You are on page 1of 2

A PEDAGOGIA LIBERAL E SUAS DIVISÕES Dente as principais tendências propagadas no ensino brasileiro, a PEDAGOGIA LIBERAL ganha lugar de destaque

. Nela ocorre a manifestação da sociedade denominada sociedade de classes. O objetivo da escola é preparar os indivíduos para o desempenho de papéis sociais, segundo as aptidões individuais. Divide-se essa pedagogia em tradicional, renovada progressivista, renovada não-diretiva e tecnicista. Na tendência liberal tradicional, a escola prepara os alunos, intelectual e moralmente para que assumam seu papel na sociedade. A responsabilidade em relação aos problemas sociais é da sociedade. O saber é trabalhado da mesma forma com todos. Já a atividade de ensinar é centrada no professor que expõe e interpreta a matéria, priorizando a exposição oral. Ele acredita em que o aluno ouvindo e fazendo exercícios repetitivos, gravam a matéria para depois reproduzi-la e os conteúdos são separados da realidade do aluno. O professor repassa os conteúdos determinados pela sociedade e ordenados na legislação. A criança, por sua vez, tem a mesma assimilação que o adulto, porém menos desenvolvida. A chamada tendência liberal renovada progressivista propõe à escola uma adequação às necessidades individuais ao meio social, permitindo ao aluno educarse num processo ativo de construção e reconstrução do objeto. Os conteúdos são trabalhados a partir da realidade aluno, priorizando mais o processo de aprendizagem do que o conhecimento. Valoriza-se o “aprender a aprender” e o centro da atividade escolar não é o professor nem a matéria , é o aluno ativo e investigador. O professor incentiva, orienta, organiza as situações de aprendizagem, adequando-as às capacidades de características individuais dos alunos. Essa tendência valoriza o trabalho de grupo, as atividades cooperativas, as tentativas experimentais, a pesquisa, o estudo do meio natural e social, o método de solução de problemas e a motivação dependem da força de estimulação do problema e das disposições internas e interesses do aluno. O ambiente é apenas o meio estimulador. Quando a escola busca formar atitudes, preocupando-se assim mais com os problemas psicológicos do que os pedagógicos ou sociais, tem-se a tendência liberal renovada não-diretiva. Nela o professor é um “facilitador”, aceitando a pessoas do aluno, sendo receptivo e passando-lhe confiança. O docente também procura ajudar o aluno a se organizar, utilizando técnicas de sensibilização. Pode-se dizer que ele é o centro das atenções: sua aprendizagem resulta do desejo de adequação pessoal na busca da auto-realização e a retenção da aprendizagem se dá em relação ao “eu”. A escola modela o comportamento humano na tendência liberal tecnicista através de técnicas específicas, aperfeiçoando o sistema capitalista. Os conteúdos são estabelecidos e ordenados numa seqüência lógica e psicológica por especialistas, sendo trabalhados através de procedimentos e técnicas necessárias ao arranjo e controle das condições ambientais, assegurando a transmissão/recepção de informações. Seguindo essa tendência, o professor administra as condições de transmissão da matéria, sendo um elo entre a verdade científica e o aluno, que recebe, aprende e fixa as informações. O ensino é um processo de condicionamento através do uso de reforçamento das respostas que se quer obter. O PAPEL DA PEDAGOGIA PROGRESSISTA A pedagogia progressista parte de uma análise crítica das realidades sociais, sustentando implicitamente as finalidades sócio-políticas da educação. Ela é dividida em: libertadora, libertária e crítico-social dos conteúdos. A primeira delas questiona a realidade das relações do homem com a natureza e com os outros homens, visando a uma transformação. Os conteúdos são extraídos da problematização da prática de vida dos educandos, despertando uma nova

através da troca de experiência em torno da prática social. deve ser ligado a sua significação humana e social. uma vez que se visualiza a interação de variáveis conservadoras e contemporâneas. estará trabalhando com a tendência progressista “crítico-social dos conteúdos” A aula começa pela constatação da prática real. A aprendizagem se dá através da codificação-decodificação e problematização da situação. ou seja. CONCLUSÃO A complexidade do tema “prática escolar” exige uma análise sobre o problema em toda sua amplitude. portanto. sujeitos do processo. o tema educação é chega aos confins da escola para passar a ser um assunto do debate em todos os setores. . a escola exerce uma transformação na personalidade num sentido libertário e autogestionário. O professor é um orientador e um catalisador. Educador e educando são. o experimentado é incorporado e utilizável em situações novas. seguindo da consciência dessa prática no sentido de referi-la aos termos do conteúdo proposto. confrontando a experiência e a explicação do professor. Se a escola preparar o aluno para o mundo adulto e suas contradições. Os conteúdos são colocados à disposição do aluno. usar a tecnologia e ser responsável por sua própria aprendizagem. somente o vivido. acreditamos que estaremos preparando um homem que possa ser introduzido totalmente na sociedade e que. em particular no mundo da produção que na atualidade move os maiores recursos. Dependerá não somente da escola. A sociedade reclama da educação nos aspectos relativos à recuperação da ética e dos valores e relacionada a uma preparação mais eficiente para a vida produtiva. vai poder mudar também. vai da ação à compreensão e da compreensão à ação e seu conteúdo além de ser ensinado. definindo conteúdo e dinâmica. mas que se atualize das exigências do presente. possa ler e a entender. Deste modo. Já na libertária. federal.forma da relação com a experiência vivida. mas não exigidos e resultam de necessidades e interesses manifestos pelo grupo. aberto e de unidade nacional. orientando à visão do econômico e da perspectiva profissional. se nós educarmos de modo que cada um de nossos estudantes possa compreender o que está fazendo. em toda sua contextualização sócio-histórica. pertinente. mas da sociedade que esta aspiração não termine por enfraquecer sua essência e sua missão fundamental. É necessário ter um sistema educativo eficaz. livre. a medida que as coisas estão mudando. Ultimamente. O grupo autogere a aprendizagem. fornecendo-lhe um instrumental para uma participação organizada e ativa na sociedade. Como educadores. Nossa escola tem uma tradição que conferencia um estilo a ela e um espírito particular que deve ser respeitado na melhor forma que puder. expressar o que sabe. chegando assim a um nível mais crítico de conhecimento da realidade.