You are on page 1of 0

INSPEÇÃO MECÂNICA DA RETOMADORA DE SINTER

NATUREZA: MECÂNICA.
PERÍODO: PERIÓDICA (SEMANAL).
TIPO: INSPEÇÃO MECÂNICA PREVENTIVA.
EQUIPAMENTO: RETOMADORA DE RODA DE CAÇAMBA.
SISTEMA: RETOMADORA.
CONJUNTO: MECÂNICO.
LOCAL DE INSTALAÇÃO: OB-S1-RS. PLANO DE INSPEÇÃO: 3024712.
OBJETIVO: Detectar e avaliar a probabilidade de falhas, bem como
analisar o estágio da anomalia detectada (averiguar a estratégia de
manutenção a ser adotada), gerar relatório de inspeção, dar baixa no
plano de inspeção e caso necessário realizar programação dos serviços a
serem realizados.



PRÉ-REQUISITO: Equipamento em operação.

RECURSOS NECESSÁRIOS PARA A ATIVIDADE

- Estetoscópio.
- Termômetro (Fototermômetro – Raytec).
- Toalhas, escova de aço, lanterna.
- Trena, paquímetro universal.
EPI’S OBRIGATÓRIOS




OBSERVAÇÃO: Antes de iniciar a tarefa de inspeção realize a APR. Caso exista alguma tarefa
que imponha riscos próprios e/ou terceiros, emita a recusa a tarefa.

PESSOA RESPONSÁVEL: Inspetor Mecânico. QUANT: 01. H/H: 2:00.
DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES

1 - ACIONAMENTO – MOTORIZAÇÃO DA RODA DE CAÇAMBA.

2 - ACIONAMENTO – CORRENTES DA RODA DE CAÇAMBA.

3 - IMPLEMENTO – RODAS DE CAÇAMBA.

4 - ACIONAMENTO – MOTORIZAÇÃO DA TRANSLAÇÃO DO SUPORTE.

5 - ACIONAMENTO – RODAS E CORRENTES DE TRANSLAÇÃO DO SUPORTE.

6 – ESTRUTURA.

7 - ACIONAMENTO – TRANSPORTADOR.

8 - ACIONAMENTO – TAMBORES.

9 - ACIONAMENTO – CORREIA E ROLETES.

10 - TRUQUES DE TRAÇÃO E DE APOIO.

11 - ENROLADOR DE CABOS.

INSPEÇÃO MECÂNICA DA RETOMADORA DE SINTER

DETALHES DA RETOMADORA – VISTA DE FRENTE.

DETALHES DA RETOMADORA – VISTA SUPERIOR.


INSPEÇÃO MECÂNICA DA RETOMADORA DE SINTER

1 - ACIONAMENTO – MOTORIZAÇÃO DA RODA DE CAÇAMBA.


- Inspecionar a limpeza geral do redutor (inclusive obstrução no respiro).
- Examinar a existência de parafusos mal torqueados (bambos), quebrados ou faltantes.
- Verificar vazamentos de óleo nas vedações dos eixos e nas juntas das tampas e cabeçote.
- Verificar nível de óleo no visor do redutor.
- Examinar a existência de ruídos anormais, vibrações ou trepidações mecânicas.
- Medir a temperatura dos mancais dos eixos (temperatura máxima – 70 °C).
- Medir a temperatura da carcaça do redutor (temperatura de referência entre 50 a 80 °C).
- Verificar folgas ou vibrações excessivas nos acoplamentos.


2 - ACIONAMENTO – CORRENTES DA RODA DE CAÇAMBA.

- Avaliar as condições de limpeza das correntes (materiais presos ou travados nos elos).
- Verificar a condição de funcionamento das correntes da roda: Não deve haver deflexões ou
folgas excessivas durante a operação da roda.
- Localizar possíveis elos quebrados ou deformados.
- Auscultar possíveis ruídos anormais nas correntes.
- Examinar a condição do engrenamento dos elos com as rodas dentadas dos redutores e nas
cremalheiras da roda.
- Conferir o funcionamento correto dos esticadores das correntes.

3 - IMPLEMENTO – RODA DE CAÇAMBAS.




- Avaliar as condições de limpeza do conjunto de roda de caçambas (Identificar materiais
presos ou caídos entre a estrutura da roda de caçamba, o suporte dos roletes inferiores e a
plataforma da motorização da roda).
- Examinar o conjunto de roda e identificar: Empenos, deformações ou defeitos nas vigas
laterais do suporte e nas chapas protetoras da roda de caçambas.
- Examinar a operação da roda de caçambas. Analisar o deslocamento da mesma, durante a
operação de carregamento e durante o deslocamento de translação. Não deve haver trancos,
pancadas, trepidações elevadas ou vibrações transmitidas para a estrutura da ponte.
- Avaliar a folga do conjunto da roda em relação aos roletes de apoio superiores, inferiores e
laterais. Não deve haver folgas perceptíveis durante a operação da roda.
- Avaliar a folga do conjunto de suporte da roda em relação à viga caixão. Não deve haver
folgas perceptíveis durante a operação da roda.
- Avaliar o comportamento das correntes em operação. Não deve haver folgas perceptíveis
durante a operação da roda.
- Avaliar a operação do ancinho. Verificar o deslocamento do mesmo. Não deve haver
trepidações, trancos ou movimentos bruscos transmitidos ao suporte da roda de caçambas.


4 - ACIONAMENTO – MOTORIZAÇÃO DA TRANSLAÇÃO DO SUPORTE.



- Inspecionar a limpeza geral do redutor (inclusive obstrução no respiro).
- Examinar a existência de parafusos mal torqueados (bambos), quebrados ou faltantes.
- Verificar vazamentos de óleo nas vedações dos eixos e nas juntas das tampas e cabeçote.
- Verificar nível de óleo no visor do redutor.
- Examinar a existência de ruídos anormais, vibrações ou trepidações mecânicas.
- Medir a temperatura dos mancais dos eixos (temperatura máxima – 70 °C).
- Medir a temperatura da carcaça do redutor (temperatura de referência entre 50 a 80 °C).




INSPEÇÃO MECÂNICA DA RETOMADORA DE SINTER



- Verificar folgas ou vibrações excessivas nos acoplamentos.
- Avaliar o funcionamento do freio, durante a parada do deslocamento transversal e ação de
frenagem eletro hidráulica, na sapata do freio contra o tambor do acionamento. Localizar
pontos de fuga de óleo no freio no eldro. Inspecionar as articulações do freio quanto a
desgastes, pinos quebrados ou parafusos ou quebrados.

5 - ACIONAMENTO – RODAS E CORRENTES DE TRANSLAÇÃO DO SUPORTE.



- Avaliar as condições de limpeza das correntes (materiais presos ou travados nos elos).
- Verificar a condição de funcionamento das correntes da roda: Não deve haver deflexões ou
folgas excessivas durante a operação da roda.
- Localizar possíveis elos quebrados ou deformados.
- Examinar a condição do engrenamento dos elos e roda dentada do redutor.
- Verificar folgas ou trepidações no mancal da roda dentada de acionamento da translação do
suporte da roda.
- Conferir a fixação e conservação da mola amortecedora da corrente de translação.
- Conferir a conservação e fixação dos cabos de aço guia de translação.
- Inspecionar a limpeza do conjunto de deslocamento transversal do suporte da roda
(presença de materiais caídos, pedras ou sujeiras excessivas).
- Verificar folgas ou trepidações nas rodas do suporte da roda de caçambas (rodas superiores
e laterais da viga caixão).
- Inspecionar os trilhos (superiores e laterais inferiores). Localizar pontos de desgastes,
trincas ou deformações.
- Conferir a fixação dos trilhos da parte superior e lateral inferior do suporte da roda, na viga
do caixão.


6 – ESTRUTURA.








- Examinar a existência de parafusos soltos ou quebrados nas chapas de revestimentos do
chute.
- Examinar o desgaste das saias e guias laterais entre o chute de descarga e a correia
(conferir a possibilidade de vazamentos de materiais nas guias laterais). Conferir a
conservação de todos os parafusos das guias.
- Inspecionar a estrutura metálica e localizar pontos de corrosão, trincas, empenos,
desgastes, parafusos soltos, quebrados ou faltantes na estrutura do transportador e na
estrutura retomadora.
- Conferir a conservação dos pisos das passarelas, escadas, corrimãos e protetores das
plataformas da retomadora.
-Verificar corrosões, trincas ou deformações na estrutura central. Inspecionar os elementos
internos da montagem da viga caixão (contraventamentos e reforços internos).
- Inspecionar todas as soldas dos elementos da montagem da viga caixão.
- Inspecionar a limpeza geral da estrutura da retomadora e localizar pontos de oxidação ou
defeitos da pintura.
- Examinar toda retomadora e localizar todo e qualquer parafuso ausente, danificado,
bambo ou quebrado.
- Conferir a conservação e alinhamento dos suportes de sustentação da estrutura do
transportador.
- Inspecionar trincas nas soldas e corrosões nas vigas trapezoidais.
- Verificar a ligação entre as vigas trapezoidais e a viga caixão (parafusos e soldas – trincas
deformações, rupturas ou corrosões).



INSPEÇÃO MECÂNICA DA RETOMADORA DE SINTER

7 - ACIONAMENTO – TRANSPORTADOR.


- Inspecionar a limpeza geral do redutor (inclusive obstrução no respiro).
- Examinar a existência de parafusos mal torqueados (bambos), quebrados ou faltantes.
- Verificar vazamentos de óleo nas vedações dos eixos e nas juntas das tampas e cabeçote.
- Verificar nível de óleo no visor do redutor.
- Auscultar ruídos anormais no redutor, com carga.
- Examinar a existência de ruídos anormais, vibrações ou trepidações mecânicas.
- Medir a temperatura dos mancais dos eixos (temperatura máxima – 70 °C).
- Medir a temperatura da carcaça do redutor (temperatura de referência entre 50 a 80 °C).
- Verificar vazamentos de óleo na carcaça ou retentor do eixo de saída do acoplamento
Voith.


8 - ACIONAMENTO – TAMBORES.

- Inspecionar a limpeza geral dos mancais dos tambores da correia.
- Verificar desgastes ou defeitos nos revestimentos dos tambores (motriz e retorno).
- Auscultar ruídos anormais nos mancais dos rolamentos dos tambores.
- Conferir a lubrificação correta de todos os mancais (vazamento de graxa).
- Medir a temperatura dos mancais dos tambores. A temperatura dos mancais deve estar
entre 35 a 45 °C.
- Examinar a presença de vibrações ou trepidações mecânicas nos mancais do tambor
motriz.
- Examinar a presença de parafusos danificados ou quebrados nos mancais.
- Verificar a conservação dos tirantes, tensores e alavancas dos raspadores.
- Examinar o funcionamento dos raspadores com a correia em operação (materiais caídos
travando o movimento livre dos tensores).
- Examinar desgastes ou quebras nas lâminas de borracha dos raspadores.

9 - ACIONAMENTO – CORREIA E ROLETES.

- Conferir o alinhamento da correia nos cavaletes de carga e nos tambores.
- Examinar risco de contato da borda da correia com a estrutura.
- Conferir a conservação das bordas da correia.
- Verificar a conservação da correia e identificar defeitos (rasgos, trincas, furos ou quebras
no revestimento de borracha da correia).
- Verificar a limpeza (materiais caídos) nos suportes e cavaletes dos roletes.
- Auscultar ruídos anormais nos roletes de carga, impacto, alinhadores ou retorno.
- Examinar o funcionamento e alinhamento dos cavaletes auto-alinhadores.
- Conferir a conservação dos revestimentos dos roletes de impacto e retorno.
- Verificar a presença de roletes travados, empenados, deformados ou desgastados.

10 - TRUQUES DE TRAÇÃO E DE APOIO.

- Inspecionar a condição de limpeza do conjunto (identificar toda contaminação externa,
tais como: Materiais caídos, poeira ou água).
- Avaliar a lubrificação a graxa dos pinos das articulações dos truques.
- Com a retomadora em movimento, observar se existe folga nos mancais das rodas dos
truques de tração.
- Auscultar ruídos anormais (pancadas ou trepidações) nos mancais durante o
deslocamento da retomadora.
- Avaliar a lubrificação dos mancais das rodas e verificar a vedação correta da graxa nos
mancais.
- Inspecionar se há vazamentos nas vedações do redutor de translação.
- Verificar a existência de parafusos soltos ou quebrados no redutor de translação.
- Avaliar o funcionamento do freio, durante a parada da retomadora e a ação de frenagem
eletro hidráulica, na sapata do freio contra o tambor do acionamento.
- Localizar pontos de fugas de óleo no freio eldro.

INSPEÇÃO MECÂNICA DA RETOMADORA DE SINTER

11 - ENROLADOR DE CABOS.

- Inspecionar a condição de limpeza do conjunto do enrolador de cabo elétrico.
- Auscultar ruídos anormais (pancadas ou trepidações) nos mancais durante o movimento
do tambor do enrolador.
- Avaliar desgastes nos roletes no carro do enrolador do cabo.
- Verificar vazamentos de óleo no redutor do enrolador dos cabos.
- Inspecionar os acoplamentos, correntes e rodas dentadas: localizar desgastes,
desalinhamentos ou quebras.

CONDIÇÕES ANORMAIS OBSERVADAS DURANTE INSPEÇÃO