You are on page 1of 2

Educação do campo

Educação do campo: discussão conceitual
  Sujeitos do campo devem ser protagonistas Educação básica do campo o Básica no sentido da LDB: infantil, fundamental, médio, EJA e profissional (tudo menos superior). o Foco é escolarização, embora se reconheça importância de educação não formal. História o Anos 30 – Governo Getúlio – educação no campo tem principal objetivo de segurar camponês no campo. o Perspectiva dos movimentos sociais – educação deve desenvolver e valorizar cultura camponesa.  Não apenas fornecer formação técnica agrícola, mas fomentar uma arte camponesa, uma filosofia camponesa, uma cultura camponesa, comunicação camponesa, etc.  Enraizar no campo sem limitar ao campo. Fomentar uma identidade camponesa.  Viés socialista. o Marco: 1997 - I Encontro Nacional das Educadoras e Educadores da Reforma Agrária – Enera. Educação do/no campo ≠ ed. rural. o “No campo” porque deve-se respeitar o direito à educação em sua comunidade de residência. o “Do campo” porque voltada ao camponês, que está semanticamente associado às camadas mais pobres do meio rural, distanciando o foco de outras figuras do meio rural: fazendeiro, estancieiro, madeireiro, etc. o “Do campo” porque não é apenas no campo. Não é diferenciada apenas pelo local onde ocorre, mas por um “projeto político-pedagógico vinculado às causas, aos desafios, aos sonhos, à história e à cultura do povo trabalhador do campo” (do livro “Por uma educação do campo”).

Pedagogia da Terra
    Transcende a ideia de terra como solo, se refere a território, ao sentimento de pertencimento e à cultura atrelados a um espaço físico É humanista, cooperativa, socialista, voltada para o trabalho, etc. Origem na Carta da Terra e nos escritos de Boff. Se refere a uma concepção filosófica ampla que muitas vezes encontra na Pedagogia da Alternância sua viabilização prática.

Pedagogia da alternância
 Objetivos: o Formação integral e personalizada.

” Origens o Internacional:  França em 1935 (Casa Familiar Rural – CFR)  Itália nos anos 60 (Escola Família Agrícola – EFA). Currículo interdisciplinar o Disciplinaridade também é muito importante. Princípios (lógicas): o Relacional – aproximação escola-comunidade.   .  Tempo Comunidade – Pesquisas e trabalhos de campo na comunidade (aprendizado na prática). Legislação o Suporte legal da LDB. Ciência é essencialmente disciplinar. o Associação local. o Socioambiental – aproximação ambiente sociedade. Baseado em competências e habilidades. que diz que na educação do campo deve haver “adequação do calendário escolar às fases do ciclo agrícola e às condições climáticas. o Nacional:  EFAs no sudeste – anos 60  CFAs no nordeste e sul – anos 80 PCNEM  Currículo contextualizado o Contextualização para  Conhecimento ser útil  Dar sentido ao conhecimento. o Pedagógico – aproximação teoria-prática.    o Desenvolvimento do meio. o Não se limitar na contextualização  Trabalhar também o geral e o abstrato  Partir do cotidiano para ir ao geral  “Prático mas crítico”. Fazer também reflexão e crítica dos contextos. Meios: o Alternância:  Tempo Escola – Atividades intensivas de estudo. o Produtivo – aproximação educação-trabalho.