You are on page 1of 20

D I S C I P L I N A

Didática

Elaboração de um plano de ensino I
Autores
André Ferrer Pinto Martins Iran Abreu Mendes

aula

13

Governo Federal
Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário de Educação a Distância – SEED Ronaldo Motta

Revisoras de Língua Portuguesa Janaina Tomaz Capistrano Sandra Cristinne Xavier da Câmara Ilustradora Carolina Costa Editoração de Imagens Adauto Harley Carolina Costa Diagramadores Mariana Araújo Brito Adaptação para Módulo Matemático Thaisa Maria Simplício Lemos Imagens Utilizadas Banco de Imagens Sedis (Secretaria de Educação a Distância) - UFRN Fotografias - Adauto Harley MasterClips IMSI MasterClips Collection, 1895 Francisco Blvd, East, San Rafael, CA 94901,USA. MasterFile – www.masterfile.com MorgueFile – www.morguefile.com Pixel Perfect Digital – www.pixelperfectdigital.com FreeImages – www.freeimages.co.uk FreeFoto.com – www.freefoto.com Free Pictures Photos – www.free-pictures-photos.com BigFoto – www.bigfoto.com FreeStockPhotos.com – www.freestockphotos.com OneOddDude.net – www.oneodddude.net Stock.XCHG - www.sxc.hu

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Reitor José Ivonildo do Rêgo Vice-Reitor Nilsen Carvalho Fernandes de Oliveira Filho Secretária de Educação a Distância Vera Lúcia do Amaral

Secretaria de Educação a Distância- SEDIS
Coordenadora da Produção dos Materiais Célia Maria de Araújo Coordenador de Edição Ary Sergio Braga Olinisky Projeto Gráfico Ivana Lima Revisores de Estrutura e Linguagem Eugenio Tavares Borges Marcos Aurélio Felipe Pedro Daniel Meirelles Ferreira

Divisão de Serviços Técnicos Catalogação da publicação na Fonte. UFRN/Biblioteca Central “Zila Mamede”

Mendes, Iran Abreu Didática / Iran Abreu Mendes, André Ferrer Pinto Martins – Natal (RN) : EDUFRN – Editora da UFRN, 2006. 264 p. ISBN 85-7273-279-9 1. Ensino. 2. Aprendizagem. 3. Planejamento. I. Martins, André Ferrer Pinto. II. Título. RN/UFR/BCZM 2006/17 CDU 37 CDD 370

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser utilizada ou reproduzida sem a autorização expressa da UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Apresentação N as duas últimas aulas. você teve a oportunidade de ter contato com as questões que envolvem um planejamento didático. Nesta aula – e na seguinte –. discutimos a sua importância para a atividade docente em sala de aula. por meio da elaboração de planos de ensino que levem em consideração algumas das tendências didáticas atuais no âmbito da educação científica e matemática. Aula 13 Didática  . viabilizando a produção de outros planos. A partir de uma visão geral sobre o planejamento. bem como aspectos práticos relativos à sua elaboração. Generalizar o conjunto de ações executadas nesse processo. Objetivos 1 2 Elaborar um plano referente a uma unidade de ensino. considerando os diversos itens que envolvem o planejamento didático. você poderá “colocar em prática” boa parte dos conhecimentos trabalhados até agora neste curso. destinados a outras situações específicas.

um planejamento simplificado de uma unidade de ensino acerca de uma temática em particular. alunos. desvinculada desse contexto educacional maior. E. um plano de atividades a ser desenvolvido numa escola só pode ganhar significado e importância na medida em que esteja atrelado a objetivos definidos claramente por essa comunidade. Caso isso não seja levado em consideração. nenhuma “unidade de ensino” poderia ser pensada.Planejando: mas. professores. pais etc. descolado de um contexto social que envolve toda a comunidade escolar: diretores. Assim. elabore um plano próprio. façamos uma importante ressalva! Como vimos ao longo deste curso. coordenação. A idéia é que você o tome como um exemplo possível dentre inúmeros outros e. mas que carece de um contexto mais amplo a partir do qual adquira pleno significado. podemos ter como conseqüência planejamentos totalmente desvinculados das realidades locais e dos interesses dos alunos. não há sentido em pensarmos num planejamento “no vazio”. a seguir. Antes de iniciarmos. servindo apenas como “instrumentos burocráticos” que pouco ou nada contribuem para o efetivo aprendizado.. cuja referência principal é o GREF (Grupo de Reelaboração do Ensino de Física).. Dessa maneira. conseqüentemente. Planos de Curso e Planos de Disciplinas são instrumentos para a concretização de um projeto político-pedagógico em sentido amplo. em consonância com objetivos e princípios mais gerais para o ensino.  Aula 13 Didática . É necessário que afirmemos isso para que o planejamento a seguir. por onde começar? Apresentaremos. em seguida. a priori. seja tomado apenas como um exemplo – importante nesta etapa deste curso –. ou seja.

iniciando o estudo pelos aparelhos “resistivos”. O professor dá início ao estudo da eletricidade perguntando aos alunos que “coisas” eles relacionam ao tema. os grupos devem tentar criar para elas hipóteses explicativas (por exemplo. A listagem dos itens pode ser realizada individualmente ou em pequenos grupos. espessura e potência (nas lâmpadas). 3o momento (2 aulas) Atividade 3: fusíveis. para sua aplicação. ambos com filamentos de diferentes espessuras. geladeira. Aula 13 Didática  . o professor sugere uma classificação e divide o plano do curso. lâmpadas e chuveiros. Tema: Corrente elétrica e circuitos elétricos simples 1o momento (1 aula) Atividade 1: levantamento das “coisas” relacionadas ao tema “eletricidade”. É o momento da tomada de contato com nomes. e chuveiros (abertos). rádio etc). os alunos ficam incumbidos de verificar os dados impressos nas “chapinhas” dos aparelhos elétricos de suas residências. A turma pode construir uma tabela que aponte os valores das grandezas físicas presentes nas chapinhas dos diversos aparelhos consultados (liqüidificador. Os grupos devem estabelecer relações entre espessura do filamento e corrente elétrica (caso dos fusíveis). Uma vez estabelecido o consenso coletivo sobre as relações entre as grandezas. e comprimento e potência (nos chuveiros). Com os dados. Como tarefa. O professor divide a turma em pequenos grupos e distribui fusíveis (de rosca) e lâmpadas. 2o momento (1 aula) Atividade 2 : as “chapinhas” dos aparelhos elétricos. símbolos e unidades de certos conceitos físicos (como tensão. freqüência. potência. resistência) que surgirão ao longo do curso. do conhecimento da referência principal e de outras que viessem a subsidiar o trabalho do professor. por que lâmpadas de maior potência nominal têm filamentos mais espessos?) Os diferentes materiais envolvidos (isolantes e condutores) podem ser explorados pelo professor. no sentido de que necessitaria. corrente. havendo um momento posterior de socialização das listas no coletivo.Exemplo Planejamento de uma unidade de ensino Este planejamento é simplificado.

internamente. fornecendo. Discute-se os acertos e falhas à luz das hipóteses dos alunos. permite. movimento dos elétrons livres e “dificuldade” à passagem da corrente (“microscópicas”). divide-se a sala em pequenos grupos. Os primeiros ficarão espalhados ao longo da quadra. procurando descrever a corrente elétrica nos fios. As duas atividades anteriores criam a necessidade de um modelo explicativo que sustente as hipóteses dos alunos. Uma analogia para facilitar a compreensão do modelo (abstrato) de corrente elétrica pelos alunos. enquanto os segundos poderão passear (com vendas nos olhos) por entre eles. 6o momento (2 aulas) Atividade 6: uma analogia para a corrente elétrica. 5o momento (3 aulas) Atividade 5: modelos de corrente elétrica (dos alunos e científico). A partir disso. n  n  4 Aula 13 Didática . Cada grupo elabora um desenho e/ou um texto explicativo. corrente e resistência elétrica (“macroscópicos”) às noções de campo elétrico.   “formalização” da idéia de corrente elétrica. A discussão em torno dos resultados desta atividade (modelos de corrente elétrica dos alunos) faz surgir questões sobre a natureza da matéria e dos modelos científicos usados para descrevê-la. entre outras coisas: n  n    a explicação do efeito Joule (aquecimento nos condutores).   a retomada das relações “macro” e “micro” para os conceitos de tensão. por exemplo) para que os “elétrons” caminhem numa direção preferencial (simulando o metal com corrente). o professor pode dividi-los entre os que representarão o papel de “íons da rede cristalina do metal” e aqueles que farão as vezes de “elétrons livres”.   tentativas de explicação das relações obtidas com fusíveis. em sala de aula.4o momento (2 aulas) Atividade 4: como acender uma lâmpada? Nessa atividade. A exploração da analogia. perguntando-se aos alunos de que forma fariam para acender uma pequena lâmpada. depois. um comando (com um apito. relacionando os conceitos de tensão. O professor pode sugerir que cada um procure descrever e desenhar como imagina que é. fornece-se o material necessário para que os grupos testem suas soluções. o professor pode sistematizar o conhecimento. Uma leitura pode ser usada para se trabalhar o modelo científico (clássico) de corrente. mantendo uma certa geometria característica de um determinado metal. lâmpadas e chuveiros. Em seguida. um metal sem corrente elétrica e um metal com corrente elétrica. O professor pode permitir que o movimento seja aleatório (simulando o metal sem corrente). corrente e resistência elétrica. Levando-os para um local amplo (por exemplo: a quadra da escola). com a utilização de duas pilhas pequenas e dois fios condutores. potência.

para discussão com a turma. Um exemplo ilustrativo encontra-se descrito a seguir. O professor pode começar explorando: Aula 13 Didática 5 . 8o momento (4 aulas) Atividade 8: circuitos elétricos simples – a “tábua” de eletricidade. em grupo. ou então apresentada pelo professor.7o momento (2 aulas) Atividade 7: a primeira lei de Ohm. retomam-se lâmpadas e chuveiros para formalizar a idéia de resistência elétrica. o professor pode sugerir a existência da relação de proporcionalidade direta entre a tensão e a corrente (lei de Ohm) a partir de tudo o que foi discutido até então. a espessura e o comprimento do filamento. Neste outro momento de sistematização do conhecimento. pode ser construída pelos alunos. Essa tábua permite resgatar todos os conceitos discutidos nesta unidade. salientando-se sua dependência com o tipo de material. Uma “tábua”. contendo basicamente circuitos elétricos simples (um em série e outro em paralelo). U  ∝  i  ⇒  U  =  (constante)  x  i resistência A seguir. servindo como uma espécie de “fechamento” da mesma.

  a identificação das ligações (circuitos “abertos” e “fechados”.   o papel do fusível. a)  Em relação aos objetivos. responda às questões a seguir.   a representação esquemática dos circuitos. fios “fase” e “neutro”).   o uso do ferro elétrico (efeito Joule). qual(is)? 2 6 Aula 13 Didática . nessa proposta.   circuito série (uso de lâmpadas de diversas potências). tendo em vista sua leitura e compreensão do planejamento apresentado como exemplo. quais você acredita que serão propostos nessa unidade de ensino? b)  Para qual nível de ensino (e série) você considera a unidade adequada? c)  Que aspectos você destacaria no que diz respeito às questões metodológicas? d)  Que formas de avaliação poderiam ser utilizadas nessa unidade.n  n  n  n  n  n  n    os componentes dos circuitos (tipos de materiais). tentando explicar posteriormente (com base no modelo de corrente e na lei de Ohm) os resultados obtidos. A parte mais instigante da atividade refere-se aos brilhos das lâmpadas nos circuitos em série e paralelo. Atividade 1 1 Antes de prosseguir. em sua opinião? Você notou. a presença de alguma(s) das “tendências em educação científica” trabalhadas na aula 9 (Tendências em educação científica) deste curso? Em caso afirmativo. É importante que os alunos façam previsões antes de verificar visualmente os brilhos.   circuito paralelo (uso de lâmpadas de diversas potências).

às “tendências em educação científica” que estão subjacentes à proposta. relativos a procedimentos (por exemplo: observação e tomada de dados. articulando esses elementos. O professor deve usar a criatividade. Por exemplo. A atividade 5 também pode gerar material impresso entregue para o professor. Em diversos momentos. mas poderia ser abordado em outras séries. procuramos privilegiar um tema relativamente específico (“Corrente elétrica e circuitos elétricos simples”). nas atividades 3 e 4 do exemplo. propicia uma série de situações de avaliação. poderíamos citar alguns: compreensão dos conceitos físicos de tensão. aqui. na disciplina de Física. a metodologia utilizada e a avaliação efetivamente realizada. respeitar os colegas e suas opiniões. sejam os modelos dos alunos para a corrente elétrica. Em termos de conteúdos. resistência e potência elétrica. A utilização do material do GREF como referência principal evidencia uma opção por aproximar o conteúdo estudado com o mundo vivencial e cotidiano dos alunos. ao longo do último ano do Ensino Médio. compreensão e manipulação da 1ª lei de Ohm. corrente. trazendo elementos como lâmpadas e chuveiros. fusíveis e chuveiros. houve uma preocupação em se trabalhar com os conhecimentos próprios dos estudantes (atividades 4. há sempre a pretensão. por ser uma síntese de toda a unidade. Nossos objetivos não foram explicitados para que você pudesse inferi-los na atividade 1. No que diz respeito à avaliação. sejam respostas a questões acerca do modelo científico.). para que você se sentisse mais familiarizado com o conteúdo. a ser considerado pelo professor na avaliação dos alunos. confecção de relatórios) e atitudes (saber trabalhar em grupo. 5 e 8). caracterização de propriedades dos materiais relativamente ao comportamento elétrico. gostaríamos que você percebesse que foram realizadas opções – de natureza metodológica – em sua elaboração. diferenciação das ligações em série e paralelo. nesse contexto. Finalizando os comentários acerca desse plano. elaboração de tabelas. Esse tema é normalmente tratado nas escolas. foram propostas atividades em que os modelos e hipóteses de trabalho dos alunos são o ponto de partida para a aprendizagem. observe que. por exemplo. o professor pode fazer corresponder relatórios elaborados pelos grupos. cuidados na manipulação de materiais experimentais. cada um dos momentos pedagógicos descritos no planejamento da unidade de ensino sugere atividades que podem resultar em um “produto”. saber dialogar etc.Comentários No exemplo de planejamento trabalhado por nós. Referimo-nos. é que haja coerência entre os objetivos estabelecidos. tanto individuais quanto coletivas. de que haja uma problematização desse conhecimento inicial em direção à construção dos modelos aceitos Aula 13 Didática  . construção do modelo clássico da corrente elétrica. Já a atividade 8 (tábua). estabelecimento de relações entre esses conceitos. com vistas à explicação do funcionamento de lâmpadas. com suas hipóteses e explicações para os fenômenos. ou seja. É importante que se considerem também outros objetivos. na escolha das atividades. a autonomia e a capacidade de reflexão em seu favor. No entanto. O importante.

cientificamente. Nesse sentido.   observe o quadro a seguir. prejudicar o estabelecimento de uma seqüência clara e coerente para o aprendizado dos alunos. Essa tendência – “experimentação” – encontra-se presente na aula 9. Isso pode. Sugestões: n    privilegie um conjunto limitado (ou apenas uma. Em outras palavras. por exemplo. A atividade 6 traz explicitamente outra tendência discutida por nós. Isso está presente nas atividades com lâmpadas. promover uma mudança conceitual. aspectos metodológicos. sugerir que o “máximo” de abordagens sejam utilizadas num planejamento. mas principalmente nas atividades 4 (como acender uma lâmpada?) e 8 (tábua). do curso. formas de avaliação (ver aula 12 – Planejar: para que. Sugerimos que você parta de um tema de seu interesse (relativo a Ciências ou Matemática). o planejamento dessa unidade contempla a tendência denominada “concepções alternativas e mudança conceitual”. Dependendo da disponibilidade de tempo e da criatividade do professor. Prática Agora é a sua vez! Chegou a hora de você tentar elaborar um planejamento para uma unidade de ensino. por que. Não queremos. pretende-se.) dentre as “tendências” estudadas nas aulas 9 e 10 deste curso. Ao trabalhar com esse enfoque. da escola etc. o tamanho das partículas etc. Nesse caso em particular (analogia da corrente elétrica com o movimento de pessoas). como?). denominada na aula 9 de “analogias e metáforas”. n  8 Aula 13 Didática . que sejam compatíveis com os materiais de que dispõe e adequados à realidade local. no entanto.. o professor deve ter sempre em mente a necessidade de apontar os limites de uma analogia.). muitas vezes. que pode servir de guia ou roteiro para iniciar o seu plano. ou seja. A unidade didática também privilegia o trabalho experimental.. descrevendo atividades específicas para um conjunto de aulas ou momentos pedagógicos. como o uso de novas tecnologias.). é claro que outras tendências poderiam ser exploradas no âmbito dessa mesma proposta. tal como apresentada na aula 9. Não esqueça de levar em consideração todos os itens característicos de um planejamento: objetivos. os pontos em que ela deixa de ser válida. O professor deve escolher enfoques que estejam de acordo com objetivos e planos maiores (da disciplina. de algum modo. fusíveis e chuveiros (atividade 3). descrição do conteúdo. há muitos aspectos que precisam ser esclarecidos para que o aluno não construa um modelo inadequado (por exemplo: a velocidade dos elétrons livres.

conceitos etc. leis.)? 5) Metodologia de trabalho / descrição da unidade n  n  n    Como o conteúdo será desenvolvido?   Em quantas aulas ou momentos?   Descrição detalhada das atividades de cada aula ou momento. 6) Formas de avaliação n    Como avaliar a aprendizagem dos alunos com a unidade de ensino? Aula 13 Didática 9 . 1) Tema n  n    Qual o tema escolhido?   É um tema / assunto relevante? Por quê? 2) Público alvo n    A quem a unidade de ensino se destina? 3) Objetivos (conteúdos.Roteiro simplificado para o exercício de planejar... procedimentos e atitudes) n  n    O que se pretende com essa unidade de ensino?   O que se pretende que os alunos dominem ao final dela? 4) Conteúdos n    Qual o conteúdo (científico e/ou matemático) a ser trabalhado (tópicos.

Tema escolhido Público alvo Objetivos (conteúdos. procedimentos e atitudes) Conteúdos 10 Aula 13 Didática .

Metodologia de trabalho / descrição da unidade Aula 13 Didática 11 .

12 Aula 13 Didática .

Aula 13 Didática 13 .

você pôde – a partir de um exemplo ilustrativo – exercitar a elaboração de um plano destinado a uma unidade de ensino. levando em conta os itens constituintes de um planejamento didático. Resumo Nesta aula. sugerimos a leitura da parte inicial do volume 3 da coleção do GREF (ver item “referências”). bem como a consulta ao material destinado a alunos.Formas de avaliação Leituras complementares Para aqueles que tiverem interesse específico no aprofundamento das atividades do planejamento apresentado como exemplo nesta aula. 14 Aula 13 Didática . bem como algumas das tendências didáticas atuais no âmbito da educação científica e matemática.

A. v. Aula 13 Didática 15 . L. reflita sobre as questões que seguem. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 2003. v. n.3. PACCA. et al. 5.2. 1993. J.Auto-avaliação Com base em tudo o que foi realizado nesta aula. 1 2 3 4 Os itens de um planejamento didático estão claros para mim? Tenho autonomia para planejar outras unidades de ensino? De que forma o que estudei até então me fornece subsídios para o planejamento completo de uma disciplina? Sou capaz de incorporar diferentes abordagens no preparo de minhas aulas? Referências GRUPO de Reelaboração do Ensino de Física – GREF.20. Corrente elétrica e circuito elétrico: algumas concepções do senso comum. Física 3: eletromagnetismo.ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

Anotações 16 Aula 13 Didática .