You are on page 1of 20

1

José Aristides da Silva Gamito (Org)

LATIM CIENTÍFICO Pronúncia e vocabulário

Conceição de Ipanema 2009

2

TAXONOMIA E O USO DO LATIM 1. Regras Internacionais de Nomenclatura Para que a linguagem taxonômica seja uniforme, convencionou-se uma série de regras que deverão ser observadas em qualquer trabalho científico. Eis algumas dessas regras:
• •

Todos os nomes científicos devem ser escritos em latim. Quando forem derivados de outra língua, deverão ser latinizados. O nome da espécie é binominal e deve ser sublinhado, itálico ou grifado: o primeiro termo indica o gênero e o segundo é o termo específico. Salvo algumas exceções, o segundo termo e escrito com inicial minúscula. Exemplo:Canis familiaris.

As designações dadas segundo essas regras são chamadas nomes científicos. Exemplo: Nome científico: Felis catus; Nome vulgar: gato.

Por ser único e universal, o nome científico facilita a comunicação entre pessoas que falam diferentes idiomas e mesmo entre pessoas de diferentes regiões geográficas de um mesmo país, pois as espécies de seres vivos recebem nomes vulgares oupopulares que variam de região para região e de idioma para idioma. Ora, sendo os nomes científicos escritos em latim, faz-se necessário que o Professor(a) de Ciências Naturais conheça as regras básicas de pronúncia desta língua, já que irá utilizá-las para apresentar os nomes dos seres vivos aos seus alunos. 2. Alfabeto latino Na época clássica, o alfabeto latino compreende 21 letras, das quais apenas uma não é usual, o K (k). São elas: A (a), B (b), C (c), D (d), E (e), F (f), G (g), H (h), I (I), L (l), M (m), N (n), O (o), P (p), Q (q) R (r), S (s), T (t), V (u), X (x). 3. Regras básicas de pronúncia do latim A pronúncia do latim tem sofrido, nos muitos países em que é estudado, adaptações às características fônicas da respectiva língua nacional. Essa pronúncia, que se cristalizou no decorrer dos séculos em cada país, é chamada hoje de pronúncia tradicional. No Brasil, tem tido ampla difusão não só a pronúncia portuguesa, mas também, através da Igreja, a pronúncia de influência romana hodierna. Estudos lingüísticos realizados, desde o século XIX, pelos comparativistas levaram a reconstituir aquela pronúncia que teria sido a da elite culta de Roma no período clássico de sua literatura (nos dias de Cícero, Horácio, Vergílio); essa pronúncia é conhecida hoje como restaurada ou reconstituída.

3

As principais características da chamada pronúnciareconstituída, ou também restaurada, exatamente a que vem sendo adotada em escolas de todo o mundo, baseada em pesquisas recentes sobre os mais prováveis sons que os Romanos atribuíam a cada letra, embora não haja em alguns pontos um uniformidade de opiniões. Os sons correspondentes às letras do alfabeto em latim têm a mesma característica da pronúncia em português, com algumas pequenas diferenças, que apresentamos a seguir: As vogais devem ser pronunciadas com o som original da letra, mesmo quando não são tônicas. Por exemplo: em português, a palavra "belo" pronuncia-se ''bélu''; já em latim, a palavra ''bello'' pronuncia-se ''bélo''. Em português, a palavra ''triste'' pronuncia-se ''trísti''; já em latim, a palavra ''Christe'' pronuncia-se ''kríste''. A palavra ''objeto'' em português pronuncia-se ''objetu''; em latim, a palavra ''objecto'' pronuncia-se ''obiékto''. Isto é, as vogais são sempre pronunciadas com os seus sons originais. Note-se a existência dos grupos vocálicos 'oe' e 'ae', que são pronunciados como 'e' aberto. Por exemplo, 'coelum' pronuncia-se 'célum'; 'laetitia' pronuncia-se 'letícia'. Algumas consoantes assumem sons diferentes, conforme o caso: A letra ''t'' antes de ''i'' tem som de ''s'', quando a sílaba não é tônica. Ex.: ''gratia'' pronuncia-se ''grássia''; ''locutio'' pronuncia-se ''locússio''; ''fortiori'' pronuncia-se ''forsióri''. A letra ''j'' tem sempre som de ''i''. Ex.: ''jus'' pronuncia-se ''iús''; ''Jesus'' pronuncia-se ''iésus''; ''jacta'' pronuncia-se ''iácta''. O grupo consonantal ''ch'' tem som de ''k''. Ex.: "pulcher" pronuncia-se "púlker"; ''charitas'' pronuncia-se ''káritas''; ''chorda'' pronuncia-se ''kórda''. O grupo consonantal ''gn'' tem som de ''nh''. Ex.: ''ignis'' pronuncia-se ''ínhis''; ''cognosco'' pronuncia-se ''conhósco''; ''regnum'' pronuncia-se ''rénhum''. O grupo consonantal ''ph'' tem som de ''f'', igual ao português arcaico. Obs.: Em geral, não há palavras oxítonas. O uso das consoantes 'j' e 'v' na língua latina: Os romanos da época de Cícero (século I a.C.) não conheciam os sons correspondentes às consoantes 'j' e 'v', utilizando as letras 'i' e 'u', respectivamente. Só a partir do século XVI, nos dicionários e livros escolares começaram a aparecer estas consoantes na grafia das palavras, todavia a pronúncia continuou sendo correspondente à das vogais 'i' e 'u'. Isto quer dizer que estas consoantes não pertencem ao latim clássico, mas foi já uma influência reversiva das línguas latinas sobre a língua mãe. Particularidades da pronúncia reconstituída Estas são as principais características da pronúncia restaurada (entre parênteses a pronúncia e a marcação do acento tônico):

4

a) c soa sempre como k: Cicero (Kíkero) b) g sempre como gue ou gui: angelus (ánguelus) c) h é levemente aspirado, quase como o h do inglês d) j soa sempre como i (nos livros recentes, de fato, o j é sempre substituído, na escrita, pelo i) e) m e n nunca são nasais: campus (ká-m-pus, e não kãpus) f) r nunca como rr: Roma (róma, com o r pronunciado como embarato) g) s sempre como ss: rosa (róssa) h) u do grupo qu é sempre pronunciado: qui, quem (kúi, kúem) i) v sempre como u: vita (uíta) (nos livros recentes o v é sempre substituído, na escrita, pelo u) j) x como ks: maximus (máksimus) l) z como dz: Zeus (dzeus) m) os ditongos “ae” (æ) e “oe” pronunciam-se como “e”; Quando a e e não formam ditongos, devem ser pronunciados distintamente, neste caso deve-se colocar um trema sobre o e. Exemplos: Aërángis, Aëránthes, Aërides, Aëdes aegypti. Os ditongos são indicados pelas letras: Ae (ae), Oe (oe), Au (Au) n) as vogais mantêm sempre seu som original, em qualquer posição que ocupem no vocábulo, evitando-se pronunciar o “o” como “u” e o “e” como “i” no final das palavras; o) as letras restantes (a, b, d, e, f, i, l, o, p, t, y) são pronunciadas como em português. Última observação: letras dobradas como ll, tt, mm, etc., devem ser pronunciadas separadamente: uma coisa é coma e outra écomma. 4. Acentuação do latim Quanto à acentuação tônica, os Romanos faziam distinção entrevogais breves e vogais longas, estas últimas com o dobro de duração das primeiras. Na prática, essa diferença é perceptível apenas com o treino. Não há nenhum sinal para marcar o acento em latim.

5

Mas para efeitos de acentuação tônica, os Romanos usavam aregra da penúltima: se a penúltima vogal for longa, ela recebe o acento; se curta, o acento recua para a antepenúltima, se for o caso. Para a maioria das palavras a posição das vogais longas e breves deve ser memorizada. Existem, contudo, algumas poucas regras que nos ajudam em alguns casos como, por exemplo, as eguintes: 1) vogal seguida de outra vogal é geralmente breve: filius (fílius; o i antes do u é breve; portanto o acento recua); 2) vogal seguida de duas consoantes é geralmente longa:puella (o e vem antes de duas consoantes; é longo e, portanto,acentuado). Note que só nos interessa saber a quantidade (longa ou breve) da penúltima vogal. Atente também para o fato de que em latim não existem palavras com acento na última sílaba (oxítonas). No latim apenas a penúltima e a antepenúltima sílabas levam acentuação tônica, ou seja, palavras paroxítonas e proparoxítonas. Exemplos: anceps Colax = Cólax

=

ánceps

Localizando a sílaba tônica em palavras de mais de duas sílabas: a) A que serve de base para localizar a tônica é sempre a penúltima. Se a vogal dessa sílaba for seguida de x ou z ou de duas consoantes duplas (ll, tt) ou de duas simples (nt, sc...), a tônica será nesta mesma sílaba. Exemplos: Bulbophýllum , Polyrhízia, chysotóxum, Scaphyglóttis, colóssus, ruféscens, flavéscens, pubéscens, nigréscens, albéscens, e outros terminados em scens. b) Se na penúltima houver ditongo: æ = e, œ = e, au, eu, e, ei, oi, ui, a tônica estará também nesta sílaba. Exemplos: Promenæa Dichæa amœnum = aménum

= =

Promenéa Dikéa

c) Se a vogal da penúltima sílaba for seguida de outra vogal (da última sílaba), o acento tônico estará na antepenúltima, Exemplos: Stanhópea Blétia = Loddigésii Neomóre Cymbídium = Cym-bí-di-um

= Blé-ti-a = =

=

Stan-hó-pe-a Blécia Lod-di-gé-si-i Ne-o-mó-re-a

6

d) O i pode influenciar na acentuação quando estiver na penúltima sílaba. Exemplo: longipes deverá pronunciar como proparoxítona Nos compostos de color o acento deverá estar na antepenúltima. Exemplos: bícolor, díscolor, trícolor unícolor, cóncolor. e) O sufixo inus das palavras latina deverão ser pronunciadas como paroxítona. Exemplos: matutína, velutína, tigrínum, lilacínus. Mas nas palavras derivadas do grego deverão ser pronunciadas como proparoxítonas. Exemplos: cinnabárina, xánthina, tyriánthina. Porém não entraremos no mérito do grego. Outros livros costumam marcar as vogais longas com um traço sobre a vogal (chamada de macro), e as breves com um circunflexo invertido (chamado de braquia), também sobre a vogal. No caso de dúvidas, consulte gramáticas do latim. Adaptação: Bergue Rios Bibliografia 1. Texto de Miguel Barbosa do 2. Texto de Luiza Augusta Rossi Barbosa - e-mail: larossi@net.em.com.br

=

lóngipes.

Rosário

3. LINHARES, Sergio e GEWANDSZNAJDER, Fernando. Biologia. São Paulo: Ática, 2001. 4. LOPES, Sônia. Biologia. São Paulo: Saraiva, 2001. PRONÚNCIA DO LATIM CIENTÍFICO:

AE: ai Canidae (Kanídai) C: k Coffea (Koféa) Orcinus (órkinus) cetacea (ketákea) CH: kh Chordata (Khordata) Chilopoda (Khilópoda) G: gu Giraffa (Guirafa) H: soa r homo (rómo) J: i Jalapa (ialapa) OE: ói entamoeba (entamóiba) PH: f metaphyta (metáfita)

7

RR: r terríficus (terífikus) S: ss phaseolus (fasséolus) TH: t panthera (pantera) V: u vermicularis (uermikuláris) X: cs oxyurus (ocsiúrus) Y: ii labyrinticus (labiiríntikus) Z: dz Petromyzon (petrómiidzon) VOCABULÁRIO DE LATIM E GREGO L = Latim, G = Grego, e LG = comum às duas línguas. A Latim/Grego acaulis acutus, acuta agrestis albus americana amphiampulla anthropos aquaticus archaeos, archaeoarctos argentatus Língua G ἄκαυλος L G ἀγρός L L G ἀµφί L Gἄνθρωπος L G ἀρχαῖος,ἀρχαιοPortuguês sem caule agudo, pontudo do campo, silvestre branco Americano de dois tipos ou lados Garrafa, frasco ser humano Exemplo Gentiana acaulis; ,Cirsium acaule Crocodylus acutus; Curetis acuta; Anas acuta Microstus agrestis;Veronica agrestis Eudocimus albus; Quercus alba; Viscum album Ursus americanus;Corylus americana Amphipoda;Amphibia Hyperoodon ampullatus Paranthropus

encontrado n' Scalopus aquaticus água Antigo Archaeopteryx Ursus arctos horribilis;Arctostaphylos uvaursi Larus argentatus

G ἄρκτος L

urso de prata,

8

prateado arthron arvensis astron, astro-, asteroaureus australis B Latim/Grego Língua baccata blanda borealis brachion brachys, brachybradys, bradybranchia brasiliensis L L L Gβραχίων Gβραχύς, βραχυGβραδύς, βραδυPortuguês Exemplo que tem bagas macio do norte braço curto Slow Taxus baccata Anemone blanda Lissodelphis borealis Brachiones przewalskii;Brachiopoda (filo);Brachiosaurus Brachycephalus didactylus Bradypus pygmaeus Lamellibranchia(classe);Branchiopoda(classe) Agonandra brasiliensis G ἄρθρον L G ἄστρον,ἀστρο,ἀστεροL L junta, articulação do campo estrela Arthropoda Alauda arvensis Asteroidea Canis aureus;Staphylococcus aureus(bactéria) Eubalaena australis

dourado do sul

LGβράγχια guelra L brasileiro

brevis L curto Ceratogymna brevis C Latim/Grego caecus caeruleus canadensis Língua L L L Português Exemplo cego azul do Canadá Talpa caeca;Smerinthus caecus Parus caeruleus;Passiflora caerulea Ovis canadensis

9

canis canus cauda caulos cephale, cephaloceps ceros cestus chilensis chlorοs chroma cneme cola corax coronatus costatus crasscristatus crocos cyanos D

L L L

cão cabelo cinza rabo

Canis latrans;Dipylidium caninum(um nematelminto) Picus canus; Seneciocanus Aegithalos caudatus;Dipturus leptocaudus Gentiana acaulis Larus melanocephalus;Cephalopholis argus Kogia breviceps Monodon monoceros Cestoda Tangara chilensis Gallinula chloropus Chromobotia macracanthus Platycnemis pennipes Scolopax rusticola Corvus corax Eulemur coronatus

Gκαυλός caule Gκεφαλή cabeça L Gκέρας L L cabeça chifre cinto do Chile

Gχλωρός verde Gχρῶµα cor Gκνήµη perna L Gκόραξ L L L L habitante corvo coroado

com costela Platydoras costatus grosso com crista Vaccinium crassifolium Proteles cristatus Crocus sativus;Crocidura leucodon Cyanopica cyana

Gκρόκος amarelo Gκυανός azul

Latim/Grego Língua dactylοs deca Gδάκτυλος G δέκα

Português

Exemplo Rissa tridactyla

dez

Beryx decadactylus

10

decem derma dididelphis

L G δέρµα G διL

dez pele dois

Leptinotarsa decemlineata Agaricus xanthodermus Christmas Orchid,Dipodium punctatum Didelphis virginiana

dino-, deino- G δεινοdiplododeca dolichodomesticus dorsum dulcis dynamE Latim/Grego eburneus, eburniechinatus echinos, echinoedulis elatior electrenanti ennea ensatus Língua L G ἐχῖνος G ἐχῖνος L L G διπλοGδώδεκα Gδολιχός L L L Gδύναµις

terrível duplo doze

dinossauro,Deinotherium Diploglena capensis Dodecatheon hendersonii

comprido, alongado Anolis dolichocephalus doméstico dorso doce poder, força Passer domesticus Mustela strigidorsa Prunus dulcis Dinãmica

Português cor de marfim espinhoso espinho comestível mais alto âmbar, elétrico oposto nove como espada

Exemplo Pagophila eburnea Procambarus echinatus; Pinus echinata Echinops sphaerocephalus;Echinothrix diadema;Echinopsis pachanoi Ostrea edulis;Cerastoderma edule, Passiflora edulis Primula elatior Electron platyrhynchum; Electrophorus electricus Enantiornithes Oxalis enneaphylla;Enneacanthus obesus Dicamptodon ensatus

Gἤλεκτρον G ἔναντι G ἐννέα L

11

ensi-, ensis erectus erion, erioerosus erythros, erythroF

L L G ἔριον L

espada levantado, duro lã serrado

Ensis minor;Juncus ensifolius Homo erectus,Moenchia erecta Eriophorum angustifolium Pachyrhizus erosus; Kinixys erosa Tringa erythropus;Erythronium dens-canis

G ἐρυθρός vermelho

Latim/Grego Língua Português familiaris felis flavus florfolium fulvus fuscus G Latim/Grego gaster, gastro-, gastrgeoglabra glycys gyrinos Língua L L L L L L L comum gato dourado flor folha

Exemplo Canis familiaris Felis nigripes;Ctenocephalides felis Sarracenia flava;Apodemus flavicollis Magnolia grandiflora;Trillium grandiflorum Fagus grandifolia

amarelo forte Pluvialis fulva;Spermophilus fulvus escuro Sterna fuscata;Notomys fuscus

Português Exemplo Drosophila melanogaster Geografia, Geologia Rhus glabra;Omphiscola glabra Glycine max Gyrinophilus porphyriticus; e.g.Crassigyrinus,Proterogyrinus

Gγαστήρ barriga G γαῖα,γῆ Terra Lglaber macio

Gγλυκύς doce Gγυρῖνος girino

H Latim/Grego Língua Português Exemplo

12

haema-, hema- G αἷµα hali-, haliohaplohedraheli-, heliohexahippohirsuta homo hortensis hydrohyperhypo-, hypI Latim/Grego Língua indicus K Latim/Grego L G ἅλς Gἁπλόος G ἕδρα G ἥλιος G ἕξαG ἵππος L L L

sangue do mar simples face Sol seis cavalo cabeludo

Haemosporida;Haemophilus influenzae Halichoerus grypus;Haliotis cracherodii Apoldontia rufa;Mongolosaurus haplodon Ephedra sinica; poliedro Helianthus annuus;Euphorbia helioscopia Ludwigia hexapetala Hippocampus;Rhinolophus hipposideros Cardamine hirsuta;Artibeus hirsutus

ser humano , Homo sapiens;Homo neanderthalensis do jardim Sylvia hortensis Hydropotes inermis Hypericum perforatum Hypancistrus zebra;Hypochoeris radicata

G ὕδωρ,ὑδρο- água G ὑπέρ G ὑπόacima debaixo

Exemplo da índia Tapirus indicus

Língua Português Exemplo Cestoda

kestos (veja o latimcestus) Gκεστός cinto L Latim/Grego Língua Português Exemplo lateralis latus lepus leucοs L L L do lado lado lebre

Petrogale lateralis Caranx latus Lepus californicus Chlidonias leucopterus

Gλευκός branco

13

lineatus lutea M

L L

com listas Leptinotarsa decemlineata amarelo Vicia lutea; Red-billed Leiothrix, Leiothrix lutea

Latim/Grego Língua macro maculatus major malabaricus mauromaximus megas mephitis melanomicro minimus minor monomontanus morphomys N Latim/Grego nanοs nona nothos

Português

Exemplo Tachyoryctes macrocephalus Actitis macularius Parus major

Gµακρός- comprido L L L manchado maior

de Malabar Sturnus malabaricus Crocidura maurisca Sterna maxima Carcharodon megalodon Mephitis mephitis Thalassarche melanophris Antennaria microphylla Empidonax minimus Fregata minor Oceanodroma monorhis

Gµαυρο- escuro L G µέγας L máximo grande fedor

Gµελανο- preto Gµικρόν L L G µονοL pequeno mínimo menor único

montanhoso Passer montanus Morpho menelaus Phoberomys,Telicomys.

Gµορφο- forma G µῦς rato

Língua Português Gνάνος anão L nono

Exemplo Dendrocopos nanus Armillaria nabsnona Nothobranchius rachovii;Nothofagus fusca

Gνόθος falso, errado

14

notos

Gνότος do sul de Nova Holanda(Austrália) de Nova Zelândia de Nova Iorque (NovumEboracum) nove

Notomys cervinus Dromaius novaehollandiae Ninox novaeseelandiae Seiurus noveboracensis Dasypus novemcinctus

novaehollandiae L novaeseelandiae L noveboracensis L novem O Latim/Grego Língua obscurus occidentalis ocean octo-, octa-odon, -odus oeosofficinalis oleum ops opsis orientalis orthoL L Gὠκεανός G ὀκτω, ὀκταL

Português escuro do oeste oceano oito

Exemplo Lagenorhynchus obscurus Thuja occidentalis Posidonia oceanica Octopus vulgaris Dimetrodon,Rhizodus Oesophagostomum,Oesophagostomum bifurcum Rosmarinus officinalis Omphalotus olearius Triceratops Conuropsis carolinensis Blatta orientalis Orthoptera

G ὀδών,ὀδούς dente G L L G ὤψ G ὄψις L Gὀρθός,ὀρθοtubular do laboratório óleo face face do leste direito, correto

P Latim/Grego Língua pachyG παχύς, παχυPortuguês grosso, espesso Exemplo Pachycephalosaurus

15

palustris pan- pantoparvus pedipelagpennpennatus pentapetra phobia pholis, pholidphyllophysiphytoplatypolypratensis protos pterpubescens pulchellus punctatus

L G πᾶν, genitive παντός L L pes,pedis Gπέλαγος L penna L G πένταG πέτρα G φοβία L G φύλλον G φύσις G φυτόν G πλατύς, πλατυG πολύς, πολυL G πρῶτος G πτερόν L L L

do brejo tudo pequeno pé mar alto pena com asas cinco pedra medo balança folha natura planta chato muitos do prado primeiro asa com penugem bonitinho pintado

Crocodylus palustris Pandemia,Panorama Burramys parvus Cypripedium reginae Phalacrocorax pelagicus Pinguinus impennis Aquila pennata Chalcides pentadactylus Erigeronpetrophilus;Sauromys petrophilus Arachnophobia,Agoraphobia Cephalopholis argus Lupinus polyphyllus Symphysia Astrophytum,Astrophytum myriostigma (um cactus) Salmo platycephalus Polygonum aviculare; Alopecurus pratensis Próton, Protozoa Chlidonias leucopterus Quercus pubescens Nettapus pulchellus Hippodamia tredecimpunctata

16

R Latim/Grego repandus repens reptans rhis, rhinorhiza rhynchos rhyti-, rhytis rostra rostralis ruber, rubra, rubrum rufus S Latim/Grego Língua sanguis sapiens sativus saura, -saur septemsilvestris sinensis speciossperma L L L Português Exemplo sangue sábio cultivado Sanguinaria canadensis Homo sapiens sapiens Pisum sativum Alepisaurus; Maiasaura(dinossauro) Coccinella septempunctata Felis silvestris Camellia sinensis Lagerstroemia speciosa; Lilium speciosum Osteospermum Língua L L L Português curvado que rasteja rastejante Exemplo Cereus repandus;Hydnum repandum Ranunculus repens;Trifolium repens Potentilla reptans;Reptilia Rhinonicteris aurantia Ludwigia helminthorrhiza;Rhizobium Anas platyrhynchos Rhytidiadelphus triquetrus;Rhytidodon (syn.Rutiodon) Loxia curvirostra Hypena rostralis Centranthus ruber;Piranga rubra; Acer rubrum

G ῥις,ῥινοδ- nariz G ῥίζα Gῥύγχος Gῥυτίς L L L L raiz bico doblado bico, focinho com bico vermelho

avermelhado Canis rufus

Gσαύρα lagarto L L L L sete da selva da China vistoso

Gσπέρµα semente

17

sphenstoma striatus suchοs T

Gσφήν Gστόµα L G

cunha boca em tiras crocodilo

Sphenodon punctatus Gnathostomata Butorides striatus Eusuchia, Koolasuchus

Latim/Grego Língua tardus, tardi- L tele-, teltenuis tetratinctorius tomentosus tres, tris, tritrich-, thrix triquetrus U G τηλεL G τετραL L L G τρία

Português

Exemplo

devagar, tardio Otis tarda; Quercus tardifolia distante fino quatro para tingir peludo três Telopea speciosissima Juncus tenuis;Polygonum tenue Polycarpon tetraphyllum;Tetrapoda Isatis tinctoria Philadelphus tomentosus Rissa tridactyla Auricularia polytricha Allium triquetrum

G θρίξ, τριχ- cabelo L triangular

Latim/Grego Língua Português Exemplo unus V Latin/Greek variabilis variegatus velox, velocis ventralis Language English L L L L variável diversificada veloz ventral, da barriga Example Emberiza variabilis Garrulax variegatus;Codiaeum variegatum Vulpes velox;Velociraptor Amazona ventralis;Bradypodion ventrale L um Monotropa uniflora

18

vernus, vernalis verrucosus versicolor verus villosus viridis virosus volans vulgaris W, X, Y, Z

L L L L L L L L L

primavera pele áspera de diversas cores verdadeiro peludo verde venenoso que voa comum

Gentiana verna;Adonis vernalis Sus verrucosus; ,Synanceia verrucosa Lichenostomus versicolor;Tragulus versicolor Aloe vera; ,Galium verum Picoides villosus,Vicia villosa Alnus viridis;Coeloglossum viride Lactuca virosa;Cicuta virosa Glaucomys volans Octopus vulgaris;Ligustrum vulgare

Latim/Grego Língua Português Exemplo xanthos zygos Gξανθός amarelo G ζυγός junto Agaricus xanthodermus Zygoptera

A pronúncia do grego: Comparação entre convenções Pronúncia moderna idem v idem idem idem idem

Letras

Pronúncia erasmiana a: father b: boy g: got1 d e: get dz

Pronúncia ática idem b: mob idem idem idem idem

Pronúncia bíblica idem v mas usando só os lábios y: year ou g como em go th: this idem idem

19

a: late th i: pit (breve) i: ski (longo) k: kite l m n x o: obey p: pick r s t u francês ph como phone ch alemão ps o: note Ditongos ai como aisle a como fate

e: francês fete t-h:tarnation i: ski (sempre) k: pick idem idem idem idem mais rápido que o em or p: skip(menos aspirado) r escocês idem idem idem p-h como tip-him k-h idem aw: saw

i: ski th: moth idem idem idem idem idem idem idem idem r alemão ou francês idem idem idem ph como em phone h ou chalemão idem o: or

idem idem idem idem idem idem idem idem idem idem idem idem idem i como em ski idem idem idem idem

idem idem

e como pet ou ai em air ei como receive

idem idem

20

oi como em oil ow em cow eu em feud como ou em soup
1 2

idem idem idem idem

i como em ski av em Ave Maria2 ev como em ever3 idem

idem idem idem idem

Quando gamma precede kappa, chi, ou outro gamma soa omo ng. Quando este ditongo precede auma letra aspirada como t soará no lugar de av. 3 Quando este ditongo precede auma letra aspirada como t soará no lugar de ev.