You are on page 1of 18

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA

VARA DA CIDADE (PR)

PEDE PRIORIEDADE NA TRAMITAÇÃO DA AÇÃO – FATOR IDADE (art. 1211-A do CPC)

MARIA DAS QUANTAS, casada, come c!" !a, es!de#$e e dom!c!%!ada #a R&a X!s$a, #'( ))), em C!dade (PR), *em, com o de*!do es+e!$o , + ese#-a de Vossa E.ce%/#c!a, +a a, +o !#$e m0d!o se& +a$ o#o 1 instrumento procuratório acostado 22, a3&!4a a + ese#$e,

AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER C/C PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA,

1

#' ))). <1) Rece#$eme#$e a A&$o a >o a acome$!da de to(t*ra+ +'='ra+ e. em S6o Pa&%o (SP). >a4e#do !#d!ca ?&e o caso e?&e e !a a$e#-6o e. a 17 . $!*e a ?&e so%!c!$a am+a o de &m m0d!co c! & B!6o #e& o%AB!co( Es$e m0d!co.o e*!de#c!adas( INICIA"MENTE A A&$o a. em a46o das 3&s$!>!ca$!*as de o dem >"$!ca e de d! e!$o a5a!.)))<2==.$ emada.TICAS A P omo*e#$e ma#$0m *!#c&%o co#$ a$&a% de ass!s$/#c!a de saGde com a R0. 3o0 *r6>(3/a. $e 6o + !o !dade de $ am!$a-6o em $odas as !#s$F#c!as( ( com redação da Lei nº. de$e m!#o&. +o co#$a d!s$o. c&3o co#$ a$o o a seB&e a#e. o 4*' d' 5o6o a++/0 o r'4*'r( C7DI8O DE PROCESSO CI I" A $( <(E<<2A 1 Os + oced!me#$os 3&d!c!a!s em ?&e >!B& e como +a $e o& !#$e essado +essoa com !dade !B&a% o& s&+e !o a =) ( sesse#$a ) a#os. -r/or/dad' (a tra0/ta12o do -r'+'(t' -ro3'++o . 12. em >ace do ?&e d!s+@e o CAd!Bo de P ocesso C!*!%. . de + o#$o. %a&'(do )*+.008/09 ) A"98ERAS CONSIDERAÇ:ES F. asse*e a ?&e 0 #asc!da em 3&%Co do a#o de <D9E 1 documento comprobatório anexo 22. desde a da$a de E8 de ma!o de <DD=. -orta(to. es$a5e%ec!da #a A*( De%$a.co#$ a EMPRESA Y – COOPERATI A DE TRA!A"#O M$DICO . !#sc !$a #o CNPJ (M7) so5 o #'( 88(999(:::.o( ( do3. o& +o $ado a de doe#-a B a*e.

o +%e!$o de ea%!4a-6o do e. <2) Ao cCeBa . e. ?&e ass!m e4aL HC". E.ea%!4a-6o de &m '?a0' d' r'++o(@(3/a 0a6(At/3a do 3Ar'Bro. a#e.ame em es+0c!e >o a !#de>e !do. o#de C" o +ed!do de ea%!4a-6o do e>e !do e. so5 o a B&me#$o +K>!o de ?&e (2o Ca='r/a 3oB'rt*ra 3o(trat*a5 -ara o 0'+0o. *!&2 se + o>&#dame#$e dece+c!o#ada e +o ?&e #6o d!4e a5a%ada +s!co%oB!came#$e com $a% e+!sAd!o. ='r-+' (a C/-Et'+' d' +'r +*r-r''(d/da a 4*a54*'r 0o0'(to -or a56*0a +'4F'5a (2o tratada t'0-'+t/=a0'(t'( DO DIREITO A ec&sa da R0 0 a%!ce -ada #o ?&e e. +o!s.amos a de*!da Hguia de serviço pro issiona!I. o a R0.!s$!a c%"&s&%a e.+ essa *eda#do a ea%!4a-6o de $a% e.ame( ( do3.ame( A A&$o a. +e%o co#$ " !o. ?&a#do.+ essa a 35G*+*5a co#$ a$o em e>e /#c!a. em+ esa J. aBo a. ao -a6ar 0a/+ d' *0a dA3ada +'* -5a(o d' +aDd' .ce%/#c!a( 17 . o#de. -a++a a (2o %a&'r /dA/a do 0a5 4*' 5C' a3o0't' e. ac!ma de $&do.USU"A – CONDIÇ:ES NÃO CO!ERTAS PE"O CONTRATO :(EM 1 "esson#ncia magn$tica( H do Mas $a% co#d&$a #6o $em a5 !Bo %eBa%. +a a $a#$o.

toca diretamente direitos fundamentais. pela colisão de direitos fundamentais. ?&e a+ 35G*+*5a+ 3o(trat*a/+ at/('(t'+ ao+ -5a(o+ d' +aDd' d'='0 +'r /(t'r-r'tada+ '0 3o()*(to 3o0 a+ d/+-o+/1H'+ do CEd/6o d' D'%'+a do Co(+*0/dor. quando essencial para garantir a saúde e.Aplica-se o Código de Defesa do Consumidor aos contratos de plano de saúde.P !me! ame#$e. Ca3a *!s$a a +oss!5!%!dade de aB a*ame#$o do + o5%ema. "aúde ' direito 17 . des$acamos ?&e o co#$ a$o em %!-a es$a a%5e Bado +e%a !#$e + e$a-6o do CAd!Bo de De>esa do Co#s&m!do L STJ. que leva a optar pelo direito à vida e à saúde e não aos interesses econômicos em jogo !omo ensina o "#$% “A e&clusão de cobertura de determinando procedimento m'dico()ospitalar. a vida do segurado. De 5om a%*!$ e des$aca o maB!s$0 !o de C5G*d/a "/0a Mar4*'+. de so $e a a%ca#-a os >!#s soc!a!s + eco#!4ados #a Co#s$!$&!-6o 7ede a%( Po a+ o+ !ado. daí ser sua elaboração limitada pela função. ?&eL “A evolução da jurisprudência culminou com a consolidação jurisprudencial de que este contrato possui uma função social muito específica. o&$ oss!m. ?&a#do + o>essa. em algumas ve*es. de*emos so+esa ?&e CG r/+3o (a d'0ora do -ro3'd/0'(to. vulnera a finalidade b+sica do contrato . Súmula nº 469 . a$0 em a46o da !dade da A&$o a( =M a#os )( N co#sa5!do. $oca#$e ao ass&#$o s&+ a2a5o dado.

ass!m. as c%"&s&%as co#$ a$&a!s e%a$!*as ao >o #ec!me#$o de + od&$os e se *!-os ?&eL (((() IV 1 es$a5e%e-am o5 !Ba-@es co#s!de adas !#K?&as.uarta #urma. . se a*a%!ada com essa%*as. e#$ e o&$ os casos.c%&s6o !m+os$a +e%o co#$ a$o de*e. #6o +odem amea-a o o53e$o da a*e#-a. /01sp 234 526("7. 4*' 3o5o4*'0 o 3o(+*0/dor '0 d'+=a(ta6'0 '?a6'rada. o* +')a0 /(3o0-atL='/+ 3o0 a Boa%A o* a '4F/dad'O (((() P <' 2 Pr'+*0'-+' '?a6'rada. >$e 24(2<(=<<3? . a *a#$aBem ?&eL (((() 17 .@1". II do CEd/6o d' D'%'+a do Co(+*0/dor L C7DI8O DE DEFESA DO CONSUMIDOR A $( :< 1 S2o (*5a+ d' -5'(o d/r'/to. j 23(<6(=<<3. I ' J 1K. !l+udia 9ima Contratos no Código de Defesa do Consumidor: o novo regime das relações contratuais AB 1d "ão 7aulo% 0#. e#$ e o&$ as. o5se *ado de ma#e! a co#c e$a ?&e a #a$& e4a da e%a-6o a3&s$ada e#$ e as +a $es e os >!#s do co#$ a$o ce%e5 ado. /(3. =<22.constitucionalmente assegurado. /(3. pp 2<=3C2<=6? A e. rel 8in 9uis :elipe "alomão. 5as$a#do +a a $a#$o ?&e se co#>! a a + e*!s6o do art/6o I1. de relev-ncia social e individual . /8A0. a5&s!*as .

o que nos remete à questão da equidade. p A52? O co#$ a$o de seB& o2saGde. 9ui* Antônio 0i**ato Comentários ao Código de Defesa do Consumidor AB 1d "ão 7aulo% "araiva. prevista no final da norma em comento “ /D@D1". o !#$e esse das +a $es e o&$ as c! c&#s$F#c!as +ec&%!a es ao caso( So5 essa! da #o ma ac!ma me#c!o#ada ?&e s6o #&%as de +%e#o d! e!$o as o5 !Ba-@es co#s!de adas H incompatíveis com a boa-fé ou a equidade( H (!#c!so IV)( Nesse co#$e. o#de o e. + o>essa R/&&ato N*('+ ?&eL “>essa maneira percebeCse que a cl+usula geral de boaCf' permite que o jui* crie uma norma de conduta para o caso concreto. !m+o#do2se a + o$e-6o da saGde do seB& ado e de se&s >am!%!a es co#$ a ?&a%?&e e#>e m!dade e em es+ec!a!s c! c&#s$F#c!as como a?&e%a ?&e a?&! se */.$o. =<22. +o se a$K+!co.ame de esso#F#c!a maB#0$!ca mos$ a2se #ecess" !o . +o co#seB&!#$e. atendoCse sempre à realidade social. A&$o a( 17 . (at*r'&a ' 3o(t'Ddo do 3o(trato. co#s&5s$a#c!a >&#-6o s&+%e$!*a do de*e de a$&a-6o do Es$ado.II 1 r'+tr/(6' d/r'/to+ o* oBr/6a1H'+ %*(da0'(ta/+ /('r'(t'+ .

da O Ba#!4a-6o M&#d!a% de SaGde. es+e!$adas as e. de E9(R(E))<) II 2 + oced!me#$os c%K#!cos o& c! G B!cos +a a >!#s es$0$!cos. E. de E9(R(E))<) I 2 $ a$ame#$o c%K#!co o& c! G B!co e. M.NINOMP. o& s!m!%a . com co5e $& a ass!s$e#c!a% m0d!co2am5&%a$o !a% e Cos+!$a%a .!B/#c!as mK#!mas es$a5e%ec!das #o a $( <E des$a Le!. 5em como A $eses e + A$eses +a a o mesmo >!mO III 2 !#sem!#a-6o a $!>!c!a%O IV 2 $ a$ame#$o de e3&*e#esc!me#$o o& de emaB ec!me#$o com >!#a%!dade es$0$!caO V 2 >o #ec!me#$o de med!came#$os !m+o $ados #6o #ac!o#a%!4adosO 17 . '?3'toQ (Reda-6o dada +e%a MPV #' E(<MM299. $emos ?&e os +%a#os de saGde de*em a$e#de a $odas as #ecess!dades de saGde dos 5e#e>!c!" !os. sa%*o as e. como as do art/6o 1< da "'/ (K. ce#$ o de $e a+!a !#$e#s!*a.+e !me#$a%O (Reda-6o dada +e%a MPV #' E(<MM2 99.c%&s@es e.ce%/#c!a. com+ ee#de#do +a $os e $ a$ame#$os.c%&s!*ame#$e #o Q as!%.+ essame#$e +e m!$!das +o %e!. ?&a#do #ecess" !a a !#$e #a-6o Cos+!$a%a .N6o 5as$asse !s$o. ea%!4ados e. das doe#-as %!s$adas #a C%ass!>!ca-6o Es$a$Ks$!ca I#$e #ac!o#a% de Doe#-as e P o5%emas Re%ac!o#ados com a SaGde. saGde. o ?&e (2o o3orr' 3o0 a ora A*toraL A $( <)( N !#s$!$&Kdo o +%a#o2 e>e /#c!a de ass!s$/#c!a . com +ad 6o de e#>e ma !a.

VI 2 >o #ec!me#$o de med!came#$os +a a $ a$ame#$o dom!c!%!a O VII 2 >o #ec!me#$o de + A$eses. ass!m de>!#!dos so5 o as+ec$o m0d!co. sa%*o o co#3&#$o de se *!-os *o%$ados . de E9(R(E))<) IX 2 $ a$ame#$os !%Kc!$os o& a#$!0$!cos. A $eses e se&s acessA !os #6o %!Bados ao a$o c! G B!coO (Reda-6o dada +e%a MPV #' E(<MM299.!a de c" !e de#$" !a. ?&a#do dec%a ados +e%a a&$o !dade com+e$e#$e( Ve !>!ca2se. + o>!%a. ?&e o '?a0' d' r'++o(@(3/a 0a6(At/3a (2o +' '(3o(tra '(tr' a+ C/-Et'+'+ '?3't*ada+ -'5a r'%'r/da 5'/ ( O e#$e#d!me#$o 3& !s+ &de#c!a% so%!d!>!cado 0 &#Ksso#o em acomoda 2se . +o $a#$o. + e*e#-6o e ma#&$e#-6o 5"s!ca da saGde de#$" !a.!%a O (Re*oBado +e%a MPV #' E(<MM299. o& #6o eco#Cec!dos +e%as a&$o !dades com+e$e#$esO X 2 casos de ca$ac%!smos. o $ a$ame#$o e a emo-6o de >ocos de !#>ec-6o de#$" !a. de E9(R(E))<) VIII 2 + oced!me#$os odo#$o%AB!cos. ass!m com+ ee#d!dos a +es?&!sa. + e$e#s6o o a $ a4!da +e%a A&$o a. c! & B!a e $ a&ma$o%oB!a 5&coma. B&e as e como-@es !#$e #as. se#6o *e3amosL OBRIGAÇÃO DE FAZER. Beneficiária de plano de assistência à saúde prestado pelo CAMPREV. Realização de e a!e de resson"ncia !a#n$tica Clá%s%la &' do contrato 17 .

%e o e a!e prescrito pelo !$dico para trata!ento de epilepsia 0>Resson"ncia Ma#n$tica de Enc$falo 3 ?esla>: não se encontra pre)isto no rol da A@/. Ale andre 1azzarini7 8%l#. 5. M. EPILEPSIA.4.%e aco!panBa a paciente no trata!ento* se<a e! decorrência de e cl%são contrat%al* se<a por não constar na ta(ela da A@/* $ in)álida* )iolando a pr=pria nat%reza do contrato. 62926962.5&D46. +. 0?8/P7 AP1 2626+.2.%e <%l#o% i!procedente o pedido condenat=rio for!%lado pelo a%tor* tendo e! )ista .6.considerada a(%si)a* nos ter!os do arti#o +. RE!'SA INDE)IDA.+63.2. 6.AP1 22234.3: 17 ..37 -8E/P ..4926962. A certo . -es.6923962. A'S(N!IA DE PRE)ISÃO NO ROL DA ANS.2.6.. 5D* do C-C:* e e! o(ser)"ncia à pr=pria f%nção social do contrato. -es..62.62. 2D926962. ...37 -8E/P .5-D. NE!ESSIDADE DE REALIZAÇÃO DE E"A#E. ..&. 3. da Constit%ição da Repú(lica /entença de procedência !antida Rec%rso despro)ido.7 /ão Pa%lo7 /e ta C"!ara de -ireito Pri)ado7 Rel. 0TJSP . 8. . RESSON$N!IA #AGN%TI!A DE EN!%FALO & TESLA. A interpretação das clá%s%las contrat%ais de)e ser feita e! prol da contratante* a fi! de #arantir s%a saúde 0art. A rec%sa da r$ à co(ert%ra de e a!e prescrito por !$dico especialista .3: PLANO DE SA DE. Ri(eiro de Pa%la7 8%l#.4.%e ela )ale-se das falBas do Estado* e plorando ati)idade co!ercial 0e!presarial: co! a le#Cti!a finalidade de l%cro.227 Ac.%e não co!pete à operadora do plano s%(stit%ir-se ao Estado na prestação de saúde pú(lica* !as o fato $ . Apelação interposta contra a sentença .57 Ac..-&5. RE!'RSO DO A'TOR PRO)IDO. Apelação do a%tor pro)ida.5+7 Ca!pinas7 -$ci!a /e#%nda C"!ara de -ireito Pú(lico7 Rel. . -e)er do Estado* direito do po)o Art.* do C-C.

J'ROS ARBITRA#ENTO DESDE A DA INDENIZAÇÃO.!I)IL. APELO DE !ARINE BEZERRA DESPRO)IDO.RIA ESPE!*FI!A DANOS NO NO !ONTRATO E #ORAIS.* condenando a operadora de saúde a reparar danos !ateriais e !orais s%portados pela cliente* à .%e poss%i carência de 65 0)inte e .'S'LA !ONS'#IDOR.. SE# RESPALDO E# !L. RE!'RSO DA /AP)IDA PAR!IAL#ENTE PRO)IDO. -o contrato de adesão não especifica os deno!inados >procedi!entos de alta co!ple idade> co(ertos pelo plano. Assi!* e!(ora a Fap)ida ar#%!ente . DOENÇA PREE"ISTENTE.%e <%l#o% parcial!ente procedente o pedido contido na ação ordinária a<%izada por Carine Bezerra Maca!(ira contra Fap)ida Assistência M$dica 1tda. RESPONSABILIDADE !I)IL. !ONSIDERADO PRO!EDI#ENTO DE ALTA !O#PLE"IDADE. RAZOABILIDADE #ONET. DO #ORAT-RIOS IN!IDE# DESDE A !ITAÇÃO INI!IAL. . !ORREÇÃO APLI!ADA FI"AÇÃO .%al foi ne#ada a realização do e a!e de resson"ncia !a#n$tica* so( o ar#%!ento de se tratar de procedi!ento de alta co!ple idade . ALEGAÇÃO DE NE!ESSIDADE DE !'#PRI#ENTO DO PRAZO DE +4 #ESES PARA A REALIZAÇÃO DO E"A#E. A clá%s%la . NEGATI)A DE !OBERT'RA DE E"A#E DE RESSON$N!IA #AGN%TI!A. DE ADESÃO.%atro: !eses e! caso de doença pree istente* co!o na esp$cie.%e a resson"ncia !a#n$tica $ classificada pela A#ência @acional de /aúde /%ple!entar co!o e a!e co!ple o* e)idencia se .. PLANO DE SA DE. 6. APELAÇÃO !*)EL.'ANT'# INDENIZAT-RIO. APLI!AÇÃO DO !-DIGO DE DEFESA DO #ATERIAIS O!ORR(N!IA. ApelaçEes cC)eis e! face de sentença .3.%e o 17 .

5. 3.& do /?8:.. . Considerase ade.pacto $ silente .%e a ne#ati)a desarrazoada à co(ert%ra !$dica confi#%ra dano !oral* !or!ente diante de sit%ação de aflição psicol=#ica e an#ústia a#ra)adas pela fra#ilidade da saúde do paciente.%e não se trato% de caso de cir%r#ia o% internação de %r#ência* pelo . .%e foi inde)ida a rec%sa da e!presa a a%torizar o e a!e re.%al esta de)e arcar co! as c%stas do procedi!ento !$dico realizado às e pensas da s%plicante. -esse !odo* concl%i se .222*22 ar(itrado pelo <%Czo sin#%lar para a indenização dos danos !orais à a%tora* tendo e! )ista . +. Precedentes.G do C=di#o de -efesa do Cons%!idor* aplicá)el ao caso e! tela 0/ú!%la nG 5. A fi ação do )alor da reparação dos danos !orais considera as condiçEes pessoais e econI!icas das partes* de)endo* cont%do* o ar(itra!ento operarse co! !oderação e razoa(ilidade* atento à realidade da )ida e às pec%liaridades e aos fatos de cada caso* de for!a a não Ba)er inde)ido enri. C%!pre reconBecer a e istência de dano !oral a <%stificar a indenização a esse tCt%lo* pois a pro!o)ente* ora apelante* e! sit%ação de doença* )i%se desa!parada pelo se#%ro de saúde* o .%anto aos procedi!entos assi! considerados pela operadora de saúde* o . K%anto à data de inCcio da aplicação da correção !onetária e dos <%ros de !ora* entretanto* assiste razão à ins%r#ente 17 .%e confi#%ra !alferi!ento ao direito de infor!ação pre)isto no art. 4. As clá%s%las contrat%ais de)e! ser interpretadas de !aneira !ais fa)orá)el ao cons%!idor 0art.%ado aos dita!es da razoa(ilidade e da proporcionalidade o )alor de RJ6.%ilidade ao cliente nestes !o!entos. H /?8 te! fir!ado posiciona!ento no sentido de . 5D* C-C:.%al ser)e* <%sta!ente* para dar tran. D.%e a sentença de)e ser !antida no tocante a este ponto.%erido* por não poss%ir respaldo le#al* tratandose de ato ilCcito praticado pela Fap)ida* razão pela .%eci!ento do ofendido* (e! co!o a desesti!%lar o ofensor a repetir o ato ilCcito.

222. a#$ec!+a-6o da $&$e%a + eco#!4ada #a %e!( O a $( R9 da %e! co#s&me !s$a a&$o !4a o 3&!4 a co#cede a a#$ec!+a-6o de $&$e%a.4. Apelo !ane<ado pela Fap)ida Assistência M$dica 1tda. Parcial!ente pro)ido* para se aplicar os <%ros de !ora à condenação e! danos !orais e !ateriais desde a citação inicial* (e! co!o para se fazer incidir a correção !onetária so(re a . 5em ca ac$e !4ada a & B/#c!a da ea%!4a-6o do e.2.7 Pri!eira C"!ara CC)el7 Rel.. #6o es$a a%$e #a$!*a se#6o e?&e e . e ma!s.ame e?&!s!$ado +e%o m0d!co da Re?&e e#$e.2.%ant%! indenizat=rio* consoante a /ú!%la nG 3.%antia total da indenização desde a data do ar(itra!ento desta. 0?8CE7 AC 2343+5&34. 52+ do C=di#o Ci)il* para os casos de responsa(ilidade contrat%al* co!o na Bip=tese dos a%tos. Acerca dos <%ros* estes de)e! ser contados desde a citação inicial* a teor do art. H%endo re!evante o undamento da demanda I de*e o J&!4 !m+o 17 .6 do /?8. 3+: DO PEDIDO DE TUTE"A ANTECIPADA D!a#$e dos >a$os #a ados.Fap)ida. Ade!ais* relati)a!ente à correção !onetária* esta incide desde a data do ar(itra!ento do . em+ esa X.67 Pá#. c ede#c!ado 3&#$o . -es. es+ec!a%me#$e $e#do em *!s$a $ a$a 2se de +ac!e#$e em !dade a*a#-ada. &. Apelação interposta por Carine Bezerra Maca!(ira despro)ida* !antendose o )alor da reparação aos danos !orais fi ado na sentença ad)ersada.62. Lernando 1%iz Mi!enes RocBa7 -8CE 6492&962.

2 23 ( & indeni-ação por perdas e danos se ar/ sem pre. ixando pra-o ra-o/ve! para o cumprimento do preceito.&ma m&%$a d!" !a +a a ?&e #6o Ca3a +o +a $e do + es$ado dG*!das em c&m+ ! !med!a$ame#$e o des!B#o 3&d!c!a%L &rt. $ !0cito ao . 2 :3 ( 6ara a tute!a espec0 ica ou para a obtenção do resu!tado pr/tico e*uiva!ente.usti icado receio de ine ic/cia do provimento ina!. poder/ o .ui.ui.conceder a tute!a !iminarmente ou após . 2 '3 ( 9 . 284 do 5657. o CAd!Bo de P ocesso C!*!% $am50m a&$o !4a o J&!4 a co#cede a a#$ec!+a-6o de $&$e%a Hexistindo prova ine*u0vocaIL 17 . tais como busca e apreensão. 2 13 ( & conversão da obrigação em perdas e danos somente ser/ admiss0ve! se por e!as optar o autor ou se imposs0ve! a tute!a espec0 ica ou a obtenção do resu!tado pr/tico correspondente. impor mu!ta di/ria ao r$u. remoção de coisas e pessoas. impedimento de atividade nociva. na +ipótese do 2 83 ou na sentença. 2 83 ( %endo re!evante o undamento da demanda e +avendo . des a-imento de obra. o .conceder/ a tute!a espec0 ica da obrigação ou determinar/ provid1ncias *ue assegurem o resu!tado pr/tico e*uiva!ente ao do adimp!emento.poder/.eto o cumprimento da obrigação de a-er ou não a-er. N6o 5as$asse o coma#do ema#ado do CAd!Bo de De>esa do Co#s&m!do . a!$m de re*uisição de orça po!icia!. se or su iciente ou compat0ve! com a obrigação.u0-o da mu!ta (art.determinar as medidas necess/rias. 8' ( )a ação *ue ten+a por ob.ui.usti icação pr$via.ui. citado o r$u. independentemente de pedido do autor.

tota! ou parcia!mente. e. '?1. de modo c!aro e preciso. < ( +a. desde *ue. 3" ?&e a e>e$!*!dade da + es$a-6o 3& !sd!c!o#a% es$a !a B a*eme#$e com+ ome$!da. 22 '3 e :3. 2 83 & e etivação da tute!a antecipada observar/. 3&s$!>!ca2se a + e$e#s6o +e%o princ0pio da necessidade.ame 5&scado e a ca com as s&as des+esas. o . 248 ( 9 .ui.!s$!#do + o*a !#e?&K*oca e *e oss!m!%Ca#-a das 17 .&rt..indicar/.poder/. antecipar. se convença da verossimi!+ança da a!egação e. 2 13 ( )a decisão *ue antecipar a tute!a. es+ec!a%me#$e +a a ?&e a e?&e !da se3a com+e%!da a a&$o !4a a ea%!4a-6o do e. as ra->es do seu convencimento. existindo prova ine*u0voca. !m+%!ca#do mesmo em r/+3o d' =/da -ara o r'4*'r'(t' . e '?1(&. $e#do em *!s$a a s&a !dade a*a#-ada (=M a#os) e a *r6'(t' ('3'++/dad' da r'a5/&a12o do a5*d/do '?a0' -ara o d/a6(E+t/3o da 0o5A+t/a 4*' a a3o0't'( No + ese#$e caso. as normas previstas nos arts. no *ue couber e con orme sua nature-a. os e eitos da tute!a pretendida no pedido inicia!. a re*uerimento da parte. es$6o + ese#$es os e?&!s!$os e + ess&+os$os +a a a co#cess6o da $&$e%a e?&e !da.a undado receio de dano irrepar/ve! ou de di 0ci! reparação= ou << ( . :88. a +a $! da co#s$a$a-6o de ?&e sem a $&$e%a a es+e a +e%a se#$e#-a de m0 !$o !m+o $a !a de#eBa-6o de 3&s$!-a..ui. a#$ec!+a-6o de $&$e%a. 2 23 ( )ão se conceder/ a antecipação da tute!a *uando +ouver perigo de irreversibi!idade do provimento antecipado. No ?&e co#ce #e .

mo me#$e #o $oca#$e . ce $ame#$e aca e$a " em aB a*ame#$o da doe#-a a!#da #6o d!aB#os$!cada. a%0m de >&#dado ece!o de da#o ! e+a "*e% o& de d!>Kc!% e+a a-6o. !B&a%me#$e. e>e$&ada +o m0d!co cadas$ ado 3&#$o .ame.a%eBa-@es. o5*!ame#$e. a *!da( S %&4 do a $( EM8. a a#$ec!+a-6o dos e>e!$os da $&$e%a de*e se co#ced!da se es$!*e em + ese#$es a *e oss!m!%Ca#-a das a%eBa-@es do e?&e e#$e e o !sco de da#o ! e+a "*e% o& de d!>Kc!% e+a a-6o( Nes$e d!a+as6o. +a a +oss!5!%!$a a co#sec&-6o do e. co#c%&s6o es$a ?&e. #a med!da em ?&e o seB& ado co#$!#&a e. o53e$o da %!de. %e*a#do2se em co#$a a s&a !dade. I. +ode " essa c! 2se dos Bas$os ?&e e>e$&o&. &ma *e4 ?&e a e?&e !da. #6o se a+%!ca ao eco !do. +o#do em !sco a + A+ !a *!da da Re?&e e#$e. a#$e a #a$& e4a do 5em 3& Kd!co ?&e se + e$e#de + ese *a 2 a saGde.+e !me#$a#do >o $es do es #o co +o e so> e#do desma!os e+e#$!#os( A r'='r+/B/5/dad' da 0'd/da $am50m 0 e*!de#$e.ame + esc !$o +e%o m0d!co. e ?&e o d!aB#As$!co $a d!o de &ma mo%0s$!a +ode o5*!ame#$e ca&sa da#o ! e+a "*e%. es$" o periculum in mora. e!s ?&e os + e3&K4os a 17 . s&a #ecess!dade e & B/#c!a +a a +oss!5!%!$a o d!aB#As$!co da doe#-a ?&e acome$e o e?&e e#$e( E*!de#c!ado. se *e#cedo a #a %!de.ame + esc !$o. #ecess!dade de o e?&e e#$e $e o am+a o do +%a#o de saGde co#$ a$ado( O fumus boni júris ca ac$e !4a2se +e%a + A+ !a e?&!s!-6o do e. em G%$!ma a#"%!se. e!s ?&e a demo a #a co#sec&-6o do e. Re?&e !da. med!a#$e a-6o !#de#!4a$A !a.ame #ecess" !o. e. ?&e e*!de#c!a o ca "$e !#d!s+e#s"*e% do e. mos$ a2se !#?&es$!o#"*e% a co#cess6o da $&$e%a. do CPC.

SO! PENA DE MU"TA DI. o -'d/do d' t*t'5a a(t'3/-ada ora %or0*5adoW 17 . +oB a+ -'(a+ da r'='5/aW B) +')a rat/%/3ada. COMO MEDIDA DE TUTE"A ANTECIPADA. 3o(t'+tar o -r'+'(t' %'/to. $/m o c&#Co de ! e*e s!5!%!dade. '0 todo+ o+ +'*+ t'r0o+. +%e!$e!a a A&$o a ?&e Vossa E.ce%/#c!a de>! a os seB&!#$es +ed!dosL a) a 3/ta12o da r'4*'r/da. (o -ra&o 5'6a5. (a +'(t'(1a.<<<. DETERMINANDO-SE.+os$o. NO SENTIDO DE DETERMINAR QUE A R$ AUTORIRE A REA"IRAÇÃO DO ESAME DE RESSONTNCIA MA8N$TICA ORA P"EITEADO PE"A AUTORA. *!da( DIANTE DISSO. acaso #6o co#ced!da a med!da o a +%e!$eada.<<(MI" REAIS). -ara. DE IMEDIATO.TER DE UR8VNCIA( PEDIDOS D!a#$e do ?&e >o! e. (a -'++oa d' +'* r'-r'+'(ta(t' 5'6a5. a#$e a es$ e!$a *!#c&%a-6o com se& d! e!$o . INAUDITA ALT !A "A!#. REQUER-SE.e%e !m+os$os. OUTROSSIM. QUE O MEIRIN#O CUMPRA O MANDADO EM CAR.RIA DE RU 1. 4*'r'(do.

%a3' .))(cem ea!s)( Res+e!$osame#$e. d'+3o(+t/t*/(do-+' a 35G*+*5a 3o(trat*a5 4*' -r'=> a '?35*+2o d' 3oB'rt*ra -ara o r'%'r/do '?a0'. C/-o++*%/3/>(3/a da A*tora %r'(t' . )) de ma!o do a#o de ))))( o++a Ad*oBado 2 OAQ(PR) <<EE88 F*5a(o d' Ta5 17 . '+-A3/' . R'4*'r/da. (o+ t'r0o+ do Art/6o NK /(3/+o III do CDC. tor(a(do d'%/(/t/=a a a(t'3/-a12o d' t*t'5a 3o(3'd/da. 3o0 a 3o(d'(a12o da 0'+0a ao -a6a0'(to d' 3*+ta+ -ro3'++*a/+ ' Co(orGr/o+ ad=o3atL3/o+. '+t'+ a +'r'0 arB/trado+ '4*/tat/=a0'(t' -or E?3'5>(3/aW d) 3o0 a /(='r+2o do Y(*+ da -ro=a. d'35ara(do a oBr/6a12o da r'4*'r/da '0 3*+t'ar 'Oo* a*tor/&ar o '?a0' r'4*'r/do -'5o 0Ad/3o 3r'd'(3/ado(r'++o(@(3/a 0a6(At/3a). ca&sa o *a%o es$!ma$!*o de RT <)). +')a0 XU"8ADOS PROCEDENTES todo+ o+ -'d/do+ %or0*5ado+ ('+ta d'0a(da. +' o 3a+o a++/0 o r'4*'r'r. B'0 3o0o -'rL3/a. '0 '+-'3/a5 a o/t/=a do r'-r'+'(ta(t' 5'6a5 da r'4*'r/da ' d' t'+t'0*(Ca+. +ede de>e !me#$o( C!dade (PR). ao %/(a5. -rot'+ta ' r'4*'r a -rod*12o d' -ro=a+ ad0/++L='/+ . D"2se .3) 4*'.

17 .