You are on page 1of 20

Exemplo de Dimensionamento de Laje

Prof. Alex Leandro
A figura mostra uma planta de forma de uma certa edificação:
1) L1 (Sc =2,0 kN/m2),
2) L2 (Sc =2,0 kN/m2),
3) L3 (Sc =1,5 kN/m2).
Todas as lajes têm espessura de 10 cm.
O peso do revestimento das lajes vale qrv=1,0 kN/m². A parede mostrada no desenho foi construída
com tijolo furado com espessura de 15 cm e altura de 280 cm.
Determinar:
a) Determinar as reações de apoio que as lajes L1, L2 e L3 descarregam sobre as vigas de apoio;
b) Dimensionar a área de aço para os momentos fletores positivos e negativos de cada uma das lajes.
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
1/20 31/03/2010
Dados Ini ci ai s:
Concreto:
fck 20 :=
MPa
γc 1.4 :=
fcd
fck
γc
0.1 · := fcd 1.429 =
kN/cm2
Ec 0.85 560 · fck := Ec 2128.737 =
kN/cm2
Aço CA-50A
fyk 500 :=
MPa
γs 1.15 :=
fyd
fyk
γs
0.1 · := fyd 43.478 =
kN/cm2
Es 21000 :=
kN/cm2
Coeficiente de majoração dos
esforços:
γf 1.4 :=
1. Identificação do tipo da laje e cálculo dos vãos teóricos lx e ly:
1.1. Laj e L1
A
p
o
i
o
R
y
a
Apoio
Rxa
Engaste
Rxe
R
y
a
A
p
o
i
o
l
l
A laje é identificada como tipo 2B
Cálculo do vão teórico (distancia de eixo à eixo de viga)
h
V1 V2
l'
b1
b2
lx1 312 :=
cm
ly1 685 :=
cm
Relação ente ly e ly
ly1
lx1
2.196 =
ly1
lx1
2 >
(a laje será armada em apenas uma direção)
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
2/20 31/03/2010
1.2. Laj e L2
 
Verificação se o bordo da viga V6a é apoiado ou engastado:
la 320 := cm
lb 432 := cm
Rel
2
3
lb · := Rel 288 = cm
Como la é maior que 2/3 de lb, o bordo pode ser
considerado engastado.
Logo, a laje é identificada como tipo 3
E
n
g
a
s
t
e
R
y
e
Rxe
Rxa
Engaste
A
p
o
i
o
R
y
a
l
l
Apoio
Cálculo do vão teórico (distancia de eixo à eixo de viga)
h
V1 V2
l'
b1
b2
lx2 432 :=
cm
ly2 685 :=
cm
Relação ente ly e ly
ly2
lx2
1.586 =
ly2
lx2
2 s
(a laje será armada em duas direções)
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
3/20 31/03/2010
1.3. Laj e L3
l
l
A
p
o
i
o
R
y
a
R
y
e
E
n
g
a
s
t
e
Rxa
Apoio
Apoio
Rxa
A laje é identificada como tipo 2A
Cálculo do vão teórico (distancia de eixo à eixo de viga)
h
V1 V2
l'
b1
b2
lx3 320 :=
cm
ly3 483.5 :=
cm
Relação ente ly e ly
ly3
lx3
1.511 =
ly3
lx3
2 s
(a laje será armada em duas direções)
2. Determinar o carregamento atuante nas lajes:
2.1. Sobrecarga
q1 2.0 :=
kN/m2
L1:
L2:
L3:
q2 2.0 :=
kN/m2
q3 1.5 :=
kN/m2
2.2. Revesti mento
Revestimento:
qrv 1.0 :=
kN/m2
2.3. Peso própri o da l aj e
Como todas as lajes apresentam a mesma espessura, o peso próprio será o mesmo:
h 10 := cm
g
h
100
25 · := g 2.5 =
kN/m2
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
4/20 31/03/2010
2.3. Peso total
Laje L1
P1 q1 qrv + g + := P1 5.5 =
kN/m2
Laje L2
P2 q2 qrv + g + := P2 5.5 =
kN/m2
Laje L3
P3 q3 qrv + g + := P3 5 =
kN/m2
3. Determinar as reações de apoio que as lajes descarregam nas vigas:
3.1. Laj e L1 laje Tipo 2B
Considerando a laje armada nas duas direções:
Rxe1 0.634 P1 · lx1 ·
ly1 0.366 lx1 · ÷
ly1
·
|

\
|
|
.
0.01 · := Rxe1 9.066 =
kN/m
Rxa1 0.577 Rxe1 · := Rxa1 5.231 =
kN/m
Rya1 0.183 P1 · lx1 · ( ) 0.01 · := Rya1 3.14 =
kN/m
3.1. Laj e L2 laje Tipo 3
Rxe2 0.634 P2 · lx2 ·
2 ly2 · lx2 ÷
2 ly2 ·
·
|

\
|
|
.
0.01 · := Rxe2 10.314 =
kN/m
Rxa2 0.577 Rxe2 · := Rxa2 5.951 =
kN/m
Rye2 0.317 P2 · lx2 · ( ) 0.01 · := Rye2 7.532 =
kN/m
Rya2 0.577 Rye2 · := Rya2 4.346 =
kN/m
3.1. Laj e L3 laje Tipo 2A (ly / lx >1.366)
Rye3
3
4
P3 · lx3 ·
|

\
|
|
.
0.01 · := Rye3 6.928 =
kN/m
Rya3
P3 lx3 ·
4
|

\
|
|
.
0.01 · := Rya3 4 =
kN/m
Rxa3 0.183 P3 · ly3 · ( ) 0.01 · := Rxa3 4.424 =
kN/m
4. Determinar os esforços atuantes em cada laje:
4.1. Laj e L1 laje Tipo 2B
Laje armada na direção principal:
αx 14.22 := αxe 8 := ω1
1
0.0590
:= ω1 16.949 =
ly1
lx1
2.196 =
Momento positivo na direção x:
Mxpos1
P1
lx1
100
|

\
|
|
.
2
·
αx
100 · := Mxpos1 376.506 =
kN.cm/m
Momento negativo na direção x:
Mxneg1
P1
lx1
100
|

\
|
|
.
2
·
αxe
100 · := Mxneg1 669.24 =
kN.cm/m
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
5/20 31/03/2010
4.2. Laj e L2 laje Tipo 3
Da tabela de Czerny, tem-se:
αx 17.8 := αxe 10.8 :=
ω2
1
0.0488
:= ω2 20.492 =
ly2
lx2
1.586 = αy 37.8 := αye 14.8 :=
Momento positivo na direção x:
Mxpos2
P2
lx2
100
|

\
|
|
.
2
·
αx
100 · := Mxpos2 576.647 =
kN.cm/m
Momento negativo na direção x:
Mxneg2
P2
lx2
100
|

\
|
|
.
2
·
αxe
100 · := Mxneg2 950.4 =
kN.cm/m
Momento positivo na direção y:
Mypos2
P2
lx2
100
|

\
|
|
.
2
·
αy
100 · := Mypos2 271.543 =
kN.cm/m
Momento negativo na direção y:
Myneg2
P2
lx2
100
|

\
|
|
.
2
·
αye
100 · := Myneg2 693.535 =
kN.cm/m
4.3. Laj e L3 laje Tipo 2A
Da tabela de Czerny, tem-se:
αx 14.8 := αy 23.5 :=
ω3
1
0.0755
:= ω3 13.245 =
αxe 53.8 := αye 10.4 := ly3
lx3
1.511 =
Momento positivo na direção x:
Mxpos3
P3
lx3
100
|

\
|
|
.
2
·
αx
100 · := Mxpos3 345.946 =
kN.cm/m
Momento negativo na direção x:
Mxneg3
P3
lx3
100
|

\
|
|
.
2
·
αxe
100 · := Mxneg3 95.167 =
kN.cm/m
Momento positivo na direção y:
Mypos3
P3
lx3
100
|

\
|
|
.
2
·
αy
100 · := Mypos3 217.872 =
kN.cm/m
Momento negativo na direção y:
Myneg3
P3
lx3
100
|

\
|
|
.
2
·
αye
100 · := Myneg3 492.308 =
kN.cm/m
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
6/20 31/03/2010
5. Dimensionamento da área da aço POSITIVA para cada laje:
5.1. Taxa de Armadura Míni ma
Para:
ω 0.035 :=
(tabela 25)
ρmin ω
fcd
fyd
· 100 · := ρmin 0.115 =
(%)
base da laje:
bw 100 :=
cm
ρ ρmin 0.15 ( ) := ρmin max ρ ( ) := ρmin 0.15 =
(%)
Cobrimento da armadura:
c 2.5 := cm
5.2. Armadura Inferi or (posi ti va)
5.2.1 Laj e L1 laje Tipo 2B - Armada Em uma só direção
Di reção x:
Altura útil:
d h c ÷ := d 7.5 =
cm
Momento de projeto:
Md Mxpos1 γf · := Md 527.109 =
kN.cm
Posição da linha neutra:
x 1.25d · 1 1
Md
0.425 bw · d
2
· fcd ·
÷ ÷
|

\
|
|
.
· := x 0.754 =
cm
Área da aço:
As
Md
fyd d 0.4x · ÷ ( ) ·
:= As 1.68 =
cm2/m
Armadura mínima:
Asmin ρminh · := Asmin 1.5 =
cm2/m
Escol ha da bi tol a e espaçamento:
Utilizando barras de 5 mm:
nbar
As
0.2
:= nbar 8.421 =
esp
100
nbar
:= esp 11.875 = cm
adoto: | 5 c/ 12 cm
Asx1
100
12
0.2 · := Asx1 1.667 =
cm2/m
Di reção y:
Armadura de distribuição:
Asdist
0.2As ·
0.9
0.5ρmin · h ·
|

\
|
|
|
.
:= Asdist
0.337
0.9
0.75
|

\
|
|
|
.
=
cm2/m
Asdist max Asdist ( ) :=
Escol ha da bi tol a e espaçamento:
Utilizando barras de 5 mm:
nbar
Asdist
0.2
:= nbar 4.5 =
esp
100
nbar
:= esp 22.222 = cm
adoto: | 5 c/ 22 cm
Asy1
100
22
0.2 · := Asy1 0.909 =
cm2/m
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
7/20 31/03/2010
5.2.2. Laj e L2 laje Tipo 3 - Armada em Cruz
Di reção x:
Altura útil:
d2 h c ÷ := d2 7.5 =
cm base da laje:
bw 100 :=
cm
Momento de projeto:
Md Mxpos2 γf · := Md 807.306 =
kN.cm
Posição da linha neutra:
x 1.25d2 · 1 1
Md
0.425 bw · d
2
· fcd ·
÷ ÷
|

\
|
|
.
· := x 1.183 =
cm
Área da aço:
As
Md
fyd d 0.4x · ÷ ( ) ·
:= As 2.642 =
cm2/m
Armadura mínima:
Asmin 0.67ρminh · := Asmin 1.005 =
cm2/m
Escol ha da bi tol a e espaçamento:
Utilizando barras de 6.3 mm:
nbar
As
0.315
:= nbar 8.389 =
esp
100
nbar
:= esp 11.921 = cm
adoto: | 6.3 c/ 12 cm
Asx2
100
12
0.315 · := Asx2 2.625 =
cm2
Di reção y:
Altura útil:
d2 h c ÷ := d2 7.5 =
cm base da laje:
bw 100 :=
cm
Momento de projeto:
Md Mypos2 γf · := Md 380.16 =
kN.cm
Posição da linha neutra:
x 1.25d2 · 1 1
Md
0.425 bw · d
2
· fcd ·
÷ ÷
|

\
|
|
.
· := x 0.537 =
cm
Área da aço:
As
Md
fyd d 0.4x · ÷ ( ) ·
:= As 1.2 =
cm2/m
Armadura mínima:
Asmin 0.67ρminh · := Asmin 1.005 =
cm2/m
Escol ha da bi tol a e espaçamento:
Utilizando barras de 5 mm:
nbar
As
0.2
:= nbar 6.001 =
esp
100
nbar
:= esp 16.664 = cm
adoto: | 5 c/ 16,5 cm
Asy2
100
16.5
0.2 · := Asy2 1.212 =
cm2
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
8/20 31/03/2010
5.2.3. Laj e L3 laje Tipo 2A - Laje armada em Cruz
Di reção x:
Altura útil:
d3 h c ÷ := d3 7.5 =
cm base da laje:
bw 100 :=
cm
Momento de projeto:
Md Mxpos3 γf · := Md 484.324 =
kN.cm
Posição da linha neutra:
x 1.25d3 · 1 1
Md
0.425 bw · d
2
· fcd ·
÷ ÷
|

\
|
|
.
· := x 0.69 =
cm
Área da aço:
As
Md
fyd d 0.4x · ÷ ( ) ·
:= As 1.542 =
cm2/m
Armadura mínima:
Asmin 0.67ρminh · := Asmin 1.005 =
cm2/m
Escol ha da bi tol a e espaçamento:
Utilizando barras de 5 mm:
nbar
As
0.2
:= nbar 7.71 =
esp
100
nbar
:= esp 12.97 = cm
adoto: | 5 c/ 12,5 cm
Asx3
100
12.5
0.2 · := Asx3 1.6 =
cm2/m
Di reção y:
Altura útil:
d3 h c ÷ := d3 7.5 =
cm base da laje:
bw 100 :=
cm
Momento de projeto:
Md Mypos3 γf · := Md 305.021 =
kN.cm
Posição da linha neutra:
x 1.25d3 · 1 1
Md
0.425 bw · d
2
· fcd ·
÷ ÷
|

\
|
|
.
· := x 0.428 =
cm
Área da aço:
As
Md
fyd d 0.4x · ÷ ( ) ·
:= As 0.957 =
cm2/m
Armadura mínima:
Asmin 0.67ρminh · := Asmin 1.005 =
cm2/m
Escol ha da bi tol a e espaçamento:
Utilizando barras de 5 mm:
nbar
Asmin
0.2
:= nbar 5.025 =
esp
100
nbar
:= esp 19.9 =
adoto: | 5 c/ 20 cm
Asy3
100
20
0.2 · := Asy3 1 =
cm2/m
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
9/20 31/03/2010
6. Dimensionamento da área da aço NEGATIVA:
6.1. Armadura Superi or (Negati va)
6.1.1 Armadura superi or entre Laj e L1 e L2
Compati bi l i zação dos momentos negati vos entre Laj e L1 e L2
Momento de engaste da laje 1:
M1 Mxneg1 := M1 669.24 =
kN.cm
Momento de engaste da laje 2:
M2 Mxneg2 := M2 950.4 =
kN.cm
M2
M1
1.42 =
<2 (as duas lajes apresentam-se
engastadas)
O momento de engastamento entre as duas lajes é dada por:
M
M1 M2 +
2
0.8M1 ·
0.8M2 ·
|

\
|
|
|
|
|
.
:=
Me max M ( ) := Me 809.82 =
kN.cm
Di mensi onamento da área de aço:
Altura útil:
d h c ÷ := d 7.5 =
cm base da laje:
bw 100 :=
cm
Momento de projeto:
Md Meγf · := Md 1.134 10
3
× =
kN.cm
Posição da linha neutra:
x 1.25d · 1 1
Md
0.425 bw · d
2
· fcd ·
÷ ÷
|

\
|
|
.
· := x 1.713 =
cm
Área da aço:
As
Md
fyd d 0.4x · ÷ ( ) ·
:= As 3.826 =
cm2/m
Armadura mínima:
Asmin ρminh · := Asmin 1.5 =
cm2
m
Escol ha da bi tol a e espaçamento:
Utilizando barras de 8 mm:
nbar
As
0.5
:= nbar 7.653 =
esp
100
nbar
:= esp 13.067 = cm
adoto: | 8 c/ 13 cm
As12
100
13
0.5 · := As12 3.846 =
cm2
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
10/20 31/03/2010
6.1.2 Armadura superi or entre Laj e L2 e L3
Compati bi l i zação dos momentos negati vos entre Laj e L1 e L2
Momento de engaste da laje 1:
M2 Myneg2 := M2 693.535 =
kN.cm
Momento de engaste da laje 2:
M3 Myneg3 := M3 492.308 =
kN.cm
M2
M1
1.036 =
<2 (as duas lajes apresentam-se engastadas)
O momento de engastamento entre as duas lajes é dada por:
M
M1 M2 +
2
0.8M1 ·
0.8M2 ·
|

\
|
|
|
|
|
.
:=
Me max M ( ) := Me 681.388 =
kN.cm
Di mensi onamento da área de aço:
Altura útil:
d h c ÷ := d 7.5 =
cm base da laje:
bw 100 :=
cm
Momento de projeto:
Md Meγf · := Md 953.943 =
kN.cm
Posição da linha neutra:
x 1.25d · 1 1
Md
0.425 bw · d
2
· fcd ·
÷ ÷
|

\
|
|
.
· := x 1.416 =
cm
Área da aço:
As
Md
fyd d 0.4x · ÷ ( ) ·
:= As 3.164 =
cm2
Armadura mínima:
Asmin ρminh · := Asmin 1.5 =
cm2
m
Escol ha da bi tol a e espaçamento:
Utilizando barras de 8 mm:
nbar
As
0.5
:= nbar 6.329 =
esp
100
nbar
:= esp 15.8 = cm
adoto: | 8 c/ 15 cm
As23
100
15
0.5 · := As23 3.333 =
cm2/m
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
11/20 31/03/2010
7. Verificação do Cisalhamento:
7.1. Laj e L1 laje Tipo 2B
Considerando a maior reação de apoio que a laje descarrega na viga:
VSd Rxe1 γf · := VSd 12.692 =
kN/m
A resistência de projeto ao cisalhamento é dada por:
 
onde:
fct
m
0.10.3 ·
3
fck
2
· := fct
m
0.221 =
kN/cm2
fctk
inf
0.7fct
m
· := fctk
inf
0.155 =
kN/cm2
fct
d
fctk
inf
γc
:= fct
d
0.111 =
kN/cm2
τRd 0.25 fct
d
· := τRd 0.028 =
kN/cm2
ρ1
Asx1
bwd ·
:= ρ1 0.0022 = não maior que
0,002
considerando que toda a armação da laje chega até o apoio, k vale:
k 1.6
d
100
÷ := k 1.525 =
(k >=1)
como não exirte força de protensão:
σcp 0 :=
Logo, a resistência ao cisalhamento de projeto é dada por:
VRd1 τRdk · 1.2 40ρ1 · + ( ) · .15σcp · + [ ] bw · d · := VRd1 40.732 =
kN/m
VRd1 40.732 =
>
VSd 12.692 =
Neste caso, não há a necessidade de armadura de cisalhamento
7.2. Laj e L2 laje Tipo 3
Considerando a maior reação de apoio que a laje descarrega na viga:
VSd Rxe2 γf · := VSd 14.439 =
kN/m
onde:
ρ1
Asx2
bwd ·
:= ρ1 0.0035 =
VRd1 τRdk · 1.2 40ρ1 · + ( ) · .15σcp · + [ ] bw · d · := VRd1 42.347 =
kN/m
VRd1 42.347 =
>
VSd 14.439 =
Neste caso, não há a necessidade de armadura de cisalhamento
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
12/20 31/03/2010
7.3. Laj e L3 laje Tipo 2A
Considerando a maior reação de apoio que a laje descarrega na viga:
VSd Rye3 γf · := VSd 9.699 =
kN/m
onde:
ρ1
Asx3
bwd ·
:= ρ1 0.0021 =
VRd1 τRdk · 1.2 40ρ1 · + ( ) · .15σcp · + [ ] bw · d · := VRd1 40.619 =
kN/m
VRd1 40.619 =
>
VSd 9.699 =
Neste caso, não há a necessidade de armadura de
cisalhamento
8. Verificação das Flechas:
8.1. Cál cul o do Momento de Fi ssuração
A peça será admitida fissurada se o momento atuante ultrapassar o momento de
fissuração, dado por:
 
onde:
α 1.5 :=
(para seção retangular)
fct fct
m
:= fct 0.221 =
kN/cm2
Ic
bwh
3
·
12
:= Ic 8.333 10
3
× =
cm4/m (momento de inércia da seção bruta)
yt
h
2
:= yt 5 =
cm (distância da do CG à fibra mais tracionada)
Mr
α fct · Ic ·
yt
:= Mr 552.605 =
kN.cm/m
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
13/20 31/03/2010
8.2. Veri fi cação da fl echa da Laj e 1
Momento de Inérci a:
Relação entre os módulo de elasticidade do aço e do concreto:
αe
Es
Ec
:= αe 9.865 =
Momento de projeto:
Ma Mxpos1 γf · := Ma 527.109 =
kN.cm/m
(Neste caso, admite-se que não há fissuras,
adota-se o momento de inércia da seção
bruta)
Neste caso, Ma <
Mr 552.605 =
kN.cm/m
Fl echa Imedi ata:
ψ2 0.3 :=
sendo:
P g qrv + ( ) ψ2 q1 · + := P 4.1 =
kN/m2
ai
0.01
12ω1 ·
P lx1
4
·
Ec Ic ·
· := ai 0.108 =
cm
Fl echa di feri da:
Armadura dupla:
Asl 0 :=
ρl
Asl
bwd ·
:= ρl 0 =
t0 1 :=
(idade em meses relativa a aplicação da carga de longa duração)
t 70 :=
(tempo, em meses, quando se deseja a flecha diferida)
ξ t ( ) 0.680.996
t
· t
0.32
· := ξ t0 ( ) 0.677 = ξ t ( ) 2 =
∆ξ ξ t ( ) ξ t0 ( ) ÷ := ∆ξ 1.323 =
αf
∆ξ
1 50ρl · +
:= αf 1.323 =
a flecha diferida é dada por:
af αf ai · := af 0.142 =
cm
a flecha total é dada por:
at ai 1 αf + ( ) · := at 0.25 = cm
Limite da flecha NBR 6118:
δlim
lx1
250
lx1
350
|

\
|
|
|
|
.
:= δlim
1.248
0.891
|

\
|
|
.
= at δlim <
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
14/20 31/03/2010
8.3. Veri fi cação da fl echa da Laj e 2
Momento de Inérci a:
Momento de projeto:
Ma Mxpos2 γf · := Ma 807.306 =
kN.cm/m
(Neste caso, admite-se que há fissuras,
adota-se o momento de inércia equivalente)
Neste caso, Ma >
Mr 552.605 =
kNcm
m
Para a área da aço utilizada:
Asy2 1.212 =
cm2/m
As Asy2 :=
x
αeAs ·
bw
1 ÷
2 bw · d ·
αeAs ·
1 + +
|

\
|
|
.
· := x 1.225 =
O momento de inércia da seção fissurada é dado por:
I2
bwx
3
·
3
αeAs · d x ÷ ( )
2
· + := I2 532.113 =
cm4
O momento de Inércia Equivalente (Ieq) é dado por:
Ieq
Mr
Ma
|

\
|
|
.
Ic · 1
Mr
Ma
|

\
|
|
.
3
÷

¸
(
(
¸
I2 · + := Ieq 6.066 10
3
× =
cm4
Ieq 6.066 10
3
× =
<
Ic 8.333 10
3
× =
cm4
Fl echa Imedi ata:
ψ2 0.3 :=
sendo:
P g qrv + ( ) ψ2 q2 · + := P 4.1 =
kN/m2
ai
0.01
12ω2 ·
P lx2
4
·
Ec Ieq ·
· := ai 0.45 =
cm
Fl echa di feri da:
Armadura dupla:
Asl 0 :=
ρl
Asl
bwd ·
:= ρl 0 =
t0 1 :=
(idade em meses relativa a aplicação da carga de longa
duração)
t 70 :=
(tempo, em meses, quando se deseja a flecha diferida)
ξ t ( ) 0.680.996
t
· t
0.32
· := ξ t0 ( ) 0.677 =
ξ t ( ) 2 =
∆ξ ξ t ( ) ξ t0 ( ) ÷ := ∆ξ 1.323 =
αf
∆ξ
1 50ρl · +
:= αf 1.323 =
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
15/20 31/03/2010
a flecha diferida é dada por:
af αf ai · := af 0.595 =
cm
a flecha total é dada por:
at ai 1 αf + ( ) · := at 1.045 = cm
Limite da flecha NBR 6118:
δlim
lx2
250
lx2
350
|

\
|
|
|
|
.
:= δlim
1.728
1.234
|

\
|
|
.
= at δlim <
8.4. Veri fi cação da fl echa da Laj e 3
Momento de Inérci a:
Momento de projeto:
Ma Mypos3 γf · := Ma 305.021 =
kN.cm/m
(Neste caso, admite-se que não há fissuras,
adota-se o momento de inércia da seção
bruta)
Neste caso, Ma <
Mr 552.605 =
kN.cm/m
Fl echa Imedi ata:
ψ2 0.3 :=
sendo:
P g qrv + ( ) ψ2 q3 · + := P 3.95 =
kN/m2
ai
0.01
12ω2 ·
P lx2
4
·
Ec Ic ·
· := ai 0.315 =
cm
Fl echa di feri da:
Armadura dupla:
Asl 0 :=
ρl
Asl
bwd ·
:= ρl 0 =
t0 1 :=
(idade em meses relativa a aplicação da carga de longa
duração)
t 70 :=
(tempo, em meses, quando se deseja a flecha diferida)
ξ t ( ) 0.680.996
t
· t
0.32
· := ξ t0 ( ) 0.677 =
ξ t ( ) 2 =
∆ξ ξ t ( ) ξ t0 ( ) ÷ := ∆ξ 1.323 =
αf
∆ξ
1 50ρl · +
:= αf 1.323 =
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
16/20 31/03/2010
a flecha diferida é dada por:
af αf ai · := af 0.417 =
cm
a flecha total é dada por:
at ai 1 αf + ( ) · := at 0.733 = cm
Limite da flecha NBR 6118:
δlim
lx3
250
lx3
350
|

\
|
|
|
|
.
:= δlim
1.28
0.914
|

\
|
|
.
= at δlim <
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
17/20 31/03/2010
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
18/20 31/03/2010
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
19/20 31/03/2010
Estruturas de Concreto
Prof. Alex Leandro
20/20 31/03/2010