You are on page 1of 8

Lição 3 - O Sistema Financeiro

1

Os Bancos Comerciais

o

A origem dos bancos modernos
primeiro ponto a saber é como
surgiram os bancos modernos com os
quais se lida no cotidiano, seja com
comparecimento em carne e osso a uma
agência ou consulta e operação virtual de
conta corrente mediante pulsos eletrônicos,
digitados a frente de um computador. Saber de
onde apareceu o dinheiro neles depositado
surge como primordial tarefa. Resgatar este
passado elucida o que eles são hoje, como
funcionam e qual sua finalidade.
Os bancos modernos surgiram no
contexto de desenvolvimento do capitalismo
comercial, em fins da Idade Média, no século
XVI, na Europa. Faz, por conseguinte, mais de
500 anos. É um pouco difícil se transportar a
esse tempo, exceto pela imaginação e o estudo
bibliográfico. Mas, pode-se praticar certo
esforço de raciocínio e perceber com clareza
como a lógica de funcionamento bancário em
seu princípio derivou do comércio de
mercadorias.
O comércio
Nessa época, o comércio começava a
receber crescente atenção. A produção
agrícola de subsistência havia sido superada
largamente. Havia mais comida do que o
necessário para as pessoas subsistirem em
virtude das técnicas descobertas. E com a
produção excedente apareceu outro transtorno
a solucionar. Como conservar os alimentos? A
Europa descobre as especiarias. Surgem o sal
e o açúcar, além de outros produtos que
passaram a ser altamente procurados e pagos a
preço exorbitante pela utilidade inédita que
continham de conservar a comida. Os
comerciantes cresceram os olhos diante das
possibilidades que esses novos produtos
ofereciam de enriquecer. E o que era um
simples produto do trabalho social, motivo até
de curiosidade, dado suas peculiaridades de
preservação e aromatização dos alimentos,
poderia agora ser vendido com excelentes
lucros. Tornava-se mercadoria. Quem possuía
essas novidades? Eram os povos do Oriente
Médio e da Ásia. Ampliou-se a massa e a
variedade de mercadorias a ser transacionada

Economia I – Macro

no mercado europeu, trazendo igualmente
muitos outros artefatos exóticos e diferentes,
antes desconhecidos. O comércio começava a
se sobressair. Enquanto isso acontecia,
caracterizando longo período de transição de
costumes e mentalidade, a agricultura ainda
expressava a forma principal de sustentação
econômica
europeia,
embora
pouco
enriquecimento proporcionasse. Era instável e
sujeita aos humores do clima, das pragas e das
guerras. As técnicas de cultivo eram ainda
rudimentares e de pouca produtividade,
embora já produzissem excedente. As
ferramentas eram todas manuais e a força
motriz mais poderosa provinha da tração
animal e dos moinhos de vento ou hidráulicos.
Tanto a tração animal quanto os moinhos de
vento eram usados para fazer farinha, ou para
produzir ferramentas e peças metálicas,
forjadas ainda de maneira artesanal em
ferrarias. Nesse contexto, a terra personificava
a fonte de sobrevivência social. Era a riqueza
por excelência. Rico era quem possuía terras.
Foi nesse contexto de certa apatia e lentidão
que o comércio transitou aos poucos a se
desenvolver e projetar novas perspectivas à
sociedade. Abria a possibilidade de
enriquecimento alternativo mais rápido,
independente do clima e das pragas. O fluxo
de mercadorias recebeu forte estímulo para
crescer e incitou insólita predisposição de
ganho nesse novo horizonte que se desenhava.
A expansão comercial dependia
substancialmente dessa propensão à ganância
de parte dos empreendedores comerciantes,
representando forma rentável e segura de
movimentação de riquezas. Buscar novas
mercadorias em lugares distantes, com
diferentes utilidades para despertar novas ou
atender antigas necessidades nas pessoas, a
serem vendidas com excelente lucro, invadiria
o ânimo de comerciantes ambiciosos. E, por
causa desta paixão, novas e melhores técnicas
de navegação foram descobertas, que
permitiram cruzar oceanos em segurança, de
longínquos pontos do globo terrestre e, assim,
conseguissem transportar mais mercadorias do
que em qualquer época já experimentada. Por

Caju

Ele próprio exigia grande quantidade de trabalho para ser obtido. Ao invés de transacionarem com mercadorias prosaicas ou singulares. pimenta.Lição 3 . bem provável. E qualquer invento que permitisse e aumentasse o volume de comércio seria bem recepcionado. Despertava febre ainda maior por sua procura. a forma ideal do dinheiro. E a que melhor media por comparação o trabalho contido em qualquer outra era o ouro. depois. os mais bem sucedidos e poderosos. e até mesmo governantes. O ouro era ideal para aferir o a quantidade de trabalho social dos valores produzidos. maior a necessidade de medir o valor delas. açúcar. Fundaram casas especiais para lidar com o dinheiro. arrancá-lo da ociosidade. Algo havia por trás da bravura e 1 Sal. Juntavam-se a fome e a vontade de comer. O importante era comprar o mais barato para vender com a maior diferença alcançável. O afã de enriquecer impulsionou tais descobertas técnicas e científicas. Era necessário superar esta barreira natural. Por trás de todo esse esforço científico. Antes desse comércio mais intenso e lucrativo. Disponibilizar a quem necessitasse.O Sistema Financeiro isso. a navegação era meramente costeira e ainda subordinada ao vento favorável. como as especiarias. construídas e vigiadas com apropriada segurança para ali depositar o lucro comercial. Comércio. a América estava cheia de ouro e de novas mercadorias. havia a lógica do enriquecimento rápido. cravo. e. apenas pelo espírito da aventura. passaram a comerciar com a mais ambicionada das mercadorias: o dinheiro. As Américas foram descobertas dentro desta perspectiva de avidez comercial. Acumularam dinheiro ouro demais. Comer com esses temperos é bem diferente. Perceberam no comércio de dinheiro fonte de enriquecimento ainda mais rentável e menos exaustiva. Novos mundos podiam esconder novas mercadorias. Então alguns prósperos comerciantes se retiraram do negócio das mercadorias comuns e sui generis para uma atividade recente. Quem poderia fazer com que o lucro comercial em depósito bancário se multiplicasse ainda mais? Aí encaixa a figura moderna dos bancos. O comércio e os bancos Este comércio em larga escala colocou na Europa quantidade nunca vista de mercadorias. convertiam-se em grossa quantia de ouro. de fácil transporte e manejo. Surgia a moderna atividade bancária. superior em lucros. para obter lucro. Essa soma extraordinária regressava às mãos dos comerciantes que se tornaram. E era simples. gengibre eram as principais especiarias utilizadas principalmente como tempero. Era o dinheiro perfeito. a forma de dinheiro mais apreciável pelos homens. de todos os tipos. inclusive como local de Caju . Era fracionável em pequenas quantidades iguais. O lucro comercial se convertia em ouro. Isso modificou o cotidiano familiar. Retornava ao controle dos ricos comerciantes emprestadores que passaram a bancar o negócio alheio do comércio usual de mercadorias por meio do ouro em sobra em seus cofres. a primeira “invenção” tecnológica propriamente dita obtida mediante estudo específico. Ao serem vendidas com alto lucro. Notaram que poderiam emprestar por meio de cobrança de juros. proprietários de enorme fortuna móvel que não podia ficar parada. alguns deles. além de suas precisões de momento. Foi. nós-moscada. açafrão. E quanto maior a quantidade de mercadorias despejadas para venda. Comer uma comida sem sal e açúcar é um sabor. melhor. Economia I – Macro 2 do pioneirismo de exímios navegadores e colonizadores para excitar-lhes a aventura: a cobiça. as especiarias1 e outras mercadorias foram tão cobiçadas. E atingiram esse intento ao descobrirem uma pequena vela triangular denominada bujarrona que permitiu aos navios cruzarem os oceanos mesmo contra a direção dos ventos. Ninguém correria o perigo dos mares e lugares desconhecidos. Emprestar aos próprios parceiros comerciantes. A tecnologia passou a ser um instrumento a serviço de acúmulo de riqueza. E ainda por cima. Assim se manifesta o lucro do capital comercial entre a compra e a venda. Era o comércio que fez nascer esta nova técnica. canela. concorrência e tecnologia passaram a se influenciar reciprocamente. E o ouro refortalecia a cobiça por ser a forma de excelência assumida pelo dinheiro. E quanto mais mercadorias fosse possível transportar.

seja no Brasil ou em qualquer parte do mundo. Eles se encarregariam da multiplicação da riqueza monetária. não valeria a pena ser comerciante de dinheiro. maior poderia ser a taxa de juro para o banqueiro emprestador. Não se deve esquecer que um grande banqueiro já foi um grande comerciante. os bancos já operavam cobrando uma determinada taxa para emprestar parte do dinheiro que havia sido depositado em seus cofres. utilizando como alavanca o dinheiro excedente. melhor ser comerciante das mercadorias corriqueiras. Em fins da Idade Média. E o rendimento de um bom negócio é algo bastante difícil de se esconder aos olhos do banqueiro. avião ou navio. a lógica essencial de atuação é idêntica. somente os ricos teriam conta bancária. porém sem a identificação do depositante. a aquisição de liquidificador. muito depois. Que ele quer saber em detalhes qual a perspectiva do negócio para onde seu dinheiro será levado e convertido em investimento. geladeira ou Economia I – Macro 3 máquina de lavar. E qual seria o tamanho da taxa de juro do dinheiro a crédito? A taxa de juro do emprestador depende do quanto de lucro o tomador pode retirar de seu empreendimento. rico era quem possuía terras. documentando nominalmente a quantia depositada em determinado valor. Valeria a pena o empreendimento do comércio de dinheiro. O certo é que a rentabilidade do negócio bancário fosse superior aos outros. o papel moeda atual. a atividade de emprestar dinheiro aos outros teria de obter lucro que. os valores monetários lá adormecidos poderiam ser cedidos para crédito a quem pudesse pagar certo preço por eles. Para isso cobram uma taxa de juro. meio milênio transcorrido. Era o juro. Algum ou alguns banqueiros mais ousados perceberam mais essa brecha na ociosidade do ouro depositado e decidiram não desperdiçar a chance de emprestar. emitiam um papel bancário. Se antes do desenvolvimento comercial. cochilando na contabilidade bancária. o negócio bancário superaria os demais.O Sistema Financeiro guarda da riqueza em forma monetária cunhada em moedas de ouro. denominado nota bancária. Deixava-se a quantia ocupada no dia a dia para os saques costumeiros dos ricos clientes e a porção ociosa seguiria para crédito. Do contrário. O banqueiro elaboraria inclusive um cadastro de clientes para obter informações cruciais e assim saber qual deles com respectivo empreendimento proporcionaria retorno melhor e mais seguro. fosse em média e no mínimo semelhante ao rendimento obtido no comércio das demais mercadorias. para verificar se suas posses ainda lá se encontravam. Em troca. Poderia ser algum cidadão rico. Hoje. Os bancos passaram a recepcionar esta riqueza. é que apareceram os trabalhadores. ou algum humilde trabalhador. Os banqueiros concorrentes teriam a mesma feliz ideia. na sua totalidade. despossuído de dinheiro no momento. todos os dias. depois dele. todavia precisado de certa mercadoria para uso pessoal. Esta nota bancária ao portador funcionaria como precursora do dinheiro de papel. Bem por isso eles conheceram extraordinário impulso mediante a venda de crédito para excitar ao máximo o comércio cada vez mais crescente de mercadorias. Os bancos então se tornaram as casas comerciais para comprar e guardar o dinheiro de um lado e emprestá-lo de outro. Cedo ou tarde ele descobre a rentabilidade do negócio de seus tomadores. Do financiar a produção de siderurgia. Os ricos apenas utilizavam parte da totalidade do dinheiro em depósito. rico era quem tinha dinheiro. Como os depositantes ricos não regressavam ao banco juntos. Os bancos se posicionaram cristalinamente como intermediários dos grandes e pequenos negócios.Lição 3 . Aí sim. Então se impulsionou a moderna atividade bancária como ainda hoje é basicamente praticada como no passado. No princípio. Os bancos emprestam a quantia depositada em sobra pelo fato de não ter sido utilizada na circulação de mercadorias. depositada em seus cofres em confiança. A experiência do negócio bancário estava ensinando preciosas lições. Para valer a pena. Quanto maior esse lucro para o empresário capitalista tomador. E se o tomador de empréstimo tiver boas perspectivas de lucro no negócio que Caju . O restante sobrava e sem utilização imediata.

casa própria) e não ter a soma monetária necessária à realização da operação.59% 13. mãe de todo o desenvolvimento material. Os primeiros podem querer comprar algum bem durável (veículo. na atualidade. proporcionar margem líquida de ganho. eletroeletrônico."spread" 2008 Impostos Custo do Compulsório Custo Administrativo Inadimplência Resíduo Líquido 18. Os componentes da margem bruta de ganho são estes. depositantes de um lado e tomadores de outro. O capitalismo. Financiam o consumo de mercadorias e o investimento de empresas. que é a diferença entre a captação do dinheiro. conheceria incomum expansão. os gastos administrativos com pessoal. Já não era preciso ter dinheiro à vista para comprar. do pequeno ao grande empreendedor com lucros maiores e menores. E. que antigamente inexistiam. MARGEM BRUTA . de todas as atividades de aplicação. eletrodoméstico. O crédito se tornaria fundamental. quando as instituições financeiras emprestam a uma taxa. ainda por cima. Ajudaria a vender aceleradamente as milhares de mercadorias produzidas mediante concessão de crédito. Tudo o que o banco tocasse viraria ouro. De todos os bolsos. modificando apenas as participações por categoria ao longo do tempo: Margem Bruta . e sua aplicação. os bancos podem financiar desde o vendedor de cachorro quente até o fabricante de aviões a jato. o crédito se torna uma necessidade para escoar a produção em grande escala. Personificaria o toque da lenda do rei Midas. Apreciam muito o saldo médio. quer dizer. e a especulação financeira. o risco de inadimplência dos tomadores e. E quanto maior a quantidade de mercadorias produzidas pelas fábricas por meio de máquinas cada vez mais avançadas. estas condições básicas permanecem tal como eram.O Sistema Financeiro empreende. vieram se agregar. eles são tão importantes. o depositante. o que se apelidou de “spread”.35% 26. Naquele passado distante. pelos clientes tomadores. lucro transformado em dinheiro. Para a indústria. o lucro financeiro bancário propriamente dito. paga pelo banco para o proprietário do dinheiro. o dinheiro que sobrou na conta bancária. O dinheiro a crédito aceleraria toda sorte de empreendimentos bem como as vendas. Em contrapartida. suficiente para pagar suas despesas operacionais que conseguisse proporcionar o lucro almejado. antes de mais nada. estes componentes seguramente figurariam bem mais simples. Economia I – Macro Os tomadores desses empréstimos podem ser trabalhadores ou empresários.27% Gastos Administrativos 17% Inadimplência 18% 4 E o que consiste a taxa de juros? Consiste o preço a ser pago pelo dinheiro concedido a crédito.100% 27% 38% Impostos . dessa forma. emprestado aos tomadores do outro lado do balcão com uma taxa de juros superior a paga ao depositante.Lição 3 . adicionado a uma margem de ganho superior para o intermediário. maior a taxa de juro que poderá ser cobrada pelo banqueiro.93% 17% 18% Margem Líquida 38% Então. expressa pela diferença que o banco consegue ao pagar para captar dinheiro numa ponta e receber para emprestar na outra.62% 3. atuando como meio de pagamento futuro contra mercadorias alienadas no presente. magros e gordos. Vamos conferir os constituintes da taxa bancária atual. Deveria ser uma pequena margem de ganho. quando oferecesse esse dinheiro. Atualmente modificaram os componentes dessa taxa. esta deve cobrir os impostos cobrados pelo Governo. Na atualidade. Por isso. o banco. o empréstimo adianta o Caju . entretanto fatores adicionais.50% 37. ou margem bruta de ganho. seria uma bênção dos céus. pelos bancos.

238 705.981 59. Esta intermediação estimula o comércio e a produção industrial por agilizar o consumo.81 91. Justamente esta parcela maior é que pode ser emprestada aos clientes para empréstimo e finalidades especulativas.24 10. Os bancos conseguem prontificar empréstimo porque possuem milhões e milhões depositados em conta. É dinheiro fictício contábil.612 48.176 336. Podem tomar emprestado determinada quantia para facilitar as transações correntes de seu negócio no curto prazo.29 89. podem desejar dinheiro para especulação. piscando numa tela.66 10.181 807.579 982.23% seguem para ser emprestados. Aparecem como números digitalizados em computadores.943 102. quase sem ligação com a produção verdadeira de mercadorias e serviços. Nenhum nem outro possuem dinheiro naquele instante para realizar suas vontades e o banco presta um serviço significativo ao disponibilizá-lo a quem dele necessita. por ter realizado uma operação financeira. Difícil acreditar como algo nas aparências tão tangível quanto já foi o dinheiro consegue ficar completamente imaginário.471 1.093 756. os restantes 89. Essa montanha de dinheiro não é utilizada integralmente.060 581.109. apenas 10.523 958.56 87.19 8.36 88.06 88.032 45.423 492.561 307.54 261.375 78.34 89.390 89. Os bancos na atualidade não contam mais apenas com o dinheiro de grandes comerciantes.116 360. Não se trata de um dinheiro palpável.64 11. E.76 89. A grosso modo.67 10.892 127. O grosso fica “ocioso”. desembaraçando o fluxo econômico e tornando-o mais ágil pela movimentação maior de mercadorias por meio de um dinheiro antes ocioso. em particular o empresário. de pronto.129 Economia I – Macro (1)/(3) % 10. Pequenos depositantes de classe trabalhadora vieram se integrar ao universo bancário. É o quanto o especulador espera ganhar em sua imaginação lá na frente. e não portam qualquer existência real.33 89. atuantes muito mais como um dinheiro fictício de diversos tipos de aplicação financeira.092 652. A tabela abaixo compara a quantia de dinheiro disponível na circulação de mercadorias e serviços e aquela pronta para ser emprestada na esfera financeira. realizando investimento a longo prazo. em determinado prazo.215 853.519 Caju .946 459. Os empresários de modo geral necessitam de dinheiro por três motivos.44 12. É o dinheiro que rende ganho financeiro sem nada produzir.77% tem servido à circulação de mercadorias e serviços. por fim. o pano de fundo é o mesmo. Podem querer dinheiro para ampliar a capacidade de produção da empresa.308 104.Lição 3 .718 677. depositado em seus cofres.O Sistema Financeiro 5 dinheiro não possuído no momento.79 10.615 29. TABELA 1 – A CIRCULAÇÃO MONETÁRIA em bilhões de reais CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS E SERVIÇOS R$ (1) 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 26. mas é assim no dia a dia. ou para o trabalhador. Somente parcela pequena entra em circulação à vista no mercado para movimentar mercadorias.334 410.404 551.21 89.46 CIRCULAÇÃO FINANCEIRA R$ (2) (2)/(3) % CIRCULAÇÃO MONETÁRIA TOTAL R$ (3) 234. Nos três casos assumidos pelo crédito.94 11.148 405. mediante as três formas já discutidas.032 70. Existem as modalidades de desconto de duplicatas e capital de giro que permitem maior folga de caixa à disposição de pequenas e grandes empresas.71 10. não passa de uma peça de imaginação.

Nunca a entrada e a saída sucedem de um só golpe. porém há situações em que o tomador não possui outra alternativa para conseguir dinheiro. exceto pelo caminho bancário. A multiplicação do dinheiro pelos bancos Os bancos estão aptos a realizar uma mágica só deles. O restante toma o rumo de dinheiro contábil em transferências eletrônicas para pagamentos.O Sistema Financeiro 6 Média 10. exceto os mais pobres. Os cidadãos deixam o dinheiro depositado e voltam tranquilos para trabalhar ou para seus lares. Quanto maior a quantia de empréstimo.Lição 3 . Eles multiplicam a quantidade do dinheiro disponível ao emprestarem a terceiros. janeiro 2006. no ato. A mágica da multiplicação do dinheiro ocorre conforme a quantia disponível para empréstimo. maior o dinheiro multiplicado. Nunca de uma vez. Caju . Funciona como se o dinheiro se multiplicasse. O segredo é simples. O que sustenta a credibilidade de uma instituição bancária nada mais é do que a confiança dos depositantes em saber que seu dinheiro continua guardado em depósito podendo resgatá-lo a qualquer momento.23 FONTE: Conjuntura Econômica. A taxa de juro elevada desestimula empréstimos. fiquem certos. o prazo e menor a taxa de juro. usam gradualmente seu dinheiro. Os empréstimos regressam acrescidos de juros. Para algum trabalhador ou Economia I – Macro empresa que precise de dinheiro vivo para dispender de imediato. Estas recebem receita das vendas de mercadorias e serviços. um dinheiro que entra em intervalos e sai também em intervalos. O banco apenas mantém um encaixe para as operações diárias urgentes. Da mesma forma com as empresas. As pessoas físicas recebem salário e. E outro restante vira empréstimo. o dinheiro procede de uma instituição bancária que assegura o comércio lojista.77 89. o prazo e a taxa de juro que os bancos conseguem oferecer. Quando se segue a alguma loja para comprar alguma mercadoria a crédito. Aí está o processo de enriquecimento bancário. p. o somatório exato em dinheiro vivo lá guardado. As pessoas tanto físicas quanto jurídicas não voltam a cada momento verificar se a agência bancária possui. E tornam a ser reemprestados incessantemente. É muito difícil não bater à porta de um banco.

............. Unibanco.. Pessoa Jurídica capital de giro desconto de duplicatas arrendamento máquinas e equipamentos Pessoa Física cheque ao portador crédito ao consumidor financiamento casa própria financiamento de veículo tx básica anual tx mercado anual margem bruta 3............... como os bancos se originaram? -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------4.. HSBC.....spread – entre a captação e a aplicação em cada um dos casos do exercício anterior.. Calcule a margem bancária bruta ... Visite uma agência bancária de qualquer grande banco (Itaú. Banco do Brasil) e anote a taxa de juro mensal ou anual cobradas para os seguintes empréstimos........ 1. Com base no texto............. A taxa de captação anual básica é de 8.. Pessoa Jurídica capital de giro desconto de duplicatas arrendamento máquinas e equipamentos Pessoa Física cheque especial crédito ao consumidor financiamento casa própria financiamento de veículo tx mensal tx anual 2..Lição 3 .........75%. Como o banco consegue emprestar dinheiro que não é dele? ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------5................. Quais as três necessidades básicas dos empresários para pedir dinheiro emprestado? --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Economia I – Macro Caju ... Bradesco. Turma:.O Sistema Financeiro 7 Exercícios de Fixação: Atividade Individual Aluno: …........

Como surgiu o dinheiro de papel para fazer circular as mercadorias? ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ Economia I – Macro Caju . -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------10.Lição 3 . Por que os bancos foram tão importantes tanto no passado quanto no presente? -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------9.O Sistema Financeiro 8 ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------6. Explique a relação que a tecnologia teve com o desenvolvimento do comércio? -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------7. A indústria poderia sobreviver sem o crédito bancário? Justifique sua resposta com base no texto. O que é mais importante na preservação da atividade bancária? -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------8. Como os bancos podem multiplicar o dinheiro se eles não conseguem fabricá-lo? -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------11.