You are on page 1of 6

REGIMENTO INTERNO

Título I – DA NATUREZA FINS E OBJETIVO
Art. 1º. A Escola Fé e Vida da Paróquia de São Francisco das Chagas - Diocese do Crato, localizada a rua Monsenhor Esmeraldo,
s/n, Bairro Franciscanos, na cidade de Juazeiro do Norte – Ce, é uma instituição de formação básica e contínua para os agentes de pastoral
que objetiva favorecer uma melhor vivência cristã e proporcionar aos agentes de pastoral uma formação integral nas várias dimensões de sua
vida, a fim de que eles possam responder às exigências da evangelização no mundo contemporâneo. É uma entidade particular sem fins
lucrativos de caráter confessional vinculada diretamente à Diocese do Crato.
Título II – DA ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO
Capítulo I – Estrutura Organizacional
Seção I – Coordenação Geral e Direção Espiritual
Art. 2º. A coordenação geral tem por finalidade coordenar os serviços a fim de assegurar a unidade do planejamento e a integração
no trabalho, conforme o projeto educativo da Escola Fé e Vida acompanhada pelo Diretor Espiritual.
I.
II.
III.
IV.

Conhecer a filosofia educacional e a estrutura administrativa da Escola;
Trabalhar de modo integrado de acordo com o Regimento e a Proposta Educativa da Escola;
Participar da elaboração do Plano de formação da Escola Fé e Vida;;
Acompanhar o trabalho realizado pelos formadores a fim de manter a unidade com relação aos objetivos e a ação dentro da Escola
Fé e Vida;
V.
Elaborar junto aos facilitadores a relação de material e livros a serem adotados ou indicados;
VI.
Fazer cumprir as determinações regimentais;
VII.
Participar das atividades, assumindo tarefas e/ou distribuindo funções entre o pessoal sob sua coordenação, sempre de comum
acordo com o Diretor Espiritual;
VIII.
Animar os facilitadores e alunos;
IX.
Organizar horários, encontros e reuniões;
X.
Garantir aos pessoal sob sua coordenação, informações sobre modificações ocorridas no horário, no calendário de atividades e sobre
outras alterações pertencentes ao seu campo de trabalho, visando a interação;
XI.
Promover as comemorações cívica, social e religiosa e outros eventos que distingam o caráter ou filosofia cristã;
XII.
Avaliar continuamente as atividades realizadas;
XIII.
Promover e/ou favorecer a participação de todos em atividades de evangelização promovidas por ou em âmbito paroquial (retiros,
seminários, aprofundamento, adoração ao Santíssimo, jornadas de evangelização, celebrações, gincanas, tridos, novenas, romaria e
outros);
XIV.
Dinamizar o grupo na distribuição e realização das tarefas propostas;
XV.
Viabilizar a realização de trabalhos de campo propostos;
XVI.
Substituir facilitadores, em sua ausência na turma, quando de imprevistos;
XVII. Verificar em sala coerência entre o conteúdo proposto e o aplicado;
XVIII. Acompanhar o desenrolar das aulas;
XIX.
Prestar orientação metodológica ao facilitador pra melhor dinamização de suas aulas sempre que solicitado, ou quando constatadas
falhas no processo ensino aprendizagem;
XX.
Subsidiar o facilitador na execução de seus planos, oferecendo textos, sugerindo técnicas de ensino, apostilas, exercícios, músicas,
compatível com seus planos;
XXI.
Divulgar a Escola Fé e Vida junto ao Conselho Paroquial;
XXII. Promover junto aos facilitadores e alunos eventos de promoção social;
XXIII. Manter-se informados de todas as situações, planos e ocorrências da e na Escola de
acordo com a necessidade;
XXIII. Observar a assiduidade e pontualidade.
Seção III – Dos Facilitadores
Art. 3º. O corpo docente participante efetivos da missão evangelizadora da Escola Fé e Vida, tem por missão desenvolver a
formação dos agentes de pastoral num encontro sistemático entre o eu, a fé e a missão.
I.
II.
III.
IV.
V.
VI.
VII.

Ministrar aulas de acordo como o horário estabelecido, registrando o conteúdo trabalhado e a freqüência do aluno;
Orientar os trabalhos e quais quer atividade extra sala relacionadas com o conteúdo;
Comparecer às reuniões e ao planejamento sempre que convocado;
Indicar livros;
Respeitar as diferenças individuais, considerando as possibilidades e limitações de cada aluno;
Contribuir com a formação dos discentes em âmbito pessoal e social;
Atender às solicitações do Diretor Espiritual e coordenação em tudo que se relaciona com o bem do aluno e da Escola Fé e Vida;
1

responsáveis por elas. e. Seção VI – Biblioteca Art. a missão e o outro. X. Ser pontual e assíduo às aulas. a. revistas. coletas e subscrições de qualquer espécie. h. participar de outras atividades programadas extra sala. bem como conteúdos. coordenação. f. II. bem com sua redação. Promover sem autorização da Direção: rifas. tem por missão procurar desenvolver-se para melhor atuar como agentes de pastoral e animador de comunidade. b. Manter assiduidade. A biblioteca tem por finalidade acolher e catalogar os subsídios. ofícios. c. b. b. religioso. b. facilitadores e colegas. Seção IV – Corpo Discente Art. aulas. facilitadores e colegas. Usar devidamente as dependências da Escola. receber e repassar correspondências. ou qualquer outra atividade quando convocada(o) ou de competência relacionada com a função. g. ativo e animador dentro da sua comunidade. livros. Seção V – Secretaria Art. coordenação. d. Permanecer no recinto escolar e dele não se ausentar antes da conclusão do horário. Ter consigo impressos. fichas. XI. objetivando o melhor desempenho estrutural da Escola Fé Vida. documentos e outros a fim de se assegurar a agilidade e desempenho estrutural da Escola Fé Vida. g. Organizar. planejamentos. c. d. Colaborar com a coordenação da escola na organização e na execução das atividades complementares. Participar ativamente da coordenação geral. Parágrafo Único – Os alunos são livres na prática de suas ações. f. de caráter cívico. IX. a fé. folhetos e outros a fim se assegurar a agilidade no empréstimo e recebimentos de todo material. I . quando necessário. A secretaria tem por finalidade organizar e catalogar. É Vetado ao Aluno Ocupar-se durante as aulas com coisas alheias às mesmas. a. comunicando com antecedência os atrasos e faltas eventuais. Ser consciente. Compete a(o) secretária(o) substituir. Controlar a freqüência dos alunos e do pessoal. enviar. num encontro sistemáticos entre o eu. Assumir o compromisso de entregar no prazo determinado todas as atividades e algum outro material que lhes for solicitado ou fornecido. a. 5º. d.Os facilitadores são livres na sua prática docente e responsáveis por ela. 6º. Executar os programas elaborados bem como cumprir a carga horária estabelecida. distribuir e acondicionar material. Leitura da ata nos encontros e reuniões . Será responsável pela organização dos arquivos. preenchimento das atas. c. Art. Parágrafo Único – A secretaria será composta de apenas um(a) secretário(a) escolhido dentre os facilitadores. qualquer membro da coordenação ou facilitador. Utilizar livros da biblioteca. Direitos do Aluno Ser tratado com respeito pela Direção. I. Será requisito básico para admissão de facilitador ter concluído ou estar participando do Curso de Iniciação Teológica oferecido pelo Instituto de Teologia e Animação Pastoral Madre Gerhilde –ITEM-G ou comprovar experiência dos conteúdos a serem trabalhados na escola. social. Praticar atos que firam os bons costumes e boa educação. 7º.VIII. gravuras ou revistar contrárias à moral. reuniões. III. Deveres do Aluno Respeitar a Direção. impressos em geral. O corpo discente participante ativo na missão evangelizadora da Escola Fé e Vida. 2 . bem como aparelhos portáteis de som ou gravadores de qualquer espécie sem previamente ter mantido comunicação e obtido autorização da coordenação e facilitadores. Esforçar-se para o domínio do processo ensino-apredizagem. Participar dos encontros de formação. A(O) Secretária(o) a. porém. Portar-se com respeito e dignidade. documentos. artístico e recreativo. sem a autorização do facilitador ou coordenação. e. 4º. Parágrafo Único . arquivos. Cumprir os conteúdos pré estabelecidos conforme os currículos indicado pela Diocese e o material de subsídio fornecido nas assembléias de formação.

Compete a(o) bibliotecária(o) substituir. com o mínimo de 2 (duas) horas aulas semanais. Será responsável para pagar e receber valores . Parágrafo Único – A biblioteca será composta de apenas um(a) bibliotecário(a) escolhido dentre os facilitadores. g. A tesouraria tem por finalidade administrar os recursos financeiros e materiais da Escola a fim de zelar. Seção III – Calendário Escolar Funcionará em regime de 3 (três) anos consecutivos. sendo um o coordenador. Capítulo II – Do Regime Didático Seção I – Organização Curricular 3 . período de férias. Seção V – Matricula I. restritas a mudança de endereço paroquial ou de cidade. Não serão aceitos ou expedidos nenhuma autorização a título de transferência de aluno para outra paróquia sem que sejam apresentadas justificativa. arquivar. qualquer membro da coordenação ou facilitador. DO REGIME DIDÁTICO E DAS NORMAS DE CONVIVÊNCIA Capítulo I – Regime Escolar Seção I – Organização A Escola Fé e Vida São Francisco das Chagas será em primeira instância organizada por período de estudo não seriado. Ficha de inscrição gratuita. 8º. Ter condição de estimular a formação na comunidade. Limita-se 2 (dois) participantes por comunidade. A(O) Bibliotecária(o) a. Engajamento pastoral na Paróquia. Seção IX – Serviços Gerais Título III – DO REGIME ESCOLAR. 10 (dez) na Dimensão Bíblico-Catequética e 6 (seis) na Dimensão TeológicoSacramental – 216 h/a. quando necessário. catalogar empréstimos e recebimentos de material: b. preservar e adquirir material. IV. I . com 8 (oito) horas destinadas para cada disciplina que num total perfazem: 7 (sete) na Dimensão humano Social. f. c. Dezembro e Janeiro. II. porém consecutivo utilizando o critério de pré-requiisto disciplinar num período experimental de três anos. Ter disponibilidade e entusiasmo para aprender e participar de todas as atividades. e.I . Fazer uso do material da biblioteca da Paróquia conforme seu regimento. II Será aceita transferência de aluno advindo de outra cidade mediante documentação expedida pela Paróquia de origem. como também preparar junto a coordenação fichas de controle de empréstimo de material da biblioteca. Será responsável pelos movimentos promocionais e recolhimento de taxas. Compete a(o) tesoureiro(a) substituir. Também a serem contadas 108 horas destinadas ao planejamento didático coletivo e 144 horas de formação para os facilitadores. Seção VII – Tesouraria Art. objetivando o melhor desempenho estrutural da Escola Fé Vida. d. movimento ou grupo. Seção IV – Critérios para Admissão I. b. Participar ativamente da coordenação geral. Será responsável para organizar. Seção VII – Transferência I. III. A(O) Tesoureira(o) a. Seção II – Modalidade Educação de Formação Religiosa para Jovens e Adultos em período presencial. Parágrafo Único – O público alvo desta Escola serão os Agentes de Pastoral e animador de comunidade ativos na Paróquia. exceto nos meses de Julho. Ficha de Auto-conhecimento e Avaliação. II. Em reunião mensal prestar contas das entradas e saídas dos recursos. bem como por toda compra e venda de material necessário da Escola. 4 (quatro) na dimensão Pastoral. quando necessário. Participar ativamente da coordenação geral. qualquer membro da coordenação ou facilitador.

Diocese do Crato. a missão e o outro. Os participantes deverão ter freqüência mínima de 80%. Neste contexto a Paróquia São Francisco das Chagas da cidade de Juazeiro do Norte. tem por missão procurar desenvolver-se para melhor atuar como agentes de pastoral e animador de comunidade. apropria-se e faz valer a proposta de Dom Fernando Pânico. é uma instituição de formação básica e contínua para os agentes de pastoral que objetiva favorecer uma melhor vivência cristã e proporcionar aos agentes de pastoral uma formação integral nas várias dimensões de sua vida. a implantação da Escola Fé e Vida nesta Paróquia. tem por missão desenvolver a formação dos agentes de pastoral num encontro sistemático entre o eu. Seção III – Certificado Parágrafo Único – Não será emitido certificado ou diploma para os participantes. na cidade de Juazeiro do Norte – Ce. Estrutura Organizacional Seção I – Coordenação Geral e Direção Espiritual A coordenação geral tem por finalidade coordenar os serviços a fim de assegurar a unidade do planejamento e a integração no trabalho. classificatório ou quantitativos para avaliação dos alunos.Ce DIRETRIZES DA ESCOLA FÉ E VIDA Justificativa Dada a necessidade cada vez maior de agentes de pastoral com formação específica. A avaliação deve ser de caráter processual. a fim de que eles possam responder às exigências da evangelização no mundo contemporâneo. conforme o projeto educativo da Escola Fé e Vida acompanhada pelo Diretor Espiritual. Seção II – Dos Facilitadores O corpo docente participante efetivos da missão evangelizadora da Escola Fé e Vida. Capítulo III – Das Normas de Convivência Observação: Este regimento interno fica aberto a alterações de acordo com o desenvolvimento ou andamento da vivência da própria Escola. Seção III – Corpo Discente O corpo discente participante ativo na missão evangelizadora da Escola Fé e Vida. a Diocese do Crato resolve criar em âmbito paroquial escolas de formação básica e contínua. Aproveitando assim. III. Bairro Franciscanos. num encontro sistemáticos entre o eu. É uma entidade particular sem fins lucrativos de caráter confessional vinculada diretamente à Paróquia e a Diocese. Os facilitadores são livres na sua prática docente e responsáveis por ela. tendo em vista o grande número de pessoas que atuam em diversas comunidades e movimentos vinculados a igreja e que nem sempre têm oportunidade de participar de cursos ou encontros de formação. Objetivo e Fins A Escola Fé e Vida da Paróquia de São Francisco das Chagas . II. continua e qualitativa com momentos de Intercomunicação. o material humano que participou do Curso de Teologia e Animação Pastoral encaminhado pela paróquia para o ITEM-G. de leigos conscientes do ser igreja hoje. localizada à rua Monsenhor Esmeraldo.Seção II – Avaliação I. PARÓQUIA SÃO FRANCISCO DAS CHAGAS Diocese de Crato Juazeiro do Norte . a fé. 4 . Identificação. s/n. também. Bispo Diocesano. a fé e a missão Será requisito básico para admissão de facilitador ter concluido ou estar participando do Curso de Iniciação Teológica oferecido pelo Instituto de Teologia e Animação Pastoral Madre Gerhilde –ITEM-G ou comprovar experiência dos conteúdos a serem trabalhados na escola. Não será adotado processo seletivo.

Disponibiliza-se 2 (dois) participantes por comunidade. Engajamento pastoral na Paróquia. • Afetividade. V. Regime Escolar Seção I – Organização A Escola Fé e Vida São Francisco das Chagas será em primeira instância organizada por período de estudo não seriado. Dimensão Biblico-Catequética • Introdução à Bíblia. 5 . • Pluralismo religioso e ecumenismo. A biblioteca será composta de apenas um(a) bibliotecário(a) escolhido dentre os facilitadores. sexualidade e vida cristã. responsáveis por elas. sendo um o coordenador. II. Seção II – Público Alvo O público alvo desta Escola serão os agentes de pastoral e animadores comunidades ativos na Paróquia. Seção III – Critérios para Admissão e Matricula I. • Ética. Ter condição de estimular a formação na comunidade. preservar e adquirir material. • Pastoral catequética e seus conteúdos. • A prática na vivência comunitária e social (relações humanas). Dezembro e Janeiro. período de férias.Os alunos são livres na prática de suas ações. Seção VI – Tesouraria A tesouraria tem por finalidade administrar os recursos financeiros e materiais da Escola a fim de zelar. Ter disponibilidade e entusiasmo para aprender e participar de todas as atividades. A tesouraria será composta de apenas um(a) tesoureiro(a) escolhido dentre os facilitadores. arquivos. revistas. • Doutrina social da Igreja. A secretaria será composta de apenas um(a) secretário(a) escolhido dentre os facilitadores. porém consecutivo utilizando o critério de pré-requiisto disciplinar num período experimental de três anos. • Fé e política. objetivando o melhor desempenho estrutural da Escola Fé Vida. objetivando o melhor desempenho estrutural da Escola Fé Vida. Seção V – Biblioteca A biblioteca tem por finalidade acolher e catalogar os subsídios. Seção IV – Secretaria A secretaria tem por finalidade organizar e catalogar. documentos e outros a fim se assegurar a agilidade e desempenho estrutural da Escola Fé Vida. 10 (dez) na Dimensão Bíblico-Catequética e 6 (seis) na Dimensão Teológico-Sacramental – 216 h/a. Ficha de inscrição gratuita. Dimensão Pastoral • Missionariedade. livros. exceto nos meses de Julho. apresentação de sugestões e desenvolverem estratégias que melhor se adeqüem aos conteúdos apresentados no currículo básico. IV. • Doutrina cristã (Diretório Sacramental e Catequético). com 8 (oito) horas destinadas para cada disciplina que num total perfazem: 7 (sete) na Dimensão humano Social. Seção V – Calendário Escolar Funcionará em regime de 3 (três) anos consecutivos. • Religiosidade popular. III. Seção IV – Metodologia Em comunhão os facilitadores são livres para discussão. folhetos e outros a fim se assegurar a agilidade no empréstimo e recebimentos de todo material. Seção VI – Organização Curricular O currículo Básico da Escola Fé e Vida encontra-se assim distribuído: Dimensão Humano-Social • A pessoa e seu desenvolvimento humano-psíquico-social. porém. 4 (quatro) na dimensão Pastoral. moral e bioética. movimento ou grupo.

Das Normas de Convivência Deve-se procurar manter um clima harmonioso de ajuda mútua entre os participantes da escola.II e III. Seção VII – Avaliação I. independente de função ou posição a qual possa está vinculado. classificatório ou quantitativos para avaliação dos alunos. Dimensão Teológico-Sacramental • Maria na caminhada da Igreja. Os Evangelhos sinóticos. II. • História da igreja I. Não será adotado processo setivo. • Liturgia: aspectos celebrativos da fé cristã. A avaliação deve ser de caráter processual. • Introdução geral aos sacramentos da iniciação cristã. Será aceita transferência de aluno advindo de outra cidade mediante documentação expedida pela Paróquia de origem. Todos devem procurar tratar-se com respeito e dignamente. Os profetas. Seção IX – Transferência I. III. II. Os escritos joaninos I e II. Os participantes deverão ter freqüência mínima de 80%. Não serão aceitos ou expedidos nenhuma autorização a título de transferência de aluno para outra paróquia sem que sejam apresentadas justificativa. Seção VIII – Certificado Não será emitido certificado ou diploma para os participantes (até a presente data). Jesus e seu Projeto. As cartas paulinas. As primeiras comunidades cristãs. 6 . tendo em vista o bem comum. continua e qualitativa com momentos de Intercomunicação.• • • • • • • • • O êxodo. restritas a mudança de endereço paroquial ou de cidade. As parábolas bíblicas. o respeito ao outro e o amor próprio. • A experiência de Deus na vivência pessoal e comunitária. A pedagogia de Jesus e as nossas práticas pastorais. sem que jamais esquecer o Amor de Deus.