You are on page 1of 2

Artigo: As crises do petróleo 1.

Introdução Para o melhor entendimento das crises do petróleo dos anos 1970 é necessária uma explanação sobre os acontecimentos relacionados à extração e consumo de petróleo ao longo do século XX. Enquanto o petróleo se tornava a fonte primária de energia mais importante para os países que 0 atravessavam a 2 Revolução Industrial, sua extração se concentrava em regiões do Oriente Médio e do Norte da África. Essas regiões, entretanto, não se beneficiavam do aumento da exportação do produto. O domínio imperialista europeu viabilizava a extração massiva do produto com custos reduzidos e comercialização do petróleo e seus derivados em escala mundial com grandes lucros apenas para as empresas multinacionais (na época, as empresas que viriam a ser chamadas de “7 irmãs”). 0 O cenário começou a mudar após a 2 Guerra Mundial. As regiões exportadoras de petróleo, antigas áreas colônias – protetorados, áreas de mandato ou qualquer outra forma de dominação européia – tornaram-se países independentes. Não apenas: essas antigas áreas coloniais na Ásia e na África lançaram um movimento de valorização política dessas regiões, um possível terceiro pólo de poder em meio à geopolítica da Guerra Fria. Estava lançado o movimento de países de Terceiro Mundo. O terceiromundismo se desdobrou em muitas áreas: produção de conhecimento, formação de alianças entre países pobres e, para os nossos interesses da geopolítica do petróleo, a formação da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (a OPEP), constituída por países pobres exportadores de petróleo concentrados – mas não exclusivamente – no Norte da África e Oriente Médio. Para valorização do combustível extraído nos seus territórios e consumidos no mundo todo, os países da OPEP iniciaram nos anos 1960 uma estratégia de nacionalização da extração, transporte e refino de petróleo. Assim, o controle sobre o comércio mundial de petróleo lentamente passava das empresas privadas multinacionais para os países da OPEP. Nos anos 1970, a Organização já controlava mais da metade do comércio mundial de petróleo. 2. A Primeira Crise – 1973 O terceiromundismo dos países do Norte da África e Oriente Médio, aliados aos ideais do pan-arabismo e do pan-africanismo, se manifestava como oposição aos interesses americanos e europeus na região. Sob a liderança do presidente do Egito, Nasser, os países da região, majoritariamente árabes, se tornavam mais forte na geopolítica regional e mundial. Mas, para esses países pesava um constante empecilho: o Estado de Israel. Criado após a Segunda Guerra Mundial como 1 resultado das pressões do movimento sionista e do O sionismo é o movimento nacional que advoga o princípio do repatriamento dos judeus a seu lar nacional - a Terra de Israel - e o recomeço da soberania judaica neste país (fonte: visaojudaica.com)
1

interesse americano de criar um “Estado-cliente” no Oriente Médio, Israel era um país visto por seus vizinhos árabes-muçulmanos como forma de revitalização do imperialismo. Para piorar, o processo de assentamento de judeus desde o início do século XX com expropriação de terras das populações nativas aumento a animosidade entre os povos (nativos x imigrantes) tornando os judeus um “corpo estranho” na região na visão dos árabes. Com auxílio dos EUA, Israel obteve força militar para vencer os vizinhos árabes em, ao menos, três 2 oportunidades em três décadas . Além disso, Israel feriu o orgulho dos países árabes vizinhos ao expandir 3 significativamente seu território . Os árabes tentaram ir à forra em 1973 na Guerra do Yom Kippur. Com forças militares superiores cultivadas em três décadas de apoio militar americano e com melhor organização militar, os israelenses conseguiram rechaçar o ataque árabe. Após a Guerra os países árabes, majoritários na OPEP que controlava fatias expressivas do petróleo mundial, começaram a utilizar outra arma contra Israel e seus aliados: os preços do petróleo. A OPEP reduziu a produção de petróleo aumentando o preço do produto em mais de 4 vezes. 3. A Segunda Crise – 1979/80 A segunda crise do petróleo ocorreu em meio à forte instabilidade em alguns importantes países produtores que não podiam manter os volumes de exportação do petróleo, especialmente o Irã e o Iraque. O Irã era governado desde os anos 1940 por uma ditadura pró-Ocidente do rei (xá) Reza Pahlevi. Dado seu alinhamento com os EUA no contexto mundial de Guerra Fria e de terceiromundismo entre os países muçulmanos, surgiu uma forte resistência ao seu governo com levante armado nos anos 1970 liderado pelos comunistas iranianos e pelos religiosos xiitas. A luta armada acabou marginalizando os comunistas culminando em vitória dos muçulmanos xiitas em 1979, a derrubada do Xá e implantação da República Islâmica do Irã, um governo confessional (Estado com fé oficial: islâmica) e fortemente antiamericano na política internacional. Devido ao ambiente político conturbado, o Irã, grande exportador de petróleo, não teve como manter seu volume de exportações resultando em aumentos de preços do produto. Mas a situação política da região ainda se agravaria com implicações para os preços do combustível. A perda do aliado Irã não era o fato mais grave para a geopolítica americana no Oriente Médio e Ásia Central. A idéia de um Estado confessional poderia seduzir outras populações, ou ainda, o Irã poderia exportar o ideal revolucionário para países de governos laicos como a Turquia, o Egito e, principalmente, o Iraque. O Iraque, país vizinho do Irã, é de maioria islâmica xiita mas era governado por um ditador sunita: Saddam Em 1947/9 a Guerra de Independência ou Nakba; em 1956 a Guerra de Suez; em 1967 a Guerra dos Seis Dias 3 Guerra dos Seis Dias em 1967 com a conquista de territórios como: Faixa de Gaza e Península do Sinai (Egito); Cisjordânia (Jordânia); Colinas do Golã (Síria). Veja o mapa no “Apêndice a)”.
2

. podemos citar: • Grave instabilidade política nas áreas produtoras que resulta em • Redução do volume de petróleo exportado e • Fortes e permanentes aumentos de preços do petróleo Estes três itens estão presentes nas crises de 1973 e 1979/80. Assim. Mas afinal o que viria a ser uma “crise do petróleo”? Como características. 4. entretanto. o apoio americano poderia significar a derrubada do governo rival hostil e a permanência da sua influência na região. Há. O resultado foi que empresas privadas de petróleo aumentaram a prospecção e extração de petróleo. para o Iraque. Os anos 1980 e 1990 são caracterizados como um período de queda do preço do petróleo com reduzida volatilidade (variação). A Guerra Irã x Iraque duraria 8 anos terminando sem um vencedor claro. com base nesta caracterização. Segundo nossa caracterização. Se o ideal revolucionário de formação de Estados confessionais fosse exportado pelo Irã. Com a redução das exportações de petróleo de Irã e Iraque os preços do produto foram multiplicados por 20 e relação aos valores anteriores à Primeira Crise. o primeiro governo a cair seria o de Saddam. 5. Diante destes temores conjugados. é possível julgar o que e o que deixa de ser uma “crise do petróleo”.Hussein. Esse processo era financiado por países consumidores de petróleo em áreas fora da OPEP. Apêndice a) Territórios ocupados por Israel – Guerra dos Seis Dias: b) Crises do petróleo: caracterização. Assim. Como o Iraque também é grande exportador de petróleo. o envolvimento em uma guerra impediu o país de manter se volume de óleo exportado. não apenas aumentou a oferta de petróleo como também houve redução da participação da OPEP no comércio mundial do combustível. Para os EUA a guerra cumpriria o papel de enfraquecer o governo do Irã que não teria forças para incentivar os ideais revolucionários em outras regiões. Vale lembrar que a VUNESP elaborou uma questão de múltipla escolha no vestibular para UNESP na qual a instituição citou uma Terceira Crise como resultado da invasão do Kuait pelo Iraque em 1990 e a conseqüente Guerra do Golfo em 1991. haveria apenas as duas dos anos 1970. Cenário posterior às Crises: anos 1980/90 Com a Segunda Crise do Petróleo os preços atingiam valores recordes tornando a busca do combustível um negócio de potencial rentabilidade. os EUA incentivaram o Iraque a uma guerra contra o vizinho Irã. informações da imprensa que sugerem a existência de 2 a 5 (!) crises do petróleo.