Princípio do Cálculo de Integrais

UMA VISÃO GERAL OS M!"O OS E I#"EGRA$ÃO M%todos de A&ordage' dos Pro&le'as de Integra()o • "ecnologia * Os programas CAS, tais como Mathematica, Maple e Derive, são capazes de calcular integrais extremamente complicadas, e cada vez mais instalações modernas de pesquisa estão sendo equipadas com tais programas. • "a&elas * Antes do desenvolvimento dos programas CAS, os cientistas dependiam enormemente de tabelas para o cálculo das di !ceis integrais que surgem nas aplicações. "ais tabelas oram compiladas por muitos anos, incorporando #abilidade e experi$ncia de muita gente. M%todos de trans+or'a()o * São m%todos para converter integrais não&con#ecidas em con#ecidas. 'les incluem substituição u, manipulação alg%brica do integrado, entre outros m%todos.

(en#um dos tr$s m%todos % per eito) por exemplo, os programa CAS req*entemente encontram integrais que não são capazes de integrar e produzem respostas que são, +s vezes, excessivamente complicadas, tabelas não são exaustivas e podem não incluir uma integral de interesse,e os m%todos de trans ormação dependem da engen#osidade #umana,que pode não ser adequada a problemas di !ceis. U'a Re,is)o das -.r'ulas de Integra()o A seguir está uma lista das integrais básicas que encontramos at% agora, CO(S"A("'S,-O".(C/AS ' '0-O('(C/A/S 1. 2. 3. 4.

5. 67(89'S ":/;O(O<=":/CAS 1. 2.

3. 4.
FUNÇÕES HIPERBÓLICAS

7sando esta Ermula. 67(89'S A>. (a prática. 3. +s vezes podemos tornar um problema de integração mais simples. duF G@xCdx . 2.r'ula de integra()o por partes. % usual reescrever @1C azendo uF @xC. 2. 3. obtemos ou ou 7ma vez que a integral + direita irá produzir uma outra constante de integração. /ntegrando ambos os lados. 4. 4. @2C E/e'plo Calcule . não #á necessidade de manter o C nesta Dltima equação) assim sendo.1. obtemos @1C a qual % c#amada de +. então. pela regra de di erenciação do produto. /sso dá lugar + seguinte orma alternativa para @1C. I#"EGRA$ÃO POR PAR"ES edu()o da -.r'ula para a Integra()o por Partes Se + e g são unções di erenciáveis.=?:/CAS @aABC 1.

'stas Ermulas expressam uma integral com pot$ncia de unção em termos de uma integral que envolve uma pot$ncia mais baixa daquela unção.r'ulas de Redu()o A integração por partes pode ser usada para obter as +.Solução. -ara aplicar @2C. então a integração por partes pode ser usada para obter as Ermulas de redução.r'ulas de redu()o para integrais. . SeIa Assim. <as logo -. Heste modo. precisamos escrever a integral na orma 7ma maneira de azer isso % colocar para que. a Ermula correspondente a @2C %. se n or um inteiro positivo en 2. -or exemplo.vamos deduzir a Ermula @2C.a partir de@2C Integra()o por Partes para Integrais e+inidas -ara integrais de inidas. E/e'plo Calcule Solução. @2C -ara ilustrar como essas Ermulas são obtidas.

obtivemos as Ermulas (o caso onde nF2. A partir de @2C. E/e'plo Calcule Solução.para que "ranspondo o Dltimo termo para o lado esquerdo obt%m&se da qual tem&se@2C.r'ulas de redu()o. que prov$m das Ermulas para o Jngulo duplo .estas Ermulas icam -odem&se obter ormas alternativas para estas Ermulas de integração usando as identidades trigonom%tricas.com nF4 I#"EGRAIS "RIGO#OM!"RICAS Integra()o de Pot0ncias de Seno e Co*seno (a seção +.

A id%ia % usar as seguintes Ermulas de redução para reduzir o expoente do integrando at% que a integral resultante possa ser calculada.o expoente pode ser reduzido a um.dependendo de ' e n serem pares ou !mpares E/e'plo Calcule Solu()o1 Integra()o de Pot0ncias de "angente e de Secante O procedimento para integração de pot$ncias de tangente e de secante segue paralelamente os do seno e co&seno. @1C @2C (o caso onde n or !mpar.'stas integrais são dadas por A Ermula pode ser obtida escrevendo&se A Ermula requer um truque.nos deixando com o problema de integrar tg x ou sec x.'ssas identidades dão lugar a Integra()o de produtos de senos e co*senos Se ' e n são inteiros positivos.então a integral pode ser calculada de diversas maneiras.'screvemos .

A Ermula@1C pode ser obtida aplicando&se a Ermula de redução.As seguintes integrais ocorrem req*entemente.ou alternativamente.e vale a pena destacar.usando&se a identidade para escrever .uma vez que a derivada de tgx % .com nF2. A Ermula@2CIá oi vista.