You are on page 1of 2

Análise da Conjuntura 01.09.

2009
Elaboração: Prof. Roberto Meurer - Departamento de Economia - UFSC

Comentário Geral "Economia continua lenta retomada"

Os indicadores de produção no Brasil e no mundo estão mostrando a possibilidade de que o pior da crise tenha passado. Este diagnóstico é
divulgado por instituições multilaterais e governos de países. O nível de produção, no Brasil e no exterior, entretanto, ainda é muito baixo em
comparação com os picos de antes da crise. No caso brasileiro começará agora a ocorrer uma sobreposição entre o noticiário econômico e
político, por causa da eleição presidencial de 2010. As disputas internas nos partidos e nas estruturas institucionais começará a influenciar as
decisões. Exemplos disso são a possível candidatura de Marina Silva pelo PV e a absolvição do Ex-Ministro Pallocci no caso da quebra de
sigilo bancário. O fato de o Brasil ter sobrevivido bem à crise internacional, por sua menor vulnerabilidade externa, também deverá ser
importante parte do debate.
Cenário Político Contas Públicas
As eleições presidenciais de 2010 começam a se tornar cada vez mais Os resultados fiscais continuam apresentando rápida deterioração. A
importantes nas tomadas de decisões políticas. Isso envolve desde os queda da arrecadação está se fazendo sentir na redução do superávit
problemas com atos secretos do Senado até a regulamentação da primário, o quem influencia a evolução das necessidades de
exploração do petróleo do pré-sal. A possível candidatura de Marina financiamento do setor público, em que se observa aumento do déficit
Silva também pode interferir nos resultados, por disputar os votos á nominal. Isto é influenciado tanto pelas medidas anti-cíclicas quanto
esquerda. pela queda da produção, que influencia a arrecadação fiscal.
Nivel de Atividade
DÍVIDA PÚBLICA MOBILIÁRIA REAL
A evolução da produção industrial continua mostrando a lenta EM MILHÕES DE REAIS DO ÚLTIMO PERÍODO
recuperação da economia brasileira. Apesar de o nível de produção
ainda ser em torno de 10% abaixo daquele observado no mesmo 2000000
1800000
1600000
1400000
período de 2008 há crescimento em relação aos meses anteriores, 1200000
1000000
800000
após o tombo observado no último trimestre do ano passado. No caso 600000
400000
200000
0
da demanda externa ainda não há tanta clareza sobre a recuperação,
/92

1
2

/05
/91

/96

97

8
9
0

/04

/09
3

8
o que enfraquece as exportações como origem de crescimento

v/0
z/0
r/9

o/9

t/9
t/0

r/0
r/9

i/9

r/0

i/0
jul/
fev

fev
jan

jun

jan

jun
ma

se
ou

ma
ab

ab
ma

ma
no
de
ag

econômico.
Inflação Política Monetária e Taxa de Juros
As taxas de inflação ao consumidor permanecem sob controle, mas O controle da inflação e o baixo crescimento econômico permitiram a
também não apresetnam grandes reduções, dada a rigidez observada redução da taxa nominal de juros, acompanhada de redução da taxa
nos preços admninstrados. Por outro lado, os preços no atacado, real. A evolução da política monetária não é clara, porque não há
influenciados pelo câmbio, continuam apresentado redução, o que pressão na inflação, mas não há como saber a extensão das
reduz as pressões inflacionárias que poderiam se manifestar quando conseqüências das quedas já observadas na taxa de juros. A
a economia retomar o seu crescimento normal. defasagem com que a política monetária age pode tornar o Banco
Central mais comedido em suas próximas decisões, o que já foi
Taxa de Câmbio e Setor Externo
sinalizado na ata da última reunião do Copom.
O Banco Central retomou a compra de divisas para evitar maior
R$/US$
apreciação da moeda brasileira. Com isto as reservas internacionais já
4,00
estão em níveis mais elevados do que o observado antes da crise,
3,50
durante a qual ocorreram vendas de moeda estrangeira. A elevação
3,00
das reservas decorre das compras e das mudanças na composição da
2,50
carteira do Banco Central, que permitiram a obtenção de ganhos de
2,00
capital com compras e vendas de títulos dos Estados Unidos. A
1,50
distribuição de DES-Direito Especial de Saque por parte do FMI
02
2 /1 0 2
2 /7 0 3
2 /1 0 3
2 /7 0 4
2 /1 0 4
2 /7 0 5
2 /1 0 5
2 /7 0 6
2 /1 0 6
2 /7 0 7
2 /1 0 7
2 /7 0 8
2 /1 0 8
2 /7 0 9
09

também contribuiu para a elevação das reservas. As reservas


/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0
/2 0

elevadas contribuem para a redução da percepção de risco do país,


2 /1
2 /7

dada a menor vulnerabilidade. A redução do nível de atividade


econômica em todo o mundo fez reduzir o volume de transações
externas da economia brasileira, tanto de exportações quanto de
importações. Uma retomada mais forte da atividade interna em
comparação à externa pode gerar redução do superávit comercial,
dada a relação poisitiva entre produção e importações.
BALANÇO DE PAGAMENTOS
SALDO DE TRANSAÇÕES CORRENTES
EUA - ÍNDICE PRODUÇÃO INDUSTRIAL
(ACUMULADO EM 12 MESES) 115
113
20.000
111
10.000 109
0 107
-10.000 105
103
-20.000
101
-30.000 99
-40.000 97
95
2

8
z/8

z/8

z/8

z/8

z/9

z/9

z/9

z/9

z/9

z/0

z/0

z/0

z/0

z/0

/00

00

/01

01
/02

02

/03

03

/04

04
/05

05

/06

06

/07

07
/08

08

/09

09
de

de

de

de

de

de

de

de

de

de

de

de

de

de

jul/

jul/

jul/

jul/

jul/

jul/

jul/

jul/

jul/

jul/
jan

jan

jan

jan

jan

jan

jan

jan

jan

jan
Economia Mundial

O discurso moderadamente otimista ao redor do mundo sobre o fim da recessão não está gerando euforia, apesar da reação observada nos
mercados de ações. Constatações de que a produção parou de cair está longe de significar que a economia se recuperou e também não
informa sobre a velocidade em que esta recuperação poderá ocorrer.