You are on page 1of 2

Conceito: ele usa conceito de soberania tanto para definir o Estado quanto para justificar a legitimidade do poder sobre

os indivíduos. Assim, definiu soberania como o “poder perpétuo e absoluto de uma República”.

Pode-se destacar dois atributos da soberania: o caráter perpétuo e o caráter absoluto: Perpetuidade um Estado ou a república não poderá ser soberana, se esta for limitada pelo tempo. Monarquia hereditária. Absolutismo  Existem quatro características principais no poder soberano: Superior: soberano não pode ser inferior ou mesmo igual aos outros poderes; Independente: plena liberdade de ação; Incondicionado: desvinculado de qualquer obrigação; Ilimitado: ilimitado em relação às leis civis positivas, mas limitado ao direito natural, que são as leis divinas, naturais e certas leis humanas comuns a todos os povos. Bodin propunha adaptar os estudos do direito a novos métodos filológicos e históricos, que permitissem aos alunos de direito ter bagagem cultural para interpretar corretamente as leis, com olhar mais humanista. Com isso, Bodin se aproxima de movimento que buscava aproximar o direito da época ás “autênticas leis romanas”, livre das deturpações medievais.
Estado de Natureza Locke acredita que o homem é anterior á sociedade e ao Estado, ou seja, o estado de natureza é algo real e que a maioria do seres humanos passou por ela. estado de paz e harmonia com homens dotados de razão e consumidores da liberdade e dos direitos naturais Para Hobbes, o estado de natureza é um estado de guerra, insegurança e violência Propriedade Hobbes acredita que a propriedade só existe no estado civil, e que é uma criação do Estado-Leviatã, no estado de natureza a questão da propriedade é inexistente. Locke acredita na propriedade sendo, assim como o estado de natureza, anterior a sociedade. Assim, podemos dizer que a propriedade é um direito natural e inviolável. Contrato Social Para Locke é justamente fazer a transição do estado de natureza para o estado civil, onde, por meio dele, e independente da forma de governo, estariam preservadas as propriedades e a comunidades de conflitos internos e externos. o contrato social assume um papel de pacto de consentimento em que os homens concordam em construir a sociedade civil com a finalidade de preservar e consolidar os direitos naturais. “todo o governo não possui outra finalidade além da conservação da propriedade”. Em sua estrutura de sociedade, o poder legislativo é o poder supremo haja vista que esse é escolhido pela maioria. Além disso, é importante salientar que nessa organização dos poderes, o poder legislativo subordina os poderes executivo e federativo. O livre consentimento dos indivíduos para a organização da sociedade civil, formação do governo, e a disposição dos poderes são, para Locke, os principais fundamentos do estado civil. Para Hobbes o contrato é uma espécie de pacto de submissão onde os indivíduos se submetem a um terceiro (homem ou assembléia). Hobbes vê o contrat social como a solução para a superação tanto da violência como da insegurança coletiva existentes no Estado da Natureza e como o alicerce da constituição do corpo político - o Estado - necessário a sobrevivência do Homem em Sociedade. Contudo, o pacto social, para Hobbes, só é obrigatório e legitimo se alcança plenamente o fim para o qual foi firmado: a segurança e o bem-estar da Coletividade. Neste sentido, o titular da Soberania - o Estado Absoluto - é legítimo na medida em que garante a paz e o bem comum à todos que vivem sob sua égide.