FICHA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO Docente dos 1.º, 2.º e 3.

º Ciclos e do Ensino Secundário AUTO-AVALIAÇÃO
Agrupamento de escolas de Lajeosa do Dão Código 160428 Direcção Regional de Educação do Centro Nome do avaliado AGOSTINHO NEVES DA SILVA Categoria P Q E Departamento curricular de EXPRESSÕES NIF 000 000 000

Período em avaliação 2007 a 2009

01 Como avalia o cumprimento do serviço lectivo e dos seus objectivos individuais estabelecidos neste âmbito? No início do ano lectivo foi-me atribuído um horário de 8 horas na componente lectiva, as quais se repartiram na leccionação de Educação Visual e Tecnológica (EVT) às turmas 5ºA, e 6ºA. . Relativamente às horas da componente não lectiva, estas foram distribuídas no desempenho das funções: Clube do Ambiente, Biblioteca; Jornal Escolar On-Line; Coordenador do Departa- mento de Expressões; Representante de Educação Visual e Tecnológica; Avaliação Docente e Instalações. . Durante os dois anos lectivos assegurei sempre o cumprimento do serviço lectivo que me foi distribuído. No ano lectivo de 2007/08, tive 3 dias de faltas por dispensa de actividades (K4) e 1 por dia de greve (U2). No ano lectivo de 2008/09, tive 2 dias de faltas por greve (U2), 4 tempos na componente não lectiva por falecimento de familiar (f) e 2 tempos na componente não lectiva por actividade sindical (Z2). Foram sempre asseguradas as aulas pelo par pedagógico à excep- ção dos dias da greve. Não fiz permutas porque a aulas estavam asseguradas, o que correspon- de em termos de aulas previstas e aulas dadas aos alunos, as mesmas. . Cumpri integralmente o serviço lectivo que me foi distribuído com empenhamento e rigor, dando cumprimento aos objectivos constantes no Projecto Educativo, no Plano Anual de Actividades e nos Projectos Curriculares de Turma, tendo em vista o sucesso educativo dos alunos e o comba- te ao abandono escolar, por isso, entendo que os objectivos foram plenamente alcançados. 02 Como avalia o seu trabalho no âmbito da preparação e organização das actividades lectivas? Identifique sumariamente os recursos e instrumentos utilizados e os respectivos objectivos.
AUTO-AVALIAÇÃO Página 1

. Com base nos pré-requisitos elaborados com rigor e correcção a nível do grupo disciplinar, par- ticipei na elaboração das fichas de avaliação de diagnóstico que foram aplicadas a todos os alu- nos, e com base nos resultados destas, foi elaborada a planificação do processo de ensi- no/aprendizagem a curto, médio e longo prazo. Segui criteriosamente as orientações do Depar- tamento, do Grupo Disciplinar e dos Conselhos de Turma na organização das actividades lectivas e na elaboração das planificações. . As planificações podem ser consultadas no dossier de EVT ou no meu dossier pedagógico. . Sempre que necessário, ajustei os planos ao ensino individualizado para dificuldades - Os meus objectivos na preparação e organização das actividades lectivas os alunos com mais tiveram em conta: - Apoio aos alunos, tendo em conta as dificuldades de aprendizagem detectadas; Colaboração com os conselhos de turma na definição e implementação de estratégias quação curricular para alunos com dificuldades de aprendizagem permanentes; de adeRealização de actividades que colectivamente foram definidas no âmbito de planos em conselho de turma. . O uso de metodologias e estratégias diversificadas tais como: elaborados Ensino cooperativo, reforçando os trabalhos de grupo para que os que tinham mais dificuldades se sentissem à vontade; - Reforço positivo, valorizando o seu desempenho; - Ensino tutorial, com apoio individualizado sempre que possível; - Como recursos utilizei: o caderno da disciplina de EVT, o livro, o computador, a internet, a pági-

na de EVT, o blogue e apresentações multimédia, concebidos para o efeito, o projector, cartazes e imagens. Estes recursos permitiram o desenvolvimento equilibrado das competências específi- cas da disciplina de EVT, segundo as suas grandes finalidades, nomeadamente no que diz res- peito ao desenvolvimento: da percepção, sensibilidade estética, criatividade, capacidade de comunicação, sentido crítico, aptidões técnicas e manuais, entendimento do mundo tecnológico, sentido social, capacidade de intervenção e de resolução de problemas. Também utilizei na sala de aula, os seguintes instrumentos: fichas de diagnóstico; ficha individual do aluno; fichas de tra- balho; fichas informativas; trabalhos escritos; trabalhos práticos; fichas de auto-avaliação e gre- lhas de registo da participação dos alunos.
AUTO-AVALIAÇÃO Página 2

. Com o aluno da Ed. Especial, todo o trabalho desenvolvido foi de acordo com o planeado pro- movendo todas as orientações do Conselho de Turma e da Prof. responsável da Educação Especial, foi utilizado o ensino tutorial com apoio individualizado incutindo competências de tra- balho, sociais e relações interpessoais. 03 Como avalia a concretização das actividades lectivas e o cumprimento dos objectivos de aprendizagem dos seus alunos? Identifique as principais dificuldades e as estratégias que usou para as superar. . As actividades planeadas foram plenamente cumpridas assim como os objectivos de aprendizagem definidos para as turmas. Nos conteúdos abordados procurou-se a interacção com o meio de forma que as suas vivências fossem valorizadas, conseguindo-se assim uma melhor compreensão na aplicação do trabalho e estudo que faziam. . Também foram concebidos alguns materiais script e multimédia no âmbito das matérias a abordar e ajustados aos objectivos a alcançar, que muito contribuíram para o sucesso dos alu- nos. . A recolha de informações sobre as necessidades e as características dos alunos e das turmas, o diagnóstico da turma onde foram detectadas algumas dificuldades para um nhamento, foram melhor acompa- um bom suporte para a concretização das actividades e cumprimento dos objectivos. . No entanto surgiram algumas dificuldades que foram ultrapassadas, nomeadamente: alguns alunos que não traziam os materiais de trabalho específicos da disciplina, tendo sido os pais algumas vezes chamados à atenção da respectiva falha do seu educando e mesmo assim, dei- xavam continuar denotando alguma negligência, ficando assim comprometidas as condições mínimas para um bom desempenho. Outros alunos, pelo motivo de comportamentos menos ade- quados em sala de aula, iam-se atrasando na conclusão dos trabalhos sendo para isso constan- temente chamados à atenção. Outros ainda, não possuíam um nível mínimo de pré-requisitos para acompanharem algumas tarefas requeridas pelo processo de ensino e aprendizagem e foram acompanhados individualmente. Também ainda, o aluno da Educação Especial sempre muito difícil de lidar principalmente nas aulas teóricas que chegava a perturbar o normal funcionamento da aula, mas que através de estratégias diferenciadas foram-lhe incutidas competências básicas a nível de posturas em sala de aula.
AUTO-AVALIAÇÃO Página 3

. As estratégias utilizadas foram: Reforço positivo, valorizando o seu desempenho; Monitorizarão através da caderneta escolar dos alunos entre professor encarregado de educação; Ensino tuto- rial, com apoio individualizado aos com mais dificuldades; Ensino cooperativo, reforçando os tra- balhos de grupo para que os que tinham mais dificuldades se sentissem à vontade e utilização das novas tecnologias da informação como factor de motivação, através do recurso à internet, à página de EVT, ao blogue, a PowerPoint concebidos para o efeito e a fichas de trabalho. 04 Como avalia a relação pedagógica que estabeleceu com os seus alunos e o conhecimento que tem de cada um deles? . Entendo que foi estabelecida uma relação pedagógica com os alunos, baseada no princípio de aprender a aprender, na reciprocidade de responsabilidades, a fim de que gostassem de estar na escola. . Não tive qualquer problema disciplinar e sempre tratei os alunos com equidade, por isso consi- dero que a minha relação pedagógica com todos foi óptima. Conheço-os pelo nome, converso com eles dentro e fora da sala de aula, mostro disponibilidade para os ajudar a resolver proble- mas e procurei sempre envolvê-los nas actividades da aula e nas actividades da escola. No âmbito das regras de disciplina, dei a conhecê-las, no início do ano lectivo, e reforcei durante as aulas com frequência a necessidade de as respeitar. Utilizei uma abordagem preventiva para evitar que surjam ou que se agudizem problemas disciplinares. 05 Como avalia o apoio que prestou à aprendizagem dos seus alunos? . O apoio prestado aos alunos foi muito positivo, tendo em conta que todos os recursos e instru- mentos utilizados permitiram a diversificação de estratégias que visavam o sucesso. Também prestei um apoio mais individualizado sempre que necessário. A nível da relação escola/família, tentei envolver os Encarregados de Educação, informando-os ou solicitando o seu apoio, através da caderneta escolar, sempre que as atitudes dos alunos o justificavam. . Também considero que cumpri os meus deveres profissionais e realizei todas as tarefas que me foram distribuídas tanto pelo Conselho de Departamento como pelos Conselhos de Turma. Durante as horas da componente não lectiva, sempre me disponibilizei para dar apoio aos alunos nos projectos no âmbito da disciplina nomeadamente nas TIC, assim como nos projectos relacio- nados com as actividades da escola. 06 Como avalia o trabalho que realizou no âmbito da avaliação das aprendizagens dos alunos? Identifique sumariamente os instrumentos que utilizou para essa avaliação e os respectivos objectivos.

AUTO-AVALIAÇÃO Página 4

. O trabalho que realizei com os meus alunos avalio-o de forma bastante positiva. Enquanto pro- fessor de Educação Visual e Tecnológica, foi minha preocupação fazer tudo que estivesse ao meu alcance para minorar as dificuldades que alguns alunos apresentavam, pois só assim consi- dero que a nossa profissão tem sentido e valor. O nosso trabalho deve ter sempre como objectivo último o sucesso do aluno. . Tive como referência quer os Critérios Gerais de Avaliação do Agrupamento, quer os Critérios de Avaliação definidos pelo meu Departamento. Para isso, procedi à avaliação diagnóstica, for- mativa e sumativa (neste caso especifico a avaliação dos trabalhos práticos) em todas as turmas. Fiz a autoavaliação e heteroavaliação dos alunos. Na autoavaliação foram elaboradas fichas periodais onde os alunos registavam as suas dificuldades para que houvesse feedback por parte do professor na procura de solucionar o problema. Em cada trabalho realizado pelos alunos pro- curava-se valorizar a forma correcta com que foi feito e alertar outros para as incorrecções come- tidas. Era uma forma de reforçar os pontos positivos e minimizar através da correcção os pontos negativos. . Os meus objectivos foram sempre os de procurar que a aula fosse agradável, motivadora, inte- gradora na recuperação de todos os alunos, evitando que ficassem para trás ou desistissem e desenvolvessem as competências necessárias. . Utilizei na sala de aula, os seguintes instrumentos: fichas de diagnóstico; ficha individual do alu- no; fichas de trabalho; fichas informativas; trabalhos escritos; trabalhos práticos; fichas de auto- avaliação, grelhas de registo da participação dos alunos. 07 Identifique a evolução dos resultados escolares dos seus alunos. Avalie o seu contributo para a sua melhoria e o cumprimento dos objectivos individuais estabelecidos neste âmbito.

08 Como avalia a sua participação e o seu contributo para a definição e concretização de estratégias para a prevenção e redução do abandono escolar e o cumprimento dos seus objectivos individuais estabelecidos neste âmbito? Na sua apreciação identifique sumariamente as acções e iniciativas que desenvolveu. 09 Como avalia o seu contributo para a vida da escola e em particular a sua participação nos projectos e actividades previstos ao nível da escola/agrupamento e da turma (designadamente, no 1.º ciclo, na supervisão das actividades de enriquecimento curricular)? Identifique as actividades que dinamizou e/ou em que participou. . Dinamizei com o Departamento três projectos que promoveram a participação dos professoAUTO-AVALIAÇÃO Página 5

res/alunos /encarregados de educação (Natal, Carnaval e Sala Aberta - Exposição) na escola, valorizando respectivamente a participação da comunidade educativa nas actividades do Agru- pamento. . Dinamizei o Clube do Ambiente, com actividades de sensibilização aos alunos para os proble- mas ambientais e a necessidade do aproveitamento de materiais. . Participei com os alunos do Clube do Ambiente no Peddy Papper sobre o Dia da Árvore na Cidade de Tondela. . Participei nos projectos aos quais estava integrado e sempre que possível colaborei nos projec- tos do Departamento de Expressões. . Procurei como dinamizador e elemento da equipa do Jornal On-line “As Nossas Vozes”, mantê- lo sempre actualizado com as actividades e artigos do agrupamento e incentivei os professores e alunos a participarem com artigos e trabalhos. . Criei como dinamizador e elemento da equipa da Biblioteca numa plataforma mais acessível o “Diário da Bli..”, mantive-o sempre actualizado com as actividades e artigos da biblioteca e a página da Rede Bibliotecas o mais actualizadas possíveis, com artigos e informação das activi- dades. . Na equipa da Biblioteca, participei sempre que possível nas actividades da Biblioteca Escolar. . Participei e colaborei com a Biblioteca no evento “Festa do Livro e da Leitura” em Tondela. . Colaborei nas várias adaptações de livros do PNL em “teatro de fantoches” levados pela equipa da BE aos Jardins e Escolas do 1º CEB do Agrupamento e a sua divulgação no Jornal OnLine da Bli. . Contribui, na medida das minhas possibilidades, nos eventos anuais que constam no Plano Anual de Actividades e na sua divulgação através do Jornal On-Line. 10 Como avalia a sua participação nas estruturas de orientação educativa e nos órgãos de gestão e o contributo que deu para o seu funcionamento? . Participei em todas as reuniões de Departamento, em todos os Conselhos de Turma e em todas as Reuniões do Conselho Pedagógico, assim como outras que foram precisas, cumprindo com as obrigações e sempre pronto a realizar as tarefas atribuídas. . Coordenei as actividades do Departamento Curricular de Expressões, de modo a dinamizar a cooperação e a partilha de experiências entre os professores com vista a melhorar a articulação
AUTO-AVALIAÇÃO Página 6

do currículo nas várias disciplinas que constituem o Departamento. . Promovi o debate quando necessário e a reflexão nos assuntos relacionados com o Departamento ou de outras estruturas do Agrupamento. . No cargo de representante da disciplina de EVT, promovi a análise e reflexão da disciplina na articulação do currículo. Estive sempre disponível quando solicitado a prestar ajuda aos colegas. . Tive o cuidado de organizar e manter sempre actualizado o dossier de mento de Expressões. . Participei nas reuniões dos Conselhos de Turma, contribuindo na Disciplina e do Departaplanificação, execução, acompanhamento e avaliação do PCT. . Mantive actualizados os endereços electrónicos dos colegas de Departamento, bem como dos colegas de outros Departamentos que fazem parte dos mesmos Conselhos de Turma, com o objectivo de fomentar uma comunicação interpessoal rápida e eficiente e de potenciar a transver- salidade curricular. . Intervim na medida do possível no Conselho Pedagógico tendo em vista a prossecução das competências deste órgão e enfatizando sempre a importância da colaboração e de comunica- ção institucional como estratégia fundamental para a melhoria do Agrupamento. . Estive atento à legislação em vigor e de todos os documentos orientadores. 11 Como avalia o estado de actualização dos seus conhecimentos científicos e pedagógicos e a sua capacidade de utilização das Tecnologias de Informação e Comunica- ção? Faz parte da minha formação profissional todo o processo de actualização que me leva a cumprir as minhas funções de forma adequada. . Procurei por iniciativa própria, manter-me actualizado através da leitura de legislação, jornais, revistas, bibliografia especializada, consulta de sites de interesse na Internet, reuniões informais com colegas para troca de experiências pedagógicas e também formação científica/didáctica e pedagógica em centros de formação ou na nossa escola em pequenos momentos de formação. . Como utilizador das TIC: . Fiz uso e utilizei uma página de EVT e um blogue criados por mim para dinamizar fóruns de discussão em torno de questões pedagógicas e didácticas, assim como o fórum da Sala de Pro- fessores e o EVT Grupos.

AUTO-AVALIAÇÃO Página 7

. Utilizei o Blogue Jornal Escolar “As Nossas Vozes” e o “Diário da Bli..” criados por mim para colocar as actividades da escola. . Criei no SCRIB um conjunto de documentos para partilha de toda a escola. . Coloquei na plataforma Moodle da escola as actividades e recursos para a disciplina de EVT. . Tenho consciência plena no gosto e na facilidade em trabalhar com as TIC, considerando que a minha actualização é boa. 12 Refira as acções de formação contínua realizadas e a classificação nelas obtida e avalie o contributo de cada uma delas para o seu desempenho profissional - Trabalho de Projecto - uma metodologia a desenvolver -25 h – 1c - A Apresentação Multimédia na Sala de Aula – 25h – 1c - Criação de aulas e conteúdos pedagógicos na internet e nas intranets com o front page – 50h – 2c - Projecto Curricular de Escola - vamos construir -25h – 3c - Acess - Base de dados para a gestão de informação de natureza pedagógica – 50h – 2c - Curso Comunicação Educacional e Gestão da Informação - 324h – Numa classificação de 0 a

20, obtive 16,1 – 10c - Utilização das TIC nos Processos de Ensino/Aprendizagem – 50h – Numa Classificação de 0 a 20, obtive 20 – 2c - Avaliação do Desempenho Docente e Supervisão Pedagógica – 22,5h – Numa classificação de 0 a 10, obtive 8,8 – 0,9c. - As Dinâmicas Organizacionais da Escola e o Modelo de Avaliação do Desempenho Docente – 15h – Numa classificação de 0 a 10, obtive 9,9 – 0,6c. . Fiz formação na área das TIC, Projectos e Avaliação. Todas foram necessárias para a minha formação profissional. A minha actualização nas diversas áreas enquadradas no processo ensi- no/aprendizagem que se encontra em constante mutação, serviram de suporte para cumprir as minhas funções de forma adequada. 13 Identifique sumariamente as suas necessidades de formação e de desenvolvimento profissional

AUTO-AVALIAÇÃO Página 8

. Considerando que as TIC são uma ferramenta cada vez mais importante ao serviço das apren- dizagens escolares. Identifico algumas necessidades para formação: - Ferramentas informáticas – Excel Concepção de Materiais Pedagógicos - As TIC na Área das Expressões. 14 Como avalia a relação que estabeleceu com a comunidade e o cumprimento dos seus objectivos individuais definidos neste âmbito? Entendo a escola como um organismo vivo, aberto à comunidade e para a comunidade. Nesse sentido, julgo que a relação estabelecida com a comunidade escolar foi boa. Procurei estar sem- pre atento ao meio em que a escola estava inserida e inteirava-me do que se passava, para poder intervir quando fosse necessário e recorrer à ajuda quando o justificasse. . Para isso, mantive com os Encarregados de Educação uma relação pautada pela cordialidade e respeito, respondendo a questões sobre os alunos sempre que solicitado. Empenhei-me em desenvolver junto dos Encarregados de Educação o estreitamento de laços de confiança e de colaboração para que daí resultassem boas interacções não só em situações normais como em situações de crise. . Realizei todas actividades definidas no âmbito da relação entre a escola e a comunidade educa- tiva, pelo projecto educativo, pelo plano anual de actividades e pelos projectos curriculares de turma. . Considero que a relação estabelecida foi positiva, tendo havido uma ligação estreita entre a Escola e a Comunidade. 15 Este espaço destina-se a permitir aos coordenadores de departamento curricular e aos professores titulares com funções de avaliação fazer a auto-avaliação do exercí- cio das funções de coordenação e/ou avaliação. Permite ainda a todos os docentes adicionar elementos complementares que considere relevantes para a sua auto-avaliação. . Considero que sempre pautei pela equidade no tratamento de todos os colegas avaliados. Man- tive na observação de aulas uma relação de proximidade com os avaliados e sempre pronto a colaborar na preparação do planeamento das mesmas. Fiz o feedback possível na procura de reforçar os pontos fortes das aulas observadas e minimizar os pontos fracos. . Quanto à coordenação do Departamento procurei Coordenar as actividades do Departamento Curricular de Expressões, de modo a dinamizar a cooperação e a partilha de experiências entre os professores, promovendo o debate quando necessário e a reflexão nos assuntos relacionados AUTO-AVALIAÇÃO Página 9

com o Departamento ou de outras estruturas do Agrupamento. . Também foi criado pelo Coordenador de Expressões no SCRIB uma página com o nome “Departamento de Expressões”, onde eram colocados os materiais elaborados no Departamento ou pelos grupos pertencentes ao Departamento, e outros documentos, servindo como recurso, partilha e troca de experiências entre professores. O/A Docente

______________________________ (AGOSTINHO NEVES DA SILVA)

AUTO-AVALIAÇÃO Página 10