You are on page 1of 10

“Contratação de mão-de-obra

UNIVERSIDADE e gestão DE
FEDERAL da produção:
MINASumGERAIS
estudo de caso
Departamento de Engenharia na Construção Civil”

XXI Encontro Nacional de Engenharia de Produção
17 a 19 de Outubro de 2001 - Salvador/BA
de Produção

“CONTRATAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA E GESTÃO DA
PRODUÇÃO: Um estudo de caso na construção civil”

João Paulo Lopes de Almeida
Engenharia Civil – UFMG

Prof. Rodrigo Ribeiro
Departamento de Engenharia de Produção - UFMG

Órgão de fomento: CNPq
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO

1 - O Empreendimento e o foco da pesquisa
2 - Interação pedreiro-servente X qualidade e produtividade
3 - Leis trabalhistas básicas: o Contrato de Experiência
4 - O sistema FORMAL de contratação na obra
5 - O sistema REAL de contratação na obra e IMPACTOS
6 - Origem primária da problemática
7 - Conclusão
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

1 - O Empreendimento e o foco da pesquisa 
Execução da infra-estrutura urbana de um condomínio 
Foco da pesquisa: equipes de execução de muros em bloco
de concreto (24.000 metros e contingente de 110 trabalhadores)

Engenheiro
Mestre de Obras

Equipe do Equipe do
Equipe de Equipe de
Encarregado 1 Encarregado 2
Estacas Concreto
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

2 - Interação pedreiro-servente versus qualidade e
produtividade
Produtividade / Qualidade

Início da
qualificação
Antecipação de
• Tempos de necessidades informal
execução
Fases de • Ritmo do
execução oficial
Interação pedreiro-servente
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

3 - Leis Trabalhistas Básicas

Contrato por Tempo
Indeterminado - Homologação no
sindicato
- Indenização mínima
Efetivação do Trabalhador (1 remuneração)
- Seguro desemprego - Seguro desemprego
Aviso prévio - Aviso prévio - Aviso prévio
Multa 40% FGTS - Multa 40% FGTS - Multa 40% FGTS
- Saldo de salário - Saldo de salário - Saldo de salário - Saldo de salário
- FGTS - FGTS - FGTS - FGTS
- Férias e 13º prop. - Férias e 13º prop. - Férias e 13º prop. - Férias e 13º prop.
0 a 3 meses 3 a 6 meses 6 a 12 meses Após 12 meses
A Situação de Demissão Sem Justa Causa
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

O Contrato de Experiência

Contrato de Contrato por Tempo
Experiência Indeterminado - Homologação no
(máximo de 90 dias) sindicato
- Indenização mínima
Efetivação (1 remuneração)
do Trabalhador
- Seguro desemprego - Seguro desemprego
- Aviso prévio - Aviso prévio - Aviso prévio
- Multa 40% FGTS - Multa 40% FGTS - Multa 40% FGTS
- Saldo de salário - Saldo de salário - Saldo de salário - Saldo de salário
- FGTS - FGTS - FGTS - FGTS
- Férias e 13º prop. - Férias e 13º prop. - Férias e 13º prop. - Férias e 13º prop.
0 a 3 meses 3 a 6 meses 6 a 12 meses Após 12 meses
A Situação de Demissão Sem Justa Causa
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

4 - O Sistema FORMAL de contratação na obra 
Início da obra: efetivação direta do trabalhador
Conseqüências

a) Trabalhador recém-admitido pedia para ser mandado embora
b) Se o encarregado não cedesse ao pedido ele “enrolava”
c) Elevação dos custos com demissão de pessoal 

Estratégia utilizada: Contrato de Experiência
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

5 - O sistema REAL de contratação e IMPACTOS 
Adoção do Contrato de Experiência com viés estritamente
econômico: demissão de todos os serventes antes dos 90 dias 
Pontos negativos da estratégia:
 Aumento da rotatividade de serventes
 Desmotivação dos serventes e pedreiros
 Diminuição da qualificação informal dos serventes
 Aumento na carga de trabalho dos encarregados
 Maior dificuldade na gerência das equipes e da produção
 Queda da produtividade e qualidade, conseqüência de
todos os pontos acima e da potencialização negativa de uns
pelos outros (ex: ciclo vicioso desmotivação <-> rotatividade)
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

6 - Origem primária da problemática

Adoção do Contrato de Experiência “desvirtuado” e
desconectado da produção, devido á premissa básica de
que:

A classe de serventes é feita de pessoas IGUAIS,
sem diferenciação, todas igualmente
DESQUALIFICADAS
“Contratação de mão-de-obra e gestão da produção: um estudo de caso
na Construção Civil”

7 - Conclusão
Participação de pessoas que possuem um conhecimento
prático da Construção Civil na elaboração dos sistemas
gerenciais formais

Estabelecimento de um canal de comunicação eficiente entre
o nível gerencial e o operacional (canteiros de obras), que
permita a análise crítica destes e sua adaptação à realidade
concreta da obra

Expectativas formais mais factíveis e resultados
“reais” mais próximos dos formalmente esperados