Interpretação da Prova de função Interpretação da Prova de função  

Pulmonar (PFP) ( )
Espirometria
DEFINIÇÃO
Spiro = respirar
Metrum = medida
M did d d íd d d l õ - Medida da entrada e saída de ar dos pulmões.
i t áfi d i t i i fi - registro gráfico da espirometria → espirografia
interpretação volumétrica ou fluxométrica → espirometria - interpretação volumétrica ou fluxométrica → espirometria
Objetivos Objetivos
- Prevenção, diagnóstico e quantificação dos distúrbios ventilatórios
Cuidados técnicos
Realização da PFP Realização da PFP
- necessidade de compreensão e colaboração do paciente;
- conhecimento técnico de quem realiza o teste;
- voz de comando;
i t d id t lib d - equipamento devidamente calibrado;
- controle ambiental, com temperatura, umidade do ar e pressão barométrica
controladas; controladas;
- cada teste deve ser repetido pelo menos 3 vezes;
- uso de clipe nasal - uso de clipe nasal.
Realização da PFP Realização da PFP
- 3 manobras respiratórias : p
- Capacidade vital lenta (CVL) - Capacidade vital lenta (CVL)
- Capacidade vital forçada (CVF)
- Ventilação voluntária máxima (VVM)
Realização da PFP Realização da PFP
CVL
- inspirações e expirações lentas (ao nível do VC), seguida de uma inspiração p ç p ç ( ) g p ç
máxima possível e uma expiração máxima possível (Não rápida)
- volumes e capacidades são obtidos através da CVL → Espirometria
estática
Realização da PFP Realização da PFP
CVL CVL
Realização da PFP Realização da PFP
CVF
- consiste no volume de ar que pode ser expirado, tão rápido e completamente
quanto possível, após uma inspiração profunda máxima q p p p ç p
- fluxos são obtidos através da CVF, como os fluxos instantâneos (FEF
25
, FEF
50
e
FEF ) e o FEF (espirometria dinâmica) FEF
75
) e o FEF
25-75
. (espirometria dinâmica)
Realização da PFP Realização da PFP
CVFtexto
Realização da PFP Realização da PFP
VVM
- volume máximo de ar que pode ser respirado (inspirado e expirado), com maior
esforço voluntário possível, num determinado período de tempo esforço voluntário possível, num determinado período de tempo
-enfatiza o desempenho ventilatório, mais precisamente o desempenho muscular p , p p
respiratório
- realizadas inspirações e expirações o mais rápido e profundo possível, durante
cerca de 12 a15 segundos.
Realização da PFP Realização da PFP
CVL (espirometria estática)
Volumes e Capacidades
Realização da PFP Realização da PFP
CVF (espirometria dinâmica)
- Relação entre os volumes e capacidades e a velocidade com que o ar deixa os
pulmões, isto é, o fluxo aéreo
- indica o tempo gasto para uma quantidade de ar passar pelas vias aéreas e
chegar até a boca
Realização da PFP Realização da PFP
CVF ( i t i di â i ) CVF (espirometria dinâmica)
Valores diretos: Valores diretos:
Capacidade Vital forçada (CVF)
Volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1): vol máx que um indivíduo
consegue expirar no 1º seg de uma exp máx consegue expirar no 1 . seg de uma exp máx
-exprime o fluxo aéreo da maior parte das vias aéreas, sobretudo as de calibre
maior maior
Peak Flow: pico máx de fluxo exp atingido numa expiração forçada p p g p ç ç
Realização da PFP Realização da PFP
CVF ( i t i di â i ) CVF (espirometria dinâmica)
Valores diretos: Valores diretos:
Capacidade Vital forçada (CVF) FIG
Volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1): vol máx que um indivíduo
consegue expirar no 1º seg de uma exp máx consegue expirar no 1 . seg de uma exp máx
-exprime o fluxo aéreo da maior parte das vias aéreas, sobretudo as de calibre
maior maior
Peak Flow: pico máx de fluxo exp atingido numa expiração forçada p p g p ç ç
Realização da PFP Realização da PFP
CVF ( i t i di â i ) CVF (espirometria dinâmica)
Valores diretos: Valores diretos:
Capacidade Vital forçada (CVF) FIG
Volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1): vol máx que um indivíduo
consegue expirar no 1º seg de uma exp máx consegue expirar no 1 . seg de uma exp máx
-exprime o fluxo aéreo da maior parte das vias aéreas, sobretudo as de calibre
maior maior
Peak Flow: pico máx de fluxo exp atingido numa expiração forçada p p g p ç ç
Realização da PFP Realização da PFP
CVF (espirometria dinâmica) ( p )
Valores indiretos:
Índice de Tiffeneau (VEF1 / CVF): Relação entre o VEF1 e a CVF
Fluxo expiratório forçado a 25% (FEF25%): indica o fluxo expiratório forçado a ¼ da
CVF
-fluxo de ar contido nas vias aéreas superiores e em parte da traquéia
Realização da PFP Realização da PFP
CVF (espirometria dinâmica) ( p )
Valores indiretos:
Índice de Tiffeneau (VEF1 / CVF): Relação entre o VEF1 e a CVF
Fluxo expiratório forçado a 25% (FEF25%): indica o fluxo expiratório forçado a ¼ da
CVF
-fluxo de ar contido nas vias aéreas superiores e em parte da traquéia
Realização da PFP Realização da PFP
CVF (espirometria dinâmica) ( p )
Valores indiretos:
Fluxo expiratório forçado a 50% (FEF 50%): fluxo exp forçado no ponto médio da CVF
-fluxo de ar contido na parte central das V.A. inferiores deixa o sistema respiratório
durante uma expiração forçada
Fluxo expiratório forçado a 75% (FEF 75%): Indica o fluxo expiratório forçado a ¾ da
CVF
Realização da PFP Realização da PFP
CVF (espirometria dinâmica) ( p )
Valores indiretos:
Fluxo expiratório forçado médio (FEF25-75%): fluxo médio de ar que ocorre no
intervalo entre 25 e 75% da CVF
- uma das mais importantes medidas de fluxos → avalia a quantidade de ar que sai
exclusivamente dos brônquios
Interpretação Interpretação
Limite inferior de referência: escolhidos para cada indivíduo através de equações ou tabelas.
Modelo de interpretação Modelo de interpretação
- CVF pode ser reduzida no enfisema pela perda do suporte
lá ti d i é elástico das pequenas vias aéreas.
- CVF também pode ser reduzida por tampões de muco e
estreitamento bronquiolar, como se encontra na bronquite
crônica, asma e bronquiectasias.
- No caso de obstruções (distúrbio obstrutivo), CVF geralmente
não fica tão baixo quanto VEF1. q
Modelo de interpretação Modelo de interpretação
- CVF está reduzida em doenças restritivas.
- Porém, diferentemente das doenças obstrutivas, a redução
percentual do VEF1 acompanha de perto a redução da CVF. (nas
obstrutivas VEF1 fica bem mais baixo que CVF)
-Qualquer doença que afete a função de fole da parede torácica
ou a distensibilidade do tecido pulmonar tende a reduzir a CVF.
Ex: Doenças neuromusculares tais como miastenia gravis, ou
deformidades da parede torácica como escoliose limitam a mobilidade deformidades da parede torácica, como escoliose, limitam a mobilidade
da parede torácica.
Modelo de interpretação Modelo de interpretação
- distúrbio misto quando a redução da CVF é maior do que o
esperado para uma causa obstrutiva (fluxograma)
- diferença entre VEF1 e CVF ≤ 12% indica distúrbio misto.
- diferença entre 12 e 25% indica distúrbio obstrutivo com
redução da CVF.
Modelo de interpretação Modelo de interpretação