COMO IDENTIFICAR SEITAS PERIGOSAS

Randall Watters Defesa da Fé- novembro 2003

Como podemos saber se uma organização religiosa, política ou de qualquer outra área é uma seita perigosa? Este é objetivo deste artigo. A seguir, apontaremos os principais elementos que nos auxiliarão a empenhar esta identificação, mas, antes de qualquer juízo, é primordial aconselhar a avaliação das características em seu todo, pois, se forem desassociadas do conjunto, poderão ser encontradas também em movimentos ortodoxos, sem que com isso caracterizem uma seita. Faremos esta caracterização por meio de quatro tópicos: I.Recrutamento: as estratégias do grupo para recrutar novos adeptos. 2.Programação: as estratégias do grupo para administrar a fida cotidiana dos seus adeptos. 3.Retenção: as estratégias do grupo para reter seus adeptos. 4.Resultado: as implicações destas estratégias na vida dos adeptos. RECRUTAMENTO 1. Engano: a identidade e os verdadeiros objetivos do grupo não são revelados antecipadamente. Os líderes dizem aos membros que eles não podem dar informações sobre o grupo, para que as pessoas "de fora" não saibam muito a respeito deles. 2. Chantagem emocional: as seitas oferecem amizade e aceitação instantâneas. Os que recrutam novos adeptos não aceitam uma resposta negativa sem que antes levem a pessoa a sentir se culpada ou ingrata pela rejeição de sua pregação. 3.Exploração de crises emocionais: são exploradas situações como um relacionamento quebrado, um falecimento na família, a perda do emprego, uma mudança recente, a solidão e a depressão. 4.Invenção de crise: o mundo à nossa volta e os crentes de outras religiões são vistos numa perspectiva sombria, ou o fim do mundo é iminente etc. Dizem para as pessoas que elas devem fazer parte do grupo para que possam ser salvas ou curadas. 5.Respostas: o grupo tem respostas simplistas e únicas para todas os questionamentos sobre a vida. PROGRAMAÇÃO 1. Estudo intenso: a ênfase é posta nos escritos e doutrinas do grupo. A Bíblia, se usada, é citada de forma seletiva e fora do contexto. 2. Avisos: os novos membros são avisados de que Satanás fará que seus familiares e amigos falem mal do grupo. Dentro de pouco temo, os recrutas só confiam nos membros do grupo. 3.Culpa e medo: os grupos enfatizam a natureza pecaminosa do indivíduo e a necessidade de

purificar a velha personalidade. 4.ControLe da rotina, fadiga: o estudo e o trabalho pára o grupo são obrigatórios, roubando quase todo o tempo do novo membro, tornando o demasiado ocupado para refletir ou ouvir a opinião de outros. A família, os amigos, o emprego e os passatempos são postos de lado, isolando=olainda mais. 5. Ataque a qualquer tipo de pensamento independente: o pensamento crítico é desencorajado e interpretado como orgulho e pecado. É encorajada a aceitação cega. 6.Comissão divina: o líder geralmente alega ter recebido novas revelações de Deus e afirma ser o único porta voz de Deus para a humanidade neste tempo. 7.Obediência irrestrita: todas as questões têm respostas simples e requer se do novo adepto uma obediência inquestionável às ordens do grupo. Uma mentalidade do tipo "nós contra eles" fortalece a identidade do movimento. Todas as pessoas que não pertencem ao grupo são encaradas como fracas ou enganadas. RETENÇÃO 1. Questionamento de motivos: quando é apresentada evidência sólida contra o grupo, os membros são ensinados a questionar os motivos da pessoa que apresenta a evidência. Aquilo que pode ser verificado é ignorado e se aceita aquilo que não pode ser verificado. 2.Controle de informação: o grupo controla aquilo que o membro pode ver ou ouvir. É proibido o contato com ex membros e com qualquer pessoa que critique o grupo. 3.Isolamento e alienação: o grupo substitui a família porque ouve que não precisa de mais ninguém (nem mesmo da família) além do grupo. Talvez o novo adepto receba instruções como: proibição de alimentos, proibição de casamento ou abandono do lar, desistência da escola, entre outras. 4.Repressão: a desobediência, incluindo até mesmo desacordos insignificantes com a doutrina do grupo, terá como resultado o banimento e a expulsão. S.Fobias: o medo do mundo e das outras pessoas é aumentado, tal como 0 medo do diabo e do mal. É ensinado aos membros que lhes acontecerá algo muito mau se deixarem o grupo. Não existe nenhuma maneira honrosa de sair do grupo. 6.Empenho: ser membro e trabalhar para o grupo é essencial para a salvação. Por mais que o adepto se esforce, nunca será o suficiente. RESULTADOS 1.Dependência: o adepto fica com uma dependência infantil do grupo. 2.Desordens pessoais: depressão, desorientação, ansiedade, estresse, comportamento neurótico ou psicótico, e até mesmo tendências suicidas. 3.Capacidade diminuída: o adepto perde a capacidade de pensar de forma clara e crítica. Contradições lógicas nas doutrinas têm pouco ou nenhum efeito sobre ele. 4.Exploração: o adepto é explorado financeiramente, psiquicamente e/ou mentalmente. Pode ser manipulado para dar tudo o que possui ao grupo, abandonar escola ou emprego (para poder passar muitas horas vendendo literatura ou outros itens), fornecer mão de obra barata para o grupo e outras coisas.

"Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência; proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças" (1Tm4.1 3) Adaptado do site observatório watchtower pela redação do Instituto Cristão de Pesquisas.

Rabinos Hassídicos (Cabalistas e Místicos) Estão Anunciando o Aparecimento Iminente do Messias
David Bay http://www.espada.eti.br

O povo judeu está sendo preparado para seu último e fatal engano: aceitar o Anticristo como o verdadeiro Messias! Resumo da Notícia: "Rabinos Proclamam em Todo o Mundo a Chegada Iminente e a Identidade do Rei Messias", www.msn.com, citação do Messiah Watch International, mas oficialmente anunciado no programa Art Bell, em 12/7/2001, http://communities.msn.com/MessiahWatchInternational&naventryid=100 e Art Bell http://www.artbell.com/ "Enquanto os rabinos hassídicos percorrem a Terra Sagrada anunciando publicamente a chegada iminente do Rei Messias, muitas pessoas tentam entender do que se trata toda a agitação. Esses rabinos explicam à sua maneira empolgada que a guerra do Golfo Pérsico estava descrita detalhadamente nos textos judaicos sagrados como sendo o evento que ocorreria quando a identidade do Rei Messias fosse revelada. Além disso, explicam que o choque do cometa Shoemaker-Levy 9 contra o planeta Júpiter em 1994 estava previsto na Cabala, o livro judaico sagrado de misticismo, como o sinal divino da chegada iminente do Rei Messias." Esses rabinos hassídicos, também chamados Lubavitchers, são seguidores da antiga Tradição Oral Mística judaica conhecida atualmente como Cabala. Antes de nos aprofundarmos nesta empolgante discussão, precisamos discutir o que é a Cabala e por que é tão importante para o aparecimento do Anticristo. A Cabala é a pedra fundamental de todo o pensamento e da prática ocultista do Ocidente, e a pedra angular da crença de todos os Iluminados [os Mestres dos Illuminati] em todo o mundo. Independente se o ocultista é seguidor da Magia Branca ou da Magia Negra, sua pedra angular de crença e de raciocínio é a Cabala. Quando o Anticristo aparecer, baseará sua prática de ocultismo na Cabala judaica. Assim, a ironia é que, quando o Anticristo sair do novo templo judaico após cometer a "abominação da desolação" e iniciar seu esforço de matar cada judeu na Terra, a Cabala judaica terá fornecido o maior ímpeto aos seus esforços! De fato, a Cabala formou a pedra angular das crenças ocultistas de Adolf Hitler, e, portanto, essa terrível ironia afetará o povo judeu duas vezes na história mundial. A Cabala começou entre os sacerdotes judeus que foram corrompidos pelos Mistérios Satânicos babilônios enquanto serviram ao rei de Babilônia durante os setenta anos do cativeiro decretado

por Deus como punição pelos repetidos pecados de Israel. Esse cativeiro babilônio está retratado no livro de Daniel; iniciou em 606 AC e terminou em 536 AC, quando o rei persa Ciro emitiu o decreto permitindo a reconstrução de Jerusalém e do templo. Assim, a revelação de Deus a Jeremias de que puniria Israel por setenta anos por seus pecados [Jeremias 25:11-12] cumpriu-se com exatidão! Durante esse tempo de exílio, os sacerdotes judeus apóstatas interessaram-se pelos Mistérios Satânicos babilônios e passaram a converter as crenças fundamentais desse sistema ao judaísmo. Quando completamente desenvolvida, essa Tradição Oral "reinterpretou misticamente" o Pentateuco judaico [Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio]. Essa reinterpretação mística não era nada mais e nada menos que o trabalho de Satanás para perverter todo o significado e o propósito da Palavra original de Deus nesses cinco livros. Entretanto, essa reinterpretação mística era um ensinamento oral, ou tradição oral, como os ensinos satânicos geralmente são, uma vez que não querem que alguma obra escrita caia nas mãos da pessoa errada. Em seguida, à medida que esses sacerdotes apóstatas passaram lentamente a tomar o controle de todo o sacerdócio judaico, transcenderam-no misticamente, reinterpretando os cinco primeiros livros das Escrituras hebraicas [chamadas de Antigo Testamento pelos cristãos]; começaram a publicar éditos que se tornaram conhecidos como as Tradições dos Antigos. Jesus Cristo repudiou continuamente as Tradições dos Antigos, chamando-as de falsas e hipócritas [Marcos 7:6] e dizendo que invalidavam a Palavra de Deus [Marcos 7:9]. Pedro chamou essa tradição de "vã" em 1 Pedro 1:18. Jesus repudiou os fariseus e saduceus, notoriamente em Mateus 23:13-33. Nessa passagem, ele disse as seguintes palavras a respeito dos fariseus e da sua tradição oral. Disse que eram: Hipócritas - versos 13, 14, 15, 23, 25, 27, 28 e 29 Cegos ou condutores cegos - versos 16, 17, 19, 24 e 26 Filhos do inferno - verso 15 Serpentes e raça de víboras, condenados ao inferno - verso 33 Por que Jesus foi tão inflexível e severo com os fariseus e saduceus, se foi manso e misericordioso com os mais desprezíveis pecadores? Além disso, como os fariseus e saduceus puderam olhar os milagres sem precedentes de Jesus e atribuí-los a Belzebu, o príncipe dos demônios, e não a Deus? A resposta é tão chocante quanto reveladora: os fariseus e saduceus não eram sacerdotes judeus tradicionais, mas eram sacerdotes místicos que praticavam secretamente a Tradição Oral chamada de Torá, que em cerca de 1300 DC foi codificada e tornou-se conhecida como a Cabala. Portanto, os cabalistas - membros de uma sociedade secreta - mataram Jesus Cristo! Demonstramos isso em 1992, e escrevemos uma série de dois artigos intitulada Sociedades Secretas Mataram o Senhor Jesus Cristo. Esse fato histórico pouco conhecido é empolgante e esclarecedor com relação à situação atual. O fato é, os fariseus e saduceus conheciam minuciosamente o Antigo Testamento, incluindo todas as profecias sobre o Messias; entretanto, "reinterpretavam misticamente" todos os versos. Quando Jesus veio afirmando ser o Messias e provando isso por meio dos milagres, os fariseus e saduceus souberam que ele era realmente o Messias, mas Jesus recusou-se a tornar-se um deles! Jesus recusou-se manter as pessoas espiritualmente cegas ao abrir as Escrituras para elas, fornecendo as chaves da compreensão que os fariseus deliberadamente ocultavam delas [Mateus 23:13]. Eles mataram Jesus porque queriam esperar até que algum dentre os seus aparecesse. E agora ele pode estar prestes a aparecer! Portanto, os rabinos judeus cabalistas atuais, conhecidos como hassídicos ou Lubavitchers, estão percorrendo Israel anunciando que seu tipo místico do Cristo [o Messias] está prestes a aparecer! Jesus profetizou que seria esse o caso no fim dos tempos quando disse: "Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis." [João 5:43]. Esse

Cristo Messias que virá apenas em seu próprio nome, mas será aceito pelo povo e pelo clero judaico; no entanto, não é nenhum outro senão o Anticristo. É ele que os rabinos cabalistas estão anunciando que está prestes a aparecer! Morte, Sepultamento e Ressurreição Na tradição satânica, o falso Messias, o Anticristo, deve passar pela morte, sepultamento e ressurreição! Essa seqüência de eventos é representada ritualmente pelo iniciado quando ele "morre para si", e entra em um caixão [morte] apenas para ser "ressuscitado" pelo mestre maçom utilizando o "cumprimento da Pata do Leão"! Esse ritual maçônico é repetido em todo o ocultismo, não importa de que matiz. Na verdade, todo ritual satânico necessário para se tornar um Grande Mestre requer uma morte/sepultamento/ressurreição no ritual. Assim, o vindouro Anticristo deverá passar por essa etapa de morte e sepultamento para que sua aparição na Terra seja vista por seus seguidores como a fase da "ressurreição" nesse cenário de morte/sepultamento/ressurreição! Com esse fato em mente, retornemos ao nosso artigo de apoio. "Em 1991, os rabinos hassídicos da seita Chabad Lubavitch anunciaram uma histórica decisão religiosa judaica. Ela declara incondicionalmente que o rabino Menachem Mendel Schneerson é com toda a certeza o Rei Messias [do judaísmo e da humanidade]... o rabino Menachem Mendel Schneerson identificou-se como o Redentor Final do judaísmo durante diversos discursos religiosos públicos entre 1990-92. O rabino Schneerson morreu em 1994. Seu falecimento, no entanto, não dissuadiu esses rabinos de continuar a fazer suas desafiadoras proclamações. As fontes cabalísticas ensinam que o Rei Messias do judaísmo será revelado, tornar-se-á conhecido para não mais que alguns poucos no mundo, e reaparecerá depois para completar suas tarefas após sua morte." Você entendeu esse ensinamento cabalístico? Permita-nos repetir essa citação anterior: "As fontes cabalísticas ensinam que o Rei Messias do judaísmo será revelado, tornar-se-á conhecido para não mais que alguns poucos no mundo, e reaparecerá depois para completar suas tarefas após sua morte." [Ênfase adicionada] Essa é a doutrina ocultista de morte/sepultamento/ressurreição que o Anticristo cumprirá à vista de todos! Portanto, o cenário pode muito bem estar preparado para que o rabino Schneerson possa parecer ter sido ressuscitado quando o Anticristo aparecer em cena. Entretanto, se ele parecer com o rabino Schneerson na foto acima, os judeus hassídicos cabalísticos ficarão atônitos, mas ninguém mais no mundo dará qualquer importância. O Anticristo precisará ser um indivíduo dinâmico e atraente para atrair a atenção e a adoração do mundo inteiro. Uma possibilidade interessante para resolver esse dilema paira no horizonte. Em 18 de agosto de 1991, participei furtivamente de um seminário exclusivo para membros ministrado pela Casa de Teosofia na Nova Inglaterra, em Boston. O diretor Bill Lambert tinha acabado de retornar de um período de três anos de trabalho em um comitê chamado Projeto da Aliança da Nova Jerusalém, e queria informar aos membros algumas decisões recém-tomadas por esse comitê iluminista [Veja os detalhes lendo o artigo N1519, "Encontro do G-8 em Gênova Aprova o Envio de Observadores ao Oriente Médio"]. Lambert iniciou essa parte da discussão sobre o vindouro Cristo da Nova Era, que sabemos ser o Anticristo. Disse primeiramente que a aparição será imediatamente precedida por um som que alcançará poderosamente todas as pessoas do mundo em três níveis distintos: espiritual, físico e emocional. Em seguida, Maitréia, o Cristo, aparecerá. Quando as pessoas o virem, o primeiro dos "sinais e maravilhas" profetizados na Bíblia ocorrerá. Lambert revelou: "Quando o Senhor Maitréia aparecer, aparecerá como um ser diferente para pessoas diferentes.

Aparecerá como homem para os homens e como mulher para as mulheres. Aparecerá como branco para os brancos, como negro para os negros, como índio para os índios, etc. Não fará diferença se você o vir pessoalmente ou pela televisão. Assim, 'ele mostrará que é todas as coisas para todas as pessoas'." Assim, fico imaginando se os judeus hassídicos cabalísticos - e talvez o judeu mediano também verão realmente um rabino Schneerson "ressuscitado". Isso é bem possível, já que tal fenômeno serviria para garantir a intensidade da enganação a qual o povo judeu estará submetido sob o Anticristo. Embora os judeus possam estar vendo o rabino Schneerson "ressuscitado", o resto do mundo verá o Anticristo de acordo com o cenário delineado por Lambert. Você consegue imaginar tal coisa? Um casal de negros verá o Anticristo como negro; no entanto o marido o verá como um homem negro enquanto a esposa o verá como uma mulher negra. O mesmo acontecimento ocorrerá no mundo todo, com cada membro de cada raça! Os Judeus Hassídicos Estão Ensinando a Morte/Sepultamento/Ressurreição do Rabino Agora, lembra-se de nossa discussão anterior de que o Anticristo deverá ser visto seguindo a doutrina satânica de morte/sepultamento/ressurreição? Conforme avançamos na leitura do site desses judeus Lubavitchers, ficamos chocados ao lermos a explicação de como o rabino Schneerson - que morreu em 1994 - ainda pode ser o Messias profetizado. "O Midrash (Bamidbar Rabba 11:3) diz que o futuro Redentor será revelado, depois dissimulado, e então revelado novamente." [http://www.moshiach.net/blind/count.htm#1] Esse ensino é o conceito satânico de morte/sepultamento/ressurreição! Obviamente, o rabino Schneerson foi "revelado" durante sua vida, quando foi proclamado pelos seus seguidores como o Messias, poucos anos antes de morrer. Ele foi então sepultado [dissimulado, escondido]. Agora, quando aparentemente ressuscitar, afirmando ser o Messias, será visto como "revelado" novamente. Programa de Art Bell, 12 de julho de 2001 Um assinante que ouviu esse programa de rádio inteiro disse que o rabino hassídico Lubavitcher que foi entrevistado - Moshe Yess - declarou que foi autorizado a aparecer no programa Art Bell para fazer este anúncio global: O Messias judaico está pronto para aparecer. O grupo hassídico o aguarda a "qualquer momento". Como já dissemos em artigos anteriores, o mundo ocultista está num estado de euforia, pois aguarda o Cristo Maitréia a qualquer momento. Esse "anúncio" de que o Messias judaico está quase aqui pode ser o anúncio oficial que antecederá as "dores do parto" finais que darão nascimento ao falso Messias judaico. Se esse for o caso, então o mundo deverá experimentar as dores do parto finais de Mateus 24. Examinemos essas dores do parto preditas por nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo: * Mateus 24:6 - "Guerras e rumores de guerras" - Não se passa nenhum dia sem que ouçamos rumores de guerras no Oriente Médio. Israel está prestes a entrar em guerra com os palestinos; assim que Arafat vir o esmagador poderio militar judaico vindo contra suas forças menos numerosas e preparadas, ordenará a destruição do Domo da Rocha maometano [Al Aqsa], lançando a culpa nos judeus. [Leia o artigo N1409, "O Governo Pró-Ocidente da Turquia Deverá Cair - O Cumprimento das Profecias Parece Requerer Isso" para conhecer todos os detalhes.] Ele sabe que o mundo maometano se inflamará, forçando a Síria, o Egito, a Jordânia e o Iraque a entrarem em guerra contra Israel numa Jihad [Guerra Santa] regional conjunta. Ouvimos constantemente sobre os planos militares russos de invadir o Oriente Médio, e sabemos pela profecia bíblica em Ezequiel 38-39 que farão exatamente isso. Pela primeira vez em sua história, a Rússia tem a capacidade militar de projetar com sucesso seu poderio militar para além

de suas fronteiras. Quase toda semana ouvimos a China ameaçando invadir Taiwan e fazendo exercícios militares com essa finalidade. A China também já ameaçou os EUA com um ataque nuclear caso ousem defender Taiwan; além do mais, já ameaçou destruir a esquadra da Marinha norte-americana que for enviada para socorrer Taiwan, uma ameaça de muita credibilidade se você considerar que a China agora possui o míssil supersônico russo SS-N-22, para o qual não temos defesa [Leia o artigo N1449, "Teria a Nova Tecnologia dos Mísseis Russos Tornado Obsoleta a Marinha NorteAmericana?"]. Ouvimos constantemente sobre os planos árabes de iniciar uma guerra terrorista contra os EUA se agirmos com vigor para defender Israel. * "Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino..." [Mateus 24:7] Em todo o mundo, nos últimos cincoenta anos, vemos muitos casos desse tipo de pequenas nações se levantando contra outras pequenas nações em guerras e guerrilhas convencionais. A África está arruinada em decorrência dessas guerras, assim como as Filipinas e diversas nações do sudeste asiático. * Fome e terremotos em vários lugares - [Mateus 24:7]. O mundo está vendo a fome em diversas partes do planeta e os terremotos estão abalando o globo quase que diariamente. * O afastamento daqueles que professavam fé em Jesus Cristo [Mateus 24:10 e 2 Tessalonicenses 2]: Realmente, a apostasia da igreja cristã está chegando próximo ao Inferno, abrindo assim a porta para o Anticristo. Chegamos agora a um ponto no Movimento Ecumênico em que um cristão genuíno não deve confiar em homem algum, mas deve ser como um bereano, que examina as Escrituras para conferir se o que está ouvindo é realmente a verdade bíblica. [Veja Atos 17:10-12] * Falsos profetas [Mateus 24:11] - Realmente, as falsas religiões abundam como nunca antes e arregimentam um número enorme de seguidores. Infelizmente, as igrejas cristãs liberais que se desviaram para a apostasia agora engrossam as fileiras dos falsos profetas religiosos. Os cristãos que não conhecem bem as doutrinas bíblicas são vítimas desse tipo de enganação religiosa. * O amor da grande massa de pessoas está se esfriando com relação a Jesus Cristo [Mateus 24:12] - Atualmente, o número de pessoas nas igrejas cristãs fundamentalistas autênticas é muito pequeno. A maioria das megaigrejas atuais está repleta de falsos cristãos que querem ter os seus ouvidos massageados pelas últimas doutrinas sobre crescimento da igreja e de psicologia humana, e que se rebelam contra os sermões sobre a existência do inferno e a proximidade do julgamento. * O Evangelho está sendo pregado em todo o mundo [Mateus 24:14] - A evangelização da Cutting Edge/A Espada do Espírito por meio da Internet, mais o trabalho de diversos outros ministérios fundamentalistas, fez o evangelho de Jesus Cristo ser conhecido em todo o mundo. As rádios cristãs estão obtendo o mesmo resultado. Atualmente, mesmo nos confins mais distantes do mundo, as pessoas estão ouvindo o evangelho. Antes da invenção do rádio e da Internet, o cumprimento dessa Escritura parecia ser impossível. Assim, aparentemente, o Anticristo está pronto para aparecer. Se esse for o caso, lembre-se de alguns fatos bíblicos. O primeiro "Cristo" que aparecerá após o nascimento de Israel como nação [15 de maio de 1948] será o Cristo místico e falso que a Bíblia chama de Anticristo. Jesus Cristo aparecerá no final das grandes guerras do livro do Apocalipse, culminando com a batalha do Armagedon, mas o Anticristo aparecerá após as grandes guerras planejadas profetizadas em Mateus 24. A invasão russa a Israel possivelmente será a última guerra [Ezequiel 39:9 - sete anos] antes do aparecimento do Anticristo.

Jesus Cristo virá dos céus com seus anjos e redimidos [Apocalipse 19:11-14]; o Anticristo também aparecerá com seus "abençoados" à sua volta [tanto "anjos" como alienígenas]. Jesus Cristo iniciará seu Reino Milenar de paz e segurança [Apocalipse 20:4]; o Anticristo também prometerá estabelecer um reinado de 1.000 anos de paz e segurança. Jesus Cristo reinará em Jerusalém e estabelecerá um templo milenar; o Anticristo também reinará em Jerusalém e reconstruirá um templo apóstata, no qual cometerá a "abominação da desolação" [Daniel 9:27]. Em todos os sentidos possíveis, o Anticristo será simplesmente um falso Jesus Cristo. Entretanto, aqueles que conhecem a Palavra de Deus e suas profecias, não serão enganados. Temos a firme promessa de Jesus que será assim [Mateus 24:24]. Talvez os espíritos-guia desses rabinos cabalistas judeus estejam dizendo a verdade; o Anticristo está mesmo prestes a aparecer. Todos os demais sinais parecem indicar esse evento.

A idolatria e seus males
JesusSite Sm 12.20,21 "Não temais; vós tendes cometido todo este mal; porém não vos desvieis de seguir ao SENHOR, mas servi ao SENHOR com todo o vosso coração. E não vos desvieis; pois seguiríeis as vaidades, que nada aproveitam e tampouco vos livrarão, porque vaidades são." A idolatria é um pecado que o povo de Deus, através da sua história no AT, cometia repetidamente. O primeiro caso registrado ocorreu na família de Jacó (Israel). Pouco antes de chegar a Betel, Jacó ordenou a remoção de imagens de deuses estranhos (Gn 35.1-4). O primeiro caso registrado na Bíblia em que Israel, de modo global, envolveu-se com idolatria foi na adoração do bezerro de ouro, enquanto Moisés estava no monte Sinai (Êx 32.1-6). Durante o período dos juízes, o povo de Deus freqüentemente se voltava para os ídolos. Embora não haja evidência de idolatria nos tempos de Saul ou de Davi, o final do reinado de Salomão foi marcado por freqüente idolatria em Israel (1Rs 11.1-10). Na história do reino dividido, todos os reis do Reino do Norte (Israel) foram idólatras, bem como muitos dos reis do Reino do Sul (Judá). Somente depois do exílio, é que cessou o culto idólatra entre os judeus. O FASCÍNIO DA IDOLATRIA Por que a idolatria era tão fascinante aos israelitas? Há vários fatores implícitos. (1) As nações pagãs que circundavam Israel criam que a adoração a vários deuses era superior à adoração a um único Deus. Noutras palavras: quanto mais deuses, melhor. O povo de Deus sofria influência dessas nações e constantemente as imitava, ao invés de obedecer ao mandamento de Deus, no sentido de se manter santo e separado delas. (2) Os deuses pagãos das nações vizinhas de Israel não requeriam o tipo de obediência que o Deus de Israel requeria. Por exemplo, muitas das religiões pagãs incluíam imoralidade sexual

religiosa no seu culto, tendo para isso prostitutas cultuais. Essa prática, sem dúvida, atraía muitos em Israel. Deus, por sua vez, requeria que o seu povo obedecesse aos altos padrões morais da sua lei, sem o que, não haveria comunhão com Ele. (3) Por causa do elemento demoníaco da idolatria (ver a próxima seção), ela, às vezes, oferecia, em bases limitadas, benefícios materiais e físicos temporários. Os deuses da fertilidade prometiam o nascimento de filhos; os deuses do tempo (sol, lua, chuva etc.) prometiam as condições apropriadas para colheitas abundantes e os deuses da guerra prometiam proteção dos inimigos e vitória nas batalhas. A promessa de tais benefícios fascinava os israelitas; daí, muitos se dispunham a servir aos ídolos. A NATUREZA REAL DA IDOLATRIA Não se pode compreender a atração que exercia a idolatria sobre o povo, a menos que compreendamos sua verdadeira natureza. (1) A Bíblia deixa claro que o ídolo em si, nada é (Jr 2.11; 16.20). O ídolo é meramente um pedaço de madeira ou de pedra, esculpido por mãos humanas, que nenhum poder tem em si mesmo. Samuel chama os ídolos de "vaidades" (12.21), e Paulo declara expressamente: "sabemos que o ídolo nada é no mundo" (1Co 8.4; cf. 10.19,20). Por essa razão, os salmistas (e.g., Sl 115.4-8; 135.15-18) e os profetas (e.g. 1Rs 18.27; Is 44.9-20; 46.1-7; Jr 10.3-5) freqüentemente zombavam dos ídolos. (2) Por trás de toda idolatria, há demônios, que são seres sobrenaturais controlados pelo diabo. Tanto Moisés (ver Dt 32.17 nota) quanto o salmista (Sl 106.36,37) associam os falsos deuses com demônios. Note, também, o que Paulo diz na sua primeira carta aos coríntios a respeito de comer carne sacrificada aos ídolos: "as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios e não a Deus" (1Co 10.20). Noutras palavras, o poder que age por detrás da idolatria é o dos demônios, os quais têm muito poder sobre o mundo e os que são deles. O cristão sabe com certeza que o poder de Jesus Cristo é maior do que o dos demônios (ver o estudo PODER SOBRE SATANÁS E OS DEMÔNIOS.). Satanás, como "o deus deste século" (2Co 4.4), exerce vasto poder nesta presente era iníqua (ver 1Jo 5.19 nota; cf. Lc 13.16; Gl 1.4; Ef 6.12; Hb 2.14). Ele tem poder para produzir falsos milagres, sinais e maravilhas de mentira (2Ts 2.9; Ap 13.2-8,13; 16.13-14; 19.20) e de proporcionar às pessoas benefícios físicos e materiais. Sem dúvida, esse poder contribui, às vezes, para a prosperidade dos ímpios (cf. Sl 10.2-6; 37.16, 35; 49.6; 73.3-12). (3) A correlação entre a idolatria e os demônios vê-se mais claramente quando percebemos a estreita vinculação entre as práticas religiosas pagãs e o espiritismo, a magia negra, a leitura da sorte, a feitiçaria, a bruxaria, a necromancia e coisas semelhantes (cf. 2Rs 21.3-6; Is 8.19; ver Dt 18.9-11 notas; Ap 9.21 nota). Segundo as Escrituras, todas essas práticas ocultistas envolvem submissão e culto aos demônios. Quando, por exemplo, Saul pediu à feiticeira de Endor que fizesse subir Samuel dentre os mortos, o que ela viu ali foi um espírito subindo da terra, representando Samuel (28.8-14), i.e., ela viu um demônio subindo do inferno. (4) O NT declara que a cobiça é uma forma de idolatria (Cl 3.5). A conexão é óbvia: pois os demônios são capazes de proporcionar benefícios materiais. Uma pessoa insatisfeita com aquilo que tem e que sempre cobiça mais, não hesitará em obedecer aos princípios e vontade desses seres sobrenaturais que conseguem para tais pessoas aquilo que desejam. Embora tais pessoas talvez não adorem ídolos de madeira e de pedra, entretanto adoram os demônios que estão por trás da cobiça e dos desejos maus; logo, tais pessoas são idólatras. Dessa maneira, a declaração de Jesus: "Não podeis servir a Deus e a Mamom [as riquezas]" (Mt 6.24), é basicamente a mesma que a admoestação de Paulo: "Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios" (1Co 10.21). DEUS NÃO TOLERARÁ NENHUMA FORMA DE IDOLATRIA

(1) Ele advertia freqüentemente contra ela no AT. (a) Nos dez mandamentos, os dois primeiros mandamentos são contrários diretamente à adoração a qualquer deus que não seja o Senhor Deus de Israel (ver Êx 20.3,4 notas). (b) Esta ordem foi repetida por Deus noutras ocasiões (e.g., Êx 23.13, 24; 34.14-17; Dt 4.23,24; 6.14; Js 23.7; Jz 6.10; 2Rs 17.35,37,38). (c) Vinculada à proibição de servir outros deuses, havia a ordem de destruir todos os ídolos e quebrar as imagens de nações pagãs na terra de Canaã (Êx 23.24; 34.13; Dt 7.4,5; 12.2,3). (2) A história dos israelitas foi, em grande parte, a história da idolatria. Deus muito se irou com o seu povo por não destruir todos os ídolos na Terra Prometida. Ao contrário, passou a adorar os falsos deuses. Daí, Deus castigar os israelitas, permitindo que seus inimigos tivessem domínio sobre eles. (a) O livro de Juízes apresenta um ciclo constantemente repetido, em que os israelitas começavam a adorar deuses-ídolos das nações que eles deixaram de conquistar. Deus permitia que os inimigos os dominassem; o povo clamava ao Senhor; o Senhor atendia o povo e enviava um juiz para libertá-lo. (b) A idolatria no Reino do Norte continuou sem dificuldade por quase dois séculos. Finalmente, a paciência de Deus esgotou-se e Ele permitiu que os assírios destruíssem a capital de Israel e removeu dali as dez tribos (2Rs 17.6-18). (c) O Reino do Sul (Judá) teve vários reis que foram tementes a Deus, como Ezequias e Josias, mas por causa dos reis ímpios como Manassés, a idolatria se arraigou na nação de Judá (2Rs 21.1-11). Como resultado, Deus disse, através dos profetas, que Ele deixaria Jerusalém ser destruída (2Rs 21.10-16). A despeito dessas advertências, a idolatria continuou (e.g., Is 48.4,5; Jr 2.4-30; 16.18-21; Ez 8), e, finalmente, Deus cumpriu a sua palavra profética por meio do rei Nabucodonosor de Babilônia, que capturou Jerusalém, incendiou o templo e saqueou a cidade (2Rs 25). (3) O NT também adverte todos os crentes contra a idolatria. (a) A idolatria manifesta-se de várias formas hoje em dia. Aparece abertamente nas falsas religiões mundiais, bem como na feitiçaria, no satanismo e noutras formas de ocultismo. A idolatria está presente sempre que as pessoas dão lugar à cobiça e ao materialismo, ao invés de confiarem em Deus somente. Finalmente, ela ocorre dentro da igreja, quando seus membros acreditam que, a um só tempo, poderão servir a Deus, desfrutar da experiência da salvação e as bênçãos divinas, e também participar das práticas imorais e ímpias do mundo. (b) Daí, o NT nos admoestar a não sermos cobiçosos, avarentos, nem imorais (Cl 3.5; cf. Mt 6.19-24; Rm 7.7; Hb 13.5,6; ver o estudo RIQUEZA E POBREZA) e, sim, a fugirmos de todas as formas de idolatria (1Co 10.14; 1Jo 5.21). Deus reforça suas advertências com a declaração de que aqueles que praticam qualquer forma de idolatria não herdarão o seu reino (1Co 6.9,10; Gl 5.20,21; Ap 22.15). yvContents='http://geocities.yahoo.com/toto?s=76000027&l=NE&b=0&t=959543860';yfEA(0);

Maitreya - Internet já anuncia o anticristo
Luiz Cláudio Montanini Jornal Hoje, a Igreja em Ação

"Maitreya, o instrutor do Mundo, já está vivendo entre nós". Ao lado da fotografia de um homem de barba negra, turbante e traços orientais, a afirmação que aparece no site em espanhol e outras línguas na internet http://www.ddnet.es/share_ediciones, recebe ares messiânicos. A sequência das informações estarrece e leva o leitor a conclusão de que uma grande força espiritual – que absolutamente possui a liderança do Espírito Santo, está se levantando hoje na Terra.

De forma sutil, os líderes deste movimento, adeptos da meditação transcendental, conhecida mundialmente como Nova Era, apresentam às nações o seu cristo, o ungido. Um tal Maitreya, de quem cujas poucas imagens até agora conhecidas teriam sido tiradas em fotografias feitas no dia 11 de junho de 1988, numa aparição relâmpago em Nairobi, Quênia. A misteriosa figura teria aparecido durante um encontro onde multidões se reuniam para ver as curas milagrosas da queniana Mary Akatsa. Segundo o texto, este é o que tem sido esperado por todas as religiões importantes. Os cristãos o conheceriam como o Cristo e esperam seu regresso iminente. Os judeus o esperam como o Messias, os hindus esperam a reencarnação de Krishna, os budistas o aguardam como Maitreya Buddha e os muçulmanos prevêem a chegada do Imã Mahadi, o Messias. Todos estes nomes referem-se à mesma pessoa, diz o texto. Seria o "Instrutor Mundial, cujo nome é Maitreya". O site – em várias línguas – informa que Maitreya vive hoje anonimamente entre os habitantes da comunidade hindu-paquistanesa, em Londres. No momento apropriado, que estaria muito próximo, anunciam os adeptos, ele apareceria com todas as respostas para as principais questões mundiais. Num momento de grande crise política, econômica e social, Maitreya iria inspirar a humanidade para que esta se considere como uma família e criar, em decorrência, uma civilização baseada no compartilhar, na justiça econômica e social e na cooperação global. O tal Maitreya lançaria uma ação para salvar a milhões de pessoas que morrem de fome a cada ano – em um mundo de abundância, faz questão de destacar candidamente, o texto. Entre as recomendações do "instrutor", estaria uma troca de prioridades sociais para que a alimentação, moradia, roupas, a educação e a saúde se convertam em direitos universais. Tudo muito bonito. Nos últimos anos a informação sobre a chegada de Maitreya tem sido trazida por seu principal "profeta", Benjamim Creme, artista e autor britânico, que faz conferências sobre o assunto por todo o mundo desde 1974. Segundo Creme, Maitreya saiu em julho de 1977, de seu retiro nos Himalaias e passou a morar na comunidade hindu-paquistanesa de Londres. Ele estaria vivendo e trabalhando ali, aparentemente como um homem comum. Sua verdadeira identidade seria conhecida apenas por poucas pessoas. Estaria emergindo gradualmente ao público para "não infringir o livre arbítrio humano". Artista, Benjamim Creme anuncia com habilidade os grandes feitos de Maitreya. Para ele, Maitreya teria usado de sua energia para extraordinárias mudanças em vários campos no mundo. Ali se incluem o fim do comunismo na União Soviética e o fim do Apartheid na África do Sul, a aproximação entre o Oriente e o Ocidente, o crescente poder da voz do povo e o despertamento mundial para conservação do ambiente. Desde 1988 Maitreya estaria aparecendo milagrosamente em todo o mundo, sobretudo a grupos religiosos fundamentalistas, apresentando o que considera os termos mais importantes das leis espirituais que governam as vidas. Desta forma, mediante sinais cada vez mais constantes e manifestações espirituais, ele estaria tocando o coração de milhões de pessoas, preparando-as para sua iminente aparição. Cristo, Buda, Krishna e o Messias Segundo Benjamim Creme, os estudantes da tradição esotérica acreditam que Cristo, Buda, Krishna e o Messias sejam nomes diferentes de uma só pessoa, Maitreya, a quem esperam antes do final do milênio. Maitreya estaria aparecendo em algumas ocasiões especiais e para pessoas em vários locais do mundo, de formas diferentes. Em junho de 1988 ele teria aparecido "milagrosamente, saído do nada", em uma reunião de oração e cura ao ar livre. Foi fotografado falando na própria língua local a milhares de pessoas que instantaneamente teriam-no reconhecido como o cristo.

Desde março de 1978 ele seria o porta-voz da comunidade hindu-paquistanesa. Ele é apresentado como "educador, no sentido mais amplo da palavra", indicando a solução à crise mundial, diz o texto. Os seguidores esotéricos acreditam que o tal líder tenha se manifestado há 2 mil anos, na Palestina, falando por intermédio de seu discípulo, Jesus. "Desta vez", diz Benjamim Creme, "ele mesmo virá". O pior é que acreditam mesmo nisso. Como a Bíblia antecipa, Maitreya tem objetivos iniciais louváveis, como convém a um lobo candidato a cordeiro. Veja sua lista de prioridades: suprimento justo de comida, provisão de moradias adequadas para todos, saúde e educação como direitos universais. A mensagem, diz o texto na Internet, pode se resumir no slogan "compartilhe e salve o mundo". O texto é escrito em tom messiânico. Afirma que aparições semelhantes têm acontecido em diversos países. Desta maneira, cada vez mais as pessoas estariam recebendo a prova de sua presença, com otimismo. Maitreya estaria esperando que esta sequência de acontecimentos conduzam ao chamado "Dia da Declaração". Neste dia, afirma Benjamim Creme, Maitreya não deixará dúvidas de que é o instrutor do mundo. Então o líder envolveria mental e simultaneamente a toda a humanidade e cada um ouviria suas palavras, telepaticamente, em sua língua. Dia da Declaração No momento oportuno, diz o texto na internet, Maitreya mostrará sua verdadeira identidade. No que chama de "Dia da Declaração", as cadeias internacionais de rádio e televisão entrarão em rede e Maitreya será convidado a falar ao mundo. "O mundo verá seu rosto na televisão, mas cada um escutará suas palavras telepaticamente em sua própria língua, enquanto Maitreya impressionará simultaneamente as mentes de toda a humanidade. Inclusive aqueles que não estiverem vendo a cena pela tevê ou não ouvindo-o pelo rádio terão a experiência", informa o "porta-voz" Benjamim Creme, no texto de Share International. Ao mesmo tempo, centenas de milhares de curas espontâneas acontecerão por todo o mundo. Então, Benjamim Creme informa, enfático, saberão que este homem é verdadeiramente o instrutor do mundo para a humanidade. Adeptos superestimam poder de Maitreya Sequência de acontecimentos históricos e espirituais que teriam acontecido pelo poder do tal Maitreya: 1987: Benjamim Creme anuncia que nos próximos três ou quatro meses Maitreya trabalharia intensamente para conseguir um progresso significativo nas relações internacionais no mundo. Em dezembro do mesmo ano, americanos e soviéticos assinam o acordo de desarmamento, que ninguém cria possível. 1988: Maitreya teria aparecido, em pessoa, e em sonhos a líderes conhecidos de vários países e a muitos cidadãos comuns. Notícias sobre aparecimento de cruzes de luz são publicados pela imprensa dos Estados Unidos, as quais teriam sido vistas por milhares de pessoas. Entre 1989 e 1995: Pessoas de todo o mundo testemunham o desaparecimento "milagroso" de leite oferecido a estátuas de deusas Hindus. Entre 1991 e 1996: Maitreya teria aparecido também "milagrosamente" a numerosos grupos de pessoas em todo o mundo. Em Tlacote, no México, Nordenau (Alemanha) e Nadana (Índia), mananciais de água teriam sido magnetizados pela energia do tal homem que têm atraído

crescente número de visitantes. A série de acontecimentos que teriam tido a intervenção de Maitreya é extensa: libertação de Nelson Mandela; demissão de Margareth Tatcher, fim das hostilidades entre Irã e Iraque, retirada das tropas estrangeiras de Angola, terremotos na Armênia (1988) e na Califórnia e China (1989). Maitreya se diz superior a Jesus Cristo Pretensiosamente, Maitreya se apresenta como o próprio Cristo. Ensina que a palavra cristo não é o nome de uma pessoa, mas sim refere-se a um cargo ou função dentro da chamada hierarquia espiritual dos mestres. Quem ocupa o cargo atualmente, para eles, não pode ser outro, a não ser o próprio Maitreya. Segundo o texto de Share International, Maitreya tem sido o cristo durante os últimos 2.600 anos e seguirá com o cargo por toda a era de Aquário, a qual, segundo afirmam, vai durar outros 2 mil anos. "Maitreya é irmão maior da família humana, que tem aperfeiçoado e se manifestado totalmente dentro da divindade que é latente em cada um dos homens", diz o texto. "E agora ele vem revelar um novo aspecto de Deus e guiar toda a humanidade através da nova fase de sua viagem espiritual". "Na Palestina, há dois mil anos, Maitreya já trabalhava, por meio de seu discípulo Jesus", diz o texto. "Desde o momento do batismo de Jesus no Rio Jordão até sua crucificação, a consciência de Maitreya estava em Cristo. Este, aliás, é o processo utilizado às vezes entre os mestres e seus discípulos como um meio para apresentar um novo ensinamento a humanidade", explica Benjamim Creme, com ares de dono da verdade. Desprezo ao "Pai Nosso" Durante uma entrevista feita por Benjamim Creme, Maitreya despreza sem qualquer escrúpulo, a oração do "Pai Nosso", ensinada por Jesus Cristo, taxando-a de passiva. No lugar inclui dois ‘mantras’, espécie de rezas repetitivas onde se invoca as energias espirituais. Para Maitreya, há três formas de mantras. A primeira, mais fraca, seria a oração, a Segunda, a invocação e a última, a afirmação. "O Pai Nosso", diz ele, "como o nome sugere’é uma súplica emocional à divindade para que supra nossas necessidades diárias de alimento e de proteção. É passiva. Pede-se a Deus que se traga tudo, implicando com isso que Deus está separado do homem. "A Grande Invocação é mais que isso", presume Maitreya. "É um poderoso mantra mediante o qual, por meio de seus representantes, buddha, o cristo e Shamballa, são invocados conscientemente as energias de Deus, para uma compreensão de suas idéias e de sua vontade". "A Oração para a nova era é uma afirmação com efeito invocativo e será um instrumento poderoso para o reconhecimento por parte do homem de que ele e Deus são um. Quando o homem afirma que é criador do universo, pode chegar, finalmente a consciência de que é deus", presume o texto.

Hora da operação do erro, para que creiam na mentira
Luiz Cláudio Montanini Pelo que se depreende ao longo desta reportagem sobre o iminente aparecimento de um falso "messias", a batalha espiritual será ferrenha nestes dias que antecedem a segunda vinda, verdadeira e definitiva, de Jesus Cristo, à Terra. Paulo adverte em I Timóteo (4:1), que, imediatamente antes da vinda de Cristo, milhões dariam ouvidos a espíritos enganadores e as doutrinas de demônios. É o que se vê hoje, em progressão geométrica, por toda a Terra. Grupos de várias nações não se cansam de repetir seus mantras,

invocando esta nova era e o tal Maitreya. Sobre arrependimento de pecados pouco ou nada se ouve. As multidões fogem quando ouvem sugestões para se converter da lama para o reino da verdadeira luz de Cristo. Não é de admirar que Deus vá permitir nestes dias que aconteça no mundo a chamada "operação do erro", para que os povos creiam na mentira, conforme o que está descrito em II Tessalonicenses 2:11. Nunca o texto de II Tessalonicenses 2 se tornou tão atual. Veja: "Ninguém de maneira alguma vos engane, pois isto (a Segunda volta de Jesus à Terra) não acontecerá sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição. Ele se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de culto, de sorte que se assentará, como Deus, querendo parecer Deus... E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo sopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor de sua vinda. A vinda desse iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça para os que perecem. Perecem porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. Por isso Deus lhes envia a operação do erro, para que creiam na mentira, e para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na iniquidade". Também não é de admirar que multidões irão se voltar para adorar o anticristo, seja ele Maitreya ou qualquer outro usurpador. Ao ouvir discursos semelhantes a estes, proferidos por Maitreya e seus seguidores, terão soluções paliativas para suas vidas: serão curados, verão sinais nos céus, ouvirão telepaticamente as instruções, enfim, se tornarão presas fáceis. É relativamente barato seguir alguém que não exige mudança de vida, arrependimento de pecados, submissão ao Todo Poderoso, mas oferece a grande oportunidade de se tornar ele, até então um homem caído e mortal, uma divindade. A história se repete. Segundo as escrituras, Lúcifer caiu por esta pretensão. E, a julgar pelos textos desta reportagem, continua cobiçoso. Com o agravante de que, desta vez, leva junto os descendentes de suas primeiras vítimas, Adão e Eva, enganados pela cobiça de se tornar iguais a Deus, conforme se lê no Gênesis. Jesus anteviu: Se fosse possível, ele, o anticristo, iria enganar a todos. Graças a Deus, não é possível. O texto na Internet não informa praticamente nada sobre o que o tal Maitreya iria fazer após o seu Dia da Declaração. É fácil imaginar: Qual seria o tratamento que uma população leiga mundial daria a alguém que chega de repente e fala ao mundo em cadeia de rádio e televisão, traz "soluções" para todos os problemas da vida, faz milagres e sinais, cura pessoas simultaneamente no mundo todo, fala telepaticamente a todos e conquista os corações? Seria visto como um deus, é claro. Por menos que isso, milhares de ídolos da música e políticos recebem a desejada veneração. Textos bíblicos anunciam que cristãos tembém serão perseguidos e mortos como mártires nos últimos tempos, em larga escala. Também não é difícil entender o mecanismo que levará as populações do mundo inteiro a odiar os cristãos. O raciocínio coletivo será o de que os cristãos estariam a serviço de satanás, uma vez que não aceitam a autoridade, o poder, o pseudo amor e o poder espiritual do tal Maitreya. Daí para a intolerância, para uma outra "solução final", como a que foi intentada contra os judeus na segunda guerra, basta alguns passos – ou pior, algumas "mensagens telepáticas" e discursos inflamados na tevê. Graças a Deus, mais uma vez, tudo isto terá um fim. Após o tempo determinado – por Deus, frise-se, Ele é quem está no comando –, as obras do iníquo se desfarão

pelo sopro da boca do Senhor e o anticristo será aniquilado pelo esplendor de sua vinda. Precisamos conhecer bem ao verdadeiro para, quando for preciso, discernir o que é falso.

Heresiologia
JesusSite 1. Ortodoxia: Texto Áureo: "tem cuidado de ti mesmo e da doutrina, persevera nesta coisa; porque, fazes isto, te salvarás, tanto a ti mesmo quanto aos que te ouvem." (1 Tm. 4:16) Verdade Prática: Não é necessário ser erudito para permanecer salvo, mas é dever do Cristão saber discernir doutrina ortodoxa de doutrina herética. Leitura sugerida: A Confissão de Natanael (Jo 1.49-50) A Confissão de Pedro (Mt 16.16; Jo 6.69) A Confissão de Tomé (Jo. 20.28) A Fórmula Bíblica Batismal (Mt. 28.19-20) A Confissão do Eunuco Etíope (At. 8:37) Os Princípios da Doutrina (Hb. 6:1-2) Introdução: Há 10 grandes religiões no mundo, além do Cristianismo. São elas: Budismo, Confuncionismo, Hinduísmo, Taoísmo, Jainismo, Xintoísmo, Zoroastrismo, Sikhismo, Islamismo, e Judaísmo, e muitos milhares de seitas. Eis o desafio da Igreja do Senhor... Seitas e Heresias: Definição de Seita:O termo como aparece na Bíblia significa facção, partido, grupo ou cisão. Inicialmente, não tinha caráter pejorativo (at. 15:5, 24.5-14), depois assumiu sentido negativo (Gl 5:19-21). Pode designar um subgrupo de dentro de alguma religião organizada, como os saduceus (At. 5:17), fariseus (At. 15:5), ou dissensões no seio da própria Igreja (Rm. 16:17, 1 Co. 11:19). No Campo Teológico: A doutrina responde às perguntas sobre Deus, a Trindade: Deus pai, Filho e Espírito Santo, sobre a Natureza humana, sobre a vontade de Deus, sobre o nosso Destino Eterno. A Perseverança na Doutrina está relacionada à Salvação (1 Tm 4:16). O Conhecimento e a Prática da doutrina Cristã nos protegem contra a heresia (1 Tm 4:1-6, 2 Tm 2:18, Tt 1:11). Esse conhecimento não anula a espiritualidade do Crente (1 Co. 2:14-15, Rm 12:3). A Doutrina contribui para a unidade da Igreja (Rm 16:17, 1 Co. 1:10; Ef. 4:12-13). O Jesus das Seitas: As seitas distorcem as verdades fundamentais sobre Cristo reveladas na Bíblia, e isso resulta num outro evangelho (Gl. 1.6-8) e num outro Jesus (2 Co. 11:4) que oferece uma falsa sanvação e um falso céu para os seus adeptos. As seitas modernas classificam-se em pseudocristãns, orientais, ocultista e secretas: Pseudocristãns: Testemunhas de Jeová, Adventismo do Sétimo Dia, Catolicismo Romano,

Mormismo, Meninos de Deus (A Família), Só Jesus, Igreja de Cristo Internacional, Tabernáculo da Fé, Igreja da Unificação, Igreja Local de Witness Lee, Voz da Verdade, Testemunha de Ieroochua e Igreja Pentecostal Unida do Brasil, Congregação Cristã no Brasil, etc . Orientais: Arte Mahikari, Hare Krishna, Seicho-no-iê, Igreja Messiânica Mundial Ocultistas: Kardecismo, Legião da Boa Vontade, Santo Daime, Racionalismo Cristão, Umbanda, Quimbanda, Candomblé, Cultura Racional, Ciência Cristã e Nova Era. Secretas: Maçonaria, Ordem RosaCruz e Teosofismo. A Marçonaria não é apenas uma assossiação confraternária, ela é também, uma religião. Como Identificar uma Seita: As Seitas e os Credos: As seitas falsas além de mutilarem a Bíblia, rejeitam o Cristianismo histórico-ortodoxo. Suas crenças são oriundas das supostas revelações de fundadores e líderes. Fundação dos Credos: "CREDO" vem do latim e significa "Creio". Desde muito cedo na história do Cristianismo, o Credo se tornou maos que um conjunto de Crenças: é uma confissão de fé. Tem como o objetivo sintetizar as doutrinas essenciais do Cristianismo para facilitar as confissões públicas e conservar a doutrina contra as heresias. Confissão de Fé dos Judeus: Os primeiros Credos da Bíblia está em Dt 6:4 "Ouve ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.", citado por Jesus no primeiro mandamento Mc. 12:29); ainda hoje é citado pelos judeus religiosos três vezes ao dia. O Credo dos Apóstolos: É o mais antigo dos três principais credos da Igreja Cristã. a) História: Diz a tradição que ele foi formulado pelos apóstolos logo após a ressurreição de Jesus, e que cada um deles apresentou um artigo de fé. O Texto mais antigo desse Credo é datado de 700 d.C. Muitos crêem que esse documento construía a confissão batismal daquela época. b) Conteúdo: "Creio em Deus Pai Todo-Poderoso. E em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, que nasceu do Espírito Santo e da virgem Maria; que foi cruscificado sob o poder pôncio Pilatos, morto e sepultado; ressuscitou ao terceiro dia, subiu ao céu, e está sentado à mão direita do Pai, de onde há de vir julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja, na remissão de pecados, na ressurreição do corpo". A igreja Católica por sua conta acrescentou "Ave Maria" ao credo original. CONCLUSÃO: A Bíblia é um única fonte para se discernir entre a ortodoxia bíblica e a heresia. Ela é a Palavra de Deus inspirada; o único padrão que distingue o certo do errado. O Movimento religioso que rejeita, e tem adversão pelos credos formulados pela Igreja Cristã nos primeiros séculos, é seita; e, como tal, é inimigo do Cristianismo bíblico e histórico. "Uma das principais obras de satanás é subtrair, ou acrescentar, coisas à Palavra de Deus."

Harry Potter - O Oleiro Maldito
Jehozadak A. Pereira www.evangelicos.com

Em inglês potter é oleiro - Isaías 64:8 Harry Potter, é um fenômeno editorial mundial que possui como tema a saga de um menino feiticeiro, cujos pais foram mortos por um bruxo muito poderoso, e que mora numa casa onde é maltratado por todos. Ele é apresentado como um simpático menino de óculos e com um raio estampado na testa. Vejam a seguir uma breve definição esotérica do que significa raio: "de longa data o raio é considerado um instrumento e arma divinos; e é o símbolo da atividade celeste, da ação transformadora do céu sobre a terra. É o fogo que traz a destruição à terra, é em todas as culturas antigas, a expressão e o simbolismo da força sobrenatural. Na maioria das vezes é o deus do céu ou o rei dos deuses, que com o auxílio do machado ou do martelo destrói criaturas inimigas na terra ou castiga os seres humanos insubordinados. Por causa da origem celeste, o raio também pode desempenhar o papel de símbolo da revelação sobrenatural". Como se pode ver, nada é ao acaso. Até o raio estampado na testa de Harry Potter, tem um forte simbolismo esotérico. A temática de Harry Potter é profundamente mística e inteiramente comprometida com bruxaria, feitiçaria e esoterismo, e é apresentada como literatura mimetizada em contos pueris, quando na realidade é perversa e advinda do inferno. Confesso que havia decidido não escrever sobre Harry Potter, porém uma reportagem na revista Veja edição 1671 ano 33 número 42 de 18 de outubro de 2000, me fez mudar de idéia. A reportagem O efeito Potter - Pequeno bruxo cativa os adultos e leva crianças a novos autores, me fez refletir sobre o assunto. A reportagem traz informações preciosas, dentre elas que a Editora Rocco, que publica os títulos no Brasil, recebe cerca de 1 000 e-mails por mês sobre Harry Potter. Destes e-mails, cerca de 20% são de adultos que aguardam ansiosos pelos próximos números ou surpresos com a reação de seus filhos. Os demais e-mails são das próprias crianças, que já tendo lido os dois primeiros livros da série lançados em português, elogiam as publicações e pedem sugestões e dicas de livros parecidos. São crianças pedindo sugestões de livros com o mesmo assunto de Harry Potter, ou seja: iniciando-se nas artes da bruxaria e da feitiçaria. Temos crianças, que em vez de estarem brincando ou aprendendo coisas sadias, estão mergulhando de cabeça em práticas místicas e profundamente comprometidas espiritualmente, sob o olhar complacente de pais e mães, a exemplo do que acontece com o halloween. Pasmo absoluto! Alguns críticos e defensores da série dizem que o seu conteúdo é meramente figurativo e que crianças e jovens devem ter um contato com a realidade espiritual, ainda que deturpada. Alguns educadores dizem que é a eterna luta do bem contra o mal, o espírito aventureiro; o bom humor e a ironia da narrativa são muito bem misturados. É compreensível que atraia leitores de diferentes idades, dizem sem sequer envergonharem-se. Um clérigo católico disse o seguinte da série: "O ocultismo é um detalhe irrelevante. O que a série mais estimula não é a bruxaria, mas a coragem, a lealdade, a solidariedade, o desejo de sacrificar-se pelos outros, pondo em risco a própria vida - lições maravilhosas num mundo onde as pessoas estão cada vez mais autocentradas." Caberia até uma pergunta ao senhor vigário: o

que ele faz com a bruxaria contida nos livros? Certamente vai passar por cima, ou ainda ignorar o perigo iminente. A mágica e o feitiço de Harry Potter é a de Merlim, o feiticeiro da távola redonda. Ao utilizar o nome de potter ou oleiro, que sugere perícia, engenho, habilidade, quer se fazer pensar que tudo é uma mera coincidência com o nome. Goeebels, o ideólogo da propaganda nazista dizia que uma mentira repetida reiteradas vezes toma ares de verdade. A mentira aqui é fazer pensar que Harry, o oleiro de mentira, representado numa literatura malígna e perniciosa pode substituir Deus o Oleiro verdadeiro na vida da humanidade. Viram, que não há nada casual? A série de três livros atingiu a estrondosa marca de 30 milhões de exemplares vendidos no mundo todo. Uma milionária e estrondosa campanha de marketing fomenta a venda dos livros, que virarão filmes para crianças em 2001. Segundo a imprensa americana, Harry Potter reativou uma antiga tradição: famílias inteiras se reúnem para ler as histórias do menino-bruxo em voz alta. No Brasil, foram lançados dois títulos "Harry Potter e a Pedra Filosofal", e "Harry Potter e a Câmara Secreta", e há a previsão de que seja lançado o terceiro volume no mês de dezembro, a lista de reservas é enorme e extensa. Poucos pais comprariam conscientemente para seus filhos manuais de feitiçaria e bruxaria, contudo os compram disfarçados de entretenimento. Rapidamente vamos ver o que significa os dois títulos já lançados no Brasil: Câmara secreta Em todo ritual de iniciação apresenta-se uma prova, que é a passagem por uma câmara secreta; que pode ser um cubículo, um quarto fechado, etc, é sempre um lugar afastado de curiosos. Neste local o iniciado é aspergido com água lustral - para purificação - ou com o sangue de uma vítima sacrificada. O iniciado fica acordado ou dormindo para receber as revelações da divindade. A câmara secreta simboliza o local da morte do velho homem e do nascimento do novo homem. Toda iniciação por mais natural que seja, comporta algo de secreto e de retirado. Pedra filosofal Na alquimia, é o produto final almejado após longos processos de transformação, na busca de transformar substâncias em por exemplo, elixir da vida. A doutrina alquimista é cunhada e forjada pela Gnose - ou conhecimento, assim, a verdadeira pedra filosofal é o ser humano espiritual, purificado e não influenciado pelo mundo material e que, de certa forma também enobrece e eleva seu entorno por meio da sua espiritualidade. A autora da saga é a escocesa Joanne Kathleen Rowling - a J. K. Rowling, que de pobre e miserável financeiramente tornou-se milionária, tendo a sua fortuna pessoal estimada em US$ 50 milhões quando decidiu escrever sobre bruxarias e feitiçarias. Quanto as nossas crianças brasileiras, têm sido indicadas a elas autores do quilate de J. R. R. Tolkien, especialista em sagas - contos literários, cujo gênero nasceu na Islândia, no século XII, logo difundido em outros países nórdicos. As sagas contam as histórias de guerreiros e de clãs que pouco a pouco incorporaram elementos místicos. Tolkien escreveu a famosa trilogia O Senhor dos Anéis, cujo enredo é povoado por elfos (gênio aéreo da mitologia escandinava, que simboliza o ar, o fogo, a terra, etc.), e anões. Com a indicação

os livros de Tolkien esgotaram-se nas livrarias brasileiras, o que fez com que a editora responsável prometesse colocar novas edições ainda no mês de novembro. Outras indicações são os livros de Roald Dahl e C. S. Lewis, também de temática semelhante aos de Tolkien. Recentemente filas se formaram para adquirir em primeira mão o novo exemplar do livro que traz as aventuras de Harry Potter and the Goblet of Fire - "Harry Potter e o cálice de fogo", quarta parte da série, que foi lançado batendo recordes: 3,8 milhões de exemplares chegaram as prateleiras americanas já no primeiro dia de vendas. A imensa maioria das filas era composta por crianças ávidas pelo livro do seu "herói". A saga de Harry Potter terá um total de sete livros. Se fizermos as contas, veremos que foram vendidos cerca de 30 milhões de exemplares nas sete edições, possivelmente serão vendidos 70 milhões, o que tornará a autora mais rica ainda, a custa de feitiçaria e bruxaria. Considerando as estatísticas de que em cada dez compradores dos livros de Harry Potter, oito são crianças, ao fim da série de sete livros, teremos cerca de 56 milhões de crianças no mundo todo lendo tais livros. Isso, se considerarmos somente um leitor por livro, e igualmente para as tiragens atuais. A evidência e constatação são a de que cada vez mais crianças estão tomando contato com o ocultismo e misticismo, e será esta a geração que estará à mercê do dominador deste mundo. O que vemos é uma orquestração silenciosa que toma conta de tudo. O enredo é pobre em conteúdo cultural, o enfoque é todo maniqueísta; recentemente alguns leitores mirins encontraram "furos" na história. Especialistas disseram que tudo não passou de uma jogada de marketing, o que vai fazer com que as próximas edições vendam muito mais. Afinal quem não quer encontrar um "furo" em tão famoso livro? Os descobridores dos erros foram elevados à categoria de celebridades instantâneas, deram entrevistas e avistaram-se com a autora. Daí a insinuação de que tudo não passou de uma esperta jogada para vender mais e mais livros. J. K. Rowling tem sido o instrumento nas mãos de Satanás que impiedosamente busca capturar as mentes das crianças. É o império das trevas estabelecendo o seu "território". De tudo isto resta a triste constatação de que o príncipe deste mundo não poupa nada na sua ânsia de dominar o mundo. O que veremos dentro de alguns anos é que estes que hoje brigam e se estapeiam nas filas das livrarias para comprar a literatura do inferno, é a geração que amanhã será profundamente incrédula e pervertida espiritualmente. Enquanto muitos preocupam-se em criar mecanismos para salvar baleias, pandas ou outros animais em extinção, crianças e jovens são contaminados espiritualmente por literatura do tipo debatida neste artigo, sob o nosso olhar passivo e indiferente. Uma grande e crucial questão nos atinge: ou tomamos uma posição definitiva e partimos para alertar nossa gente numa ação rápida, ou seremos engolidos por tudo o que provém do mal. Devemos utilizar todos os recursos disponíveis para evitar que esta (e outras) literaturas cheguem aos nossos filhos e crianças. Lembro ainda da nossa responsabilidade de ensinar nossos filhos as verdadeiras histórias bíblicas e acerca da esperança redentora que nos move em direção ao céu - Provérbios 22:6. O tempo é este! Jehozadak A. Pereira

É escritor e jornalista graduado pela "FIAM - Faculdades Integradas Alcântara Machado" de São Paulo. Ele é articulista de diversos periódicos seculares e evangélicos na área de apologética. O autor é dedicado pesquisador e palestrante sobre temas que envolvem o esoterismo e o subjetivismo psicológico presentes na mídia e suas influências no cotidiano de todos nós. Contato e Comentários: E-mail: jehozadak@evangelicos.com FONTE: www.evangelicos.com

Você é vulnerável às seitas?
Lin Johnson Todo ano, milhares de pessoas estão se filiando a uma novaseita. Um número surpreendente deles se dirá crentes evangélicos. Eles poderão ser amigos, parentes ou membros de sua igreja. E... é até possível que você esteja entre eles!Nem sempre os crentes estão imunes às atividadese satisfação que as seitas oferecem. Contudo, as deserções poderãoser evitadas se estivermos alerta acerca das áreas vulneráveise procurarmos dar alguns passos positivos no sentido de fortificar essas áreas. Um estudo sobre as seitas proeminentes, do ponto de vista das necessidades humanas, que elas preenchem, revela várias fraquezas entre os cristãos e suas igrejas, que colocam os crentes frente à sedução das seitas. Para descobrir se você é vulnerávela se tornar membro de uma seita, faça os seguintes testes: 1. Seu conhecimento bíblico e apologético Depois de ouvir uma preleção introdutóriada Igreja da Unificação (a seita do Rev. Moon), é possível entender como os crentes que ainda não conhecem o conteúdoe os princípios de interpretação da Bíbliapossam ser fisgados facilmente. O preletor fazia citações ou referências a um ou outro versículo bíblico, a maioria das vezes retiradas do seu contexto, fazendo uma preleção que soava com umalógica aparentemente válida. Cristãos que são biblicamente ignorantes, ou quetêm uma compreensão meramente superficial da Bíblia, são os primeiros candidatos para esses tipos de explicações.Exceto a maioria dos grupos orientais, tal como Hare Krishna, muitos membros das seitas citam numerosos "textos de prova" da Bíblia- retirados do contexto - para afirmar suas doutrinas. As testemunhas de Jeová são famosas por sua habilidadede confundir seus oponentes, citando dezenas de versículos que parecem apoiar sua teologia estranha.Todavia, freqüentemente, os crentes não sãohábeis para sustentar biblicamente suas próprias convicções e confrontar os falsos ensinamentos e interpretações impróprias. Outros são atraídos por "novas revelações" de seitas como a Igreja Apostólica da "Santa VóRosa" ou o profeta William Soto Santiago. Exame individual:

O que você crê a respeito das doutrinas básicas(Bíblia, Trindade, Deus, Homem, Salvação, Espírito Santo,Igreja, Escatologia, Anjos), e por que crê assim?Você consegue sustentar suas convicçõesusando a Bíblia? Você está envolvido pessoalmente com um estudo diário e sistemático da Bíblia? Você conhece os princípios de uma sólida interpretação bíblica?Você lê livros e toma aulas de teologia, apologética e exposição bíblica? Exame para a liderança da igreja: Na sua pregação, o que tem mais ênfasee autoridade: a Bíblia ou as experiências espirituais? Você ensinaas doutrinas básicas da fé cristã aos novos convertidos? Você tem planos de ensinar teologia, métodos de estudo bíblico, hermenêutica (interpretação bíblica)e apologética (a defesa da fé), nos sermões, Escola Dominical, escolabíblica de férias, ou outras aulas especiais? 2. Sua doutrina no dia-a-dia A maior atração do Templo do Povo de Jim Jonesera a aparente integração dos fiéis e o estilo de vida, queresultou em ação na ajuda para suprir as necessidades da comunidade. A igreja também demonstrava unidade com a integração racial. O Rev. Moon e a Igreja da Unificação têmatraído milhares de jovens em idade universitária porque ele promete aos seus seguidores uma maneira revolucionária para resolver os problemas do mundo e vencer o comunismo - o qual havia profetizado que suplantaria a democracia - como sabemos essa profecia falhou. Outros incontáveis jovens seguem a Igreja Mórmon porque ela oferece uma sociedade cooperativa que cuida das necessidades de seus adeptos através dos seus serviçosde "bem-estar". Muitas pessoas procuram centros espíritase terreiros de umbanda para resolver seus problemas particulares pelos conselhos que recebem das entidades espirituais. Em contraste, as verdadeiras igrejas cristãs têmmuitas vezes se desviado para uma doutrina divorciada da vivência prática do dia-a-dia. Em muitos casos, os cristãos falham em aplicar as verdades da Bíblia aos problemas do povo de uma maneira prática.Estamos tão inquietos quanto ao caminhar para um "evangelho social", que muitas vezes acabamos perdendo o equilíbrio entre a pregação do Evangelho e o socorro àqueles que passam necessidades. Exame individual: Você aplica o ensino bíblico à sua vidadiária? Você já desenvolveu uma ética social cristãbaseada na Bíblia? De que maneira você está envolvidoem ajudar a suprir as necessidades de outra pessoa ou grupo - por exemplo: favelados, crianças abandonadas, ou viciados? Os seus amigos não crentes e vizinhos o conhecem como alguém que se preocupa com suas vidas e não apenas com suas almas? Exame para a liderança da igreja: Você ensina que a vida cristã é uma maneiracompleta de viver, que não enfatiza apenas o aspecto espiritual? Você encoraja as pessoas a demonstrar a fé ajudando outras pessoas? Você encoraja pessoas de outras raças ou níveis sociais a freqüentar sua igreja, ou não as recebe? 3. Seu senso de comunidade dentro da igreja local Os crentes ex-membros do Templo do Povo testemunham que a amizade e osenso de comunidade os atraíram para aquela seita. Os moonistas demonstram tanta intimidade, polidez e amizade, que muitos jovens solitários querem aderir ao grupo. Outros são seduzidos pelos Meninos de Deus, atualmente conhecidos como A Família, por causa das promessas de segurança e relacionamentos íntimos - e até sexuais - sem aparentescompromissos. Os mórmons aprendem vários métodos deganhar novos adeptos pela amizade usando o folheto

"Preciso de um Amigo". Ao menosna aparência, muitas seitas oferecem amor fraterno, sustento e aceitação. Achando sua igreja fria, e que não se preocupa com seus membros, ele se volta para outros grupos onde se sentirá mais confortável, íntimo e reconhecido. Exame individual: Com que freqüência você dá asboas-vindas aos visitantes de sua igreja e os contata durante a semana? De que forma você procura demonstrar amor fraternal às pessoas solitárias, com problemas, e doentes de sua igreja? Você convida pessoas ou famíliascom quem você raramente mantém comunhão para jantarem sua casa, ou os visita caso faltem ao culto? Você compartilha seus conflitos e falhas com membros de sua igreja? Os irmãos de sua comunidade podem contar com você para enfrentar as duras provas da vida? Exame para a liderança da igreja: Você reserva tempo toda semana para que os membros da igrejapossam compartilhar suas alegrias e necessidades uns com os outros? O que você está fazendo para promover um ambiente onde os membros sintam-se à vontade para compartilhar seus conflitos e falhas? Você incentiva as pessoas a comunicar suas dúvidas e procura ajudá-las a resolvê-las? Você conhece as necessidades do seu povo? O que você está fazendo para suprir estas necessidades? 4. Imaturidade ou amortecimento espiritual Muitos crentes professos, que acabam entrando para uma seita, são crentes novos que não foram discipulados, ou são crentesantigos que se tornam bebês espirituais. A imaturidade os fez presas fáceis de seitas que usam a Bíblia e possuem um linguajar evangélico. Crentes que estão vivendo para si mesmos em vez de se submeteremao senhorio de Cristo podem ser fisgados por qualquer grupo que for simpático aos seus desejos carnais. Outros crentes são enganados por seitas como o Tabernáculo da Fé de William Branham. Muitas vezes, nossa ênfase acerca da sã doutrina tem tido a tendênciade extinguir a alegria da fé cristã. Alguns têm perdido o equilíbrio da Igreja do primeiro século entre a ortodoxia e o gozo da nova vida em Cristo. Exame individual: Você está crescendo em sua fé? ÉCristo o Senhor de sua vida, ou você está vivendo para si mesmo? Háequilíbrio entre doutrina e prática em sua vida? Você expressa a alegria de ser salvo? 5. Diminuição da ênfase da doutrinado sacerdócio do crente Quase não existem ministros profissionais remunerados no mormonismo, qualquer membro tem pelo menos uma responsabilidade na seita. De fato, muitos milhares de seus jovens sentem-se honrados em gastar dois anos em serviço missionário de tempo integral. Todas as testemunhas de Jeová batizadas são ministros, e fazem visitas de porta em porta e 'doutrinam' nas praças várias horas por semana. Os novos moonistas são usados quase que imediatamente nas ruas para levantar fundos e fazer recrutamento. Nas seitas mais populares, cada pessoa individualmente faz parte do ministério, ela é importante e necessária. Muitas igrejas evangélicas, em contraste, perderam a visãoda doutrina do sacerdócio do crente. De acordo com a Bíblia,os cristãos são iguais perante Deus, e cada um tem a responsabilidade de servi-lo. Mas, em vez de todos os membros se envolverem no trabalho, freqüentemente apenas um pequeno número está exercendo o ministério. Os jovens, procurando por meios de expressar o seu idealismo, podem ser forçados a fazê-lo fora de suas igrejas. Novos convertidos, geralmente não são solicitadospara ajudar nos trabalhos da igreja. Há, também, uma tendênciaentre os cristãos de fazer os pastores e líderes de seminários de "gurus". Não exercendo seus privilégiose responsabilidades de estudar diretamente a Bíblia, eles aceitam sem raciocinar o que é pregado e ensinado. Alguns crentes habitualmente citam o que disseram

outros homens, substituindo a Bíblia por suas palavras, como autoridade final. Esta atitude fortalece os meios para que um líder de uma seita possa dominar uma pessoa ou até uma congregaçãointeira. Exame individual: Você sabe qual é o seu dom espiritual? Como vocêo está usando? Você tem pelo menos uma responsabilidade na igreja? Você compara aquilo que lhe ensinam com a Bíblia? Você está centralizado na Bíblia ou num líder eclesiástico? Exame para a liderança da igreja: Como você está ajudando cada membro a descobrire usar o seu dom espiritual? Todos os seus membros têm deveres e responsabilidades na igreja? Quais oportunidades de participação nos serviços da igreja estão à disposição paraserem feitos por jovens ou novos convertidos? Quantas oportunidades você oferece para o seu povo tirar dúvidas sobre seus sermões e palestras? 6. Colapso da família A desintegração da união familiar tradicionale o conflito das gerações na sociedade moderna não estãolimitados aos não-crentes. A migração populacional dosmeios rurais para os grandes centros urbanos tem colaborado para acelerar este processo. O colapso da família está se tornando cada vez mais proeminente entre os cristãos, tornando os jovens mais vulneráveis. Os pais freqüentemente estão muito ocupados com seusempregos e atividades sem fim na igreja, para poder gastar tempo com a família. Em alguns lares cristãos, a comunicação e o saberouvir entre os membros da família são raros. As criançasobservam os seus pais falando de forma mais "bondosa" no templo do queem casa, e imediatamente os classificam de hipócritas. Adolescentes e jovens em idade escolar, que recebem pouca atenção em casa, tendem a seguir grupos que possuem uma imagem de família. A seita Moon, a Família, e muitas seitas afrobrasileiras são grupos ávidos para compadecer-se por alguém nessa situação. Eles falam de seus grupos como famílias que oferecem tudo a uma pessoa que não está recebendo a devida atençãoem casa. Com ênfase num forte programa de união familiar, o mormonismo atrai crentes que estão desiludidos devido à hipocrisiae a secularização que observam nas famílias cristãs. Exame individual: Quanto tempo você passa com sua família? Qual asua melhor maneira de se comunicar e escutar os membros de sua família? Eles sabem que você os ama incondicionalmente, tanto com suas palavras como com suas ações? Pais, vocês mostram amor determinando regrase disciplina? Suas ações em casa refletem aquilo que vocês professam crer?Exame para a liderança da igreja: Você procura reservar pelo menos uma noite livre de todas asatividades e reuniões da igreja? Você incentiva as famíliasde sua igreja a passarem tempo juntas?Que estímulo você oferece para que as famíliasfaçam o culto doméstico? 7. Ignorância sobre as seitas Muitas seitas são falsificações do Cristianismo.Num contato inicial com um membro A Família, ou outras seitas pseudocristãs, você concluiria facilmente que estaria falando com crente evangélico. Se um moonista bem doutrinado sabe que você é um cristão, ele vai tecer sua conversa de tal forma que soe como se fosse um cristão. Outros, por falta de conhecimento, não percebem que certasentidades não sectárias - tais como a

Ordem Rosa Cruz (AMORC), a Maçonaria, a Cultura Racional etc. - são de fato, religiões não cristãs. Algumas seitas orientais, como a Seicho-no-ie, e Arte Mahikari, aceitam pessoas de qualquer religião, facilitando assim o envolvimento de cristãos. Outras pessoas, até evangélicas,se envolvem com a astrologia, o "Método Silva", o uso de pirâmides, ou ioga, ignorando a origem ocultista delas. Contudo, a familiaridade com as doutrinas das seitas e seus métodos de recrutamento vai ajudá-lo a detectá-los e a livrar-se de ser enganado por eles. Exame individual: O que você sabe acerca das crenças e práticasdas seitas mais destacadas? Você sabe como abordar os membros das seitas a fim de ganhá-los para Cristo?Você procura alertar seus familiares e amigos sobre o perigodas seitas para protegê-los? Exame para a liderança da igreja: Você dá aulas, ao menos uma vez por ano, aos membrosde sua igreja sobre as doutrinas das seitas e como evangelizar os seus adeptos? Você informa ao seu rebanho sobre os novos grupos de seitas que estão ativos em sua região? Em que nível o alertar os santos está em seu ministério? O Novo Testamento e os encontros fechados Jesus levou seus discípulos para um retiro espiritual e cercade 500 pessoas o acompanharam. Ele lhes ensinou as mesmas coisas. Não tinham eles grandes verdades conhecidas só por um grupo seleto. Paulo menciona que descrentes estavam presentes nas reuniões do Novo Testamento. 1 Co 14.16: "E se tu bendisseres apenas em espírito, como dirá o indouto o amém depois da tua ação de graças? Visto que não entende o que dizes."Não há evidência de Paulo ser doutrinadopor meio de grupos de células. Não há evidênciasde que eles se sentaram com Paulo e lhe disseram que ele se submetesse à autoridade deles. Não há evidência de qualquer "programade supersubmissão".

Palavra de advertência
Qualquer programa de discipulado precisa estar voltado para Cristo enão para um líder humano. Em um discipulado verdadeiro, as pessoas devem ser moldadas à imagem de Cristo e não do líderdo grupo. "Meus filhos, por quem de novo sofro as dores de parto, atéque Cristo seja formado em vós" (Gl 4.19). "Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual em troca da alegriaque lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso de ignomínia, e está assentado à direita do trono de Deus" (Hb12.2). "E vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento segundo a imagem daquele que o criou" (Cl 3.10). "Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça,Cristo" (Ef 4.15).É muito fácil criticar as seitas ou as pessoasque saem das nossas igrejas para estes grupos; contudo, raramente fazemos um auto-exame de nós mesmos, de nossas igrejas, de nossas pregaç otilde;es e liturgias. Se você viu, diante destas questões, que o seu resultado foifraco ou revelou fraquezas em sua vida ou ministério, planeje agora fortalecer tais áreas. Faça uma lista dos passos específicosa tomar e comece hoje! Também considere de que maneira você poderá fortalecer ou edificar seus irmãos crentes. Acima de tudo, ore! Ninguém está totalmente isento de ser enganado pelas seitas, mas a próxima pessoa que está prestes a tornar-se adepto de uma seita nãodeverá ser um crente professo. "Aquele, pois, que pensa estar de pé,veja que não caia" (1 Co 10.20).

Como identificar uma seita
JesusSite

Introdução:
Há 10 grandes religiões no mundo, além do Cristianismo. São elas: Budismo, Confuncionismo, Hinduísmo, Taoísmo, Jainismo, Xintoísmo, Zoroastrismo, Sikhismo, Islamismo, e Judaísmo, e muitos milhares de seitas. Eis o desafio da Igreja do Senhor...

Seitas e Heresias:
Definição de Seita: O termo como aparece na Bíblia significa facção, partido, grupo ou cisão. Inicialmente, não tinha caráter pejorativo (at. 15:5, 24.5-14), depois assumiu sentido negativo (Gl 5:19-21). Pode designar um subgrupo de dentro de alguma religião organizada, como os saduceus (At. 5:17), fariseus (At. 15:5), ou dissensões no seio da própria Igreja (Rm. 16:17, 1 Co. 11:19). No Campo Teológico: A doutrina responde às perguntas sobre Deus, a Trindade: Deus pai, Filho e Espírito Santo, sobre a Natureza humana, sobre a vontade de Deus, sobre o nosso Destino Eterno. A Perseverança na Doutrina está relacionada à Salvação (1 Tm 4:16). O Conhecimento e a Prática da doutrina Cristã nos protegem contra a heresia (1 Tm 4:1-6, 2 Tm 2:18, Tt 1:11). Esse conhecimento não anula a espiritualidade do Crente (1 Co. 2:14-15, Rm 12:3). A Doutrina contribui para a unidade da Igreja (Rm 16:17, 1 Co. 1:10; Ef. 4:12-13). O Jesus das Seitas: As seitas distorcem as verdades fundamentais sobre Cristo reveladas na Bíblia, e isso resulta num outro evangelho (Gl. 1.6-8) e num outro Jesus (2 Co. 11:4) que oferece uma falsa sanvação e um falso céu para os seus adeptos. As seitas modernas classificam-se em pseudocristãns, orientais, ocultista e secretas. Pseudocristãns: Testemunhas de Jeová, Adventismo do Sétimo Dia, Catolicismo Romano, Mormismo, Meninos de Deus (A Família), Só Jesus, Igreja de Cristo Internacional, Tabernáculo da Fé, Igreja da Unificação, Igreja Local de Witness Lee, Voz da Verdade, Testemunha de Ieroochua e Igreja Pentecostal Unida do Brasil, Congregação Cristã no Brasil, etc . Orientais: Arte Mahikari, Hare Krishna, Seicho-no-iê, Igreja Messiânica Mundial Ocultistas: Kardecismo, Legião da Boa Vontade, Santo Daime, Racionalismo Cristão, Umbanda, Quimbanda, Candomblé, Cultura Racional, Ciência Cristã e Nova Era. Secretas: Maçonaria, Ordem RosaCruz e Teosofismo. A Marçonaria não é apenas uma assossiação confraternária, ela é também, uma religião.

Como Identificar uma Seita:
As Seitas e os Credos: As seitas falsas além de mutilarem a Bíblia, rejeitam o Cristianismo histórico-ortodoxo. Suas crenças são oriundas das supostas revelações de fundadores e líderes. Fundação dos Credos: "CREDO" vem do latim e significa "Creio". Desde muito cedo na história do

Cristianismo, o Credo se tornou maos que um conjunto de Crenças: é uma confissão de fé. Tem como o objetivo sintetizar as doutrinas essenciais do Cristianismo para facilitar as confissões públicas e conservar a doutrina contra as heresias. Confissão de Fé dos Judeus: Os primeiros Credos da Bíblia está em Dt 6:4 "Ouve ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.", citado por Jesus no primeiro mandamento Mc. 12:29); ainda hoje é citado pelos judeus religiosos três vezes ao dia. O Credo dos Apóstolos: É o mais antigo dos três principais credos da Igreja Cristã. a) História: Diz a tradição que ele foi formulado pelos apóstolos logo após a ressurreição de Jesus, e que cada um deles apresentou um artigo de fé. O Texto mais antigo desse Credo é datado de 700 d.C. Muitos crêem que esse documento construía a confissão batismal daquela época. b) Conteúdo: "Creio em Deus Pai Todo-Poderoso. E em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, que nasceu do Espírito Santo e da virgem Maria; que foi cruscificado sob o poder pôncio Pilatos, morto e sepultado; ressuscitou ao terceiro dia, subiu ao céu, e está sentado à mão direita do Pai, de onde há de vir julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja, na remissão de pecados, na ressurreição do corpo". A igreja Católica por sua conta acrescentou "Ave Maria" ao credo original.

CONCLUSÃO:
A Bíblia é um única fonte para se discernir entre a ortodoxia bíblica e a heresia. Ela é a Palavra de Deus inspirada; o único padrão que distingue o certo do errado. O Movimento religioso que rejeita, e tem adversão pelos credos formulados pela Igreja Cristã nos primeiros séculos, é seita; e, como tal, é inimigo do Cristianismo bíblico e histórico.

Como discipular ex-adeptos de seitas
Wagner S. Cunha Desilusão, angustia, perda da confiança em si mesmo, medo de voltar ao estilo de vida anterior ao do envolvimento com a seita, tensão, incerteza, crise de identidade, falta de rumo, etc. Estas são as companhias constantes de quem abandona uma seita herética. Muitos se descrevem como "arrasados, mutilados"; outros dez anos após terem deixado o grupo ainda permanecem nesse estado. Alguns partem para novas experiências religiosas em busca da "única igreja verdadeira", vão de igreja em igreja, decepção seguida de decepção. Ainda há aqueles que tentam recuperar o tempo perdido e passam a dispensar maior atenção as relações familiares, ao emprego, aos estudos, enquanto deixam Deus de fora de suas vidas. A Dra. Margaret Thater Singer, como resultado de uma pesquisa intensa feita com 3000 mil ex-sectáristas observou entre eles: "casos significantes de depressão, solidão, ansiedade, baixa auto-estima, superdependência, confusão, inabilidade para se concentrar, psicoses"(1) . Isso tudo é conseqüência de se ter estado associado a uma seita destrutiva que abusa emocional e espiritualmente do indivíduo. Steve Hassan, autor de "Combatendo o Controle Mental das Seitas"(2) , faz uma lista de quatro marcas básicas do controle mental exercido pelas seitas: Controle Emocional

A chave deste controle esta no temor e na culpa, também chamado de "inculcação" de fobias . O membro da seita desenvolve a paranóia de que Satanás esta a espreita para caçar-lhe se em qualquer momento questionar a organização religiosa ou por alguma razão, a abandone, ...Ele e sua família morreriam de forma horrível se afastarem. Controle de Conduta É reforçado aos membros toda classe de regras peculiares, normas sobre vestimentas e outras coisas não especificadas na Palavra de Deus. Novos modelos de comportamento são apresentados, como as visitas de porta a porta, a assistência a varias reuniões semanais, novas atitudes para com os dissidentes e na seqüência, o ensinam que ele é perseguido por suas crenças. Controle de Pensamento Emprega-se uma linguagem carregada de termos peculiares do grupo, tais como: novo sistema, teocrático, organização de Deus, a verdade, apostatas. Tudo é branco ou negro; a entidade é boa e todas as demais são do Diabo. Existem respostas para todas as tuas perguntas, pois assim o membro não necessita pensar por sua própria conta. Controle de Informação Aos membros é proibido qualquer acesso a informação critica sobre o movimento. O membro sempre esta ocupado lendo suas próprias literaturas e assistindo a reuniões. Dentro da estrutura piramidal do movimento existem diversos níveis de conhecimento. Também são escondidas informações dos que estão fora, de maneira que eles tenham publicamente uma imagem benigna. Muitos por desconhecerem estes aspecto das seitas acham que os ex-sectaristas sofrem inteiramente de problemas espirituais e nada mais. Pessoas que fizeram parte de uma seita têm problemas e necessidades especiais. Umas das dificuldades é que encontram má compreensão e invariavelmente estigma, na comunidade evangélica. Os apologistas Ronald M. Enroth e J. Gordon Melton, lançaram um grande desafio em um de seus excelentes livros: "Nós desafiamos os cristãos para estenderem companheirismo e amizade para esta nova minoria os ex-sectaristas"(3) . A grande maioria daqueles que saem de uma seita sofrem enormes privações. Isso implica no fato que temos o dever moral de ajudá-los, não somente levando-os a Jesus Cristo, mas dando-lhes assistência no que for necessário para que reestruturem suas vidas. Nos últimos anos houve um crescente crescimento da apologética em nosso país, vários livros foram lançados expondo o erro religioso e defendendo magistralmente a verdade, porém a igreja cristã permanece apática na sua compreensão dos afeitos danosos que o envolvimento com grupos pseudos-cristãos traz ao indivíduo e a sociedade como um todo, sem contar naqueles que chegam feridos em nossas igrejas e permanecem com várias seqüelas por causa de seu anterior envolvimento sectário. Eles carecem de um envolvimento intenso e relacional com cristãos maduros que os oriente não somente a abandonar falsos ensinos e aprender as verdades bíblicas, e essencialmente o amor incondicional do Salvador. Em junho de 1980 cristão de vários países se reuniram em Pattaya, Tailândia, sob o patrocínio da comissão de Lausanne para a Evangelização Mundial afim de tratar de questões pertinentes a obra de evangelização mundial. Um dos temas pulsantes desse congresso foi a "Mini Consulta para a Evangelização de Místicos e Sectaristas"(4). Na ocasião foram dadas preciosas instruções sobre o aconselhamento de pessoas que fizeram parte de uma seita. Seguem abaixo algumas sugestões (com adaptações) apresentadas naquele encontro que são vitais àqueles que desejam ajudar um ex-sectarista: "Acompanhamento: Freqüentemente, os que abandonam uma seita religiosa são muito

desconfiados e assustados. Eles precisam de muito de segurança e de compreensão. Ele precisa ser abordado com gentileza amor e respeito. O anterior grupo e seus líderes não devem serem escarnecidos ou atacados. Isso provocaria uma atitude defensiva. É essencial descobrir por que ele (ou ela) se uniram ao grupo. Pode haver muitas razões. Estimule-o a falar sobre isso. O calor e a aceitação pessoal, por um lado e o espírito de oração no intuito de triunfar no conflito espiritual, por outro lado são os fatores chaves. São mais importante que a lógica e a argumentação(5). Entretanto , é necessário ter um bom conhecimento dos ensinamentos do grupo, e ser capaz de questioná-los polidamente, porém com firmeza, com base na Palavra de Deus. Pode ser importante insistir várias vezes sobre alguns pontos simples, quando ex-sectarista se mostrar confuso. Cuidado para não manipular ou fazer ameaças! Enquanto oramos e alimentamos a esperança de que ele posso estar desenvolvendo a cada dia seu relacionamento com Jesus Cristo, precisamos tomar cuidado para não tirarmos vantagem de seu estado de confusão mental. Nossa primeira responsabilidade é encorajá-lo e ajudá-lo a entender tudo que passou e a libertar-se dos traumas oriundos de sua anterior experiência religiosa. Do contrário, estaremos sendo culpados de violar sua personalidade, exatamente como fez o grupo aliciante. A tarefa de assumir a "paternidade espiritual" (o cuidado) pode ser extremamente exigente. Requer tempo, paciência, recursos emocionais e energia espiritual. É preciso lutar em oração! Incentive-o na leitura da Bíblia (Hebreus 4:12). Ponha-o em contato com outros que tem o mesmo transfondo religioso e que experimentaram a Graça irresistível de Deus em suas vidas." Pode-se levar meses ou até anos para a recuperação total de um ex-sectarista. Porém, é extremamente gratificante ver cada dia o progresso deles na fé e a cada momento conhecendo mais da amabilidade, misericórdia e fidelidade de Deus em suas vidas. (Êxodo 34:6), entendendo assim que a Graça de Deus é suficiente para a cura de feridas e traumas passados. NOTAS

1. "Coming Out the Cults", Psychology Today, Aug.1984, p.27. 2. "Combatting Cult Mind Control, (Park Street Press, 1988).

3. "Why Cults Succed Where the Church Fails - Elgin. III: Brethren Press, 1985, pg. 98, 99
4. O relatório completo sobre esta "mini consulta" foi editado no Brasil em 1984, com o titulo de "O Desafio das Novas Religiões" (Ed. ABU e Visão Mundial) 5. Harold L. Busséll em seu excelente "Unholy Devotion" ( 1983, Zondervan Corporation) diz que a maioria das pessoas são atraídas pelas seitas por fatores psicossociológicos não tanto pela doutrina

Alerta aos Pastores e líderes da igreja
À medida que se aproxima o fim do século XX, uma explosão de seitas e movimentos ocultistas e contraditórios se alastra por todo o Brasil e por todo o mundo, causando uma paranóia religiosa tão grande que famílias se dividem e não são poucos os fanáticos que se suicidam e matam. É tão grande a confusão nesta área, que a verdade parece não existir, ou pelo menos fica a impressão de que ela é relativa, não havendo absolutos. É o que entendemos ser a "crise da fé". Cremos que a

Igreja, através do poderoso evangelho de Cristo, deve servir, em meio a esse vendaval, como divisor de águas, um farol e um cais para os náufragos à deriva, neste mundo. Querido Pastor e líder, o que estamos dizendo enfaticamente é que sua igreja pode mudar isso, veja por exemplo:

O Brasil é o maior país espírita do mundo com 95 milhões de praticantes. O Brasil é o terceiro país em número de Testemunhas de Jeová, e que cada casa já foi visitada pelo menos uma vez por seus adeptos ensinando falsas doutrinas aos nossos vizinhos, que nunca evangelizamos. Os mórmons consideram seu crescimento no Brasil um dos seus maiores sucessos. Eles cresceram mais de 50% (aproximadamente 250.000) nos últimos dez anos. As religiões orientais, como o islamismo e o budismo, já atraíram mais de 2 milhões de brasileiros de todas as classes sociais e continuam se expandindo rapidamente. O islamismo por exemplo já conta com quase 300 mesquitas em todo o Brasil, e o budismo que recebeu recentemente seu maior missionário o Dalai-Lama, está construindo no Rio Grande do Sul o maior monastério budista da América Latina, e tem conquistado na classe artística seus maiores simpatizantes e discípulos. Os cultos afro-brasilleiros, como candomblé, umbanda, quimbanda e outros mais também se espalham por todo o território nacional como religião alternativa. Segundo estimativas, a maioria dos brasileiros, se não praticantes, já procuram os serviços desses feiticeiros chamados pais e mães-de-santo, em algum momento de sua vida. Além de tudo isso, as heresias mais absurdas têm achado em nosso meio evangélico, terreno fértil para se reproduzirem, causando na maioria das vezes males irreparáveis na família de Deus, confirmando o disse o Senhor Jesus: "...e à noite vindo o inimigo, semeou seu joio...", doutrinas como Confissão Positiva, Teologia da Prosperidade, Legalismo dos usos e costumes, Benção de Toronto, objetos de fé na liturgia, enfim. Também o misticismo, a astrologia, a cartomancia, enfim, têm conseguido enorme espaço nos meios de comunicação, como nunca antes. São videntes, magos, noviças, dizendo que através das fadas, gnomos, duendes, cristais podem fazer até o impossível, como prever o futuro. É a febre esotérica da Nova Era, no Brasil e no mundo. A verdade é uma só: ninguém pode escapar das malhas dos falsos ensinos religiosos, nem mesmo os mais inteligentes, muitos independentemente do nível social, econômico e cultural são vítimas indefesas. Apenas os que conhecem a verdade, que é a inerrante Palavra de Deus, têm condições de saírem ilesos dessa guerra espiritual e ajudar os demais. O mundo espera pela Igreja, e só Ela mesmo está credenciada por Deus para ministrar as Boas Novas do Evangelho de salvação e libertação de Jesus Cristo, porque como disse o irmão Billy Graham no congresso de evangelização em Lausanne, Suiça: "...pode haver muitos caminhos para se chegar a Jesus Cristo, mas um só caminho para Deus, a saber, Jesus..." Jo 14.6 Que Deus nos ajude!

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful