You are on page 1of 5

CURSO FORMAÇÃO DE PROFESSORES-TUTORES PARA EaD.

Nome do cursista: Sandro Roberto Gonçalves.
Unidade III: Refletindo sobre as mídias na Educação a Distância.
Data: 21/08/2009.
Atividade: Tarefa Mídias (relato de experiência-modalidade presencial).

1.Identificação
Autor:Sandro Roberto Gonçalves.
Disciplina: História.
Público Alvo: alunos do 3º Ano – Ensino Médio.
Recursos utilizados: Livro Didático Público do Estado do Paraná, TV pendrive,
imagem, vídeo.
Número de alunos: 35
Número de aulas: 5

TEMA: DISCUSSÃO SOBRE O CONCEITO DE NACIONALIDADE E A
FORMAÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL BRASILEIRA.

2.Conteúdo
Contextualização:

Os séculos XV e XVI foram fundamentais para a Europa, principalmente,
no que tange à construção do que entendemos como Estado Nacional. O poder
político antes fragmentado agora passa a concentrar-se nas mãos de uma única
pessoa (o rei) e as consequências se refletirão nos diversos segmentos
envolvidos nesse processo de formação, tais como: a economia, a política, os
diversos grupos sociais, a formação de um exército nacional, o surgimento de
uma burocracia estatal, a unificação de pesos, medidas e moedas, o senso de
pertencimento a um determinado território; enfim, tudo aquilo que pudesse dar
condições de governabilidade ao monarca.
Portugal foi um dos pioneiros nessa empreitada e como consequência nos
séculos XV e XVI ampliam seus horizontes para fora do continente europeu e
chegam à América.
Nos séculos vindouros, entretanto, essa hegemonia passa a ser ameaçado
por nações melhor preparadas do ponto de vista militar, econômico e mesmo
tecnológico. Mas é importante destacar que nesse momento os europeus já
tinham bem claros os contornos que definem termos como: nação e Estado. Fato
que no Brasil, ainda no século XIX, não existia por uma série de fatores, dentre os
quais podemos destacar: o próprio tipo de colonização ao qual fomos submetidos
(caráter meramente exploratório), bem como, os mecanismos de repressão
utilizados pela metrópole frente a movimentos que se colocavam contra a
dominação colonial, é o exemplo do que aconteceu com a Inconfidência
Mineira(1776) que se destaca justamente por ser um movimento de vanguarda e
que representa de forma muito clara a tentativa de se construir uma “identidade
nacional” através da luta não só pela independência mas também a busca por
uma forma de governo mais liberal.
É nesse contexto que vamos concentrar nossos esforços no sentido de
compreender a formação do sentimento de nacionalidade despertado em alguns
momentos de nossa história e representado, por exemplo, na pintura de Pedro
Américo (quadro de 1888) e num trecho do filme: “Independência ou Morte” (de
1972).

3.Abordagem Pedagógica

OBJETIVOS:
• identificar no fato conhecido como a Independência do Brasil (07.09.1822),
os mecanismos constitutivos da nacionalidade brasileira.
• Através da mostra e análise de uma imagem (quadro) e de um trecho de
filme apontar as possíveis formas de interpretação desse fato histórico,
resgatando a importância do mesmo para a compreensão da formação da
identidade nacional brasileira.
Justificativa para a utilização da imagem e do trecho do filme:

A História é uma ciência que se constrói à medida em que o pesquisador
observa/analisa o fato e traz uma interpretação, busca um significado para o
mesmo. Isso se faz através da chamada fonte histórica que nas últimas décadas
teve suas possibilidades aumentadas através da utilização de recursos
disponibilizados pela própria evolução tecnológica da humanidade.
Hoje o historiador pode-se valer dos mais variados recursos para obter
uma melhor compreensão do passado desde análises laboratoriais do material
pesquisado até os mais avançados recursos da informática. Não que esses
instrumentos em si tragam a “verdade” pura e simplesmente, mesmo porque
nessa disciplina não há uma “verdade absoluta”, mas podem auxiliar e muito a
interpretar a maneira de pensar do homem nas diversas sociedades e épocas.
Por isso a utilização da imagem na atividade proposta: o quadro que
representa a Independência do Brasil e que foi pintado décadas após o ocorrido
formula uma ideia do que foi a Independência, o que não significa ter sido uma
representação fiel e verdadeira do que ocorreu. Demonstra um sentimento de
romantismo e amor exacerbado à Pátria que serviu, de certa forma, aos
interesses de grupos políticos dominantes da época.
Trazer à tona a discussão desses elementos através da observação da
obra é extremamente válida para despertar o interesse dos alunos pelo História
do Brasil.
A exibição do trecho do filme: “Independência ou Morte”, veio a corroborar
com esse objetivo de instigar o aluno a se interessar por nossa História. Já que a
cena exibida é exatamente a cópia do quadro de Pedro Américo.
Na ocasião uma série de questionamentos foram colocados aos alunos
para que posteriormente tirassem suas próprias conclusões, segue abaixo,
algumas dessas perguntas:

a) Observe o quadro e descreva a cena (personagens, vestimentas, local,
expressões dos indivíduos).
b) Quais as classes sociais representadas?
c) Todas elas participaram efetivamente da Independência e posteriormente
da formação da nação brasileira?
d) Quais as classes sociais que não foram representadas? Por que as
mesmas não estão ali? Qual a importância delas para a formação da
identidade nacional?
e) As cenas representadas pelo quadro e pelo trecho do filme estão de
acordo com a leitura feita no texto do livro didático? Sim ou Não?
Justifique:
f) Quais os interesses por trás do desejo de perpetuar durante séculos a
figura mítica do herói nacional?
g) Será que hoje em dia nós brasileiros ainda temos essa mesma visão da
História do Brasil, representada por essas mídias?
h) Ainda existem grupos políticos e sociais interessados em perpetuar essa
ideia?
i) Quem é o povo brasileiro hoje? Quais são suas principais características
culturais?

4.Procedimentos Metodológicos:

I. através de uma discussão informal os alunos apresentaram algumas
definições e ideias sobre os termos: nacionalidade, identidade, formação
do Estado Nacional, construção de uma identidade nacional.
II. leitura dos textos disponíveis no Livro Didático Público do Estado do
Paraná com respeito à temática proposta. Os alunos deveriam ler pelo
menos duas vezes os textos. O objetivo era de inteirá-los do assunto,
buscar palavras desconhecidas do vocabulário, destacar palavras-chaves
e confrontar as ideias propostas pelo autor com as ideias levantadas na
discussão anterior.
III. os alunos foram divididos em grupos e mais uma vez leram e discutiram os
textos para posterior apresentação dos pontos relevantes.
IV. justificativa por parte do professor do por quê da escolha da Independência
do Brasil como ponto de partida para se discutir a temática.
V. Utilização da TV pendrive – a imagem abaixo – quadro de Pedro Américo -
foi exposta à apreciação dos alunos.

VI. Utilização da TV pendrive – trecho do filme: “Independência ou Morte “– foi
exibido para a apreciação dos alunos.
VII. Após os alunos assistirem abriu-se um espaço para a discussão das
possíveis interpretações dadas ao fato (Independência) à partir das mídias
apresentadas.
VIII. Os alunos apresentaram um relatório (grupos de quatro) trazendo
um resumo do texto estudado, bem como, suas impressões e conclusões
sobre a temática proposta.

5.Referências

Livro Didático Público do Estado do Paraná. Historia / vários autores. – Curitiba:
SEED-PR, 2006. 2ª Edição. p.244-247

www.diaadiaeducacao.pr.gov.br

Pintura: Pedro Américo - 1888
http://www.diaadia.pr.gov.br/tvpendrive/arquivos/Image/conteudos/imagens/arte/2quadro.jpg

Trecho do Filme: Independência ou Morte – 1972
http://www.youtube.com/watch?v=2HuSZMs1MNY