You are on page 1of 13

TRABALHO ORAL

IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Os catálogos WEB: políticas e impactos

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE DE GESTÃO DE BIBLIOTECAS: foco na usabilidade da interface de pesquisa
SILVA, T. M.1 AMARAL, R. M.2

RESUMO A qualidade é hoje a grande motivadora em todas as áreas de atividade humana e tornou-se mais uma ferramenta que ajuda as organizações no mercado. A demanda por qualidade tem motivado as comunidades de softwares a desenvolverem modelos e aplicações de normas para a avaliação dessa qualidade. O objetivo do trabalho é avaliar a qualidade das interfaces de pesquisa dos softwares de gestão de bibliotecas. O método de pesquisa utilizado constitui-se em três etapas: Levantamento e análise bibliográfica; Elaboração de uma lista de critérios para avaliação da qualidade dos softwares, com foco no requisito usabilidade; e a Avaliação da qualidade dos softwares de gestão de bibliotecas (com foco na usabilidade da sua interface de pesquisa) das Instituições de Ensino Superior (IES) localizadas na cidade de São Carlos-SP. Os resultados obtidos foram uma lista de critérios de qualidade para softwares de gestão de bibliotecas e a identificação de melhorias a serem implementadas nas interfaces de pesquisa a partir da sua avaliação. Conclui-se que o usuário é o principal avaliador de um sistema e a sua satisfação um elemento que caracteriza a qualidade de um software, a lista de critérios apresentada contribui para o aumento da qualidade dos softwares de gestão de bibliotecas. Palavras-chave: Qualidade de software. Usabilidade.

ABSTRACT The quality today is the great motivator in all areas of human activity and has become a tool that helps organizations in the market. The demand for quality has motivated the communities of software applications to develop models and standards for the evaluation of its quality. The objective is to assess the quality of the software interfaces for search-management libraries. The research method is used in three steps: survey and literature review; Establishment of a list of criteria for assessing the quality of software, with focus on usability requirement, and evaluation of the quality of software management of libraries (with focus on usability of its search interface) of

1 INTRODUÇÃO Hoje em dia. The results were a list of criteria for quality-management software for libraries and the identification of improvements to be implemented in the search interface from its assessment. no entanto. It follows that the user is the main evaluator of a system and their satisfaction an element that characterizes the quality of software. levando-as a automatizarem processos e atividades aumentando a disponibilidade. assim como o seu armazenamento. por exemplo. A revolução tecnológica fez com que as organizações reestruturassem a execução do trabalho. Usability. a tecnologia da informação está muito presente na vida das pessoas. Gerenciar a informação faz parte das atividades de uma biblioteca. Keywords: Quality of software. . o uso de softwares busca atender às necessidades informacionais da biblioteca e seu público. provocando mudanças em seus processos. determinar o tipo de interface apropriada para o catálogo. Provocaram ainda uma alteração nos processos de coleta. disponibilização e análise das informações. Os avanços da informática. inegavelmente. garantir um gerenciamento eficiente da informação tornou-se indispensável para a satisfação de seus usuários. Os usuários podem.2 (IES) located in the city of São Carlos-SP. the list of criteria presented contributes to improving the quality of management software for libraries. e recuperação em tempo hábil das informações. pesquisadores têm se preocupado em criar maneiras para avaliar a qualidade de softwares. Dentro do escopo de gerenciamento das informações em uma biblioteca. dos computadores e de outras formas de tecnologia têm exercido efeito significativo também na vida das organizações. que influenciam nos sistemas de gestão informatizados das bibliotecas. Definir um software que atende às necessidades para uma melhor gestão em bibliotecas não é uma tarefa fácil. Definese uma biblioteca por seus usuários. Em tempos onde a informação é apontada como um dos objetos mais importantes em processos de valorização das organizações.

bem como o julgamento individual desse uso.3 O presente trabalho tem o propósito de avaliar a qualidade das interfaces de pesquisa dos softwares de gestão de bibliotecas. 2 QUALIDADE DE SOFTWARE: usabilidade Laudon & Laudon (c1999) definem software como instruções detalhadas que controlam a operação do hardware do computador. avaliada e. A ISO/IEC 9126 (NBR 13596) define a capacidade para uso/usabilidade como um conjunto específico de subcaracterísticas (ou atributos) de um produto de software: • Operacionalidade: evidencia o esforço do usuário para a operação e controle do software. A usabilidade é uma dessas características compreendida pela norma de qualidade de produto de software ISO/IEC 9126 (NBR 13596). o software serve como intermediário entre a organização e suas informações armazenadas. alcançada. por um conjunto explícito ou implícito de usuários. e essa preocupação é causada principalmente pela dificuldade em determinar meios através dos quais a qualidade possa ser planejada. possibilita que uma organização gerencie seus recursos computacionais. ele desenvolve as ferramentas para aplicação do hardware do computador na resolução de problemas. • Aprendizagem: evidencia o esforço do usuário para aprender a utilizar o software. que determina a sua habilidade em satisfazer um determinado usuário. . A Associação Brasileira de Controle da Qualidade (2007) define a qualidade como a totalidade das características de um produto. De acordo com Natali & Falbo (1999) a preocupação com a qualidade de um software é cada vez maior. com enfoque no requisito usabilidade e averiguar se os softwares de gestão de bibliotecas usados nas Instituições de Ensino Superior (IES) da cidade de São Carlos atendem aos requisitos de qualidade. apresenta três funções principais. enfim. Definida como um conjunto de atributos que evidenciam o esforço necessário para se poder utilizar o software.

respeitando a segurança de acesso e possibilitando a passagem de parâmetros para uma nova função. Reaproveitamento da entrada de dados: capacidade do software de aproveitar os dados já informados em funções anteriores sem necessidade de nova entrada. Documentação: consiste na composição de Manuais e Cartão de Referência com linguagem clara e abrangente. como funciona. através de mensagens claras e objetivas. • • • • • • • • • • • . Prevenção contra erros de operação: capacidade do software de validar os dados e/ou opções de entrada. Auto-instrução: capacidade do software de proporcionar ao usuário aprendizagem através de uma simulação. o que fez e quando fez) (BAJERSKI. possibilitando consulta às opções existentes. para que serve e como usar a função. Padronização: utilização de um modelo único dentro do sistema quanto às telas. alertando o usuário quando a operação comprometer a integridade dos dados. Facilidade de instalação: capacidade do software de interagir com o usuário na instalação para o seu efetivo uso. Navegação: facilidade de caminhar entre funções e/ou sistemas. Help on-line: help por função: descrição breve do que é. permitindo que o usuário possa conhecer todo o potencial do software.4 • Compreensibilidade: evidencia o esforço do usuário para reconhecer o conceito lógico e aplicabilidade do software. utilizando-se de um vocabulário comum. Help por campo: descrição breve do que representa e qual o conteúdo a informar. 1994). Glossário: consiste na capacidade do software de oferecer ao usuário um dicionário de termos técnicos utilizados pelo mesmo. relatórios e procedimentos. Os atributos podem ser avaliados de acordo com vários critérios: Auditabilidade: capacidade do software de verificar a integridade dos dados e de rastrear as atualizações significativas nos dados (quem fez. Mensagens: capacidade do software de interagir com o usuário.

mensagens de erro precisas e construtivas. falar a língua do usuário. 3 BIBLIOTECAS E SISTEMAS DE GESTÃO A tecnologia da informação (software e hardware) modificou fundamentalmente a maneira como se organizam e administram as bibliotecas e demais serviços. consistência. Interação é a comunicação entre o usuário e o sistema. A automação em bibliotecas tem sido um dos fatores mais complexos na implementação de uma política de informatização de rotinas e processos biblioteconômicos. feedback. É um método de avaliação de usabilidade onde um avaliador procura identificar problemas de usabilidade numa interface com o usuário. Assim. Automatizar não é apenas introduzir computadores e instalar um software de gerenciamento de acervo. previne erros. e sim um planejamento sistemático que envolve recursos humanos. . inter + ação processo que engloba ações do usuário sobre o sistema e interpretações dos resultados.. como consiste em uma elaboração de um projeto centrado nas necessidades reais e potencias dos usuários e de toda a estrutura da biblioteca. minimiza a carga cognitiva do usuário. treinamento de pessoal e pesquisa sistemática de todo os processos administrativos da instituição.. 2001).5 Uma definição simples para interface pode ser considerada como aquilo que interliga dois sistemas. através da análise e interpretação de um conjunto de critérios ou heurísticas (AS 10. que se dedicam à atividade de processamento. Esses critérios são: diálogo simples e natural. recuperação e disseminação de informações. Os sistemas informatizados de gerenciamento (software de gestão) de bibliotecas lidam com a manutenção de registros necessários à administração eficiente e eficaz dessas organizações. ajuda e documentação. atalhos. Vários estudiosos fizeram pesquisas sobre a usabilidade de softwares de gestão.. dentre esses estudos destacam-se as heurísticas de Nielsen. saídas marcadas claramente. Uma característica da interface com usabilidade é a responsabilidade em fazer com que o usuário tenha condições de interagir com as funcionalidades do sistema facilmente (SANTOS. 2007).

4 METODOLOGIA O método usado no trabalho constitui-se em três etapas: • Levantamento e análise bibliográfica: foram recuperados artigos de autores (experts) que versavam sobre o tema qualidade de software.. esta relacionada à importância do pólo tecnológico de São Carlos-SP e a concentração de IES públicas que a cidade apresenta. como o principal objetivo é auxiliá-lo na consulta ao acervo. mais pertinentes. norma NBR 13596 (característica usabilidade). Fizeram parte da amostra analisada quatro bibliotecas de IES da cidade de São Carlos-SP. é desejável que se pesquise a satisfação do usuário quanto ao uso do sistema que ele utiliza. • Elaboração e preenchimento de uma lista de critérios de qualidade relacionados à usabilidade das interfaces de pesquisa dos software de gestão de bibliotecas.. Santos e Macedo (2001). . O usuário é. A opção pelo objeto de estudo. O Quadro 1 apresenta o check list com breve descrição dos requisitos de qualidade. Através dos estudos efetuados por vários autores foi possível estabelecer check list (Lista de verificação ou critérios de verificação) para a avaliação da qualidade dos softwares de gestão usados nas bibliotecas. Vilella (2003). portanto o principal avaliador de um sistema e a sua satisfação um elemento que caracteriza a qualidade de um software (ALMEIDA et al 2004).. com foco na usabilidade: heurística de Nielsen (AS 10.6 O usuário é o cliente da biblioteca e. para avaliar a dimensão usabilidade das interfaces de pesquisa das bibliotecas. 5 RESULTADOS O levantamento bibliográfico foi fundamental para a realização do trabalho. 2007). • Avaliação da qualidade dos softwares de gestão de bibliotecas (com foco na usabilidade da sua interface de pesquisa) das IES localizadas na cidade de São Carlos-SP. e Café.

Autor Critério Planejamento Visual Gráfico Descrição No catálogo on-line. de modo que as categorias semelhantes ou relacionadas estão próximas entre si. “C” e “D”. Não (0) – O catálogo on-line não atende ao critério proposto Quanto maior a pontuação que os catálogos on-line das bibliotecas das IES apresentarem. os caracteres (visual) encontram-se o mais legível possível. Está presente um link ativo para a homepage na própria homepage. A rolagem vertical da página a 800x600 do catálogo on-line é evitada. no tamanho de janela mais predominante (800x600).Avaliação da Qualidade de Software de gestão de bibliotecas das IES da Cidade de São Carlos/SP . foram estabelecidos 2 pesos para pontuar o check list. O layout permite o ajustamento do tamanho da homepage a diversas resoluções de tela. permitindo sua imediata identificação. A área de navegação principal está alocada em um local destacado. permitindo sua imediata identificação. Itens do catálogo estão agrupados na área de navegação. Quanto menor a pontuação que os catálogos on-line das bibliotecas das IES apresentarem. Na avaliação das interfaces de pesquisa (catalogo on-line) pelos pesquisadores.7 denominadas no trabalho de “A”. levandose em conta a utilização de contraste e cores de plano de fundo. • • Sim (1) – O catálogo on-line atende ao critério proposto. sem rolar verticalmente). de modo que as categorias semelhantes ou relacionadas estão próximas entre si. Está presente um link ativo para a homepage na própria homepage. B”. maior a qualidade de seu software de gestão. Bibliotecas das IES A B sim sim sim sim não C sim não não sim não D não não não sim sim Vilella (2003) NBR 13596 heurísti ca de Nielsen 1 2 3 4 5 não não não sim sim Vilella (2003) NBR 13596 heurísti ca de Nielsen Vilella (2003) NBR 13596 heurísti ca de Nielsen Navegação 6 7 5 não não sim sim sim não sim sim não não não sim Navegação 6 7 não não sim sim sim sim não não (continua) Quadro 1 . Os elementos mais críticos do catálogo estão visíveis “acima da dobra” (na primeira tela de conteúdo. A área de navegação principal está alocada em um local destacado. Itens do catálogo estão agrupados na área de navegação. menor a qualidade de seu software de gestão.

O catálogo apresenta ícones indicando o tipo de material que foi recuperado. O catálogo apresenta a visualização do número total de registros recuperados. Vilella (2003). O catálogo apresenta recursos para facilitar a apreensão do funcionamento da aplicação como por exemplo. 2007). Bibliotecas das IES não não sim sim sim sim não não não sim não sim não sim sim sim não não sim não não não não não não não sim não Vilella (2003) NBR 13596 heurísti ca de Nielsen Procedimento de busca 14 15 16 17 18 19 20 sim não não não sim sim sim não não não sim sim não não não sim sim sim não sim sim sim não não não não não sim sim não não não não sim não não não sim sim sim não não não sim Resultado de busca 21 22 23 24 25 Café. No catálogo tem a possibilidade de filtrar os resultados obtidos. estão disponíveis e são facilmente identificáveis. á direita e ao meio. O catálogo indica o status do documento pesquisado.. Santos e Macedo (2001). e Café. periódico etc) os resultados pesquisados. Há possibilidade no catálogo em fazer busca a partir de determinada data ou entre datas.. NBR 13596 (1996).8 Autor Vilella (2003) NBR 13596 heurísti ca de Nielsen Critério 8 9 Link 10 11 12 13 Descrição A presença de links do catálogo é indicada claramente. Os links do catálogo são claramente diferenciados. O catálogo apresenta a visualização dos resultados da pesquisa em forma de Referência bibliográfica de acordo com a ABNT. O catálogo on-line pode ser acessado através de outras mídias. O catálogo tem Interface de pesquisa simples e/ou avançada. informando isso aos usuários. operadores booleanos ou qualquer palavra. seções de ajuda e FAQ’s. O catálogo on-line apresenta histórico de busca.Avaliação da Qualidade de Software de gestão de bibliotecas das IES da Cidade de São Carlos/SP Fonte: Adaptado de heurística de Nielsen (As 10. indisponível ou disponível. como celulares ou palm-tops. são claros. de forma a tornar fácil a compreensão de seu conteúdo. Instruções de uso do catálogo on-line são fornecidas (Manual). sendo as categorias diferenciáveis entre si. No catálogo existe a possibilidade de salvar estratégicas de buscas para utilização posterior. e/ou filtro. se emprestado. Santos e Macedo (2001) 26 sim não não não (conclusão) Quadro 1 . O catálogo on-line oferece recursos especiais para acesso de pessoas portadoras de deficiência. O acesso às buscas do catálogo é direto.. O catálogo apresenta a recuperação de informações por truncamento á esquerda. . O catálogo ordena e classifica (livro. Os termos utilizados para definir as opções de navegação de categorias.

77% A seguir são apresentadas análises individuais dos resultados da avaliação: Instituição A (catálogo on-line da biblioteca): De acordo com análise dos critérios estabelecidos para o planejamento visual/gráfico.66% 61. porém necessita de uma melhor visualização.53% 50% 66. A navegação do catálogo também é um elemento que deve revisto. o acesso ao catálogo está na primeira página e os termos utilizados na navegação são claros. representando assim na visão do usuário um requisito para ser melhorado. o catálogo obteve uma baixa pontuação o que resulta em pouca qualidade. .33% 0% 33.15% Bibliotecas das Instituições B C 100% 66. O Procedimento de busca possui boa qualidade perante aos outros catálogos. o total de registros encontrados. resultado de busca.9 Após a aplicação dos critérios de qualidade de software com foco na usabilidade. apresenta instruções de uso. O ultimo critério. pelos pesquisadores. verificou-se que seus itens não estão bem alocados e relacionados o que dificulta a sua navegação. os resultados pesquisados estão ordenados e classificados e os ícones do tipo de material encontrado está representado de forma clara.22% 30.66% 25% 50% 66. Critérios Planejamento Visual/Gráfico Navegação Links Procedimento de busca Resultado de busca TOTAL A 25% 33.66% 50% 0% 22. o catálogo indica o status do documento.55% 46. Tabela 1 . apresenta filtro para a pesquisa e tem a possibilidade de trucar e usar operados booleanos para melhorar a pesquisa.33% 44.44% 30. logo obteve uma boa qualidade. foi possível construir a Tabela 1 com as informações sobre as pontuações alcançadas por cada IES em porcentagem. foi o catálogo da biblioteca quem apresentou a segunda maior pontuação. Dentre os critérios levantados os Links do catálogo apresentam boa qualidade.33% 50% 50% 55.Pontuação do Check list.77% D 25% 33.

os elementos do catálogo estão bem representados e o layout permite o ajustamento do tamanho da homepage a diversas resoluções de tela. visando facilitar a visualização do usuário no momento em que acessa o catálogo on-line. o seu catálogo possui caracteres bem legíveis. A presença de Links é indicada claramente e são diferenciados de fácil compreensão. O critério procedimento de busca foi o que não apresentou nenhuma pontuação. procedimento de busca e resultado de busca em que o catálogo apresenta baixa porcentagem. Os links não estão claros e nem diferenciados. realizar busca através de datas. deve-se melhorar o acesso através de outras mídias. há necessidade de melhorarias na área de navegação principal. O critério resultado de busca foi o que obteve maior pontuação. a possibilidade de salvar as estratégicas de buscas anteriores. . mesmo assim. nem informações indicando o tipo de material recuperado. como a inserção de informações sobre o tipo de material. O planejamento visual/gráfico apresenta boa qualidade. Melhorias precisam ser implementadas. pois os itens estão bem organizados e apresenta um link ativo na própria homepage. qualidade muito baixa. como por exemplo.10 Instituição B (catálogo on-line da biblioteca): Foi o que apresentou a maior pontuação total. a rolagem da página é evitada. há necessidade de melhorias. o catálogo da biblioteca C obteve um baixo índice de qualidade. no entanto. o catálogo apresentou baixa qualidade. filtrar os resultados. No procedimento de busca o catálogo apresenta boa qualidade. o que representa assim a maior qualidade. porém. O seu planejamento visual/gráfico obteve pontuação bem significativa. deve-se melhorar a rolagem horizontal da página que não é evitada e melhorar a visualização dos elementos mais críticos. A navegação tem boa qualidade. deve-se melhorar a visualização dos resultados de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e permitir ao usuário salvar as estratégicas de buscas anteriores. pode-se concluir que apresentou boa qualidade perante aos outros catálogos pesquisados. apresentar recursos que permitam o acesso de pessoas portadoras de deficiência e a busca deve ser direta no catálogo. Instituição C (catálogo on-line da biblioteca): De acordo com análise geral do ckeclist. truncar e usar operados booleanos e de visualizar os resultados em formato de referência bibliográfica de acordo com a ABNT. Na análise do critério Links. com por exemplo. não apresentou ordenação e classificação dos resultados pesquisados. O critério navegação apresenta também boa qualidade.

que permitam afirmar que elas possuem qualidade. os itens do catálogo não estão agrupados. a variedade de opções existentes aliadas às peculiaridades de cada biblioteca dificulta ainda mais essa decisão. procedimento de busca. a rolagem da página que não é evitada o que pode confundir o usuário. O critério. O critério. os elementos que não estão organizados na página. O trabalho teve seus objetivos alcançados. ou seja. Todos os critérios Links. porém uma qualidade baixa diante da pontuação dos catálogos das outras instituições. o catálogo da biblioteca D não apresentou nenhum ponto. com foco na usabilidade. resultado de busca. estabeleceu critérios a partir da literatura levantada e adaptada em um check list. usados pelas IES da cidade de São Carlos/SP. porém pouco . precisa apresentar recursos que orientem a melhor forma de utilização do catálogo e recursos para pessoas portadoras de deficiência. não apresentam histórico de busca. A navegação teve também baixa qualidade. O resultado da avaliação mostrou que nenhuma das interfaces de pesquisa analisadas alcançou índice de qualidade de software.11 Instituição D (catálogo on-line da biblioteca): O catálogo da biblioteca D também obteve um baixo índice de qualidade no resultado total dos critérios estabelecidos. não filtra os resultados obtidos e não tem a visualização dos resultados em forma de referência bibliográfica de acordo com a ABNT. foi à pontuação maior que o catálogo da biblioteca D obteve. devem ser melhorados. que possibilitou a avaliação da interface de pesquisa dos softwares de gestão de bibliotecas. não estão relacionados e não apresenta um link ativo na própria homepage. precisa ser melhorada a visualização do catálogo. pois somente uma IES obteve um índice de qualidade acima da média. do catálogo da biblioteca da D também apresentou baixa qualidade. o catálogo não salva estratégica de buscas anteriores. a escolha do software de gestão requer uma grande atenção. 6 CONCLUSÃO Na medida em que cada biblioteca tem as suas próprias necessidades em relação ao tipo de automação que deseja implementar. O critério planejamento visual/gráfico obteve uma baixa qualidade. A decisão por um software de qualidade não é uma tarefa fácil. não tem a possibilidade de pesquisa pela data do documento.

ALMEIDA. Disponível em: <http://www. como por exemplo: circulação. A.br/loja_default.org. p.30.70-79. L. P. FALBO./ago.robsonsantos. BAJERSKI.. Há de se concluir que existem muitas ações de melhorias a serem implementadas. Sendo assim. Usabilidade e método de avaliação de usabilidade de interface Web.br>. F. maio. Acesso em 17 set. D. L. As 10 heurísticas de Nielsen. c1999. ele não teve o intuito de abordar todos os requisitos de qualidade de software. Acesso em 12 out.38. 2007. C. G. visando sempre à adequação às necessidades de seus usuários. Rio de Janeiro.usabilidoido. R. 4. 1-10. LAUDON. ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas. LAUDON. Santa Catarina: Departamento de Informática. Disponível em: <http://www.2007. ______. J. é recomendável que se avance na elaboração de critérios de qualidade de software. A. C.. 2001.2007. Qualidade dos Sistemas Integrados de Gestão: um estudo de caso.. MACEDO. Gerência de Conhecimento de Qualidade de Software. Sistema de Informação: com internet.com>. C. UFSC. Proposta de um método para escolha de software de automação de bibliotecas. Qualidade de software: usabilidade. que consigam dar conta de todos os módulos de um software de gestão de bibliotecas. Brasília. C.org.asp>. Revista Bate Byte. F. 1996. REFERÊNCIAS ASSOCIAÇÃO Brasileira de Controle da Qualidade. n. NBR13596: Tecnologia de Informação – Avaliação do Produto de Software – Características de Qualidade e Diretrizes para o seu uso. Rio de Janeiro. Disponível em: <http://www. v. 1999.1994. NATALI. Ciência da Informação. processamento técnico. SANTOS. Rio de Janeiro: LTC. aquisição entre outros.12 expressivo. R. SANTOS. . et al. CAFÉ. Acesso em: 03 set. A que se levar em conta que um software de gestão de bibliotecas é composto por vários módulos. et al. 2007. abr. ed.abnt. K. Acesso em: 10 set.abcq. Quanto às limitações de trabalho.com.br>. 2004. Disponível em: <http://www. n. Rio de Janeiro: Departamento de Informática e Ciência da Informação. UERJ. p. 2001.2. G. C.

2003. R. roniberto@nit. __________________ 1 2 Tatiana Messias da Silva. tatymessias@gmail. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Minas Gerais.13 VILELLA. usabilidade e funcionalidade: três dimensão para avaliação de portais estaduais de governo eletrônico na Web. Roniberto Morato do Amaral.ufscar. . Universidade Federal de São Carlos.br. Belo Horizonte. M. Conteúdo. Universidade Federal de São Carlos. 2003.com. 262f.