You are on page 1of 24

D I S C I P L I N A

Didática

Elaboração de um plano de ensino II
Autores
André Ferrer Pinto Martins Iran Abreu Mendes

aula

14

Governo Federal
Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário de Educação a Distância – SEED Ronaldo Motta

Revisoras de Língua Portuguesa Janaina Tomaz Capistrano Sandra Cristinne Xavier da Câmara Ilustradora Carolina Costa Editoração de Imagens Adauto Harley Carolina Costa Diagramadores Mariana Araújo Brito Adaptação para Módulo Matemático Thaisa Maria Simplício Lemos Imagens Utilizadas Banco de Imagens Sedis (Secretaria de Educação a Distância) - UFRN Fotografias - Adauto Harley MasterClips IMSI MasterClips Collection, 1895 Francisco Blvd, East, San Rafael, CA 94901,USA. MasterFile – www.masterfile.com MorgueFile – www.morguefile.com Pixel Perfect Digital – www.pixelperfectdigital.com FreeImages – www.freeimages.co.uk FreeFoto.com – www.freefoto.com Free Pictures Photos – www.free-pictures-photos.com BigFoto – www.bigfoto.com FreeStockPhotos.com – www.freestockphotos.com OneOddDude.net – www.oneodddude.net Stock.XCHG - www.sxc.hu

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Reitor José Ivonildo do Rêgo Vice-Reitor Nilsen Carvalho Fernandes de Oliveira Filho Secretária de Educação a Distância Vera Lúcia do Amaral

Secretaria de Educação a Distância- SEDIS
Coordenadora da Produção dos Materiais Célia Maria de Araújo Coordenador de Edição Ary Sergio Braga Olinisky Projeto Gráfico Ivana Lima Revisores de Estrutura e Linguagem Eugenio Tavares Borges Marcos Aurélio Felipe Pedro Daniel Meirelles Ferreira

Divisão de Serviços Técnicos Catalogação da publicação na Fonte. UFRN/Biblioteca Central “Zila Mamede”

Mendes, Iran Abreu Didática / Iran Abreu Mendes, André Ferrer Pinto Martins – Natal (RN) : EDUFRN – Editora da UFRN, 2006. 264 p. ISBN 85-7273-279-9 1. Ensino. 2. Aprendizagem. 3. Planejamento. I. Martins, André Ferrer Pinto. II. Título. RN/UFR/BCZM 2006/17 CDU 37 CDD 370

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser utilizada ou reproduzida sem a autorização expressa da UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Apresentação A aula anterior pretendeu ser uma espécie de síntese do curso. Esta aula é uma continuidade da anterior. assim como as especificidades de cada um. Serão apresentados outros exemplos de planejamento (de forma simplificada). compreendendo de que modo elas podem estar presentes no planejamento didático do professor. percebendo a existência de uma estrutura comum a ambos. 3 Aula 14 Didática  . no sentido de propiciar a você a oportunidade de colocar em prática boa parte do que aprendeu. elaborando um plano de ensino que levasse em conta as diversas etapas de um planejamento didático. Familiarizar-se com as diversas tendências da educação científica e matemática. E você terá – novamente – a oportunidade de planejar uma unidade de ensino a partir de um tema de seu interesse. considerando os diversos itens que envolvem o planejamento didático. Objetivos 1 2 Apresentar um plano referente a uma unidade de ensino. Esse exercício foi realizado tendo em vista determinadas tendências existentes no âmbito da educação científica e matemática (objeto de estudo das aulas 9 – Tendências em educação científica – e 10 – Tendências em Educação Matemática). procurando contemplar outras tendências ou abordagens da didática das Ciências e da Matemática. Comparar esse plano com o que já foi elaborado na aula anterior.

Tecnologia e Sociedade). Vejamos. Planejar uma intervenção didática nesse tipo de abordagem torna ainda mais fundamental o conhecimento da realidade local e do contexto próprio em que as atividades serão realizadas. mais particularmente. A idéia básica é que haja uma discussão em torno do tema – mais amplo – energia. um planejamento simplificado que parte de uma outra perspectiva: o enfoque CTS (Ciência. um exemplo possível de unidade de ensino que contemple essa temática e esse enfoque. então.  Aula 14 Didática . em nível regional e local. Escolhemos como tema “a energia e a realidade local”.Planejando numa perspectiva CTS N a aula anterior. explicitamos um exemplo de planejamento para uma unidade de ensino cujo tema era: “corrente elétrica e circuitos elétricos simples”. Privilegiamos uma abordagem experimental que trabalhasse também os modelos e concepções dos alunos. A escolha de um tema bastante específico permitiu a confecção de um plano relativamente detalhado. bem como o uso de analogias como estratégia didática. As possibilidades de atividades são realmente muito numerosas. nosso exemplo é muito mais genérico e simplificado do que o relativo à “corrente elétrica” e não deve ser visto como algo a ser aplicado a qualquer realidade. a seguir. a partir de um estudo sobre os diferentes tipos de fontes energéticas presentes em nosso país e. e o assunto permite uma rica exploração das relações entre ciência. muito menos de modo acrítico. Por isso. tecnologia e sociedade. Apresentaremos.

Aula 14 Didática  . Em termos de recursos. A idéia central é sensibilizá-los para a temática a ser trabalhada. o professor pode. Quais as causas desse fato? Há riscos de que isso venha a ocorrer novamente? O professor pode promover uma discussão com seus alunos em torno das questões colocadas acima. o Brasil passou por um período de racionamento de energia após um problema no fornecimento (episódio que ficou conhecido como “apagão”). fazer uso de recortes de jornais ou revistas que abordem elementos presentes nas questões colocadas. n  n  n  n  n    Que formas de energia estão presentes em nosso dia-a-dia?   Nosso município é produtor de alguma fonte de energia? Qual(is)? E o nosso estado?   Que formas de energia são utilizadas nas atividades produtivas de nossa cidade?   O que são “fontes alternativas de energia”?   Há poucos anos. por exemplo. Metodologicamente. sugerimos o trabalho em pequenos grupos. Sugerimos o início da unidade de ensino a partir de questões problematizadoras acerca do tema. num primeiro momento. Tema: A energia e a realidade local 1o momento Atividade 1: problematização inicial. do conhecimento de uma série de referências que viessem a subsidiar o trabalho do professor. num momento posterior.Exemplo Planejamento de uma unidade de ensino Este planejamento é simplificado. ao mesmo tempo em que algumas das visões dos estudantes sobre o tópico vêm à tona. e a realização de uma síntese coletiva da turma. como as que seguem. para sua aplicação. no sentido de que necessitaria.

Aspectos tecnológicos referentes à produção e distribuição da energia têm a oportunidade de serem explorados. Como continuidade natural da atividade anterior.2o momento Atividade 2: pesquisando a realidade local. iv) a origem da energia da região etc.   as diferenças regionais em relação à produção e consumo da energia. iii) o abastecimento energético da cidade. sugerimos que os alunos sejam orientados para a realização de uma pesquisa de campo. 3o momento Atividade 3: sistematizando o conhecimento. inclusive). assim como aspectos sociais – principalmente relativos ao consumo. os estudantes já estejam de posse de um conjunto significativo de informações acerca da problemática que envolve a energia em sua localidade. transcendendo a realidade local para discutir aspectos mais amplos que envolvem o tema.  Aula 14 Didática . O conhecimento da realidade local pode se dar de modo amplo. também. a essa altura. tais como: i) a energia dos alimentos que consumimos. a visitar determinados locais do município em busca de informações. há uma abertura para a estruturação de um projeto maior. por exemplo. Geografia. com o objetivo de estudar a realidade local em termos da produção. É interessante que uma parcela das informações resulte. de uma pesquisa de natureza bibliográfica. certamente oferecerá muitas “dicas” valiosas – em termos metodológicos. distribuição e consumo da energia. realizada em bibliotecas e/ou na Internet. que agregue disciplinas como História. Os alunos podem ser orientados. lembramos que o estudo da realidade local realizado na disciplina Educação e Realidade. incorporando os saberes produzidos em outros campos do conhecimento. Nesse sentido. seguindo um roteiro preestabelecido. ii) a energia presente em nossas residências. Sugerimos que o professor discuta com seus alunos. Podem ser formados diferentes grupos que abordem a questão energética sob diversos prismas. Consideramos que. neste curso. É o momento de sistematizar o conhecimento. Português etc. (Para o professor que se interesse em desenvolver uma atividade semelhante a essa com sua turma. Matemática. entre outros possíveis aspectos: n  n  n    as diversas formas de energia existentes.   os tipos de fontes energéticas usadas em nosso país.

n  n  n    o conceito (científico) de energia (aportes físico. trata-se de conceituar o termo “energia” de modo mais específico. encarregados de dar o veredicto final sobre a questão. Em ambos os casos.). Segue-se um debate coletivo. pode-se estabelecer algum tipo de “julgamento” da melhor proposta. Uma atividade que propicia o aprofundamento dos conhecimentos e a articulação das novas idéias é o exercício de um debate aberto sobre o tema. em que os argumentos de cada grupo são apresentados aos demais. elementos da cultura local etc. duas sugestões. Aula 14 Didática 5 . descrevendo suas características físicas (relevo.   o princípio de conservação da energia. é papel do professor orientar o debate. devem formular respostas alternativas a essas questões. comerciantes etc. 4o momento Atividade 4: articulação do conhecimento: primeiro debate. A idéia é que haja uma generalização daquilo que foi estudado localmente. As perguntas seriam: você é contra ou a favor da instalação da usina? Por quê? Nesse caso. Fornecemos. reunidos em pequenos grupos. jornais. fornecendo aos diferentes grupos subsídios para que eles possam desenvolver seus argumentos. b) O professor apresenta a seus alunos uma “manchete imaginária” de um jornal local que afirma: “Usina nuclear será instalada em nosso município”.). O professor pode fazer uso de textos – retirados de livros de divulgação científica ou mesmo de livros didáticos – e também de outras fontes. a seguir. químico e biológico).   a formulação matemática das relações que envolvem a energia. como filmes. a) O professor apresenta a seus alunos um “território imaginário”. justificando-as. vegetação etc. colocando a questão energética em termos mais abrangentes.) e sociais (indicadores sociais. Além disso. poder público municipal. distribuição e consumo da energia. revistas. O debate coletivo também deve conter a apresentação de argumentos de todas as partes. Um júri pode ser composto por outro grupo de alunos. associação de moradores. documentos oficiais etc. superando idéias de senso comum. os pequenos grupos de alunos podem representar os diversos interesses e grupos sociais envolvidos no problema (por exemplo: membros da Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN. clima. As perguntas seriam: quais as formas de energia mais adequadas para abastecer aquele território? Por quê? Os alunos. É uma ótima oportunidade para se trabalhar aspectos tecnológicos (como funciona uma usina nuclear? E uma usina hidrelétrica?) e sociais vinculados à produção. ecologistas. Caso haja interesse.

defendida pelo governo boliviano? Quais os interesses envolvidos?   Em que medida a transposição das águas do rio São Francisco afetará a distribuição de energia na região Nordeste? Que aspectos energéticos envolvem essa questão?   Países como Coréia do Norte e Irã desenvolvem programas nucleares que têm causado desconforto à Agência Internacional de Energia Atômica. científicos e tecnológicos?   A energia é democraticamente distribuída entre os povos? Qual o consumo per capita de energia de cada país/continente? n  n  n  n  n  Os alunos trabalhariam algumas dessas questões individualmente e. em grupos ou coletivamente com a turma.5o momento Atividade 5: articulação do conhecimento: segundo debate. Obviamente. Se fossem propostas hoje. em nosso país? O que significa a “nacionalização das reservas de gás”. Onde esse gás é usado. O que está em jogo. poderiam ser algumas das que seguem. 6 Aula 14 Didática . n  n    O que diz o Protocolo de Kyoto? Por que os EUA negaram-se a assiná-lo?   Qual a previsão atual para a duração das reservas mundiais de petróleo e gás natural? Que alternativas existem para elas?   Quais as vantagens e desvantagens de cada uma das chamadas “energias alternativas”?   O Brasil é o principal comprador do gás natural da Bolívia. em termos políticos. essas questões variam de época e lugar. em que os alunos terão a oportunidade de articular os conceitos e modelos aprendidos. a seguir. econômicos. O desfecho desta unidade de ensino pode se dar a partir da discussão de questões mais atuais relativas ao tema energia.

em sua opinião? Aula 14 Didática sua resposta 7 . responda às questões a seguir. a) Que objetivos você acredita serem almejados nessa unidade de ensino? (pense não apenas em termos de conteúdos. b) Para qual nível de ensino (e série) você considera a unidade adequada? Por quê? c) Que aspectos você destacaria no que diz respeito às questões metodológicas? d) Que formas de avaliação poderiam ser utilizadas para essa unidade.Atividade 1 Tendo em vista o planejamento apresentado como exemplo. mas de procedimentos e atitudes).

as intenções e abordagens metodológicas do professor devem compor um todo coerente. Sugerimos que o professor inicie a unidade de ensino comentando com os alunos sobre alguns problemas do dia-a-dia nos quais eles poderão perceber que há uma relação de interdependência entre duas grandezas. Vejamos o exemplo a seguir. ele deve organizar a turma em grupos e apresentar algum exemplo como: 8 Aula 14 Didática . a qual sugere uma outra abordagem dos conteúdos: resolução de problemas. que uma grandeza pode depender da outra. agora da área da Matemática. real ou não.Você deve ter percebido diferenças significativas entre o exemplo de planejamento didático trabalhado nesta aula e aquele discutido na aula anterior. do ponto de vista didático. Exemplo Planejamento de uma unidade de ensino Tema: Noção de função 1o momento Atividade 1: problematização inicial. Planejando numa perspectiva de resolução de problemas A seguir. apresentamos um outro exemplo de planejamento didático. adequado a cada situação de ensino em particular. proposto para o ensaio da noção de função. de modo a favorecer o levantamento e testagem de hipóteses. Afinal. A partir disso. o professor imprimiu uma ênfase investigatória à resolução de um problema. bem como a elaboração dos algoritmos possível na busca da solução do problema. ou seja. Nesta abordagem didática. É importante que reflita acerca dessas diferenças.

o professor deve elaborar questões como as que seguem. u Cada sanduíche custa R$2.. quadrado. os alunos concluirão que a tabela ficará da seguinte maneira: n q (R$) 0 0 1 2. o professor poderá apresentar aos estudantes situações geométricas nas quais sejam evidenciadas algumas relações de interdependência entre os lados de um polígono regular (triângulo eqüilátero. Assim. pentágono. perguntar aos grupos que valores podem ser atribuídos à variável n. a partir dos dados da tabela. 2o momento Atividade 2 Nesta atividade. 20 50 78 . e tirem conclusões sobre os resultados apresentados. vende sanduíches à noite. para ter dinheiro para suas despesas. n Em seguida. Em seguida. A partir da problematização.. e) Para finalizar esta etapa. o professor deve lançar aos estudantes alguns questionamentos..00. justificando a resposta. a) O que acontece com o perímetro y quando aumentamos a medida do lado de cada polígono? b) O perímetro y depende de que? c) Existe uma lei de correspondência que relacione o perímetro y ao lado l de cada polígono? Aula 14 Didática 9 .n    m estudante.00 2 3 4 5 . o professor poderá solicitar que cada grupo de estudantes construa uma tabela relacionando o número de sanduíches (n) à quantidade arrecadada na venda (q).. confrontando-as. na porta da sua casa. c) As variáveis dessa situação são n e q.. q varia à medida que n varia ou n varia à medida que q varia? d) Solicitar que os grupos apresentem suas respostas. Nela. escreva uma sentença matemática que relacione essas duas grandezas. a) De que depende a quantia arrecadada na venda de sanduíches? b) Se n é o número de sanduíches vendidos e q o total arrecadado. entre outros) e seu perímetro.. como os seguintes.

chama-se domínio da função. c) para o lado l R*+. procurando discuti-los em grupo e solicitar a orientação do professor sempre que for necessário. y = 4l. y = 4l e y = 5l. d) na lei de correspondência y = 3l . l é denominada variável independente e y denominada variável dependente. existe um e somente um y correspondente a esse l. a lei de correspondência é dada por y = 3l. e) o conjunto R*+. y = 5l e que todas definem uma função. f) o conjunto R*+. Após algumas reflexões sobre essas conclusões. o quadrado e o pentágono possam existir. b) a variável l tem que pertencer ao conjunto R*+ para que o triângulo. ao qual l pertence. pois. é denominado conjunto imagem da função. se aumentarmos a medida do lado. ao qual y pertence.d) Qual é essa lei de correspondência para cada tipo de polígono? e) A medida de l pode ser um número negativo? Por quê? f) A medida de l pode ser igual a zero? Por quê? g) A medida de l pode ser um número real positivo? Por quê? O professor pode pedir aos grupos que apresentem suas respostas às questões lançadas a fim de que sejam discutidas por toda a turma. de modo que o professor possa chegar às seguintes conclusões: a) para cada polígono. o professor deve propor que os alunos continuem os estudos a partir da resolução de exercícios propostos. 10 Aula 14 Didática . o perímetro aumenta proporcionalmente.

Atividade 2 a)  Com base nas atividades apresentadas na unidade de ensino de noção de função. b)  Para qual nível de ensino (e série) você considera a unidade adequada? Por quê? c)  Que aspectos você destacaria no que diz respeito às questões metodológicas? d)  Em sua opinião. quais formas de avaliação podem ser utilizadas para essa unidade? b) c) d) Aula 14 Didática sua resposta 11 a) . mas de procedimentos e atitudes). indique quais objetivos podem ser alcançados a partir dela (pense não apenas em termos de conteúdos.

por que. Sugerimos que você considere uma das abordagens apresentadas nesta aula como exemplo. leis. descrevendo atividades específicas para um conjunto de aulas ou momentos pedagógicos. ou seja. descrição do conteúdo.. aspectos metodológicos. Leve em consideração todos os itens característicos de um planejamento: objetivos. 1) Tema n  n    Qual o tema escolhido?   É um tema / assunto relevante? Por quê? 2) Público alvo n    A quem a unidade de ensino se destina? 3) Objetivos (conteúdos.. conceitos etc. formas de avaliação (ver aula 12 – Planejar: para que. Ele pode servir de guia ou roteiro para iniciar o seu plano. Observe o quadro a seguir. como?). a “perspectiva CTS” ou “resolução de problemas”.Prática Agora é – novamente – a sua vez! Escolha uma temática de seu interesse (relativa a Ciências ou Matemática) e elabore um planejamento para uma unidade de ensino. procedimentos e atitudes) n  n    O que se pretende com essa unidade de ensino?   O que se pretende que os alunos dominem ao final dela? 4) Conteúdos n    Qual o conteúdo (científico e/ou matemático) a ser trabalhado (tópicos. Roteiro simplificado para o exercício de planejar.)? 5) Metodologia de trabalho / descrição da unidade n    Como o conteúdo será desenvolvido? 12 Aula 14 Didática .

6) Formas de avaliação n    Como avaliar a aprendizagem dos alunos com a unidade de ensino? Tema escolhido Público alvo Objetivos (conteúdos. procedimentos e atitudes) Aula 14 Didática 13 .n  n    Em quantas aulas ou momentos?   Descrição detalhada das atividades de cada aula ou momento.

Conteúdos Metodologia de trabalho / descrição da unidade 14 Aula 14 Didática .

Aula 14 Didática 15 .

16 Aula 14 Didática .

Aula 14 Didática 17 .

exercitou a elaboração de um plano destinado a uma unidade de ensino. você pôde observar. outros exemplos de planejamento didático. 18 Aula 14 Didática . A partir deles. nesta aula.Formas de avaliação Resumo Dando continuidade à aula anterior. considerando abordagens semelhantes àquelas trabalhadas nos exemplos.

M. no que se refere ao planejamento efetivo das aulas? Referências Delizoicov. A cidadania na “voz” dos manuais escolares. L.Auto-avaliação Com base em tudo o que foi realizado nesta aula. Lisboa: Livros Horizonte. 2001.. i. J. D. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. reflita sobre as seguintes questões. Porto Alegre: Sulina. nuÑez. Aula 14 Didática 19 . B. M. E. Santos. São Paulo: Cortez. A. 2002. Fundamentos do ensino-aprendizagem das ciências naturais e da matemática: o novo ensino médio..). M. Pernambuco.. 1 2 3 4 5 Os itens de um planejamento didático estão claros para mim? Tenho autonomia para planejar outras unidades de ensino? De que forma o que estudei até então me fornece subsídios para o planejamento completo de uma disciplina? Sou capaz de incorporar diferentes abordagens no preparo de minhas aulas? Compreendo as diferenças básicas entre as abordagens apresentadas como exemplos. (Orgs. RAMALHO. 2004. b. Angotti.

Anotações 20 Aula 14 Didática .