You are on page 1of 22

MINERAIS FORMADORES DE ROCHAS ÍGNEAS OS SILICATOS MÁFICOS 1) OLIVINAS Os minerais do grupo das olivinas (nesossilicatos) possuem simetria ortorrômbica

, e quimicamente são “silicatos de Mg, Fe, principalmente, e de Mn e Ca” . Quantidades menores de elementos traços (usualmente, <1,0 ) estão presentes, sendo os principais Ni, Cr, Co e Zn. Os principais tipos de olivinas são! Forsterita - Mg2•Sio4 Faialita - Fe2•Sio4 Tefroita - Mn2•Sio4 Larnita Ca2•Sio4 Obs! a Larnita apesar de ser considerada quimicamente como uma olivina mostra simetria monocl"nica.

Para !ne"e #s $g%olivinas são os principais constituintes de dunitos (& '0 ) e peridotitos ('0%(0 ). Fo1##$# ) descon*ecida em roc*as "gneas. +unitos e peridotitos mostram Fo%&$''. ,m basaltos e gabros a olivina ) Fo'($)# (+err et al. 1'--. /ro0n 1'12). ,m roc*as 3)lsicas como granitos, sienitos, riolitos e traq itos, olivinas 3aial"ticas podem ocorrer, e neste caso em geral associada com piro45nios. Co*+o"i,-o ./0*i1a 2e O3i4ina" 5e3e*ento" *aiore") SiO& TiO& A3&O6 Fe&O6 FeO 2,0( 8%,)& MnO 0,21 0,21 M O (8,19 0,'1 CaO 0,01 Tota3 100,7( 100,10 100,81 (1) 9orsterita em serpentinito (2) :ortonalita em 3errodiorito (7) 9aialita em 3ormação 3err"3era (6) 9aialita em quart;o%sienito (() <e3roita % amostra da /enallt $ine (=>) 51 $ Fo) 61,1( 0,08 5& $ Hor) 72,68 0,76 0,02 0,11 (671) 0,87 17,22 56 $ Fa) 70,0' 5) $ Fa) 70,(7 0,22 0,02 8),)# 2,27 0,'0 '1,71 5( $ Te) 2',28

1,&# -(,27 1,'1 2,72 100,00

O:"; $ For"terita ) de alta temperatura e inst?vel na presença de s"lica livre !Fo"Si#2 $ %n& ' MgSi#4 " Si#2 $ 2MgSi#(

de $g.02 . Fe6>.1( de Ar2O7. E Fo= associadas a diamante podem mostrar valores & 0. tanto por processos *idrotermais quanto intemp)ricos.ul. Mn % . Observa%se que Aa ) maior em olivinas de roc*as e4trusivas do que nas plutônicas (/ro0n. clorita . constituindo em geral Eséries de soluções sólidas J.m geral são produtos mistos e 3inos de di3"cil recon*ecimento por processos Hticos.m geral abai4o do limite de detecção por microssonda. óxidos e hidróxidos .m amostras lunares observou%se at) 0.) % @o geral cristais 3raturados com 3raturas preenc*idas por H4idos &) PIROEFNIOS Os piro45nios são inossilicatos de cadeia simples. . entretanto em alguns casos pode ser considerado como um elemento maior (<e3roita % $n2CDiO6). 1'12). @ão ) observada correlação entre a $n da olivina e o ambiente de sua *ospedeira (/ro0n.de #l2O7.( . A3tera. @a e Ii. 1'12). A3 % @o geral < 0. sendo tipicamente < 0. etc.( e mostra uma correlação positiva com o $g (/ro0n 1'12). Ti e ETR % =sualmente não ) detectado pelos m)todos comuns anal"ticos. ?.m geral o conteBdo ) < 0.4tinção reta (ortorrômbicos) % 9orsterita ) D>. Prin1i+ai" 1ara1ter0"ti1a" Cti1a" 2i"tinti4a" % . @ão *? uma correlação clara entre Aa e o conteBdo de $g das olivinas. Cr % .-o A Tran"Bor*a. Os principais produtos de trans3ormaçFes são serpentina . alumossilicatos anidros. Geo</0*i1a 2a" o3i4ina" Ca % @as olivinas $g%9e ele raramente e4cede 1 . 9e. rosa. de simetria ortorrômbica ( #p)) e monocl"nica (Cp)). . anfibólio . entretanto *? uma correlação entre a Aa e o ambiente de sua *ospedeira.m geral nas olivinas $g%9e o conteBdo ) in3erior a 2 . Ni % .-o #s olivinas são suscept"veis a alteraçFesGtrans3ormaçFes. iddingsita . 9aialita D$ % 9orsterita ) incolor e 9aialita levemente colorida (amarelada) % Aores 3ortes de birre3ring5ncia (a.Faia3ita ) est?vel a bai4as temperaturas e na presença de s"lica livre. Aa. Na. . carbonatos . @o caso dos ?lcalis pode ser detectado por microssonda. @.

92L. . Aa(Di2CO-) En"tatita 5En 1##$%#) DronIita 5En %#$9#) Hi+er"t!nio 5En 9#$(#) Fe$Hi+er"t!nio 5En (#$6#) E/3ita 5En 6#$1#) Ferro""i3ita 5En 1#$#) PiroG!nio" 2e HCa= #ugita%9erroaugita (Aa. 92L. @a) (9e2L. $g. @a) ($g.#l)2CO-O +iops"dio (Aa$gDi2O-) % :edenbergita (Aa9e2LDi2O-) PiroG!nio" 2e HCa$Na= On3acita (Aa. A3tera. 9e7L.-o A Tran"Bor*a.n ($g2CDi2CO-) K 9errossilita%9s (9e22LCDi2CO-) C+G. # Migeonita ) mais restrito a roc*as vulcQnicas andes"ticas e dac"ticas. 9e7L. 9e2L)2. #l) (Di2O-) #egirina%#ugita (Aa. e o espodumênio ) muito comum em pegmatitos ricos em Ii. notadamente os tipos ricos em $g. P? os ricos em 9e podem ocorrer em roc*as intermedi?rias e ?cidas (em roc*as c*arnoqu"ticas em geral). <i)2CN(Di. intermedi?rias e 3)lsicas. #l. Aegirina-Augita e Aegirina são clinopiro45nios comuns de roc*as plutônicas alcalinas intermedi?rias a ?cidas. Migeonita ($g.C3a""iBi1a. “hedenbergita e augita” em roc*as plutônicas m?3icas.-o .spodum5nio Ii#l (Di2O-) Para !ne"e Os EOp4J são mais comuns em roc*as ultram?3icas e m?3icas. Os clinopiro45nios de Aa! “diopsídio” ) mais comum em roc*as metamHr3icas.nstatita%. $g) Di2OPiroG!nio" 2e Na #egirina (acmita) @a9e7L(Di2O-) PiroG!nio 2e Li .-o 2o" PiroG!nio" 5Deer et a37 1%9') PiroG!nio" 2e HM $Fe= O+G. 97L.

.78 6'. Ao.88 '(. A C3a""iBi1a.00 Na&O 1&7'8 0.1( 0. $ Co*+o"i.6' 2.27 1.1( ''.81 '1.87 6(.'0 1.n ) /L e 9s ) /% % Os AMT são em geral coloridos e pleocrHicos.0( ?& O 0.10 0.1' 0.88 0.'( (1. ou ainda para H4idosG*idrH4idos.67 &#7#& 1. @i. E=ralitaJ ) an3ibHlio 3ino produto da alteração do piro45nio por *idratação. os demais são D>.02 1.1( '1.'0 O:".00 TiO& 0.-o 2o" PiroG!nio" Se /n2o Mori*oto et a37 51%'') .m geral os piro45nios se trans3ormam para an3ibHlio e clorita.21 M O 68716 7.<SM (tanto Op4 quanto os Ap4).0' FeO5t) 7.17 CaO 0.06 0. Rn e .-o </0*i1a 2e +iroG!nio" En"tatita Ferro"i3ita Ae irina He2en:er ita Hi+er"t!nio SiO& (8.07 Tota3 ''.'' )17%8 6&71% &(7)% 6&786 MnO 0.'2 61.11 1.77 0.01 (.-1 0.m termos de elementos traços os piro45nios podem mostrar Ar.01 0.'( 0. .-' 11. Prin1i+ai" 1ara1ter0"ti1a" 2i"tinti4a" % Op4 tem e4tinção reta e Ap4 inclinada % +uas clivagens em Qngulo reto ('0 o) % Os OMT são levemente coloridos e pleocrHicos para os termos ricos em 9e e incolores para os ricos em $g.0A3&O6 0. . Dc. # e4ceção dos da s)rie Eaegirina K augita%augita (D$)J.

Aa. % C3inoanBi:C3io". 9e72L. tem%se tanto ortoan3ibHliosJ quanto Eclinoan3ibHliosJ. $g7. 9e.iebc-ita+ (@a2. Dão representados pela s)rie E#nto3ilita%UedritaJ e são restritos a roc*as metamHr3icas. % OrtoanBi:C3io". <i e >. e são constituintes comuns de roc*as "gneas e metamHr3icas. #l2) (Di1O22) (O:)2 (@a2. @o conte4to das roc*as "gneas podem ser destacadas quatro principais 3am"lias de clinoan3ibHlios! % C mingtonita-*r nerita+ ($g. Ocorrem em variadas condiçFes de pressão e temperatura.6) ANFIDJLIOS Dão alumossilicatos *idratados (inossilicatos de cadeia dupla) de $g. $n. 9e27L) (Di1O22) (O:)2 . @a. 9e2L)8 (Di1O22) (O:)2 % *la cofana-. +a mesma 3orma que os piro45nios.

# grunerita ) incolor e mostra 3ortes cores de birre3ring5ncia.<SM && . Prin1i+ai" Cara1ter0"ti1a" Di"tinti4a" % . #l)(C(Di-%8..<SI).ul para a riebecVita). 9e2L. Dr e .m termos de elementos traços os an3ibHlios mostram E>dJ consider?veis para Ar.4tinção reta para os orto e inclinada para os clinoan3ibHlios % Alivagens em duas direçFes (120 o % -0o) % Aoloridos e pleocrHicos.rf/edsonita+ @a7($g. #l2%1CO22) (O:. Os an3ibHlios apresentam alteraçãoGtrans3ormação principalmente para clorita e H4idos secund?rios (ilmenita e rutilo).%c-ermanita-.-o 2o" AnBi:C3io" 5LeaKe et al1. em tons variados (verde para os da 3am"lia da *ornblenda e a. 97L)Di1O22(O:. SiebecVita. ecVermanita% ar3vedsonita são t"picos an3ibHlios de roc*as alcalinas. :ornblenda ) ainda usada como geobarômetro e geotermômetro. e a grunerita ocorre em roc*as intermedi?rias a ?cidas enriquecidas em 9e. 9)2 % 0ornblendas+ (@a.-o </0*i1a 2e a3 /n" anBi:C3io" Rie:e1Kit a 5"ienito) (&7)1 #7)( #781 &%71% 17)8 (7#9 1768 )7%) &71# %97(% Gr/nerita 5<I$"ienito) )'7%& #718 )&7#& 1789 671% #7(' %87() Horn:3en2a 5<I$"ienito) )#78( #7(& %7'8 &%7%' #776% 1788 1#7)& 1786 17&& %87&8 Horn:3en2a 5*onIo ranito) 6%78& #798 11768 &)7%) #7(& )781 1#7%( 179% 17'& %87'8 Horn:3en2a 5tona3ito) ))7%% 17)8 117&8 187(# #761 1#7)1 1&71& #7%9 #798 %'79' SiO& TiO& A3&O6 FeO5t) MnO M O CaO Na&O ?&O Tota3 . 1%%9) O" anBi:C3io" 1L31i1o" .<S (. ocorre desde roc*as ultram?3icas at) ?cidas. @i. W. C3a""iBi1a. 9)2 Para !ne"e # *ornblenda ) o an3ibHlio mais comum de roc*as "gneas. 9e)6(#l. $ Co*+o"i. 9e7L. >)0%1CAa2($g. O:".

$g e Ii. Prin1i+ai" ti+o" 2e *i1a" .O" anBi:C3io" "C2i1o" )) MICAS Dão alumossilicatos (3ilossilicatos) *idratados de >. @a. 9e. Aonstituem os minerais m?3icos mais comuns em roc*as "gneas plutônicas intermedi?rias a 3)lsicas.

Le+i2o3ita ! $ica de >.22 2(.80.17 0.2( 7(. Ocorre comumente em roc*as geradas em altas condiçFes de M e <.-o </0*i1a 2e a3 /*a" *i1a" F3o o+ita Diotita Diotita M/"1o4ita Le+i2o3ita SiO& TiO& A3&O6 FeO5t) MnO M O CaO Li&O Na&O ?&O 60.62 0.0( 6.27 6'.(1 1-.ação da biotita.1( 1. Deus principais produtos de trans3ormação%alteração são clorita.20 . O aumento no conteBdo de 97L propicia a 3ormação de H4idos secund?rios associados a clorita. 3ilitos etc).11 2(.'( 0.10 78. bastante comum em pegmatitos e em granitos peraluminosos (3usão de metassedimentos). 3aragonita $ica de @a.00 0.06.11 <r 22. de car?ter m?3ico.-1 '.0' 0.'( 2.-0 70. M sco/ita $ica branca de >.'( 0. Ii e 9 de cor rosa.2iotita+ $ica de >. Y comum em roc*as metamHr3icas aluminosas (4istos. 9e e $g (<i e 9 tamb)m estão presentes). muscovita e H4idos.18 0.16 16.60 0.7( 11. $ica 3ina de > que ocorre essencialmente como produto de trans3ormação de 3eldspato em roc*as gran"ticas.1'.18 28.(1 (.27 0. .7( 0. O <i proveniente da biotita pode 3avorecer a 3ormação de titanita Puntamente com a clorita Flogopita+ ) quimicamente similar a biotita.21 2. O processo de o4idação ) respons?vel pela cloriti.18.71 6.(1 61. Co*+o"i. Sericita . X comum como mineral secund?rio em roc*as gran"ticas em geral como produto de trans3ormação da biotita. por)m bem mais enriquecida em $g e empobrecida em 9e em relação a esta.18 7. X um mineral caracter"stico de EUranitos tipo DJ.62 0.12 18.0( '.71 <r <r 0.m roc*as granitHides ela ocorre principalmente como produto secund?rio de alteração de 3eldspato. X a mica mais comum em roc*as "gneas (plutônicas ou vulcQnicas) e o principal m?3ico de granitHides. que ocorre essencialmente em pegmatitos.-0 0.

-o 1o*+o"i1iona3 2a" :iotita" .17 '1.ogranito. (() Le+i2o3ita em pegmatito.-2 6.'( Obs! (1) F3o o+ita em m?rmore.'1 7.61 100.01 <r 6.71 0.77 101.27 0. A3 /*a" Cara1ter0"ti1a" Di"tinti4a" 2e Mi1a" % /iotita e 3logopita são coloridas e pleocrHicas ao microscHpio % $uscovita.11 0. (6) M/"1o4ita em 4isto. (2) Diotita em granito.78 '-.1' ''.-o 2a 4aria. paragonita e sericita são incolores ao microscHpio % $icas mostram uma e4celente clivagem e e4tinção reta % DeçFes basais de biotita mostram 3iguras Epseudo unia4iaisJ C3a""iBi1a. (7) Diotita em mon.F H&O> H&O$ Tota3 0.'2.

Me" 2e Diotita" e SNrie" Ma *Lti1a" .Co*+o"i.

#o microscHpio são incolores a levemente coloridas. relevo alto e isotrHpicos (sistema cBbico). mas podem ser importantes no manto superior peridot"tico e um componente essencial no manto superior eclog"tico. Prin1i+ai" Ti+o" 2e Grana2a" .() GRANADAS Dão minerais raros em roc*as "gneas.

Alino. E3onHlitosJe Ene3elinitoJ. $g e $n.<S7 Dão 3req[entes como acessHrios de roc*as plutônicas intermedi?rias a ?cidas.-o Quando a granada sai do regime de alta pressão. An2ra2ita! (Aa7C9e27LC<i2CDi7CO12) % #s variedades enriquecidas em <i ($elanita e Dc*orlomita) podem ocorrer em roc*as alcalinas subsaturadas em s"lica. Dc. as granadas possuem altos >ds para Ar. .m roc*as "gneas as granadas são por e4cel5ncia minerais de altas pressFes. A3*an2ina! (9e77LC#l2CDi7CO12) % Ocorre como 3enocristais em roc*as intermedi?rias da ED)rie A?lcio%#lcalinaJ.-o A Tran"Bor*a. *aPa vista que nestas roc*as a parag5nese mineral observada (est?vel) ) mais aquela de pressFes mais bai4as. 9e. #l)7OCO:CDi2O8CDiO6 A3 /*a" 1ara1ter0"ti1a" Cti1a" 2o" ti+o" +rin1i+ai" E+02oto! Selevo alto. Roisita. pode trans3ormar%se para uma mistura de Ap4 ou *ornblenda. bai4o Qngulo de e4tinção e /% \ncolor a levemente colorido e pleocrHico . E"+e""artita! ($n7C#l2CDi7CO12) % Ocorre em pegmatitos gran"ticos. 8) GR@PO DOS EPÍDOTOS Os minerais do grupo do ep"doto cristali. Ae)2 (9e2L.Piro+o! ($g7C#l2CDi7CO12) % Ocorre em Emica%peridotitosJ. Aa. como 3ases prim?rias (allanita e ep"doto) ou secund?rias (ep"doto). A3tera. Dão silicatos aluminosos de Ca. *? uma tend5ncia dela so3rer processos de alteraçãoGtrans3ormação similares aos observados durante retrometamor3ismo.<S (.OCO:CDi2O8CDiO6 #llanita (ortita)! (Aa. $n e .9e7LC#l2O7CO:CDi2O8CDiO6 Miemontita! Aa2 ($n7L. Geo</0*i1a #3ora os elementos maiores como #l.oisita! Aa2C#lC#l2O7CO:CDi2O8CDiO6. E"ta:i3i2a2e . # piropo. plagiocl?sio e H4ido de 3erro. 9e. por e4emplo.<SI). $n2L. Dão raras em roc*as vulcQnicas e plutônicas intermedi?rias Z ?cidas. W e . EVimberlitosJ e EserpentinitosJ. 9e7L.p"doto! Aa2. 9e7L.am nos sistemas ortorrômbico e monocl"nico. tais como EsienitosJ.<SM && . #l)7.

X principalmente um mineral de cristali. X usado em dataçFes geocronolHgicas (m)todo =% Mb).es amarelada % 9racamente pleocrHica % #lta dispersão % Aomumente com geminação lamelar.-- 70.ação prim?ria. e como discriminante de Etipologias de granitHidesJ (Mupin. Da. e / L. Ae e @d).9) <itanita. =. c*amada tamb)m de “esfeno”. Aa<i(DiO6)(O.'0.<S (.02 22.#ltas cores de birre3ring5ncia A33anita! =sualmente cristais prism?ticos . que possui um campo de estabilidade relativamente amplo. Aoncentra ainda Sr.71 0.7' 7-.O:. # allanita possui altos >ds para . notadamente para . e+02oto e a33anita Zir1-o SiO& TiO& A3&O6 Titanita$1 Titanita$& E+02oto$1 E+02oto$& A33anita 71.62. Cara1ter0"ti1a" +rin1i+ai" ao *i1ro"1C+io % Aristais idiomHr3icos losangulares % Aor usualmente marrom ou Zs ve.<SI 9) TITANITA.(0 1-.4tinção reta e =L Co*+o"i.72 0. vermel*o e marrom 9racamente pleocrHico X comum apresentar Ete4tura metamict"caJ O:".06 1. <em altos coe3icientes de partição para os .Me" </0*i1a" +ara Iir1-o.0( 70.<S.6( 0. notadamente os terras raras leves (Ia. ') ZIRCPO 5Zr SiO)) Rircão ) um mineral de ampla distribuição em sistemas geolHgicos. Ocorre em roc*as "gneas como acessHrio.<S.66 7'.<SI). e como tal ) 3req[ente como acessHrio na maioria das roc*as "gneas. TO @ e P:. <* e Mb. titanita.onados Aor. 1'10) e apresenta altos >ds para .06 1(.<SM && . ) um silicato monocl"nico de Aa e <i.0' 76. Cara1ter0"ti1a" +rin1i+ai" ao *i1ro"1C+io % \ncolor mais de alto relevo % Mequenos cristais idiomHr3icos e usualmente prism?ticos % #ltas cores de birre3ring5ncia % .01 78.1' . amarelo.7- 70.

00.Fe&O6 FeO MnO M O CaO Na&O ?&O P&O( RE&O6 TOO& ZrO& HBO& Tota3 0.(( 0.80 '-. #presenta geminação simples do tipo Aarslbad.07 0.06 1.1( 21.78 0.p"doto%2 (mon. em m)dia.#& 0.27 0.11 ''. .20 0.07 1. Os que cristali.11 O:".07 &&.11 0.-' '6.ogranito).7' '1.16 0. <itanita%2 (mon. @a) % 9eldspatos Mlagiocl?sios (Aa. mais de -0 da composição modal da roc*a. e comum em vulcQnicas. <itanita%1 (sienito).27 '1.-o 2o" Be32"+ato" % 9eldspatos #lcalinos (>.88 10. e os que cristali.06 27.m alguns casos constituem.01 -6.06 0.76 7. anortocl?sio e ortocl?sio).(- 26. Sani2ina! >3 de alta temperatura ) raro em roc*as plutônicas.0' 0.78 1.p"doto%1 (granodiorito).02 0.20 22.02 12. QQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQ OS SILICATOS FRLSICOS 1) FELDSPATOS Dão os minerais mais abundantes em roc*as "gneas.11 -. . C3a""iBi1a. .72 6.17 28.00. X um componente 3undamental em qualquer tipo de classi3icação mineralHgica de roc*as. @a) % 9eldspatos de /?rio (celsiana) O" Fe32"+ato" PotL""i1o" 5?B) Os >%3eldspatos são polimor3os de E>#lDi7O1J.am acima de (00 oA são monocl"nicos (sanidina. .ogranito).21 1.am abai4o de (00 oA são tricl"nicos (microclina).(6 '8.

Anorto13L"io ! ) tamb)m um >3 de alta temperatura e mais comum em roc*as vulcQnicas. X comum a presença de geminação tipo Aarslbad. Os limites dos campos de cada termo da s)rie são arbitr?rios. . $ostra comumente as geminaçFes Ealbita 4 periclinaJ em padrão 4adre. Mode mostrar ainda a combinação das geminaçFes EAarslbad mais albita 4 periclinaJ. Mi1ro13ina! O >3 de mais bai4a temperatura e o mais 3req[ente em roc*as plutônicas. Aonstituem uma s)rie de solução sHlida completa cuPos termos e4tremos são Ea3:ita 5Na) e anortita 5Ca)J.. $ostra comumente as geminaçFes Ealbita 4 periclinaJ em padrão 4adre.. Orto13L"io ! >%3eldspato de mais bai4a temperatura que os anteriores e 3req[ente em roc*as plutônicas. O" +3a io13L"io" Dão 3eldspatos calco%sHdicos.

17 1%.28 -(.%# 9.10 0.-1%.(1 1%.21 0.#9 0.8( 0.2' '1.(' 0.8- -7.79.20 -2.'( -8. Dr.() 0. Mi1roteGt/ra" A""o1ia2a" ao" Fe32"+ato" .1( 8.16 0.-o </0*i1a 2e a3 /n" Be32"+ato" Sani2ina Anorto13L"io Mi1ro13ina Orto13L"io Ce3"iana A3:ita Anortita SiO& TiO& A3&O6 Fe&O6 M O DaO CaO Na&O ?&O Tota3 -8.18 6).Me"ATran"Bor*a.6( 0.8' 0.6' (.1' --. /a e .ação (ep"doto 3ino granular) e 3ormação de carbonatos estão intimamente associados Z alteração de plagiocl?sios.'2 0.86 0.'8 0.'6 66.Co*+o"i. @o tocante aos elementos traços eles possuem >ds consider?veis para Sb.0( 0.)1 '1.12 0. > e @a. A3tera.1( 1).)( 9.06 1'.m termos de elementos maiores os 3eldspatos são enriquecidos em #l.%( 0.-6 1'.u.10 1(. paragonita e muscovita) estão associadas tanto a alteração de plagiocl?sio quanto a >%3eldspato.1# 1.27 Geo</0*i1a 2o" Fe32"+ato" .9( 0. $icas brancas diversas (sericita.Me" Daussuriti. Aa.28 1'.11 0.'' ''.0( ''.#( 100.6% 100.'' (.07 &.06 11.8# 100.16 1%.(0 0.

Mir*e</ita! ) uma te4tura constitu"da pelo intercrescimento simpl)tico de Eplagiocl?sioLquart.sta te4tura ) tamb)m con*ecida como Emicrogr?3icaJ. X comum em pegmatitos.ação cot)ticaGeut)tica.o e 3eldspato alcalinoJ.oJ. GrLBi1a ! meso%te4tura de intercrescimento Equart. ou ainda a cristali.ação metamHr3ica). .o e 3eldspato alcalinoJ.ação eut)ticaGcot)tica. cristali. .Pertita"! Iamelas de albita intercrescidas no >%3eldspato (ortocl?sio ou microclina). recristali.sta te4tura tem sua origem gen)tica a partir do processo de Ee4soluçãoJ de um 3eldspato alcalino inicialmente *omog5neo (solução sHlida restrita EOr%#bJ).ação cot)ticaGeut)tica. GranoB0ri1a ! constitui um intercrescimento simpl)tico de Equart. e4solução. Dua g5nese tem v?rias interpretaçFes (substituição. . Dua origem gen)tica est? mais ligada Z cristali.

o%^ (< <(87 oA). . % . Zona.4iste o quart./artIo! a 3orma mais comum de DiO 2. +ois ou mais cristais Ecolam%seJ e podem desenvolver uma borda e4terna Bnica sobre os mesmos.-o! cristais de 3eldspatos podem mostrar .SSnne/"i"! re3ere%se a uma te4tura de colamento de cristais de 3eldspatos. &) GR@PO DA SÍLICA Aonstitui o mel*or e4emplo de polimor3ismo (os polimor3os de DiO2). Os nBcleos dos cristais podem apresentar porçFes de mesma composição de suas bordas. Pat1OS Zonin ! constitui uma te4tura de corrosão%.ação 3racionada. +o ponto de vista composicional esta . \ndica processo de cristali. X indicativo de cristali.ação em desequil"brio (cristali.onação de cristais de plagiocl?sio. representados pelos seguintes tipos! % Coe"ita! 3orma de DiO2 de alta pressão e bai4a temperatura. % Cri"to:a3ita! DiO2 de alta temperatura e bai4a pressão.onação ligada ao seu processo de crescimento.onação pode ser tanto normal quanto oscilatHria. % Tri2i*ita! DiO2 de alta temperatura e bai4a pressão (por)m menores do que cristobalita).o%ß (<]180%(87 oA) e o quart.ação 3racionada). .

quer plutônicas ou vulcQnicas.as.o%^ ) a 3orma de s"lica mais comum em roc*as "gneas. ___________________________________________________________ 6) GR@PO DOS FELDSPATJIDES Dão alumossilicatos de Aa. por)m inst?veis na presença de s"lica livre. Prin1i+ai" Cara1ter0"ti1a" Jti1a" #s 3ormas de s"lica são incolores. <i etc) podem e4istir em pouqu"ssima quantidade como impure./artIo ) trigonal e =L (quando de3ormado o quart. Aomumente sH ocorrem em roc*as insaturadas em DiO 2 (sien"ticas.ando%se com 3acilidade. traqu"ticas.le não so3re alteração.o pode ser /L).O quart. bas?lticas etc). O" Ti+o" 2e Fe32"+atCi2e" . .o ) s"lica pura. mostram super3"cies l"mpidas e % t5m relevo bai4o. Quimicamente o quart. outros elementos (9e. por)m ) bastante suscept"vel a eventos t)rmicos recristali. @a e >. Cri"to:a3ita ) tetragonal e = . com composiçFes qu"micas similares as dos 3eldspatos. Tri2i*ita ) ortorrômbica e /L. .

sendo os tipos mais comuns i3*enita 5FeO7TiO&). Oe*atita 5Fe&O6).I) 5?B) % Gr/+o 2a NeBe3ina. de simetria cBbica (são isotrHpicos).Aa)6%1(#l-Di-O26)(DO. Dão do sistema *e4agonal e =%. ?A3Si&O8 > SiO& T ?A3Si6O' 5L1) 5. os quais 3ormam solução sHlida completa a altas temperatura (`10000A). e constitu"do por tr5s indiv"duos que são sodalita. Dodalita b @a1(#l-Di-O26)Al @oseana b @a1(#l-Di-O26)DO6 :a[ana b (@a. tal qual os 3eldspatos alcalinos Or%#b.D)1%2 6) JEIDOS Dão acessHrios comuns em roc*as plutônicas e vulcQnicas. ) do sistema tetragonal (pseudocBbico) e =L. ) representado por dois termos.% Le/1ita! 3eldspatHide pot?ssico (>#lDi2O-).I) 5?B) % Gr/+o 2a So2a3ita. Na5?)A3SiO) > &SiO& T Na5?)A3Si6O' 5Ne) 5. :? solução sHlida a altas temperatura (`1000 0A) entre Esodalita K noseanaJ. ne3elina e Valsilita.I) 5A: o/ Or) ?A3SiO) > &SiO& T ?A3Si6O' 5?a3) 5. são 3eldspatHides calco%sHdicos. e"+inN3io" . noseana e *a[ana.

m roc*as gran"ticas ) comum como mineral secund?rio como alteração de plagiocl?sio.21 -(. es3alerita (Rn)O.60.60 <otal ''.27 0.72 9eO 62.spin)lio (1) (2) (1) (2) DiO2 0.(espin)lio! $g#l2O6.-2 22. )) S@LFETOS Ocorrem em roc*as "gneas como raros acessHrios. e os polimor3os de TiO&! Sutilo (tetragonal) #nat?sio (tetragonal) /rooVita (ortorrômbico) Aomposição qu"mica de alguns H4idos \lmenita \lmenita $agnetita $agnetita Sutilo Aromita .1('. FeO7Fe&O6.17 #l2O7 0.11 1'. 8) FOSFATOS # apatita ) o principal 3os3ato encontrado em roc*as "gneas.16 10. Au).18 0.Ar2O7)..0' '1.0' 1.11 0. \lmenita%2 em sienogranito. cromita! 9eO.60.(( 100.07 $nO 1.0( 0.70 6. .27 100. calcopirita (9e.10 $gO 0.1' 0.88 0.28 0.81 2. $agnetita%2 em mon.16 0. M 5CO6)&O.(( 16.27 AaO 0.1( 100.11 7'.21 0.12 <iO2 (0.60 9e2O7 6. .ogranito.66 7.81 0. () CARDONATOS Aomo minerais prim?rios sH em carbonatitos N1a31ita 5CaCO6) e 2o3o*ita UCa. @o geral se associam a roc*as m?3icas e ultram?3icas Npirrotita (9e).8' ''. Sutilo e Aromita de +eer et al.-( 7.21 Obs! \lmenita%1 em 3errogabro.(1 '8. *a netita. $agnetita%1 de +eer et al.01 12. pirita (9e). X um acessHrio comum em roc*as gran"ticas e dior"ticasGgabrHicas.1( 1'.16 Ar2O7 0. pentlandita (9e.(1 2.1' -1.1( 0.02 (0.670. @i)O e em pegmatitos gran"ticos Ngalena (Mb).16 0.