You are on page 1of 11

X SIMPÓSIO DE ESPECIALISTAS EM PLANEJAMENTO DA OPERAÇÃO E EXPANSÃO ELÉTRICA

X SEPOPE
21 a 25 de maio de 2006 May – 21rstto 25th – 2006
FLORIANÓPOLIS (SC) – BRASIL

X SYMPOSIUM OF SPECIALISTS IN ELECTRIC OPERATIONAL AND EXPANSION PLANNING

Implementação e Validação de Modelos de Seqüência Positiva para Estudos de Estabilidade em Linhas com Religamento Monopolar J. I. ROSSI* Cepel Brasil S. P. ROMÉRO Cepel Brasil A. R. CARVALHO Cepel Brasil O. A. CUNHA Cepel Brasil

SUMÁRIO Este trabalho apresenta e analisa resultados de uma nova implementação, feita no programa de cálculo de curtos-circuitos do CEPEL (ANAFAS), para obtenção de modelos pi equivalentes de seqüência positiva para linhas com defeitos/aberturas monopolares, para uso em estudos de estabilidade transitória. Os modelos abrangem os diversos estágios do processo de extinção do defeito, desde o curto monofásico inicial até o final do religamento monopolar (bem ou mal sucedido). São comparados os resultados de seqüência positiva (tensões e correntes) obtidos pela simulação no ANAFAS dos diversos estágios do religamento monopolar em diversas linhas de sistemas teste e reais com os resultados obtidos utilizando os respectivos modelos equivalentes. As diferenças encontradas são desprezíveis. Algumas características gerais dos equivalentes podem ser verificadas, como: a elevação do valor da impedância série equivalente em relação ao original, geralmente acima de 3/2 do valor original e, em alguns casos, muito acima deste valor, a variação das admitâncias shunt, sensibilidade às alterações na topologia do sistema etc. As diferenças entre as impedâncias obtidas por esta metodologia e as obtidas através de aproximações podem ser grandes o suficiente para que, em situações extremas, se chegue a conclusões errôneas quanto à estabilidade transitória de um caso analisado. PALAVRAS-CHAVE Religamento Monopolar, Estabilidade Transitória, Curto-Circuito, Cálculo de Equivalente. Impedância

*CEPEL – C.P. 68007 – Cidade Universitária – Ilha do Fundão – Rio de Janeiro – RJ – email: juan@cepel.br

contribuindo para a manutenção da estabilidade e. em duas extremidades. Alguns destes modelos podem ser vistos na Figura 1. um para representar a linha com uma fase aberta nas duas extremidades. abertura e curto simultâneos etc. 2 . era transportado pelo circuito desligado. Em [1] é proposto um método para cálculo destes parâmetros equivalentes de seqüência positiva. representação dos efeitos de susceptâncias shunt e de reatores de linha etc. Este possui algumas vantagens como permitir representação de situações com abertura e curto simultâneo. na simulação de um evento que envolva religamento monopolar em um programa de estabilidade transitória como o ANATEM. Validação dos resultados no programa de análise de curtos-circuitos Estando implementado o método de cálculo. Este método se baseia em equivalentes trifásicos de pequenas dimensões. foram feitas diversas simulações com o objetivo de assegurar a precisão dos resultados obtidos com o uso dos equivalentes em relação às simulações das aberturas. Portanto. há um período de tempo em que o circuito sob falta opera com apenas duas fases. os efeitos de uma fase aberta. como margens de erro típicas. Aqui se percebe a necessidade de ao menos três modelos pi equivalentes. há ainda um período de tempo em que a linha opera com duas fases sãs e a terceira conectada em apenas uma das extremidades. uma vez que outras linhas deverão assumir o fluxo de potência que. Estágios de uma simulação dinâmica com abertura monopolar Como citado em [1]. seguida de seu desligamento. 2. os únicos ali representados. características dos equivalentes calculados. neste trabalho. Durante um religamento bem sucedido. Método de cálculo dos modelos pi equivalentes implementado Foi implementado no programa ANAFAS o método descrito em [1]. assim como as situações com equivalentes. com ou sem aterramento. 4. a simulação correta em programas de estabilidade transitória exige um modelo de linha que reflita sobre os parâmetros de seqüência positiva. problemas que podem decorrer do uso de representações inadequadas etc. antes da falta. 1) Abertura das duas extremidades da fase em curto a b c 2) Religamento de terminal líder (com sucesso) a b c 3) Religamento de terminal líder (sem sucesso) a b c Figura 1 – Representações de uma LT durante uma simulação de religamento monopolar 3. a introdução do Religamento Rápido Monopolar (RRM) pode ser uma alternativa econômica para a melhoria da confiabilidade de um sistema. Introdução A ocorrência de falta com subseqüente abertura trifásica de um circuito radial implica na interrupção do fornecimento de energia à parte do sistema servida por tal circuito. outro para a linha com uma fase aberta em apenas uma extremidade e outro ainda para a LT com uma fase aberta em uma extremidade com curto simultâneo. A validação foi feita utilizando o próprio programa de análise de curtos-circuitos. No caso de um religamento malsucedido. da continuidade de fornecimento. por conseqüência. utilizado no programa. pode comprometer a estabilidade do sistema remanescente. a ocorrência de falta em um dos circuitos paralelos. Quando se considera que a grande maioria das faltas em linhas de transmissão é do tipo fase-terra e que destas a maior parte é transitória. ficando aterrada no ponto da falta. que são subprodutos naturais do método geral de solução de faltas [2]. como aberturas de fase em uma extremidade. pode ser necessário utilizar diversos modelos para representar a linha de transmissão. Em sistemas fortemente carregados. pois este é capaz de simular as situações necessárias. são apresentados resultados desta implementação. representação dos efeitos de redução e elevação da tensão de seqüência positiva nos terminais da linha. mesmo não radiais.1. Este método foi implementado no programa de cálculo de curtos-circuitos do CEPEL (ANAFAS) e.

na condição pré-falta. Na Figura 2 vemos. Zauxiliar = Z `. e em seguida alterando os parâmetros para os do equivalente correspondente. Logo. tanto do ramo série quanto dos ramos shunt. à esquerda. é necessário utilizar o procedimento descrito a seguir. de valor 1 / Y’para. Na condição pré-falta ficam representados o ramo série. de valor 1 / Y’de. um com o valor da impedância série equivalente e outro com impedância de valor “Zauxiliar” e susceptância igual à da linha original. com alterações nos três ramos: série. a representação da abertura da fase A. com as três fases sãs. shunt da barra “de” e shunt da barra “para”. À direita. A linha é representada por dois circuitos paralelos. na mesma figura. como mostrado a seguir. Durante a abertura.1. Condição pré-falta Barra De Z’ Barra Para 2) Falta através de impedância Abertura dupla Barra De Z’ 1) Remoção de circuito Barra Para 3) Falta através de impedância Zauxiliar Yde Ypara Y’de Y’para Figura 4 – Uso de circuito auxiliar para simulação da alteração dos parâmetros da linha 3 . de valor Zoriginal. Tendo em vista que o programa de análise de faltas dispõe do recurso de remoção de circuitos. aplicar uma falta através de impedância na barra “De”. a linha passa a ser representada por um modelo pi equivalente de seqüência positiva.4. O paralelo das impedâncias “Z’ ” e “Zauxiliar“ deve ter o mesmo valor da impedância série original da linha. já com o arco secundário extinto e corrente circulando apenas nas duas fases sãs. e uma falta através de impedância na barra “Para”. o paralelo dos dois circuitos tem o mesmo valor do modelo pi original da linha. Para simular a modificação dos parâmetros de seqüência positiva devese remover o circuito auxiliar. utilizando os parâmetros normais de uma determinada linha de transmissão. mas não de alteração de impedâncias. e os ramos shunts em cada barra devidos à susceptância da linha. Barra De Condição pré-falta Barra Para Abertura dupla Barra De a b c Barra Para a b c Figura 2 – Representações trifásicas de uma LT: condição pré-falta e abertura de uma fase Na Figura 3 é mostrada a representação dos parâmetros correspondentes de seqüência positiva da mesma linha para cada situação. Método para simular a modificação de parâmetros da linha As simulações foram feitas partindo de uma situação inicial.Zoriginal Z `−Zoriginal (1) Assim. Barra De Condição pré-falta Zoriginal Barra Para Barra De Abertura dupla Z’ Barra Para Yde Ypara Y’de Y’para Figura 3 – Representação dos parâmetros correspondentes de seqüência positiva para cada situação Portanto é necessário que a linha tenha seus parâmetros de seqüência positiva alterados durante a simulação. a representação trifásica de uma linha.

as simulações de aberturas foram feitas considerando o caso de curto-circuito com carregamento pré-falta. Exemplo de simulação: LT Angra . na simulação de uma abertura simples. Neste tipo de modelagem. com o objetivo de mostrar que os erros percentuais típicos decorrentes do uso dos equivalentes estão dentro de margens aceitáveis. São comparadas tensões e correntes terminais de seqüência positiva de uma determinada linha de transmissão obtidas pela simulação de uma abertura de fase no programa de análise de curtos-circuitos com as tensões e correntes obtidas pela simulação utilizando o equivalente correspondente. e outros elementos shunt não estão representados de nenhuma forma. transformadores com tap fora do nominal etc. As simulações de aberturas associadas a curtos-circuitos foram feitas considerando o caso de curto-circuito sem carregamento pré-falta. Neste trabalho foram utilizados dois casos.8 12. referente ao ano 2005. Os demais ou são geradores equivalentes ou apenas não têm suas características descritas do arquivo de estabilidade. a tensão inicial de todas as barras vale 1/0o pu e os únicos elementos shunt representados na seqüência positiva são os geradores. Os níveis de curto-circuito verificados são mostrados na Tabela I. Tabela I: Níveis de curto-circuito verificados nas barras Angra 500 kV e Grajaú 500 kV Nível de Curto Trifásico (kA) Barra Angra 500 kV Grajaú 500 kV Caso de curto 16. pois este possui representação mais fiel à realidade. Apesar deste ser um caso com algumas impedâncias de valor relativamente afastado do real. o que não é verdade.8 4 . Portanto.9 Caso gerado 13.0 Caso gerado 15. Uma linha de transmissão que atende este critério é a LT Angra . cujas características são descritas abaixo: 1) Caso de curto-circuito ONS referente ao ano 2005 (BR0509B. inclusive os acoplamentos mútuos de seqüência zero. normalmente 1/0O pu. Características dos casos utilizados nas simulações O modelo de rede utilizado correntemente para simulação de curtos-circuitos não possui carregamento pré-falta. 2) Caso de curto-circuito gerado por um conversor a partir de caso anual de fluxo de potência ONS (Anual 05/06 Maio Pesada 19H). 4. esta é representada como sendo idêntica à seqüência positiva.2. Não possui carregamento pré-falta. As informações de reatância subtransitória de unidades geradoras estão preenchidas para 181 de um total de 384. como reatores de barra.Grajaú 500 kV A seguir é mostrado um exemplo de simulação. Elementos shunt como reatores e susceptância de linhas estão representados nas seqüências positiva e zero. não há corrente circulando em nenhum ponto do sistema antes da ocorrência de uma falta e a tensão de todas as barras do sistema é a mesma. combinado com informações de unidades geradoras obtidas de um arquivo de estabilidade eletromecânica ONS também referente ao ano 2005: Como não há informações de seqüência zero nestes arquivos. no subsistema Sudeste.4. pois de outra forma não haveria alteração de correntes e tensões.8 15. sem defeito associado.3 Nível de Curto Monofásico (kA) Caso de curto 17. para as simulações de aberturas sem ocorrência de curto é necessário um caso de curto-circuito com carregamento pré-falta. cumpre o objetivo de permitir comparar resultados de aberturas com resultados de simulações com equivalentes. também no programa de curtos-circuitos. cargas. Sendo assim.8 12. Para este exemplo se buscou uma linha de transmissão que tivesse nível de curto-circuito monofásico e trifásico no caso com carregamento pré-falta próximo do nível de curto verificado no caso de curtocircuito ONS.ANA): Possui a rede de seqüência zero bem representada. Como foi citado acima.3. não haverá nenhuma alteração no sistema em termos de correntes e tensões. como susceptâncias de linhas.2 13.Grajaú 500 kV. Alguns elementos shunt estão representados apenas na seqüência zero. da mesma forma que não haveria qualquer alteração se fosse removida uma linha de transmissão do sistema.

Estão indicadas a corrente de seqüência positiva entrando na linha em Angra 500kV.090 / -45.845 86. A Figura 5 mostra a representação da região próxima a esta linha. À esquerda está a representação trifásica e à direita a representação do modelo pi de seqüência positiva original da linha. em pu. Representação trifásica Angra 500kV a b c Vde = 1.630 90.00 90. o que faz com que o valor da susceptância dos circuitos em Mvar seja o mesmo da susceptância percentual.24 1282.Grajaú 500kV para cada situação Condição 1) Operação normal 2) Abertura da fase A nos dois terminais 3) Abertura da fase A no terminal de Grajaú 4) Abertura da fase A com curto-circuito em Grajaú a) Caso com carregamento b) Caso sem carregamento* Yde (Angra 500kV) Mod (%) Ang (o) 96.10 88.784 52.205 -89. e a corrente saindo da linha em Grajaú 500kV. São diferentes uma da outra devido à susceptância da linha.6o 5 Yde Ypara Grajaú 500kV Representação dos parâmetros de seq.09 92. chamada de “Ipara”.00 63.2o Ide = 675 / -38. em ampéres.67 -86.193 90. a admitância original em cada extremidade vale j 96.248 81.Figura 5 – Representação unifilar da LT Angra – Grajaú 500kV Apesar de não serem iguais aos do caso de curto-circuito ONS. A base de potência adotada é de 100 MVA. A linha possui susceptância total de 193.00 65. Caso contrário seriam iguais e as aberturas simples e dupla seriam idênticas. ou seja.251 454. Os modelos mostrados nas linhas 2) e 3) da Tabela II são diferentes por causa da representação da susceptância da linha.1o Vpara = 1.868 90.094 86. positiva Grajaú Angra 500kV 500kV Zsérie Figura 6 – Representações da LT pré-falta: trifilar e modelo pi de seq.43 290.59 3.499 3.482 87. Tabela II: Valor dos ramos dos modelos pi da LT Angra .50 A Figura 6 mostra a LT antes da ocorrência da falta.58 3. chamada de “Ide”. Estão indicadas também as tensões de seqüência positiva de cada barra.93 87.6o Ipara = 681 / -60.26 Mvar. portanto. metade do valor total. Os valores obtidos pelo cálculo implementado para cada ramo dos modelos pi equivalentes de seqüência positiva podem ser vistos na Tabela II.828 3. com os valores indicados na condição (1) da Tabela II.30 Ypara (Grajaú 500kV) Mod (%) Ang (o) 96. extraída de um diagrama do ONS. os níveis de curto verificados no caso gerado são plausíveis.737 141.355 1426.28 Zsérie Mod (%) Ang (o) 2. positiva .079 / -51.63 %. em módulo (%) e ângulo (graus).20 86.630 90.

4o Vpara = 0.4% e o maior erro de ângulo de 0. utilizando os valores da condição (2) da Tabela II. O maior erro de módulo é da ordem de 2.6o Ipara = 448 / -60. As tensões terminais também caem.8o Ypara Vpara = 0.5 Abertura simples: Simulação com pi equivalente Angra Grajaú 500kV 500kV Zsérie Ypara Vpara = 1. Abertura simples: Simulação trifásica Angra Grajaú 500kV 500kV a b c Vde = 1. À direita estão os resultados da simulação utilizando o modelo pi equivalente da condição (3) da Tabela II.45% e o maior erro de ângulo é de 0.086 / -44.5 Abertura dupla: Simulação com pi equivalente Grajaú Angra 500kV 500kV Zsérie Ypara Vpara = 1.996 / -0. Há novamente uma redução na corrente de seqüência positiva que circula pela linha. Quanto às tensões de seqüência positiva.1o Ide = 1266 / -86.5o Ide = 445 / -37. Abertura dupla: Simulação trifásica Angra Grajaú 500kV 500kV a b c Vde = 1.921 / -0.Na Figura 7.075 / -52.7o Ide = 452 / -27.8o Figura 7 – Resultados da simulação de abertura dupla e da simulação com pi equivalente Na Figura 8.072 / -52.093 / -44.3o Vde = 1. uma vez que a susceptância equivalente da LT fica reduzida em relação à original.4o.9o.093 / -44.3o Ipara = 446 / -61. estão os resultados da simulação de uma abertura da fase A no terminal de Grajaú.6o Ide = 463 / -26. À direita estão representados os resultados da simulação com o modelo pi equivalente.086 / -44.1o Ipara = 272 / -91. se verifica elevação em Angra e queda em Grajaú. assim como suas tensões terminais.1o Figura 9 – Resultados da simulação de abertura com curto e da simulação com pi equivalente 6 . à esquerda.4o Yde o Vpara = 1. O maior erro de módulo é de aproximadamente 0. à esquerda.4o Figura 8 – Resultados da simulação de abertura simples e da simulação com pi equivalente Abertura e curto: Simulação trifásica Angra Grajaú 500kV 500kV a b c Vde = 0. caindo de aproximadamente 675 A para algo em torno de 445 A.8o Yde o Vpara = 1. Podemos ver as correntes de seqüência positiva entrando e saindo da LT.3o Abertura e curto: Simulação com pi equivalente Angra Grajaú 500kV 500kV Zsérie Yde Vde = 0.1o Ide = 1266 / -86.2o Ide = 443 / -37.3o Vde = 1.3o Ipara = 448 / -61. estão indicados os resultados da simulação de uma abertura de fase nas duas extremidades da linha.072 / -52.920 / -0.996 / -0.6o Ipara = 447 / -61.1o Ipara = 274 / -92.074 / -52. A linha operando com apenas duas fases passa a transmitir menos corrente de seqüência positiva.

2/3 da corrente que conduziria normalmente. Nas demais situações. o ramo série resultante pode ter valores diversos. A impedância série seria. que passaria a ser 2/3 da original.4%. Análise dos ramos equivalentes obtidos na LT Angra .74% e o maior erro de ângulo é de 0. não necessariamente próximos de 3/2 da impedância original. o que ocorreria se Z0 e Z2 fossem próximos do valor Zoriginal. Noção intuitiva e modelo em componentes de seqüência Uma aproximação intuitiva comum é a de que uma linha de transmissão operando com uma fase aberta teria admitância série equivalente a 2/3 da original.Grajaú e seus modelos pi equivalentes são representativos do comportamento geral verificado em uma grande quantidade de simulações realizadas. temos que a impedância série equivalente “Zequiv” de uma linha com um terminal aberto vale a impedância original de seqüência positiva desta em série com o paralelo das impedâncias de seqüência zero e negativa percebidas no ponto de abertura: Zequiv = Zoriginal + (Z 0 // Z 2) Representação trifásica a b c Z2 Representação de seqüência positiva Z0 Zoriginal (2) Figura 10 – LT com uma fase aberta: Representação trifásica e obtenção do ramo série equivalente pela análise em componentes de seqüência Portanto. o que reflete a queda na tensão de seqüência positiva das duas barras constatada na simulação. um caso sem carregamento pré-falta não apresentaria nenhuma modificação de tensões ou de correntes. podemos ver que o ramo série passa a ter impedância mais elevada. e que seu módulo. o que é um valor aceitável. pelo fato de esta conduzir. Isto pode ser encarado como uma casualidade pois não ocorre para todas as linhas.2. 5. Um grande número de simulações foi feito na etapa de validação desta implementação e os maiores erros encontrados foram sempre desta ordem. a grosso modo. Esta simulação foi feita utilizando o caso-base de curto-circuito sem carregamento pré-falta. Características dos modelos pi equivalentes A seguir são descritas algumas características gerais verificadas nos equivalentes obtidos através desta metodologia.Grajaú 500kV Os resultados da simulação feita para a LT Angra . Portanto. A susceptância shunt nas duas extremidades se reduz. Conclusão semelhante se estenderia à susceptância da linha. Pode-se observar que houve uma redução para aproximadamente 2/3 do valor original. 5. é aproximadamente 1. podemos fazer as seguintes constatações: • Na condição (2). portanto.828 %. maior portanto que 3/2 da impedância original. abertura das duas extremidades simultaneamente. 3/2 da original. à esquerda.8o. O maior erro de módulo é de 0. de 3. o maior erro verificado neste exemplo é de 2.1. Observando os valores da Tabela II. como era de se esperar. ignorando a susceptância.Na Figura 9. por ser este mais fiel à realidade e por ser uma condição que envolve curto. em conjunto com os resultados obtidos nas simulações. Entretanto. À direita estão os resultados da simulação utilizando o pi equivalente da condição (4b) da Tabela II. estão os resultados da simulação de uma abertura da fase A com uma falta monofásica aplicada. porém o valor de 2/3 pode ser usado como uma referência. 5. 7 .8 vezes maior que a impedância de seqüência positiva original. pela dedução em componentes de seqüência.

diferentes entre si. por exemplo. o ramo se comporta como um reator. um modelo pi equivalente se aplicará a uma LT em uma determinada configuração. o shunt equivalente se mantém capacitivo. Em Angra. Influência da topologia da rede Uma característica importante dos equivalentes obtidos é que seus valores não dependem apenas dos parâmetros da linha de transmissão em questão.10 87.3. seus equivalentes para aberturas simples (condições (2) e (3)). uma vez que a fase está aberta. 5. Tabela III: Parâmetros do modelo pi equivalente da LT Angra .784 52. ou ainda menos. em módulo.819 Ang (o) 86. as LTs não possuem susceptância shunt representada.819 % e há alterações também nos ramos shunt obtidos. com a seqüência zero representada corretamente e a seqüência positiva contendo os demais elementos shunt (além dos geradores) representados. Os ramos shunt são. podendo valer. se encontra desligada. refletindo a elevação da tensão de seqüência positiva nesta barra. Na condição (4). A representação mais adequada seria aquela resultante da união das bases de curto-circuito e fluxo de potência. mas também das impedâncias equivalentes do restante do sistema. não sendo uma característica única da linha.• Na condição (3). abertura de uma extremidade associada a curto-circuito. na qual há abertura associada a curto-circuito. mas não em Grajaú. Se uma linha originalmente não possui susceptância shunt. 80o. utilizando a impedância série calculada para a condição de abertura simples (representando uma fase aberta) 8 . Representação inadequada de abertura e curto simultâneos Não é incomum simular a condição (4). Na Tabela III pode-se ver os valores dos ramos do modelo pi considerando uma abertura dupla para a configuração inicial (situação (2) da Tabela II) e. assim como a linha original. que está próxima. Estes dois ramos para a terra são fundamentais para a correta representação desta situação particular. sem resistência. com valores diferentes entre si. o que condiz com a abertura nesta extremidade. porém há variação nos ramos shunt. pois deve haver corrente de curto em Angra.80 Ypara (Grajaú 500kV) Mod (%) 63. modificações na configuração da rede como desligamento de linhas próximas ou alteração do número de unidades geradoras em operação em determinado barramento podem acarretar modificações nos parâmetros calculados. ou seja.4. O valor da impedância série equivalente aumenta para 4. • Observação: usualmente.09 92.518 Ang (o) 90. apenas um ramo série. Em Grajaú ocorre o contrário. Outra constatação é a de que o ângulo destes ramos pode se distanciar dos ângulos retos. Mesmo assim. Portanto.27 Dependendo da topologia e das características do sistema.737 77.828 4. Em Grajaú. redução da susceptância. novamente. Nestes. 70o.04 Zsérie Mod (%) 3. impedância de valor igual a 3/2 da original. 5. também não terão admitâncias shunt. o que pode trazer imprecisão para simulações utilizando apenas um valor em Mvar.Grajaú para abertura dupla Yde (Angra 500kV) Topologia da rede Caso base Remoção LT Grajaú Adrianópolis Mod (%) 65.93 89. os casos de curto-circuito não possuem carregamento pré-falta. portanto. a representação com somente o ramo série equivalente obtido por esta metodologia é mais próxima da realidade do que outras alternativas como. Em Angra surge uma admitância de módulo elevado e ângulo próximo de -90o. Os ramos para a terra ficam. porém com um valor maior que o original. verificamos que o ramo série tem valor bastante parecido ao da abertura dupla. abertura apenas da extremidade de Grajaú. alterações podem ter maior ou menor impacto nos parâmetros dos modelos calculados. Portanto. logo abaixo. entre outras coisas. a susceptância equivalente é maior que a original. o módulo da impedância série se reduz um pouco em relação às duas condições anteriores. os valores obtidos quando a LT Grajaú .331 Ang (o) 90. mas resultado da interação entre esta e o restante do sistema.Adrianópolis.

Rio das Éguas (500 kV) tem sua impedância aumentada em 4. o chamado Reator de Curto pressupõe que o sistema esteja equilibrado. Entretanto.39 % em módulo). o que é insuficiente para simular o evento simultâneo de abertura e curto-circuito.698 / -0.7 vezes maior que a original. possui impedância equivalente 9.3o Vde = 0. O valor da impedância série utilizado nesta simulação é o da condição (3) da Tabela II. O método utilizado neste trabalho representa corretamente o efeito simultâneo da abertura e do curto.Tijuco Preto. outras um valor consideravelmente maior. A LT S. Na Figura 11 vemos os resultados da simulação da abertura com curto associado e os desta representação incorreta.5.920 / -0.1o Ide = 1266 / -86.4o Ipara = 3726 / 94.2o Ide = 496 / -87. intuitivamente parece razoável que a impedância série de seqüência positiva de uma linha durante o tempo morto do religamento monopolar seja 3/2 do valor original. pelo fato de haver duas fases conduzindo corrente ao invés de três. nesta linha não faz sentido o religamento monopolar pela presença de um elo DC em sua extremidade.892 / -0.1o Ipara = 272 / -91. Os erros chegam a 1200%.9 j 5225. de 765 kV. Foi constatado que os resultados obtidos com a representação inadequada são bastante imprecisos. gerando equivalentes corretos para esta condição. Entretanto. Por sua impedância ser relativamente pequena (0. circuito 1.996 / -0. que representa a abertura da extremidade em Grajaú. e.5. como foi mostrado no item 4.2 vezes e a LT Montes Claros . e representa com grande precisão uma falta monofásica. por um lado. Na Tabela IV são mostrados alguns exemplos calculados a partir do caso sem carregamento pré-falta. ou 5225 Mvar.Irapé (345 kV) 3. A LT de 500 kV entre Itá e Garabi possui impedância equivalente aproximadamente 25 vezes maior que a original.6 vezes. De fato.3. percebe-se que praticamente todas possuem relação Zequivalente / Zoriginal acima de 1.2 %. O reator de curto calculado para a dita barra vale 390. A linha Itaberá . a única diferença entre esta representação e uma falta monofásica na barra de Grajaú é a modificação do valor do ramo série. é ainda mais recomendável o uso do modelo pi equivalente nas condições de abertura e falta simultânea. Esta associação não é correta pois. por este ser mais próximo da realidade do que o caso gerado.associada a uma falta através de impedância de valor Z0 + Z2 ou algum valor aproximado (representando os efeitos de uma falta monofásica).9%. a relação entre a impedância equivalente obtida pelo método e a impedância original é bastante influenciada por fatores como topologia e parâmetros da rede na região onde se encontra a LT objeto de análise. Portanto. de 500 kV. possui 9 . Os ramos shunt mostrados na condição (4) da Tabela II não aparecem na representação inadequada. quando se calculam os parâmetros equivalentes para uma grande quantidade de linhas. a impedância de abertura calculada não inclui os efeitos do curto. Algumas têm valor ligeiramente maior que este. o impacto desta alteração pode ser maior ou menor de acordo com o estudo que esteja sendo feito (carregamento. e por outro. contingências etc). A LT que liga Miracema e Lajeado.0o Simulação com ramo série e reator de curto Angra 500kV Zsérie Grajaú 500kV Figura 11 – Simulação incorreta de abertura com curto associado Os erros observados na simulação desta situação utilizando o modelo pi equivalente calculado pelo programa são de aproximadamente 0. Relação entre impedância série original e impedância equivalente Como mencionado no item 5.1.4o Vpara = 0. pois esta representação se aproxima muito de uma falta monofásica simples.0o Vpara = 0. Abertura e curto: Representação trifásica Angra Grajaú 500kV 500kV a b c Z0 + Z2 Vde = 0. 5. Mesa . o que não é verdade quando há uma fase aberta.

considerando a LT Itá .751 Ang ( ) 85. ou seja. circ. 1) Mod (%) 4. Na Figura 12 é mostrado um exemplo de simulação dinâmica de religamento monopolar bem sucedido.65 87. ou valendo 3/2 da original. S.37. Na última linha desta tabela.93 9.15 83. Esta diferença pode ser suficiente para resultar na atuação de um Esquema de Controle de Emergência. Esta variedade de resultados possíveis também reforça a importância do uso dos equivalentes em simulações.37 Esta análise mostra que o comportamento do modelo pi calculado pode ser bastante variado. ou reduzir a tensão das barras terminais em comparação com a simulação baseada em 3/2 da impedância original.745 5. o fato do sistema em determinado local ser radial ou malhado etc.93 88.751 1. com curto-circuito monofásico próximo do terminal de N. vemos o valor do equivalente da mesma linha. Em casos limítrofes.5 vezes maior.041 1.541 18.Tijuco Preto (765 kV.Rio das Éguas (500 kV) Montes Claros .490 2. O gráfico mostra a tensão de seqüência positiva em Nova Santa Rita com as duas modelagens: considerando a impedância equivalente calculada pelo programa (parâmetro calculado) e considerando o valor de 3/2 da impedância original (parâmetro aproximado).20 3.79 87. Podemos ver que a relação fica em 1. ou mesmo menos que 3/2. a queda de tensão durante o tempo morto é mais acentuada.24 84.390 2.252 0. Não se pode afirmar que necessariamente um erro no valor da impedância equivalente de determinada ordem vá implicar em resultados distantes da realidade. tendo em vista que um dos objetivos do religamento monopolar de linhas de transmissão é evitar a abertura angular excessiva entre barras a fim de manter a estabilidade transitória do sistema.79 4. 1) Itaberá .634 2.27 88. tendo em vista que inúmeros outros fatores podem influenciar uma simulação. como: o carregamento do sistema.50 1. uma impedância equivalente alta pode reduzir bastante a transmissão de potência ativa na linha. alterações na topologia da rede como linhas em manutenção podem elevar ainda mais este valor.5.68 87. o uso de impedância aproximada em detrimento da fornecida por cálculos adequados pode levar a conclusões equivocadas como considerar um caso que na verdade é instável como sendo estável.06 86. em alguns casos. porém calculado considerando o caso com carregamento pré-falta.043 3. Entretanto.400 Ang ( ) 85.66 1.Tijuco Preto (765 kV.45 o Zequivalente Zoriginal 24.Garabi (500 kV) Miracema .Nova Santa Rita 525 kV.Irapé (345 kV) Itaberá . Esta aproximação pode estar. portanto abaixo de 1. Em outros. circ.impedância equivalente 1. Como a impedância obtida por cálculos é maior que 3/2 da original. Como se viu acima. com impedância série equivalente bastante maior que a original. 10 . Tabela IV: Valores de impedância série de seqüência positiva original e equivalente Zsérie original Linha de transmissão Itá .826 11. não raramente se utiliza o valor de 3/2 da impedância original para representar a abertura monopolar em simulações dinâmicas. bastante distante da realidade. 6. é um caso em que a impedância equivalente vale 3/2 da impedância original. em alguns casos o valor equivalente pode chegar a ser 25 vezes maior que o original.Lajeado (500 kV) Serra da Mesa .70 87. Simulações dinâmicas Como o cálculo manual da impedância de seqüência positiva equivalente é bastante trabalhoso.70 o Zsérie equivalente Mod (%) 106. pois do contrário pode-se estar incorrendo em aproximações distantes da realidade. Rita.11 86.

impedâncias série equivalentes que podem chegar a ser substancialmente maiores que 3/2 da impedância original de uma linha etc. IX SEPOPE – Simpósio de Especialistas em Planejamento da Operação e Expansão Elétrica. no. a representação mais usual. Conclusões Neste trabalho foram apresentados resultados da implementação do método de cálculo de modelos pi equivalentes de seqüência positiva para estudos de religamento monopolar em programas de estabilidade.Figura 12 – Simulação dinâmica: Tensão na barra NOVA SANTA RITA 525 kV com parâmetro calculado e com 3/2 da impedância original 7. Brandwajn. A comparação dos resultados de simulações de aberturas no programa de curtos-circuitos com resultados de simulações utilizando os respectivos modelos pi equivalentes resultou em erros pequenos (da ordem de 1%). W. as impedâncias série de todas as condições e as admitâncias shunt apenas de situações de abertura e curto-circuito associados. variação das admitâncias shunt de forma a representar os efeitos de elevação e queda das tensões terminais das linhas de acordo com o tipo de abertura em questão. mostrando que a implementação é confiável. Tinney. "Modelo de Seqüência Positiva de Linhas com Abertura Monopolar para Estudos de Estabilidade Transitória". “Generalized Method of Fault Analysis”. June 1985. R. Além disto. permitem uma representação mais próxima da realidade do que outros métodos aproximados. apresentado em [1]. não possuem admitâncias shunt nas situações de abertura sem curto-circuito associado. Roméro. IEEE Transactions on PAS. ramos shunt equivalentes de situações de abertura e curto simultâneos. 8. L. mesmo usando casos sem carregamento. efeitos de alterações na topologia do sistema como LTs em manutenção ou unidades geradoras desligadas nos modelos equivalentes. os modelos são calculados de maneira rápida e sem necessidade de cálculos manuais. encontrar susceptâncias shunt equivalentes. P. vol. H. se chegue a conclusões opostas quanto à estabilidade de um caso analisado. no programa de análise de faltas simultâneas do CEPEL (ANAFAS). S. Este método permite simular situações de abertura e curto simultâneos. F. em situações limítrofes. Rangel. pp. Bibliografia [1] S. Os modelos pi equivalentes obtidos a partir de casos sem carregamento pré-falta. Foram vistas algumas características gerais dos modelos pi resultantes. D. 6. Entretanto. A representação equivalente é mais precisa quando há unicidade entre dados da representação de curtocircuito e da de fluxo de potência. F. 1301-1306. representar efeitos de shunts de linha etc. [2] V. Varricchio. efeitos da representação inadequada de abertura e curto simultâneos com resultados muito distantes da realidade. 104. 11 . como elevação da impedância série. Maio de 2004. As diferenças entre os valores dos modelos equivalentes baseados em 3/2 da impedância original e os modelos obtidos pelo método implementado podem ser grandes o suficiente para que. Oliveira.