You are on page 1of 2

A VACA Um velho mestre decidiu ir ter com o seu discípulo visitar a aldeia mais pobre entre as aldeias mais

pobres da região. Quando chegou, dirigiu-se ao casebre mais miserável de todos. Assim, o mestre e o discípulo entraram numa casa de pouco mais de seis metros quadrados na qual vivia pobremente uma família composta pelo pai, pela mãe, quatro filhos e dois avós. Contudo, apesar da penúria, aquela família possuía um bem, extraordinário, tendo em conta aquelas circunstâncias: uma vaca faminta cujo escasso leite lhes servia de alimento, insuficiente, é certo, mas o único que tinham. O pai, pobre mas hospitaleiro, convidou o mestre e o discípulo para passarem a noite com eles. No dia seguinte, muito cedo, assegurando-se de que não acordava ninguém, o mestre disse em voz baixa ao discípulo: - Chegou a hora da lição. O mestre, sob o olhar atónito do discípulo, sacou de uma adaga e degolou a pobre vaca. - Que espécie de lição é que deixa uma família sem nada de nada? – queixou-se o jovem discípulo. - Regressemos a casa – foi a única resposta do mestre. Um ano mais tarde, o mestre e o discípulo voltaram à aldeia para saber o que tinha acontecido àquela família. Mas, no lugar onde antes estava o casebre miserável e sujo, erguia-se agora uma casa grande, limpa e bastante luxuosa. Viram sair o pai. Estava bem vestido. Cheio de orgulho e com alguns quilos a mais. O homem, que não suspeitava de que o mestre e o discípulo tivessem sido os responsáveis pela morte da sua vaca, contou-lhes que, no dia em que tinham partido, algum invejoso tinha degolado selvaticamente o pobre animal. - Aquela vaca era o nosso sustento. Toda a gente nos respeitava porque tínhamos algum leite. Quando vimos a vaca morta, percebemos que estávamos em verdadeiros apuros e que teríamos de reagir. E foi o que fizemos. Decidimos limpar o pátio que existe nas traseiras da casa, conseguimos algumas sementes e semeámos batatas e alguns legumes para comermos. Passado pouco tempo, percebemos que a nossa quinta produzia mais do que necessitávamos e começámos a vender. E, com os lucros, comprámos mais sementes, e assim tem sido até hoje. Acabo de comprar a casa em frente para plantar mais batatas e hortaliças e algumas… Enquanto o orgulhoso pai continuava a falar sem parar, o discípulo deu-se conta de que aquela vaca tinha sido durante muito tempo não apenas o seu único bem, mas também a corrente que mantinha toda a família presa a uma vida de conformismo e de mediocridade Gabriel García de Oro (2011) - StoryTelling – a magia das palavras de - Gestão plus (Fábula inspirada na versão do Dr. Camilo Cruz) A mensagem! Mesmo que inconscientemente, temos sempre algo na nossa vida que nos serve de desculpa para não darmos o “próximo passo”. A maioria das pessoas tem a sua própria Vaca que as sustenta mas ao mesmo tempo as impede de crescer e evoluir. “A vaca representa todo o pretexto, justificação, mentira, racionalização, medo ou falsa crença que nos mantém presos a uma vida de mediocridade e nos impede de atingir a qualidade de vida que realmente merecemos. Em geral, toda a vaca pertence a uma destas duas categorias: as desculpas e as atitudes limitadoras” (Camilo Cruz, 2008)

. Não conheço nenhuma Marca Pessoal de sucesso que a certa altura não tenha sido forçada a tomar decisões de risco. foco e dedicação. Temos que passar o abismo. Nem tudo é fácil. para chegar mais longe temos que atravessar caminhos nem sempre agradáveis mas.Temos que assumir o risco e sair da nossa zona de conforto. com persistência. tudo é possível.

Related Interests