You are on page 1of 25

1

FACULDADE MADRE THAÍS

SANDRA ARGÔLO, MAYCON HOFFMAM, THALITA MACIEL, GILBERTO FONTES, RAPHAEL ARGÔLO E DANILO CAMPOS

PORTO DE ITAGUAÍ - RJ

ILHÉUS – BAHIA 2012

2

SANDRA ARGÔLO, MAYCON HOFFMAM, THALITA MACIEL, GILBERTO FONTES, RAPHAEL ARGÔLO E DANILO CAMPOS

PORTO DE ITAGUAÍ - RJ

Trabalho apresentado para o 2º crédito, do curso de Logística e Modais de Transporte, à Faculdade Madre Thaís. Prof. André Argôlo

ILHÉUS – BAHIA 2012

3 INTRODUÇÃO Durante o ano de 1997. Este empreendimento deverá ter importantes reflexos diretos na região Oeste da Área Metropolitana do Rio de Janeiro e nos municípios vizinhos. a DOCAS leiloou parte dos seus terrenos na Ilha da Madeira para a instalação de um novo terminal de minério de ferro para o porto. coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro. está investindo cerca de US$ 130 milhões. em equipamentos e obras de adequação de . Em 2011. localizado no Porto de Itaguaí.4 milhões para ampliar a capacidade operacional do porto.1999 ). com a execução de obras de dragagem nos 22 Km de extensão do canal de acesso. bem como. Dentre os principais trabalhos. o Governo Federal realizou investimentos no valor de R$ 351. → “Porto de Sepetiba: Cenários. buscando identificar suas principais informações. a implantação da infraestrutura básica do terminal de grãos e mais um terminal de minério de ferro . e por consequência do mercosul. pode-se destacar dois de maior vulto: → “Macroplano de Gestão e Saneamento Ambiental da Bacia da Baía de Sepetiba”. Como uma das 42 obras do Programa Brasil em Ação ( 1996 . o projeto de modernização do Porto de Sepetiba era um dos centros das atenções no Estado do Rio de Janeiro. Num breve histórico falaremos do Porto de Itaguaí identificando o ambiente no qual se situa. devido às expectativas de o porto tornar-se elemento dinamizador da economia da baía de Sepetiba. O terminal de contêineres do Grupo CSN. Desde então o atual Porto de Itaguaí tem sido objeto de vários estudos e projeções que visam caracterizá-lo como o grande portal da região Sudeste do país. em diversas áreas de conhecimento. destinado principalmente à movimentação de contêineres e produtos siderúrgicos. Impactos e Perspectivas”. no resto do Estado do Rio e no Brasil. Segue-se uma exposição das características e falando dos projetos de ampliação. o objetivo foi pesquisar o Porto de Itaguaí. Embora existam dados mais atualizados do que os que foram aqui examinados. a implantação da infraestrutura básica do terminal de uso múltiplo. A ampliação do porto de Sepetiba foi tema de vários estudos. projeto interinstitucional realizados por pesquisadores da UFRJ e UFRRJ. com financiamento do FINEP.

4 seu cais acostável. seu cais contínuo passará dos atuais 540 metros para 810. Com isso. e a capacidade de operação de contêineres irá subir dos atuais 400 mil para cerca de 900 mil TEUs (contêineres de 20 pés ou equivalentes). .

pois Sepetiba também é o nome de um bairro da cidade do Rio de Janeiro. uma campanha para a mudança do nome para "Porto de Itaguaí" foi feita e a prefeitura atual passou a usar. ou seja. enrocamento e aterro hidráulico. A Companhia Portuária Baía de Sepetiba (CPBS) deu início a suas operações em setembro de 1999 e em 2002 a Vale passou a gerenciar o Terminal. A despeito disso. gerando empregos. principalmente. O porto foi inaugurado em 7 de maio de 1982. O governo do então estado da Guanabara em 1973 promoveu estudos para a implantação do porto de Sepetiba. a implantação do porto ficou a cargo da Companhia Docas do Rio de Janeiro. Com a fusão dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro.5 HISTÓRICO O porto tinha o seu nome original. de 31 de março de 2005. amparado pela Lei Estadual nº 4. a cidade do porto". porém havia alguma confusão nesse caso. a Baía de Sepetiba. Sua importância econômica na região da Costa Verde se faz presente de forma direta. ao complexo industrial de Santa Cruz (RJ). Nos últimos anos. Em um raio de pouco mais de 500 km estão situados os agentes produtivos responsáveis pela formação de cerca de 70% do PIB brasileiro. teve seu nome trocado definitivamente para Porto de Itaguaí. Isso causava aos moradores de Itaguaí um certo descontentamento. e de forma indireta. As obras de construção do píer foram iniciadas em 1976. O investimento de maior relevância no entorno portuário. Porto Concentrador de Cargas do Atlântico Sul. é a . por conta da baía onde ele se situa. seguidas em 1977 pela dragagem. atraindo indústrias que necessitam receber e enviar cargas. o que fazia a alguns pensar que o porto se situa no Bairro de Sepetiba (que também é costeiro e está situado na mesma baía). a maior parte da população da cidade e os meios de comunicação continuam a chamá-lo pelo nome antigo. como slogan. "Porto de Sepetiba". destinado a atender. em 15 de março de 1975. segundo projeto de lei sancionado pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva. a frase: "Itaguaí.529. pois era interessante ter uma associação direta entre o nome da cidade e sua maior fonte econômica. Em 2006. com a operação dedicada à descarga de alumina e carvão. Pretende ser o primeiro Hub Port. da ordem de US$ 5 bilhões.

6 implantação da Companhia Siderúrgica do Atlântico .CSA. correspondente a US$ 1 bilhão em vendas anuais. em local denominado Campo de Marte. . os custos dos fretes. além de uma usina termoelétrica e uma planta de oxigênio. concorrendo para o recolhimento de Imposto de Renda sobre a folha de pagamento da ordem de R$ 400 milhões. em apoio ao crescimento da demanda de comércio exterior. G e Vale do Rio Doce . Estima-se que em sua fase de operação o complexo siderúrgico venha aumentar as exportações brasileiras de aço em 40%. empreendimento das empresas Thyssenkrupp Stahl A. A intervenção programada para o Porto de Itaguaí visa à dragagem no canal de acesso aos terminais da CSA (Trecho 5). S/Nº. e de R$ 45 milhões por ano sobre a folha de pagamento na fase de operação.Itaguaí. RJ . Está a uma distância de 80 km do centro da cidade do Rio de Janeiro e a 400 km de São Paulo. que representam 70% do Produto Interno Bruto do país. Assim. com aproximadamente 9 milhões de m². atende aos principais mercados consumidores.Brasil . em: 22 ° 56'09 "S e 43 ° 49'46" W no lado sul da Ilha da Madeira. constando de planta integrada para siderurgia. por consequência. está localizado na Estrada Prefeito Wilson Pedro Francisco. O Porto de Itaguaí tem localização geográfica estratégica. LOCALIZAÇÃO O Porto de Itaguaí.CVRD. composta ainda de um terminal portuário que fará a ligação do ponto de atracação dos navios com a planta no terreno. Espírito Santo. Sua área de influência compreende os estados do Rio de Janeiro. no bairro de Santa Cruz. parte da região Centro-Oeste e até parte do estado de São Paulo. entre a Ponta de Castelhanos na Ilha Grande e Ponta fazer Arpoador na Ilha da Marambaia onde tem a restinga como embate natural. durante os 2 anos de construção.CEP 23825-410. Esta privilegiada localização beneficia os tempos de transporte e. A indústria foi construída em terreno localizado no Município do Rio de Janeiro. cerca de 20 milhas marítimas da Baía de Sepetiba. Minas Gerais. aprimorando o acesso marítimo ao terminal.

funcionando como uma via de acesso ao município de Itaguaí. na direção sul. ligando a RJ-099 até a BR-040. a rodovia BR-493. Goiás e Distrito Federal. em estudo. faz-se a ligação com os estados de Minas Gerais. e através da BR-040 (Rio-Juiz de Fora). BR-116 Presidente Dutra). a Avenida Brasil. foram privatizadas em regime de concessão e são de pista dupla pavimentada. através dos municípios de Nova Iguaçu e Belford Roxo (RJ). à BR-040 (RioJuiz de Fora). principal ligação entre as regiões Sul. antiga Rio-São Paulo chega-se à rodovia Presidente Dutra (BR-116). A RJ-105 liga a antiga estrada Rio-São Paulo. Sudeste e Nordeste. Terá papel fundamental na conexão do porto com a malha rodoviária. A Rodovia estadual RJ099 faz a ligação entre a BR-101 e a antiga Rio-São Paulo. Na Avenida Brasil. acessam-se as regiões de Angra dos Reis e a Baixada Santista e. Representação dos Acessos Terrestres ao Porto de Itaguaí. na direção norte. contornando a região Metropolitana do Rio de Janeiro e descongestionando os acessos ao Porto de Itaguaí. a BR-116 e a BR-040. BR-040(Rio-Juiz de Fora) e BR465 (antiga Rio-São Paulo) e as rodovias estaduais RJ-099 e RJ-105. . permitindo-se atingir as regiões CentroOeste e Norte. A partir dela. através da BR-465. A BR-101 é o acesso principal ao Porto de Itaguaí. As principais rodovias de ligação.7 Acessos As principais ligações da atual malha rodoviária são as rodovias federais BR101 (Rio-Santos).

atendendo em particular ao triângulo São Paulo. de bitola estreita (1. O Canal de Acesso (Carta 1623). tais como cais. no Estado do Rio de Janeiro. estende-se desde a Ponta dos Castelhanos na Ilha Grande e a Ponta do Arpoador na Restinga de Marambaia por cerca de 22 milhas com profundidade média de 22 metros e variando entre 300 e 180 metros de largura.8 O acesso ferroviário direto é feito a partir do pátio de Brisamar. numa extensão de 1. alínea “a” da Constituição. e de duas outras empresas que operam na região Centro – Oeste. incisos IV e VI. através do canal sul de Martins. no Rio de Janeiro. com 32. Dispõe sobre a definição da área do porto organizado de Itaguaí. A partir dessa estação. 1º a área do porto Organizado de Itaguaí.5 Km em linha tripla. de 4 de setembro de 2001. Se considerarmos como referencial a Ilha Guaíba. que atende ao restante dos estados de Minas Gerais. píeres de atracação. é de especial importância para o atendimento ao Porto de Itaguaí. A partir de Japeri a linha tronco Rio – São Paulo.Logística S/A.217-3. é constituída: I – pelas instalações portuárias terrestres no Município de Itaguaí. edificações em .. no estado do Rio de Janeiro.60 m) interligam-se com a Malha Sudeste da MRS.A. pátios. Conexões interferroviárias são realizadas através da Ferrovia Paulista S. no Estado do Rio de Janeiro. Área de Porto Organizado DECRETO DE 10 DE MAIO DE 2007. Dentro da Malha Sudeste. 5º da Medida Provisória no 2. o canal se estenderá por 12 milhas com largura variando entre 200 e 180 metros e 15 metros de profundidade mínima.9 quilômetros de extensão. Art. arrendada à Ferrovia Centro-Atlântica. e a Malha Centro–Leste. 84. próximo à cidade de Itaguaí. atendendo a todo o interior do estado de São Paulo. interliga as regiões metropolitanas dessas cidades e atravessa todo o vale do Paraíba. a partir de São Paulo e Jundiaí. Rio de Janeiro e Belo Horizonte. O porto de Itaguaí está 60 km do aeroporto Tom Jobim e a 80km do Santos Dumont. Art. Bahia e Goiás e ao Distrito Federal. o ramal Japeri – Brisamar. armazéns. e tendo em vista o disposto no art. as linhas férreas em bitola larga (1.00 metro).

: (21) 2253-1540 jorge. 3º A administração do Porto de Itaguaí fará a demarcação em planta da área definida neste Decreto.gov. nela compreendida o canal de acesso. e terrenos ao longo das faixas marginais.gov. Brasília. e quais imóveis poderão ser objeto de futura desapropriação. A área do porto Organizado de Itaguaí consta de um canal marítimo contínuo desde seu acesso a oeste da Ilha da Marambaia e ao sul da ilha Guaíba (Pontos 1 e 33). FORMA DE ADMINISTRAÇÃO O porto é administrado pela Companhia Docas do Rio de Janeiro . Diretoria e administração do porto: Diretor e-mail: Presidente: Jorge Luiz de Mello – Tel. vinculada diretamente à Secretaria de Portos da Presidência da República.luna@portosrio.9 geral. Art. 10 de maio de 2007. incorporados ou não ao patrimônio do Porto de Itaguaí. 4º Este Decreto entra em vigor na data da sua publicação. e II – pela infraestrutura de proteção e acessos aquaviários. Art. voltando pelo mar. seguindo na parte terrestre o contorno da área de domínio útil da Companhia Docas do Rio de Janeiro – CDRJ até a foz do canal Martins.br Diretor de Engenharia e Gestão Portuária – Danilo Luna – Tel. prosseguindo até o início do mesmo.CDRJ.br . junto à Agencia Nacional de transportes Aquaviários – ANTAQ definirá quais equipamentos serão construídos na área de expansão.mello@portosrio. abrangidos pela poligonal da área do porto organizado. ao longo do limite leste estabelecido no sentido norte-sul. uma sociedade de Economia Mista. 186º da Independência e 119º da república. O Ministério dos Transportes. Art. descrita nos Anexos deste Decreto. as bacias de evolução e as áreas de fundeio. 2º A área do porto Organizado de Itaguaí tem sua poligonal descontínua.: (21) 2219-8555 e-mail: danilo. abrangendo a área projetada de expansão a oeste do atual terminal de contêineres. contornando-o até atingir o lado direito do canal marítimo principal. Parágrafo único. até encontrar o canal secundário de acesso à Companhia Siderúrgica do Atlântico – CSA. vias e passeios.

br A Superintendência do Porto de Itaguaí é responsável pela definição.10 Diretor de Administração. Finanças e Recursos Humanos – Ailton Dias – Tel.: (21) 3781-1940 e-mail: alexandreneves@portosrio.dias@portosrio.: (21) 2219-8557 e-mail: ebarbosa@portosrio.gov. integração. coordenação e controle dos seguintes Processos Operacionais: Desenvolvimento da Logística de Operação Portuária Terrestre Desenvolvimento da Logística de operação Portuária Marítima Aplicação de Penalidades Gestão Operacional de Terminais Arrendados Inspeção de Movimentação de Carga Preparo e Controle de Informações para Faturamento Coleta de Dados Fiscalização da Operação Portuária Controle do Tráfego de Navios Programação e Autorização do Tráfego de Navios Realização de Serviços de Manutenção e Conservação Locação de Equipamentos Manutenção de Equipamentos Homologação de Equipamentos .gov.gov.: (21) 2219-8559 e-mail: ailton.br Superintendente do Porto de Itaguaí: Alexandre das Neves Pereira – Tel.br Diretoria de Planejamento e Relações Comerciais – Eliane Pinto Barbosa – Tel.

faixa de 32m de largura. em dolfins.A: Um dos principais terminais de contêineres do país. o Sepetiba Tecon oferece moderna infraestrutura. todos com 270m de comprimento e 14. Possui um píer de 810m de comprimento. Tecon S. consolidação e desconsolidação de cargas e produtos siderúrgicos e 45.1919951995 .000 m².5m de profundidade. Tem de área total pavimentada 400.000 m² onde opera o terminal de Contêineres Bazios (DEPOT). instalações.000m² e dotado de três berços de atracação.11 INSTALAÇÕES O cais de uso público está dividido em trechos arrendados: · Sepetiba Tecon S.000 m² de área coberta total no CFS para armazenagem.1995 . retroárea de 200. sendo um deles descontínuo.000 TEU`s sem restrições. Capaz de receber e operar navios de até 8. 30.A – ONTEM . serviços e capacidade superior à dos terminais nacionais.

10m.A. 39. para atracação de navios com capacidade de até 230.000 t.600 m² cada e capacidade total para estocagem de minério de ferro estático de 1. em dolfins. medindo 320m de comprimento. · TM1 (Terminal de Minério) – Cia. Para a exportação de minérios o Tecar possui dois pátios descobertos com aproximadamente 93.200m² cada.000 TPB. O tecar possui quatro pátios descobertos com aproximadamente 35. .800m² destinados à importação de carvão. a capacidade é de 550. simultaneamente.200. coque e outros granéis. um navio CapeSize e um Handy Max ou dois navios Panamax. (CPBS): Dotado de berço de atracação descontínuo.12 Tecon – HOJE.25m de largura. Portuária Baía de Sepetiba S.000 t de carvão. dotado de dois berços de atracação em cada face e profundidade de 18. área total de 140. Dispõe de condições para receber.2012 · Tecar (Terminal de Carvão) – Companhia Siderúrgica Nacional: Com 540m de comprimento. Para estocagem estática.

nº 006/93 Empresa: Minerações Brasileiras Reunidas S/A. com pátios de estocagem e retroárea. São quatro pátios com capacidade total de estocagem de 1.630 t.: Compreende dois silos verticais. estocagem de 1.000 t. Possui um sugador fr 300 t/h e 2 silos ara 15 t. Fora do Cais Terminal de uso privativo. tem capacidade de embarque de 10.000 t/h.MBR (Mangaratiba-RJ) da CVRD. · TA (Terminal de Alumina) – Valesul Alumínio S.A.A. . com um total de 3. C.500. para alumina.000.000 t/ano. Terminal da Ilha Guaíba. correspondendo a uma capacidade estática total de 30.000 t e peneiramento (seco e úmido) de 4.500. .508m².13 O Terminal de minério de ferro. grãos e produtos siderúrgicos.

600 t/h.500 t/h e 15 km de extensão.400 t/h.800 t/h Carregamento (Ship Loader) 143m de lança de 10.500 t/h. Ministérios da Agricultura e Saúde e Banco do Brasil. 1 linha de correia transportadora de 4. 1 linha de correia transportadora com 14 km de extensão.000 t/h 2 empilhadeiras de 8. .000 t/h Sepetiba TECON 4 portêineres Super post Panamax (19 fileiras) 2 transtêineres sobre pneus 2 guindastes móveis 9até 100 toneladas) 14 reach-stackers 22 empilhadeiras 31 carretas 448 tomadas frigoríficas TECAR – CSN Equipamentos para importação de carvão e outros granéis: 3 descarregadores de navios. suportando até 17.900 t/h Exportação de Minério 1 carregador de navio: CN1 com capacidade de 17. 2 empilhadeiras/recuperadoras com capacidade de 8.800 t/h.600 t/h. 2 empilhadeiras de 4. Possui 7 km de extensão de ramais ferroviários.500 t/h e (DN4) com capacidade de 800 t/h.14 O porto de Itaguaí conta ainda com uma Área Institucional com bases locais da Alfândega.000 t/h. (DN1) com 2.000 t/h 2 recuperadores de 5. (DN2) com 1. 1 estação de carregamento de vagões de 5. EQUIPAMENTOS CPBS – Companhia Portuária Baía de Sepetiba: 1 virador de vagões para 8.000 t/h Peneiramento de 1. 2 recuperadoras de 3.

800 t/h.630 t 1 sugador de 300 t/h 2 silos para 15.000 t Estrutura de Apoio Energia elétrica: 448 tomadas para contêineres refrigerados.A. São dois silos verticais.508m². Sulnorte. Praticagem: Rio pilots e Sindipilots S/C. Wilson Sons e Saveiros. total de 3. por solicitação. Rebocadores: Tranship. Água: abastecimento dos navios é feito por chatas. Camorim. Terminal de Alumina – TA – Valesul Alumínio S. MBR. tem capacidade estática de 30.15 1 virador de vagões de até 8. para alumina. .

que apresenta um forte gargalo: a descida da Serra das Araras. O longo canal de acesso. Entre outros projetos terão: Conclusão dos serviços de aprofundamento do canal de acesso. Terminais portuários para movimentação de minério de ferro e granéis líquidos. Coque de hulha e outros. E exporta minério de ferro através de seu Terminal de Minério. Alumina. que recebe toda a alumina destinada . Cargas Movimentadas Principais cargas – Importação: Carvão. a ligação continuará a ser feita pela Via Dutra. Seus principais usuários são a CSN e a FERTECO. ao Norte. o Porto de Itaguaí.16 Projetos em Expansão: Com o novo arco rodoviário. um trecho de curvas fechadas. O terminal de contêineres de Itaguaí elevará sua capacidade para 1. Produtos Siderúrgicos. Obras de melhorias dos acessos rodoviários. Produtos siderúrgicos. passará dos atuais 14 metros para 20 metros. Principais cargas – Exportação: Minério de ferro. Em escala significativamente menor tem-se a VALESUL. No aguardo de aprovação final da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). com capacidade máxima anual de 25 milhões de toneladas. Ao Sul. Implantação de empreendimentos industriais. será mais competitivo para cargas do Norte Fluminense e até de Minas Gerais. onde carretas mal conseguem se equilibrar. Também em Itaguaí está sendo feita dragagem. de 30 km. E a FERTECO embarca o seu minério de ferro destinado a exportação. Carga Conteineirizada. O Porto de Itaguaí vem movimentando cargas com características bem específicas. espera-se que em junho a CDRJ licite um novo terminal de granéis sólidos. com auxílio de pátio regulador do transporte rodoviário.4 milhão de TEUs anuais. A CSN recebe o carvão metalúrgico e o coque utilizado no abastecimento de seus altos fornos em Volta Redonda. Implantação de centros de carga na hinterlândia. Carga Conteineirizada.

070. Movimentação de Navios Os navios que demandaram ao porto de Itaguaí até 1989. depois de concluída em 2002 a dragagem.72% desde total. Atualmente o porto. de 140 a 180 metros de comprimento e com 8 a 10 metros de calado. o calado atual na face sul (berço carvão).000 TPB. Segundo dados obtidos junto a Cia Docas do Rio de Janeiro. A movimentação de veículos totalizou 7. e cabe registrar algumas cargas que são ou já foram importadas em menor escala. em sua planta industrial instalada no bairro de Campo Grande no Rio de Janeiro. foram graneleiros. que é destinada a SCS. . dos quais 73. através do Terminal do Carvão. elaborado pelo setor de estatística. a importação de caulim para a Fábrica brasileira de catalisadores. ano do início das operações do Terminal de Minério. Movimenta também pelas mesmas instalações do carvão volumes significativos de coque de petróleo destinado á Petrobrás. Predominam até hoje para transporte de carvão e coque os navios de 225 a 245 metros de comprimento e 12 a 14 metros de calado. destinada a Cia Siderurgíca Guanabara.328 toneladas.7% destinaram-se a exportação e 34. é de 16. a importação de enxofre que eram destinadas a Bayer.708 unidades. A movimentação de carga geral totalizou 1. Aracruz Celulose e Pan Americana.722. No píer onde se localizam os Terminais de Carvão e Alumina.0 metros e 12.000 a 75. com capacidades de 60. tais como: o carvão energético que Ra procedente da região sul e destinado as industriais cimenteiras localizadas em sua maioria nos estados do Rio de Janeiro e Minas. a sucata. Todos os terminais do porto ainda operam abaixo de sua capacidade instalada. no ano de 2007 a movimentação de granéis do porto totalizou 19. desenvolveu uma estrutura própria para movimentação de enxofre que é destinado a Galvani e para a Barrilha. sendo que a exportação de produtos siderúrgicos da CSN 98. Para o transporte de alumina utilizam-se navios menores.17 à produção de alumínio.3% à importação. em geral do tipo Panamax e Handy-size.0 metros na face norte (berços alumina e barrilha).752 toneladas.

000 tons e. este foi projetado para navios até 70. Dentre os 10 maiores portos organizados. . não chegou haver queda da quantidade de toneladas de cargas movimentadas. Em 2010 o ritmo de crescimento voltou a se intensificar.38% em relação ao mesmo período do ano de 2011. Suape (17. já operam navios com capacidades de 230.7 milhões. houve crescimento na movimentação de carvão mineral e minério de ferro.000 tons. Apesar da redução na movimentação de alumina. Itaqui (12. o que impulsionou a movimentação total de cargas nos últimos três anos. como apontado anteriormente. No acumulado do ano. os navios operados na primeira fase.9%). carvão metalúrgico. Atualmente tem recebido para exportação de siderúrgicos os navios da classe handy-size com até 180 metros e para movimentação de contêineres os da classe 3. contêineres e produtos siderúrgicos entre 2008 e 2010. foram os Cape-size de 180. No segundo trimestre do ano de 2012 os portos organizados movimentaram aproximadamente 80 milhões de toneladas de carga bruta.7%) e Itaguaí (12%).18 No terminal de minério. atualmente.000 TPB e portas-contêineres da Classe Panamax com 4. Volume de Carga Movimentada Desde 2008 o Porto de Itaguaí não apresenta queda na quantidade de cargas movimentadas.50 metros.7%). no acumulado do ano.400 TEUs com 266 metros. Os portos organizados foram responsáveis pela movimentação de 69 milhões de toneladas de cargas no segundo trimestre. Quanto ao terminal de Contêineres.500 TEUs. expansão de 15. coque de hulha. essa movimentação chegou a 136. Apesar de ter o ritmo diminuído. até a complementação do calado de 17. destacam-se as variações positivas de Vitória (40.

que no período em questão apresentaram crescimento expressivo.44%). . Dentre esses portos.05%). destacaram-se as taxas de variação dos portos de Itaguaí (50. As variações significativas observadas nos portos acima mencionados estão relacionadas com o desempenho observado de grupos de mercadorias como o minério de ferro. Rio Grande (39. soja.78%) e Suape (16. contêineres e combustíveis e óleos minerais.19 Cerca de 87% dessa movimentação dos portos organizados se deu por intermédio dos dez portos listados na tabela a seguir.

9% em termos de peso bruto dos contêineres. a movimentação de contêineres por parte dos portos organizados avançou 5. Se considerarmos o total da tonelagem brasileira (incluindo-se os terminais de uso privativo) a participação desses portos no mercado de contêineres alcança aproximadamente 84.20 Vale acrescentar que as principais mercadorias movimentadas pelos portos organizados foram: soja. minério de ferro. Nesse trimestre.55% de toda movimentação do trimestre (considerando o total do peso bruto dos contêineres). fertilizantes e adubos e açúcar. também considerandose o total do peso bruto dos contêineres.3% em TEUs movimentados e 7. Os dez principais portos organizados em termos de movimentação de contêineres detiveram 97. combustíveis e óleos minerais. .62%.

990 12.425.651.853.537.790 Tup CVRD Praia 2.192 307.837 Granel Sólido (t) Movimentação de 43.237.653 no Porto de 14.481 Itaguaí (t) Movimentação de 9.496 Mole .455 Carvão Mineral (t) Porto/Terminal 2º tri/2011 Ano 2011 9.598 2º Tri/2012 2.192 2.221 Carga Geral Solta Movimentação de TEU Carga Conteinerizada (t) 24.131.498 Ano 2012 4.054 TEU (t) 81.759 Madeira Itaguaí Total 8.543 2º tri/2011 Ano 2011 102.310 CVRD 24.861.063.388 28.345 323.401 2º Tri/2012 25.005.411 23.416 100.494.21 Movimentação total de cargas no Porto de Itaguaí 2° Tri/2011 2º Tri/2012 No ano de 2012 Movimentação Total de Cargas 9.595 13.104.568.847 Ano 2012 47.214 84.042.606 155.455.074.849.867 47.821.122 74.478.741.539 25.701.809 TEU (t) 152.536 1.952.174 Principais Cargas Movimentadas no 2º trimestre de 2012 – Porto de Itaguaí Minério de Ferro Porto/Terminal Tup Tubarão Tup Ponta da 22.091.253 12.220.040 397.513 26.253.289 47.867.180.429.053.

029 2.874.520.019 - 9.248.220.234.705 Mole Itaguaí Tup Tubarão Total 4.064 .884 - 14.689.199 Produtos Siderúrgicos (t) Porto/Terminal 2º tri/2011 Ano 2011 6.821 Tup CVRD Praia 2.048 42.626 384.476 826.675 3.366 2º Tri/2012 1.498 347.854 6.787.210 - 17.174 1.159 1.562.778 Ano 2012 2.476 CVRD - 237.22 Itaguaí Tup TKCSA Total 353.902 581.343.333.273.

principalmente pelo porto de Itaguaí com 886 milhões de toneladas. tornou-se um atrativo a mais para que novos terminais fossem licitados. seguros. o setor dobrou de tamanho em 12 anos. .23 CONCLUSÃO Concluímos. evidenciando o papel do porto de Itaguaí na contribuição para o desenvolvimento da região. transportes.25% em relação ao registrado em 2010. Por causa da circulação de cargas. uma alta de 6. etc. período no qual foram bastante restritos os investimentos para expansão da capacidade dos portos públicos. Sendo que possui calado com profundidade para operar navios de classe Kape Size ou super graneleiro e navios containeiros de última geração. a implantação do porto repercute sobre o comércio. serviços. O volume de mercadorias que circulou pelos portos brasileiros foi recorde no ano passado. A localização privilegiada do porto. O complexo portuário de Itaguaí é especializado em carga e descarga de navios graneleiros. Com esse avanço. de acordo anuário divulgado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) o volume de mercadorias que circulou pelos portos brasileiros foi recorde no ano passado. tecnologia da informação.

Folder Institucional de Divulgação. 72 p. Dados constantes no SDP em 19/09/2012. ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. CDRJ. Companhia Docas do Rio de janeiro. Agencia Nacional de Transportes Aquaviários. Administração dos Portos Organizados e TUP's junto ao Sistema Desempenho Portuário da ANTAQ.24 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA CDRJ. 2009. 2002. Porto de Itaguaí: Plano Estratégico de Desenvolvimento do Complexo Portuário de Sepetiba. 2010. ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Berger. 2010. 32p. CDRJ. 2011. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Rio de Janeiro. Manual de Licenciamento Ambiental dos Portos. 2010. 2010. Superintendência de Marketing da Companhia Docas do Rio de Janeiro. Carta Náutica nº 1623/ 2003. Joenvile-SC: Bela Catarina. 2003 . Boletim Informativo Portuário 2º Trimestre/2012. Anuário Estatístico 2011. CDRJ. BRASIL. p. Portos e Terminais Marítimos do Brasil. 58 a 63. Folder Institucional de Divulgação.Boletim Estatísticos. Superintendência de Desenvolvimento da Companhia Docas do Rio de Janeiro. Superintendência de Marketing da Companhia Docas do Rio de Janeiro. Boletim estatístico CEPENE. Marinha do Brasil. 1999. Aureo ET AL. Gerencia de Segurança e Meio Ambiente. 2ª ed. ANTAQ.

25 .