You are on page 1of 0

Automação

Industrial



Prof. Alexandre Landim
30
Motores Elétricos

A maior parte da energia elétrica produzida industrialmente é gerada em corrente
alternada (CA) e isso justifica o amplo uso desses motores.
Motor Elétrico é uma máquina destinada a transformar energia elétrica em energia
mecânica. Assim ao ligarmos um motor á rede elétrica, ele irá absorver uma dada
quantidade de energia elétrica e, em troca, acionará uma carga, como por
exemplo, um refrigerador, um esméril, etc. Os tipos de motores elétricos são dois:
Motores de CC - Custo elevado e necessidade de fonte retificada. Podem
funcionar com velocidade ajustável entre amplos limites e se prestam a controles
de grande flexibilidade e precisão.
Motores CA – São os mais utilizados e os principais tipos são:
Motor Síncrono – Trabalha com velocidade fixa e utilizado em grandes potencias.
Motor Assíncrono – Trabalha normalmente com uma velocidade constante, que
varia com a carga mecânica aplicada ao eixo. Atualmente é possível controlarmos
a velocidade dos motores de indução por meio dos variadores de freqüência.

Motor de Indução Trifásico

O motor de indução trifásico é composto de 2 partes:

31




32
A Velocidade Síncrona do motor é definida pela velocidade de rotação do campo
girante, a qual depende do número de pólos do motor e da freqüência da rede. Os
enrolamentos podem ser constituídos com um ou mais pares de pólos. O campo
girante percorre um par de pólos a cada ciclo.

n
s
=60
x
Freq. = 120
x
freq. (RPM)
p 2p

RPM
Nº de pólos 60 Hz 50 Hz
2 3600 3000
4 1800 1500
6 1200 1000
8 900 750
10 720 600


O escorregamento (s) é a diferença entre a velocidade sincrona do motor (n
s
) e a
velocidade do motor (n) ocorrido devida ao aumenta da carga.

s (RPM) =n
s
- n s(%) =n
s
- n
x
100
n
s
Assim a Velocidade Nominal é dada por:

n =n
s x
( 1 – s(%) ) (RPM)
100

Os motores elétricos podem ser Monofásicos e Trifásicos.

Motor Monofásico de fase Auxiliar
Motor de fase auxiliar é um motor de indução constituído de um Rotor tipo gaiola
de esquilo e um Estator formado por chapas de ferro silício. Esse tipo de motor é
usado em máquinas de lavar roupas, eletrobombas, geladeiras, enceradeiras de
potência elevada.
Características:
Dois enrolamentos no estator: um de fio mais grosso e com grande número de
espiras (enrolamento principal ou de trabalho) e outro de fio mais fino e com
poucas espiras ( enrolamento auxiliar ou de partida).
Enrolamento principal fica ligado durante todo o tempo de funcionamento.
Enrolamento auxiliar, só funciona durante a partida e é desligado com o
acionamento de um dispositivo automático localizado parte na tampa do motor e
parte no rotor.

- Rotor tipo gaiola de esquilo, feito com barras de cobre ou alumínio curto
circuitadas.
33
- Bom conjugado de partida proporcionado por um capacitor ligado em série com o
enrolamento auxiliar.

Ligação dos motores monofásicos
Os motores monofásicos de fase auxiliar podem ser construídos com dois, quatro,
ou seis terminais de saída. Os motores de dois terminais funcionam em uma
tensão (110 V ou 220 V) e em um sentido de rotação.
Os de quatro terminais são construídos para uma tensão (110 V ou 220 V), e em
dois sentidos de rotação, os quais são determinados conforme a ligação efetuada
entre o enrolamento principal e o auxiliar.
De um modo geral, os terminais do enrolamento principal são designados pelos
números 1 e 2 e os do auxiliar por 3 e 4.
Para inverter o sentido de rotação, é necessário inverter o sentido da corrente do
enrolamento auxiliar, isto é, trocar o 3 pelo 4.
Os motores de seis terminais são construídos para duas tensões (110 V e 220 V)
e para dois sentidos de rotação.
Para inversão do sentido de rotação, inverte-se o sentido da corrente no
enrolamento auxiliar. O enrolamento principal é designado pelos números 1, 2, 3 e
4 e o auxiliar por 5 e 6. Para a inversão do sentido de rotação, troca-se o terminal
5 pelo 6.
As bobinas do enrolamento principal são ligadas em paralelo quando a tensão é
110 V e em série, quando a tensão é de 220 V.

A partida de um motor monofásico é dada por meio de um enrolamento auxiliar ao
qual é ligado um capacitor em série, que provoca uma defasagem da corrente,
fazendo o motor funcionar como bifásico. O desligamento do enrolamento auxiliar
é feito através de um dispositivo centrífugo que atua após ter atingido uma certa
velocidade.


34


OBS: O motor de fase auxiliar admite reversibilidade quando se retiram os
terminais do enrolamento auxiliar para fora com cabos de ligação. Admite também
chaves de reversão, mas neste caso, a reversão só é possível com o motor
parado. As potências de motores elétricos são dados em HP ou CV, onde: HP -
Horse a Power - 746 w. CV - Cavalo a Vapor - 736 W .
Os motores de fase auxiliar atualmente são fabricados para potência de 1/6 á 2
CV.

Motores Trifásicos Assíncronos
Motores trifásicos são motores próprios para serem ligados aos sistemas elétricos
de três fases e são os motores de emprego mais amplo na indústria. Oferecem
melhores condições de operação do que os motores monofásicos porque não
necessitam de auxílio na partida, dão rendimento mais elevado e são encontrados
em potências maiores.
No estator do motor assíncrono de CA estão alojados três enrolamentos referente
ás três fases. Esses três enrolamentos estão montados com uma defasagem de
120º.
Do enrolamento do estator saem os fios para ligação do motor á rede elétrica que
podem ser em número de 3, 6, 9 ou 12 pontas. Os motores trifásicos podem ter 2
tipos de rotores:
- Rotor tipo gaiola de esquilo ou em curto circuito, do mesmo tipo usado em
motores monofásicos.
- Rotor bobinado, não é fechado em curto internamente e tem suas bobinas
ligadas ao coletor no qual é possível ligar um reostato, o que permite e regulagem
da corrente que circula no rotor. Isso proporciona uma partida suave e diminui o
pico de corrente comum nas partidas dos motores.
35
Padronização da Tensão dos Motores Trifásicos Assíncronos
Os motores trifásicos são fabricados com diferentes potências e velocidades para
as tensões padronizadas da rede, ou seja, 220 V, 380 V, 440 V e 760 V, na
freqüência de 50 e 60 Hz.

Ligação dos motores trifásicos
Como já foi estudado, o motor trifásico tem as bobinas distribuídas no estator e
ligadas de modo a formar três circuitos simétricos distintos, chamados de fase de
enrolamento. Essas fases são interligadas, formando ligações em estrela
[ = 380 V] ou em triângulo [ = 220 V] para o acoplamento á uma rede
trifásica. Para isso, deve-se levar em conta a tensão na qual irá operar.
Na ligação em estrela (380 V) os terminais 4, 5 e 6 são interligados e os terminais
1, 2 e 3 são ligados á rede.


Na ligação em triângulo (220V), o início de uma fase é fechado com o final da
outra e essa junção é ligada á rede.


Os motores trifásicos de uma só velocidade podem dispor de 3, 6, 9 ou 12
terminais para a ligação á rede elétrica.

A ligação de motores trifásicos com três terminais á rede é feita conectando-se os
terminais 1, 2, e 3 aos terminais de rede RST em qualquer ordem.
36
OBS: Para inverter o sentido de rotação do motor trifásico, basta inverter duas
fases R com S, por exemplo:
Os motores trifásicos com seis terminais só têm condição de ligação em 2
tensões: 220/380V, ou 440/760V. Esses motores são ligados em triângulo na
menor tensão e em estrela, na maior tensão. A figura a seguir mostra uma placa
de ligação desse tipo de motor.

OBS: Nos motores de seis terminais, é comum encontrarmos as marcações U, V
W, X, Y, e Z, ao invés de 1, 2, 3, 4, 5, e 6, respectivamente.

Os motores com nove terminais têm possibilidade de ligação em três tensões:
220/380/440V.

Os motores com doze terminais têm possibilidade de ligação em quatro tensões:
220/380/440/760V.
Placa de Ligação
37




2.7.1 – Ligação Estrela paralelo, sendo U
ϒ
=√3 vezes U

. (380Vac)
2.7.2 – Ligação Triangulo paralelo. (220Vac)
2.7.3 – Ligação Triangulo serie, U
∇2
=2 x U
∇1
. (440Vac)
2.7.4 – Ligação Estrela série, sendo U
ϒ2
=√3 vezes U
∇2
. (760Vac, só na partida).

Identificação de Motores Trifásicos (placa do motor)
Os motores elétricos possuem uma placa identificadora, colocada pelo fabricante.
Para se instalar adequadamente o motor é imprescindível que o eletricista saiba
interpretar os dados da placa.
38
A figura nos dá o exemplo de uma placa de um motor trifásico. Os dados mais
importantes são:
- a potência do motor, dada em HP ou CV (1 HP =746 W, 1 CV =735 W), para
saber, se esse motor é capaz de executar o trabalho desejado (no caso do
exemplo da figura acima), a potência do motor é de 3 CV;
- a tensão alimentadora que o motor exige (220 ou 380 V).
- a freqüência exigida da tensão alimentadora (60 Hz).
- a corrente nominal que o motor consumirá (9 ou 5,2 A, dependendo da tensão
alimentadora), para dimensionar os condutores de alimentação e os dispositivos
de proteção.
- o fator de serviço (1,15) nos determina o fator multiplicativo da potencia nominal
a qual o motor pode ser submetido a esta carga continuamente.
- as rotações que o motor fará por minuto (3510 RPM).
- a letra-código para dimensionar os fusíveis (no exemplo H).
- o esquema de ligação que mostra como os terminais devem ser ligados entre si
e com a rede de alimentação.
39

Exercícios

Desenhe um Diagrama Principal (de alimentação) para uma carga
monofásica, sendo a mesma um motor onde teremos acionamento para os
dois sentidos (horário e anti-horário). Neste exercício a inversão de sentido
se dará pelo fechamento da ligação na carga.


















Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.



40
Exercícios

Desenhe um Diagrama Principal (de alimentação) para uma carga bifásica,
sendo a mesma um motor onde teremos acionamento para os dois sentidos
(horário e anti-horário). Neste exercício a inversão de sentido se dará pelo
fechamento da ligação na carga.


















Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.








41
Exercícios

Desenhe um Diagrama Principal (de alimentação) para uma carga trifásica,
sendo a mesma um motor onde teremos acionamento para os dois sentidos
(horário e anti-horário). Neste exercício a inversão de sentido se dará pela
inversão de na seqüência de duas fases do Alimentador na carga.


















Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.

42

Exercícios

Desenhe um Diagrama Principal (de Força) para uma carga trifásica, sendo a
mesma um motor onde teremos uma partida em estrela – triângulo com
rotação em sentido único.


















Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.

43

Desenhe um Diagrama Principal (de Força) para uma carga trifásica, sendo a
mesma um motor onde teremos uma partida em estrela – triangulo com
rotação nos dois sentidos (horário e anti-horário). Neste exercício a inversão
de sentido se dará pela inversão da seqüência de duas fases do Alimentador
na carga.



















44
Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.

45

Carga Trifásica Equilibrada em Estrela e Triângulo


Um sistema trifásico (3Ø) é uma combinação de três sistemas monofásicos. O
gerador ou alternador produz três tensões iguais, mas defasadas 120º entre si. As
três fases de um sistema 3Ø podem ser ligadas de duas formas: em estrela (Y) ou
em triângulo (∆).
Uma carga equilibrada tem a mesma impedância em cada enrolamento.
No sistema 3Ø equilibrado o fasor da soma das tensões das linhas é zero e o
fasor da soma das correntes das três linhas é zero. A corrente I
N
não será nula,
quando as cargas não forem iguais entre si.

Carga Trifásica em Triangulo




46

Carga Trifásica em Estrela





Uma carga equilibrada tem a mesma impedância em cada enrolamento.
No sistema 3Ø equilibrado o fasor da soma das tensões das linhas é zero e o
fasor da soma das correntes das três linhas é zero. A corrente I
N
não será nula,
quando as cargas não forem iguais entre si.

47
Chave Compensadora ( Auto-Transformador)
A partida de motores utilizando um auto-transformador se aplica igualmente aos
motores de grande potência, isto porque ele permite dar a partida características
favoráveis em relação a partida por resistência, pois proporciona um conjugado de
partida mais elevado, com um pico de corrente reduzido.
A partida do motor se efetua em dois períodos:
1º periodo: A Alimentação do motor fica sob tensão reduzida, por intermédio de
um auto - transformador. Desprezando-se o valor da corrente magnetizante, o pico
e o conjugado na partida são reduzidos, ambos proporcionalmente ao quadrado
da relação de transformação, enquanto que, na partida por resistências, o pico de
corrente só é reduzido na simples relação de redução da tensão.
As chaves compensadoras (partida por auto - transformadores) são previstas para
um pico de corrente e um conjugado na partida, representando 0,42 ou 0,64 dos
valores em partida direta, conforme o tap de ligação do auto - transformador dor
65% ou 80%, respectivamente. O conjugado motor permite atingir assim um
regime elevado.
2º tempo: Abertura do ponto neutro do auto - transformador e conexão do motor
sob plena tensão o qual retoma suas características naturais. Curvas
características velocidade - conjugado e velocidade - corrente (valor indicado em
múltiplos valores nominal).
Corrente de Partida:
Se, por exemplo, um motor na partida direta consome 100A , com o auto -
transformador ligado no tap de 60% (0,6), a tensão aplicada nos bornes do motor
é 60% da tensão da rede.
Com a tensão reduzida a 60%, a corrente nominal (In) nos bornes do motor,
também é apenas 60%, ou seja, 0,60 x 100 =60A .
A corrente de linha (I
L
) , ( antes do auto - transformador) é dada por : I
L
=U/R
U - tensão da linha ( rede )
I
L
- corrente da linha
0,6xU - tensão no tap do auto - transformador
I
N
- corrente reduzida nos bornes do motor
48
Exercícios

Desenhe um Diagrama Principal (de Força) para uma carga trifásica, sendo a
mesma um motor onde teremos acionamento por chave compensadora (auto
transformador).


















Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.




49
Exercícios

Desenhe um Diagrama Principal (de Força) para uma carga trifásica, sendo a
mesma um motor onde teremos acionamento por chave compensadora (auto
transformador) com rotação nos dois sentidos (horário e anti-horário). Neste
exercício a inversão de sentido se dará pela inversão da seqüência de duas
fases do Alimentador na carga.



















Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.











50
Exercícios

Desenhe um Diagrama Principal (de Força) para uma carga trifásica, sendo a
mesma um motor onde teremos acionamento com 2 velocidades
(DAHLANDER).


















Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.




51
Exercícios

Desenhe um Diagrama Principal (de Força) para uma carga trifásica, sendo a
mesma um motor onde teremos acionamento com 2 velocidades
(DAHLANDER) com rotação nos dois sentidos (horário e anti-horário). Neste
exercício a inversão de sentido se dará pela inversão da seqüência de duas
fases do Alimentador na carga.



















Desenhe um Diagrama de Comando do circuito anterior.












Referências:
Site e Manual da WEG, www.eletricabasica.kit.net, www.cefetsp.br/edu, etc.