You are on page 1of 64

Introdução

Esse material é uma adaptação de um programa que foi utilizado há alguns anos em nossa igreja. A proposta original desse projeto foi para ser utilizado em Pequenos Grupos de Afinidade. Eles são grupos fechados, que não entram pessoas no decorrer do grupo, e têm como objetivo criar afinidade entre as pessoas do pequeno grupo para que possam suportar umas às outras. Por essa razão algumas lições foram tiradas do original e outras dinâmicas foram adaptadas. Algumas dinâmicas certamente funcionam melhor nessa proposta original do que na proposta que iremos apresentar a seguir. Sinta-se livre para utilizar o material como quiser. A adaptação do material se deu no seguinte contexto. Estávamos precisando de um material para a sala dos adolescentes da Escola Bíblica Dominical e ao mesmo tempo tínhamos pessoas com níveis muito distintos de maturidade espiritual, mas misturados na mesma sala. Então a idéia sugerida por Deus foi: pegar os mais experimentados da turma e colocá-los como monitores dos outros alunos. Assim, Deus nos mostrou 8 adolescentes que toparam o desafio de assumirem uma responsabilidade maior com a sala. Desses 8 formamos 4 duplas e dividimos a sala em 4 grupos. Essa divisão pode ser feita de maneira aleatória, porém caso possa fazer de outra forma é melhor. Se você possui um controle das pessoas que freqüentam a sala é bom juntar os monitores e dividir os alunos junto com eles, procurando distribuir bem os que fala, os que não falam, meninos e meninas e etc. Então realizamos uma grande competição entre os grupos, em que todas as atividades valem pontos para o grupo: presença, tarefa realizada, versículo decorado, competições e etc. De 3 em 3 meses mudamos os grupos, damos uma misturada e premiamos o grupo vencedor com uma caixa de chocolate. Também mantemos uma lista de presença para termos um controle com cada aluno da sala e poder fazer um balanço de como estamos andando. Falemos agora sobre algumas características e atribuições dos monitores:  Tarefas e decorara versículos é obrigação dos monitores, caso os dois não tenham realizado a tarefa o grupo não ganha ponto.  Ele deve estudar bem a lição procurando executar a parte de “Divisão em Grupos Pequenos” procurando ficar o mais livre possível do material escrito.  O monitor tem a missão de procurar falar com uma pessoa do seu grupo por semana. Chegar para o aluno e conversar com ele, qualquer assunto para que o vínculo possa ser aumentado.  E missão do monitor conversa e resgatar alunos que estão faltando às aulas e procurar cuidar deles.  Também é atribuição deles, ter os contatos dos integrantes do seu grupo.  Serem pontuais.    E o professor? Estudar a lição completa e auxiliar os monitores o máximo possível. Reunir-se com os monitores regularmente procurando cuidar pastoralmente deles e obtendo um retorno do trabalho que está sendo realizado. Preencher a lista de presença, não é necessário chamar de verdade, basta marcar os que estão presentes enquanto os grupos estão reunidos. 1

 

Preparar, xerocar materiais que serão distribuídos aos alunos como tarefa ou dinâmica. Gastar tempo procurando novas dinâmicas para dinamizar a 1 aula. Se preparar emocionalmente, fisicamente e espiritualmente. Nunca podemos esquecer que nosso trabalho acima de tudo é espiritual.

Bem, creio que com essas informações você já pode arregaçar as mangas e começar a trabalhar. Estude bem todo o material, pense, ore e veja como adaptálo à sua realidade. Deus te abençoe.

1

Caso elabore alguma dinâmica que não tem no material e que encaixe na aula, por favor mandenos: central.ipcc@gmail.com ou prdaniellyra@gmail.com.

2

Entrosamento
Encontro 01

1. Providenciar Antecipadamente
Material: Balões (50 unids), 500 notas de din din, papel e caneta.

2. Divisão dos Grupos 3. Balão do Conhecimento
1. Divida todo o grupo em duplas. 2. Entregue um balão para cada um. 3. Enquanto um enche o balão o outro vai falando dados pessoais como nome, idade, há quanto tempo está na igreja, o que gosta de fazer e etc. A pessoa deve falar até a sua dupla estourar o balão. 4. Depois é a vez de inverter. 5. Por fim quando os dois já tiverem estourado o balão e falado de si mesmo. Cada integrante deverá falar o que ouviu do outro enquanto enchia o balão. Vale a pena ressaltar que os integrantes, não esvaziem os balões para que o companheiro tenha que falar mais. E também que se uma pessoa ficar demorando depois será vez do outro.

4. Papel de Características
1. Distribua caneta e papel para todos do grupo. 2. Peça para que cada um escreva 3 coisas que a pessoa goste de fazer, mas que não sejam as 3 coisas que ele mais gosta de fazer. 3. Depois peçam que escrevam 4 coisas que eles não gostam de fazer. 4. Depois peça que coloquem 2 defeitos. 5. Por fim, peça que escrevam 3 qualidades. 6. Recolha os papéis. 7. O grupo terá que adivinhar quem é a pessoa cujas características o líder está lendo.

5. Sorriso Milionário
1. Distribua entre os integrantes uma determinada quantia, a ser determinada pelo número de integrantes, exemplo: 20 integrantes, serão entregue 500 “din dins” para cada. “Din dins” podem ser xérox de notas reais, dinheiro de “Banco Imobiliário”, “Jogo da Vida” ou qualquer outra coisa que simbolize dinheiro. 2. Todo o grupo é dividido em duplas. 3. Cada um fará de tudo para fazer o colega rir. 4. Caso alguém ria da palhaçada do outro, ele deverá dar 50 “din dins”. 5. Então o líder após 20 segundos, manda que troquem as duplas. Sem repetir as duplas. 6. Assim, ganha que tiver mais “din dins” no final do tempo estipulado. Se alguém ficar sem dinheiro não o tira da brincadeira, basta fazer os outros rir para ganhar novamente. 3

Estrutura da Reunião Objetivo principal: Dar início ao aprendizado do ensino Bíblico sobre o uso das palavras. Diga-lhes: “agora. Pergunte ao grupo:  Foi difícil ficar 3 minutos em silêncio total? Por que?  Peça para 2 ou 3 verbalizarem o que sentiram e no que pensaram. Solicite que os textos sejam lidos por pessoas diferentes. É preciso também parar para ouvir ao Senhor que sempre fala pela sua Palavra. Coleta das respostas dos Pequenos Grupos. (Não se antecipe. 2. deixe o grupo falar)  Prov. Grupão 1.A Disciplina do Silêncio: Aprendo a Ouvir Encontro 02 1. Peça para que eles fechem os olhos e meditem no que Deus deseja transmitir a cada um deles. Faça uma lista dos 5 itens da disciplina do silêncio para cada um do grupo. (Atenção: advirta e não permita que nomes ou situações possam identificar tais pessoas). 2. enfatizando que o cristão precisa muitas vezes. Faça um exercício com o grupo. traga à sua mente alguém que você acha que fala muito e não faz parte do nosso grupo”. e comente o significado deles com o grupo. a Bíblia. Explique em poucas palavras que silenciar diante de Deus é uma boa alternativa para se iniciar a nossa devoção. 13:3 – Controlar as palavras protege nossa vida de uma série de problemas. Peça para alguém do grupo que não seja o monitor compartilhar algumas das respostas que foram obtidas no grupo. Inicie a reunião com a dinâmica do silêncio. Desenvolvimento da Reunião Divisão em Pequenos Grupos 1. Indague do grupo:  Vocês acham que quem fala muito tem consciência do seu problema?  O que a Bíblia ensina sobre “falar muito” e “falar pouco”? 3. 10:19 . 4 . Comece o estudo Bíblico. 3. 4. 15:28 – Há uma enorme tentação em falar o que sabemos. Pergunte: “foi difícil achar um nome?” Peça agora que os participantes exteriorizem o que sentem em relação a esta pessoa. Solicite que todo o grupo faça o exercício de ficar 3 minutos inteiros em absoluto silêncio. optar pelo silêncio O foco deste encontro é levar o grupo a prestar mais atenção no diz e se dispor a ouvir como uma alternativa de melhor usar suas palavras. 17:27-28 – A capacidade de calar-se quando necessário transmite auto-controle e admiração dos que nos ouvem.  Prov. Providenciar Antecipadamente   Confeccione um cartaz com Provérbios 10:19. 2.  Prov.  Mt 12:34-35 – As nossas palavras mostram o que somos.  Prov.é difícil falar demais e não pecar.

Explique que na próxima reunião o resultado desta experiência será comentado. Entregue um papel com as 5 regras para cada integrante (o modelo se encontra no final desta lição). Observar cuidadosamente sobre o que e como as pessoas falam. 2.cada pessoa poderá escolher o seu turno). Tarefa 2 Decorar Provérbios 13:3 Oração em Pequenos Grupos: Dêem as mãos ou outra expressão de unidade e compromisso compatível com o tipo do grupo. e orem de forma que cada um diga uma frase e o líder fará o fechamento. Peça agora que eles copiem o texto de Prov. Tanto o que falamos ou o que deixamos de dizer pode salvar ou destruir vidas. 4. Proponha para eles(as) a disciplina do silêncio durante um expediente (6 horas . Peça para alguém ler a modificação e pergunte que diferença faz. Responder com muitas palavras (ser breve e objetivo). 3. Oferecer opinião pessoal. 2. Adicionar novas informações a uma conversa 4. Neste período cada um deverá evitar: 1. 5. Cada participante deverá fazer uma oração pessoal de compromisso em manter o sigilo do que ouve. 10:19 colocando o verbo e possessivos na primeira pessoa do singular. Iniciar uma conversa. 5.  Tarefa 1 1. 4. Peça para que o grupo não avise as pessoas que estão fazendo um jejum de palavras. 18:21 – Pergunte ao grupo se Salomão não exagerou neste provérbio. 5 .Prov.

6 .

introduza a verdade de que falar é uma necessidade de todo ser humano e que reflete sua busca por relacionamentos. mesmo que seja só para jogar palavras fora? Por que isto acontece? 4. Mostre a cartolina da língua. 1:21 – O que pregamos salva para a eternidade. Após ouvir várias respostas. Desenvolvimento da Reunião Prestação de Contas da Tarefa 1 Divisão em Pequenos Grupos 1. Após o período. É recomendável montar um cartaz em cartolina para destacar o visual. Inicie a reunião ressaltando a alegria de todos(as) estarem juntos(as) para mais um período de comunhão.  Que situações nosso falar seria classificado como “insultos“? E “gritarias”?  Peça para lerem e identifiquem a ênfase de cada texto: Prov. Inicie o estudo Bíblico sobre o controle da língua (Use a Bíblia na linguagem de hoje)  Leiam o texto de Efésios 4:29-31. Termine o estudo com uma oração de compromisso em busca de falar o que edifica (enfatize o controle sobre a língua). Colha as discussões dos grupos. 2. Providenciar Antecipadamente  Providencie uma cópia do desenho da língua presa por uma coleira que está no final dessa lição (anexo).  Pergunte ao grupo: (1) O que caracterizam as “palavras boas” e as “palavras más”? Peça exemplo. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Dar continuidade ao aprendizado do ensino Bíblico sobre o uso das palavras. Associe a realidade do pecado às nossas conversações indagando: O que o pecado tem haver com as palavras que dizemos? Grupão 1. (2) Como este ensino pode ser colocado em prática? Identifique casos. 5. reassuma o controle e pergunte: Vocês já pararam para pensar como é bom conversar.O Controle do que Falamos Encontro 03 1. 4. Pergunte ao grupo qual a importância das palavras nas vidas uns dos outros. 3. 3. Deixe o grupo 100% à vontade e não interfira em nada. 2. Dê liberdade para o grupo conversar sobre qualquer assunto durante 3 minutos. 14:25 – O que falamos pode salvar vidas I Co. Prestação de Contas da Tarefa 2 7 . 2. enfatizando que o cristão delas se utiliza como meio de edificação e cura.

Anexo:

8

O Sigilo 1 – Sua Importância
Encontro 04

1. Providenciar Antecipadamente
Material:  Uma caixa de papel, para cada pequeno grupo, não transparente sem nenhuma inscrição ou propaganda.  5 (cinco) penas bem leves e fáceis de flutuar. Caso seja difícil conseguir as penas você pode substituí-las por algo pequeno e fofo que o vento leve com muita facilidade. Providenciar  Uma cópia da Ficha de Estudo Bíblico Individual (modelo no final da lição) para cada participante.  Coloque as penas dentro da caixa e feche de tal forma que elas não possam ser vistas ou identificadas.  Coloque as caixas em um local bem visível no meio do local onde o grupo se reúne. Não escreva nada na caixas, mas coloque perto delas a frase: Por Favor, Não Mexa!

2. Estrutura da Reunião
Objetivo principal: Conscientizar o grupo do valor terapêutico do sigilo no relacionamento mais profundo, destacando que o mesmo é fato produtor de confiança. Desenvolvimento da Reunião Discussão em Pequenos Grupos 1. Inicie a reunião descontraidamente. Não permita que nenhum participante manuseie a caixa, nem diga nada sobre o que ele contém, crie um clima de curiosidade. 2. Compartilhe como a lição da semana passada impactou a semana de cada membro. 3. Aplique a dinâmica das penas.  Sorteie dentre o grupo uma pessoa, dê a caixa para ela e peça para que saia à rua ou pátio externo do prédio, e coloque as cinco coisas que estão na caixa (não diga que são penas) bem separadas uma das outras.  Diga que ela tem 3 minutos para a tarefa e ao voltar, não poderá dizer ao grupo o que as coisas eram nem onde as colocou.  Reservadamente oriente a pessoa escolhida que ela simplesmente solte os objetos sem prendê-los ou colocá-los debaixo de alguma coisa. Neste ínterim, converse com o grupo o que eles acham que tinha na caixa,  aonde a pessoa vai colocar. Indague se a pessoa guardará segredo do que viu. Distraia o grupo. Na volta da pessoa com a caixa vazia, incentive o grupo a descobrir, através  de perguntas, o que foi espalhado. Quem espalhou tem que responder, mas não pode revelar o que espalhou. Mantenha o segredo. Agora peça novamente para a pessoa que espalhou as penas, retornar aos  lugares aonde foram colocadas e em 3 minutos recolhê-las de volta. Não é 9

para ela sair novamente, mas para avaliar a sua reação em face de uma tarefa muito difícil, talvez até impossível. (esta é a hora de se identificar os objetos que foram espalhados) Conte ao grupo que você fez com eles uma atividade que um filósofo da Grécia aplicou a um dos seus discípulos, utilizando um saco com 60 penas que foram colocadas em frente de 60 casas da cidade. No dia seguinte o professor mandou que o aluno recolhesse as penas. Ele lhe respondeu que era impossível. Assim, disse o mestre, são as palavras que nós dizemos.

Grupão 1. Explique para o grupo que o estudo bíblico deste encontro deverá enfocar o primeiro dos dois aspectos do sigilo: O primeiro é a confiança que precisa ser produzida antes que alguém nos ouça. O segundo é os limites do sigilo acerca do que nos foi confiado. 2. Discussão e Reflexão: Sigilo e Confiança - Ser uma pessoa confiável é algo muito sério e um valor não negociável para a comunhão da igreja. Analisando a nós mesmos: Perguntas  Quando é mais difícil guardar uma informação? Por que? (Quando se tratar de informações de alguém/situação que nos ofendeu – Pv 12:16)  Por que nos sentimos bem quando comentamos deslizes de terceiros, principalmente quando se trata de novidades?  (Há prazer no falar sobre alguém. Assim como o prazer de comer pode se tornar pecado como a gula, a fofoca é a gula das palavras – Pv. 18:8 use Bíblia na linguagem de hoje)  Como você define uma pessoa confiável? Perguntas para Reflexão individual  O que realmente motiva você ouvir falar sobre alguém?  Depois do que foi conversado você se considera uma pessoa confiável? Tarefa: Lembre ao grupo que de vez em quando, tarefas serão dadas para serem feitas individualmente. Alerte da necessidade de dar a essas tarefas a qualidade de tempo que elas requerem. Incentive o grupo a praticar o compromisso pessoal de buscar crescer o máximo, afinal estamos falando de vida diante de Deus e não de um grupo ou líder. Distribua com o grupo as fichas de estudo bíblico individual do texto de Efésios. Diga que as respostas desta tarefa farão parte do compartilhar no próximo encontro e vale ponto. Atenção: Você como monitor deve se envolver ativamente nas tarefas como um participante do grupo (responda as perguntas). Aprenda a também dedicar tempo para o seu próprio crescimento.

10

Tire você mesmo duas aplicações do texto para sua vida 1)__________________________________________________________________ 2)__________________________________________________________________ As respostas que você vier a dar neste último quesito. você tem a liberdade de faze-lo se quiser. porém.Ficha de Estudo Bíblico Individual Palavras. _____________________________________________________________________ _____________________________________________________________________ (b) Identifique alguns prejuízos de “palavras que fazem mal” ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ (c) Quais as “peneiras” que devemos usar para selecionar o conteúdo das nossas conversas? ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ (d) O que na pratica significa “fazer bem aos que ouvem”? (Bíblia na linguagem de hoje) ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ 2. muito mais que palavras 1. 11 . o líder do grupo não solicitará que sejam compartilhadas. Leia com atenção o texto de Efésios 4:29 e responda as seguintes perguntas: (a) Seria a boca a origem das palavras? Explique.

12:34 (b) Identifique alguns prejuízos de “palavras que fazem mal”  Destroem a reputação de alguém sem dar nenhuma chance de defesa. “Estás tão gorda!”. (faça suspense). Desenvolvimento da Reunião Prestação de Contas do Estudo Bíblico Individual Discussão em Grupos Pequenos 1. 12 . etc. Ajudar a crescer na fé. (chocolate: responsabilidade dos monitores) 3. no mínimo. Não. incluindo o compartilhar de no máximo duas pessoas que desejarem falar sobre a aplicação prática. Ajudar a atender as necessidades. Ressalte que tal realidade. ou seja nada que leve ou incentive a pessoa que lhe ouve a pecar. (a) Seria a boca a origem das palavras? Explique. Coloque o chocolate bem no centro do grupo. Esclarecer que um relacionamento estável e profundo pode não significar 100% de segredo. Providenciar Antecipadamente Material  Um pedaço de papel para cada participante. Ex. 2. lápis e canetas e um chocolate. 3. (c) Quais as “peneiras” que devemos usar para selecionar o conteúdo das nossas conversas? 1.O Sigilo 2 – Seus Limites Encontro 05 2.  Produzem inimizades.000 palavras dia. Recolha os papeis e informe ao grupo que a média gira em torno de 20. A pessoa que chegou mais perto ganha o chocolate (tenha um chocolate reserva para o caso de empate). nem muito menos inércia face ao que se ouve. A boca é um mero instrumento verbalizador daquilo que a nossa mente produz. “Você não faz nada que preste!”. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Levar o grupo a reconhecer que o uso das palavras necessita de um sério controle. Distribua os papeis e canetas e peça que cada um escreva um palpite de quantas mil palavras um ser humano adulto fala por dia. exigirá de uma pessoa cristã estabelecer os limites no uso de tantas palavras. e que a confidência não pode significar cumplicidade com o erro. “a boca fala do que o coração está cheio. (d) O que na pratica significa “fazer bem aos que ouvem”? Uso de palavras que irão produzir o ideal de Deus. Fazer bem a quem ouve.” – Mt.  Desanimam aqueles que são atingidos. 3. 2. Discuta em 15 minutos a tarefa de casa.

então a liderança da igreja deve tomar conhecimento e assumir o caso. Vou roubar o namorado dela. Pois o atraso significará perder algo bem interessante. (c) Assunto que vindo a público irá produzir vergonha.  Quando alguém nos compartilhar formalmente algo que envolve riscos ou persistência no erro o sigilo deve ser mantido? Inicialmente sim! Riscos: Não podemos concordar nem nos comprometer com pecados de alguém quando riscos para outros estão em jogo (Vou matar fulano. então deve ser buscado(a) uma outro(a) irmã(o) para ajudar. guardar sigilo de erros quando a confissão não reflete o desejo de correção. portanto.. Peça para que no próximo encontro eles sejam bem pontuais.  O que diferencia uma conversa informal de uma sigilosa? (a)Realidade que reflete privacidade da vida do outro. punição ou muito embaraço. revide com a mesma moeda!”. “Tu é besta mesmo!”. 4. convidando cada participante a mais uma vez se comprometerem com o sigilo. Persistência: Jesus ensinou três níveis de ação (Mt 18:15-17): (1) Você tenta resolver o problema pecaminoso com ele. Grupão 1. etc. em duplas.Ex. (2) A pessoa rejeita/desconsidera a orientação da Bíblia.. (b) Clara solicitação para guardar segredo. será continuado no próximo encontro. Informe o grupo que este assunto exige um novo encontro. (3) Caso a postura de pecado persista. acima de tudo com a busca de uma vida cada vez mais santa e obediente a Palavra de Deus. Se fosse eu. 2. “Não fique parado(a). Use aproximadamente 15 min. Faça um momento de oração silenciosa. Para esta discussão. Isto é cumplicidade para o mal. É pecado de quem ouve.) A ação exige uma atitude sem retardos. prejuízo. porém.. 3. 13 .

(b) A relação Saul-Davi estava deteriorada. 14 . o efeito será mais marcante. porem ele não estaria disposto a manter o sigilo caso a justiça estivesse em jogo. porém Saul estava espiritualmente corrompido e isto significa ações injustas. (c) Jônatas esperava que seu pai fosse um homem digno e justo. Ao terminar a história. o importante é a idéia. e o sigilo pai-filho foi quebrado por causa do projeto maligno de Saul. Produza o clima de Antigo Testamento. não havia condições de tentar cultivá-la sem riscos e perdas sérias. nos dois sentidos gozava de muita confiança e confidência. Saul passou a ter inveja de Davi. Use muita expressão. Se quiser decorar o local da reunião de acordo com uma cena da história. (responsabilidade do professor da sala) 2. porém exigia distância. comece a reunião contando com muito entusiasmo a história de Jônatas. 3. Chegue antes de todos e vista-se com a túnica. 2. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Lançar as bases bíblicas dos limites do sigilo no que diz respeito a ser cúmplice de erros de outros. Recepcione cada um dos participantes com a expressão Shalom. Obs. (b) Davi esperava que Jônatas se mantivesse fiel ao compromisso de justiça e amizade estabelecido entre eles. não acrescente idéias suas)  Convide o grupo a analisar a história bíblica. (c) A relação Davi-Saul continua de fidelidade e respeito. Providenciar Antecipadamente Providenciar  Leia e estude bem a história relatada em I Samuel 20. ► Que confiança existia entre Jônatas-Saul e Jônatas-Davi. enfatize os vários compromissos e confidências que o texto mostra. (responsabilidade dos monitores)  Uma túnica nos moldes dos tempos bíblicos para cada monitor. Bom dia).: Não se preocupe em fazê-los enxergar exatamente como descrevemos aqui. (d) A relação Jônatas-Davi. Desenvolvimento da Reunião Discussão em Grupos Pequenos 1. Nossas conclusões abaixo servem apenas de guia. Após todos chegarem. Davi e Saul. Ion Tov (Paz. ► O que eles esperavam um do outro (a) Saul esperava que o filho fosse cúmplice de sua trama criminosa. mesmo que pró-filho. sem dar explicações.O Sigilo 3 – Não à Cumplicidade Encontro 06 1. Você irá contá-la ao grupo. proceda com o grupo uma discussão:  Em que situação a pessoa que ouve se torna cúmplice de quem fala? (deixe eles se expressarem certo ou errado. (a) A relação pai-filho era fortíssima.

o sigilo e a glória que só a Deus é devida.  Discuta com o grupo quais as vantagens do relacionamento sadio. Pergunte para eles o que é preciso para o grupo produzir um relacionamento do tipo Davi-Jônatas 1. sob qualquer pretexto. Em termos práticos. o respeito. não podem ter valor superior a nossa submissão ao que é justo diante de Deus. O relacionamento e o sigilo que ele exige. 5:22b. No conceito de Davi e Jônatas: Não  Quais os limites da confidência à luz de I Tm. 15 . devemos agir exatamente como Jesus agiria diante da situação que enfrentamos. Peça para que as duplas de oração agradeçam o privilégio de estarem juntos em busca de relacionamentos que reflitam o amor sincero. pode ser negociado quando a justiça divina está sendo desconsiderada.Grupão  Houve traição por parte de Jônatas ao falar para Davi sobre a intenção maléfica do pai? No conceito de Saul: Sim. Nada.

Providenciar Antecipadamente Material:  Uma cópia para cada participante das seguintes atividades (os modelos estão no final da lição. Lidando com a Culpa . 4. O Guia de Estudo do Monitor/Professor se encontra no final desta lição. Consciência Limpa – Identificar e buscar praticar a orientação bíblia que produz e conserva uma consciência pura. faça uma outra pergunta. pecado é quando agente sabe que algo está errado e faz (E quando não sabe?) 16 . Estrutura da Reunião Objetivo principal: O propósito de se estudar a doutrina do pecado visa levar os membros do grupo a tomar consciência das graves conseqüências das nossas ações pecaminosas. 3.Estudar e entender como tratar a consciência e o sentimento de culpa gerada pelo pecado. Sempre que uma resposta oferecer conceitos genéricos ou relativos. 2. as próximas lições terão os seguintes temas e objetivos: 1. Introdução A partir desta lição será iniciado o processo de busca por uma maior santidade de vida. A Doutrina do Pecado – Entender o conceito bíblico acerca do pecado e suas conseqüências. Assim. 2. Para tanto iremos começar pelo fator gerador da intriga e separação. principalmente na área dos relacionamentos. Comece indagando ao grupo sobre o que é pecado. com uma ênfase dos impactos na área dos relacionamentos. Desenvolvimento da Reunião Discussão em Grupos Pequenos 1. não corrija. 3. Arrependimento e Confissão – Aprender e aplicar os princípios bíblicos do verdadeiro arrependimento. A seguir você tem algumas possíveis respostas inadequadas e perguntas sugeridas  Pecado é tudo que é errado (E o que é errado?)  É tudo que desagrada a Deus (E o que desagrada a Deus?)  Não. Trata-se do pecado e suas conseqüência. responsabilidade do professor): ► Guia de estudo em Grupo (trabalho para ser respondido durante a reunião) ► Ficha de Estudo Bíblico Individual (trabalho para ser desenvolvido em casa) Providenciar  Durante a semana leia e estude sobre a doutrina do pecado.A Doutrina do Pecado Encontro 07 1. tanto com Deus quanto entre os seres humanos.

Este será o assunto do próximo encontro.Pecado gera afastamento e destruição de qualquer comunhão. Para ir mais longe. O Pecado é doença mortal. diante de Deus. 17 . Distribua a Ficha de Estudo Bíblico Individual – Lidando com a Culpa. Faça um apanhado das frases dos grupos. Distribua o Guia de Estudo Bíblico em Grupo sobre a Doutrina do Pecado leiam e preencham o que pede o Guia. Peça para todos lerem em casa. conferindo os textos e fazendo anotações necessárias. uma clara quebra de compromisso e apoio. Leia o texto indicado e solicite do grupo a interpretação do mesmo sobre dois prismas:  O que aconteceu envolvendo o pecado?  Que conseqüências produziram nos relacionamentos? A) Gênesis 3:9-10 ►Adão e Eva desobedeceram à ordem de Deus. Leia com o grupo o Salmo 139 leve-o a um momento de reflexão pessoal. ►Paulo não confiava mais em João Marcos.13 e 15:36-40 ►João Marcos abandonou Paulo e Barnabé em plena viagem missionária. Qualquer pequeno descumprimento da lei é um pecado sério perante Deus. (I João 1:9) 4. B) Atos 13:4-5. Ressalte que eles sempre ferem relacionamentos. C) Leia João 16:7-8 ►Mostre que é o Espírito Santo que aponta os pecados. e encorajando-o a. Grupão 1. ►Fugiram da presença de Deus . 3. e chegou a romper a parceria com o seu companheiro Barnabé. Eu acho que pecado depende da gente (Pode acontecer ser pecado para um e não para outro?)  Pecado é a desobediência da lei de Deus (O que diz a lei de Deus?) 2. O Pecado destrói relacionamentos. buscar um quebrantamento profundo e pedir perdão. 2.

Romanos 1:28-32 e Efésios 4:17-20 Frase: __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 4. A frase final deve refletir o consenso de todos. enfatizando apenas aquilo que diz respeito ao pecado. João 8:34 e Romanos 6:20-21 Frase: __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3. Romanos 5:8 e 6:22-23 Frase: __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 18 . 1.23 e 5:12 Frase: __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 2. produzindo no final uma frase que resume o conteúdo dos mesmos.Ficha de Estudo Bíblico em Grupo A Doutrina do Pecado “É mais fácil ficar fora do que sair” Mark Twain Leiam e discutam os textos indicados. Romanos 3:10-12.

Guia de Estudo do Professor A Doutrina do Pecado Por que as pessoas pecam? Pecam por ignorância do melhor de Deus. pecar significa ERRAR O ALVO. “Do céu Deus revela a sua ira contra todos os pecados e todas as maldades das pessoas que. de fato.”(Rm 1:18). o seu salário é a morte (Rm 6:23). Há.O presente de Deus para quem está unido a Cristo é a vida eterna. há uma outra verdade preciosa demais para ficar escondida: “Se Filho de Deus libertar. É ser semelhante a Deus..” (Rm 6:23) 1. livres” (Jo 8:36) “. pecam por egoísmo e orgulho. O pecado não dá sabor à vida ele mata a vida. pecam pela busca de prazer sem questionar os meios. Independente de onde ele ocorra. é veneno mortífero. 2.. O homem foi criado imagem e semelhança de Deus e tem gravado em si mesmo o senso do que é certo e errado. não deixam que os outros conheçam a verdade de Deus. Que alvo é esse? O ideal de Deus para o homem é a perfeição em tudo. vocês serão. ou a palavra dita ou ainda uma ação. com o pacto de fidelidade que foi feito por Deus com o homem. Isto significa que o ideal para o homem está descrito em Gênesis. Porém. O desconhecimento das leis ou da perfeita vontade de Deus O desconhecimento das leis ou da perfeita vontade de Deus não isenta o homem das penas. estou pecando. porém. uma verdade que tem sido escondida por trás do pecado e que precisa ser revelada. Para ajudar a pensar: O desconhecimento de uma lei de trânsito livra alguém das penas da transgressão dessa lei? 19 . pecam por influência do reino de trevas. e o próprio Jesus afirmou: “quem peca é escravo do pecado” (Jo 8:34). Os nossos pecados são muito mais do que atos errados O pecado pode envolver apenas a mente. pecar é ofender diretamente a Deus e provocar uma santa e justa reação dele contra nós. Cada vez que tenho a intenção de acertar o alvo do ideal de Deus em qualquer área e erro. por meio das suas más ações. O pecado não é um “tempero para a vida”. pecam por desejarem ser o deus de si mesmas. Pecado é não viver tudo aquilo que Deus idealizou para Adão e Eva.

Judas e Davi? Todos contam. experiências derivadas do pecado. com suas vidas. Enfocando o aspecto da reação pessoal diante do erro. O que provoca o sentimento de culpa e por quê? Quando ele surge? 3.Ficha de Estudo Bíblico Individual Lidando com a Culpa “Feliz aquele cujo pecado é perdoado” Salmo 32:1 1. Você conhece as estórias de Saul. Qual a diferença entre sentimento de culpa e remorso? 4. você poderia estabelecer as principais diferenças na vida desses homens ao lidar com a culpa? Saul (I Samuel 15: 11 a 23) Judas (Mateus 27: 3 a 5) Davi ( II Samuel 12: 1 a 13 e o Salmo 51) 20 . O que é sentimento de culpa? 2.

.Lidando com a Culpa . Deixe o grupo discutir e chegar a uma conclusão. Pergunta: O que provoca o sentimento culpa e por quê? Quando ele surge? Rejeite resposta simples demais ou generalistas. 3. Conceito correto: O sentimento de culpa surge quando um erro se torna consciente e a pessoa que o cometeu não aceita ou tem dificuldade de aceitar o fato de o ter praticado. tais como: Pecado.“Lidando com a Culpa . Colha as respostas dos grupos..Estudar e mostrar a cada participante a necessidade de tratar adequadamente o sentimento de culpa e suas conseqüências. não apresenta nenhuma atitude de restauração ou esperança de se receber perdão. Providenciar Antecipadamente Encontro 08 Providenciar  Cópia para todos da Ficha de Estudo Bíblico Individual . porém. Realize a Dinâmica de grupo – “Se você fosse Pedro. 2. fazer qualquer coisa errada.1 1. Informe que na reunião seguinte estudaremos o caso de Pedro. Estrutura da Reunião Objetivo principal: . Encerre entregando a cópia do Guia para Estudo Individual . Grupão 1. nem se posicione como professor. Inicie o debate com a seguinte pergunta: O que é sentimento de Culpa? Não rejeite nenhuma resposta. Desenvolvimento da Reunião Prestação de Contas da Ficha de Estudo Bíblico Individual Discussão em Grupos Pequenos 1. um exercício de sensibilização” (explicada no final da lição) 2. 21 . seguindo a seqüência da folha de estudo que foi distribuída. (responsabilidade do professor) 2. Atenção: Esta reunião tem como objetivo principal sensibilizar o grupo a respeito das dificuldades e frustrações decorrentes de nossos erros e iniciar o estudo dos princípios bíblicos de como tratar a culpa produzida pelos nossos pecados.Lidando com a Culpa 2 e peça para que durante a semana cada um estude os textos e responda as questões propostas para debate no próximo encontro. mesma que esteja errada. Pergunta: Qual a diferença entre o sentimento de culpa e o remorso? Remorso: Engloba tudo que pode ser definido como sentimento de culpa. 4.2” que encontra-se no final da lição e que servirá para o próximo encontro.

o segundo após a prisão de Jesus. Na sua concepção. e o terceiro no encontro de Pedro com Jesus ressurreto. Qual a advertência de Jesus aos discípulos? ______________________________________________________________________ 2. Leia os texto com atenção e responda com suas palavras as questões que são formuladas. O que Pedro respondeu? ______________________________________________________________________ 3. Pedro pelo menos tentou seguir a Jesus quando os demais o abandonaram.Ficha de Estudo Bíblico Individual Lidando com a Culpa 2 “É a falta de compromisso com pequenas coisas que nos leva às maiores quedas” Jerry Bridges Para aprendermos sobre o sentimento de culpa. Isto não aliviaria a culpa que ele demonstrou? ______________________________________________________________________ 5. O que o sentimento de culpa produziu em Pedro? ______________________________________________________________________ 22 . Como Pedro foi avisado? ______________________________________________________________________ 4. O Compromisso de Pedro – Mateus 26:31-36 1. Após a prisão de Jesus o que fez Pedro? ______________________________________________________________________ 2. utilizaremos três momentos da vida do apóstolo Pedro. O primeiro ocorrido durante a celebração da última páscoa. Qual a promessa de Pedro? ______________________________________________________________________ 5. o que fez Pedro não tomar consciência da sua culpa após a sua primeira negação? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 4. Quem mais também prometeu a mesma coisa? ______________________________________________________________________ A falha de Pedro – Lucas 22:54-62 e João 18:12-18 1. Como você entende a atitude de Pedro após sua primeira negação? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 3.

Explique como Jesus tratou a culpa de Pedro.O reencontro de Pedro com Jesus – João 21:15-29 1. ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 2. Que evidências você identifica como cura da culpa que Pedro sentiu? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 23 .

Comente que não estamos fazendo uma brincadeira. Estude demoradamente os objetivos propostos e comente com suas próprias palavras o que desejamos produzir. 3. Instruções: 1. promovendo sensibilização e um clima de identificação diante de experiências frustrantes.) Peça para que as pessoas que forem mais rápidas em suas respostas sejam sensíveis às outras que ainda não terminaram e mantenham-se em silêncio. Peça para cada pessoa fazer uma avaliação profunda de seu próprio coração e responder segundo a sua própria consciência. Após o tempo de 10 a 15 minutos. Explique que essa experiência tem a intenção de “nos colocar na pele de Pedro”. gaste mais cinco minutos. Só então. mas aguçando nossa capacidade de identificação. Não nos interessa mudar a história. Informe que iremos fazer um exercício de sensibilização e vivenciar da maneira mais autêntica possível uma situação de crise. Comece informando sobre a finalidade do exercício. com todas as suas fragilidades e medos. Informe que o grupo terá 10 minutos para responder as questões propostas.  Refletir sobre as dificuldades e a maturidade necessária para se superar crises. 2. que se encontra anexo. 4. abra o plenário para que cada pessoa possa compartilhar suas respostas. 24 . nem um teste. conforme o número de participantes. Conte a história da negação de Pedro rapidamente. compreensão e empatia.  Gerar maior empatia. mas desencadear identificação. sem informações adicionais. Tempo previsto  Aproximadamente 30 a 40 minutos. entregue a cópia do texto proposto. aquele discípulo. Esclareça que para uma maior eficiência do trabalho elas não devem conversar enquanto escrevem. à partir da Santa Ceia.  Incentivar o encorajamento e o respeito para com todos que encontram-se em situação de crise.Dinâmica de Grupo | Se Você fosse Pedro? Objetivos  Despertar os componentes do pequeno grupo para a necessidade do cultivo crescente de autenticidade e transparência. (Se após esse tempo a maioria ainda não houver terminado. porém como se estivesse lá e fosse ela mesma. Materiais necessários  Lápis ou canetas e cópias do texto exposta na folha de Dinâmica de Grupo.

25 .

26 .Este exercício de sensibilização foi produzido com base nos seguintes textos bíblicos: Mateus 26:21 a 35. João 18:12 a 18 e Lucas 22:54 a 62.

2. compreensão redobrada” Grupão 1. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Estudar e mostrar a cada participante a necessidade de tratar adequadamente o sentimento de culpa e suas conseqüências. Desenvolvimento da Reunião Discussão em Grupos Pequenos 1. Atenção: Esta tem como objetivo principal estudar os princípios bíblicos de como tratar a culpa produzida pelos nossos pecados. priorize o estudo dos princípios que orientam como tratar a nossa culpa. Providenciar Antecipadamente Encontro 09 Providenciar  Cópias para todos do Guia de Estudo Bíblico Individual . 2. Distribua a Ficha de Estudo Bíblico Individual – “Cultivando a transparência” que será utilizada no próximo encontro. Conclua com uma oração nos Grupos Pequenos – cada participante pronuncia uma frase. debata com o grupo o caso de Pedro. Estudo – Solicite as repostas da Guia de Estudo Bíblico Individual que foi distribuída na reunião anterior e.2 1. 3. Realize a dinâmica “Culpa compartilhada. Esta direção é um bom sinal de intimidade produz\ida. baseado na folha que foi entregue no último encontro.“Cultivando a Transparência” que encontra-se no final desta lição e que servirá para reflexões a respeito o estudo do próximo encontro. 27 .Lidando com a Culpa . Haverá uma tendência de se polarizar casos de uma ou outra pessoa do grupo. porém. é preciso se fazer entendido que tentar resolver um problema sem as ferramentas adequadas. seguindo a seqüenciada ficha. Neste encontro. pode significar a produção de um outro.

Comece fornecendo as instruções item por item. A seguir.  Por conta das últimas descobertas. incentivar uma maior habilidade de empatia entre os participantes do grupo. uma situação em foi tomado pelo sentimento de culpa e suas conseqüências nos relacionamentos envolvidos. Recolha. sem antecipar fases.Dinâmica de Grupo | Culpa Compartilhada. por escrito.Vocês acham que conseguiram identificar-se com a situação? . Tempo previsto:  Aproximadamente 30 a 40 minutos Material necessário:  Papel. 5. 9. lápis ou caneta Instruções: 1. 2. Durante a exposição não será permitido nem perguntas nem debate. fará uma exposição da situação lida sempre na 1ª pessoa “eu” e fazendo todas as adaptações que julgar necessárias.Acha que o outro compreendeu a situação que você escreveu? . 4. Solicite que todos despistem a letra ou escrevam em letra de forma para não revelar a autoria. 3. Dobre seu papel primeiro e use-o como exemplo para que os outros também dobrem da mesma maneira. Na medida do possível.Seus sentimentos mudaram como conseqüência desta experiência? 28 . No final você poderá desencadear os comentários formulando as seguintes perguntas: . 7. Cada membro deverá descrever. A princípio não informe os objetivos da dinâmica. Distribua papel. Cada pessoa então.Sentiu que compreendeu a situação? . 6. misture e redistribua os papeis informando que não existe problema se alguém ficar com seu próprio escrito. procure participar junto com o grupo vivenciando as questões propostas. procurando personalizar a descrição para a completa compreensão do grupo. mas que não gostariam de expor oralmente. Compreensão Redobrada Para refletir juntos e compartilhar nossas descobertas Objetivos:  Voltar a oferecer oportunidades de compartilhar nossas vidas de forma mais profunda. lápis ou caneta para cada pessoa do grupo. recomende que cada participante assuma a situação descrita como se ele mesmo fosse o autor. esforçando-se para compreender e associar seus próprios sentimentos. 8.

Mesmo que tentemos dar explicações (método de racionalização). pois ao deixá-la meio ociosa.. Quando se decide obedecer a Deus o reino de trevas irá lançar sobre o crente a racionalização e a dúvida se o método de Deus dará certo. Esta atitude não dá descanso à mente. É como se uma mordaça lhe fosse colocada. 1. Neutralizando a Consciência A desobediência repetida associada à rejeição de ouvir a consciência que o Espírito Santo ativa. Exatamente como Adão e Eva fizeram (Gênesis 3:9-13). Um problema espiritual só pode ser solucionado eficazmente quando o cristão assume a sua responsabilidade para com Deus. sexo obsessivo ou pervertido. Desta forma se auto-engana como se o mal não tivesse sido praticado e não houvesse culpa. não associamos às violações cometidas (reações fortes contra alguém. Porém. Se confessarmos os nossos pecados Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Porém. Maneiras de Neutralizar a Consciência:  FuGa – Afastamento de Deus e conseqüente prática de atividades ou vícios que desviam a atenção da mente. pois os seus avisos condenatórios perturbam e constrangem.  Preocupação – Concentração da mente em atividades e ou responsabilidades reais e lícitas. Em nossa próxim a reunião compartilharemos juntos nossas percepções. Exemplos: Hiper atividade profissional. às vezes. cigarro.Ficha de Estudo Bíblico Individual Cultivando a Transparência . há o risco da culpa aflorar gerando inquietação. a culpa continuará instalada na consciência e produzindo sentimentos e ações que. neutralizará nossa mente gerando nela insensibilidade ao erro praticado. diversão a qualquer custo.). 2. 3. quando violamos um destes princípios. I João 1:9 29 . o método divino sempre produzirá a paz que desejamos. surge a necessidade de racionalizar colocando a culpa em outras pessoas por suas faltas. progressivamente. devemos confessar o pecado cometido e Deus nos perdoará e nos purificará da culpa. o resultado é culpa na consciência.. mágoas. Não fomos criados para desobedecer aos princípios que Ele estabeleceu.  Compensação – Sistema que procura equilibrar a culpa através de uma participação religiosa ativa ou envolvimento em obras sociais. etc. pois o Espírito Santo estará sempre nos mostrando o erro a ser corrigido (João 16:7-8). etc. Enfrentando a Culpa Nenhum cristão deve ignorar a culpa. drogas. sono. Quando pecamos contra Deus. a tal ponto do bom trabalho produzido produzir satisfação.  Auto-enGano – Não querendo ouvir a consciência. A ênfase geralmente recai na super dedicação à família ou ao trabalho. Isto se processa como se o fazer o bem equilibrasse a balança da culpa. bebida.Para você refletir e ir mais longe.

Mateus 5:23-24 30 . é necessário reconhecer a falta cometida. faze a tua oferta. e. ao trazeres ao altar a tua oferta. ir até à pessoa ofendida e pedir o seu perdão. vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. então voltando. pois.Quando uma pessoa ofende a outra. deixa perante o altar a tua oferta. Se. ali te lembrares de teu irmão tem alguma coisa contra ti.

Consciência Limpa: Você. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Estudar e mostrar a cada participante a necessidade de uma consciência limpa.. e amplie o debate para o que significa ter uma Consciência Limpa. Dê de 10 a 15 minutos. Discuta Atos 5 . tais como: (atribuição do professor) ►Já faz tanto tempo. Racionalização: são desculpas para acalmar a nossa culpa e são produzidas como barreira de defesas para ocultar o pecado. Providenciar Antecipadamente Material:  Um envelope para cada dupla a ser formada contendo uma folha de papel ofício com um ou dois recortes de figuras de revistas já colados. 3. 2. Promova uma breve discussão sobre o que é consciência. Escolha figuras com temas que possam produzir diversidade de definições do que é consciência. 2:14-15) Consciência Limpa: E a alegria interior e a paz de espírito que resultam de se ter a convicção que os todos os erros cometidos foram perdoados e que os erros praticados contra outras pessoas produzindo ofensas.Ananias e Safira: Consciência cauterizada Peça para todos lerem e depois pergunte ao grupo: 31 .. puro e impuro. ►Não vai adiantar nada! ►Todo mundo erra. Desenvolvimento da Reunião Discussão em Grupos Pequenos 1. Distribua para cada dupla um envelope contendo o material. foram corrigidos. e três desculpas “racionalizantes”. faça um grupo de 3 pessoas). ( Grupão 1. mal ou bem (leia Rm. conhecendo o processo de racionalização e a geração da culpa. Solicite que eles coloquem os seus nomes na folha 4. Peça que eles definam em uma frase o que é consciência a partir da folha de papel com as figuras disponíveis nos envelopes. 2. (veja no final uma variação desta dinâmica) (atribuição dos monitores)  Faça um cartaz e uma cartolina com a frase “RACIONALIZAÇÃO NÃO”. Deus e o Próximo Encontro 10 1. concedendo-lhe a capacidade de discernir entre o certo e errado. Divida o grupo de dois em dois (sendo ímpar. Produza uma outra conversa indagando ao grupo: O que significa racionalizar um erro? Para Ajudar o líder: Consciência: Faculdade inata do ser humano que o faz sensível às verdades universais de Deus. Faça com que as folhas das colagens circulem para que cada dupla conheça as idéias dos outros. Inicie o estudo bíblico pincelando a folha Cultivando a Transparência. 6. 2. 5. justo e injusto.

ambição de fama) Que evidências o texto contém a cerca da consciência cauterizada ► deles? (esconder o erro mantendo-se conectados à igreja) ►Por que eles foram até o fim no erro planejado? (não houve tratamento correto da culpa) 3. tesouras. providencie revistas. mentira.►O que desejava o casal? (projeção como “crentes especiais” e dedicados) ►Qual o pecado do casal? (falsidade. Para aplicar a dinâmica. 32 . Peça que as duplas orem e meditem sobre o assunto durante a semana. siga as mesmas instruções da sugestão original da lição. engano. Variação da dinâmica Ao invés de você fazer a seleção prévia das figuras. hipocrisia. cola e deixe-os escolherem uma figura a ser aplicada no papel como tema para a definição de consciência. Compare o texto anterior com Filipenses 2:1-5. 4:8 – Atitudes e o conteúdo da mente Peça para o grupo ler o texto e fazer comparações com as atitudes de Ananias e Safira Ananias e Safira Recomendações de Paulo Concórdia em plano pecaminoso Concórdia em imitar a Cristo Racionalização do pecado e da culpa Sistema de pureza mental Vida hipócrita Vida sem sentimento de culpa Manutenção da aparência de santidade Santidade de dentro para fora Desgraça como resultado Bênçãos e paz interior 4.

Aplique a dinâmica do distanciamento. Desenvolvimento da Reunião Discussão em Grupos Pequenos 1. (Mudança de mente. Diga bem baixinho “você pode andar aqui dentro para onde quiser até ser parado por alguma coisa” (parede.  Use o fato com os seguintes paralelos: ►O pecado nos afastará de Deus enquanto não for confessado.  Por que tanta angústia interior? (1) O cristão não consegue conviver em paz com pecado não confessado. porém. móveis. Isto implica em mudança de atitudes.  Ao dizer que “não ouvi”. pessoas. (3) Vida sobre a disciplina divina – castigos. mais ►Quanto “independente” e sem orientação.10. (2) Segurança e proteção divinas – v. (2) Bloqueio em ver uma solução sadia – chorar o dia todo.  Dê a ele a opção de tomar uma decisão para se movimentar para perto de você. 33 . fale do mesmo modo. Estudo Bíblico do Salmo 32  O que aconteceu enquanto a confissão não foi feita? (1) Sentimento de culpa-choro. igreja. (4) Alegria no viver honesto – v. (3) Orientação divina para a vida – v. (2) O Espírito Santo aponta o erro sempre que nos aproximamos de Deus (oração.  Peça que um participante fique perto de você.6-7. mais distante menos comunhão com Deus. ou pedir para você falar mais alto. (4) Término das forças de sustentação da paz interior – sereno que seca com o sol de verão. Faça uma breve recordação do encontro anterior e dê oportunidade para algumas pessoas compartilhar. reconhecimento do erro e mudar de direção voltando-se para Deus) Grupão 1.8. 2.)  Qual o resultado de uma consciência limpa? (1) Perdão dos pecados – v. com o método divino de impedir a progressão do pecado. etc irá pará-lo). baixo o suficiente para ele não ouvir.5. e peça para ele repetir.Decidindo se Arrepender e Confessar 1. etc.13  Indague ao grupo que se significa se arrepender. Estrutura da Reunião Encontro 11 Objetivo principal: Estudar a respeito do arrependimento e levar os participantes a praticá-lo com confissão de pecados. ►O arrependimento nos redireciona para Deus. voltado para longe de você.  Agora fale qualquer coisa.

(utilize a transparência ou multimídia – modelo no final da lição) 2.Decidindo se Arrepender e Confessar . ficou falando normalmente com você. No início e no meio os monitores podem ajudar. Afirme que há uma importância inadiável de resolver ofensas passadas. e o contrário muita destruição. Situação 1 Você relevou o segredo de um amigo para outras pessoas. porém logo após o incidente ele viajou e quando voltou. Situação 3 Você cometeu um erro com um amigo. É muito importante que os monitores deixem os alunos bem livres. um meio e um fim. Desenvolvimento da Reunião Discussão em Grupos Pequenos 1. Providenciar Antecipadamente Material:  Tire cópias para o grupo da folha Resolvendo Ofensas Passadas e da Ficha de Estudo Bíblico Individual (final da lição). principalmente na elaboração do final da história. Dê para cada grupo uma das situações abaixo e peça para que o grupo realize a atividade proposta.  Transparência ou Multimídia com o conteúdo da folha Resolvendo Ofensas Passadas. A situação pode terminar resolvida ou não. Situação 2 Você mentiu para um amigo para poder se livrar das conseqüências do seu erro. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Mostrar como somos tendenciosos a não resolver os erros passados e ensiná-los o caminho correto para corrigir os erros cometidos. Os grupos devem elaborar uma rápida encenação para as situações abaixo. pois ela produzirá bênçãos e poder na vida. porém o fim deve ser elaborado pelos alunos. o grupo é quem decide. Todo o grupo deve participar da encenação. de alguma forma. 34 . Grupão 1. Destaque a importância deles e leve o grupo a discutir o assunto. Eles devem criar um início. Situação 4 Você tirou uma brincadeira “inofensiva” com um amigo mas ele se chateou. depois de muito tempo. 2. 2. Destaque para o grupo que o reino de trevas fará tudo para impedir que alguém venha a ter uma consciência pura. 3.2 Encontro 12 1. Distribua a folha de estudo Resolvendo as Ofensas do Passado e comente você mesmo os passos propostos na folha.

Ao final.3. Dê a cada participante uma cópia da Ficha de Estudo Bíblico Individual pedindo para que eles façam as tarefas ali solicitadas durante a semana. Promova um momento de oração para que eles se comprometam diante do Senhor. 5. convide o grupo a tomar a decisão de diante de Deus decidindo seguir os passos propostos. 35 . 4. Encerre dizendo que você se coloca à disposição para ajudá-los na tarefa de resolver ofensas passadas.

Faça uma lista das ofensas praticadas em ordem de importância.. sua atitude refletirá total responsabilidade sobre a falta. Qualquer forma de pedido de desculpas que esteja envolta com orgulho ou censura à outra pessoa. 3. Reserve um tempo seguro e um local tranqüilo de tal forma que você não seja perturbado.Resolvendo as Ofensas do Passado 1. Faça a confissão exclusivamente àquela pessoa a quem você ofendeu.. Escolha a hora e momento certo para estar com a pessoa que você pedirá perdão. desculpe estava errado”. mais prudente fazer uma chamada telefônica apresentando o assunto de forma breve e objetiva. “Sinto muito. Será. 7. 2. Agora é a outra pessoa que não resolveu o dela. resultará no surgimento de novas barreiras entre vocês. mas porque você me provocou”. Você pode estar apenas com 10% de erros e a outra com 90%.” 2. Decida procurar cada uma das pessoas ofendidas com humildade. para que a sua atitude para com ela seja de amor genuíno. Em 36 . Ore a Deus pedindo que lhe guie na sua busca por uma consciência limpa. independentemente da reação que ela venha a ter?  Você procurou reviver as suas ofensas como se elas tivessem sido cometidas contra você. não pude evitar. quando você confessar a sua responsabilidade nos 10%. Perguntas que auxiliam no processo de identificação:  Existe alguma coisa em seu passado que sempre vem à sua mente e que você preferiria que não tivesse acontecido?  Há pessoas que não gostam de você? Será que a causa não seria uma ofensa cometida por você?  Há alguém para quem você falhou como exemplo de vida cristã? (principalmente na área moral)  Haverá alguém cuja autoridade você deixou de respeitar? 4. Evite escrever cartas ou promover um confronto pessoal. “Se eu errei. AlGumas Advertências Muito Importantes 1. Neste caso é importante tomar posse que o problema da culpa foi resolvido para você. é a sua consciência que ficará limpa. 4. Duas frases são difíceis de saírem de nossos lábios mas são elas que necessitamos dizer: (1) Eu estava errado(a) em _________________ (2) Por favor você me perdoa? 3. confesse seu erro e peça perdão. 6. porém. a fim de compreender como seus erros feriram a outra pessoa?  Será que você identificou a ofensa principal em vez dos detalhes da ofensa?  Você abriga motivos tais como: com a confissão tentar mudar a outra pessoas? 5. Importante: Ao fazer isto. Sabedoria para com os problemas de imoralidade. e identifique a pessoa ofendida. Faça uma avaliação:  Há alguma coisa que você tem que perdoar à outra pessoa. talvez. Exemplos: “Errei. A outra pessoa pode não perdoar você.

37 . Em situações especiais que podem produzir grandes danos e que você não sabe como agir. porém a outra pessoa não.muitos casos isto evita a tentação de reviver antigas emoções que agora você julga errado. não faça nada antes de ter sido bem aconselhado. 8.

Leia Hebreus 3:13 e comente o texto com suas próprias palavras.. do quanto de nós um amigo é capaz de ver.. Na próxima reunião faremos uma gostosa brincadeira! Para cooperar você precisará fazer a maior lista que conseguir das qualidades e características positivas do ser humano.. depende.Para você refletir e ir mais longe. Para tanto use os espaços abaixo e continue no verso.. Em nossa próxima reunião compartilharemos juntos nossas percepções.Ficha de Estudo Bíblico Individual Encorajamento 1 . 3. Um desafio. 4. Pesquise em dicionários a significação dessas palavras. compartilhar e valorizar. Analise a seguinte citação: “A profundidade de uma amizade – quanto ela significa para nós..” Lílian Rubin O que você acha? Comente. Em nossos próximos encontros estaremos estudando sobre a prática da exortação e sobre encorajamento. 2. 1. se for capaz!! Lista de qualidades de caráter 38 ... pelo menos em parte..

Nem sempre será necessário utilizar todas as informações. encorajando o seu desenvolvimento. Comece a reunião informando ao grupo os assuntos que abordaremos em nossos próximos encontros e nossos objetivos com os mesmos. 39 . Prepare todo o material que será necessário e nunca esqueça de interceder por esses momentos. Ele contém informações adicionais que lhe ajudarão a enriquecer seus conhecimentos sobre o assunto a ser abordado na reunião. O “passo a passo” encontra-se no final da lição. Depois comente sobre os significados secular e bíblico das palavras exortação e encorajamento (item 2). Estudo Bíblico com o grupo: Use o texto e a reflexão de abertura da Ficha de Estudo Individual – Encorajamento 1 e promova um debate. Grupão 1.. O propósito de se estudar sobre encorajamento.A Prática da Exortação – Encorajamento 1 Encontro 13 1. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Durante nossos próximos encontros estaremos aprofundando nossos conhecimentos sobre a prática da exortação e vivenciando experiências enriquecedoras. que nos ajudarão a ser pessoas melhores.. As dinâmicas sempre podem ser um valioso recurso a ser utilizado por Deus para despertar novos desafios.  Cópia da lista (para cada aluno) dos versículos sobre qualidade de caráter. ►Ficha de Estudo Bíblico Individual – Encorajamento 2 (trabalho para ser desenvolvido em casa e debatido no próximo encontro) Providenciar  Canetas ou lápis. Providenciar Antecipadamente Material:  Uma cópia para cada participante dos modelos que estão no final da lição. 2.  Para ir mais longe. Dinâmica de Grupo – “Lista de Qualidades de Caráter” Leia e estude com antecedência todo o processo de execução da dinâmica. mas o seu conteúdo será um recurso extra no seu crescimento ministerial. Reflitam sobre o texto de Hebreus 3:13 (item 3). Comece conversando sobre a citação (item 1) e suas implicações sobre o grupo. Para tanto. Analisaremos atitudes de encorajamento e as muitas qualidades que Deus gostaria que reconhecêssemos. Peça para que Ele use sua liderança como veículo de sua graça também através desse momento. refletiremos a respeito dos nossos sistemas de valores e iniciaremos o aprendizado de como encorajar as pessoas de forma a valorizarmos o que é valorizado por Deus. 2. Desenvolvimento da Reunião Divisão em Grupos Pequenos 1. visa levar os membros do grupo a tomar consciência da importância de encorajar os membros da igreja de Cristo. Estude antecipadamente o Guia de Estudo do Líder.

2. encerre o encontro com algumas orações. Sugestões de oração para esse momento: Para que nos concentremos em observar coisas boas para encorajar.  Agradeça e encoraje seu grupo pelos desempenhos e conquistas.  Peça para que todos fiquem de pé e de braços dados.   40 . Para que aprendamos a ser constantemente pessoas encorajadoras. Encerramento da reunião  Distribua a Ficha de Estudo Individual – Encorajamento 2.  Recomende atenção especial aos novos desafios propostos.

Distribua lápis ou caneta e papel (para os que não fizeram a tarefa) para cada pessoa do pequeno grupo. Prossiga recomendando que sempre que uma qualidade não constar da lista pessoal de cada participante deve ser anotada. uma para cada participante e recomende que durante a semana examinem e consultem os textos indicados. Gálatas 5:19 e 21. Por “inadequada” queremos dizer qualidades que não sejam de caráter como. I Timóteo 1:9 e 10. facilitador do processo de descobertas. 8. cada característica nova valerá um ponto pro grupo. Tempo previsto:  Aproximadamente 15 a 20 minutos Material necessário:  Ficha de estudo individual – Encorajamento 1 entregue no encontro anterior. 2. acrescida à lista que foi produzida em casa. II Pedro 1:5 a 8 ou pense no oposto das características de Mateus 15:19. Para ir mais longe no desafio de listar qualidades confira os seguintes versículos: Mateus 5:5 a 10. O professor deverá ir anotando o número de pontos que cada grupo conseguir marcar. Se a qualidade já houver sido informada ou caso se trate de um sinônimo ou mesmo se for inadequada o professor não deverá aceitar a indicação e o grupo da pessoa não ganha ponto.  Ao final deste exercício o grupo deverá ter produzido uma lista de pelo menos 40 características positivas do ser humano. 4.  Usar o momento como recurso de descontração e reconhecimento do esforço na produção da lista. aparência ou habilidade física e inteligência. 3.  Incentivar o encorajamento entre os participantes do pequeno grupo. Esse exercício terá seu desenrolar a partir da tarefa produzida pelo grupo na Ficha de Estudo Bíblico Individual – Encorajamento 1 (item 4). I Coríntios 13. O professor da sala deve coordenar a dinâmica e agir sempre como um mediador. Tire no par o ímpar a ordem dos grupos e então vai pegando uma característica de cada grupo. Entregue uma cópia da lista de versículos bíblicos que se encontra abaixo. entregue no encontro anterior. Colossenses 3:5 a 8. 7. I Timóteo 3:2 a 11. Marcos 7:21 e 22. 41 Apocalipse 21: 8 . Para sua maior compreensão consulte a lista de qualidades de caráter que foi adicionada ao final desta dinâmica. Gálatas 5:22 e 23. por exemplo.Dinâmica de Grupo | Lista de Qualidades de Caráter Para refletir juntos e compartilhar nossas descobertas Objetivos:  Fazer uma lista de qualidades de caráter que possa ser usada como referencial para avaliação pessoal e encorajamento de outras pessoas. lápis ou caneta Instruções: 1. 6. 5.

Lista de Qualidade de Caráter | Anexo 1 Para lhe auxiliar no processo da dinâmica e para fazer o controle de pontos dos participantes. use a lista de qualidades abaixo (está em ordem alfabética). Qualidades do Ser Acessível Alegre Amigável Amoroso Atencioso Auxiliador Benigno Bom confrontador Bondoso Carinhoso Cauteloso Compreensivo Comprometido Confiante Confiável Consistente Constante Controlado Cooperador Corajoso Cordial Criativo Dedicado Digno Diligente Disciplinado Disponível Dócil Encorajador Ensinável Entusiasmado Equilibrado Qualidades do Ser Esperançoso em fé Fiel Firme Flexível Gentil Grato Honesto Hospitaleiro Humilde Imparcial Inculpável Íntegro Justo Manso Misericordioso Não Avarento Não ciumento Não idólatra Não Murmurador Não procrastinador Obediente Paciente Pacificador Pacífico Perseverante Piedoso Positivo Respeitador Responsável Reverente Santo Servo Qualidades do Ser Provedor Prudente Puro Receptivo Sábio Sensível Simples Sincero Submisso Tolerante Trabalhador Transparente Verdadeiro Visionário Zeloso 42 .

Para começar. sem a ajuda de ninguém. (Você só não pode comentar com as pessoas de nosso pequeno grupo!) Quem sou eu? Sou sua companhia constante. A maioria das coisas que precisar fazer pode passá-las para mim. “As preocupações roubam a felicidade da Gente. Aos fracassados.Ficha de Estudo Bíblico Individual Encorajamento 2 . treine-me. Pessoa Qualidades e ações observadas 43 . Sou seu fiel ajudante ou seu fardo pesado. Não sou uma máquina. Sou servo das grandes personalidades e também. Em nossa próxima reunião compartilharemos juntos nossas percepções. É fácil lidar comigo – basta ser firme. veja se é capaz de decifrar o enigma que segue. apenas observe e anote para si mesmo o que lhe chamou a atenção.. Procure observar as ações dessas pessoas interagindo com outras (da igreja ou não). seja firme comigo e eu serei um aliado na conquista de seus sonhos. Aos vitoriosos ajudo a vencer. observe as pessoas da igreja que lhe são mais próximas e identifique pelo menos duas boas qualidades de caráter em cada uma delas.. Use-me. mas as palavras amáveis nos aleGram”. embora trabalhe com toda precisão de uma máquina e com a inteligência de um humano. Mostre-me exatamente como quer que algo seja feito e. porque eu estarei apto para fazê-las rápida e corretamente.. Estou completamente ao seu dispor e sob as suas ordens. Você pode me usar para lucrar ou para se arruinar – não faz diferença para mim. anote as possibilidades. Quem sou eu? 2. Identifique as atitudes elogiáveis que possuem. Não faça nenhum comentário a respeito.Provérbios 12:25 1. algo de bom que tenha presenciado. se achar difícil demais pergunte. pesquise. depois de algumas lições..Para você refletir e ir mais longe. ajudo a fracassar. Eu o ajudarei rumo ao sucesso ou o levarei ao fracasso. Mas. infelizmente de todos os fracassados. Tendo em vista a lista que desenvolvemos. eu o farei de maneira automática. Esmoreça comigo e eu poderei destruí-lo.

o companheiro de Paulo. incentivo etc. como para confrontar. quanto para encorajar. tanto para consolar. desafiam. Barnabé desejou levar Marcos na segunda viagem. mesmo tendo ele abandonado a primeira equipe missionária (Atos 13:13). ânimo.Guia de Estudo do Professor A Prática da Exortação – Encorajamento 1 1. mas duas pessoas a quem ele ministrou assim o fizeram. Foi Barnabé quem tomou Paulo sobre seus cuidados quando todas as demais pessoas mostravam-se céticas no tocante à veracidade de sua conversão. Aplicando esse significado à nossa realidade de igreja. José era levita e havia nascido na ilha de Chipre. Barnabé nunca escreveu uma única palavra inspirada. apoio. a palavra grega parákletos é um termo que tem tudo a ver com o que estamos estudando. Marcos necessitava mais da companhia dele e da sua exortação do que o próprio Paulo na viagem programada. Também foi Barnabé quem percebeu o potencial ministerial de João Marcos. embora Paulo o tivesse rejeitado. No material de Rede Ministerial ele é descrito da seguinte maneira: “É a capacitação divina para apresentar a verdade de modo a fortalecer. Uma diferenciação Importante: O Dom de Exortação x A Prática da Exortação O dom de exortação é uma ferramenta concedida por Deus para alguns de seus filhos visando o crescimento do Corpo de Cristo. enfatizam as promessas de Deus e confiança n a sua vontade”. Os apóstolos o chamavam de Barnabé que quer dizer “aquele que dá ânimo”. O verbo possui o sentido de “chamar para o lado. com o intuito de ajudar”. faremos comentários mais detalhados sobre o assunto. motivam outros a crescer. exortar seria o ato de estar ao lado daqueles que precisam de encorajamento. o “Ajudador”. O Espírito Santo é o “Consolador” e Sustentador Supremo. confronto. . O siGnificado Bíblico de Exortação No grego o termo exortação é “paráklesis” que significa encorajamento. As pessoas com esse dom s e aproximam daqueles que estão desanimados para fortalecê-los e firmá-lo s. consolam ou confrontam os outros a fim de que confiem e esperem na s promessas de Deus. estimulam outros à ação através da aplicação da verda de bíblica. Paulo contribuiu escrevendo treze epístolas. consolo. . conhecido como “filho da exortação” = “hábil para consolar” ou como diz a famosa canção “também chamado de José das Consolações”. enquanto a prática da exortação deve fazer parte da vida de todo cristão. alívio. conforto. Segundo parece. fortalecimento. Abaixo. Segundo Atos 4:36. consolar ou estimular à ação aquele s que estão desmotivados ou vacilantes na fé. e Marcos escreveu o evangelho que tem o seu nome. no entender de Barnabé. Um bom exemplo bíblico do dom de exortação foi Barnabé. 2. convocar e isso. Assim.O Dom de Exortação Exortação é um dom do Espírito citado em Romanos 12.

. Todos têm o dever de cuidar uns dos outros.A Prática da Exortação Mesmo o cristão que não tenha recebido o dom de exortação. exortai-vos mutuamente cada dia.” O 44 .. como lemos em Hebreus 3:13 “.... tem a responsabilidade cristã de incentivar outros.

disse Lloyd Ogilvie. será que tem recebido esse apoio das pessoas que fazem o seu pequeno grupo? No relato do Antigo Testamento. todos os dias. deve evidenciar o compartilhar e o encorajamento a todo tempo. Note que a exortação deve acontecer hoje e conseqüentemente. enganos. freqüentemente precisa de palavras de incentivo e de apreciação. perto de cada um de nós. O pecado é como um assassino mau e frio dentro de uma casa. A função. em casa e nos contatos pessoais com nossos irmãos e irmãs. “Desânimo é o filho ilegítimo de falsas expectativas”. para que o efeito endurecedor que ele produz não tenha oportunidade de começar seu ciclo (ação preventiva). (Nova Tradução na Linguagem de Hoje – grifo nosso) O objetivo principal é o mútuo encorajamento. evitem e derrotem o pecado. O pecado faz a pessoa ver o mundo da maneira errada. A pessoa que exerce uma função ou ministério cristão. para que as coisas que vocês dizem façam bem aos que ouvem”. George Orwell diz que “Enxergar o que temos diante do nariz exige uma luta constante”. Será que as pessoas se sentem mais animadas depois de conversar com você? E você. q ue ajudam os outros a crescer na fé e a conseguir o que necessitam. A igreja é o lugar onde podemos ajudar constantemente uns aos outros. Freqüentemente. que pode fazer muitas perversidades. . encorajar e andar lado a lado junto com ele. perverte a consciência e a faz confiar em erros. para que reconheçam. Que Deus nos dê o privilégio de animarmos uns aos outros e edificar-nos mutuamente (I Tessalonicesses 5:11) e pensarmos uns nos outros a fim de ajudarmos todos a terem mais amor e a fazerem o bem (Hebreus 10:24). mas usem apenas palavras boas. sobras ou símbolos legalistas. enquanto esse “hoje” de que falam as Escrituras se aplicar a nós. 3. sentido-se esquecido por Deus e desamparado pelos outros (Salmo 42:6 a 10). há alguém cujo coração está profundamente abatido. a fim de que nenhum de vocês se deixe enganar pelo pecado. os outros dez espias davam relatórios negativos. E como as pessoas respondem mais prontamente a esse tipo de relatório!!! Nem precisa existir gente com o “dom de desencorajar” – parece que todos nós temos uma atração natural por más notícias. na igreja. ainda mais acentuadamente em pequenos grupos. enquanto a leva a desconfiar das realidades eternas. Em relação ao encorajamento a responsabilidade é mútua. ajudando-o a ter perspectivas reais. nem endureça o seu coração. Examinando o texto de Hebreus 3:13 Pelo contrário. Este “filho” está presente na vida de todo servo do Senhor. responsabilidade ou o ministério cristão de exortar é de todos nós: incentivar o desanimado. enquanto Josué e Calebe estavam tentando encorajar o povo a entrar e se apossar da terra prometida. Daí a necessidade que urge de agirmos como é indicado em Efésios 4:29 – “Não digam palavras que fazem mal aos outros.nosso estilo de vida. animem uns aos outros. Esse encorajamento deve ser direcionado contra o pecado. Cada pessoa não é responsável apenas por si mesma.

45 .

Com o decorrer do tempo as informações do Guia irão se tornando cada vez mais ricas e nossas instruções para a elaboração da estrutura das reuniões mais simples. Monitores e Professores: acostume-se a estudar com antecedência o Guia do Líder. a seguinte citação de um poeta inglês: “Primeiro formamos nossos hábitos. antes de aplicá-lo ao grupo. 46 . em sua própria vida. gostaríamos de encorajá-lo a examiná-lo e testá-lo. Deixe que o grupo verbalize sua opinião a respeito da citação em um breve debate. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Ampliar a conscientização dos componentes do grupo a respeito da importância e dos objetivos do encorajamento e incentiva-los a incorporar e/ou desenvolver sua prática na vida cotidiana. e uma boa maneira de evitar a maledicência é treinar as pessoas para focalizar suas observações em coisas positivas. depois nossos hábitos nos formam”. Solicite o retorno do enigma (Item 1). Comece a reunião com o feedback da Ficha de Estudo Bíblico Individual – Encorajamento 2. É um material enriquecedor produzido especialmente para você e será um valioso recurso. Faça então. Stephen Covey em seu livro “Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes” afirma que em 28 dias de prática ininterrupta é possível formar um novo hábito..A Prática da Exortação – Encorajamento 2 Encontro 14 Neste encontro daremos continuidade ao nosso aprendizado sobre encorajamento.. Como você sempre tem acesso ao material de estudo antes do seu grupo. 1. Conversem a respeito da dificuldade ou facilidade de desvendar o “mistério” e então. A procura de características positivas para encorajar desenvolve uma perspectiva mais positiva nos encorajadores. Que Deus abençoe você e lhe ofereça muitas oportunidades de aprofundar seus relacionamentos. a pesquisar e a nos dar retorno das experiências obtidas nesse processo. compartilhem as respostas. Comente que no encontro de hoje iremos nos treinar com o processo de encorajar uns aos outros. Não peça para que ninguém dar a resposta. Habitue-se a ir além. mas que com o passar do tempo as tarefas vão ficando mais fáceis e são incorporadas à nossa rotina. E que através do seu pequeno grupo nossa comunidade seja enriquecida. sem que ao menos nos apercebamos que as estamos desempenhando. Encorajamos você continuar trabalhando como um líder servidor. e depois continue conversando a respeito de como pretendemos estimular o desenvolvimento de uma nova postura de observação e encorajamento. Diz ainda que no início tudo parece difícil e desarranjado. Desenvolvimento da Reunião Divisão em Grupos Pequenos 1. apenas pergunte quem conseguiu solucioná-lo. Informe que a resposta correta para o enigma é: “Eu sou o hábito”. Providenciar Antecipadamente Material:  Para ir mais longe. 2.

Grupão 1. 47 . b) Encorajar com sabedoria: • Dizer que apreciamos o que fizeram. Dinâmica de Treinamento Leia o processo de execução da dinâmica para aplicá-la com segurança. Informe que nosso alvo para as próximas semanas será desenvolver o hábito de encorajar pessoas diariamente. e sinta as dificuldades e prazeres da experiência.Como início dessa atividade pergunte a respeito da experiência de observar as qualidades das pessoas mais próximas (Item 2) sem forçar comentários detalhados. com seus parentes e amigos. 2. do seguinte modo: a) Notar o que de bom as pessoas fazem ou dizem. • Escolher as palavras e a hora apropriadas. primeiro experimente a proposta você mesmo. • Dizer a característica positiva demonstrada. O “passo a passo” de como fazer encontra-se no final da lição. Antes de propor ao grupo.

►SeGunda Fase: Como em um “teatro”. entregue no encontro anterior. Não pude deixar de perceber (acrescente a qualidade de caráter evidenciada) em você. claro!):  Notei o que você fez ao (descreva a boa ação). represente o encorajamento utilizando suas próprias palavras como se a pessoa observada estivesse presente no grupo. Esse exercício é composto de duas fases: A primeira é teórica e nela devem  ser identificados os itens que fundamentam um bom encorajamento.Dinâmica de Grupo Treinamento para Encorajar Objetivos:  Treinar ações de encorajamento. Instruções:  Esse exercício terá seu desenrolar a partir da tarefa produzida pelo grupo na Ficha de Estudo Bíblico Individual – Encorajamento 2 (item 2). Caso o grupo tenha uma liderança compartilhada divida as tarefas desse momento.  Dê oportunidade para que alguns do grupo também verbalizem o seu encorajamento. A segunda fase é prática e consiste na verbalização do encorajamento. Tempo previsto:  Aproximadamente 20 a 30 minutos Material necessário:  Ficha de Estudo Individual – Encorajamento 2. como forma de ensinar e estimular os componentes do grupo a verbalizar suas observações cotidianamente.  Evidenciar a importância do encorajamento partindo do exercício de observação anterior. cada participante escolha uma pessoa observada e identifique os itens necessários para um bom encorajamento como a seguir:  A boa ação (o que de bom a pessoa fez ou disse)  A qualidade de caráter (a característica positiva que reflete a Cristo e as boas obras)  O encorajamento (a edificação) Segundo os critérios acima faça uma demonstração a partir de uma observação sua. ►Primeira Fase: Comece solicitando que a partir das observações feitas durante a semana. Estou lhe dizendo isto porque creio que sua ação demonstrou o desejo de imitar a Cristo. entregue no encontro anterior.  O líder do pequeno grupo deve coordenar a dinâmica.  Incentivar o encorajamento entre os participantes do pequeno grupo. em ambiente amigável e acolhedor.  48 .  Diga algo mais ou menos assim (com suas próprias palavras. Por fim encoraje a falarem a mesma coisa para a pessoa de verdade.

Somos facilmente influenciados pelos outros. e I João 3:2b e 3. Este aperfeiçoamento é um processo que se desenrola por toda nossa vida. Por certo cometeremos uma menor quantidade de erros (e acredite. O objetivo do encorajamento O espírito Santo age em nós com o propósito de produzir o caráter de Jesus Cristo. Confira os textos: Hebreus 10:24 e 25.Guia de Estudo do Professor A Prática da Exortação – Encorajamento 2 1. etc. geralmente. Por exemplo: Deus também valoriza a beleza. O encorajamento influencia os valores das pessoas Ao elogiarmos comunicamos parte de nosso sistema de valores. o que na realidade deveria ser a principal motivação. A adoção do sistema de valores de deus resultará num efeito positivo para a auto-imagem. O encorajamento ajuda a libertar-nos desses valores auxiliado-nos a valorizaras qualidades mais importantes que o Espírito Santo quer produzir em nossas vidas. Raramente são elogios que se referem ao nosso interior. mas para Ele. especialmente pelas pessoas que consideramos importantes. tal atitude contribuirá para que as pessoas avaliem melhor a si mesmas. Outra definição diz que é a maneira intencional de enganar alguém. Dessa forma. e nem para recebermos elogios em troca. O não cristão. se você perceber que alguém de nossa comunidade não está bem e for procurar ajudar essa pessoa. Confira os seguintes textos: Provérbios 26:28 e 29:5 – Os textos equiparam a bajulação à mentira e evidenciam a intenção de iludir ou prejudicar. pois terão maior conhecimento de seus pontos fracos e fortes e darão mais valor a comunhão existente em seus pequenos grupos e também na igreja. Não é fácil rejeitarmos o padrão de valores da sociedade não cristã. esperteza. Uma delas diz que são atitudes que escondem interesse pessoal. poderão amadurecer mais rapidamente. mais nossas palavras de encorajamento terão influência sobre seus valores. felicidade e sentimento de realização na vida de uma pessoa. com mentiras e segundas intenções. Com isso não estamos afirmando que todo sistema de valores dela seja maléfico. riqueza. com base em motivações egoístas por estarem centradas na possibilidade de retornos vantajosos. Nós também queremos encorajar qualidades de caráter que reflitam a Cristo e as boas obras. tal característica vale menos do que um traço de caráter íntegro. isto é. Não devemos elogiar esperando receber favores. Devemos tomar cuidado para não encorajarmos as pessoas motivados por interesses pessoais. eles vão acontecer!) se procurarmos elogiar as atitudes que revelam o caráter. nós poderíamos lhe elogiar por esse ato de amor e sensibilidade. Por exemplo. Gálatas 5:22 e 23. 3. Efésios 5:1 e 2. sucesso. com segundas intenções. 2. Quanto mais nós formos importantes para você. Quando os membros do Corpo de Cristo adquirem o hábito de elogiarem mutuamente seus aspectos positivos. O elogio estimula a valorização. Mas isso 49 . Filipenses 2:5. focaliza seus elogios naquilo que para Deus não é tão relevante em relação ao caráter de Cristo. Nosso elogio transmitiria a você que nós valorizamos a sensibilidade nas pessoas. O encorajamento e a bajulação Existem várias definições de bajulação. Normalmente somos elogiados pela beleza.

Estou orgulhosa de você!”. querido! Você conseguiu! Sei o quanto se esforçou para cumprir os prazos e trabalhar com excelência. 50 .não quer dizer que não possamos cumprimentar alguém por suas conquistas ou por estar agradavelmente apresentável. No entanto. Por exemplo: posso dizer a meu filho que acabou de formar: “Parabéns. podemos fazer uma ligação entre o desempenho da pessoa e as qualidades de caráter.

Estrutura da Reunião Objetivo principal: Ampliar a conscientização dos componentes do grupo a respeito da importância e dos objetivos do encorajamento e incentiva-los a incorporar e/ou desenvolver sua prática na vida cotidiana. Alguns de seus benefícios estão listados a seguir. Você se lembra que agora nosso método de estudo é dedutivo? Deixe que o grupo através da Bíblia e do debate chegue às suas próprias conclusões. Desenvolvimento da Reunião Divisão em Grupos Pequenos 1. Estudo Bíblico com o grupo. A compreensão da importância dessa realidade pode desencadear um maior empenho e compromisso com o desenvolvimento do caráter de Cristo na vida das pessoas. O gruo terá aproximadamente 15 minutos.Encorajamento 2 (trabalho para ser respondido durante este encontro) ►Ficha de Estudo Bíblico Individual – Encorajamento 3 (trabalho para ser desenvolvido em casa e debatido no próximo encontro) 2. ( )Aumenta a eficácia de nosso ministério. O encorajamento estimula as pessoas a fazerem o bem e a desenvolverem . Em caso de dúvidas ou erros lance novos questionamentos para ajudá-los a encontrar as respostas certas. ( ) Motiva as pessoas a fazerem o bem. 2. Mostra as pessoas que santidade é muito importante para Deus e para nós. já estão corrigidas e grifadas) ( ) Um espírito encorajador é fácil de ser desenvolvido e produz vários benefícios. As respostas abaixo são apenas para ajudar você a avaliar as deduções do grupo e ajudá-lo a refletir sobre o assunto. ►Guia de estudo em Grupo . Informe que o grupo deve debater as perguntas propostas e escolher alguém para relatar e oferecer respostas que sejam resultado do consenso grupal. ---------------------------------------------------------------------------------------- Questão 1: (As afirmações que necessitam de correção. o espírito encorajador talvez seja uma das mais fáceis e agradáveis.A Prática da Exortação – Encorajamento 3 Encontro 15 1. Providenciar Antecipadamente Material:  Uma cópia para cada participante dos modelos que estão no final da lição. Reúna todos novamente e ouça os comentários de cada grupo observando a ordem da Guia de Estudo. a nos escutarem e a serem mai s receptivas quando confrontadas. sempre permita ao grupo chegar às suas próprias conclusões. Preferencialmente. Entre as qualidades de caráter que devemos cultivar.

atitudes dignas de elogios. Todas as pessoas apreciam um reconhecimento 51 .

elogio e bajulação? Elogio – Reconhecimento de virtudes e boas ações em qualquer. mas sempre o associa a um princípio bíblico. Não se esqueça de enfatizar a importância deste processo e estimule o grupo a desenvolver o hábito de encorajar outros cristãos diariamente. Distribua a Ficha de Estudo Bíblico – Encorajamento – 4 e faça um sorteio dentro dos grupos. ( ) É uma espécie de treinamento para encararmos a vida positivamente. Bajulação – Atitudes que escondem interesse pessoal. O reconhecimento é um fator importante para o crescimento pessoal em todas as áreas da vida. Informe que as instruções e o assunto para o próximo encontro. estimular o amor e produzir em nós o caráter de Jesus a fim de que nos tornemos semelhantes a ele. Grupão 1. m as isso não quer dizer que deixemos de perceber e identificar as áreas negativas. Cada um terá um “amigo secreto de encorajamento”. Encorajamento – Atitudes que começam com um elogio. visando edificar um outro cristão. Isso não quer dizer ignorar os aspectos negativos. ---------------------------------------------------------------------------------------- Questão 2: Qual o objetivo do encorajamento? Incentivar o desenvolvimento de qualidades de caráter que reflitam a Cristo e as boas obras (Hebreus 10:24-25). ao mesmo tempo em que torna as pessoas mais receptivas a qualquer admoestação que se fizer necessária posteriormente. Peça para todos lerem e fazerem os exercícios solicitados. Encerre a reunião falando ao grupo a sua palavra de encorajamento preparada antecipadamente. (Filipenses 2:5) Consulte com antecedência o Guia de Estudo do Líder. Nos estimula a demonstrar gratidão e reconhecer o valor das pessoas.sincero. pessoa cristã ou não. o que nos proporciona um viver mais equilibrado e harmonioso. 2. com base em motivações egoístas por estarem centradas na possibilidade de retornos vantajosos. O encorajamento nos permite desenvolver uma perspectiva mais positiva da vida. mas valorizar ações e características que edificam. ---------------------------------------------------------------------------------------- Questão 3: Qual a diferença entre encorajamento. . estão descritas na ficha. Faça um fechamento apenas enfatizando o que foi dito nos grupos. 3.

52 .

Como você definiria esses termos para estabelecer uma clara diferença? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ Ficha de Estudo Bíblico Individual 53 . Leia e discuta em grupo as afirmativas abaixo. ______________________________________________________________________ ( ) Motiva as pessoas a fazerem o bem . ENCORAJAMENTO: ( ) É uma atividade fácil e agradável mas produz poucos benefícios. Leia Hebreus 10:24 e 25 e responda: Qual o objetivo do encorajamento? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 3. encorajamento e bajulação. Comente as correções efetuadas. Algumas pessoas têm dificuldade de estabelecer diferença entre elogio. Assinale as que julgar corretas e corrija as que julgar errado. ______________________________________________________________________ ( ) Aumenta a eficácia de nosso ministério.Ficha de Estudo Bíblico em Grupo Encorajamento 3 – Para refletirmos e trabalharmos juntos “Animem uns aos outros” Hebreus 3:12 1. ignorando as áreas negativas. ______________________________________________________________________ 2. a nos escutarem e a serem mais receptivas quando confrontadas. ______________________________________________________________________ ( ) É uma espécie de treinamento para encararmos a vida positivamente.

não assine o seu encorajamento. Esto u lhe dizendo isto porque creio que sua ação demonstrou o desejo de imitar a Cristo.  Valorize a boa ação ou qualidade de caráter com uma frase. Estou falando com voc ê porque percebi na sua ação o perfume de Cristo.Para você refletir e ir mais longe. Na próxima semana o seu desafio será: 1. Primeiro leia e medite a respeito Efésios 4: 29. uma boa notícia faz a gente sentir-se bem”. Amigo secreto de encorajamento – Pense em seu amigo secreto. todos deveriam desejar aprender. Em nossa próxima reunião compartilharemos juntos nossas percepções.  Identifique a boa ação  Relacione a boa ação com uma qualidade de caráter cristão recomendada pelas Escrituras. 3.Encorajamento 4 . Decore Provérbios 15:30 – “Um olhar amigo alegra o coração. Depois de nosso treinamento será mais fácil ampliar os exercícios. Dobre o papel e coloque o nome dele(a) do lado de fora ou em um envelope. Para ajudálo no processo de desenvolver ou adquirir essa qualidade observe as sugestões a seguir. Não pude deixar de perceber (acrescente a qualidade de caráter evidenciada) em você.. ►Notei o que você fez ao (descreva a boa ação). mas ainda que fosse difícil. Como já dissemos encorajar é uma das qualidades de caráter mais fáceis e agradáveis de ser desenvolvida.. Observe os dois exemplos a seguir. Suponhamos que você tenha presenciado alguém tendo uma atitude positiva. Isso demonstrou (acrescente a qualidade de caráter evidenciada). . mas na prática use seu próprio estilo e palavras: ►Fiquei impressionado quando vi (descreva a boa ação). (Nova Tradução na Linguagem de Hoje) 2. De acordo com os passos descritos no item dois escreva de forma criativa e especial um encorajamento para essa pessoa.

54 .

junto com os monitores. assim como na história. Providenciar:  Uma cópia da história dos flocos quentes para os atores.A Prática da Exortação – Encorajamento 4 Encontro 16 1. Estrutura da Reunião Objetivo principal: Desenvolver nos alunos a consciência de que encorajar é uma prática contagiante e centrada nos outros. Encorajar é essencial para a manutenção emocional do povo de Deus. porém nem sempre seremos abençoados imediatamente com um encorajamento quando formos encorajar.  Uma urna para que os integrantes de cada grupo possam colocar. mal. Leia os seguintes textos com o grupo: Lc 6:38 e II Co 8:2-3. para que a história se torne mais interessante. O que mais nos atrapalha de darmos os flocos? F. algumas vezes encorajaremos e não seremos encorajados) E. (responsabilidade do professor) 2 cópias de cada divisão da tarefa de conclusão para os monitores  estudarem na semana que vem. o seu bilhete. secretamente. e também foi um exemplo deixado pelo Senhor Jesus Cristo (através das cartas deixadas às igrejas do apocalipse. 55 . É bem verdade que geralmente um encorajamento gerará outro. Dar os flocos é uma garantia de os termos de volta? (não. Providenciar Antecipadamente Material:  Pedaços de algodão para contar a história. sem falar que tal atitude será questionada pelos outros. Quem são os personagens da história? (Jesus. O que estamos querendo dizer é que não devemos encorajar esperando receber elogios. Pv 25:27. seres humanos) B. A narrativa se encontra no final da lição. Desenvolvimento da Reunião Grupão 1. 2.  Um ensaio com os monitores. 3. Porém se elogiarmos a nós mesmos não nos sentiremos mais dignos e tampouco melhores do que somos. Divisão em Grupos Pequenos 1. a história dos flocos quentes. É comum pensar que as nossas posses aumentam quando a distribuímos? D. E o que nos motiva a dar? 2. Discuta rapidamente com o grupo as questões abaixo: A. O centro do encorajamento é o outro. Ap 2-3). O que os flocos representam? C. Quanto mais desenvolvermos a capacidade de encorajar os outros mas felizes nos sentiremos pois os nossos olhos estarão focados nas qualidades e nas coisas boas que existem nas pessoas e isso fará com que nos sentamos melhor com nós mesmos. Encene com muito dinamismo e entusiasmo.

3. deixe a vergonha de lado e abençoe o seu irmão. Cada grupo terá 30 minutos para se apresentar expondo resumidamente o conteúdo. multimídia. 56 . As apresentações podem ser das mais variadas formas: música. No próximo encontro os monitores darão uma revisão do assunto e todos discutirão como irão fazer os trabalhos começando assim. as apresentações. O primeiro lugar além de ganhar o prêmio vai ganhar 8 pontos pro seu time. 3. Sigilo – encontros 04-06 (2˚ a se apresentar) c.Grupão 1. em 15 dias. com o primeiro e segundo grupo. Encorajar é fácil e traz muitos benefícios para todos que o exercitam e o utilizam. Essa dinâmica tem como objetivo tornarmos desprovido de orgulho por ter encorajado alguém. Controle da Língua – encontros 02-03 (1˚ a se apresentar) b. Cada grupo fará um trabalho de revisão de tudo que vimos até aqui. cartazes. O segundo ganhará 6 pontos. Após todos terem colocado seus papéis não assinados. 4. O encorajado agradecerá o encorajamento como se tivesse sido ele. peças. Não há razão para não adquirimos esse hábito. A divisão será a seguinte: a. mas devidamente destinados. retroprojetor. dinâmicas e etc. 5. Tarefa de Conclusão 1. se importando apenas com o bem estar do outro. Aqueles que não fizeram a tarefa terão um tempo agora de escrever um encorajamento para alguém do seu grupo que desejar. Encorajamento – encontros 13-16 (3˚ a se apresentar) 2. 2. a urna será aberta e cada um pegará um papel da urna e entregará o encorajamento pro dono como se fosse seu. Culpa – encontros 07-12 (4˚ a se apresentar) d. o terceiro 4 e o último 2.

um homem chamado Felipe. ou em alguma gaveta. encontrava sempre mais um no bolso da jaqueta. Algumas vezes. Por outro lado. Seus olhos eram assustadores e nervosos. abraçava-as e dava-lhes um floco quente. O mais especial é que fazem com que nos sintamos bem. numa terra bem distante e fria. . Mas ele não queria nada além de trazer um pouco de alegria para a vida dos outros. Com o passar do tempo. Cabem em qualquer lugar: na mão. as pessoas os ofereciam a outros. Eles apenas surgiam! Ao acordar de manhã. Quando Felipe cumprimentava as pessoas ele geralmente sorria. ah. como um coelhinho ou uma bola de algodão. Não são equivalentes a um cachorrinho. na bolsa e até mesmo na carteira . é multo difícil descrevê-los. Você sabe o que está fazendo? .Então é você! murmurou o estranho. aquecidas e amadas. perto da xícara de café. o estranho tremia enquanto falava. aquecendo-nos da cabeça aos pés. chegou um estranho na cidade. Algumas vezes. Felipe simplesmente não sabia de onde vinham. Eu sou o Inspetor Chefe da Burocracia para a Conservação do Calor. . Para quem nunca viu nenhum floco quente. no sapato. após receberem flocos quentes de Felipe. Felipe olhava Impressionado. os encontrava no guarda-roupa. Felipe sorriu e deu a ele um floco quente. Mas eles não transmitem só calor físico. tomam-se muito macios. estou apenas tentando fazer as pessoas felizes. Na maioria das vezes tal atitude "levantava-lhes a moral". a um peixe ou a qualquer outro animalzinho de estimação. Uma das formas que utilizava era dando flocos quentes para todo mundo.Esta é uma terra fria. irradiando bastante calor. Ao serem tocados.Os Flocos Quentes PersonaGens:  Felipe  3 amigos de Felipe  Inspetor  Estranho Era uma vez. Felipe balançou a cabeça negativamente. Mais tarde. outro floco surgia em algum bolso de suas roupas.Você sabe quem sou eu? perguntou o estranho.são maleáveis. tem dado flocos quentes 57 .O quê? Ele tirou a carteira e esfregou no rosto de Felipe um emblema que parecia ser algo oficial. E não devemos gastar o pouco de calor que temos. cada vez eram distribuídos mais flocos quentes e as pessoas sentiam-se felizes. Um dia. Ele gostava muito de fazer as pessoas felizes. A Terra parecia mais quente e habitável. É você o irresponsável que está gastando todos os flocos quentes! Ouvi falar de você do outro lado do país e vim para cá o mais rápido que pude. Você. no entanto. respondeu Felipe. Mesmo que saísse e desse todos os flocos quentes. .Bem. também não são seres inanimados como uma pedra. . O peculiar em tudo isso era a origem dos flocos quentes. ficavam envergonhadas por não terem com que retribuir a Felipe.

Tenho que cuidar de um caso semelhante em outro estado. não havia mais nenhum floco quente em sua casa. 58 . pensou Felipe. um.Por favor. mas superando a vontade de dar-lhes o que tinha. Acho que você já encontrou um homem que faz parte desse grupo. tinha esfriado. mas eram do dia anterior.Esses homens são frios.Quando você oferecia os flocos quentes. mas deixe-me dar-lhe um aviso. feliz e amado. "se Felipe parou de distribuir flocos quentes. . Como poderia estar errado em distribuir flocos quentes? Mas como o estranho havia explicado. mais ou menos. De onde eles vêm. disse Felipe. na manhã seguinte aparecia o mesmo número do dia anterior. Enquanto falava. inclusive. “Afinal de contas". Por isso pare de distribuí-los! Use um pouco de vez em quando mas não dê para mais ninguém ou logo não terá o suficiente nem para você. Na manhã seguinte. o estranho olhava com suavidade nos olhos de Felipe . . ele deve ter motivo para isso!" E aconteceu que todos os flocos ficaram frios. o estranho sorriu. Eles simplesmente aparecem.Na maioria das vezes. o entregou a Felipe. Numa manhã.Só posso ficar um pouquinho. Eles certamente possuem alguma fonte de origem e sabemos que se continuarmos usando indiscriminadamente certamente desaparecerão. foi embora.Não.Sim. . Bateu à porta. o número deles aumentava ou diminuía? .. respondeu com voz doce e calorosa. colocou a mão no bolso e tirando um floco quentinho. Quando não. podia ser que não fossem suficientes.para todo mundo. pensavam. Elas querem que todos nós fiquemos congelados. parece que parei na hora certa. você sabe? . Puxa. disse ele ao estranho. Os outros que ainda tinham os flocos quentes viram a atitude de Felipe e também pararam de distribuir. continuou o estranho. mas não parecia nem um pouco amigável. Existem algumas pessoas nesta terra que gostariam que aqui ficasse cada vez mais frio. . Não conseguem entender o calor e o odeiam. eles poderiam acabar! Então Felipe parou de distribuí-los. Quando Felipe atendeu. Vivem espalhando a notícia que vamos ficar sem os flocos quentes. ah. e dito isto. resolveu ficar com os que ainda tinha. Foi maravilhoso! Ele já havia esquecido sentir-se aquecido. respondeu o estranho. Se eu ouvir que continuam desperdiçando flocos quentes por aqui. Naquele dia. O estranho franziu a testa e foi embora. aumentava. tristes e cheios de ódio. disse Felipe timidamente. mais infelizes. A terra parecia ainda mais gelada e as pessoas. um Inspetor para a. ainda bem cedinho. respondeu Felipe. vou direto ao assunto.Bem. encontrou três pessoas que precisavam de flocos quentes. voltarei e prenderei você num lugar onde nunca mais vai haver flocos quentes.Acho que sim. outro estranho chegou à cidade e foi direto para a casa de Felipe. logo descobrirá. Devo ter usado todos eles. Burocracia para a Conservação do Calor. .. Nossa pesquisa logo. Tinha três no bolso. Felipe sentiu-se muito mal. Entendido? . O que vai acontecer se usarmos tudo? Você sabe de onde eles vêm? . Ele olhou em todo lugar. entre. Felipe.

Ele não parecia mais um estranho. . esta é outra história.De mim.Preciso ir.É isso mesmo. disse o estranho.Mas como você sabe de tudo isso? perguntou Felipe. Felipe deu seu floco quente só para ver se apareceria outro em seu bolso. mas se você parar eles desaparecerão e esfriarão até mesmo para você. Sou eu quem os dou. . Ambos sorriram. mais terá para dar. Felipe percebeu um brilho no rosto do homem e sentiu uma agradável sensação de familiaridade. (História adaptada) 59 . mas alguém que Felipe conhecia há multo tempo. Logo voltou a distribuí-los e eles continuaram a aumentar. disse ele. e abraçando a Felipe.. pôs-se a caminho.. disse o estranho. De onde eles vêm? . aquecidas e amadas. Outros seguiram seu exemplo e as pessoas daquela terra tomaram-se novamente felizes. Naquele dia. E o Inspetor de Burocracia para a Conservação do Calor? Bem. Nesse momento.. Quanto mais você distribuir.