You are on page 1of 4

TEMA 1 Quais são as principais armas não letais?

Bala de borracha dois dardos são lançados em direção ao alvo. Os dardos Quando é - usada Para conter tumultos violentos ficam conectados à pistola por fios metálicos que podem em manifestações ou rebeliões chegar a quase 11 m / 3. Os dardos penetram 2,5 cm na O que é - Como uma bala normal, ela tem uma pele e transmitem descargas elétricas de até 50 mil volts cápsula com pólvora para impulsioná-la e uma ponta - a - igual ao bastão de choque. É possível dar descargas parte que atinge o alvo. A diferença é que a ponta não é contínuas mantendo o gatilho apertado de metal como nas balas comuns, mas de borracha. A Bastão de choque vantagem desse material é que ele não perfura a pele. Mas a bala de borracha pode causar ferimentos graves Quando é - usado Como arma de defesa pessoal se atingir o rosto ou até mesmo ser fatal em pontos como ou em ações para imobilizar um fugitivo suspeito ou um a garganta. Por isso os tiros só devem ser dados na agressor direção das pernas O que é - Popularmente conhecido como "choquinho", este pequeno aparelho emite descargas Gás lacrimogêneo elétricas de até 50 mil volts, mas de baixa amperagem, o Quando é - usado Para dispersar multidões e que só paralisa o agressor. Sua utilização é simples: não também em operações de resgate precisa mirar, nem nada, é só encostar o aparelho na O que é - Já chorou cortando cebola? É essa a pessoa para provocar o choque. Das armas listadas aqui sensação causada pelo gás lacrimogêneo. Ele parece é a única que não tem uso controlado no Brasil uma granada e pode ser jogado com a mão ou com uma arma lançadora. Não confundir com as bombas de efeito Vem mais por aí! Ainda em testes, novas armas moral. Estas podem ser de vários tipos: tem as que que não matam parecem tiradas do cinema DISPARO SÔNICO explodem fazendo só muito barulho, as que emitem luz intensa para ofuscar e as que soltam fumaça. Nada disso O que é - Inicialmente foi desenvolvido no meio machuca, mas, quando estouram, as bombas soltam militar como um equipamento de áudio para transmitir fragmentos que podem ferir avisos a longas distâncias, sem deixar o som "rachado", incompreensível. Logo surgiu a idéia de transformá-lo Spray de pimenta numa arma não letal para dispersar multidões, pois ele Quando é - usado Como arma de defesa pessoal pode emitir um som insuportavelmente alto para o ouvido ou para dispersar tumultos. É raro, mas também pode ser humano usado no resgate de reféns. Neste caso, é lançada uma Problema - Ainda está em fase de testes. O grande quantidade do gás no ambiente em que está o grande desafio para os pesquisadores militares é que seqüestrador não dá para direcionar o som para uma área específica O que é - O gás que sai é chamado de agente que se queira atingir OC (Oleoresina capsicum). Capsicum é um gênero de ONDAS QUENTES pimentas de onde é extraída a capsaicina, substância que causa forte irritação nos olhos e nas vias O que é - O ADS - sigla em inglês para "sistema respiratórias. O efeito de um jato na cara pode durar até ativo de recusa" - emite ondas invisíveis que penetram 40 minutos!\ até 0,4 milímetro na pele. Essa radiação faz com que as moléculas de água da região atingida se agitem Taser princípio parecido com o do forno de microondas Quando é - usado Tem função parecida com a "queimando" a pele das pessoas e dispersando uma do bastão de choque, imobilizando agressores. A grande multidão vantagem é que o taser pode ser usado a longa distância Problema - A pele tem várias espessuras. Nas O que é - - 1. O taser parece uma pistola pálpebras, é de só 0,3 milímetro e as ondas atingiriam os comum, mas tem uma "bala" diferente. O gatilho aciona olhos. Além disso, numa multidão, as pessoas perto do um sistema de ar comprimido e ainda regula uma ADS não conseguirão se afastar a tempo de evitar descarga elétrica / 2. Impulsionado pelo ar comprimido, queimaduras graves. Regulamentação das armas não letais Tenho acompanhado a discussão em torno da utilização, pelas forças de segurança do Brasil e do mundo, de armas não letais, em particular das pistolas elétricas incapacitantes. Cada vez mais esses dispositivos têm sido usados, o que é, ao mesmo tempo, bom e ruim. Bom porque se não existisse opção à arma de fogo, haveria um incalculável número de mortes desnecessárias. Ruim porque quanto mais essatecnologia é usada, maior a possibilidade de o ser de forma equivocada. No entanto, é preciso compreender que entre não fazer nada e a adoção da arma letal há um leque de possibilidades. As tecnologias não letais existem para ocupar esse espaço. Elas são fundamentais, por exemplo, no controle de distúrbios urbanos e imprescindíveis na segurança privada. Trata-se de assunto muito novo, em especial no Brasil. É chegada a hora de discutirmos a regulamentação do uso desses equipamentos pelas forças de segurança; de criar normas para garantir a qualidade dos produtos que entram no mercado; de estabelecer doutrinas para a aplicação daquilo que a ONU convencionou chamar de ―uso proporcional da força‖. Quando secretário nacional de Segurança Pública, incentivei a aquisição — pela União, estados e municípios — de dispositivos não letais diversos. Isso ocorreu com a condicionante do treinamento, conforme estabelecido em 2007 pelo Pronasci, programa que representa um divisor de águas no que tange as propostas de redução da letalidade pelas forças de segurança do País. Até então, a lógica era bem distinta. As polícias só dispunham, às vezes para uso banalizado, de armas de fogo. Não era de se admirar a estatística de mortes por balas perdidas, no caso do Rio, e que tenhamos vivido episódios

Permite-se que esta maquinaria precária continue a funcionar pelo fato simples de que ela produz lucro. única empresa no Brasil a produzir bombas de gás e armamento não letal em grande escala. A Condor afirmou em seu site. Granadas lacrimogêneas. Nós fomos até a sala e chamamos o aluno para sair. chutou carteiras e ficou bem violento. por si só. Foi aí que o policial usou a arma teaser para tentar controlar o garoto. granada de efeito moral. e o lança em uma barbárie privada na qual ele não tem a menor .. geram um ciclo diabólico: a precariedade das condições sociais levam ao crime que é combatido com excesso de violência que leva ao aumento da precariedade. ardência. em Istambul. Aí ele estourou. mas não endereçada.) O círculo da produção de armas não letais no Brasil tem um fechamento. é positivo até orgulhoso. As armas elétricas saltam dos filmes americanos para a realidade das polícias em diversos estados no Brasil. Mais recentemente. cresceu a indústria da repressão ―não letal‖. A população acaba pagando com o dinheiro dos impostos pela própria repressão policial que irá sofrer. sprays de pimenta. Haverá alguma relação com o fato da empresa produzir o equipamento que serviu em todo o país para a repressão das mobilizações sociais? Não deveria. em Florianópolis. Então o policial entrou e chamou o rapaz também. Copa do Mundo de 2014 e Grandes Eventos. à necessidade de alguma idéia salvadora que solucione este problema misterioso? A cena que abriu esta reportagem indica que não. não chegaram à área de segurança e ―contenção de protestos‖. munições de impacto controlado ou granadas de efeito moral. O mau treinamento e salário dos policiais brasileiros. R$50 milhões em Armamentos Menos Letais a serem destinados aos Estados-sede dos jogos da Copa das Confederações de 2013. irônico. Indústria Química. estavam chorando. foi a brasileira Condor S. teriam permitido controlar a ação agressiva dos manifestantes sem causar morte ou lesão permanente‖. tentando não chamar a atenção dos colegas. portanto. em 2012. contradiz a afirmação da presente Dilma Rousseff em seu pronunciamento em rede nacional de que o governo brasileiro não estaria utilizando dinheiro público na realização dos megaeventos. conhecida de todos. chegando próximo aos 6 bilhões de euros (R$ 17. em 2013. pelo contrário. O site da Condor encontra-se estranhamente ―Em manutenção‖ desde pelo menos 27 de junho deste ano. no cenário internacional. choque. (. Com a crise econômica mundial muitas indústrias retrocederam.A. então em intensa crise política). Junto com as armas ―teaser‖. A fonte do problema.) Se é verdade que a mortalidade no Brasil. para mais de 3 milhões. Uma das empresas no mundo que mais lucrou com as crises. granada lacrimogênea. pior sem elas. Negou-se a sair. nos protestos turcos que tiveram como estopim a destruição do Parque Taksim Gezi. As tecnologias não letais surgiram. por falta de interesse econômico e político. Este valor milionário. para amenizar os danos oriundos dos confrontos da vida real. vítima de bombas de gás lacrimogêneo atiradas por forças do governo contra manifestantes. com o aumento da insatisfação popular e das manifestações. quanto para a indústria privada de armas. pode se tornar. ele também pagou pela pesquisa das armas. ela surgiu em uma polêmica na mídia por fornecer equipamento não letal que levou a morte de um bebê de cinco dias no Bahrein (país árabe. por exemplo. A história surpreende por uma série de fatores: a violência dentro da escola. já que não é apenas grande consumidor. (…) Muitos colegas saíram da sala. Os colegas ficaram muito assustados. ativistas e militantes dos direitos humanos no Brasil receberam com surpresa as imagens que mostravam o selo ―Made in Brazil‖ nas centenas de bombas de gás. a União comprou da Condor S. que aumenta regularmente as fileiras de jovens violentos. como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. quiseram ir embora. justamente. tanto para o crime. Entre estes armamentos encontram-se itens como spray de pimenta..4 bilhões) em 2012‖. O contribuinte carioca que saiu às ruas para protestar e que se deparou com um arsenal de bombas de gás compradas com verba pública.lamentáveis como os massacres do Carandiru e de Eldorado dos Carajás — que poderiam ter tido outro desfecho caso as forças de segurança de então dispusessem de equipamentos não letais adequados. usadas quase que indiscriminadamente. tem níveis comparados ao de guerra civil. de acordo com reportagem da BBC. Em 2011. principalmente a relacionada à violência policial. como educação e saúde. Segue um exemplo histórico. muitas vezes. O Brasil tem papel fundamental neste crescimento. Este relato foi feito no dia 19 de agosto por um diretor de colégio público. granada de luz e som. No Oriente Médio.. Os cortes públicos que devastaram as áreas sociais em diversos países. o orçamento de equipamentos ―antidistúrbio‖ subiu de 173 mil euros. ao presenciar um aluno do 1ª série do Ensino Médio ser atingido por choque de arma elétrica acionada por um Policial Militar dentro da sala de aula. Liberamos estes adolescentes. o mundo vê um crescimento na produção e comercialização das chamadas armas não letais. a estrutura e ideologia militar da polícia e a discrepância social brasileira. como o jovem em Florianópolis? O problema da violência. Elas causam dor. se resume à falta de tecnologia apropriada. a reação traumática dos funcionários e alunos após a ação e o tipo da tecnologia utilizada. Outros foram contra a polícia e se revoltaram. já que o discurso da empresa. balas de borracha e ―armas de lançamento de dardos energizados‖ (os teasers do começo desta reportagem). será que a solução é investir em outros tipos de arma? Será que Amarildo teria reaparecido caso tivesse tomado ―apenas‖ um choque.. Não foi o caso da indústria destas armas.. Pelo contrário. em relação a seu produto. ficaria ainda mais surpreso ao saber que além de pagar as bombas e o salário do policial. A. O que se torna claro com estes números é que a crise não inibe o capital. Mas é como diz o dito popular: ruim com elas. (. Mas ele não se retirou. o surgimento de um novo nicho de mercado. é esta discrepância social que retira o sujeito dos serviços públicos básicos.. Ex-secretário nacional de Segurança Pública e presidente do Observatório do Uso Legítimo da Força Ricardo Balestreri Novos mercados da violência no Brasil: as armas não letais ―Veio uma viatura com dois policiais. por exemplo. econômicas e políticas. Duas meninas foram levadas por desacato‖. ficou agressivo e assustado.) De acordo com o Portal da Transparência da Copa 2014.. mas um dos seus principais produtores. desde 2010 ―o mercado de segurança interna teve um aumento de 18% em seu valor. retirado de uma versão anterior do site: ―O caso de Eldorado dos Carajás pode ser citado como um exemplo de situação na qual as armas não letais poderiam ter evitado a tragédia. (. Na Espanha. que o armamento não letal seria uma maneira de reduzir a altíssima mortalidade no Brasil. até então pouco explorado. no Brasil e no mundo. Elas também serão amplamente utilizadas na segurança dos megaeventos futuros no Brasil.

mas não mata‖ de Paulo Maluf). Isso abriu as portas para os desafios judiciais contra o confinamento e maus-tratos de animais. naquele que precisa que o ―deixem‖ viver. de forma coerente e coesa. argumentos e fatos para a defesa de seu ponto de vista. * Tomaz Amorim Izabel é professor e mestre em Teoria Literária pela Unicamp. não acho que ela teve uma real influência sobre a sociedade. pelo mau uso do dinheiro público e pela melhorias dos serviços básicos como transporte. para uma perna. Não existe mais como duvidar que polvos. Mantém uma conta no Twitter. que será cada vez mais intolerante aos maus-tratos. * Como o senhor vê os avanços conquistados em Cambridge? Eu apoio totalmente a declaração de Cambridge. Desde 2009 a União Europeia reconheceu que estava errado pensar em animais como ―propriedades‖ e deu-lhes o estatuto jurídico de seres sencientes [capazes de sofrer ou sentir prazer ou felicidade]. * De que forma esse consenso entre os cientistas influencia a questão do bem-estar animal? Os principais avanços recentes foram no uso de animais em pesquisas científicas e na forma como os confinamos. A ciência pode ajudar a encontrar respostas em pesquisas específicas sobre cada espécie. Nosso momento exige justamente o contrário: um ―viver‖ pleno. o assassinato. O caso da expulsão violenta de quase dez mil pessoas do Pinheirinho pela ação conjunta de polícias não nos mostrou que o terror e a vergonha pela ação do estado não se limitam ao número de mortos? Os protestos recentes não mostram o mesmo? Ao contrário da falsa solução no slogan da Condor ―Atire e deixe viver‖ (uma versão adaptada do ―Estupra. mas para patrocinar a indústria privada deste tipo de tecnologia? Os protestos não foram. defende uma regulamentação universal que preze pelos direitos dos animais. apenas aumenta a capacidade e versatilidade da repressão governamental. professor da cátedra de bioética da Universidade de Princeton. a repressão controlada. É por isso. Hoje. A atenção e o investimento públicos que deveriam ser lançados a este estado evidente das coisas prefere se concentrar nas belas palavras da empresa privada de armas. vivemos uma era de conscientização. principalmente para aqueles até então sem nada. gatos e cachorros são serem conscientes. Selecione.cartacapital. . que devemos lutar. mas ainda carecemos de uma legislação universal sobre os animais. por exemplo. não violar seus instintos nem submetê-los a situações de estresse. os cosméticos que compramos foram testados em animais? Essas preocupações vão crescer exponencialmente na nossa sociedade. de forma a garantir o fim dos maus-tratos e uma vida digna a todos eles.br/2013/08/28/novos-mercados-da-violencia-no-brasil-as-armas-nao-letais/ PROPOSTA 1 Redija um texto dissertativo-argumentativo em norma culta sobre o tema Armas não letais. @tommyamorim. sobretudo. e não por maneiras mais sofisticadas de repressão. * Do ponto de vista moral. sob quais condições elas são produzidas. progressiva e ampliada. Os estudos de comportamento animal podem ser decisivos para entendermos como devemos tratá-los.com. seja lá o que for. De onde vem a carne que comemos. por exemplo. para o olho da jornalista Giuliana Vallone. as discussões regulamentares querem interferir para definir legalmente o tamanho mínimo das gaiolas em que as galinhas poedeiras são confinadas até proibição dos testes com chimpanzés. para a crença jovem de que a transformação das coisas no Brasil é possível através da participação política nas ruas e nos plenários. devido ao pudor internacional. que tanto se orgulha de sua hospitalidade e pacifismo. O povo brasileiro. Ou seja. uma vez que trouxe um aval científico para a questão como um consenso. que deve levar muitos anos para se concretizar. por fim. para todos. que precisa ter permissão para exercer o mínimo de sua dignidade humana. * Como os estudos sobre o bem-estar animal podem evoluir? Os animais são muito distintos. saúde e educação? O armamento não letal não implica na diminuição da letalidade ou da violência. mas ainda não sei que alcance ela de fato terá na forma com que tratamos os animais. porcos. Já faz um ano que os cientistas assinaram o documento. apesar de eu concordar que ela foi um marco para discutirmos os direitos dos animais. TEMA 2 Estamos na era da conscientização animal' O filósofo Peter Singer afirma que mais importante do que estudar a consciência dos animais. Os protestos recentes mostraram que com a força certa uma bomba de gás ou uma bala de borracha pode ser fatal – como para a gari belenense Cleonice Vieira de Moraes. Produtores terão que investir em câmeras em suas fazendas para mostrar aos consumidores que seguem os preceitos de bem-estar animal. apresentando experiência ou proposta de ação social. cabe a desorientação. um viver liberto do condicionamento do tiro ou da permissão da polícia e do estado.blogspot. mas ainda não estamos discutindo abertamente suas implicações filosóficas e científicas. Onde não cabia. Singer virá ao Brasil para participar do evento Fronteiras do Pensamento e conversou por telefone com a GALILEU na entrevista que se segue.chance de obter sucesso. Há sinais de progresso. para o direito de se manifestar.com http://negrobelchior. buscando evidências concretas do que exatamente esses animais precisam para ter uma boa vida e quais as melhores condições que eles precisam para tê-las. com direitos. é zelar pelo bem-estar deles O filósofo Peter Singer. e um blog literário: tomazizabel. fingindo acreditar que a solução para a alta mortalidade no Brasil se reduz à troca de algumas balas de chumbo por balas de borracha. que respeite os direitos humanos. Alguns estados americanos evoluíram nessa mesma questão. Militante e um dos principais teóricos do mundo dessa questão. estará consciente deste novo papel protagonista nas repressões a levantes populares mundo afora? Estará ele satisfeito pelo dinheiro de seus impostos ser usado não para transformar o estado calamitoso de nossa população. Organize e Relacione. como acha que a sociedade vai reagir a esses estudos? Cada vez mais o que vai pautar as nossas relações com os animais é a transparência. o cegamento. o problema está justamente em justamente ―atirar‖.

Sem meias-verdades Para que o país progrida nessa questão. e para aqueles que não tiverem condições de bancar tal queda de desconto que valorizem os espaços onde o jogos e espetáculos são gratuitos. que atende as reinvindicações de trabalhadores do setor. afinal.* E como isso pode mudar nossos hábitos? A conscientização sobre os direitos animais vai se tornar algo muito mais corriqueira. O consumo de cosméticos.00-ESTAMOS+NA+ERA+DA+CONSCIENTIZACAO+ANIMAL. é necessário implementá-la com algumas restrições. e pelas próprias comunidades virtuais através das redes sociais. Porém. sem precisar de cotas ou meias-entradas.globo. argumentos e fatos para a defesa de seu ponto de vista. é essencial que nessa nova era do mundo virtual. serão. bom senso. portanto. se essas revelaram sua eficiência e sucesso como objeto da comunicação.html PROPOSTA 2 Redija um texto dissertativo-argumentativo em norma culta sobre o tema A era da conscientização ambiental. couro e até a compra de animais de estimação também deve sofrer mudanças. Democratizar a cultura e o lazer (Tema: meia entrada) Em suma. Além disso. Cultura? Tem para todos Com a aprovação desta lei. pois [pois. o indivíduo poderá aumentar sua renda e assim consumir mais. a meia-entrada é um mecanismo bem-sucedido de igualdade. Por exemplo. http://revistagalileu. o que fará com que muitas pessoas diminuam ou até deixem de comer carne. deveria portanto [deveria. idosos e outros favorecidos passara [passarão] a ter redução de 40% que além de não pesar tanto no bolso trará uma queda nos preços aos adultos.] se interessar pelo consumo de livros. que também estão caros devido a [à] baixa demanda. porém. o melhor meio para alertar os usuários a respeito dos riscos de seu uso e os cuidados necessários para tal.. levando-se em consideração a renda do beneficiado e limitando o número de espectadores por evento.com/Revista/Common/0. os usuários da rede tenham plena consciência de que tornar pública determinadas informações requer cuidado e.] mera hipocrisia. apresentando experiência ou proposta de ação social. que respeite os direitos humanos. mas vamos mudar nossa forma de se relacionar com eles. certamente.EMI341735-17770. o governo poderia diminuir o imposto sobre empresas que promovem eventos esportivos e culturais. com um grau de educação mais elevado. Organize e Relacione. nem a do próximo possa ser prejudicada. Isso poderia ser feito pelos próprios governos de cada país. de forma coerente e coesa. Ainda é cedo para prever. os preços que para jovens.] se a população está interessada em cultura e lazer. acima de tudo. reduzindo o impacto financeiro da meia-entrada no bolso alheio. . o que trará maior igualdade aos preços. para que nem a própria imagem. Selecione. Atribuir toda a culpa ao Governo seria porém [seria. CONCLUSÃO Redes sociais: o uso exige cautela Dado isso. temos de melhorar prioritariamente os serviços essenciais oferecidos à população.