You are on page 1of 0

Centro Federal de Educação Tecnológica

Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Linu !"sico #
Material Didático
para o Curso de
Linux Básico
Aplicado à Intelbrás
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Sumário
# Sistema O$eracional%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%&
' Linu%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%(
'%# )istórico%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%(
'%' Uma *isão geral do L+,U-%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%.
'%/ 0 estrutura do L+,U-%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#1
'%/%# 2ernel3S4ell%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%#1
'%/%' Utilit"rios%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%#1
/ 5rocessos%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%##
6 Comandos 7"sicos%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%##
6%# +ntrodução%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%##
6%' Ciclo de Eecução do Comando%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%#'
6%/ Login%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#'
6%6 Logout%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%#6
6%& 8e7oot%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#6
6%( )alt%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#6
6%9 :an%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#6
& Estrutura de 0r;ui*os e <iretórios%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#6
&%# <iretórios%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#(
&%#%# <iretório de Entrada%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %#(
&%#%' <iretórios Corrente%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#(
&%' Su7stituição do ,ome do 0r;ui*o%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%#=
&%'%# 0sterisco%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#=
&%'%' 5onto de interrogação%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%#=
&%'%/ Colc4etes%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#=
&%/ :arcação do Caractere Es$ecial%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%#.
&%/%# 0s$as%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#.
&%/%' 0$óstro>e%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%#.
&%/%/ !arra in*ertida%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%#.
( :ani$ulando 0r;ui*os e <iretórios%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%#.
(%# +ntrodução%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%#.
(%' +denti>icando o <iretório Corrente%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%'1
(%/ Criando diretórios%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%'1
(%6 Listando diretórios%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%'#
(%& :udando de diretório%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%'#
(%( Criando ar;ui*os *a?ios%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%'#
(%9 +nserindo teto em ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%''
(%= Conte@do de um ar;ui*o%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%''
(%. Co$iando ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%''
(%#1 :o*endo38enomeando ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%'/
(%## Como ligar ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%'/
(%##%# ,otasA%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%'6
Linu !"sico '
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
(%#' Como remo*er ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%'6
(%#/ Locali?ando ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%'&
(%#/%# ,otasA%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%'(
(%#6 5rocurando nos ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%'(
(%#& :ore3less%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%'9
(%#( )ead e Tail%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%'9
(%#(%# O$ções%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%'9
(%#9 B?i$ e Bun?i$%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%'9
(%#= Tar%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%'9
(%#=%# Usando o T08%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%'=
9 5ermissão de 0cesso C <iretórios e 0r;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%'.
9%# 5ermissões de acessoA%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%'.
9%' Veri>icando as $ermissões de acesso%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/#
9%/ 0lterando a $ermissão de acesso%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%/#
9%/%# Formato octal do modo de $ermissões%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%/#
9%/%' Formato sim7ólico do modo de $ermissões%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/#
9%6 :udando as $ermissões $adrão%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/'
9%& Dgrou$EidD de um ar;ui*o%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%//
9%( DoFnerD de um ar;ui*o%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%//
= 8edirecionamentos%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%/6
=%# Entrada e SaGda dos comandos%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% /6
=%' Entrada e SaGda 5adrão%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/6
=%/ 8edirecionamento de E3S%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%/&
=%/%# SGm7olos de redirecionamento%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/&
=%/%' 8edirecionamento de entrada%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/(
=%/%/ 8edirecionamento de saGda%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/(
=%/%6 5i$es%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% /(
=%/%& 8edirecionamentos m@lti$los%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %/9
=%/%( 8edirecionamento de erro $adrão%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/=
. +nitta7%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%/=
#1 +nstalação de a$licati*os com 85:%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%/.
#1%# !ase de dados 85:%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%61
#1%' 8ótulo dos 5acotes%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%61
#1%/ Vantagens e des*antagens do >ormato%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%61
#1%6 0cessórios relacionados%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%6#
#1%& +nstalação3desinstalção de a$licati*os com U85:+%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%6#
#1%&%# :Gdias do U85:+%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%6'
## Editor *i%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%6'
##%# Os trHs modos de o$eração do V+%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%6/
##%' O !u>>er de edição%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%6/
##%/ Criação e edição de ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%66
#' Sistema de ar;ui*os%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%6&
#'%# 5articionando e >ormatando discos%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%69
#'%' :ontando $artições%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%6.
Linu !"sico /
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
#/ 2<E%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%&'
#/%# 0lguns a$licati*os do 2<E%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%&/
#6 8e>erHncias !i7liogr">icas%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%&(
Linu !"sico 6
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
1 Sistema Operacional
O Sistema O$eracional é um $rograma es$ecial ;ue gerencia todos os
recursos da m";uinaI tais como memóriaI tecladoI *Gdeo JmonitorKI mouseI
entre outros% L atra*és do Sistema O$eracional ;ue eecutamos outros
$rogramasI gra*amos ou lemos in>ormações em dis;uetesI *isuali?amos
tetos em *Gdeo ou im$ressoraI etc% Sem o Sistema O$eracional não
conseguirGamos reali?ar estas tare>as% Ou seMaI sim$lesmente não
$oderGamos utili?ar o com$utador%
Eistem in@meros Sistemas O$eracionaisI tais comoA :SE<OSI U,+-I OS3'I
V:3C:SI N,,I etc% Cada um deles $ossuem caracterGsticas $ró$rias e são
eecutados em m";uinas di>erentes% 0ssimI não $odemos eecutar um
$rograma em Sistemas O$eracionais distintosI a não ser ;ue o >a7ricante do
$rograma nos garanta esta $orta7ilidade%
O OindoFs só consegue eecutar $rogramas :SE<OS $or;ue >oram >eitos
$or um mesmo >a7ricanteI a :icroso>t% E $or;ueI a $rincG$ioI o OindoFs não
é um Sistema O$eracional $or siI ele necessita do :SE <OS $ara >uncionar%
0 *ersão .&I e $osterioresI do OindoFs são $laneMadas $ara serem
inde$endentes do :SE <OSI mas ;ue aceitam a$licati*os do :SE <OS%
L de res$onsa7ilidade do Sistema O$eracionalA
● Carregar e eecutar $rogramas%
● Controlar dis$ositi*os de entrada e saGda JtecladoI monitorI mouseI
etcK%
● Berenciar ar;ui*os e diretórios%
● Berenciar a memória 80:
Todo e ;ual;uer $rograma eecutado em um com$utador utili?a a
memória 80:% <a mesma >ormaI o Sistema O$eracional de*e ser
carregadoI ou seMaI co$iado do disco rGgido ou disco >leG*el $ara a
memória 80:% <enominamos este $rocesso de !OOT% Toda *e? ;ue
ligamos o com$utadorI é >eita uma série de testes $ara *eri>icar o
>uncionamento dos $eri>éricos e se tudo esti*er $er>eitoI o Sistema
O$eracional $ode ser carregado%
Os Sistemas O$eracionais ainda $odem ser classi>icados ;uanto ao
n@mero de $essoas ;ue $odem utili?ar os recursos ao mesmo tem$o e
;uanto ao n@mero de $rogramas ;ue $odem ser eecutados em uma
mesma m";uina%
#% MonousuárioA $ermitem a$enas um usu"rio%
'% MultiusuárioA $ermitem *"rios usu"rios%
Linu !"sico &
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
/% MonotarefaA a$enas um $rograma $ode ser eecutado de cada *e?%
6% MultitarefaA *"rios $rogramas $odem ser eecutados ao mesmo
tem$o%
Em geral Sistemas O$eracionais ;ue são multiusu"rios são tam7ém
multitare>aI como o U,+-I N,, e atuais *ersões do OindoFsI onde
$odemos ter *"rios usu"rios em terminais distintos eecutandoI cada umI
uma série de $rogramas di>erentes ao mesmo tem$o%
0lém distoI Sistemas O$eracionais $odem ser classi>icados ;uanto ao ti$o
de comunicação com o usu"rioI $odendo serA
#% Interface por linha de comandoA ;uando o usu"rio tem ;ue digitar
o comando $or etenso na tela do com$utador% 0 comunicaçãoI em
geral é >eita em modo teto% 5re>erencialmente utili?ada $or
es$ecialistas%
'% Interface gráfica para usuários (GUI) A ;uando os comandos são
eecutados em um am7iente gr">ico com o uso do mouse% Voltada
$rinci$almente $ara o usu"rio >inal%
2 Linux
21 !ist"rico
O Sistema O$eracional U,+- >oi desen*ol*ido nos la7oratórios da 0TPT
$ara uso $ró$rioI 7aseado em um antigo $roMeto ;ue de*eria ser o
$rimeiro Sistema O$eracional multiusu"rio e multitare>aI o :ULT+CS%
5orémI este $roMeto esta*a muito além da ca$acidade dos e;ui$amentos
$ara a é$oca% <esta >orma o $roMeto >oi ar;ui*adoI mas alguns de seus
ideali?adores J2en T4om$sonI <ennis 8itc4ie e 8udd CanadadaQK resol*eram
escre*er uma *ersão sim$li>icada e monousu"rio $ara um com$utador com
menores recursos% O resultado im$ressionouI mesmo sendo utili?ada uma
m";uina limitada%
0ssimI o código >oi reescrito $ara outros com$utadores mel4oresI
a$resentando ecelentes resultados% 5or coincidHncia ou nãoI estes
com$utadores $ara os ;uais o Sistema O$eracional >oi reescrito eram
utili?ados $or ;uase todas as Uni*ersidades ;ue se interessaram $or este
Sistema O$eracional muito su$erior aos ;ue *in4am sendo utili?ados nos
la7oratórios de com$utação%
0 $artir de entãoI a 0TPT licenciou seu mais no*o $roMeto $ara as
Uni*ersidadesI mostrando uma enorme *isão e ca$acidade ino*adoraI $ois
além do Sistema O$eracionalI >oi cedido o código do mesmo $ara as
Uni*ersidadesI ;ue não mediram es>orços em de$urar o $rograma e incluir
Linu !"sico (
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
no*as caracterGsticas%
Foi dentro das Uni*ersidades ;ue o U,+- cresceu e ad;uiriu muitas das
caracterGsticas ;ue o tornam $oderosoI dando origem a di*ersas *ersões
além da original $ro*eniente dos la7oratórios da 0TPT% Esta caracterGstica
tornou o U,+- um sistema $oderoso na medida em ;ue >oi conce7ido não
a$enas $or uma e;ui$e de $roMetistasI mas sim $or toda uma comunidade
de $essoas interessadas em etrair o mel4or das m";uinas% 0 $rincG$ioI o
código do U,+- >oi escrito em linguagem assem7ler ou de m";uina ;ue é
altamente de$endente do 4ardFare ou $arte >Gsica do com$utador% 5ara ;ue
o código >osse reescritoI era necess"rio muito es>orço e tem$o%
EntretantoI um dos criadores do Sistema O$eracional U,+- resol*eu utili?ar
uma no*a linguagem $ara escre*er o U,+-I era a linguagem C ;ue o>erecia
o $oder da linguagem de m";uina com a >acilidade das linguagens
estruturadas de alto nG*el%
0 grande *antagem de se utili?ar a linguagem C ao in*és da linguagem
de m";uina $ró$ria do com$utador é a de ;ue a $rimeira é altamente
$ort"*elI isto éI um $rograma escrito em C $ara um determinado
com$utador $oder" ser eecutado ;uase sem nen4uma modi>icação em
outro ti$o de m";uina com$letamente di>erente% En;uanto ;ue se >osse
>eito um $rograma em linguagem de m";uina $ara um determinado
com$utador o $rograma seria eecutado somente neste ti$o de
com$utador e não nos demaisI $ara istoI seria $reciso reescre*er todo o
$rograma%
O U,+- >oi $roMetado $ara ser eecutado em com$utadores de grande
ca$acidadeI ou seMaI mini e su$ercom$utadoresI $ois somente estas
m";uinas $odiam o>erecer su$orte aos recursos necess"rios $ara o
am7iente gerado $elo Sistema O$eracional%
Crescendo longe do alcance dos usu"rios de microcom$utadoresI o U,+-
atingiu uma esta7ilidade e estrutura Mamais alcançada $or um Sistema
O$eracional% :as nestes ;uase ;uarenta anos de eistHncia do U,+-I os
microcom$utadores e*oluGram a $onto de >ornecer o mGnimo de condições
$ara ;ue este $oderoso Sistema O$eracional $udesse ser im$lementado
$ara os micros +!: E5C e com$atG*eis%
<i*ersas *ersões do U,+- >oram escritas e licenciadas $ara *enda com
nomes semel4antes J-E,+-I U,+SRSI 0+-I etcK $orém com as mesmas
caracterGsticas essenciaisI sendo ;ue atualmente eistem in@meras
*ersões comerciais e outras tantas *ersões li*res ;ue >oram desen*ol*idas
em Uni*ersidades ou $or hackers atra*és da rede +nternet%
0$esar de ter sido desen*ol*ido $ara lidar com dis$ositi*os de
caracteresI U,+- >oi $ioneiro na "rea de gr">icos em estações de tra7al4os%
0s $rimeiras inter>aces gr">icas $ara usu"rios JBU+K >oram $roMetadas e
Linu !"sico 9
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
utili?adas em Sistemas o$eracionais U,+-I desen*ol*idas $elo :+T
JMassachussets Institute of TechnologyK% TrataEse do X Window System%
Como se $ode notarI U,+- é um sistema de in@meras $ossi7ilidades%
5raticamente todos os recursos ;ue os sistemas o$eracionais mais atuais
utili?am M" 4a*iam sido eecutados em U,+- 4" muito% Todas as "reas da
com$utação $uderam ser desen*ol*idas com o U,+-%
0s tendHncias atuais le*am a uma tentati*a de $adroni?ar o Sistema
O$eracional U,+- com7inando as mel4ores caracterGsticas das di*ersas
*ersões do mesmo% 5ro*a disto é a criação do 5OS+-I um $adrão de
Sistema O$eracional desen*ol*ido $ela +EEE JInstitute of Eletrical and
Eletronic EngineersK% 0lém da OSF JOpen System FundationK ;ue re@ne as
$rinci$ais lGderes do mercado de e;ui$amentos $ara de>inir o $adrão de BU+
Jinter>aces gr">icasK $ara U,+-%
0 *ersão ;ue ser" a7ordada durante este curso é o L+,U-I um clone do
Sistema O$eracional U,+- $ara microcom$utadores +!: E5C /=( e
com$atG*eis% O L+,U- >oi desen*ol*ido inicialmente $or Linus Tor*alds na
Uni*ersidade de )elsinsSi na FinlTndia%
O L+,U- $ossui a *antagem de ser um so>tFare li*re e ser com$atG*el com o
$adrão 5OS+-% 0lém de unir em um @nico Sistema O$eracional as *antagens
das di>erentes *ersões de U,+- comerciais dis$onG*eis% <esta >ormaI
L+,U- torna Ese a mel4or o$ção $ara ;ue usu"rios de microcom$utadores
$ossam usu>ruir da ca$acidade do U,+-%
0$esar de não $oder rodar a$licati*os $ara :SE <OSI o L+,U- $ode rodar
todos os so>tFares de desen*ol*idos $ara U,+-I além de estarem
dis$onG*eis so>tFares ;ue $ermitem a emulação do :SE<OS e do O+,<OOS%
O L+,U- $ode ser @til em em$resas ;ue deseMam $ossuir estações de
tra7al4o com $oder ra?oa*elmente com$ar"*el Cs estações eistentes como
SU,s e outras usando 5CsI com >iel semel4ança no seu uso%
O L+,U- $ode con*i*er $aci>icamente com outros sistemas o$eracionais no
5C% Eiste uma in>inidade de >ormas de instal"EloA em uma $artição <OS M"
eistenteI $ode ainda ser instalado em um )< eclusi*amente dedicado a
ele%
5ara con*i*er com outros sistemas o$eracionaisI eistem algumas
maneiras de carregar o sistema o$eracionalI o Lilo JLinu LoaderK ;ue $ode
>uncionar como um BOOT manager no ;ual se escol4e ;ual $artição ou dri*e
ir" dar a $artidaI o loadlin ;ue é um utilit"rio <OS $ara carregar o L+,U- a
$artir do <OSI ou $or meio de um disco de 7oot%
O L+,U- $ode ser o7tido de di*ersas >ormas di>erentesI eistem di*ersos
li*ros C *endaI os ;uais incluem C<s com distri7uições do L+,U-% Outra
>orma de o7tHElo inteiramente gr"tis e *ia >t$ $ela +,TE8,ET%
Linu !"sico =
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Eiste 4oMeI um mo*imento no sentido de tornar o L+,U- um sistema
$o$ularI dado ;ue su$erioridade técnica ele M" $ossui%
Eistem algumas outras *ersões de U,+- $ara 5CsI tais como -eniI SCO
UniI Free!S< e ,et!S<I as @ltimas duas tam7ém li*resI no entanto
além de mais $o$ularI o L+,U- $ossui uma série de caracterGsticas a maisI
não encontradas em outras *ersõesI mesmo comerciaisI de U,+-%
22 Uma #is$o geral do LI%U&
Um Sistema O$eracional de*e gerenciar os recursos da m";uina da
mel4or maneira $ossG*el de >orma a $oder o>erecer aos usu"rios o
m"imo do com$utador% <entre as $rinci$ais >unções do sistema
O$eracionalI $odemos destacarA
● Criar e mani$ular uma estrutura de ar;ui*os e diretórios%
● Controlar o acesso C memória e outros dis$ositi*os controlados $elo
micro$rocessadorI como monitorI tecladoI im$ressoraI etc%
● Berenciar a eecução de $rogramasI tra?endoEos da memória $ara o
micro$rocessador%
0 $rimeira *istaI $arece ;ue o L+,U- nada $ossui de di>erente de ;ual;uer
outro Sistema O$eracionalI mas nen4um é tão 7om em unir e integrar o ;ue
4" de mel4or em um com$utador de >orma 4armoniosa e e>iciente de*ido
a sua $ró$ria origem em meio a toda uma comunidade de $essoas
interessadas em o7ter o m"imo e o mel4or em desem$en4o% Ca7e
ressaltar tam7ém ;ue o Linu $ossui todas as caracterGsticas ;ue >a?em
do U,+- um ecelente sistema o$eracionalI entre elas A 'orta(ilidade)
Multiusuário e Multitarefa) *strutura hierár+uica de ar+ui#os)
,erramentas e Utilitários) -omunica.$o com outros sistemas
<aremos uma r"$ida ol4ada em algumas das $rinci$ais caracterGsticas e
*antagens ;ue >a?em o L+,U- @nico A
Multitarefa% LinuI como as outras *ersões do U,+- é um sistema
multitare>aI $ossi7ilitando a eecução de m@lti$las a$licações de
di>erentes usu"rios no mesmo sistema ao mesmo tem$o%
O & /indo0 S1stem éI de >atoI um $adrão na ind@stria de sistemas
gr">icos $ara m";uinas U,+-% Uma *ersão com$leta do - OindoF SQstemI
con4ecida como Xfree! est" dis$onG*el $ara Linu%
2-'3I' (2ransmission -ontrol 'rotocol 3 Internet 'rotocol)I este é um
conMunto de $rotocolos ;ue liga mil4ões de uni*ersidades e em$resas numa
rede mundial con4ecida como Internet Com uma coneão Et4ernet o
Linu $ermite ;ue seMa >eita uma coneão da +nternet a uma rede local%
Linu !"sico .
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Mem"ria 4irtual O Linu $ode usar $arte do seu )< como memória
*irtualI UaumentandoV assim a ca$acidade da memória 80:%
-ompati(ilidade com o I*** 'OSI& Linu >oi desen*ol*ido com a
$orta7ilidade de so>tFare em mente%
25 6 estrutura do LI%U&
251 7ernel3Shell
2ernel é o n@cleo do Sistema O$eracional L+,U-I ;ue $ermanece residente
na memória% 0tra*és dele ;ue o usu"rio $ossui o acesso aos recursos
o>erecidos $elo 4ardFare Jo com$utador em siK% Todo o gerenciamento de
memóriaI dis$ositi*osI $rocessosI entre outros é coordenado $elo Sernel%
!asicamente est" di*idido em duas $artesA
● "erenciamento de dispositi#osA su$er*isiona a transmissão de dados
entre a memória $rinci$al e os dis$ositi*os $eri>éricos% <esta
>ormaI o Sernel a7range todos os dri*ers controladores de
dis$ositi*os ;ue $odem ser ligados a um com$utador
● "erenciamento de processosA aloca recursosI escalona $rocessos e
atende a solicitação de ser*iços dos $rocessos
S4ell é o inter$retador de comandos do L+,U-% L ele ;uem >ornece uma
inter>ace $ara ;ue o usu"rio $ossa di?er ao Sistema O$eracional o ;ue
de*e ser >eito% O s4ell tradu? o comando digitado em c4amadas de sistema
;ue são eecutadas em linguagem de m";uina $elo Sernel% 0lém distoI
>ornece um am7iente $rogram"*el atra*és de scripts%
Eistem in@meros s4ells cada um com ligeiras di>erenças entre si% :uitas
*e?es é $ossG*el utili?ar *"rios s4ells di>erentes em um mesmo micro
rodando L+,U-I isto $or;ue ele é multitare>a e multiusu"rioI de modo ;ue
cada usu"rio $oderia utili?ar o s4ell ;ue l4e agradar mais% Entre os mais
utili?ados estão o !ourne S4ellI o C s4ell e o 2orn S4ell%
252 Utilitários
Eistem centenas de utilit"rios JcomandosK $ara a reali?ação de tare>as
es$eciali?adas ou rotineirasI entre elas mani$ulação e >ormatação de
tetosI c"lculos matem"ticosI gerenciamento e manutenção de ar;ui*os e
diretóriosI administração de sistemasI manutenção de segurançaI controle
da saGda $ara im$ressoraI desen*ol*imento de $rogramas e >iltragem de
dados%
Cada um destes utilit"rios é digitado na lin4a de comando do L+,U- ;ue ser"
inter$retado $elo S4ell do sistema% Este $or sua *e? se encarregar" de
Linu !"sico #1
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
reali?ar di*ersas c4amadas ao 2ernel $ara a eecução do comando%
Como as inter>aces gr">icas são muito recentesI o L+,U- te*e toda a sua
$otencialidade e$lorada em termos de am7iente de desen*ol*imentos%
+sto e;ui*ale a di?er ;ue o ;ue se $ode >a?er com um so>tFare de
Formatação de Tetos do ti$o a$onte e cli;ueI $ode ser reali?ada atra*és do
antigo modo de lin4a de comando no L+,U-%
:as isto não im$ede ;ue as >acilidades do am7iente de Manelas seMa
e$loradoI $elo contr"rio% Os mais $ro>issionais $rogramas a$licati*os
rodam so7re o Sistema O$eracional L+,U-I entre eles o Berenciador de
!anco de <ados O80CLEI +,B8ES e Fo!0SEWI >ormatadores de tetos
5ostscri$t etc%
5 'rocessos
Nuando um $rograma ou utilit"rio é eecutadoI $assa a se c4amar
$rocesso% Cada $rocesso iniciado $ossui um estado indicando sua condição
Jem eecuçãoI $aradoI interrom$idoI etcK e a $rioridade% Sendo ;ue os
$rocessos do sistema $ossuem $rioridades so7re os do usu"rio%
Com 7ase nas in>ormações so7re os $rocessos em andamentoI a C5U $recisa
escalonar os $rocessos $ara dedicar a cada umI um determinado tem$o
dando a im$ressão de ;ue *"rios $rocessos estão sendo eecutados ao
mesmo tem$o%
5ara *ermos uma U>otogra>iaV dos $rocessos rodando na m";uina $odemos usar
o comando ps auxI a mostra todos os $rocessos e u in>orma a mais os usu"rios
donos dos $rocessos%
5odemos usar tam7ém o top% ,este caso 4a*er" atuali?ação $eriódica da telaI
>a?endo uma amostra on$line $rocessos ati*os% :ostra ainda outras in>ormações
da m";uinaI como uso de memóriaI tem$o de ati*idadeI uso de c$u etc% 5ara
na*egar entre Manelas usaEse as teclas XY%
5ara matarmos um $rocesso em eecução usamos o comando 8ill seguido do
n@mero do $rocesso J5+<K% 0 $rinci$al >lag é o E.I ;ue mata o $rocesso sem
sal*ar dados da memóriaI se eistirem% 5odemos usar tam7ém o 8illall seguido
do nome do $rocesso JcomandoK% ,este caso mataEse todos os $rocessos com
mesmo nome%
9 -omandos (ásicos
91 Introdu.$o
Certos comandos são interati#os e outros n% o $interati#os % Comandos
Linu !"sico ##
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
interati*os são a;ueles ;ue a$ós serem eecutadosI eigem ;ue algumas
$erguntas seMam res$ondidas $ara ;ue $ossam $rosseguir% Comandos não
interati*os sim$lesmente eecutam os comandos sem nada $erguntar e
retornam C lin4a de comando do L+,U-%
Eem$los de comandos não interati*osA
ls exibe lista do conteúdo do diretório corrente
date exibe a data e hora do sistema
cal <ano> exibe calendário do ano especificado
who exibe lista de todos os usuários ativos no sistema
clear limpa a tela
Eem$los de comandos interati*osA
passwd modifica a senha
ftp permite transferência de arquivos
92 -iclo de *xecu.$o do -omando
O shell analisa a lin4a do comando se$arando seus *"rios com$onentes com
o uso de es$aços em 7ranco% Este $rocedimento é con4ecido como
parsing Jan"liseKI e é com$osto dos seguintes $assosA
#% O shell eamina se 4" algum caractere es$ecial a ser inter$retado na
lin4a de comandoZ
'% Su$ondo ;ue os caracteres até o $rimeiro 7ranco se re>erem a um
comandoI o shell $rocura um ar;ui*o eecut"*el J$rogramaK com o
mesmo nomeZ
/% Se o shell locali?a o $rogramaI ele *eri>ica se o usu"rio ;ue >e? o
$edido tem $ermissão de acesso $ara usar o comandoZ
6% O shell continua a eaminar o resto da lin4a de comando $ara *er a
>ormataçãoZ
&% FinalmenteI ela in>orma ao kernel $ara eecutar o $rogramaI $assando
todas as o$ções e argumentos *"lidos $ara o $rogramaZ
(% En;uanto o kernel co$ia o ar;ui*o eecut"*el do disco $ara a
memória e eecutaEoI o shell $ermanece inati*o até ;ue o $rograma
ten4a encerrado% O $rograma em eecução na memória é c4amado de
processoZ
9% Nuando o $rocesso termina de ser eecutadoI o controle retorna ao
shell ;ue ei7e no*amente o prompt $ara a*isar ;ue est" $ronto $ara
o $róimo comandoZ
95 Login
5or ser um Sistema O$eracional ;ue su$orta *"rios usu"rios
Linu !"sico #'
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Jmultiusu"rioKI antes de tudoI é $reciso se identi>icar% O L+,U- então se
encarregar" de $ermitir ou não seu acesso *eri>icando sua sen4aI se
esti*er correta li7era o diretório de entrada e eecuta ar;ui*os de
iniciali?ação locais e o inter$retador a$ro$riado% 0$ós este $rocessoI *ocH
estar" a$to a eecutar os comandos do L+,U-%
Nuando o terminal esti*er ligadoI $ro*a*elmente ser" a$resentado um sinal
de $rontidão do sistema da seguinte >ormaA
Login:
+sto signi>ica ;ue o sistema est" es$erando $ara ;ue o usu"rio se
identi>i;ue com o nome de usu"rio ;ue l4e >oi concedido $elo 0dministrador
de Sistema Munto com uma sen4a de acesso% 0$ós digitar o nome de usu"rioI
$ressione E,TE8% Ser" a$resentada um no*o sinal de $rontidãoA
Password:
Este sinal $ede ;ue seMa digitada a sua sen4a% ,ote ;ue a medida ;ue
>orem digitados os caracteresI eles não a$arecerão no *Gdeo $or medidas de
segurança%
Se algo deu errado J>oi no*amente a$resentado o sinal de loginKI tente
no*amenteI certi>icandoEse de ter digitado o nome de usu"rio e a sen4a
eatamente como rece7eu do 0dministrador $ois o L+,U- di>erencia as
letras mai@sculas das min@sculas% +sto ;uer di?er ;ue $ara o L+,U- 6 Jletra
UaV mai@sculaK é di>erente de a Jletra UaV min@sculaK% Esta é uma dica ;ue
ser*e não a$enas $ara iniciar a sessãoI mas tam7ém $ara todos os
comandos L+,U-%
Tendo o usu"rio se identi>icado com o nome da conta e a sen4a Jse esta
eistirI $ois eistem contas criadas es$ecialmente $ara uso sem sen4aKI o
L+,U- c4eca em um ar;ui*o de con>iguração $elo nome da conta e a
sen4a corres$ondente de*idamente encri$tada% Estando am7as registradas
e corretasI o Sistema O$eracional $ermite o acesso ao usu"rio eecutando
o s4ell indicado tam7ém neste ar;ui*o%
O s4ell $ro*idencia uma inter>ace de comunicação entre o Sernel e o
usu"rio% Esta inter>ace consiste de uma linha de comand o Jou promptK na
;ual de*e ser digitado o comando $or etenso seguido $or seus $arTmetros
Jse ti*erK% Em uma lin4a de comando $odemos ter mais de um comando em
se;[Hncia $ara serem eecutados%
Em geral esta lin4a de comando é >ormada $or um sGm7olo ;ue $ode ser
de $orcentagem J\K ou ci>rão J]K $ara usu"rios comuns e grade J^K $ara
usu"rios com $ri*ilégio de rai?I de$endendo do ti$o de s4ell usado%
Os $arTmetros ;ue a$arecem a$ós o nome do comando $odem ser nomes
de ar;ui*os e3ou camin4os de diretórios% Eles de*em sem$re ser digitados
com um es$aço entre si e de$ois do comando% :uitas *e?es alguns
Linu !"sico #/
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
sGm7olos ;ue a$arecem na lin4a de comando não são $arTmetrosI mas sim
comandos $ara o s4ell determinando a se;[Hncia em ;ue oJsK comandoJsK
de*em ser eecutados%
O L+,U- aceita e eecuta um comando ;uandoI ao terminarmos de
digitarmos o comandoI $ressionarmos a tecla E,TE8I 8ETU8, ou

J*aria de com$utador $ara com$utadorK%
Caso seMa encontrado algum erro na digitação do comando antes ;ue a
tecla E,TE8 seMa $ressionadaI $odemos corrigGElo utili?ando as teclas de
direção e $ara $osicionarmos o cursor na $osição em ;ue o erro >oi
cometido% Cursor é o sGm7olo gr">ico ;ue a$arece logo a$ós a lin4a de
comando e ;ue se mo*imenta a medida em ;ue caractere são digitados e
a$arecem na tela%
99 Logout
Este comando $ermite sairmosde nossa seção s4ellI ou seMaI desconectarmos
nosso usu"rio do sistema%
9: ;e(oot
Este comando é e;ui*alente C Uinit (V e com ele $odemos reiniciar nosso
sistemaI sem desligamento do 4ardFare%
9< !alt
Este comando é e;ui*alente C Us4utdoFn Er noFV e $ermite desligar o sistemaI
caso nossa m";uina ten4a >onte 0T-%
9= Man
'áginas de manual ou man pages são $e;uenos ar;ui*os de aMuda ;ue
$odem ser in*ocados $elo comando man a $artir de lin4a de comando de
sistemas 7aseados em Uni e Linu%
0 >orma de in*ocar a aMuda éA
$ man [<seção>] <nome-da-página>
: *strutura de 6r+ui#os e >iret"rios
Eistem 6 ti$os 7"sicos de ar;ui*os em L+,U- A
• 0r;ui*o diretórioZ
• 0r;ui*o con*encionalZ
Linu !"sico #6
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
• 0r;ui*o de dis$ositi*oZ
• 0r;ui*o sim7ólico ou de ligaçãoZ
Um ar+ui#o diret"rio nada mais é do ;ue um ti$o de ar;ui*o contendo
in>ormações so7re ar;ui*os ;ue conceitualmente Je não >isicamenteK
estão contidos nele% +sso signi>ica ;ue o conte@do de seus ar;ui*os não
est" arma?enados dentro do diretório% 0ssim sendoI não 4" limite $ara o
taman4o de um diretório% Teoricamente *ocH $oderia colocar no seu
diretório tantos ar;ui*os ;uanto ;uisesseI até o $onto de estourar a
ca$acidade do seu disco%
Os dados contidos no ar;ui*o diretório são a$enas o nome de cada ar;ui*o
e seu $onteiro $ara uma ta7ela de in>ormações de controle de todos os
ar;ui*os do sistema% Esta ta7ela contém in>ormações administrati*as do
ar;ui*oI como dados de segurançaI ti$oI taman4oI datas de acesso e
dados ;ue indicam onde ele est" gra*ado no disco%
Nuando *ocH *ai usar um ar;ui*oI o sistema o$eracional consulta o
diretório $ara *eri>icar se eiste no disco um com o nome ;ue *ocH
es$eci>icou% Em caso a>irmati*oI o sistema o7témI da ta7ela as in>ormações
necess"rias $ara $oder mani$ul"E lo% Caso contr"rioI o sistema en*ia uma
mensagem in>ormando ;ue não >oi $ossG*el encontrar o ar;ui*o%
Um diretório $ode conter outros diretóriosI aos ;uais c4amamos
su7diretórios% Um su7diretório $ode conter outros ar;ui*os e
su7diretóriosI ;ue tam7ém $odem conter ar;ui*os e su7diretórios e
assim $or diante% Este é um relacionamento $ai3>il4o entre um diretório e
seus ar;ui*os e diretórios su7ordinados% Cada diretório $ai guarda
in>ormações so7re os ar;ui*os e diretórios ;ue estão a um nG*el a7aio deleE
seus >il4os%
Um ar+ui#o con#enciona l é um conMunto de caracteres $resentes em
algum meio de arma?enamentoI como $or eem$lo um disco% Ele $ode
conter teto $ara uma cartaI código de $rograma ou ;ual;uer in>ormação
arma?enada $ara um >uturo uso%
Um ar+ui#o de dispositi# o I como um diretórioI não contém dados% Ele é
7asicamente um $onteiro $ara um dis$ositi*o $eri>éricoI como $or eem$lo
uma unidade de discoI um terminal ou uma im$ressora% Os ar;ui*os
es$eciais associados aos dis$ositi*os $eri>éricos estão locali?ados no
diretório 3de*%
Um ar+ui#o sim("lic o é um ar;ui*o con*encional ;ue a$onta $ara outro
ar;ui*o em ;ual;uer lugar do sistema de ar;ui*os L+,U-%
Linu !"sico #&
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
:1 >iret"rios
Todos os ar;ui*os >a?em $arte de algum diretório% 0ssimI eles são
mantidos organi?adamente% Se todos os ar;ui*os do sistema >ossem
arma?enados em um mesmo lugarI o L+,U- le*aria muito tem$o $ara
*eri>icar todos os ar;ui*os até encontrar a;uele ;ue est" $rocurando% Os
diretórios são um meio de o>erecer endereços dos ar;ui*osI de maneira
;ue o L+,U- $ossa acess"Elos r"$ida e >acilmente%
0o entrar $ela $rimeira *e? em sua contaI *ocH M" est" em um su7diretório
do sistema L+,U-I c4amado seu diretório de entrada Jhome directoryK% 0
menos ;ue *ocH crie alguns su7diretórios em sua contaI todos os seus
ar;ui*os serão arma?enados em seu diretório de entrada% TeoricamenteI
*ocH $ode >a?er issoI mas a manutenção de seus ar;ui*os ser" mais
e>iciente se *ocH criar seu $ró$rio sistema se su7diretórios% 0ssim >icar"
mais >"cil manter o controle de seus ar;ui*os $or;ue eles estarão
agru$ados em diretórios $or assunto ou $or ti$o% O L+,U- tam7ém reali?a
7uscas de maneiras mais e>iciente em diretórios $e;uenos ;ue nos
grandes%
:11 >iret"rio de *ntrada
Seu diretório de entrada é a;uele em ;ue *ocH é colocado ;uando a7re
uma sessão em um sistema L+,U-% Esse diretório tem o mesmo nome ;ue
seu nome de login% VocH $ode $ensar em sua conta como uma *ersão em
miniatura do sistema de ar;ui*os do L+,U-% ,o alto de seu sistema
$essoal de ar;ui*osI em *e? do diretório rai?I est" seu diretório de
entrada% 07aio dele estarão os su7diretórios ;ue *ocH criarI ;ue $odemI
$or sua *e?I se rami>icar em su7diretórios e3ou ar;ui*os%
Os diretórios de entrada dos usu"rios são iguais a ;ual;uer outro diretório
de um diagrama de sistema de ar;ui*os% EntretantoI sendo o diretório
$rinci$al de sua contaI seu diretório de entrada tem um status es$ecial%
Sem$re ;ue *ocH entra no sistemaI o L+,U- de>ine uma *ari"*el c4amada
)O:E ;ue identi>ica o seu diretório de entrada% O L+,U- usa o *alor da
*ari"*el )O:E como $onto de re>erHncia $ara determinar ;uais ar;ui*os e
diretórios do sistema de ar;ui*os *ocH $ode acessar e tam7ém $ara orientarE
se $ara onde le*"Elo ;uando *ocH deseMa mudar de diretório corrente%
:12 >iret"rios -orrente
O diretório correnteI ou de tra7al4o Jworking directoryKI é o diretório em
;ue *ocH est" em um determinado momento% 5or eem$loI ;uando *ocH
entra no sistemaI o diretório corrente é sem$re seu diretório de entrada%
Se *ocH $assar $ara um de seus su7diretóriosI este $assar" a ser o
Linu !"sico #(
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
diretório corrente%
<urante toda a sessãoI o L+,U- mantém o controle de seu diretório
corrente% Todos os comandos são eecutados so7re o diretório correnteI a
menos ;ue *ocH es$eci>i;ue outro% 5or eem$loI ;ual;uer ar;ui*o ou
su7diretório ;ue *ocH criar ser" em $rincG$io criado no diretório corrente%
Sem$re ;ue *ocH digitar lsI *er" uma lista dos ar;ui*os e diretórios do
diretório corrente%
Todos os diretórios do L+,U- contém um ar;ui*o c4amado % J$ontoKI ;ue é
um ar;ui*o es$ecial ;ue re$resenta o diretório corrente Jum sin_nimoK%
Sem$re ;ue *ocH ;uiser se re>erir ao diretório correnteI $ode >a?HElo
usando um $onto J%K% Outro ar;ui*o es$ecialI c4amado %% Jdois $ontosK
re$resenta o diretório $ai do diretório corrente Jo diretório ao ;ual o
diretório corrente $ertenceK% Nuando $recisar se re>erir ao diretório $ai do
diretório correnteI *ocH $ode usar dois $ontos J%%K em *e? do nome do
diretório%
Nuando *ocH digita um comando ;ue o$era so7re um ar;ui*o ou
diretórioI $recisa es$eci>icar o nome do ar;ui*o ou do diretório deseMado%
O camin4oI de um ar;ui*o ou diretório é a lista de todos os diretórios ;ue
>ormam a ligação entre ele e o diretório rai?%
VocH só $ode identi>icar indi*idualmente cada ar;ui*o e diretório $or seu
nome e camin4oI $or;ue seu nome $ode ser idHntico ao de outro ar;ui*o
em outro local do sistema% 5or eem$loI su$on4a ;ue 4aMa duas contas de
usu"rioI c4amadas luciene e al>redoI cada uma contendo um su7diretório
c4amado *endas% O L+,U- $ode di>erenciar esses dois su7diretórios $or
seus camin4os% Um deles seria 3%%%3luciene3*endas e o outro seria
3%%%3al>redo3*endasI onde as reticHncias re$resentam os diretórios
intermedi"rios% Em7ora *ocH $ossa se re>erir a um ar;ui*o ou diretório
dentro de seu diretório de entrada usando a$enas seu nomeI o L+,U-
sem$re inter$retar" o nome do ar;ui*o ou diretório como seu nome e
camin4o inteiroI $or;ue ele mantém o controle de seu diretório corrente e
$ode $reenc4er a $arte do nome de camin4o ;ue >alta%
0lém do camin4o a7solutoI *ocH tam7ém $ode usar o camin4o relati*oI de
um ar;ui*o ou diretório% O caminho relati#o não começa com o diretório
rai?I mas com o diretório mais $róimo do diretório cuMo camin4o est"
sendo de>inido% 5ara es$eci>icar um camin4o relati*o $ara seu diretório de
entradaI *ocH $ode começar o camin4o com
])O:E ou com um ` JtilKI ;ue é um sin_nimo $ara ])O:E% 5or eem$loI
se seu diretório de entrada é marcoI a *ari"*el )O:E ter" o *alor 3%%%3marcoI
onde as reticHncias re$resentam os diretórios entre o diretório rai? J3K e o
diretório marco% Sem$re ;ue *ocH digitar ])O:E ou ` como $arte de um
nome de camin4oI o L+,U- o inter$retar" como o nome de camin4o
Linu !"sico #9
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
com$leto de seu diretório de entrada%
5ara es$eci>icar um camin4o a $artir do diretório correnteI *ocH $ode
iniciar o camin4o com um % J;ue re$resenta o diretório correnteKI ou com o
nome do $rimeiro su7diretório na;uele camin4o% O $onto é o$cional neste
caso $or;ue se o nome de camin4o não começar com uma 3I o L+,U-
considera ;ue *ocH ;uer ;ue ele comece com o diretório corrente%
Se *ocH M" ti*er mudado de diretório algumas *e?esI tal*e? não esteMa
seguro de ;ual é o diretório corrente no momento% 5ara desco7rirI use o
comando ls e $oder" se lem7rar do nome do diretório $ela lista dos
ar;ui*os ;ue ele contém% EntretantoI uma maneira mais sim$les de sa7er
;ual o diretório corrente é digitar $FdI ;ue ser" a$resentado mais adiante%
O comando $Fd im$rime o camin4o com$leto do diretório corrente%
:2 Su(stitui.$o do %ome do 6r+ui#o
TrHs caracteres es$eciais $ermitem a re>erHncia a gru$os de ar;ui*os ou
diretórios em uma lin4a de comando% Estes caracteres são c4amados :eta
caracteres ou Coringas%
:21 6sterisco
O a su7stitui ;ual;uer conMunto de caracteres%
:22 'onto de interroga.$o
O caractere b su7stitui ;ual;uer caractere%
:25 -olchetes
O sGm7olo cd contém uma lista de caracteres% Um dos caracteres dentro
do colc4etes ser" su7stituGdo% Um 4G>en se$arando os caracteres ;ue estão
entre colc4etes indica um inter*alo% Um e dentro do colc4etes indica o
sentido da $rocura in*ertido%
Esses caracteres es$eciais $ou$am tem$o de digitação% O mais im$ortante
é ;ue eles $odem ser usados $ara >a?er re>erHncia a ar;ui*os cuMo nome
não se con4ece eatamente%
*xemplos ?
1@ Liste todos os ar;ui*os com etensão %neF A
$ ls !new
"ile!new ar#$i%o!new
2@ Liste todos os ar;ui*os cuMo nome termine com um numero entre # e & A
$ ls [&-']
Linu !"sico #=
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
(ile&
ar#$i%o)
dir'
5@ Liste todos os ar;ui*os cuMo nome tem trHs caracteres e começam com > A
$ ls (**
(ig (in
:5 Marca.$o do -aractere *special
5ara usar literalmente um caractere es$ecial sem ;ue o S4ell inter$rete seu
signi>icado ele de*e ser marcado% O s4ell trata um caractere es$ecial
marcado como um car act er e normal%
:51 6spas
Nuando se coloca um caractere es$ecial entre as$as U U I o S4ell ignora
todos os caracteres es$eciais eceto o ci>rão J]KI o acento gra*e JfK e a
7arra in*ertida JgKZ
:52 6p"strofe
O a$óstro>e é mais restriti*o% Todos os caracteres es$eciais entre
a$óstro>es são ignorados Z
:55 Aarra in#ertida
BeralmenteI a 7arra in*ertida >a? o mesmo ;ue colocar um caractere
entre a$óstro>es% Nuando uma 7arra in*ertida é usadaI ela de*e $receder
cada caract ere a ser marcadoZ
< Manipulando Arquivos e Diretórios
<1 Introdu.$o
0 >unção essencial de um com$utador é arma?enar in>ormações Jar;ui*osK
e catalog"Elos de >orma ade;uada em diretóriosI >ornecendoI se $ossG*elI
algum es;uema de segurança de modo ;ue $essoas não autori?adas não
ten4am acesso a ar;ui*os im$ortantes%
,este ca$Gtulo *ocH a$render" como mani$ular ar;ui*os e diretórios no
L+,U-% Sa7er co$iarI mo*erI ei7ir o conte@do de um ar;ui*oI e locali?ar
um ar;ui*o são algumas das ati*idades ;ue *eremos neste ca$Gtulo%
Os comandos a;ui a$resentados não são a totalidade dos comandos
dis$onG*eisI mas certamente são su>icientes $ara ;ue *ocH consiga
Linu !"sico #.
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
eecutar >unções tG$icas e usuais de um $rogramador ou de um usu"rio de
a$licati*os em am7iente L+,U-%
<2 Identificando o >iret"rio -orrente
p0d
O comando p0d Jprint working directoryK não $ossui nen4uma o$ção ou
argumento% Este comando mostra o nome do diretório corrente ou de
diretório de tra7al4o Jworking directoryK% VocH $ode utili?"Elo $ara se situar
no sistema de ar;ui*os% 5or eem$loI é sem$re @til *eri>icar o diretório
corrente antes de criar ou remo*er ar;ui*os e diretórios% <o mesmo
modoI o p0d é @til $ara con>irmar o diretório corrente a$ós *"rias trocas de
diretórios%
<5 -riando diret"rios
m8dir
,os diretórios $odemos agru$ar in>ormações a>insI isto éI ar;ui*os ;ue
$ossuem alguma interErelação% O nome do diretório de*e ser signi>icati*o e
$ermitir um acesso e uma locali?ação r"$ida dos ar;ui*os arma?enados no
seu sistema de ar;ui*os%
O comando m8dir Jmake directoryK é utili?ado $ara criar diretórios% Os
nomes dos diretórios a serem criados são $assados como argumentos
$ara o comando% Estes nomes $odem ter até '&& caracteresI e de*em ser
@nicosI isto éI não $ode 4a*er dois diretórios com mesmo nome dentro
de um mesmo su7diretórioI nem mesmo um ar;ui*o e um diretório iguais
em um mesmo su7diretório%
O$çõesA
@m modo Es$eci>ica o modo de $ermissão de acesso $ara o diretório ;ue
est" sendo criadoZ
@p Cria os diretórios $ai citados no nome do diretório ;ue est" sendo
criadoZ
*xemplos ?
1@Crie um diretório c4amado teste com o seguinte modo de $ermissão 9##
$m+dir -m ,&& teste
$ls-l
total &
drwx--x-- x - g$est $sers &.-/ 0a1 &' -&:-, teste2
2@Crie um diretório c4amado curso com um diretório >il4o c4amado aula#
$m+dir-p c$rso2a$la&
Linu !"sico '1
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
$ls-l
total -
drwx--x-- x - g$est $sers &.-/ 0a1 &' -&:-, teste2
drwxr- xr- x ) g$est $sers &.-/ 0a1 &' -&:)) c$rso2
$ls-l c$rso total &
drwxr- xr- x - g$est $sers &.-/ 0a1 &' -&:)) a$la&2
<9 Listando diret"rios
ls B6a-,pdlm;rstucxC BnomesC
,ormalmente o conte@do de um diretório é listado em ordem al>a7éticaI
um item $or lin4a% 0s di*ersas o$ções do comando ls $ermitem ada$tar o
>ormato da listagem%
Se nada >or es$eci>icado em nomes todos os itens do diretório corrente
são listados% Entretanto em nomes é $ossG*el determinar m"scaras J>iltrosK
$ara selecionar $adrões de nomes de itens a serem listados%
5rinci$ais o$çõesA
● @a 6ll Lista todos os itens I inclusi*e os ;ue começam com $ontosZ
● @l Long Lista o conte@do de um item ;ue é diretórioZ
● @; ;ecursi#e Lista todos os diretórios encontrados e seus
su7diretóriosZ
● @t 2ime Ordena os itens $or 4ora3data de modi>icaçãoZ
*xemplo?
$ ls -la
<: Mudando de diret"rio
cd Dnome@do@diret"rioE
O comando cd Jchange directoryK é utili?ado $ara mudar o diretório de
tra7al4o corrente% ,ão 4" o$ções $ara este comando% O nome do no*o
diretório de tra7al4o é indicado em nomeEdoEdiretório% Se *ocH não
es$eci>icar um diretórioI cd >ar" com ;ue o seu diretório de entrada Jhome
directoryK se torne o seu diretório corrente% Se nomeEdoEdiretório >or um
su7diretório do seu diretório correnteI 7asta in>ormar o nome dele% Caso
contr"rio *ocH $ode in>ormar o nome relati*o ou a7soluto do diretório $ara o
;ual *ocH ;uer mudar%
<< -riando ar+ui#os #aFios
touch Dar+ui#oE
Cria um ar;ui*o *a?io de nome ar;ui*o%
Linu !"sico '#
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
*xemploA
1E Crie um ar;ui*o *a?io de nome teste%>ile
$ to$ch teste!(ile
<= Inserindo texto em ar+ui#os
echo Gtexto a ser inseridoH EE Dar+ui#oE
+nsere o Uteto a ser inseridoV ao >inal do ar;ui*o%
*xemploA
$ echo 3teste texto4 >> teste!(ile
<I -onteJdo de um ar+ui#o
cat Bs#teC Dar+ui#osE
O comando cat mostra o conte@do de ar;ui*os Jou da entrada $adrãoKI
a$resentadoEo na tela Jde >atoI na saGda $adrãoK% L $ossG*el utili?ar o cat $ara
criarI ei7ir e Muntar ar;ui*os% Nuando utili?aEse o cat $ara concatenar
ar;ui*osI os ar;ui*os da origem $ermanecem intactos%
O$çõesA
*xemplo?
1@ :ostre o conte@do do ar;ui*o teste%>ile A
$cat teste!(ile c$rso
teste texto
<K -opiando ar+ui#os
cp Dar+ui#o@origemE Dar+ui#o@destinoE
O comando cp JcopyK co$iaI isto éI cria uma có$ia de um ar;ui*o com
outro nome ou em outro diretório sem a>etar o ar;ui*o original% VocH $ode
usar esse comando $ara criar có$ias de segurança de ar;ui*os im$ortantes
ou $ara co$iar ar;ui*os ;ue ;ueira modi>icar% Se 4" algum ar;ui*o ;ue *ocH
;uer ter em mais de um diretórioI $ode usar o comando cp $ara co$i"Elo
$ara outros diretórios%
,a lin4a de comandoI ar;ui*oEorigem é o nome do ar;ui*o ;ue *ocH ;uer
co$iar e ar;ui*oEdestino é o nome ;ue *ocH ;uer dar C có$ia% Lem7reEseA
se *ocH >i?er uma có$ia de um ar;ui*o no mesmo diretórioI ela não
$oder" ter o mesmo nome de ar;ui*oEorigem% Com este comando *ocH
$ode acidentalmente $erder ar;ui*os se M" eistir um ar;ui*o com o nome
ar;ui*oEdestinoI neste caso o comando cp escre*e o no*o ar;ui*o $or cima
do antigo%
Linu !"sico ''
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
*xemploA
1E Co$ie o ar;ui*o >ile%teste $ara testeA
] c$ >ile%teste >ile%teste%'
<1L Mo#endo3;enomeando ar+ui#os
m# Dar+ui#o@origemE Dar+ui#o@destinoE
O comando m# Jmo*eK >unciona com ar;ui*os da mesma maneira como
>unciona com diretórios% 5odeEse usar m# $ara renomear um ar;ui*o ou $ara
mo*HElo $ara outro diretórioI de$endendo dos argumentos ;ue *ocH utili?ar%
,a lin4a de comandoI ar;ui*oEorigem é o nome do ar;ui*o cuMo nome *ocH
deseMa mudarI e ar;ui*oEdestino o no*o nome $ara este ar;ui*o% Se
ar;ui*oEdestino M" eistirI m# $rimeiro remo*e o ar;ui*o M" eistente e
de$ois renomeia ar;ui*oEorigem com o no*o nome% 5ara e*itar este
$ro7lemaI *ocH tem duas o$çõesA
● Eaminar o conte@do do diretório antes de renomear um ar;ui*oI
$ara *eri>icar se o no*o nome ;ue *ocH deseMa atri7uir M" eisteZ
● Usar a o$ção @i Jinteracti#eK ;ue $ermite uma con>irmação da
remoção de um ar;ui*o entes de o comando m# remo*HElo%
Se ar;ui*oEdestino >or o nome de um diretório $resente no diretório
correnteI então o comando m# entende ;ue ar;ui*oEorigem de*e ser
mo*ido $ara o diretório ar;ui*oEdestinoI e não ;ue este de*e ser eliminado
e su7stituGdo $or ar;ui*oEorigem%
Se *ocH mo*er um ar;ui*o $ara um no*o diretórioI o ar;ui*o ter" o
mesmo nome de ar;ui*oEorigemI a menos ;ue *ocH es$eci>i;ue o no*o
nome tam7émI dando o nome do camin4o Jrelati*o ou a7solutoK antes do
nome do ar;ui*o%
*xemplo?
1@ :o*a o ar;ui*o >ile%teste $ara o diretório teste interati*amente A
$ m%-i (ile!teste!- teste
<11 -omo ligar ar+ui#os
ln B@op.MesC fonte destino
Uma ligação é uma entrada em um diretório ;ue a$onta $ara um ar;ui*o%
O Sistema o$eracional cria a $rimeira ligação a um ar;ui*o ;uando este é
criado% O comando ln é geralmente usado $ara criar m@lti$las re>erHncias
ao ar;ui*o em outros diretórios% Uma ligação não cria uma có$ia de um
ar;ui*oI ela é sim$lesmente outra indicação $ara os mesmos dados%
Linu !"sico '/
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Nuais;uer alterações em um ar;ui*o são inde$endentes do nome usado
$ara se re>erir ao ar;ui*oI ou seMaI alterando o ar;ui*o ou a ligação o e>eito
é o mesmo%
0s ligações não $odem ser >eitas entre sistemas de ar;ui*osI a menos ;ue
a o$ção @s seMa usada% Esta o$ção cria uma ligação sim7ólica ;ue é um
ar;ui*o ;ue contém o nome do camin4o do ar;ui*o ao ;ual ele est" ligado%
O$çõesA
@s 5ermite a construção de um ar;ui*o de ligação sim7ólica $ara ligar
um ar;ui*o em um outro sistema de ar;ui*os% Um ar;ui*o de ligação
sim7ólica contém o nome a7soluto do ar;ui*o no outro sistema de
ar;ui*osZ
*xemplo?
1@ Crie uma ligação sim7ólica $ara o ar;ui*o teste c4amado slinS A
$ ln -s (ile!teste slin+
$ ls -l
<111 %otas?
• Nuando *ocH liga um ar;ui*o a outroI não est" criando outro ar;ui*oI
mas sim$lesmente dando ao ar;ui*o antigo outro endereço% 0s
mudanças >eitas no ar;ui*o ou em uma de suas ligações a>etam tanto
o ar;ui*o como todas as suas ligações%
• 0s $ermissões são as mesmas $ara todas as ligações de um ar;ui*o%
0lterar as $ermissões de uma das ligações im$lica em alterar as
$ermissões de todas as ligações automaticamente%
• 0s ligações criadas com ln $odem ser remo*idas com rm% +sto não
signi>ica ;ue o ar;ui*o original ser" remo*ido%
<12 -omo remo#er ar+ui#os
rm B @op.Mes C ar+ui#o(s)
O comando rm remo*e o ar;ui *o e3ou as ligações% Nuando a @ltima
ligação é remo*idaI o ar;ui*o não $ode mais ser acessado e o sistema
li7era o es$aço ocu$ado $elo ar;ui*o $ara outro uso% Se o ar;ui*o >or de
ligação sim7ólicaI a ligação do ar;ui*o é remo*ida%
5ara remo*er um ar;ui*o é eigida a $ermissão de gra*ação do diretório $ai
do ar;ui*o% Entretanto não é eigido o acesso de leitura ou gra*ação ao
ar;ui*o% Os caracteres es$eciais $odem ser usados $ara se re>erir a *"rios
ar;ui*os sem indicar cada nome se$aradamente%
O$ções A
Linu !"sico '6
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
@f Força a remoção de ar;ui*os com $roteção de gra*ação%
@r 8emo*e recursi*amente o diretório citado e seus su7diretórios%
<15 LocaliFando ar+ui#os
find diret"rios Bexpress$oC
O comando find $rocura recursi*amente $or ar;ui*os em diretórios do
sistema de ar;ui*os%
O argumento diretórios es$eci>ica em ;uais diretórios a 7usca de*e ocorrer%
0 7usca recursi*a >a? com ;ue a 7usca ocorra não a$enas nos diretórios
es$eci>icadosI mas em todos os su7diretórios dos diretórios es$eci>icadosI
nos su7diretórios dos su7diretórios delesI etc% O argumento e$ressão
consiste em um ou mais argumentosI ;ue $odem ser um critério de 7usca
ou uma ação ;ue o >ind de*e tomarI ou ainda am7os os casos% Se *"rios
argumentos >orem es$eci>icadosI eles de*em ser se$arados $or es$aço
em 7ranco%
O comando find tam7ém $ossui um grande n@mero de o$ções ;ue $odem
ser utili?ados na 7usca $or ar;ui*os em um sistema de ar;ui*os% ,este
curso *amos a7ordar a$enas os mais usuaisI su>icientes $ara com$reender
o >uncionamento do comando%
E$ressãoA
@iname ar+ui#o Seleciona os ar;ui*os com nomes ;ue corres$ondam a
ar;ui*oI ignorando JiK mai@sculas e min@sculasI sendo ;ue ar;ui*o $ode ser
um nome de ar;ui*oI ou um $adrão de nomes de ar;ui*os Jes$eci>icado
com o uso de aKI mas de*e ser $recedido de uma 7arra in*ertidaZ
@user nome Seleciona ar;ui*os ;ue $ertencem ao usu"rio nomeZ
@exec cmd NOPQ RS Eecuta o comando cmd nos ar;ui*os selecionados
$elo comando >indZ Um $ar de c4a*es re$resenta cada nome de ar;ui*o ;ue
est" sendo a*aliadoZ Um $onto e *Grgula marcado encerra a açãoZ
T +n*erte o sentido do argumento ;ue o sucede% 5or eem$loI DeEiname
ar;ui*oD seleciona um ar;ui*o cuMo nome não corres$onde a ar;ui*oZ
@o 5ermite uma seleção disMunti*a de ar;ui*osI es$eci>icada $or dois
argumentos distintos% +sto éI ;uando usamos dois argumentos $ara
es$eci>icar a 7uscaI o ar;ui*o é selecionado se satis>i?er am7os os critérios
de 7usca% Com Eo $odemos selecionar ar;ui*os ;ue satis>a?em um ou outro
dos argumentos es$eci>icado $ara a 7usca% 5or eem$loI DEiname ar;ui*oEoE
user nomeD selecionar" ar;ui*os ;ue $ossuem nomes corres$ondentes a
ar;ui*o ou cuMo usu"rio seMa corres$ondente a nomeZ
*xemplos A
Linu !"sico '&
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
1@Encontre o ar;ui*o teste%>ile a $artir do seu diretório 7aseI im$rima os
camin4os
$ (ind 5 -iname teste!(ile
!2c$rso2a$la&2teste!(ile
!2teste!(ile
2@Encontre todos os seus ar;ui*os a $artir do diretório curso A
$ (ind 52c$rso -$ser al$no
2home2g$est2c$rso2a$la&
!!!
5@Encontre e a$ague todos os seus ar;ui*os teste%>ile A
$ (ind 5 -iname teste!(ile -exec rm 67 89
<151 %otas?
Como o comando find *eri>ica todos os ar;ui*os em um diretório
es$eci>icado em todos os su7diretórios contidos neleI o comando $ode
tornarEse demorado% VeMa mais adiante como eecut"E lo em &ackground%
<19 'rocurando nos ar+ui#os
grep B@op.MesC Nse+uUncia de caracteresQ ar+ui#o(s)
O comando grep $rocura uma se;[Hncia de caracteres em um ou mais
ar;ui*osI lin4a $or lin4a% 0 ação es$eci>icada $elas o$ções é eecutada em
cada lin4a ;ue contém a se;[Hncia de caracteres $rocurada%
Se mais de um ar;ui*o >or indicado como argumento do comandoI o grep
antecede cada lin4a de saGda ;ue contém a se;[Hncia de caracteres com
o nome do ar;ui*o e dois $ontos% O nome do ar;ui*o é mostrado $ara cada
ocorrHncia da se;[Hncia de caracteres em um determinado ar;ui*o%
O$ções A
@i +gnora mai@sculas ou min@sculasZ
@n :ostra o n@mero de lin4as com o output das lin4as ;ue contHm a
se;uHncia de caracteresZ
@# 0n"lise contr"ria% :ostra todas as lin4as ;ue n$o contém a se;[Hncia de
caracteresZ
*xemplos?
1@ 5rocure a se;[Hncia hrooth no ar;ui*o 3etc3$assFd A
$ grep root 2etc2passwd
2@5rocure a se;[Hncia h rooth em todos os ar;ui*os do diretório 3etcI
inde$endente de mai@sculas ou min@sculas A
Linu !"sico '(
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
$ grep -i root 2etc2
<1: More3less
5aginadores $ara *isuali?ação em tela% Nuando usamos o cat $ara *er o
conte@do de um ar;ui*oI e se o mesmo >or muito etensoI teremos di>iculdade
em *er o inGcio do mesmo% Com o more3less é $ossG*el Una*egarV $elo conte@do
dos ar;ui*os ou da da saGda $adrão%
*xemploA
$ more 2etc2passwd
<1< !ead e 2ail
:ostram na tela as #1 $rimeiras ou #1 @ltimas lin4as de um ar;ui*osI
res$ecti*amente% :uito @teis $ara an"lise de loghs%
<1<1 Op.Mes
-n num m$da a #$antidade de linhas a serem apresentadas! Por
exemplo -n ). mostra ). linhas do ar#$i%o!
-( at$ali:a contin$amente o conte;do do ar#$i%o< o$ se=a< se
o ar#$i%o esti%er sendo modi(icado as alteraç>es
aparecerão na tela!
*xemplosA
$ tail -n -. 2etc2passwd
$ head -n &. 2etc2passwd
<1= GFip e GunFip
Com$acta e descom$acta ar;ui*osI res$ecti*amente% Um @nico $or *e?I
mudando a etensão do mesmo%
*xemplosA
$ g:ip teste!(ile!-
$ ls -l
$ g$n:ip teste!(ile!-!g:
$ ls -l
<1I 2ar
1
TAR o$ tar ?abre%iat$ra de Tape ARchi%e@< A $m (ormato de
ar#$i%amento de ar#$i%os! Bpesar do nome CtarC ser deri%ado de
Ctape archiveC< o se$ $so não se restringe a (itas magnAticas! Dle
se torno$ largamente $sado para arma:enar %ários ar#$i%os em $m
;nico< preser%ando in(ormaç>es como datas e permiss>es! Eormalmente
# 4tt$A33$t%FiSi$edia%org3FiSi3T08
Linu !"sico '9
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
A prod$:ido pelo comando CtarC! F s$portado pelo programa Ginrar!
tar tam7ém é o nome de um $rograma de ar;ui*amento desen*ol*ido $ara
arma?enar J&ackupK e etrair ar;ui*os de um ar;ui*o tar J;ue contém os
demaisK con4ecido como tar>ile ou tar7all% O $rimeiro argumento $ara tar de*e
ser uma das seguintes o$çõesA 0cdrtuI seguido $or uma das seguintes >unções
adicionais% Os argumento >inais do tar são os nomes dos ar;ui*os ou diretórios
nos ;uais eles $odem ser ar;ui*ados% O uso de um nome de diretórioI im$lica
sem$re ;ue os su7diretórios so7 eleI serão incluGdos no ar;ui*o%
<1I1 Usando o 26;
O ;ue o Bi+5 não consegue >a?erI o T08 JTa$e 08c4i*esK >a?% Ele é um a$licati*o
ca$a? de arma?enar *"rios ar;ui*os em um só% 5orémI não é ca$a? de
com$actar os ar;ui*os arma?enados% Como é $ossG*el notarI o T08 ser*e de
com$lemento $ara o Bi+5 e *iceE*ersa% 5or issoI >oi criado um $arTmetro no T08
$ara ;ue am7os os $rogramas $ossam tra7al4ar Muntos% 0ssimI o T08 DMuntaD os
ar;ui*os em um só% Este ar;ui*oI $or sua *e?I é então com$actado $ela Bi+5%
O T08 tam7ém consegue gra*ar a $ro$riedade e as $ermissões dos ar;ui*os%
0indaI consegue manter a estrutura de diretórios original Jse 4ou*e
com$actação com diretóriosKI assim como as ligações diretas e sim7ólicas%
0 sintae do T08 éA
tar c$arTmetrosd cE> ar;ui*od car;ui*os%%%d%
07aioI segue a lista de $arTmetros%
5arTmetros $rinci$aisA
@c cria um no*o ar;ui*o tarZ
@p mantém as $ermissões originais doJsK ar;ui*oJsKZ
@r acrescenta ar;ui*os a um ar;ui*o tarZ
@t ei7e o conte@do de um ar;ui*o tarZ
@# ei7e detal4es da o$eraçãoZ
@x etrai ar;ui*os de um ar;ui*o tarZ
@F com$rime o ar;ui*o tar resultante com o g?i$Z
@f es$eci>ica o ar;ui*o tar a ser usadoZ
0 seguir mostramos eem$los de utili?ação do T08% Em alguns $arTmetros o uso
de hEh J4G>enK não é necess"rio% <esta *e?I os comandos não serão e$licados%
EecuteEos e descu7ra o ;ue cada um >a?% 8e$are na com7inação de $arTmetros
e tente entendHEla% 0ssimI *ocH sa7er" eatamente o ;ue est" >a?endo% !om
a$rendi?adoe
Linu !"sico '=
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
tar -c%( ar#!tar ar#& ar#-
tar -c:%( ar#!tg:
tar -r( ar#!tar ar#
tar -t:( ar#!tar
tar -x% -( ar#!tar
7 Permissão de Acesso à Diretórios e Arquivos
)" uma maneira de restringir o acesso aos ar;ui*os e diretórios $ara
;ue somente determinados usu"rios $ossam acess"Elos% 0 cada ar;ui*o e
diretório é associado um conMunto de $ermissões% Essas $ermissões
determinam ;uais usu"rios $odem lerI e escre*er JalterarK um ar;ui*o eI
no caso de ser um ar;ui*o eecut"*elI ;uais usu"rios $odem eecut"Elo% Se
um usu"rio tem $ermissão de eecução $ara um diretórioI signi>ica ;ue ele
$ode reali?ar 7uscas dentro da;uele diretórioI e não eecut"Elo como se
>osse um $rograma%
Nuando um usu"rio cria um ar;ui*o ou um diretórioI o L+,U- determina ;ue
ele é o $ro$riet"rio JownerK da;uele ar;ui*o ou diretório% O es;uema de
$ermissões do L+,U- $ermite ;ue o $ro$riet"rio determine ;uem tem
acesso e em ;ue modalidade eles $oderão acessar os ar;ui*os e diretórios
;ue ele criou% O su$erEusu"rio JrootKI entretantoI tem acesso a ;ual;uer
ar;ui*o ou diretório do sistema de ar;ui*os%
=1 'ermissMes de acesso?
O conMunto de $ermissões é di*idido em trHs classesA $ro$riet"rioI gru$o e
usu"rios% Um gru$o $ode conter $essoas do mesmo de$artamento ou
;uem est" tra7al4ando Munto em um $roMeto% Os usu"rios ;ue $ertencem
ao mesmo gru$o rece7em o mesmo n@mero do gru$o Jtam7ém c4amado
de Brou$ +d ou B+<K% Este n@mero é arma?enado no ar;ui*o 3etc3$assFd
Munto com outras in>ormações de identi>icação so7re cada usu"rio% O
ar;ui*o 3etc3grou$ contém in>ormações de controle so7re todos os
gru$os do sistema% 0ssimI $ode Ese dar $ermissões de acesso di>erentes
$ara cada uma destas trHs classes%
Nuando *ocH eecuta ls El em um diretório ;ual;uerI os ar;ui*os são
ei7idos de maneira semel4ante a seguinteA
total 61/#.(
drFrErE 6 odilson admin 61.( 07r ' #6A6= !rO>>icej'%#j+ntalacaojOindoFs3
ErFErEErEE # lui?$ admin ##/=##='= Out /# '#A'= 7ro>>ice%org%'%1%6%r$m%tar%7?'
ErFErEErEE # root root ##9/'6(#6 <e? '9 #6A69 7ro>>ice%org%'%#%1%r$m%tar%7?'
ErFErEErEE # lui?$ admin .1/.1#=( Out /# ''A16 !rOoj'%1%6jOin/'+nteljinstallj$tE!8%ee
ErFErEErEE # root root .#/'9(#& Jan & '#A'9 !rOoj'%#%1j191#1&jOin/'+nteljinstallj$tE!8%ee
Linu !"sico '.
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
0s colunas ;ue a$arecem na listagem sãoA
#% Es;uema de $ermissõesZ
'% ,@mero de ligações do ar;ui*o ou diretórioZ
/% ,ome do usu"rio dono do ar;ui*o ou diretórioZ
6% ,ome do gru$o dono do ar;ui*o ou diretórioZ
&% Taman4o do ar;ui*oI em 7QtesZ
(% :Hs da criação do ar;ui*oZ
9% <ia da criação do ar;ui*oZ
=% )ora da criação do ar;ui*oZ
.% ,ome do ar;ui*oZ
O es;uema de $ermissões est" di*idido em #1 colunasI ;ue indicam se o
ar;ui*o é um diretório ou não Jcoluna #KI e o modo de acesso $ermitido
$ara o $ro$riet"rio Jcolunas 'I / e 6KI $ara o gru$o Jcolunas &I ( e 9K e $ara
os demais usu"rios Jcolunas =I . e #1K%
Eistem trHs modos distintos de $ermissão de acessoA leitura JreadKI
escrita JwriteK e eecução Je'ecuteK% 0 cada classe de usu"rios *ocH $ode
atri7uir um conMunto di>erente de $ermissões de acesso% 5or eem$loI
atri7uir $ermissão de acesso irrestrito Jde leituraI escrita e eecuçãoK $ara
*ocH mesmoI a$enas de leitura $ara seus colegasI ;ue estão no mesmo
gru$o ;ue *ocHI e nen4um acesso aos demais usu"rios% 0 $ermissão de
eecução somente se a$lica a ar;ui*os ;ue $odem ser eecutadosI
o7*iamenteI como $rogramas M" com$ilados ou scri$t s4ell% Os *alores
*"lidos $ara cada uma das colunas são os seguintesA
● # d se o ar;ui*o >or um diretórioZ Ese >or um ar;ui*o comumZ
● 'I&I= r se eiste $ermissão de leituraZ Ecaso contr"rioZ
● /I(I. F se eiste $ermissão de alteraçãoZ Ecaso contr"rioZ
● 6I9I#1 se eiste $ermissão de eecuçãoZ Ecaso contr"rioZ
0 $ermissão de acesso a um diretório tem outras considerações% 0s
$ermissões de um diretório $odem a>etar a dis$osição >inal das
$ermissões de um ar;ui*o% 5or eem$loI se o diretório d" $ermissão de
gra*ação a todos os usu"riosI os ar;ui*os dentro do diretório $odem ser
remo*idosI mesmo ;ue esses ar;ui*os não ten4am $ermissão de leituraI
gra*ação ou eecução $ara o usu"rio% Nuando a $ermissão de eecução é
de>inida $ara um diretórioI ela $ermite ;ue se $es;uise ou liste o conte@do
do diretório%
Linu !"sico /1
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
=2 4erificando as permissMes de acesso
O comando ls El mostra os atri7utos dos ar;ui*os e dos diretórios%
,ormalmente as $ermissões $adrão $ara os diretórios JrFrFrFK
$ermitem o acesso de leituraI gra*ação e eecução $ara todos os usu"rios
J$ro$riet"rioI mem7ros do gru$o e outrosK% 5ara os ar;ui*os as $ermissões
$adrão JrFErFErFEK $ermitem acesso de leitura e gra*ação $ara o
$ro$riet"rioI mem7ros do gru$o e todos os demais usu"rios% 0s $ermissões
$adrão $odem ser modi>icadas com o uso do comando umasS ;ue ser"
a$resentado mais adiante%
=5 6lterando a permiss$o de acesso
chmod modo@de@permissão arquivo
O modoEdeE$ermissão na lin4a de comando é re$resentado em um dos
dois >ormatosA octal Ja7solutoK ou sim7ólico% O >ormato octal usa *alores
numéricos $ara re$resentar as $ermissões%
=51 ,ormato octal do modo de permissMes
)" oito *alores numéricos $ossG*eis J1 E9K ;ue re$resentam o modo de
$ermissão $ara cada ti$o de usu"rio% Estes *alores são o7tidos $ela soma
do ti$o de $ermissão deseMadaI segundo a ta7ela a7aioA
$ermissão r F
*alor 6 ' #
*xemplo A Usando o >ormato octalI mude o modo de $ermissão do ar;ui*o
teste%>ile $ara ;ue o $ro$riet"rio ten4a acesso total e todos os outros
usu"rios Jgru$o e outrosK ten4am a$enas $ermissão de leitura e eecução A
$ chmod ,'' teste!(ile HH> ,Hrwx ?/I-I&@9 'Hr-x ?/I&@
$ ls-l teste!(ile
-rwxr-xr-x & al$no al$no &/,' 0a1 -. &&:.- teste!(ile
=52 ,ormato sim("lico do modo de permissMes
O >ormato sim7ólico usa letras e sGm7olos $ara indicar o modo de
$ermissão% Ele é com$osto de trHs elementos A
2ipo de usuário
● u Usu"rio J 5ro$riet"rio K
● g Bru$o
● o Outros
● a Todos
Linu !"sico /#
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
6.$o
0 ação signi>ica como serão alteradas as $ermissões%
● V 0crescenta $ermissãoJõesK
● E 8emo*e $ermissãoJõesK
● k 0tri7ui a $ermissão e$licitamente
Os o$eradores W e Eacrescentam e remo*em as $ermissões relati*as ao
modo de $ermissão corrente% O o$erador k reiniciali?a todas as
$ermissões e$licitamente Jeatamente como indicadoK
2ipo de permiss$o
● r Leitura
● 0 Bra*ação
● x Eecução
0 com7inação desses trHs elementos >ormam o modo de $ermissão no
>ormato sim7ólico%
*xemplo s A
1@ Tire a $ermissão de eecuçãoI so7re o ar;ui*o testeI do gru$o e dos
outros usu"rios A
$ chmod go-x teste
$ ls-l teste
-rwxrw-rw- - g$est $ser s '&- 0a1 -. &/:./ teste
2@ :ude as $ermissões do ar;ui*o $rog' $ara ;ue todos os usu"rios
$ossam ler e eecut"E loA
$ chmod aHrx prog-
$ ls-l
-r-xr-xr- x & g$est $sers &JKL 0a1 -. .K:-L prog-
=9 Mudando as permissMes padr$o
umas8 B permiss$o C
:odi>ica os modos $adrão de $ermissão $ara os no*os ar;ui*os ;ue *ocH
criar% ,o comandoI n@mero é um n@mero octal de trHs dGgitosI como *isto
no comando c4mod% Entretanto a;ui *ocH es$eci>ica de maneira in*ersaI
isto éI em c4mod se *ocH utili?ar n@mero igual a 999I *ocH estar"
concedendo autori?ação de leituraWescritaWeecução $ara *ocH mesmoI
$ara o gru$o e $ara todos os demais usu"rios% Com o comando umasS se
*ocH es$eci>icar n@mero igual a 999I *ocH estar" negando acesso a todas
as classes em ;ual;uer modo% <e >atoI a $ermissão ;ue ser" concedida é
dada $ela di>erença entre a $ermissão $adrão originalI ;ue é 999 $ara
diretórios e ((( $ara ar;ui*osI e a $ermissão es$eci>icada em umasS% 5or
Linu !"sico /'
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Eem$lo A
<iretóriosA
● 5ermissão $adrão 999JrFrFrFK
● Valor de umasS 1'/
● ,o*as $ermissões 9&6 JrFr ErEE K
0r;ui*osA
● 5ermissão $adrão (((JrFErFE rFEK
● Valor de umasS 1''
● ,o*as $ermissões (66 JrFEr EEr EEK
Sem es$eci>icar um n@mero umasS mostrar" o *alor corrente da m"scara
de $ermissões% Os ar;ui*os e diretórios criados antes do uso do comando
$ermanecem com as $ermissões inalteradas%
*xemplo A
1@ :ostrar o *alor atual da m"scara de $ermissões A
$ $mas+
..--
2@ :udar o *alor da m"scara $ara ;ue os no*os a;ui*os ten4am a
seguinte $ermissão A $ro$riet"rio com acesso a leitura e escritaI gru$o
com acesso a leitura e eecução e outro somente $ara leitura A
$ $mas+ .&-
=: Wgroup@idW de um ar+ui#o
chgrp grupo ar+ui#o
O comando chgrp muda a identi>icação do gru$o de um ar;ui*o% 5ode ser
utili?ado $ara conceder $ermissão de leitura e escrita $ara outro gru$o
;ue não o seuI sem ter ;ue conceder as mesmas $ermissões $ara todos
os demais usu"rios% VocH só $oder" mudar o gru$o do ar;ui*o ;ue *ocH
mesmo criou% 0lém de *ocH somente o su$erEusu"rio $oder" >a?er isso%
*xemplo A :ude o gru$o do ar;ui*o memo# $ara users' A
$ ls -l memo&
-rw- r --r-- & g$est $sers JK/ 0a1 &- &&:.- memo&
$ chgrp $sers- memo&
$ ls -l memo&
-rw-r--r-- & g$est $sers- JK/ 0a1 &- &&:.- memo&
=< Wo0nerW de um ar+ui#o
cho0n usuário ar+ui#o
Linu !"sico //
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Usado $ara mudar a identi>icação de $ro$riet"rio associada a um ar;ui*o%
VocH só $oder" a$licar este comando aos ar;ui*os ;ue *ocH mesmo criou%
0lém de *ocH somente o su$erEusu"rio $oder" >a?HElo% O7ser*e ;ue uma *e?
;ue *ocH ten4a alterado a identi>icação de $ro$riet"rio ;ue est" associada a
um ar;ui*oI *ocH não é mais o $ro$riet"rioI e não $oder" mais >a?er a
alteração in*ersa%
*xemplo A :ude a $ro$riedade do ar;ui*o $rog# $ara guest' A
$ ls -l prog&
-rw-r-xr-- & g$est $sers &,L' 0a1 &, &):)/ prog&
$ chown g$est- prog&
$ ls-l prog&
-rw-r-xr-- & g$est- $sers &,L' 0a1 &, &):)/ prog&
I ;edirecionamentos
I1 *ntrada e SaXda dos comandos
Nuase todos os comandos do L+,U- usam uma entrada e $rodu?em uma
saGda% 0 entrada $ara um comando são os dados so7re os ;uais o
comando ir" o$erar% Esses dados $odem *ir de um ar;ui*o es$eci>icado
$elo usu"rioI de um ar;ui*o de sistema do L+,U-I do terminal Jdo tecladoK
ou da saGda de outro comando% 0 saGda de um comando é o resultado da
o$eração ;ue ele reali?a so7re a entrada% 0 saGda do comando $ode ser
im$ressa na tela do terminalI en*iada a um ar;ui*oI ou ser*ir de entrada
$ara outro comando%
,este ca$Gtulo *ocH *ai a$render a mani$ular estas entradas e saGdasI
$ara $oder criar e ler ar;ui*os durante o uso de alguns comandosI e
tam7ém a$render" a encadear comandosI >a?endo com ;ue um comando
utili?e como entrada a saGda de outro%
I2 *ntrada e SaXda 'adr$o
0lguns comandos tHm a$enas uma >onte $ossG*el $ara a entradaI $or
eem$lo o comando date sem$re utili?a o sistema interno de relógio $ara
indicar a data e 4ora% Outros comandos eigem ;ue *ocH es$eci>i;ue uma
entrada% Se não es$eci>icar uma >onte de entrada Muntamente com esses
comandosI o L+,U- considera ;ue ela *ir" do tecladoI isto éI ele es$erar"
;ue *ocH digite a entrada% 5or isso o teclado é c4amado de entrada
$adrão%
0s in>ormações do teclado são utili?adas no $rocessamentoI e $ara sua
>acilidade o L+,U- tam7ém ecoa Ja$resenta na telaK o ;ue *ocH digitar%
<esta >ormaI *ocH $ode certi>icarEse de ter digitado os comando
corretamente%
Linu !"sico /6
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
,ormalmenteI ;uase todos os comandos en*iam suas saGdas $ara a tela
do terminalI ;ue é c4amada de saGda $adrão% Como com as entradasI *ocH
tam7ém $ode redirecionar as saGdas dos comandos $ara outro destino ;ue
não é a saGda $adrãoI $or eem$lo $ara ar;ui*os ou $ara a entrada de
outros comandos%
0lguns comandosI como rmI m* e mSdir não $rodu?em nen4uma saGda%
Entretanto esses comandos e muitos outros $odem a$resentar mensagens
de erro na tela se não o7ti*erem sucesso no seu $rocessamento% +sto
ocorre $or;ue a tela do terminal tam7ém é a saGda de erros $adrãoI isto éI
o local $ara onde são en*iadas as mensagens de erro% 0s mensagens de
erro dos comandos não de*em ser con>undidas com as saGdas dos
comandos%
O s4ell do L+,U- redireciona a >onte e o destino da entradaI de modo ;ue o
comando não $erce7e se a entrada $adrão est" direcionada $ara o teclado
do terminal ou $ara um ar;ui*o% <a mesma >ormaI o comando não $erce7e
se a saGda $adrão est" direcionada $ara a tela do terminalI $ara um ar;ui*o
ou $ara a entrada de outro comando%
I5 ;edirecionamento de *3S
)" trHs métodos 7"sicos $ara redirecionar a entrada ou saGda de um
comando% Uma delas é sim$lesmente >ornecer como argumento $ara o
comando o nome do ar;ui*o ;ue de*e ser usado como entrada ou saGda
$ara o comando% Este método >unciona com alguns comandosI como $or
eem$lo catI $g e outros% J" comandos como o $Fd não $odem rece7er
um ar;ui*o como argumento% :esmo com os >iltros Jclasse de comandos
a ;ual $ertencem o cat e o $gK nem sem$re é $ossG*el es$eci>icar a saGda%
Outro método $ara redirecionar a entrada ou saGda é utili?ar os sGm7olos
de redirecionamento% Como muitos comandos $odem rece7er ar;ui*os de
entrada so7 a >orma de argumentosI os sGm7olos de redirecionamento são
mais utili?ados $ara direcionar a saGda dos comandos%
Um terceiro método de redirecionar entradas e saGdas é usando $i$esI
;ue en*iam a saGda de um comando $ara outroI ou seMaI a saGda de um
comando ser*e como entrada $ara outro comando%
I51 SXm(olos de redirecionamento
Os caracteres es$eciais utili?ados na lin4a do comando $ara >a?er O
s4ell redirecionar a entradaI saGda ou erro do $rograma estão listados e
descritos a seguir% O s4ell inter$reta esses caracteres antes do comando
ser eecutado%
Linu !"sico /&
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
I52 ;edirecionamento de entrada
comando D ar+ui#o
O sGm7olo X Jmenor ;ueK >a? com ;ue a entrada $adrão seMa direcionada a
um ar;ui*o% Em muitos casosI es$eci>icar X >unciona eatamente como
es$eci>icar o nome do ar;ui*o como argumento do comando% 5or eem$loA
$ cat Br#$i%o!teste
$ cat < Br#$i%o!teste
$rodu?irão eatamente o mesmo e>eito%
I55 ;edirecionamento de saXda
comando E ar+ui#o ou comando EE ar+ui#o
Os sGm7olos Y e YY redirecionam a saGda de um comando $ara um ar;ui*o%
O sGm7olo Y escre*e a saGda do comando dentro do ar;ui*o ;ue *ocH
indicarI ;uer esse ar;ui*o eista ou nãoI sendo ;ue o conte@do do ar;ui*o
M" eistente ser" su7stituGdo% O sGm7olo YYI ao contr"rioI anea ao
ar;ui*o a saGda do comando indicado em *e? de su7stituir os dados ;ue
ele M" contin4a% ,o C S4ell é necess"rio ;ue o ar;ui*o M" eistaI $ara ;ue o
sGm7olo $ossa ser utili?adoI caso contr"rio ocorrer" um erro%
*xemplo s A
1@ Buarde no ar;ui*o data%de%4oMe a saGda do comando date A
$ date > data!de!ho=e
$ cat data!de!ho=e
2@ 0crescente ao ar;ui*o data%de%4oMe a saGda do comando F4o A
$ who >> data!de!ho=e
$ cat data!de!ho=e
I59 'ipes
Os sGm7olos de redirecionamento $ermitem reali?ar mais de uma o$eração
em um mesmo ar;ui*o% Somente com esses sGm7olos *ocH M" tem condições
de reali?ar tudo o;ue ;uiser so7re um ar;ui*o% Su$on4aI entretantoI ;ue *ocH
;ueira >a?er um conMunto de o$erações di>erentes em um mesmo ar;ui*o%
Cada o$eração im$licaria a criação de um no*o ar;ui*oI sendo ;ue o
@nico $ro$ósito desses ar;ui*os seria ser*ir como entrada $ara outro
comando% EntretantoI tudo o ;ue im$orta é o resultado >inal% 5ara
situações como essas o L+,U- $ossui outra maneira de redirecionar
entradas e saGdasA os pipes%
comando 1 Y comando 2
Este sGm7oloI UlVI $ode ser usado $ara en*iar a saGda de um comando $ara a
entrada de outro% VocH $ode usar *"rios pipes em uma lin4a de
Linu !"sico /(
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
comandoI de maneira ;ue é $ossG*el com7inar tantos comandos ;uantos
necess"riosI 7astando intercal"Elos $or sGm7olos de pipe% Uma se;[Hncia de
comandos encadeados desta maneira é c4amada de pipeline%
Eistem algumas regras 7"sicas $ara com$or um pipeline em uma lin4a
de comandos L+,U-% Essencialmente essas regras são o endosso da intuição
de um usu"rio um $ouco mais e$erienteI ;ue >acilmente $erce7e ;ue em
um pipeline não $ode 4a*er D*a?amentosD nem Dentu$imentosD do pipeI isto
éI não $ode 4a*er no meio do pipeline um comando ;ue não $rodu?a saGdas
Jcomo é o caso do mSdir ou rmKI ou um comando ;ue não aceite entradas
Jcomo é o caso do date e $FdK% O $rimeiro comando do pipeline de*e ser um
$rodutor de saGdaI o7*iamente%
*xemplo s A
1E Conte o n@mero de ar;ui*os ;ue começam com a su7Estring far;m no
diretório corrente A
$ ls M grep ar# M wc -l
)
2@ Conte o n@mero de usu"rios ;ue estão $resentes no sistema neste
momento A
$ who M wc -l
-
I5: ;edirecionamentos mJltiplos
tee [iau] arquivo
O comando tee Ddi*ideD a saGda de um comando e redirecionaEa $ara dois
destinosA $ara um ar;ui*o es$eci>icado e $ara a saGda $adrão% O comando
tee em geral é utili?ado como um $edaço de um pipeline% Se não esti*er em
um pipelineI o comando tee se com$orta de maneira semel4ante ao
comando catA rece7endo lin4as na entrada e ecoandoEas na saGda%
O$çõesA
@a Fa? a saGda ser aneada aos ar;ui*os es$eci>icadosI em *e? de
su7stituir seus conte@dosZ
@i +gnora o sinal de interru$çãoZ
*xemplo s A
1E Conte o n@mero de ar;ui*os ;ue começam com a su7Estring far;m no
diretório corrente e guarde os ar;ui*os encontrados no ar;ui*o nomes A
$ ls M grep ar# M tee nomes M wc -l
)
$ cat nomes ar#
ar#-
Linu !"sico /9
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
ar#$i%o
2E Conte o n@mero de ocorrHncias da cadeia ULinuV no ar;ui*o ar;'I guarde
as ocorrHncias no ar;ui*o res$ A
$ cat < ar#- M grep Lin$x M tee resp M wc -l
-
$ cat resp
I5< ;edirecionamento de erro padr$o
0 mensagem de erro gerada $or um comando é normalmente direcionada
$elo s4ell $ara a saGda de erro $adrãoI ;ue é a mesma da saGda $adrão% 0
saGda de erro $adrão tam7ém $ode ser redirecionada $ara um ar;ui*oI
utili?ando o sGm7olo Y% Uma *e? ;ue este sGm7olo tam7ém é utili?ado $ara
redirecionar a saGda $adrãoI é necess"rio >a?er uma distinção mais
detal4ada $ara e*itar am7ig[idade%
Os descritores de ar;ui*os a seguir es$eci>icam a entrada $adrãoI saGda
$adrão e saGda de erro $adrãoA
● 1 Entrada $adrãoZ
● # SaGda $adrãoZ
● ' SaGda de erro $adrãoZ
O descritor do ar;ui*o de*e ser colocado imediatamente antes dos
caracteres de redirecionamento% 5or eem$loI #Y indica a saGda $adrãoI
en;uanto 'Y indica a saGda de erro $adrão% 0ssimI o comando mSdir tem$
'Y err>ile >a? o s4ell direcionar ;ual;uer mensagem de erro $ara o ar;ui*o
err>ile% 0s indicações da entrada $adrão J1YK e saGda $adrão J#YK são
necess"rias a$enas $ara e*itar am7ig[idade%
*xemplo A
$ (ind 2 -name xinetd!con( > (ind!res -> (ind!erro
$ cat (ind!resp
$ cat (ind!erro
K Initta(
2
0ntes ;ue ;ual;uer scri$t de iniciali?ação ten4a sido eecutadoI o ar;ui*o
3etc3initta7 é lido% Cada lin4a neste ar;ui*o $ossui o seguinte >ormatoA
NO:r$nstate:ação:processo
Cada um destes cam$os indicamA
NO: identi(icador da entrada
r$nstate: nP%el de operação na #$al esta entrada A $sada
ação: indica como o processo A exec$tado! Por exemplo< o %alor wait
' 4tt$A33FFF%dicasEl%com%7r3dicasEl3#..=1&#9%$4$
Linu !"sico /=
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
indica #$e o processo de%e ser exec$tado e ag$ardar pelo se$
encerramento!
processo: indica o comando o$ processo a ser exec$tado!
0 lin4a
s):):wait:2sbin2rc)
indica ;ue o scri$t 3s7in3rc/ é eecutado ;uando o sistema se encontra no nG*el
de o$eração de n@mero / e ;ue o $rocessamento de*e ser encerrado antes ;ue
;ual;uer ação adicional seMa tomada%
Uma das $rinci$ais atri7uições deste ar;ui*o é a de>inição do nG*el de
iniciali?ação do sistema Jrun le#elKI ;ue $odem serA
1 E 4alt Jnão o deie como $adrãoK
# n modo monousu"rio
' n :odo multiusu"rioI sem ,FS J7asicamente sem redeK
/ n :odo multiusu"rio com$leto Jcom redeK
6 n ,ão usado J$ode ser usado $ara de>inir um modo $ró$rioK
& n -## Jam7iente gr">icoK
( E re7oot Jnão o deie como $adrãoK
5or eem$loA
idA&Ainitde>aultA
indica ;ue est" m";uina iniciali?a no modo gr">ico%
Outra atri7uição deste ar;ui*o é 4a7ilitar ou não o re7oot $ela associaçãodas
teclas XCtrlYWX0ltYWX<eleteYI com uma lin4a do ti$oA
caAActrlaltdelA3s7in3s4utdoFnEt/ Er noF
Se comentarmos esta lin4a o re7oot $elo teclado ser" desa7ilitado%
1L Instala.$o de aplicati#os com ;'M
5
85:I a sim$li>icação de (ed )at *ackage Manageré um sistema de
gerenciamento de $acotes $ara Linu% 85: instalaI atuali?aI desinstala e
*eri>ica so>tFares% 85: é o >ormato 7ase da Linu Standard !ase%
Originalmente desen*ol*ido $ela 8ed )at Linu% 85: é agora usado $or muitas
distri7uições Linu e tam7ém é $ortado $ara outros sistemas o$eracionais
como ,etOare da ,o*ell e 0+- da +!:%
/ 4tt$A33$t%FiSi$edia%org3FiSi385:
Linu !"sico /.
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
1L1 Aase de dados ;'M
,a 7ase do gerenciador de $acotes est" o 7anco de dados r$m% Ele consiste de
uma lista du$lamente ligada ;ue contém todas as in>ormações de todos os r$m
instalados% O 7anco da dados lista todos os ar;ui*os ;ue são criadosou
modi>icados ;uando um usu"rio instala um $rograma e >acilita a remoção
destes mesmos ar;ui*os% Se o 7anco de dados é corrom$idoIas ligações
du$las garantem ;ue eles $ossa ser reconstruGdo sem nen4um $ro7lema% ,os
com$utadores com o sistema o$eracional 8ed)at e deri*ados instaladoI este
7anco da dados se encontra em 3*ar3li73r$m%
1L2 ;"tulo dos 'acotes
Todo $acote 85: tem um rótulo de $acote Jpackage la&elKI ;ue contém as
seguintes in>ormaçõesA
● o nome do so>tFare
● a *ersão do so>tFare Ja *ersão tirada da >onte original do $acoteK
● a edição do $acote Jo n@mero de *e?es ;ue o $acote >oi re>eito utili?ando
a mesma *ersão do so>tFareK
● a ar;uitetura so7 a ;ual o $acote >oi >eito Ji/=(Ii(=(I at4lonI $$cI noarc4
6

etc%K
os ar;ui*os 85: tHm normalmente o seguinte >ormatoA
XnomeYEX*ersãoYEXreleaseY%Xar;uiteturaY%r$m
Um eem$loA
nanoE1%.=E'%i/=(%r$m
,ote ;ue o rótulo do $acote est" contido no ar;ui*o e não $recisa
necessariamente ser o mesmo ;ue o nome do ar;ui*o%
O códigoE>onte tam7ém $ode ser distri7uGdo em $acotes 85:% O rótulo de tais
$acotes não contém a $arte destinada $ara a ar;uitetura e em seu local
inserem DsrcD% Eem$loA
li7gnomeuimm'%1E'%1%1E/mdS%src%r$m
1L5 4antagens e des#antagens do formato
0s *antagens de utili?ar os $acotes 85: em com relação a outro métodos de
ad;uirir e instalar so>tFare sãoA
● Um método uni>orme $ara o usu"rio instalar $rogramas%
6 +nde$endente de ar;uitetura
Linu !"sico 61
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
● :aior sim$licidade $ara desinstalar os $rogramas%
● 5o$ularidadeA muitos $acotes dis$onG*eis%
● +nstalação nãoEinterati*aA >acilita uma instalação autom"tica%
● CódigoE>onte original incluGdo J%tar%g?I %tar%7?'KA >"cil de *eri>icar%
● Veri>icação cri$togr">ica com o B5B e o md&%
0s des*antagens incluemA
● Comumente tem mudanças no >ormato de $acote incom$atG*eis com
*ersões anteriores%
● <ocumentação incom$letae desatuali?ada%
● 5ouca a$rendi?agem so7re os$acotes%
Um acessório eclusi*o do :andri*a é o ur$miI e $ode aMudar com os
$ro7lemas de de$endHncias%
1L9 6cess"rios relacionados
O 85: é comumente usado $or outrosacessórios $ara mani$ular
de$endHnciasI como o +ellow dog ,pdater Modified Qum ou o J*ersão
com$atG*el com 85:K -d#anced *ackaging Tool Ja$tK%
0lguns gerenciadores de $acotes são
● d$Sg usado com o -d#anced *ackaging Tool Ja$tK no <e7ian Linu%
● $ortage usado no Bentoo Linu%
● ur$mi usado no :andri*a%
1L: Instala.$o3desinstal.$o de aplicati#os com U;'MI
,o caso do :andri*a sem$re a o$ção mais >"cil é usar o ur$miI M" ;ue o mesmo
UtentaV adi*in4ar o ;ue estamos ;uerendo instalar e instala todas as
de$endHnciasI se >or o caso% 5or eem$loI se deseMarmos instalar o digiSam
Jso>tFare $ara mani$ulação e gerenciamento de >otosKI mas não lem7ramos
eatamente o nome e digitamos
$rpmi digi
O sistema retornar" algo assimA
nen4um nome de $acote digi
Os seguintes $acotes contém digiA
acroreadE$luginsEdigitalsignature
digicamerge
Linu !"sico 6#
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
digiSam
digiSamimage$lugins
digitem$
li7digidoc'
li7digidoc'Ede*el
li7digiSam1
li7digiSam1Ede*el
rmedigicontrol
*drE$luginEdigicam
##Edri*erEin$utEdigitaledge
então digitamosA
$rpmi digi+am
5ara desinstalar JetrairK 7asta digitarmosA
$rpme pacote
1L:1 MXdias do U;'MI
:Gdia é o local onde temos $acotes r$m $ara o :andri*a% O cdEromI o d*dI
diretório n>sI >t$I 4tt$ todos são mGdias% Beralmente a maioria c4ama de
re$ositório de*ido ao costume de se tra7al4ar como <e7ian e Conecti*a com a
>erramenta 05T% Estas são >acilmente gerenciadas com alguns comandosA
ur$mi%addmedia 0diciona mGdias C 7ase de dados
ur$mi%remo*emedia 8emo*e mGdias da 7ase de dados
0s mGdias $odem ser sites da internetI $ermitindo assim o administrador manter
o sistema sem$re atuali?ado% Eiste um ecelente site $ara cadastro de mGdias
;ue é o Easy ,(*MI 4tt$A33easQur$mi%?ar7%org3% ,este site con>iguramos as
nossas mGdias de acordo com nossa *ersão e necessidadesI 7asta seguir o
roteiro do site%
11 *ditor #i
O editor *i é 7astante sim$les e muito utili?ado $or ser encontrado em todas
as distri7uições Linu% 5oderGamos o$tar $or um editor um $ouco mais
a*ançadoI mas com o incon*eniente de encontrarmos uma
distri7uição3instalação onde não dis$uséssemos deste editor% +sto é *"lido
$rinci$almente $ara o c4amado ULinu em7arcadoV onde não dis$omos de
memória $ara outros editores%
Linu !"sico 6'
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
O editor *i não o7Meti*a >ormatar tetosA negritosI indentaçõesI Musti>icaçãoI
etc%
,a $r"tica o *i é muito usado $ara editar tetos ;ue não necessitam de
>ormatação em nen4um momentoI como $or eem$lo códigos >onte de
$rogramas em alguma linguagem de $rogramaçãoI e ;ue não carreguem o
teto com caracteres es$eciais%
,este ca$Gtulo *amos a$render alguns comandos do *iI su>icientes $ara
;ue *ocH entenda o >uncionamento do editor e consiga editar ar;ui*os
sim$les%
111 Os trUs modos de opera.$o do 4I
O editor *i tem trHs modos de o$eração distintosI ;ue sãoA modo insert I
modo escape Jtam7ém c4amado de modo comandoKI modo last lineZ
O modo insert é usado $ara a digitação do teto% ,este modo o *i
>unciona como uma m";uina de escre*erI com a di>erença de ;ue *ocH
$ode retroceder so7re o teto M" digitado $ara corrigir e*entuais erros%
Cada caracter ;ue >or digitado a$arecer" na tela eatamente como >oi
digitado%
,o modo escape os caracteres comuns JletrasI n@meros e sinais
de $ontuaçãoK tHm um signi>icado es$ecial e ;uase todos os caracteres
>uncionam como comandosZ $ortantoI eistem muitos comandos% 0lguns
comandos ser*em $ara $assar $ara o modo insertI outros $ara
mo*imentar o cursor so7re as lin4as do tetoI alterar trec4os do tetoI
7uscar $ala*rasI etc%
,o modo last line *ocH digita os comandos em uma lin4a es$ecial
;ue a$arece no >inal da tela ;uando se digita A Jdois $ontosK no modo
esca$e% 5arte dos comandos do modo esca$e $ossuem similares no modo
last lineI como $or eem$lo os comandos de ediçãoI ;ue *eremos mais
adiante% Os comandos no modo last line de*em ser seguidos $or E,TE8I
contrariamente ao ;ue acontece no modo esca$e%
112 O Auffer de edi.$o
Nuando *ocH edita um ar;ui*o com o *iI na *erdade *ocH não est" alterando
o ar;ui*o em si% 0s alterações >eitas são a$licadas em um 7u>>er Juma
"rea na memóriaI ;ue $assa a conter o ar;ui*o sendo editadoK% Nuando
*ocH ;uiser ;ue as alterações >i;uem $ermanentemente a$licadas ao
ar;ui*oI é necess"rio co$iar o conte@do do 7u>>er $ara o discoI usando o
comando Frite JFK no modo last line% 5ortantoI se o comando Frite não
>or eecutado antes de deiar o *iI as alterações contidas no 7u>>er não
Linu !"sico 6/
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
serão a$licadas ao ar;ui*o ;ue est" no disco%
115 -ria.$o e edi.$o de ar+ui#os
,esta eta$a *amos dar en>o;ue somente aos comandos e usos $rinci$aisI
o7Meti*ando atender as demandas de um administrador de rede%
5ara criarmos um ar;ui*o sim$lesmente digitamos*i seguido do nome do
ar;ui*o% 5or eem$loA
%i primeiro!ar#$i%o
0$ós isto ser" a7erto o editor com conte@do *a?ioI no modo comando% 5ara
$odermos editar ;ual;uer coisa de*emos entrar no modo inserçãoI $ara isto
7asta teclarmos XiY Ja$arecer" EE +,SE8T EE na 7ase da ManelaK% Em seguida
digitamos o teto $ro$riamente ditoI usando o teclado normalmente%
5ara sal*armos o teto de*emos teclar XEscY Jmodo comandoKI XAY Jmodo
last lineY e XFY JFriteK% 0ssim teremos o nosso teto sal*o%
0gora *amos a alguns comandos @teisA
● 5ara copiarmos algumas linhas do teto colocamos o cursor no inGcio
do teto a ser co$iado eI no modode comandoI teclamos
XnYWXQYWXQYI onde n é n@mero de lin4as ;ue deseMamos co$iar% 5or
eem$lo se digitarmos X&YWXQYWXQY co$iaremos & lin4as $ara o
7u>>er%
● 5ara excluirmos algumas linhas do teto colocamos o cursor no inGcio
do teto a ser ecuGdo eI no modo de comandoI teclamos
XnYWXdYWXdYI onde n é n@mero de lin4as ;ue deseMamos co$iar% 5or
eem$lo se digitarmos X/YWXQYWXQY a$agaremos / lin4as do teto
mas ;ue serão arma?enadas no 7u>>er%
● 5ara colarmos o conteJdo do (uffer $ara alguma $arte do teto
colocamos o cursor no $onto onde $retendemos inserir o teto eI no
modo de comandoI teclamos X$Y J$asteK $ara inserirmos o teto a7aio
da lin4a do cursor e X5Y $ara inserir o teto acima da lin4a do cursor%
● 5ara encontrarmos alguma pala#raI no modo de comandoI teclamos
X3Y X$ala*raY XEnterY% O *i mostrar" a $rimeira ocorrHncia da mesma%
5ara ir $ara a $róima ocorrHncia teclamos XnY JnetK%
● 5ara su(stituirmos uma pala#ra por outraI no modo de comandoI
teclamos XAs3YX$ala*raYX3YXoutraYXEnterY% 5or eem$lo se
;uisermos su7stituir *el4a $or no*aA XAs3YX*el4aYX3YXno*aYXEnterYI
assim teremos a troca da $rimeira ocorrHncia de *el4a $or no*a%
● 5ara su(stituirmos todas as ocorrUncias acrescentamos X\Y entre
XAY e XsY do caso anterior% Eem$loA
XA\s3YX*el4aYX3YXno*aYXEnterY
Linu !"sico 66
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
● 5ara inserirmos o conteJdo de um texto externo em nosso textoI
no modo de comandoI teclamos XArYWXcamin4o3ar;ui*oYWXEnterY%
● 5ara sal#armos com outro nomeI no modo de comandoI teclamos
XAFYWXno*o%nomeYWXEnterY%
12 Sistema de ar+ui#os
:
Sistema de ar;ui*os é a >orma de organi?ação de dados nos discos de
arma?enamento% Sa7endo do sistema de ar;ui*os de um determinado discoI o
Sistema O$eracional $ode decodi>icar os dados arma?enados e lHElos ou gra*"E
los%
Fa?endo analogiasI tal organi?ação assemel4aEse a
uma 7i7lioteca escolar% O 7i7liotec"rio organi?a os
li*ros con>orme o seu gostoI cuMa 7uscaI
con*enientementeI $rocura deiar mais >"cilI sem
ocu$ar muitas $rateleiras e assegurando a
integridade deste% 0indaI certamenteI organi?a os
li*ros segundo suas caracterGsticas JassuntoI
censuraI etcK% <e$ois de organi?adosI ou durante a
organi?açãoI o 7i7liotec"rio cria uma lista com
todos os li*ros da 7i7liotecaI com seus assuntosI
locali?ações e códigos res$ecti*os%
O Sistema O$eracional seria o 7i7liotec"rio da D7i7lioteca de dadosD do
com$utadorA o disco de arma?enamento% Eatamente igual C organi?ação de
uma 7i7liotecaI o Sistema O$eracional guarda os dados nos es$aços *a?ios do
discoI rotulandoEos com um FC! JFile .ontrol BlockI !loco de Controle de
0r;ui*oK e ainda criando uma lista com a $osição deste dadoI c4amada de :FT
JMaster File Ta&leI Ta7ela de 0r;ui*os :estreK%
Sa7endo a $osição do ar;ui*o a ser a7erto3gra*adoIo Sistema O$eracional
solicita a leitura destaI decodi>ica3codi>ica e reali?a a a7ertura3gra*ação do
dado%
Um sistema de ar;ui*os éI assimI uma >orma de criar uma estrutura lógica de
acesso a dados numa $artição% Sendo assimI tam7ém é im$ortante re>erir ;ue
nunca $oder" ter ' ou mais ti$os de sistemas de ar;ui*os J>ormatosK numa
mesma $artição%
O :!8 JMaster Boot (ecordK é um ar;ui*o de dados interligado com a !+OS
JBasic Input Output SystemK cuMa im$ortTncia é o recon4ecimento do sistema
de ar;ui*osI como tam7ém na iniciali?ação de sistema o$eracionais%
*articionar um dis$ositi*o é di*idiElo de >orma ;ue cada uma das suas $artesI
& 4tt$A33$t%FiSi$edia%org3FiSi3Sistemajdej>ic4eiros
Linu !"sico 6&
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
denominadas parti/0esI $ossa rece7er um ti$o de sistema de ar;ui*o e esteMa
$re$arada $ara rece7er as in>ormações%
Sistema de ar;ui*os e $artições são normalmente con>undidosI ;uando na
*erdade são conceitos totalmente di>erentes% 0s $artições são "reas de
arma?enamentoI criadas durante o $rocesso de $articionamentoI sendo ;ue
cada $artição >unciona como se >osse um disco rGgido Jou dis$ositi*o utili?adoK%
5ara se utili?ar uma $artiçãoI entretantoI de*eEse criar um sistema de ar;ui*osI
ou seMaI um sistema ;ue organi?e e controle os ar;ui*os e diretórios desta
$artição% Uma $artição $ode ter a$enas um sistema de ar;ui*oI M" um disco
com *"rias $artições $ode ter *"rios sistemas de ar;ui*os%
Nuando um disco rGgido é >ormatado com um sistema de ar;ui*os no LinuI o
mesmo é di*idido em 6 $artesI +lustração #%
O 7loco de 7oot contém o 7oot do sistema o$eracional%
O su$er7loco contém in>ormações so7re o sistema de ar;ui*osI como n@mero
de inodesI inodes li*resI n@mero de 7locosI 7locos li*resI etc%
0 ta7ela de inodes contém in>ormações so7re cada ar;ui*o Jdiretório é um ti$o
es$ecial de ar;ui*oK% Cada inode tem (6 7itse contém as seguintes
in>ormaçõesA
● U+< e B+< Jidenti>icação do usu"rio e gru$o donoK%
● Ti$o de ar;ui*o% 0r;ui*o comumIdiretórioI linSI dis$ositi*o etc%I ou 1
J?eroK se o inode não esti*er em uso%
● 5ermissões%
● <ata e 4ora de criaçãoI acesso e @ltima modi>icação%
● ,@mero de linSs $ara o mesmo%
● Taman4o%
● Locali?ação dos 7locos onde est" arma?enado seu conte@do%
O 7loco de dados contém os dados $ro$riamente ditosdos ar;ui*os%
O Linu tem su$orta C de?enas de sistemas de ar;ui*osI sendo ;ue os
$rinci$ais sãoA
● extA sistema de ar;ui*os estendido Je'tended filesystemK% L o sistema de
ar;ui*os mais utili?ado no Linu% Eistem rami>icações Jet' e et/KI
Linu !"sico 6(
Ilustra/%o 12 Estrutura de um sistema de ar3ui#os gen4rico no 5inu'
Superbloco
Bloco de
boot
Tabela de inodes Blocos de dados
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
sendo o et/ o mais am$lamente utili?ado $ela comunidade Linu
atualmente% Ele >ornece $adrões $ara ar;ui*osregularesI diretóriosI
ar;ui*os de dis$ositi*osI links sim7ólicos e su$orte a transações
J6ournallingKI entre outras caracterGsticas a*ançadas%
● #fatA este é o sistema de ar;ui*os J*olume F0TK dos sistemas
OindoFso. e OindoFs ,To%
● ntfsA este é o sistema de ar;ui*os dos sistemasOindoFs'111oI
OindoFs -5o e ,ToI entre outros% O Linu só o su$orta em modo de
leitura%
● nfsA sistema de ar;ui*os de redeI utili?ado $ara acessar diretórios de
m";uinas remotasI ;ue $ermite o com$artil4amento de dados na rede%
● reiserfs? sistema de ar;ui*os com su$orte a caracterGsticascomoI $or
eem$loI mel4or $er>ormance $aradiretórios muito grandes e su$orte a
transações J6ournallingK% ,ão su$orta cota $ara usu"rios e gru$os%
● &fs? 5roMetado es$ecialmente $ara tra7al4ar com ar;ui*os grandes Jde
até . mil U$eta7QtesVK e diretórios com *"rios ar;ui*os% O>erece su$orte
a ;uotas $ara usu"rios e gru$os% Su$orta transações J6ournallingK%
● isoK<<L? sistema de ar;ui*os do C<E8O:%
121 'articionando e formatando discos
O Linu trata os discosI di>erentemente do OindoFsI $or nomes 4daI 4d7I 4dc e
4dd $ara disco +<EZ sdaI sd7 etc $ara discosS0T0 e SCS+%
0s $artições são numeradas dentro de cada discoI do ti$o 4da#I 4da' etc%
Sendo ;ue o Linu normalmente cria uma $artição $rim"riaI uma estendida e
as demais lógicas dentro desta estendida% Sendo assim ou nomes das $artições
seriam 4da#I 4da&I 4da( etc%
5ara $articionarmos discos $odemos usar as >erramentas >disSI c>disS ouI no
caso es$ecG>ico do :andri*aI o disSdraSe%
*xemploA
Muito cuidado para n$o GdetonarH a má+uina%
Vamos criar uma $artição no es$aço li*re em disco da nossam";uina% 5ara isso
eecutamos a seguinte se;[Hncia de comandosA
#% disSdraSeI a7rir" uma Manela con>orm +lustração '%
Linu !"sico 69
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
'% Clicar no es$aço *a?io Jcin?aK%
/% Clicar em CriarI a$arecer" uma Manela ;ue de*er" ser com$letada
con>orme +lustração /%
6% Clicar em O2%
&% Clicar em Formatar% 2enha certeFa +ue a parti.$o selecionada Z a
no#a%
(% Clicar em :ontar%
9% Clicar em 5ronto% 0$arecer" uma ManelaI +lustração 6I ;ue re;uer a
con>irmação se deseMaEse ou não atuali?aro ar;ui*o 3etc3>sta7I *er
$róimo itemI :ontando $artições% Cli;ue Sim%
Linu !"sico 6=
Ilustra/%o 72 8anela do 9isk9rake
Ilustra/%o :2 Especifica/%o da no#a parti/%o
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Tudo $rontoe
Caso ti*éssemos o$tado $elo c>disS de*erGamos $ermitir a UleituraV da no*a
$artição $elo sistema o$eracional reiniciando a m";uina%
Em seguida de*erGamos >ormatar a $artição com o comandoA
m+(s!ext) 2de%2hdaX
Onde & é o n@mero da $artição ;ue aca7amos de criar% Muito cuidadoI $ois
se in>ormarmado o n@mero errado UdetonaEseV uma $artição inde*ida% Se não
lem7rar do n@mero use o c>disS $arater certe?a%
122 Montando parti.Mes
<
,o caso do uso do c>disSI uma *e? >ormatado de*erGamos montar a no*a
$artição $ara ;ue ela se torne acessG*el a nós% O $rimeiro $asso é criar um
diretório onde ser" montado a no*a $artiçãoe em seguida a montagem% 5or
eem$loA
m+dir 2dados
mo$nt 2de%2hdaX 2dados
0ssim teremos a no*a $artição dis$onG*el $ara uso masI deste modoI isto
*aler" somente até reiniciarmos a m";uina% Se deseMamos usar sem$re tal
$artição de*emos in>ormar ao sistema so7re isto%
O ar;ui*o 3etc3>sta7 JFile System Ta&leK é o res$ons"*el $elas montagens das
$artições deseMadas% L atra*és desse ar;ui*o ;ue são montadasas $artições
$ara ;ue o Bnu3Linu inicie corretamenteI $ois sem ele não teria como iniciar o
sistema% O >sta7 tam7ém ser*e $ara montaroutras $artições com outros
sistemas de ar;ui*osI >acilitando $ara *ocH não $recisar montar a;uela sua
$artição FindoFs toda *e? ;ue ligar o com$utadorI e atra*és dele tam7ém são
montados os dis$ositi*os JcdEromI d*dI >lo$$Q%%%K% Este documento se 7aseia no
manual do >sta7 Jman >sta7K e do manual do mount Jman mountK%
Então *amos l"%
07aio temos um eem$lo de um ar;ui*o 3etc3>sta7A
>e#ice Moint point ,ile Sistem Options
3de*34da6 3 et/ de>aults # #
3de*34da& 3*ar et/ de>aults # '
( 4tt$A33FFF%linu7sd%com%7r3$4$Linu!S<3modules3artigosjtecnicos3>sta7%4tm
Linu !"sico 6.
Ilustra/%o ;2 .onfirma/%o
para gra#a/%o no fsta&
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
3de*34da( sFa$ sFa$ de>aults 1 1
3de*34d7 3mnt3cdrom iso.((1 de>aultsInoautoIuser 1 1
3de*3>d1 3mnt3>lo$$Q auto de>aultsI noautoI user 1 1
3de*34da' 3mnt3Fin *>at noeecIuidk#11Igidk#11 1 1
O modelo do ar;ui*o >sta7 é assimA
Bdispositi#oC Bponto de montagemC Bsistema de ar+ui#osC Bop.MesC
Bop.$o para o dumpC Bop.$o para o fsc8C
dispositi#o?
,esse cam$o é colocado o dis$ositi*o a ser montado ou um sistema de
ar;ui*os remoto% 5ara montagens ,FS de*e ser colocado Xm";uinaYAXdirYI
eem$loA darS%darS%netA34ome3min4a$asta%
ponto de montagem?
Ele identi>ica em ;ual $asta ser" montada a $artiçãoI $ara $artições sFa$ esse
cam$o de*e ser es$eci>icado como hsFa$h% ,o nosso eem$lo na $rimeira lin4a
colo;uei a $asta rai? do Bnu3linuI M" na segunda lin4a identi>i;uei como a $asta
3*ar ;ue seria montado no sistema%
sistema de ar+ui#os?
,esse cam$o *ocH descre*e ;ual o sistema de ar;ui*o% Consulte
3$roc3>ilesQstems $ara sa7er ;uais sistemas de ar;ui*os são su$ortados $elo seu
Sernel%
op.Mes?
Segue a7aio e$licação de algumas das o$ções dis$onG*eis no >sta7A
noautoA Essa o$ção >a? com ;ue o dis$ositi*o não montado automaticamente
durante o 7ootI é a o$ção ;ue de*e ser usada $ara dis;uetes e cdEroms no >sta7I
$ois senão o Bnu3Linu iria tentar montaElos mesmo ;ue não ti*essem discos
neles%
userA Essa o$ção é ótima tam7ém $ara discos remo*G*eisI ela $ermite ;ue
;ual;uer usu"rio $ossa montar esse dis$ositi*o%
noexecA Essa o$ção é muito @til $ara ;uando montamos $artições FindoFsI $ois
ele não gerencia os ar;ui*os com $ermissões como no Bnu3LinuI com isso os
ar;ui*os >icam todos como eecut"*eisI se *ocH clicar em cima de um ar;ui*o
m$/I usando o Son;ueror $or eem$loI ele *ai tentar DeecutarD o ar;ui*o é
claro ;ue sem >uncionarI usando essa o$ção *ocH >a? com ;ue isso não ocorra%
uidA Essa o$ção tam7ém é @til ;uando se monta $artições F0TI $ois elas não
tra7al4am com $ermissões de ar;ui*oI assim todas as $artições ;ue >orem
montadas estarão com o dono dos ar;ui*os seMa o root% 0ssim *ocH com um
usu"rio normal não $oderia ter total controle desse diretórioI com essa o$ção
*ocH $ode mudar o dono do ar;ui*o usando o uid dele ;ue $ode ser encontrado
Linu !"sico &1
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
no ar;ui*o 3etc3$assFdA
MeanAA#66A'11AA34ome3MeanA37in3>alse
,esse eem$lo o uid do usu"rio Mean seria #66%
gidA Com essa o$ção *ocH $ode mudar o gru$o do diretórioI na *erdade é a
mesma >unção da o$ção acimaI só ;ue >a? isso com o gru$o%
MeanAA#66A'11AA34ome3MeanA37in3>alse
,esse eem$lo o gid do usu"rio Mean é '11%
umas8A ser*e $ara indicar ;uais serão as $ermissões dos ar;ui*osI M" ;ue os
sistemas Fat e deri*ados não tem sistema de $ermissões% O $adrão é a m"scara
do $rocesso atual% O *alor é dado em >ormato octal% O $adrão geralmente é
re$resentado $or 1''I ou seMaI 7it hFhJ$ermissão de escritaK a$enas $ara o dono%
roA O dis$ositi*o ser" montado somente $ara leitura
r0A :onta o sistema de ar;ui*os com $ermissão de leitura e gra*ação%
execA 5ermite a eecução de 7in"rios%
suidA 5ermite o uso dos 7its de con>iguração de identi>icação do usu"rio e do
gru$o%
de#A +nter$reta dis$ositi*os es$eciais de 7locos ou caracteres no sistema de
ar;ui*os%
defaultsA Usa as o$ções $adrãoA rFI suidI de*I eecI autoI nouserI e asQnc%
op.$o para o dump?
Essa o$ção é usada $elo comando dum$ $ara determinar ;uais sistemas de
ar;ui*os $recisam ser co$iadosI caso não ten4a sido escrito nada nesse ;uinto
cam$o o *alor dele ser" considerado ?eroI e o dum$ assumir" ;ue esse sistema
de ar;ui*os não $recisa ser co$iado%
op.$o para o fsc8?
,esse cam$o *ocH de*e colocar a ordem em ;ue os sistemas de ar;ui*os serão
*eri>icados durante o 7oot% 0 $artição rai? J 3 KI sem$re como #I e os outros
sistemas de ar;ui*os de*em ter esse cam$o a $artir de ' >a?endo se;[Hncia de
acordo com o n@mero de $artições ;ue *ocH ;uiser montar% Sistemas de
ar;ui*os em um mesmo dis$ositi*oI serão *eri>icados se;[encialmenteI e
sistemas de ar;ui*os em dis$ositi*os di>erentesI serão *eri>icados ao mesmo
tem$o $ara utili?ar o $aralelismo dis$onG*el com o 4ardFare% Caso esse cam$o
não eista ou esteMa com o *alor 1 o >scS não ir" c4ecar essa $artição ao
iniciali?ar o Bnu3Linu%
Linu !"sico &#
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
15 7>*
O 2<E é um am7iente desktop gr">ico $oderoso $ara estações com Linu3U,+-%
O 2<E com7ina a >acilidade de usoI >unções atuaisI $roMeto gr">ico $roeminente
com a tecnologia do sistema o$eracional U,+-3Linu%
O 2<EI como a grande maioria dos am7ientesI gr">icos é intuiti*o e >"cil de
utili?ar% L recomendado Jo7rigatórioK$ara uso em estações clientes mas não
$ara o caso de ser*idores de redeI $rinci$almente $or ser U$esadoV e mais
suscetG*el a $ro7lemas%
0$ós o login o usu"rio ter" uma Manela semel4ante a da +lustração &%
Como na maioria dos am7ientes gr">icos temos a [rea de 2ra(alhoI onde se
locali?am os Gcones de acesso r"$idoI e o 'ainel da [rea de 2ra(alhoI ;ue
$ermanece sem$re *isG*el e tam7émtem a >unção de acesso r"$ido%
0o clicarmos em p ser" a7erto um menu como mostrado na +lustração (%
Linu !"sico &'
Ilustra/%o <2 -par=ncia do >9E
Área de
Tra7al4o
5ainel da
Área de
Tra7al4o
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Todos os menus e $ainéis são con>igur"*eis e $ersonali?"*eisI no sentido de
>acilitar a *ida do usu"rio% Em geral os menus são sensG*eis ao conteto e
$odem ser $ersonali?adosdiretamente com auGlio do mouse%
151 6lguns aplicati#os do 7>*
,a instalação $adrãoI o :andri*a M" insere uma série de a$licati*os gr">icosI
$rontos $ara o usoI ;ue $ro*Hem o su$orte a maioria das necessidades de uso
no diaEaEdia do usu"rio% Se 4ou*er necessidade de mais algum a$licati*o 7asta
instalar con>orme o roteiro do ca$Gtulo ##%
0 tGtulo de eem$lo *amos citar3con4ecer alguns%
>ia n Editor de diagramas% p E Escritório n Br">icos% +lustração 9%
Linu !"sico &/
Ilustra/%o !2 Menus do >9E
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
Scri(us n Editoração Br">ica J`Corel <raFK% p E Escritório n 5u7licando n
Scri7us% +lustração =%
Linu !"sico &6
Ilustra/%o ?2 Editor de diagramas $ 9I-
Ilustra/%o 2 Editora/%o "r@fica $ Scri&usA
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
75A n Bra*ador de C<hs e <V<hs% p E Sistema n 0r;ui*ar n Bra*adorde C<%
+lustração .%
-entro de -ontrole n Con>igurações de so>tFare e 4ardFare da m";uina% p E
Sistema n Con>iguração% +lustração #1%
Linu !"sico &&
Ilustra/%o B2 >:B $ "ra#ador de .9Cs e 9D9Cs
Ilustra/%o 1E2 .entro de .ontrole
Centro Federal de Educação Tecnológica
Unidade São José
Área de Telecomunicações
Odilson Tadeu Valle
19 ;eferUncias Ai(liográficas
Curso de +ntrodução ao Linu% :arco Ál*are?I Cl"udia ,asuI 0l>redo LanariI Luciene
:arin% Uni*ersidade Federal de :ato Brosso do Sul%
4tt$A33$t%FiSi$edia%org3FiSi3T08
4tt$A33FFF%dicasEl%com%7r3dicasEl3#..=1&#9%$4$
4tt$A33$t%FiSi$edia%org3FiSi385:
4tt$A33$t%FiSi$edia%org3FiSi3Sistemajdej>ic4eiros
4tt$A33FFF%linu7sd%com%7r3$4$Linu!S<3modules3artigosjtecnicos3>sta7%4tm
Linu !"sico &(