire8 outros Aerdeiros necessCrios.(oderC inteirar sua leg>ti8a no 8es8o i8óvel.ta8b@8 os legadosna (ro(orç1o do seu valor. " re8anescente (ertencerC aos Aerdeiros leg>ti8os.de con3or8idade co8 o dis(osto nos (arCgra3os seguintes. n1o valerC. Q *o $e n1o 3or (oss>vel a divis1o.observando7se a seu res(eito a orde8 estabelecida no (arCgra3o antecedente.de (re3erencia aos outros.. *.que 3icarC co8 o (r@dio.at@ onde baste. CAP%T&L" VIII #o Ro8(i8ento do Testa8ento Art.se o testa8ento revogatório 3or anulado (or o8iss1o ou in3raç1o de solenidades essenciais ou (or v>cios intr>nsecos.ainda quando o testa8ento.<M.

K+.se o testador n1o o Aouver 3i?ado.3unçFes distintas.ao detentor do testa8ento. ParCgra3o Dnico.con3or8e a i8(ortPncia dela e 8aior ou 8enor di3iculdade na e?ecuç1o do testa8ento. " testador (ode no8ear u8 ou 8ais testa8enteiros.e8 3alta dos outros.de o3>cio. " testa8enteiro no8eado..<K..<<..Art.e?ercerC o testa8enteiro as 3unçFes de inventariante.cu8(rirC o testa8enteiro o testa8ento e (restarC contas e8 cento e oitenta dias.. Art. ParCgra3o Dnico. Art..K*.incu8be7lAe requerer inventCrio e cu8(rir o testa8ento. Co8(ete ao testa8enteiro.. *.salvo se cada u8 tiver.nos li8ites da lei. *. Art.assi8 co8o o BuiO (ode ordenar.(or ser re8ovido ou (or n1o ter cu8(rido o testa8ento.e... Art.ou qualquer (arte interessada..KN.KK. Art.ou dando cauç1o de (restC7los. ReverterC E Aerança o (r98io que o testa8enteiro (erder.serC de u8 a cinco (or cento. Art. *. T%T&L" I! #o InventCrio e da PartilAa .terC o testa8enteiro as que lAe con3erir o testador.(oderC cada qual e?erc97lo.quando Aouver Aerdeiro necessCrio.8ediante 8andatCrio co8 (oderes es(eciais.KG..que n1o seBa Aerdeiro ou legatCrio. Art. Al@8 das atribuiçFes e?aradas nos artigos antecedentes. *. Art.no (raOo 8arcado (elo testadore a dar contas do que recebeu e des(endeu. $e o testador tiver distribu>do toda a Aerança e8 legados. Art. " testador (ode conceder ao testa8enteiro a (osse e a ad8inistraç1o da Aerança. " (r98io arbitrado serC (ago E conta da (arte dis(on>vel.ne8 @ delegCvel.(elo testa8ento.que o leve a registro.terC direito a u8 (r98io.. *. Art. *. *.co8 ou se8 o concurso do inventariante e dos Aerdeiros institu>dosde3ender a validade do testa8ento. *.(ode requerer..K=. *.que tenAa aceitado o cargo.a e?ecuç1o testa8entCria co8(ete a u8 dos cLnBuges.arbitrado (elo BuiOsobre a Aerança l>quida. *. *.que.ou de (arte delan1o Aavendo cLnBuge ou Aerdeiros necessCrios.ao Aerdeiro no8eado (elo BuiO.(ara lAe dare8 cu8(ri8ento Es dis(osiçFes de Dlti8a vontade..ou devoluç1o da Aerança. 8as o testa8enteiro (ode 3aOer7se re(resentar e8 Bu>Oo e 3ora dele.. " Aerdeiro ou o legatCrio no8eado testa8enteiro (oderC (re3erir o (r98io E Aerança ou ao legado.. 8as todos 3ica8 solidaria8ente obrigados a dar conta dos bens que lAes 3ore8 con3iados...K<.subsistindo sua res(onsabilidade enquanto durar a e?ecuç1o do testa8ento..<. N1o concedendo o testador (raOo 8aior.. Art. Na 3alta de testa8enteiro no8eado (elo testador.contados da aceitaç1o da testa8entaria.conBuntos ou se(arados.. $alvo dis(osiç1o testa8entCria e8 contrCrio.<G.. *. " testa8enteiro @ obrigado a cu8(rir as dis(osiçFes testa8entCrias.e8 3alta destes. Tendo o testa8enteiro a (osse e a ad8inistraç1o dos bens. *.K. *. Art.o testa8enteiro. Art.Aabilitando o testa8enteiro co8 os 8eios necessCrios (ara o cu8(ri8ento dos legados. *. Pode esse (raOo ser (rorrogado se Aouver 8otivo su3iciente. Art. ParCgra3o Dnico. " encargo da testa8entaria n1o se trans8ite aos Aerdeiros do testa8enteiro.e a elas se li8itar.KM. Uualquer Aerdeiro (ode requerer (artilAa i8ediata.K. Tavendo si8ultanea8ente 8ais de u8 testa8enteiro.

.ou que os o8itir na colaç1o.*. *.CAP%T&L" I #o InventCrio Art. Art.co8 o seu conAeci8ento.K. Art. +.3eita a (artilAa.*.*.. $e o Aerdeiro 3or devedor ao es(ólio.e Aouver i8(ugnaç1o.+..sobre os quais venAa a recair o(ortuna8ente a e?ecuç1o.. *.(or BC n1o os ter o sonegador e8 seu (oder.. *. Art. Q *o Uuando.a(roveita aos de8ais interessados. $e8(re que Aouver aç1o regressiva de uns contra outros Aerdeiros.bens su3icientes (ara soluç1o do d@bito.só res(onde8 os Aerdeiros..G.8ovida (or qualquer dos Aerdeiros ou credores. Art.salvo se a 8aioria consentir que o d@bito seBa i8(utado inteira8ente no quinA1o do devedor. *.de(ois de declarar7se no inventCrio que n1o os (ossui.n1o os descrevendo no inventCrio quando esteBa8 e8 seu (oder... +.constituindo (rova bastante da obrigaç1o... As des(esas 3unerCrias. A Aerança res(onde (elo (aga8ento das d>vidas do 3alecido.8ais as (erdas e danos. 8as. #esde a assinatura do co8(ro8isso at@ a Ao8ologaç1o da (artilAa..sob (ena de se tornar de nenAu8 e3eito a (rovid9ncia indicada.ou.sua d>vida serC (artilAada igual8ente entre todos.assi8 co8o argSir o Aerdeiro.<.re8over7 se7C. *.(erderC o direito que sobre eles lAe cabia.a (arte do co7Aerdeiro insolvente dividir7se7C e8 (ro(orç1o entre os de8ais..3or requerido no inventCrio o (aga8ento de d>vidas constantes de docu8entosrevestidos de 3or8alidades legais.N.. CAP%T&L" III #o Paga8ento das #>vidas Art.. 8as as de su3rCgios (or al8a do 3alecido só obrigar1o a Aerança quando ordenadas e8 testa8ento ou codicilo... $e n1o se restitu>re8 os bens sonegados.a ad8inistraç1o da Aerança serC e?ercida (elo inventariante.no de outre8. "s legatCrios e credores da Aerança (ode8 e?igir que do (atri8Lnio do 3alecido se discri8ine o do Aerdeiro.e8 se (rovando a sonegaç1o. Al@8 da (ena co8inada no artigo antecedente. " Aerdeiro que sonegar bens da Aerança.cada qual e8 (ro(orç1o da (arte que na Aerança lAe coube.(agarC ele a i8(ortPncia dos valores que ocultou. Q +o No caso (revisto no (arCgra3o antecedente..AaBa ou n1o Aerdeiros leg>ti8os.o BuiO 8andarC reservar. CAP%T&L" II #os $onegados Art.. Art. *. CAP%T&L" I! #a Colaç1o . Art.*.. Art.e.aco8(anAada de (rova valiosa. Art.e8 (oder do inventariante.que n1o se 3unde na alegaç1o de (aga8ento.sair1o do 8onte da Aerança.(or ele 3eita.=.quando indicados. A (ena de sonegados só se (ode requerer e i8(or e8 aç1o 8ovida (elos Aerdeiros ou (elos credores da Aerança.ou negando ele a e?ist9ncia dos bens.co8 a declaraç1o. ParCgra3o Dnico...antes da (artilAa.se o sonegador 3or o (ró(rio inventariante.de n1o e?istire8 outros (or inventariar e (artir..ser7lAes71o (re3eridos no (aga8ento. $ó se (ode argSir de sonegaç1o o inventariante de(ois de encerrada a descriç1o dos bens..o credor serC obrigado a iniciar a aç1o de cobrança no (raOo de trinta dias. *.a que os deva levar.M.e8 concurso co8 os credores deste. A sentença que se (ro3erir na aç1o de sonegados...ou que dei?ar de restitu>7los..

=.. Presu8e7se i8(utada na (arte dis(on>vel a liberalidade 3eita a descendente que.ou.n1o obstante. ParCgra3o Dnico.M.ne8 Aouver esti8aç1o 3eita naquela @(oca.co8(utados os valores das doaçFes 3eitas e8 adianta8ento de leg>ti8a. Para cClculo da leg>ti8a. "s descendentes que concorrere8 E sucess1o do ascendente co8u8 s1o obrigados. +. +.ser1o obrigados a traOer E colaç1o.as leg>ti8as dos descendentes e do cLnBuge sobrevivente.a con3erir o valor das doaçFes que dele e8 vida recebera8. +.(ara igualar as leg>ti8as.assi8 co8o os danos e (erdas que eles so3rere8.G. Q Mo $uBeita7se a reduç1o.segundo o seu valor ao te8(o da abertura da sucess1o.re(resentando os seus (ais. +. Q +o $ó o valor dos bens doados entrarC e8 colaç1o.n1o seria cAa8ado E sucess1o na qualidade de Aerdeiro necessCrio.os bens ser1o con3eridos na (artilAa (elo que ent1o se calcular valesse8 ao te8(o da liberalidade. Art. ParCgra3o Dnico.. .ou.obrigando ta8b@8 os donatCrios que. A colaç1o te8 (or 3i8 igualar.ao te8(o do 3aleci8ento do doador.quando deles BC n1o dis(onAa o donatCrio.se n1o 8ais e?istir o be8 e8 (oder do donatCrio.e8 dinAeiro.N.ser1o elas reduOidas a (artir da Dlti8a. n1o assi8 o das ben3eitorias acrescidas.K..correndo ta8b@8 E conta deste os rendi8entos ou lucros.3eitas e8 di3erentes datas... Art.Art..as quais (ertencer1o ao Aerdeiro donatCrio.observadas.as regras deste Código sobre a reduç1o das dis(osiçFes testa8entCrias.. Uuando os netos. Q *o $e do ato de doaç1o n1o constar valor certo.at@ a eli8inaç1o do e?cesso..deve. Q *o " e?cesso serC a(urado co8 base no valor que os bens doados tinAa8.(elo seu valor ao te8(o da liberalidade.BC n1o (ossu>re8 os bens doados. +. Art.nos ter8os do (arCgra3o antecedente.. " valor de colaç1o dos bens doados serC aquele..sob (ena de sonegaç1o. Aquele que renunciou a Aerança ou dela 3oi e?clu>do.n1o Aouver no acervo bens su3icientes (ara igualar as leg>ti8as dos descendentes e do cLnBuge. +.+. Q +o A reduç1o da liberalidade 3ar7se7C (ela restituiç1o ao 8onte do e?cesso assi8 a(urado.con3erir as doaçFes recebidas..no que 3ore8 a(licCveis.. $1o dis(ensadas da colaç1o as doaçFes que o doador deter8inar saia8 da (arte dis(on>velcontanto que n1o a e?ceda8.co8(utado o seu valor ao te8(o da doaç1o.ainda que n1o o AaBa8 Aerdado..<. +. Art.sucedere8 aos avós.na (ro(orç1o estabelecida neste Código.no 8o8ento da liberalidade.. Q No $endo vCrias as doaçFes a Aerdeiros necessCrios. Art. +. A dis(ensa da colaç1o (ode ser outorgada (elo doador e8 testa8ento.o que os (ais teria8 de con3erir.os bens assi8 doados ser1o con3eridos e8 es(@cie. Art.. ParCgra3o Dnico..o valor dos bens con3eridos serC co8(utado na (arte indis(on>velse8 au8entar a dis(on>vel. Art.certo ou esti8ativo. $e.ou no (ró(rio t>tulo de liberalidade.que lAes atribuir o ato de liberalidade. $1o suBeitas E reduç1o as doaçFes e8 que se a(urar e?cesso quanto ao que o doador (oderia dis(orno 8o8ento da liberalidade.a (arte da doaç1o 3eita a Aerdeiros necessCrios que e?ceder a leg>ti8a e 8ais a quota dis(on>vel.. a restituiç1o serC e8 es(@cie.ao te8(o do ato.(ara o 3i8 de re(or o que e?ceder o dis(on>vel..

+.*M. 4ulgada a (artilAa... No (artilAar os bens.+.. +. Uuando (arte da Aerança consistir e8 bens re8otos do lugar do inventCrio.litigiosos. Pode o testador indicar os bens e valores que deve8 co8(or os quinAFes AereditCrios. t98 direito ao ree8bolso das des(esas necessCrias e Dteis que 3iOera8..(or dolo ou cul(a.observar7se7C.ou de liquidaç1o 8orosa ou di3>cil.. $endo 3eita a doaç1o (or a8bos os cLnBuges.o cLnBuge sobrevivente e o inventariante s1o obrigados a traOer ao acervo os 3rutos que (ercebera8. +. Art. Art. Fica8 suBeitos a sobre(artilAa os bens sonegados e quaisquer outros bens da Aerança de que se tiver ci9ncia a(ós a (artilAa..a 8aior igualdade (oss>vel. N1o vir1o E colaç1o os gastos ordinCrios do ascendente co8 o descendente.*K.ter8o nos autos do inventCrio. +.no (raOo legal..que n1o coubere8 na 8eaç1o do cLnBuge sobrevivente ou no quinA1o de u8 só Aerdeiro.enquanto 8enor.(artilAando7se o valor a(urado. Art. +..se os Aerdeiros divergire8.assi8 co8o se algu8 deles 3or inca(aO.*+.sustento.Art.observar7se7C o (rocesso da licitaç1o.salvo se o valor dos bens n1o corres(onder Es quotas estabelecidas.reservando7se aqueles (ara u8a ou 8ais sobre(artilAas.a n1o ser que AaBa acordo (ara sere8 adBudicados a todos. Art. CAP%T&L" ! #a PartilAa Art. .*N.. Art.(oder1o 3aOer (artilAa a8igCvel.e8 dinAeiro.trata8ento nas en3er8idades.en?oval. +. Art.(or ato entre vivos ou de Dlti8a vontade.ou escrito (articular.+*.++. +..*<..*=. "s Aerdeiros e8 (osse dos bens da Aerança.**.(oderC (roceder7se. +.(or escritura (Dblica. As doaçFes re8uneratórias de serviços 3eitos ao ascendente ta8b@8 n1o est1o suBeitas a colaç1o. +.. +.e consenti8ento da 8aioria dos Aerdeiros.E (artilAa dos outros.que (revalecerC.e res(onde8 (elo dano a que.no inventCrio de cada u8 se con3erirC (or 8etade. "s bens insuscet>veis de divis1o cL8oda... $e os Aerdeiros 3ore8 ca(aOes. R vClida a (artilAa 3eita (or ascendente..+N.*.dera8 causa.desde a abertura da sucess1o.*G.ser1o vendidos Budicial8ente.*.contanto que n1o (reBudique a leg>ti8a dos Aerdeiros necessCrios.Ao8ologado (elo BuiO. Art. Q +o $e a adBudicaç1o 3or requerida (or 8ais de u8 Aerdeiro. Art.a di3erença.assi8 co8o as des(esas de casa8ento.natureOa e qualidade.+M. +. +. " Aerdeiro (ode se8(re requerer a (artilAa.deliberando ele (ró(rio a (artilAa. Art... +.cabendo igual 3aculdade aos seus cessionCrios e credores. $erC se8(re Budicial a (artilAa.ainda que o testador o (ro>ba.re(ondo aos outros.vestuCrio.. Art. "s co7Aerdeiros s1o reci(roca8ente obrigados a indeniOar7se no caso de evicç1o dos bens aquinAoados.sob a guarda e a ad8inistraç1o do 8es8o ou diverso inventariante.quanto ao seu valor.na sua educaç1o. Art. +. CAP%T&L" !I arantia dos UuinAFes TereditCrios #a Art.ou as 3eitas no interesse de sua de3esa e8 (rocesso7cri8e.a(ós avaliaç1o atualiOada.estudos. Q *o N1o se 3arC a venda Budicial se o cLnBuge sobrevivente ou u8 ou 8ais Aerdeiros requerere8 lAes seBa adBudicado o be8. +.3ica o direito de cada u8 dos Aerdeiros circunscrito aos bens do seu quinA1o. Art.

Art. " evicto serC indeniOado (elos co7Aerdeiros na (ro(orç1o de suas quotas AereditCrias. ParCgra3o Dnico.. A dissoluç1o e a liquidaç1o das (essoas Bur>dicas re3eridas no artigo antecedente.quando iniciadas antes da vig9ncia deste Código. Cessa a obrigaç1o 8Dtua estabelecida no artigo antecedente.ao dis(osto neste Código.Aavendo convenç1o e8 contrCrio. +.MN.incor(oraç1o. E?tingue7se e8 u8 ano o direito de anular a (artilAa.obedece ao dis(osto nas leis anteriores.qualquer que seBa o te8(o transcorrido na vig9ncia do anterior.que esteBa suBeita E lei es(ecial..rege87se desde logo (or este Código.institu>das segundo a legislaç1o anterior. CAP%T&L" !II #a Anulaç1o da PartilAa Art. NN..8as os seus e3eitos.aos (receitos dele se subordina8. +.++K.+<.quanto ao seu 3unciona8ento.MM. +.serC 3eito nos casos a que se re3ere o Q N o do art.. " dis(osto neste artigo n1o se a(lica Es organiOaçFes religiosas ne8 aos (artidos (ol>ticos.Lei no M.M=.dever1o se ada(tar Es dis(osiçFes deste Código at@ ** de Baneiro de +.be8 co8o a sua trans3or8aç1o. Art.quando reduOidos (or este Código. +.u8a veO 3eita e Bulgada.de ++. Art.+G.*G.+N+ ser1o acrescidos de dois anos. .e se.(or esta continua a ser regida.os negócios Bur>dicos. *. Art.+K.sociedades e 3undaçFes.+=.. At@ dois anos a(ós a entrada e8 vigor deste Código.+. 'Inclu>do (ela Lei n) *.M// Art..*+. +.8enos a quota que corres(onderia ao indeniOado....se algu8 deles se acAar insolvente. NenAu8a convenç1o (revalecerC se contrariar (receitos de orde8 (Dblica. *.. $er1o os da lei anterior os (raOos..obedecer1o ao dis(osto nas leis anteriores.só @ anulCvel (elos v>cios e de3eitos que invalida8..as 8odi3icaçFes dos atos constitutivos das (essoas Bur>dicas re3eridas no art..ou (or 3ato (osterior E (artilAa.MG.8as. A (artilAa..res(onder1o os de8ais na 8es8a (ro(orç1o..re3eridas no art. +.<*.e be8 assi8 dando7se a evicç1o (or cul(a do evicto. +. 'Redaç1o dada (ela Lei n) **.be8 co8o os e8(resCrios. As 3undaçFes.de +. LI!R" C"JPLEJENTAR #A$ #is(osiçFes Finais e Transitórias Art. ParCgra3o Dnico. Art. A locaç1o de (r@dio urbano. $alvo o dis(osto e8 lei es(ecial.*+<. G+. Art. +.os (raOos estabelecidos no (arCgra3o Dnico do art. Art.. +.inclusive as de 3ins diversos dos (revistos no (arCgra3o Dnico do art.(roduOidos a(ós a vig9ncia deste Código.M+. Art.(ela (arte desse.BC Aouver transcorrido 8ais da 8etade do te8(o estabelecido na lei revogada.na data de sua entrada e8 vigor. +. " acr@sci8o de que trata o artigo antecedente.K+=.tais co8o os estabelecidos (or este Código (ara assegurar a 3unç1o social da (ro(riedade e dos contratos.M.constitu>das na 3or8a das leis anteriores...Art. *.subordina87se.+MK e no (arCgra3o Dnico do art.+.salvo se Aouver sido (revista (elas (artes deter8inada 3or8a de e?ecuç1o. +..=/ ParCgra3o Dnico. A validade dos negócios e de8ais atos Bur>dicos.M*.de *o de Baneiro de *. As associaçFes.<.cis1o ou 3us1o.N=.constitu>dos antes da entrada e8 vigor deste Código.. +. +.e8 geral.

+.. Art.MK..subordinando7se as e?istentes. se.<*. FERNAN#" TENRIU&E CAR#"$" Aloysio Nunes Ferreira Filho Este te?to n1o substitui o (ublicado no #"& de **..<*..@ o (or ele estabelecido.e8 di(lo8as legislativos. +.N=.Es dis(osiçFes do Código Civil anterior.aos Códigos re3eridos no artigo antecedenteconsidera87se 3eitas Es dis(osiçFes corres(ondentes deste Código.sobre o valor das construçFes ou (lantaçFes.ou a sociedades co8erciais.KNN/ n1o se a(lica8 E sucess1o aberta antes de sua vig9ncia.<N= deste Código. Art..be8 co8o a atividades 8ercantis.n1o subsistirC a restriç1o..de += de BunAo de *K=.NG.Lei no M.N*.+ ÍNDICE .. Art. *.M.de *o de Baneiro de *. Art.K+. Art.*. Revoga87se a Lei no M. " regi8e de bens nos casa8entos celebrados na vig9ncia do Código Civil anterior. 2ras>lia.NN.Lei no ==G..o testador n1o aditar o testa8ento (ara declarar a Busta causa de clCusula a(osta E leg>ti8a.quando aberta a sucess1o no (raOo de u8 ano a(ós a entrada e8 vigor deste Código. +.de *o de Baneiro de *.a(lica87se aos e8(resCrios e sociedades e8(resCrias as dis(osiçFes de lei n1o revogadas (or este Código.(oderC ser cancelada. +. Todas as re8issFes. Q *o Nos a3ora8entos a que se re3ere este artigo @ de3eso: I 7 cobrar laud98io ou (restaç1o anCloga nas trans8issFes de be8 a3orado.de *o de Baneiro de *. Este Código entrarC e8 vigor * 'u8/ ano a(ós a sua (ublicaç1o.*G.*G. +.. At@ que (or outra 3or8a se disci(line8. A(lica7se o dis(osto no ca(ut do art.(revalecendo o dis(osto na lei anterior 'Lei no M. Art.+. a *. Q +o A en3iteuse dos terrenos de 8arinAa e acrescidos regula7se (or lei es(ecial.M<.+.NM. Art.. Art. +.Lei no M....KNK.inscrita e8 con3or8idade co8 o inciso I! do art.*G/.continua8 e8 vigor as dis(osiçFes de natureOa (rocessualad8inistrativa ou (enal. *.*G 7 Código Civil e a Parte Pri8eira do Código Co8ercial. Fica (roibida a constituiç1o de en3iteuses e suben3iteuses.*G.<*.Lei no M. Art.*. *K*o da Inde(end9ncia e **No da Re(Dblica. de Baneiro de +.de *o de Baneiro de *.de *o de Baneiro de *.N. K+< do Código Civil anterior.<*. +.re3erentes a co8erciantes.no (raOo.Lei no M.constantes de leis cuBos (receitos de natureOa civil AaBa8 sido incor(orados a este Código.D< " ?AS ..de *o de Baneiro de *. +.<*.. A Ai(oteca legal dos bens do tutor ou curador.ainda que o testa8ento tenAa sido 3eito na vig9ncia do anterior.*G. As dis(osiçFes deste Código relativas E orde8 da vocaç1o AereditCria 'arts.e leis (osteriores...Art. $alvo dis(osiç1o e8 contrCrio. *.. +.ADT:K:DAF F".<*.at@ sua e?tinç1o. II 7 constituir suben3iteuse.. +..N+..obedecido o dis(osto no (arCgra3o Dnico do art.:SS<AS .

LTCF< " ?A .<S"OP:S K:DA"S 2A. ?os Jens ?ivis0veis Seção .LTCF< .LTCF< " ?"S. ?o :stado de .:SS<AS >ATCDA"S 2A.LTCF< """ ?A ACSM>2"A Seção " ?a 2uradoria dos Jens do Ausente Seção "" ?a Sucessão .D<2A@:>T: 2<>S"?:DA?<S 2A. ?os Jens Sin-ulares e 2oletivos 2A. ?A ">.LTCF< "" ?AS ASS<2"AOP:S 2A.QJF"2<S F".<S"OP:S K:DA"S 2A.D< "" ?<S J:>S TLTCF< Q>"2< ?AS ?"9:D:>T:S 2FASS:S ?: J:>S 2A.D:S:>TAOS< 2A.eri-o Seção . ?<S ?:9:"T<S ?< >:KR2"< NCDL?"2< Seção " ?o :rro ou "-norAncia Seção "" ?o ?olo Seção """ ?a 2oação Seção ".LTCF< ".A2"?A?: 2A." ?a 9raude 2ontra 2redores 2A.LTCF< "" ?<S ?"D:"T<S ?A .TLTCF< " ?AS .:DS<>AF"?A?: : ?A 2A.D< """ ?<S 9AT<S NCDL?"2<S TLTCF< " ?< >:KR2"< NCDL?"2< 2A. ?a Fesão Seção .rovis(ria Seção """ ?a Sucessão ?e%initiva TLTCF< "" ?AS .:DS<>AF"?A?: 2A.LTCF< "" ?<S J:>S D:2".LTCF< """ ?A 2<>?"OS<.:SS<AS NCDL?"2AS 2A.LTCF< " ?<S J:>S 2<>S"?:DA?<S :@ S" @:S@<S Seção " ?os Jens "m(veis Seção "" ?os Jens @(veis Seção """ ?os Jens 9un-0veis e 2onsum0veis Seção ". ?< T:D@< : ?< :>2ADK< 2A.LTCF< " ?"S.LTCF< """ ?AS 9C>?AOP:S TLTCF< """ ?o ?omic0lio F".LTCF< "" ?A D:.LTCF< """ ?<S J:>S .AF"?A?: ?< >:KR2"< NCDL?"2< TLTCF< "" ?<S AT<S NCDL?"2<S FL2"T<S TLTCF< """ ?<S AT<S "FL2"T<S .

?o Fu-ar do .F:@:>T< : :VT">OS< ?AS <JD"KAOP:S 2A. ?A .assiva TLTCF< "" ?A TDA>S@"SSS< ?AS <JD"KAOP:S 2A.AKA@:>T< :@ 2<>S"K>AOS< 2A.LTCF< "" ?< .razos da ." ?A ><.D<.LTCF< .a-ar Seção "" ?a$ueles a Iuem se ?eve ."?A TLTCF< """ ?< A?"@.:2"AF F".rescrição Seção ". ?os . ?A ?AOS< :@ .AKA@:>T< Seção " ?e Iuem ?eve .AKA@:>T< 2A.TLTCF< ".LTCF< " ?< .LTCF< ".rova Seção ".LTCF< "" ?A ASSC>OS< ?: ?L.LTCF< " ?AS <JD"KAOP:S ?: ?AD Seção " ?as <bri-ações de ?ar 2oisa 2erta Seção "" ?as <bri-ações de ?ar 2oisa "ncerta 2A.a-amento Seção .A .LTCF< "" ?AS <JD"KAOP:S ?: 9AT:D 2A.D:S2D"OS< Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?as 2ausas $ue "mpedem ou Suspendem a .LTCF< """ ?< .LTCF< .CTAOS< ?< .AS 2A.rescrição 2A. ?AS <JD"KAOP:S AFT:D>AT".AKA@:>T< 2<@ SCJ#D<KAOS< 2A."SL. ?A "@.LTCF< """ ?AS <JD"KAOP:S ?: >S< 9AT:D 2A.AKA@:>T< 2A.LTCF< " ?A .AOS< . ?AS <JD"KAOP:S ?".D:S2D"OS< : ?A ?:2A?M>2"A 2A.LTCF< ".:"S : ">?".rescrição Seção """ ?as 2ausas $ue "nterrompem a . ?o Tempo do ."SL." ?AS <JD"KAOP:S S<F"?UD"AS Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?a Solidariedade Ativa Seção """ ?a Solidariedade . ?A .D< " ?< ?"D:"T< ?AS <JD"KAOP:S TLTCF< " ?AS @<?AF"?A?:S ?AS <JD"KAOP:S 2A.LTCF< "" ?A ?:2A?M>2"A TLTCF< .:"S 2A.a-amento e Sua .a-ar Seção """ ?o <b3eto do .LTCF< .LTCF< " ?A 2:SSS< ?: 2D=?"T< 2A.LTCF< .a-amento 2A.ADT: :S.

LTCF< "" ?A @<DA 2A. ?a .2A." ?AS ADDAS <C S">AF TLTCF< .LTCF< ". ?os .enda Sobre ?ocumentos 2A. ?a . ?a Desolução por <nerosidade : cessiva TLTCF< .LTCF< .reliminar Seção "V ?o 2ontrato com .:D@CTA 2A.LTCF< .rova Subseção """ ?a . ?<S NCD<S F:KA"S 2A.<S"OP:S K:DA"S 2A. ?< ">A?"@.enda a 2ontento e da Su3eita a . ?a .LTCF< .:>SAOS< 2A.UD"AS :S."?AS TLTCF< ".re%er&ncia Subseção ".reempção ou .LTCF< " ?"S.0cios Dedibit(rios Seção .LTCF< """ ?< 2<>TDAT< :ST"@ATRD"< .DA : . ?<S 2<>TDAT<S :@ K:DAF 2A.enda Subseção " ?a Detrovenda Subseção "" ?a ." ?a :vicção Seção .:D?AS : ?A><S 2A.LTCF< .<S"OP:S K:DA"S Seção " ."" ?os 2ontratos Aleat(rios Seção .LTCF< "" ?A TD<2A <C .LTCF< """ ?AS .enda com Deserva de ?om0nio Subseção .=2":S ?: 2<>TDAT< 2A.:>?A Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?as 2l'usulas :speciais * 2ompra e ."" ?A 2<@.essoa a ?eclarar 2A.LTCF< "" ?A :VT">OS< ?< 2<>TDAT< Seção " ?o ?istrato Seção "" ?a 2l'usula Desolutiva Seção """ ?a : ceção de 2ontrato não 2umprido Seção ".LTCF< " ?A 2<@.LTCF< "V ?A D:@"SSS< ?AS ?L.reliminares Seção "" ?a 9ormação dos 2ontratos Seção """ ?a :stipulação em 9avor de Terceiro Seção ".:>AF 2A.""" ?A 2<>9CSS< 2A. ?A 2FUCSCFA ." ?AS .""" ?o 2ontrato .F:@:>T< ?AS <JD"KAOP:S 2A.LTCF< " ?"S.romessa de 9ato de Terceiro Seção .

?o @andato Nudicial 2A.essoa 2A.LTCF< V.olunt'rio Seção "" ?o ?ep(sito >ecess'rio 2A.LTCF< V.LTCF< .""" ?A 9"A>OA Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?os :%eitos da 9iança Seção """ ?a : tinção da 9iança 2A.<DT: Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?o Transporte de .LTCF< .LTCF< V.essoas Seção """ ?o Transporte de 2oisas 2A.D:STAOS< ?: S:D." ?A 2<>ST"TC"OS< ?: D:>?A 2A. ?< S:KCD< Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?o Se-uro de ?ano Seção """ ?o Se-uro de .LTCF< V ?< @A>?AT< Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?as <bri-ações do @andat'rio Seção """ ?as <bri-ações do @andante Seção ".LTCF< "."" ?A .LTCF< V".<STA 2A.LTCF< V"V ?A TDA>SAOS< 2A.D<@"SS< .LTCF< V" ?A 2<@"SSS< 2A. ?< TDA>S." ?< :@.D=ST"@< Seção " ?o 2omodato Seção "" ?o @/tuo 2A.LTCF< V""" ?A 2<DD:TAK:@ 2A.LTCF< .""" ?A :@. ?A ?<AOS< Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?a Devo-ação da ?oação 2A."" ?< N<K< : ?A A.LTCF< .LTCF< V"" ?A AKM>2"A : ?"STD"JC"OS< 2A. ?A F<2AOS< ?: 2<"SAS 2A.RS"T< Seção " ?o ?ep(sito .LTCF< VV ?< 2<@.LTCF< V.D:"TA?A 2A. ?a : tinção do @andato Seção ."O< 2A.2A.LTCF< "V ?< ?:.

D:SUD"< 2A.TLTCF< .D<@:SSA ?: D:2<@.LTCF< """ ?< .F:S 2A." ?a ?issolução 2A."?< 2A. ?< :>D"IC:2"@:>T< S:@ 2ACSA TLTCF< .A2"?A?: TLTCF< "" ?A S<2":?A?: 2A.LTCF< "" ?< TLTCF< A< .reliminares Seção "" ?as Iuotas Seção """ ?a Administração .F:S Seção " ?o 2ontrato Social Seção "" ?os ?ireitos e <bri-ações dos S(cios Seção """ ?a Administração Seção ". ?as Delações com Terceiros Seção .D:9:DM>2"AS : .LTCF< ".D:SA TLTCF< " ?< :@.<S"OP:S K:DA"S SCJTLTCF< " ?A S<2":?A?: >S< . ?a Desolução da Sociedade em Delação a um S(cio Seção .""" ?<S TLTCF<S ?: 2D=?"T< 2A.LTCF< " ?A ."F 2A.D< "" ?< ?"D:"T< ?: :@."F=K"<S 2D:?"TRD"<S F".<DTA?<D 2A.LTCF< "" ?A ">?:>"TAOS< TLTCF< V ?AS .:>SA 2A.LTCF< ".LTCF< "" ?A 2A.LTCF< " ?A S<2":?A?: :@ 2<@C@ 2A.LTCF< " ?A S<2":?A?: S"@. ?A S<2":?A?: F"@"TA?A Seção " ?isposições .LTCF< " ?A 2ADA2T:D"TAOS< : ?A ">S2D"OS< 2A.<>SAJ"F"?A?: 2".LTCF< ".LTCF< Q>"2< ?"S.<S"OP:S K:DA"S 2A.AOS< SCJTLTCF< "" ?A S<2":?A?: .ADT"2".:DS<>"9"2A?A 2A.LTCF< "" ?A K:STS< ?: >:KR2"<S 2A.LTCF< "" ?A S<2":?A?: :@ 2<>TA ?: .LTCF< " ?"S.LTCF< " ?A <JD"KAOS< ?: ">?:>"TAD 2A.D".LTCF< """ ?< TLTCF< W <D?:@ 2A.< 2A.< TLTCF< "V ?A D:S.AKA@:>T< ">?:."" ?<S AT<S C>"FAT:DA"S 2A.LTCF< "" ?A S<2":?A?: :@ ><@: 2<F:T". ?< TLTCF< ><@">AT".LTCF< """ ?A S<2":?A?: :@ 2<@A>?"TA S"@.:DS<>"9"2A?A 2A.

LTCF< " ?A .<ST<S Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?o Kerente Seção """ ?o 2ontabilista e outros Au iliares 2A.LTCF< Q>"2< ?"S.LTCF< ." ?o Aumento e da Dedução do 2apital Seção .LTCF< " ?A . ?<S ">ST"TCT<S 2<@.LTCF< ".LTCF< """ ?<S .A 2A. ?as ?eliberações dos S(cios Seção .""" ?AS S<2":?A?:S 2<F"KA?AS 2A.""" ?a ?issolução 2A.<S"OP:S K:DA"S TLTCF< """ ?A ." ?A S<2":?A?: :@ 2<@A>?"TA . ?A :S2D"TCDAOS< F".<DAOS<.LTCF< . ?A S<2":?A?: A>X>"@A Seção Qnica ?a 2aracterização 2A. ?A ."" ?a Desolução da Sociedade em Delação a S(cios @inorit'rios Seção .LTCF< V ?A TDA>S9<D@AOS<.Seção ".D":?A?: :@ K:DAF .:>?:>T: ?: ACT<D"TAOS< Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?a Sociedade >acional Seção """ ?a Sociedade :stran-eira TLTCF< """ ?< :STAJ:F:2"@:>T< 2A.D<.LTCF< "V ?A F"IC"?AOS< ?A S<2":?A?: 2A.<SS: TLTCF< "" ?<S ?"D:"T<S D:A"S 2A.LTCF< "" ?< ><@: :@.LTCF< " ?< D:K"STD< 2A.:DAT".F:@:>TAD:S 2A. ?o 2onsel+o 9iscal Seção .D":?A?: 2A.<D AOP:S 2A.<S"OP:S K:DA"S TLTCF< "."" ?A S<2":?A?: 2<<.LTCF< ".LTCF< .<SS: : SCA 2FASS"9"2AOS< 2A.<SS: 2A.D:.<SS: 2A.<SS: 2A.D< """ ?< ?"D:"T< ?AS 2<"SAS TLTCF< " ?A .LTCF< Q>"2< ?"S.D:SAD"AF 2A.LTCF< """ ?<S :9:"T<S ?A .LTCF< V" ?A S<2":?A?: ?:.D<. ?A ">2<D. ?A 9CSS< : ?A 2"SS< ?AS S<2":?A?:S 2A.LTCF< .LTCF< "" ?A AIC"S"OS< ?A .:D?A ?A .

LTCF< """ ?A AIC"S"OS< ?A .LTCF< .:F Seção " ?a Csucapião Seção "" ?a A$uisição pelo De-istro do T0tulo Seção """ ?a A$uisição por Acessão Subseção " ?as "l+as Subseção "" ?a Aluvião Subseção """ ?a Avulsão Subseção ".ropriedade Seção "" ?as Urvores Fim0tro%es Seção """ ?a .reliminares Seção "" ?a ?escoberta 2A." ?< 2<>?<@L>"< K:DAF Seção " ?o 2ondom0nio .assa-em 9orçada Seção ". ?a Tradição Seção .D":?A?: D:S<FQ.LTCF< . ?a :speci%icação Seção .:D?A ?A .:F . ?<S ?"D:"T<S ?: . ?as 2onstruções e .olunt'rio Subseção " ?os ?ireitos e ?everes dos 2ond.Seção " ?isposições .minos Subseção "" ?a Administração do 2ondom0nio Seção "" ?o 2ondom0nio >ecess'rio 2A. ?A ." ?a 2on%usão."T">ZA>OA Seção " ?o Cso Anormal da .rédios e do ?ireito de Tapa-em Seção .lantações 2A.D":?A?: @R."" ?o ?ireito de 2onstruir 2A."" ?< 2<>?<@L>"< :?"FL2"< Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?a Administração do 2ondom0nio Seção """ ?a : tinção do 2ondom0nio 2A. da 2omissão e da Ad3unção 2A.D<.LTCF< .D":?A?: 2A. ?a . ?as U-uas Seção .:F Seção " ?a Csucapião Seção "" ?a <cupação YSeção """ ?o Ac+ado do Tesouro Seção ".""" ?A .LTCF< .D":?A?: "@R.D<." ?os Fimites entre .assa-em de 2abos e Tubulações Seção .LTCF< "" ?A AIC"S"OS< ?A . ?o Ulveo Abandonado Subseção .LTCF< ".D<.D<.

<S"OP:S K:DA"S 2A.LTCF< ". ?A SC. ?AS S:D.LTCF< " ?"S."?P:S 2A.en+or ."?P:S 2A.e0culos Seção "V ?o . ?a : tinção da Zipoteca Seção .D<@"T:>T: 2<@.en+or de ?ireitos e T0tulos de 2rédito Seção .LTCF< "" ?< .:>Z<D Seção " ?a 2onstituição do .i-norat0cio Seção ". ?a Zipoteca de .:D9L2": TLTCF< .D<.LTCF< """ ?<S ?:.2A."" ?< CS< TLTCF< .""" ?A ZAJ"TAOS< TLTCF< "V ?< ?"D:"T< ?< .:D:S ?< CSC9DCTCUD"< 2A. ?< ?"D:"T< ?: 9A@LF"A . ?A Z".:>Z<D.LTCF< " ?A 2<>ST"TC"OS< ?AS S:D. ?A :VT">OS< ?< CSC9DCT< TLTCF< .LTCF< """ ?A Z".LTCF< """ ?A :VT">OS< ?AS S:D." ?< CSC9DCT< 2A.D< ".LTCF< "V ?A .i-norat0cio Seção """ ?as <bri-ações do 2redor .<S"OP:S K:DA"S 2A.<T:2A : ?A A>T"2D:S: 2A.en+or "ndustrial e @ercantil Seção .LTCF< "" ?< :V:D2L2"< ?AS S:D.DA?<D TLTCF< V ?< .en+or de .""" ?o .en+or Dural Subseção " ?isposições Kerais Subseção "" ?o . ?a : tinção do .en+or Fe-al 2A.LTCF< " ?"S.ias 9érreas 2A.D":?A?: 9"?C2"UD"A TLTCF< ".ecu'rio Seção .en+or Seção "" ?os ?ireitos do 2redor ."" ?o .LTCF< ".LTCF< "" ?<S ?"D:"T<S ?< CSC9DCTCUD"< 2A. ?o .en+or Seção ."?P:S 2A."?P:S TLTCF< .<T:2A Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?a Zipoteca Fe-al Seção """ ?o De-istro da Zipoteca Seção ". ?A A>T"2D:S: F"." ?o .en+or A-r0cola Subseção """ ?o .

?< .LTCF< ."" ?AS .<?:D 9A@"F"AD Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?o : erc0cio do .AD:>T:S2< 2A.<S"OP:S K:DA"S 2A.L>2CF< 2<>NCKAF 2A.LTCF< " ?"S.LTCF< V" ?A .LTCF< . ?A TCT:FA : ?A 2CDAT:FA 2A.TLTCF< " ?< ?"D:"T< .D<T:OS< ?A .AD2"AF 2A.:?"@:>T<S 2A.""" ?A ">.LTCF< ".LTCF< """ ?<S "@. ?AS 2ACSAS SCS." ?A 2:F:JDAOS< ?< 2ASA@:>T< 2A.ATD"@<>"AF SCJTLTCF< " ?< D:K"@: ?: J:>S :>TD: <S 2X>NCK:S 2A. ?< J:@ ?: 9A@LF"A TLTCF< """ ?A C>"S< :STU.<S"OP:S K:DA"S 2A.LTCF< " ?"S.A2"?A?: .LTCF< " ?A TCT:FA .LTCF< ".ADA < 2ASA@:>T< 2A.LTCF< "" ?< .LTCF< .LTCF< "" ?A 9"F"AOS< 2A. ?A A?<OS< 2A.LTCF< " ?"S.:SS<A ?<S 9"FZ<S SCJTLTCF< "" ?AS D:FAOP:S ?: .LTCF< .AS ?< 2ASA@:>T< 2A. ?< .ADA < 2ASA@:>T< 2A. ?< D:K"@: ?: 2<@C>ZS< C>".LTCF< """ ?< D:K"@: ?: 2<@C>ZS< .ADT"2".2"AF 2A.LTCF< "V ?A :9"2U2"A ?< 2ASA@:>T< 2A.LTCF< "" ?A 2A.AOS< 9">AF ><S AI[:ST<S 2A.LTCF< ".A2T< A>T:>C.D<2:SS< ?: ZAJ"F"TAOS< . ?< D:K"@: ?: .oder 9amiliar TLTCF< "" ?< ?"D:"T< .:SS<AF SCJTLTCF< " ?< 2ASA@:>T< 2A.AS 2A.LTCF< """ ?< D:2<>Z:2"@:>T< ?<S 9"FZ<S 2A.LTCF< .LTCF< .:>S".ADAOS< ?: J:>S SCJTLTCF< "" ?< CSC9DCT< : ?A A?@">"STDAOS< ?<S J:>S ?: 9"FZ<S @:><D:S SCJTLTCF< """ ?<S AF"@:>T<S SCJTLTCF< ".D<." ?< D:K"@: ?: S:.AF"?A?: ?< 2ASA@:>T< 2A.:DSAF 2A.<S"OP:S K:DA"S 2A.LTCF< V ?A ?"SS<FCOS< ?A S<2":?A?: : ?< .oder 9amiliar Seção """ ?a Suspensão e : tinção do .LTCF< .:F TLTCF< ".

?<S T:STA@:>T<S :S.LTCF< "" ?A 2CDAT:FA Seção " ?os "nterditos Seção "" ?a 2uratela do >ascituro e do :n%ermo ou . ?o : erc0cio da Tutela Seção . ?A A2:"TAOS< : D:>Q>2"A ?A Z:DA>OA 2A.LTCF< "" ?<S Z:D?:"D<S >:2:SSUD"<S 2A.<S"OP:S K:DA"S 2A.:2"A"S Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?o Testamento @ar0timo e do Testamento Aeron'utico Seção """ ?o Testamento @ilitar ." ?A Z:DA>OA NA2:>T: 2A.LTCF< ."" ?A .LTCF< .ortador de ?e%ici&ncia 90sica Seção """ ?o : erc0cio da 2uratela F". ?<S :V2FCL?<S ?A SC2:SSS< 2A.LTCF< " ?A <D?:@ ?A .LTCF< .A2"?A?: ?: T:STAD 2A. ?<S 2<?"2"F<S 2A.Seção " ?os Tutores Seção "" ?os "ncapazes de : ercer a Tutela Seção """ ?a :scusa dos Tutores Seção ". ?< ?"D:"T< ?AS SC2:SSP:S TLTCF< " ?A SC2:SSS< :@ K:DAF 2A.:T"OS< ?: Z:DA>OA TLTCF< "" ?A SC2:SSS< F:KLT"@A 2A.<2AOS< Z:D:?"TUD"A 2A.D:S:>TAOS< T"TCF< """ ?A SC2:SSS< T:STA@:>TUD"A 2A.LTCF< ".D< .LTCF< .restação de 2ontas Seção ./blico Seção """ ?o Testamento 2errado Seção ".LTCF< "" ?A 2A."" ?a 2essação da Tutela 2A.LTCF< "" ?A Z:DA>OA : ?: SCA A?@">"STDAOS< 2A.LTCF< """ ?A .LTCF< " ?"S.LTCF< ".LTCF< """ ?< ?"D:"T< ?: D:. ?o Testamento .LTCF< """ ?AS 9<D@AS <D?">UD"AS ?< T:STA@:>T< Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?o Testamento .articular 2A. ?os Jens do Tutelado Seção ."TCF< " ?< T:STA@:>T< :@ K:DAF 2A.<2AOS< Z:D:?"TUD"A 2A." ?a .

LTCF< .<S"OP:S T:STA@:>TUD"AS 2A. ?< ">." ?AS ?"S.AKA@:>T< ?AS ?L.<S"OP:S T:STA@:>TUD"AS 2A.:>TUD"< : ?A . ?< T:STA@:>T:"D< TLTCF< ".LTCF< V".LTCF< V" ?A D:?COS< ?AS ?"S.a-amento Seção """ ?a 2aducidade dos Fe-ados 2A.LTCF< "."?AS 2A.ADT"FZA 2A. ?A 2<FAOS< 2A.:>TUD"< 2A.LTCF< .LTCF< " ?< ">.ul-ar e da Dec0proca Seção "" ?a Substituição 9ideicomiss'ria 2A.LTCF< V"" ?A D:.<S"OP:S 9">A"S : TDA>S"TRD"AS .<KAOS< ?< T:STA@:>T< 2A.ADT"FZA F".LTCF< ."" ?A A>CFAOS< ?A .LTCF< """ ?< .LTCF< "V ?AS SCJST"TC"OP:S Seção " ?a Substituição .""" ?< ?"D:"T< ?: A2D:S2:D :>TD: Z:D?:"D<S : F:KATUD"<S 2A.ADT"FZA 2A.D< 2<@. ?A .LTCF< .LTCF< V ?A ?:S:D?AOS< 2A.2A.F:@:>TAD ?AS ?"S."@:>T< ?< T:STA@:>T< 2A.LTCF< "" ?<S S<>:KA?<S 2A."" ?<S F:KA?<S Seção " ?isposições Kerais Seção "" ?os :%eitos do Fe-ado e do seu .LTCF< V""" ?< D<@." ?A KADA>T"A ?<S IC">ZP:S Z:D:?"TUD"<S 2A.LTCF< .LTCF< .