You are on page 1of 5

0851 – CONSTRUÇÕES DE CONCRETO ARMADO II

PROF. IBERÊ

1/5

0851 – CONSTRUÇÕES DE CONCRETO ARMADO II RESUMO 02: SEÇÃO TÊ FALSA E VERDADEIRA – ARMADURA SIMPLES MESA COLABORANTE A ação conjunta de lajes e vigas pode ser considerada mediante a adoção de uma largura colaborante da laje associada à viga, compondo uma seção transversal T. A consideração da seção T estabelece as distribuições de esforços internos, tensões, deformações e deslocamentos na estrutura, de uma forma mais realista. A largura colaborante bf deve ser dada pela largura da viga bw acrescida de no máximo 10% da distância a entre pontos de momento fletor nulo, para cada lado da viga em que houver laje colaborante. - viga simplesmente apoiada: a = 1,00· - tramo com momento em uma só extremidade: a = 0,75· - tramo com momentos nas duas extremidades: a = 0,60· - tramo em balanço: a = 2,00· Devem ser respeitados os limites b1 e b3 conforme indicado na figura abaixo.

25·hf .4⋅x) = 0 . e que a distância entre faces de vigas no sentido transversal é 3.8⋅x⋅bf⋅0. concreto fck = 30MPa.Rs⋅(d – 0. Rc = 0.4⋅x) = 0 .85⋅fcd = 0.0851 – CONSTRUÇÕES DE CONCRETO ARMADO II PROF.85m. Md .85⋅fcd Rc x d Md hf bw εS As⋅fyd Rs Admitindo que o bloco de compressão está contido na mesa colaborante. 5. obedecendo x ≤ xlim ⎟ ⎠ Se x ≤ 1. Características dos materiais: aço CA-50 . presente nos dois lados da viga. Rs = As⋅fyd As = f yd Md ⋅ (d − 0.0 m . determinar a largura da mesa colaborante (bf).4 ⋅ x ) EXERCÍCIOS PROPOSTOS 5) Considerando que a viga contínua (V110 – 15/50) com 3 vãos iguais de 5. Calcular o maior momento fletor que a viga suporta na condição de seção tê falsa e a respectiva armadura (alojar na seção). 425 ⋅ b f ⋅ f cd ⋅ d 2 ⎝ ⎞ ⎟ . Md – Rc⋅(d – 0. 25 ⋅ d ⋅ ⎜1 − 1 − ⎜ 0. IBERÊ 2/5 CÁLCULO DA ARMADURA LONGITUDINAL – SEÇÃO TÊ FALSA bf εC 0.68⋅bf⋅fcd⋅x ⎛ Md x = 1.0m é solidarizada com uma laje de espessura 8cm em sua borda superior.0 m 5.8⋅x 0.4⋅x 0. é uma seção tê falsa e o dimensionamento é similar ao da seção retangular apenas substituindo-se bw por bf .0 m 5.

Características dos materiais: aço CA-50 .85⋅fcd hf 0. a hipótese do bloco comprimido encontrar-se na mesa colaborante não é obedecida. 30 kN/m esquema estático : 6.8⋅x x 0.0851 – CONSTRUÇÕES DE CONCRETO ARMADO II PROF.00 m Seção I Seção II 100 cm 10 cm 50 cm 50 cm 15 cm 15 cm CÁLCULO DA ARMADURA LONGITUDINAL – SEÇÃO TÊ VERDADEIRA 0.5·hf bf εC Rcf Rcw Md bw εS As⋅σsd Rs Quando do dimensionamento da seção tê. .4⋅x 0. x > 1. concreto fck = 30MPa.25·hf . ou seja. para a qual seguem as equações de equilíbrio. IBERÊ 3/5 6) Calcular a economia (em porcentagem) de área de aço no dimensionamento da armadura de flexão ao ser considerada a mesa colaborante (seção II) em relação a viga com seção retangular (seção I). é uma seção tê verdadeira.

Rs2⋅(d – 0. aço CA50 .8⋅x⋅bw⋅0. Indicar as barras na seção transversal. Dados: concreto C20 .0851 – CONSTRUÇÕES DE CONCRETO ARMADO II PROF.4⋅x) = 0 .68⋅bw⋅fcd⋅x ⎛ M2 x = 1.85⋅fcd = 0. obedecendo x ≤ xlim ⎠ M2 .4⋅x) = 0 . aço CA50. IBERÊ 4/5 Rcf = 0. Rs2 = As2⋅fyd As 2 = M2 f yd ⋅ ( d − 0. 4 ⋅ x ) As1 = Rs1 f yd As = As1 + As2 EXERCÍCIOS PROPOSTOS 7) Determinar o momento fletor de cálculo (tracionando as fibras inferiores) que pode suportar a seção transversal da viga (20/60) com armadura longitudinal As = 30cm2 e altura útil d = 53cm. . concretagem em más condições. 25 ⋅ d ⋅ ⎜ ⎜1 − 1 − 0.5⋅hf) M2 – Rcw⋅(d – 0. 100 cm 10 cm 10 cm 40 cm 50 cm 50 cm 20 cm SEÇÃO TRANSVERSAL 100 cm 8 cm 8 cm 40 cm 52 cm 52 cm 20 cm SEÇÃO TRANSVERSAL 40 cm 40 cm As 8) Dimensionar a armadura longitudinal necessária para que seção transversal da viga (20/60) abaixo possa suportar o momento fletor de cálculo Md = 1000 kNm tracionando as fibras inferiores. Rcw = 0. 425 ⋅ b ⋅ f ⋅ d 2 w cd ⎝ ⎞ ⎟ ⎟ . Dados: concreto C35 .85⋅(bf – bw)⋅hf⋅fcd Rs1 = As1 ⋅ fyd Rs1 = Rcf Md = M 1 + M 2 M1 = Rs1· (d-0.

pode ser dispensada a utilização da armadura de pele.sup – é a resistência característica superior do concreto à tração. em elementos estruturais armados ou protendidos deve ser determinada pelo dimensionamento da seção a um momento fletor mínimo dado pela expressão a seguir.158 0.150 0. ρmin deve ser recalculado com base no valor de ωmín dado.mín = 0. IBERÊ 5/5 ARMADURA MÍNIMA A armadura mínima de tração.alma em cada face da alma da viga e composta por barras de alta aderência (η1 ≥ 2.288 0. a área da seção a ser considerada deve ser caracterizada pela alma acrescida da mesa colaborante. Taxas mínimas de armadura de flexão para vigas: Valores de ρmin1) (As.345 35 0.150 0.230 0.173 0.150 0.150 0.150 0.150 0.288 30 0.177 0.460 45 0.197 0. relativo à fibra mais tracionada.25) com espaçamento não maior que 20cm.229 0.201 0.518 50 0. Em vigas com altura igual ou inferior a 60cm. ARMADURA DE PELE A mínima armadura lateral deve ser 0. ARMADURA MÁXIMA A soma das armaduras de tração e de compressão (As + As’) não deve ter valor maior que 4% Ac.150 0.031 0.0851 – CONSTRUÇÕES DE CONCRETO ARMADO II PROF.8·W0·fctk.070 Os valores de ρmin estabelecidos nesta tabela pressupõem o uso de aço CA-50.min/Ac) % fck ωmín Retangular T (mesa comprimida) T (mesa tracionada) Circular 1) Forma da seção 20 0.575 0.4 e γs = 1.204 0. γc = 1.150 0.15.024 0.403 40 0.153 0.259 0. respeitada a taxa mínima absoluta de 0.15 %: Md.Nas seções tipo T.035 0. NOTA .sup onde: W0 – módulo de resistência da seção transversal bruta de concreto.10% Ac. .178 0. Caso esses fatores sejam diferentes.255 0. calculada na região fora da zona de emendas. fctk.230 25 0.