You are on page 1of 42

FISIOLOGIA RENAL
Objetivo da aula: Estudar o processo de formação da urina, excreção e o reflexo de micção Roteiro da aula:

1. Características gerais do processo de formação da urina 1.1. Filtração 1.2. Reabsorção 1.3. Secreção 2. Excreção 3. Micção

Características gerais dos processos de formação de urina
Etapas do processo de formação de urina: Filtração, reabsorção e secreção

70%

Características gerais do processo de formação de urina Reabsorção:
Transferência de água e solutos do lúmen do néfron para o fluído extracelular

Líquido filtrado – 180 l/dia

Líquido eliminado na urina – 1,5 l/dia

Por que não filtrar direto o 1% ?
1) Para eliminar rapidamente substâncias estranhas 2) Facilita a regulação de íons e água

Características gerais do processo de formação de urina Reabsorção • Mecanismos de reabsorção: Transporte ativo ou passivo Reabsorção de Na+ no túbulo proximal Membrana basolateral (transporte ativo primário) Membrana luminal (difusão) .

diversos metabólitos orgânicos) Membrana basolateral (difusão facilitada) Membrana luminal (t.) . íons.a.s.Características gerais do processo de formação de urina Reabsorção • Mecanismos de reabsorção: Transporte ativo ou passivo Reabsorção de glicose ligada ao Na+ no túbulo proximal (aa.

Características gerais do processo de formação de urina • A maior parte do transporte no néfron é mediada por proteínas de membrana (carreadores) que exibem saturação • Saturação do transporte – corresponde à taxa máxima do transporte que ocorre quando todos os carreadores disponíveis estão ocupados pelo substrato Ocorre saturação Limiar renal de glicose A concentração de glicose no plasma a partir da qual ela começa a aparecer na urina .

Características gerais do processo de formação de urina Reabsorção • Mecanismos de reabsorção Reabsorção passiva de uréia no túbulo proximal Túbulo proximal reabsorve a maior parte do sódio. cloreto. bicarbonato e potássio filtrados e praticamente toda a glicose e aa filtrados ½ é reabsorvida e ½ é excretada Túbulo não é altamente permeável à uréia .

Características gerais do processo de formação de urina Reabsorção • É favorecida pela baixa pressão nos capilares peritubulares PH=10mm Hg Π = 30 mmHg Pressão de reabosrção = 20 mmHg .

oxalato.Características gerais do processo de formação de urina Secreção: transferência de moléculas do fluído extracelular para dentro do lúmen do néfron • Íons. urato. toxinas. ácidos e bases orgânicas: sais biliares. fármacos (penicilina) Probenecide: droga que se liga preferencialmente ao carreador da penicilina .

Transporte ativo secundário (contratransporte) Célula tubular Sangue ( TP. TD.Transporte ativo primário e difusão H+ .Características gerais do processo de formação de urina Secreção K+ . DC) Lúmen tubular Na K + ATP + Na+ H+ HCO3- H2CO3 CA CO2 Basolateral H2O + CO2 Luminal .

H2O e ⇑ Secreção de H+ ⇑ Reabsorção de H2O ⇓ Reabsorção NaCl Angiotensina II Túbulo Proximal ADH Túbulo Distal/Ducto Coletor Natriurético Atrial Túbulo Distal/Ducto Coletor .Controle Hormonal do Transporte Tubular Hormônio Sítio de Ação Efeitos Aldosterona Túbulo Distal/Ducto Coletor ⇑ Reabsorção de NaCl. H2O e ⇑ Secreção de K+ ⇑ Reabsorção de NaCl.

Características gerais do processo de formação de urina Excreção: Transferência do conteúdo do lúmen do néfron para o ambiente externo .

Características gerais do processo de formação de urina Excreção da glicose no rim .

Características gerais do processo de formação de urina Manejo da glicose no rim .

Armazenamento da urina .

.

Em crianças que ainda não foram treinadas para ir ao banheiro .

.

reabsorção e secreção Principais características do processo de reabsorção e secreção: Definição Aonde ocorrem? Exemplos de substâncias que são reabsorvidas Mecanismos de reabsorção: Transporte ativo ou passivo Reabsorção de Na+ no túbulo proximal Reabsorção de glicose ligada ao Na+ no túbulo proximal Reabsorção passiva de uréia Reabsorção é favorecida pela baixa pressão nos capilares peritubulares .Estudamos o processo de formação da urina Fases do processo: Filtração.

Transporte ativo secundário (contratransporte) Excreção Mecanismo da micção .Transporte ativo primário e difusão H+ .Exemplos de substâncias que são secretadas Mecanismos de secreção: Transporte ativo ou passivo K+ .

.

.

a função celular ↓ osmolaridade do LEC ↑osmolaridade do LEC ↑ volume celular ↓ volume celular (no fígado .IMPORTÂNCIA DA MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO HIDROELETROLÍTICO A água e o Na+ estão associados ao volume do fluido extracelular e á osmolaridade Variações na osmolaridade podem modificar o volume celular e consequentemente. resp.degradação de proteínas e glicogênio) (abertura de canais iônicos da membrana – interrupção do potencial de membrana e sinalização celular) Variações na [K+] no LEC podem alterar o potencial de repouso da célula Hipocalemia Hipercalemia K+ sai da célula Hiperpolarização (fraqueza dos m. esq. insuficiência dos m. e cardíaco) K+ entra na célula Despolarização (maior excitabilidade inicial) Células menos excitáveis (incapacidade de repolarização) ..

O EQUILÍBRIO HIDROELETROLÍTICO EXIGE INTEGRAÇÃO ENTRE MÚLTIPLOS SISTEMAS .

O EQUILÍBRIO DA ÁGUA NO CORPO Para manter constante o conteúdo de água do organismo = .

RINS .PAPEL DOS RINS NO EQUILÍBRIO DA ÁGUA – OS RINS CONSERVAM ÁGUA CANECA – ORGANISMO ALÇA .

PROCESSOS DE DILUIÇÃO E CONCENTRAÇÃO DA URINA Mecanismo de Diluição da Urina Ausência de ADH – Urina hiposmótica Mecanismo de Concentração da Urina Presença de ADH – Urina hiperosmótica .

MECANISMO DE AÇÃO DO ADH Membrana apical ou luminal (v2) Membrana basolateral .

FATORES QUE AFETAM A LIBERAÇÃO DE ADH Regularização da Osmolaridade. do volume do LEC e da PA inibe a secreção de mais ADH por Feedback negativo .

.

PROCESSOS DE CONCENTRAÇÃO E DILUIÇÃO DA URINA: Fatores determinantes: ADH Hiperosmolaridade da medula renal Cria o gradiente osmótico necessário para que ocorra a reabsorção de água ADH .

MECANISMOS QUE CONTRIBUEM PARA A PRODUÇÃO DA HIPEROSMOLARIDADE DO FLUÍDO INTERSTICIAL DA MEDULA RENAL Multiplicação por contracorrente Reciclagem da uréia Mecanismo de multiplicação por contracorrente é determinado: • Pela reabsorção repetitiva de NaCl pelo ramo ascendente espesso da alça de Henle • Pelo influxo contínuo de novo NaCl a partir do túbulo proximal para a alça de Henle Ramo Descendente (permeável à água) Ramo Ascendente (impermeável à água) Reciclagem da uréia • ADH aumenta a permeabilidade à uréia na medula interna através de transportadores NaCl .

MECANISMO DE TROCA POR CONTRACORRENTE CONTRIBUI PARA A MANUTENÇÃO DA HIPEROSMOLARIDADE DO FLUÍDO INTERSTICIAL DA MEDULA RENAL A água que sai do ramo descendente da alça de henle não dilui o fluido concentrado da medula porque é removida pelos vasos retos Alça de Henle Vasos retos .

PAPEL DO RIM NA MANUTENÇÕ DO EQUILÍBRIO DO NA+ E NA REGULAÇÃO DO VOLUME DO FEC .

PAPEL DO RIM NA MANUTENÇÕ DO EQUILÍBRIO DO NA+ E NA REGULAÇÃO DO VOLUME DO FEC Efeitos da Aldosterona .↑ reabsorção de NaCl Membrana Basolateral Membrana Luminal ou apical .

PAPEL DO RIM NA MANUTENÇÕ DO EQUILÍBRIO DO NA+ E NA REGULAÇÃO DO VOLUME DO FEC Fatores que afetam da secreção de aldosterona .

.

COMO A DIMINUIÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL ESTIMULA A SECREÇÃO DE RENINA? .

PEPTÍDEO ATRIAL NATRIURÉTICO PROMOVE A EXCREÇÃO DE NA+ E ÁGUA .

.

LIÇÃO DE CASA Descrever as compensações homeostáticas que ocorrem nos casos abaixo Excreção de urina muito diluída .