You are on page 1of 7

1

B. Uma Introdução ao Zohar
1 - As Dez Sephiroth e suas Limitações Em primeiro lugar, você deve saber que todo o Zohar, incluindo as partes narrativas, consiste inteiramente das De !ephiroth, e das combinaç"es destas De !ephiroth. Do mesmo modo que as combinaç"es entre as ## letras da l$ngua %ebraica são su&icientes para nos tra er a 'u de qualquer ob(eto de sabedoria, similarmente, ) o con(unto e combinaç"es de con(untos destas De !ephiroth que são su&icientes para tra er *lu + toda a sabedoria que pode ser encontrada no Zohar. Entretanto, e,istem limites ou &ronteiras, sobre as quais todos devem ser cuidadosamente evitar de pisar, quando estudarem este livro./ 0 1ocê deve saber que e,istem quatro categorias de classi&icação racionala/ 2at)ria, b/ 3orma que est4 contida na mat)ria, c/ 3orma 5bstrata, d/ Essência. 5s De !ephiroth devem ser similarmente classi&icadas, como veremos adiante. Entretanto, você deve saber que o Zohar não lida com a Essência, ou mesmo com a 3orma 5bstrata dos De !ephiroth, mas somente lida com a parte 2aterial deles e tamb)m com a parte da 3orma, enquanto estiver num estado de ser vestida pela 2at)ria. #/ 0 1ocê deve saber que a totalidade da e,istência divina que est4 conectada com a criação das 5lmas 67eshamot/ e nos caminhos para sustent40las, ) para n8s di&erenciada por três aspectos, que consistem dea/ 9 !em03im, abençoado se(a Ele: b/ 9 2undo da Emanação: c/ 9s três 2undos de Beriah 6;riação/, <et irah 63ormação/ e 5siah 6=eali ação/. Entretanto, você deve saber que o Zohar lida apenas com os três 2undo de Beriah, <et irah e 5siah. 2as o !em03im e o 2undo da Emanação 65t iluth/ são tratados apenas no que di respeito ao que estes três 2undos recebem deles, e o Zohar nunca trata com o 5bençoado !em03im e o 2undo da Emanação como categorias pr8prias. >/ 0 1ocê deve saber que em cada um dos três 2undos da ;riação, 3ormação e =eali ação e,istem três aspectosa/ as De !ephiroth que constituem as linhas divinas que iluminam cada mundo, b/ as 5lmas 67eshamot/ e Esp$ritos 6=uhot/ e Esp$ritos ?rimitivos 67e&ashot/ da humanidade, c/ @udo o mais que e,iste em cada um dos mundos e denominado sob os termos de 5n(os, ?aramentos e Atrios ou !alas 0 todos possuindo inumer4veis partes. Entretanto, você deve entender que mesmo que o Zohar e,plane detalhadamente todas as partes de cada mundo, os mundos principais do Zohar estão sempre centrados nos aspectos das 5lmas 67eshamot/ humanas de cada mundo. Buando entra em e,planaç"es sobre os outros aspectos, meramente o &a para clari&icar o que as 5lmas 67eshamot/ recebem deles. Entretanto, o Zohar não devota uma Cnica simples palavra a nada que não este(a conectado com aquilo que as 5lmas 67eshamot/ recebem. ?ortanto, ao estudar o Zohar, sua mente deve estar dirigida somente ao entendimento que se re&ere ao recebimento da 5lma 67eshamah/. Estes limites devem ser estritamente observados no estudo do Zohar. 1ocê (4 deve saber agora que e,istem De !ephiroth, que são chamadas %oDhmah 6!abedoria/, Binah 6Inteligência/, @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/, co(a ra$ ) Eether 6;oroa/. Eles somam De , porque @i&eret inclui outras seis !ephiroth: %esed 62iseric8rdia/, Fevurah 6Gulgamento/, @i&eret 6Bele a/, 7et ah 6?aciência ?erp)tua/, %od 62a(estade/ e <esod 63undação/. Este &ato deve estar sempre em mente, quando as De !ephiroth &orem mencionadas como %oDhmah, Binah, @i&eret e 2alDhut. Estas De !ephiroth geralmente incluem todos os quatro mundos da Emanação, ;riação, 3ormação e =eali ação ou 5ção, onde o 2undo da Emanação ) a !ephirah %oDhmah, o 2undo da ;riação ) a !ephirah Binah, o 2undo da 3ormação ) a !ephirah @i&eret e o 2undo da reali ação ) a !ephirah 2alDhut. Entretanto, não s8 estes quatro mundos cont)m individualmente a totalidade das De !phiroth, como tamb)m a menor parte de cada mundo tambem contem a totalidade das De !ephiroth. 2 - As Quatro Cores 9 Zohar deu as estas De !ephiroth, %oDhmah, Binah, @i&eret e 2alDhut a analogia das quatro cores- branco para a !ephirah %oDhmah, vermelho para a !ephirah Binah, verde para a !ephirah @i&eret e preto para a !ephirah 2alDhut. Esta analogia pode ser entendida atrav)s do e,emplo de um espelho que tem quatro planos de vidro, cada um deles colorido com uma das quatro cores. 5ssim quando uma lu penetra esse espelho re&lete0se nos quatro planos com as quatro cores. 9 mesmo ocorre com a 'u que est4 em todo !ephiroth, desde o topo do 2undo da Emanação at) &inal no 2undo da =eali ação. Entretanto a sua divisão nas De !phiroth ocorre atrav)s dos ve$culos, chamados de %oDhmah, Binah, @i&eret e 2alDhut, pois cada ve$culo ) como um &iltro puro atrav)s do qual a 'u Divina atravessa e que ) trans&ormado em cores di&erentes- 9 ve$culo de %oDhmah, que ) o 2undo da Emanação transmite uma lu branca, o que ) di er uma lu incolor. Isto ) porque o ve$culo do 2undo da Emanação ) como a 'u ela mesma, então a 'u Divina não se modi&ica quando o atravessa. Este ) o segredo 6!od/ que o Zohar a&irma sobre o 2undo da Emanação- HEle, !ua vitalidade e !ua !ubstIncia são UmaH. 7o caso das outras !ephiroth, a 'u ) modi&icada quando as atravessa. 5l)m do que &oi dito acima e,iste uma alusão muito signi&icativa contida na comparação do !ephiroth com as quatro cores, pois as 'u es supremas são chamadas de !epher 6livro/, como est4 escrito- HE Ele criou o !eu mundo atrav)s de três usos de um !epher 6livro/, com um 'ivro 6!epher/, como uma escrita 6!opher/ e como uma est8ria 6!ippur/H 0 !epher <et irah, .,.. @amb)m encontramos- HE os c)us deverão ser enrolados em con(unto como um livro 6!epher/H 0 Isaias >J-J. 5 sabedoria em qualquer livro não se mani&esta na sua parte branca, mas somente atrav)s da cores, digamos da tinta, pois ) atrav)s desta que as letras combinadas com a sabedoria nelas contida ) que alcançam o estudante. 5ssim, podemos entender porque a 'u de %oDhmah, ) como a parte branca do livro, ou se(a, não h4 nada nela que possamos alcançar ou entender, no 2undo da Emanação. Este ) o segredo 6!od/ dos versos HE tudo o que Ele &e &oi a !abedoria 6%oDhmah/ 0 ?salms .KJ-#J. 3 - As Quatro Categorias Devemos agora e,plicar as quatro categorias da classi&icação racional que mencionamos previamente na re&erencia ao primeiro limite6a/ 2at)ria, 6b/ 3orma que est4 contida na 2at)ria, 6c/ 3orma 5bstrata e 6d/ Essência. 1amos e,plic40los inicialmente, re&erenciado0os aos ob(etos tang$veis deste mundo. ?or e,emplo, quando descrevemos um homem como sendo um homem &orte, ou um homem honesto, ou um homem &also, etc. os seguintes aspectos são descritos-

que se para salvar um homem da morte tivesse que di er uma mentira. de acordo com a qual. e nenhum 2estre da Eabbalah (amais se ocuparia com isto. nominalmente 2at)ria.riação. por elas mesmas quando despidas de qualquer mat)ria ou corpo.riação que ) vermelho na sua cor. Entretanto se você dese(ar abastrair a lu divina da substIncia. que todos concordaram que não e. nosso sentido de visão pode nos transmitir apenas sombras da essência mani&esta atrav)s das impress"es causadas pela lu .emplo um homem de princ$pios morais ideais. 3orma 5bstrata e Essência: deve estar claro que a quarta categoria consistida pela Essência não pode ser entendida por n8s. erros podem ser cometidos. se esta pessoa &osse capa de perceber as &ormas da verdade e da &alsidade durante o tempo em que estas estivessem vestidas na mat)ria.plicamos previamente. 9 ve$culo do mundo da . composto pelo Destino em oposição + 1ontade. ainda assim em nosso relacionamento com os outros. esta não ) a visão da @orah. 2as tamb)m deve0se estar bem ciente do &ato de que.istência das substIncias espirituais que estão nos mundos sublimes da Emanação. 2esmo que estas &orças não possam ser entendidas em suas 3ormas 5bstratas por s$ mesmas. Eu sinto e sei que ocupo um lugar no espaço do mundo. pois não h4 mesmo a menor parte destes mundos que não possam ser classi&icadas como uma destas quatro categorias. no dever de salvar uma vida 6<oma Na/. e equilibrado pela ?rovidência. sem estar vestida pela substIncia.ou compreender a essência. você iria encontrar ve$culos que são vermelhos em sua cor. 2esmo que se(a apenas uma cor que serve para mani&estar a atividade daquilo que est4 contido na substIncia. abstra$da de toda a mat)ria. identi&icar a Essência. 7a verdade nossos cinco sentidos não podem nos revelar nenhuma essência. isto então pertence + terceira categoria. escolheria não di ê0la. teria certamente concordado coma visão da @orah e concluiria que o ato de &alar uma &alsidade para salvar uma vida. ?or e. 5ssim. que ) a segunda categoria. ainda mantem0se &ora de nossa compreensão. ela mesma. e atrav)s do qual podemos sentir o calor e o &rio. que esta terceira &orma não ) utili ada por pensadores cuidadosos. 5l)m disso. n8s podemos entender completamente. L tamb)m bem conhecido que o que não pode ser percebido por nossos sentidos não pode entrar em nossa imaginação.. Entretanto.iste virtude que possa superar a qualidade da verdade. se esta pessoa idealista pudesse entender este ponto. pois conceitos como estes são mera perda de tempo. uma categoria que nos leva a erros como e.emplo. 1ocê deve saber que a quarta categoria. você deve tamb)m estar apto a compreender a e. como e. Entretanto.periências atuais sobre o comportamento de toda a 2at)ria. mesmo que apenas de um Cnico homem. ) muit$ssimo superior do que toda a grande a e e... o que ) di er sua honestidade.iste nenhum mal maior do que a qualidade da &alsidade. atrav)s da restrição a &alar somente palavras de verdade. a pura Essência do homem que ) abstra$da de toda a mat)ria. se você considerasse uma parte do 2undo da . porque ) imposs$vel depender dela cem por cento. denominados de 3ormas 5bstratas: isto ) ainda mais verdade para aquelas &ormas abstratas que não se vestem em nenhuma mat)ria. que a ação &$sica ) motivada por &orças meta&$sicas tais como amor. 9 que não pode entrar em nossa imaginação não pode entrar no reino do pensamento e então não podemos compreendê0lo. e em outras mani&estaç"es das atividades de minha essência. 5l)m disso não poderemos nunca conhecer a nossa pr8pria essência. e que sem o desenvolvimento ou a mani&estação do comportamento &$sico. proveniente das &alsidades que se &alou. 5ssim ocorre com os outros sentidos. Isto ) di er que quando uma &orma torna0se mani&esta para n8s. 3orma que est4 contida na 2at)ria. honesto e &also. 5ssim nossos cinco sentidos e nossa imaginação podem apenas nos transmitir as mani&estaç"es das atividades da Essência. consistindo de 2at)ria e 3orma que est4 contida na 2at)ria. e que a terceira categoria consiste de um conceito que pode nos levar a cometer erros. que ) a coloração vermelha. que &oi ap8s o mundo adquirir muita e. E com a assitência destas quatro categorias.periência com estas &ormas e ver a quantidade de destruição e estragos que a &alsidade dos homens causou. mas apenas estados que acontecem a estas e mani&estaç"es de atividades que derivam destas. nossa imaginação possui o poder de desvesti0la 6despir/ da mat)ria e compreendê0la.aria todo o mundo perecer. quando estes são a&astados da 2at)ria do homem: assim podemos entender estas três &ormas. 3ormação e 5ção. isto ) di er o corpo &$sico: 6b/ a 3orma que est4 vestida nesta 2at)ria. L essa mani&estação da atividade que designamos de substIncia ou mat)ria ou corpo ou ve$culo. não poderia ser dicernido ou deterninado como Essência. ?or e. nominalmente 3orma que est4 abstra$da da 2at)ria. que a Divina ?rovidência nos permitiu entender clara e completamente. verdade e &alsidade e assim ser capa de distinguir seus aspectos positivos e negativos quando abstra$das de toda a mat)ria: a Cltima 6d/ ) a Essência do homem. não h4 nada que não possa ser sobrepesado. Esta categoria ) então terminantemente proibida para aqueles que dese(am entender as palavras sublimes./ 5p8s entender estas quatro classi&icaç"es. se você me perguntar o que ) esta minha essência da qual todas estas mani&estaç"es derivam. alegria e triste a.oncluimos assim que não e. posto que somos completamente incapa es de comprender qualquer essência. Então são somente a primeira e a segunda categorias.e. pois quando determinadas qualidades são consideradas abstratamente. e não e. se para que isto não acontecesse tivesse que di er apenas uma inverdade. 5 lu divina que est4 vestida e passa atrav)s da coloração vermelha ) a &orma que est4 vestida na mat)ria. inclusive com o tato.planamos pr)viamente. sua &orça. sua &alsidade: 6c/ 3orma 5bstrata pura. eu sou incapa de responder. mesmo a essência das substIncias materiais.2 6a/ sua 2at)ria. quanto mais qualquer 2estre do Zohar. na verdade dei. e então dese(ar consider40la por s$ mesma. que não observa a pr4tica religiosa. não nos dei. isto se torna claro. n8s somos incapa es de entender a essência ela mesma. 5 segunda categoria. mas apenas a mani&estação da atividade que provem da essência. . não pode ser compreendida pelo nosso entendimento. o s8lido e o l$quido. n8s s8 podemos conhecer as mani&etaç"es e aparência das aç"es que derivam de nossa essência.riação. 8dio. ) tamb)m um conceito claro e satis&at8rio. pode se ocupar tanto da virtude verdadeira em sua &orma abstrata. e compreender os atributos de &roça. sobre a primeira categoria. 3orma que est4 contida na 2at)ria. ) o aspecto da mat)ria ou substIncia que constitui a primeira categoria. ?or e.iste nenhuma certe a nestes conceitos da terceira classi&icação.celência da verdade abstrata. e da quantidade de bene&$cio que o homem da verdade trou.riação. Isto ) ainda mais verdade para a Essência de qualquer parte do 2undo da .. atrav)s dos quais a lu da . que eu sou s8lido e quente. pois podemos conhecê0lo a partir das e. que di er da essência das substIncias espirituais O Então você deve estar consciente das quatro categorias- ./. 5quele conceito meta&$sico que ) revelado atrav)s da ação &$sica. ela iria então entender que o signi&icado que elas adquirem depende da sua nature a inerente de ou tra er bene&$cio ou male&$cio para a mat)ria: o que ) di er.emplo. Isto ) o que n8s considerando como sendo Essência. 5 ?rovidência 6elemento central no @riIngulo de 3abre dM9livet. Entratanto.riação passa para seres criados. enquanto ainda vestida pela 2at)ria. 1ocê deve saber. . L desta categoria que derivamos toda a alta compreensão que possuimos. 5 terceira categoria ) a 3orma 5bsoluta. que eu penso. 5ssim nossos pensamentos não podem entender nenhuma essência. nominalmenmte ob(etos tang$veis em 2at)ria. 6Deve ser entendido.. que ) o mais &orte de todos. o que ) di er os conceitos abstratos de &orte.

o aspecto das 5lmas 67eshamot/ do homem que est4 neste mundo. e as de !ephiroth que estão em cada mundo. quando considerado por s$ mesmo.am suas impress"es neste nosso mundo. con&orme dissemos quando est4vamos discutindo o primeiro limite. 1egetativo. ?ois todos os mundos são a&etados por cada um do topo para bai. e tamb)m trata com todos os componentes dos aspectos Inanimado.istência espiritual em cada mundo assim como o aspecto %umano &$sico ) nutrido por toda a e. 5nimal e %umano do mundo da 3ormação dei. 3ormação e 5ção ou =eali ação. nominalmente dos HAtriosH 6%echalot/ . inclusive neste mundo.plicar o terceiro limite. 9 ve$culo da . . 9 aspecto do !em03im.riação.3 . cada uma destas esp)cies contem em s$ mesma uma das quatro esp)cies Inanimado. . 1egetativo. ) o segredo 6!od/ da Essência: ainda assim. 5nimal e %umano que e.plicado previamente que aos aspectos Inanimados dos mundos espirituais ) dado o nome de H!alasH ou HAtriosH 6%echalot/. !imilarmente o Zohar trata somente com os 2undos da . tais como status e poder. mas ele se limita +s primeira e segunda categorias. de nenhuma maneria. são quatro partes do Hdese(o de receberH. 5nimal e %umano que estão no mundo da . e que estão todos num n$vel mais bai.iste nenhum 2undo no Zohar que pertençam + terceira ou + quarta categoria de classi&icação racional. e um homem ) nutrido por toda a e. 5nimal e %umana. vegetativo. verde e preto que são encontradas nos três mundos da . na situação que prevalesce neste mundo5s quatro esp)cies Inanimado. e que são a iluminação espiritual adicional + quantidade que ) necess4ria para sua sobrevivencia.o. os quais são e.istência material. e portanto não nos concerne de nenhuma maneira. 3ormação e 5ção ou =eali ação.planação precedente deve tamb)m contribuir para o entendimento do segundo limite. dirige a sua atenção principalmente ao aspecto %umano de cada mundo. ou se(a di er.trair4 das palavras o seu signi&icado real. 5s três coloraç"es de vermelho.riação 0 o segredo 6!od/ da coloração vermelha 0 o qual ) distinguido como a substIncia ou 2at)ria da . ) apenas com estas duas categorias que o Zohar lida. ou com a 3orma que est4 com a 2at)ria: este ) o primeiro limite. 5 lu Divina que est4 vestida no ve$culo da .istem neste mundo. 4 .. 5nimal e %umano do mundo da 5ção ou =eali ação.riação. e que são as três !ephiroth Binah 6Inteligencia/.riação. podem ser similarmente encontradas em todos os 2undos ou Emanação. que ) o aspecto do mundo da Emanação.O Segundo Limite 5 e. 5 coloração branca. quando desvestida ou abstra$da da substIncia da . Um homem neste mundo precisa de ser nutrido e de crescer atrav)s dos quatro aspectos de Inanimado.riação.riação. dei. 9 Zohar apenas discute a primeira categoria que consiste das três coloraç"es da . que di er sobre esta categoria. o que ) di er.tendidos a ele atrav)s das quatro partes do Hdese(o de receberH que est4 nele. mas isto est4 con&inado tão somente aos dese(os animais. que ) a 3orma na substIncia. De &ato.am suas marcas no mundo da 3ormação. E o dese(o de adquirir entendimento racional ) o aspecto do %umano do Hdese(o de receberH.Cria animal que &a seu corpo crescer 0 dos aspectos dos H5n(osH que estão l4 6@iDDuneP Zohar. pois então ele não e. 9s 2estres do Zohar tratam apenas com a 2at)ria. que est4 vestida nas três coloraç"es da . 3ormação e 5ção ou =eali ação.. De modo similar. 5 lu Divina. 1e(amos um e.O er!eiro Limite 78s dever$amos agora e.riação. 1egetativo. pois estas cobiças engrandecem seu esp$rito 6=uah/. 1egetativo. >. então deve estar claro que não e. como ela ) por s$ mesma. @i&ereth e 2alDhut. que são os seres criados em cada mundo.riação. 9 Zohar trata com cada mundo sob o aspecto do !ephiroth. que constitui a divindade que ilumina cada mundo. que são consideradas como sendo 2at)ria. 3oi e. 5ssim os dois primeiros limites devem estar claros. 3ormação e 5ção ou =eali ação.riação dei. 3ormação e 5ção: este ) o segundo limite.o do que o seu. pois estes dese(os são meramente para aumentar e dar pra er ao seu ve$culo. e que contribuem para a e. ou com a iluminação da Emanação nos 2undos da . aos aspectos 1egetativos ) dado o nome de H1estimentasH ou H@ra(esH 6'evushim/ e aos aspectos 5nimais o nome de 5n(os: para o %umano. você deve entender as relaç"es mCtuas dos mundos espirituais sublimes. L discutida tamb)m a segunda categoria que consiste da iluminação da Emanação. 9 Zohar não tem nada. Então ele recebe o primeiro aspecto 0 que ) o Hdese(o de receberH que ) absolutamente necess4rio + sua sobrevivencia 0 da iluminação dos HAtriosH 6%echalot/ e das H1estimentasH 6'evushim/ que estão l4.emplo. as H1estimentasH 6'evushim/ e dos H5n(osH que estão l4. 3ormação e 5ção ou =eali ação. ) 3orma abstraida da mat)ria.riação. 3ormação e 5ção ou =eali ação. mesmo nas substIncias que estão neste mundo.KT/. ela mesma.plicado. E estes aspectos do mundo da 5ção. 5s 5lmas 67eshamot/ do homem. desvestida 6despida/ das outras três coloraç"es da .pansão dos ve$culos espirituais nos quais sua 5lma 67eshamah/ se veste. a lu de %ochmah 6!abedoria/ que est4 vestida no !ephiroth Binah. @i&ereth 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/. Entretanto. 5ssim a coloração branca. isto ) a carne de seu corpo. que são então o aspecto da 3orma quando est4 vestida de 2at)ria. 5nimal e %umana que são encontradas em todos os mundos. 5nimal e %umano. 5ssim o alimento do homem tamb)m cont)m estes quatro aspectos. 3ormação e 5ção ou =eali ação. somos completamente incapa es de compreender a essência que ) a quarta categoria que est4 contida em todas as substIncias. 0 Ele dese(a receber o que ) absolutamente necess4rio para sobreviver # 0 Ele dese(a mais do que ) absolutamente indispens4vel para sobreviver. nas três coloraç"es denominadas .riação.am suas impress"es nos aspectos Inanimado. Ele recebe o segundo aspecto 0 que consiste da lu. > 0 Ele aspira os dese(os humanos. Estes aspectos. são o centro de cada mundo. são os aspectos da 2at)ria ou substIncia. e &a isso em muitos lugares.tendidos a partir dos quatro aspectos Inanimado. J. #. @iDun QRS. J 0 Ele aspira adquirir conhecimento racional. 9 dese(o pela lasc$via animal ) o aspecto do 1egetativo do Hdese(o de receberH. 9 Inanimado. 9 dese(o pelos dese(os humanos ) o aspecto do 5nimal que est4 no Hdese(o de receberH.riação. #.o que as 5lmas 67eshamot/ dos seres humanos. 5 .9 primeiro limite &oi então completamente e. 5ssim ao estudante que não &or cuidadoso em restringir e con&inar seus pensamentos e sua mente de modo a compreender as palavras do Zohar somente dentro do limite destas duas categorias. todo o assunto então se tornar4 con&uso para ele. 1egetativo. 1ocê deve saber que as quatro categorias que &oram e. Então tudo dos aspectos Inanimado.riação. 5 essência de qualquer parte. 1egetativo. ) a 3orma que est4 vestida na 2at)ria. o Zohar. Então. são a divindade. somente do 2undo da . !eu dese(o pelo que ) absolutamente necess4rio para sobreviver ) o aspecto do Inanimado do Hdese(o de receberH.riação. são como a seguir.plicadas em re&erencia a qualquer parte singular. Então ele recebe o primeiro e o segundo aspecto de aspectos que estão num n$vel mais bai. 5nimal e %umano que o corpo de cada ser humano cont)m. Estes quatro aspectos são e. 1egetativo.

pois todas as 5lmas 67eshamot/ então e. H!ua !ubstInciaH 6Farmuhi/ se re&ere aos ve$culos do !ephiroth. no e.istem 7ele 0 possa Ele ser louvado O 0 cheias de pra er e candura no n$vel mais alto. Este ) o terceiro limite que mencionamos. e que ) denominada a lu de %aPPah 61ida/. no qual todos os mundos e as 5lmas 67eshamot/ estão contidos.4 !obre o terceiro aspecto. entretanto. pois enquanto ele pode pensar nas partes de madeira. ou dos H5n(osH. por e. pois ) atrav)s destas que ele aumenta a iluminação do Esp$rito 6=uach/ de sua 5lma 67eshamah/ . !ua 1italidade 6%aPPuhi/ e !ua !ubstIncia 6Farmuhi/ são UmH. por s$ mesmos. !obre o quarto aspecto do Hdese(oH.Isto ) muito semelhante ao e. " .ermino#ogia e Con!eitos Ca$a#%sti!os 5p8s e. e então &ornece os detalhes aos trabalhadores. a totalidade da . HEleH.iste uma outra questão que tamb)m deve ser entendida. est4 conectada a Ele sob o nome de !em 3im 6Ein !o&/. para conter ou revelar as medidas da compreensão espiritual que são apropriadas para as 5lmas 67eshamot/ de modo a tra ê0 las + plenitude da HcorreçãoH 6@iDun/ dese(ada. pedra e &erro.plicar os termos descritivos &$sicos que são tra idos no Zohar em conecção com as de !ephiroth. mas &oram criados como Halgo novoH.riação. os nCmeros e outros termos similares para estados que são causados nos de !ephiroth. at) que a tenha completado. não ) de (eito nenhum o nome da essência de Deus 0 possa Ele ser louvado e louvado O 0 pois como podemos n8s de&inir ou limitar com um nome ou palavra algo que somos incapa es de entender V Devemos entretanto entender. 5ssim como o mundo da Emanação ) o segredo 6!od/ da 3orma. re&ere0se a essência do !ephiroth que ) o segredo 6!od/ da lu que ilumina o !ephiroth. que partes serão de pedras e quais serão de &erro. 9 mundo da Emanação ) o segredo 6!od/ de algo como o plano detalhado que ) &ormado na mente e que se tornar4 mani&esto mais tarde quando começarem a construir a casa. que o termo Ein !o&. o ?ensamento completa a sua ação.oH. Hmais altoH. pois ) destes que ele recebe os aspectos %ocDmah 6!abedoria/. não ) absolutamente verdade no 2undo da Emanação onde os ve$culos dos de !ephiroth são totalmente divinos.plicado previamente que a !ubstIncia de Deus ) o segredo 6!od/ da HessênciaH. ou das H1estimentasH 6'evishim/ ou dos HAtriosH 6%echalot/. tudo isto parece surpreendente.HEle. quando as 5lmas 67eshamot/ &oram criadas. como ) poss$vel entender as mudanças provocadas pelos seres humanos do mundo mais bai.ecutar planos.plicar estes três limites. Binah 6Inteligência/ e DaMat 6. portanto Ele ) 7ele mesmo a pr8pria realidade. podem causar V E. o que ) di er de todas as 5lmas 67eshamot/ que podem ser encontradas naquele mundo. !e você tentar compreender todo o Zohar.emplo do espelho que tem quatro planos de vidro que são embebidos com quatro cores di&erentes. quando estiver colocando o plano em pr4tica. Então deve0 se perguntar.onhecimento/ para sua 5lma 67eshamah/. que consiste dos pensamentos racionais. ainda assim estes mundos estão principalemente dirigidos para o sub(eto da quantidade que o aspecto da 5lma 67eshamah/ do homem recebe deles e ) nutrido por eles. nominalmente ?ensamento da . (untamente com a lu divina que est4 dentro deles.om certe a a unidade ) indivis$vel V ?ara entender a resposta + estas quest"es. L isto que anteriormente denominamos de ?rimeira 3ase das 5lmas 67eshamot/. o aspecto dos seres criados. de tal maneira. você então o compreender4 e seu caminho ser4 suave e bem sucedido.emplo disto. mas somente ao aspecto do !eu !er. pois todo o 2undo da Emanação ) o aspecto de %oDhmah 6!abedoria/. mesmo a nossa pr8pria essência. 78s não podemos compreender as essências materiais. HascendenteH.o. pois no ?ensamento da . tal como ser4 depois de construida. 5p8s esta &ase.riação. temos ainda que e. se(a com uma parte do !ephiroth. 9 estudante deve entender que de todos os mundos do Zohar. e então encontramos %iPPuhi no @iDDunim. como pode então distinguir0se entre os tres aspectos que são mencionados no @iDDunei Zohar. ) o do homem que dese(a construir uma casaprimeiramente ele a vê diante dele.riação.pansãoH. o termo não ) aplicado + Deus. o qual ele recebe neste mundo de sua pr8pria esp)cie. você deve lembrar que &oi e. que n8s usamos. HseparaçãoH e HligaçãoH. quando de&inido dentro do terceiro limite. 1ocê deve saber que o aspecto do !agrado H!em03imH ) o segredo 6!od/ do primeiro pensamento. com todos os detalhes. e a lu de %oDhmah 6!abedoria/ ) denominada lu de %aPPah 61ida/. Entretanto a comparação ) imper&eita porque para o @odo ?oderoso. então muito menos ainda poderemos chegar perto de entender a essência de Deus. todos os mundos do Zohar estão centrali ados em torno das necessidades da 5lma 6neshamah/. com e&eito. que mencionamos. Estes não são divinos.riação. at) a compleição da HcorreçãoH 6@iDun/. 3ormação e 5ção ) o segredo 6!od/ da &orma que est4 vestida na mat)ria. abençoado se(a Ele. apenas na compleição da HcorreçãoH6@iDun/. pelas boas e m4s aç"es. verde e preto. os tres mundos da . 5ssim você deve entender que estas duas &ases. não podem. Isto &oi descrito anteriormente.riação que ) o !agrado H!em03imH e tamb)m o ?lano de todos os detalhes necess4rios para colocar o ?ensamento na pr4tica. deve crescer e tornar0se mais completa de todos os aspectos que devem ser encontrados em cada mundo. em conecção com qualquer parte dos mundos sublimes com os quais pode estar em contacto.riação &oi tomada em seu estado completo inicial. Um e. HmaiorH. 9u di endo ainda que estes termos que se re&erem aos ve$culos sWmente são poss$veis nos três 2undos da . ter atribu$das a s$ mesmas. irão receber tudo isto na pr4tica. ) a conecção atrav)s da qual toda a criação. nos seus primeiros pensamentos sobre ela. 5 iluminação do mundo da Emanação nos mundos da . no segredo 6!od/ do ?ensamento ou ?lano da . !ua 1italidade 6%aPPah/ e !ua !ubstIncia 6Farmuhi/H V . que consiste dos dese(os humanos que engrandecem o esp$rito de um homem 6=uach/. HmenorH. &uturo e presente são a mesma coisa e dentro Dêle.!e tudo no 2undo da Emanação ) divino e não h4 nada l4 que se(a criado como HnovoH. como. pois como ) poss$vel que a divindade possa ser a&etada e receber mudanças em &unção dos e&eitos dos seres humanos do mundo mais bai. mesmo que ele as trate como categorias de si mesmo. assim Ele não necessita de &erramentas para e. que est4 vestida no !ephiroth e o ilumina. vermelho. presentemente o material que ele . U primeira vista. pois ela ainda estão num estado potencial e ainda não &oram colocadas em pr4tica. !ão tamb)m comparados +s partes branca e negra de um livro.o. ele tamb)m os recebe naquele mundo de sua pr8pria esp)cie. 5bençoado se(a Ele. Hmais bai. como &oi dito no @iDDunim HEle. Então. Isto. que ele precisa para a construção. onde os ve$culos do !ephiroth são HnovosH e não divinos. como n8s necessitamos. 5ssim este ?ensamento ou ?lano. ele recebe isto do !ephiroth em todos os mundos. HdiminuiçãoH. de modo algum.riação. con&orme seu pensamento inicial. Ele mesmo.emplo do homem e sua casa. Então tudo ) divindade absoluta e unidade. dos seres humanos do mundo mais bai. !omente ap8s isto ) que realmente começa a construir a casa. mas apenas para os ve$culos do !ephiroth. completa. 3ormação e 5ção ou =eali ação.o V 1ocê pode responder a isto di endo que estes termos não se re&erem + Divindade propriamente dita. He. abençoado se(a Ele. branco. Então a 5lma 67eshamah/ de um homem que deve ser encontrada em cada mundo. tomado de uma situação real deste mundo. como um linda casa. que neste caso. 3ormação e 5ção ou =eali ação são o segredo 6!od/ da mat)ria. de acordo com esta linha de racionc$nio.emplo. HdescendenteH. 6todos os mundos do Zohar são centrali ados em torno das 5lmas 67eshamot//. 5 partir da$ você pode entender que o nome H!em 3imH 6Ein !o& 0 literalmente !em 3im/. ap8s ter decidio que partes serão de madeira. ele desenha os planos para colocar os seus dese(os em ação. ou se(a das 5lmas 67eshamot/.

abençoado se(a Ele. mas no aspecto de um =ei quando mostra o !eu poder de reinar sobre a totalidade de !ua criação. que as &ormas se e. nem mesmo pela letra %ei nem pela letra Iod. um plano na mente não pode ser considerado como tendo ainda uma e. 5 e. o que ocorreu pela &orça da parceria que aconteceu entre os dois atributos para a H. e di que eles estão na !ephirah 2alDhut 6=eino/. &ormas e semelhanças são apenas e. e tr4s madeira. ) a ra$ de todos os ve$culos daqueles que recebem dele e neces4riamente obtêm ve$culos dela. de &ato. Esta imagem ) então a !ephirah 2alDhut 6reino/ na qual todos os mundos e as 5lmas 67eshamot/ possuem suas ra$ es.#-#/ 0 HE atrav)s dos pro&etas Eu sou representado em imagensH. abençoado se(a Ele. Este ) o signi&icado do verso H?orque você não viu nenhuma similitudeH. Fevurah 6(ulgamento/.H que ) o segredo 6!od/ do verso HE atrav)s dos pro&etas Eu sou representado por imagensH.#-N/ V etc. enquanto que um ?ensamento Divino tem uma e.oroa/.tendem aos lugares daqueles que os recebem. a pint40'o sob qualquer &orma ou descrição. De modo similar. Binah 6inteligência/ e @i&eret 6Bele a/.ão/. 6Y/ @i&eret inclui seis !ephiroth. o que ) na !ephirah Binah 6Inteligência/. e nada mais se e.. 1ocê deve saber.'magens no (ohar 5 seguinte passagem do Zohar. pois est4 dito H2as Ele apareceu no aspecto de um =ei reinando sobre !ua criação. 9u se(a. U primeira vista parece haver uma contradição aqui nas palavras do Zohar. mas não no seu lugar. deve tornar claro. o que ) di er em sua pr8pria visão e em sua imaginação.riação. di a eles 0 Embora eu apareça para vocês em suas pr8prias &ormas.o: mesmo que eles não ocorram no lugar do !ephiroth. di em H7o princ$pio o !er !agrado. pois &oi inicialmente dito que apenas a partir da !ephirah 2alDhut 6=eino/ as &ormas seriam e. Beriah 6. HE mesmo que a imagem &osse + semelhança do !agrado. o que signi&ica que que Ele levantou a !ephirah 2alDhut 6=eino/. . Berg. contemplo uma imagem. nem por qualquer letra ou sinalH.tendidas a partir do quarto aspecto que ) a !ephirah 2alDhut 6=eino/. a quem vocês 2e compararão e que eu deverei ser igual a ele VH H?orque antes do !agrado. de mem8ria sagrada. de acordo com as suas di&erentes &unç"es.riação. 7ada de sua substIncia tornou0se mani&esta ainda: como no e. quando Ele est4 &ora de qualquer &orma.. no topo da p4gina/. eles não consistem de divindade. então.e a parceria com o atributo de =ahamim 6.tendidas +queles que as recebem.ão/ &oi tornado parceiro na criação com o atributo Din 6Gulgamento/.ompai. sem &orma ou imagemH. quando Ele viu que o mundo não conseguiria sobreviver Ele trou. na realidade.riação. HE portanto Ele di . depois di que eles estão na . con&orme e. %oDhmah 6!abedoria/. o que ) di er. e todo o segredo 6!od/ do 2undo da Emanação. como pode então atribuir 7omes e o !ephiroth ao @odo0 ?oderoso V H5 ele deve0se então reponder 0 Eu. mesmo assim. abençoado se(a Ele. ?orque no n$vel dos dois !ephiroth Eeter 6coroa/ e %oDhmah 6sabedoria/ não pode se encontrar qualquer aspecto de &orma ou imagem. 5bençoado se(a Ele.oroa/. @i&eret 6Bele a/ 6Y/ e 2alDhut 6=eino/ no Zohar.plicação do segredo 6!od/ do H!em03imH. a partir deste tempo os ve$culos de 2alDhut 6=eino/ &oram enrai ados na !ephirah Binah 6Inteligência/. mas apenas naqueles que estão recebendo.riação para bai.5 possui ) apenas material conceitual.HE se uma pessoa perguntar 0 7ão est4 escrito H1ocê não viu nenhum modo de imagem VH 0 que signi&ica se uma pessoa perguntar 0 7ão est4 escrito na @orah que H1ocê não viu nenhum modo de imagem VH. nem pela letra Iod. Binah 6inteligência/. 5ssim o Zohar começa &alando da rai real das imagens. %oDhmah 6!abedoria/. como no caso da !ephirah 2alDhuth 6reino/. 3ormação e 5ção ou =eali ação mais o mundo mundano. ?ortanto. Binah 6Inteligência/. 5ssim quando a elas são dados os nomes Eeter 6. 7et ah 6 paciência perp)tua/. &erro e trabalhadores at) que a casa este(a completamente construida. mesmo que ele ainda não possua madeira. criou o mundo com o atributo de Din 6Gulgamento/. E quem quer que se(a que possa compreendê0'o antes do n$vel da criação 0 que ) a !ephirah Binah 6inteligência/ 0 quando ele est4 &ora de qualquer semelhança. Isto &ica então re&ratado para eles como uma imagem. pois ele ainda não possui maderia. são os aspectos da conversão do potencial em realidade: tal como o homem que inicia a construção real de sua casa. que ) o n$vel da !ephirah Binah 6inteligência/. e isto ) o que ) re&erido no verso 6%osea. Este ) o signi&icado do verso 0 H1ocê não viu nenhum modo de imagemH. ?ortanto todas as alus"es nas letras ou nos sinais ou nos 7omes !agrados somente começam a partir da !ephirah Binah 6inteligência/ para bai. abençoado se(a Ele. %oDhmah 6sabedoria/. de modo que possam alcançar sua compleição 0 est4 vestido nas De !phiroth Eeter 6coroa/. a quem vocês 2e compararão e que eu deverei ser igual a ele V 0 E por esta ra ão o !agrado. ) proibido a esta pessoa pint40'o por qualquer &orma ou semelhança do mundo. 2esmo aqui est4 dito que ) da . sobre a qual est4 escrito 0 HE a imagem do !enhor ser4 contemplada por eleH. pois isto não pode ser penetrado. pedras. tamb)m que se d4 muitos nomes para as de !ephiroth de Eeter 6. %od 6ma(estade/. 5ssim durante todo o tempo são ainda meramente &orças potenciais.o.plicação disto ) que.riação/.istência real que ) muit$ssimo mais real que a realidade dos seres criados.orreçãoH 6@iDun/ do mundo. que em qualquer ocasião que se(a mencionado. imaginar ou &ormar a !ua imagem.oroa/.emplo do homem que trabalha num plano para colocar seus pensamentos em pr4tica. e ) mesmo proibido de cham40'o pelo 7ome do !anto Iod0%ei01av0%ei ou por qualquer letra ou sinal. o que ) di er que este verso se re&ere +queles que possuem o m)rito de conhecê0'o acima do n$vel da criação.tendem +queles que as recebem. <esod 6&undação do mundo/ e 2alDhut 6reino/ que são ve$culos verdadeiros quando comparados com a divindade do @odo0?oderoso. <et irah 63ormação/ e 5siPah 65ção ou =eali ação ou ainda . @i&eret 6bele a/. o que ) di er a partir da !ephirah Binah 6Inteligência/ para bai. aparecendo para cada uma de !uas criaturas de acordo com a capacidade de ver.ompai. 5t ilut 6Emanação/. 5 Cnica di&erença na comparação ) que no caso do homem. & . ?hilip !. Entretanto.plicação desta passagem ) que a resposta ser4 que esta imagem que eu v$ ) como aquela que ) mencionada no verso HE a imagem do !enhor ser4 contemplada por ele 62ois)s/H. ser4 apenas com re&erência a sua conecção com a criação dos seres criados. e ) a partir da !ephirah 2alDhut 6=eino/ que os ve$culos se e.onstrução/ ser4 a sua &unção distinguir entre os ve$culos internos que são denominados . criar qualquer semelhança ou &ormar qualquer &orma Ele era Um. eles mesmos. com certe a. nem ainda pela totalidade de !eu !agrado 7ome.o. Entretanto a e. .tende a partir das nove !ephiroth de Eeter 6.plicado na obra H@he Introduction to the Xisdom o& the EabbalahH 0 Dr. 9 signi&icado desta passagem ) direto.e para dentro da !ephirah Binah 6Inteligência/ que ) ditinguida como o atributo =ahamim 6. ele pr8prios.o. pois não est4 escrito 0 HE a imagem do !enhor ser4 contemplada por ele 62ois)s/H 67um. mas eles são criados como HnovosH para as necessidades das 5lmas 67eshamot/. que ) distinguida como o atributo de Din 6Gulgamento/ e Ele o trou. lado #. em seu estilo puro e lCcido 6Bo. pois os ve$culos iniciam0se a partir da !ephirah Binah 6inteligência/ para bai. De acordo com o segredo 6!od/.ão/. o Zohar di aqui. nossas lendas. pedras e &erro verdadeiros. 9s tres mundos da .0 Embora Eu apareça para vocês do seu pr8prio modo.H 5 e. pedras e &erro.istência real. que são os ve$culos.H?ortanto ) proibido a qualquer um que apreender Ele como Ele era antes da criação. pag J#. de ve$culos ou de vi inhanças. 3ormação e 5ção ou =eali ação 0 na porporção em que as 5lmas 67eshamot/ necessitam de receber. %esed 6miseric8rdia/. no mundo da HcorreçãoH 6@iDun/ o atributo de =ahamim 6. nem pela letra %ei.ompai. 5ssim a divindade que brilha atrav)s dos mundos da . como.

e de modo que pudesse ser &eito mani&esto como o mundo ) sustentado pela miseric8rdia 6%esed/ e (ulgamento 6Fevurah/. !eguramente as quatro letras <%1% e o ponto acima do <od constituem cinco ve$culos. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ devem ser encontrados na !ephirah Eeter 6. o 1av ) @i&eret 6Bele a/ e o %ei &inal ) 2alDhut 6=eino/. portanto. consistindo de #JN limbos espirituais e >QT poderes espirituais que podem ser dividos em cinco secç"es de acordo com as quatro letras <%1% e o ponto superior do <od. no !ephiroth Eeter 6. Entretanto. Isto ocorre de tal modo que os aspectos da !ephirah Eeter 6. 9 Zohar a&irma aqui que ) partir da criação. não possuem qualquer aspecto de ve$culos.tendendo0se a partir dos ve$culos da 5lma 67eshamah/. como este !ephiroth concedem os ve$culos e as H1estimentasH 6'evushim/ de modo que eles possam conhecê0'o por !eus atributos 0 pois que as 5lmas 67eshamot/ possam compreendê0'o atrav)s da lu que se e. então &ê a &orma da carruagem do %omem celeste e Ele desceu e vestiu0!e na &orma deste homem. da boca ao peito ) %oDhmah 6!abedoria/. Entretanto.tender para o lugar das 5lmas 67eshamot/.elesteH. Este processo tem lugar.tendem +queles que recebem. e do peito ao umbigo ) Binah 6Inteligência/. !haddai. mas apenas no lugar daqueles que as recebem.omo o Zohar &ala aqui do 2undo da . que são o segredo 6!od/ dos cinco 'ivros da @orah. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ devem ser encontrados os tres !ephiroth Binah 6Inteligência/. pois o ponto superior do <od ) Eeter 6. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/.iste um %omem a partir do aspecto da !ephirah %oDhmah 6!abedoria/ e ele ) chamado %omem da Emanação.plicada. mas estas &ormas não se e. de acordo com isso. damos a estes concedentes o nome de %omem. 1ocê deve constantemente lembrar0se das palavras do Zohar que estas semelhanças ou similitudes não ocorrem nos lugares do !ephiroth Binah 6Inteligência/. pois ) a partir desta !ephirahque estes ve$culos começam a se e. a atrav)s de cada um de !eus atributos.oroa/. entretanto.0 sua cabeça ) o aspecto de Eether 6.oroa/.riação. E e. mesmo em respeito +queles que recebem. você deve entender que o ponto acima do <od.oroa/. onde os aspectos de Binah 6Inteligência/. se(a di er a partir da !ephirah Binah 6Inteligência/ 0 depois desta ter se (untado em parceria com o atributo de Din 6Gulgamento/ com a !ephirah 2alDhut 6=eino/ 0 que a similitude ou aparência e a &orma se e.tendem.istem ainda %omens a partir dos aspectos do !ephiroth @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/. que ) o ve$culo da !ephirah %oDhmah 6!abedoria/ indica o !ephiroth Binah 6Inteligência/.> limbos 0 n8s. o %ei ) Binah 6Inteligência/. @ evaot e EhPehM de modo que pudessem conhecê0'o atrav)s de cada um dos !eus atributos. que ) a !ephirah Binah 6Inteligência/.plicado previamente. o <od ) %oDhmah 6!abedoria/.oroa/ e 5t ilut 6Emanação/ que são as !ephiroth Eeter 6. Ele desceu e vestiu0se l4 e Ele &oi chamado pela &orma das quatro letras <%X%. %oDhmah 6!abedoria/.iste nenhuma semelhança que pudesse ser designada por qualquer letra ou s$mbolo.istem cinco secç"es nele. o que ) di er pelas De !ephiroth Eeter 6.plicação desta questão ) que o Zohar &ala de similitudes e de atributos. ) bem sabido que todo o !ephiroth ) composto por cada um e cada um contem todos os outros. e ) isto que ) denominado Ha 3orma da carruagem do %omem celesteH que ) o %omem da criação. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ deve ser encontrado na !ephirah %oDhmah 6!abedoria/.riação. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/. ?ois antes que a associação destes dois atributos tivesse lugar. H%omem da .oroa/ e %oDhmah 6!abedoria/ são considerados ve$culos. ) adequado utili ar o termo H%omem . E. pois a 5lma 67eshamah/ possui Q. Binah 6Inteligência/. pois os ve$culos são sempre denominados como letras e eles são o segredo 6!od/ dos cinco !ephiroth Eeter 6.plicado.riaçãoH.riação para bai. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ que est4 contido em %oDhmah 6!abedoria/. 5ssim deve estar tamb)m claro que e. 5 e. 9 Zohar continua a passagem que estamos anali ando como a seguir.oroa/. pois este deviam ser encontrados somente na !ephirah 2alDhut 6=eino/.iste um %omem a partir do aspecto da !ephirah Eeter 6. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ que estão contidos na !ephirah Eeter 6.6 Eeter 6.oroa/ e %oDhmah 6!abedoria/ não e. e ele ) chamado %omem da . %oDhmah 6!abedoria/. que ) o segredo 6!od/ dos ve$culos da !ephirah Eeter 6.HE Ele chamou a !$ 2esmo MEl. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ que estão contidas na !ephirah Eeter 6.oroa/ e %oDhmah 6!abedoria/: pois tal ) o aspecto da essência do !ephiroth.plicação desta passagem ) que depois que Ele &ê a &orma da carruagem do %omem celeste. ?ortanto. em cada dos cinco !ephiroth Eeter 6. 5l)m disso. pro(etando0se a partir da . nominalmente as 5lmas 67eshamah/.ternos que são denominados Beriah 6.H 6Y/ 0 <%X% signi&ica Iod0%e01au0%e como em hebraico arcaico ou Iud0%eP01av0%eP como em hebraico moderno/.> ve$culos. anteriormente e. toda a @orah ) distinguida no segredo 6!od/ do ?art u& 6!emblante/ do homem que ) o segredo 6!od/ dos #JN 2it vot positivos que correspondem aos #JN limbos e de >QT 2it vot negativos que corrspondem aos >QT poderes. E porque o Zohar dese(a aludir a associação entre a !ephirah 2alDhut 6=eino/ com a !ephirah Binah 6Inteligência/ ele chama a !ephirah Binah 6Inteligência/ pelo nome de Beriah 6. Entretanto. e eles são chamados. abençoado se(a Ele.oroa/. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ que estão em cada um das cinco in&luências do !ephiroth. Binah 6Inteligência/.oroa/. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/. Este homem ) denominado %omem .eleste porque e. 5trav)s disso. nenhuma &orma de similitude na !ephirah de Binah 6Inteligência/. e do umbigo at) o &inal dos dois p)s ) @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/.istem tamb)m ve$culos no !ephiroth Eeter 6. Elohim.oroa/. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ so inhos e não no !ephiroth Eeter 6. respectivamente. a partir deste aspecto seria verdadeiro di er que e.oroa/. e signi&ica um dos nomes de Deus.oroa/ e %oDhmah 6!abedoria/ e entre os ve$culos mais e.H2as quando Ele criou esta &orma da carruagem do %omem celeste Ele desceu e era chamado <%X% 6Y/. ou pelas quatro letras de <%1%. e.> ve$culos.oroa/. %oDhmah 6!abedoria/. de %omem da 3ormação e %omem da =eali ação ou 5ção. %oDhmah 6!abedoria/.oroa/.istem cinco aspectos do %omem.ão/. E o Zohar continua.istem tamb)m um %omem a partir do aspecto da !ephirah Binah 6Inteligência/. a e. 9 Zohar então prossegue di endo que o !er !agrado. %oDhmah 6!abedoria/. .riação/. Binah 6Inteligência/. em ambos os aspectos de @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/. no pr8prio lugar da criação mas apenas nos lugares daqueles que as recebem. ?ortanto. <et irah 63ormação/ e 5siPah 65ção ou =eali ação/.oroa/ e similarmente o !ephiroth Eeter 6. Isto &a parecer que o !ephiroth Eeter 6. que ) &eita de Q. que são as !ephiroth Binah 6Inteligência/. H%omem da 3ormaçãoH e H%omem de 5ção ou =eali açãoH. 5ssim.H .a &orma do corpo do homem. os quais são os ve$culos. o que ) di er a partir dos tres !ephiroth Binah 6Inteligência/. E e.o. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/: esta distinção adv)m da associação do atributo de Din 6Gulgamento/ com o atributo de =ahamim 6. e. Binah 6Inteligência/. como &oi previamente e. eles são meramente o aspecto da cZr branca. Binah 6Inteligência/. atrav)s do segredo 6!od/ da carruagem do %omem. e &oi e.oroa/ e %oDhmah 6!abedoria/ possuem ve$culos conectados a eles. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/ dos quais os ve$culos derivam. De modo an4logo. e o mesmo se aplica a cada !ephirah Binah 6Inteligência/. E e. @i&eret 6Bele a/ e 2alDhut 6=eino/.tende + elas em um atributo e em uma &orma restrita atrav)s dos seus Q. indica as tres !ephiroth Binah 6Inteligência/. e ele ) chamado %omem ?rimordial 65dam Eadmon/. o que signi&ica di er. o que ) di er atrav)s das de !ephiroth.oroa/.istem tres aspectos do homem que são encontrados no !ephiroth.ompai. de modo que eles pudessem conhecê0'o por !eus atributos e que Ele pudesse ser percebido por cada atributo separadamente.oroa/ e %oDhmah 6!abedoria/ que estão contidas mesmo na !ephirah Binah 6Inteligência/. de acordo com os trabalhos do homem. não havia nada que pudesse ser encontrado. para Binah 6Inteligência/. de modo que o @odo0?oderoso pode ser compreendido atrav)s de !eus atributos. %oDhmah 6!abedoria/ aos quais o ponto acima do <od e o pr8prio <od do <%1% aludem. E o <od de <%1%.riação/. assim os de !ephiroth Eeter 6.

a !ephirah Fevurah 6Gulgamento/ ) chamada Elohim. . . H?ois se !ua lu não &osse espalhada sobre toda a criação. H2aldito se(a o homem que possa presumir comparar o !enhor com qualquer atributo. possam ver estas mudanças. deve estar claro para as 5lmas 67eshamot/ que nenhuma mudança de atributo toma lugar no @odo ?oderoso Ele pr8prio. a !ephirah %esed 62iseric8rdia/ ) chamada El.QN/. e a !ephirah %oDhmah 6!abedoria/ ) chamada <ah. que na reali adade tomam lugar nelas pr8prias.7 0 E Ele chamou a !$ 2esmo pelos 7omes MEl.H5 !ephirah Eeter 6. de acordo com o segredo 6!od/ de HE atrav)s dos pro&etas Eu sou representado por imagensH 6%osea. Elohim. de modo a dar +s 5lmas 67eshamot/ espaço para compreensão adequada Dele. apesar disso./.omo est4 escrito no Zohar 61aPiDra. 5 !ephirah Binah 6Inteligência/ ) chamada <%1% com as vogais de Elohim. muito menos com qualquer &orma humana Mcu(a &undação reside no p8M 6Gob J-. a !ephirah @i&eret 6Bele a/ ) chamada <%1%. e que ) e&êmero e sem importancia..plicar que o prop8sito divino era mostrar +s 5lmas 67eshamot/ que ) atrav)s Dele que estas mudanças que tomam lugar no !ephiroth. como tomando parte no Doador. como então !uas criaturas vieram a conhecê0lo e como o verso M@oda a terra est4 cheia de !ua gl8riaM &oi reali ado V 9 Zohar aqui tenta e. como &oi no caso do sagrado !ephiroth. mesmo que se(a com um dos !eus atributos. as duas !ephiroth 7et ah 6?aciencia Eterna/ e %od 62a(estade/ são chamadas @ evaot.#-. como eles poderiam percebê0'o V E como seria reali ado o verso M@oda a terra est4 cheia de !ua gl8riaM 6Isaiah Q->/H 0 Isto signi&ica que se a !ua lu não &oi espalhada sobre todas as criaturas atrav)s do meio como Ele &oi vestido. mas o prop8sito divino ) meramente que possa parecer + elas que isto acontece. . @ evaot e EhPeh de modo que pudessem conhecê0'o atrav)s de cada um dos !eus atributos.R/. .oroa/ ) chamada de E%<E. ) prop8sito divino que as 5lmas 67eshamot/ que recebem. a !ephirah <esod 63undação do 2undo/ ) chamada El %aP e a !ephirah 2alDhut 6=eino/ ) chamada 5donai. ?ois os de 7omes inapag4veis na @orah são o segredo 6!od/ dos de !ephiroth. mesmo assim.H De &ato. !haddai. e assim reali ar o verso M@oda a terra est4 cheia de !ua gl8riaM.

Related Interests