You are on page 1of 6

A CONTRATAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA POR PREFEITURAS

A contratação de escritórios de advocacia por prefeituras ganhou relevo nos últimos anos em razão do número elevado de ocorrências, os valores pactuados, a discussão sobre a possibilidade ou não destas licitações excepcionais e os aspectos subjetivos ue permeiam estas relações! " art! #$ da %onstituição &ederal de '()) foi redigido de forma a impor, como regra geral no processo licitatório, a primazia da competição e os re uisitos m*nimos elencados no art! #$, inciso ++,! -as, mesmo o dispositivo citado prevê ressalvas em casos espec*ficos na legislação, hipóteses em ue a licitação pública seria dispensada ou inexigida, a fim de cumprir as especialidades dos objetivos re ueridos, o ue levanta a polêmica acerca das licitações ou dispensa delas nas contratações de escritórios de advocacia por prefeituras! A ressalva ue se refere o tema est. regulada pela /ei n!0 )!1112(#, nos artigos 34 5incisos ,, e ,67 e 38, 9 contratação direta, ou seja, a uela ue não exige licitação! A regra geral exige a escolha da modalidade mais ade uada, desde concorrência, tomada de preço at: carta convite! As dispensas ao processo licitatório ocorrem sob a alegação da hipótese de incidência do art! 38 da /ei n!0 )!1112(#! -as, na realidade, tais contratos representam serviços ue dizem respeito 9 simples consultorias jur*dicas costumeiras, cujos procuradores do munic*pio seriam plenamente capazes de responder ou cuja realização prescindiria da realização de processo de licitação regular! "s dispositivos citados;
Art! 34! < dispens.vel a licitação; ,, = para outros serviços e compras de valor at: '>? 5dez por cento7 do limite previsto na al*nea @a@, do inciso ,, do artigo anterior e para alienações, nos casos previstos nesta /ei, desde ue não se refiram a parcelas de um mesmo serviço, compra ou alienação de maior vulto ue possa ser realizada de uma só vezA ,6 = nos casos de emergência ou de calamidade pública, uando caracterizada urgência de atendimento de situação ue possa ocasionar preju*zo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, e uipamentos e outros bens, públicos ou particulares, e somente para os bens necess.rios ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa e para as parcelas de obras e serviços ue possam ser conclu*das no prazo m.ximo de ')> 5cento e oitenta7 dias consecutivos e ininterruptos, contados da ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a prorrogação dos respectivos contratosA Art! 38! < inexig*vel a licitação uando houver inviabilidade de competição, em especial; , B omissisA

,, = para a contratação de serviços t:cnicos enumerados no art! '# desta /ei, de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória especialização, vedada a inexigibilidade para serviços de publicidade e divulgaçãoA ,,, =omissis C 'o %onsidera=se de notória especialização o profissional ou empresa cujo conceito no campo de sua especialidade, decorrente de desempenho anterior, estudos, experiências, publicações, organização, aparelhamento, e uipe t:cnica, ou de outros re uisitos relacionados com suas atividades, permita inferir ue o seu trabalho : essencial e indiscutivelmente o mais ade uado 9 plena satisfação do objeto do contrato!D

A forma mais ade uada para a contratação de serviços advocat*cios : a uela prevista no art! 38, ,,, C '0 c2c art! 31, C único c2c art! '#, ,,, ,,, e 6, todos da /ei )!1112(#, onde o profissional escolhido dever. possuir reputação ilibada e not.vel saber jur*dico! %ontudo, não : isso ue se observa nas contratações ao redor do pa*s, sendo tais licitações objeto de censura pelo -inist:rio Eúblico! As Ações %ivis Eúblicas promovidas pelo -E contêm invariavelmente pedidos subsidi.rios de devolução dos valores recebidos, o ressarcimento pelos danos causados ao patrimFnio público, 9 perda da função pública, 9 suspensão dos direitos pol*ticos por ) 5oito7 anos, 9 proibição de contratar com o Eoder Eúblico por 8 5cinco7 anos! A condenação dos r:us, aplicando as sanções previstas no artigo '3, ,,, da /ei )!43(2(3, incluem a devolução ao munic*pio do valor do contrato de prestação de serviço;
Art. 12. Independentemente das sanções penais, civis e administrativas previstas na legislação específica, está o responsável pelo ato de improbidade sujeito s seguintes cominações, !ue podem ser aplicadas isolada ou cumulativamente, de acordo com a gravidade do fato" #$edação dada pela %ei n& 12.12', de 2''(). I * omissis II * na +ip,tese do art. 1', ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrim-nio, se concorrer esta circunst.ncia, perda da função p/blica, suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de multa civil de at0 duas ve1es o valor do dano e proibição de contratar com o 2oder 2/blico ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou

indiretamente, ainda !ue por interm0dio de pessoa jurídica da !ual seja s,cio majoritário, pelo pra1o de cinco anos3 III * omissis 2arágrafo /nico. 4a fi5ação das penas previstas nesta lei o jui1 levará em conta a e5tensão do dano causado, assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente.

Ge outro lado, a /ei n!0 )!(>12(4 impede ue o advogado angarie ou capte clientes 5art! #4, ,67 e impõe o cumprimento dos deveres :ticos sob as mais diversas penas, conforme o %ódigo de <tica 5art!##7! H, sendo o advogado instrumento indispens.vel 9 administração da justiça, : incompat*vel o exerc*cio da advocacia com ual uer procedimento de mercantilização 5art! 807! Ieste contexto, os honor.rios devem ser fixados com moderação 5art! #17, mas nunca abstra*dos ou em patamar inferior ao m*nimo estabelecido pela "AJ, devendo o advogado evitar o aviltamento dos honor.rios profissionais 5art! 4'7! " Kuperior Lribunal de Mustiça considerou v.lida a contratação de escritório de advocacia sem licitação ante a natureza intelectual e singular dos serviços, a moderação nos honor.rios e a relação de confiança entre o contratante e contratado, elementos ue legitimaram a dispensa de licitação para a contratação de profissionais de direito! A Erimeira Lurma do KLM decidiu ue por motivo de interesse público, pode o ente municipal fazer uso da discricionariedade ue lhe foi conferida pela /ei n!0 )!1112(# para escolher o melhor profissional! A justificativa : ue o advogado se en uadrava nas hipóteses excepcionais de inexigibilidade do processo licitatório, pela experiência profissional e os conhecimentos individuais, a moderação na uantia contratada! His um trecho do acórdão;
NA singularidade dos serviços prestados pelo advogado consiste em seus conhecimentos individuais, estando ligada 9 sua capacitação profissional, sendo, desta forma, invi.vel escolher o melhor profissional, para prestar serviço de natureza intelectual, por meio de licitação, pois tal mensuração não se funda em crit:rios objetivos 5como o menor preço7D OHsp ''(3##3

Hm %acoal, localizada no interior de OondFnia, o -inist:rio Eúblico ofereceu denúncia contra o prefeito da cidade, &rancesco 6ialleto e o Erocurador Peral do -unic*pio, Hdinaldo da Kilva /ustoza, por realizarem contratação ilegal de escritório de advocacia, com o intuito de prestar serviços ao munic*pio! A denúncia imputou infração ao artigo )( da /ei n!0 )!1112(# B /ei das /icitações e %ontratos Eúblicos! Io caso, considerou=se irregular a

dispensa de licitação, pois os serviços objetos da contratação não eram singulares, mas corri ueiros 9s atividades praticadas pelo Erocurador do -unic*pio! Ge outro giro, não foi comprovada a notória especialização exigida pela legislação! Hm ,tabira 5-P7, foi determinada judicialmente multa di.ria caso a administração pública municipal não suspendesse os pagamentos ao escritório de advocacia contratado, em atendimento ao pedido do -inist:rio Eúblico na ação civil por ato de improbidade administrativa! Hm caso de descumprimento da ordem, seriam responsabilizados o prefeito, o advogado, o chefe f: gabinete, o secret.rio municipal de administração e os membros da %omissão de /icitação! Ia cidade de ,por. o promotor de Mustiça, intentou mesma demanda de improbidade administrativa contra o ex a o atual prefeito, por contratos irregulares e superfaturados firmados pela municipalidade! " -EH tamb:m se insurgiu contra as contratações ocorridas em Kanta %ruz do Oio Eardo, atrav:s da A%E promovida contra o prefeito Adilson Gonizeti 5EKGJ7, onde eram fechados contratos alt*ssimos para contratação de advogados particulares! " prefeito de Leixeira de &reitas, Moão Josco Jittencourt 5EL7, sofreu ação de improbidade administrativa, em menos de '> meses 9 frente da prefeitura, pelas mesmas razões! A Mustiça de Gourado uara 5-inas Perais7 determinou a suspensão imediata do contrato entre a Erefeitura e o escritório particular de advocacia, com o blo ueio de bens at: o valor de OQ #1> mil! " juiz entendeu ue não ficou caracterizado o @cunho singular, espec*fico e excepcional da prestação do serviço contratado@, indispens.vel para avalizar a dispensa de licitação pela Erefeitura! H, a identidade de datas entre a publicação do edital de inexigibilidade de licitação e a celebração do contrato reforçava Dainda mais a constatação de ue os re ueridos praticaram ato administrativo apto a dilapidar o er.rio público e ainda atentaram contra os princ*pios da legalidade, da impessoalidade e da moralidade!@ 5&"ILH -inist:rio Eúblico Hstadual de -inas Perais7 A sobrecarga de trabalho na rotina di.ria dos procuradores municipais não : escusa legal prevista na legislação nem tampouco constitui motivo razo.vel para as contratações irregulares e tão prejudiciais ao er.rio! Algumas contratação chegavam a prever percentuais recebimento em condenações favor.veis ao munic*pio, tornando os advogados verdadeiros NsóciosD do ente municipal ou chegaram a ter como valor global o importe de OQ )1> mil! Hm -inuçu 5Poi.s7, as uantias a serem devolvidas perfaziam o montante de OQ 1># mil, sem preju*zo dos OQ #> mil, a serem pagos individualmente, por danos morais! Ião : incomum ue tais escritórios de advocacia tenham prestado serviços jur*dicos expressamente ou não aos contratantes durante o per*odo eleitoral ou em suas respectivas campanhas eleitorais pr:vias! As contratações futuras parecem compensações de favores privados com dinheiro público!

"utro perigo neste tipo de contratação foi o ue ocorreu em Lrairi, o -EH, atrav:s da "peração Lrairi /impo ,,, apurou ue (>? do valor das indenizações destinadas aos clientes da prefeitura ficavam com os advogados, ue retinham um total de OQ 1#' mil e, noutras circunstRncias buscar efetivamente tais valores torna=se uma missão uase imposs*vel, vez ue esva*dos por diversos meios! A uestão : tão relevante e controversa ue a "AJ chegou a publicar as Kúmulas n!0 >4 e >823>'3, ambas de 3#2'>23>'3, a respeito do tema, manifestando=se favoravelmente a este tipo de contratação e deixando de considerar o advogado pass*vel de responsabilização c*vel ou criminal caso o faça;
NAG6"PAG"! %"ILOALAST"! AG-,I,KLOAST" EUJ/,%A! ,IH+,P,J,/,GAGH GH /,%,LAST"! Atendidos os re uisitos do inciso ,, do art! 38 da /ei n0 )!1112(#, : inexig*vel procedimento licitatório para contratação de serviços advocat*cios pela Administração Eública, dada a singularidade da atividade, a notória especialização e a inviabilização objetiva de competição, sendo inaplic.vel 9 esp:cie o disposto no art! )( 5in totum7 do referido diploma legal!D NAG6"PAG"! G,KEHIKA "V ,IH+,P,J,/,GAGH GH /,%,LAST"! %"ILOALAST"! E"GHO EUJ/,%"! Ião poder. ser responsabilizado, civil ou criminalmente, o advogado ue, no regular exerc*cio do seu mister, emite parecer t:cnico opinando sobre dispensa ou inexigibilidade de licitação para contratação pelo Eoder Eúblico, por uanto inviol.vel nos seus atos e manifestações no exerc*cio profissional, nos termos do art! 30, C #0, da /ei n! )!(>12(4 5Hstatuto da Advocacia e da "AJ7!D

" argumento : de ue : inexig*vel procedimento licitatório para contratação de serviços advocat*cios, em função da singularidade da atividade, a notória especialização e a inviabilização objetiva de competição! -as, mesmo dentro da instituição existem correntes divergentes, visto ue flagrantemente representa o aviltamento dos honor.rios, infração :tica disciplinar na categoria! %abe ressalvar ue tais Kúmulas não possuem ual uer poder legal vinculante! As praticas indicam invariavelmente o direcionamento da contratação, baixa produtividade e fragilidade da descrição dos serviços tidos como realizados, ausência de justificativa relevante, singular e emergencial para a contratação! Ia maioria dos casos são patentes as ofensas aos princ*pios da moralidade, isonomia, eficiência e indisponibilidade do interesse público! As exceções existem e são permitidas, como bem ponderou o KLM, percept*veis geralmente pela moderação dos valores recebidos, mas a regra geral : assustadora, contratos com valores astronFmicos e constitu*dos de forma processualmente irregulares, visivelmente em descompasso com os interesses da população e diametralmente opostos a proteção de ual uer interesse da municipalidade! WWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWW &ontes;

'= -inist:rio Eúblico 3 B "rdem dos Advogados do Jrasil # B Kuperior Lribunal de Mustiça WWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWW

,nformações para a ,mprensa; Puilherme Eessoa &ranco de %amargo : advogado do escritório &ranco de %amargo X Advogados Associados, atuante nas .reas de Gireito Hmpresarial e Hleitoral! YYY!francodecamargo!com!br e=mail; guilhermeZfrancodecamargo!com!br Lel!; 5'(7##)#=#3$(