You are on page 1of 3

IMPERMEABILIZAÇÃO DEFINIÇÕES    Estanqueidade – Propriedade de um elemento ou de um conjunto de componentes de impedir a penetração ou passagem de fluidos através de si.

A sua determinação está associada a uma pressão limite de utilização; Impermeabilidade – Propriedade de um produto ser impermeável. A sua determinação está associada a uma pressão limite convencionada em ensaios específicos. Um produto é dito impermeável quando é impenetrável por fluidos; Impermeabilização – Conjunto de operações e técnicas construtivas que objetivam proteger as construções contra a ação deletéria dos fluidos. Geralmente a impermeabilização é composta por um conjunto de camadas específicas. X → → → → ELEMENTOS ATINGIDOS Paredes, coberturas e pisos Fundações, cortinas, pisos sobre os solos Piscinas e reservatórios Superfícies expostas ao vapor e ao vento

FONTE DE ÁGUA Água de percolação Umidade do solo Água sob pressão Água de condensação FORMAS DE PROTEGER  

Evitar contato com o elemento (paredes duplas, drenos, membrana polimérica, entre outros); Permitir o contato, impedindo a penetração da água (impermeabilização).

SISTEMA DE IMPERMEABILIZAÇÃO GENÉRICO   Base – Elemento estrutural da edificação (paredes, cobertas, pisos, entre outros). É um dos condicionantes da escolha do tipo de sistema de impermeabilização; Camada de regularização – Camada com a função de regularizar o substrato, proporcionando uma superfície uniforme de apoio adequada à camada impermeável; além de fornecer à camada impermeável uma certa declividade (mínimo de 1,0 %) quando esta for necessária; Camada impermeável – Camada com a função de prover uma barreira contra a passagem de fluidos; Camada separadora – Camada com a função de evitar a aderência de outros materiais sobre a camada impermeável; Camada de proteção térmica – Camada com a função de reduzir o gradiente de temperatura atuante sobre a camada impermeável, de modo a protegê-la contra os efeitos danosos da temperatura; Camada de proteção mecânica – Camada com a função de absorver e dissipar os esforços atuantes por sobre a camada impermeável, de modo a protegê-la contra a ação deletéria destes esforços; Camada de berço – Camada com a função de apoio e proteção da camada impermeável contra agressões provenientes do substrato; Camada de amortecimento – Tem a mesma função da camada de proteção mecânica, mas utilizada em conjunto com a camada de berço.

     

a frio – emulsão asfáltica) e poliméricas (elastoméricas e acrílicas – com ou sem adição de cimento).  Mantas (pré-fabricadas) – asfálticas e poliméricas (elastoméricas e poliméricas) PRINCIPAIS SOLUÇÕES DE IMPERMEABILIZAÇÃO Membranas e mantas asfálticas Membranas poliméricas Impermeabilizações rígidas Mantas poliméricas Mantas asfálticas (exceto para caixas d’água potáveis) Caixas d’água e piscinas Impermeabilizações rígidas (exceto para caixas d’água elevadas) Coberturas e áreas  Mantas e membranas asfálticas externas  Mantas e membranas poliméricas  Membranas poliméricas e asfálticas Áreas internas de edifícios  Mantas asfálticas  Argamassas poliméricas Tabela 1. camada de regularização. Principais soluções de impermeabilização. camada impermeável. Este tipo de impermeabilização é especialmente indicado para elementos sujeitos a fissuras. Base. camada amortecimento. sem outras camadas complementares. camada separadora e camada de impermeável. Exemplos de sistemas de impermeabilização rígidos são:  Concreto – com aditivos impermeabilizantes. camada de regularização. camada de proteção térmica e camada de proteção mecânica CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO Rígidos – Baixa capacidade de absorver deformações da base (principalmente as deformações concentradas em fissuras). camada de impermeável.  Cimentos – poliméricos e cristalizantes. Flexíveis – Suportam deformações da base com amplitudes variáveis (tais amplitudes variam em função do tipo do sistema de impermeabilização). Fundações e cortinas       . Este tipo de impermeabilização é especialmente indicado para elementos não sujeitos a fissuras. a camada estanque é aplicada diretamente sobre a base e.Base. Sistemas de impermeabilização genéricos. camada berço. camada de regularização. camada de Base. camada separadora. Nas impermeabilizações rígidas.  Argamassas – com aditivos hidrofugantes ou com adição de polímeros. camada proteção mecânica separadora e camada de proteção mecânica Figura 1. Exemplos de sistemas de impermeabilização flexíveis são:  Membranas (moldadas no local) – asfálticas (a quente – com asfalto oxidado. geralmente.

 Flexibilidade. recomenda-se:  Queimar com o maçarico o polietileno protetor de alta densidade e também a tinta de imprimação para promover uma perfeita aderência.  Exposição ao sol.  Ralos.  Entre uma manta e outra deve-se ter uma sobreposição de no mínimo 10 cm. até cobrir toda a área.  Forma de aplicação.  Exposição a cargas.  Vida útil. Características dos sistemas  Custo.  Após o término da impermeabilização. começando da parte mais baixa para a mais alta.0%.  Possibilidade de manutenção. devendo-se respeitar a declividade mínima que é de 1.  Frequência da umidade. com 2.  Fissuração da base.  Extensão da aplicação. tubulações e outros detalhes devem ser perfeitamente vedados. No caso das mantas. Da execução da impermeabilização até a secagem completa do material.CRITÉRIOS DE ESCOLHA DOS SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO  Requisitos e condições de exposição  Pressão hidrostática.  Resistência mecânica.  RECOMENDAÇÕES PARA EXECUÇÃO    A camada de regularização deve ser feita com uma argamassa no traço 1:3 (cimento:areia).0 cm de espessura e com os cantos arredondados. iniciar os testes de estanqueidade.  Depois de cobrir toda a área.  Colocar a manta no sentido contrário ao caimento do piso. deve-se fazer o arremate de todas as juntas aquecendo a manta com o maçarico e passando uma colher de pedreiro. .  Resistência à intempéries. deve-se evitar o trânsito de pessoas e equipamentos não relacionados à realização do serviço. As juntas devem ser pintadas com tinta alumínio de base asfáltica para proteção do asfalto dos raios ultra-violeta.  Movimentação da base.