You are on page 1of 9

1

A queda da Monarquia
As razões da queda da Monarquia
1. O descontentamento da população

Nas últimas décadas do século XIX, sentia-se o descontentamento da população:    2. Os que já eram pobres (operários, agricultores e outros trabalhadores), estavam cada vez mais pobres; A alta burguesia enriquecia cada vez mais (lucros na indústria, comércio e agricultura); Os sucessivos governos da monarquia não conseguiram melhorar as condições de vida do povo A questão Africana e o Ultimato

Os países europeus mais industrializados – Inglaterra, Alemanha, França e Bélgica – começaram a organizar viagens de exploração ao continente africano para ocupar os terrenos mais ricos em algodão, diamantes, ouro e café. Em 1884-85, os países mais interessados em África reuniram-se na Conferência de Berlim. Ficou decidido na Conferência de Berlim que as terras africanas seriam dos países que as ocupassem, não interessava quem as tivesse descoberto em 1º lugar. O governo português em 1886 apresentou o Mapa Cor-de-Rosa, no qual exigia para Portugal os territórios compreendidos entre Angola e Moçambique.

Conferência de Berlim e Mapa Cor-de-rosa

A França e a Alemanha aceitaram as exigências dos portugueses, mas a Inglaterra não. Em 11 de Janeiro de 1890 a Inglaterra apresentou um Ultimato ao rei D. Carlos: ou os portugueses desocupavam os territórios situados entre Angola e Moçambique ou o governo inglês declarava guerra a Portugal. O governo português viu-se obrigado a aceitar o Ultimato, o que provocou manifestações de descontentamento. 3. A ação do Partido Republicano

Os adversários da monarquia já se tinham organizado em novos partidos. Um dos mais ativos era o Partido Republicano. Os republicanos queriam à frente do país um presidente eleito pelos portugueses e não um rei, e que devia governar só durante alguns anos. Achavam que a monarquia devia ser substituída pela república.

. foi aclamado rei D. Luis Filipe. 4. Com a morte do rei e do príncipe herdeiro.2 Em 31 janeiro 1891. São mortos o rei D. em Lisboa. Manuel II (com 18 anos). dá-se o atentado contra a família real (regicídio). a 1ª revolta armada contra a monarquia. Deu-se no Porto. O assassinato do rei As manifestações populares contra a monarquia aumentaram. No dia 1 fevereiro 1908. Carlos e o príncipe herdeiro D.

Na manhã de 5 de outubro de 1910. O hino nacional passou a ser A Portuguesa. O movimento revolucionário partiu de pequenos grupos de conspiradores: membros do exército e da marinha. presidido por Dr. à varanda da Câmara Municipal de Lisboa e perante milhares de pessoas. Manuel II e a família real embarcaram com destino a Gibraltar. Teófilo Braga. Assim terminou a monarquia em Portugal. Foi criado um governo provisório. Estabeleceu-se a igualdade entre filhos legítimos e ilegítimos . A moeda passou a ser o escudo em vez do real.3 A Revolução do 5 de Outubro de 1910 A revolução republicana iniciou-se em Lisboa a 4 de outubro de 1910Foi a 1ª grande revolução do século XX. José Relvas e outros membros do Diretório do Partido Republicano Português. o rei D. alguns dirigentes civis e grande número de populares armados. proclamaram a República. No mesmo dia. Medidas tomadas pelo governo provisório:     Adotou-se uma nova bandeira (vermelha e verde). O rei seguiu para o exílio em Inglaterra.

Separação dos poderes: legislativo. . executivo e judicial ..A lei é igual para todos.). nos termos desta Constituição..3º- Art.1ºArt.O ensino primário elementar será obrigatório e gratuito.)..). Nº 16 . Nº 8 . .O direito de reunião e associação é livre (.6º- Segundo a Constituição republicana:    Todos são iguais perante a lei.. Nº 29 .. .. São órgãos da Soberania Nacional o Poder Legislativo. organizada em Estado Unitário. A expressão do pensamento é livre. Nº 11 . (.É reconhecido o direito à assistência pública (.. Constituição de 1911 A Nação Portuguesa. (. o governo provisório organizou eleições para formar a Assembleia Constituinte. Nº 14 ..). Nº 2 . eleger e demitir o Presidente da República.). A Constituição Republicana ficou conhecida como a Constituição de 1911 pois foi aprovada a 19 de Agosto de 1911.O Presidente da república só depois de tomar posse é que podia nomear o seu governo Manuel de Arriaga foi o 1º Presidente da República eleito pelo povo. em 24 de agosto de 1911. Nº 3 . independentes e harmónicos entre si. para além de fazer as leis.. o Poder Executivo e o Poder Judicial.. nem foros de nobreza.4 A 1ª República Em 28 de maio de 1911. a qual organizou a nova constituição.É livre o culto público de qualquer religião (.Competia ao Parlamento..A República Portuguesa não admite privilégio de nascimento. adopta como forma de governo a República.Ninguém poderá ser preso sem culpa formada (. Art.)..O Parlamento era o órgão de soberania mais importante.

Em 1920. . No ensino liceal e técnico:  Criaram novos liceus e criaram escolas técnicas (escolas agrícolas. Tornaram o ensino primário obrigatório e gratuito para as crianças entreos 7 e os 10 anos. mais de metade da população portuguesa continuava analfabeta. Em 1911. analfabeto e subdesenvolvido. No ensino superior:  Criaram as Universidades de Lisboa e Porto e reformaram a de Coimbra. Portugal precisava de trabalhadores mais instruídos e capazes de acompanhar a evolução das técnicas. Podemos concluir que o Portugal da I República era um país rural. Os governos republicanos vão tomar medidas para melhorar a instrução dos portugueses: No ensino infantil e primário:    Criaram o ensino infantil para crianças dos 4 aos 7 anos. os governos republicanos fizeram importantes reformas no ensino.comerciais e industriais). Criaram novas escolas do ensino primário e fundaram “escolas normais” destinadas a formar professores primários. 70% da população portuguesa era analfabeta.5 As novas Leis As reformas no ensino Durante a 1ª República.

Os republicanos defendiam o direito ao trabalho e à justiça social. velhice e acidentes de trabalho. fundou-se a União Operária Nacional que tentava unir os sindicatos numa luta comum. Para diminuir as injustiças sociais e melhorar as condições de trabalho. más condições de higiene e segurança no trabalho. Maior segurança no trabalho. Os governos republicanos também tentaram responder às reivindicações dos trabalhadores. a criação de um seguro obrigatório para a doença. Depois de proclamada a República. nomeadamente os operários. 1911: obrigatoriedade de um dia de descanso semanal. Menos horas de trabalho. a União Operária Nacional foi substituída pela Confederação Geral do Trabalho (CGT). algumas estendiam-se a todo o país . Em 1919. publicaram algumas leis. tinham condições de vida muito difíceis: salários baixos. Leis de proteção ao trabalhador:    1910: direito à greve. 1919: direito a 8 horas de trabalho diário e 48 horas de descanso semanal. Mais instrução Em 1914. formaram-se inúmeras associações de trabalhadores ou sindicatos.greves gerais .6 A proteção aos trabalhadores Os trabalhadores. horário de trabalho com muitas horas diárias. Objetivo dos sindicatos Para conseguir Defender os interesses dos trabalhadores     Melhores salários. A mobilização dos trabalhadores para as greves era grande.

República. precisavam de ter no Parlamento uma maioria de deputados que os apoiasse. um grupo de militares conservadores. Apesar de todo o movimento sindical durante a 1ª. agravou a vida difícil dos trabalhadores portugueses. . as consequências da guerra foram desastrosas :      Desorganização geral. Portugal teve 8 Presidentes da República e 45 Governos. Desemprego. Greves. nas grandes cidades vivia uma burguesia numerosa e cada vez mais endinheirada A instabilidade governativa Durante a 1ª.7 O fim da 1º República A 1ª República foi marcada pela instabilidade política e pelo descontentamento generalizado. Enquanto os operários. Por isso. não chegando a ter tempo de concretizar medidas importantes para o desenvolvimento do País. partiu de Braga em direcção a Lisboa e promoveu um golpe militar que fez cair a 1ª República. Isso raramente acontecia porque os deputados ao Parlamento estavam frequentemente em desacordo. A maioria dos Presidentes não cumpriu os 4 anos de mandato que a Constituição estipulava. Subida de preços. Tanto o Presidente da República como o Governo. como aliás nos outros países da Europa. entre 1910 e 1926. para não serem demitidos. as desigualdades sociais permaneciam. República. O Golpe Militar do 28 de Maio A 28 de Maio de 1926. E os Governos eram substituídos constantemente. em 16 anos. camponeses e outros trabalhadores continuavam a ter uma vida miserável. Portugal viveu um período de grande instabilidade governativa. na qual Portugal participou. No nosso país. Falta de alimentos. A 1º Guerra Mundial A 1ª Guerra Mundial (1914-18). comandados pelo general Gomes da Costa.

Foi então instaurada uma ditadura militar (1926 .1933) que suspendeu as liberdades fundamentais:      não houve mais eleições. Mendes Cabeçadas. o Parlamento foi encerrado e os militares entregaram o governo a um dos revolucionário. . foram proibidas as greves e manifestações. António de Oliveira Salazar. foi proibida a oposição ao governo Salazar e o Estado Novo Em 1928 Óscar Carmona. a imprensa passou a ser controlada pela censura. Reduziu as despesas com saúde. Para ministro das Finanças foi convidado um professor da Universidade de Coimbra. educação e salários dos funcionários públicos. foi eleito Presidente da República. os governos eram escolhidos pelos militares.8 A ditadura militar O presidente da República. demitiu-se. Bernardino Machado. indicado pelos militares como único candidato. Salazar reorganizou as finanças públicas:   Aumentou os impostos.

mantinha-se o desemprego e as más condições de vida que levaram milhares de portugueses a emigrar. cargo que ocupou durante 36 anos (até 1968). Governo.. A nova Constituição pôs fim à ditadura militar e deu início a um novo regime ..que instituiu 4 órgãos de soberania:     Presidente da República. Escolas primárias. Neste regime o poder estava concentrado nas mãos do chefe do Governo. o que aumentou as reservas em ouro do Banco de Portugal..que durou 40 anos (1933-1974). Salazar foi nomeado chefe do Governo. As obras públicas A reorganização das finanças públicas permitiu ao país acumular reservas de dinheiro. sobretudo. Parte dessas reservas foram aplicadas em obras públicas:      Estradas e pontes (entre estas a ponte sobre o Tejo). .o Estado Novo . Foi aprovada uma nova Constituição . Nas zonas rurais. Tribunais. Barragens hidroeléctricas. Esta política de obras públicas facilitou o crescimento do turismo e de grandes indústrias. estações de correios. Entre 1939 e 1945 deu-se a 2ª Guerra Mundial em que Portugal não participou. liceus e universidades. quartéis. Edifícios públicos: tribunais. Hospitais.9 Em 1932. Esta neutralidade permitiu a Portugal aumentar as exportações para os países em guerra. No entanto não foi suficiente para que Portugal recuperasse do atraso em que se encontrava..a Constituição de 1933 . Assembleia Nacional.