ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA

Power Quality Analyzer
Analizador de cálidad de Energía
ET-5051C/ET5061C





MANUAL DE INSTRUÇÕES
Instruction Manual
Manual de Instrucciones


SUMÁRIO:
1. PRECAUÇÕES E INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA .............................................. 4
1.1. Geral .............................................................................................................................. 4
1.2. Instruções preliminares .................................................................................................. 4
1.3. Durante uso .................................................................................................................... 5
1.4. Após o uso ..................................................................................................................... 5
2. DESCRIÇÕES GERAIS .............................................................................................. 6
2.1. Introdução ...................................................................................................................... 6
2.2. Funções ......................................................................................................................... 6
2.3. Tela inicial ...................................................................................................................... 6
3. PREPARANDO O USO .............................................................................................. 7
3.1. Inspeção inicial ............................................................................................................... 7
3.2. Alimentação do instrumento ........................................................................................... 7
3.3. Calibração ...................................................................................................................... 7
3.4. Armazenamento ............................................................................................................. 7
4. COMO UTILIZAR ........................................................................................................ 8
4.1. Descrição do instrumento ............................................................................................... 8
4.2. Descrição do teclado ...................................................................................................... 9
4.3. Descrição do display .................................................................................................... 10
4.4. Reset do instrumento ................................................................................................... 10
5. MENU GERAL .......................................................................................................... 11
5.1. Definições gerais .......................................................................................................... 12
5.1.1. Seleção de idioma .................................................................................................... 12
5.1.2. Configuração da Data e Hora ................................................................................... 13
5.1.3. Configuração de brilho do display ............................................................................. 14
5.1.4. Configuração de senha de proteção ......................................................................... 14
5.1.5. Configuração de som das teclas............................................................................... 15
5.1.6. Configuração do Auto power off ............................................................................... 16
5.1.7. Configuração do tipo de memória ............................................................................. 17
5.2. Valores em tempo real ................................................................................................. 18
5.2.1. Telas de valores TRMS medidos .............................................................................. 18
5.2.2. Tela de formas de onda do osciloscópio ................................................................... 24
5.2.3. Telas de análise HARM ............................................................................................ 27
5.2.4. Telas de diagramas vetoriais .................................................................................... 31
5.3. Configuração do analisador.......................................................................................... 35
5.3.1. Tela Configurador analisador ................................................................................... 35
5.3.1.1. Ajuste da freqüência do sistema ................................................................................ 37
5.3.1.2. Configuração do tipo de garra .................................................................................... 37
5.3.1.3. Programação do fundo de escala das garras ............................................................ 37
5.3.1.4. Configuração da proporção VT .................................................................................. 38
5.3.2. Tela de configuração avançada ................................................................................ 38
5.3.2.1. Opções de zoom gráfico ............................................................................................. 38
5.3.2.2. Opções do tipo de harmônico ..................................................................................... 39
5.3.2.3. Opções valores de harmônicos .................................................................................. 39
5.3.2.4. Opção Zoom em respeito ao primeiro harmônico ...................................................... 40
5.3.2.5. Opção valores médios ................................................................................................ 40
5.4. Configurações de gravação ......................................................................................... 41
5.4.1. Telas de Configuração gravador............................................................................... 41
5.4.2. Comentar ................................................................................................................. 42
5.4.2.1. Uso do teclado virtual ................................................................................................. 42
5.4.3. Inicio e Parar ............................................................................................................ 43
5.4.4. Período integração ................................................................................................... 43
5.4.5. Cogerações .............................................................................................................. 43
5.4.6. Parâmetros gerais .................................................................................................... 44
5.4.6.1. Parâmetros Gerais: Descrição de subníveis .............................................................. 46


5.4.6.2. Harmônicos: descrição de subníveis .......................................................................... 49
5.4.7. Anomalias de tensão ................................................................................................ 50
5.4.8. Corrente de partida (Apenas modelo ET-5061C) ...................................................... 52
5.4.9. Flicker (Apenas modelo ET-5061C) .......................................................................... 53
5.4.10. Desbalanceado ........................................................................................................ 54
5.4.11. Surtos (Apenas modelo ET-5061C) .......................................................................... 54
5.4.12. Configurações predefinidas ...................................................................................... 55
5.4.13. Iniciando a gravação ................................................................................................ 63
5.4.13.1. Início de gravação automático .................................................................................... 65
5.4.14. Durante uma gravação ............................................................................................. 66
5.5. Resultados da gravação ............................................................................................... 68
5.5.1. Análise de gravação (Tipo Reg) ............................................................................... 69
5.5.1.1. Informação de gravação ............................................................................................. 69
5.5.1.2. Gráfico de gravação ................................................................................................... 70
5.5.1.3. Quedas e surtos .......................................................................................................... 72
5.5.1.4. Transitórios (Apenas ET-5061C) ................................................................................ 73
5.5.1.5. Inrush currents ............................................................................................................ 75
5.5.1.6. EN50160 ..................................................................................................................... 77
5.5.2. Análise de gravação (Tipo instante) ......................................................................... 79
5.5.2.1. Informação de gravação ............................................................................................. 79
5.5.2.2. Gráfico ......................................................................................................................... 80
5.5.2.3. Análise harmônica ...................................................................................................... 85
5.5.2.4. Vetores ........................................................................................................................ 96
5.5.2.5. Medidas..................................................................................................................... 102
5.5.3. Transferência de dados para um Pen Drive USB externo ...................................... 110
5.5.4. Salvando gravações em um “Compact Flash” ........................................................ 111
5.6. Informações do instrumento ....................................................................................... 112
6. CONEXÃO DO INSTRUMENTO AO COMPUTADOR ........................................... 113
7. PROCEDIMENTOS DE MEDIDAS ......................................................................... 114
7.1. Utilizando o instrumento em um sistema monofásico ................................................. 114
7.2. Utilizando o instrumento em sistemas trifásicos 4 fios ............................................... 115
7.3. Utilizando o instrumento em sistemas trifásicos 3 fios ............................................... 116
7.4. Utilizando o instrumento em sistemas trifásicos 3 fios aron ....................................... 117
8. MANUTENÇÃO ...................................................................................................... 118
8.1. Geral .......................................................................................................................... 118
8.2. Situações relativas a bateria interna .......................................................................... 118
8.2.1. Substituição da bateria interna ............................................................................... 118
8.3. Limpeza...................................................................................................................... 118
8.4. Fim de vida ................................................................................................................. 118
9. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ............................................................................. 119
9.1. Caracteristicas técnicas ............................................................................................. 119
9.2. Características gerais ................................................................................................. 121
9.3. Ambiente .................................................................................................................... 121
9.3.1. Condições climáticas .............................................................................................. 121
9.3.2. EMC ....................................................................................................................... 121
10. APÊNDICE – RESUMO TEÓRICO ......................................................................... 122
10.1. Anomalias de tensão .......................................................................................... 122
10.2. Harmônicos de tensão e corrente ....................................................................... 122
10.2.1. Teoria ..................................................................................................................... 122
10.2.2. Valores limites dos harmônicos de tensão .............................................................. 123
10.2.3. Presença de harmônicos: causas ........................................................................... 124
10.2.4. Presença de harmônicos: consequências .............................................................. 124
10.3. Correntes de partida (Apenas ET-5061c) ........................................................... 125
10.4. Flicker (ET-5061C) .............................................................................................. 126
10.5. Tensões de alimentação desbalanceadas .......................................................... 127


10.6. Transientes rápidos de tensão (surtos) (apenas et-5061c) ................................. 128
10.7. Potência e fator de potência: definições ............................................................. 130
10.7.1. Convenções nas potências e fatores de potência ................................................... 131
10.7.2. Sistema trifásico 3 fios ARON ................................................................................ 132
10.8. Método de medição: teoria ................................................................................. 133
10.8.1. Período de integração ............................................................................................ 133
10.8.2. Cálculo do Fator de potência .................................................................................. 133
11. GARANTIA LIMITADA ........................................................................................... 134
11.1. GARANTIA ......................................................................................................... 134
11.2. Instruções para Cadastramento do Certificado de Garantia. .............................. 134


4
1. PRECAUÇÕES E INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA
1.1. GERAL
Este instrumento foi projetado de acordo com a norma de segurança EN-61010. Para
evitar ferimentos ao usuário e danos ao instrumento sugerimos que siga as instruções de
segurança descritas por meio deste manual e leia atentamente a todas as notas
precedidas pelo símbolo .

Antes e durante as medições, por favor, atente aos passos listados abaixo:
- Não realize medições de tensão ou corrente em lugares úmidos ou empoeirados
- Não realize medições na presença de gases, combustíveis, ou materiais explosivos
- Não toque no circuito em teste se nenhuma medida estiver sendo realizada
- Nunca toque em partes de metal expostas, terminais inutilizados, circuitos, e assim por
diante
- Não utilize o instrumento se ele aparentar mal funcionamento (caso note deformações,
rupturas, vazamentos de substâncias, falta de mensagens na tela, e assim por diante)

Os símbolos descritos abaixo são utilizados no instrumento e neste manual.


Cautela: Refira-se as instruções do manual. Uma utilização incorreta poderá
causar danos ao instrumento ou seus componentes


Alta tensão: Risco de choque elétrico


Dupla isolação


Referência terra

1.2. INSTRUÇÕES PRELIMINARES
- Este in strumento foi designado para utilização em locais de poluição classe
- Pode ser utilizado para medições de Tensão e Corrente em instalações de tensão
categoria IV 600V ao terra, e a 1000V de tensão máxima entre fases
- Mantenha os padrões de segurança destinados a:
+ Proteção contra correntes perigosas
+ Protegendo o instrumento contra operações incorretas
- Somente os acessórios fornecidos com o instrumento garantem conformidade com as
normas de segurança. Deste modo, devem estar em boas condições, e se
necessário,devem ser substituídos por modelos idênticos
- Não realize medições em circuitos que excedam os limites de tensão e corrente
especificado
- Antes de conectar os cabos, garras jacaré, e garra flexível ao circuito a ser testado,
certifique-se que a função selecionada está adequada a medição


CAUTELA
- Realize uma carga completa da bateria interna do instrumento durante 5
horas antes de usar o instrumento pela primeira vez
- Pressione e segure o botão ON/OFF cerca de 5s quando ligar o
instrumento pela primeira vez

5
1.3. DURANTE USO
Leia atentamente os pontos a seguir:


CAUTELA
Caso não mantenha as instruções prescritas, poderá danificar o
instrumento e / ou seus componentes, ou colocar em perigo sua segurança

- Não toque nenhum terminal inutilizado quando o instrumento estiver conectado ao
circuito
- Quando medir corrente, outras correntes próximas as pontas de prova podem afetar a
precisão da medida
- Quando realizar medidas de corrente , sempre posicione o fio exatamente ao centro
da garra afim de obter a melhor precisão na medida
- Um valor medido permanece constante caso a função “HOLD” esteja ativa. Caso note
que o valor medido permaneça inalterado, desabilite a função “HOLD”

1.4. APÓS O USO
- Após o uso desligue o instrumento pressionando o botão ON/OFF por alguns
segundos
- Caso não for utilizar o instrumento por um longo período de tempo, siga as instruções
descritas no parágrafo 3.4.


6
2. DESCRIÇÕES GERAIS
2.1. INTRODUÇÃO
O medidor ET-5061C e ET-5051 permitem uma abordagem totalmente nova para o
mundo das medidas elétricas na qualidade de rede. No caso do instrumento estar sendo
assistido junto a um computador de plataforma Windows será possível realizar uma
análise de modo fácil e amplo de uma grande quantidade de dados, o que seria
impossível com outros sistemas.
Este manual de instruções é comum para os instrumentos de modelo ET-5061C e ET-
5051C e a diferença entre os modelos quando necessária estará claramente explicita
neste manual. Cada modelo será genericamente chamado de instrumento.

2.2. FUNÇÕES
Este instrumento está apto para executar.
 Visualização em tempo real dos valores numéricos de qualquer parâmetro elétrico de
sistemas monofásicos, trifásicos 3 fios e 4 fios, análise harmônica de tensões e
correntes até 49ª ordem, anomalias de tensão (surtos e quedas) com resolução de
10ms, “Flicker” (Pst, Plt) de tensões de entrada, desbalanceamento, medições de
corrente “inrush” de partida de motores e analise de transientes com resolução de 5µs
(somente no modelo ET-5061C)
 Mostra em tempo real qualquer sinal de entrada e forma de onda, histogramas e
gráficos das análises harmônicas e diagramas vetoriais de ângulos mútuos entre
tensões e correntes
 Registro de valores (pressionando o botão GO/STOP): Valores de tensão e corrente
TRMS, correspondentes harmônicos, potência (ativa, reativa e aparente), fatores de
potência e cosseno , energia (ativa, reativa, aparente), anomalias de tensão. Será
possível analisar os dados gravados apenas transferindo-os ao PC
 Salva uma amostra (pressionando o botão SAVE) de um instante de valores
instantâneos de qualquer parâmetro contido na memória interna do instrumento. Será
possível analisar os dados gravados apenas transferindo-os ao PC

2.3. TELA INICIAL
Quando ligar o instrumento pressionando o botão ON/OFF, a tela abaixo aparecerá por
alguns segundos.


ET-5061C
Minipa

Sn:00030004 Rel:1.04
Data calibração: 09/05/2006


Nesta tela é possível verificar (além do modelo e fabricante do instrumento):
- O número de série do instrumento (Sn)
- A liberação interna do “Firmware” do instrumento (Rel)
- Data da ultima calibração (Data de Calibração)


7
3. PREPARANDO O USO
3.1. INSPEÇÃO INICIAL
Este instrumento foi inspecionado na fábrica do ponto de vista elétrico e mecânico. Todas
as precauções de transporte foram tomadas para que o instrumento chegue em perfeitas
condições. Contudo, ao receber o instrumento, sugerimos que seja realizada uma
inspeção prévia a fim de certificar-se que não haja ocorrido algum dano durante o
transporte. Caso encontre irregularidades contate a transportadora imediatamente.
Além disto, favor checar se na embalagem estão contidos todos os acessórios e partes
listados. No caso de discrepâncias favor contatar o revendedor. No caso do instrumento
ter de retornar ao fabricante favor seguir as instruções contidas no capitulo 11.

3.2. ALIMENTAÇÃO DO INSTRUMENTO
O instrumento deverá ser alimentado apenas pela bateria recarregável (Li-ION 3,7V,
1900mAh) a qual está contida no instrumento. Apenas utilize o adaptador externo
fornecido A0055 para recarregar a bateria do instrumento (veja o parágrafo 8.2 para
maiores detalhes).


CAUTELA
Para gravações SEMPRE utilize o adaptador externo A0055 (mesmo que o
aparelho permita realizar uma gravação utilizando a bateria interna)


CAUTELA
Favor realize uma carga completa da bateria durante 5 horas antes de
utilizar o aparelho pela primeira vez

O instrumento utiliza das operações abaixo para aumentar a duração da bateria:

 Reduz automaticamente o brilho do display após 30s de inatividade caso o adaptador
externo não esteja conectado
 Função Auto Power OFF que desliga o instrumento automaticamente após 5 minutos
de inatividade do aparelho caso o adaptador externo não esteja conectado (veja o
parágrafo 5.1.6)

3.3. CALIBRAÇÃO
O instrumento está em conformidade com as normas mencionadas neste manual. Sua
atuação é definida por 12 meses a contar da data da compra.

3.4. ARMAZENAMENTO
Para garantir medições precisas, após um longo período de armazenamento em
condições ambientais severas espere até que o instrumento retorne às suas condições
normais (ver condições ambientais listadas no parágrafo 9.3.1).

8
4. COMO UTILIZAR
4.1. DESCRIÇÃO DO INSTRUMENTO
H
E
L
P
ENTER
ZOOM in
ZOOM out
S
A
V
E
GO
.
STOP
1
2
3
4
5
6
7
9
10
8
13
12
11

Legenda:
1. Entrada de tensão e corrente
2. Display TFT “touch-screen”
3. Botões F1 ~ F4
4. Botões direcionais e botão ENTER
5. Botão GO/STOP
6. Botão SAVE
7. Botão ON/OFF
8. Entrada para adaptador externo
9. Botão HELP
10. Botão ESC
11. Saída para conexão de cartão de
memória flash
12. Saída USB externa
13. Saída USB para conexão com PC
Fig. 1: Descrição do painel frontal
1
2
3 4

Legenda:
1. B1-B4 entrada de tensão em L1,
L2, L3 fase e neutro N
2. BE entrada para conexão com o
terra
3. Entrada de corrente em L1, L2, L3
4. Entrada para corrente neutro N
Fig. 2: Descrição dos terminais de entrada

COMPACT FLASH
1
2
3
4
5

Legenda:
1. Entrada para fonte externa A0055
2. Saída para “compact flash” (*)
3. Saída USB para drive externo (*)
4. Botão RESET
5. Saída USB para conexão com PC
(*)
Fig. 3: Descrição dos conectores de saída
(*) Utilize os conectores laterais apenas com o instrumento desligado. Estas saídas podem ser influenciadas
por descargas eletrostáticas (ESD).
Alerta ESD

9
4.2. DESCRIÇÃO DO TECLADO
Os botões a seguir estarão disponíveis:

 Botão ON/OFF: Pressione este botão para ligar o instrumento. Pressione e
segure o botão por alguns segundos para ligar o instrumento
 Botões F1, F2, F3, F4: Botões multi funções. As várias funções são destinadas e
demonstradas no display
 Botão ESC: Para sair de um menu ou sub-menu. Um pequeno ícone que
será mostrado no display também exercerá a mesma função.
 Botão ENTER: Botão de dupla função:
 ENTER: Confirma as alterações feitas
 HOLD: Bloqueia o valor demonstrado em tempo real igualmente nas
operações de gravação. O símbolo “H” será exibido no display
por qualquer toque no botão como indicado na Fig. 4:

12/09/2006 – 16:55:10 H



VALOR RMS TOTAL – Pág. 1/6
V1N
0.0
V2N
0.0
V3N
0.0
VNPE
0.0

V
V12
0.0
V23
0.0
V31
0.0


V
NEG%
0.0
ZERO%
0.0
SEQ
000
Hz
0.0

I1
0.0
I2
0.0
I3
0.0
IN
0.0

A
PAG OSCILOS HARM VETORES
Fig. 4: Função HOLD ativa no display

 Botões , , , /ZOOM in/ZOOM out: Os botões seta permitem a seleção de um
parâmetro programável em várias telas. A dupla função de
“ZOOM in” e “ZOOM out” permite alterar manualmente a
escala de vários gráficos dentro da função osciloscópio a fim
de melhorar a visualização das formas de onda dos sinais (veja
parágrafo 5.3.2). Os botões  e  permitem operar entre as
páginas dentro de vários tipos de tela
 Botão SAVE: Salva um tipo de instante da amostragem de valores
instantâneos na memória interna (veja parágrafo 5.5). O
mesmo botão também permite a gravação de diversas
configurações nas telas. Um pequeno ícone que é exibido
na tela realiza a mesma função no modo interativo
 Botão GO/STOP: Permite iniciar e parar uma gravação (veja parágrafo 5.4.13)
 Botão HELP: Abre uma janela de ajuda em linha na tela do instrumento com
uma breve descrição do mesmo display que é exibido
instantaneamente. Esse botão pode ser ativado em todas as
funções

10
4.3. DESCRIÇÃO DO DISPLAY
A tela é um display gráfico TFT “touch-screen” colorido de medidas 73x57mm (VGA
320x240 pixels) o que permite maior facilidade nas operações usando uma caneta padrão
(PT400) localizada na lateral do instrumento.
Na primeira linha é exibida a data e hora do sistema demonstrado pelo instrumento (ver
parágrafo 5.1.2 para configuração). Existem também alguns ícones relativos à indicação
de nível de bateria ou adaptador externo montado e para a espera e início de uma
gravação. Na segunda linha o tipo de medida é exibido e a ultima linha exibe os atalhos
associados às teclas de função F1, F4. Um exemplo possível de tela é demonstrado na
Fig. 5:

12/09/2006 – 16:55:10


VALOR RMS TOTAL – Pág. 1/6
V1N
0.0
V2N
0.0
V3N
0.0
VNPE
0.0

V
V12
0.0
V23
0.0
V31
0.0


V
NEG%
0.0
ZERO%
0.0
SEQ
000
Hz
0.0

I1
0.0
I2
0.0
I3
0.0
IN
0.0

A
PAG OSCILOS HARM VETORES
Fig. 5: Exemplo de tela

4.4. RESET DO INSTRUMENTO
O instrumento foi projetado com um “Hardware” de reset interno que pode ser utilizado
quando alguma função estiver bloqueada no display, a fim de executar as ações de
restauração. Considere os passos abaixo para executar as ações de restauração:

1. Utilizando a caneta (PT400) ou outro objeto pressionando suavemente a parte interna
do pequeno buraco presente na lateral do instrumento (veja Fig. 3 – 4). O instrumento
desligará automaticamente
2. Ligue o instrumento pressionando o botão ON/OFF e verifique o funcionamento
correto
A operação de RESET não resetará a memória interna do instrumento.



11
5. MENU GERAL
Toda vez que ligar o instrumento a tela “Configuração do Analisador” será exibida, com
relação a ultima configuração utilizada (Veja Fig. 6):
12/09/2006 – 16:55:10

CONFIGURAÇÂO ANALISADOR
1
2
3
N
PE

System 4WIRE
Freq [Hz] 50
Clamp Type FLEX
Clamp FS [A] 3000
VT Ratio 1
ALTERAR OK
Fig. 6: Exemplo de configuração do analisador
Nesta situação o usuário pode decidir modificar a configuração atual pressionando o
botão F1 (ou “Modificar” no display – veja parágrafo 5.3.1) ou acesso direto ao MENU
GERAL pressionando F4 (ou tocar em “OK”no display). Se nenhuma ação for realizada
dentro de 10 segundos o instrumento vai automaticamente para a tela do MENU GERAL.
O menu geral do instrumento está demonstrado na Fig. 7:
12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Valores em tempo real
Fig. 7: Tela do MENU GERAL
A seção atualmente selecionada é demonstrada com um invólucro vermelho e seu titulo
exibido no rodapé do display. As seguintes seções estão disponíveis no instrumento:
- Ajustes gerais seção que permite ajustar os parâmetros do sistema como data / hora,
idioma, brilho do display, senha de proteção, som do pressionamento de tecla, “Auto
Power Off” e tipo de memória (ver parágrafo 5.1)
- Valor em tempo real seção que permite ver os valores medidos em tempo real no
display em vários formatos (veja parágrafo 5.2)
- Configuração do analisador seção que permite definir configurações simples e
avançadas relativas a conexão do instrumento com a instalação elétrica (veja
parágrafo 5.3)
- Ajustes de gravação seção que permite selecionar os parâmetros para cada
gravação e ver informações sobre a autonomia do instrumento durante a operação
(veja parágrafo 5.4)
- Gravando resultados seção que permite verificar a lista de todas as gravações salvas
na memória interna, para cancelar operações de memória e transferência de dados
para um Pen Drive USB (veja parágrafo 5.5)
- Informações do instrumento seção que permite acesso a informações gerais do
instrumento (número de série, Firmware interno, liberação de Software, etc.) (veja
parágrafo 5.6)

12
5.1. DEFINIÇÕES GERAIS

12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL


















Configurações gerais
Fig. 8: Tela do MENU GERAL – Seção definições gerais
Esta seção permite ajustar os seguintes parâmetros de controle:
- Idioma do sistema
- Data e Hora do sistema
- Brilho do display
- Senha de proteção durante gravações
- Som de pressionamento da tecla
- Auto Power OFF Ligado/Desligado
- Ajuste do tipo de memória Memory

Pressionando o botão ENTER (ou tocando no ícone relativo no display). A seguinte tela
será exibida pelo instrumento:


12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÔES GERAIS


Idioma PORTUGUÊS
Bri lho 75%

Senha NÃO
Som SIM
Auto power off SIM
Tipo memória INTERNA


DATA MOD(+) MOD(-)
Fig. 9: Tela de ajustes gerais

5.1.1. Seleção de idioma
1. Mova o cursor utilizando os botões de seta no campo relativo ao Idioma, demarcado
com um fundo de tela azul
2. Utilizando os botões F3 e F4 (ou toque em MOD(+) ou MOD(-)) para seleção de
idioma escolhendo dentre as diferentes opções
3. Pressionando os botões “SAVE” ou “ENTER” (ou no pequeno ícone ) para salvar a
opção escolhida e confirme com o “OK”. Este parâmetro selecionado estará presente
também quando desligar o instrumento
4. Pressionando o botão ESC (ou no pequeno ícone ) para sair da tela sem salvar
nenhuma modificação

13
5.1.2. Configuração da Data e Hora
1. Pressione o botão F1(ou toque em DATA no display) na tela como na Fig. 9. A
seguinte tela será exibida pelo instrumento

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÂO DATA/HORA


Format Data 12 09 06 UE

Format Hora 11 56 00 24h


MOD(+) MOD(-)
Fig. 10: Tela de ajuste da Data/Hora
2. Mova o cursor utilizando os botões de seta no campo relativo ao formato de data e
formato de hora, marcados por um plano de fundo azul
3. Utilizando os botões F3 e F4 (ou toque em MOD(+) ou MOD(-)) escolhendo entre dois
formatos possíveis (Europeu EU ou Americano US):

DD:MM:AA Opção EU
MM:DD:AA Opção US

4. Utilizando F3 ou F4 (alternativamente toque em MOD(+) ou MOD(-)) para ajuste da
hora escolhendo entre os dois formatos possíveis (24 horas ou 12 horas):

HH:MM:SS Opção 24h
HH:MM:AM(PM) Opção 12h

5. Pressione SAVE ou ENTER (ou no pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada e confirme pelo “OK”. Este parâmetro selecionado também desligará o
instrumento
6. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair da tela sem salvar nenhuma
modificação


14
5.1.3. Configuração de brilho do display

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo ao “Brilho”, demarcado por
um fundo de tela azul veja Fig. 11:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÔES GERAIS


Idioma PORTUGUES
Bri lho 75%

Senha NÃO
Som SIM
Auto power off SIM
Tipo Memória INTERNA


DATA MOD(+) MOD(-)
Fig. 11: Ajuste de brilho da tela

2. Utilize os botões F3 ou F4 (alternativamente toque em MOD(+) ou MOD(-)) para
ajustar a porcentagem de brilho do display. O instrumento aumenta ou diminui esse
valor em passos de 5% para cada vez que for pressionado o botão
3. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada e confirme pelo “OK”. Essa seleção de parâmetros estará presente
também quando o instrumento for desligado
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação


5.1.4. Configuração de senha de proteção
O instrumento provém de uma senha de proteção para evitar riscos de uma interrupção
acidental na gravação.

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo a “Senha”, demonstrado por
um fundo de tela azul, veja Fig. 12:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GERAIS


Idioma PORTUGUES
Brilho 75%

Senha NÃO
Som SIM
Auto power off SIM
Tipo Memória INTERNA


DATA MOD(+) MOD(-)
Fig. 12: Tela de ajuste da senha de proteção
2. Utilize os botões F3 ou F4 (alternativamente toque MOD(+) ou MOD(-)) para habilitar
(SIM) ou desabilitar (NÃO) a senha

15
3. Com a senha habilitada, caso o botão GO/STOP seja pressionado durante uma
gravação, o instrumento não interromperá a operação, mas irá requerer do usuário que
insira a senha conforme demonstrado na figura a seguir

12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL










Aviso


Inserir senha

* * * *






Configurações gerais

Fig. 13: Tela de solicitação de senha
4. A senha fixa (não customizável pelo usuário) deverá ser inserida dentro de 10s na
mensagem de aviso de acordo com a sequência abaixo:

F1, F4, F3, F2

5. Caso a senha inserida esteja errada ou passando os 10s de tempo limite, o
instrumento apresentará uma mensagem de aviso “Senha inválida” e será necessário
repetir a operação. Logo se a senha inserida estiver correta o instrumento ira parar
imediatamente a gravação e o ícone correspondente (veja Fig. 13) desaparecerá
6. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada e confirme pelo “OK”. Essa seleção de parâmetros estará presente
também quando o instrumento for desligado
7. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

5.1.5. Configuração de som das teclas
O instrumento permite habilitar o som instantâneo para cada botão pressionado no painel
frontal.

1. Mova o cursor utilizando os botões flecha no campo relativo a “Som”, demonstrado por
um fundo de tela azul, veja Fig. 14:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÔES GERAIS


Idioma PORTUGUES
Brilho 75%

Senha NÃO
Som SIM
Auto power off SIM
Tipo Memória INTERNA


DATA MOD(+) MOD(-)
Fig. 14: Tela de ajuste de som dos botões

16
2. Utilize os botões F3 ou F4 (alternativamente toque MOD(+) ou MOD(-)) para habilitar
(SIM) ou desabilitar (NÃO) o som dos botões
3. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada e confirme pelo “OK”. Essa seleção de parâmetros estará presente
também quando o instrumento for desligado
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

5.1.6. Configuração do Auto power off
O instrumento permite habilitar ou desabilitar a opção auto power off em função de
prevenir uma rápida descarga da bateria interna. Este recurso, caso habilitado, funcionará
em cada uma das seguintes condições:
 Se nenhuma ação for realizada, nenhum botão pressionado ou nenhum toque no
display durante 5 minutos
 Se o instrumento não estiver suprido pelo adaptador externo A0055
 Se o instrumento não estiver realizando gravações
O efeito é um longo som antes de desligar o instrumento.

1. Mova o cursor utilizando os botões flecha no campo relativo a “Som”, demonstrado por
um fundo de tela azul, veja Fig. 15:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GERAIS


Idioma PORTUGUES
Brilho 75%

Senha NÃO
Som SIM
Auto power off NÃO
Tipo Memória INTERNA


DATA MOD(+) MOD(-)
Fig. 15: Tela de ajuste do Auto power off
2. Utilize os botões F3 ou F4 (alternativamente toque MOD(+) ou MOD(-)) para habilitar
(SIM) ou desabilitar (NÃO) o auto power off
3. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada e confirme pelo “OK”. Essa seleção de parâmetros estará presente
também quando o instrumento for desligado
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação


17
5.1.7. Configuração do tipo de memória
O instrumento permite gravar as leituras na sua memória interna (em torno de 15Mbytes)
ou utilizando um “compact flash” externo (ver parágrafo 5.5.4 para detalhes) acoplado
(veja Fig. 3).

1. Mova o cursor utilizando os botões flecha no campo relativo ao “Som”, demonstrado
por um fundo de tela azul, veja Fig. 14:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GERAIS


Idioma PORTUGUES
Bri lho 75%

Senha NÃO
Som SIM
Auto power off NÃO
Tipo memória INTERNA


DATA MOD(+) MOD(-)
Fig. 16: Tela de ajuste do tipo de memória

2. Utilize os botões F3 ou F4 (alternativamente toque MOD(+) ou MOD(-)) para escolher
o tipo de memória, “INTERNA” ou “EXTERNA”
3. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada e confirme pelo “OK”. Essa seleção de parâmetros estará presente
também quando o instrumento for desligado
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

18
5.2. VALORES EM TEMPO REAL
12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Valores em tempo real
Fig. 17: Tela do MENU GERAL – seção de valores em tempo real
Nesta seção os valores medidos em tempo real nos canais de entrada e internamente
calculados são exibidos pelo instrumento. Em particular o seguinte é exibido:
1. Tensões AC TRMS, correntes, e todo tipo de parâmetro elétrico para sistema
monofásicos e total, valores de Flicker e tensões desbalanceadas
2. Formas de onda de tensão e corrente para sistema monofásico ou total
3. Tensões e correntes harmônicas acima da 49ª componente para sistemas
monofásicos ou totais em gráficos numéricos e histogramas em valores absolutos ou
percentuais para cada sinal fundamental
4. Diagramas vetoriais para cada tensão e corrente com seus respectivos ângulos de
fase a fim de definir a natureza correta do sistema de carga em testes
5.2.1. Telas de valores TRMS medidos
Dentro da seção “Valores em tempo real“ o instrumento apresenta na primeira página
(dependendo da seleção de parâmetros) a tela de valores de medição em TRMS que
podem ser diferentes em tipo e número, dependendo do sistema escolhido em metros,
como mostrado na foto abaixo:





12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS TOTAL – Pág. 1/6
V1N
0.0
V2N
0.0
V3N
0.0
VNPE
0.0

V
V12
0.0
V23
0.0
V31
0.0


V
NEG%
0.0
ZERO%
0.0
SEQ
000
Hz
0.0

I1
0.0
I2
0.0
I3
0.0
IN
0.0

A
PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda dos parâmetros:
V1N  Tensão Fase – Neutro L1
V2N  Tensão Fase – Neutro L2
V3N  Tensão Fase – Neutro L3
VNPE  Tensão Terra – Neutro
V12  Tensão entre fases L1 – L2
V23  Tensão entre fases L2 – L3
V31  Tensão entre fases L3 – L1
NEG% Valor em % da sequência negativa desbalanceada
ZERO%  Valor em % da sequência zero desbalanceada
SEQ  Sequência de Fase:
”123” => Correta
”132” => Incorreta
”023” => Sem tensão no fio Preto
”103” => Sem tensão no fio Vermelho
”120” => Sem tensão no fio Marrom
”100” => Sem tensão nos fios Vermelho e Marrom
”020” => Sem tensão nos fios Preto e Marrom
”003” => Sem tensão nos fios Preto e Vermelho
Hz  Frequência
I1  Corrente na Fase L1
I2  Corrente na Fase L2
I3  Corrente na Fase L3
IN  Corrente Neutra
Fig. 18: Página 1/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos de 4 fios

19





12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS TOTAL – Pág. 1/6
V1PE
0.0
V2PE
0.0
V3PE
0.0


V
V12
0.0
V23
0.0
V31
0.0


V
NEG%
0.0
ZERO%
0.0
SEQ
000
Hz
0.0

I1
0.0
I2
0.0
I3
0.0


A
PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V1PE  Tensão entre fase L1 – Terra
V2PE  Tensão entre fase L2 – Terra
V3PE  Tensão entre fase L3 – Terra
V12  Tensão entre Fase L1 – L2
V23  Tensão entre Fase L2 – L3
V31  Tensão entre Fase L3 – L1
NEG%  Valor em % da sequência negativa desbalanceada
ZERO%  Valor em % da sequência zero desbalanceada
SEQ  Sequência de Fase:
”123” => Correta
”132” => Incorreta
”023” => Sem tensão no fio Preto
”103” => Sem tensão no fio Vermelho
”120” => Sem tensão no fio Marrom
”100” => Sem tensão nos fios Vermelho e Marrom
”020” => Sem tensão nos fios Preto e Marrom
”003” => Sem tensão nos fios Preto e Vermelho
Hz  Frequência
I1  Corrente na Fase L1
I2  Corrente na Fase L2
I3  Corrente na Fase L3
Fig. 19: Página 1/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos de 3 fios





12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS TOTAL – Pág. 1/5
V12
0.0
V23
0.0
V31
0.0


V
NEG%
0.0
ZERO%
0.0
SEQ
000
Hz
0.0


I1
0.0
I2
0.0
I3
0.0


A

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V12  Tensão entre fases L1 – L2
V23  Tensão entre fases L2 – L3
V31  Tensão entre fases L3 – L1
NEG%  Desbalanceamento percentual do Negativo
ZERO%  Desbalanceamento percentual do Zero
SEQ  Indicação da sequência de Fase:
”123” => Correta
”132” => Reversa
”023” => Tensão nula no fio Preto
”103” => Tensão nula no fio Vermelho
”120” => Tensão nula no fio Marrom
”100” => Tensão nula nos fios Vermelho e Marrom
”020” => Tensão nula nos fios Preto e Marrom
”003” => Tensão nula nos fios Preto e Vermelho
Hz  Frequência
I1  Corrente na Fase L1
I2  Corrente na Fase L2
I3  Corrente na Fase L3
Fig. 20: Página 1/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios ARON







20
12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS FASE1 – Pág. 1/2

V1N
VNPE
Freq
I1
Patt1
Preatt1
Papp1
Pf1
CosPhi1

=
=
=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 V
0.0 Hz
0.0 A
0.0 W
0.0 VAr
0.0 VA
0.00i
0.00i

PAG V HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V1N  Tensão Fase – Neutro L1
VNPE  Tensão Terra – Neutro
Freq  Frequência
Pact1  Potência ativa na Fase L1
Preact1  Potência reativa na Fase L1
Papp1  Potência aparente na Fase L1
Pf1  Fator de potência na Fase L1
CosPhi1 Cosseno do ângulo de fase entre a tensão L1
e a corrente fundamental
Fig. 21: Página 1/2 de valores numéricos para sistema monofásico
Pressionando ciclicamente o botão F1 ou os botões seta (esquerda ou direita), o
instrumento exibirá outras páginas de valores TRMS medidos, como descreve a imagem
a baixo. Pressionando o botão ESC é possível voltar a tela de menu anterior ou ao MENU
GERAL.
12/09/2006 – 16:55:10


VALORES POTÊNCIA TOTAL – Pág. 2/6

Patt
Preatt
Papp
Pf
CosPhi

=
=
=
=
=

0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
Pact  Potência ativa total
Preact  Potência reativa total
Papp  Potência aparente total
Pf  Fator de potência total
CosPhi  CosPhi total

Fig. 22: Página 2/6 de valores numéricos para sistemas 3 e 4 fios e Página 1/5 para ARON

12/09/2006 – 16:55:10


FLICKER – Pág. 2/2

V1N
Pst1’ 0.0

Pst 0.0
Pst max 0.0
Pl t 0.0
Plt max 0.0
Recordi ng Ti me: 00h – 00mi n
PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
Pst1’  Severidade de tremulação curta após 1 minuto
Pst  Severidade de tremulação curta
Pstmax Severidade máxima da tremulação curta
Plt  Severidade de tremulação longa
Pltmax  Severidade máxima de tremulação longa
Recording Time Tempo de gravação expressa em
HH:MM

Fig. 23: Página 2/2 de valores numéricos para sistemas monofásicos

12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS FASE1 – Pág. 3/6

V1N
I1
Patt1
Preatt1
Papp1
Pf1
CosPhi1

=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V1N  Tensão entre fase L1 - Neutro
I1  Corrente fase L1
Pact1  Potência ativa da fase L1
Preact1  Potência reativa da fase L1
Papp1  Potência aparente da fase L1
Pf1  Fator de potência da fase L1
CosPhi1  Cosseno do ângulo de fase entre a tensão L1
e a corrente fundamental

Fig. 24: Página 3/6 de valores numéricos para sistema trifásico 4 fios

21

12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS FASE1 – Pág. 3/6

V1PE
I1
Patt1
Preatt1
Papp1
Pf1
CosPhi1

=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V1PE  Tensão entre fase L1 - Terra
I1  Corrente fase L1
Pact1  Potência ativa da fase L1
Preact1  Potência reativa da fase L1
Papp1  Potência aparente da fase L1
Pf1  Fator de potência da fase L1
CosPhi1  Cosseno do ângulo de fase entre a tensão L1
e a corrente fundamental

Fig. 25: Página 3/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

12/09/2006 – 16:55:10


WATTIMETRO12 – Pág. 3/5

V12
I1
Patt12
Preatt12
Papp12
Pf12
CosPhi12

=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V12  Tensão entre fases L1 – L2
I1  Corrente fase L1
Pact12  Potência ativa 12
Preact12  Potência reativa 12
Papp12  Potência aparente 12
Pf12  Fator de potência 12
CosPhi12  Cosseno do ângulo de fase entre a tensão e
corrente fundamental da fase 12

Fig. 26: Página 3/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios ARON

12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS FASE2 – Pág. 4/6

V2N
I2
Patt2
Preatt2
Papp2
Pf2
CosPhi2

=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V2N  Tensão entre fase L2 - Neutro
I2  Corrente fase L2
Pact2  Potência ativa da fase L2
Preact2  Potência reativa da fase L2
Papp2  Potência aparente da fase L2
Pf2  Fator de potência da fase L2
CosPhi2  Cosseno do ângulo de fase entre a tensão L2
e a corrente fundamental

Fig. 27: Página 4/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios

12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS FASE2 – Pág. 4/6

V2PE
I2
Patt2
Preatt2
Papp2
Pf2
CosPhi2

=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V2PE  Tensão entre fase L2 - Terra
I2  Corrente fase L2
Pact2  Potência ativa da fase L1
Preact2  Potência reativa da fase L2
Papp2  Potência aparente da fase L2
Pf2  Fator de potência da fase L2
CosPhi2  Cosseno do ângulo de fase entre a tensão L2
e a corrente fundamental

Fig. 28: Página 4/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

22

12/09/2006 – 16:55:10


WATTÍMETRO32 – Pág. 4/5

V32
I3
Patt32
Preatt32
Papp32
Pf32
CosPhi32

=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V32  Tensão entre fases L3 – L2
I3  Corrente fase L3
Pact32  Potência ativa da fase 32
Preact32  Potência reativa da fase 32
Papp32  Potência aparente da fase 32
Pf32  Fator de potência da fase 32
CosPhi32  Cosseno do ângulo de fase entre a tensão e
corrente fundamental da fase 32

Fig. 29: Página 4/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios ARON

12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS FASE3 – Pág. 5/6

V3N
I3
Patt3
Preatt3
Papp3
Pf3
CosPhi3

=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V3N  Tensão entre fase L3-Neutro
I3  Corrente fase L3
Pact3  Potência ativa da fase L3
Preact3  Potência reativa na fase L3
Papp3  Potência aparente na fase L3
Pf3  Fator de potência na fase L3
CosPhi3  Cosseno do ângulo de fase entre a tensão e
corrente fundamental da fase L3

Fig. 30: Página 5/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios

12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS FASE3 – Pág. 5/6

V3PE
I3
Patt3
Preatt3
Papp3
Pf3
CosPhi3

=
=
=
=
=
=
=

0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var
0 VA
0.00i
0.00i

PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
V3PE  Tensão entre fase L3 – Neutro
I3  Corrente fase L3
Pact3  Potência ativa da fase L3
Preact3  Potência reativa da fase L3
Papp3  Potência aparente da fase L3
Pf3  Fator de potência da fase L3
CosPhi3  Cosseno do ângulo de fase entre a tensão e
corrente fundamental da fase L3

Fig. 31: Página 5/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

12/09/2006 – 16:55:10


FLICKER – Pág. 6/6

V1N V2N V3N
Pst1’ 0.0 0.0 0.0
Pst 0.0 0.0 0.0
Pst max 0.0 0.0 0.0
Pl t 0.0 0.0 0.0
Plt max 0.0 0.0 0.0
Recordi ng Ti me: 00h – 00mi n
PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
Pst1’  Severidade da tremulação curta após 1 minuto
Pst  Severidade de tremulação curta
Pstmax  Severidade máxima de tremulação curta
Plt  Severidade de tremulação longa
Pltmax  Severidade máxima de tremulação longa
Recording Time  Duração da gravação expressa em
HH:MM

Fig. 32: Página 6/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios

23

12/09/2006 – 16:55:10


FLICKER – Pág. 6/6

V1PE V2PE V3PE
Pst1’ 0.0 0.0 0.0
Pst 0.0 0.0 0.0
Pst max 0.0 0.0 0.0
Pl t 0.0 0.0 0.0
Plt max 0.0 0.0 0.0
Recordi ng Ti me: 00h – 00mi n
PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
Pst1’  Severidade da tremulação curta após 1 minuto
Pst  Severidade de tremulação curta
Pstmax  Severidade máxima de tremulação curta
Plt  Severidade de tremulação longa
Pltmax  Severidade máxima de tremulação longa
Recording Time  Duração da gravação expressa em
HH:MM

Fig. 33: Página 6/6 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

12/09/2006 – 16:55:10


FLICKER – Pág. 5/5

V12 V23 V31
Pst1’ 0.0 0.0 0.0
Pst 0.0 0.0 0.0
Pst max 0.0 0.0 0.0
Pl t 0.0 0.0 0.0
Plt max 0.0 0.0 0.0
Recordi ng Ti me: 00h – 00mi n
PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
Pst1’  Severidade da tremulação curta após 1 minuto
Pst  Severidade de tremulação curta
Pstmax  Severidade máxima de tremulação curta
Plt  Severidade de tremulação longa
Pltmax  Severidade máxima de tremulação longa
Recording Time  Duração da gravação expressa em
HH:MM

Fig. 34: Página 5/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios ARON

12/09/2006 – 16:55:10


VALORES RMS MÉDIOS – Pág. 7/7

AVGV
AVGI
AVGPatt
AVGPreat


=
=
=
=


0.0 V
0.0 A
0 W
0 Var


PAG OSCILOS HARM VETORES
Legenda de parâmetros:
AVGV  Valor médio das tensões das fases V1,V2,V3
AVGI  Valor médio das correntes das fases I1,I2,I3
AVGPact  Valor médio das potências ativas das
fases L1,L2,L3
AVGPreact Valor médio das potências reativas das
fases L1,L2,L3

Fig. 35: Página 7/7 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios

CAUTELA


A página 7/7 de valores numéricos será exibida pelo instrumento apenas se
a opção “SIM” estiver selecionada dentro da seção Ajustes Avançados
(veja parágrafo 5.3.2.5) e apenas em sistemas trifásicos 4 fios







24
5.2.2. Tela de formas de onda do osciloscópio
A partir de uma página qualquer dos valores numéricos é possível selecionar telas de
formas de onda dos sinais de entrada, pressionando F2 (ou tocando em OSCILOSCÓPIO
no display). Pressionando ciclicamente o botão F1 as telas a seguir serão exibidas pelo
instrumento:
- Formas de onda simultâneas das tensões V1, V2, V3 e tensão neutra Vn (para
sistemas trifásicos 4 fios e monofásicos), com seus valores TRMS conforme imagem a
baixo:

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO OSCILOSCÓPIO – Pág. 1/5


Fs 400.0V
V1 223.4V
V2 228.5V
V3 225.7V
Vn 0.0V

PAG
Fig. 36: Tela formas de onda de tensão para sistemas 4 fios

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO OSCILOSCÓPIO – Pág. 1/5


Fs 400.0V
V12 378.4V
V23 382.5V
V31 379.4V


PAG
Fig. 37: Tela formas de onda de tensão para sistemas 3 fios e ARON

12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO FASE1 – Pág. 1/1


Fs 400.0V
V1 228.3V
Vn 0.0V
Fs 20.0A
I1 10.2A


PAG ZOOM I
Fig. 38: Tela formas de onda Tensão/Corrente para sistemas monofásicos









25
- Formas de onda simultâneas das correntes I1, I2, I3 e corrente neutra In (para
sistemas trifásicos 4 fios) com seus valores TRMS conforme imagem abaixo:

12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO CORRENTES – Pág. 2/5


Fs 400.0A
I1 299.4A
I2 302.5A
I3 297.7A
In 97.8 A


PAG
Fig. 39: Formas de onda da corrente para sistemas 4 fios

12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO CORRENTES – Pág. 2/5


Fs 400.0A
I1 299.4A
I2 302.5A
I3 297.7A



PAG
Fig. 40: Formas de onda da corrente para sistemas 3 fios e ARON
- Formas de onda nos sinais da fase L1, com seus valores TRMS conforme imagem
abaixo:

12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO FASE1 – Pág. 3/5


Fs 400.0V
V1 223.4V
Fs 400.0A
I1 299.4A


PAG ZOOM V
Fig. 41: Tela formas de onda Tensão/Corrente da fase L1 para sistemas 3 e 4 fios

12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO FASE1 – Pág. 3/5


Fs 400.0V
V12 382.4V
Fs 400.0A
I1 201.5A


PAG ZOOM V
Fig. 42: Tela formas de onda Tensão/Corrente da fase L1 para sistemas ARON

26
- Formas de onda dos sinais na fase L2, com seus valores TRMS conforme imagem abaixo:

12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO FASE2 – Pág. 4/5


Fs 400.0V
V2 228.5V
Fs 400.0A
I2 302.5A


PAG ZOOM V
Fig. 43: Tela formas de onda Tensão/Corrente da fase L2 para sistemas 4 fios
12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO FASE2 – Pág. 4/5


Fs 400.0V
V23 389.6V
Fs 400.0A
I2 203.5A


PAG ZOOM V
Fig. 44: Tela formas de onda Tensão/Corrente da fase L2 para sistemas 3 fios e ARON
- Formas de onda dos sinais na fase L3, com seus valores TRMS conforme imagem abaixo:

12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO FASE3 – Pág. 5/5


Fs 400.0V
V3 228.5V
Fs 400.0A
I3 297.7A


PAG ZOOM V
Fig. 45: Tela formas de onda Tensão/Corrente da fase L3 para sistemas 4 fios
12/09/2006 – 16:55:10


OSCILOSCÓPIO FASE3 – Pág. 5/5


Fs 400.0V
V31 386.6V
Fs 400.0A
I3 201.5A


PAG ZOOM V
Fig. 46: Tela formas de onda Tensão/Corrente da fase L2 para sistemas 3 fios e ARON
No modo manual dentro do menu Ajustes avançados (ver parágrafo 5.3.2.1) é possível
personalizar por completo o gráfico da escala de tensão e corrente a fim de melhorar a
resolução nas leituras. Nesta situação pressionando os botões seta ZOOM in ou ZOOM
out para aumentar ou diminuir o valor da escala desejada. Pressione o botão F2 para
alternar entre escala completa de corrente ou tensão. Pressione o botão ESC (ou o
pequeno ícone ) para sair da tela de formas de onda e voltar à tela de valores em
TRMS.

27
5.2.3. Telas de análise HARM
A partir de qualquer tela de valores numéricos é possível introduzir valores numéricos
harmônicos e telas de histogramas gráficos para sinais de tensão e corrente adquiridos
pressionando o botão F2 (ou toque em HARM no display). Pressionando ciclicamente o
botão F1 as seguintes telas serão exibidas pelo instrumento:
- Valores de tensão harmônica de V1, V2, V3 e neutro Vn (para sistemas trifásicos 4
fios),correntes I1, I2, I3 e neutra In (para sistemas trifásicos 4 fios) com valores THD%
ambos com gráficos e histogramas com valores numéricos em percentual ou
absolutos, (ver parágrafo 0) como mostrado abaixo:

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO HARM TOTAL – Pág. 1/5

h 01
Fs 100%
V1h 100. 0%
V2h 100. 0%
V3h 100. 0%
Vnh 0. 0%
Thd 6. 5%
Thd 5. 9%
Thd 4. 3%
Thd 0. 0%
PAG HARM I TABELA HARM PAG

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO HARM TOTAL – Pág. 1/5

h 01
Fs 400. 0V
V1h 228. 6V
V2h 225. 1V
V3h 230. 7V
Vnh 0. 0V
Thd 6. 5%
Thd 5. 9%
Thd 4. 3%
Thd 0. 0%
PAG HARM I TABELA HARM PAG
Fig. 47: Análise de harmônicos de tensão em porcentagem ou absoluto de valores para
sistemas 4 fios

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO HARM TOTAL – Pág. 1/4

h 01
Fs 100%
V12h 100. 0%
V23h 100. 0%
V31h 100. 0%
Thd 6. 5%
Thd 5. 9%
Thd 6. 5%


PAG HARM I TABELA HARM PAG

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO HARM TOTAL – Pág. 1/4

h 01
Fs 400. 0V
V12h 328. 4V
V23h 389. 6V
V31h 386. 6V
Thd 6. 5%
Thd 5. 9%
Thd 4. 3%


PAG HARM I TABELA HARM PAG
Fig. 48: Análise de harmônicos de tensão em porcentagem ou absoluto de valores para
sistemas 3 fios ARON

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO HARMÕNICA FASE1 – Pág. 1/2

h 01
Fs 100%
V1h 100. 0%
Thd 6. 5%






PAG HARM I TABELA HARM PAG

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO HARMÕNICA FASE1 – Pág. 1/2

h 01
Fs 400. 0V
V1h 228. 6V
Thd 6. 5%






PAG HARM I TABELA HARM PAG
Fig. 49: Análise de harmônicos de tensão em porcentagem ou absoluto de valores para
sistemas monofásicos

Em todos os casos a escala gráfica é automaticamente configurada pelo instrumento
dependendo dos valores medidos.

28
 Altere para a tela de corrente pressionando o botão F2 (ou toque em “HARM” no
display). Pressione o botão F1 (ou Toque em “PAG” no display) para exibir valores
totais de cada corrente de fase I1, I2, I3 e neutra In (para sistemas 4 fios e
monofásicos). As telas principais são mostradas abaixo:


12/09/2006 – 16:55:10


CORRENTE HARM TOTAL – Pág. 1/5

h 03
Fs 100%
I 1h 45. 3%
I 2h 48. 7%
I 3h 37. 6%
I nh 0. 0%
Thd 35. 5%
Thd 32. 8%
Thd 42. 5%
Thd 0. 0%
PAG HARM V TABELA HARM PAG

12/09/2006 – 16:55:10


CORRENTE HARM TOTAL – Pág. 1/5

h 03
Fs 200. 0A
I 1h 90. 6A
I 2h 97. 4A
I 3h 75. 2A
I nh 0. 0A
Thd 35. 5%
Thd 32. 8%
Thd 42. 5%
Thd 0. 0%
PAG HARM V TABELA HARM PAG
Fig. 50: Análise de harmônicos de corrente percentual ou absoluto para sistemas 4 fios

12/09/2006 – 16:55:10


CORRENTE HARM TOTAL – Pág. 1/4

h 03
Fs 100%
I 1h 45. 3%
I 2h 48. 7%
I 3h 37. 6%
Thd 35. 5%
Thd 32. 8%
Thd 42. 5%


PAG HARM V TABELA HARM PAG

12/09/2006 – 16:55:10


CORRENTE HARM TOTAL – Pág. 1/4

h 03
Fs 200. 0A
I 1h 90. 6A
I 2h 97. 4A
I 3h 75. 2A
Thd 35. 5%
Thd 32. 8%
Thd 42. 5%


PAG HARM V TABELA HARM PAG
Fig. 51: Análise de harmônicos de corrente percentual ou absoluto para sistemas 3 fios e
ARON

12/09/2006 – 16:55:10


CORRENTE HARM FASE1 – Pág. 1/1

h 03
Fs 100%
I 1h 45. 3%
Thd 35. 5%






PAG HARM V TABELA HARM PAG

12/09/2006 – 16:55:10


CORRENTE HARM FASE1 – Pág. 1/1

h 03
Fs 200. 0A
I 1h 90. 6A
Thd 35. 5%






PAG HARM V TABELA HARM PAG
Fig. 52: Análise de harmônicos de corrente percentual ou absoluto para sistemas
monofásicos
 Altere para as telas com as tabelas de valores numéricos de tensões e correntes
harmônicos até 49ª. Ambos os valores são mostrados em porcentagem e valores
absolutos (veja parágrafo 0) pressionando o botão F3 (ou toque em “Tabela” no
display), como mostrado nas figuras abaixo:


29
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÕNICOS DE TENSÃO
h[%] Phase 1 Phase 2 Phase 3 Neutral
Thd% 6.5 5.9 4.3 0.0
DC 0.0 0.0 0.0 0.0
h1 100.0 100.0 100.0 0.0
h2 0.0 0.0 0.0 0.0
h3 1.8 2.3 1.5 0.0
h4 0.0 0.0 0.0 0.0
HARM I GRAFIC HARM PAG
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÕNICOS DE TENSÃO
h[V] Phase 1 Phase 2 Phase 3 Neutral
Thd% 6.5 5.9 4.3 0.0
DC 0.0 0.0 0.0 0.0
h1 228.6 225.1 230.7 0.0
h2 0.0 0.0 0.0 0.0
h3 4.2 5.3 3.4 0.0
h4 0.0 0.0 0.0 0.0
HARM I GRAFIC HARM PAG

Fig. 53: Análise de harmônicos de tensão em porcentagem e absoluto para sistemas 4 fios
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÔNICOS DE CORRENTE
h[%] Phase 1 Phase 2 Phase 3 Neutral
Thd% 35.5 32.8 42.5 0.0
DC 0.0 0.0 0.0 0.0
h1 100.0 100.0 100.0 0.0
h2 0.0 0.0 0.0
0.0
h3 45.3 48.7 37.6
0.0
h4 0.0 0.0 0.0
0.0
HARM V GRAFIC HARM PAG
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÔNICOS DE CORRENTE
h[A] Phase 1 Phase 2 Phase 3 Neutral
Thd% 35.5 32.8 42.5
0.0
DC 0.0 0.0 0.0
0.0
h1 199.7 200.4 197.3
0.0
h2 0.0 0.0 0.0
0.0
h3 90.6 97.4 75.2
0.0
h4 0.0 0.0 0.0
0.0
HARM V GRAFIC HARM PAG


Fig. 54: Análise de harmônicos de corrente em porcentagem e absoluto para sistemas 4 fios
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÕNICOS DE TENSÃO
h[%] Phase 1 Phase 2 Phase 3
Thd% 6.5 5.9 4.3
DC 0.0 0.0 0.0
h1 100.0 100.0 100.0
h2 0.0 0.0 0.0
h3 1.8 2.3 1.5
h4 0.0 0.0 0.0
HARM I GRAFIC HARM PAG
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÕNICOS DE TENSÃO
h[V] Phase 1 Phase 2 Phase 3
Thd% 6.5 5.9 4.3
DC 0.0 0.0 0.0
h1 228.6 225.1 230.7
h2 0.0 0.0 0.0
h3 4.2 5.3 3.4
h4 0.0 0.0 0.0
HARM I GRAFIC HARM PAG

Fig. 55: Análise harmônica de tensão em porcentagem e absoluto para sistemas 3 fios e ARON
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÔNICOS DE CORRENTE
h[%] Phase 1 Phase 2 Phase 3
Thd% 35.5 32.8 42.5
DC 0.0 0.0 0.0
h1 100.0 100.0 100.0
h2 0.0 0.0 0.0
h3 45.3 48.7 37.6
h4 0.0 0.0 0.0
HARM V GRAFIC HARM PAG
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÔNICOS DE CORRENTE
h[A] Phase 1 Phase 2 Phase 3
Thd% 35.5 32.8 42.5
DC 0.0 0.0 0.0
h1 199.7 200.4 197.3
h2 0.0 0.0 0.0
h3 90.6 97.4 75.2
h4 0.0 0.0 0.0
HARM V GRAFIC HARM PAG


Fig. 56: Análise harmônica de corrente em porcentagem e absoluto para sistemas 3 fios e ARON

30
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÕNICOS DE TENSÃO
h[%] Phase 1
Thd% 6.5
DC 0.0
h1 100.0
h2 0.0
h3 1.8
h4 0.0
HARM I GRAFIC HARM PAG
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÕNICOS DE TENSÃO
h[V] Phase 1
Thd% 6.5
DC 0.0
h1 228.6
h2 0.0
h3 4.2
h4 0.0
HARM I GRAFIC HARM PAG
Fig. 57: Análise harmônica de corrente em porcentagem e absoluto para sistemas
monofásicos
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÔNICOS DE CORRENTE
h[%] Phase 1
Thd% 35.5
DC 0.0
h1 100.0
h2 0.0
h3 45.3
h4 0.0
HARM V GRAFIC HARM PAG
12/09/2006 – 16:55:10


HARMÔNICOS DE CORRENTE
h[A] Phase 1
Thd% 35.5
DC 0.0
h1 199.7
h2 0.0
h3 90.6
h4 0.0
HARM V GRAFIC HARM PAG


Fig. 58: Análise harmônica de corrente em porcentagem e absoluto para sistemas
monofásicos
Pressione F3 para voltar à tela de gráficos e F2 para alternar entre as telas tensão ou
corrente. Pressione o botão F4 ou botões seta para cima ou para baixo (ou toque em
“HARM PAG” no display) para exibir telas relativas a harmônicas até a 49ª ordem.
- Valores de harmônicos individuais de tensão V1, V2, V3 e tensão neutra Vn, valores
individuais de corrente I1, I2, I3 e corrente neutra In (para sistemas trifásicos 4 fios)
com valores THD% bem como histogramas gráficos, valores numéricos em
porcentagem ou absolutos dependendo do ajuste desejado. Esses valores serão
exibidos em quatro páginas selecionáveis pressionando ciclicamente o botão F1 (ou
toque em “PAG” no display). As Fig. 59 e Fig. 60 abaixo demonstram um exemplo de
situação relativa à tensão e corrente de fase L1 em sistemas trifásicos 4 fios:

12/09/2006 – 16:55:10


PHASE1 HARM VOLTAGE – Pág. 2/5

h 01
Fs 100%
V1h 100. 0%
Thd 6. 5%






PAG HARM I TABELA HARM PAG

12/09/2006 – 16:55:10


PHASE1 HARM VOLTAGE – Pág. 2/5

h 01
Fs 400. 0V
V1h 228. 6V
Thd 6. 5%






PAG HARM I TABELA HARM PAG
Fig. 59: Análise harmônica de tensão V1 em porcentagem e absoluto para sistemas 4 fios

31

12/09/2006 – 16:55:10


PHASE1 HARM CURRENT – Pág. 2/5

h 03
Fs 100%
I 1h 45. 3%
Thd 35. 5%






PAG HARM V TABELA HARM PAG

12/09/2006 – 16:55:10


PHASE1 HARM CURRENT – Pág. 2/5

h 03
Fs 200. 0A
I 1h 90. 6A
Thd 35. 5%






PAG HARM V TABELA HARM PAG
Fig. 60: Análise harmônica de corrente I1 em porcentagem e absoluto para sistemas 4 fios

5.2.4. Telas de diagramas vetoriais
Partindo de uma tela de valores numéricos é possível selecionar a tela diagrama vetorial
de tensão e corrente pressionando o botão F4 (ou tocando em “VETORES” no display). O
objetivo deste recurso é para mostrar, com indicação numérica e gráfica, os ângulos de
fase, expresso em graus [°] entre as três tensões V1, V2 e V3 e correntes I1, I2 e I3, a fim
de compreender a cada momento as cargas de natureza indutiva ou capacitiva das
instalações elétricas. Ao pressionar a tecla F1 ciclicamente as telas abaixo são
mostradas pelo instrumento:
- Diagrama vetorial completo dos ângulos entre fases V1, V2, V3 e entre V1-I1, V2-I2,
V3-I3 mais a indicação em porcentagem dos valores “NEG%” e “ZERO%” dos
parâmetros. (ver parágrafo 10.5):

12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA TOTAL – Pág. 1/6



NEG 0. 0%
ZERO 0. 0%
V1^ V2 120. 0°
V2^ V3 120. 0°
V3^ V1 120. 0°
V1^ I1 60. 0°
V2^ I2 60. 0°
V3^ I3 60. 0°
PAG
Fig. 61: Diagrama vetorial completo para sistemas 4 fios


12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA TOTAL – Pág. 1/6



NEG 0. 0%
ZERO 0. 0%
V12^ V23 120. 0°
V23^ V31 120. 0°
V31^ V12 120. 0°
V1^ I1 60. 0°
V2^ I2 60. 0°
V3^ I3 60. 0°
PAG
Fig. 62: Diagrama vetorial completo para sistemas 3 fios e ARON


32
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA FASE1 – Pág. 1/6



V1^ I1 60. 0°







PAG
Fig. 63: Diagrama vetorial completo para sistemas monofásicos
- O diagrama vetorial de tensões monofásico depende do tipo de sistema selecionado
como demonstrado nas telas abaixo:
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA DE TENSÃO – Pág. 2/6



NEG 0. 0%
ZERO 0. 0%
V1^ V2 120. 0°
V2^ V3 120. 0°
V3^ V1 120. 0°



PAG
Fig. 64: Diagrama vetorial de tensão para sistemas 4 fios
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA DE TENSÃO – Pág. 2/6



NEG 0. 0%
ZERO 0. 0%
V12^ V23 120. 0°
V23^ V31 120. 0°
V31^ V12 120. 0°



PAG
Fig. 65: Diagrama vetorial de tensão para sistemas 3 fios e ARON
- Diagrama vetorial das correntes para sistemas 4 fios, 3 fios e ARON demonstrado a
seguir:
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA DE CORRENTE – Pág. 3/6



I 1^ I2 120. 0°
I 2^ I3 120. 0°
I 3^ I1 120. 0°





PAG
Fig. 66: Diagrama vetorial das correntes para sistemas 4 fios, 3 fios e ARON

33
- Diagrama vetorial de tensão e corrente para cada fase dependendo do tipo de sistema
selecionado como demonstrado nas telas abaixo:
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA FASE1 – Pág. 4/6



V1^ I1 60. 0°







PAG
Fig. 67: Diagrama vetorial tensão-corrente da fase L1 para sistemas 4 fios
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA FASE2 – Pág. 5/6



V2^ I2 60. 0°







PAG
Fig. 68: Diagrama vetorial tensão-corrente da fase L2 para sistemas 4 fios
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA FASE3 – Pág. 6/6



V3^ I3 60. 0°







PAG
Fig. 69: Diagrama vetorial tensão-corrente da fase L3 para sistemas 4 fios
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA FASE1 – Pág. 4/6



V12^ I1 60. 0°







PAG
Fig. 70: Diagrama vetorial tensão-corrente da fase L1 para sistemas 3 fios e ARON


34
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA FASE2 – Pág. 5/6



V23^ I2 60. 0°







PAG
Fig. 71: Diagrama vetorial tensão-corrente da fase L2 para sistemas 3 fios e ARON
12/09/2006 – 16:55:10


DIAGRAMA FASE3 – Pág. 6/6


V31^ I3 60. 0°







PAG
Fig. 72: Diagrama vetorial tensão-corrente da fase L3 para sistemas 3 fios e ARON

Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone no display) para sair de qualquer tela e voltar
à anterior.


CAUTELA


- Os vetores da tensão são referentes ao circulo externo e os de corrente ao
segundo circulo de cada diagrama. Os tamanhos dos vetores são
projetados de modo que o vetor de amplitude máxima pode tocar o círculo
e os outros vetores são dimensionados em relação a ela proporcionalmente
à sua amplitude
- A referencia positiva associada a cada diagrama vetorial é em sentido
horário


35
5.3. CONFIGURAÇÃO DO ANALISADOR

12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Configuração analisador
Fig. 73: Tela de configuração do analisador
Dentro desta seção o instrumento permite realizar seleções de modo básico e avançado
com relação a instalação elétrica a ser testada. Em particular é possível:
- Selecionar o tipo de sistema, a freqüência, o tipo de garra de corrente, a escala total
da garra de corrente e a proporção VT do transformador de tensão externo que pode
ser acoplado com o instrumento (configuração do analisador)
- Programar o modo Manual para a modificação do fundo de escala na tela dos gráficos,
o tipo de harmônicos a visualizar, a visualização dos valores absolutos ou percentuais
dos harmônicos, o modo de zoom dos harmônicos, o cálculo do valor médio de tensão
e corrente, potência ativa e reativa (Configuração analisador)
É possível utilizar os ícones e a fim de uma execução mais rápida e maior
interatividade.

5.3.1. Tela Configurador analisador
Selecione o modo “Configurador analisador” utilizando os botões seta e pressione ENTER
ou toque no ícone correspondente no display: O instrumento é concedido para
uma medição correta apenas em conexão com os seguintes sistemas elétricos:

 Sistema trifásico 4 fios Estrela (trifásico + neutro + terra)
 Sistema trifásico 3 fios Delta (trifásico + terra)
 Sistema trifásico 3 fios ARON Delta (trifásico + neutro + terra)
 Sistema monofásico (fase + neutro+ terra)

Abaixo as telas de opções dos possíveis sistemas descritos acima:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÃO ANALISADOR

1
2
3
N
PE

Sistema 4WIRE
Freq [Hz] 50
Tipo Garra FLEX
FS [A] Garra 3000
Taxa VT 1
AVANÇADO MOD(+) MOD(-)
Fig. 74: Tela Configuração analisador para sistema 4 fios


36
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÃO ANALISADOR


Sistema 3WIRE
Freq [Hz] 50
Tipo Garra FLEX
FS [A] Garra 3000
Taxa VT 1
AVANÇADO MOD(+) MOD(-)
Fig. 75: Tela configuração Analisador sistemas 3 fios

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÃO ANALISADOR


Sistema ARON
Freq [Hz] 50
Tipo Garra FLEX
FS [A] Garra 3000
Taxa VT 1
AVANÇADO MOD(+) MOD(-)
Fig. 76: Tela configuração analisador para sistemas ARON

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÃO ANALISADOR


Sistema MONO
Freq [Hz] 50
Tipo Garra STD
FS [A] Garra 1000
Taxa VT 1
AVANÇADO MOD(+) MOD(-)
Fig. 77: Tela configuração analisador para sistemas monofásicos
As conexões de entrada do instrumento são mostradas no esquema sinótico presente no
visualizador em função do sistema em teste. Para seleção do sistema siga os passos
abaixo:
1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo a “Sistem” marcado com
um fundo de tela azul
2. Utilize os botões F3 ou F4 (alternativamente toque MOD(+) ou MOD(-)) para
selecionar o tipo de sistema escolhendo entre “4FIOS”, “3FIOS’, “ARON” ou “MONO”
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação


37
5.3.1.1. Ajuste da freqüência do sistema

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo a “Freq[Hz]” marcado com
um fundo de tela azul
2. Utilize os botões F3 ou F4 (Alternativamente toque MOD(+) o MOD(-)) selecione a
freqüência de rede entre os dois possíveis valores 50Hz ou 60Hz. Este parâmetro é
relevante APENAS se o valor da tensão de entrada não é suficiente para o
reconhecimento do valor da freqüência (Ex.: se são as garras são conectadas
sozinhas para medição de corrente). Neste caso o instrumento gera um sincronismo
interno do valor da frequência programada
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

5.3.1.2. Configuração do tipo de garra

Este parâmetro deverá ser sempre igual ao tipo de garra utilizada
Dois tipos de garra são disponíveis:
 STD: Garras com Núcleo ferromagnético ou Transformador de corrente
 FLEX: Garra flexíveis
1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Tipo Garra” marcado com
um fundo de tela azul
2. Utilize os botões F3 ou F4 (alternativamente toque MOD(+) ou MOD(-)) para selecionar
o tipo de garra utilizada escolhendo entre as opções STD ou FLEX
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

5.3.1.3. Programação do fundo de escala das garras

O valor deste parâmetro deve ser sempre igual ao fundo de escala das garras de
corrente utilizadas para a medida. No caso de uso de garras multiescala, este parâmetro
deve assumir o mesmo valor do fundo de escala selecionado na mesma garra.

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “FS[A] Garra” marcado
com um fundo de tela azul
2. Use as teclas F3 ou F4 (ou a função MOD(+) ou MOD(-) no display) selecione o valor
do fundo de escala desejado. No caso de usar garras do tipo STD é possível
programar rapidamente qualquer tipo de valor pressionando as teclas F3 ou F4 (ou a
função MOD(+) ou MOD(-) no visualizador). No caso de utilizar garras FLEX só poderá
selecionar valores do fundo de escala de 300A à 3000A
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação


38
5.3.1.4. Configuração da proporção VT

O instrumento permite conexão através de eventuais Transformadores de Tensão (TV)
presentes na instalação em teste visualizando o valor das Tensões presentes sobre o
primário do mesmo Transformador. Para isso é necessário programar o valor da relação
de transformação do transformador de tensão presente.
1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Tipo Garra” marcado com
um fundo de tela azul
2. Use as teclas F3 ou F4 (ou a função MOD(+) ou MOD(-) no display) para selecionar o
valor desejado entre 1 à 3000. Mantenha o valor de fábrica ”1” caso não haja um
transformador de tensão na instalação
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

5.3.2. Tela de configuração avançada
Na tela “Configuração Analisador” pressione o botão F2 (ou toque em “AVANÇADO”no
display). O instrumento exibira a seguinte tela:
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES AVANÇADAS


Zoom gráfico MANUAL
Tipo Harm. TODAS
Valor Harm. ABSOLUTO
Zoom harm. 1ª SIM
Valores médios NÃO

MOD(+) MOD(-)
Fig. 78: Tela configuração avançada
Nesta tela é possível selecionar as opções avançadas que terão efeito nas telas de
medida em tempo real.

5.3.2.1. Opções de zoom gráfico
Esta opção permite customizar o fundo de escala de cada fase das formas de onda da
tensão e corrente (veja Fig. 41, Fig. 43, Fig. 45) a fim de obter uma melhor resolução das
leituras.
1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Zoom gráfico” marcado
com um fundo de tela azul
2. Use as teclas F3 ou F4 (ou a função MOD(+) ou MOD(-) no display) para selecionar
uma das seguintes opções:
 MANUAL: define a escala de visualização das formas de onda escolhendo entre os
valores disponíveis. Valores de 2.0A à 5000kA para corrente e 2.0V à 2000kV para
tensão
 AUTO: Os valores das escalas são automaticamente alterados pelo instrumento
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

39
5.3.2.2. Opções do tipo de harmônico

Esta opção permite selecionar os tipos de harmônicos visualizados na seção “Valores em
tempo real”.
1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Tipo Harm.” marcado com
um fundo de tela azul
2. Use as teclas F3 ou F4 (ou a função MOD(+) ou MOD(-) no display) para selecionar
uma das seguintes opções:
 TODAS: O instrumento exibe todos os harmônicos até a 49ª
 PARES: O instrumento exibe todos os harmônicos pares até a 49ª
 IMPARES: O instrumento exibe todos os harmônicos impares até a 49ª
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação



CAUTELA


Independentemente do harmônico selecionado para visualização o
instrumento pode realizar gravações de todos os valores em todos os casos

5.3.2.3. Opções valores de harmônicos

Esta opção permite selecionar os valores dos harmônicos visualizados na seção Valores
em tempo real.
1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Valor Harm.” marcado
com um fundo de tela azul
2. Use as teclas F3 ou F4 (ou a função MOD(+) ou MOD(-) no display) para selecionar
uma das seguintes opções:
 ABSOLUTO: O instrumento exibe os valores harmônicos absolutos (nas unidades
V para tensão e A para corrente)
 PORCENTAGEM: O instrumento exibe os valores harmônicos percentuais em
relação à respectiva fundamental
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação


CAUTELA


Independentemente dos tipos harmônicos selecionados para a visualização o
instrumento permite em cada caso o registro dos valores absolutos dos
harmônicos

40
5.3.2.4. Opção Zoom em respeito ao primeiro harmônico

Esta opção oferece ao usuário a possibilidade de visualizar o gráfico do histograma dos
harmônicos com zoom relativo referido ao primeiro harmônico (fundamental), ou com
zoom relativo ao harmônico com maior magnitude visualizado na seção Valores em tempo
real. Neste caso o objetivo é a melhora eventual da resolução de leitura dos gráficos.

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Zoom Harm. 1ª” marcado
com um fundo de tela azul
2. Use as teclas F3 ou F4 (ou a função MOD(+) ou MOD(-) no display) para selecionar
uma das seguintes opções:
 SIM: O instrumento efetua o zoom dos gráficos referente ao primeiro Harmônico
 NÃO: O instrumento efetua o zoom dos gráficos referente ao harmônico de maior
magnitude, excluindo o primeiro harmônico. Esta opção somente pode ser ativada
caso a opção zoom gráfico esteja no modo AUTO (ver parágrafo 5.3.2.1)
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

5.3.2.5. Opção valores médios

Esta opção, disponível apenas para sistemas 4 fios, permite exibir a média aritmética
dos valores TRMS de:
- Tensões de fase V1, V2, V3
- Correntes de fase I1, I2, I3
- Potência ativa em cada fase P1, P2, P3
O resultado é exibido na página 7/7 de valores numéricos TRMS (ver Fig. 35).

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Valores médios marcado
com um fundo de tela azul
2. Use as teclas F3 ou F4 (ou a função MOD(+) ou MOD(-) no display) para selecionar
uma das seguintes opções:
 SIM: O instrumento exibe a página 7/7 de valores médios da seção Valores em
tempo real apenas para sistemas 4 fios
 NÃO: O instrumento não exibe a página 7/7
3. Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar a opção
selecionada confirmando pelo “OK”. Os parâmetros selecionados estarão presentes
após desligar o instrumento
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer
modificação

41
5.4. CONFIGURAÇÕES DE GRAVAÇÃO

12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Configurações Gravador
Fig. 79: Tela Configurações gravador selecionada
Nesta seção o instrumento permite definir cada detalhe possível relativo à ativação do
gravador, efetuando a seleção dos parâmetros, o tipo de análise a efetuar com grandes
detalhes e extrema simplicidade graças ao uso do display “touch-screen” e dos ícones
e particularmente recomendados nesta seção.

5.4.1. Telas de Configuração gravador

Esta tela é designada para diferentes níveis e subníveis com uma estrutura de árvore de
típica do Windows, anexando com grandes detalhes as opções desejadas. Após a
seleção do ícone “Configurações gravador” (Fig. 79) O instrumento exibirá a seguinte tela:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÃO GRAVADOR


 Comentar: Planta genérica

 Início:Manu
 Parar:Manu
 Período integração:15 min
Cogeração
+ Parâmetros gerais

85/251 Parâmetros – Autonomia: 388d 4h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 80: Tela configuração gravador

Utilizando os botões seta para acima e para baixo ou tocando diretamente pelo display é
possível habilitar ou desabilitar os fundos de escala da caixa de seleção. Selecione a
caixa de seleção com o símbolo “+” o menu se expande abrindo um subnível no qual é
possível efetuar novas seleções. Tocando na caixa de seleção com o símbolo “-“ retorna
ao nível anterior. A visualização do que está habilitado ou desabilitado é definida da
seguinte forma:

 Texto Cinza e caixa de seleção vazia  Não selecionável
 Texto Preto e caixa de seleção vazia  Parcialmente selecionável
 Texto Preto e caixa de seleção selecionada  Completamente selecionável




42
O rodapé do display inclui as seguintes funções, relativas aos botões F1, F2, F3, F4:
- CLP/EXP: Utilizado para comprimir ou expandir subníveis
- PREDEF.: Utilizado para abrir seções de configurações típicas (ver parágrafo 5.4.12)
- SEL: Utilizado para habilitar ou desabilitar parâmetros dentro de vários níveis
- MODIFICA: Utilizado para efetuar modificações nos vários níveis internos
No rodapé do display o número de parâmetros selecionados e a autonomia de gravação,
são expressos em dias e horas, que são dinamicamente atualizados pelo instrumento
dependendo dos parâmetros selecionados.

5.4.2. Comentar
Esta opção permite inserir ou modificar uma linha de comentário no display, a fim de
identificar o tipo de análise, que aparecerá no relatório de impressão descarregada do
instrumento ao computador. O comentário é configurável tanto através do software TopView
(para mais informação consulte a Ajuda em linha do programa) quanto utilizando o teclado
virtual ativado pelo botão F4 (ou a função MODIFICA no display). Esta função está sempre
ativa e não pode ser desabilitada.

5.4.2.1. Uso do teclado virtual
Com a função Comentar: marcada por um fundo de tela azul pressione o botão F4 (ou
MODIFICA no display). A seguinte tela será exibida:

12/09/2006 – 16:55:10


Commentar:

Planta genérica

a b c d e f g h

i j k l m n o p
q r s t u v w x
y z
<- àž Sb 123 Cap


Fig. 81: Tela do teclado virtual
As descrições das teclas do teclado virtual estão na tabela abaixo:
Teclas Descrição
a, b,c,…z
Teclado padrão com letras minúsculas para comentários
até 25 caracteres.
Cap Teclado de letras maiúsculas A÷Z será exibido.
123
Teclado numérico 0÷9 mais símbolos matemáticos (+,-
,*,/,.,=).
Sb
Teclado de símbolos especiais. Pressione “abc” para
retornar ao teclado alfabético.
àž
Teclado de símbolos especiais com acentuação.
Pressione “ABC” para retornar ao teclado alfabético.
<-
Tecla “Backspace” apaga o caractere a esquerda do
cursor
Tabela 1: Descrição das funções das teclas do teclado virtual

43
5.4.3. Inicio e Parar
Esta função permite definir o modo de ativação ou desativação do registro feito pelo
instrumento (ver parágrafo 5.4.13). As opções possíveis são:
- Manu: A gravação é ativada ou desativada manualmente, pressionado o botão
GO/STOP
- Auto: A gravação é ativada ou desativada automaticamente, partindo de uma data e
hora programada, pressionando preliminarmente o botão GO/STOP

A configuração de fábrica é do modo manual e o término desta função não é desabilitável.
Para alternar do modo MANUAL para o modo AUTOMÁTICO (ver parágrafo 5.4.13.1) siga
os passos abaixo:

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Início:Manu” ou
“Parar:Manu”, marcado com fundo de tela azul
2. Pressione o botão F4 (Alternativamente toque em MODIFICA no display). No rodapé
do display a função “Manu” será exibida
3. Pressione o botão F3 (MOD(+)) ou F4(MOD(-)) e selecione “Auto”
4. Use os botões seta direita e esquerda para alternar entre data e hora. O botão seta
para cima ou F3 (MOD(+)) aumenta o valor e o botão seta para baixo ou F4 (MOD(-))
para diminuir o valor
5. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar as
configurações. O modo automático e a data e hora ajustadas serão exibidos no display

5.4.4. Período integração
Esta função permite programar o período de integração (ver parágrafo 10.8.1), quer dizer,
o intervalo temporário entre dois registros consecutivos no âmbito da duração de medida.
O término de tal função está sempre ativo e não é desabilitável.

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Período integração”,
marcado com fundo de tela azul
2. Pressione o botão F4 (alternativamente toque em MODIFICAR no display). No rodapé
do display a barra de comando “Período integração” será exibida
3. Pressione o botão F3 (MOD(+)) ou F4(MOD(-)) ou os botões para cima e para baixo,
para selecionar o período de integração desejado entre os valores: 1s, 5s, 10s, 30s,
1min, 2min, 5min, 10min, 15min, 30min, 60min
4. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar as
configurações. O período de integração será exibido no display

5.4.5. Cogerações
Esta seleção, utilizando os botões seta para cima ou para baixo e selecionando o ícone
no display, entra com os valores de energia gerada (Cogeração) na lista de parâmetros
gravados (ver parágrafo 10.7.1).

44
5.4.6. Parâmetros gerais
Esta opção permite selecionar os parâmetros de rede para operação de gravação. Este
nível inclui subníveis, para uma seleção detalhada dependendo do sistema em teste (ver
parágrafo 5.3.1).
Dependendo da seleção feita, diferentes telas de erro podem ser exibidas. As situações a
seguir são possíveis:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+ Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
Anom. Tensão: 230V 6% -10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalanc.

Erro: Nenhum parâmetro selecionado
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 82: Seção parâmetros gerais: sem seleção

Fig. 82 mostra a situação no qual o instrumento dá o erro de nenhum parâmetro
selecionado, embora tenha sido selecionada a função “Parâmetros Gerais” para sua
visualização. Note o texto em cinza e a caixa de seleção não selecionável. Neste caso as
análises de Harmônicos, Anomalias de tensão, Flicker, etc... não são possíveis. Pressione
o botão F3 (ou toque “SEL” no display) para sair desta condição de erro. Neste caso o
ícone de “Parâmetros gerais” aparecerá e a caixa de seleção ficará selecionada (e a
seguinte tela será exibida):

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÂO GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
Anom. Tensão: 230V 6%-10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalanc.

96/251 Parâmetros – Autonomia: 9d 4h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 83: Seção parâmetros gerais: parâmetro selecionado

No exemplo acima 96 parâmetros pode ser selecionados no total de 251 disponíveis e a
autonomia correspondente será exibida automaticamente pelo instrumento neste caso.


CAUTELA


A ativação do flag da função “Parâmetros Gerais”, comporta a seleção
automática dos principais parâmetros da rede, cujo número é variável em
função do sistema elétrico em teste (Tensões, Correntes, Frequências,
fatores de potência ativa, reativa e aparente, energia ativa, reativa,
aparente). A incapacidade para selecionara aba “Parâmetros gerais” não
seleciona automaticamente os parâmetros acima

45

A situação oposta é o erro de muitos parâmetros selecionados. Neste caso a seguinte tela
será exibida:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÃO GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+  Harmônicos
Anom. Tensão: 230V 6%-10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalanc.

Erro: Muito parâmetros selecionados 440/251
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 84: Seção parâmetros gerais: Excesso de parâmetros selecionados
Na tela acima (ver Fig. 84) a seleção “Harmônicos” possui muitos parâmetros
selecionados (mais de 251). Não selecione muitos parâmetros para sair desta situação.


CAUTELA


A seleção de um parâmetro comporta um aumento do número de
parâmetros não necessariamente de uma só unidade. Em particular:
- Frequência  1 parâmetro selecionado
- Tensão  de 1 à 7 parâmetros selecionados dependendo do sistema
- Corrente  de 1 à 4 parâmetros selecionados dependendo do sistema
- Potências e Energias  de 1 à 8 Parâmetros selecionados dependendo
do sistema e cogerações
- Fator de Potência  de 1 à 8 parâmetros selecionados dependendo do
sistema e cogerações
- Harmônicos: THD e DC  de 1 à 8 parâmetros selecionados
dependendo do sistema
- Harmônicos pares  de 25 à 100 parâmetros selecionados dependendo
do sistema
- Harmônicos ímpares  de 24 à 96 parâmetros selecionados
dependendo do sistema
- Anomalias tensão  sem parâmetros selecionados
- Flicker  de 1 à 3 parâmetros selecionados dependendo do sistema
- Desbalanc.  1 parâmetro selecionado














46
5.4.6.1. Parâmetros Gerais: Descrição de subníveis
Pressione o botão F1 (ou toque em CLP/EXP no display) para expandir ou suprimir os
subníveis. Os parâmetros dentro dos subníveis são estritamente em função do tipo de
sistema selecionado (ver parágrafo 5.3.1). Abaixo telas de possíveis situações:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


-  Parâmetros Gerais

 Frequência
-  Tensões
 Fase1-Neutro
+  Correntes
+  Pot. Ativa & Energy

8/251 Parâmetros – Autonomia: 109d 0h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 85: Parâmetros gerais subnível – Sistema monofásico

Cada parâmetro é selecionável independentemente dos outros. Os seguintes
parâmetros podem ser selecionados para gravação nos sistema monofásico:

Parâmetro Descrição
Frequência Frequência de fase L1
Tensões Tensões TRMS L1-N e N-PE
Correntes Corrente TRMS da fase L1
Pot. ativa & energia Potência e energia ativa da fase L1
Pot. reativa & energia
Potência e energia reativa (indutiva ou capacitiva) da
fase L1
Pot. aparente & energia Potência e energia aparente da fase L1
Fatores de potência Fator de potência da fase L1
CosPhi
Fator de potência referente à fundamental da tensão
e corrente de fase L1
Tabela 2: Parâmetros selecionáveis para sistemas monofásicos
Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada seleção e
confirmar pressionando “OK”. A tela principal da Fig. 79 é exibida pelo instrumento no fim
da operação.
Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar e retornar à tela
anterior.

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


-  Parâmetros gerais

 Frequência
-  Tensões
 Fase1-Neutro
 Fase2-Neutro
 Fase3-Neutro

32/250 Parâmetros – Autonomia: 27d 6h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 86: Parâmetros gerais subnível – sistemas trifásicos 4 fios

47
Os seguintes parâmetros podem ser selecionados em sistemas trifásicos 4 fios:

Parâmetros Descrição
Frequência Frequência das fases L1, L2, L3
Tensões
Tensões TRMS L1-N, L2-N, L3-N, N-PE
Tensões TRMS L1-L2, L2-L3, L3-L1
Correntes Correntes TRMS L1, L2, L3, Neutro
Pot. ativa & energia Potência e energia ativa L1, L2, L3, Total
Pot. Reativa & energia
Potência e energia reativa (indutiva ou capacitiva) L1,
L2, L3, Total
Pot. aparente & energia Potência e energia aparente L1, L2, L3, Total
Fatores de potência Fator de potência L1, L2, L3 Total
CosPhi
Fator de potência referente à fundamental da tensão
e corrente das fases L1,L2,L3, Total
Tabela 3: Parâmetros selecionáveis para sistemas trifásicos 4 fios
Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada seleção e
confirmar pressionando “OK”. A tela principal da Fig. 79 é exibida pelo instrumento no fim
da operação.
Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar e retornar à tela
anterior.
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


-  Parâmetros gerais

 Frequência
-  Tensões
 Fase1-PE
 Fase2-PE
 Fase3-PE

30/251 Parâmetros – Autonomia: 28d 13h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 87: Parâmetros gerais subnível – sistemas trifásicos 3 fios
Os parâmetros a seguir podem ser selecionados para gravação em sistemas trifásicos 3
fios.

Parâmetros Descrição
Frequência Frequência das fases L1, L2, L3
Tensões
Tensões TRMS L1-PE, L2-PE, L3-PE
Tensões TRMS L1-L2, L2-L3, L3-L1
Correntes Correntes TRMS L1, L2, L3
Pot. ativa & energia Potência e energia ativa L1, L2, L3, Total
Pot. reativa & energia
Potência e energia reativa (indutiva or capacitiva) L1,
L2, L3, Total
Pot. aparente & energia Potência e energia aparente L1, L2, L3, Total
Fatores de potência Fator de potência L1, L2, L3 Total
CosPhi
Fator de potência referente à fundamental da tensão
e corrente das fases L1,L2,L3, Total
Tabela 4: Parâmetros selecionáveis para sistemas trifásicos 3 fios


48
Pressione os botões SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada seleção e
confirme pressionando “OK”. A tela principal da Fig. 79 é exibida pelo instrumento no final
da operação.
Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar e retornar à tela
anterior.

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


-  Parâmetros gerais

 Frequência
-  Tensões
 Fase1-Fase2
 Fase2-Fase3
 Fase3-Fase1

22/251 Parâmetros – Autonomia: 38d 16h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 88: Parâmetros gerais subnível – sistemas trifásicos 3 fios ARON
Os parâmetros a seguir podem ser selecionados para gravação em sistemas trifásicos 3
fios ARON:

Parâmetros Descrição
Frequência Frequência das fases L1, L2, L3
Tensões Tensões TRMS L1-L2, L2-L3, L3-L1
Correntes Correntes TRMS L1, L2, L3
Pot. ativa & energia Potência e energia ativa L1-L2, L3-L2, Total
Pot. reativa & energia
Potência e energia reativa (indutiva or capacitiva) L1-
L2, L3-L2, Total
Pot. aparente & energia Potência e energia aparente L1-L2, L3-L2, Total
Fatores de potência Fator de potência L1-L2, L3-L2, Total
CosPhi
Fator de potência referente à fundamental da tensão
e corrente das fases L1-L2, L3-L2, Total
Tabela 5: Parâmetros selecionáveis para sistemas trifásicos 3 fios ARON
Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada seleção e
confirmar pressionando “OK”. A tela principal da Fig. 79 é exibida pelo instrumento no final
da operação.
Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar e retornar à tela
anterior.


49
5.4.6.2. Harmônicos: descrição de subníveis
Pressione o botão F1 (Alternativamente toque em CLP/EXP no display) para expandir ou
suprimir os subníveis de harmônicos. Os parâmetros dentro dos subníveis são
estritamente dependentes do tipo de sistema selecionado (ver parágrafo 5.3.1). A baixo
as telas de diferentes situações possíveis:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


-  Harmônicos

-  Tensões
 THD
 DC
+  Ímpar
+  Par

162/251 Parâmetros – Autonomia: 19d 0h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 89: Harmônico subníveis: seleção de parâmetros iniciais

O nível harmônico contém um subnível no qual é possível realizar uma seleção completa
e personalizada dos harmônicos desejados. Mova o cursor para a função Par ou Impar
utilizando os botões seta e pressione o botão F1 (ou toque em CLP/EXP no display). Os
resultados referentes aos harmônicos impares são mostrados na seguinte imagem:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


-  Impar

 Harmônicos 1
 Harmônicos 3
 Harmônicos 5
 Harmônicos 7
 Harmônicos 9

162/251 Parâmetros – Autonomia: 19g 0h
CMP/EXP PREDEF. SEL MODIFY

Fig. 90: Harmônico subníveis: seleção de harmônicos ímpares
Pressione o botão F3 (alternativamente toque em SEL no display) para habilitar ou
desabilitar os parâmetros desejados. O número de seleções e a autonomia serão
automaticamente atualizados pelo instrumento. Os parâmetros de harmônicos a seguir
podem ser selecionados para gravação (ver parágrafo 10.2):

Tipo de sistema Parâmetros selecionáveis
Monofásico THD%, DC, h01÷h49 (V1N, VN-PE, I1)
Trifásico 4 fios
THD%, DC, h01÷h49 (V1N, V2N, V3N, VN-PE, I1, I2,
I3, IN)
Trifásico 3 fios THD%, DC, h01÷h49 (V12, V23, V31, I1, I2, I3)
Trifásico 3 fios ARON THD%, DC, h01÷h49 (V12, V23, V31, I1, I2, I3)
Tabela 6: Parâmetros selecionáveis na análise de harmônicos.


50
Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada seleção e
confirmar pressionando “OK”. No final da operação o instrumento exibirá a tela principal Fig. 79.
Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar e retornar à tela anterior.
A seleção de parâmetros da análise de harmônicos requer uma seleção preliminar de
tensões e correntes dentro do subnível Parâmetros Gerais. As seguintes telas de erro são
exibidas nesses casos:
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


-  Harmônicos

+  Tensões
+  Correntes
Anom. Tensão: 230V 6%-10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker

Erro: Sem corrente selecionada
CLP/EXP TIPICA SEL MODIFICA
Fig. 91: Tela de erro Sem corrente selecionada
Para resolver esta situação de erro (veja Fig. 91) selecione o subnível “corrente” dentro de
“Parâmetros Gerais” (ver parágrafo 5.4.6.1).
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


-  Harmônicos

+  Tensões
+  Correntes
Anom. Tensão: 230V 6%-10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker

Erro: Sem tensão selecionada
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 92: Tela de erro Sem tensão selecionada
Para resolver esta situação de erro (veja Fig. 92) selecione o subnível “corrente” dentro de
“Parâmetros Gerais” (ver parágrafo 5.4.6.1).
5.4.7. Anomalias de tensão
Esta opção permite configurar o controle dos parâmetros relativos às anomalias de tensão
(quedas, ondulações, quebra de abastecimento – ver parágrafo Errore. L'origine
riferimento non è stata trovata.) gravando independentemente da análise periódica
recording (regulada pelo período de integração). A seguinte tela será exibida pelo
instrumento:
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
 Anom. Tensão: 230V 6%-10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalac.

132/251 Parâmetros – Autonomia: 15d12h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 93: Tela de seleção das anomalias de tensão

51
Pressione o botão F4 (alternativamente toque em MODIFICA no display) para configurar
os parâmetros das seguintes anomalias de tensão:
- Referência da tensão nominal Vref dependendo do tipo de sistema considerado. Em
particular Vref = VP-N (em sistemas monofásicos e trifásicos 4 fios), Vref = VP-P (em
sistemas trifásicos 3 fios e ARON)
- A maior porcentagem de limite de tensão nominal de referência, selecionável entre 1%
à 30% para a detecção de ondas de tensão
- A menor porcentagem de limite de tensão nominal de referência, selecionável entre
1% à 30% para a detecção de ondas de tensão

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
 Anom. Tensão: 230V 6%-10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalanc.

Anom. Tensão: 230V 6% 10%
MOD(+) MOD(-)
Fig. 94: Tela anomalias de tensão – configuração do controle de parâmetros

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo “Anom. Tensão”, marcado
com fundo de tela azul
2. Utilize os botões seta acima ou abaixo ou pressione F3 ou F4 (alternativamente toque
em MOD(+) ou MOD(-) no display) para selecionar o valor correspondente.
Pressionando e segurando os botões é possível mudar os valores de forma rápida,
enquanto pressionando uma vez o botão os valores mudarão um a um. Utilize os
botões seta esquerda e direita para alternar entre os vários campos
3. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada
configuração realizada


CAUTELA


A referência nominal dependerá do tipo de sistema em teste considerado e
da tensão medida. Uma mensagem de “Valor ref. Tensão anomalia
errado (Vref)” no início da gravação é exibida pelo instrumento, o que não
permite o início da gravação devido a esta configuração errada. (e.g.:
sistema 4 fios e Vref = 400V). Configure corretamente o valor neste caso


52
5.4.8. Corrente de partida (Apenas modelo ET-5061C)
Esta opção permite configurar os parâmetros de controle relativos à gravação da corrente
de partida (ver parágrafo 10.3) que é completamente independente da análise periódica
(regulada pelo período de integração). A seguinte tela será exibida pelo instrumento:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
Anom. Tensão: 230V 6%-10%
 Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalanc.

132/251 Parâmetros – Autonomia: 15d12h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 95: Tela de seleção Corrente partida

Pressione o botão F4 (alternativamente toque em MODIFICA no display) para selecionar
os seguintes parâmetros para corrente de partida:
- O valor limite da corrente que é correspondente a detecção e gravação da corrente de
partida pelo instrumento. Este valor não poderá exceder o fundo de escala selecionado
para o tipo de garra utilizada na medição (ver parágrafo 5.3.1.3)
- O valor do intervalo de tempo de detecção da corrente de partida expresso em
segundos. Os valores possíveis de configuração são 1s, 2s, 3s e 4s
- Tipo de detecção de corrente de partida. São possíveis dois modos, o modo fix (o
evento é detectado sempre que o valor corrente de entrada está acima do limite
definido) e o modo var (o evento é detectado se a diferença entre dois valores
instantâneos num meio período exceder o limite definido)

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
Anom. Tensão: 230V 6%-10%
 Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalanc.

Corrente partida: 30A 1s fix
MOD(+) MOD(-)
Fig. 96: Tela Corrente de partida – configuração dos parâmetros de controle
1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo à “Corrente partida”,
marcado por um fundo de tela azul
2. Utilize o botão seta para cima ou para baixo, ou pressione F3 ou F4 (alternativamente
toque em MOD(+) ou MOD(-) no display) para ajustar o valor correspondente.
Pressionando e segurando os botões é possível mudar os valores de forma rápida,
enquanto pressionando uma vez o botão os valores mudarão um a um. Utilize os
botões seta esquerda e direita para alternar entre os vários campos
3. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada
configuração realizada


53
5.4.9. Flicker (Apenas modelo ET-5061C)
Esta função permite programar os parâmetros de controle relativos ao registro do valor do
flicker sobre as tensões de entrada ao instrumento em relação às prescrições das
normativas EM 61000-4-15 e EN50160 (ver parágrafo 10.4). Em particular os parâmetros
a seguir serão exibidos pelo instrumento:
- Pst1’ = severidade da tremulação curta após 1 min
- Pst = severidade da tremulação curta para qualquer período de duração de gravação
- Plt = severidade da tremulação curta para qualquer período de duração de gravação
A tela a seguir será exibida:
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
Anom. Tensão.: 230V 6%-30%
Corrente partida: 30A 1s fix
 Flicker
Desbalanc.

100/251 Parâmetros – Autonomia: 21d 0h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 97: Tela configuração do Fliker
Para gravação do Flicker são necessários uma seleção de tensão e um correto período
de integração. Em particular caso não tenha sido selecionado uma tensão a seguinte tela
de erro será exibida:
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
Anom. Tensão.: 230V 6%-30%
Corrente partida: 30A 1s fix
 Flicker
Desbalanc.

Erro: Sem tensão selecionada
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 98: Tela configuração do Fliker – sem tensão selecionada
Veja o parágrafo 5.4.6 para sair desta situação de erro. No caso do valor do período de
integração ser menor que 1 minuto ou maior que 15 minutos a seguinte tela de erro
será exibida:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+  Parâmetros Gerais

+ Harmônicos
Anom. Tensão.: 230V 6%-30%
Corrente partida: 30A 1s fix
 Flicker
Desbalanc.

Erro: Período de flicker errado
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFY
Fig. 99: Tela Configuração do Flicker – Período de flicker errado

54
Veja parágrafo 5.4.4 para sair desta situação de erro.
Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada seleção e
confirme pressionando “OK”. A tela principal Fig. 79 será exibida pelo instrumento no fim
da operação.
Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar e retornar à tela
anterior.

5.4.10. Desbalanceado

A seleção desta opção incluí na lista de parâmetros selecionados a gravação de valores
NEG% e ZERO% que o índice de desequilíbrio da entrada de valores dos respectivos
sinais de tensão de termos negativos e zero (ver parágrafo 10.5). “Desbalanc.” não será
exibido para sistemas monofásicos

5.4.11. Surtos (Apenas modelo ET-5061C)

Esta opção permite definir os parâmetros de controle em relação à gravação de
transitórios de tensão (Surto) (ver parágrafo 10.6) com resolução de 5µs, que é
completamente independente da análise periódica (regulada pelo período de integração).
A seguinte tela será exibida pelo instrumento:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+ Harmônicos

Anom. Tensão: 230V 6%-10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalanc.
 Surto: 150V

100/251 Parâmetros – Autonomia: 21d 0h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 100: Tela configuração de surto

Pressione o botão F4 (alternativamente toque em MODIFICA no display) para ajustar o
parâmetro de detecção e gravação de surtos de tensão. Em particular é possível
configurar:
- O valor do limite da tensão a qual o evento de surto de tensão é detectado e registrado
pelo instrumento. Este valor é selecionável entre 100V e 5000V

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


+ Harmônicos

Anom. Tensão: 230V 6%-10%
Corrente partida: 30A 1s fix
Flicker
Desbalanc.
 Surto: 150V

Spike: 150
MOD(+) MOD(-)
Fig. 101: Tela configuração de surto – configuração de parâmetro

55

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo à “Surto” marcado com um
fundo de tela azul
2. Utilize os botões seta à cima e à baixo ou pressione os botões F3 ou F4
(alternativamente toque em MOD(+) ou MOD(-) no display) para ajustar o valor
correspondente. Pressionando e segurando os botões é possível mudar os valores de
forma rápida, enquanto pressionando uma vez o botão os valores mudarão um a um.
Utilize os botões seta esquerda e direita para alternar entre os vários campos
3. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar cada
configuração realizada

5.4.12. Configurações predefinidas

A fim de realizar gravações de um modo mais fácil o instrumento possuí 5 configurações
predefinidas que descrevem situações típicas em instalações elétricas, além da
configuração de fábrica. O instrumento também permite definir até 14 configurações
livres que podem ser personalizadas, salvas, e memorizadas pelo usuário a qualquer
momento. A seleção de uma dessas configurações automaticamente ajusta apenas os
parâmetros necessários para operação de gravação daquela circunstância. As
configurações predefinidas são:

1. PADRÃO: Programação dos parâmetros de fábrica para o instrumento
2. EN50160: Programação dos parâmetros de gravação da qualidade de rede (tensão
anomalias, harmônicos, Flicker, desbalanceamento e surtos) em conformidade à
norma EN 50160 (ver parágrafo 10.2.2)
3. ANOMALIAS TENSÃO: Programação dos parâmetros apenas para gravação de
anomalias na tensão (quedas, ondulações, faltas – ver parágrafo Errore. L'origine
riferimento non è stata trovata.)
4. HARMÔNICAS: Programação de parâmetros para análises harmônicas de tensão e
corrente (ver parágrafo 10.2)
5. INRUSH: Programação dos parâmetros de detecção da corrente de partida
6. POTÊNCIA E ENERGIA: Programação de parâmetros para medidas de potência e
energia (ver parágrafo 10.7)

Pressionando o botão F2 (ou tocando em PREDEF. no display) em qualquer tela de
“Configuração Gravador”, o instrumento exibirá a seguinte tela::

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES PREDEFINIDA

Configurações predefinidas
PADRÃO
 EN50160
ANOMALIAS TENSÃO
HARMÔNICAS
INRUSH
POTÊNCIA E ENERGIA
ADICIONA REM
Fig. 102: Tela de configurações predefinidas



56
Selecione a configuração predefinida desejada utilizando os botões seta para cima e para
baixo ou tocando no display. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone )
para salvar a seleção desejada. O instrumento exibirá a mensagem de aviso ”Alterar
configurações de gravação?”. Pressione “Ok” para confirmar. O instrumento
automaticamente ajusta os parâmetros e atualiza a autonomia no display.
Para a adicionar uma configuração predefinida customizada pressione o botão F1 (ou
toque em ADICIONA no display). O instrumento exibe a mensagem de aviso “Adicionar
configuração atual”. Pressione “Ok” para confirmar e automaticamente ativar o teclado
virtual (ver parágrafo 5.4.2.1), onde é possível definir e salvar o nome da configuração
pelo usuário. No fim dessa operação a seguinte tela será exibida:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES PREDEFINIDA

Configurações predefinidas 
EN50160
ANOMALIAS TENSÃO

HARMONICAS
INRUSH
POTENCIA E ENERGIA
 PLANTA GENÈRICA

ADICIONA REM
Fig. 103: Tela de configurações predefinidas

No exemplo da Fig. 103 a configuração predefinida personalizada foi chamada de
“PLANTA GENÉRICA” e pode ser carregada pressionando o botão SAVE ou ENTER (ou
o pequeno ícone ). Esta configuração pode ser removida a qualquer momento pressionando
o botão F2 (ou toque em REM no display). O instrumento exibe a mensagem de aviso “Deletar
configurações selecionada(s)?”. Pressione “Ok” para completar a operação. Note que as 5
configurações predefinidas e a configuração padrão não podem ser removidas pelo usuário.

Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar qualquer modificação.
Abaixo parâmetros selecionados para cada uma das configurações pré-definidas:




















57






EN50160
MENU GERAL PARÂMETRO CONFIGURAÇÕES SISTEMA
Configurações analisador
Sistema
Não modificados Cada sistema
Freq[Hz]
Tipo Garra
FS[A] Garra
Taxa VT
Configurações analisador -
Avançado
Zoom Grafico
Tipo Harm.
Valor Harm.
Zoom Harm. 1ª
Valores Médios
Configuração Gravador
Comentar EN50160
Cada sistema
Início Não disponível
Parar Não disponível
Período integração 10min
Cogeração OFF
Parâmetros gerais
V1N, Hz Monofásico
V12,V23, V31, Hz ARON
V1-PE, V2-PE, V3-PE
V12, V23, V31, Hz
3 fios
V1N, V2N, V3N, Médio (se
ativo), Hz
4 fios
Harmônicos de tensão THD, DC, h1, h2, h3…h25
Cada sistema Harmônicos de corrente OFF
Anomalias de tensão ON
Ref. Anomalias de tensão
230V Monofá., 4 fios
400V 3 fios, ARON
Limite superior anomalias +6%
Cada sistema
Limite inferior anomalias -10%
Corrente partida
(Apenas ET-5061C)
OFF
Flicker ON
Desbalanc.
Não disponível Monofásico
ON 3/4 fios, ARON
Spike (Apenas ET-5061C) ON (150V) Cada sistema
Tabela 7: Parâmetros selecionados para configuração EN50160









58





ANOMALIAS TENSÃO
MENU GERAL PARÂMETRO CONFIGURAÇÕES SISTEMA
Configurações analisador
Sistema
Não modificado Cada sistema
Freq[Hz]
Tipo Garra
FS[A] Garra
Taxa VT
Configurações analisador -
Avançado
Zoom Gráfico
Tipo Harm.
Valor Harm.
Zoom Harm. 1ª
Valores Médios
Configuração Gravador
Comentar ANOMALIAS TENSÃO
Cada sistema
Início Não modificado
Parar Não modificado
Período integração 1min
Cogeração OFF
Parâmetros gerais
V1N, VN-PE, Hz Monofásico
V12, V23, V31, Hz 3 fios, ARON
V1N, V2N, V3N, VN-PE,
Médio (se ativo), Hz
4 fios
Harmônicos de tensão OFF
Cada sistema Harmônicos de corrente OFF
Anomalias de tensão ON
Ref. Anomalias de tensão
230V Monofá., 4 fios
400V 3 fios, ARON
Limite superior anomalias +6%
Cada sistema
Limite inferior anomalias -10%
Corrente partida
(Apenas ET-5061C)
OFF
Flicker OFF
Desbalanc.
Não disponível Monofásico
ON 3/4 fios, ARON
Spike (Apenas ET-5061C) ON (150V) Cada sistema
Tabela 8: Parâmetros selecionados para configuração ANOMALIAS TENSÃO












59





HARMONICAS
MENU GERAL PARÂMETRO CONFIGURAÇÕES SISTEMA
Configurações analisador
Sistema
Não modificado Cada sistema
Freq[Hz]
Tipo Garra
FS[A] Garra
Taxa VT
Configurações analisador -
Avançado
Zoom Gráfico
Tipo Harm.
Valor Harm.
Zoom Harm. 1ª
Valores Médios
Configuração Gravador
Comentar HARMÔNICAS
Cada sistema
Início Não modificado
Parar Não modificado
Período integração 10min
Cogeração OFF
Parâmetros gerais
V1N, VN-PE, I1, Hz Monofásico
V1-PE, V2-PE,
V3-PE, V12, V23, V31
I1, I2, I3, Hz
3 fios
V12, V23, V31
I1, I2, I3, Hz
ARON
V1N, V2N, V3N, VN-PE,
I1, I2, I3, IN (Apenas ET-
5061C), Hz
4 fios
Harmônicos de tensão THD, DC, h1, h2, h3…h25
Cada sistema Harmônicos de corrente THD, DC, h1, h2, h3…h25
Anomalias de tensão OFF
Ref. Anomalias de tensão
OFF Monofá., 4 fios
OFF 3 fios, ARON
Limite superior anomalias OFF
Cada sistema
Limite inferior anomalias OFF
Corrente partida
(Apenas ET-5061C)
OFF
Flicker OFF
Desbalanc.
Não disponível Monofásico
OFF 3/4 fios, ARON
Spike (Apenas ET-5061C) OFF Cada sistema
Tabela 9: Parâmetros selecionados para configuração HARMONICAS








60


INRUSH
MENU GERAL PARÂMETRO CONFIGURAÇÕES SISTEMA
Configurações
analisador
Sistema
Não modificado Cada sistema
Freq[Hz]
Tipo Garra
FS[A] Garra
Taxa VT
Configurações
analisador -
Avançado
Zoom Gráfico
Tipo Harm.
Valor Harm.
Zoom Harm. 1ª
Valores Médios
Configuração
Gravador
Comentar INRUSH
Cada sistema
Início Não modificado
Parar Não modificado
Período integração 1s
Cogeração OFF
Parâmetros gerais
V1N, VN-PE, I1, Hz Cada sistema
V1-PE, V2-PE,
V3-PE, V12, V23, V31
I1, I2, I3, Hz
3 fios
V12, V23, V31
I1, I2, I3, Hz
ARON
V1N, V2N, V3N, VN-PE
I1, I2, I3, IN (Apenas ET-5061C), Hz
4 fios
P1, Q1i, Q1c, S1, Pf1, Cosphi1,
Ea1, Eri1, Erc1
Monofásico
Pt, P1, P2, P3, Qti, Qti1, Qti2, Qti3,
Qtc, Qtc1, Qtc2, Qtc3, St, S1, S2, S3,
Pft, Pf1, Pf2, Pf3, Cosphit, Cosphi1,
Cosphi2, Cosphi3, Eat,Eat1, Eat2,
Eat3, Erit, Eri1, Eri2, Eri3, Erct, Erc1,
Erc2, Erc3
3 fios, 4 fios
Pt, P12, P32, Qti, Q12i, Q32i, Qtc,
Q12c, Q32c, St, S12, S32, Pft, Pf12,
Pf32, Cospht, Cosphi12, Cosphi32,
Eat, Ea12, Ea32, Erit, Eri12, Eri32,
Erct, Erc12, Erc32
ARON
Harmônicos de tensão THD, DC, h1, h2, h3…h15
Cada sistema Harmônicos de corrente THD, DC, h1, h2, h3…h15
Anomalias de tensão ON
Ref. Anomalias de tensão
230V Monofá., 4 fios
400V 3 fios, ARON
Limite superior anomalias +6%
Cada sistema
Limite inferior anomalias -10%
Corrente partida
(Apenas ET-5061C)
ON (10A, 1s, var)
Flicker OFF
Desbalanc.
Não disponível Monofásico
ON 3/4 fios, ARON
Spike (Apenas ET-
5061C)
OFF Cada sistema
Tabela 10: Parâmetros selecionados para configuração INRUSH

61

POTENCIA E ENERGIA
MENU GERAL PARÂMETRO CONFIGURAÇÕES SISTEMA
Configurações
analisador
Sistema
Não modificado Cada sistema
Freq[Hz]
Tipo Garra
FS[A] Garra
Taxa VT
Configurações
analisador -
Avançado
Zoom Gráfico
Tipo Harm.
Valor Harm.
Zoom Harm. 1ª
Valores Médios
Configuração
Gravado
Comentar POWER & ENERGY
Cada sistema
Início Não modificado
Parar Não modificado
Período integração 15min
Cogeração ON
Parâmetros gerais
V1N, I1 Cada sistema
V1-PE, V2-PE, V3-PE,
V12, V23, V31, I1, I2, I3, Hz
3 fios
V12, V23, V31, I1, I2, I3, Hz ARON
V1N, V2N, V3N, V12, V23, V31,I1, I2, I3,
IN (Apenas ET-5061C), Hz
4 fios
P1, Q1i, Q1c, S1, Pf1, Cosphi1, Ea1,
Eri1, Erc1
Monofásico
Pt, P1, P2, P3, Qti, Qti1, Qti2, Qti3, Qtc,
Qtc1, Qtc2, Qtc3, St, S1, S2, S3, Pft,
Pf1, Pf2, Pf3, Cosphit, Cosphi1,
Cosphi2, Cosphi3, Eat,Eat1, Eat2, Eat3,
Erit, Eri1, Eri2, Eri3, Erct, Erc1, Erc2,
Erc3
3 fios, 4 fios
Pt, P12, P32, Qti, Q12i, Q32i, Qtc, Q12c,
Q32c, St, S12, S32, Pft, Pf12, Pf32,
Cospht, Cosphi12, Cosphi32, Eat, Ea12,
Ea32, Erit, Eri12, Eri32, Erct, Erc12,
Erc32
ARON
Harmônicos de tensão OFF
Cada sistema Harmônicos de corrente OFF
Anomalias de tensão OFF
Ref. Anomalias de tensão
OFF Monofá., 4 fios
OFF 3 fios, ARON
Limite superior anomalias OFF
Cada sistema
Limite inferior anomalias OFF
Corrente partida
(Apenas ET-5061C)
OFF
Flicker OFF
Desbalanc.
Não disponível Monofásico
OFF 3/4 fios, ARON
Spike (Apenas ET-
5061C)
OFF Cada sistema
Tabela 11: Parâmetros selecionados para configuração de Potência e Energia



62

CONFIGURAÇÃO PADRÃO
MENU GERAL PARÂMETRO CONFIGURAÇÕES
Configurações analisador
Sistema 4-wire
Freq[Hz] 50
Tipo Garra FLEX
FS[A] Garra 3000
Taxa VT 1
Configurações analisador -
Avançado
Zoom Gráfico AUTO
Tipo Harm. ALL
Valor Harm. ABSOLUTES
Zoom Harm. 1ª YES
Valores Médios NO
Configuração Gravador
Comentar DEFAULT
Início Manu
Parar Manu
Período integração 15min
Cogeração OFF
Parâmetros gerais
V1N,V2N,V3N,VN-PE,V12,V23,V31,
I1, I2, I3, IN, Hz
Pt, P1,P2,P3, Qti, Qi1, Qi2, Qi3, Qtc, Qc1,
Qc2, Qc3, St, S1, S2, S3, Pft, Pft1, Pft2, Pft3,
Cosphit, Cosphi1, Cosphi2, Cosphi3, Eat,
Ea1, Ea2, Ea3, Erit, Eri1, Eri2, Eri3, Erct,
Erc1, Erc2, Erc3
Harmônicos de tensão THD, DC, h1, h2, h3…h11
Harmônicos de corrente THD, DC, h1, h2, h3…h11
Anomalias de tensão ON
Ref. Anomalias de tensão 230V
Limite superior anomalias +6%
Limite inferior anomalias -10%
Corrente partida
(Apenas ET-5061C)
OFF
Flicker OFF
Desbalanc ON
Spike (Apenas ET-5061C) ON (150V)
Tabela 12: Parâmetros da configuração Padrão


CAUTELA


A configuração PADRÃO define a seleção de fábrica dos parâmetros no
instrumento como mostrados na Tabela 12. Cada nova modificação
realizada e salva no instrumento pela seção “Configurações Analisador”
substitui a configuração padrão por uma nova

63
5.4.13. Iniciando a gravação
O instrumento é designado para iniciar a gravação manualmente ou automaticamente (ver
parágrafo 5.4.3) pressionado o botão GO/STOP. A operação de gravação pode ser
iniciada exclusivamente sob as seguintes telas:

 MENU GERAL (com qualquer ícone selecionado)
 Valores em tempo real (em qualquer tela interna)


12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Informações do medidor

12/09/2006 – 16:55:10


TENSÃO OSCILOSCÓPIO – Page 1/5


Fs 400.0V
V1 223.4V
V2 228.5V
V3 225.7V
Vn 0.0V

PAG
Fig. 104: Exemplos de telas para início de gravação

Antes de iniciar a gravação pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) até obter uma
imagem como na Fig. 104. Esta operação pode ser realizada das seguintes formas:

 MANUAL: A gravação irá iniciar no minuto seguinte após pressionar o botão
GO/STOP
 AUTO: Após (necessariamente) pressionar o botão GO/STOP o instrumento
aguarda a configuração de data e hora, (ver parágrafo 5.4.3) iniciando
automaticamente a gravação
O estado de espera ou gravação são marcados pelo instrumento com ícones específicos
que estão localizados no canto superior direito do display, como demonstrados nas
imagens abaixo:

Fig. 105: Instrumento aguardando para
gravação
12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Informações do medidor
12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Informações do medidor
Fig. 106: Instrumento em gravação

Pressione novamente o botão GO/STOP para parar a gravação a qualquer momento. O
ícone da Fig. 106 desaparecerá.

64

CAUTELA


Para gravações SEMPRE utilize a fonte externa A0055 mesmo que o
instrumento permita realizar a gravação com as baterias internas

Antes de iniciar uma gravação em tempo real é importante realizar uma avaliação da
situação da instalação elétrica a fim de realizar as configurações adequadas,
aproveitando as configurações pré-definidas (ver parágrafo 5.4.12) se necessário.
A seguinte mensagem de aviso poderá ser exibida pelo instrumento após pressionar o
botão GO/STOP:

Aviso


Muitos parâmetros selecionados







Fig. 107: Mensagem de aviso para muitos parâmetros selecionados
No caso de muitos parâmetros selecionados é necessário desabilitá-los dentro da seção
“Configurações Gravador” a fim de iniciar corretamente a gravação.
Após pressionar o botão GO/STOP uma possível mensagem de erro será exibida pelo
instrumento. Dentro desta janela de aviso as mensagens podem variar por número e tipo.
Essa mensagem de aviso não bloqueia o início da gravação, sendo assim importante que
o usuário corrija os problemas durante a configuração do instrumento:

Aviso


Fonte externa não conectada
Sequência de fase errada
Potência ativa negativa

Valor ref. tensão anomalia
errado (Vref)


Ok

Cancel





Fig. 108: Tela de aviso e mensagens de erro
O significado das mensagens presentes na imagem acima são as seguintes:

Tipo de erro Descrição
Fonte externa não conectada
Conecte a fonte externa A0055 ao instrumento antes
de iniciar a gravação
Sequência de fase errada
O valor de “SEQ” na seção Valores em tempo real
(ver parágrafo 5.2.1) esta diferente do correto “123”.
Cheque a sequência de fase das tensões V1, V2, V3
Potência ativa negativa
Um ou mais valores de potência ativa P1, P2, P3 é
negativo (ver parágrafo 5.2.1). Reverta as garras
transformadoras em 180° a fim de obter valores
sempre positivos (exceto em casos de cogeração)
Valor ref. tensão anomalia
errado (Vref)
O valor de referencia da tensão nominal para
“Tensão anomalias” não está em conformidade com
o tipo de sistema selecionado (ver parágrafo 5.4.7)
Tabela 13: Descrição de erro antes da gravação

65
Dependendo do tipo e do número de erros, as modificações necessárias das
configurações dos parâmetros deverão ser realizadas. Pressione novamente o botão
GO/STOP para iniciar a gravação novamente e verificar se outro aviso com mensagens
de erro residuais aparecerá.

Confirme com o botão ENTER ou pressione o botão “Ok” ou “Cancel” para fechar a tela
de aviso e iniciar a gravação pressionando o botão GO/STOP novamente.

O valor predefinido do período de integração (ver parágrafo 10.8.1) está definido a cada
15 min o instrumento armazenará os dados em sua memória temporária. Transcorrido o
período de tempo o instrumento processará os valores obtidos na memória temporária e
salvará na memória definitiva. Portanto, se um período de integração de 15 minutos for
configurado, a gravação continuará em cerca de 15 minutos após produzir uma série de
valores gravados.


CAUTELA


Na execução de um registro deixe o instrumento conectado ao menos a
duração de um período de integração a fim de poder salvar um resultado
de medida. Interrompendo o registro antes do termino de um período de
integração, o instrumento não guardará nada na memória interna

5.4.13.1. Início de gravação automático
Para iniciar uma gravação no modo automático uma correta definição preliminar de Data e
Hora, compatível com a data do sistema, é necessária dentro da seção “Configurações
Gravador” (ver parágrafo 5.4). A seguinte tela será exibida:

12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


 Comentar:Potência e energia

 Início:Auto 12/09/2006 – 16:30
 Parar:Manu
 Período integração:15 min
Cogeração
+ Parâmetros Gerais

Início: Auto 12 / 09 / 06 – 17 : 00 : 00
MOD(+) MOD(-)
Fig. 109: Data e hora correta
12/09/2006 – 16:55:10


CONFIGURAÇÕES GRAVADOR


 Comentar:Potência e energia

 Início:Auto 12/09/2006 – 16:30
 Parar:Manu
 Período integração:15 min
Cogeração
+ Parâmetros Gerais

Erro: Data ínicio errada
CMP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 110: Data e hora errada

1. Mova o cursor utilizando os botões seta no campo relativo à “Início” (ou “Parar”),
marcado com um fundo de tela azul
2. Pressione o botão F4 (alternativamente toque em MODIFICA no display). No rodapé
da página exibida uma barra com o comando “Manu”. Pressione o botão F3 (MOD(+))
ou F4(MOD(-)) e selecione “Auto”. Utilize os botões seta esquerda e direita para
mover-se nos campos de Data e Hora. Utilize o botão seta para cima ou F3 (MOD(+))
para aumentar o valor e botão seta para baixo ou F4 (MOD(-)) para diminuir o valor.
Ajuste a data e a hora como na figura Fig. 109
3. Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para salvar as
configurações. A tela da Fig. 110 mostra uma configuração errada de Data e Hora. Sob
essas condições o botão SAVE não terá efeito. Repita os passos 2 e 3 e configure
novamente os valores antes de pressionar o botão SAVE novamente

66
5.4.14. Durante uma gravação
Após iniciado um registro, o instrumento permite visualizar em tempo real os parâmetros,
incluindo o estado atual da operação.

12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Resultados da gravação
Fig. 111: Tela Resultados da gravação – Gravação iniciada

1. Selecione “Resultados da gravação” no MENU GERAL
2. Pressione o botão ENTER ou toque no ícone correspondente no display. A seguinte
tela será exibida:

12/09/2006 – 16:55:10


INFORMAÇÃO DE GRAVAÇÃO
Autonomia: 0 dias – 22 horas 
Comentar: EN50160
Início: 12/09/2006 16:57:00
Parar: Manual
Período integração: 5 sec.
Num. Períods: 345
Anomalias: 0

MODIFICA
Fig. 112: Tela Informação de gravação

3. As seguintes informações estão inclusas na tela acima:
 Autonomia de gravação, em Dias e Horas, do instrumento nos parâmetros
configurados
 Comentar incluído na seção relativa (ver parágrafo 5.4.2)
 Tipo de início de gravação
 Tipo de parada de gravação
 Informação do período de integração do instrumento em tempo real
 Habilitar cogeração
 Número de anomalias de tensão registradas
 Habilitar ou desabilitar Flicker (Apenas modelo ET-5061C)
 Habilitar ou desabilitar corrente de partida (Apenas modelo ET-5061C)
 Detecção de surtos de tensão (Apenas modelo ET-5061C)
 Tipo de sistema selecionado
 Tipo de garra utilizado
 Fundo de escala da garra utilizada
 Taxa VT utilizada para eventos externos
4. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair da tela acima

67
Cada registro efetuado é automaticamente interrompido e seus resultados salvos pelo
instrumento pressionando o botão GO/STOP ou ao alcançar a data e hora programada.


CAUTELA


- A seção “Valores em tempo real” estará disponível apenas durante uma
gravação. O instrumento exibirá a mensagem “Menu não disponível no
registro” caso selecione outra seção. Pare a gravação pressionando o
botão GO/STOP depois selecione a outra seção
- O botão ON/OFF está desabilitado durante uma gravação. O instrumento
exibirá a mensagem “Gravação, função não disponível”. Finalize o registro
pressionando o botão GO/STOP

68
5.5. RESULTADOS DA GRAVAÇÃO


Fig. 113: MENU GERAL – Resultados da gravação
A seção “Resultados da gravação” permite ao usuário controlar o conteúdo da memória
interna após a gravação, deleta registros anteriores e eventualmente copia um registro
(um por vez) para um PenDrive conectado a saída USB externa do instrumento.
Pressionando o botão ENTER ou selecionando o ícone correspondente no display o
instrumento exibirá a seguinte tela:


Fig. 114: Dados salvos
O instrumento realiza os seguintes tipos de gravação:
 Tipo Reg: Registro efetuado e armazenado automaticamente tanto em modo Manual
quanto automático em cada análise (Periódica, Harmônica, Anomalias de Tensão,
Flickers, etc…) pressionando GO/STOP
 Tipo Istant: Amostra instantânea dos valores exibidos (numéricos, formas de onda,
harmônicos, etc…) efetuados pressionando o botão SAVE
Cada linha da tela “Resultados da gravação” inclui, tanto o tipo de dados armazenados na
memória, quanto a data e hora de início e parada dos eventos, respectivamente “Tempo1”
e “Tempo2” para registro Reg, enquanto Istant indica a data e hora das amostras.
As seguintes operações podem ser realizadas apenas na tela da Fig. 114:
1. Utilize os botões seta para cima e para baixo para evidenciar, por um fundo de tela
azul, uma das gravações da tela. Pressione o botão F1 (ou toque em INFO no
display).O instrumento exibe a tela contendo as principais informações relativas ao
registro efetuado como descrito no capítulo 5.5.1
2. Pressione o botão F3 (ou toque em CANC.ULT no display) para deletar a ultima
gravação. A mensagem “Deletar ultima gravação?”. Confirme a operação com “Ok” ou
“Cancel” para voltar à tela
3. Pressione o botão F4 (ou toque em CANC.TOT no display) para deletar todas as
gravações na memória. A mensagem “Deletar todas as gravações?”. Confirme a
operação com “Ok” ou “Cancel” para voltar a tela anterior

69
5.5.1. Análise de gravação (Tipo Reg)
Esta página exibe a análise que pode ser realizada nos dados salvos (Tipo Reg).


Fig. 115: Análise de gravação (Tipo Reg data)
1. Utilize os botões seta para cima ou para baixo marcando uma das análises da tela
com um fundo de tela azul. Pressione o botão F1 ou ENTER (ou toque em ABRIR ou
no pequeno ícone no display) para confirmar o tipo de análise a ser executada
2. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair da função e voltar à página
“Dados salvos” (Fig. 114)

5.5.1.1. Informação de gravação
Esta página contem informações gerais de gravação de dados (Reg) previamente
selecionada no menu resultados de gravação.


Fig. 116: Informação de gravação
1. Nestas condições, o botão F1 (ou toque em MODIFICA no display) está ativa e é
possível modificar e armazenar a linha de comentário usando o teclado virtual (ver
parágrafo 5.4.2.1)
2. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair da função e retornar à tela
“Gravação Análise” (Fig. 115)


70
5.5.1.2. Gráfico de gravação
Selecionando a opção gráfico de gravação a página seguinte é acessada , o que permite
a visualização do início do registro (ONLY ONE parameter at a time).


Fig. 117: Selecting a parameter
1. Pressione o botão F1 (ou toque em PARAM no display) para acessar a página
contendo os valores registrados e os disponíveis para análise (Fig. 118).


Fig. 118: Seleção de parâmetros
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Seta para cima e para baixo, que move o cursor ao longo da arvore de opções
- Botão F1 (ou toque CMP/EXP no dislay) suprime ou expande a arvore dos
parâmetros que estão marcados pelo cursor
- Botão F2 (ou toque SEL no dislay) seleciona ou retira a seleção dos parâmetros
marcados pelo cursor
- Botão ENTER (ou o pequeno ícone no display) cofirma a seleçao préviamente
feita e exibe na seleção de parâmetros do gráfico (Fig. 119)
- Botão CANC retira a seleção de parâmetros previamente selecionados,
independentemente da posição do cursor
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e voltar à tela “Selecione
um parâmetro” (Fig. 117)



71
Esta página exibe o gráfico da posição do cursor (cursor T), e os valores TRMS máximos,
mínimos e médios do parâmetros selecionado.


Fig. 119: Gráfico de gravações
Os seguintes botões estão ativos nesta página:
- Botão F1 (ou toque PARAM no display) para acessar a página de parâmetros
selecionáveis (Fig. 118)
- Botão F4 (ou toque OPTIONS no display) para acessar a página de ativação do
“Gráfico avançado” (Fig. 120)
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar a tela “Análise
de gravações) (Fig. 115)

2. Pressione o botão F4 (ou toque OPÇÕES no display) para acessar à página de
ativação do gráfico avançadoto (Fig. 120).


Fig. 120: Opções (Gráfico avançado)
Os seguintes botões estão ativos nesta página:
- Botão F3 e F4 (ou MOD(+) e MOD(-) no display) permite ao usuário escolher
entre SIM ou NÃO pra o gráfico avançado
- Botão ENTER (ou pequeno ícone ) confirma a seleção previamente feita
- Botão ESC (opequeno ícone ) para sair da função e retornar à tela de
“Seleção de parâmetros” (Fig. 117)

Exemplo de gráfico avançado.
Suponhamos ter um Registro de 2000 pontos. O ET-5061C tem um visualizador
com resolução útil de aproximadamente 200 pontos, por isso não exibe
distintamente todos os pontos de nosso registro. Como operar depois?

72
O primeiro ponto dos gráficos das curvas “Valor Máx”, Valor Médio” e Valor Min”
será a análise dos primeiros 10 pontos correspondentes do registro, ou seja:
- Para o gráfico do Valor Máx será visualizado o maior valor entre os 10
valores registrados para o canal correspondente
- Para o gráfico do Valor Mín será visualizado o menor valor entre os 10
valores registrados para o canal correspondente
- Para o gráfico do Valor Médio será visualizado o primeiro valor entre os 10
registros para o canal correspondente

Analogamente o segundo pixel será a análise dos sucessivos 10 pontos e
assim sucessivamente até esboçar completamente o gráfico.

3. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair da função e retornar à tela
“Seleção de parâmetros” (Fig. 117).

5.5.1.3. Quedas e surtos
Esta página exibe uma tabela contendo todas as anomalias de tensão ocorridas durante a
gravação.


Fig. 121: Quedas e surtos

Descrição da coluna:
N.: Números prograssivos de anomalias
L.: Fase em que ocorreu a anomalia
Data/Hora: Data/Hora em que ocorreu a anomalia
Max/Min: Valores máximos e mínimos das anomalias
Duração: Duração das anomalias
Tipo: Tipo de anomalias (redução de tensão ou sobretensão)

Os seguintes botões estão ativos nesta tela:
- Botões seta para cima e para baixo move o cursor ao longo das anomalias
- Botões seta para esquerda e para direita exibe a coluna a esquerda ou a direita
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte de
anomalias de tensão (para ser selecionada utilizando F3 ou F4 alternaivamente
MOD (+) or MOD (-) no display)
- BotãoF2 (ou toque PARAM no display) acessa a página que mostra a
configuração efetuada para as anomalias de tensão (Fig. 122)
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à tela
“Gravação análise” (Fig. 115)

73
Esta página exibe os valores dos parâmetros configurados antes do registro das
anomalias:

Fig. 122: Anomalias de tensão
Serão exibidos os seguintes parâmetros não modificaveis (havendo sido
configurados no momento que se inicia o registro).
Tensão nominal: Tensão nominal
Limite superior: Limite superior da tensão
Limite inferior: Limite inferior da tensão
Taxa VT: Taxa de transformação dos transformadores de tensão
Além disso exibirá o número total das anomalias de tensão verificadas (Número de
anomalias).

Os seguintes botões estão ativos nesta página:
- Botões seta para cima e seta para baixo movem o cursor alternativamente em
Tipo ou Fase
- Botão F3 e F4 (ou toque MOD(+) e MOD(-) no display) habilitam o filtro de
anomalias. È possível selecionar Todas, Superior, Inferior, Int (se o cursor
estiver marcando Tipo) e Todas, Fase1, Fase2, Fase3 (se o cursor estiver
marcando Fase)
- Botão ENTER (ou pequeno ícone ) confirma seleção préviamente feita e exibe a
tabela de anomalias de tensão
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e e voltar à tela de
“Anomalias” (Fig. 121)
5.5.1.4. Transitórios (Apenas ET-5061C)
Esta página exibe uma tabela com todos os transitórios da tensão, ou seja, aqueles
fenômenos associados a tensão de fase caracterizada por:
- Rápidas variações da inclinação da forma de onda da tensão
- Excedente do limite definido pelo usuário antes da gravação

Fig. 123: Transitórios

74
Descrição da coluna:
N.: Número progressivo de transientes
L.: Fasa em que os transientes ocorreram
Data/Hora: Data/Hora em que ocorreu a anomalia
Pico+: Valor máximo positivo obtido pelo transitório durante o intervalo de observação
Pico-: Valor mínimo positivo obtido pelo transitório durante o intervalo de observação
Delta+: Relativo positivo máximo obtido pelo transitório durante o intervalo de observação
Delta-: Relativo positivo mínimo obtido pelo transitório durante o intervalo de observação
Tipo: Tipo de transiente (Superior / Inferior)
R/L: Velocidade de transiente (Rápida se dV/dt >100V/5µs, Lenta se dV/dt
>100V/78µs)

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Seta para cima e para baixo, que move o cursor ao longo dos transientes
- Botões seta para esquerda e para direita exibe a coluna a esquerda ou a direita
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte de
transientes (para ser selecionada utilizando F3 ou F4 alternaivamente MOD (+)
or MOD (-) no display)
- BotãoF2 (ou toque PARAM no display) acessa a página que mostra a
configuração efetuada para os transientes (Fig. 124)
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à tela
“Gravação análise (Fig. 115)

Esta página exibe os parâmetros configurados anteriormente a gravarção de transientes:


Fig. 124: Parâmetros transitórios
Os seguintes valores são indicados:
Limite: Configura a tensão de início
Eventos: Esta página também exibe o número de transientes ocorridos

Os seguintes botões estão ativos nesta página:
- Seta para cima e para baixo, que move o cursor alternativamente toque em
Tipo, Fase ou R/L
- Os botões F3 e F4 (ou MOD(+) e MOD(-) no display) permitem filtrar os
transitórios a serem selecionados. È possível selecionar entre Todas, Superior,
Inferior (se o cursor mostra Tipo); Todas, Fase1, Fase2, Fase3, Neutro (se o
cursor mostra Fase); Todas, Rápido, Lento (se o cursor mostra R/L)
- Botão ENTER (ou pequeno ícone ) confirma a seleção préviamente feita e exibe
a tabela de transientes de tensão
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair das funções e retornar à tela“Picos
de tensão” page (Fig. 123)

75
5.5.1.5. Inrush currents

Esta página exibe a tabela contendo todas as correntes de partida ocorridas durante a
gravação.


Fig. 125: Correntes de partida

Descrição das colunas:
N.: Números progressivos de corrente de partida
L.: Fase em que a corrente de partida ocorreu
Data/Hora: Data/Hora em que a corrente de partida ocorreu
Max[A]: Valor máximo alcançado pela corrente de partida

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Seta para cima e para baixo, que move o cursor ao longo das correntes de
partida
- Botões seta para esquerda e para direita exibe a coluna à esquerda ou a direita
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança a página de correntes de partida
(para ser selecionado usando botão F3 ou F4 ou diretamente MOD (+) ou MOD
(-) no display)
- Botão F2 (ou toque PARAM no display) acessa a página exibindo as
configurações para corrente de partida (Fig. 126)
- Botão F3 (ou toque GRÁFICO no display) acessa a página exibindo o gráfico
para a corrente de partida selecionada (Fig. 127)
- Botão ESC (ou toque ) para sair da função e retornar a tela “Análise
Gravação” (Fig. 115)

Esta página exibe os parâmetros configurados anteriormente da gravação da corrente de
partida:

Fig. 126: Parâmetros da corrente de partida

76
São exibidos:
Type: Tipod e medição configurada:
Fix: O instrumento detectou e memorizou um evento que excedeu o valor
RMS da corrente calculada para cada semi-período inicialmente
definido pelo usuário
Var: O instrumento detectou e memorizou um evento cada vez que o valor
RMS anterior (ou seja calculado no semi-período anterior) de uma
quantidade igual ao limite inicial definido pelo usuário.
Limite: Configura a corrente inicial
Tamanh.: Configura o intervalo de observação

Esta página mostra também o número de correntes de partida ocorridas (Número
de correntes de partida).

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões F3 e F4 (ou toque MOD(+) e MOD(-) no display) possibilita que o
usuário filtre as correntes de partida selecionadas. È possível selecionar Todas,
Fase1, Fase2, Fase3, Neutro
- Botão ENTER (ou pequeno ícone ) confirma a seleção préviamente feita e exibe
a tabela de corrente de partida
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair das funções e retornar à tela
“Corrente de partida” (Fig. 125)

Esta página exibe o gráfico, posiciona o cursor exibindo os valores máximos / mínimos da
corrente e tensão, relativos a posição do cursor da corrente de partida selecionada.


Fig. 127: Gráfico da corrente de partida

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque SEL V,I no dislay) exibe o gráfico de tensão e corrente
- Botão F2 (ou toque SEL V no dislay) exibe o gráfico da tensão
- Botão F3 (ou toque SEL I no dislay) exibe o gráfico de corrent
- Botões seta para esquerda e para direita, move o cursor ao longo do gráfico
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair das funções e retornar à tela
“Corrente de partida” (Fig. 125)






77
5.5.1.6. EN50160
Esta página contém todos os valores de acordo com a norma CEI EN50160.

Fig. 128: EN50160 analysis result
Descrição da coluna:
Param: Serão listadas as porcentagens dos valores que estão no interior dos
limites configurados como Limites. Exemplo: Hz 100% significa que o
100% dos valores registrados de freqüência devem estar dentro da faixa
1%, -1% do valor nominal da freqüência
OK: SIM indica que a análise foi bem sucedida, NÃO indica que a análise foi falha
p%@Lim: Percentual dos valores medidos que estão dento dos limites
configurados
Min: Valor mínimo medido
Max: Valor máximo medido
Limites: Configura a referência dos limites
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Seta para cima e para baixo, movem o cursor ao longo das diferentes
quantidades
- Seta para esquerda e para direita exibe a coluna à esquerda ou a direita
- Botão F1 (ou toque PARAM no display) acessa a página exbindo as
configurações (Fig. 129)
- Botão F2 (ou toque GRAFIC no display) acessa a página exibindo o histgrama
dos parâmetros na tabela. (Fig. 130)
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página anterior.
(Fig. 115)
Esta página contém resultados de análise globais EN50160, a condição de conexão do
sistema e os parâmetros configurados antes da gravação.

Fig. 129: Parâmetros configurados para análises EN50160

78
Serão exibidos:
Tensão nominal: Configurar tensão nominal
Tensão superior: Limite superior de tensão
Tensão inferior: Limite inferior de tensão
Frequência: Frequência do sistema
Esta página exibe o número total de anomalias da tensão ocorridos (Número de
anomalias)

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Os botões F3 e F4 (ou toque MOD(+) e MOD(-) no display) permite a seleção
SIM ou NÃO de sistema interconectado
- Botão ENTER (ou pequeno ícone ) confirma a seleção previamente realizada e
exibe as tabelas dos valores de acordo com a norma CEI EN 50160
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair das funções e retornar à tela
“Análise de resultados EN50160” (Fig. 128)

A página exibe:
- Resultado global de análises, marcado em vermelho não conforme e verde
conforme
- Histograma de parâmetros. As barras verdes indicam que aquele parâmetro
está conforme a norma EN50160, enquanto a barra vermelha indica um
parâmetro não conforme a norma


Fig. 130: EN50160 análise de histograma




Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Os botões seta para cima ou para baixo movem a barra verticalmente, deste
modo habilitando o uso da análise dos parâmetros do histograma para
EN50160
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair das funções e retornar à tela
“Análise de resultado EN50160” (Fig. 128)






79
5.5.2. Análise de gravação (Tipo instante)
Esta página exibe análises que podem ser realizadas em dados salvos.


Fig. 131: Análise de gravação (dados do tipo instante)

1. Use os botões seta para cima ou para baixo para marcar com um fundo de tela azul
uma das análises na tela. Pressione o botão F1 ou ENTER (ou toque ABRIR ou o
pequeno ícone no display) para confirmar o tipo de análise a ser realizada
2. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone no display) para sair da função e retornar
à tela de dados salvos (Fig. 114)

5.5.2.1. Informação de gravação
Nesta página serão exibidas as informações gerais relativas ao arquivo memorizado
(Instante) anteriormente selecionado no menu Gestão de dados salvos.


Fig. 132: Gravando informação

1. Nesta condição, o botão F1 (ou toque MODIFICA no display) esta ativo e possibilita
salvar e modificar uma linha de comentário utilizando o teclado virtual (ver parágrafo
5.4.2.1)
2. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone no display) para sair da função e voltar à
tela “Análise de gravação” (Fig. 131)






80
5.5.2.2. Gráfico
Nesta tela (Fig. 133) serão visualizados simultaneamente os valores instantâneos
registrados das formas de onda e das tensões V1, V2, V3, Vn feito de acordo com seu
fundo de escala (Fs) e seus respectivos valores RMS; estes valores forma salvos quando
pressionada o botão SAVE.


Fig. 133: Gráfico das tensões em sistema trifásico 4 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumentam ou
diminuem a forma de onda visualizada
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das correntes
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

Nesta tela (Fig. 134) serão visualizados simultaneamente os valores instantâneos
armazenados das formas de onda das tensões V12, V23, V31 de acordo com o fundo de
escala e seu respectivo valor eficaz; valores que foram salvos pelo instrumento ao
pressionar o botão SAVE.


Fig. 134: Gráfico de tensões de um sistema trifásico 3 fios ou ARON

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumentam ou
diminuem a forma de onda visualizada
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das correntes
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

81
Nesta tela (Fig. 135) serão visualizadas simultaneamente, a forma de onda da tensão e
corrente da fase 1 armazenada, esboçada de acordo com o fundo de escala (Fs)
correspondente e seus valores RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao
pressionar o botão SAVE.


Fig. 135: Gráfico de tensão e corrente em sistema monofásico
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F2 (ou toque ZOOM V ou ZOOM I no dislay) alterna entre zoom de
tensão e zoom de corrente (caso o modo de zoom manual esteja ativado)
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das correntes
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

Nesta tela (Fig. 136) serão visualizados sumultaneamente os valores instantâneos, a
formas de onda e das correntes I1, I2, I3, In esboçadas de acordo com o fundo de
escala(Fs) e seus respectivos valores RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao
pressionar o botão SAVE.

Fig. 136: Gráfico corrente em sistema trifásico 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das tensões e correntes da fase 1
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

82
Na tela (Fig. 137) serão visualizados simultaneamente os valores instantâneos, a forma
de onda das correntes I1, I2, I3 esboçadas de acordo com o fundo de escala (Fs) e seus
respectivos valores RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao pressionar o
botão SAVE.


Fig. 137: Gráfico da corrente em sistemas trifásicos 3 fios e ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das tensões e correntes da fase 1
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)
Na tela (Fig. 138) serão visualizados simultaneamente os valores instatâneos, a forma de
onda da tensão V1 e corrente I1, esboçadas de acordo com o fundo de escala (Fs) e seus
valores respectivos RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao pressionar o
botão SAVE.

Fig. 138: Gráfico Fase 1 em sistema trifásico 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F2 (ou toque ZOOM V ou ZOOM I no dislay) alterna entre zoom de
tensão e zoom de corrente (caso o modo de zoom manual esteja ativado)
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das tensões e correntes da fase 2
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

83
Nesta tela (Fig. 139) serão visualizados simultaneamente os valores instantâneos, a
forma de onda e tensão V12 e corrente I1, esboçados de cordo com o fundo de escala
(Fs) e os respectivos valores RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao
pressionar o botão SAVE.

Fig. 139: Gráfico fase 1 sistemas trifásicos 3 fios e ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F2 (ou toque ZOOM V ou ZOOM I no dislay) alterna entre zoom de
tensão e zoom de corrente (caso o modo de zoom manual esteja ativado)
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das tensões e correntes da fase 2
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)
Nesta tela (Fig. 140) serão visualizados simultaneamente os valores instantâneos, a
forma de onda e da tensão V2 e corrente I2, esboçados de cordo com o fundo de escala
(Fs) e os respectivos valores RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao
pressionar o botão SAVE.

Fig. 140: Gráfico fase 2 sistemas trifásicos 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F2 (ou toque ZOOM V ou ZOOM I no dislay) alterna entre zoom de
tensão e zoom de corrente (caso o modo de zoom manual esteja ativado)
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das tensões e correntes da fase 2
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

84
Nesta tela (Fig. 141) serão visualizados simultaneamente os valores instantâneos da
forma de ondada tensão V23 e corrente L2, esboçados de cordo com o fundo de escala
(Fs) e os respectivos valores RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao
pressionar o botão SAVE.


Fig. 141: Gráfico fase 2 sistemas trifásicos 3 fios e ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F2 (ou toque ZOOM V ou ZOOM I no dislay) alterna entre zoom de
tensão e zoom de corrente (caso o modo de zoom manual esteja ativado)
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados das tensões e correntes da fase 3
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)
Nesta tela (Fig. 142) serão visualizados simultaneamente os valores instantâneos, a
forma de onda da tensão V3 e corrente I3, esboçados de cordo com o fundo de escala
(Fs) e os respectivos valores RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao
pressionar o botão SAVE.

Fig. 142: Phase 3 scope in three-phase 4-wire system
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F2 (ou toque ZOOM V ou ZOOM I no dislay) alterna entre zoom de
tensão e zoom de corrente (caso o modo de zoom manual esteja ativado)
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados de tensão
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

85
Nesta tela (Fig. 143) serão visualizados simultaneamente os valores instantâneos da
forma de ondada tensão V31 e corrente I3 esboçados de cordo com o fundo de escala
(Fs) e os respectivos valores RMS; valores que foram salvos pelo instrumento ao
pressionar o botão SAVE.

Fig. 143: Gráfico fase 3 sistemas trifásicos 3 fios e ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F2 (ou toque ZOOM V ou ZOOM I no dislay) alterna entre zoom de
tensão e zoom de corrente (caso o modo de zoom manual esteja ativado)
- Os botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixa (ZOOM-) aumentam ou
reduzem as formas de onda visualizadas (apenas se o modo de zoom manual
estiver ativado)
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a página seguinte dos valores
armazenados de tensão
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

5.5.2.3. Análise harmônica
Nesta tela (Fig. 144) serão visualizados os valores dos harmônicos e THD% da tensão
V1, V2, V3, Vn e corrente I1, I2, I3 e In de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala
Fs) ou tabela. Os valores exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em
função da configuração do menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.

Fig. 144: Harmônicos totais no sistema trifásico 4 fios
No caso de serem conectadas nas entradas do instrumento apenas os sinais de tensão
ou só os sinais de corrente todos os harmônicos visualizados serão exibidos na parte
superior do gráfico.
Se ambas conexões (tensão e corrente) estão conectadas, as barras do histograma
representativo dos harmônicos serão respectivamente mostrados:
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos introduzidos no
sistema elétrico em teste
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos gerados no sistema
elétrico em teste

86
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos, relativos aos harmônicos da fase 1
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)
3
Nesta tela (Fig. 145) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão
V12, V23, V31 e corrente I1, I2, I3 de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs)
ou tabela. Os valores exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em
função da configuração do menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 145: Harmônicos totais em sistemas trifásicos 3 fios ou ARON

No caso de serem conectadas nas entradas do instrumento apenas os sinais de tensão
ou só os sinais de corrente todos os harmônicos visualizados serão exibidos na parte
superior do gráfico.
Se ambas conexões (tensão e corrente) estão conectadas, as barras do histograma
representativo dos harmônicos serão respectivamente mostrados:
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos introduzidos no
sistema elétrico em teste
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos gerados no sistema
elétrico em teste

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos, relativos aos harmônicos da fase 1
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

87
Nesta tela (Fig. 146) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão V1
e corrente I1 de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou tabela. Os valores
exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função da configuração do
menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 146: Harmônicos fase 1 em sistemas monofásicos

No caso de serem conectadas nas entradas do instrumento apenas os sinais de tensão
ou só os sinais de corrente todos os harmônicos visualizados serão exibidos na parte
superior do gráfico.
Se ambas conexões (tensão e corrente) estão conectadas, as barras do histograma
representativo dos harmônicos serão respectivamente mostrados:
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos introduzidos no
sistema elétrico em teste
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos gerados no sistema
elétrico em teste

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos (apenas para harmônicos de tensão)
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

88
Nesta tela (Fig. 147) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão V1
e corrente I1 de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou tabela. Os valores
exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função da configuração do
menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 147: Harmônicos fase 1 em sistemas trifásicos 4 fios

No caso de serem conectadas nas entradas do instrumento apenas os sinais de tensão
ou só os sinais de corrente todos os harmônicos visualizados serão exibidos na parte
superior do gráfico.
Se ambas conexões (tensão e corrente) estão conectadas, as barras do histograma
representativo dos harmônicos serão respectivamente mostrados:
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos introduzidos no
sistema elétrico em teste
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos gerados no sistema
elétrico em teste

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos (apenas para harmônicos de tensão)
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


89
Nesta tela (Fig. 148) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão V12
e corrente I1 de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou tabela. Os valores
exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função da configuração do
menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 148: Harmônicos fase 1 em sistemas trifásicos 3 fios e ARON

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos, relativos aos harmônicos da fase 2
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente, relativos a fase 1
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


90
Nesta tela (Fig. 149) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão V2
e corrente I2 de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou tabela. Os valores
exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função da configuração do
menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 149: Harmônicos fase 2 em sistemas trifásicos 4 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos, relativos aos harmônicos da fase 3
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente, relativos a fase 2
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


91
Nesta tela (Fig. 150) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão V23
e corrente I2 de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou tabela. Os valores
exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função da configuração do
menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 150: Harmônicos fase 2 em sistemas trifásicos 3 fios ou ARON

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos, relativos aos harmônicos da fase 3
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente, relativos a fase 1
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


92
Nesta tela (Fig. 151) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão V3
and current I3 de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou tabela. Os valores
exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função da configuração do
menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 151: Harmônicos fase 3 em sistemas trifásicos 4 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos, relativos ao neutro
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente, relativos a fase 3
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


93
Nesta tela (Fig. 152) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão V31
e corrente I3 de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou tabela. Os valores
exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função da configuração do
menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 152: Harmônicos fase 3 em sistemas trifásicos ou ARON

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos, relativos aos harmônicos da fase 3
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente, relativos a fase 1
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


94
Nesta tela (Fig. 153) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão
neutra Vn e corrente neutra In de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou
tabela. Os valores exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função
da configuração do menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 153: Harmônicos neutros em sistemas trifásicos 4 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos, relativos aos harmônicos totais
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente, relativos a fase 3
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


95
Nesta tela (Fig. 154) serão visualizados os valores dos armônicos e THD% da tensão
neutra Vn de forma gráfica (esboçado pelo fundo de escala Fs) ou tabela. Os valores
exibidos são percentuais na fundamental e valor absoluto em função da configuração do
menu CONFIGURAÇÃO ANALISADOR -> AVANÇADO.


Fig. 154: Harmônico de tensão em sistemas monofásicos
No caso de serem conectadas nas entradas do instrumento apenas os sinais de tensão
ou só os sinais de corrente todos os harmônicos visualizados serão exibidos na parte
superior do gráfico.
Se ambas conexões (tensão e corrente) estão conectadas, as barras do histograma
representativo dos harmônicos serão respectivamente mostrados:
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos introduzidos no
sistema elétrico em teste
- Na metade superior do gráfico, são exibidos os harmônicos gerados no sistema
elétrico em teste

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botões seta para cima (ZOOM+) ou para baixo (ZOOM-) aumenta ou diminui o
zoom no histograma
- Botões seta direita e esquerda movem o cursor pelos harmônicos
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos (apenas para harmônicos de tensão)
- Botão F2 (ou toque ARM V ou ARM I no dislay) comuta entre as visualizações
dos harmônicos totais de tensão e corrente, relativos a fase 1
- Botão F4 (ou toque ARM PAG no display) exibe os seguintes grupos de
harmônicos. 0..9, 10..19, 20..29, 30..39, 40..49
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


96
5.5.2.4. Vetores
Nesta tela (Fig. 155) serão visualizados, com indicadores numéricos e gráficos, os
ângulos de defasagem, expressados em graus [°] entre:
- Tensão V1 e V2, V2 e V3, V3 e V1
- Tensão V1 e corrente I1
- Tensão V2 e corrente I2
- Tensão V3 e corrente I3
Isto permite individualizar a natureza indutiva ou capacitiva da instalação elétrica. Em
particular:
- Ângulo positivo: carga indutiva
- Ângulo negativo: carga capacitiva
Também são representados os vetores da tensão N-PE (azul) e corrente neutra (azul
claro).


Fig. 155: Diagrama vetorial total em sistemas trifásicos 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial de tensão
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

97
Nesta tela (Fig. 156) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°] entre:
- Tensão V12 e V23, V23 e V31, V31 e V12
- Tensão V12 e corrente I1
- Tensão V23 e corrente I2
- tensão V31 e corrente I3
Para avaliar corretamente este diagrama vetorial necessitamos recordar que, em
condições de carga puramente ohmica, o ângulo entre a tensão delta e a corrente de fase
é de +30°.


Fig. 156: Diagrama vetorial total em sistemas trifásicos 3 fios ou ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial de tensão
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

Nesta tela (Fig. 157) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressos em graus [°] entre a tensão V1 e a corrente I1, a fim de
individualizar a natureza indutiva ou capacitiva da instalçao elétrica. Em particular:
- Ângulo positivo: carga indutiva
- Ângulo negativo: carga capacitiva


Fig. 157: Diagrama vetorial em sistemas monofásicos
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)


98
Nesta tela (Fig. 158) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°], entre as tensões V1 e V2, V2 e V3, V3 e V1. Serão
exibidos os valores de desbalanceamento da tensão.


Fig. 158: Diagrama vetorial em sisemas trifásicos 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial de corrente
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

Nesta tela (Fig. 159) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°], entre as tensões V12 e V23, V23 e V31, V31 e
V12. Serão exibidos os valores de desbalanceamento da tensão.


Fig. 159: Diagrama vetorial em sistemas trifásicos 3 fios ou ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial de corrente
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

99
Nesta tela (Fig. 160) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°], entre as correntes I1 e I2, I2 e I3, I3 e I1 e a
representação vetorial da corrente neutra (Azul).


Fig. 160: Diagrama vetorial de corrente em sistemas trifásicos 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos ao diagrama vetorial da fase 1
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

Nesta tela (Fig. 161) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°], entre a tensão V1 e a corrente I1, a fim de
individualizar a natureza indutiva ou capacitiva da instalção elétrica. Em particular:
- Ângulo positivo: carga indutiva
- Ângulo negativo: carga capacitiva


Fig. 161: Diagrama vetorial da fase 1 em sistemas trifásicos 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial da fase 2
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

100
Nesta tela (Fig. 162) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°], entre a tensão V12 e a corrente I1. Para avaliar
corretamente este diagrama vetorial necessitamos recordar que, em condições de carga
puramente ohmica, o ângulo entre a tensão delta e a corrente de fase é de +30°.


Fig. 162: Diagrama vetorial da fase 1 em sistemas trifásicos 3 fios ou ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial da fase 2
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

Nesta tela (Fig. 163) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°], entre a tensão V2 e a corrente I2, a fim de
individualizar a natureza indutiva ou capacitiva da instalção elétrica. Em particular:
- Ângulo positivo: carga indutiva
- Ângulo negativo: carga capacitiva


Fig. 163: Diagrama vetorial fase 2 em sistemas trifásicos 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial da fase 3
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página
“Análise de gravação” (Fig. 131)

101
Nesta tela (Fig. 164) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°], entre a tensão V23 e a corrente I2. Para avaliar
corretamente este diagrama vetorial necessitamos recordar que, em condições de carga
puramente ohmica, o ângulo entre a tensão delta e a corrente de fase é de +30°.


Fig. 164: Diagrama vetorial fase 2 em sistemas trifásicos 3 fios ou ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial da fase 3
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)

Nesta tela (Fig. 165) ) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos
de defasagem, expressados em graus [°], entre a tensão V3 e a corrente I3, a fim de
individualizar a natureza indutiva ou capacitiva da instalção elétrica. Em particular:
- Ângulo positivo: carga indutiva
- Ângulo negativo: carga capacitiva


Fig. 165: Diagrama vetorial fase 3 em sistemas trifásicos 4 fios
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial total
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)

102
Nesta tela (Fig. 166) serão visualizados, com indicação gráfica e numérica, os ângulos de
defasagem, expressados em graus [°], entre a tensão V31 e a corrente I3. Para avaliar
corretamente este diagrama vetorial necessitamos recordar que, em condições de carga
puramente ohmica, o ângulo entre a tensão delta e a corrente de fase é de +30°.


Fig. 166: Diagrama vetorial da fase 3 em sistemas trifásicos 3 fios ou ARON
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial total
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)

5.5.2.5. Medidas
No modo medidas, o instrumento exibe os valores TRMS armazenados como mostram as
figuras a seguir:






Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V1N  Tensão entre fase L1 – Neutro
V2N  Tensão entre fase L2 – Neutro
V3N  Tensão entre fase L3 – Neutro
VNPE  Tensão entre neutro – terra
V12  Tensão entre fase L1 – L2
V23  Tensão entre fase L2 – L3
V31  Tensão entre fase L1 – L3
NEG%  Valores em % da sequência negativa desbalanceada
ZERO%  Valores em % da sequência Zero desbalanceada
SEQ  Sequência de fase:
”123” => Correta
”132” => Incorreta
”023” => Sem tensão em B1
”103” => Sem tensão em B2
”120” => Sem tensão em B3
”100” => Sem tensão em B2 e B3
”020” => Sem tensão em B1 e B3
”003” => Sem tensão em B1 e B2
Hz  Frequência
I1  Corrente na fase L1
I2  Corrente na fase L2
I3  Corrente na fase L3
IN  Corrente neutra
Fig. 167: Página 1/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios





103
Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)



Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
Pact  Potência ativa total do sistema
Preact  Potência total reativa do sistema
Papp  Potência total aparente
Pf  Fator de potência total
CosPhi  CosPhi total

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi.
Fig. 168: Página 2/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)




Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V1N  Tensão entre fase L1 – Neutro
I1  Corrente fase L1
Pact1  Potência ativa da fase L1
Preact1  Potência reativa da fase L1
Papp1  Potência aparente da fase L1
Pf1  Fator de potência da fase L1
CosPhi1  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase L1 e a corrente fundamental

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi.
Fig. 169: Página 3/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)



104



Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V2N  Tensão entre fase L2 – Neutro
I2  Corrente fase L2
Patt2  Potência ativa da fase L2
Preatt2  Potência reativa da fase L2
Papp2  Potência aparente da fase L2
Pf2  Fator de potência da fase L2
CosPhi2  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase L2 e a corrente fundamental

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi.
Fig. 170: Página 4/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)




Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V3N  Tensão entre fase L3 – Neutro
I3  Corrente fase L3
Patt3  Potência ativa da fase L3
Preatt3  Potência reativa da fase L3
Papp3  Potência aparente da fase L3
Pf3  Fator de potência da fase L3
CosPhi3  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase L3 e a corrente fundamenta

CosPhi represents the theoretical limit value which
can be reached by the Power factor if all harmonics
are eliminated from the electrical system. For
dimensioning a power factor correction system,
reference is usually made to the CosPhi parameter
value.
Fig. 171: Página 5/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 4 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)






105





Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V1PE  Tensão entre fase L1 – terra
V2PE  Tensão entre fase L2 – terra
V3PE  Tensão entre fase L3 – terra
V12  Tensão entre fase L1 – L2
V23  Tensão entre fase L2 – L3
V31  Tensão entre fase L3 – L1
NEG%  Valores em % da sequência negativa desbalanceada
ZERO%  Valores em % da sequência Zero desbalanceada
SEQ  Sequência de fase:
”123” => Correta
”132” => Incorreta
”023” => Sem tensão em B1
”103” => Sem tensão em B2
”120” => Sem tensão em B3
”100” => Sem tensão em B2 e B3
”020” => Sem tensão em B1 e B3
”003” => Sem tensão em B1 e B2
Hz  Frequência
I1  Corrente na fase L1
I2  Corrente na fase L2
I3  Corrente na fase L3

Fig. 172: Página 1/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)



Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
Pact  Potência ativa total do sistema
Preact  Potência total reativa do sistema
Papp  Potência total aparente
Pf  Fator de potência total
CosPhi  CosPhi total

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi.

Fig. 173: Página 2/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)



106





Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V1PE  Tensão entre fase L1 – Neutro
I1  Corrente fase L1
Pact1  Potência ativa da fase L1
Preact1  Potência reativa da fase L1
Papp1  Potência aparente da fase L1
Pf1  Fator de potência da fase L1
CosPhi1  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase L1 e a corrente fundamental

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi
Fig. 174: Página 3/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)





Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V2PE  Tensão entre fase L2 – Neutro
I2  Corrente fase L2
Pact2  Potência ativa da fase L2
Preact2  Potência reativa da fase L2
Papp2  Potência aparente da fase L2
Pf2  Fator de potência da fase L2
CosPhi2  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase L2 e a corrente fundamental

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi
Fig. 175: Página 4/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)




107




Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V3PE  Tensão entre fase L3 – Neutro
I3  Corrente fase L3
Pact3  Potência ativa da fase L3
Preact3  Potência reativa da fase L3
Papp3  Potência aparente da fase L3
Pf3  Fator de potência da fase L3
CosPhi3  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase L3 e a corrente fundamental

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi
Fig. 176: Página 5/5 de valores numéricos para sistemas trifásicos 3 fios

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)





Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V12  Tensão entre fase L1 – L2
V23  Tensão entre fase L2 – L3
V31  Tensão entre fase L3 – L1
NEG%  Valores em % da sequência negativa desbalanceada
ZERO%  Valores em % da sequência Zero desbalanceada
SEQ  Sequência de fase:
”123” => Correta
”132” => Incorreta
”023” => Sem tensão em B1
”103” => Sem tensão em B2
”120” => Sem tensão em B3
”100” => Sem tensão em B2 e B3
”020” => Sem tensão em B1 e B3
”003” => Sem tensão em B1 e B2
Hz  Frequência
I1  Corrente na fase L1
I2  Corrente na fase L2
I3  Corrente na fase L3
Fig. 177: Página 1/4 de valores numéricos para sistemas ARON

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)




108



Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
Pact  Potência ativa total do sistema
Preact  Potência total reativa do sistema
Papp  Potência total aparente
Pf  Fator de potência total
CosPhi  CosPhi total

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi.
Fig. 178: Página 2/4 de valores numéricos para sistemas ARON

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial total
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)


Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V12  Tensão entre fase L1 – L2
I1  Corrente fase L1
Pact12  Potência ativa fase 12
Preact12  Potência reativa fase 12
Papp12  Potência aparente fase 12
Pf12  Fator de potência 12
CosPhi12  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase 12 e a corrente fundamental

Fig. 179: Página 3/4 de valores numéricos para sistemas ARON

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial total
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)






109

Nesta página os seguintes símbolos são utilizados:
V32  Tensão entre fase L3 – L2
I1  Corrente fase L3
Pact32  Potência ativa fase 32
Preact32  Potência reativa fase 32
Papp32  Potência aparente fase 32
Pf32  Fator de potência 32
CosPhi32  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase 32 e a corrente fundamental
Fig. 180: Página 4/4 de valores numéricos para sistemas ARON

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão F1 (ou toque PAG no display) avança para a próxima página de valores
salvos relativos ao diagrama vetorial total
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)





In this page, the following symbols are used:
V1N  Tensão entre fase L1 – Neutro
VNPE  Tensão entre Terra – Neutro
Freq  Frequência
I1  Corrente fase L1
Pact1  Potência ativa fase L1
Preact1  Potência reativa fase L1
Papp1  potência aparente fase L1
Pf1  Fator de potência L1
CosPhi1  Coseno do ângulo de fases entre a tensão da
fase L1 e a corrente fundamental

CosPhi representa o valor limite teórico que pode
ser alcançado pelo fator de potência caso todas as
harmônicas sejam eliminadas do sistema. Para
dimensionamento de uma correção de fator de
potência, a referência normalmente é feita pelos
valores de CosPhi
Fig. 181: Página 1/1 de valore numérivos para sistemas monofásicos

Os seguintes botões estão disponíveis nesta página:
- Botão ESC (ou pequeno ícone ) para sair da função e retornar à página “Análise
de gravação” (Fig. 131)



110
5.5.3. Transferência de dados para um Pen Drive USB externo
O instrumento permite a transferência de uma ou mais gravações, mostradas na Fig. 114,
para um Pen Drive USB diretamente conectado ao instrumento (ver Fig. 3). A seguinte
tela será exibida:

12/09/2006 – 16:55:10


RESULTADOS DE GRAVAÇÃO
N. Tipo Tempo1 Tempo2 
 1 Rec 11/09/2206 12/09/2006
2 Instant 12/09/2006 15:45:51
3 Instant 12/09/2006 15:45:54
4 Instant 12/09/2006 15:46:52
5 Instant 12/09/2006 15:47:00
6 Instant 12/09/2006 15:47:04

INFO COPIAR DEL DEL TUDO
Fig. 182: Tela resultados de gravação com Pen Drive conectado
Pressione o botão F2 (ou toque em COPY no display). O instrumento exibirá o teclado
virtual, no qual é possível personalizar o nome do arquivo a ser copiado no Pen Drive:

12/09/2006 – 16:55:10


Nome do arquivo

001_2006-09-11

a b c d e F g h

i j k l m N o p
q r s t u V w x
y z
<- àž Sb 123 Cap



Fig. 183: Definição do nome a ser salvo no Pen Drive
Pressione o botão SAVE ou ENTER (ou o pequeno ícone ) para confirmar o nome do
arquivo ou pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para sair sem salvar. No caso de
existir um arquivo dentro do a seguinte mensagem de aviso será exibida:

Aviso


Nome do arquivo já existente.
Substituir?



Ok

Cancel





Fig. 184: Confirme para substituir o arquivo
Pressione “Ok” para substituir o nome do arquivo ou “Cancel” para sair sem salvar
qualquer modificação. Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para retornar ao
MENU GERAL.


111
5.5.4. Salvando gravações em um “Compact Flash”
O instrumento permite salvar dados em um “compact flash” padrão quando o mesmo
encontrar-se conectado na entrada lateral. (ver Fig. 3) após ativar a opção “EXTERNA” na
seção tipo de memória (ver parágrafo 5.1.7). Será exibida a seguinte tela:

12/09/2006 – 16:55:10


RESULTADOS DE GRAVAÇÃO


 Comentar: Potência e Energia

 Ínicio:Manu
 Parar:Manu
 Período integração:15 min
 Cogeração
+  Parâmetros gerais

52/251 Parâmetros – Autonomia: 231d 5h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 185: Exemplo de uso da memória externa - compact flash não conectado

No exemplo da Fig. 185 uma configuração predefinida “Potência e Energia” com
autonomia de 231d 5h sem a presença de um “Compact Flash” conectado. Inserindo um
“Compact Flash” no instrumento, saindo da tela pressionando o botão ESC (ou o pequeno
ícone ) e entrando na mesma seção, o instrumento exibirá a seguinte tela:

12/09/2006 – 16:55:10


RECORDING SETTINGS


 Comentar:Potência e Energia

 Ínicio:Manu
 Parar:Manu
 Período integração:15 min
 Cogeração
+  Parâmetros Gerais

52/251 Parâmetros – Autonomia: 511d 0h
CLP/EXP PREDEF. SEL MODIFICA
Fig. 186: Exemplo de uso da memória externa - compact flash conectado

O ícone correspondente será exibido pelo instrumento na parte superior do display após
ser conectado no instrumento e sua autonomia alterada no display (511d 0h no exemplo
da Fig. 186).


CAUTELA


A capacidade de memória interna (15Mbytes) à memória externa com o
“Compact Flash” permite guardar um registro máximo de 32Mbytes
independentemente da capacidade do “Compact Flash” utilizado




112
5.6. INFORMAÇÕES DO INSTRUMENTO
Dentro desta seção, os parâmetros internos relativos às características internas do
instrumento estão disponíveis as informações do usuário, por exemplo, durante um
contato ao Serviço do consumidor Minipa.

12/09/2006 – 16:55:10

MENU GERAL

















Informações do medidor
Fig. 187: Tela Menu Geral – Seção informações do medidor

Pressione o botão ENTER ou toque no ícone correspondente no display. A seguinte tela
será exibida pelo instrumento:

12/09/2006 – 16:55:10


INFORMAÇÕES DO MEDIDOR


Fabricante:
Model: ET-5061C
Sn: 06030004
Hw: 708
Fw: 1.05 – 1.08
Calibração: 09/05/2006
Mem. interna selecionada
Nível bateria: 73%
Carregando…

Fig. 188: Tela de informações do medidor

A seguir o significado dos itens da tela acima:

Item Descrição
Fabricante Nome do fabricante
Model Modelo do instrumento
Sn Número de sério do instrumento
Hw Versão do hardware interno do instrumento
Fw Versão do Firmware do instrumento
Calibração Data da ultima calibração realizada
Seleção do tipo de memória Memória interna ou externa
Nível bateria Porcentagem de carga da bateria

Pressione o botão ESC (ou o pequeno ícone ) para retornar a tela MENU GERAL.

113
6. CONEXÃO DO INSTRUMENTO AO COMPUTADOR
1. Instale o software padrão TopView em seu computador

2. Verifique a presença do ícone “ActiveSync” com um fundo de tela cinza (desativado)
no canto inferior direito da tela do computador como na figura a seguir:


Fig. 189: Ícone “ActiveSync” desativado
3. Conecte o instrumento ao computador utilizando o cabo padrão C2007 (USB “A” 
USB “B”) como mostra a figura a seguir:

COMPACT FLASH
C2007
PQA400-PQA82x

Fig. 190: Conexão do instrumento com o computador

4. Verifique a presença do ícone ActiveSync com um fundo de tela verde (ativo) no canto
inferior direito da tela do computador como na figura a seguir. Apenas nesta ordem a
conexão do instrumento ao computador estará correta


Fig. 191: Ícone ActiveSync ativo

5. Inicie o software TopView e clique no botão “Instrumento <-> PC connection”.
Clique no botão “Select new instrument” na tela do software a fim de reconhecer o
nome do instrumento conectado, que é exibido na barra inferior. Selecione entre os
modelos “ET-5061C” ou “ET-5051C” da lista de instrumentos disponíveis

6. Selecione o comando “Download data” e clique em “Next” a fim de abrir a janela de
Download” no software exibindo todos os registros gravados pelo instrumento.
Selecione uma ou mais gravações desejadas e clique em “Download”

7. O procedimento de download começará e a janela de análises de gravação total será
exibida pelo software no final desta operação

Para qualquer detalhe sobre o uso refira-se à TopView HELP ON LINE


CAUTELA


- Durante uma gravação não é possível realizar o download dos dados
para o computador. Pressione o botão GO/STOP no instrumento para
gravar antes da operação de download
- Mantenha sempre o instrumento na tela MENU GERAL para realizar a
comunicação entre o instrumento e o computador

114
7. PROCEDIMENTOS DE MEDIDAS
A precisão do instrumento é garantida apenas para os seguintes sistemas:
- Sistemas monofásicos (Fase, Neutro, Terra)
- Sistemas trifásicos 4 fios WYE + Terra
- Sistemas trifásicos 3 fios DELTA + Terra

7.1. UTILIZANDO O INSTRUMENTO EM UM SISTEMA MONOFÁSICO
CAUTELA


A tensão máxima entre as entradas B1, B2, B3, B4 e BE é de 1000V / CAT
IV 600V ao terra. Não realize medições que excedam os limites indicados
neste manual. Ao ultrapassar os limites de tensão o usuário poderá danificar
o instrumento e/ou seus componentes e colocar em risco sua segurança


Fig. 192: Conexão do instrumento em sistemas monofásicos

CAUTELA


Se possível, antes de conectar o instrumento ao sistema elétrico a ser
analisado, desligue a energia

1. Cheque e modifique as configurações básicas do instrumento se necessário (ver
parágrafo 5.3.1). Selecione a opção sistema MONO
2. Conecte a ponta de tensão na fase, os cabos neutro e terra respeitando as cores exibidas
na Fig. 192)
3. Conecte a garra de corrente transdutora na fase L1 com mostra a Fig. 192) respeitando o
sentido da flecha que indica a direção convencional da corrente gerada pela carga. Na
seção “Valores em tempo real” sempre verifique o valor positivo da potência ativa e
o fator de potência relativo antes de iniciar gravações. Inverta a garra em 180º caso
obtenha leituras negativas
4. Alimente a instalação em teste, caso a mesma tenha sido temporariamente desligada
para a conexão do instrumento. Os valores dos parâmetros serão exibidos no display
do instrumento na seção “Valores em tempo real” (ver parágrafo 5.2)
5. Pressione o botão SAVE se um valor instantâneo (Instant) deva ser salvo (ver
parágrafo 5.5). Utilize o botão HOLD para congelar um valor no display se necessário.
6. Cheque todas as configurações antes de iniciar a gravação (ver parágrafo
5.4)Pressione o botão GO/STOP para habilitar ou desabilitar a gravação no
instrumento (ver parágrafo 5.4.13)

115
7.2. UTILIZANDO O INSTRUMENTO EM SISTEMAS TRIFÁSICOS 4 FIOS
CAUTELA


A tensão máxima entre as entradas B1, B2, B3, B4 e BE é de 1000V / CAT
IV 600V ao terra. Não realize medições que excedam os limites indicados
neste manual. Ao ultrapassar os limites de tensão o usuário poderá danificar
o instrumento e/ou seus componentes e colocar em risco sua segurança

Fig. 193: Conexão do instrumento em sistemas trifásicos 4 fios
CAUTELA


Se possível, antes de conectar o instrumento ao sistema elétrico a ser
analisado, desligue a energia.

1. Cheque e modifique se necessário a configuração básica do instrumento (ver
parágrafo 5.3.1). Escolha a opção 4FIOS
2. Conecte as pontas de prova de tensão nos cabos das fases L1, L2, L3, Neutro e Terra
respeitando as cores da Fig. 193. Verifique no display a indicação “123” relativa ao
sentido correto da sequência de fase (ver parágrafo 5.2.1) e realize correções se
necessário
3. Conecte as garras de corrente transdutoras nos cabos das fases L1, L2, L3 e Neutro N,
como na Fig. 193, respeitando o sentido da flecha que indica a direção convencional da
corrente gerada pela carga. Na seção “Valores em tempo real” sempre verifique o
valor positivo da potência ativa e o fator de potência relativo antes de iniciar
gravações. Inverta a garra em 180º caso obtenha leituras negativas
4. Alimente a instalação em teste, caso a mesma tenha sido temporariamente desligada
para a conexão do instrumento. Os valores dos parâmetros serão exibidos no display
do instrumento na seção “Valores em tempo real” (ver parágrafo 5.2)
5. Pressione o botão SAVE se um valor instantâneo (Instant) deva ser salvo (ver
parágrafo 5.5). Utilize o botão HOLD para congelar um valor no display se necessário.
6. Cheque todas as configurações antes de iniciar a gravação (ver parágrafo 5.4)
Pressione o botão GO/STOP para habilitar ou desabilitar a gravação no instrumento
(ver parágrafo 5.4.13)



116
7.3. UTILIZANDO O INSTRUMENTO EM SISTEMAS TRIFÁSICOS 3 FIOS
CAUTELA


A tensão máxima entre as entradas B1, B2, B3, B4 e BE é de 1000V / CAT
IV 600V ao terra. Não realize medições que excedam os limites indicados
neste manual. Ao ultrapassar os limites de tensão o usuário poderá danificar
o instrumento e/ou seus componentes e colocar em risco sua segurança

Fig. 194: Conexão do instrumento em sistemas trifásicos 3 fios
CAUTELA


Se possível, antes de conectar o instrumento ao sistema elétrico a ser
analisado, desligue a energia

1. Cheque e modifique se necessário a configuração básica do instrumento (ver
parágrafo 5.3.1). Escolha a opção 3FIOS
2. Conecte as pontas de prova de tensão nos cabos das fases L1, L2, L3, e Terra
respeitando as cores da Fig. 194. Verifique no display a indicação “123” relativa ao
sentido correto da sequência de fase (ver parágrafo 5.2.1) e realize correções se
necessário
3. Conecte as garras de corrente transdutoras nos cabos das fases L1, L2, L3, como na Fig.
194 respeitando o sentido da flecha que indica a direção convencional da corrente gerada
pela carga. Na seção “Valores em tempo real” sempre verifique o valor positivo da
potência ativa e o fator de potência relativo antes de iniciar gravações. Inverta a garra
em 180º caso obtenha leituras negativas
4. Alimente a instalação em teste, caso a mesma tenha sido temporariamente desligada
para a conexão do instrumento. Os valores dos parâmetros serão exibidos no display
do instrumento na seção “Valores em tempo real” (ver parágrafo 5.2)
5. Pressione o botão SAVE se um valor instantâneo (Instant) deva ser salvo (ver
parágrafo 5.5). Utilize o botão HOLD para congelar um valor no display se necessário
6. Cheque todas as configurações antes de iniciar a gravação (ver parágrafo 5.4).
Pressione o botão GO/STOP para habilitar ou desabilitar a gravação no instrumento
(ver parágrafo 5.4.13)



117
7.4. UTILIZANDO O INSTRUMENTO EM SISTEMAS TRIFÁSICOS 3 FIOS ARON
CAUTELA


A tensão máxima entre as entradas B1, B2, B3, B4 e BE é de 1000V / CAT
IV 600V ao terra. Não realize medições que excedam os limites indicados
neste manual. Ao ultrapassar os limites de tensão o usuário poderá danificar
o instrumento e/ou seus componentes e colocar em risco sua segurança

Fig. 195: Conexão do instrumento em sistemas trifásicos 3 fios ARON

CAUTELA


Se possível, antes de conectar o instrumento ao sistema elétrico a ser
analisado, desligue a energia

1. Cheque e modifique se necessário a configuração básica do instrumento (ver
parágrafo 5.3.1). Escolha a opção ARON
2. Conecte as pontas de prova de tensão nos cabos das fases L1, L2, L3, e Terra
respeitando as cores da Fig. 195. Verifique no display a indicação “123” relativa ao
sentido correto da sequência de fase (ver parágrafo 5.2.1) e realize correções se
necessário
3. Conecte as garras de corrente transdutoras nos cabos das fases L1, L2, L3, como na Fig.
195 respeitando o sentido da flecha que indica a direção convencional da corrente gerada
pela carga. Na seção “Valores em tempo real” (preliminarmente selecione o sistema
3 fios) sempre verifique os valores positivos da potência ativa e o fator de potência
relativo a carga, que normalmente deve ser indutiva antes de iniciar uma gravação.
Inverta a garra em 180º caso obtenha leituras negativas
4. Alimente a instalação em teste, caso a mesma tenha sido temporariamente desligada
para a conexão do instrumento. Os valores dos parâmetros serão exibidos no display
do instrumento na seção “Valores em tempo real” (ver parágrafo 5.2)
5. Pressione o botão SAVE se um valor instantâneo (Instant) deva ser salvo (ver
parágrafo 5.5). Utilize o botão HOLD para congelar um valor no display se necessário
6. Cheque todas as configurações antes de iniciar a gravação (ver parágrafo
5.4)Pressione o botão GO/STOP para habilitar ou desabilitar a gravação no
instrumento (ver parágrafo 5.4.13)

118
8. MANUTENÇÃO
8.1. GERAL
Os modelos ET-5061C e ET-5051C são instrumentos de precisão. Durante o uso e
conservação respeite as recomendações e instruções neste manual a fim de evitar
possíveis danos ou risco durante o uso. Não use o instrumento em ambientes com
elevadas taxas de umidade e temperatura. Não expor diretamente à luz do sol. Sempre
desligue o instrumento após seu uso.

8.2. SITUAÇÕES RELATIVAS A BATERIA INTERNA
O instrumento é alimentado por uma bateria recarregável de Li-ION com a saída de
tensão de 3.7VDC que pode ser recarregada utilizando a fonte externa A0055 em
qualquer função e modo. O pacote de bateria e fonte são definidos por combinações
exibidas no canto superior direito no display do instrumento:

Ícone no display Descrição

Nível de bateria baixo. Recarregue

Nível de carga da bateria a 25%

Nível de carga da bateria a 50%

Nível de carga da bateria a 75%

Bateria completamente carregada

Somente fonte conectada. Bateria desconectada

Bateria e fonte conectados. Recarregando bateria

Bateria completamente carregada com fonte conectada

Carga desconhecida. Conectar adaptador

Problemas com bateria. Contate o serviço técnico Minipa

Tabela 14: Lista de ícones da bateria exibidos
8.2.1. Substituição da bateria interna

CAUTELA


Apenas técnicos qualificados devem realizar esta operação. Antes de
realizar a troca da bateria desconecte as pontas de prova do circuito para
evitar choques elétricos

1. Desconecte as pontas de prova de tensão e as garras de corrente do circuito em teste
2. Desligue o instrumento e desconecte todos os cabos
3. Retire o parafuso da tampa e a remova
4. Desconecte a bateria do conector interno e insira a nova bateria no mesmo lado
5. Recoloque a tampa e prenda-a com o parafuso adequado

8.3. LIMPEZA
Para a limpeza do instrumento utilize um pano limpo e seco. Nunca use panos úmidos,
solventes, água etc. Prestando atenção especial ao display TFT.

8.4. FIM DE VIDA

CAUTELA: Este símbolo indica que o equipamento e seus acessórios devem
ser sujeitados a uma separação e coleta para ser eliminado corretamente.

119
9. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
9.1. CARACTERISTICAS TÉCNICAS
AC/DC TRMS Tensão Fase-Neutro / Fase-Terra – Sistemas Monofásico / Trifásico
Faixa Precisão Resolução Impedância entrada
0,0 ÷ 600,0V ±(0,5%Leit.+2Dig.) 0,1V 10MO
Fator de crista máximo = 2
Valores de tensão < 2,0V serão considerados zero pelo instrumento
O instrumento é acoplável com um VT (Transformador de potencial) externo com faixa configurável entre 1 ÷ 3000
AC/DC TRMS Tensão Fase-Fase – Sistema trifásico
Faixa Precisão Resolução Impedância entrada
0,0 ÷ 1000.0V ±(0,5%Leit.+2Dig.) 0,1V 10MO
Fator de crista máximo = 2
Valores de tensão < 2,0V serão considerados zero pelo instrumento
O instrumento pode ser conectado a um VT (Transformador de potencial) externo com faixa configurável entre 1 ÷ 3000
Anomalias de Tensão Fase-Neutro – Sistema Monofásico / Trifásico 4 fios
Faixa Precisão Tensão
Precisão Tempo
(50Hz)
Resolução Resolução Tempo (50Hz)
0,0 ÷ 600.0V ±(1,0%Leit.+2Dig.) ±10ms 0,2V 10ms
Fator de crista máximo = 2
Valores de tensão < 2,0V serão considerados zero pelo instrumento
O instrumento é acoplável com um VT (Transformador de potencial) externo com faixa configurável entre 1 ÷ 3000
Limite inferior configurável de ±1% à ±30%
Anomalias de tensão Fase-Fase – Sistema trifásico 3 fios
Faixa Precisão Tensão PrecisãoTempo(50Hz) Resolução Resolução Tempo (50Hz)
0,0 ÷ 1000.0V ±(1,0%Leit.+2Dig.) ±10ms 0,2V 10ms
Fator de crista máximo = 2
Valores de tensão < 2,0V serão considerados zero pelo instrumento
O instrumento é acoplável com um VT (Transformador de potencial) externo com faixa configurável entre 1 ÷ 3000
Limite inferior configurável de ±1% à ±30%
Surtos de tensão – Fase terra – Sistema Monofásico e Trifásico (Apenas ET-5061C)
Faixa Precisão Tensão Tensão Resolução Resolução Tempo (50Hz) Tempo Detecção (50Hz)
-1000V ÷ 100V
±(2,0%Leit.+60V) 1V
±10ms
78µs – 2,5ms
(Lento) 100V ÷ 1000V
-6000V ÷ -100V
±(10%Leit.+100V) 15V
5µs – 160µs
(Rápido) 100V ÷ 6000V
Fundo de escala de tensão configurável 100V ÷ 5000V
Número máximo de eventos registrados: 20000
Corrente DC/AC TRMS com garra transdutora padrão (STD)
Faixa Precisão Resolução Impedância entrada Proteção sobrecarga
0,0÷1000,0mV ±(0,5%Leit.+0,06%FS) 0,1mV 510kO 5V
Medida realizada com saída de tensão =1VAC com a corrente nominal medida pela garra
Fator de crista máximo = 3
Valores de corrente < 0,1% do fundo de escala (FS) serão considerados zero pelo instrumento
Corrente AC TRMS com garra transdutora flexível – Faixa 300A
Faixa Precisão Resolução Impedância entrada Proteção Sobrecarga
0,0 ÷ 49,9A ±(0,5%Leit.+0,24%FS)
0,1A 510kO 5V
50,0 ÷ 300,0A ±(0,5%Leit.+0,06%FS)
Medidas realizadas com a garra flexível HTFLEX33
Fator de crista máximo= 3
Valores de corrente < 1A serão considerados zero pelo instrumento
Corrente AC TRMS com garra transdutora flexível – Faixa 3000A
Faixa (*) Precisão Resolução Impedância entrada Proteção Sobrecarga
0,0 ÷ 3000,0A ±(0,5%Leit.+0,06%FS) 0,1A 510kO 5V
Medidas realizadas com a garra flexível HTFLEX33
Fator de crista máximo= 3
Valores de corrente < 5A serão considerados zero pelo instrumento



120
Corrente de partida (Apenas ET-5061C)
Faixa Precisão Resolução ResoluçãoTempo(50Hz) Precisão Tempo (50Hz)
Depende do tipo
de garra
±(1,0%Leit.+0,4%FS)
Depende do tipo
de garra
10ms ±10ms
Fator de crista máximo = 3
Número máximo de eventos registrados: 1000
Potência – Sistema Monofásico / Trifásico (@ Cos¢>0,5 e Vmis>60V, garra tipo STD)
Parâmetro
[W, VAr, VA]
Fundo de escala garra
(FS)
Faixa
[W, VAr, VA]
Precisão
Resolução
[W, VAr, VA]
Potência ativa
Potência reativa
Potência
aparente
FS s 1A
0,0 ÷ 999,9
1,000 ÷ 9,999k
±(1,0%Leit.+6Dig.)
0,1
0,001k
1A< FS s 10A
0,000 ÷ 9,999k
10,00 ÷ 99,99k
0,001k
0,01k
10A< FS s 100A
0,00 ÷ 99,99k
100,0 ÷ 999,9k
0,01k
0,1k
100A< FS s 3000A
0,0 ÷ 999,9k
1,000 ÷ 9,999M
0,1k
0,001M
Para garra STD
Vmis = Tensão correspondente a potência medida
FS = Fundo de escala da garra
Energia – Sistema Monofásico / Trifásico (@ Cos¢>0,5 e Vmis>60V, garra tipo STD)
Parâmetro
[Wh, VArh, VAh]
Fundo de escala garra
(FS)
Faixa
[Wh, VArh, VAh]
Precisão
Resolução
[Wh, VArh, VAh]
Energia ativa
Energia reativa
Energia aparente
FS s 1A
0,0 ÷ 999,9
1,000 ÷ 9,999k
±(1,0%Leit.+6Dig.)
0,1
0,001k
1A< FS s 10A
0,000 ÷ 9,999k
10,00 ÷ 99,99k
0,001k
0,01k
10A< FS s 100A
0,00 ÷ 99,99k
100,0 ÷ 999,9k
0,01k
0,1k
100A< FS s 3000A
0,0 ÷ 999,9k
1,000 ÷ 9,999M
0,1k
0,001M
Para garra STD
Vmis = Tensão correspondente a potência medida
FS = Fundo de escala da garra
Fator de potência (Cos¢) – Sistema Monofásico / Trifásico
Faixa Precisão (°) Resolução(°)
0,20÷0,50 1,0
0,01 0,50÷0,80 0,7
0,80÷1,00 0,6
Harmônicos de Tensão / Corrente
Faixa Precisão(*) Resolução
DC ÷ 25
a

±(5,0%Leit.+5Dig.) 0,1V / 0,1A 26
a
÷ 33
a

34
a
÷ 49
a

(*) Precisão à adicionar ao parâmetro TRMS correspondente
Frequência
Faixa Precisão Resolução
42,5÷69,0Hz ±(0,2%Leit.+1Dig.) 0,1Hz

Flicker – Sistema Monofásico / Trifásico (Apenas ET-5061C)
Parâmetro Faixa Precisão Resolução
Pst1’, Pst,
0,0÷10,0 Conforme EN50160 0,1
Plt

121
9.2. CARACTERÍSTICAS GERAIS
Valores em tempo real
Parâmetros gerais de rede: Tensões, Correntes, Potências, Energias, Cos¢
Flicker, Desbalanceamento, THD%, Harmônicos
Sinais de formas de onda: Tensões, Correntes, Histogramas harmônicos
Diagramas vetoriais: Tensões, Correntes
Gravações
Parâmetros: Cada parâmetro geral + energias
Número de parâmetros configuráveis: Máximo 251
Período de integração: 1, 2, 5, 10, 30seg, 1, 2, 5, 10, 15, 30, 60min
Tempo de gravação: >3 meses com 251 parâmetros @15min
Display
Características: Gráfico TFT com luz de fundo, ¼ “ VGA (320x240pxls)
“Touch-screen”: Sim
Número de cores: 65536
Ajuste de brilho: Programável
Sistema de operação e memória
Sistema de operação: Windows CE
Memória interna: 15Mbytes (cerca de 32Mbytes com Compact Flash)
Interface para computador: USB
Alimentação
Alimentação interna: Bateria de Li-ION, 3.7V recarregável, autonomia >6h
Alimentação externa: Fonte AC/DC, A0055
100÷240VAC / 50-60Hz – 5VDC
Auto power OFF: Após 5min inativo (sem adaptador externo)
Características físicas
Dimensões: 235mm(L) x 165mm(A) x 75mm(P)
Peso (Incluindo bateria): Cerca de 1.0kg
Normas de referência
Segurança do instrumento: IEC/EN61010-1
Literatura técnica: IEC/EN61187
Segurança de acessório padrão: IEC/EN61010-031, IEC/EN61010-2-032
Isolação: Duplamente isolado
Grau de poluição: 2
Altitude máxima: 2000m
Categoria de sobre tensão: CAT IV 600V ao terra, Max 1000V entre entradas
Qualidade de energia: IEC/EN50160
Qualidade de energia elétrica: IEC/EN61000-4-30 classe B
Flicker: IEC/EN61000-4-15, IEC/EN50160
Desbalanceamento: IEC/EN61000-4-7, IEC/EN50160
9.3. AMBIENTE
9.3.1. Condições climáticas
Temperatura de referência para calibração: 23 ± 5°C
Temperatura de trabalho: 0 ÷ 40°C
Umidade relativa: <80%HR
Temperatura de armazenamento: -10 ÷ 60°C
Umidade relativo de armazenamento: <80%HR
9.3.2. EMC
Este instrumento cumpre com as prescrições da diretiva Européia de baixa tensão
2006/95/CE (LVD) e EMC 2004/108/CE

122
10. APÊNDICE – RESUMO TEÓRICO
10.1. ANOMALIAS DE TENSÃO
O instrumento é capaz de registrar como anomalias todos os valores eficazes de tensão,
calculados a cada 10ms, fora dos limites inferiores da tensão de referência (Vref)
programada de ±1% à ±30% em passos de 1%. Estes limites permanecem inalterados por
todo período de gravação.

As referências estão configuradas para:
Tensão de fase nominal – Neutro: Para sistemas monofásicos e trifásicos 4 fios
Tensão nominal Fase – Fase : Para sistemas trifásicos 3 fios

Exemplo1: Sistemas trifásicos 3 fios.
Vref = 400V, LIM+= 6%, LIM-=10% =>
Lim Sup = 400 x (1+6/100) = 424,0V
Lim Inf = 400 x (1-10/100) = 360
Exemplo2: Sistema trifásico 4 fios.
Vref = 230V, LIM+= 6%, LIM-=10% =>
Lim Sup = 230 x (1+6/100) = 243,08V
Lim Inf = 230 x (1-10/100) = 207,0V

Para cada anomalia de tensão o instrumento registra:

- O número correspondente da fase onde ocorreu a anomalia
- A “direção” da anomalia: “DN” e “UP” identifica respectivamente quedas e picos de
tensão
- A data e hora em que o evento começou na forma de dia, mês, ano, hora, minutos,
segundos, centésimos e de segundo
- A duração do evento em segundos com resolução de 10ms
- Valor mínimo (ou máximo) da tensão durante o evento

10.2. HARMÔNICOS DE TENSÃO E CORRENTE
10.2.1. Teoria
Qualquer onda não senoidal pode ser representada como a soma das ondas senoidais
(harmônicos) tendo em vista que sua freqüência corresponde a um múltiplo da freqüência
fundamental (no caso da rede = 50Hz) segundo a relação:

) t sin( V V v(t)
k k
1 k
k 0
¢ e + + =
¿
·
=
(1)

onde:

V
0
= Valor médio de v(t)
V
1
= Amplitude da fundamental de v(t)
V
k
= Amplitude dos harmônicos de ordem k v(t)

No caso da tensão de rede a fundamental da freqüência é 50Hz, o segundo harmônico é
a freqüência 100Hz, o terceiro harmônico é a freqüência 150Hz, etc. A distorção
harmônica é um problema constante e não deve ser confundido com fenômenos de breve
duração tal como picos, diminuição ou flutuações.

Pode-se observar como na fórmula (1) os limites da soma vão de 1 à infinito. O que
acontece na realidade é que cada sinal não tem um número de harmônicos ilimitado:
existe sempre um número de ordem mais alta no qual o valor dos harmônicos é
desprezível.

123

LEGENDA:

1. Fundamental
2. Terceira
Harmônica
3. Forma de onda
distorcida
Efeito da soma de 2 frequências múltiplas

A norma EN50160 recomenda parar a somatória na expressão (1) na 40ª harmônica. Um
elemento fundamental para detectar a presença de harmônicos é o THD definido por:
100 %
1
40
2
2
x
V
V
THDV
h
h ¿
=
=

Este índice leva em conta a presença de todos os harmônicos e aumenta quanto maior for
a deformação da onda.

10.2.2. Valores limites dos harmônicos de tensão
A norma EN50160 fixa o limite de harmônicos de tensão que podem ser injetados na rede
elétrica pelo fornecedor de energia. Em condições normais, durante um período na
semana, 95% dos valores RMS de cada tensão harmônica, mediante 10 minutos, deverá
ser menor ou igual aos valores indicados na tabela a seguir. A distorção harmônica total
(THD) da tensão de alimentação (Incluindo todos os harmônicos até a 40ª ordem) tem de
ser menor ou igual aos 8%.

HARMÔNICOS ÍMPARES HARMÔNICOS PARES
Não multiplo de 3 Multiplo de 3
Ordem h %Máx. da Tensão Relativa
Ordem h % Máx. da Tensão Relativa Ordem h % Máx. da Tensão Relativa
5 6 3 5 2 2
7 5 9 1,5 4 1
11 3,5 15 0,5 6..24 0,5
13 3 21 0,5
17 2
19 1,5
23 1,5
25 1,5
Tabela 15: Valores de referência para harmônicos de tensão segundo a EN50160
Estes limites, teoricamente aplicáveis apenas para fornecedores de energia elétrica,
provêm em todo caso a uma série de valores de referência que também contem os
harmônicos introduzidos na rede pelos usuários.

124
10.2.3. Presença de harmônicos: causas
Qualquer aparelho que altere a forma da onda senoidal ou que apenas use uma parte da
onda causa distorções na forma de onda conseqüentemente harmônicos.
Todos os sinais serão afetados. A situação mais comum é a distorção harmônica devida a
cargas não lineares como equipamentos eletrodomésticos, computadores pessoais e
controladores de velocidade de motores. A distorção harmônica produz correntes de
valores significativos às freqüências de ordem ímpar da freqüência fundamental. As
distorções harmônicas afetam gravemente o condutor de neutro das instalações elétricas.
Na maioria dos países a rede de alimentação é trifásica de 50/60Hz com conexões
triângulo no primário e conexões estrela no secundário do transformador. O secundário
geralmente entrega 230V AC entre fase e neutro e 400V AC entre fases. O
balanceamento das cargas para cada fase é o problema dos projetistas de sistemas
elétricos. A cerca de 10 anos, em um sistema bem balanceado, a soma vetorial das
correntes era aproximadamente zero no ponto neutro. Porém as cargas eram lâmpadas
incandescentes, pequenos motores e outros dispositivos que apresentavam cargas
lineares. Os resultados eram essencialmente correntes senoidais em cada fase e uma
pequena corrente no neutro na freqüência de 50/60Hz.
Dispositivos “Modernos” como TV, luzes fluorescentes, máquinas de vídeo e microondas
normalmente consomem corrente somente durante uma fração de cada ciclo produzindo
correntes não lineares. Tudo isto produz harmônicos de ordem ímpar da freqüência de
linha à 50/60Hz. Por esta razão os transformadores de distribuição contém apenas
componentes de 50Hz (ou 60Hz) mas também na ordem de 150Hz (ou 180Hz), 250Hz
(ou 300Hz) e outros componentes de ordem superior a 750Hz (ou 900Hz).
A soma vetorial das correntes em um sistema bem balançado que alimenta a cargas não
lineares é muito baixa. Portanto não se eliminam todos os harmônicos. Os múltiplos de
ordem ímpar ficam adicionados ao neutro e podem causar superaquecimento em cargas
balanceadas.

10.2.4. Presença de harmônicos: consequências
Em geral, harmônicos pares, p.e. 2ª, 4ª etc., não causam problemas. Os harmônicos
ímpares, que adicionam ao neutro (em vez de cancelar uns com os outros) desta maneira
criando condições de superaquecimento dos fios o que é extremamente perigoso.
Os projetistas devem levar em consideração três normas quando desenham sistemas de
distribuição que possam conter harmônicos na corrente:

- O fio neutro deve ter uma medida suficiente
- O transformador de distribuição deve dispor de um sistema de refrigeração extra para
poder trabalhar acima da sua capacidade de trabalho, quando não existirem
harmônicos. Isto é necessário, pois os harmônicos de corrente no fio neutro do circuito
secundário circulam na conexão delta do circuito primário. Esta corrente harmônica
circulando esquenta o transformador
- A corrente harmônica da fase é refletida no circuito primário e retorna a fonte de
geração. Isto pode causar distorção na onda de tensão tal que os capacitores de
correção do fator de potência podem facilmente ser sobrecarregados

O 5º e o 11º harmônicos se opõem ao fluxo da corrente através dos motores fazendo com
que operem de forma forçada diminuindo assim sua vida média.
Em geral, quanto maior o número harmônico ordinal menor é sua energia e seus impactos
sobre os dispositivos (exceto para transformadores).


125
10.3. CORRENTES DE PARTIDA (APENAS ET-5061C)
O ET-5061C permite a detecção em tempo real dos eventos de correntes de partida,
típicos de maquinários elétricos e outras aplicações industriais (e.g. investigando
problemas relativos a comutação das cargas, dimensionamento das proteções, correntes
oscilantes, etc…) como demonstra a figura a seguir:

Fig. 196: Parâmetros da norma para eventos de corrente de partida


Fig. 197: Parâmetros de oscilação da corrente de partida
O instrumento detecta e registra como corrente de partida todos os eventos onde a
corrente TRMS de fase excede o valor limite configurado. O número máximo de eventos
gravados é fixado em 1000.
Durante a configuração do instrumento antes do processo de gravação o usuário pode
modificar os seguintes parâmetros:
 Limite de corrente inferior: Valor de detecção da corrente e gravação do evento. O
valor máximo deste parâmetro é sempre igual ao fundo
de escala da garra transdutora utilizada





126
 Modo de detecção : Os modos abaixo são disponíveis e selecionáveis:

FIX: O instrumento detecta e grava o evento cada vez que o valor TRMS da
corrente, calculada a cada meio período (10ms @ 50Hz, 8.3ms @ 60Hz),
exceder o limite inferior definido pelo usuário. Um novo evento será
detectado pelo instrumento caso o valor da corrente diminua do limite
configurado
VAR: o instrumento detecta e grava um evento cada vez que um valor TRMS da
corrente, calculada a cada meio período, (10ms @ 50Hz, 8.3ms @ 60Hz),
exceder um valor TRMS prévio (calculado em um meio período anterior) da
diferença definida pelo limite definido pelo usuário

 Intervalo de observação: Quanto o instrumento detectar um evento memoriza 100
valores TRMS de corrente e 100 valores TRMS da
tensão correspondente dentro do intervalo de detecção
selecionado. Os valores disponíveis são 1s, 2s, 3s e 4s

O instrumento exibe no display o número de eventos detectados durante a gravação. Os
resultados da análise estarão disponíveis apenas se transferidos a um computador e
utilizando o software TopView. Em particular os parâmetros a seguir serão exibidos:
 Tabela de eventos registrados (fase, data e hora em que ocorreu o evento,valores
máximos entre os valores TRMS calculados em um meio período de detecção, valores
valor adjunto do ultimo valor pertencente ao intervalo de observação para cada linha
da tabela numérica)
 Janela gráfica de eventos gravados (gráfico dos 100 valores TRMS salvos de
correntes e suas correspondentes tensões durante um intervalo de tempo selecionado
para cada linha da tabela de eventos gravados)

Para mais detales sobre registros refira-se à TopView HELP ON LINE
10.4. FLICKER (ET-5061C)
Considerando a definição teórica, Flicker é a variação da alimentação de tensão anormal,
em particular o valor RMS da luminescência de uma lâmpada tradiciona é uma
conseqüência direta. Este efeito pode ser monitorado em complacência com referência a
norma EN50160.
As causas deste distúrbio se devem à inserção e separação de grandes cargas
conectadas à rede que trabalham em modo descontínuo (como fornos, fundições, ou
maquinas de solda para uso industrial).
Fontes elétricas devem satisfazer a severas regulações respeitando esse tipo de
distúrbio. Com medidores adequados, chamados “medidores de Flicker”, é possível obter
uma taxa entre um sinal distorcido e um sinal ideal e realizar uma análise estatística
relativa para cálculo dos seguintes parâmetros cujos valores devem sempre ser <1:

Pst = Severidade de Flicker curta calculada em intervalos de 10 minutos
Plt = Severidade de Flicker longa calculada considerando a sequência de 12 valores de
Pst em intervalos de duas horas de acordo com a seguinte fórmula:
3
12
1
3
12
¿
=
=
i
sti
lt
P
P



127
10.5. TENSÕES DE ALIMENTAÇÃO DESBALANCEADAS
Em condições normais as tensões de alimentação e as cargas finais são perfeitamente
balanceadas. Desbalanceamentos são possíveis em situações de distúrbio (baixa
isolação) e interrupções de fase. Além do mais,em sistemas monofásicos, o
balanceamento somente poderá ser estático.
A fim de projetar uma proteção adequada à instalação deverá ser feito um estudo
completo das condições anômalas em sistemas trifásicos. Para um melhor entendimento
dos parâmetros das instalações é fundamental o uso da teoria dos componentes
simétricos.
Pela teoria uma verdade é que qualquer trio de vetores pode ser decomposto em três
espécies de trio: Trio simétrico e direto (positivo), trio simétrico reverso (negativo) e trio
nulo (zero) como mostrado na imagem a seguir:

Fig. 198: Decomposição do trio de vetores
Com base nesses resultados cada desbalanceamento no sistema trifásico pode ser
decomposto em 3 sistemas trifásicos que pode ser reduzido a um estudo separado das
fases do sistema relativo à sequência direta, sequência negativa e sequência zero
respectivamente.
A norma EN50160 define, relativo à sistemas de baixa tensão, “sobre condições normais
de operação, durante cada período de uma semana, 95% dos 10 minutos significam
valores rms do componente da sequência de fase negativa da fonte que deve estar dentro
da faixa de 0 a 2% do componente da sequência de fase direta. Em alguma áreas
monofásicas ou bifásicas conectadas as instalações dos consumidores, desbalanceou até
aproximadamente 3% num terminal de fonte trifásica.” O instrumento permite medir e
gravar os parâmetros acima, que são características do grau de desbalanceamento das
instalações:

100 % x
E
E
NEG
d
r
= = componente na sequência negativa
100 %
0
x
E
E
ZERO
d
= = componente na sequência zero
Onde:
E
r
= sequência do trio negativo
E
d
= sequência do trio direto
E
0
= sequência do trio zero


128
10.6. TRANSIENTES RÁPIDOS DE TENSÃO (SURTOS) (APENAS ET-5061C)
O instrumento considera todos os fenômenos associados a fase de tensão, como surtos
de tensão que possuem as seguintes propriedades:

 Rápida inclinação na variação das formas de onda da tensão
 Excedente do limite inferior anteriormente a gravação ajustado pelo usuário

O número máximo de eventos registrados em um meio período (10ms @ 50Hz, 8,3ms @
60Hz) é 4. O número máximo de registro dos eventos neste caso é de 20000.

Para um melhor entendimento sobre os aspectos desta análise, faça referência ao
exemplo de transitórios de tensão típico à 50Hz:


Fig. 199: Surtos de tensão típica à freqüência de 50Hz
O instrumento continuará a checar os sinais de tensão realizando 2 rotinas simultâneas
com diferentes faixas de amostras. Em particular:

- LENTA: Os sinais de entrada de tensão são exibidos com 256
amostras/período na faixa (20ms @ 50Hz, 16,7ms @ 60Hz)
- RÁPIDA: Os sinais de tensão são exibidos a frequência de 200kHz










129
Logo que ocorra um evento, o instrumento checará automaticamente se uma das
seguintes condições foi respeitada:

- dV/dt > 100V/5µs  tipo de evento RÁPIDO
- dV/dt > 100V/78µs  tipo de evento LENTO @ 50Hz
- dV/dt > 100V/65µs  tipo de evento LENTO @ 60Hz
e durante o intervalo de observação definido por:

- 32 x 5µs = 160µs
- 32 x 78µs = 2.5ms
- 32 x 65µs = 2.1ms

a diferença positiva e negativa (definida respectivamente DELTA+ e DELTA-) na “janela”
de limite inferior definida pelo usuário.

Baseado na descrição anterior, pode-se transferir os dados do instrumento para o
computador utilizando o software TopView, serão exibidos os seguintes parâmetros:

 Num. Tot  Número total dos eventos registrados
 Limite  Valores do limite de tensão que permite a gravação de um evento
 Fase  Identificação da fase em que ocorreu o evento
 Data/Hora  Data e hora em minutos, segundos, centésimos de segundo em
que ocorreu o evento
 Up/Down  A exibição UP corresponde a um surto na extremidade superior, já
a exibição DOWN inversamente corresponde ao surto inferior
 PICO+  Valor positivo máximo obtido pelo surto durante o intervalo de
detecção
 PICO-  Valor mínimo negativo obtido pelo surto durante o intervalo de
detecção
 DELTA+  Variação máxima positiva relativa ao surto durante o intervalo de
detecção
 DELTA-  Variação mínima negativa relativa ao surto durante o intervalo de
detecção
 F/S  Tipo de evento (F = FAST, S = SLOW)

Para mais detalhes sobre registros refira-se à TopView HELP ON LINE


130
10.7. POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA: DEFINIÇÕES
Em uma instalação elétrica padrão alimentada por três sinais de tensão define-se:

Potência ativa de fase:
(n=1,2,3) ) cos(
n n nN actn
I V P ¢ · · =
Potência aparente de fase:
(n=1,2,3)
n nN appn
I V P · =
Potência reativa de fase:
(n=1,2,3)
2 2
actn appn reactn
P P P ÷ =
Fator de potência:
(n=1,2,3)
appn
actn
n F
P
P
P =
Potência ativa total:
3 2 1 act act act act
P P P P + + =
Potência reativa completa:
3 2 1 react react react react
P P P P + + =
Potência aparente total:
2 2
react act app
P P P + =

Fator de potência total:
app
act
F
P
P
P =

onde:

V
nN
= Valor de tensão RMS entre fase e neutro
I
n
= Valor RMS da corrente de fase
f
n
= Ângulo de defasagem entre a tensão e a corrente da fase n

Na presença de distorções das tensões e correntes as relações anteriores se modificam:

Potência ativa de fase:
(n=1,2,3) ) ( I V P
n k n k n k
k
actn
¢ cos
0
¿
·
=
=
Potência aparente de
fase:
(n=1,2,3)
n nN appn
I V P · =
Potência reativa de
fase:
(n=1,2,3)
2 2
actn appn reactn
P P P ÷ =
Fator de potência:
(n=1,2,3)
appn
actn
n F
P
P
P =
Fator de potência
distorcido
(n=1,2,3)
dPF
n
=cosf
1n
= desbalanceamento entre as
tensões de fase e sua corrente
fundamental
Potência ativa total:
3 2 1 act act act act
P P P P + + =
Potência reativa total:
3 2 1 react react react react
P P P P + + =
Potência aparente total:
2 2
react act app
P P P + =
Fator de potência total:
app
act
F
P
P
P =

onde:
V
kn
= Valor RMS da kª tensão harmônica entre a fase n e neutro
I
kn
= Valor RMS da kª Corrente harmônica da fase n
f
kn
= Ângulo de defasagem entre a kª tensão harmônica e kª corrente harmônica da fase n



131
Nota:
Deve-se notar que a expressão da Potência Reativa da fase com formas de onda não
senoidais pode ser errônea. Para entender isto, pode ser necessário considerar que a
presença de harmônicos e a presença de potência reativa, entre outros efeitos, suportam
o aumento de perdas de potência na linha e o aumento do valor eficaz da corrente. Com a
seguinte relação o aumento de perdas de potência e a presença de harmônicos aumenta-
se à presença de potência reativa. Em efeito, se dois fenômenos contribuírem
conjuntamente à perda da potência na linha, geralmente não é verdade, as causas da
perda de potencia estão entre cada fase, consequentemente podem ser somadas
matematicamente
A fórmula anterior justifica-se pela simplicidade de cálculo da mesma e pelas
discrepâncias relativas entre os valores obtidos, utilizando esta relação ao valor eficaz.
Também notará, que no caso de uma instalação elétrica com harmônicos, define-se outro
parâmetro chamado Fator de Potência distorcida (dPF). Na prática este parâmetro
representa o valor limite teórico que pode-se conseguir pelo Fator de Potência se todos os
harmônicos puderem ser eliminados da instalação elétrica.

10.7.1. Convenções nas potências e fatores de potência
Para reconhecer o tipo de potência reativa, o fator de potência, e a direção da potência
ativa, as convenções refletidas na seguinte tabela se aplicam, onde o ângulo indicado é o
deslocamento da corrente em relação à tensão (por ex. No primeiro quadrante a corrente
está avançada de 0° a 90° comparando-a com a tensão):

Equipamento em teste = Gerador indutivo   Equipamento em teste = Carga capacitiva
90°






180°






Pact + = 0
Pfc + = -1
Pfi + = -1
Preactc + = 0
Preacti + = 0
Pact - = Pact
Pfc - = -1
Pfi - = Pf
Preactc - = 0
Preacti - = Preact

Pact + = Pact
Pfc + = Pf
Pfi + = -1
Preactc + = Q
Preacti + = 0

Pact - = 0
Pfc - = -1
Pfi - = -1
Preactc - = 0
Preacti - = 0






















Pact + = 0
Pfc + = -1
Pfi + = -1
Preactc + = 0
Preacti + = 0

Pact - = Pact
Pfc - = Pf
Pfi - = -1
Preactc - = Preact
Preacti - = 0

Pact + = Pact
Pfc + = -1
Pfi + = Pf
Preactc + = 0
Preacti + = Preact

Pact - = 0
Pfc - = -1
Pfi - = -1
Preactc - = 0
Preacti - = 0








270°
Equipamento em teste = Gerador capacitivo   Equipamento em teste = Carga indutiva

onde:

Símbolo Descrição Observação
Pact+ Valor da potência ativa +

Parâmetro positivo
(usuário)
Pfc+ Fator de potência capacitiva +
Pfi+ Fator de potência indutivo +
Preactc+ Valor da potência reativa capacitiva +
Preacti+ Valor da potência reativa indutiva +
Pact- Valor da potência ativa -

Parâmetro negativo
(gerador)
Pfc- Fator de potência capacitivo -
Pfi- Fator de potência indutivo -
Preactc- Valor da potência reativa capacitiva -
Preacti- Valor da potência reativa indutiva -

132
Valor Descrição
Pact
A potência ativa (positiva ou negativa) é definida no painel conseqüentemente adquire o valor
da potência ativa no momento.
Preact
A potência reativa (indutiva ou capacitiva, positiva ou negativa) é definida no painel
conseqüentemente adquire o valor da potência reativa no momento.
Pf
O fator de potência (indutivo ou capacitivo, positivo ou negativo) é definida no painel
conseqüentemente adquire o valor do fator de potência no momento.
0
A potência ativa (positiva ou negativa) ou potência reativa (indutiva ou capacitiva, positiva ou
negativa) não é definido no painel conseqüentemente adquire um valor nulo.
-1 O fator de potência (indutivo ou capacitivo, positivo ou negativo) não é definido no painel.


10.7.2. Sistema trifásico 3 fios ARON
No sistema elétrico distribuído sem neutro, a tensão de fase, o fator de potência e o cos¢
da fase perdem a importância. Apenas as tensões fase – fase, corrente – fase e a
potência total são definidas.

Fase 1




Fase 2




Fase 3
W 1-2
VAR 1-2
W 3-2 VAR 3-2

Equipamento

Trifásico


Neste caso o potencial de uma das três fases (por exemplo, fase 2) é pego como
referência de potencial. O valor total das potências ativa, reativa e aparente são
expressas na soma das indicações nas junções do wattímetro, medidor de VAR, medidor
de VA.

( ) ( )
2
32 12
2
32 12
32 12
32 12
react react act act app
react react react
act act act
P P P P P
P P P
P P P
+ + + =
+ =
+ =


133
10.8. MÉTODO DE MEDIÇÃO: TEORIA
O instrumento é capaz de medir: tensão, corrente, potência ativa, potências reativas
(indutivas e capacitivas), potência aparente, fatores de potência (indutivos e capacitivos),
energias, parâmetros analógicos e pulsos. Todos esses parâmetros são analisados de
forma digital para cada fase (tensão e corrente) e calculados baseadamente nas fórmulas
anteriores.

10.8.1. Período de integração
O armazenamento de todos os registros requer uma vasta capacidade de memória.
Conseqüentemente tentamos encontrar um modo de armazenamento que permitisse
comprimir as informações, para serem gravadas e armazenadas em pouco espaço.
O método selecionado é o de integração: após um certo período chamado de “período de
integração”, que pode ser de 1 segundo à 60 minutos, o instrumento extrairá das
amostras medidas os seguintes valores:

- Valor MÍNIMO do parâmetro durante o período de integração (harmônicos excluídos)
- Valor MÉDIO do parâmetro (média aritmética de todos os valores registrados durante o
período de integração)
- Valor MÁXIMO do parâmetro durante o período de integração (harmônicos excluídos)

Apenas esta informação (para cada parâmetro a ser memorizado) é registrada na
memória com a data e hora do início do período de integração.
Uma vez armazenados, o instrumento inicia novamente novas gravações por um novo
período.

10.8.2. Cálculo do Fator de potência
De acordo com as normas em vigor, o fator de potência médio não pode ser calculado
pela média dos valores instantâneos do fator de potência. Podendo ser obtido pelos
valores médios da potência ativa e reativa.
Portanto cada fator de potência médio (da fase ou total) é calculado no fim de cada
período de integração, do valor médio relativo as potências independentes
independentemente do fato de terem sido registradas ou não.
Para obter uma análise de melhor qualidade com relação a carga presente na linha e
obter elementos básicos em uma análise de baixo cos¢, os valores indutivos e capacitivos
de cos¢ são tratados como parâmetros independentes.


134
11. GARANTIA LIMITADA
O instrumento foi cuidadosamente ajustado e inspecionado. Se apresentar problemas
durante o uso normal, será reparado de acordo com os termos da garantia.
11.1. GARANTIA
SÉRIE Nº MODELO ET-5051C/ ET-5061C
1- Este certificado é válido por 12 (doze) meses a partir da data da aquisição.
2- Será reparado gratuitamente nos seguintes casos:
A) Defeitos de fabricação ou danos que se verificar, por uso correto do aparelho no
prazo acima estipulado.
B) Os serviços de reparação serão efetuados somente no departamento de
assistência técnica por nós autorizado.
C) Aquisição for feita em um posto de venda credenciado da Minipa.
3- A garantia perde a validade nos seguintes casos:
A) Mau uso, alterado, negligenciado ou danificado por acidente ou condições
anormais de operação ou manuseio.
B) O aparelho foi violado por técnico não autorizado.
4- Esta garantia não abrange fusíveis, pilhas, baterias e acessórios tais como pontas de
prova, bolsa para transporte, termopar, etc.
5- Caso o instrumento contenha software, a Minipa garante que o software funcionará
realmente de acordo com suas especificações funcionais por 90 dias. A Minipa não garante
que o software não contenha algum erro, ou de que venha a funcionar sem interrupção.
6- A Minipa não assume despesas de frete e riscos de transporte.
7- A garantia só será válida mediante o cadastramento deste certificado
devidamente preenchido e sem rasuras.

Nome:
Endereço: Cidade:
Estado: Fone:
Nota Fiscal N°: Data:
N° Série:
Nome do Revendedor:

11.2. INSTRUÇÕES PARA CADASTRAMENTO DO CERTIFICADO DE
GARANTIA.
O cadastramento pode ser feito através de um dos meios a seguir:
- Correio: Envie uma cópia do certificado de garantia devidamente preenchido pelo
correio para o endereço.
Minipa Indústria e Comércio Ltda.
At: Serviço de Atendimento ao Cliente
Alameda dos Tupinás, 33 - Planalto Paulista
CEP: 04069-000 - São Paulo - SP
- Fax: Envie uma cópia do certificado de garantia devidamente preenchido através do fax
0xx11-2577-4766.
- e-mail: Envie os dados de cadastramento do certificado de garantia através do
endereço sac@minipa.com.br.
- Site: Cadastre o certificado de garantia através do endereço
http://www.minipa.com.br/sac.

IMPORTANTE
Os termos da garantia só serão válidos para produtos cujos certificados forem
devidamente cadastrados. Caso contrário será exigido uma cópia da nota fiscal de
compra do produto.


135



MINIPA ELECTRONICS USA INC.
10899 - Kinghurst #220
Houston - Texas - 77099 - USA



MINIPA DO BRASIL LTDA.
Av. Carlos Liviero, 59 – Vila Liviero
04186-100 - São Paulo - SP - Brasil


Y
A
M
U
S
0
0
2
2
M
N
O