You are on page 1of 5

ENSAIO NÃO-DESTRUTIVO: RADIOGRAFIA Características A radiografia é um tipo de ensaio não-destrutivo que se baseia na absorção diferenciada da radiação

penetrante na peça inspecionada. Devido às diferenças de densidade e variações de espessura do material, ou mesmo diferenças nas características de absorção causadas por variações na composição do material, diferentes regiões de uma peça absorvem quantidades diferentes da radiação penetrante. Essa absorção diferenciada da radiação pode ser detectada por meio de um filme, ou de um tubo de imagem ou mesmo medida por detectores eletrônicos de radiação. A variação de quantidade de radiação absorvida indica a existência de uma falha interna ou descontinuidade no material. A radiografia industrial é usada para detectar variação de uma região de um determinado material que apresenta uma diferença em espessura ou densidade comparada com uma região vizinha; em outras palavras, a radiografia é um método capaz de detectar com boa sensibilidade defeitos volumétricos. A capacidade do processo de detectar defeitos com pequenas espessuras em planos perpendiculares ao feixe, como trinca, dependerá da técnica de ensaio realizada. Descontinuidades como vazias e inclusões que apresentam uma espessura variável em todas as direções são facilmente detectados desde que não sejam muito pequenas em relação à espessura da peça. Fundamento e Utilizações A radiografia é um método usado para inspeção não destrutiva que se baseia na absorção diferenciada da radiação penetrante pela peça que está sendo inspecionada. Devido às diferenças na densidade e variações na espessura do material, ou mesmo diferenças nas características de absorção causadas por variações na composição do material, diferentes regiões de uma peça absorverão quantidades diferentes da radiação penetrante. Essa absorção diferenciada da radiação poderá ser detectada através de um filme, ou através de um tubo de imagem ou mesmo medida por detectores eletrônicos de radiação. A radiografia industrial é então usada para detectar variação de uma região de um determinado material que apresenta uma diferença em espessura ou densidade comparada com uma região vizinha em outras palavras, à radiografia é um método capaz de detectar com boa sensibilidade defeitos volumétricos. A radiografia foi um dos primeiros métodos de ensaio não destrutivo introduzido na indústria para a detecção de descontinuidades internas. O seu campo de

Além do aspecto de segurança. O ensaio requer cuidados especiais de proteção aos trabalhadores. Manipulador da peça e Intensificador de Imagem. isto é. incluindo o ensaio em soldas. O conjunto ampola de Raio-X. o trabalhador deve ser um especialista altamente qualificado. o fluxo metálico durante o vazamento na fundição. fundidos. a queima dos combustíveis dentro dos mísseis. etc. Desvantagens As radiações ionizantes que sensibilizam o filme. torres de processamento de gasolina. Os ensaios são regulamentados por normas e para sua execução é necessária a autorização de organismos como defesa civil e prefeituras. e aos indivíduos do público. tanques de armazenamento. além disso. plásticos. que são os membros da equipe radiográfica. com perfeitos conhecimentos de processos de fabricação e soldagem para poder laudar um filme radiográfico. etc. movimenta-se dentro de feixe de Raio-X e a imagem formada é observada de modo dinâmico no monitor. em instalações abertas como tubulações. isto proporciona uma visualização tridimensional das descontinuidades dentro das peças. forjados. provenientes tanto dos raios X quanto dos raios gama. devem estar situados dentro uma cabine a prova de radiação. atestando seus conhecimentos técnicos. de álcool.aplicação é bastante grande. isto é. Outras aplicações especiais são observar o movimento de um projétil ainda dentro do canhão. . Vantagens A radiografia industrial permite o registro permanente do ensaio realizado. cuidados especiais em relação ao meio-ambiente devem ser previstos. A radiografia se estendeu para além das técnicas meramente estáticas (filme radiográfico). Todo trabalhador do ensaio radiográfico deve ter uma qualificação fornecida por organismos oficiais. dentre outros. materiais compostos. A peça em ensaio colocada ou fixada por sobre o manipulador. Outra vantagem é o custo relativamente baixo. em relação a outros ensaios que são avaliados de modo subjetivo pelo inspetor. Na radioscopia utiliza-se de um Intensificador de Imagem para converter o Raio-X que atravessou uma peça em uma imagem mostrada em um monitor de TV. operações de soldagem. alto fornos. passando a ser realizada também em processos dinâmicos em tempo real. O ensaio de gamagrafia pode ser feito no campo. são altamente prejudiciais ao ser humano. passando-se a chamar de ensaio por radioscopia. uma vez que no filme permanecem todas as evidências da inspeção de maneira objetiva e incontestável. os que se encontram nas vizinhanças do local onde é feito o ensaio.

Cabeçote No cabeçote estão alojados a ampola e os dispositivos de refrigeração. além do comando de acionamento do aparelho.Equipamento de raio X Os raios X são produzidos em ampolas especiais de vidro. Blindagem de proteção O início da operação do aparelho deve ser feito com aquecimento lento do tubo de raios X. Neste processo o operador deve utilizar as cintas ou blindagens especiais que são colocadas na . A distância entre a unidade geradora e a mesa de comando deve ser tal que o operador esteja protegido no momento da operação dos controles. Painel de comando O painel de comando consiste de uma caixa onde estão alojados todos os controles. Os fabricantes de aparelhos de raios X fornecem cabos de ligação com comprimento de 20 a 30 metros. dependendo da potência máxima do tubo gerador. Os acessórios de um equipamento de raios X são os cabos de energia e a blindagem de proteção. Do ponto de vista da radiografia. proveniente do filamento. É importante que esta superfície seja suficientemente grande para evitar um superaquecimento local que poderia deteriorar o ânodo e permitir uma rápida transmissão do calor. indicadores. contido no ânodo. além de conter todo o equipamento do circuito gerador de alta voltagem. chaves e medidores. segundo as normas básicas de segurança. ou unidade geradora. uma atenção especial deve ser dada ao alvo. A conexão entre o painel de controle e o cabeçote se faz por meio de cabos especiais de alta tensão. É por meio do painel de controle que se fazem os ajustes de voltagem e amperagem. Os equipamentos de raios X industriais se dividem geralmente em dois componentes: o painel de comando e o cabeçote. Cabos de energia A mesa de comando e unidade geradora é ligada entre si por meio do cabo de energia. conforme as recomendações do fabricante. Sua superfície é atingida por um fluxo eletrônico denominado foco térmico. Os tamanhos das ampolas ou tubos variam de acordo com a tensão máxima de operação do aparelho.

pois estão diretamente ligados ao que o equipamento pode ou não fazer. com abertura determinada. tipo de feixe de radiação e tipo de corrente elétrica. A distância do foco ao filme é usualmente de 24 polegadas. Essa técnica é adequada para raios X de baixa energia em virtude de serem utilizadas lâminas finas de chumbo. Esses dados determinam a capacidade de operação do equipamento. Formato do ânodo A forma geométrica do ânodo no tubo é um dado importante. a partir do centro. Esta técnica consiste em colocar uma fina lâmina de chumbo contendo um furo exatamente no meio da distância entre o anodo do tubo de raios X e o filme radiográfico.região de saída da radiação. esta diferença é devida à diferença no modo de transmissão do calor. Este acessório fornecido pelo fabricante permite maior segurança durante o aquecimento do aparelho. o tempo de exposição é maior que o normal. A revelação do filme após a exposição mostra uma imagem de forma e tamanho proporcionais ao foco do ânodo. as dimensões do foco óptico devem ser as menores possível. irradiação a 360 graus. As áreas focais de pequenas dimensões pode ser aplicada uma carga relativamente mais elevada do que nas áreas grandes. o diâmetro do furo da placa de chumbo deverá ser duas vezes menor que o diâmetro nominal do foco. Caso sejam requeridas medidas precisas para o diâmetro do foco. Em geral. tamanho do ponto focai. Para obter imagens com nitidez máxima. isto é. Tamanho do foco A determinação do tamanho do foco para os aparelhos de raios X de 320kV e menores pode ser feita pela técnica do furo da agulha {"pin hole"). Características do equipamento As principais características de um equipamento de raios X são voltagem e amperagem máxima. propicia um feixe de radiação panorâmico. . A voltagem se refere à diferença de potencial entre o ânodo e o cátodo e é expressa em quilovolts (kV). Carga focal Define-se carga focai como a carga em Watts por milímetro quadrado na área focal. propicia um feixe de radiação direcional. quando em forma plana e angulada. e quando em forma de cone. sobre a carcaça da unidade geradora. o que não é possível no caso de altas energias. Isso se deve ao fato de que essas grandezas determinam as características da radiação gerada no equipamento. o furo da lâmina pode ser feito com uma agulha ou o que for mais prático. pois a quantidade de radiação que passa pelo furo da lâmina de chumbo é de pequena intensidade. A amperagem se refere à corrente do tubo e é expressa em miliampères (mA).

.A ilustração a seguir mostra a configuração básica de um equipamento estacionário de raios X para peças de pequeno porte.