You are on page 1of 58

Curso Básico de Construção de Poços

Aula 2 MBA Executivo Petróleo e Gás
FUNCEFET
Paulo Fonseca Paulo Guilherme Ronaldo Izetti

Paulo Fonseca

1

Seqüência de instalação de ANM com sonda de completação

Paulo Fonseca

2

Introd. à instalação de subconjuntos da ANM
1.Preparaç 1.Preparação 2. Descida 3.Instalaç 3.Instalação e Teste do acoplamento 4.Retirada da Ferramenta

Meio (Riser)

Ferramenta Equipamento

De uma maneira geral, todo tipo de equipamento submarino necessita de sua ferramenta e um meio para que seja possível sua instalação. A função básica da ferramenta é manter, através de um conector, o equipamento suspenso quando da sua descida e permitir, após instalação, a retirada do meio utilizado para instalação. A função básica do meio utilizado é o de levar o equipamento até sua profundidade de instalação e, em geral, propiciar o controle da operação de instalação, teste da interface desde a superfície e acesso ao poço.. Exemplo de meios: Riser de Completação, Drill Pipe Riser, Drill Pipes comuns, etc. Exemplo de Ferramentas: - FIBAP: Ferramenta de Instalação da BAP; - THRT: Tubing Hanger Running Tool; - TRT : Tree Running Tool; Obs: a TRT funciona como ferramenta da ANM e também da Tree Cap. -FIBOP: Ferramenta de Instalação do BOP; -Seqüência básica: 1-Preparação na superfície. Fase onde são feitas inspeções, testes, movimentações e acoplamento dos dispositivos, preparando o equipamento para iniciar descida. Utiliza-se Bases de Teste para equipamentos e ferramentas. 2- Descida : fase de conexãp dos risers permitindo a descida do equipamento até a profundidade desejada. 3-Instalação : fase em que é feito o assentamento do equipamento no local desejado. Ë a fase mais cr[itica. O assentamento deve ser o mais suave possível para se evitar danos nos equipamentos. Antes do assentamento devem ser observados alguns cuidados como: boas condições de mar (heave e correnteza), orientação do equipamento, condições do sistema DP da sonda e garantir boa visibilidade do ROV. 4- Testes de acoplamento. Em geral ,os dois principais são : teste de overpull e teste de vedação. 5- Retirada da ferramenta: após a retirada, deve-se efetuar procedimento de preservação e mover para base de transporte.

Paulo Fonseca

3

Seqüência de Instalação de ANM
1. Perfuraç Perfuração 2. Sobe BOP 3. Desce BAP 4. Sobe FIBAP

Riser de Perfuraç Perfuração

Riser de Completaç Completação

BOP

Tampões Cimento

FIBAP

SCPS

BAP

O primeiro passo (1) é a perfuração do poço. Após a perfuração, é necessário retirar o BOP de perfuração (2) para permitir a instalação da BAP. A retirada do BOP deve ser precedida da instalação de barreiras de segurança (tampões de cimento) no poço. Também podem ser instalados packers tamponados. A BAP é, então, descida com a Ferramenta de Instalação da BAP (FIBAP) (3) e com risers de completação ou Drill Pipes comuns. Após o travamento do conector da BAP no alojador de alta pressão do SCPS e execução de testes, a FIBAP é desconectada e retirada (4), juntamente com os risers de completação. A BAP é descida com a Bucha de Desgaste ou Wear Bushing (WB) já assentada em seu interior. Esta bucha evita danos à área de vedação do tubing hanger, principalmente quando há passagem de coluna de perfuração com broca. Obs: - SCPS: Sistema de Cabeça de Poço Submarino - MCV: mandril de conexão vertical - DHSV (Down Hole Safety Valve) = SSSV (Sub Surface Safety Valve) - MLF: Mandril das Linhas de Fluxo

Paulo Fonseca

4

Seqüência de Instalação de ANM
5. Desce BOP 6. Instala TH 7. Sobe BOP 8. Desce ANM

TRT

ANM

Barreiras Seguranç Segurança

TH

O próximo passo é descer novamente o BOP de perfuração (5)com risers de perfuração e assentar no alojador de alta pressão da BAP. Após os testes do BOP, é descida uma broca para cortar os tampões de cimento e condicionar o poço, trocando, ao final, o fluido do poço por fluido de completação(5). A coluna de produção é descida, juntamente com o Tubing Hanger, através do riser de perfuração. O tubing hanger é descido com a Tubing Hanger Running Tool (THRT), JRC (Junta de Riser Cisalhável) e riser de completação (6). O TH é assentado e orientado no alojador de alta pressão da BAP (5). Após os testes de pressão, a THRT é desconectada e o conjunto THRT/ JRC são retirados com o riser de completação (6). Em seguida, o BOP é retirado (7). Para que o BOP possa ser retirado de maneira segura, é preciso haver duas barreiras mecânicas no anular (normalmente o PKR e o Tubing Hanger) e na coluna de produção. As barreiras na COP podem ser Standing Valve, DHSV, Plug, Válvulas Hidráulicas, etc. A ANM é então descida (8) com a Tree Running Tool (TRT) e riser de completação e assentada no alojador de alta pressão da BAP, onde o TH já se encontra instalado. São efetuados diversos testes de pressão e funcionais para verificar a operacionalidade dos atuadores da ANM.

Paulo Fonseca

5

Se foi assentado um plug. Com esta configuração são possíveis as operações com cabo ou Flexitubo dentro do poço. esta é retirada com wireline ou flexitubo. em caso de perda de posição da sonda de completação. é feita a desconexão da FIBOP. Como há operação de wireline ou flexitubo. Paulo Fonseca 6 . após a indução de surgência para realização do TFR (10). Desce Tree Cap FIBOP BOP TRT Tree Cap A TRT é então retirada (9). Sobe TRT 12. A FIBOP. é necessária a utilização de BOP de workover (BOP WO). é feita a indução de surgência para efetuar TFR (Teste de Formação a poço revestido). que desce junto com a ANM e sua ferramenta de instalação. Caso haja standing valve (STV) na coluna de produção. Após a retirada da TRT é descido o conjunto TRT+ BOP WO + FIBOP com riser de completação (10). ou Ferramenta de Instalação do BOP de workover tem o mesma função do LMRP (Lower Marine Riser Package) do BOP de perfuração. este deve ser retirado com equipamento de slickline. A Tree cap é descida (11) com riser de completação e assentada no topo da ANM (tree manifold). As barreiras da COP são retiradas. o poço é fechado (10) e a TRT+BOP+FIBOP são retirados (11) com o riser de completação. Em seguida. Retira TRT 10.. Desce TRT/BOP WO/FIBOP e TFR/limpeza 11. Após o TFR. Ou seja.Seqüência de Instalação de ANM 9.

Paulo Fonseca 7 . Desce MCV Navio de Lanç Lançamento de Linhas Cabo Cabo Capa Corrosão Flowlines Ferramenta de Instalaç Instalação do MCV MCV A capa de corrosão (CC) é descida a cabo e assentada no topo da Tree Cap (13). O MCV é travado no mandril da BAP com auxílio de ROV.Seqüência de Instalação de ANM 13. O MCV é descido a cabo e junto com as flowlines. Desce Capa Corrosão 14. A sonda de completação deixa a locação. Um navio de lançamento de linhas instala o MCV (Mandrl de Conexão Vertical) na BAP (14).

(15) Paulo Fonseca 8 . Sobe MCV RT Flowline Bundle: Bundle: Linha de Produç Produção: 6” 6” ID Anular: 4” 4” ID Umbilical de controle A Running Toll (RT) do MCV é retirada.Seqüência de Instalação de ANM 15.

Seqüência de Instalação de ANM 16.(16) Paulo Fonseca 9 . Conexão das linhas à UEP UEP O barco de lançamento de linhas lança as linhas na direção da UEP.

Produç Produção do poç poço UEP 10 km As linhas são conectadas à UEP (17). ou seja. o MCV foi conectado primeiro na BAP e depois na UEP. Poderia ter sido feita uma conexão de segunda ponta. Paulo Fonseca 10 . Os procedimentos de prevenção de hidratos são efetuados e inicia-se a produção do poço para a UEP. Vale a pena lembrar que esta é uma conexão vertical de primeira ponta.Seqüência de Instalação de ANM 17.

Seqüência com BAP Drill Through Paulo Fonseca 11 .

. num poço slender. Sobe FIBAP 4. Desce SCPS 2. Observa-se que não há necessidade de termos tampões de cimento de abandono porque. Desce BOP Drill Pipes FIBAP SCPS BAP DT Para evitar uma manobra desnecessária do BOP de perfuração (passos 2 e 5 da seqüência anterior). a perfuração de poços slender só pode ser feita em campos conhecidos. Naturalmente. utilizamos a BAP Drill Through. ela permite a passagem de brocas de até 14 3/8” através dela. Caso contrário. antes da descida da BAP. O BOP é assentado na BAP. o revestimento de 13 3/8” seria substituído por revestimento de 16”. Isto permitirá descermos revestimentos de até 11 ¾” através da BAP. o poço não foi perfurado até a zona produtora. nos poços slender. o SCPS é instalado antes da BAP. com a BAP Drill Through. há risco de blow out. Paulo Fonseca 12 . atualmente. Neste caso. neste estágio. BAP DT é assentado no Alojador de alta do SCPS. o condutor de 36” e o revestimento de 13 3/8” (ou 16” ) instalados e cimentados. Portanto. Desce BAP DT 3. Como o nome sugere. Teríamos. Em seguida.Instalação da BAP DT (Drill Through) 1.

Prossegue perfuraç perfuração (desce revestimento de produç produção) e completaç completação Após o assentamento do BOP. prosseguem-se as operações de perfuração. Paulo Fonseca 13 .Seqüência de Instalação de BAP DT 5.

Todos os conceitos e seqü seqüência de instalaç instalação dos subconjuntos da ANM a serem analisados.Recuperar ou abrir barreiras da COP. Descer COP com TH 8. Instalar barreiras de seguranç segurança na COP com WL 9. Instalar ANM. Esta seqüência será a seguida e ao longo da apresentação serão mostrados os detalhes da instalação dos subconjuntos da ANM sempre alinhado com contexto da completação do poço.Induzir Surgência 11. també também se aplicam.Perfurar restante do poç poço 5. 5. a Seqüência utilizando BAP “Drill Through” Through” (BAP DT). A seqüência geral mostrada acima se baseia na NÃO utilização de perfuração através da BAP. Retirar BOP 4. Instalar CC. Será dada maior ênfase nos procedimentos práticos e operacionais realizados na sonda de completação. Efetuar completaç completação inferior 7. Notar que nesta seqü seqüência se economiza uma manobra do BOP. à título de informação. Instalar Tree Cap 12. Bushing)instalada. Instalar barreiras de seguranç segurança (tampões de cimento) 3..Assentar BAP DT 3.Seqüência Básica de Completação de Poço com Foco na instalação da ANM A Seqü Seqüência a seguir considera uso de BAP convencional.Instalar BOP assentandoassentando-o na BAP DT 4.Efetuar completaç completação inferior 6.Induzir Surgência 1212. Obs: A seguir. Retirar BOP 10. Até o passo 3 são realizadas fases de perfuração do poço e retirado o BOP.Instalar Capa de Corrosão. 2. Paulo Fonseca 14 .Instalar Tree Cap 1313.Instalar barreiras de seguranç segurança na COP 8. Descer BAP com WB (Wear (Wear Bushing)instalada.Descer COP com TH 7. O poço então está pronto para a próxima fase: Instalação da BAP. Descer BOP assentandoassentando-o na BAP 6. 1.Retirar BOP 9-Instalar ANM 1010-Recuperar ou abrir barreiras da COP 1111. Perfurar o poç poço completamente com BOP instalado. 1-Perfurar o poç poço parcialmente e acima da zona de interesse com retorno de cascalhos cascalhos para fundo do mar 2.

O BOP de perfuração foi retirado à superfície.Situação do poço antes da descida da BAP DPs Piso da Mesa Rotativa Detalhe do Alojador de Alta FIBAP Piso do Moon Pool BAP Nível do Mar Perfil H4 FUNDO DO MAR ALOJADOR DE ALTA TAM PÃO DE C IM E N T O F L U ID O D E PERFURAÇÃO FLAPPER VALVE GÁS ÓLEO ÁGUA A figura mostra a situação no poço e a situação na sonda. O poço encontra-se perfurado e abandonado com tampões de cimento(barreiras de segurança). fase de preparação da FIBAP e BAP. Paulo Fonseca 15 . O detalhe do Alojador de alta mostra perfil Tipo H4 onde o conector da BAP será travado.

Retirar capa de abandono do poç poço.Testar SDR (Sistema de destravamento rá rápido): deve ser menor que 30 seg. Descer o conjunto com DPs e umbilical de controle (ouDPR) . via ROV.Orientar BAP de acordo conforme azimuth de saí saída das flowlines.Travar BAP atravé através de pressão na linha do Lock do conector.Quando BAP estiver pró próxima a cabeç cabeça de poç poço fluir Linha do Seal Test do VGX c/ N2. 5.Descer “garaté garatéia” ia” com DPs e retirar capa de abandono com auxí auxílio de ROV. . Observar. como: anel VGX.Testar override e sistema de compensaç compensação das vá válvulas PIGPIG-XOVER e AI. 4. assentar e travar a BAP no alojador de alta alta . 4. flowlines. Obs: plumbagem = verificaç verificação do correto alinhamento para que a funç função seja atuada pela vá válvula correspondente no painel de controle. . . . Orientar a BAP com ROV. Inspecionar FIBAP (Ferramenta de Instalaç Instalação da BAP) e BAP na superfí superfície. o indicador de travamento.Assentar e testar capas de teste nos hubs dos MCVs das flowlines. 3. 3.Instalar cintas para fixaç fixação do umbilical de controle a cada 15m. Montar a FIBAP na BAP na sonda de completaç completação e efetuar teste funcional Descer o conjunto com DPs e umbilical de controle (ouDPR) Orientar a BAP com ROV. Retirar capa de abandono do poç poço e descer FEJAT (Ferramenta de Jateamento) Jateamento) com DPs e jatear alojador de alta.Testar funcionamento de vá válvulas direcionais atuadas por ROV.Principais passos: 1.Testar funç funções de lock e unlock da BAP verificando marcaç marcações de referência. Inspecionar FIBAP e BAP na superfí superfície. Montar a FIBAP na BAP na sonda de completaç completação e efetuar teste funcional .Instalação da BAP( Seqüência)(1/3) . área de assentamento e vedaç vedação do TH. . alojamentos dos ané anéis AX 2” 2” e AX 4” 4” do MLF fixo. 5. . especialmente a do seal test do anel anel VGX. . 1. 2. .Efetuar “plumbagem” plumbagem” das LC (Linhas de Controle). . assentar e travar a BAP no alojador de alta 2. Principais procedimentos.Verificar quantidade e tipo de sobressalentes necessá necessários.Verificar integridade de todos os elementos e áreas de vedaç vedação. Paulo Fonseca 16 .Instalar WB (Wear Bushing) na BAP . couplings do hub do MCV de Umbilical. . Montar WB (Wear (Wear Bushing) Bushing) na BAP.Assentar BAP com compensador da sonda atuando (aberto). . descer FEJAT com DPs e jatear alojador de alta.Assentar capa de teste no hub do MCV de Umbilical e testar Linhas Linhas de Controle. . .Obs: A WB protege a área de vedaç vedação do TH na BAP. alojamentos dos ané anéis AX 4” 4” dos hubs dos MCVs das Flowlines.

como backup ao anel VGX.Os projetos mais antigos possuem bucha de vedaç vedação M/M nas BAPs. Durante o teste a linha de monitoraç monitoração de vazamento que possui retorno para painel na BAP. atravé através de ferramenta. ou mecanicamente ( projetos mais antigos). 8.Energizar vedaç vedação M/M (metal/metal) da bucha de vedaç vedação . 8.Retirar FIBAP.1 Teste de travamento (overpull): consiste em tracionar a coluna coluna de riser de modo que se consiga “puxar” puxar” o equipamento em questão com um valor de traç tração acima do seu peso. recentes). Energizar a bucha de vedaç vedação Efetuar testes de travamento (teste de overpull) e vedaç vedação.2 Teste de vedaç vedação : a vedaç vedação do anel VGX com o alojador de alta (cabeç (cabeça de poç poço) é testada pressurizandopressurizando-se com N2. Ultimamente não se utiliza mais a vedaç vedação M/M da bucha como primeira opç opção ao vazamento do anel VGX. Exemplo prá prático: -Peso do conjunto “pendurado” pendurado” (BAP.FIBAP. -Traç Tração de teste que deve ser aplicada na superfí superfície (Leitura do Martin Decker): 250 Klbf 7.Principais passos (cont): 6.DPs. Estas vedaç vedações podem ser energizadas hidraulicamente (projetos mais recentes). apó após assentamento do BOP de perfuraç perfuração. atravé através de LC (Linha de Controle) via FIBAP. deve ser inspecionada a fim de se detectar possí possível vazamento. 6. Principais procedimentos. 7. Só Só em último caso podepode-se cogitar o uso da bucha M/M da BAP. a cavidade formada entre o anel e bucha da BAP . atravé através da LC “sealseal-test” test”.Sistema de superfí superfície) antes do assentamento: 200 Klbf. lavar com água industrial. Retirar e desmobilizar FIBAP: . 7-Efetuar testes de travamento e vedaç vedação. Caso haja vazamento a opç opção é usar o anel de VGX de chumbo. 7. lubrificar e mover para Skid de Transporte. Paulo Fonseca 17 . A “linha neutra” neutra” (ponto da coluna onde a traç tração é igual ao peso da coluna abaixo deste ponto) fica então posicionada abaixo do conector a ser testado. testando assim o travamento do conector.Realizar preservaç preservação da FIBAP: descarregar acumuladores. -Overpull desejado para testar travamento da BAP: 50 Klbf.Instalação da BAP( Sequência) (2/3) .

Se necess ário.- Ferramenta de jateamento do Alojador de Alta (Fejat) -Esta ferramenta é utilizada para jateamento do alojador de alta antes da fase de instalaç instalação da BAP. na fase que antecede a instalaç instalação da ANM. -Em geral. antes de qualquer acoplamento. Paulo Fonseca 18 . -O objetivo do jateamento é o de limpar a área de travamento e vedaç vedação ( anel VGX) do alojador de alta ( ou alojador da BAP e TH) permitindo assim assim o acoplamento livre de interferências. Ela també também é utilizada para jateamento da BAP e TH. necessá jatear a área de assentamento com ferramenta de jateamento adequada. devedeve-se verificar a integridade da área de assentamento da ferramenta ou equipamento em questão.

Paulo Fonseca 19 .A bucha de vedação deve ser compatível com o alojador de alta ao qual a BAP será assentada.Bucha de Vedação da BAP BAP Conector da BAP Bucha . A figura mostra a área interna do alojador de alta onde a bucha efetua vedação .

Bucha de Vedação da BAP(teste de vedação) Parafusos Interface de Controle VX Seal Test Anel VX Monitoração VX Selo elastomérico da Câmara de monitoramento do seal test Conector da BAP Selo elastomérico da Bucha Bucha Cabeça de Poço Suspensor de Revestimento -Na figura nota-se câmara do seal test formada pela bucha. .A câmara do seal test é pressurizada com N2 a partir da superfície através da LC (Linha de Controle) “VX seal Test”. a câmara de monitoramento será pressurizada. selo elastomérico da bucha e anel VGX. sendo possível observar o retorno do vazamento através de painel de ROV instalado na BAP. Paulo Fonseca 20 . Caso ocorra vazameto do anel VGX. A câmara de monitoramento é formada pelo conector da BAP e selo elastomérico da câmara de monitoramento.

Capa de Abandono ou Capa de Corrosão Este modelo é normalmente utilizado como Capa de Abandono ou Corrosão da Cabeça de Poço. -Na parte superior existe a alça reforçada. -A garatéia é descida com DPs e cabo na extremidade. não existe travamento mecânico da Capa de Corrosão no alojador em questão. oi seja. Com auxílio de ROV é possível o encaixe da garatéia na alça da Capa de Corrosão. -O olhal inferior é utilizado como backup. Para instalação ou retirada garatéia de recuperação ou instalação é acoplada nesta alça. da BAP ou da Tree Cap. A capa é apenas apoiada no local. DPs Cabo de Aço Garatéia Paulo Fonseca 21 . em caso de dano na alça superior.

Paulo Fonseca 22 . pronto para iniciar descida com coluna de assentamento. normalmente DPs da sonda.Montagem da BAP e FIBAP no Moon Pool -Na montagem da esquerda a BAP e a FIBAP são testadas e preparadas para a descida. -O umbilical de controle desce cintado (cintas metálicas) à coluna de assentamento. Na figura da direita. nota-se o conjunto apoiado nas vigas do Moon Pool.

A interface hidráulica é composta de acoplamentos hidráulicos independentes para cada função da BAP. . Paulo Fonseca 23 .Assentamento da BAP no Alojador de Alta do SCPS Umbilical de Controle Placa Hidráulica Interface Hidráulica entre FIBAP e BAP HUB do CLF da ANM HUBs DOs MCVS -Configuração final após assentamento da BAP no alojador de alta.O acesso às funções hidráulicas da BAP se dá pelo umbilical de controle. placa hidráulica onde são feitas as conexões das mangueiras do umbilical e interface hidráulica de acoplamento entre FIBAP e BAP .

a função do sistema é a de não transmitir o movimento de heave da sonda para a coluna de assentamento. Um conjunto de acumuladores é usado para prover a pressão de ar necessária. Paulo Fonseca 24 .O objetivo da figura é apenas mostrar o princípio de funcionamento do compensador de heave ( movimento de subida e descida da sonda causado pelas condições de mar). Basicamente.Princípio de Compensação de Heave Entrada de Ar Saída de Ar Curso do Compensador Coluna de Assentamento Lâmina d’água Equipamento Conectado ( coluna é fixa) .

Após instalação da BAP. Recuperar ou abrir barreiras da COP. Instalar barreiras de seguranç segurança na COP com WL 9. Instalar Tree Cap 12.) A Seqü Seqüência a seguir considera uso de BAP convencional. Retirar BOP 10. Descer BAP com WB instalada. Induzir Surgência 11. Instalar CC. Perfurar o poç poço completamente com BOP instalado. Retirar BOP 4. Instalar ANM. 2. Descer BOP assentandoassentando-o na BAP 6. Efetuar completaç completação inferior 7. Instalar barreiras de seguranç segurança (tampões de cimento) 3. Descer COP com TH 8. 1.Seqüência Básica de Completação de Poço com Foco na instalação da ANM (cont. 5. o BOP é instalado e efetua-se a completação inferior. Paulo Fonseca 25 .

Na figura acima a completação inferior é do tipo simples e com canhoneio de poço revestido. Paulo Fonseca 26 . . etc). No nosso caso.Situação do poço antes da instalação do TH Riser de Perfuraç Perfuração BOP (Barreira Superior) BAP com WB (Wear (Wear Bushing) Bushing) Alojador de Alta Revestimento de Produção Fluido de Completação (FC) Mandril do TSR Standing Valve + Nipple R Barreira Inferior = FC + Standing Valve -Após a instalação da BAP. vamos considerar o TSR( Tubing seal receptacle). -Após estas operações o fluido do poço é trocado por Fluido de Completaçao. o Sistema BOP é instalado com Riser de perfuração.O poço então encontra-se pronto para receber a COP e o Tubing Hanger (TH). com duas barreiras. sempre vai existir um receptáculo para acoplamento da Coluna de Produção (COP) definitiva. como mostrado na figura. -Após estas fases o poço encontra-se seguro. De uma maneira geral . -Os Tampões de cimento são cortados e o revestimento de produção é condicionado. seja qual for o tipo de completação inferior ( gravel packing. -Efetua-se então a completação inferior.

Conectar SFT e Junta de DPR .Descer WBRT com um tubo pintado acima da mesma. Efetuar teste funcional da SFT. Assentar WBRT. Efetuar marca de balanceio para determinação do stick up.Verificar sinal do PDG. preparar TH e THRT. Efetuar teste funcional e vedação do conjunto.Inspecionar e testar SFT ( Surface Flow Tree) sobre sua base de teste.Descer COP com PDG e Cabo Elétrico+TH+THRT+JRC+DPR e Umbilical. Conectar THRT e Junta de Riser Cisalhá Cisalhável (JRC) Descer conjunto com Riser de Completaç Completação ou DPR. se possível com LC do Hose Reel. 3.Enroscar TH na COP e acunhar na mesa rotativa. 3. verificar conector do cabo elétrico do PDG. Principais Procedimentos: 1.verificar compatibilidade da rosca do sub de salvação do TH com rosca da COP. Paulo Fonseca 27 .Conectar umbilical de controle da SFT ao painel de Workover. 2. Conectar Linhas de Superfície (linha do bore produção e linha do anular da SFT). Conectar TH à coluna de produç produção na posiç posição na qual ao final da descida. verificar áreas de vedação. 4. anel de travamento e selo do TH.Efetuar inspeção visual na THRT: verifcar se centralizador é compatível com size do BOP (18 ¾” ou 16 ¾”). Conectar umbilical do DPR efetuando plumbagem com painel de Workover. . Conectar uma junta de DPR. . verificar desobstrução das passagens hidráulicas.Preparação do TH e THRT na superfície (Piso da Mesa Rotativa): . 4. Efetuar procedimento de balanceio caso a coluna não seja descida no modo “one-trip”. Montar e descer a coluna de produç produção(COP) com camisa do TSR na extremidade .Efetuar inspeção visual no TH: verificar coletor de detritos das LC da DHSV. 2.Instalação do Tubing Hanger (1/2) Principais passos: 1. . Conectar THRT e JRC(Junta de Riser Cisalhável). Descer WBRT (Wear (Wear Bushing Running Tool) Tool) e retirar WB. a COP fique balanceada. Em paralelo. Tanto o Cabo elétrico do PDG como o Umbilical do DPR descem fixados à coluna através de “clamps”. Ver slide sobre esta operação.Mover THRT para sua Base de Teste e efetuar Teste Funcional.

Descer coluna lentamente bombeando à baixa pressão pela coluna. . Parar bombeio e fazer marca na coluna na mesa rotativa.Abri retorno pela coluna e encamisar TSR verificando curso do encamisamento encamisamento conforme previsto.Abrir compensador . Instalar barreiras de seguranç segurança Desconectar THRT. Travar TH pressurizando a funç função “lock” lock”do TH. Assentar. Quando houver acré acréscimo de pressão significa que o TSR começ começou a encamisar.Instalação do Tubing Hanger (2/2) Principais passos(cont. . .Realizar teste de overpull com 50 klb acima do peso da coluna de de produç produção. 7-Desconectar THRT atravé através da funç função unlock. Manter por 5 min.Testar barreira superior (DHSV ou Plug no TH) . . .): 5.Instalar coletor de detritos no TH. 8-Retirar THRT+JRC. . O Objetivo é evitar calç calço hidrá hidráulico.travar e testar TH. 6. Obs: considerado que a coluna já já esteja balanceada. Paulo Fonseca 28 . TH. -Orientar o TH 90 graus do azimuth de saí saída das Flowlines para que se possa observar o giro da coluna quando do assentamento do TH.Caso o poç poço não possua DHSV. Retirar THRT+JRC. . 8. 7. 6-Instalar barreiras de seguranç ç a na COP seguran . .Com auxí auxílio do ROV abrir vá válvula AI ( Annulus Intervention) caso a BAP seja do tipo by pass. .Fechar a gaveta anular do BOP contra a JRC e testar selos do TH.Assentar TH observando giro na coluna.Testar COP com 3000 psi.Abrir DHSV. montar equipamento de Wire Line (WL) e instalar instalar plug no TH. . contra a Standing Valve. 5-Assentar.travar e testar TH.

de Produç Produção Packer Standing Valve PDG TSR Riser de Perfuraç Perfuração Gavetas do BOP BOP BAP Cabo do PDG Coluna de Produç Produção . A coluna pode ser instalada no modo “one-trip”. Paulo Fonseca 29 .Balanceio da Coluna de Produção (Foco TH e COP) Sonda Riser de Completaç Completação JRC THRT Tubing Hanger Revest. em uma única descida (sem necessidade de balanceio prévio) ou após execução de procedimentos de balanceio.5m). ou seja: TH na posição de assentamento na BAP e o TSR com abertura programada ( normalmente 1.Na figura a coluna encontra-se instalada e balanceada.

O Stick up é a altura entre a Mesa Rotativa e a Base da Surface Flow Tree ( SFT). o stickup não pode ser muito alto pois é preciso garantir espaço entre a SFT e curso máximo da Catarina. Equipamentos de Wire Line. ou seja: se o stickup for muito baixo o heave pode fazer com que a mesa rotativa “bata” na base da SFT.5m na Bacia de Campos. como por exemplo.Por outro lado. . O Heave máximo normalmente se situa entre 0.Balanceio da Coluna de Produção (Foco Sonda) Surface Flow Tree Stick up Piso da Mesa Rotativa Piso do Moon Pool Nivel do Mar Riser de Completaç Completação Riser de Perfuraç Perfuração JRC THRT BOP . O stick up é importante para manter a SFT em um distância segura da Mesa Rotativa.5 a 2. tal que seja possível operações de acoplamento do TSR e montagem de Equipamentos de Superfície. Normalmente utiliza-se um stickup de 5m. seja no modo TH ou modo ANM. Paulo Fonseca 30 .

fechar gaveta de tubo do BOP para marcar tubo pintado acima da WBRT.Após instalação da WB. Com este valor podemos calcular o stickup necessário para a Surface Flow Tree.Balanceio da Coluna de Produção (Foco Sonda) Catarina Mesa Rotativa DPs Riser de Perfuração D Lâmina d’água Tubo Pintado WBRT WB d Topo do Alojador da BAP Gaveta do BOP -DETERMINAÇÃO DO STICK UP .Para implementação do Stick up fisicamente faz-se uso de pup joints (10 a 20 pés) de DPRs ou de Riser de Completação. Paulo Fonseca 31 . que é D+d. .Da mesma maneira esta operação também pode ser realizada com a Ferramenta de Teste do BOP (Test Plug). Com a distância da gaveta “d” do BOP ao topo do alojador da BAP (dado físico do BOP) e a profundidade da marca no tubo “D” acima da WBRT podemos calcular e confirmar a profundidade do topo do alojador da BAP em relação a mesa rotativa. .

NOTA: Seguir as opera ções conforme procedimento. fechar a mesma novamente. atravé através de override e ROV. O teste teste de vedaç vedação do TH é feito em duas etapas: .Pressurizar anular do poç poço com 2000 psi atravé através da Linha de Kill ou Choke .H na Bap FMC GLL-7 Retorno pela COP Coluna DPR BOP Linha de Choke J. 1.Abrir AI via override por ROV . .T T.Teste do TH com pressão por cima: 2. Se houver vazamento do selo do TH a pressão na COP vai vai subir. é necessário a brir à válvula AI na BAP co m ROV e após a pres surização.Teste do TH com pressão por baixo: realizarealiza-se o teste volumé volumétrico como a seguir. Fluxograma da instalação do T. anotar volume bombeado (V1) para pressurizaç pressurização.Com a gaveta do BOP e a AI fechada.Fechar Gaveta do BOP .Hanger BAP Anular MGL Válvula AI - As BAPs atuais possuem o looping da AI como by pass do TH.H. e despressurizar anular do poç poço. pressurizapressuriza-se a Linha de Kill ou de Choke .R. Paulo Fonseca 32 . .Despresurizar anular acima da AI atravé através da Linha de Kill ou Choke e anotar volume retornado (V2).Detalhe do Teste de Vedação do TH OBS: Para realizar o teste do Tubing Hanger pôr baixo.Apó Após teste abrir AI. .Se V2<V1.R.Fechar AI via override por ROV . .C Linha de Kill T. Se V2=V1. observandoobservando-se possí possível retorno pela COP atravé através do Mandril de Gas Lift (MGL). teste positivo. teste negativo.

Montagem do TH na Mesa Rotativa Paulo Fonseca 33 .

Paulo Fonseca 34 . com a função de proteger área de vedação e travamento do TH.Assentamento e Travamento do TH na BAP Nota : A Wear Bushing (WB) é assentada na mesma posição do TH .

Retirada da THRT Paulo Fonseca 35 .

Descer COP com TH 8. Descer BOP assentandoassentando-o na BAP 6. Descer BAP 5.Induzir Surgência 11.) A Sequência a seguir considera uso de BAP convencional. 2. Efetuar completaç completação inferior 7. Recuperar ou abrir barreiras da COP. Instalar barreiras de seguranç segurança (tampões de cimento) 3. 1. Instalar barreiras de seguranç segurança na COP com WL 9. Retirar BOP 4. Retirar BOP 10.Seqüência Básica de Completação de Poço com Foco na instalação da ANM (cont. Instalar Tree Cap 12. Paulo Fonseca 36 . convencional. Perfurar o poç poço completamente com BOP instalado. Instalar CC. Após instalação da COP com o TH e instalação das barreiras de segurança necessárias o BOP é retirado. Instalar ANM.. CC. dependendo da lâmina d’água. O tempo de retirada do BOP é em torno de 1 a 2 dias.

= DHSV Barreira Inf.= STV e Fluido de Completaç Completação A preparação da ANM é feita no Moon Poo da Sonda. Paulo Fonseca 37 . Poço seguro com barreira inferior e a superior.Situação antes da descida da ANM Piso da Mesa Rotativa Transition Joint e Riser de Completaç Completação FIBOP Piso do Moon Pool ANM BOP WO TRT Nível do Mar BAP COP Fluido de Completaç Completação TH c/ coletor de detritos Barreira Sup.

Montar TJ e Stress Joint do DPR. .5m. Travar FIBOP no BOP WO. Testar interfaces Painel x Hose Reel x TRT x ANM. . . . TRT e ANM.Movimentar ANM para Moon Pool.Travar BOP WO na TRT. Descer conjunto com DPR e Umbilical de Controle. . Mover TRT assentandoassentando-a na ANM. apoiandoapoiando-a nas vigas do Moon Pool.Abrir compensador.Montar Transition Joint(TJ) e TRT na base de teste da TRT. . a descida é separada em duas etapas: primeiro a ANM com TRT e depois a TRT com BOP WO/FIBOP/TJ e DPR. na superfí superfície. Paulo Fonseca 38 .Testar EDS ( Emergency Disconect System) da TRT. Transition Joint.Testar Sistema de Compensaç Compensação dos Atuadores da ANM. . . Preparar. .Testar Soft Landing da TRT.Instalação da ANM (1/3) Principais passos considerando instalaç instalação utilizandoutilizando-se Sistema DPR: 1.Deslocar N2 pela Linha de Controle do Seal Test até até extremidade da linha (monitorar com ROV) . 2.Efetuar Teste funcional dos atuadores e conector da ANM .FIBOP. BOP WO.Heave Má Máximo para operaç operação: 1.Descer conjunto apoiando BOP WO nas vigas do Moon Pool. . .Preparaç Preparação na Superfí Superfície. . Anotar peso da coluna.Checar vedaç vedações e áreas de vedaç vedação.Descer conjunto com DPR até até 10 m acima da profundidade de assentamento. (Tmax =30seg). . Efetuar Efetuar plumbagem e Teste Funcional da TRT. 2.Testar atuadores de 4 e 2” 2” da TRT.Orientar ANM em relaç relação a BAP. Obs: Caso não haja altura de Moon Pool adequada. Principais Procedimentos: 1. .

4. Verificar correto assentamento assentamento atravé através da posiç posição relativa do conector da ANM e marca na BAP.): 3. verificar com ROV indicaç indicação de travamento. com N2.Travar ANM atravé através da funç função lock da ANM.Assentamento e travamento da ANM . Paulo Fonseca 39 .Descer ANM sobre funil da BAP observando alinhamento entre o CLF( CLF( Conector das Linhas de Fluxo da ANM) e o MLF ( Mandril Fixo das Linhas de Fluxo da BAP). . atravé através da pressurizaç pressurização da LC “seal test” test”. 4.Efetuar Teste de Overpull de 50 klbf no conector da ANM.Instalação da ANM(2/3) Principais passos considerando instalaç instalação utilizandoutilizando-se Sistema DPR(cont.Testar acoplamentos hidrá hidráulicos do CLF atravé através da TRT e contra Capa de Teste do Hub de MCV de Umbilical. -Assentar ANM liberando peso da mesma. .Testar ané anéis de 4 e 2” 2” do CLF contra as capas de teste dos Hubs dos MCVs de Produç Produção e Anular. . . . Principais Procedimentos: 3. Obs: O CLF é travado apó após teste de overpull e de seal test da ANM. Efetuar testes de acoplamento.Efetuar Teste Funcional das Vá Válvulas da ANM. Assentar e travar ANM.Testar Spool Cavity da ANM com 3000 psi/15min .Testes de acoplamento .

posicionandoposicionando-o entre W1. Montar Equipamento de WL e retirar coletor de detritos do TH. Se forma quando há há combinaç combinação de alta pressão e baixa temperatura na presenç presença de determinada concentraç concentração de água e gá gás.Montar e Testar linhas de Superfí Superfície ( linha de Produç Produção é conectada à saí saída da SFT e a linha do anular à saí saída da linha de HCR do carretel do DPR).Fechar poç poço na Master 1 da ANM.Caso instalada.M2. . . O MEG é posicionado na ANM com o objetivo de prevenir formaç formação de Hidrato na fase de partida (abertura) do poç poço para o FPSO. 6-Induzir Surgência pelo mé método N2 LIF ( bombeio de N2 pelo anular do poç poço e retorno pelo Mandril de Gas Lift). 7. altamente indesejá indesejáveis. . Principais Procedimentos: 5.Desconectar e retirar TRT com DPR.Montar Equipamento de WL acima da SFT e retirar coletor de detritos detritos do TH. .Desmobilizar TRT e ferramentas efetuandoefetuando-se procedimento de preservaç preservação.): 5.Instalação da ANM(3/3) Principais passos considerando instalaç instalação utilizandoutilizando-se Sistema DPR(cont.Apó Após descarga do anular até até MGL mais profundo. Induzir Surgência e retirar Standing Valve com Equipamento de WL Fechar poç poço e Retirar DPR com TRT na extremidade 6.M1. Paulo Fonseca 40 .Prosseguir com Induç Indução de Surgência até até limpeza do poç poço. .W2 da ANM. . que causam perda de fluxo.Efetuar prevenç prevenção de hidrato deslocando MEG ( Mono Etileno Glicol) com a XO aberta aberta e atravé através do DPR. Obs: Hidrato são cristais de gelo. 7.Fechar Vá Válvulas da ANM . fechar DHSV apó após procedimento de equalizaç equalização. Na outra extremidade a linha linha de produç produção é alinhada para queimador ou tanque e a linha de anular alinhada para para Unidade de N2. . descer equipamento de WL e retirar Standing Valve da Cauda da Completaç Completação Inferior.

Torna-se então necessária a reentrada da sonda de completação a fim de solucionar o problema. O BOP WO fornece a segurança nas operações com Flexitubo e WL.Este modo ANM também é conhecido como modo “LIGHT WORKOVER”.HEAVY WORKOVER: necessária a retirada da ANM e instalação do BOP de Perfuração. Leva menos tempo ( cerca de 15 dias) e é de menor custo.Situação após instalação da ANM Piso da Mesa Rotativa Surface Flow Tree Stick up Piso do Moon Pool Nível do Mar DPR Transition Joint FIBOP BOP WO TRT ANM TH BAP Barreiras abertas -Esta configuração é também conhecida como modo ANM.etc.Durante a fase de produção do poço para o FPSO podem ocorrer problemas no poço como perda de vazão. Normalmente implica em troca da coluna de produção. incrustação. . Leva mais tempo ( cercar de 30 dias) e conseqüentemente é mais cara. Paulo Fonseca 41 .Da mesma forma que no modo TH. Em caso de desconexão de emergência a FIBOP é desconectada e a gaveta cisalhante do BOP WO é acionada. . Dá-se o nome de “WORKOVER” às operações realizadas com a sonda para reparar problemas em poços. 2. .LIGHT WORKOVER: não é necessária a retirada da ANM. Esta gaveta tem capacidade de corte de arame e FT de até 2 pol. É a configuração mostrada na figura acima. As operações se dão através do DPR e dos equipamentos FIBOP/BOP WO/TRT e ANM. hidrato. Os WORKOVERS podem ser de dois tipos: 1. o stick up bem dimensionado também se faz necessário.

Montagem da TRT e ANM no Moon Pool Paulo Fonseca 42 .

Detalhes do Travamento da TRT no Tree Manifold Paulo Fonseca 43 .

Montagem da Transition Joint do DPR Paulo Fonseca 44 .

Assentamento da ANM na BAP com o DPR Paulo Fonseca 45 .

A Base de Teste da ANM é uma reprodução das interfaces de acoplamento da BAP. Paulo Fonseca 46 . No Mandril da BAP encontra-se instalado um Falso TH.Exemplo de Base de Teste (Base de Teste da ANM) O desenho acima foi obtido a partir de Manual de Operação de ANM. Furações Hidráulicas são implementadas na Base de Teste para permitir aplicação de pressão e monitoração de vazamento. Mela podemos ver o Mandril da BAP onde acopla o conector da ANM e o Mandril Fixo da Linha de Fluxo onde acopla o CLF da ANM. Em geral as Base de Teste de Ferrramentas e Equipamentos reproduzem o perfil da interface a qual as Ferramentas ou Equipamentos serão assentados.

Todas as vedações entre estes equipamentos são verificadas neste teste. Paulo Fonseca 47 . através da TRT e Umbilical do DPR.Detalhe do Seal Test da ANM Linha do Seal Test ANM Monitoramento do Seal Test Spool Cavity Anel VGX VGX BAP Stab de 4” Stab da DHSV Stab de 2” Selo do TH TH O Spool Cavity é formado pelo corpo da ANM. O monitoramento de vazamento é feito via ROV em um painel instalado na ANM. corpo da BAP. anel VGX e stabs da ANM. A pressão de teste ( geralmente 3000 psi com N2) é aplicada via Linha de Controle “seal test” . onde o retorno da linha de monitoramento pode ser observado. Caso haja vazamento a câmara de monitoração será pressurizada. corpo e vedação do TH.

) A Seqü Seqüência a seguir considera uso de BAP convencional. Recuperar ou abrir barreiras da COP.Seqüência Básica de Completação de Poço com Foco na instalação da ANM (cont. Retirar BOP 10. Induzir Surgência. Instalar CC. Instalar Tree Cap 12. Descer COP com TH 8. Retirar BOP 4. Após instalação da ANM e Indução de Surgência (passo 10) o próximo passo passa a ser a instalação da Tree Cap e sua Capa de Corrosão (CC). 2. Descer BAP 5. Perfurar o poç poço completamente com BOP instalado. Instalar barreiras de seguranç segurança na COP com WL 9. Efetuar completaç completação inferior 7. Descer BOP assentandoassentando-o na BAP 6. 1. Instalar ANM. 11. Paulo Fonseca 48 . Instalar barreiras de seguranç segurança (tampões de cimento) 3.

Situação antes da instalação da Tree Cap Piso da Mesa Rotativa Transition Joint e DPR Piso do Moon Pool Nível do Mar T. Paulo Fonseca 49 .Poço encontra-se vivo na ANM. A barreira passa a ser a própria ANM e a DHSV (quando instalada).CAP TRT ANM TH BAP Poç Poço Vivo na ANM .

Testar ané anéis AX com N2 atravé através da LC “seal test” test”. Paulo Fonseca 50 .Movimentar Tree Cap para Moon Pool e conectar TRT sobre a mesma. . . Assentar Tree Cap no Tree Manifold. .Conectar TJ e Stress Joint 2-Descer Tree Cap com TRT e DPR. . Principais Procedimentos: 1-Inspecionar e preparar Tree Cap. 3-Assentar Tree Cap no Tree Manifold.Liberar soft landing 4-Travar e testar acoplamento .Instalação da Tree Cap Principais passos considerando instalaç instalação utilizandoutilizando-se Sistema DPR 1. Descer Tree Cap com TRT e DPR.Fluir Linhas de Teste dos ané anéis AX de 4 e 2 pol para confirmar circuito hidrá hidráulico . testar painel backup. Efetuar procedimentos de preserva ção preservaç 6-Instalar Capa de Corrosão (CC) com garaté garatéia .Posicionar vá válvulas do painel backup na posiç posição normal de produç produção com controle via FPSO. 5. . Inspecionar e preparar Tree Cap. Instalar Capa de Corrosão (CC).Apoiar Tree Cap no Tree Manifold .Abrir compensador. Travar e testar acoplamento Destravar e retirar TRT. mesma. anotar peso da coluna.Atuar Soft Landing e Unlock da Tree Cap. 2. . 5-Destravar e retirar TRT com DPR.testar backup.testar soft landing.Fluir linha de seal test dos ané anéis AX com N2.Descer conjunto com DPR e Umbilical até até 10m do ponto de assentamento. 4. . .Efetuar Overpull de 50 Klbf no conector da Tree Cap. . 3.Testar SDR (Sistema de Destravamento Rápido) ( Tempo max = 30seg). 6. .Testar Tree Cap em sua base de Teste. .Travar Tree Cap .

Paulo Fonseca 51 . atravé através da TRT. a menos do selo elastomé elastomérico que forma a câmara do seal test. as linhas de 4 e 2 pol contra as Capas de Teste dos Hubs dos MCVs ( na BAP). Obs: A interface do CLF ( Conector das Linhas de Fluxo) da ANM com o Mandril Fixo da BAP també também é semelhante.Disposição dos anéis AX e Câmara do seal Test da Tree Cap Selo Elastomérico AX4” AX2” Figura Mostra detalhe da disposiç disposição dos Ané Anéis AX e Couplings Hidrá Hidráulicos da Tree Cap assentada no Tree Manifold. que não existe nesta interface. Esta interface é semelhante à interface do MCV ( Modulo de Conexão Vertical) com o Hub do MCV na BAP. O teste desta desta interface é feito pressurizandopressurizando-se .

Instalação da Tree Cap Piso da Mesa Rotativa Elevador e Braç Braços da Catarina Piso do Moon Pool Nível do Mar TRT Transition Joint e DPR Tree Cap ANM TH BAP Poç Poço Vivo na ANM A figura mostra a configuração de instalação da Tree Cap. Paulo Fonseca 52 .

Instalação da Tree Cap com o DPR Paulo Fonseca 53 .

Instalação da Capa de Corrosão a cabo Paulo Fonseca 54 .

. seguindo procedimentos para evitar formação de hidrato. Anular e Umbilical através de Navio de Lançamento de Linhas (LSV) . Próximos passos: .Executar partida do poço via FPSO. .Produzir poço para o FPSO.Poço Completado até a ANM Sonda Liberada Capa de Corrosão Tree Cap ANM TH BAP Poç Poço Vivo na ANM A instalação da ANM é concluída e a sonda é liberada para outro poço. Paulo Fonseca 55 .Instalar MCVs de Produção .Interligar ao FPSO .

Stackup da ANM instalada Paulo Fonseca 56 .

Paulo Fonseca 57 . Interface UEP/Sonda (Manifold ) (Manifold) Override emperrado Painel Backup x Jumper Hidráulico: mitigar.Problemas Operacionais Mais Comuns Hidrato(Aumento do BSW.Partida do Poço) Perda do Sinal PDG. Ex: linha entupida. TPT e/ou PT anular Equalização da DHSV Válvula em posição intermediária: problema no circuito de compensação.

Principais procedimentos. Descer DPs e garaté garatéia e retirar Capa de Corrosão da ANM Descer Riser de Completaç Completação ou DPR e retirar Tree Cap Descer Riser de Completaç Completação ou DPR e retirar ANM Descer BOP com riser de perfuraç perfuração Descer DPR ou riser completaç completação e retirar TH e Coluna Abandonar poç poço e retirar BOP com riser de perfuraç perfuração Preparar e descer DPs com FIBAP Retirar BAP. -A reentrada de ferramenta sempre é precedida por uma boa limpeza da área de vedaç vedação e travamento em questão. 8. 7. 3. -Em geral. 4. para retirada dos equipamentos é realizado o processo inverso da instalaç instalação. 6. 2. FIM Paulo Fonseca 58 .Retirada da ANM (Seqüência) Principais passos : 1. 5. Sempre deve ser observado a questão de barreiras de seguranç segurança.