You are on page 1of 38

Prof. Esp. Tiago Aquino (Paçoca)
• Graduado em Ed. Física e Especialista em Ed. Física Escolar (UNIFMU-SP);

• Docente universitário (UNIBAN - SP), da Pós-Graduação em Recreação e Lazer
(UNIFMU - SP) e ENAF (MG); • Prof. palestrante em universidades e em eventos da área de esporte e fitness;

• Vice-presidente da ABRE (Associação Brasileira de Recreadores);
• Pesquisador na área da Recreação e Lazer com produção científica. • Colunista em "Lazer e Recreação" do Portal da Educação Física

• Professor da Green Book School e Colégio Emilie de Villeneuve
• Diretor Pedagógico da TV EDUCADOR (Youtube)

• Co-autor do livro “Manual do Lazer e
Recreação” pela Editora Phorte/ 2010.

precisamos de humanidade” (Charles Chaplin) .Humanização Lúdica “Mais que de máquinas.

. ... Libera a energia..Atividade Lúdica .

.....Entendendo a teoria. Teoria + Prática= Ação realizada com sucesso .

Em qual tempo estamos? .

. Tempo do Cotidiano Tempo de Produção e de Obrigação Tempo de Tempo Livre Necessidades Básicas ....Entendendo os Tempos..

Discussão Inicial Lazer Recreação .

A. com caráter de espontaneidade e livre-arbítrio. Gonçalves. 2010. . que apresentem resultados positivos na formação integral do indivíduo Silva.Lazer “Lazer é a preparação e a ação psicológica em realizar determinada tarefa no seu tempo livre. em participação individual ou coletiva. K.F. Manual de Lazer e Recreação: o mundo lúdico ao alcance de todos. na busca de momentos prazerosos e alegres.C. T. São Paulo: Phorte.G.

J. familiares e sociais”. Lazer e cultura popular. Dumazedier. 1973. seja para repousar. . sua participação social voluntária ou sua livre capacidade criadora após livrar-se ou desembarcar-se das obrigações profissionais.Lazer “Um conjunto de ocupações as quais o indivíduo pode entregar-se de livre vontade. São Paulo: Perspectiva. seja divertir-se ou ainda para desenvolver sua informação ou formação desinteressada.

Recreação “A recreação deve ser entendida como um momento ou situação que proporciona alegria e prazer. . que busca satisfazer as vontades e os desejos alcançados pelo lazer”.

Áreas de Atuação Hospital Casa de Festas Filantropia Spa Clubes Colônias de Férias Piscina Condomínios Residenciais Hotel Acampamento e Acantonamento Empresa Escolas À Bordo ??? .

ÁREAS DE ATUAÇÃO CARACTERÍSTICAS DAS ATIVIDADES Acampamentos e Acantonamentos Meios de Transporte Atividades ao ar livre e junto à natureza Atividades com pouca movimentação Buffet e Casa de Festas Clubes e Espaços Esportivos Condomínios Residenciais Jogos Temáticos para espaços restritos Jogos Pré-Desportivos Atividades com ou sem materiais Empresas e Espaços de Negócios Jogos com foco nas competências .

Associações (Filantropia) Hospital Hotéis e Colônias de Férias Spas e Espaços de Saúde Escolas e Espaços de Ensino Piscinas e Parques Aquáticos Atividades tradicionais Jogos Teatrais Atividades para diversos espaços Jogos de Sociabilização Jogos Educativos Jogos Aquáticos .

Jogos de Socialização .

Jogos de Socialização Os Jogos de Socialização são definidos como atividades que visam a interação e integração dos participantes envolvidos. . deixando o ambiente confortável e descontraído.

Organização Pouco contato Multi contato .

Jogos de Socialização Bola da Vez Balões ao Ar Telefone Corporal sem fio Jogo da Pergunta Não vale dizer sim ou não! Massagem com bolas Quarteto Maluco Mão naquilo .

.C. V. Música – Quando eu Digo Sim.C..G. posso ir sozinha ou com outros amiguinhos”. Cuco . Se não for. 6 anos. me chama lá em casa.M.A Vida e o Jogo “E aí vamos jogar? Se você for..

Discussão lúdica Jogos Brincadeiras Atividades Lúdicas Rodas Cantadas .

Tem por objetivo o desenvolvimento de alguma habilidade motora ou na sua aquisição. sendo-o quase que imprescindível para quem joga. Se bens conduzidos. 4. e 5. baseado nos conceitos éticos e morais. Assume identidade única.Jogo 1. 2. 3. as quais são pré-estabelecidas no início ou construídas durante a prática e devem ser cumpridas à risca. pois a cada jogo contém ações inéditas. pois o jogador toma a iniciativa de jogar em busca de um sentimento de prazer. Ação de caráter voluntário. . A existência das regras. apresentam aos indivíduos valores de participação e integração.

5.Brincadeira 1. A existência das regras simples ou a inexistência das mesmas. Caracteriza o ato de divertimento. não preocupados com a razão ou com a sua formatação. Liberdade na sua construção e ao praticar. e 6. segundo as diretrizes da ludicidade. 2. criando ponte entre os mundos: imaginário e real. 3. Ausência de tensão e não-compromisso com resultados. 4. Enorme dimensão simbólica. na busca prazer e alegria. . Tem por objetivo a diversão.

Rodas Cantadas .

M.C. pois permitem a exploração do movimento na concepção ampla de diversão para quem pratica”.G. 2008) . M.H.A..F. Araujo.Rodas Cantadas “A prática das rodas cantadas tem a possibilidade de ruptura com a dança oriunda das cortes... Gonçalves. T.. K. com gestos e seqüências padronizadas e estereotipadas. (Costa e Silva.G. Costa e Silva.

(3) Dança Tropical (9) Seu Mathias (1) Pantera Cor de Rosa (15) Pai Jacó (5) Dança do Chep Chep (6) A história da Serpente (12) A cobra (14) Pipoca na Panela (19) Dança do Minuê (2) Samba Lê Lê (8) Raich (4) Tomatinho Vermelho (18) .Rodas Cantadas Eu sacudí...

Jogos para Espaços Restritos .

Atividades como Passatempos Apito Oculto Escultura Valiosa Quem trocou de lugar Minha vida em 15 seg. Aponte o que ouviu Estória Improvisada Copor Contorce Barreira do Som Tibitar Rua e Viela Presente de Grego Jogo do Putz e Bat Pega-Pega $$ do Ladrão Jokem Pô na Selva .

RECREAÇÃO E AS FASES DA VIDA .

Pouca capacidade de manter a atenção e a concentração por muito tempo. motora para as habilidades básicas. Posturas e atitudes egocêntricas.Crianças de 3 a 6 anos 1. concentrando as atenções em si. Participação em jogos feitos por pequenos grupos de indivíduos. Boa coord. 4. . 3. exigindo troca constante de atividades. ƒ 2. 5. Vive o mundo do faz de conta.

6. ƒ . relacionando-as com as novas. 3. Diferente desenvolvimento muscular e de habilidades motoras entre os gêneros. Compreensão das experiências já vividas. As meninas estão preocupadas com a imagem social (roupas e maquilagem) e os meninos ainda são infantis. 5. 4. ƒ 2.Crianças de 7 a 12 anos 1. Transição do egocentrismo para a socialização. Participação na construção dos jogos. Influência direta dos modismos dos adultos e da mídia.

3. 6. Grande interesse por assuntos culturais e artísticos. Apreciação de atividade ao ar livre e junto à natureza. 5. Desprezo pelas atividades físicas. Necessidade de autoafirmação. Conflitos de personalidade.Jovens 1. 2. Tendência ao aperfeiçoamento das habilidades motoras. . 4.

Dificuldade de se expor perante um grupo de pessoas. Revalorização da atividade física e esportiva. . 2. 3.Adultos 1. Maior participação em atividades grupais que em individuais. 4. Ápice de suas competências motoras e intelectuais.

Melhor Idade .

2. Interesse e entusiasmo na prática da atividade. favorecendo a socialização e a solidariedade. quando envolve outras pessoas de mesma idade. Aprsenta alterações corporais relevantes para a prática do Lazer e Atividade Física.Melhor Idade Cognitivo 1. . Apreciação das atividades realizadas em grupo. 3.

Atividades como Passatempos Escultura Valiosa Estória Improvisada Jokem Pô na Selva Tibitar Rua e Viela .

Rio de Janeiro: Sprint. Vânia Maria (org. GONÇALVES.11 – 36.R. 2006. K. 1971. Brincadeiras e jogos Aquáticos.H.F. A. Campinas: Papirus. FERNANDES. São Paulo: ÍCONE. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 2º. São Paulo: Rideel. ed. João Luiz. 2010. ed. Manual de Lazer e Recreação: o mundo lúdico ao alcance de todos.) et all. Recreação em ação. • PIMENTEL.).G.A.C. Repertório de atividades de recreação e lazer: para hotéis. • COSTA E SILVA. GONÇALVES. M. 2º. estratégias e atuação profissional. Tânia Dias.G. • HUIZINGA.. 1973. Trabalho apresentado no ENAREL 2008 – Encontro Nacional da Recreação e Lazer. Pedagogia Lúdica: jogos e brincadeiras de A a Z. Rodas cantadas: uma possibilidade educativa e divertida de movimento. • DUMAZEDIER. 2002. São Paulo: USP. acampamentos. prefeituras e outros. PHORTE.H. São Paulo: Perspectiva. K. 2002.F.G. Lazer e cultura popular.. I. Jundiaí: Fontoura. COSTA E SILVA. Luiz Octávio de Lima. Johan. In: CAVALLARI.A. (org. p.C... 2008. MARTINS. clubes. M. Lazer: fundamentos. G. 1999. • MARCELINO. Uma política de Lazer. .C.. • COSTA E SILVA. 2003. T. São Paulo.Referências Bibliográficas • CAMARGO. Joffre. • DELUCA. • QUEIROZ. N. ARAUJO. São Paulo. T.

com. Tiago Aquino (Paçoca) Orkut: Tiago Aquino (Paçoca) Twitter: tiago_pacoca Youtube: Professor Paçoca Home: www.Obrigado pela Atenção!!! Prof.professorpacoca.br “Se você pode sonhar.com.br Email: pacoca@professorpacoca. também pode fazer” (Walt Disney) . Esp.