1

S
2
1
0
01. (UFPS) Das alternativas abaixo, não é considerado
um fator de atração industrial:
(A) O custo da mão-de-obra baixo, grande oferta e
especialização.
(B) O transporte bem atendido em termo de custos e
segurança.
(C) Os Incentivos fiscais com isenção total ou parcial
de impostos.
(D) A disponibilidade de energia.
(E) Ferrovias onde a velocidade média de tráfego das
composições de carga seja baixa.
02. (FASA) Das afirmativas abaixo, assinale qual é verda-
deira em relação ao processo de industrialização no
Brasil.
(A) Em 1850 o país inicia sua industrialização com as
industria de bens de consumo duráveis principal-
mente na região sudeste.
(B) Após a década de 1950 finda o processo de
substituição de importações com a introdução da
industria de bens de consumo duráveis.
(C) É no governo Vargas que surge a Companhia
Siderúrgica Nacional e pela primeira vez a adoção
do processo de substituição de importações.
(D) O Estado brasileiro, entre 1930 e 1950, não teve
como política a criação de infra-estrutura para a
industrialização, o que somente aconteceu após
o Plano de Metas do governo JK.
(E) A industrialização do país ocorreu sem a entrada
de empresas multinacionais.
03. (USA) Quanto à distribuição das industria pelo território
brasileiro e sua atual distribuição é incorreto afirmar:
(A) A Grande São Paulo é a maior concentração finan-
ceira e industrial da América Latina.
(B) Na maioria dos casos, as regiões de concentra-
ção industriais do país são junto as capitais dos
Estados.
(C) O pólo petroquímico de Camaçari, o centro indus-
trial de Aratu e principalmente a Zona Franca de
Manaus são as únicas regiões significativas em
industrialização na região Norte do país.
(D) Goiana, Anápolis e Campo Grande são regiões
significativas em industrialização na região Cen-
tro-Oeste.
(E) Nas últimas décadas, a região Sudeste vem dimi-
nuindo em proporção o número de industria em
relação a outras regiões do país.
04. (UNISA)
Testes Complementares
Analisando a tabela apresentada e usando seus
conhecimentos sobre o modal de transporte rodoviá-
rio no Brasil, é incorreta a alternativa:
(A) A precariedade das rodovias reduz a vida útil das
peças de caminhões, aumenta o tempo de via-
gem e encarece o frete.
(B) O custo das péssimas condições das estradas
brasileiras é repassado ao preço final das merca-
dorias transportadas.
(C) O trânsito é uma das principais causas de mortes
no país, e as más condições das estradas e ruas
têm relação direta com parte dessas baixas.
(D) A péssima qualidade das estradas diminui a
competitividade de vários produtos brasileiros no
exterior.
(E) Apesar das estradas malconservadas, na atual
matriz de transporte do Brasil, o rodoviarismo já
responde por quase 20% das mercadorias trans-
portadas.
05. (UFPS) Sobre a oferta de energia atual no Brasil, é
correto afirmar que:
(A) O Rio de Janeiro consome sobretudo energia
elétrica de fonte nuclear, mais barata do a gerada
por hidrelétricas.
(B) A oferta de energia vem crescendo num ritmo
inferior ao do consumo.
(C) No Rio Grande do Sul não existe termelétrica que
utilize o gás natural.
(D) Bagaço da cana-de-açúcar, carvão mineral, casca
de arroz e lenha são exemplo de biomassas
usadas no país para gerar energia.
(E) Usinas que utilizam o bagaço da cana-de-açúcar
como fonte geradora de energia são encontradas
somente na região nordeste.
06. (UNISA) Analisando a tabela abaixo e usando seus
conhecimentos sobre a infra-estrutura portuária bra-
sileira, é incorreta a alternativa:
NÚMERO DE CONTÊINERES
TRANSPORTADO AO ANO
(1-porto / 2- país)
2
S
2
1
0
(A) Entre os países de economia emergente, o porto
de Santos é o que transporta o maior número de
contêineres por ano, ficando atrás apenas dos
portos dos países desenvolvidos.
(B) O calado é um indicador da vitalidade de um porto.
Quando ele é raso, como é o caso do porto de Rio
Grande (RS), eles recebem navios com menor
capacidade de armazenar contêineres.
(C) O porto de Santos é o maior em movimentação de
mercadorias do país.
(D) Em alguns portos do Brasil, vários terminais não
operam com contêineres e grande parte do traba-
lho é feita por carregadores.
(E) Comparado com os principais portos internacio-
nais, os brasileiros são mais ineficientes, caros,
improdutivos e obsoletos.
07. (UFPS) A precariedade da infra-estrutura vem sendo
apontada como um grande entrave na busca do Brasil
em maior competitividade comercial no cenário inter-
nacional. Algumas alternativas são apontadas como
fundamentais para reduzir esta precariedade, das
opções abaixo, todas são coerentes com esta neces-
sidade, com exceção:
(A) Tornar mais rígidos os procedimentos para insta-
lações de hidrelétricas.
(B) Abrir ou concluir licitações para a melhoria de
trechos de rodovias mais combalidas.
(C) Fiscalizar com rigor o excesso de peso dos cami-
nhões.
(D) Aumentar o calado dos principais portos, permi-
tindo o atracamento de supercargueiros.
(E) Aumentar a interconexão da malha ferroviária.
08. (UFPS)
Analisando a tabela podemos concluir que produzir
soja no Brasil é 51 dólares mais barato do que nos
Estados Unidos. Mas o custo logístico não só elimina
essa vantagem como inverte a equação. No final, é 24
dólares mais em conta produzir lá do que aqui. Das
alternativas apresentadas abaixo, qual explica melhor
a tabela apresentada?
(A) A tabela mostra como a infra-estrutura precária do
Brasil boicota sua capacidade de produzir bens de
forma competitiva.
(B) O clima favorável, a mão-de-obra barata e a Terra
abundante tornam o Brasil um país ideal para a
produção da soja.
(C) O caso da soja é apenas um dos mais vistosos.
O gargalo logístico impõe aos exportadores per-
das de 2 bilhões de reais por ano e provoca o
aumento da produtividade no campo brasileiro.
(D) Por ter um transporte mais eficiente e menos
custoso, os brasileiros anulam os trunfos dos
competidores americanos.
(E) Rodovias e portos ineficientes produzem gastos
adicionais e impõem desperdícios que somente
as privatizações poderão resolver.
09. (ULSA) Sobre as características do grupo de países
chamados de Tigres Asiáticos, é incorreto afirmar:
(A) Cingapura tem a maior e mais diversificada pro-
dução de produtos industrializados.
(B) Industrialização voltada para o mercado externo.
(C) Superexploração da força de trabalho.
(D) Mão-de-obra barata.
(E) Investimento em educação, principalmente técni-
ca.
10. (UNISA) Das alternativas abaixo, dos tipos de indús-
trias quanto ao destino dos produtos, é incorreta:
(A) Indústria de bens de consumo produzem produ-
tos acabados.
(B) Industria de bens de produção fabricam produtos
que serão usados como matéria-prima por outras
indústrias.
(C) A industria de bens duráveis serve como exemplo
de industria de bens de consumo.
(D) A indústria de bens não-duráveis é exemplo de
indústria de bens de produção.
(E) Máquinas, motores e materiais de transporte são
exemplos de bens de capitais.
11. (UNISA) Relacione as colunas...
( ) Além de gerar muitos gases na atmosfera, tem
reservas limitadas, cada vez mais ameaçadas
pelo crescente consumo.
( ) Responsável por cerca de um quarto de toda
energia consumida no mundo e apesar do
surgimento de novas tecnologias para reduzir
emissões, responde por 40% das emissões de
gás carbônico provocadas pela queima de com-
bustíveis.
3
S
2
1
0
( ) Tem reservas finitas, transporte complicado e
provoca emissões de gás carbônico na queima,
embora em quantidades menor do que a dos
derivados de petróleo.
( ) Não geram emissões de carbono. São criticadas
por gerar resíduos radioativos, que demoram
milênios para desaparecer.
1. Usinas nucleares 2. Carvão mineral
3. Petróleo 4. Gás natural
A relação correta é:
(A) 3. 2. 4; e 1.
(B) 2; 3; 4; e 1.
(C) 3; 2; 1 e 4.
(D) 1; 4; 3; e 2.
(E) 4; 1; 2 e 3.
12. (UFPS) Sobre emissão de poluentes e fontes de
energia renováveis são feitas as seguintes afirmati-
vas:
I - Fontes alternativas como eólica, solar, e biomassa
oferecem as formas mais ambientalmente corre-
tas de gerar energia;
II - A energia eólica transforma vento em eletricidade.
III - a solar aquece água com facilidade – a produção
de eletricidade é um pouco mais complexa, mas
possível.
IV - as pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) ala-
gam áreas menores, comprometendo menos a
ecologia.
V - O biogás – dejetos da criação de animais e até de
esgoto doméstico geram metano, 20 vezes mais
poluentes do que o gás carbônico.
VI - Biocombustíveis – etanol (álcool) e biodíesel –
são produzidos a partir de matérias-primas vege-
tais. Além disso, os gases que produzem já seri-
am normalmente liberados pela decomposição
da matéria-prima do qual foi feito.
São verdadeiras as afirmativas de número:
(A) I, II, IV e VI.
(B) II, III, V e VI.
(C) I, II, III, IV e VI.
(D) I, III, V e VI.
(E) I, II, III, IV, V e VI.
13. (UFPS) Na Europa são os temores sobre a invasão da
Amazônia. Na América Latina e na África a expectativa
de novos produtores. Em qualquer latitude as discus-
sões sobre os biocombustíveis se transformaram em
uma pauta irremovível. Sobre este assunto são feitas
as seguintes afirmativas:
I - Líderes latino-americanos como Fidel Castro e
Hugo Chavez criticam o uso de grão para fazer
combustíveis em vez de produzir alimentos.
II - O custo de produção do etanol no Brasil é relativa-
mente baixo, o que leva o país a um destaque
mundial na área.
III - A importância em outros países passarem a pro-
duzir o etanol se justifica na não ocorrência da
dependência de um pequeno grupo de fornecedo-
res, como ocorre com o petróleo.
IV - Na possibilidade da invasão de terras da Amazô-
nia por canaviais, o Brasil aceitaria intervenções
internacionais em suas políticas públicas para a
região, e se preciso fosse, abdicaria de sua sobe-
rania e responsabilidade.
São verdadeiras as afirmativas de número:
(A) I, II e IV.
(B) I, II e III.
(C) II, III e IV.
(D) I, III, IV.
(E) I, II, III e IV.
14. (UFSCar) A ampliação e diversificação da matriz
energética brasileira é uma necessidade frente às
possibilidades de retomada do crescimento econô-
mico e industrial do país. Sobre o gás natural e seu uso
como fonte de energética no Brasil, é correto afirmar
que:
(A) O gás natural é um recurso mineral renovável,
encontrado em bacias sedimentares e formado
pela decomposição de matéria orgânica em am-
bientes periglaciais.
(B) A substituição do petróleo e do carvão mineral e
vegetal por gás natural, apesar de reduzir os
custos, não é recomendável, pois o gás é mais
poluente que os demais.
(C) O gasoduto, que no Brasil passa somente por
Estados do Centro-Sul, é responsável pelo forne-
cimento de gás natural a importantes atividades
industriais.
(D) A construção do gasoduto pode representar o
esgotamento rápido do gás natural boliviano, pois,
além do Brasil, a Bolívia abastece ainda a Argen-
tina, que não possui reservas deste recurso.
(E) Após a construção do gasoduto, o gás natural
passou a ser a fonte de energia mais consumida
no país, pelo baixo custo de sua obtenção e
facilidade de distribuição.
15. (UFMG) O desempenho atual da indústria brasileira
sofre a interferência negativa de fatores de ordem
interna ou externa.
Considerando-se essa infromação, é incorreto afir-
mar que, no Brasil, a indústria é afetada:
(A) Internamente, pelo custo das tarifas públicas e
pela carga tributária, que penalizam o setor produ-
tivo brasileiro.
(B) Externamente, pelas oscilações no valor da moe-
da do país, que interferem na competitividade do
produto nacional.
(C) Externamente, pelos acordos bilaterais que, assi-
nados pelo país, rstringem o número de parceiros
e itens comercializados.
(D) Internamente, pelo baixo poder aquisitovo de gran-
de parte do mercado consumidos, consequência
da má distribuição de renda no país.
4
S
2
1
0
16. (Épocavest.-/fascículo nº 03) “As redes são condição
da globalização (...) Sua qualidade e quantidade dis-
tinguem as regiões e lugares, assegurando aos mais
bem dotados uma posição relevante e deixando aos
demais uma condição subrodinada. São os nós das
redes que presidem e vigiam as atividades mais
características deste nosso mundo globalizado.”
Milton Santos, O país Distorcido: o Brasil, a Globalização e a
cidadania (Publifolha: São Paulo, 2002)
O fragmento acima faz referência a redes formadas
por sistemas técnicos que permitem a interligação
entre inúmeros pontos do globo. A respeito da distri-
buição geográfica de tais redes, podemos afrimar
que:
(A) Encontram-se distribuidas de forma homegênea,
sendo que as cidades globais representam seus
principais pólos de comando, devido à sofistica-
ção de seus sistemas financeiros e dos serviços
de telecomunicações.
(B) Apesar de não se encontrarem perfeitamente
distribuidas no espaço geográfico, permitem a
todas as pessoas residentes em uma megacidade
se beneficiar como o fenômeno da globalização.
(C) Possuem uma distribuição heterogênea, sendo
que as megacidades representam os principais
nós dessas redes, devido à concentração de
fluxos financeiros, culturais e de pessoas.
(D) Possuem densidade desigual, sendo que as ci-
dades globais representam os principais nós
dessas redes, devido à concentração de objetos
e sistemas técnicos implantados em seus territó-
rios.
(E) Apresentam uma distribução equilibrada, sendo
que as cidades globais representam os princi-
pais centros de comando, devido ao contingente
populacional superar os 10 milhões de habitan-
tes.
17. (UFG) A urbanização dos países subdesenvolvidos
constitui um fenômeno marcante da segunda metade
do século XX.
As características desse fenômeno, na América Lati-
na, expressa na paisagem urbana das metrópoles,
são decorrentes da:
(A) Instalação de indústrias de bens de produção nos
arredores das pequenas cidades e próximas às
fontes de matéria-prima.
(B) Industrialização tardia e da modernização das
atividades agrícolas, conjugadas à concentração
de pessoas nas grandes cidades.
(C) Aglomeração humana e do aumento do poder
aquisitivo da população, favorecidos pela expan-
são do capital financeiro na economia.
(D) Inovação tecnológica e do aumento da produtivi-
dade das indústrias de bens de consumo, para
suprirem as necessidade da vida urbana.
(E) Implementação de parque industrial e de
regulação, por meio do planejamento governa-
mental, de deslocamento populacionais para as
cidades.
18. (UFABC) O biodiesel é um combustível derivado de
fontes renováveis, que pode ser obtido por diferentes
processos, tais como como o craqueamento, a
esterificação ou pela transesterificação. Ele sofre a
ação de bactérias decompositoras. Há dezenas de
espécies vegetais no Brasil das quais se pode produ-
zir o biodiesel, tais como a mamona, dendê (palma),
girassol, babaçu, amendoim, soja dentre outras. Esse
combustível renovável permite a economia de divisas
com importações de petróleo e de óleo diesel e
também reduz a poluição ambiental, além de gerar
alternativas para outras atividades econômicas e,
assim, promover a inclusão social.
De acordo com o texto, pode-se afirmar que o biodiesel
é considerado um combustível:
(A) Inorgânico.
(B) Biodegradável.
(C) Formado por glicerina e éter.
(D) Formado por éter e aldeídos.
(E) Que utiliza matéria-prima mineral.
01. E 02. B 03. C 04. E 05. B 06. A 07. A 08. A
09. A 10. D 11. A 12. E 13. B 14. C 15. C 16. D
17. B 18. B