You are on page 1of 22

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

CENTRO SÓCIO-ECONÔMICO
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO
CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Avelino Neto Machado

CARACTERÍSTICAS DA GESTÃO SOCIAL NA ADMINISTRAÇÃO DA POLÍCIA
RODOVIÁRIA FEDERAL

Florianópolis-SC
2013
Avelino Neto Machado

A GESTÃO SOCIAL NA ADMINISTRAÇÃO DO
DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL

Trabalho apresentado ao Curso Graduação em
Administração Pública, da Universidade Federal
de Santa Catarina, como requisito da disciplina
Seminário Temático II.
Professor: Paulo Otolini Garrido, Dr.

Florianópolis-SC
2013
SUMÁRIO

..............2 Justificativas..................1 Participação Social.....................................1 Tipo de Estudo...........................................................................................................3 Coleta de Dados............................................9 1.........................................3 Projeto Percepção de Risco no Trânsito nas Escolas Públicas..........2.........29 ...................17 3.......................................27 5........5 Limitação do Estudo.17 3......1 INTRODUÇÃO...................................................................................................................................................24 5 CONCLUSÃO.................8 1.............................................................................................19 4 ESTUDO DE CASO.................................12 2...............................................................................................................22 4................................................................................................................................................................3 Estrutura do Trabalho.....................................12 2...................18 3............................................................1 Objetivos....................18 3..................................................................................1 O Núcleo de Estudos sobre Acidentes de Trânsito em Rodovias Federais................................2 Recomendações para Trabalhos Futuros.........................4 Análise de Dados.......10 1..........................................................................17 3.....................24 4..........1 O Laboratório de Transportes e Logística.1..................................................................................27 REFERÊNCIAS...................................11 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA.............2 A Universidade Federal de Santa Catarina.................................20 4.............................................................1 Considerações Finais.......................................................................21 4..............................................13 3 METODOLOGIA DE PESQUISA........................................................................20 4............2 Cooprodução.....27 5..............................................1 O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)...........................................................2 Universo e Amostra.................

fomentando a sinergia na aplicação dos recursos. quando evidenciados e aperfeiçoados como ferramentas. bem como elevação da qualidade de vida de parcela da sociedade contemplada. Tais estudos. a Gestão Social pode permitir que a atividade fim seja desempenhada com mais eficiência. os órgãos públicos. O objetivo principal da presente pesquisa é compreender as principais características do Novo Serviço Público. Para se alcançar o objetivo final da pesquisa. Essas transformações direcionam as instituições para um papel muito mais proativo. O foco está na análise das ações que proporcionaram uma Gestão Social. foram também estabelecidos os seguintes objetivos específicos: a) Analisar as ações e projetos sociais desenvolvidos pela PRF ou em parceria com outras instituições. É inegável que ocorreram avanços em relação à atuação do DPRF. e as necessidades dos cidadãos adequadamente atendidas. datando do final do século XIX. notadamente quanto à informação e tecnologia. e verificar se a gestão administrativa da Polícia Rodoviária Federal (PRF) desenvolve suas funções junto aos cidadãos com características de uma abordagem focada na Gestão Social. o gestor público deve conhecer a história da Administração Pública brasileira. Analisar uma instituição pública da envergadura do Departamento de Polícia Rodoviária Federal é uma tarefa difícil. a Nova Gestão Pública e o Novo Serviço Público.1 Objetivos O objetivo geral da pesquisa é “compreender as principais características do Novo Serviço Público. bem como estar preparado para os desafios da modernidade. especialmente após a Constituição de 1988. bem como seus resultados efetivos. . e verificar se a atual gestão da PRF desenvolve suas funções junto aos cidadãos com características de Gestão Social”. Para tais enfrentamentos. 1. A Administração Pública como disciplina científica é um campo de estudo relativamente recente.8 1 INTRODUÇÃO As mudanças que ocorrem nos processo de gestão. como a Velha Administração Pública. deverão servir de apoio à promoção de Gestão Social. afetam as empresas privadas e. buscando atender as demandas sociais. Neste sentido. seus estágios de desenvolvimento. coprodução e democratização de bem público. também. O desenvolvimento histórico apresenta algumas evoluções no estudo da Administração Pública.

Os modelos tradicionais. descrevendo sua relevância. justificando o tema abordado e descrevendo a presente estrutura do trabalho. Torna-se necessário levar em conta as normas. metodologia empregada.3 Estrutura do Trabalho O primeiro capítulo do presente trabalho apresenta uma introdução com abordagem ao problema de pesquisa. evidenciadas por projetos e ações. os valores comunitários e os interesses dos cidadãos. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA . como também as características que apontam os projetos como promoção da Gestão Social. os quais dão o embasamento para a pesquisa.2 Justificativas Estudos recentes no campo da gestão pública vêm demonstrando o surgimento de novas formas de governança. com um Estado centralizador. a coleta e o tratamento dos dados. convivem com outros modos de condução da ação coletiva. os objetivos do estudo. o quinto capítulo apresenta as considerações finais e conclusões obtidas após a análise e os estudos realizados. O segundo capítulo trata de definições conceituais relativas à contextualização do objeto pesquisado. O terceiro capítulo apresenta a pesquisa. 1. Assim. o trabalho se justifica por demonstrar fortes indícios de mudanças de paradigma na administração pública. onde é feita a apresentação da instituição e de suas atividades. 2. foi abordada no quarto capítulo. bem como as limitações do método. O reconhecimento da relevância do presente trabalho vai além da análise em estudo de caso das ações da PRF. abordando o tipo de pesquisa. os aspectos gerenciais. As ações de Gestão Social. revisando a literatura e abordando tópicos relacionados à Gestão Social. e 1.9 b) Estimular o debate a respeito da Gestão Pública como estratégia adequada e viável para a coprodução do bem público e a promoção da cidadania. Por fim.

Segundo esse plano. p. ocorreram debates sobre a reforma do Estado.[. na medida em que sua capacidade de implementar as política públicas estava limitada pela rigidez e ineficiência da máquina administrativa. tanto na academia quanto na mídia.]. o governo brasileiro (MARE. o coletivo. A fundamentação teórica para uma pesquisa profícua passa necessariamente por um esclarecimento conceitual. entretanto. e não apenas um conjunto de funções... de 1995. Também conceituando a administração pública. um problema de governança. 2012). e acaba carecendo de maior precisão em virtude da banalização de seu uso. 2. Matias (2000) defende a administração pública como uma organização. “de tudo isso se deduz que o significado do substantivo administração e do adjetivo pública é bastante claro: gerenciar os propósitos de um governo e os negócios de Estado.. 27) descreve que esta necessidade se configura quando um termo que ganha grande visibilidade. Nesta época. Resumidamente. Enfrentava. considerado em suas múltiplas dimensões e como cidadão partícipe de uma sociedade multicêntrica articulada politicamente. França Filho (2008. 2007. Salm e Menegasso (2009) descrevem: Assim.10 A proposta do Novo Serviço Público surge como um contraponto às correntes Estadocêntrica e da Nova Administração Pública. além do humanismo organizacional (ANDION. de comunidade e de sociedade civil.. 2000. deve ser concebida como o complexo de órgãos. “A definição de que a administração pública é um conjunto de funções. 29). 1995): [. 114) No Brasil dos anos 1990. agentes e entidades que compõem a estrutura administrativa do Estado.1 Administração Pública A expressão “Administração Pública” refere-se à atuação do Estado como administrador de recursos públicos. p. Neste sentido. de um modo geral. atribuída aos juristas e adotada pelos economistas. Para Hillesheim (2004) a Administração Pública. . p. de cidadania. para Tenório e Saravia (2007). impede o estabelecimento de fronteiras organizacionais” (MATIAS. o professor Luis Carlos Bresser Pereira liderou a maioria dos debates. procurando atender o todo.] não carecia de ‘governabilidade’. Seus argumentos e propostas estão resumidos no Plano Diretor da Reforma do Aparelho de Estado – PDRAE. a administração pública é um conjunto de conhecimentos e de estratégias em ação para prover os serviços públicos – bem comum – para o ser humano. a sociedade sem discriminação” (TENÓRIO e SARAVIA. Tal abordagem evidencia bases democráticas.

A essas características acrescentam-se os princípios da orientação para o cidadão cliente. 2008. 1995).2 Gestão Social Gestão Social. A Gestão Social supera a tradição das ciências administrativas por não se orientar para a finalidade exclusivamente econômica (França Filho. sem perder o objetivo central da administração pública: a satisfação do interesse público. p. Tal técnica de gestão. diz respeito ao conjunto de processos sociais em que a ação gerencial não é unilateral. deve prestar serviços com eficiência”. Ainda em Bresser (2008. Bresser (2006) ainda referencia que emerge desta nova necessidade um novo modelo de administração que tomou de empréstimo os avanços por que passaram no século XX das empresas privadas. a denominada ‘administração gerencial’.11 Esta fase da administração pública. além de garantir a lei. p. de combate à pobreza e até ambiental”. é aplicada para que exista o estímulo ao convívio e ao respeito às diferenças. 75) a implantação no Brasil “procurou delinear um novo padrão de gestão pública. Ainda Tenório (2008. 2006. que se estende aos dias atuais. quer na formulação de políticas públicas. participativa. p. como estratégia para reduzir o custo e tornar mais eficiente a administração dos imensos serviços que cabiam ao Estado e como um instrumento de proteção do patrimônio público contra os interesses do rent-seeking ou da corrupção aberta (BRESSER. 28). “o estado democrático social do final da segunda metade do século XX ou do começo do século XXI. Para Matias (2008. foco no cliente e controle social”. quer naquelas relações de caráter produtivo”. P. o controle por resultados. inaugurou a avaliação sistemática. Nesse sentido. descreve: A administração pública gerencial emergiu na segunda metade deste século como resposta à crise do Estado. acontecendo através da ação negociada entre as partes interessadas. segundo Tenório (1998). Na Gestão Social a solidariedade e a inclusão do próximo são motivadores. O âmbito do diálogo e a preocupação com a coletividade direcionam o papel das organizações. que considere o intercâmbio dos vários atores envolvidos nos processos administrativos. de organizações do terceiro setor. a recompensa pelo desempenho e a capacitação permanente. Tal associação surge na busca de impulsionar a “discussão e possibilidade de uma gestão democrática. 2. Assim. 27). 175). como modo de enfrentar a crise fiscal. p. ênfase em resultados. e a competição administrada (MARE. a Gestão Social deve contribuir para o amadurecimento da cidadania deliberativa nas decisões de interesse da sociedade. . apoiada nos princípios da flexibilidade. 39) referencia que a noção de Gestão Social acaba sendo associada à “gestão de políticas sociais.

não perseguem objetivos econômicos. o exercício de uma gestão social não ocorre sem dificuldades e muitos são os desafios que se impõem.. portanto uma esfera pública de ação que não é estatal. 32). 32) nos traz que enquanto a Gestão Pública está relacionada ao “modo de gestão praticado no seio das instituições públicas de Estado nas suas mais variadas instâncias”.. A Gestão Social depende da flexibilização das instituições públicas e da participação dos indivíduos. 2008. METODOLOGIA DE PESQUISA . A Gestão Social precisa construir.]. onde “a legitimidade das decisões deve ter origem em processos de discussão. p.]. ao falarmos de Gestão Social “estamos nos referindo à gestão das ações sociais públicas […] a gestão das demandas e necessidades dos cidadãos” que. p. 33). do pluralismo. Este é o espaço próprio da chamada sociedade civil. 3. que são sobretudo associações. após muitas lutas. Na prática. da autonomia e do bem comum” (Tenório 2008. orientados pelos princípios da inclusão.12 O conceito de Gestão Social está relacionado com cidadania deliberativa.. transformaram-se em direitos que fundamentam a política pública. ainda de acordo França Filho (2008. a Gestão Social: Corresponde então ao modo de gestão próprio às organizações atuando num circuito que não é originariamente aquele do mercado e do Estado. cada qual a partir da perspectiva de seu papel social. [. p. fundamentada em uma “lógica de poder segundo os parâmetros de uma racionalidade instrumental e técnica”. p. É exatamente esta inversão de prioridades em relação à lógica da empresa privada que condiciona a especificidade da gestão social (FRANÇA FILHO. [. Para Carvalho (1999. 19). p. Ainda França Filho (2008.. As organizações atuando neste âmbito. 41). da igualdade participativa. “um arcabouço metodológico que preencha os requisitos básicos de uma gestão genuinamente comprometida com o social”.

2004). A observação foi do tipo não estruturada. Como o pesquisador é servidor do quadro do DPRF. Esta técnica é bastante utilizada em pesquisa social e capta diretamente o fenômeno. através do comportamento das pessoas. já que não foi seguido um plano objetivo e rígido para a pesquisa. procurando conhecer de forma perspicaz a realidade de uma pessoa. A presente pesquisa se caracteriza como pesquisa descritiva. 2009). escolhendo a melhor maneira de abordar determinado problema (ZANELLA.. Segundo Zanella (2009). A pesquisa qualitativa foi utilizada com base nos dados não-estatísticos coletados. Também permite conhecer. 124) referencia que na observação participante. a presente pesquisa se configura como qualitativa.2 Coleta de Dados A técnica científica da observação para a coleta de dados foi a utilizada na presente pesquisa. DIEHL & TATIM. Tal natureza se dedica à compreensão dos significados dos eventos. o Estudo de Caso é uma forma de pesquisa que tem grande profundidade e pequena amplitude. 3. o sistema de relação social existente entre elas (ZANELLA. Quanto a sua natureza. “o observador assume [.4 Análise dos Dados .. Quanto aos procedimentos. de uma ou mais organizações.2006). 2009. 3. p. foi possível a utilização da técnica da observação participante. o tipo de pesquisa e um conjunto de técnicas que possibilitam coletar e analisar informações sobre a realidade social que está sendo estudada.13 A metodologia se constitui de um conjunto de abordagem que envolve o método. 3. a descritiva e a explicativa. a presente pesquisa se configura como um Estudo de Caso. pois se preocupa em descrever os fenômenos por meio dos significados que o ambiente manifesta.] o papel de um membro do grupo e participa da sua ação”. em relação aos objetivos das pesquisas. de um grupo de pessoas. que as mesmas podem ser classificadas em três grandes grupos conforme a seguinte diferenciação: pesquisa exploratória.1 Tipo de Estudo Gil (1994) salienta. Também Zanella (2009. sem a necessidade de apoiar-se em informações estatísticas (OLIVEIRA NETTO.

vinculação a outros conhecimentos e a ligação dos dados coletados com o que é encontrado na teoria. Para Diehl & Tatim (2004). Na análise de dados há a interpretação. A pesquisa foi feita com abordagem qualitativa buscando compreender a realidade a partir da descrição de significados e opiniões. 3.5 Limitação do Estudo No caso do presente estudo. Gestão Pública Municipal e Gestão em Saúde. análise compreende também as explicações e especificações das relações entre as variáveis estudadas. a limitação surgiu pela limitação do tempo do pesquisador. 4 ESTUDO DE CASO . pela dificuldade de acesso às informações junto a 8ª Superintendência de Polícia Rodoviária Federal para pesquisa documental e pela própria área de concentração a ser escolhida: Gestão Pública. ordenação. Foi realizada análise do conteúdo dos materiais textuais.14 A análise de dados é a categorização. 2009). manipulação e sumarização de dados com objetivo de reduzir grandes quantidades de dados brutos a uma forma interpretável e mensurável (ZANELLA.

já com a denominação de Polícia Rodoviária Federal.coletar dados estatísticos e elaborar estudos sobre acidentes de trânsito [. 1° À Polícia Rodoviária Federal. ou seja. aumentando suas competência e atribuições: Art. [. com a denominação inicial de “Polícia de Estradas”. o descaminho e os demais crimes previstos em leis (BRASIL.. 1997)..].].] VII assegurar a livre circulação nas rodovias federais. o tráfico de entorpecentes e drogas afins. por meio de 21 Superintendências e 5 Distritos (os Estados do Acre e Rondônia estão sob a responsabilidade da mesma Superintendência).655.aplicar e arrecadar as multas impostas por infrações de trânsito [.. a ecologia. os quase 400 postos fixos de fiscalização dão capilaridade e extensão às atividades do órgão. a corporação foi vinculada ao extinto Departamento Nacional de Estradas de Rodagem – DNER. os costumes. no âmbito das rodovias e estradas federais: I . 1995). novas alterações surgiram com a instituição do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) ... Segundo dados disponibilizados no próprio sítio virtual da PRF.1 A Polícia Rodoviária Federal . Em 1997. a Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi integrada ao Sistema Nacional de Segurança Pública (BRASIL. Em 1995.. no âmbito de suas atribuições.503/97. ficou definida..executar serviços de prevenção.] X .]. com o advento da nova Constituição. chamados regionais. dentro da estrutura do Ministério dos Transportes. com o Decreto nº 1. 20.] IX . dentro da estrutura do Ministério da Justiça.] (BRASIL. desde 1991. denotando sua importância e singularidade. a instituição é uma polícia nacional. 359). de forma abrangente.. [.. [.] VII .. sediado em Brasília. Atualmente. Entretanto.].cumprir e fazer cumprir a legislação e as normas de trânsito. [. que são subdivididos em Delegacias. em 1988. o meio ambiente.realizar o patrulhamento ostensivo [..]. o patrimônio. estruturada como Departamento de Polícia Rodoviária Federal. a competência da PRF: Art. p. 2008.. compete: I . Está presente em todas as unidades da federação.Lei nº 9. e. e emendas subsequentes..colaborar e atuar na prevenção e repressão aos crimes contra a vida. a Polícia Rodoviária Federal conta com pouco mais de 9 mil policiais (GOMES. [. as quais coordenam as atividades numa sub-região.. os furtos e roubos de veículos e bens. [. Segundo informação encontrada no site do DPRF... Essa diferença dificulta a correta consecução das atividades e dos preceitos legais. IV . III .PRF A Polícia Rodoviária Federal foi criada pelo presidente Washington Luiz no dia 24 de julho de 1928. o contrabando.15 4.promover e participar de projetos e programas de educação e segurança [. atendimento de acidentes e salvamento de vítimas nas rodovias federais. 1988). além de .. Compete à Polícia Rodoviária Federal. o dobro.. em seu artigo 1º. apesar de orientação do Tribunal de Contas da União apontar a necessidade de 18 mil servidores para o seu desempenho efetivo. No ano de 1945...

técnicas e tecnologias para sua aplicação (como.2 A gestão na PRF A Polícia Rodoviária Federal. b) contemporâneo e alinhado ao estado-da-arte da gestão. e d) federativo. informação e conhecimento. sociedade. o Guia de Simplificação Administrativa e o Instrumento de Avaliação da Gestão) e práticas de gestão implantadas com sucesso. No entanto. ainda mantém um modelo de gestão burocrática com práticas muitas vezes patrimonialistas. por exemplo. na grande maioria de suas Superintendências.378/2005 com a finalidade de atingir a excelência na gestão e aumento na qualidade dos serviços. pessoas. isto é. as instituições participantes necessitaram de ajustes e melhorias em sua gestão. a Carta de Serviços ao Cidadão. c) voltado para a disposição de resultados para a sociedade com impactos na melhoria da qualidade de vida e na geração do bem comum. da publicidade e da eficiência. o Modelo de Excelência em Gestão Pública contém diretrizes expressas em seus critérios de excelência gerencial (liderança. o Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF) aderiu ao Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização– GesPública. 2013). Com a GesPública. da defesa da vida. em todos os poderes e esferas do governo. estabelecendo formas de quantificar e avaliar o crescimento e melhoria de sua qualidade (GESPÚBLICA. da moralidade. em um país marcado pelo excesso de leis e a cultura da desobediência. 4. sendo: a) orientado ao cidadão e respeitando os princípios constitucionais da impessoalidade. . cidadãos. o Programa tem como principais características o fato de ser essencialmente público. seja por meio de ações coordenadas. da legalidade. o Guia de Gestão de Processos. Visto como uma política pública. o modelo ainda não foi implantado em muitas das Superintendências Regionais. nestes dez anos de adesão. a PRF através de seu órgão maior. estratégias e planos. Como todo modelo de gestão.16 corroborar para a leniência no cumprimento das normas. da defesa dos valores e costumes da sociedade. Os novos tempos colocam a corporação na vanguarda do combate ao crime. processos e resultados). da multiplicação de cidadania. com aplicação a toda a administração pública. ou na simples fiscalização e presença diárias à beira da rodovia. com viaturas e helicópteros. Em 2003. criado através do Decreto nº 5. campanhas e comandos. o Instrumento Padrão de Pesquisa de Satisfação.

4. 4.fiscalizar o nível de emissão de poluentes e ruído produzidos pelos veículos automotores ou pela sua carga.3 Sustentabilidade e Meio Ambiente na PRF Uma das funções institucionais da PRF é a tutela coletiva. 66.1 Projeto Pequeno Aprendiz . quando solicitado. mas da sociedade em geral. foi utilizada estratégia alicerçada no trabalho voluntário de representantes. por exemplo. No âmbito do PRF não existem regulamentações que tratam da responsabilidade socioambiental. realização projetos nessa área. Nesse sentido. com destaque para iniciativas relacionadas ao atendimento ao cidadão. O órgão fomenta a aplicabilidade de leis e normas ambientais. reestruturação. ocorre certo aumento das atribuições da PRF. Com o CTB. 1997). participação social. no âmbito das rodovias e estradas federais: XI .17 Nos últimos anos. isto é. como coletas seletivas. no próprio órgão.4. além de dar apoio. Lá. no uso do poder desconcentrado do órgão superior (DPRF). Lei nº 9. no seu artigo 20. de uma gestão voltada para a responsabilidade sócio ambiental. encontramos que compete à Polícia Rodoviária Federal. tais como o desenvolvimento de estudos. mudança de realidades sociais. às ações específicas dos órgãos ambientais (BRASIL. A preocupação com a questão ambiental hoje é uma realidade não apenas de órgão públicos. como ação que abrange educação. e isso também implica também em responsabilidade ambiental. 4. no entanto não há políticas efetivas para execução. de acordo com o estabelecido no art. em especial ao que tange à fiscalização de emissão de poluentes. nas Superintendências Regionais que adotaram o GesPública.4 Projetos Sociais Tratando do termo em seu sentido mais amplo. análises psicológicas. muitos deles em coprodução.503/97. guias e eventos para as centrais de atendimento integrado. destacam-se alguns abaixo. é possível observar algumas ações promovidas por Superintendências Regionais que. dentre outros.

chefe da Superintendência da PRF de Goiás. 2013). Desde que foi lançada. a companhia reafirma o enfrentamento à violência contra as mulheres e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Katie Millar. Em 2012. Por isso é muito importante apoiarmos esse trabalho realizado pela Polícia Rodoviária Federal com as crianças de Catalão e Ouvidor (ANGLOAMERICAN.2 Caravana Siga Bem A Caravana Siga Bem é patrocinada desde 2003 pela Petrobras. por meio do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania. Outra participação importante é evidenciada junto ao projeto Siga Bem Criança. uma das maiores mineradoras do mundo. desenvolve um trabalho de educação no trânsito com alunos de cinco escolas municipais. Por meio do projeto. Atitudes preventivas têm consequências positivas e podem melhorar a qualidade de vida de toda a comunidade. no estado de Goiás. como a segurança nas estradas e respeito ao meio ambiente. Nessa versão do projeto a Polícia Rodoviária Federal teve papel de relevância. Além disso. A ação trabalha de forma lúdica a segurança.1). através das ações do “Siga Bem Mulher” e “Siga Bem Criança”. percorreu mais de 150 mil quilômetros. 2013. desenhos e palestras educativas. “Os ensinamentos são levados para dentro de casa de uma forma mais consciente. o projeto Pequeno Aprendiz no Trânsito desperta desde cedo nas crianças um comportamento mais adequado.1). coordenadora de Gestão Social dos negócios Nióbio e Fosfatos da Anglo American. 2013. a educação e a importância das leis de trânsito. além de divulgar conceitos éticos. Em uma de suas entrevistas. a ação percorreu mais de 16 mil quilômetros de estradas. p. os alunos monitoram o dia a dia dos seus pais na direção. realizado pela PRF de Goiás. que integra ações de outros órgãos como a Secretaria de Direitos Humanos e a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República. Para o inspetor Luiz Antonio Vieira. visitou aproximadamente 250 municípios brasileiros e contou com a participação efetiva de cerca de 1. através da ação estratégica “Difusão de Informações para Cidadania”. . já que foi responsável pelo levantamento de 65 mil quilômetros de rodovias federais para descobrir os pontos onde há mais violência sexual contra crianças e adolescentes (PLANALTO.18 O Projeto Pequeno Aprendiz (PAT).4 milhão de motoristas profissionais em cerca de 600 eventos e mil dias na estrada. alertandoos” (ANGLOAMERICAN. 4. por meio de vídeos. As ações educativas voltadas para a segurança nas rodovias são executadas em parceria com a Polícia Rodoviária Federal.4. comentou: Iniciativas de educação no trânsito são uma forma de contribuir para o aumento da segurança no dia a dia de cada cidadão. com apoio da Anglo American. estaduais e conveniadas de Catalão e Ouvidor. p.

Paraná. situados em todas as regiões do país. Rio Grande do Norte. Pará. para entretenimento e educação dos motoristas durante a parada. A atividade física está diretamente relacionada com a boa saúde. 2013). Ao final dos exames. desde 2006 o SEST SENAT organiza os Comandos de Saúde nas Rodovias. Roraima e Tocantins. As campanhas são voltadas aos trabalhadores de empresas de transporte rodoviário e transportadores autônomos. Neste período. Pernambuco.3 Comando de Saúde nas Rodovias Em parceria com o Departamento de Polícia Rodoviária Federal. presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e do Sest/Senat.19 Tal pesquisa mostrou que há 1776 pontos vulneráveis. . São Paulo. Mato Grosso do Sul. Paraíba. massagens corporais. e motoristas saudáveis dirigem melhor e mantêm a segurança nas nossas rodovias” (CNT. Alagoas. Lanchonetes e postos de combustíveis são os locais onde mais ocorre este tipo de violência. como pressão alta.4 Cinema Rodoviário O Cinema Rodoviário consiste na exibição de vídeos aos usuários das rodovias federais.4. Minas Gerais. com distribuição de preservativos e materiais informativos sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). são realizadas ações sociais como ginástica laboral.4. 4. desde 2006. estresse e sonolência. Além dos atendimentos médicos. palestras e exibição de vídeos sobre temas relacionados à saúde. “o foco dessa ação é oferecer melhores condições ao trabalhador do setor de transporte rodoviário. O Comando de Saúde nas Rodovias. Bahia. já contou com a participação de mais de 70 mil motoristas em todo o território nacional. 4. Amazonas. Rio Grande do Sul. onde os motoristas são orientados sobre bons hábitos de saúde pelos profissionais da instituição (SESTSENAT. obesidade. Santa Catarina. os profissionais do SEST SENAT e da PRF promovem atividades de recreação. o motorista é encaminhado para uma consulta médica. eles passam por aferições para detectar fatores de risco à saúde. Ao serem atendidos por educadores e médicos. Ceará. 2013). Rio de Janeiro. Neste ano de 2013 o Cinema Rodoviário está sendo realizado nos estados de Goiás. Sergipe. Segundo o senador Clésio Andrade. O projeto mobiliza diversas unidades em fiscalizações educativas nas estradas.

ultrapassagens proibidas. que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam frequentando o ensino regular em instituições de educação superior. Durante as palestras os policiais orientam os condutores e passageiros sobre atitudes seguras no trânsito. de modo que o estagiário.] é ato educativo escolar supervisionado. consiste em comandos nos quais são realizadas fiscalizações em veículos. de 25 de setembro de 2008 e pela Orientação Normativa nº 07. já que passa a ser um elo entre as empresas e os ex-estagiários do órgão para a inclusão deles no mercado de trabalho. basicamente. desenvolvido no ambiente de trabalho.. Complementando a preocupação com a questão social. de ensino médio. O Projeto proporciona o contato direto com diversos usuários das rodovias que normalmente não teriam acesso às informações de segurança. na modalidade profissional da educação de jovens e adultos (BRASIL. Entretanto. Os vídeos apresentados mostram situações nas quais os envolvidos no acidente. segundo a própria Lei nº 11. infratores ou não. Assim. com suas atitudes. Por si só o programa de estágios já tem um fator social relevante. da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental. causaram o sinistro ou contribuíram para o agravamento da situação das vítimas. Assim. ao deixar a PRF.788/2008. todas as faixas etárias e classes sociais (DPRF. a regulamentação do programa de estágio do MPF reserva. os condutores. Temas como excesso de velocidade. Orçamento e Gestão. 2013). ao termino do estágio não existe a possibilidade do PRF empregar seus estagiários. e os passageiros são convidados a assistirem uma pequena palestra com duração entre 10 e 15 minutos. a PRF cumpre um papel social relevante. e simultaneamente. um percentual de 10% de vagas para Portadores de Necessidades Especiais. tenha a possibilidade de ser contratado por alguma empresa da iniciativa privada que esteja procurando algum profissional. de educação profissional.5 Programa de Estágio O programa de estágio na PRF é regulamentado pela Lei nº 11. A ideia é que conste no SINE essa disponibilidade de mão de obra qualificada. o estágio: [. 2008). a PRF solicita a todos os estagiários que deixem seus currículos cadastrados no banco de currículos do Sistema Nacional de Emprego – SINE/SC. direção defensiva. .. Assim. uso de cinto de segurança e utilização da cadeirinha para transportar crianças são alguns dos assuntos explorados. 4. de 30 de outubro de 2008. obrigatoriamente.20 O projeto. embriaguez ao volante.788. atingindo assim. do Ministério do Planejamento. haja vista que o ingresso no serviço público sempre se dá por meio de concurso público.

21 5 CONCLUSÃO 5.1 Considerações Finais .

2 Recomendações para trabalhos Futuros A Gestão Social preconiza o amadurecimento da sociedade como um todo por meio da participação ativa dos diversos atores envolvidos. O objetivo deste trabalho foi verificar o avanço da PRF em relação à noção de Gestão Social. . percebe-se que no conceito de Sustentabilidade e Meio Ambiente. onde o servidor é peça importante na coprodução do bem público. O projeto. na questão de inclusão e Gestão Social. a PRF e o SINE. apesar de estar instituído pelo Sest Senat. verificou-se a presença de alguns aspectos da Gestão Social nos programas da instituição. dá oportunidade a pessoas com necessidades especiais. cumprindo um papel essencial na cultura organizacional e na cidadania deliberativa. observado o órgão público escolhido. pois visa atender uma questão de segurança e saúde pública. A implantação da GesPública na PRF busca a inclusão dos conceitos do Novo Serviço Público. Fazendo um paralelo entre as questões da Gestão Social e o Novo Serviço Público. é possível perceber que o órgão ainda necessita de uma política própria de Gestão Social. 12).22 As ações de Gestão Social da PRF. mesmo que não figure como precursora. Entre os projetos apresentados. além de oportunizar ao estudante aplicar e aprimorar seu conhecimento. a PRF necessita direcionar mais suas ações para uma responsabilidade cidadã consciente. Também observado. A reflexão sobre a natureza sui generis do serviço público e do papel que desempenha na sociedade é fundamental para o alcance do objetivo maior de produzir o bem coletivo. Mas quem primeiro deve assumir a responsabilidade e as decisões são os próprios servidores públicos. com parceria entre órgãos públicos. Podemos incluir também nesta responsabilidade o banco de currículos. como apresenta GARRIDO (2011. Noutro sentido. tem forte presença da PRF e faz plenamente relação com o Novo Serviço Público. 5. trabalhando em coprodução com demais órgãos. p. Contudo. aquele que mais se destaca na Gestão Social com o público interno e externo é o Comando de Saúde nas Rodovias. o que resultará na produção de sinergia para o desenvolvimento da sociedade. O antigo fosso entre teoria e prática é simbólico nas instituições públicas hierarquizadas. coaduna-se com o papel do Governo no Novo Serviço Público. o Programa de Estágio na PRF. pois é preciso tomar medidas também além do meio da instituição.

enquanto estratégia para a produção do bem público. suas implicações e sua aplicabilidade na realidade brasileira.23 A coprodução na Gestão Social. ainda requer pesquisas visando compreender melhor suas características. O estudo da Gestão Social deve ser ampliado e contribuir para o desenvolvimento das comunidades e para o fortalecimento dos ideais democráticos. REFERÊNCIAS .

planalto.br/pp/peep>. ______. nº 1. Acesso em: 26 Nov 13. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. BOVAIRD. Acesso em: 25 Nov 13. Lei nº 10. DPRF. set/out. 67. Semana Nacional de Trânsito 2013.htm>. Disponível em: <http://www. São Paulo: Prentice Hall. Disponível em: <http://www. de 23 de setembro de 1997. L. 3. fgv. 6.org. Democracia com exclusão e desigualdade: a difícil equação.br/PortalInternet/visualizacaoTextoComFoto.BR. FLEURY. Disponível em <http://www. ANGLOAMERICAN. São Paulo: Cortez.503. Releases 2013. DNIT. Disponível em: <http://www. Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes.dnit. BRASIL. faces. Por uma nova interpretação das mudanças de paradigma na administração pública. A. C. BRASIL. Acesso em: 20 Set 13. ______. Institui o Código de Trânsito Brasileiro. Participação é Conquista: noções de política social participativa.pdf>. D. C. 10.gov.br/media/news/year2013/0511-2013a. 2007.br/ccivil_03/Constituicao/Constitui%C3%A7ao. Disponível em: <http://www. . Dispõe sobre o estágio de estudantes. 2012. 2004. DIEHL. 1996.br/Paginas/Agencia_Noticia.br/ccivil_03/leis/l9503. CNT. Disponível em: <http://www. ______.gov.htm>. Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas: métodos e técnicas. Acesso em: 30 Out 13. Lei nº 11. Beyond Engagement and Participation: user and community coproduction of public service.jsessionid=176229E3D68A2581E2A9699C2716175B. Departamento de Polícia Rodoviária Federal. Rio de Janeiro. 5. Disponível em: <http://www. TATIM. CERVO A.788.24 ANDION. DEMO. Dispõe sobre a reestruturação dos transportes aquaviário e terrestre. e dá outras providências. Projeto Pequeno Aprendiz no Trânsito forma novos alunos.node30187P00?id=297287>.br/ccivil_03/_Ato20072010/2008/Lei/L11788. Disponível Em:<http:// www. Pedro.planalto. Acesso em: 23 abr 2013. Transporte rodoviário. S. de 5 de junho de 2001. cria o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes.br/ccivil_ 03/leis/L9503. Institucional.dprf. Disponível em: <http://www.aspx?noticia=comandos-de-saude-nas-rodoviascaminhoneiros-seguranca-05112013>. htm#art21>.com.233.br>. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.. Acesso em 15 Out 13.. 2007. n. Confederação Nacional dos Transportes. planalto.aspx?sc_lang=pt-PT>. P.ed.gov.gov. v. Acesso em 01 Nov 13. Acesso em: 20 Nov 13. artigo 1. Cadernos EBAPE. T.angloamerican.gov. e dá outras providências. Sest Senat e PRF realizam a última etapa do ano do Comandos de Saúde.planalto. Disponível em: <www. BERVIAN. Acesso em 15 Out 13. cnt. Lei nº 9.gov. de 25 de setembro de 2008. Mar.scielo. Notícia. A. Ebape. Metodologia científica.br/pdf/cebape/v10n1/03. A. v. Public Administration Review. Acesso em 26 Nov 13.htm>.

MATTAR. São Paulo: Saraiva. ______. D. ed. RONCONI.sestsenat. Caravana Siga Bem percorrerá estradas federais para alertar sobre violência contra mulheres e exploração sexual de menores. L. p.bresserpereira.planalto. São Paulo: Atlas. F. A. RAICHELIS. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política. 3. III Seminário Nacional: Movimentos sociais. 2000. R.25 GIL.org. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. Acesso em 26 Nov 13. 2006. Salvador: EAUFBA. 2008. A Secretaria Nacional de Economia Solidária: uma experiência de governança pública. M. Disponível em: <http:// www. e atual. J. F.br/imprensa/noticias-de-governo/caravana-siga-bem-percorreraestradas-federais-para-alertar-sobre-violencia-contra-mulheres-e-exploracao-sexual-demenores>. 6. v. Governança pública: um desafio à democracia. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Metodologia Científica na Era da Informática. n.. Comandos de Saúde nas Rodovias. 2006. 2. NUNES. 231-246. OLIVEIRA NETTO.br/Documents/MARE/PlanoDiretor/planodiretor. participação e democracia. ZANELLA. In: Organizações e Sociedade. Disponível em: <http://www. 3ª Ed. PLANALTO. Disponível em: <http://www2. Revista Alcance. SALM. Democratizar a Gestão das Políticas Sociais: Um desafio a ser enfrentado pela sociedade civil. RIBEIRO. H. 2009. M. Florianópolis: UFSC.br/Paginas/Comandos-de-Saude. Coprodução do bem público e o desenvolvimento da cidadania: O caso do Proerd em Santa Catarina.org. Pagina inicial. I Seminário Internacional. 1994. rev. A. João. C. 2013. v. Metodologia da pesquisa científica: guia prático para apresentação de trabalhos acadêmicos. R. L.gov. MENEGASSO. . 2. n. 4. Por uma pedagogia da participação popular. Metodologia de Estudo e de Pesquisa em Administração. 2007. de. Métodos e técnicas de pesquisa social. 2008. E. Notícias de Governo. Acesso em 22 Nov 13. A. Brasília. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. C.16.. ed. 1995. Florianópolis: Visual Books.. 2010. Florianópolis: UFSC. São Paulo: Cortez. Acesso em: 25 Nov 13. MARE. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC: (Brasília): CAPES: UAB. 14. SESTSENAT. ed.pdf>. A.aspx>.

F. C. de M. J. G. p.) Gestão Social: práticas em debate. C. teorias em construção. R... J. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC. GARRIDO. New York: M. teorias em construção.). FRANÇA FILHO. Sharper. Seminário Temático II. MÂSIH. do C. MÂSIH. V. [Brasília]: CAPES: UAB. A. (Orgs. In SILVA JR.). 3rd Edition. 2011. DENHARDT. 23 TENÓRIO. G. E. de. 27-37. C. p. B. not steering. [Brasília]: CAPES: UAB. P. “(Re)visitando o conceito de gestão social”. IEE. J. M. T. 1998. & DEGENSZAJN. SCHOMMER. T. Juazeiro do Norte: Universidade Federal do Ceará/Campus Cariri. CANÇADO. Gestão Social: uma questão em debate. 19-29. (Orgs. (Orgs. 2009.. P. R... p. Inc. TENÓRIO. ______. F. R. Belmont. T. Gestão Social: metodologia e casos. T. B. Juazeiro do Norte: Universidade Federal do Ceará/Campus Cariri. Public Administration: an action orientation. H. “Definindo Gestão Social”. C. “Gestão Social: alguns apontamentos para o debato”. 1999. São Paulo: EDUC. Metodologia de estudo e de pesquisa em administração. C. 2008. R. . R. CANÇADO.) Gestão Social: práticas em debate. 2011. O. 2009. E... C. CA: Thompson Wadsworth. 1ª Edição. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC. (Coord. A. & DENHARDT. 2008. 39-59. SCHOMMER. 6th Edition. G. 1ª Edição. ZANELLA. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas. The New Public Service: serving. In SILVA JR. L. In RICO. P.26 REFERÊNCIAS CARVALHO.