29-12-2012

Fisiopatologia do Envelhecimento
Nuno Correia 17 Dez 2012

Fisiologia do Envelhecimento

“We are all amateurs; we don’t live long enough to become anything else.” Charlie Chaplin

1

29-12-2012

Sophia Loren
Nota: Cirurgia plástica/estética

Significado do envelhecimento humano
Pessoas vivem cada vez mais tempo Desafios para a medica, ética, finanças, governos, etc.

2

29-12-2012

AAAAAAHHHHHHH!!!!
US Census Bureau - EUA Adultos > 65 anos
1990 30 million

2030 2050

70 million 96 million

Portugal

3

29-12-2012

Portugal

1960 Homens: 60,7 Mulheres: 66,4

2010 Homens: 76,4 Mulheres: 82,3 Total: 79,5 anos

http://www.pordata.pt

Indice Longevidade

Indice Envelhecimento

Indice Envelhcimento: Relação entre a população idosa e a população jovem, definida habitualmente como o quociente entre o número de pessoas com 65 ou mais anos e o número de pessoas com idades compreendidas entre os 0 e os 14 anos (expressa habitualmente por 100 (10^2) pessoas dos 0 aos 14 anos).

4

Significado do Envelhecimento humano O que é normal no processo de envelhecimento – envelhecimento primário Maior susceptibilidade à doença – envelhecimento secundário Maior heterogeneidade na população idosa Início indeterminado e progressão variável Factores genéticos e ambientais 5 .29-12-2012 Objectivos Distinguir envelhecimento “normal” e alterações patológicas Compreender e descrever as alterações decorrentes da fisiopatologia de vários sistemas de órgãos.

29-12-2012 Estadios da Vida Idade cronológica é usada para referenciar fases/transições na vida Estadios da vida Vida adulta é o atingir da integração fisiológica óptima Função na idade adulta é a medida padrão É incorrecto afirmar que alterações com o envelhcimento são necessáriamente “anormais” Três aspectos nos idosos Maior heterogeneidade nas respostas Alterações na função não ocorrem simultaneamente Alterações na função não ocorrem com a mesma magnitude Velhice não deve ser vista como “doença” nem se deve colocar um cronómetro no envelhecimento 6 .

acidente vascular cerebral e doença oncológica Mortalidade declinou nos idosos Haverá um limite para a duração da vida humana? Deveremos prolongar a vida à custa da saúde global? Deveremos focar no contexto de “duração da saúde” e não “duração da vida” D’OH! “Idade cronológica não é um preditor rigoroso da condição física ou comportamental” Sue Saxon & Mary Jean Etten. Physical Change & Aging 7 .29-12-2012 Longevidade humana Aumento significativo na longevidade nos ultimos séculos Devido a declínio na mortalidade por doença infecciosa e melhoria da saúde pública Principais causas de morte atuais: Doença cardíaca.

29-12-2012 Idade cronológica vs idade biológica A condição física é influenciada por: Escolhas do estilo de vida exercício nutrição gestão do Stress Genética Ambiente Envelhecimento com sucesso Idade cronológica e idade fisiológica não são o mesmo Devido a complexas interaccções entre genética e ambiente Os indivíduos envelhecem a taxas diferentes e com variabilidade significativa 8 .

sem perda funcional Objectivos das vias: Desenfatizar envelhcimento caracterizado pelo declínico Enfatizar heterogeneidade nos idosos Sublinhar a via positiva do envelhecimento Destacar possível prevenção da doença associada à idade Envelhcimento com sucesso – homeostase menos eficiente.29-12-2012 Envelhecimento com sucesso Prevalência da doença aumenta com a idade Vias propostas para o envelhecimento Envelhecimento com doença e incapacidade Envelhcimento comum: ausência de patologia mas presença de declínio na função Envelhecimento saudável: sem patologia. mas ainda presente 9 .

29-12-2012 Envelhecimento com sucesso Hetegeroneidade de vários valores e funções Muitos valores associados com inactividade física Envelhecimento saudável Investigação recente: Idosos com musculos fracos estão em maior risco de mortalidade que indivívuos Aumento na quantidade e taxa de perda de músculo relaciona-se com aumento de morte prematura Sedentarismo é a 3ª causa de morte e factor importante nas doenças crónicas do envelhecimento 10 .

29-12-2012 Envelhcimento e doença Envelhecimento associase com aumento na incidência e gravidade da doença Vários factores predispôem o indivíduo para perdas funcionais mais tarde na vida Áreas atuais de investigação Restrição calórica Alterações no consumo alimentar Insulin-like growth factor (IGF) Medicamentos Maioria dos tratamentos tem como alvo espécies reactivas de oxigénio (ROS. sublinhando o papel dos oxidantes no processo de envelhecimento 11 . reactive oxygen species).

é uma característica inerente ao processo de envelhecimento. A capacidade das células “velhas” suportar uma variedade de insultos não é tão eficiente como nas células “novas”. geralmente múltiplas.29-12-2012 Ao nível celular… Células de idosos (independentemente da altura da última mitose) parecem ser semelhantes as células dos mais novos. que podem interferir na habilidade do idoso como condutor veicular (Holland.1994). É também neste período da vida que existe uma maior prevalência de doenças. Homeostenose Homeostenose Homeostenose é a perda de reservas orgânicas e funcionais. 12 .

factores de crescimento Erosão de estruturas e integridade dos tecidos 13 .29-12-2012 Senescência celular e morte Senescência celular é semelhante a apoptose Ocorre ao longo da vida Interrompe crescimento de células lesionadas/disfuncionais Senescência celular e morte Indutores podem provocar cancro Senescência permite que as células respondam aos indutores mas as células retiram-se do ciclo celular de crescimento .> incapazes de tumorigénese Contribuição da senescência celular para o envelhecimento Altera secreções celulares Proteases. citocinas inflamatórias.

29-12-2012 Teorias de Envelhecimento Teoria do Envelhecimento Programado Fenómeno de Hayflick Encurtamento de telómeros Teoria do erro/das mutações somáticas Teoria do Desgaste e Ruptura Teoria Cross-linking Teoria dos radicais livres/teoria da acumulação Teoria imunológica 14 .

Our cells may be preprogrammed to age and to self-destruct at particular times. Over time. Some scientists believe the accumulation of uncorrected DNA damage over years is a major cause of aging. is damaged by internal and external toxins. 30 15 . Our bodies have developed intricate repair systems that maintain the integrity of this code and of our cells and their function.29-12-2012 Physiological Theories of Ageing The genetic theory – there are believed to be pleitropic genes that promote survival in the early stages of life and ageing later in life.the genetic material in our cells. 29 Physiological Theories of Ageing DNA theory. These genes may stimulate the production of molecules that eventually cause or accelerate the ageing process. our DNA repair systems falter.

This is greater for foetal cells than for cells from elderly individuals. According to the Hayflick limit.Inside the nucleus of virtually all of our cells are chromosomes. cells can undergo a limited number of cell divisions. 31 Physiological Theories of Ageing The Telomeric theory. however. 32 16 .g. those that line our digestive tract) must be replaced over time. Cell division important because many cells in our body (e. repeating sequences of genetic material that shorten each time a cell divides.29-12-2012 Physiological Theories of Ageing The disposable soma theory. 46 in all. At the tips of these chromosomes are telomeres..DNA is kept in good repair until the time of reproduction. after which efforts are transferred to nurturing of infants. When a cell's telomeres reach a critically short length. that cell can no longer replicate. rather than for tissue repair processes.

particularly cancer. Some have likened the process of telomere shortening to a genetic biological clock that winds down over time. The immunological theory – progressive failure of the immune system reduces the ability to fight disease and increases the risk of autoimmune diseases and cancers." hoping to better understand the aging process and fight diseases. researchers continue to probe the telomeric "timepiece. 34 17 . 33 Physiological Theories of Ageing The endocrine theory – secretion and effectiveness of particular hormones are believed to decline in older age. Today. called replicative senescence.29-12-2012 The Telomeric theory- Its structure and function begin to fail as it enters this state of growth arrest.

Accumulation of waste: over time accumulation occurs as removal is not as efficient. Accumulated waste interferes with normal functioning of cells which can result in structural changes/mutations 35 Quem tem razão…… 18 . Pollution and exposure to cigarette smoke can increase production of free radicals. DNA and enzymes to cause damage to cells and tissues.29-12-2012 Physiological Theories of Ageing The free radical theory: the free radicals that are produced as a by-product of metabolic processes in cells react with proteins.

Não é possível saber tudo sobre tudo Existe muito controvérsia sobre as alterações fisiopatológicas. Alterações no coração Depósitos do “pigmento de envelhecimento”. lipofuscina. Estas alterações podem resultar numa FC ligeiramente mais lenta. Válvulas cardíacas tornam-se espessadas e rígidas Redução do número de céls pace-maker e aumento do tecido fibroso e lipídico no nódulo SA.29-12-2012 Notar que…. acumulam. 19 .

Espessamento do miocárdio. Volume de sangue nas câmaras cardíacas pode ser menor. Para compensar: duplicação da percentagem da contribuição auricular para o preenchimento. Preenchimento cardíaco mais lento. 20 .29-12-2012 Alterações no coração Lipofuscina Alterações no coração Ligeiro aumento do tamanho do coração (ventriculo esquerdo).

Capacidade de dilatar e contringir diminui significativamente Veias Alterações relacionadas com a idade são mínimas e não impedem o seu normal funcionamento. o coração continua a suprir adequadamente todas as partes do corpo.29-12-2012 Efeito das alterações Sob circustancias normais. 21 . Alterações na vasculatura Vasos sanguíneos Artérias Espessamento e rigidez da camada média das grandes artérias por ligações cruzadas de colagénio. Contudo: o coração envelhecido pode ser menos capaz de tolerar aumentos de carga (pré-carga) Factores “stressores”: Infecções síndrome coronário agudo stress emocional lesões traumáticas exercício físico extremo. Arterias menores sofrem menor espessamento /ridigez.

Pressão sanguínea superior resultando em hipertrofia ventricular esquerda. Elevada PAS.29-12-2012 Alterações observadas nos vasos Aorta: espessada. Barorreceptores (estabilizam Pressão Arterial durante o movimento/actividade) tornan-se menos sensível com a idade Isto pode contribuir para “hipotensão ortostática” Hipotensão ortostática Diagnostic criteria for orthostatic hypotension A fall in systolic blood pressure of at least 20 mmHg and/or a fall in diastolic blood pressure of at least 10 mmHg within 3 minutes of standing. [8] 22 . rigidez. Aumento da rigidez das grandes arterias provoca uma causa na queda da PAD (pressão arterial diastólica) associada com aumento continuo da PAS (ex: HTA sistólica isolada). Orthostatic hypotension can be symptomatic or asymptomatic. menos flexivel. não tratada -> acelera rigidez das grandes arterias e perpetua ciclo vicioso.

Maioria dos leucócitos mantem-se nos mesmos níveis.29-12-2012 Alterações hematológicas Diminuição da água corporal total -> Volume sanguíneo diminui. Alterações hematológicas Em geral. contagens e parametros celulares no sangue periférico não diferem significativamente do jovem adulto Contudo: a celularidade da medula óssea diminui moderamente. Número de glóbulos vermelhos (e correspondente Hemoglobina e Hematocrito) reduzem. mas os linfócitos diminuiem em número e efectividade funcional.embora não significativamente. Exemplo: 30% de celularidade (biópsia na crista iliaca) não é incomum num idoso (este valor seria muito baixo num jovem adulto). 23 .

Capacidade produtiva de anticorpos diminui.. Mas todos reconhecem o aumento de positividade do Factor Reumatoide. Nem todos acreditam que o aumeno da incidência de DAIs é uma parte expectável no envelhecimento.29-12-2012 E o sistema imune? Alterações no Sistema Imune Declínio da eficiência do sistema imune com a idade mas isto é variável individualmente. O timo (produz hormonas que activam as células T) atrofia com o envelhecimento. ANA e testes sifilíticos falsos-positivos nos idosos saudáveis. Imunidade inata torna-se menos efectiva. A proliferação das Cels T periféricas é muito menos exuberante no idoso 24 . Doenças autoimunes são mais prevalentes nos idosos.

Respirar fundo… 25 .29-12-2012 O resultado Infecções comuns são mais severas com probabilidade de recuperação mais lenta e de resposta imunitária adequada.

26 .29-12-2012 Alterações observadas com a idade Redução do número de cílios e nível da sua actividade. aumento tamanho alveolos. Número de alvéolos não se altera significativamente. Diminuiçao das terminações nervosas na laringe. unlike in smokers. Menos células glandulares nas vias aéreas principais. there is little or no destruction of the alveoli.. Alterações nos pulmões Redução do número de alvéolos funcionais a medida (paredes alveolares mais finas. Reflexo da tosse está comprometido -> tosse mais ineficaz Diminuição dos níveis de IgA secretora no nariz e pulmoes reduzida neutralização dos vírus. Reduzida elasticidade pulmonar pode se dever a “collagen cross-linking” The loss of elasticity accounts for "senile hyperinflation". menor elasticidade).

27 .29-12-2012 Agora em chinês… FEV1 cai 30mL/ano durante a vossa vida adulta VC (vital capacity) é reduzido cerca de 20% RV (residual volume) aumenta cerca de 50% Alterações nos pulmões Alvéolos menos funcionais com ligeiro espessamento dos capilares reduçao da area de superfícies disponivel para trocas O2CO2 redução do fornecimento de O2 para os orgaos vitais. em particular no contexto de doença respiratória aguda.

decreased compliance). Respirar fundo outra vez… 28 . Pulmonary vasculature becomes less elastic.29-12-2012 Observed Changes in the Lungs The respiratory muscles lose strength & endurance. There is increased stiffness of chest wall (ie. pulm artery thickens & enlarges increased resistance to blood flow in lungs increased pulmonary artery pressure.

Alterações observadas nos rins… Declínio no número de células tubulares renais. Redução do fluxo sanguíneo renal de 600ml/min ( 40 anos) para 300ml/min (80 anos) Tamanho dos rins diminui cerca de 20-30% aos 90 anos Esta perda ocorre mais no córtex onde se localizam os glomerulos (# de glom. Aos 75 anos: -50% de GFR em comparação com jovem adulto.29-12-2012 Alterações observadas nos rins… Vasos renais tornam-se mais pequenos e mais espessos reduzindo a perfusão renal. No geral: a função renal permanece “normal” excepto se ocorrer um stress excessivo sobre o sistema 29 . Nota: não é verdade para todos os idosos segundo investigação recente. diminui 30-40% aos 80 anos) Redução da GFR (glomerular filtration rate) Declínio a partir dos 40 anos. aumento de divertículos tubulares & espessamento das paredes tubulares reduzida capacidade de concentrar urina & filtrar moléculas de fármacos. aumento.

29-12-2012 A bexiga e afins… 30 .

29-12-2012 Alterações observadas… Perda da tonicidade e elasticidade do tecido muscular dos ureteres. Isto provoca micções mais frequentes O periodo de “aviso” entre a urgência e miccção é encurtado ou perdido com o envelhecimento Vamos ver esses músculos!.. Declínio da capacidade vesical de 500600mL para 250ml menor armazenamento de urina ne bexiga. 31 . uretra e bexiga Risco de retenção vesical Esvaziamento completo.

Músculos Sarcopenia (↓ massa muscular & força contráctil). Diminuição do conteúdo de água nos tendções & ligamentos contribui para ↓ mobililidade. 1990) m.. 32 .. tracto GI (obstipação) Alterações no sistema musculoesquelético…. respiratórios -> ↓ eficiência da respiração M. Parte deste desgaste muscular deve-se a diminuição da produção de hormona de crescimento Pouco claro se tal perda se deve ao envelhecimento per si ou ao desuso… Sarcopenia está associado com aumento da fadiga & risco de queda (pode comprometer as AVDs). Redução da água na cartilagem do disco intervertebral resulta em ↓ na compressibilidade e flexibilidade. (uma das razões para perda de altura). Ossos /tendões /ligamentos Perda gradual da massa ossea (reabsorção óssea > formação óssea) a partir dos 30 anos. Redução do conteúdo de água na cartilagem Teoria do desgaste e ruptura (“wear-&-tear” theory) sobre a destruição e actividade da cartilgam não é sustentavel dado que osteoartrose também é frequentemente observada nos idosos sedentários. Sarcopenia afecta todos os musculos (NEJM 323: 1.29-12-2012 Alterações no sistema musculoesquelético….

Yummy.29-12-2012 “Yummy. in my Tummy…” 33 .

carbohidratos e proteinas. mas é controverso NEJM 322: 438. 45: 450. (J. Diminui tónus no estômago e intestinos -> redução da peristalse obstipação 34 . Ao mesmo tempo. mas pode ser menos eficiente no contexto de sobrecarga aguda. Path. 1990 Produção de ácido gástrico basal e máxima diminui muito no idoso. tamanho e peso hepáticos. calcio. Em geral.29-12-2012 Alterações no tracto GI… Alguns autores defendem que ocorre atrofia & redução no número das papilas gustativas (salgado/doce). Fluxo sanguíneo hepático. função preservada. acido fólico). 1992) Declínio no número de células gástricas reduzida produção de HCL (meio ácido é necessário para a libertação de Vit B12 das fontes alimentares) Redução do nível de enzimas pancreáticas sem alterações na digestão da gordura. a mucosa torna-se mais fina. Clin. diminuem com a idade. Poucas alterações ocorrem no intestino delgado. Alterações no tracto GI Diminuição das enzimas gástricas (pepsinogénio) & pancreáticas impede absorção de nutrientes (ferro.

29-12-2012 Hmmm…. Atraso na transmissão neuronal Alterações no ciclo do sono: demora mais tempo a adormecer. J. frequência aumentada de adormecimento durante o dia Sentido do olfacto reduz marcadamente 35 . despertares nocturnos aumentados. tempo total de sono inferior. muitos neurónio sofrem ↑ crescimento dendrítico que pode (pelo menos parcialmente) compensar a perda neuronal em áreas do cérebro. .O sistema nervoso… Alterações neurológicas… Perda neuronal no cérebro ao longo da vida (quantidade e localização). 1992 Principal perda na substância cinzenta e não na branca Alguma evidência de que apesar de alguma perda neuronal com a idade. 47: B26. Ger.

29-12-2012 Alterações neurológicas O cristalino do olho perda fluido. menos flexivel. torna mais difícil focar ao perto Presbiopia Xeroftalmia Pelo e cabelo… 36 .

Podem sofrer recuo da linha de inserção do cabelo Cabelo torna-se mais fino Aumento do crescimento da pilosidade na regiao do mento e a volta dos lábios Perda de pilosidade corporal Alterações nas unhas dos pés Unhas mais espessas & more difficult to cut Crescimento mais lento Podem ter coloração amarelada 37 . loss of body hair Mulheres Cálvice é rara. narinas e regioes supraciliares.29-12-2012 Alterações no cabelo… Homens: Perda inicia-se > 20 anos Recudo a linha do cabelo Padrão de cálvice Aumento pilosidade nas orelhas.

Este processo também diminui a quantidade de nutrientes disponíveis para a epiderme através da diminuição da area de superfície corporal em contacto com a derme.Epiderme O número de células epidérmicas reduzem 10% por década e dividem-se mais lentamente tornando a pela mais incapaz de se auto-reparar. = redução da reparação/turn-over 38 . No meio… Aplanamento das “rete-ridges” da junção derme-epiderme Fragilizam a pele tornando mais fácil a descamação.29-12-2012 Alterações cutâneas . Células epidermicas tornado a pele mais fina. Alterações na pele permitem maior perda de fluido cutâneamente.

Adipócitos tornam-se mais pequenos… Isto leva a rugas e flacidez muito marcadas… 39 .29-12-2012 Na Derme… Estas alterações provocam rugas na pele A camada da derma fica mais fina Menos colagénio é produzido Ocorre desgaste das fibras de elastina --------↓ função das glandulas sebáceas e sudoríparas contribuem para pele seca Camada subcutânea….

encurtiçada. pigmentação irregular. placas e ruptura de vasos sanguíneos & queratose actínica Devido a overdoses de exposição solar Alterações endócrinas 40 .29-12-2012 Uma nota aos que adoram o sol… Elastose solar pele endurecida. com rugas.

41 . Alterações relacionadas com a idade Na maioria das glândulas-> atrofia & diminuição da secreção com a idade.29-12-2012 Sistema endócrino O SE é tão complexo e interrelacionado com outros sistemas que é difícil compreenderos efeitos do envelhecimento em glândulas específicas. mas as implicações clínicas não são conhecidas Poderá haver diferenças na acção das hormonas.

Descrito como transição da perimenopausa (~40s anos) para a menopausa. Diminuição do tamanho dos ovários & utero 42 . Pilosidade pubica mais fina e de coloração cinzenta Perda de tecido subcutaneo na genitalia externa -> aspecto enrugado.29-12-2012 Alterações relacionadas com a idade Alterações hormonais são variáveis e dependentes do sexo Mais aparente em: Homeostase da glucose Função reprodutora Metabolismo do cálcio Alterações subtis: Função adrenal Função tiroideia Alterações relacionadas com a idade no sistema reprodutor Mulheres A fase climatérica ocorre (defina como periodo durante o qual a capacidade reprodutora diminui (ie. flácido. FSH & LH ↑↑). falência ovariana) e depois pára = perda de estrogénio & progesterona.

sudorese. testículos menos endurecidos e mais pequenos Erecções menos firmes & requerem directa estimulação para alcançar rigidez Poucos espermatozoides viáveis são produzidos & diminui sua mobilidade. Alterações no sistema reprodutor Homens Redução da testosterona. Menos fluido seminal Podem não experimenciar orgamos durante o acto sexual Aumento volume da próstata (hiperplasia benigna prostática) -> compressão da uretra-> inibição do fluxo urinário 43 . mialgias. Atrofia do tecido vaginal devido a baixa dos níveis de estrogénio = espessamento & secura. Desejo sexual é variável. Contudo. depressão.29-12-2012 Alterações relacionadas com a idade no sistema reprodutor Mulheres Perda da elasticidade + perda de tecido glandular dá aspecto flácido às mamas Outras alterações físicas podem incluir hot flashes (podem provocar depressão do sono se ocorrem a noite). cefaleias. o homen continua a produzir espermatoizoides suficientemente viáveis para fertilizar ovos ate idades avançadas. irritabilidade. Aglutinação dos labios maiores & menores podem ocorrer. Os sintomas estão tipicamente presentes durante 5 anos.

29-12-2012 Manter actividade…. Feliz natal! Bom ano novo! STUDY IS YOUR JOB! 44 ..